Questões Selecionadas das Provas da Petrobras e Transpetro

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Questões Selecionadas das Provas da Petrobras e Transpetro"

Transcrição

1 Questões Selecionadas das Provas da Petrobras e Transpetro Questão 1 Em um projeto de automação e controle de um parque industrial, encontramos o fluxograma simplificado de tubulação e instrumentação (P&ID) da figura acima. Segundo a norma ISA 5.1, são dados corretos sobre as características dos instrumentos da malha A/B, representada no fluxograma: Questão 2 Os transmissores medem uma variável do processo e a transmitem, a distância, normalmente para um sistema de controle. Existem vários tipos de sinais de transmissão: pneumáticos, elétricos, hidráulicos e eletrônicos. Os transmissores pneumáticos geram um sinal variável, linear, de 3 a 15psi (libras força por polegada ao quadrado) para uma faixa de 0 a 100% da variável. Os transmissores eletrônicos também geram um sinal variável, linear, porém elétrico, sendo mais utilizados os de 4 a 20 ma (mili ampére) e o de 1 a 5 V (volts) para uma faixa de 0 a 100% da variável. Nesta perspectiva, assinale a alternativa que expressa o conceito de zero vivo utilizado nos transmissores. (A) Todos os sinais iniciam a escala de transmissão representando o valor de 0% da variável medida.

2 (B) Todos os sinais transmitidos terão uma representação a partir de 0% da variável medida que, em caso de permanência contínua da variável neste valor, irá causar um sinal de alarme de zero. (C) Mesmo para o valor de 0% da variável medida, o transmissor estará emitindo ou não um sinal variável. (D) O valor de zero unidades de transmissão (psi, ma ou V) não é utilizado, pois o mesmo pode ser adulterado por um ruído no canal de transmissão. (E) Em caso de acidentes nas linhas de saída dos transmissores (rompimento de tubos ou cabos), o sinal recebido pelo sistema de controle será igual a zero, gerando um sinal de alarme. Questão 3 Para a utilização em determinados cálculos técnicos, a unidade da pressão medida em um manômetro, em bar, precisa ser substituída pela grandeza de força e área. Sem converter o resultado da medição, a grandeza equivalente a bar é: (A) lbf/pé 2 (B) lbf/pol 2 (C) dan/m 2 (D) dan /cm 2 (E) dan /mm 2 Questão 4 A escala de um termômetro de um equipamento mede a faixa de -40 a 176 F. Para converter os valores deste termômetro para C, precisa-se construir uma escala alternativa, abrangendo a mesma faixa de medição. Os valores inicial e final desta escala são, respectivamente, iguais a: (A) -72 e 76 (B) -40 e 80 (C) -32 e 88 (D) -8 e 136 (E) 0 e 160 Questão 5 Para um sistema de controle contínuo da temperatura de um tanque, utiliza-se um sensor que fornece uma diferença de potencial elétrico relacionada à temperatura. Este tipo de sensor é o: (A) pirômetro. (B) termógrafo. (C) termômetro analógico. (D) termopar. (E) termostato. Questão 6 Denomina-se válvula de controle as que têm como característica o acionamento: (A) automático, com regulagem de posição de abertura. (B) automático, com posição aberta ou fechada. (C) manual, com regulagem de posição de abertura.

3 (D) manual, com posição aberta ou fechada. (E) temporizado, com posição aberta ou fechada. Questão 7 Uma medida de pressão manométrica de 8 bar, em um circuito pneumático ao nível do mar, corresponde, aproximadamente, a uma pressão: (A) manométrica de 9 psi. (B) manométrica de 9 atm. (C) não manométrica de 9 psi. (D) não manométrica de 8 atm. (E) não manométrica de 9 kgf/cm2. Questão 8 Um sensor de pressão, localizado no fundo de um reservatório, é utilizado como instrumento de medição de nível. Considere a massa específica do líquido contido no reservatório igual a 1,2 kg/l e a aceleração da gravidade igual a 10 m/s2. Para uma leitura de pressão manométrica de 66 kgf/cm2, o nível, em m, corresponde a: (A) 1,2 (B) 5,5 (C) 6,6 (D) 55,0 (E) 66,0 Questão 9 A calibração de um instrumento de medição permite o estabelecimento dos valores do mensurando para as indicações e a determinação: (A) completa dos erros das medições. (B) completa dos erros do material de referência. (C) completa da exatidão do instrumento. (D) de correções a serem aplicadas às medições. (E) de correções a serem aplicadas às grandezas. Questão 10 Materiais piezoelétricos, de uso comum em instalações de instrumentação, são transdutores que convertem energia: (A) mecânica em elétrica e vice-versa. (B) química em elétrica e vice-versa. (C) gravitacional em elétrica apenas. (D) magnética em elétrica apenas. (E) mecânica em elétrica apenas. Questão 11 Nos circuitos hidráulicos industriais, assumem-se, para o fluido hidráulico, as hipóteses de: (A) incompressibilidade e viscosidade não nula, com perda de carga. (B) incompressibilidade e viscosidade nula, com perda de carga. (C) compressibilidade e viscosidade nula, com perda de carga.

4 (D) compressibilidade e viscosidade não nula, com perda de carga. (E) compressibilidade e viscosidade nula, sem perda de carga. Questão 12 Segundo a norma ISA 5.1, que trata da identificação dos instrumentos e das funções programadas, considere as seguintes afirmações: I - uma letra do tipo à escolha do usuário é utilizada para cobrir significados não listados e que serão utilizados de maneira repetitiva em um projeto particular; II - no conjunto de letras que compõe a identificação de um instrumento, a primeira letra indica a função que o instrumento desempenha na malha de controle e as letras subseqüentes indicam as variáveis medidas ou controladas; III - no conjunto de algarismos que compõe a identificação de um instrumento, o primeiro grupo de algarismos indica a malha à qual o instrumento pertence e o segundo indica a área/fábrica. IV - identifica-se a malha de um dado instrumento por uma sigla formada apenas pela primeira letra de sua identificação, seguida do respectivo número. São corretas apenas as afirmações: (A) I e III (B) I e IV (C) II e IV (D) I, II e III (E) I, III e IV Questão 13 Nos transmissores pneumáticos de pressão, o componente utilizado para converter um movimento ou uma deformação em um sinal pneumático é o(a): (A) Tubo Pitot. (B) Tubo Venturi. (C) Bico-palheta. (D) LVDT. (E) Célula Extensiométrica. Questão 14 Um transmissor eletrônico de pressão gera uma tensão CC de saída entre 10 e 30 V, proporcional a uma pressão de entrada entre 0 e 10 bar, respectivamente. Se for verificada uma leitura de 21 V na saída desse transmissor, a correspondente pressão de entrada, em bar, será: (A) 1,2 (B) 4,5 (C) 5,5 (D) 7,2 (E) 9,3

5 Questão 15 Ao analisar o fluxograma simplificado de tubulação e instrumentação (P&ID) em um projeto de automação e controle de um parque industrial, o técnico verificou a existência da seguinte tubulação com seus instrumentos e/ou acessórios: Sabendo que os mesmos obedecem à Norma ISA S 5.1 está correto afirmar que o(s) instrumento(s): (A) 1 está localizado no Campo (Field) e o Instrumento 2 está localizado em um Controlador Programável (PLC). (B) 1 e 3 estão localizados no Campo (Field). (C) 2 e 3 possuem Grau de Proteção IP para equipamentos elétricos. (D) 2 e 3 são instrumentos do tipo discretos. (E) 1, 2 e 3 estão localizados em local acessível ao operador. Questão 16 Os transmissores chamados inteligentes são microprocessados e, além do tradicional sinal analógico de 4-20 ma, adicionam ao mesmo pulsos que permitem comunicação bidirecional por meio de protocolos de campo. O protocolo utilizado extensivamente nas redes domésticas e comerciais de computadores, utilizado também em redes LAN Industriais é o: (A) Profibus. (B) Fieldbus. (C) Hart. (D) Ethernet. (E) Bitbus. Questão 17 Observando o fluxograma simplificado de tubulação e instrumentação (P&ID) de um determinado projeto, o técnico, encontrou as seguintes linhas de transmissão de sinais:

6 Ao procurar o tipo de informação em cada uma das linhas de transmissão na legenda, verificou-se que obedeciam à Norma ISA S 5.1. Assinale a opção que demonstra corretamente a informação em cada linha. Questão 18 O sensor de temperatura Rx está tendo sua calibração verificada por meio do circuito abaixo. Este sensor está aplicado num forno, primeiro a uma temperatura de 60 C e depois numa temperatura de 240 C. Qual deve ser, respectivamente, a leitura do Amperímetro (A) nos dois casos sabendo que o valor da resistência do RTD deve obedecer à seguinte equação? T ( C) = - 18 ( C/Ohm) x Rx C (A) - 0,5 ma e 0,75 ma; (B) 0,5 ma e 0 ma; (C) 0 ma e 0,75 ma; (D) 0 ma e 0,75 ma; (E) - 0,75 ma e 0,75 ma. Questão 19 O Número de Reynolds se refere a um coeficiente adimensional que descreve o perfil de velocidade de vazão de fluidos, tratando-se de um identificador de regime de escoamento. Assinale a opção que apresenta as variáveis consideradas no cálculo deste número. (A) Massa específica do fluido, viscosidade do fluido, velocidade do fluido e temperatura do fluido; (B) Massa específica do fluido, viscosidade do fluido, velocidade do fluido e diâmetro do tubo; (C) Pressão do fluido, viscosidade do fluido, velocidade do fluido, diâmetro do tubo e temperatura do fluido;

7 (D) Pressão do fluido, massa específica do fluido, velocidade do fluido e temperatura do fluido; (E) Viscosidade do fluido, velocidade do fluido e diâmetro do tubo. Questão 20 Um tanque cúbico com 3m de aresta é alimentado por uma tubulação com a vazão de 2 litros/s. O tempo necessário para o enchimento total é de: (A) 2h 15min (B) 2h 45min (C) 3h 15min (D) 3h 45min (E) 4h 15min Questão 21 Um reservatório com base quadrada de 800mm de lado e 2800mm de altura contém 1600 litros de óleo com peso específico de 8kN/m3. A pressão manométrica no fundo do reservatório, em kpa, é de: (A) 8 (B) 16 (C) 20 (D) 24 (E) 32 Questão 22 A temperatura de 86 F medida em um termômetro, convertida para a escala Celsius, resulta em: (A) 25 (B) 30 (C) 35 (D) 40 (E) 45 Questão 23 As escalas de temperaturas absolutas baseadas nas escalas Celsius e Fahrenheit, respectivamente, são : (A) kelvin e reynolds. (B) kelvin e rankine. (C) reynolds e kelvin. (D) rankine e reynolds. (E) rankine e kelvin. Questão 24 As válvulas de controle utilizadas em processos automatizados são divididas nos seguintes componentes básicos: (A) regulador, separador e atuador. (B) corpo, regulador e separador.

8 (C) castelo, corpo e regulador. (D) atuador, castelo e corpo. (E) separador, atuador e castelo. Questão 25 Uma válvula de controle, que tem cilindro, êmbolo e haste dentre os componentes, atua com o acionamento: (A) pneumático. (B) elétrico. (C) hidráulico. (D) manual. (E) mecânico. Questão 26 A faixa de medição dos termômetros bimetálicos abrange a seguinte faixa de temperatura: (A) -100 C a 750 C (B) -50 C a 800 C (C) 0 C a 850 C (D) 50 C a 900 C (E) 100 C a 950 C Questão 26 O problema típico da instalação de termômetros à pressão de líquido é o(a): (A) desalinhamento do bulbo. (B) desbalanceamento da caixa do medidor. (C) desnível entre o bulbo e a caixa do medidor. (D) distância entre o bulbo e a caixa do medidor. (E) vaporização do líquido de medição. Questão 27 Um vaso separador por decantação tem objetivo de separar óleo, água e gás. A água é o fluido que, separado, fica submetido a uma maior pressão. Este fenômeno deve-se a sua maior: (A) viscosidade. (B) densidade. (C) salinidade. (D) tensão superficial. (E) condutividade elétrica.

9 Questão 28 Considere o fluxograma abaixo, para responder às questões 28A e 28B. Questão 28A Com base no fluxograma, está correto afirmar que uma das funções da malha é a de efetuar o desligamento da bomba UB A a partir da(do): (A) chave de pressão muito alta. (B) chave de pressão muito baixa. (C) chave de vazão muito alta. (D) alarme de pressão baixa. (E) alarme de vazão muito alta. Questão 28B No fluxograma, a classe do instrumento representado pela letra I é: (A) instrumento indicador. (B) instrumento registrador. (C) elemento primário. (D) transmissor. (E) conversor. Questão 29 Um reservatório com capacidade para litros estava com 300 litros de água quando uma torneira de vazão constante foi aberta. O gráfico abaixo mostra a variação do volume de água, em litros, dentro do reservatório, em função do tempo, em horas, a partir do instante em que a torneira foi aberta.

10 Após 4 horas, o volume de água no reservatório, em litros, era de: (A) (B) (C) (D) (E) Questão 30 Um pequeno aquário tem a forma de um paralelepípedo com 30 cm de altura, 50 cm de comprimento e 35 cm de largura. Tanto o fundo quanto as laterais do aquário são feitas de placas de vidro, coladas com uma cola especial. A quantidade de vidro, em cm2, necessária para construir esse aquário é de: (A) (B) (C) (D) (E) RESPOSTAS DAS QUESTÕES: 1b; 2e; 3d; 4b; 5d; 6a; 7e; 8d; 9d; 10a; 11a; 12b; 13c; 14c; 15a; 16d; 17e; 18c; 19b; 20d; 21c; 22b; 23b; 24d; 25c; 26b; 27c; 28ae; 29b; 30b

O que é instrumentação INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE. Tubo de venturi. Ultrassônico carretel 22/2/2011. Introdução

O que é instrumentação INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE. Tubo de venturi. Ultrassônico carretel 22/2/2011. Introdução O que é instrumentação INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE Éaciênciaquedesenvolveeaplicatécnicasde medição, indicação, registro e controle de processos, visando a otimização e eficiência destes processos. Introdução

Leia mais

Simbologia e Identificação

Simbologia e Identificação www.iesa.com.br 1 Simbologia e Identificação As normas de instrumentação estabelecem símbolos gráficos e codificações para a identificação alfa-numérica de instrumentos que deverão ser utilizadas nos diagramas

Leia mais

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO DE UM KIT DIDÁTICO DE PERDA DE CARGA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO DE UM KIT DIDÁTICO DE PERDA DE CARGA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS TÍTULO: DESENVOLVIMENTO DE UM KIT DIDÁTICO DE PERDA DE CARGA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE ENGENHARIA DE SOROCABA AUTOR(ES): RAPHAEL

Leia mais

Capítulo 4 Equação da energia para escoamento permanente

Capítulo 4 Equação da energia para escoamento permanente Capítulo 4 Equação da energia para escoamento permanente ME4310 e MN5310 23/09/2009 OBJETIVO DA AULA DE HOJE: RESOLVER O EXERCÍCIO A SEGUIR: Determine a carga mecânica total na seção x do escoamento representada

Leia mais

Instrumentação Eletroeletrônica. Prof. Afrânio Ornelas Ruas Vilela

Instrumentação Eletroeletrônica. Prof. Afrânio Ornelas Ruas Vilela Instrumentação Eletroeletrônica Prof. Afrânio Ornelas Ruas Vilela Transdutores Instrumentação Eletroeletrônica 2 Processo Instrumentação Eletroeletrônica 3 Transdutores x Sensores SENSOR: é um elemento

Leia mais

TEQ Sistemas de Instrumentação e Controle de Processos Lista de Exercícios nº 2. Respostas

TEQ Sistemas de Instrumentação e Controle de Processos Lista de Exercícios nº 2. Respostas TEQ00141- Sistemas de Instrumentação e Controle de Processos Lista de Exercícios nº 2 Respostas 1) a) (0,3) Sensores do tipo Tubo de Bourdon, Diafragma e Fole. Tubo de Bourdon: consiste em um tubo com

Leia mais

Roteiro - Aula Prática Perda de carga:

Roteiro - Aula Prática Perda de carga: Laboratório de Hidráulica - Aula Prática de Perda de Carga 1 Roteiro - Aula Prática Perda de carga: 1. Objetivo do experimento: Estudo de perda de carga distribuída e localizada. Medição de velocidade

Leia mais

PNEUMÁTICA PNEUMÁTICA COMPARAÇÃO DESVANTAGENS VANTAGENS: Preparação; Compressibilidade; Potência; Escape de ar; Custo;

PNEUMÁTICA PNEUMÁTICA COMPARAÇÃO DESVANTAGENS VANTAGENS: Preparação; Compressibilidade; Potência; Escape de ar; Custo; PNEUMÁTICA PNEUMÁTICA É um sistema que torna possível a utilização do ar para geração de energia mecânica. SENAI CETEMP Mecânica Boa força Ótimas velocidades Ótima precisão Hidráulica Ótima força Baixas

Leia mais

Instrumentação Industrial

Instrumentação Industrial Instrumentação Industrial Simbologia e Terminologia da Norma ISA 5.1 Prof.: Welbert Rodrigues Introdução A Norma ISA 5.1 estabelece uma padronização para designar os instrumentos e sistemas de instrumentação

Leia mais

Hidráulica e Pneumática. Prof. Fagner Ferraz

Hidráulica e Pneumática. Prof. Fagner Ferraz Hidráulica e Pneumática Prof. Fagner Ferraz O que você entende por hidráulica? Pra que serve? Onde se aplica? 2 O termo Hidráulica derivou-se da raiz grega Hidro (água). Entendem-se por Hidráulica todas

Leia mais

Instrumentação Industrial. Fundamentos de Instrumentação Industrial: Conceitos Básicos e Definições

Instrumentação Industrial. Fundamentos de Instrumentação Industrial: Conceitos Básicos e Definições Instrumentação Industrial Fundamentos de Instrumentação Industrial: Conceitos Básicos e Definições Instrumentação Industrial De acordo com a organização norte-americana Instrument Society of America -

Leia mais

BC1507 Instrumentação e Controle AULA 01. Sensores - I

BC1507 Instrumentação e Controle AULA 01. Sensores - I AULA 01 Sensores - I 1 Programa Princípios de medição de grandezas físicas Instrumentos indicadores eletromecânicos Transdutores de instrumentação de sistemas de medições Circuitos de instrumentação: medições

Leia mais

Instrumentação Eletrônica TE149. Prof. Marlio Bonfim UFPR 2 semestre 2013

Instrumentação Eletrônica TE149. Prof. Marlio Bonfim UFPR 2 semestre 2013 Instrumentação Eletrônica TE149 Prof. Marlio Bonfim UFPR 2 semestre 2013 Instrumentação Eletrônica Sinais elétricos Mundo Mundo Real Real Grandezas Físicas Físicas Sensor Atuador Condicionamento e Processamento

Leia mais

Vazão. Conceito de Vazão

Vazão. Conceito de Vazão Vazão Conceito de Vazão Quando se toma um ponto de referência, a vazão é a quantidade do produto ou da utilidade, expressa em massa ou em volume, que passa por ele, na unidade de tempo. A unidade de vazão

Leia mais

Aula 3 Instrumentos de Pressão. Prof. Gerônimo

Aula 3 Instrumentos de Pressão. Prof. Gerônimo Aula 3 Instrumentos de Pressão Prof. Gerônimo Instrumentos para medir Pressão As variáveis mais encontradas nas plantas de processos são: pressão, temperatura, vazão e nível. Estudando instrumentos de

Leia mais

Prof. Leandro Morais VAZÃO

Prof. Leandro Morais VAZÃO Prof. Leandro Morais VAZÃO Vazão Definição de Vazão - É a quantidade de líquido, gás ou sólido que passa por um determinado local por unidade de tempo. - Quantidade medida em volume (m³) ou massa (kg)

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO INSTRUMENTAÇÃO

INSTRUMENTAÇÃO INSTRUMENTAÇÃO INSTRUMENTAÇÃO INSTRUMENTAÇÃO Ciência que aplica e desenvolve técnicas de medição, indicação, registro e controle de processos de fabricação, visando a otimização na eficiência de processos industriais.

Leia mais

Introdução. Apresentação. Características da hidráulica. Evolução dos sistemas hidráulicos. Sistema hidráulico. Circuito hidráulico básico

Introdução. Apresentação. Características da hidráulica. Evolução dos sistemas hidráulicos. Sistema hidráulico. Circuito hidráulico básico Apresentação Características da hidráulica Evolução dos sistemas hidráulicos Sistema hidráulico Circuito hidráulico básico Unidade hidráulica Apresentação Com a constante evolução tecnológica há no mercado

Leia mais

FENÔMENOS DE TRANSPORTES AULA 1 FLUIDOS PARTE 1

FENÔMENOS DE TRANSPORTES AULA 1 FLUIDOS PARTE 1 FENÔMENOS DE TRANSPORTES AULA 1 FLUIDOS PARTE 1 PROF.: KAIO DUTRA Definição de Um Fluido Definição elementar: Fluido é uma substância que não tem uma forma própria, assume o formato do meio. Definição

Leia mais

Lista de Exercícios Perda de Carga Localizada e Perda de Carga Singular

Lista de Exercícios Perda de Carga Localizada e Perda de Carga Singular Lista de Exercícios Perda de Carga Localizada e Perda de Carga Singular 1. (Petrobrás/2010) Um oleoduto com 6 km de comprimento e diâmetro uniforme opera com um gradiente de pressão de 40 Pa/m transportando

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO PREFÁCIO... 15

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO PREFÁCIO... 15 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 13 PREFÁCIO... 15 1 INTRODUÇÃO E DEFINIÇÕES GERAIS... 19 1.1 Aplicações da Simulação Dinâmica... 20 1.2 Tipos de Modelos para Sistemas Dinâmicos... 21 1.3 Modelos Matemáticos...

Leia mais

1.Introdução. hidráulica (grego hydoraulos) hydor = água; aulos = tubo ou condução.

1.Introdução. hidráulica (grego hydoraulos) hydor = água; aulos = tubo ou condução. 1.Introdução hidráulica (grego hydoraulos) hydor = água; aulos = tubo ou condução. Conceito : hidráulica é o ramo da engenharia que estuda a condução da água, seja através de tubulações fechadas, seja

Leia mais

2 BIMESTRE. Pressão absoluta e pressão manométrica

2 BIMESTRE. Pressão absoluta e pressão manométrica 2 BIMESTRE Pressão absoluta e pressão manométrica Para algumas grandezas em hidrostática, tais como em algumas grandezas em Mecânica, muitas vezes o que tem importância é a variação de uma grandeza, ou

Leia mais

Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. Sensores Industriais. Sensores. Sensores Digitais. Elaine K. Meyer. Atuadores. Sensores Analógicos

Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. Sensores Industriais. Sensores. Sensores Digitais. Elaine K. Meyer. Atuadores. Sensores Analógicos Conceitos Básicos Sensores Industriais Elaine K. Meyer Mestrado profissional em Engenharia Elétrica Atuadores Sensores Analógicos Digitais Transdutor Conversores A/D e D/A Transmissor Características importantes

Leia mais

Universidade Federal do Paraná - Engenharia Mecânica DEMEC Prof. Alessandro Marques Disciplina: Sistemas de Medições 1 (Exercícios)

Universidade Federal do Paraná - Engenharia Mecânica DEMEC Prof. Alessandro Marques Disciplina: Sistemas de Medições 1 (Exercícios) 1) Um manômetro foi construído com estes módulos: a) Transdutor extensométrico Faixa de medição: 0 a 20 bar Sensibilidade: 2 mv/bar Incerteza Expandida (U TE ): ± 0,02 mv b) Amplificador Faixa de medição:

Leia mais

Controle de Processos Aula: Introdução ao controle de processos

Controle de Processos Aula: Introdução ao controle de processos 107484 Controle de Processos Aula: Introdução ao controle de processos Prof. Eduardo Stockler Tognetti Departamento de Engenharia Elétrica Universidade de Brasília UnB 1 o Semestre 2016 E. S. Tognetti

Leia mais

Transmissão hidráulica de força e energia

Transmissão hidráulica de força e energia Líquidos Transmissão de força Intensificador de pressão Pressão em uma coluna de fluido Velocidade e vazão Tipos de fluxo Geração de calor Diferencial de pressão Transmissão Hidráulica de Força e Energia

Leia mais

Elementos de. sinais. Elementos de. Trabalho. Elementos de. Comando. Elementos de. Controle

Elementos de. sinais. Elementos de. Trabalho. Elementos de. Comando. Elementos de. Controle Cadeia de comando Sensores, botoeiras, fim de curso de came ou rolete, barreiras pneumáticas ou fotoelétricas, pedais Motores, cilindros, atuadores Elementos de sinais Elementos de Trabalho Válvulas, contatores

Leia mais

22/08/16. Introdução. Unidades de Medida. Unidades Fundamentais do SI. Método Científico AULA 4 AUTOMAÇÃO DA PRODUÇÃO (CONCEITOS DE INSTRUMENTAÇÃO)

22/08/16. Introdução. Unidades de Medida. Unidades Fundamentais do SI. Método Científico AULA 4 AUTOMAÇÃO DA PRODUÇÃO (CONCEITOS DE INSTRUMENTAÇÃO) AULA 4 AUTOMAÇÃO DA PRODUÇÃO (CONCEITOS DE INSTRUMENTAÇÃO) Prof. Fabricia Introdução A história da instrumentação está ligada com a necessidade do homem de realizar medidas; } Essa necessidade levou o

Leia mais

Medição de Nível. Sistema típico

Medição de Nível. Sistema típico Medição de Nível Nível pode ser definido como a altura de preenchimento de um líquido ou de algum tipo de material em um reservatório ou recipiente. A medição normalmente é realizada do fundo do recipiente

Leia mais

Fundamentos de Automação. Controle de Processos

Fundamentos de Automação. Controle de Processos Ministério da educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Técnica SETEC Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Rio Grande Fundamentos de Automação Controle

Leia mais

Halliday Fundamentos de Física Volume 2

Halliday Fundamentos de Física Volume 2 Halliday Fundamentos de Física Volume 2 www.grupogen.com.br http://gen-io.grupogen.com.br O GEN Grupo Editorial Nacional reúne as editoras Guanabara Koogan, Santos, Roca, AC Farmacêutica, LTC, Forense,

Leia mais

Mecânica dos Fluidos

Mecânica dos Fluidos CONCURSO PETROBRAS TÉCNICO(A DE MANUTENÇÃO JÚNIOR - ELETRÔNICA TÉCNICO(A DE MANUTENÇÃO JÚNIOR - INSTRUMENTAÇÃO TÉCNICO(A DE MANUTENÇÃO JÚNIOR - AUTOMAÇÃO Mecânica dos Fluidos Questões Resolvidas QUESTÕES

Leia mais

Mecânica dos Fluidos. Aula 5 Manômetros e Manometria. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Mecânica dos Fluidos. Aula 5 Manômetros e Manometria. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues Aula 5 Manômetros e Manometria Tópicos Abordados Nesta Aula Manômetros. Manometria. Definição de Manômetro O manômetro é o instrumento utilizado na mecânica dos fluidos para se efetuar a medição da pressão,

Leia mais

TM362 - Sistemas de Medição 2. Prof. Alessandro Marques.

TM362 - Sistemas de Medição 2. Prof. Alessandro Marques. TM362 - Sistemas de Medição 2 Prof. Alessandro Marques www.metrologia.ufpr.br Medição de temperatura SM 2 Termômetro O primeiro termômetro foi inventado por Galileu no início do século XVII. densidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CURSOS DE ENGENHARIA DE ENERGIA E MECÂNICA MEDIÇÕES TÉRMICAS Prof. Paulo Smith Schneider

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CURSOS DE ENGENHARIA DE ENERGIA E MECÂNICA MEDIÇÕES TÉRMICAS Prof. Paulo Smith Schneider UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CURSOS DE ENGENHARIA DE ENERGIA E MECÂNICA MEDIÇÕES TÉRMICAS Prof. Paulo Smith Schneider Exercícios sobre medição de vazão Considere um grande reservatório (figura

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS PARA RECAPTULAÇÃO DOS CONTEÚDOS

LISTA DE EXERCÍCIOS PARA RECAPTULAÇÃO DOS CONTEÚDOS Curso : Engenharia civil Disciplina: Fenômeno dos transportes Professor(a): Nome do(s) Aluno(a)(s): LISTA DE EXERCÍCIOS PARA RECAPTULAÇÃO DOS CONTEÚDOS Período Letivo: 2014.2 Unidade: I Nota: Semestre:

Leia mais

Redes para Automação Industrial. Capítulo 1: Automação Industrial. Luiz Affonso Guedes 2006

Redes para Automação Industrial. Capítulo 1: Automação Industrial. Luiz Affonso Guedes 2006 Redes para Automação Industrial Capítulo 1: Automação Industrial Luiz Affonso Guedes affonso@dca.ufrn.br 2006 Objetivos do Capítulo Estudo sistêmico de sistemas de automação industrial. Caracterização

Leia mais

onde v m é a velocidade média do escoamento. O 2

onde v m é a velocidade média do escoamento. O 2 Exercício 24: São dadas duas placas planas paralelas à distância de 1 mm. A placa superior move-se com velocidade de 2 m/s, enquanto a inferior é fixa. Se o espaço entre a placas é preenchido com óleo

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO

ESTUDO DIRIGIDO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO - IFPE CAMPUS GARANHUNS CURSO TÉCNICO SUBSEQUENTE EM ELETROELETRÔNICA Disciplina: Instrumentação Industrial UNIDADE 2 Período Letivo: 2012.2

Leia mais

Simbologia dos componentes

Simbologia dos componentes Simbologia dos componentes 1. Símbolos básicos 2. Símbolos funcionais 3. Linhas de escoamento e conexões 4. Tipos de acionamento 2 L1 5. Unidades de conversão e armazenamento de energia L1 6. Distribuição

Leia mais

ENERGIA HIDRÁULICA MÁQUINA DE FLUXO ENERGIA MECÂNICA

ENERGIA HIDRÁULICA MÁQUINA DE FLUXO ENERGIA MECÂNICA ª EXPERIÊNCIA - ESTUDO DAS BOMBAS APLICAÇÃO DA ANÁLISE DIMENSIONAL E DA TEORIA DA SEMELHANÇA 1 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS MÁQUINAS DE FLUXO ( BOMBAS, TURBINAS, COMPRESSORES, VENTILADORES) As máquinas que

Leia mais

Tubo Pitot Modelo FLC-APT-E, versão extraível Modelo FLC-APT-F, versão fixa

Tubo Pitot Modelo FLC-APT-E, versão extraível Modelo FLC-APT-F, versão fixa Medição de vazão Tubo Pitot Modelo FLC-APT-E, versão extraível Modelo FLC-APT-F, versão fixa WIKA folha de dados FL 10.05 FloTec Aplicações Produção de óleo e refino Tratamento e distribuição de água Processamento

Leia mais

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva

Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva Certificado de Qualificação Metrológica para Laboratórios de Ensaio e Calibração da Cadeia Automotiva CERTIFICADO: Nº 007/2012 A Rede Metrológica do Estado de São Paulo qualifica o Laboratório de Calibração

Leia mais

Segunda Lista de Instrumentação

Segunda Lista de Instrumentação Segunda Lista de Instrumentação Profª Ninoska Bojorge - TEQ/UFF Monitor : Julia Pinto Tema: Medição de Pressão, Medição de Vazão e Medição de Nível Questão 1: Alguns medidores de Pressão se baseiam na

Leia mais

Enquanto o sólido deforma limitadamente, os fluidos (líquidos e gases) se deformam continuamente.

Enquanto o sólido deforma limitadamente, os fluidos (líquidos e gases) se deformam continuamente. MECÂNICA DO FLUIDOS CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO, DEFINIÇÃO E CONCEITOS. É a ciência que estuda o comportamento físico dos fluidos e as leis que regem este comportamento. Utilizado em diversos sistemas como:

Leia mais

Equação da Energia Mecânica para Fluidos

Equação da Energia Mecânica para Fluidos Professor: Andouglas Gonçalves da Silva Júnior Instituto Federal do Rio Grande do Norte Curso: Técnico em Mecânica Disciplina: Mecânica dos Fluidos 21 de Setembro de 2016 (Instituto Mecânica dos Fluidos

Leia mais

SUMÁRIO. Prefácio Autores do Livro Capítulo 1 - Aspectos Hidráulicos e Elétricos Básicos

SUMÁRIO. Prefácio Autores do Livro Capítulo 1 - Aspectos Hidráulicos e Elétricos Básicos SUMÁRIO Prefácio Autores do Livro Capítulo 1 - Aspectos Hidráulicos e Elétricos Básicos 1.1 - Introdução 1.2 - Mecânica dos Fluidos e Hidráulica 1.3 - Viscosidade e Outras Propriedades 1.3.1 - Viscosidade

Leia mais

Relação Conceitual dos Medidores de Temperatura

Relação Conceitual dos Medidores de Temperatura ensão (Termopar) / Resistência (RTD ou Termistor) Lista 3 Sistemas de Instrumentação e Controle 1) Em relação a função de transferência resistência X temperatura em um RTD, resistência X temperatura em

Leia mais

AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO CURSO DE LICENCIATURA EM ENGENHARIA MECÂNICA DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA

AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE PARA A FREQUÊNCIA DO CURSO DE LICENCIATURA EM ENGENHARIA MECÂNICA DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA Página 1 de 10 Provas especialmente adequadas destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do ensino superior dos maiores de 23 anos, Decreto-Lei n.º 64/2006, de 21 de março AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CURSOS DE ENGENHARIA DE ENERGIA E MECÂNICA MEDIÇÕES TÉRMICAS Prof. Paulo Smith Schneider

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CURSOS DE ENGENHARIA DE ENERGIA E MECÂNICA MEDIÇÕES TÉRMICAS Prof. Paulo Smith Schneider UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL CURSOS DE ENGENHARIA DE ENERGIA E MECÂNICA MEDIÇÕES TÉRMICAS Prof. Paulo Smith Schneider Exercícios sobre medição de pressão e com tubos de Pitot 1- A figura abaixo

Leia mais

Medição de Vazão. Disciplina de Instrumentação

Medição de Vazão. Disciplina de Instrumentação Medição de Vazão Disciplina de Instrumentação Equação de Bernoulli Descreve relação entre velocidade, pressão e altura Restrição em tubulação Tubo de Pitot O Tubo de Pitot é um instrumento utilizado para

Leia mais

Laboratório 2: Introdução à Planta didática MPS-PA Estação Compacta da Festo

Laboratório 2: Introdução à Planta didática MPS-PA Estação Compacta da Festo Laboratório 2: Introdução à Planta didática MPS-PA Estação Compacta da Festo Objetivos: Estudo dirigido da estação compacta da Festo para experimentos em controle de processos. Além da familiarização com

Leia mais

parâmetros de cálculo 4. Velocidade 5. Vazão

parâmetros de cálculo 4. Velocidade 5. Vazão parâmetros de cálculo 4. Velocidade Velocidade é distância percorrida por unidade de tempo. A unidade usual é m/s. Uma maneira de entender a velocidade da água na tubulação é imaginar uma partícula de

Leia mais

TERMINOLOGIA. T - Temperatura F - Vazão R - Registrador C - Controladora C - Controlador V - Válvula P - Pressão L - Nível I - Indicador G Visor

TERMINOLOGIA. T - Temperatura F - Vazão R - Registrador C - Controladora C - Controlador V - Válvula P - Pressão L - Nível I - Indicador G Visor Os instrumentos de controle empregados na indústria de processos (química, siderúrgica, papel etc.) têm sua própria terminologia. Os termos utilizados definem as características próprias de medida e controle

Leia mais

Exercício 9 Água escoa do reservatório 1 para o 2 no sistema mostrado abaixo. Sendo:

Exercício 9 Água escoa do reservatório 1 para o 2 no sistema mostrado abaixo. Sendo: 1 a LIST DE EXERCÍCIOS DE SISTEMS FLUIDO MECÂNICOS 014 Referências: 1) Giles, Evett & Liu - Mecânica dos Fluidos e Hidráulica Coleção Schaum, a edição, Makron ooks, 1997. ) Fox e McDonald Introdução à

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS - FENÔMENO DE TRANSPORTES II. Revisão Conservação de Energia e Massa

LISTA DE EXERCÍCIOS - FENÔMENO DE TRANSPORTES II. Revisão Conservação de Energia e Massa LISTA DE EXERCÍCIOS - FENÔMENO DE TRANSPORTES II Revisão Conservação de Energia e Massa 1) Determinar a velocidade do jato de líquido no orifício do tanque de grande dimensões da figura abaixo. Considerar

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL APLICADA À INDÚSTRIA DE PETRÓLEO

INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL APLICADA À INDÚSTRIA DE PETRÓLEO INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL APLICADA À INDÚSTRIA DE PETRÓLEO Professor Valner Brusamarello - UFRGS Encontro V Temas abordados no curso Encontro I Introdução e definições gerais Incertezas em medições Encontro

Leia mais

EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Introdução

EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Introdução UNIFEI EME610 - Sistemas Hidropneumáticos Introdução Aula 01 Prof. José Hamilton Chaves Gorgulho Júnior Ementa Fundamentos de sistemas hidráulicos e pneumáticos; Componentes principais; Circuitos fundamentais;

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS Máquinas Hidráulicas

LISTA DE EXERCÍCIOS Máquinas Hidráulicas LISTA DE EXERCÍCIOS Máquinas Hidráulicas 1- Água escoa em uma tubulação de 50 mm de diâmetro a uma vazão de 5 L/s. Determine o número de Reynolds nestas condições, informe se o escoamento é laminar ou

Leia mais

2 HIDROSTÁTICA PROBLEMA 2.1 RESOLUÇÃO

2 HIDROSTÁTICA PROBLEMA 2.1 RESOLUÇÃO 2 HIDROSTÁTICA PROBLEMA 2.1 O tubo representado na figura está cheio de óleo de densidade 0,85. Determine as pressões nos pontos A e B e exprima-as em altura equivalente de água. Fundamentos de Engenharia

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS MEDIÇÃO DE DENSIDADE

INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS MEDIÇÃO DE DENSIDADE INSTRUMENTAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS MEDIÇÃO DE DENSIDADE Introdução A medição da densidade de líquidos fornece uma informação valiosa para a determinação da concentração ou da composição de uma solução.

Leia mais

Conservação de Energia

Conservação de Energia Lei de Pascal F = Força A = Área P = Pressão 1. Suponhamos uma garrafa cheia de um líquido, o qual é, praticamente, incompressível 2. Se aplicarmos uma força de 10kgf numa rolha de 1 cm 2 de área 3. o

Leia mais

Hidraúlica. Instalações Prediais. Hidrostática: Fluidos em equilíbrio (repouso). Hidrodinâmica: Fluidos em movimento. ECV 5644

Hidraúlica. Instalações Prediais. Hidrostática: Fluidos em equilíbrio (repouso). Hidrodinâmica: Fluidos em movimento. ECV 5644 Hidraúlica Hidrostática: Fluidos em equilíbrio (repouso). Hidrodinâmica: Fluidos em movimento. Hidrostática Vasos comunicantes: Hidrostática A pressão que a coluna liquida exerce no fundo do recipiente

Leia mais

1º SIMULADO DISCURSIVO IME FÍSICA

1º SIMULADO DISCURSIVO IME FÍSICA FÍSICA Questão 1 Considere o veículo de massa M percorrendo uma curva inclinada, de ângulo, com raio R constante, a uma velocidade V. Supondo que o coeficiente de atrito dos pneus com o solo seja, calcule

Leia mais

FÍSICA - A ª SÉRIE P02-2º. Trimestre

FÍSICA - A ª SÉRIE P02-2º. Trimestre LISTA DE EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES FÍSICA - A - 2011 2ª SÉRIE P02-2º. Trimestre ALUNO: Assunto(s): Unidade 04 Pressão e Unidade 05 Teorema de Arquimedes. Exercícios do Livro para Estudar - Página 30 números

Leia mais

INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA FRIA - DETALHES

INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA FRIA - DETALHES INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA FRIA - DETALHES 1. ALTURA DE SUCÇÃO (AS) - Desnível geométrico (altura em metros), entre o nível dinâmico da captação e o bocal de sucção da bomba. 2. ALTURA DE RECALQUE (AR)

Leia mais

RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO. Resp. D

RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO. Resp. D 10) Antes de medir a temperatura de um paciente, uma enfermeira verifica que o termômetro clínico indica 35 C. Em seguida, usando esse termômetro, ela mede a temperatura do paciente, encontrando o valor

Leia mais

Universidade Federal do Pampa UNIPAMPA. Fluidos Hidrostática e Hidrodinâmica

Universidade Federal do Pampa UNIPAMPA. Fluidos Hidrostática e Hidrodinâmica Universidade Federal do Pampa UNIPAMPA Fluidos Hidrostática e Hidrodinâmica SUMÁRIO Fluido Força do fluido Pressão Lei de Stevin Sistemas de vasos comunicantes Princípio de Pascal Medições de pressão Princípio

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ENERGIA LABORATÓRIO DE MECÂNICA DOS FLUIDOS

DEPARTAMENTO DE ENERGIA LABORATÓRIO DE MECÂNICA DOS FLUIDOS Nome: unesp DEPARTAMENTO DE ENERGIA LABORATÓRIO DE MECÂNICA DOS FLUIDOS Turma: Conservação da Massa e Quantidade de Movimento 1 - OBJETIVO Os principais objetivos desta aula prática é aplicar as equações

Leia mais

Aula 7 Medidores de fluxo. Prof. Geronimo

Aula 7 Medidores de fluxo. Prof. Geronimo Aula 7 Medidores de fluxo Prof. Geronimo BOCAL DE VAZÃO O princípio de operação é idêntico ao das placas de orifício, constituindo-se em elemento primário gerador de pressão diferencial; a relação entre

Leia mais

FENÔMENOS DE TRANSPORTES AULA 7 E 8 EQUAÇÕES DA ENERGIA PARA REGIME PERMANENTE

FENÔMENOS DE TRANSPORTES AULA 7 E 8 EQUAÇÕES DA ENERGIA PARA REGIME PERMANENTE FENÔMENOS DE TRANSPORTES AULA 7 E 8 EQUAÇÕES DA ENERGIA PARA REGIME PERMANENTE PROF.: KAIO DUTRA Equação de Euler Uma simplificação das equações de Navier-Stokes, considerando-se escoamento sem atrito

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO EM PROCESSOS INDUSTRIAIS

INSTRUMENTAÇÃO EM PROCESSOS INDUSTRIAIS INSTRUMENTAÇÃO EM PROCESSOS INDUSTRIAIS Válvulas de controle (funções, componentes, tipos e aplicações) Patrícia Lins de Paula 25/03/2012 154 VÁLVULAS São dispositivos destinados a estabelecer, controlar

Leia mais

Mecânica dos Fluidos I

Mecânica dos Fluidos I Mecânica dos Fluidos I Aula prática 1 EXERCÍCIO 1 Em Mecânica dos Fluidos é muito frequente que interesse medir a diferença entre duas pressões. Os manómetros de tubos em U, que são um dos modelos mais

Leia mais

II INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL. Prof. Eduardo Calsan Tecnologia em Polímeros

II INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL. Prof. Eduardo Calsan Tecnologia em Polímeros II INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL Prof. Eduardo Calsan Tecnologia em Polímeros Introdução: II Controle Define-se controle ou ação de controle o conjunto sentiranalisar-agir. Ou seja, o controle é feito para

Leia mais

AULA DO CAP. 15-2ª Parte Fluidos Ideais em Movimento DANIEL BERNOULLI ( )

AULA DO CAP. 15-2ª Parte Fluidos Ideais em Movimento DANIEL BERNOULLI ( ) AULA DO CAP. 15-2ª Parte Fluidos Ideais em Movimento DANIEL BERNOULLI (1700-1782) Radicada em Basiléia, Suíça, a família Bernoulli (ou Bernouilli) tem um papel de destaque nos meios científicos dos séculos

Leia mais

Tubo de Pitot. Usado para medir a vazão; Vantagem: Menor interferência no fluxo; Empregados sem a necessidade de parada;

Tubo de Pitot. Usado para medir a vazão; Vantagem: Menor interferência no fluxo; Empregados sem a necessidade de parada; Tubo de Pitot Usado para medir a vazão; Vantagem: Menor interferência no fluxo; Empregados sem a necessidade de parada; Desvantagem: Diversas tecnologias, o que dificulta a calibração do equipamento (de

Leia mais

Condensadores. Principais Tipos. Resfriados a ar sistema de ar condicionado e refrigeração comercial

Condensadores. Principais Tipos. Resfriados a ar sistema de ar condicionado e refrigeração comercial Condensadores Principais Tipos Resfriados a ar sistema de ar condicionado e refrigeração comercial Condensadores Resfriados a água sistema de ar condicionado e refrigeração comercial Trocador casco e tubo

Leia mais

Transdutores de Deslocamento

Transdutores de Deslocamento Transdutores de Deslocamento Potenciômetros são formados por um material condutor resistivo depositado em superfície isolante, com contatos fixos nas duas extremidades e um contato móvel (cursor) que se

Leia mais

AULA PRÁTICA 2 PROPRIEDADES FUNDAMENTAIS DOS FLUIDOS

AULA PRÁTICA 2 PROPRIEDADES FUNDAMENTAIS DOS FLUIDOS ! AULA PRÁTICA 2 PROPRIEDADES FUNDAMENTAIS DOS FLUIDOS 1) - M A S S A E S P E C Í F I C A ( ρ ) OU DENSIDADE ABSOLUTA (ρ ). - É o quociente entre a Massa do fluido e o Volume que contém essa massa. m ρ

Leia mais

Escoamento completamente desenvolvido

Escoamento completamente desenvolvido Escoamento completamente desenvolvido A figura mostra um escoamento laminar na região de entrada de um tubo circular. Uma camada limite desenvolve-se ao longo das paredes do duto. A superfície do tubo

Leia mais

ATUADOR CILÍNDRICO PNEUMÁTICO. smar

ATUADOR CILÍNDRICO PNEUMÁTICO. smar ATUADOR CILÍNDRICO PNEUMÁTICO smar DESCRIÇÃO O Atuador Cilíndrico Pneumático ACP301 alia a força de cilindros pneumáticos às potencialidades do posicionador inteligente microprocessado FY301, permitindo

Leia mais

Aluno: Aluno: Aluno: Aluno: PLANTA DE NÍVEL FESTO

Aluno: Aluno: Aluno: Aluno: PLANTA DE NÍVEL FESTO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA DEM Sistemas de Controle (CON) Aula Prática 11 (22/05/2012) Prof. Eduardo Bonci Cavalca

Leia mais

1 01 Mate t máti t c i a e Fí F s í ic i a Prof. Diego Pablo

1 01 Mate t máti t c i a e Fí F s í ic i a Prof. Diego Pablo 1 01 Matemática e Prof. Diego Pablo 2 Matemática - Produto: 2 x 4 = 8 - Quociente ou Razão: 18 / 2 = 9 - Quadrado: 7² = 7 x 7 = 49 - Cubo: 4³ = 4 x 4 x 4 = 64 - Raiz Quadrada: 81 = 9 3 Matemática Grandezas

Leia mais

Física I 2010/2011. Aula 18. Mecânica de Fluidos I

Física I 2010/2011. Aula 18. Mecânica de Fluidos I Física I 2010/2011 Aula 18 Mecânica de Fluidos I Sumário Capítulo 14: Fluidos 14-1 O que é um Fluido? 14-2 Densidade e Pressão 14-3 Fluidos em Repouso 14-4 A Medida da pressão 14-5 O Princípio de Pascal

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: MECÂNICA DOS FLUIDOS A ESTÁTICA DOS FLUIDOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: MECÂNICA DOS FLUIDOS A ESTÁTICA DOS FLUIDOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: MECÂNICA DOS FLUIDOS A ESTÁTICA DOS FLUIDOS Prof. Dr. Hugo Alexandre Soares Guedes E-mail: hugo.hydro@gmail.com wp.ufpel.edu.br/hugoguedes

Leia mais

Fenômenos de Transporte Aula-Cinemática dos fluidos. Professor: Gustavo Silva

Fenômenos de Transporte Aula-Cinemática dos fluidos. Professor: Gustavo Silva Fenômenos de Transporte Aula-Cinemática dos fluidos Professor: Gustavo Silva 1 Conteúdo da Aula -Regimes de escoamento, laminar, transição e turbulento; -Apresentação do experimento de Reynolds; -Número

Leia mais

É a parte da Física que se ocupa da dinâmica e dos fenômenos físicos relacionados com os gases ou vácuos. É também o estudo da conservação da energia

É a parte da Física que se ocupa da dinâmica e dos fenômenos físicos relacionados com os gases ou vácuos. É também o estudo da conservação da energia Fagner Ferraz É a parte da Física que se ocupa da dinâmica e dos fenômenos físicos relacionados com os gases ou vácuos. É também o estudo da conservação da energia pneumática em energia mecânica, através

Leia mais

Medição de Nível Parte 2. Adrielle C. Santana

Medição de Nível Parte 2. Adrielle C. Santana Medição de Nível Parte 2 Adrielle C. Santana Da aula passada... Supressão de Zero Supressão de Zero Medição por pressão hidrostática em tanques fechados e pressurizados Medição por pressão hidrostática

Leia mais

Prof. Dr. Mário Luiz Tronco

Prof. Dr. Mário Luiz Tronco Sensores em Robótica Prof. Dr. Mário Luiz Tronco Mário Prof. Mário Luiz Tronco Luiz Tronco ROBÓTICA Duas Grandes Áreas do Conhecimento: Engenharias Computação Elétrica Mecânica Mecatrônica Mário Luiz Tronco

Leia mais

Resumo de exercícios de bombas. Exercício 1

Resumo de exercícios de bombas. Exercício 1 Resumo de exercícios de bombas Exercício 1 Considere uma bomba centrífuga cuja geometria e condições de escoamento são : Raio de entrada do rotor = 37,5 mm, raio de saída = 150 mm, largura do rotor = 12,7

Leia mais

FENÔMENOS DE TRANSPORTES AULA 4 ESTÁTICA DOS FLUIDOS

FENÔMENOS DE TRANSPORTES AULA 4 ESTÁTICA DOS FLUIDOS FENÔMENOS DE TRANSPORTES AULA 4 ESTÁTICA DOS FLUIDOS PROF.: KAIO DUTRA Estática dos Fluidos Existem dois tipos genéricos de forças que podem ser aplicados a um fluido: forças de campo (ou de ação a distância)

Leia mais

Conceitos Básicos de Instrumentação

Conceitos Básicos de Instrumentação Conceitos Básicos de Instrumentação Carlos Amaral Fonte: Simone Costa Instrumentação A Instrumentação é a ciência que aplica e desenvolve técnicas de medição, indicação, registro e controle de processos

Leia mais

Medidor de vazão Tipo Roda d água Série SPX

Medidor de vazão Tipo Roda d água Série SPX Medidor de vazão Tipo Roda d água Série SPX MANUAL DE INSTRUÇÕES E INSTALAÇÃO ÍNDICE. Características Gerais pag. 0. Princípios de Funcionamento pag. 0. Características Técnicas pag. 0 4. Módulos Eletrônicos

Leia mais

Medidor de vazão Eletromagnetico tipo de inserção.

Medidor de vazão Eletromagnetico tipo de inserção. Rua das Cerejeiras, 80 Ressacada CEP 88307-330 Itajaí SC Fone: (47) 3349-6850 Email: vendas@ecr-sc.com.br Medidor de vazão Eletromagnetico tipo de inserção. 1. Características: 1) A medição não é afectada

Leia mais

2. (Fatec 2003) O gráfico a seguir relaciona as escalas termométricas Celsius e Fahrenheit.

2. (Fatec 2003) O gráfico a seguir relaciona as escalas termométricas Celsius e Fahrenheit. 1. (Ufpe 2006) O gráfico a seguir apresenta a relação entre a temperatura na escala Celsius e a temperatura numa escala termométrica arbitrária X. Calcule a temperatura de fusão do gelo na escala X. Considere

Leia mais

Sem data Sheet online FLOWSIC30 MEDIDOR DE GÁS

Sem data Sheet online FLOWSIC30 MEDIDOR DE GÁS Sem data Sheet online FLOWSIC30 A B C D E F H I J K L M N O P Q R S T Informações do pedido Tipo FLOWSIC30 Nº de artigo A pedido As especificações de dispositivo e os dados de desempenho exatos do produto

Leia mais

Sistemas Hidropneumáticos I Hidráulica 05

Sistemas Hidropneumáticos I Hidráulica 05 Válvula de contrabalanço UNIFEI Sistemas Hidropneumáticos I Hidráulica 05 CRG EE-26/EE610 ula 05 28-09-2009 Prof. José Hamilton Chaves Gorgulho Júnior Posição central Carga parada Válvula de contrabalanço

Leia mais

Instrumentação Norma ISA 5.1

Instrumentação Norma ISA 5.1 Introdução: Instrumentação Norma ISA 5.1 A Norma ISA 5.1 (Instrument Society of America) estabelece uma padronização para designar os instrumentos e sistemas de instrumentação usados para medição e controle

Leia mais

TEQ Sistemas de Instrumentação e Controle de Processos Lista de Exercícios nº 3 RESPOSTAS

TEQ Sistemas de Instrumentação e Controle de Processos Lista de Exercícios nº 3 RESPOSTAS Questões TEQ00141- Sistemas de Instrumentação e Controle de Processos Lista de Exercícios nº 3 RESPOSTAS 1- Especifique a ação segura de falha (se é falha-abre ou falha-fecha) apropriada para as válvulas

Leia mais