Prof. Cristiano Lopes

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prof. Cristiano Lopes"

Transcrição

1 Prof. Cristiano Lopes

2 Poder Legislativo Federal ü No Brasil vigora o bicameralismo federativo, no âmbito federal. Ou seja, o Poder Legislativo no Brasil, em âmbito federal, é bicameral, isto é, composto por duas Casas: a Câmara dos deputados e o Senado Federal, a primeira composto por representante do povo e a segunda representando os Estadosmembros e o Distrito Federal, adjetivando, assim, o nosso bicameralismo, que é do tipo federativo, como visto.

3 Poder Legislativo Estadual ü Unicameralismo: o legislativo estadual é composto pela Assembléia legislativa, composta pelos Deputados Estaduais, também representes do povo do Estado. ü Número de Deputados Estaduais: O número de Deputados à Assembléia Legislativa corresponderá ao triplo da representação do Estado na Câmara dos Deputados e, atingido o número de trinta e seis, será acrescido de tantos quantos forem os Deputados Federais acima de doze (CF, art. 27). ü Mandato: O mandato dos deputados Estaduais será de 4 anos.

4 N DE DEPUTADOS FEDEDERAIS (X) N DE DEPUTADOS ESTADUAIS (Y) FÓRMULA 8 24 O triplo 9 27 O triplo O triplo O triplo O triplo Y= (x-12) Y= (x-12) + 36

5 DIFERENÇAS ENTRE A CÂMARA DOS DEPUTADOS E O SENADO FEDERAL CÂMARA DOS DEPUTADOS É chamada de câmara baixa. Representa o povo. Número de membros varia em função da população: no mínimo 8 e no máximo 70 deputados, por unidade da federação. SENADO FEDERAL É chamado de câmara alta. Representa os E/DF. Número de membros é fixo, pois todas as unidades da federação possuem 3 senadores. Eleição pelo sistema proporcional (quociente eleitoral). Renovação total a cada quatro anos. Mandato é de quatro anos (uma legislatura). Idade mínima de 21 anos. Eleição pelo sistema majoritário (o mais votado é o escolhido, não havendo 2º turno). Renovação parcial a cada quatro anos: 1/3 e 2/3, alternadamente. Mandato é de oito anos (duas legislaturas). Idade mínima de 35 anos.

6 SESSÕES LEGISLATIVA CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art. 57 ü Sessão ordinária ü Sessão extraordinária ü Sessão preparatória ü Sessão conjunta CONSTITUIÇÃO ESTADUAL Art. 7º ü Sessão ordinária ü Sessão extraordinária ü Sessão preparatória OBS.: Cumular com o RI, arts

7 SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA CF, art de fevereiro a 17 de julho e de 1º de agosto a 22 de dezembro SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA CE, art. 17 / RI, art. 15 1º de fevereiro a 30 de junho e de 1º de agosto a 21 de dezembro

8 CONSTITUIÇÃO FEDERAL SESSÃO EXTRAORDÍNARIA QUEM PODE CONVOCAR Presidente do Senado Presidente da República Presidente do Senado Presidente da Câmara Requerimento da maioria dos membros de ambas as casas HIPÓTESE ü Decretação de estado de defesa; ü Decretação de intervenção federal; ü Pedido de autorização para a decretação de estado de sítio; ü Para o compromisso e a posse do PR e Vice-PR ü Em caso de urgência ou interesse público relevante, sempre com aprovação da maioria absoluta de cada uma das Casas do Congresso Nacional. CONSTITUIÇÃO ESTADUAL E REGIMENTO INTERNO SESSÃO EXTRAORDÍNARIA QUEM PODE CONVOCAR Presidente da ALEPE Presidente da ALEPE ou Governador, com da maioria dos membros Requerimento da maioria dos membros HIPÓTESE ü Para o compromisso e a posse do Governador e Vicegovernador ü Em caso de urgência ou interesse público relevante.

9 CUIDADO!!! CF, art. 57, 8º - Havendo medidas provisórias em vigor na data de convocação extraordinária do Congresso Nacional, serão elas automaticamente incluídas na pauta da convocação. * Sem previsão na CE e no RI

10 SESSÃO PREPARATÓRIA CF, art. 57, 4º SESSÃO PREPARATÓRIA CE, art. 7º, 2º SESSÃO PREPARATÓRIA RI, art. 14 Posse de seus membros Posse dos Deputados Posse dos Deputados Eleição das respectivas Mesas Eleição da Mesa Diretora Eleição da Mesa Diretora Eleição da Comissão de Ética Parlamentar

11 SESSÃO PREPARATÓRIA CE, art. 7º, 2º e RI, art. 14 Posse dos Deputados Eleição da Mesa Diretora Comissão de Ética Parlamentar 1º fevereiro 1º dia útil depois da posse dos Deputados 10 dia depois da posse da Mesa diretora

12 CONSTITUIÇÃO FEDERAL Comissões Parlamentares CF, art. 58 Permanente Temporária Representativa Especial CONSTITUIÇÃO ESTADUAL Comissões Parlamentares CE, art. 28 de Inquérito Permanente Temporária De inquérito

13 REGIMENTO INTERNO Comissões Parlamentares Permanentes RI, art. 92, ss Temporárias RI, art. 133, ss de Representação Especial de Inquérito

14 PROCESSO LEGISLATIVO CONSTITUIÇÃO FEDERAL ü Emendas à Constituição; ü Leis complementares; ü Leis ordinárias; ü Leis delegadas; ü Medidas provisórias; ü Decretos legislativos; ü Resoluções. CONSTITUIÇÃO ESTADUAL ü Emendas à Constituição; ü Leis complementares; ü Leis ordinárias; ü Leis delegadas; ü Decretos legislativos; ü Resoluções. REGIMENTO INTERNO ü Emendas à Constituição; ü Leis complementares; ü Leis ordinárias; ü Leis delegadas; ü Decretos legislativos; ü Resoluções; ü Indicações; ü Requerimentos.

15 EMENDA CONSTITUCIONAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL ü 1/3 da Câmara dos Deputados; ü 1/3 do Senado Federal; ü Presidente da República; ü Mais da metade das Assembleias Legislativas, manifestando-se, cada uma delas, pela maioria relativa de seus membros. CONSTITUIÇÃO ESTADUAL E REGIMENTO INTERNO ü 1/3 dos membros da ALEPE; ü Governador do estado; ü Mais da metade das Câmaras Municipais, manifestando-se, cada uma delas, pela maioria relativa de seus membros. ü Iniciativa popular.

16 EMENDA CONSTITUCIONAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL ü A Constituição não poderá ser emendada na vigência de intervenção federal, de estado de defesa ou de estado de sítio. ü A proposta será discutida e votada em cada Casa do Congresso Nacional, em dois turnos, considerando-se aprovada se obtiver, em ambos, três quintos dos votos dos respectivos membros. ü A emenda à Constituição será promulgada pelas Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, com o respectivo número de ordem. CONSTITUIÇÃO ESTADUAL ü A Constituição não poderá ser emendada na vigência de intervenção federal, de estado de defesa ou de estado de sítio. ü A proposta será discutida e votada na Assembleia Legislativa, em dois turnos, considerando-se aprovada se obtiver três quintos dos votos dos respectivos membros. ü A emenda à Constituição será promulgada pela Mesa da Assembleia Legislativa, com o respectivo número de ordem.

17 PROPOSTA DE EMENDA CONSTITUCIONAL ü A matéria constante de proposta de emenda rejeitada ou havida por prejudicada não pode ser objeto de nova proposta na mesma sessão legislativa. * CF, art. 60, 5º * CE, art. 17, 3º * RI, art. 191, 4º PROJETO DE LEI ü A matéria constante do projeto de lei rejeitado somente poderá constituir objeto de novos projetos, na mesma sessão legislativa, mediante proposta da maioria absoluta dos membros da Assembleia Legislativa. * CE, art. 22, parágrafo único e RI, art ü A matéria constante do projeto de lei rejeitado somente poderá constituir objeto de novos projetos, na mesma sessão legislativa, mediante proposta da maioria absoluta dos membros de qualquer das casas do Congresso Nacional. * CF, art. 67.

18 INICIATIVA POPULAR CONSTITUIÇÃO FEDERAL A iniciativa popular pode ser exercida pela apresentação à Câmara dos Deputados de projeto de lei subscrito por, no mínimo, um por cento do eleitorado nacional, distribuído pelo menos por cinco Estados, com não menos de três décimos por cento dos eleitores de cada um deles. CONSTITUIÇÃO ESTADUAL E REGIMENTO INTERNO A iniciativa popular pode ser exercida pela apresentação à Assembleia Legislativa de projeto de lei subscrito por, no mínimo, um por cento do eleitorado estadual, distribuído pelo menos por um quinto dos municípios do Estado, com não menos de três décimos por cento dos eleitores de cada um deles.

19 CONST. FEDERAL = CONST. ESTADUAL = REG. INTERNO ASPECTO FORMAL Quórum de aprovação ASPECTO MATERIAL (MATÉRIA) Lei Complementar ü maioria absoluta ü Rol taxativo na Constituição Lei Ordinário ü maioria simples ü Natureza residual: tudo o que não for Resoluções, Lei Complementar e Decreto Legislativo.

20 LEI DELEGADA CF, art. 68 PRESIDENTE elabora LEI DELEGADA CONGRESSO NACIONAL

21 LEI DELEGADA CE, art. 25 e RI, art. 198 GOVERNADOR elabora LEI DELEGADA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

22 LEI DELEGADA Não serão objeto de delegação: CONSTITUIÇÃO FEDERAL ü Competência exclusiva do Congresso Nacional; ü Competência privativa da Câmara dos Deputados e do Senado Federal; ü Lei complementar; ü organização do Poder Judiciário e do Ministério Público; ü Legislação sobre planos plurianuais, diretrizes orçamentárias e orçamentos; ü Nacionalidade, cidadania, direitos individuais, políticos e eleitorais. CONSTITUIÇÃO ESTADUAL E REGIMENTO INTERNO ü Competência exclusiva da Assembleia Legislativa; ü Lei complementar; ü Legislação sobre planos plurianuais, diretrizes orçamentárias e orçamento.

23 REGIMENTO INTERNO Resolução ü Art Os projetos de resolução, de iniciativa de Deputado, de Comissão ou da Mesa Diretora, têm eficácia de lei ordinária e dispõem sobre as matérias de competência exclusiva da Assembleia. ü Os Projetos de Resolução, aprovados pelo Plenário em um só turno, serão promulgados pelo Presidente da Assembleia Legislativa. Decretos Legislativo ü Art Os projetos de decreto legislativo, de iniciativa de Deputado, Comissão ou da Mesa Diretora, destinam -se a regular matérias de exclusiva competência da Assembleia, bem como a sustar atos praticados pelo Poder Executivo, que exorbitem o seu poder regulamentador ou os limites da delegação legislativa. ü Os projetos de decreto legislativo, aprovados pelo Plenário em um só turno, serão promulgados pelo Presidente da Assembleia.

24 DAS EMENDAS, SUBEMENDAS E SUBSTITUTIVOS RI, art As proposições legislativas poderão receber proposições acessórias, que consistirão em emendas, subemendas e substitutivos, com o objetivo de alterar o seu texto no todo ou em parte. RI, art Caberá aos Deputados, aos autores previstos em norma constitucional, ou à Comissão Permanente a que a proposição legislativa for distribuída, a apresentação de emendas, subemendas e substitutivos. RI, art Os autores previstos em norma constitucional, os Deputados e as Comissões Permanentes a que a proposição legislativa for distribuída, poderão apresentar substitutivo com o objetivo de oferecer texto alternativo à proposição no seu todo.

25 RI, art. 206 Poderão ser apresentadas emendas das seguintes espécies: ü Substitutivas, para suceder qualquer parte do texto de uma proposição, sem a intenção de substituí-la no seu todo; ü Supressivas, para eliminar qualquer parte do texto de uma proposição; ü Aditivas, para acrescentar qualquer parte ao texto de uma proposição; ü Modificativas, para alterar qualquer parte do texto de uma proposição, sem a intenção de substituí-la no seu todo; ü de Redação, para corrigir falhas de redação ou de técnica legislativa.

26 REGIMENTO INTERNO INDICAÇÕES Art As indicações, de iniciativa de Deputado ou de Comissão, encaminham sugestões ou apelos: I - aos Poderes Executivo e Judiciário, para providências, prática de ato administrativo ou envio de proposição, no âmbito de suas competências privativas; II - ao Ministério Público, Tribunal de Contas e Defensoria Pública, para providências, prática de ato administrativo ou envio de proposição, no âmbito de suas competências privativas; III - à Comissão ou à Mesa Diretora, para elaboração de Projeto ou outras providências, relacionados a matéria de competência da Assembleia. REQUERIMENTOS Art Os requerimentos, escritos ou verbais, são proposições de iniciativa dos Deputados, de Comissões Parlamentares, que encaminham solicitações relativas a providências de competência exclusiva da Assembleia. Parágrafo único. Os requerimentos de pedidos de informações têm por finalidade solicitar esclarecimentos sobre fatos relacionados a matérias legislativas, em tramitação, ou sujeitas à fiscalização da Assembleia.

27 TRIBUNAL DE CONTAS CONSTITUIÇÃO FEDERAL ü O Tribunal de Contas da União - nove Ministros. Os Ministros do TCU - requisitos: ü Mais de 35 e menos 65 anos de idade; ü Idoneidade moral e reputação ilibada; ü Notórios conhecimentos jurídicos, contábeis, econômicos e f i n a n c e i r o s o u d e administração pública; ü mais de 10 anos de exercício de função CONSTITUIÇÃO ESTADUAL ü O Tribunal de Contas da estado - sete conselheiros. Os conselheiros do TCE - requisitos: ü Mais de 35 e menos 65 anos de idade; ü Idoneidade moral e reputação ilibada; ü Notórios conhecimentos jurídicos, contábeis, econômicos e f i n a n c e i r o s o u d e administração pública; ü mais de 10 anos de exercício de função

28 TRIBUNAL DE CONTAS CONSTITUIÇÃO FEDERAL Os Ministros do Tribunal de Contas da União serão escolhidos: ü Um terço pelo Presidente da República, com aprovação do Senado Federal, sendo dois alternadamente dentre auditores e membros do Ministério Público junto ao Tribunal, indicados em lista tríplice pelo Tribunal, segundo os critérios de antiguidade e merecimento; ü Dois terços pelo Congresso Nacional. CONSTITUIÇÃO ESTADUAL Os Conselheiros do Tribunal de Contas do Estado serão escolhidos: ü Três pelo Governador do Estado, com aprovação da Assembleia Legislativa, sendo dois, alternadamente, dentre Auditores e Membros do Ministério Público junto ao Tribunal, indicados em lista Tríplice pelo Tribunal, segundo os critérios de antiguidade e merecimento. ü Quatro pela Assembleia Legislativa.

29 REGIMES DE TRAMITAÇÃO RI, art. 223 Urgência 5 reuniões Ordinárias Plenárias REGIMES DE TRAMITAÇÃO Prioridade 7 reuniões Ordinárias Plenárias Ordinário 10 reuniões Ordinárias Plenárias

30 DA VOTAÇÃO RI, art. 239, ss Simbólica Aberta VOTAÇÃO Nominal Secreta

31 Prof. Cristiano Lopes

PELA REDUÇÃO DO SALARIO DOS DEPUTADOS ESTADUAIS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO JÁ!

PELA REDUÇÃO DO SALARIO DOS DEPUTADOS ESTADUAIS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO JÁ! PROJETO DE EMENDA CONSTITUCIONAL DE INICIATIVA POPULAR Projeto de Iniciativa Popular de Emenda à Constituição do Estado do Espírito Santo, que altera os Art.49, 2º e art. 26, IV, a a,b,c,d,e,f. PELA REDUÇÃO

Leia mais

MÁRIO ELESBÃO LIMA DA SILVA

MÁRIO ELESBÃO LIMA DA SILVA MÁRIO ELESBÃO LIMA DA SILVA 2016 Silva-Regimento Interno da Camara dos Deputados Comentado-1ed.indd 3 08/08/2016 08:12:26 Resolução nº 17, de 1989 REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS TÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

ESPÉCIES NORMATIVAS E PROCESSO LEGISLATIVO. Maira L. de Souza Melo

ESPÉCIES NORMATIVAS E PROCESSO LEGISLATIVO. Maira L. de Souza Melo ESPÉCIES NORMATIVAS E PROCESSO LEGISLATIVO Maira L. de Souza Melo ESPÉCIES NORMATIVAS Art.18 da CE: Emenda Constitucional Lei Complementar Lei Ordinária Lei Delegada Decreto Legislativo Resolução NORMAS

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 2015

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 2015 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 2015, DE Dá nova redação aos arts. 45 e 46 da Constituição Federal para reduzir o número de membros da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. As Mesas da Câmara

Leia mais

DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAISVISÃO DO PODER LEGISLATIVO DISTRITAL TÍTULO I DO FUNCIONAMENTO CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO E DA SEDE

DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAISVISÃO DO PODER LEGISLATIVO DISTRITAL TÍTULO I DO FUNCIONAMENTO CAPÍTULO I DA COMPOSIÇÃO E DA SEDE Regimento Interno Ismael Noronha DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAISVISÃO DO PODER LEGISLATIVO DISTRITAL Já caiu em prova A denominação Câmara Legislativa decorre da fusão dos nomes atribuídos às casas legislativas

Leia mais

Supremo Tribunal Federal STF Artigo 101

Supremo Tribunal Federal STF Artigo 101 Supremo Tribunal Federal STF Artigo 101 Composto por 11 Ministros de Justiça vitalícios - Taxativamente 11 - Exclusivamente natos - Cidadãos - Mais de 35 e menos de 65 anos de idade - Notável saber jurídico

Leia mais

Parte II Espécies Normativas PROCESSO LEGISLATIVO

Parte II Espécies Normativas PROCESSO LEGISLATIVO Parte II Espécies Normativas PROCESSO LEGISLATIVO I. EMENDAS CONSTITUCIONAIS LIMITAÇÕES Expressas Materiais Cláusulas pétreas CF, art. 60, 4º. Circunstanciais CF.art. 60, 1º. Formais Referentes ao processo

Leia mais

Fontes do Direitos: Constituição, lei, costumes, jurisprudência, doutrina e contrato. A Constituição Federal e os tópicos da Economia

Fontes do Direitos: Constituição, lei, costumes, jurisprudência, doutrina e contrato. A Constituição Federal e os tópicos da Economia Fontes do Direitos: Constituição, lei, costumes, jurisprudência, doutrina e contrato. A Constituição Federal e os tópicos da Economia No Brasil, vigora o princípio da Supremacia da Constituição, segundo

Leia mais

O PAPEL DO LEGISLATIVO NO PROCESSO ORÇAMENTÁRIO. Ari Vainer Outubro de 2012

O PAPEL DO LEGISLATIVO NO PROCESSO ORÇAMENTÁRIO. Ari Vainer Outubro de 2012 O PAPEL DO LEGISLATIVO NO PROCESSO ORÇAMENTÁRIO Ari Vainer Outubro de 2012 I - INTRODUÇÃO AS FASES DO PROCESSO ORÇAMENTÁRIO 1 Elaboração da Proposta Orçamentária; 2 Análise, Votação e Aprovação da Lei

Leia mais

O papel do Legislativo na elaboração das normas de proteção do Meio Ambiente CUIABÁ/2016 1

O papel do Legislativo na elaboração das normas de proteção do Meio Ambiente CUIABÁ/2016 1 O papel do Legislativo na elaboração das normas de proteção do Meio Ambiente CUIABÁ/2016 1 O objetivo do poder legislativo é atuar e elaborar normas de direito que são aplicadas à toda sociedade, com o

Leia mais

O Que Fazem Deputados Federais, Estaduais, Senadores e o Governador? (competências e âmbito de atuação)

O Que Fazem Deputados Federais, Estaduais, Senadores e o Governador? (competências e âmbito de atuação) O Que Fazem Deputados Federais, Estaduais, Senadores e o Governador? (competências e âmbito de atuação) Patricia Brasil Advogada Delegada do Partido Humanista da Solidariedade Junto ao TRE/SP Especialista

Leia mais

(Do Sr. Betinho Gomes) O Congresso Nacional resolve:

(Do Sr. Betinho Gomes) O Congresso Nacional resolve: PROJETO DE RESOLUÇÃO N o (Do Sr. Betinho Gomes), DE 2015 - CN Dispõe sobre a realização de audiências públicas periódicas no Congresso Nacional, para apresentação de relatório detalhado quadrimestral,

Leia mais

CURSO BÁSICO SOBRE A ATIVIDADE PARLAMENTAR

CURSO BÁSICO SOBRE A ATIVIDADE PARLAMENTAR CURSO BÁSICO SOBRE A ATIVIDADE PARLAMENTAR Parceria entre a Escola do Legislativo e a Procuradoria-Geral NOÇÕES SOBRE O REGIMENTO INTERNO Instrutora: Dra. Ruth Barros Pettersen da Costa Março, 2015 NOÇÕES

Leia mais

Eixo II MECANISMOS DE CONTROLE SOCIAL, ENGAJAMENTO E CAPACITAÇÃO DA SOCIEDADE PARA O CONTROLE DA GESTÃO PÚBLICA

Eixo II MECANISMOS DE CONTROLE SOCIAL, ENGAJAMENTO E CAPACITAÇÃO DA SOCIEDADE PARA O CONTROLE DA GESTÃO PÚBLICA 5 Eixo II MECANISMOS DE CONTROLE SOCIAL, ENGAJAMENTO E CAPACITAÇÃO DA SOCIEDADE PARA O CONTROLE DA GESTÃO PÚBLICA 1 CONTROLE SOCIAL: O controle social é entendido como a participação do cidadão na gestão

Leia mais

LEI MUNICIPAL N 013/97. SÚMULA: Dispõe sobre a Instituição do Conselho Municipal de Saúde e dá outras providencias.

LEI MUNICIPAL N 013/97. SÚMULA: Dispõe sobre a Instituição do Conselho Municipal de Saúde e dá outras providencias. LEI MUNICIPAL N 013/97 SÚMULA: Dispõe sobre a Instituição do Conselho Municipal de Saúde e dá outras providencias. A Câmara Municipal de Carlinda, no uso de suas atribuições legais aprovou e eu, Geraldo

Leia mais

PONTO 1: Nacionalidade PONTO 2: Direitos Políticos. NACIONALIDADE - ART.12 CF: faz parte de um núcleo de direitos fundamentais.

PONTO 1: Nacionalidade PONTO 2: Direitos Políticos. NACIONALIDADE - ART.12 CF: faz parte de um núcleo de direitos fundamentais. 1 DIREITO CONSTITUCIONAL PONTO 1: Nacionalidade PONTO 2: Direitos Políticos NACIONALIDADE - ART.12 CF: faz parte de um núcleo de direitos fundamentais. Conceito: (Paulo Bonavides) é vínculo jurídico, político,

Leia mais

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Vitória da Conquista, Sala de Reuniões do CONSU, 14 de agosto de 2013.

Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Vitória da Conquista, Sala de Reuniões do CONSU, 14 de agosto de 2013. Salvador, Bahia Quarta-feira 4 de Setembro de 2013 Ano XCVII N o 21.227 RES. RESOLUÇÃO CONSU N.º 07/2013 O Conselho Universitário - CONSU da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB, no uso de

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, de 2006.

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, de 2006. PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, de 2006. Altera os artigos 46, 56 e 79 da Constituição Federal. As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, nos termos do art. 60 da Constituição Federal,

Leia mais

PODER CONSTITUINTE CF/1824; CF/1937; CF/1967; CF/1891; CF/1934; CF/1946; CF/1988.

PODER CONSTITUINTE CF/1824; CF/1937; CF/1967; CF/1891; CF/1934; CF/1946; CF/1988. Conceito e origem CURSO JURIS DIREITO CONSTITUICONAL PROFESSOR BRUNO PONTES PODER CONSTITUINTE Poder Constituinte é o poder permanente que o povo tem de criar, modificar ou implementar normas de força

Leia mais

Anexo I REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE GESTÃO DE PESSOAS E GOVERNANÇA CORPORATIVA

Anexo I REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE GESTÃO DE PESSOAS E GOVERNANÇA CORPORATIVA Anexo I REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE GESTÃO DE PESSOAS E GOVERNANÇA CORPORATIVA Artigo 1 : O Comitê de Gestão de Pessoas e Governança Corporativa ( Comitê ) é um órgão de apoio ao Conselho de Administração

Leia mais

AS QUESTÕES DA DEFESA E O CONGRESSO NACIONAL

AS QUESTÕES DA DEFESA E O CONGRESSO NACIONAL AS QUESTÕES DA DEFESA E O CONGRESSO NACIONAL João Paulo Batista Botelho Consultor Legislativo do Senado Federal 10/4/2014 OBJETIVO Apresentar aspectos gerais do Poder Legislativo brasileiro e seu papel

Leia mais

PROJETO DE LEI 055/98

PROJETO DE LEI 055/98 PROJETO DE LEI 055/98 Fixa os subsídios do Prefeito, do Vice-Prefeito e dos Secretários Municipais e dá outras providências PREFEITO MUNICIPAL DE FAZENDA VILANOVA, RS, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

PROCESSO LEGISLATIVO DE REFORMA DA LOM e do RI

PROCESSO LEGISLATIVO DE REFORMA DA LOM e do RI PROCESSO LEGISLATIVO DE REFORMA DA LOM e do RI PROCESSO LEGISLATIVO DE REFORMA DA LOM e do RI 1 - AUTONOMIA MUNICIPAL. 2 - HIERARQUIA DAS LEIS. 3 - INICIATIVA. 4 - TÉCNICA LEGISLATIVA (LC 95/98). 5 - MATÉRIA

Leia mais

DIREITOS POLITICOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS

DIREITOS POLITICOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS CONCEITO: O direito democrático de participação do povo no governo, por seus representantes, acabou exigindo a formação de um conjunto de normas legais permanentes, que recebe a denominação de direitos

Leia mais

Papéis dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. O art. 224 do Código Eleitoral dispõe:

Papéis dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. O art. 224 do Código Eleitoral dispõe: Sistemas Eleitorais Voto e Eleições A expressão "sistema eleitoral" designa o modo, os instrumentos e os mecanismos empregados nos países de organização política democrática para constituir seus Poderes

Leia mais

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1 DIREITOS POLÍTICOS Prof. Fábio Ramos prof.fabioramos@hotmail.com Conjunto de normas que disciplinam as formas de exercício da soberania popular. Princípio da Soberania Popular: Art. 1º, par. único: Todo

Leia mais

Lei n o de 28/12/1990

Lei n o de 28/12/1990 Lei n o 8.142 de 28/12/1990 Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 4.745, DE 2012 Altera as Leis nº 3.268, de 30 de setembro de 1957, que dispõe sobre os Conselhos de Medicina, e dá outras providências, nº 4.324, de 14 de abril de 1964, que institui

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 197, DE 2012 Altera o 2º do art. 155 da Constituição Federal, para modificar a sistemática de cobrança do imposto

Leia mais

CRONOGRAMA DE REUNIÕES 2011

CRONOGRAMA DE REUNIÕES 2011 CRONOGRAMA DE REUNIÕES 2011 23.02 (4ª) / 09h 23.02 (4ª) / às 16h SOLENIDADE DE ABERTURA OFICIAL DOS TRABALHOS DA COMISSÃO 1- Disposições Preliminares Da Competência do Município 02.03 (4ª) / 16.03 (4ª)

Leia mais

Grupos Parlamentares de Amizade

Grupos Parlamentares de Amizade Grupos Parlamentares de Amizade Resolução da Assembleia da República n.º 6/2003, de 24 de janeiro (TP), com as alterações introduzidas pela Resolução da Assembleia da República n.º 26/2010, de 30 de março

Leia mais

PARECER Nº, DE RELATOR: Senador FERNANDO BEZERRA COELHO. Gabinete do Senador Fernando Bezerra Coelho

PARECER Nº, DE RELATOR: Senador FERNANDO BEZERRA COELHO. Gabinete do Senador Fernando Bezerra Coelho PARECER Nº, DE 2015 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS ECONÔMICOS, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado (PLS) nº 309, de 2012, do Senador Paulo Paim, que altera a Lei nº 12.213, de 20 de janeiro

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO DE BANCAS DA ESCOLA PAULISTA DE POLÍTICA, ECONOMIA E NEGÓCIOS (EPPEN)/UNIFESP

REGULAMENTO DA COMISSÃO DE BANCAS DA ESCOLA PAULISTA DE POLÍTICA, ECONOMIA E NEGÓCIOS (EPPEN)/UNIFESP REGULAMENTO DA COMISSÃO DE BANCAS DA ESCOLA PAULISTA DE POLÍTICA, ECONOMIA E NEGÓCIOS (EPPEN)/UNIFESP Dispõe sobre as atribuições Comissão de Bancas Examinadoras da EPPEN/UNIFESP, sua composição e condução

Leia mais

Tramitação: Requerimento do Dep. Nelson Marquezelli para Criação da Comissão Especial. Mesa Diretora da Câmara dos Deputados

Tramitação: Requerimento do Dep. Nelson Marquezelli para Criação da Comissão Especial. Mesa Diretora da Câmara dos Deputados Tramitação: Requerimento do Dep. Nelson Marquezelli para Criação da Comissão Especial 24/03/2015 Apresentação do Requerimento do Deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP), que: "Requer a criação de Comissão

Leia mais

VOTO EM SEPARADO. AUTORIA: Senador RANDOLFE RODRIGUES I RELATÓRIO

VOTO EM SEPARADO. AUTORIA: Senador RANDOLFE RODRIGUES I RELATÓRIO VOTO EM SEPARADO Perante a COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre a Proposta de Emenda à Constituição nº 43, de 2013 (nº 349, de 2001, na Câmara dos Deputados), primeiro signatário o Deputado

Leia mais

PARECER N.º, DE 2008

PARECER N.º, DE 2008 PARECER N.º, DE 2008 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre a Proposta de Emenda à Constituição nº. 19, de 2003, que altera o art. 165 da Constituição Federal, instituindo a Carta de Responsabilidade

Leia mais

Processo Seletivo para Designação de Função Comissionada em Liderança Partidária

Processo Seletivo para Designação de Função Comissionada em Liderança Partidária Processo Seletivo para Designação de Função Comissionada em Liderança Partidária Regulamento O Diretor do Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento dos servidores da Câmara dos Deputados, no uso

Leia mais

REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/ DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL

REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/ DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/2010 - DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL Art. 1º - Este Regulamento fixa normas para eleição da Diretoria Executiva e Conselho Fiscal da, de

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS

REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS Rodada #1 Regimento Interno da Câmara Professor Julio Ponte Assuntos da Rodada REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS: 1. Disposições Preliminares. 1.1 Sede. 1.2 Sessões Legislativas. 1.3 Sessões Preparatórias.

Leia mais

Agrupamento de Escolas José Estêvão. Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral

Agrupamento de Escolas José Estêvão. Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral Agrupamento de Escolas José Estêvão Regulamento da Eleição e Designação dos Membros do Conselho Geral Secção I Disposições gerais Artigo 1º Objeto O presente regulamento estabelece as condições e procedimentos

Leia mais

Páginas: DECRETO LEGISLATIVO Nº. 006/2016. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE BIRITINGA, ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições legais, e ainda,

Páginas: DECRETO LEGISLATIVO Nº. 006/2016. O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE BIRITINGA, ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições legais, e ainda, Páginas: 8 Índice do diário Atos Oficiais Decreto - N 006/2016 Projeto de Lei - N 001/2015 EMENDA/JUSTIFICAVA Atos Oficiais Decreto N 006/2016 DECRETO LEGISLATIVO Nº. 006/2016 O PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA 215/2004, QUE DISPÕE SOBRE O REAJUSTAMENTO DOS VALORES DOS SOLDOS DOS MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS

MEDIDA PROVISÓRIA 215/2004, QUE DISPÕE SOBRE O REAJUSTAMENTO DOS VALORES DOS SOLDOS DOS MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS ESTUDO ESTUDO MEDIDA PROVISÓRIA 215/2004, QUE DISPÕE SOBRE O REAJUSTAMENTO DOS VALORES DOS SOLDOS DOS MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS ESTUDO OUTUBRO/2004 Sérgio Fernandes Senna Pires

Leia mais

Economia e Finanças Públicas Aula T17. Bibliografia. Conceitos a reter. Cap. 5 - Orçamento do Estado (OE) Livro EFP, Cap. 12. Orçamento do Estado

Economia e Finanças Públicas Aula T17. Bibliografia. Conceitos a reter. Cap. 5 - Orçamento do Estado (OE) Livro EFP, Cap. 12. Orçamento do Estado Economia e Finanças Públicas Aula T17 Cap. 5 - Orçamento do Estado (OE) 5.1 Noção de orçamento e ciclo orçamental 5.1.1 Noção, âmbito e importância do OE 5.1.2 O conteúdo da Proposta de Lei do OE 5.1.3

Leia mais

Sumário CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988... 21 PREÂMBULO... 21. TÍTULO III Da Organização do Estado... 39

Sumário CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988... 21 PREÂMBULO... 21. TÍTULO III Da Organização do Estado... 39 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988... 21 PREÂMBULO... 21 TÍTULO I Dos Princípios Fundamentais... 21 TÍTULO II Dos Direitos e Garantias

Leia mais

Estatuto da Frente Parlamentar do Cooperativismo

Estatuto da Frente Parlamentar do Cooperativismo Estatuto da Frente Parlamentar do Cooperativismo CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA, DURAÇÃO, SEDE E FINALIDADE Art. 1º. A Frente Parlamentar do Cooperativismo, Frencoop, é uma entidade civil, de interesse

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL PEÇA PROFISSIONAL O Secretário de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro edita Resolução que fixa o horário de funcionamento de bares e restaurantes situados na cidade do

Leia mais

TRE/RN CICLO DE PALESTRAS

TRE/RN CICLO DE PALESTRAS 01 Vereador: Papel Constitucional e Sistema de Eleição Juiz JAILSOM LEANDRO DE SOUSA 02 Quem é o vereador? O Vereador é o Membro do Poder Legislativo Municipal. 03 Qual é o papel do Vereador? O papel do

Leia mais

Zurich Corporate Conference Guarujá SP 21 e 22 de outubro de 2015

Zurich Corporate Conference Guarujá SP 21 e 22 de outubro de 2015 Zurich Corporate Conference 2015 Guarujá SP 21 e 22 de outubro de 2015 O Momento Polí,co e a Conjuntura Jurídica Origem em Requerimento Julgamento do TCU O procedimento no Superior Tribunal Eleitoral Aberto

Leia mais

Reflexões sobre Reforma Política

Reflexões sobre Reforma Política Reflexões sobre Reforma Política Texto Faculdade Assis Gurgacz Cascavel Paraná 27.Set.2013 Roteiro da Apresentação 1a. Parte: Circunstâncias Históricas 2a. Parte: Identificado os caminhos (doutrina de

Leia mais

SEMINÁRIO DE CONSTRUÇÃO DE CONTROLADORES SOCIAIS E OUVIDORIA ITINERANTE FORMAÇÃO DE VEREADORES E PROCESSO LEGISLATIVO

SEMINÁRIO DE CONSTRUÇÃO DE CONTROLADORES SOCIAIS E OUVIDORIA ITINERANTE FORMAÇÃO DE VEREADORES E PROCESSO LEGISLATIVO SEMINÁRIO DE CONSTRUÇÃO DE CONTROLADORES SOCIAIS E OUVIDORIA ITINERANTE FORMAÇÃO DE VEREADORES E PROCESSO LEGISLATIVO Prof. Delano Câmara E avep O orçamento nacional deve ser equilibrado. As dívidas públicas

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 6885, DE (Do Sr. Ademir Camilo)

PROJETO DE LEI Nº 6885, DE (Do Sr. Ademir Camilo) 09/03/2010 CÂMARA Projeto de Lei pretende disciplinar procedimento de intervenção nos Poderes dos Estados, DF e Municípios Ante a relevância e atualidade do tema, o Dep. Ademir Camilo (PDT/MG) apresentou,

Leia mais

Estado de Mato Grosso CÂMARA MUNICIPAL DE ALTA FLORESTA Plenário das Deliberações

Estado de Mato Grosso CÂMARA MUNICIPAL DE ALTA FLORESTA Plenário das Deliberações PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 017/2016 SÚMULA: ALTERA O DISPOSTO NA SESSÃO III (DAS VOTAÇÕES) DO CAPÍTULO I DO TÍTULO VII DA RESOLUÇÃO Nº 078/95 QUE DISPÕE SOBRE O REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA MUNICIPAL DE ALTA

Leia mais

GT COREP CRP-02 REGULAMENTO DO CONGRESSO REGIONAL DA PSICOLOGIA VI CNP

GT COREP CRP-02 REGULAMENTO DO CONGRESSO REGIONAL DA PSICOLOGIA VI CNP GT COREP CRP-02 REGULAMENTO DO CONGRESSO REGIONAL DA PSICOLOGIA VI CNP REGULAMENTO DO CONGRESSO REGIONAL DA PSICOLOGIA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º - São objetivos do Congresso Regional da Psicologia:

Leia mais

PARECER Nº, DE RELATORA: Senadora LÍDICE DA MATA I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE RELATORA: Senadora LÍDICE DA MATA I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2013 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado (PLS) nº 61, de 2013, do Senador GIM, que dispõe sobre a estabilidade provisória da empregada

Leia mais

Regimento do Conselho Geral da Universidade de Évora

Regimento do Conselho Geral da Universidade de Évora Regimento do Conselho Geral da Universidade de Évora O Conselho Geral da Universidade de Évora, adiante designado por Conselho Geral, é o órgão de governo previsto no n.º 1 da alínea a) do artigo 11.º

Leia mais

LEIS ORDINÁRIAS E COMPLEMENTARES.

LEIS ORDINÁRIAS E COMPLEMENTARES. ESPÉCIES NORMATIVAS Quais tipos de lei que existem no Brasil? Quais são seus objetivos, ou seja, para que servem estas leis? LEIS ORDINÁRIAS E COMPLEMENTARES. São muito parecidas, o que as diferencia é

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DO ESTADO

ORGANIZAÇÃO DO ESTADO ORGANIZAÇÃO DO ESTADO Estado - elementos: Povo Território Poder Forma de Estado: unitário (estado simples) e federal federação (estado composto - é nosso é federal) Forma de Governo: aqueles que governam

Leia mais

NACIONALIDADE. Questões CESPE

NACIONALIDADE. Questões CESPE NACIONALIDADE Ano: 2015Banca: CESPEÓrgão: MPOGProva: Analista Técnico Administrativo - Cargo 2 Acerca dos princípios fundamentais e dos direitos e deveres individuais e coletivos, julgue o item a seguir.

Leia mais

Apostila Digital. O QR Code se repetirá em cada página em formato digital/watermark

Apostila Digital. O QR Code se repetirá em cada página em formato digital/watermark - Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/98. Nenhuma parte deste livro, sem autorização prévia por escrito da editora, poderá ser reproduzida ou transmitida sejam quais forem

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N o 33, DE 2011 Altera a quantidade mínima de votos de membros de tribunais para declaração de inconstitucionalidade

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016 O CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO do município de Areal, no âmbito de ação e conforme preceitua sua Lei de Criação

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO DO CONDOMÍNIO NOSSA FAZENDA

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO DO CONDOMÍNIO NOSSA FAZENDA REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO DO CONDOMÍNIO NOSSA FAZENDA O Conselho Deliberativo do Condomínio Nossa Fazenda, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo inciso VIII e pelo 2 do Art.

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MATO GROSSO CONSELHO ESCOLAR REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MATO GROSSO CONSELHO ESCOLAR REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MATO GROSSO CONSELHO ESCOLAR REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE Art. 1º O Conselho Escolar da ESP/MT tem por finalidade

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL. Do Agrupamento de Escolas Elias Garcia

REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL. Do Agrupamento de Escolas Elias Garcia REGULAMENTO ELEITORAL PARA O CONSELHO GERAL Do Agrupamento de Escolas Elias Garcia Introdução Nos termos do artigo 15º do Decreto-Lei nº 75/2008 de 22 de abril, na redação dada pelo Decreto-Lei n.º 137/2012,

Leia mais

SENADO FEDERAL PARECER N 670, DE 2015

SENADO FEDERAL PARECER N 670, DE 2015 SENADO FEDERAL PARECER N 670, DE 2015 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre a Mensagem nº 61, de 2015 (nº 312/2015, na origem), que submete à consideração do Senado Federal o nome do

Leia mais

PARECER nº., de RELATOR: Senador MARCELO CRIVELLA

PARECER nº., de RELATOR: Senador MARCELO CRIVELLA 1 PARECER nº., de 2009 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, sobre o Projeto de Lei do Senado n. 5, de 2008, que determina a obrigatoriedade de indicação dos tipos sanguíneos do titular na Certidão de Nascimento,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE FINANÇAS I DEFINIÇÃO Este Regimento Interno, organizado em conformidade com o Estatuto Social da Ser Educacional S.A. ( Companhia ), estabelece procedimentos a serem observados

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS

CÂMARA DOS DEPUTADOS PROPOSTA DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLE Nº 110, DE 2010 Propõe que a Comissão de Fiscalização Financeira e Controle, com auxílio do Tribunal de Contas da União, promova fiscalização e auditoria nos contratos

Leia mais

Art. 2º São competências do Conselho Municipal de Esporte e Lazer:

Art. 2º São competências do Conselho Municipal de Esporte e Lazer: REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO MUNICIPAL DE ESPORTE E LAZER CAPÍTULO I DO CONSELHO E SUAS ATRIBUIÇÕES Art. 1º O Conselho Municipal de Esporte e Lazer de Carlos Barbosa é um órgão colegiado de caráter, consultivo,

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 2.750, DE 2011.

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 2.750, DE 2011. COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 2.750, DE 2011. Fixa piso salarial nacional dos médicos. Autor: Deputado ANDRE MOURA Relatora: Deputada FLÁVIA MORAIS I - RELATÓRIO

Leia mais

Quem reforma o sistema eleitoral?

Quem reforma o sistema eleitoral? Quem reforma o sistema eleitoral? O nó que amarra a reforma política no Brasil nunca foi desatado. O motivo é simples. Não há interesse. Historicamente, parlamentares só mudam as regras em benefício próprio.

Leia mais

DELIBERAÇÃO CRF-RJ nº706 / 2010

DELIBERAÇÃO CRF-RJ nº706 / 2010 DELIBERAÇÃO CRF-RJ nº706 / 2010 Aprova o Regulamento das Câmaras Técnicas do CRF-RJ e dá outras providências. O ESTADO DO RIO DE JANEIRO / CRF-RJ, no uso de suas atribuições legais e em conformidade com

Leia mais

SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 APRESENTAÇÃO... 3 LEGISLATURA... 4 SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA SLO... 4 MESA... 5 PLENÁRIO... 6 COMISSÕES...

SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 APRESENTAÇÃO... 3 LEGISLATURA... 4 SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA SLO... 4 MESA... 5 PLENÁRIO... 6 COMISSÕES... CONCEITOS ESSENCIAIS DE PROCESSO LEGISLATIVO SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 APRESENTAÇÃO... 3 LEGISLATURA... 4 SESSÃO LEGISLATIVA ORDINÁRIA SLO... 4 MESA... 5 PLENÁRIO... 6 COMISSÕES... 6 ORDEM DO DIA... 7 PROPOSIÇÃO...

Leia mais

CONSTITUÇÃO DIREITO CONSTITUCIONAL. Conceito Básico CONSTITUIÇÃO E AS DEMAIS ESPÉCIES NORMATIVAS CONSTITUIÇÃO E AS DEMAIS ESPÉCIES NORMATIVAS

CONSTITUÇÃO DIREITO CONSTITUCIONAL. Conceito Básico CONSTITUIÇÃO E AS DEMAIS ESPÉCIES NORMATIVAS CONSTITUIÇÃO E AS DEMAIS ESPÉCIES NORMATIVAS CONSTITUÇÃO DIREITO CONSTITUCIONAL Prof. Eduardo Tanaka Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 05/10/1988. Constituição Federal CF Carta Magna Lei Maior 1 2 CONSTITUIÇÃO E AS A Constituição

Leia mais

Definição como se transformam votos em poder

Definição como se transformam votos em poder Definição. Sistema eleitoral é o conjunto de regras que define como, em uma determinada eleição, o eleitor pode fazer suas escolhas e como os votos são contabilizados para serem transformados em mandatos.

Leia mais

NOSSA BETIM NA CÂMARA

NOSSA BETIM NA CÂMARA NOSSA BETIM NA CÂMARA Informativo 01. 1º de outubro 2013 O Informativo Nossa Betim na Câmara tem objetivo de promover maior participação cidadã dos betinenses na gestão da cidade. Para isto, periodicamente

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE FORMIGA

CÂMARA MUNICIPAL DE FORMIGA CÂMARA MUNICIPAL DE FORMIGA ESTADO DE MINAS GERAIS Praça Ferreira Pires, 04 CNPJ. 20.914.305/0001-16 Fone: (37) 3329-2600 - CEP 35.570-000 www.camaraformiga.mg.gov.br Emenda à Lei Orgânica nº 013/2008

Leia mais

A tramitação dá-se conforme o disposto no art. 24, II, do Regimento Interno da Câmara dos Deputados.

A tramitação dá-se conforme o disposto no art. 24, II, do Regimento Interno da Câmara dos Deputados. COMISSÃO DE EDUCAÇÃO PROJETO DE LEI N o 1.439, DE 2015 Altera o 2º do art. 10 e acrescenta parágrafo único ao art. 11 da Lei nº 11.494, de 20 de junho de 2007. Autor: Deputado MERLONG SOLANO Relator: Deputado

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 324, DE 2010

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 324, DE 2010 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 324, DE 2010 Atualiza o valor da contribuição sindical anual dos agentes ou trabalhadores autônomos e dos profissionais liberais, bem como sobre a forma de correção.

Leia mais

GAMARA MUNICIPAL DE ARAGUARI MINAS GERAIS

GAMARA MUNICIPAL DE ARAGUARI MINAS GERAIS # GAMARA MUNICIPAL DE ARAGUARI PFjOJETO DE LEI N I Ç y I 2016 Fixa o subsídio dos Vereadores para a legislatura de 2017 a 2020, e contém outras providências* A Câmara Municipal de Araguari, Estado de Minas

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 563, DE 2009

SENADO FEDERAL PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 563, DE 2009 SENADO FEDERAL PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 563, DE 2009 Convoca plebiscito, a ser realizado com as eleições gerais de 3 de outubro de 2010, sobre mudanças de fusos horários promovidas na região da

Leia mais

CONTROLE DE CONTEÚDO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL 1ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: ADMINISTRATIVA

CONTROLE DE CONTEÚDO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL 1ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: ADMINISTRATIVA CONTROLE DE CONTEÚDO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL 1ª REGIÃO ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA: ADMINISTRATIVA REGIMENTO INTERNO 1 Organização e composição do TRF 1ª Região: órgãos jurisdicionais, Corregedoria-Regional,

Leia mais

Atividades Introdutórias. Coordenação, articulação e monitoramento de políticas públicas. Beto Ferreira Martins Vasconcelos

Atividades Introdutórias. Coordenação, articulação e monitoramento de políticas públicas. Beto Ferreira Martins Vasconcelos Atividades Introdutórias Coordenação, articulação e monitoramento de políticas públicas Beto Ferreira Martins Vasconcelos Casa Civil da Presidência da República: coordenação, articulação e monitoramento

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA 1 COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 111, DE 2011 Altera a Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990, para incluir nova hipótese de cláusula contratual abusiva. Autor: Deputado

Leia mais

2º EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DOS CONSELHOS DE USUÁRIOS DA SKY DA REGIÃO NORTE

2º EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DOS CONSELHOS DE USUÁRIOS DA SKY DA REGIÃO NORTE 2º EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DOS CONSELHOS DE USUÁRIOS DA SKY DA REGIÃO NORTE São convocados os senhores Usuários dos serviços de Telecomunicações e as associações ou entidades que

Leia mais

PROJETO DE LEI DE INICIATIVA POPULAR

PROJETO DE LEI DE INICIATIVA POPULAR PROJETO DE LEI DE INICIATIVA POPULAR O bem estar de uma cidade, não depende exclusivamente de seus governantes. Cabe a todos os habitantes, sem distinção de classe o dever sagrado de defendê-lo, contornando

Leia mais

PARECER N, DE RELATOR: Senador HUMBERTO COSTA. A proposição é estruturada em quatro artigos.

PARECER N, DE RELATOR: Senador HUMBERTO COSTA. A proposição é estruturada em quatro artigos. PARECER N, DE 2012 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre o Projeto de Lei da Câmara nº 34, de 2012 (PL n 3.331, de 2012, na origem), da Presidenta da República, que acresce o art. 135-A

Leia mais

Gabinete Senador ACIR GURGACZ PARECER Nº, DE 2015

Gabinete Senador ACIR GURGACZ PARECER Nº, DE 2015 PARECER Nº, DE 2015 Relator Senador Acir Gurgacz Da Comissão Mista de Planos Orçamentos Públicos e Fiscalização - CMO, sobre o Projeto de Lei nº 003, de 2015 - CN, que Altera o Anexo V da Lei 13.115, de

Leia mais

REGULAMENTO DO 9º CONGRESSO REGIONAL DA PSICOLOGIA 9º COREP

REGULAMENTO DO 9º CONGRESSO REGIONAL DA PSICOLOGIA 9º COREP REGULAMENTO DO 9º CONGRESSO REGIONAL DA PSICOLOGIA 9º COREP REGULAMENTO DO CONGRESSO REGIONAL DE PSICOLOGIA 13ª REGIÃO (COREP PB/ 9º COREP) CAPÍTULO I - DOS OBJETIVOS Art. 1º - São objetivos do 9º Congresso

Leia mais

Direito Constitucional II 2011

Direito Constitucional II 2011 1 conceitos gerais A ideia da separação de poderes surge para evitar a concentração absoluta de poder nas mãos do soberano, bem como limitar seu exercício, e é fundamentada por John Locke e Montesquieu.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL OFÍCIO- Nº 005/2012 COMISSÃO ELEITORAL/UFAC Ao Senhor Eduardo Henrique de Almeida Aguiar Procurador da República Av. Epaminondas Jacome, nº 3017, Centro NC

Leia mais

Assembleia Parlamentar Euro-Latino-Americana. Sétima Sessão Plenária Ordinária de Março de Parlamento Grego.

Assembleia Parlamentar Euro-Latino-Americana. Sétima Sessão Plenária Ordinária de Março de Parlamento Grego. Assembleia Parlamentar Euro-Latino-Americana Sétima Sessão Plenária Ordinária 27-29 de Março de 2014 Parlamento Grego Atenas (Grécia) Projeto de Programa (versão de 7 de Março de 2014) PT 1/7 PT PRAZOS

Leia mais

Contabilidade Pública. Aula 2. Apresentação. Aula 2. Orçamento Público. O orçamento nacional deve ser equilibrado

Contabilidade Pública. Aula 2. Apresentação. Aula 2. Orçamento Público. O orçamento nacional deve ser equilibrado Contabilidade Pública Aula 2 Apresentação Prof. Me. Adilson Lombardo Aula 2 Orçamento Público: conceito e finalidades. O orçamento nacional deve ser equilibrado As dívidas públicas devem ser reduzidas...

Leia mais

1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS

1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS 1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS DIREITOS POLÍTICOS e REGIME DEMOCRÁTICO O REGIME DEMOCRÁTICO como princípio:

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO PIAUÍ ENCONTRO DE CONTROLADORES SOCIAIS

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO PIAUÍ ENCONTRO DE CONTROLADORES SOCIAIS TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO PIAUÍ ENCONTRO DE CONTROLADORES SOCIAIS CONHECENDO O TCE-PI Jaylson Campelo Conselheiro Substituto Valença, fevereiro/2014 Conhecendo o Tribunal Considerações iniciais Dever

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Santa Maria da Feira

Agrupamento de Escolas de Santa Maria da Feira Agrupamento de Escolas de Santa Maria da Feira - 151660 Regulamento Interno 2015 Capítulo II ORGANIZAÇÃO FUNCIONAL E ADMINISTRATIVA Artigo 3º ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO Nos termos do regime de autonomia,

Leia mais

Organização Administrativa BOM DIA!!!

Organização Administrativa BOM DIA!!! BOM DIA!!! 1. Introdução 2. Administração Pública 3. Órgão Público 4. Classificação dos Órgãos 5. Descentralização e Desconcentração 6. Função Pública 7. Cargo Público 8. Agente Público 1. Introdução Regime

Leia mais

Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Geral

Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Geral Regulamento do Processo Eleitoral para o Conselho Geral Artigo 1º Objeto 1. O presente Regulamento aplica-se exclusivamente ao processo eleitoral para os membros do Conselho Geral, de acordo com o regime

Leia mais

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO. PROJETO DE LEI N o 7.047, DE 2010 (Apensado PL 307/2011)

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO. PROJETO DE LEI N o 7.047, DE 2010 (Apensado PL 307/2011) COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO PROJETO DE LEI N o 7.047, DE 2010 (Apensado PL 307/2011) Acrescenta parágrafo ao art. 899 do Decreto-Lei nº 5.452, de 1943, que aprova a Consolidação

Leia mais

PROPOSTAS DE EMENDA CONSTITUCIONAL

PROPOSTAS DE EMENDA CONSTITUCIONAL PROPOSTAS DE EMENDA CONSTITUCIONAL Foram pesquisadas propostas de emenda constitucional que versam sobre a política externa brasileira. Foram encontradas e analisadas 15 propostas: 9 de iniciativa da Câmara

Leia mais