DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES PODER EXECUTIVO & PODER LEGISLATIVO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES PODER EXECUTIVO & PODER LEGISLATIVO"

Transcrição

1 DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES PODER EXECUTIVO & PODER LEGISLATIVO 1

2 PODER EXECUTIVO É a função estatal que envolve a prática de atos chefia do Estado, atos de Governo, além da condução da Administração Pública em geral. O EXECUTIVO no Brasil é exercido por uma única autoridade - Sistema de Governo= chamado de Presidencialista (surge na Constituição Norte Americana 1787). 2

3 CHEFE DO PODER EXECUTIVO- UNIÃO O Presidente e o Vice-Presidente da República são eleitos pelo povo, em chapa única, para mandato de quatro anos, pelo sistema majoritário, onde é considerado vencedor aquele que obtiver maior número de votos. Com a introdução da Emenda Constitucional nº 16, de 04/07/1997, o Presidente da República pode ser reeleito para, apenas, mais um mandato consecutivo, sem a necessidade de se desincompatibilizar do cargo. 3

4 Mapa Mental Poder Executivo 4

5 SUBSTITUTOS DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA A substituição é realizada nos casos de impedimentos ( licenças, férias, doenças, e outros). Substituição Temporária, e que não implica vacância do cargo de origem. 5

6 SUCESSORES DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA 6

7 PERDA DO MANDATO O Presidente da República e o Vice perdem os respectivos mandatos, quando: 1. PELA CASSAÇÃO DO MANDATO- Julgamento STF ( crimes comuns) ou Senado Federal ( crimes de responsabilidade); 2. PELA EXTINÇÃO DO MANDATO- por morte, renúncia, perda ou suspensão dos direitos políticos. 3. PELA DECLARAÇÃO DE VACÂNCIA DO CARGO- Não tomada a posse no prazo de 10 dias, salvo força maior. 4. PELA AUSÊNCIA NÃO AUTORIZADA DO PAÍS- permanência no estrangeiro, sem licença do Congresso Nacional, mais de 15 dias. 7

8 ATRIBUIÇÕES DO PRESIDENTE As atribuições básicas do Presidente da República que, na sessão de posse, deve prestar o compromisso de manter, defender e cumprir a Constituição, observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil, estão previstas no art. 84 da Constituição Federal. Este dispositivo lhe atribui poderes de CHEFE DE ESTADO (incs. VII, VIII e XIX) e de CHEFE DO GOVERNO (a exemplo dos incs. II e VI). LEIA O ARTIGO 84 (Em regra, as atribuições do Presidente da República, previstas no art. 84, da CF/88, são indelegáveis) 8

9 PODERES DE CHEFE DE ESTADO E CHEFE DE GOVERNO ( Art. 84. CF/ 88). CHEFE DE ESTADO VIII - celebrar tratados, convenções e atos internacionais, sujeitos a referendo do Congresso Nacional; VIII - celebrar tratados, convenções e atos internacionais, sujeitos a referendo do Congresso Nacional; XIX - declarar guerra, no caso de agressão estrangeira, autorizado pelo Congresso Nacional ou referendado por ele, quando ocorrida no intervalo das sessões legislativas, e, nas mesmas condições, decretar, total ou parcialmente, a mobilização nacional. CHEFE DO GOVERNO II - exercer, com o auxílio dos Ministros de Estado, a direção superior da administração federal; VI - dispor, mediante decreto, sobre : a) organização e funcionamento da administração federal, quando não implicar aumento de despesa nem criação ou extinção de órgãos públicos; b) extinção de funções ou cargos públicos, quando vagos; 9

10 ATRIBUIÇÕES DELEGÁVEIS (ART. 84, DA CF/88) EXCEÇÃO: o Presidente da República poderá delegar atribuições ao Advogado Geral da União, ao Procurador Geral da República e aos Ministros de Estado: VI - dispor, mediante decreto, sobre ( DELEGÁVEL) a) organização e funcionamento da administração federal, quando não implicar aumento de despesa nem criação ou extinção de órgãos públicos; b) extinção de funções ou cargos públicos, quando vagos; XII - conceder indulto e comutar penas, com audiência, se necessário, dos órgãos instituídos em lei. ( DELEGÁVEL). XXV - prover e extinguir os cargos públicos federais, na forma da lei. ( DELEGÁVEL). 10

11 DA RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA DA RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA: Os crimes que o Presidente pode praticar são: INFRAÇÕES PENAIS COMUNS- Abrange todas as modalidades de infrações penais, incluídos os crimes contra vida, os crimes eleitorais e as contravenções penais. RESPONSABILIDADE- Infrações político-administrativa definidas na legislação federal e cometidas no desempenho da função pública. 11

12 IMUNIDADE ESPECIAL O Presidente da República, como chefe de Estado, é detentor de IMUNIDADE CONSTITUCIONAL ESPECIALÍSSIMA. Não poderá ser: PRESO- Enquanto não sobrevier sentença penal condenatória. RESPONSABILIZADO NA VIGÊNCIA DE SEU MANDATO- Por atos estranhos, ao exercício de suas funções. 12

13 CRIMES DE RESPONSABILIDADE Os crimes de responsabilidades poderão resultar no impedimento para o exercício da função pública (impeachment). São considerados crimes de responsabilidade, os atos do Presidente que atentem contra: ( Art.85- rol não exaustivo. Novos crimes de responsabilidade poderão ser inclusos através de Lei Federal): A existência da União; 13

14 CRIMES DE RESPONSABILIDADE o livre exercício do Poder Legislativo, do Poder Judiciário, do Ministério Público e dos Poderes constitucionais das unidades da Federação; o exercício dos direitos políticos, individuais e sociais; a segurança interna do País. a probidade na administração; a lei orçamentária; o cumprimento das leis e das decisões judiciais. 14

15 COMPETÊNCIA PARA JULGAMENTO INICIATIVA- Denúncia assinada por qualquer cidadão. JUÍZO DE ADMISSIBILIDADE- Competência exclusiva da Câmara dos Deputados (autorizada por 2/ 3 da Câmara dos Deputados- votação nominal e aberta ), será ele submetido a julgamento perante: Supremo Tribunal Federal, nas infrações penais comuns Senado Federal, nos crimes de responsabilidade (decretada pelos votos de dois terços dos membros do Senado Federal, em votação nominal e aberta, acarretará sanções extrapenais: perda do cargo, com a inabilitação, por oito anos, para o exercício de função pública, sem prejuízo das demais sanções judiciais cabíveis (CF, art. 52, parágrafo único). 15

16 SUSPENSÃO DO PRESIDENTE O Presidente ficará suspenso de suas funções: NAS INFRAÇÕES PENAIS COMUNS, se recebida a denúncia ou queixa-crime pelo Supremo Tribunal Federal (suspensão pelo prazo máximo de 180 dias). NOS CRIMES DE RESPONSABILIDADE, após a instauração do processo pelo Senado Federal (suspensão pelo prazo máximo de 180 dias). Mas CUIDADO, se decorrido o prazo de cento e oitenta dias, o julgamento não estiver concluído, cessará o afastamento do Presidente, sem prejuízo do regular prosseguimento do processo. 16

17 CONTROLE JUDICIAL DO PROCESSO DE IMPEACHMENT Trata-se de julgamento político, que correrá internamente no Poder Legislativo. Pelo Princípio da Separação dos Poderes, não há possibilidade de recurso ou apelação, por parte do Poder Judiciário, somente caberá o controle judicial da regularidade formal do processo e a observância do direito de defesa. 17

18 18

19 DOS MINISTROS DE ESTADO Agentes auxiliares do primeiro escalão do governo. Escolhidos entre os cidadãos brasileiros maiores que 21 anos. Detêm o Poder Regulamentar ( poder de editar normas secundárias para detalhar e executar administrativamente as leis e demais atos normativos). Os Ministros de Estados recebem subsídio, e serão julgados pelo STF (infrações penais comuns) e Senado Federal ( Crimes de Responsabilidade). 19

20 DO CONSELHO DA REPÚBLICA É o órgão superior de consulta do Presidente da República, sobre: a) intervenção federal, estado de defesa e estado de sítio; b) questões relevantes para a estabilidade das instituições democráticas. COMPOSIÇÃO: Vice-Presidente da República, presidente da Câmara dos Deputados, presidente do Senado Federal, líderes da maioria e da minoria na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, o Ministro da Justiça e 6 (seis) cidadãos brasileiros natos, maiores que 35 anos. 20

21 DO CONSELHO DE DEFESA NACIONAL É o órgão de consulta do Presidente da República, sobre: a) Soberania Nacional e à defesa do Estado Democrático. COMPOSIÇÃO: Presidente da República, e como membros natos: Vice- Presidente, Presidente da Câmara dos Deputados, Presidente do Senado Federal, Ministros- da Justiça, Relações Exteriores, Planejamento, Defesa e os Comandantes da Marinha, Exército e Aeronáutica. Não recebem remuneração. 21

22 PODER LEGISLATIVO NO BRASIL Legislativo da União é BICAMERAL, exercido pelo Congresso Nacional (Câmara dos Deputados e Senado). Nas demais unidades da federação, o legislativo é unicameral (Assembleia legislativa e Câmara de Vereadores). Trata-se de BICAMERALISMO FEDERATIVO (princípio da participação na manutenção do equilíbrio federativo), pois não existe hierarquia entre Câmara e Senado. O Congresso Nacional que se compõem da Câmara dos Deputados + Senado Federal, tem como Presidente do Congresso - Presidente do Senado. 22

23 PODER LEGISLATIVO NO BRASIL A CÂMARA DOS DEPUTADOS representa o POVO. Cada unidade federativa tem entre 8 e 70 Deputados, conforme a população (LC 78/93). Os territórios terão 4. A escolha é pelo sistema proporcional. O mandato dos deputados é de 4 anos. Idade mínima de 21 anos. 23

24 PODER LEGISLATIVO NO BRASIL O SENADO representa os ESTADOS e o DF, cada um com 3 Senadores. Idade mínima é de 35 anos. São escolhidos pelo sistema majoritário, e cada chapa deverá ter um cabeça e 2 suplentes. O mandato é de 8 anos, renovados a cada 4 anos, na proporção de 1/3 e 2/3. 24

25 ÓRGÃOS DO PODER LEGISLATIVO MESAS LEGISLATIVAS - Órgãos administrativos de direção de cada casa; - Eleitos para mandatos de dois anos, vedada a recondução em eleição subsequente. - Mesa do Congresso Nacional: Membros eleitos para mesas de cada casa. - Atribuições: Convocação de Ministros, decretação da perda de mandato parlamentar, promulgação de E.C e propositura de ADIN e ADCON. COMISSÕES PARLAMENTARES - São órgãos criados para auxiliar no processo legislativo e para exercer a fiscalização dos atos do Poder Público. - Podem ser: - Permanentes; - Temporárias; - Mistas. COMISSÃO PARLAMENTAR DE INQUÉRITO - Investigação conduzida pelo Poder Legislativo, para ouvir depoimentos e tomar informações diretamente. - O pedido de instauração de uma CPI no Congresso pode ser feito por 1/ 3 dos Senadores ou 1/ 3 dos Deputados Federais. - Detêm poderes de investigação de uma autoridade judicial: I) Quebrar o sigilo bancário, fiscal e de dados (inclusive dados telefônicos); II) Requisitar informações e documentos sigilosos diretamente às instituições financeiras ou através do BACEN ou CVM, ; III) Ouvir testemunhas, sob pena de condução coercitiva; IV) Ouvir investigados ou indiciados.

26 ÓRGÃOS E AUTORIDADES LEGISLATIVAS Os principais órgãos do Poder Legislativo brasileiro são: ÓRGÃOS FEDERAIS Congresso Nacional ( Senado Federal- representada pelos senadores e Câmara dos Deputados- representada pelos deputados federais). ÓRGÃOS ESTADUAIS Assembleias Legislativas: representadas pelos deputados estaduais. ÓRGÃOS MUNICIPAIS Câmaras Municipais: representadas pelos vereadores. 26

27 CONGRESSO NACIONAL " O Congresso Nacional reunir-se-á, anualmente, na Capital Federal, de 2 de fevereiro a 17 de julho e de 1º de agosto a 22 de dezembro." (artigo 57). O Congresso pode se reunir fora desses períodos, em sessão extraordinária, convocada: "I - pelo Presidente do Senado Federal, em caso de decretação de estado de defesa ou de intervenção federal, de pedido de autorização para a decretação de estado de sítio e para o compromisso e a posse do Presidente e do Vice-Presidente da República; II - pelo Presidente da República, pelos Presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal ou a requerimento da maioria dos membros de ambas as Casas, em caso de urgência ou interesse público relevante, em todas as hipóteses deste inciso com a aprovação da maioria absoluta de cada uma das Casas do Congresso Nacional." (artigo 57). 27

28 ATRIBUIÇÕES DO CONGRESSO NACIONAL Ressalvadas as matérias de competência exclusiva da Câmara dos Deputados ou do Senado Federal, cabe ao Congresso, como um todo, legislar sobre todas as questões de interesse nacional e de competência da União. Além disso, é o Congresso que dispõe sobre vários assuntos administrativos, por determinação expressa da constituição, como por exemplo: aprovar a declaração de guerra e a celebração da paz; autorizar o presidente e o vice-presidente a ausentarem do País por mais de 15 dias; aprovar ou suspender o estado de defesa, o estado de sítio e a intervenção federal; A fiscalizar os atos do Poder Executivo, inclusive na administração indireta, etc. (artigos 48 e 50) 28

29 IMUNIDADE PARLAMENTAR Para que possam desempenhar suas funções sem medo de represálias, ou arbitrariedades, senadores e deputados gozam de imunidade parlamentar: O Parlamentar não pode ser preso salvo no caso de flagrante delito, em crime inafiançável; Não pode ser processado criminalmente, sem prévia licença da Casa a que pertence; Não pode ser responsabilizado por opiniões e votos emitidos no exercício de sua função. (artigo 53) 29

30 TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO Na esfera federal, também integra o Poder Legislativo o Tribunal de Contas da União. Órgão de extração constitucional que auxilia o Congresso Nacional na fiscalização COFOP ( contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial) da União e das entidades da administração pública direta e indireta. Essa atividade recebe o nome de controle externo. 30

31 PROCESSO LEGISLATIVO 1.EMENDAS À CONSTITUIÇÃO (art. 60 CF) Destinam-se a alterar alguma parte da constituição, para corrigir falhas ou adaptá-ia à evolução do Estado; TÊM PODERES DE INICIATIVA PARA PROPOR EMENDAS À CONSTITUIÇÃO: 1/3 dos membros da Câmara dos Deputados ou do Senado Federal; Presidente da República; Mais da metade das Assembleias Legislativas das unidades da Federação (com manifestação da maioria simples dos membros de cada uma). A proposta é discutida e votada em cada Casa (Senado e Câmara) em dois turnos e é aprovada se obtiver, em ambos, o voto favorável de 3/5 dos seus membros, isto é 308 deputados e 49 senadores. 31

32 PROCESSO LEGISLATIVO 1.EMENDAS À CONSTITUIÇÃO: A Emenda Constitucional é promulgada pelas mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Não é permitido que matéria rejeitada ou prejudicada, seja objeto de nova proposta na mesma sessão legislativa. Não é permitido que o objeto da Emenda tente abolir: I. A forma federativa de Estado; II. O voto direto, secreto, universal e periódico; III. Direitos e garantias individuais. IV. Outra restrição é emendas na vigência de: intervenção federal ou estado de defesa. 32

33 PROCESSO LEGISLATIVO 2.LEIS COMPLEMENTARES (art. 69 CF) Somente são Leis Complementares aquelas que assim tiverem sido nomeadas na Constituição. Como o próprio nome indica, complementam o texto constitucional. Para serem aprovadas devem obter o voto da maioria absoluta dos senadores e dos deputados. 33

34 PROCESSO LEGISLATIVO 3.LEIS ORDINÁRIAS (art. 61 CF) São atos legislativos que a Constituição trata, simplesmente por "leis", sem qualquer qualificativo, diferentemente do que prevê para as leis complementares e para as leis delegadas. A INICIATIVA PARA PROPOR LEIS ORDINÁRIAS CABE A: Qualquer membro ou comissão da Câmara dos Deputados, do Senado Federal ou do Congresso Nacional; Presidente da República; Supremos Tribunal Federal; Procurador-Geral da República; Cidadãos (por projeto subscrito por 1% do eleitorado, distribuído por 5 Estados, com não menos de 0,3% dos eleitores de cada um dos Estados). Se a lei for emendada volta a casa iniciadora. O silêncio da casa implica sanção da lei. 34

35 PROCESSO LEGISLATIVO 3.LEIS ORDINÁRIAS (art. 61 CF) Aprovado em uma cada é revisto na outra em um só turno de discussão e votação. O Presidente da República em 15 dias úteis para vetar o projeto e comunicar ao Presidente do Senado em 48 horas o motivo do veto. Se o veto não for mantido, o Presidente da República tem 48 horas para promulgar, senão o Presidente do Senado deve fazê-lo em 48 horas e caso não o faço o Vice-Presidente do Senado deverá promulgar a lei. O veto à lei é apreciado em sessão conjunta dentro de 30 dias, só podendo ser rejeitado pelo voto da maioria absoluta. 35

36 PROCESSO LEGISLATIVO 4. LEI DELEGADA (ART. 68 CF) A Constituição permite que o Congresso Nacional delegue poderes ao Chefe do Poder Executivo, por sua solicitação, para a elaboração de leis. A Constituição veda que seja objeto da delegação matérias sujeitas a lei complementar, matérias de competência exclusiva do Congresso Nacional ou de competência privativa da Câmara ou do Senado Federal. A Lei delegada tem a forma de resolução do Congresso Nacional. Se a resolução determinar a apreciação do projeto pelo Congresso Nacional, este a fará em votação única vetada emendas. 5. MEDIDAS PROVISÓRIAS (ART. 62 CF) Autoria exclusiva do Presidente da República, que deverá submetê-las ao Congresso para sua conversão em lei, no prazo de 60 dias, podendo sua vigência ser prorrogada por igual período, caso não sejam aprovadas no prazo inicial. Esgotado esse prazo sem sua conversão em lei, perdem a eficácia desde a edição, cabendo ao Congresso Nacional, nesse caso, disciplinar as relações jurídicas delas decorrentes. 36

37 PROCESSO LEGISLATIVO 6. DECRETOS LEGISLATIVOS (ART. 49 CF) O art. 49 da Constituição Federal alinha as matérias que são da exclusiva competência do Congresso Nacional, ou seja, sua iniciativa cabe aos membros ou Comissões da Câmara dos Deputados ou do Senado Federal, e sua tramitação se restringe ao âmbito do Congresso Nacional. O Congresso Nacional dispõe sobre essas matérias por meio de decretos legislativos. 7. RESOLUÇÕES (ART. 68 2º CF) As resoluções dispõe sobre matérias de competência privativa da Câmara dos Deputados, do Senado Federal ou do Congresso Nacional. Os projetos de resolução do Senado têm sua tramitação iniciada pelos Senadores ou Comissões da Casa. 37

38 CONSTITUCIONALIDADE DAS LEIS AS LEIS E OS ATOS DAS AUTORIDADES NÃO PODEM ENTRAR EM CHOQUE COM A CONSTITUIÇÃO. Cabe ao STF julgar as AÇÕES DE INCONSTITUCIONALIDADE, que são movidas para esclarecer se alguma LEI ou ato do governo fere a CONSTITUIÇÃO. A ação de inconstitucionalidade pode ser proposta pelo PRESIDENTE DA REPÚBLICA, pelas mesas do SENADO FEDERAL, da CÂMARA DOS DEPUTADOS ou de ASSEMBELIA LEGISLATIVA, pelo PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA por GOVERNADOR de ESTADO, pelo Conselho Federal da ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL ou por confederação sindical ou entidade de classe de âmbito nacional. (artigos 97; 103) 38

39 VÁ E VENCA! QUE POR VENCIDO NÃO OS CONHEÇA. 39

Direito Constitucional

Direito Constitucional Barbara Rosa Direito Constitucional Poder Executivo ATRIBUIÇÕES DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA - Nomear e exonerar os Ministros de Estado; - Exercer, com o auxílio dos Ministros de Estado, a direção superior

Leia mais

Direito. Constitucional. Poder Executivo

Direito. Constitucional. Poder Executivo Direito Constitucional Poder Executivo Art. 84, CF: Compete privativamente ao Presidente da República: I - nomear e exonerar os Ministros de Estado; II - exercer, com o auxílio dos Ministros de Estado,

Leia mais

Prof. Cristiano Lopes

Prof. Cristiano Lopes Prof. Cristiano Lopes Poder Legislativo Federal ü No Brasil vigora o bicameralismo federativo, no âmbito federal. Ou seja, o Poder Legislativo no Brasil, em âmbito federal, é bicameral, isto é, composto

Leia mais

PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO DIVISÃO DE FUNÇÕES ESTATAIS ORGANIZAÇÃO DOS PODERES ESTUDO DOS PODERES SEPARAÇÃO DE PODERES

PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO DIVISÃO DE FUNÇÕES ESTATAIS ORGANIZAÇÃO DOS PODERES ESTUDO DOS PODERES SEPARAÇÃO DE PODERES ORGANIZAÇÃO DOS PODERES SEPARAÇÃO DE PODERES ART. 2.º,, DA CF/88: São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo,, o Executivo e o Judiciário rio. FUNÇÕES LEGISLATIVA EXECUTIVA

Leia mais

Prof. Raul de Mello Franco Jr. - UNIARA PODER EXECUTIVO. 3ª aula. Prof. Raul de Mello Franco Jr.

Prof. Raul de Mello Franco Jr. - UNIARA PODER EXECUTIVO. 3ª aula. Prof. Raul de Mello Franco Jr. PODER EXECUTIVO 3ª aula Prof. Raul de Mello Franco Jr. SUBSÍDIOS do PRESIDENTE, do VICE e dos MINISTROS São fixados pelo CN, por decreto-legislativo (art. 49, VIII, CF). Devem ser fixados em parcela única.

Leia mais

Direito Constitucional TJ/RJ Prof. Carlos Andrade

Direito Constitucional TJ/RJ Prof. Carlos Andrade Direito Constitucional TJ/RJ Prof. Carlos Andrade 19. Segundo a Constituição Federal, os tratados e convenções internacionais sobre direitos humanos que forem aprovados, em cada Casa do Congresso Nacional,

Leia mais

Poder Executivo I. Prof. ª Bruna Vieira

Poder Executivo I. Prof. ª Bruna Vieira Poder Executivo I Prof. ª Bruna Vieira Poder Executivo - A função típica do Poder Executivo é a de administrar. - No Brasil, como adotamos o sistema presidencialista de governo, o chefe do Executivo cumula

Leia mais

PODER EXECUTIVO (art. 76 a 91, CRFB/88)

PODER EXECUTIVO (art. 76 a 91, CRFB/88) PODER EXECUTIVO PODER EXECUTIVO (art. 76 a 91, CRFB/88) Sistema de Governo Presidencialista Junção das funções de Chefe de Estado e Chefe de Governo É exercido, no âmbito federal, desde 1891, pelo Presidente

Leia mais

(TRT-RJ / TÉCNICO JUDICIÁRIO ÁREA ADMINISTRATIVA / CESPE / 2008) DIREITO CONSTITUCIONAL

(TRT-RJ / TÉCNICO JUDICIÁRIO ÁREA ADMINISTRATIVA / CESPE / 2008) DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL 31. Acerca de competência legislativa, assinale a opção correta. (a) Compete aos estados legislar sobre direito agrário. (b) Segundo a teoria dos poderes remanescentes, hoje aplicada

Leia mais

Direito Constitucional -Poder Legislativo- Profº. Cleiton Coutinho

Direito Constitucional -Poder Legislativo- Profº. Cleiton Coutinho Direito Constitucional -Poder Legislativo- Profº. Cleiton Coutinho 01. Quanto ao Congresso Nacional, considere: I. O número total de Deputados, bem como a representação por Estado e pelo Distrito Federal,

Leia mais

ARGUMENTO º ANO E.M. A B C D E ATUALIDADES

ARGUMENTO º ANO E.M. A B C D E ATUALIDADES ARGUMENTO 2017 1º ANO E.M. A B C D E ATUALIDADES República Federativa do Brasil ASPECTOS DA ESTRUTURA POLÍTICO- CONSTITUCIONAL DO ESTADO BRASILEIRO. REPÚBLICA - forma de governo em que o Chefe de Estado

Leia mais

CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Professor Alessandro Dantas Coutinho CONTROLE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CONTROLE REALIZADO PELO PODER LEGISLATIVO Legislativo! Representa a vontade da coletividade. Em âmbito Federal é composto pelo Senado

Leia mais

Processo Legislativo II. Prof. ª Bruna Vieira

Processo Legislativo II. Prof. ª Bruna Vieira Processo Legislativo II Prof. ª Bruna Vieira 1.4. Espécies normativas (art. 59 da CF) a) emendas à Constituição b) leis complementares c) leis ordinárias d) leis delegadas e) medidas provisórias f) decretos

Leia mais

SISTEMA CONSTITUCIONAL DAS CRISES. Profa. Me. Érica Rios

SISTEMA CONSTITUCIONAL DAS CRISES. Profa. Me. Érica Rios SISTEMA CONSTITUCIONAL DAS CRISES Profa. Me. Érica Rios erica.carvalho@ucsal.br Defesa do Estado? A defesa do Estado não tem mais a conotação que tinha na ditadura militar. A associação com as Forças Armadas

Leia mais

Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional, que se. eleitos, pelo sistema proporcional, em cada Estado, em cada Território e no

Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional, que se. eleitos, pelo sistema proporcional, em cada Estado, em cada Território e no Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional, que se compõe da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Parágrafo único. Cada legislatura terá a duração de quatro anos. Art. 45. A Câmara

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Poder Legislativo: Funções Típicas e Atípicas / Congresso Nacional Professora Kerolinne Barboza www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Constitucional PODER LEGISLATIVO: FUNÇÕES TÍPICAS

Leia mais

5) (ESTRATÉGIA/CLDF/2017) Os Deputados Distritais serão submetidos a julgamento perante o STJ.

5) (ESTRATÉGIA/CLDF/2017) Os Deputados Distritais serão submetidos a julgamento perante o STJ. Simulados Inéditos de Regimento Interno da CLDF - 2017 Profs. Fabrício Rêgo e Yuri Moraes Aula 01 5) (ESTRATÉGIA/CLDF/2017) Os Deputados Distritais serão submetidos a julgamento perante o STJ. 6) (ESTRATÉGIA/CLDF/2017)

Leia mais

Uma Emenda Constitucional é promulgada pela mesa da Câmara e pela mesa do Senado pelo respectivo número de ordem.

Uma Emenda Constitucional é promulgada pela mesa da Câmara e pela mesa do Senado pelo respectivo número de ordem. OAB MODULAR I - REPETIÇÃO Disciplina: Direito Constitucional Prof. Erival Oliveira Data: 20/08/2009 Aula nº 05 e 06 TEMAS TRATADOS EM AULA AULA 05 PECULIARIDADES DO PODER LEGISLATIVO: 1. MESAS: As mesas

Leia mais

ww.concursovirtual.com.b

ww.concursovirtual.com.b Poder Legislativo Questões Fábio Ramos FGV - 2011 - TRE-PA - Técnico Judiciário - Segurança Judiciária 1-Assinale a alternativa que apresente competência exclusiva do Congresso Nacional. a) Autorizar o

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 101, DE 2015

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 101, DE 2015 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 101, DE 2015 Modifica o art. 144 da Constituição Federal, para determinar que o Diretor-Geral da Polícia Federal tenha a designação de Delegado-Geral de Polícia Federal,

Leia mais

Processo Legislativo I. Prof. ª Bruna Vieira

Processo Legislativo I. Prof. ª Bruna Vieira Processo Legislativo I Prof. ª Bruna Vieira 1. Processo legislativo (art. 59 ao 69 da CF) É o procedimento formal que deve ser seguido pelos órgãos e pessoas que têm a função de elaborar as normas jurídicas,

Leia mais

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO CONSTITUCIONAL

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO CONSTITUCIONAL P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO CONSTITUCIONAL 1. Na Federação Brasileira, os Estados-Membros: I organizam-se e regem-se pelas respectivas Constituições, ainda que contrariem alguns

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL AULA DEMONSTRATIVA TJPE

DIREITO CONSTITUCIONAL AULA DEMONSTRATIVA TJPE DIREITO CONSTITUCIONAL AULA DEMONSTRATIVA TJPE Prof. Jean Pitter BANCA: IBFC INFORMAÇÕES GERAIS DO CONCURSO CARGOS: Técnico (60 vagas) e Analista (49 vagas) INSCRIÇÕES: 24 de julho a 24 de agosto. Valores:

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2015.

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2015. PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2015. (Do Sr. e outros) Institui o Sistema Semi-Presidencialista de Governo e dá outras providências. As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, nos

Leia mais

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A PROFERIR PARECER À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 77-A, DE 2003

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A PROFERIR PARECER À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 77-A, DE 2003 COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A PROFERIR PARECER À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 77-A, DE 2003 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N o 77, DE 2014 Suprime o 5º do art. 14 e dá nova redação ao 1º do

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL PROFESSOR FLAVIO RAMON

DIREITO CONSTITUCIONAL PROFESSOR FLAVIO RAMON CAPÍTULO II DO PODER EXECUTIVO Seção I Do Presidente e do Vice-Presidente da República Art. 76. O Poder Executivo é exercido pelo Presidente da República, auxiliado pelos Ministros de Estado. Art. 77.

Leia mais

AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE

AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE Competência De acordo com o art. 102, I, a, CR(Constituição da República Federativa do Brasil), compete ao Supremo Tribunal Federal processar e julgar, originariamente,

Leia mais

PODER EXECUTIVO ARTIGOS 76 A 91 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL

PODER EXECUTIVO ARTIGOS 76 A 91 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL PODER EXECUTIVO ARTIGOS 76 A 91 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL O Poder Executivo é um dos três órgãos que formam os poderes enumerados no art. 2º da CF. Ele recebe o poder de ação contínua, permanente e ininterrupta

Leia mais

Aula 21. Curiosidade. No Direito Tributário a corrente majoritária sustenta haver hierarquia entre LO e LC.

Aula 21. Curiosidade. No Direito Tributário a corrente majoritária sustenta haver hierarquia entre LO e LC. Turma e Ano: Master A 2015 Matéria / Aula: Direito Constitucional Professor: Marcelo Leonardo Tavares Monitor: Rafael Felipe G. do Nascimento Aula 21 PROCESSO LEGISLATIVO (PROCEDIMENTOS ESPECIAIS) 1 O

Leia mais

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO. Processo Legislativo

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO. Processo Legislativo INTRDUÇÃ A ESTUD D DIREIT Processo Legislativo PDER LEGISLATIV (Arts. 44 ao 75, CF/88) PDER LEGISLATIV NACINAL Possui funções típicas e atípicas: Funções típicas: legislar e fiscalizar. Ex. Art. 59; 49,

Leia mais

1. O processo legislativo compreende a elaboração, entre outros, de propostas de emenda à Constituição, projetos de lei complementar, projetos de lei

1. O processo legislativo compreende a elaboração, entre outros, de propostas de emenda à Constituição, projetos de lei complementar, projetos de lei 1. O processo legislativo compreende a elaboração, entre outros, de propostas de emenda à Constituição, projetos de lei complementar, projetos de lei ordinária e projetos de resolução. ERRADO, art. 59,

Leia mais

Lei complementar nº 35,

Lei complementar nº 35, Lei complementar nº 35, de 14 de março de 1979 Dispõe sobre a Lei Orgânica da Magistratura Nacional O PRESIDENTE DA REPÚBLICA: Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei Complementar:

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Barbara Rosa Direito Constitucional Poder Constituinte PODER CONSTITUINTE - Poder responsável por criar e modificar uma constituição. - Sempre está latente. - O titular é o povo. PODER CONSTITUINTE PODER

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES CAPÍTULO IV DAS FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA Seção I Do Ministério Público Art. 127. O Ministério Público é instituição

Leia mais

FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA: DEFENSORIA PÚBLICA E

FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA: DEFENSORIA PÚBLICA E FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA: MINISTÉRIO PÚBLICO, DEFENSORIA PÚBLICA E ADVOCACIA Profª Me. Érica Rios erica.carvalho@ucsal.br MINISTÉRIO PÚBLICO Definição: instituição permanente e essencial à função jurisdicional

Leia mais

LISTA DE ABREVIATURAS UTILIZADAS INTRODUÇÃO Capítulo 1 FUNDAMENTOS TEÓRICOS DO PROCESSO LEGISLATIVO... 25

LISTA DE ABREVIATURAS UTILIZADAS INTRODUÇÃO Capítulo 1 FUNDAMENTOS TEÓRICOS DO PROCESSO LEGISLATIVO... 25 SUMÁRIO LISTA DE ABREVIATURAS UTILIZADAS... 21 INTRODUÇÃO... 23 Capítulo 1 FUNDAMENTOS TEÓRICOS DO PROCESSO LEGISLATIVO... 25 1. Processo e procedimento... 25 1.1. Procedimentos legislativos... 26 2. Princípios

Leia mais

Noções de Estado. Organização da Federação e Poderes do Estado

Noções de Estado. Organização da Federação e Poderes do Estado Noções de Estado Noções de Estado Organização da Federação e Poderes do Estado Estado É a sociedade política e juridicamente organizada, dotada de soberania, dentro de um território, sob um governo, para

Leia mais

Simulado D. Constitucional - Câmara dos Deputados

Simulado D. Constitucional - Câmara dos Deputados Simulado D. Constitucional - Câmara dos Deputados - 2012 Fala pessoal, tudo bem com vocês?! Prontos para gabaritar a prova da Câmara dos Deputados? Espero que sim... Tenham confiança! A vitória se aproxima.

Leia mais

TEMA 16: PROCESSO LEGISLATIVO

TEMA 16: PROCESSO LEGISLATIVO TEMA 16: PROCESSO LEGISLATIVO EMENTÁRIO DE TEMAS: Processo Legislativo: fase constitutiva; fase integrativa; lei complementar; emendas constitucionais; LEITURA OBRIGATÓRIA MORAES, Alexandre de. Direito

Leia mais

DA INTERVENÇÃO FEDERAL (ARTS. 34 A 36) (vários autores) Disciplina: Direito Constitucional II

DA INTERVENÇÃO FEDERAL (ARTS. 34 A 36) (vários autores) Disciplina: Direito Constitucional II DA INTERVENÇÃO FEDERAL (ARTS. 34 A 36) (vários autores) Disciplina: Direito Constitucional II Prof. Dr. João Miguel da Luz Rivero jmlrivero@gmail.com www.rivero.pro.br O Estado Federal fundamenta-se no

Leia mais

O Que Fazem Deputados Federais, Estaduais, Senadores e o Governador? (competências e âmbito de atuação)

O Que Fazem Deputados Federais, Estaduais, Senadores e o Governador? (competências e âmbito de atuação) O Que Fazem Deputados Federais, Estaduais, Senadores e o Governador? (competências e âmbito de atuação) Patricia Brasil Advogada Delegada do Partido Humanista da Solidariedade Junto ao TRE/SP Especialista

Leia mais

Classificação das normas constitucionais

Classificação das normas constitucionais Classificação das normas constitucionais Instituições de Direito Professora Doutora Emanuele Seicenti de Brito Classificação das normas constitucionais Normas de eficácia: plena, contida e limitada Classificação

Leia mais

CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER. Organização dos Poderes CESGRANRIO

CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER. Organização dos Poderes CESGRANRIO CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER Organização dos Poderes CESGRANRIO 1) CESGRANRIO PETROBRAS Advogado Júnior - 2015 Sr. X é Deputado Federal e, como uma das primeiras informações que recebe do Congresso,

Leia mais

FASES DO PROCESSO LEGISLATIVO (TRAMITAÇÃO) O conjunto de atos (fases) devidamente ordenados para a criação de normas de direito, são elas:

FASES DO PROCESSO LEGISLATIVO (TRAMITAÇÃO) O conjunto de atos (fases) devidamente ordenados para a criação de normas de direito, são elas: FASES DO PROCESSO LEGISLATIVO (TRAMITAÇÃO) O conjunto de atos (fases) devidamente ordenados para a criação de normas de direito, são elas: 1ª Fase INICIATIVA = A iniciativa é a proposta de edição de direito

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL 01. (TRF da 2ª Região/Técnico Judiciário/2007) Mirian exerce o cargo efetivo de professora de ensino médio da rede pública estadual de ensino, atividade esta que sempre desempenhou

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL PODER EXECUTIVO

DIREITO CONSTITUCIONAL PODER EXECUTIVO DIREITO CONSTITUCIONAL PODER EXECUTIVO Atualizado em 09/11/2015 PODER EXECUTIVO Forma de governo de que modo o poder é instituído e como se dá a relação entre governantes e governados: República; Monarquia

Leia mais

LISTA DE ABREVIATURAS UTILIZADAS INTRODUÇÃO Capítulo 1 FUNDAMENTOS TEÓRICOS DO PROCESSO LEGISLATIVO... 25

LISTA DE ABREVIATURAS UTILIZADAS INTRODUÇÃO Capítulo 1 FUNDAMENTOS TEÓRICOS DO PROCESSO LEGISLATIVO... 25 SUMÁRIO LISTA DE ABREVIATURAS UTILIZADAS... 21 INTRODUÇÃO... 23 Capítulo 1 FUNDAMENTOS TEÓRICOS DO PROCESSO LEGISLATIVO... 25 1. Processo e procedimento... 25 1.1. Procedimentos legislativos... 26 2. Princípios

Leia mais

Poder Legislativo I. Prof. ª Bruna Vieira

Poder Legislativo I. Prof. ª Bruna Vieira Poder Legislativo I Prof. ª Bruna Vieira 1. Introdução Para evitar os abusos cometidos pelos detentores do poder, foi necessário dividir as funções estatais. Isso se consagrou por meio do sistema dos freios

Leia mais

Teoria do Direito. Fontes do Direito Espécies Normativas Atos Administrativos

Teoria do Direito. Fontes do Direito Espécies Normativas Atos Administrativos Fontes do Direito Espécies Normativas Atos Administrativos Fontes do Direito Teoria do Direito Fonte é sinônimo de origem, causa, princípio, procedência. O Direito, como qualquer outra área das ciências

Leia mais

Unidade I INSTITUIÇÕES DO DIREITO. Prof. Me. Edson Guedes

Unidade I INSTITUIÇÕES DO DIREITO. Prof. Me. Edson Guedes Unidade I INSTITUIÇÕES DO DIREITO Prof. Me. Edson Guedes 1. Introdução ao Direito 1.1 Origem do Direito: Conflitos humanos; Evitar a luta de todos contra todos; 1. Introdução ao Direito 1.2 Conceito de

Leia mais

LEI PENAL EM RELAÇÃO ÀS PESSOAS PROFESSOR: LEONARDO DE MORAES

LEI PENAL EM RELAÇÃO ÀS PESSOAS PROFESSOR: LEONARDO DE MORAES LEI PENAL EM RELAÇÃO ÀS PESSOAS PROFESSOR: LEONARDO DE MORAES 1 - Introdução Subdividem-se em imunidades diplomáticas e de chefes de governo estrangeiro e as imunidades parlamentares. 2 Imunidades diplomáticas

Leia mais

PODER LEGISLATIVO. Profa. Érica Rios

PODER LEGISLATIVO. Profa. Érica Rios PODER LEGISLATIVO Profa. Érica Rios erica.carvalho@ucsal.br FUNÇÕES DO P. LEGISLATIVO TÍPICAS: Legislar Fiscalizar as contas do P. Executivo ATÍPICAS: Administrar (ao prover cargos da sua estrutura ou

Leia mais

O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA

O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA ESTADO Conjunto de regras, pessoas e organizações que se separam da sociedade para organizá-la. - Só passa a existir quando o comando da comunidade

Leia mais

PELA REDUÇÃO DO SALARIO DOS DEPUTADOS ESTADUAIS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO JÁ!

PELA REDUÇÃO DO SALARIO DOS DEPUTADOS ESTADUAIS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO JÁ! PROJETO DE EMENDA CONSTITUCIONAL DE INICIATIVA POPULAR Projeto de Iniciativa Popular de Emenda à Constituição do Estado do Espírito Santo, que altera os Art.49, 2º e art. 26, IV, a a,b,c,d,e,f. PELA REDUÇÃO

Leia mais

Direito Constitucional Momento TJ Emilly Albuquerque

Direito Constitucional Momento TJ Emilly Albuquerque Direito Constitucional Momento TJ Emilly Albuquerque DIREITO CONSTITUCIONAL CESPE MS 2013 No que se refere a direitos e garantias fundamentais; direitos sociais, políticos e de nacionalidade; e direitos

Leia mais

PONTO 1: Poder Constituinte PONTO 2: Poder Reformador PONTO 3: Poder Constituinte Decorrente 1. PODER CONSTITUINTE NATUREZA DO PODER CONSTITUINTE:...

PONTO 1: Poder Constituinte PONTO 2: Poder Reformador PONTO 3: Poder Constituinte Decorrente 1. PODER CONSTITUINTE NATUREZA DO PODER CONSTITUINTE:... 1 DIREITO CONSTITUCIONAL PONTO 1: Poder Constituinte PONTO 2: Poder Reformador PONTO 3: Poder Constituinte Decorrente Precedentes: RExt 466.343 RExt 349.703 HC 87.585 1. PODER CONSTITUINTE Poder de elaborar

Leia mais

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A DAR PARECER ÀS PROPOSTAS DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO RELACIONADAS À REFORMA POLÍTICA (PEC 182, DE 2007, E APENSADAS)

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A DAR PARECER ÀS PROPOSTAS DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO RELACIONADAS À REFORMA POLÍTICA (PEC 182, DE 2007, E APENSADAS) COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A DAR PARECER ÀS PROPOSTAS DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO RELACIONADAS À REFORMA POLÍTICA (PEC 182, DE 2007, E APENSADAS) SUBSTITUTIVO À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N o 14,

Leia mais

Prof. Dr. Vander Ferreira de Andrade

Prof. Dr. Vander Ferreira de Andrade Prof. Dr. Vander Ferreira de Andrade Poder Legislativo Estadual Unicameralismo Assembleia Legislativa Deputados Estaduais: Prerrogativas Poder Legislativo Municipal Unicameralismo Câmara dos Vereadores

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CÂMARA DOS DEPUTADOS PROF. GUSTAVO PIRES

REGIMENTO INTERNO CÂMARA DOS DEPUTADOS PROF. GUSTAVO PIRES REGIMENTO INTERNO CÂMARA DOS DEPUTADOS PROF. GUSTAVO PIRES Em regra, os candidatos diplomados deputados federais prestam compromisso em sessão preparatória e podem ser empossados por intermédio de procurador.

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Dos Deputados e dos Senadores (Art. 053 a 056) Professor André Vieira www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Constitucional Seção V DOS DEPUTADOS E DOS SENADORES Art. 53. Os Deputados

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2012

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2012 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2012 Altera os arts. 102, 105, 108 e 125 da Constituição Federal para extinguir o foro especial por prerrogativa de função nos casos de crimes comuns. As Mesas

Leia mais

QUESTÕES OAB SEGUNDA FASE CONSTITUCIONAL BLOCO I CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE

QUESTÕES OAB SEGUNDA FASE CONSTITUCIONAL BLOCO I CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE QUESTÕES OAB SEGUNDA FASE CONSTITUCIONAL BLOCO I CONTROLE DE Professora: Carolinne Brasil CONSTITUCIONALIDADE 1. O Conselho Federal da OAB ajuizou, junto ao STF, Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI),

Leia mais

f ÅâÄtwÉ wx IED / V Çv t céä à vt `öüv t cxä áátü INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO CIÊNCIA POLÍTICA

f ÅâÄtwÉ wx IED / V Çv t céä à vt `öüv t cxä áátü INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO CIÊNCIA POLÍTICA INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO CIÊNCIA POLÍTICA 01) Não se enquadra na subdivisão de "Público" o direito: a) Constitucional b) Administrativo. c) Judiciário / processual. d) Penal. e) Comercial. 02) Não

Leia mais

LEI Nº 9.868, DE 10 DE NOVEMBRO DE 1999

LEI Nº 9.868, DE 10 DE NOVEMBRO DE 1999 LEI Nº 9.868, DE 10 DE NOVEMBRO DE 1999 O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Dispõe sobre o processo e julgamento da ação direta de inconstitucionalidade

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br A ação penal popular no ordenamento jurídico brasileiro Liduina Araujo Batista * O presente estudo trata da discussão acerca da possibilidade, ou não, de existência, em nosso ordenamento

Leia mais

ESPÉCIES NORMATIVAS E PROCESSO LEGISLATIVO. Maira L. de Souza Melo

ESPÉCIES NORMATIVAS E PROCESSO LEGISLATIVO. Maira L. de Souza Melo ESPÉCIES NORMATIVAS E PROCESSO LEGISLATIVO Maira L. de Souza Melo ESPÉCIES NORMATIVAS Art.18 da CE: Emenda Constitucional Lei Complementar Lei Ordinária Lei Delegada Decreto Legislativo Resolução NORMAS

Leia mais

Direito Constitucional II

Direito Constitucional II UNAMA Universidade da Amazônia CESA Centro de Estudos Sociais Aplicados Apostila Curso de Direito Direito Constitucional II Un. III Poder Executivo Prof. Paulo Mauricio Sales Cardoso Belém - 2006 DIREITO

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO E CONSTITUCIONAL 2014

DIREITO ADMINISTRATIVO E CONSTITUCIONAL 2014 DIREITO ADMINISTRATIVO E CONSTITUCIONAL 2014 51. "José da Silva, Senador da República, discursa na tribuna do Senado defendendo a legalização do aborto para mulheres grávidas que não tenham constituído

Leia mais

Parte II Espécies Normativas PROCESSO LEGISLATIVO

Parte II Espécies Normativas PROCESSO LEGISLATIVO Parte II Espécies Normativas PROCESSO LEGISLATIVO I. EMENDAS CONSTITUCIONAIS LIMITAÇÕES Expressas Materiais Cláusulas pétreas CF, art. 60, 4º. Circunstanciais CF.art. 60, 1º. Formais Referentes ao processo

Leia mais

Quadro Sinótico Competência por Prerrogativa de Função

Quadro Sinótico Competência por Prerrogativa de Função 2016 Quadro Sinótico Competência por Prerrogativa de Função Lucas Rodrigues de Ávila Prova da Ordem 2016 O que é competência por prerrogativa de função? "Um dos critérios determinadores da competência

Leia mais

SUMÁRIO. Capítulo I Teoria da Constituição...1

SUMÁRIO. Capítulo I Teoria da Constituição...1 SUMÁRIO Capítulo I Teoria da Constituição...1 1. Constituição...1 1.1 Conceito...1 1.2. Classificação das Constituições...1 1.3. Interpretação das Normas Constitucionais...3 1.4. Preâmbulo Constitucional...5

Leia mais

OFICINA PARLAMENTAR Brasília (DF) 18 e 19 de agosto de 2016

OFICINA PARLAMENTAR Brasília (DF) 18 e 19 de agosto de 2016 OFICINA PARLAMENTAR Brasília (DF) 18 e 19 de agosto de 2016 CONTRUÇÃO DA PROPOSTA e PROCESSO LEGISLATIVO Delegacia Sindical de Brasília - Sindifisco Nacional Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da

Leia mais

Conhecimento Específico Direito Constitucional

Conhecimento Específico Direito Constitucional Conhecimento Específico Direito Constitucional Da Intervenção (Art. 34 a 36) Professor Giuliano Tamagno www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Constitucional DA INTERVENÇÃO (ART. 34 a 36) INTERVENÇÃO FEDERAL

Leia mais

... 5º São inelegíveis para os mesmos cargos, no período imediatamente subsequente, o Presidente da República, os Governadores de Estado e do

... 5º São inelegíveis para os mesmos cargos, no período imediatamente subsequente, o Presidente da República, os Governadores de Estado e do Reforma as instituições político-eleitorais, alterando os arts. 14, 17, 57 e 61 da Constituição Federal, e cria regras temporárias para vigorar no período de transição para o novo modelo, acrescentando

Leia mais

c) não comporta, em hipótese alguma, delegação interna corporis.

c) não comporta, em hipótese alguma, delegação interna corporis. 80 QUESTÕES 1.(FCC TCM-BA PROCUADOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO ESPECIAL DE CONTAS) O exercício de atribuições normativas pelo chefe do Poder Executivo, nos termos da Constituição da República, a) compreende,

Leia mais

Banco Central Direito Constitucional Poder Legislativo Cristiano Lopes Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

Banco Central Direito Constitucional Poder Legislativo Cristiano Lopes Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Banco Central Direito Constitucional Poder Legislativo Cristiano Lopes 2013 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Prof. Cristiano Lopes No Brasil vigora o bicameralismo

Leia mais

CONSTITUIÇÂO DA REPÚBLICA PORTUGUESA. (texto integral) Tribunais SECÇÃO V CAPÍTULO I. Princípios gerais. Artigo 202. (Função jurisdicional)

CONSTITUIÇÂO DA REPÚBLICA PORTUGUESA. (texto integral) Tribunais SECÇÃO V CAPÍTULO I. Princípios gerais. Artigo 202. (Função jurisdicional) CONSTITUIÇÂO DA REPÚBLICA PORTUGUESA (texto integral) Tribunais SECÇÃO V CAPÍTULO I Princípios gerais Artigo 202. (Função jurisdicional) 1. Os tribunais são os órgãos de soberania com competência para

Leia mais

Papéis dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. O art. 224 do Código Eleitoral dispõe:

Papéis dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. O art. 224 do Código Eleitoral dispõe: Sistemas Eleitorais Voto e Eleições A expressão "sistema eleitoral" designa o modo, os instrumentos e os mecanismos empregados nos países de organização política democrática para constituir seus Poderes

Leia mais

Processo Legislativo Constitucional Aula 1 (parte final) IGEPP Prof. Leo van Holthe

Processo Legislativo Constitucional Aula 1 (parte final) IGEPP Prof. Leo van Holthe Processo Legislativo Constitucional Aula 1 (parte final) IGEPP Prof. Leo van Holthe Fase constitutiva A fase constitutiva abrange a deliberação parlamentar (exame, discussão e votação); e deliberação executiva

Leia mais

b) A garantia do desenvolvimento nacional, a erradicação da pobreza e da marginalização e a redução das desigualdades sociais e regionais.

b) A garantia do desenvolvimento nacional, a erradicação da pobreza e da marginalização e a redução das desigualdades sociais e regionais. Os candidatos que já anteciparam a preparação para o concurso da Polícia Civil de Minas (PC-MG) contam com um teste de Direito Constitucional. As questões foram elaboradas, pelo professor Saulo Viana que

Leia mais

decisões definitivas de mérito Supremo Tribunal Federal

decisões definitivas de mérito Supremo Tribunal Federal Art.102... 2º As decisões definitivas de mérito, proferidas pelo Supremo Tribunal Federal, nas ações diretas de inconstitucionalidade e nas ações declaratórias de constitucionalidade produzirão eficácia

Leia mais

Curso Resultado. Ministério Público Militar. 1

Curso Resultado. Ministério Público Militar.  1 Ministério Público Militar Compete ao Ministério Público Militar o exercício das seguintes atribuições junto aos órgãos da Justiça Militar: promover, privativamente, a ação penal pública promover a declaração

Leia mais

PONTO 1: PODER CONSTITUINTE. PONTO 3: b) DERIVADO

PONTO 1: PODER CONSTITUINTE. PONTO 3: b) DERIVADO 1 DIREITO CONSTITUCIONAL PONTO 1: PODER CONSTITUINTE PONTO 2: a) ORIGINÁRIO PONTO 3: b) DERIVADO PODER CONSTITUINTE ORIGINÁRIO: poder diferenciado. Surge um poder organizado. É inicial, autônomo, incondicionado,

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL PROFESSOR: Fábio Ramos 2015 FGV TJ/PI Analista Judiciário Escrivão Judicial 1. A Constituição de 1988, ao enunciar os seus princípios fundamentais, fez menção, em seu art. 1º, à

Leia mais

CURSO DE DIREITO DIREITO ELEITORAL. Prof. Gilberto Kenji Futada SISTEMAS ELEITORAIS

CURSO DE DIREITO DIREITO ELEITORAL. Prof. Gilberto Kenji Futada SISTEMAS ELEITORAIS CURSO DE DIREITO Prof. A CF/88 prevê dois sistemas para a escolha dos representantes que, em nome do titular da soberania, o povo, exercerão o poder: Sistema Majoritário a) Presidência da República b)

Leia mais

Direito Processual. Ministério Público no Processo Penal. Professor Joerberth Nunes.

Direito Processual. Ministério Público no Processo Penal. Professor Joerberth Nunes. Direito Processual Ministério Público no Processo Penal Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual MINISTÉRIO PÚBLICO NO PROCESSO PENAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL CAPÍTULO IV

Leia mais

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS REDE JURIS DIREITO CONSTITUCIONAL PROF. BRUNO PONTES PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS TÍTULO I DOS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS (arts. 1º ao 4º) TÍTULO II DOS DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS (arts. 5º ao 17) Capítulo

Leia mais

LEGISLAÇÃO INSTITUCIONAL 2013

LEGISLAÇÃO INSTITUCIONAL 2013 LEGISLAÇÃO INSTITUCIONAL 2013 21. A função estabelecida constitucionalmente à Defensoria Pública consiste em (a) defender a ordem jurídica, o regime democrático e os interesses sociais e individuais indisponíveis.

Leia mais

Prof. Helena de Souza Rocha 1

Prof. Helena de Souza Rocha 1 Prof. Helena de Souza Rocha 1 2 Fonte: Pedro Lenza. Direito Constitucional Esquematizado. Originário histórico revolucionário Poder Constituinte Derivado reformador decorrente Difuso revisor Supranacional

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO DE REPRESENTANTES DA ADCFET-RJ

REGULAMENTO DO CONSELHO DE REPRESENTANTES DA ADCFET-RJ REGULAMENTO DO CONSELHO DE REPRESENTANTES DA ADCFET-RJ TÍTULO I Do Conselho de Representantes Art. 1º O Conselho de Representantes é um órgão consultivo, deliberativo e fiscalizador da Associação de Docentes

Leia mais

ARISTOCRATES CARVALHO REGIMENTO INTERNO DA CLDF

ARISTOCRATES CARVALHO REGIMENTO INTERNO DA CLDF ARISTOCRATES CARVALHO REGIMENTO INTERNO DA CLDF PREVISÃO LEGAL Câmara Legislativa na Constituição Federal de 1988 -> Art. 32; 103, IV e ADCT (Art. 16, 1º e 2º); LODF -> Art. 54 a 86 (...) DO FUNCIONAMENTO

Leia mais

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1 DIREITOS POLÍTICOS Prof. Fábio Ramos prof.fabioramos@hotmail.com Conjunto de normas que disciplinam as formas de exercício da soberania popular. Princípio da Soberania Popular: Art. 1º, par. único: Todo

Leia mais

Pormenorizando a polêmica do mensalão e a Constituição Federal.

Pormenorizando a polêmica do mensalão e a Constituição Federal. Pormenorizando a polêmica do mensalão e a Constituição Federal. Devido às diversas dúvidas dos alunos sobre o tema, que com certeza será explorado nos concursos vindouros, este artigo tem o intuito de

Leia mais

Faculdade: Curso: Disciplina: Período: Turno: Data: Professor: Valor:30 Nome: 1ª Fase Poder Legislativo 2ª Fase Observações Finais:

Faculdade: Curso: Disciplina: Período: Turno: Data: Professor: Valor:30 Nome: 1ª Fase Poder Legislativo 2ª Fase Observações Finais: Faculdade: Direito Curso: DIREITO Disciplina: Direito Constitucional II Período: 4º Turno:Manhã/Noite Data:MAIO/17 Professor: Arthur Magno e Silva Guerra Valor:30 pts Estudo Dirigido Nome: Cód. Instruções

Leia mais

INFORME ESPECIAL ASSESSORIA PARLAMENTAR Nº 01

INFORME ESPECIAL ASSESSORIA PARLAMENTAR Nº 01 INFORME ESPECIAL ASSESSORIA PARLAMENTAR Nº 01 Elaborado em 09 de julho de 2013 REFORMA POLÍTICA DEPUTADOS DESCARTAM REFORMA POLÍTICA VÁLIDA PARA 2014 O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, afirmou

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DO ESTADO

ORGANIZAÇÃO DO ESTADO Aluno(a): Educador(a): VALDIRENE Componente Curricular: DIREITO CONSTITUCIONAL Ano/Turma: 1º Ano Turno: ( X ) Matutino ( ) Vespertino Data: / /17 ORGANIZAÇÃO DO ESTADO O Estado é uma pessoa jurídica cujos

Leia mais

3º ENCONTRO OAB FIM DE SEMANA TEMA: SEPARAÇÃO DOS PODERES

3º ENCONTRO OAB FIM DE SEMANA TEMA: SEPARAÇÃO DOS PODERES 3º ENCONTRO OAB FIM DE SEMANA TEMA: SEPARAÇÃO DOS PODERES 1. Jovem governador do Estado Alfa, vencedor das eleições com o slogan A vez dos jovens, propõe projeto de emenda à constituição do Estado a fim

Leia mais

02. A obrigatoriedade ou necessidade de deliberação plenária dos tribunais, no sistema de controle de constitucionalidade brasileiro, significa que:

02. A obrigatoriedade ou necessidade de deliberação plenária dos tribunais, no sistema de controle de constitucionalidade brasileiro, significa que: FGV.OAB 2010/2 DIREITO CONSTITUCIONAL 01. O Congresso Nacional e suas respectivas Casas se reúnem anualmente para a atividade legislativa. Com relação ao sistema constitucional brasileiro, assinale a alternativa

Leia mais

SUBSTITUTIVO ADOTADO PELA COMISSÃO ESPECIAL À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 20-A, DE 1995.

SUBSTITUTIVO ADOTADO PELA COMISSÃO ESPECIAL À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 20-A, DE 1995. COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A PROFERIR PARECER À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 20-A, DE 1995, QUE ESTABELECE O PARLAMENTARISMO (PARLAMENTARISMO). SUBSTITUTIVO ADOTADO PELA COMISSÃO ESPECIAL À PROPOSTA

Leia mais

Tribunais Regionais Federais e. Juízes Federais. Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais. Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais

Tribunais Regionais Federais e. Juízes Federais. Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais. Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais S Art. 106. São órgãos da Justiça Federal: I - os Tribunais Regionais Federais; II - os. 1 2 Art. 107. Os Tribunais Regionais Federais compõemse de, no mínimo, sete juízes, recrutados, quando possível,

Leia mais