MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO"

Transcrição

1 MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO 1 INTRODUÇÃO Este memorial técnico descritivo tem por finalidade especificar detalhes construtivos para a execução do referente projeto que trata da reforma das instalações elétricas do Ginásio de esportes e da instalação de aparelhos climatizadores em diversos Blocos que compõem a Escola Agrotécnica Federal de Sertão na cidade de Sertão, RS. A empresa que executará a obra deverá apresentar Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) de execução dos serviços propostos pelo projeto em questão. Toda e qualquer alteração do projeto durante a execução da obra deverá ser realizada mediante consulta do projetista. Ao final da obra, deverá ser entregue um projeto elétrico AS-BUILT considerando todas as modificações que foram realizadas no projeto e um diagrama unifilar atualizado. 2 - COMPOSIÇÃO DO PROJETO Além do Memorial Descritivo Elétrico, os seguintes elementos técnicos compõem o projeto: -PRANCHA 1: ADMINISTRAÇÃO; -PRANCHA 2: LABORATÓRIO; -PRANCHA 3: SALA DOS PROFESSORES; -PRANCHA 4: LAB. DEFESA SANITÁRIA VEGETAL; -PRANCHA 5: SUÍNOS/AVES E AMBULATÓRIO; -PRANCHA 6: AGROINDÚSTRIA; -PRANCHA 7: ALMOXARIFADO, SILO E OFICINA; -PRANCHA 8: LICA E BOVINOCULTURA; -PRANCHA 9: CTRH; -PRANCHA 10: GINÁSIO DE ESPORTES; -PRANCHA 11: CULTURA ANUAIS, FRUTICULTURA, OLERICULTURA E IRRIGAÇÃO. NORMAS E DETERMINAÇÕES Seguem as normas que nortearam este projeto e que deverão ser seguidas durante a execução dos serviços: - NBR 5410 Instalações Elétricas de Baixa Tensão; - NBR 6148 Condutores isolados com isolação extrudada de cloreto de polivinila (PVC) para tensões até 750 V;

2 - NR10 Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade; - RIC/BT (RGE) Regulamento de Instalações Consumidoras de Baixa Tensão. 3 DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA Os centros de distribuição (CDs) serão instalados conforme planta elétrica. No caso do Prédio Administrativo, foi projetado um alimentador independente que energizará todos os CDs projetados, sendo os mesmos exclusivos para atender os climatizadores existentes e os novos climatizadores. O alimentador do Ginásio de Esportes também será independente e subterrâneo, instalado em tubulação tipo kanaflex e caixas de passagem em alvenaria. Deste circuito, será derivado o alimentador para a parte dos fundos do Ginásio e também para a Academia, conforme Prancha 10. Os CDs serão metálicos e instalados externamente contendo tampa e fechadura. Deverá possuir espelho para evitar contato direto com o barramento. Todos os disjuntores deverão possuir identificação dos circuitos. O barramento do condutor de proteção será eletricamente ligado ao terminal de aterramento principal, e o barramento de neutro isolado do mesmo. Tanto a entrada como as saídas dos CDs do prédio da Administração serão feitas com eletrocalha ventilada e os CDs do Ginásio com eletroduto PVC rígido antichamas, com distribuição de circuitos conforme plantas. Para os demais Blocos, em certos casos, foram previstas as substituições dos ramais de entrada e/ou do circuito alimentador. 4 ATERRAMENTO É previsto aterramento em todas as tomadas que alimentarão os aparelhos de climatização, bem com em todas as luminárias, reatores e tomadas do Ginásio de Esportes. O condutor terra deverá partir do CD, desde o barramento de proteção do mesmo, configurando assim o sistema de aterramento tipo TN-S, previsto na Norma NBR Na falta de aterramento geral, este deverá ser feito na área externa, em caixa de inspeção tipo PVC para eventual manutenção quando necessário e interligado com outras malhas de aterramento existentes. As hastes de aterramento deverão ser do tipo copperweld, 15mm de diâmetro e 2,40m de comprimento e enterradas verticalmente no solo. A conexão deverá ser feita com conector apropriado e ficar exposta dentro da caixa de inspeção para facilitar a inspeção. A resistência do aterramento deverá ser medida, não podendo ultrapassar 10 ohms em qualquer época do ano. Caso este valor não seja alcançado, deverão ser cravadas um número maior de hastes distanciadas entre si de, no mínimo 3 metros. Todos os elementos metálicos como conduletes, eletrocalhas, perfilados,

3 caixas metálicas, luminárias, reatores, etc, deverão ser conectados ao sistema de aterramento. 5 CIRCUITOS TERMINAIS Os circuitos terminais para as tomadas serão todos compostos por três fios (FNT), tendo suas secções indicadas em planta e quadros de carga. A proteção mecânica dos circuitos terminais das tomadas dos climatizadores será feita por eletrodutos de PVC anti-chama rígido. 6 ESPECIFICAÇÃO DE MATERIAIS Caixas: Serão caixas tipo condulete com dimensões mínimas de 50 x 100mm para as tomadas de climatizadores. No Ginásio de esportes, serão utilizadas caixas metálicas de 50 x 100mm embutidas em alvenaria e caixas de passagem externas em PVC ou metálicas. As caixas de derivação para as luminárias 400W e luminárias laterais serão do tipo condulete metálica rosqueável. As caixas de passagem subterrâneas serão em alvenaria com dimensões de 50 x 50 x 50cm com tampa em concreto reforçada. Eletrodutos e Conduletes: Toda a infra-estrutura será utilizada única e exclusivamente para as instalações elétricas, não podendo em hipótese alguma a passagem de cabos de rede de comunicação, alarme ou segurança na mesma. Para os climatizadores, as tubulações devem ser aparente de PVC rígido na cor branca ou cinza, secção mínima 3/4. A tubulação deverá ser fixada por meio de abraçadeiras intercaladas a cada 1 metro, fixadas através de bucha e parafuso. No Ginásio de esportes, a tubulação subterrânea e embutida em alvenaria serão do tipo Kanaflex e a tubulação aparente será realizada com eletroduto PVC rígido antichama rosqueável. O diâmetro das tubulações estão indicados em planta. Eletrocalhas e Perfilados: As eletrocalhas serão de chapa galvanizada zincada por imersão a quente do tipo U leve e perfurada tamanho 100x50mm. Os perfilados serão de aço zincado perfurado para ventilação dos fios e cabos, com dimensões de 38x38mm. As eletrocalhas e perfilados serão fixados através de suportes laterais a cada metro. As conexões entre eletrocalha e perfilados ou perfilados e eletrodutos serão realizadas com acessórios apropriados. Centros de Distribuição (CDs): Serão metálicos, de sobrepor, com moldura, porta articulada por dobradiças e provido de fecho rápido, fechadura ou dispositivo para cadeado, fabricados em chapas com espessura mínima 16 BWG, em aço protegidos com pintura antioxidante. A alimentação dos quadros bem como seus dispositivos de proteção está indicada em planta. Deve-se utilizar disjuntores tipo DIN para proteção individual de cada circuito e um disjuntor DR para proteção geral de cada quadro.

4 Tomadas: Todas as tomadas serão do tipo universal com pino terra especificada de acordo com a corrente. Serão reaproveitadas as tomadas existentes, desde que as mesmas atendam o novo padrão. Para as novas tomadas, serão executadas derivações em eletrodutos condulete com tomadas em caixas metálicas ou PVC tipo condulete aparente. Condutores: Serão utilizados condutores de cobre, bitola mínima 2,5mm², sendo considerado no cálculo, além do limite de condução de corrente, a queda de tensão. Para bitolas até 4,00mm² será utilizado fio, classe de encordoamento 1. Para bitolas a partir de 6,00mm² inclusive, será usado cabo, com classe de encordoamento 2. Para os instalados em eletrodutos, perfilados e eletrocalhas, o isolamento será de 750V. Será utilizado o seguinte critério de cores para os fios (tipo sólidos) até a bitola de 4,00mm²: Serão utilizados condutores com isolamento termoplástico para 750V, a fim de facilitar a identificação serão empregados condutores com isolamento em cores, sendo: vermelho para fio fase, azul para fio neutro e o verde para o fio terra. Para os cabos com classe de encordoamento 2 (semi rígidos), serão utilizadas fitas isolantes coloridas, para identificação, nas extremidades. No caso de instalações subterrâneas, os condutores serão com isolamento para 1000V. Disjuntores: Serão automáticos, com proteção termomagnética contra sobre carga e curto-circuito, será tipo DR para o geral do quadro e tipo DIN unipolares para proteção dos circuitos que derivam para tomadas e luminárias. 7 RECOMENDAÇÕES PARA EXECUÇÃO Deverão ser obedecidas as maneiras de instalação recomendadas pelos fabricantes dos materiais, aparelhos de climatização e particularmente: - As tubulações, eletrocalhas e perfilados deverão ser fixadas de maneira rígida, de modo a não interferir na estética ou funcionalidade do estabelecimento. - A conexão dos eletrodutos com as caixas, eletrocalhas e perfilados deverá ser feita de maneira que fiquem firmemente conectadas, com acabamento sem saliências ou rebarbas e em certos casos utilizando adaptadores especificos. - A mudança de alinhamento de dutos deverá ser feita preferencialmente com caixas. Quando da utilização de curvas, poderá ser instaladas no máximo duas curvas em cada trecho entre caixas e não reversamente. - Deverá ser observada a continuidade do sistema de tubulação e caixas - Todos os disjuntores deverão ser identificados com etiqueta apropriada, de modo a se ter uma indicação inequívoca da localização das cargas vinculadas. - Os condutores elétricos deverão apresentar após a enfiação perfeita integridade

5 da isolação. - Para facilitar a enfiação, poderá ser utilizada parafina ou talco industrial apropriado. - Todas as emendas de condutores, quando necessário, deverão ser feitas em caixas de passagem. - Todas as emendas deverão ser bem firmes e preferencialmente estanhadas e isoladas com fita isolante ou auto-fusão quando necessário. - A conexão entre condutores e barramentos ou condutores e disjuntores, deverá ser feita com terminais pré-isolados, tipo garfo, olhal ou pino. - O interior das caixas deverá estar limpo, sem restos de barramento, parafusos ou qualquer outro material. - O padrão da qualidade da obra deve ser seguido, além do aqui exposto, as recomendações das normas técnicas pertinentes, especialmente a Norma NBR DETALHAMENTO DAS OBRAS PRANCHA 1 - ADMINISTRATIVO O ramal de entrada do prédio será substituído por cabo tipo XLPE 70mm2 e os condutores do circuito de alimentação deverão ser complementados com cabo de cobre 4#50mm2 ou substituídos por condutores de secção 70mm2, utilizando a mesma tubulação de entrada constituída de eletroduto de ferro galvanizado de 4 que atualmente alimenta um quadro constituído de um disjuntor de 100 A. Este quadro será substituído por um QGBT constituído de barramento de cobre com capacidade de até 300 A, onde será instalado um disjuntor geral de 140 A para alimentação dos três CDs projetados que atenderão apenas os climatizadores e de um disjuntor geral de 100 A para o restante do prédio. O QGBT deverá possuir proteção contra contato involuntário nos barramentos e em bornes de disjuntores. Os CDs deverão ter as características conforme mencionado anteriormente neste memorial. O circuitos projetados serão instalados em eletrocalhas tipo U perfuradas de 100x50mm, perfilados de 38x38mm e em eletrodutos tipo condulete de secção mínima de 3/4 conforme planta. Serão instalados nove climatizadores de Btus, três de Btus e dois de Btus. Para os demais climatizadores e ar condicionados existentes foram projetados circuitos independentes, todos partindo dos CDs exclusivos e instalados conforme planta. PRANCHA 2 LABORATÓRIOS Serão instalados 8 climatizadores de Btus, sendo 4 no subsolo e 4 no piso

6 térreo. Os CDs que atenderão os climatizadores serão instalados próximos aos CDs existentes, para que posam ser energizados através do mesmo circuito alimentador, conforme mostrado em planta, ambos contendo um disjuntor geral tipo DR e disjuntores tipo DIN para cada aparelho. PRANCHA 3 SALA DOS PROFESSORES Serão instalados 8 climatizadores de Btus e previsto um novo alimentador para o climatizador existente de 9000 Btus. Os CDs que atenderão os climatizadores serão instalados próximos aos CDs existentes, porem, os circuitos internos que atendem atualmente o prédio deverão ser substituídos por um circuito trifásico constituído por condutores 10mm2, partindo desde o ramal de entrada até cada CD existente conforme mostrado em planta. Cada CD projetado será composto por um disjuntor geral tipo DR e disjuntores tipo DIN para cada aparelho. PRANCHA 4 LAB. DE DEFESA SANITÁRIA VEGETAL Será instalado um climatizador de Btus e previsto novos alimentadores para os já existente, sendo dois aparelhos de 9000 Btus e um de Btus. Os CDs que atenderão os climatizadores serão instalados próximos aos CDs existentes, porem, os circuitos internos que atendem atualmente o prédio deverão ser substituídos por um circuito trifásico constituído por condutores 10mm2, partindo desde o ramal de entrada até cada CD existente conforme mostrado em planta. Cada CD projetado será composto por um disjuntor geral tipo DR e disjuntores tipo DIN para cada aparelho. PRANCHA 5 SUÍNOS, AVES E AMBULATÓRIO No prédio do Ambulatório, serão instalados dois climatizadores de Btus e um de Btus, além disso, será previsto um novo alimentador para o aparelho existente de Btus. O CD que atenderá os climatizadores será instalado próximo ao CD existente, porem, o circuito interno que atende atualmente o prédio deverá ser substituído por um circuito bifásico constituído por condutores 10mm2, partindo desde o ramal de entrada até o CD existente conforme mostrado em planta. Uma das fases irá atender apenas os climatizadores e a outra para o restante das instalações. O CD projetado será composto por um disjuntor geral tipo DR e disjuntores tipo DIN para cada aparelho. Na Sala Suínos, tanto o ramal de entrada quanto o circuito alimentador permanecerão os mesmos, sendo que o CD projetado será instalado junto ao CD existente, atendendo um climatizador de Btus e outro de Btus. Já na Sala Aves, o ramal de entrada permanecerá o mesmo e será apenas substituído o circuito alimentador por condutores 10mm2, sendo que o CD projetado será instalado junto ao CD existente, atendendo um climatizador de

7 12000 Btus e outro de Btus. Cada CD projetado será composto por um disjuntor geral tipo DR e disjuntores tipo DIN para cada aparelho. PRANCHA 6 AGROINDÚSTRIA Serão instalados um climatizador de Btus na Agroindústria e um de Btus na sala de aula da Agroindústria. Tanto o ramal de entrada quanto o circuito alimentador em ambos os locais não serão alterados, sendo que os CDs projetados serão instalados juntos aos CDs existentes. Cada CD projetado será composto por um disjuntor geral tipo DR e disjuntores tipo DIN para cada aparelho. PRANCHA 7 ALMOXARIFADO, SILO E OFICINA No Posto de Vendas junto ao Almoxarifado, será instalado um climatizador de Btus. O ramal wpp de entrada será substituído por XLPE 4#10mm2 e o circuito alimentador até o CD do Almoxarifado será substituído por condutores de cobre na configuração 4#10mm2. Um circuito monofásico 2#4mm2 está sendo projetado para atender o CD do climatizador, sendo que o mesmo partirá do CD existente instalado no Almoxarifado conforme planta. Na sala junto ao Silo será instalado um climatizador de 9000 Btus que será alimentado por um circuito projetado conforme planta. O circuito partirá do CD projetado que será instalado junto ao CD existente, sendo que tanto o ramal de entrada quanto o circuito alimentador não sofrerão alterações. Já na sala da Oficina, será instalado um climatizador de Btus, cujo CD será instalado próximo ao mesmo e alimentado através do circuito existente. Cada CD projetado será composto por um disjuntor geral tipo DR e disjuntores tipo DIN para cada aparelho. PRANCHA 8 LICA E BOVINOCULTURA No prédio LICA serão instalados cinco climatizadores de Btus cada, sendo que o CD projetado será instalado junto ao CD existente. O circuito alimentador desde a conexão com o ramal de entrada até o CD existente será substituído por condutores de cobre na configuração 4#10mm2. Na sala da Bovinocultura, serão instalados um climatizador de Btus e outro de Btus conforme planta. O ramal de entrada permanecerá o mesmo, porém, o circuito alimentador será substituído por condutores de cobre na configuração 2#10mm2. O CD projetado também será instalado junto ao CD existente. Cada CD projetado será composto por um disjuntor geral tipo DR e disjuntores tipo DIN para cada aparelho. PRANCHA 9 CTRH No prédio CTRH encontram-se instalados quatro climatizadores de Btus e um de Btus. Serão instalados ainda quatro climatizadores de e um de

8 24000 Btus conforme planta. Está sendo prevista a troca dos circuitos alimentadores dos CDs existentes, devendo estes terem a secção mínima conforme circuitos projetados. Os CDs projetados serão instalados junto aos CDs existentes. Cada CD projetado será composto por um disjuntor geral tipo DR e disjuntores tipo DIN para cada aparelho. PRANCHA 10 GINÁSIO DE ESPORTES O ramal de entrada será subterrâneo constituído de condutores de cobre com isolação para 1KV na configuração 4#70mm2 e instalados em kanaflex de 4 e caixas de passagem de alvenaria de 50x50x60cm. Os circuitos que alimentarão a Academia e Fundos do Ginásio irão derivar do CD 01 do Ginásio que irá conter barramento para 200 A, disuntor geral de 100 A, disjuntor para os Fundos de 50 A, disjuntor pra academia de 30 A e demais disjuntores para iluminação conforme planta. Será instalado um CD para a área do palco apenas. O diâmetro mínimo da tubulação utilizada deverá ser 3/4. PRANCHA 11 CULTURAS ANUAIS, FRUTICULTURA, OLERICULURA E IRRIGAÇÃO As salas de Cultura Anuais, Fruticultura e Olericultura são semelhantes e serão instalados um climatizador de Btus em cada um dos prédios e um de Btus nas salas da Olericultura e Culturas Anuais, porém, está sendo projetado um novo circuito alimentador também para o climatizador existente na sala da Fruticultura. Ambos os ramais de entrada serão mantidos e apenas substituídos os circuitos alimentadores existentes por condutores de cobre 2#10mm2. Na sala da Irrigação, será instalado um climatizador de Btus e também serão substituídos o ramal de entrada por XLPE 2#10mm2 e o circuito alimentador por condutores de cobre na configuração 2#10mm2 conforme planta. Ambos os CDs projetados serão instalados juntos aos respectivos CDs existentes. Cada CD projetado será composto por um disjuntor geral tipo DR e disjuntores tipo DIN para cada aparelho. Marcos Renato Triches Engº. Eletricista CREA: RS184263

9

10

ANEXO XII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROJETO ELÉTRICO

ANEXO XII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROJETO ELÉTRICO ANEXO XII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROJETO ELÉTRICO 2.1 Introdução 2.1.1 Este memorial tem por objetivo especificar detalhes construtivos para execução do projeto de instalações elétricas do Reservatório

Leia mais

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA.

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA. PROJETO DE INSTALAÇÕES ELETRICAS DE BAIXA TENSÃO MERCADO DO SÃO JOAQUIM BAIRRO SÃO JOAQUIM, TERESINA - PI TERESINA PI AGOSTO/2014 MEMORIAL DESCRITIVO INST. ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO 1.0 IDENTIFICAÇÃO Obra:

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ALOJAMENTO ESTUDANTIL IF SERTÃO CAMPUS PETROLINA ZONA RURAL

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ALOJAMENTO ESTUDANTIL IF SERTÃO CAMPUS PETROLINA ZONA RURAL MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ALOJAMENTO ESTUDANTIL IF SERTÃO CAMPUS PETROLINA ZONA RURAL Petrolina-PE Janeiro/2017 1 INTRODUÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL O presente memorial tem por finalidade

Leia mais

1. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E ADMINISTRAÇÃO Diretoria de Infraestrutura

1. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E ADMINISTRAÇÃO Diretoria de Infraestrutura 1. FINALIDADE MEMORIAL DESCRITIVO Fornecimento de energia elétrica a três edifícios da Universidade Federal do Sul da Bahia, com a sede sendo a Reitoria localizada na Rua Itabuna, s/n, Rod. Ilhéus Vitória

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO Quadra Poliesportiva Padrão 1A - 19m x 32,90m

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO Quadra Poliesportiva Padrão 1A - 19m x 32,90m MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO Quadra Poliesportiva Padrão 1A - 19m x 32,90m Proprietário: Secretaria de Estado de Goiás Autora: LUCIANA DUTRA MARTINS - Engenheira Eletricista - CREA_8646/D Sumário:

Leia mais

Prefeitura Municipal de Não-Me-Toque Secretaria da Fazenda [daianeluisa] Anexo Itens Página : 1 de 4 Tomada de Preços N 9/2015 ITEM QTD UN ESPECIFICAÇÃO DO MATERIAL/SERVIÇO MARCA PR.UN TOTAL 1 3 UN CENTRO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE SPDA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS - CAMPUS SENADOR CANEDO-GO

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE SPDA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS - CAMPUS SENADOR CANEDO-GO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SENADOR CANEDO -GO MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE SPDA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS - CAMPUS SENADOR CANEDO-GO

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA ESTIMATIVA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA ESTIMATIVA MÊS DE REFERÊNCIA DOS S: MAIO / 2009 ITEM MATERIAL UN QUANT. 1 REDE DE DISTRIBUIÇÃO: Rede de distribuição a ser executada parte no sistema embutido e parte no sistema aparente com eletroduto de pvc, fiação,

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO. Título

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO. Título PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título ATENDIMENTO DE LIGAÇÃO DE CONSUMIDORES JUNTO À FAIXA DE PRAIA DA ORLA MARÍTIMA Código NTD-00.074 Data da emissão 05.12.2005 Data da última revisão 18.01.2008 Folha

Leia mais

MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela 33 da NBR5410/2004)

MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela 33 da NBR5410/2004) MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela da NBR5410/004) Método de Método de instalação Esquema ilustrativo Descrição instalação a utilizar número: para a capacidade de condução de corrente 1 1 Condutores isolados

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 13 Dimensionamento de Condutores (Critério do Limite de Queda de Tensão) Porto Alegre - 2012 Tópicos Critério do limite de queda

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DOS CONDUTORES

DIMENSIONAMENTO DOS CONDUTORES DIMENSIONAMENTO DOS CONDUTORES 1. Introdução - O dimensionamento dos condutores deve ser realizado seguindo as seguintes etapas: a) cálculo da corrente de projeto; b) dimensionamento pelo critério da máxima

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS UBS MANCHINHA

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS UBS MANCHINHA MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS UBS MANCHINHA MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 1.IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO DADOS DA OBRA: NOME UBS MANCHINHA ENDEREÇO LAJEADO MANCHINHA, INTERIOR SANTA

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO. COREN Subseção de Floriano

MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO. COREN Subseção de Floriano MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO COREN Subseção de Floriano ÍNDICE 1. OBJETIVO 2. NORMAS TÉCNICAS 3. DESCRIÇÃO DOS SITEMAS 3.1. Entradas de energia e telefone 3.2. Quadros de distribuição local 3.3. Dispositivos

Leia mais

Bloco Administrativo MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO CÂMPUS IFPR

Bloco Administrativo MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO CÂMPUS IFPR Bloco Administrativo MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO CÂMPUS IFPR 1 IDENTIFICAÇÃO Obra: Bloco Administrativo. Campus: Instituto Fed. de Ciência e Tecnologia do Paraná. Área a ser construída: 2726,5 m² 73895-Pr

Leia mais

Remoção de entulho de obra com caçamba metálica - material volumoso misturado por alvenaria, terra, madeira, papel, plástico e metal. total 10.

Remoção de entulho de obra com caçamba metálica - material volumoso misturado por alvenaria, terra, madeira, papel, plástico e metal. total 10. PREFEITURA MUNICIPAL ARTUR NOGUEIRA PREFEITURA PREFEITURA MUNICIPAL MUNICIPAL ARTUR FONTE CÓDIGO ÍTEM SCRIÇÃO UNID. QUANT. VALOR VALOR TOTAL 1- Serviço Preliminar 20308 1.1 Fechamento provisório de vãos

Leia mais

A pregoeira da FHMGV visando esclarecimento informa que:

A pregoeira da FHMGV visando esclarecimento informa que: Sapucaia do Sul, dia 19 de outubro de 2016. Processo: 1736/2016 Carta Convite: 004/2016 ESCLARECIMENTO A pregoeira da FHMGV visando esclarecimento informa que: No termo de referência (Anexo 1), acrescenta-se

Leia mais

CNPJ: / INSC. EST.: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA

CNPJ: / INSC. EST.: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA Notas: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA A fiação do ramal de saída deve ser a mesma fiação do ramal de entrada; O padrão de entrada na zona rural deverá ficar no mínimo de 10 metros e no máximo

Leia mais

CNPJ: / INSC. EST.: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA

CNPJ: / INSC. EST.: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA Notas: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA A fiação do ramal de saída deve ser a mesma fiação do ramal de entrada; O padrão de entrada na zona rural deverá ficar no mínimo de 10 metros e no máximo

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANGELO RS TIC Tecnologia da Informação e Comunicações Departamento de Processamento de Dados

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANGELO RS TIC Tecnologia da Informação e Comunicações Departamento de Processamento de Dados PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO ANEXO-I Especificação técnica mínimas dos serviços a serem realizados Projeto EDUCAR José Fioravante Schneider 09/09/2014 Página 1 de 14 ANEXO-I Especificação técnica

Leia mais

Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal

Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal DDI/SCD/SED Maio/2010 Notas sobre esta revisão (maio/2010) Este manual, originalmente desenvolvido para Entrada

Leia mais

Item (Pág. 26) Foi inserida a Norma NR 10 Segurança em instalações e serviços em eletricidade.

Item (Pág. 26) Foi inserida a Norma NR 10 Segurança em instalações e serviços em eletricidade. O presente documento contém as alterações, correções e inclusões da versão anterior, contempladas na versão 1.2, que entrará em vigor a partir de 1º de novembro de 2014. TEXTO Item 10.3.2 (Pág. 26) Foi

Leia mais

Prefeitura Municipal de Sorriso

Prefeitura Municipal de Sorriso Memorial Descritivo Projeto Elétrico Setor Hangar AEROPORTO MUNICIPAL- SETOR HANGAR Prefeitura Municipal de Sorriso Cliente: Prefeitura Municipal de Sorriso Obra: Aeroporto Municipal- setor Hangar Endereço:BR

Leia mais

PLANILHA DE SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

PLANILHA DE SERVIÇOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 9 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 9.1 RAMAIS ALIMENTADORES 9.1.1 Barramento de cobre Ø5,16mm (0,187kg/m) m 10,00 25,20 252,00 1,69 9.1.2 Chave seccionadora de média tensão, com fusível incorporado, sem carga, uso

Leia mais

Título do Documento: Tipo: FECO-NT-01/14. Alterações FECO-D-04 e Compartilhamento de Infra-Estrutura. Nota Técnica

Título do Documento: Tipo: FECO-NT-01/14. Alterações FECO-D-04 e Compartilhamento de Infra-Estrutura. Nota Técnica Título do Documento: Alterações FECO-D-04 e Tipo: FECO-NT-01/14 Nota Técnica Alterações FECO-D-04 e Compartilhamento de Infra-Estrutura NOTA TÉCNICA FECO-NT-01/2014 1 - Alteração da Norma Técnica FECO-D-04,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Praça da Biblia R22 e R23, Centro Sinop/MT. Sinop/MT,30 de julho de 2014

MEMORIAL DESCRITIVO. Praça da Biblia R22 e R23, Centro Sinop/MT. Sinop/MT,30 de julho de 2014 MEMORIAL DESCRITIVO ASSUNTO: Projeto de instalações elétricas para implantação de iluminação pública nas dependências internas da Praça da Biblia Quadra R22 e R23 com a instalação de projetores embutidos

Leia mais

Aula 1 Filosofia de Projeto

Aula 1 Filosofia de Projeto Aula 1 Filosofia de Projeto PESQUISA Quantidade de disjuntores Ponto de aterramento Instalação monofásica, bifásica ou trifásica (potência) Metodologia de divisão dos circuitos 1 Um projeto é a apresentação

Leia mais

REMANEJAMENTO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA

REMANEJAMENTO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA REMANEJAMENTO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA Redes de Distribuição de Baixa e Média Tensão CANOAS- RS MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO PROJETO EXECUTIVO 1. OBJETIVO: Fornecer informações necessárias sobre os

Leia mais

UNIDADE MÓVEL SOBRE A PLATAFORMA DE UM ÔNIBUS BIARTICULADO. Módulo 2

UNIDADE MÓVEL SOBRE A PLATAFORMA DE UM ÔNIBUS BIARTICULADO. Módulo 2 UNIDADE MÓVEL SOBRE A PLATAFORMA DE UM ÔNIBUS BIARTICULADO Módulo 3 Módulo FRENTE MEDIDAS: Comprimento Total 2,0 m Comprimento módulo, m Comprimento módulo 2,00 m Comprimento módulo 3,0 m Largura 2,3 m

Leia mais

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Aula 06 Esquema de ligação dos condutores Diagramas multifiliar e unifiliar Prof. Dra. Giovana Tripoloni Tangerino 2016 Condutores Geralmente, a

Leia mais

CISCEA. Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo PÁGINA: PLANILHA QUANTIDADE /ORÇAMENTÁRIA. 1 de 5 DATA:

CISCEA. Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo PÁGINA: PLANILHA QUANTIDADE /ORÇAMENTÁRIA. 1 de 5 DATA: 1 de 5 01.00.000 SERVIÇOS TÉCNICOS-PROFISSIONAIS 01.02.000 GEOTECNIA 01.02.107 Medição de resistividade do solo.01 - Ponto de medição com 5 níveis (2, 4, 8, 16 e 32)m un 10,00 01.03.000 ESTUDOS E PROJETOS

Leia mais

CC-MD10 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

CC-MD10 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS CC-MD10 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INTRODUÇÃO O presente Memorial descreve e especifica os requisitos mínimos para o fornecimento de materiais e serviços para Desativação com remoção de dois transformadores

Leia mais

LISTA DE MATERIAL ESTIMADA REFORMA BLOCO 1X 2010

LISTA DE MATERIAL ESTIMADA REFORMA BLOCO 1X 2010 LISTA DE MATERIAL ESTIMADA REFORMA BLOCO 1X 2010 ITEM 1 QGBT 2 BARRA DE COBRE RETANGULAR 1 1/2" * 3/8" 6,8 M R$ 137,50 R$ 935,00 3 BARRA DE COBRE RETANGULAR 1 1/2" * 1/4" 1,2 M R$ 91,30 R$ 109,56 4 TC'S

Leia mais

Condutores, Fornecimento de Tensão e Padrão de Entrada. Instalações Hidráulicas e Elétricas - Profª Bárbara Silvéria

Condutores, Fornecimento de Tensão e Padrão de Entrada. Instalações Hidráulicas e Elétricas - Profª Bárbara Silvéria Condutores, Fornecimento de Tensão e Padrão de Entrada Instalações Hidráulicas e Elétricas - Profª Bárbara Silvéria Condutores e Isolantes Isolantes Materiais que não conduzem eletricidade; Condutores

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS INTRODUÇÃO

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS INTRODUÇÃO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS INTRODUÇÃO Os fatores básicos que envolvem o dimensionamento de um condutor são: tensão nominal; frequência nominal; potência ou

Leia mais

ANEXO XIII - MEMORIAL DESCRITIVO HIDROSSANITÁRIO

ANEXO XIII - MEMORIAL DESCRITIVO HIDROSSANITÁRIO ANEXO XIII - MEMORIAL DESCRITIVO HIDROSSANITÁRIO O presente memorial descritivo trata das instalações hidrossanitárias do prédio acima descrito, o qual foi elaborado segundo as normas da ABNT e Dec. 9369/88

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES

DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES Os seis critérios de dimensionamento de circuitos de BT: 1. Seção mínima; 2. Capacidade de condução de corrente; 3. Queda de tensão; 4. Proteção contra sobrecargas; 5. Proteção

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Obra: Mirante de Santo Antônio Finalidade: Projeto de instalações elétricas de baixa tensão Local: Sítio Jatobá Piancó - PB Proprietário: Prefeitura Municipal de Piancó - PB

Leia mais

GUARITA MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO CÂMPUS IFPR

GUARITA MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO CÂMPUS IFPR GUARITA MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO CÂMPUS IFPR 1 IDENTIFICAÇÃO Obra: Guarita. Campus: Instituto Fed. de Ciência e Tecnologia do Paraná. Área a ser construída: 18,85 m² 73895-Pr Responsável Técnico: Eng.

Leia mais

N O: Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Norte CREA / RN PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS - TI

N O: Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Norte CREA / RN PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS - TI Power Engenharia CLIENTE: ÁREA: N O: MD-002-CREA-2014 Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Norte CREA / RN PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS - TI 1 de 13 POWER ENGENHARIA ELÉTRICA

Leia mais

4.3.1 As seguintes normas nortearam este projeto e devem ser seguidas durante a execução da obra:

4.3.1 As seguintes normas nortearam este projeto e devem ser seguidas durante a execução da obra: ANEXO XIII - MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO 4.1 INTRODUÇÃO 4.1.1 Este memorial tem por objetivo especificar detalhes construtivos para execução do projeto elétrico da Creche Comunitária Trevo de Ouro na

Leia mais

NORMA TÉCNICA NTE PADRÃO PRÉ-FABRICADO. Cuiabá Mato Grosso - Brasil

NORMA TÉCNICA NTE PADRÃO PRÉ-FABRICADO. Cuiabá Mato Grosso - Brasil NORMA TÉCNICA NTE - 011 PADRÃO PRÉ-FABRICADO Cuiabá Mato Grosso - Brasil 1. OBJETIVO Esta norma tem por objetivo padronizar, especificar e fixar os critérios e as exigências técnicas mínimas relativas

Leia mais

Cabo Fiter Flex 0,6/1kV

Cabo Fiter Flex 0,6/1kV abo Fiter Flex 0,6/1kV São destinados às instalações gerais em eletrodutos ao ar livre (em bandejas, prateleiras ou suporte análogos), perfilados, espaços de construção, bem como sistemas subterrâneos

Leia mais

PADRÃO TÉCNICO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA PT.DT.PDN COM CABOS BAIXA TENSÃO PRÉ-REUNIDOS

PADRÃO TÉCNICO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA PT.DT.PDN COM CABOS BAIXA TENSÃO PRÉ-REUNIDOS SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.05.009 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA ENGENHARIA E CADASTRO-SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

4.2.1 Além do presente Memorial Descritivo, os seguintes elementos técnicos compõem o projeto:

4.2.1 Além do presente Memorial Descritivo, os seguintes elementos técnicos compõem o projeto: 1 MEMORIAL DESCRITRIVO - ELÉTRICO 4.1 INTRODUÇÃO 4.1.1 Este memorial tem por objetivo especificar detalhes construtivos para execução do projeto elétrico do Centro de Cultura Lomba do Pinheiro, localizado

Leia mais

Anexo XIV Especificações Técnicas Projeto Elétrico

Anexo XIV Especificações Técnicas Projeto Elétrico Anexo XIV Especificações Técnicas Projeto Elétrico 1. GENERALIDADES 1.1 Este memorial objetiva especificar detalhes construtivos para execução do projeto elétrico da ampliação na Escola Municipal Campos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO SPDA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA APARECIDA DE GOIÂNIA- GO

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO SPDA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA APARECIDA DE GOIÂNIA- GO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA APARECIDA DE GOIÂNIA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO SPDA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA APARECIDA DE GOIÂNIA- GO 1 - MEMORIAL DESCRITIVO

Leia mais

CUIDADO! ELETRICIDADE CUIDADO! ELETRICIDADE CUIDADO! ELETRICIDADE CUIDADO! ELETRICIDADE PLANTA BAIXA MEDIDAS EM: cm BEP 1 x Ø4" VISTA FRONTAL MEDIDAS EM: cm VISTA CORTE LATERAL: A-A" MEDIDAS EM: cm Av.

Leia mais

PROPOSTA DE PADRONIZAÇÃO PARA SPDA

PROPOSTA DE PADRONIZAÇÃO PARA SPDA GGO GRUPO GESTOR DE OBRAS CPO COORDENADORIA DE PROJETOS DE OBRAS Rua Bernardo Sayão, 38 - Térreo - Cidade Universitária Zeferino Vaz - Campinas/SP PROPOSTA DE PADRONIZAÇÃO PARA SPDA Cidade Universitária,

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO. PROJETO: Pontos de Força para ar condicionado e complementações elétricas e de aterramento em geral.

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO. PROJETO: Pontos de Força para ar condicionado e complementações elétricas e de aterramento em geral. MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO PROJETO: Pontos de Força para ar condicionado e complementações elétricas e de aterramento em geral. LOCAL : Pavilhões do Banrisul na BAGERGS ENDEREÇO: Av. GETÚLIO VARGAS, 8201

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO EM BAIXA TENSÃO OBRA: ANEXO 01. Eng. Eletrecista Sandro Waltrich. Av. Osmar Cunha, Ceisa Center, Sala 210 A

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO EM BAIXA TENSÃO OBRA: ANEXO 01. Eng. Eletrecista Sandro Waltrich. Av. Osmar Cunha, Ceisa Center, Sala 210 A MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO EM BAIXA TENSÃO OBRA: ANEXO 01 Proprietário: CREA SC - CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA DE SANTA CATARINA Responsável Projeto: Eng. Eletrecista

Leia mais

1. Considerações Gerais

1. Considerações Gerais Governo do Estado do Ceará Secretaria da Educação Básica Coordenadoria Administrativa Financeira Engenharia SEDUC MEMORIAL DESCRITIVO Unidade de Trabalho: CREDE 15-TAUÁ Obra: REFORMA ELÉTRICA Engenheiro

Leia mais

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE CONVENCIONAL ENTRADA CLIENTE

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE CONVENCIONAL ENTRADA CLIENTE Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Ramal de Entrada Subterrâneo de Cliente 6.1. Ramal Simples em Estrutura M1 6.2. Ramal

Leia mais

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PROJETO: INCÊNDIO Modelo: 3.000 m2 MAIO 2011 SUMÁRIO 1. Apresentação... 03 2. Extintores... 04 3. Iluminação de Emergência...

Leia mais

Foram projetados poços de aterramento com hastes de cobre e interligações feitas com solda exotérmicas e ligações mecânicas.

Foram projetados poços de aterramento com hastes de cobre e interligações feitas com solda exotérmicas e ligações mecânicas. SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. MEMORIAL DESCRITIVO... 4 2.1 SISTEMA DE ATERRAMENTO - CONCEPÇÃO... 5 2.2 SISTEMA DE ATERRAMENTO - MEDIÇÃO... 6 2.3 SISTEMA DE CAPTAÇÃO... 6 3. MATERIAIS APLICADOS... 7 3.1

Leia mais

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Laboratório 07 Esquemas de ligação de eletrodutos Prof. Dra. Giovana Tripoloni Tangerino 2016 Lab07: Eletrodutos Tarefa: Desenhar na planta de residência

Leia mais

COMPANHIA ESPÍRITO SANTENSE DE SANEAMENTO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA MONTAGEM DE QUADROS E PAINEIS ELÉTRICOS ODMN-VIT-ET

COMPANHIA ESPÍRITO SANTENSE DE SANEAMENTO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA MONTAGEM DE QUADROS E PAINEIS ELÉTRICOS ODMN-VIT-ET COMPANHIA ESPÍRITO SANTENSE DE SANEAMENTO DE QUADROS E PAINEIS ELÉTRICOS ODMN-VIT-ET-2015-002 1 1. ESCOPO Esta Prescrição Técnica estabelece os requisitos técnicos gerais para execução da montagem, testes

Leia mais

LISTA ESTIMADA DE MATERIAL / PLANILHA ORIENTATIVA

LISTA ESTIMADA DE MATERIAL / PLANILHA ORIENTATIVA LISTA ESTIMADA DE MATERIAL / PLANILHA ORIENTATIVA ITEM QGBT 1V te QGBT01 1 AMPERÍMETRO CA ANALÓGICO PARA MONTAGEM EM PAINEL ESCALA 0 à 5A 1,00 PÇ R$ 55,00 R$ 55,00 2 BARRA DE COBRE RETANGULAR 1 1/2" (38.1mm)*

Leia mais

ANEXO II PLANILHA DE QUANTITATIVOS E PREÇOS DOS SERVIÇOS

ANEXO II PLANILHA DE QUANTITATIVOS E PREÇOS DOS SERVIÇOS 1 REDE ELÉTRICA 13105.8.6.1 ATERRAMENTO completo para pára-raios, com hastes de cobre com alma de UN 30,00 417,99 12.539,70 16120.3.2.1 aço tipo "Copperweld" Cabo de cobre nu (seção transversal: 25 mm²)

Leia mais

ELETRICIDADE E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

ELETRICIDADE E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ELETRICIDADE E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 6.5.4.7 Nos quadros de distribuição, deve ser previsto espaço reserva para ampliações futuras, com base no número de circuitos com que o quadro for efetivamente equipado,

Leia mais

PROJETO ELÉTRICO B.T. MEMORIAL DESCRITIVO CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SC FLORIANÓPOLIS / SC

PROJETO ELÉTRICO B.T. MEMORIAL DESCRITIVO CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SC FLORIANÓPOLIS / SC PROJETO ELÉTRICO B.T. MEMORIAL DESCRITIVO CONSELHO REGIONAL DE FARMÁCIA DO ESTADO DE SC FLORIANÓPOLIS / SC 1. INTRODUÇÃO Estas ESPECIFICAÇÕES referem-se às instruções básicas para as INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

Leia mais

2. TOMADA DE ENERGIA:

2. TOMADA DE ENERGIA: MEMORIAL DESCRITIVO DO POSTO DE TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA DA EMEII LUZIA MARIA DAIBEM FERRAZ DE ARRUDA RUA LUIZ MARCÍLIO BERNARDO, 03-160, NÚCLEO HABITACIONAL NOBUJI NAGASAWA O presente memorial descritivo

Leia mais

Eletricidade Aplicada. Aulas Teóricas Professor: Jorge Andrés Cormane Angarita

Eletricidade Aplicada. Aulas Teóricas Professor: Jorge Andrés Cormane Angarita Eletricidade Aplicada Aulas Teóricas Professor: Jorge Andrés Cormane Angarita Dimensionamento de Condutores Elétricos I Circuitos Elétricos Residenciais Dimensionamento Consiste em determinar a seção mínima

Leia mais

PROJETO ELÉTRICO. SUBESTAÇÃO EXTERNA 300 kva

PROJETO ELÉTRICO. SUBESTAÇÃO EXTERNA 300 kva PROJETO ELÉTRICO SUBESTAÇÃO EXTERNA 300 kva PROPRIERTÁRIO: CREA-SC Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de SC RESPONSÁVEL TÉCNICO: Eng. Luiz André Lago CREA 36.513-5 Sumário 1 Descrição da obra...

Leia mais

PADRÃO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO SUBTERRÂNEA PARA LOTEAMENTO ABERTO

PADRÃO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO SUBTERRÂNEA PARA LOTEAMENTO ABERTO PADRÃO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO SUBTERRÂNEA PARA LOTEAMENTO ABERTO Celso Rogério Tomachuk dos Santos CPFL Piratininga Rogério Macedo Moreira CPFL Piratininga 1 CPFL Energia Visão Geral da Empresa Líder

Leia mais

Quadro para Instrumentos para Medição Agrupada de Consumidor

Quadro para Instrumentos para Medição Agrupada de Consumidor CARACATERÍSTICAS DOS QUADROS ITEM FUNÇÃO CÓDIGO 01 PROTEÇÃO GERAL 300A E MEDIÇÃO DIRETA DO SERVIÇO 6797335 02 PROTEÇÃO GERAL 800A E MEDIÇÃO DIRETA DO SERVIÇO 6797338 03 PROTEÇÃO GERAL 800A E MEDIÇÃO INDIRETA

Leia mais

Capítulo 2 - Símbolos Gráficos para Instalações Elétricas Prediais 2.1. Simbologia Padronizada

Capítulo 2 - Símbolos Gráficos para Instalações Elétricas Prediais 2.1. Simbologia Padronizada Capítulo 1 - Conceitos Básicos de Eletricidade para Aplicação em Instalações Elétricas 1.1. Tipos e Formas de Distribuição de Energia 1.1.1. Energia 1.2. Geração de Energia Elétrica 1.2.1. Barragem 1.2.2.

Leia mais

Planilha Orçamentária Início, apoio e administração da obra 7.547,90 1,02%

Planilha Orçamentária Início, apoio e administração da obra 7.547,90 1,02% 020000 Início, apoio e administração da obra 7.547,90 1,02% 020200 Container 020202 CPOS Container alojamento - mínimo 9,20 m² unxmês 2,00 253,33 2,24 511,14 0,069% 020204 CPOS Container sanitário - mínimo

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE ELETRICIDADE

CONCEITOS BÁSICOS DE ELETRICIDADE CONCEITOS BÁSICOS DE ELETRICIDADE Nos fios existem partículas invisíveis chamadas de elétrons livres que, assim como os planetas ao redor do sol, giram ao redor do núcleo dos átomos. Quando uma força,

Leia mais

ITENS EXIGIDOS PELA OPERADORA TUBULAÇÃO DE ENTRADA SUBTERRÂNEA

ITENS EXIGIDOS PELA OPERADORA TUBULAÇÃO DE ENTRADA SUBTERRÂNEA Readequação do DG TUBULAÇÃO DE ENTRADA SUBTERRÂNEA Instalar tubo galvanizado 50 mm ( subida de lateral ) com ( 3 ) três amarrações com fita galvanizada ou arame galvanizado ( 8 voltas ); Utilizar PVC rígido

Leia mais

Instalações Elétricas Industriais

Instalações Elétricas Industriais Instalações Elétricas Industriais ENG 1480 Professor: Rodrigo Mendonça de Carvalho Dimensionamento de Condutores Elétricos Livro: João Mamede Filho Instalações Elétricas Industriais 2 Dimensionamento de

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 46

COMUNICADO TÉCNICO Nº 46 Página 1 de 11 COMUNICADO TÉCNICO Nº 46 LIGAÇÕES ESPECIAIS NA VIA PÚBLICA COM MEDIÇÃO Diretoria de Planejamento e Planejamento Gerência de Engenharia Página 2 de 11 ÍNDICE OBJETIVO...3 1. APLICAÇÃO...4

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 17 - Projetos de Instalações Telefônicas Porto Alegre - 2012 Tópicos Projetos de instalações telefônicas Simbologia Caixas de

Leia mais

POSTES DE DIVISA - ALTERNATIVAS E ORIENTAÇÕES

POSTES DE DIVISA - ALTERNATIVAS E ORIENTAÇÕES 1. Objetivo Complementar as normas referentes ao atendimento e ao fornecimento de energia elétrica em baixa tensão, quanto aos aspectos de localização e disposição dos materiais e equipamentos nas montagens

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS (PGJ-TANGARÁ)

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS (PGJ-TANGARÁ) MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS (PGJ-TANGARÁ) 1 PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO 1.IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO DADOS DA OBRA c NOME PROMOTORIAS DE JUSTIÇA TANGARÁ DA SERRA ENDEREÇO

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG D. Ligações Especiais para Atendimento em Baixa Tensão NTC-74

NORMA TÉCNICA CELG D. Ligações Especiais para Atendimento em Baixa Tensão NTC-74 NORMA TÉCNICA CELG D Ligações Especiais para Atendimento em Baixa Tensão NTC-74 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 3 4. CONDIÇÕES GERAIS DE

Leia mais

1 Iluminação (SAT + Recepção + Acesso Coberto + WC PNE)

1 Iluminação (SAT + Recepção + Acesso Coberto + WC PNE) Introdução Este documento técnico tem por objetivo descrever os critérios utilizados nos projetos elétricos e telefônicos do Centro de Referência de Assistência Social CRAS da cidade de Cachoeira de Goiás,

Leia mais

O que é Padrão de Entrada?

O que é Padrão de Entrada? 1 O que é Padrão de Entrada? O padrão de entrada é o conjunto de condutores, eletrodutos, poste, caixa de medição e demais acessórios utilizados na sua montagem, padronizados pela Cosern e de acordo com

Leia mais

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas. Banco de Brasília - BRB ALMOXARIFADO CENTRAL - GEMAT Novas Instalações

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas. Banco de Brasília - BRB ALMOXARIFADO CENTRAL - GEMAT Novas Instalações Pág. 1 Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB ALMOXARIFADO CENTRAL - GEMAT Novas Instalações Código do Projeto: 1541-11 Pág. 2 Índice 1. Memorial

Leia mais

CONHEÇA AQUI O PADRÃO PARA NOVA LIGAÇÃO

CONHEÇA AQUI O PADRÃO PARA NOVA LIGAÇÃO CONHEÇA AQUI O PADRÃO PARA NOVA LIGAÇÃO Para que a Celpa ligue a sua luz pela primeira vez, você precisa estar com o padrão de entrada de energia instalado corretamente. Chamamos de Padrão de Entrada Celpa

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGA ATMOSFÉRICA

MEMORIAL DESCRITIVO SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGA ATMOSFÉRICA MEMORIAL DESCRITIVO SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGA ATMOSFÉRICA OBRA: CONSTRUÇÃO TERMINAL RODOVIÁRIO ARIPUANÃ MODALIDADE: CONSTRUÇÃO LOCAL: ARIPUANÃ - MT PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE ARIPUANÃ

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais. Condutores Elétricos. Prof. Msc. Getúlio Teruo Tateoki

Instalações Elétricas Prediais. Condutores Elétricos. Prof. Msc. Getúlio Teruo Tateoki Prof. Msc. Getúlio Teruo Tateoki Conceito -É assim chamado todo material que possui a propriedade de conduzir ou transportar energia elétrica. -Os condutores devem ser analisados sobre seguintes aspectos.

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 12 Dimensionamento de Condutores (Critério da capacidade de corrente) Porto Alegre - 2012 Tópicos Dimensionamento de condutores

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 003

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 003 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTD-RE- 00 MONTAGEM DE BANCO DE CAPACITORES SEM CONTROLE AUTOMÁTICO DIRETORIA DE ENGENHARIA CORPORATIVA 1. OBJETIVO Estabelecer a padronização da montagem de bancos de capacitores

Leia mais

SELEÇÃO DOS CONDUTORES

SELEÇÃO DOS CONDUTORES SELEÇÃO DOS CONDUTORES UNIDADE III 1. INTRODUÇÃO Um correto dimensionamento dos condutores é tão importante quanto o próprio condutor utilizado. Realizar o cálculo e a seleção é necessário quando são instalados

Leia mais

MATERIAL UNITÁRIO SERVIÇO UNITÁRIO TOTAL MATERIAL TOTAL SERVIÇO TOTAL DO ITEM QUANTIDADE DESCRIÇÃO UNIDADE ITEM

MATERIAL UNITÁRIO SERVIÇO UNITÁRIO TOTAL MATERIAL TOTAL SERVIÇO TOTAL DO ITEM QUANTIDADE DESCRIÇÃO UNIDADE ITEM ITEM DESCRIÇÃO UNIDADE QUANTIDADE MATERIAL UNITÁRIO SERVIÇO UNITÁRIO TOTAL MATERIAL TOTAL SERVIÇO TOTAL DO ITEM 1 PATCH CORD 4P CATEGORIA 6 - VERMELHO 1,5 METROS pç 280 2 PATCH CORD 4P CATEGORIA 6 - VERMELHO

Leia mais

Eletricista Instalador Predial Plano de Aula - 16 Aulas (Aulas de 1 Hora)

Eletricista Instalador Predial Plano de Aula - 16 Aulas (Aulas de 1 Hora) 5596 - Eletricista Instalador Predial Plano de Aula - 16 Aulas (Aulas de 1 Hora) Aula 1 Capítulo 1 - Conceitos Fundamentais 1.1. Matéria......21 1.2. Circuito Elétrico...22 1.2.1. Dispositivo de Manobra...23

Leia mais

Fundação Educacional do Município de Assis Campus José Santilli Sobrinho ANEXO I

Fundação Educacional do Município de Assis Campus José Santilli Sobrinho ANEXO I Fundação Educacional do Município de Assis Campus José Santilli Sobrinho ANEXO I Ref.: PROCESSO LICITATÓRIO N.º 012/2017 PREGÃO PRESENCIAL N.º 003/2017 ==================================================================

Leia mais

lectra Material Didático INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Centro de Formação Profissional

lectra Material Didático  INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Centro de Formação Profissional lectra Centro de Formação Profissional Material Didático INSTALAÇÕES ELÉTRICAS WWW.ESCOLAELECTRA.COM.BR ÍNDICE 1 Introdução - 5 Definição de eletricidade. Causas e efeitos da eletricidade. Geração, transmissão

Leia mais

A melhor opção em quadros de distribuição de energia

A melhor opção em quadros de distribuição de energia A melhor opção em quadros de distribuição de energia Fabricado no Brasil SIMBOX XF Quadros de distribuição de energia www.siemens.com.br/simboxxf SIMBOX XF Por fora, muito design... Primeira linha de quadros

Leia mais

NBR Instalações elétricas em locais de afluência de público - Requisitos específicos

NBR Instalações elétricas em locais de afluência de público - Requisitos específicos NBR 13570 Instalações elétricas em locais de afluência de público - Requisitos específicos NBR 13570 As prescrições desta Norma complementam, modificam ou substituem as prescrições de caráter geral contidas

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA Folha: 1/10 (As propostas serão abertas para julgamento às 09:15 horas do dia 23/05/2011). Fornecedor:... Endereço:... Cidade:... Estado:... Telefone: CNPJ / CPF:... Inscrição Estadual:... Fax: Validade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO DE LICITAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO DE LICITAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO DE LICITAÇÃO ANEXO II DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO N.º 63/2016/AD 1 Patch panel padrão 19, categoria ansi/tia/eia-568-b.21, módulo

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE COMPACTA ENTRADA CLIENTE. Sumário

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE COMPACTA ENTRADA CLIENTE. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Ramal de Entrada Subterrâneo 6.1. CE2H ES Poste de Concreto de Seção Circular 6.2.

Leia mais

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE II - Teoria)

COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE II - Teoria) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL COMPREENSÃO DE PROJETOS (PARTE II - Teoria) Projeto Elétrico TC_042 - CONSTRUÇÃO CIVIL IV PROFESSORA: ELAINE SOUZA MARINHO CONCEITOS INICIAIS

Leia mais

MATERIAIS DE INSTALAÇÃO DE TELECOMUNICAÇÔES - SNSG

MATERIAIS DE INSTALAÇÃO DE TELECOMUNICAÇÔES - SNSG DIRETORIA DE OPERAÇÃO DO GERÊNCIA REGIONAL NORTE GRN SERVIÇO NORTE DE TELECOMUNICAÇÕES SNTL ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET-SNTL-001/2012 MATERIAIS DE INSTALAÇÃO DE TELECOMUNICAÇÔES - SNSG COMPANHIA HIDRO ELÉTRICA

Leia mais

FINALIDADE RAMO DE ATIVIDADE. Pré-moldados CARGA INSTALADA

FINALIDADE RAMO DE ATIVIDADE. Pré-moldados CARGA INSTALADA FINALIDADE Este memorial refere-se ao projeto(de acordo com a NT-002/2011 R03 da COELCE) de implantação de uma subestação aérea de 225kVA, atendendo à BM Pré-Moldados LTDA. Localidade:, Rodovia BR 222,

Leia mais

Barramentos e Blocos de Distribuição

Barramentos e Blocos de Distribuição Barramentos e Blocos de Distribuição www.siemens.com.br/barramentoseblocos Barramentos 5ST3 7 O sistema de barramento 5ST3 7 com ligação tipo pino pode ser usado com os disjuntores DIN 5SX, 5SY, 5SL6 e

Leia mais

SELEÇÃO DO QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO

SELEÇÃO DO QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO UNIDADE V SELEÇÃO DO QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO 1. INTRODUÇÃO O fornecimento de eletricidade para uma moradia ou comercio é medido e controlado a partir de um quadro de entrada localizado no exterior

Leia mais

G O V E R N O F E D E R A L P A Í S R I C O É P A Í S S E M P O B R E Z A QUADRA ESCOLAR 02 CGEST - C Geral de Infraestrutura Educacional PLANTA BAIXA, CORTE A-B e DETALHES EST FORMATO A1 (841 X 594) R.01

Leia mais