Casa do Futuro Convergência Digital. Porto Alegre, 11 de Setembro de 2007

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Casa do Futuro Convergência Digital. Porto Alegre, 11 de Setembro de 2007"

Transcrição

1 Casa do Futuro Convergência Digital Porto Alegre, 11 de Setembro de 2007

2 O Ponto de Partida A Casa nos Anos 80 TV Aberta Analógica: Do ponto de vista das emissoras, o usuário final não era gerador direto de receita. A relação era indireta Serviço de Telefonia Analógica : Prestado pelo Estado. Linhas Caras e de dificil acesso (planos de expansão), requeriam investimentos do Governo Games:Mais para o Final da Década, começaram a surgir os primeiros games eletronicos Serviços Isolados, independentes complayers distintos. Somente Telefonica com relaçao direta com o usuário como prestadora de Serviço

3 A partir do final dos Anos 90, o ambiente passou a mudar rapidamente Privatização das Companhias de Telefonia leva a iniciativa Privada para este mercado Novos Players e Promessa de Competição Maior disponibilidade de Linhas Telefônicas pelas metas de universalização. Preços também diminuem drasticamente Chega ao Brasil o Serviço de Telefonia Móvel. A Partir daí, surge o conceito de Mobilidade, Disponibilidade e Cobertura Segunda Geração de Games : Super Nintendo e Mega Drive Videogames em 16 Bits Aumento da Utilização de Computadores Domésticos (PC s) para processamento de textos

4 Mudando também a relação entre emissoras e seus usuários Surgimento da TV Paga a Cabo. Usuário deixa de ser cliente indireto e passa a ser diretamente um dos responsáveis pela receita das emissoras TV Aberta Rede HFC

5 O Facilitador da Mudança: A Digitalização Transporta o sinal como ele é Ocupa Grande Espaço nos meios de Transmissão Não permite proteção contra utilização indevida (Pirataria, escutas ilegais, gatos ) Baixa imunidade a ruidos e degradação do sinal Traduz o sinal real em bits (0 e 1) Permite a compressão dos sinais, ocupando menos os meios de transmissao Permite a proteção contra utilização indevida atraves de tecnicas de codificação e decodificação de sinais Permite a introducao de técnicas de recuperação de sinal

6 O Agente da Mudança: O Protocolo IP Como Fazer Todos Estes Dispositivos se comunicarem?

7 O Agente da Mudança: O Protocolo IP REDE IP 1. Eles devem estar fisicamente conectados (Ar tb pode ser meio fisico neste caso). Para isso desenvolveu-se o conceito de Rede. (Roteamento)

8 O Agente da Mudança: O Protocolo IP Dados REDE IP Uma vez estabelecida uma conexão entre eles, eles devem ser capazes de trocar dados Transfer Control Protocol Frame IP : Endereco IP Dados (Bits)

9 E no final dos Anos 90, surgiu a internet de Banda estreita REDE IP/ INTERNE T Provedores de Conteudo Central Telefonica Aproveitou-se da Digitalização das Centrais Telefonicas Voz Digital trafegando entre Centrais Servico evoluindo desde 14,4 Kbps ate 64 Kbps Aplicativos para mensagens instantaneas, navegação em paginas web, correio eletronico e chats Aparecimento de um novo player: Os provedores de Acesso e Conteudo

10 Paralelamente com a chegada da TV Digital via Satelite Recepción y modulación de contenido (head end) Envió de señal al satélite (uplink) Control de acceso a contenido (CAS) Plataforma DTH Equipo de cliente Recepción de contenido y distribución Recepción de contenido en casa de cliente (Set)

11 com a Digitalizacao da TV a Cabo - Operadora recebe os canais via satélite ou via canais dedicados (Fibra ou MMDS) - Os IRD s decodificam os canais. No padrão Digital, eles podem receber mais de um canal cada. - Os Encoders recodificam o Sinal e inserem os conteudos locais (propagandas) Para o Usuário é requerido um novo STB - O CAS insere os padrões do Acesso Condicional e o Sinal vai para o Modulador, que prepara o sinal para entrada na Rede HFC

12 Como Chegamos ao final dos Anos 90? TV Aberta Analógica e TV Digital Paga sendo oferecidas ao usuário. Serviço de Telefonia Digital : Prestado pelas concessionárias, com linhas abundantes e promessa de competitividade Telefonia Movel Digital: Trazendo o novo concedito de Mobilidade, disponibilidade e Cobertura Internet Banda Estreita: Primeiros provedores de acesso. Saervicos de Navegacão, mensagens instantâneas e correio eletronico Games: Evolução dos games eletrônicos. Surgimento de equipamentos de 64 Bits Aumento substancial de serviços oferecidos no ambiente do usuário por players distintos

13 A Chegada da banda larga coloca em competição players de mercados diferentes... DSLAM Sistema ADSL Transporte Modem Ambiente TV a Cabo Ambiente Telco O DOCSIS permite aos operadores de TV a cabo trafegar internet Banda Larga em suas redes HFC enquanto o ADSL permite que operadoras de Telefonia Fixa trafeguem internet de banda larga sobre suas redes de cobre.

14 E coloca no mercado players novos

15 Que forçam o caminho para o Triple Play Red Metálica (Última Milla) DSLAM METRO ETHERNET Backbone de Trans porte -GbE RC RED IP Red IP INTERNET RC Contenido Ambiente de Cliente TV P C MODEM/ STB Plataforma Imagenio VoD Server VoD Server Centralizado Middlewa VOD Encoder re Segurança PSSBA Estrutura de Vídeo Integración Sistemas Video, voz e dados sobre a mesma rede é o chamado Triple Play. Empresas iniciaram o Triple Play com Bundle de Serviços, oferecendo um pacote unico como maneira de dar a percepção aos seus usuários do seu valor agregado

16 Onde Estamos? Video LifeWorks TV Aberta Analógica e TV Digital Paga sendo oferecidas ao usuario. Serviço de Telefonia Digital : Prestado pelas concessionarias, com linhas Telefonia Movel Digital: Massificada e superando em número de linhas a telefonia Fixa Internet Banda Larga: Competição entre varios players e surgimento de emprersas over the top Games: Nova Geração de Games e competição acirrada. Games Online Aumento substancial do número serviços oferecidos no ambiente do usuário, com players oferecendo múltiplos serviços

17 Principais Tendencias Ultra BroadBand

18 Principais Tendencias Home Networking Vários padões estão sendo desenvolvidos para distribuir a banda vinda do acesso dentro do Ambiente de Usuário. Range A P P L I C A T I O N CONTROL INTERNET COMPRESSED VÍDEO MULTICHANNEL DIGITAL VÍDEO 300m Home PNA 100m Konnex MOCA b Ethernet X10 LAN PLC a/g n 50m ZigBee* POF LOW Wibree PANFireWire* Bluetooth USB 2.0 UWB SPEED LOW 100 Mbps 200 Mbps HIGH

19 Principais Tendencias Home Networking TR069 Gerenciamento Remoto dos CPEs atraves da padrão TR069 OSGi Inclusão de novas funcionalidades sem a necessidade de trocar o equipamento. Dispositivos

20 Principais Tendencias Home Networking

21 Principais Tendencias Evolução da TV e Outros Serviços Video Robert s Days

22

23 Conclusões O mundo em poucos anos será Braodband, Móvel e Conectado O parque de dispositivos no Ambiente de Usuário sofrerá uma drástica mudança, sejam TV s, celulares, Games Consoles, telefones fixos ou computadores, devido aos novos padrões de mídia e de distribuição de conteúdo. Uma vez que várias empresas do ramos de Consumer Eletronics e Eletrodimesticos estão aderindo a iniciativas de conectividade, também não estamos longe de uma casa completamente digital e com várias aplicações SW incluido. Há muito espaço para iniciativas criativas em uma casa conectada Cada vez mais os grandes players irão colocar suas marcas e suas preocupações no ambiente de usuário visando conhecer o cliente e atendê-lo em suas necessidades mais rápido que os concorrentes

24 Obrigado!

25

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES As telecomunicações referem -se à transmissão eletrônica de sinais para as comunicações, incluindo meios como telefone, rádio e televisão. As telecomunicações

Leia mais

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Brasil Dezembro de 2012 Preparado para Copyright IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved. Agenda Introdução Descrição do projeto Resultados

Leia mais

Composição. Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes

Composição. Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes Composição Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes Aterramento Fio de boa qualidade A fiação deve ser com aterramento neutro (fio Terra) trabalhando em tomadas tripolares Fio negativo,

Leia mais

A Tecnologia a Serviço sdas Ideias

A Tecnologia a Serviço sdas Ideias sua A Tecnologia a Serviço sdas Grandes Ideias 1 Entre os 10 maiores integradores do Brasil Destaques Operacionais Mais de 10,000 equipamentos gerenciados de LAN e WAN 9.000 sites em mais de 700 clientes

Leia mais

Tecnologias de Banda Larga

Tecnologias de Banda Larga Banda Larga Banda larga é uma comunicação de dados em alta velocidade. Possui diversas tecnologia associadas a ela. Entre essas tecnologias as mais conhecidas são a ADSL, ISDN, e o Cable Modem. Essas tecnologias

Leia mais

Valor Comercial das Telecomunicações. Telecomunicações nas Empresas. Superar barreiras geográficas. Superar barreiras do tempo

Valor Comercial das Telecomunicações. Telecomunicações nas Empresas. Superar barreiras geográficas. Superar barreiras do tempo Valor Comercial das Telecomunicações Superar barreiras geográficas Atendimento ao cliente/preenchimento de pedidos Superar barreiras do tempo Consultas de crédito (POS) Superar barreiras de custo Videoconferência

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES Capítulo 8 TELECOMUNICAÇÕES E REDES 8.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização

Leia mais

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Brasil Junho de 2013 Preparado para Copyright IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved. Agenda Introdução Descrição do projeto Resultados

Leia mais

Capítulo 1: Redes de computadores e a Internet. Capítulo1. Redes de. computadores. computador. e a Internet. es e a Internet

Capítulo 1: Redes de computadores e a Internet. Capítulo1. Redes de. computadores. computador. e a Internet. es e a Internet Redes de computadores e a Internet Capítulo : Capítulo Redes de Redes de computadores computador e a Internet es e a Internet O que é a Internet? Milhões de elementos de computação interligados: hospedeiros

Leia mais

1 Introduc ao 1.1 Hist orico

1 Introduc ao 1.1 Hist orico 1 Introdução 1.1 Histórico Nos últimos 100 anos, o setor de telecomunicações vem passando por diversas transformações. Até os anos 80, cada novo serviço demandava a instalação de uma nova rede. Foi assim

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES TELECOMUNICAÇÕES E REDES 1 OBJETIVOS 1. Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? 2. Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização deve utilizar? 3. Como sua

Leia mais

Mas afinal, o que é a CONVERGÊNCIA?

Mas afinal, o que é a CONVERGÊNCIA? Tecnologia 40 Mas afinal, o que é a CONVERGÊNCIA? DSL Cabo Fibra Móvel Móvel WiFi em movimento Convergência TERMINAL é poder MULTI- se comunicar ÓTIMO MÍDIA independente de local, dispositivo de acesso

Leia mais

:: Telefonia pela Internet

:: Telefonia pela Internet :: Telefonia pela Internet http://www.projetoderedes.com.br/artigos/artigo_telefonia_pela_internet.php José Mauricio Santos Pinheiro em 13/03/2005 O uso da internet para comunicações de voz vem crescendo

Leia mais

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Disciplina Redes de Banda Larga Prof. Andrey Halysson Lima Barbosa Aula 6 Redes xdsl Sumário Introdução; Taxas de transmissão DSL e qualidade

Leia mais

Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA

Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA 1 Banda Estreita A conexão de banda estreita ou conhecida como linha discada disponibiliza ao usuário acesso a internet a baixas velocidades,

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Introdução a Microinformática Turma H Redes e Internet Giordane Lima Porque ligar computadores em Rede? Compartilhamento de arquivos; Compartilhamento de periféricos; Mensagens

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE V: Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem Fio. Tendências em Redes e Comunicações No passado, haviam dois tipos de redes: telefônicas e redes

Leia mais

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET Objectivos História da Internet Definição de Internet Definição dos protocolos de comunicação Entender o que é o ISP (Internet Service Providers) Enumerar os equipamentos

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN. Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br

Fernando Albuquerque - fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN. Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br REDES LAN - WAN Fernando Albuquerque (061) 273-3589 fernando@cic.unb.br Tópicos Modelos Protocolos OSI e TCP/IP Tipos de redes Redes locais Redes grande abrangência Redes metropolitanas Componentes Repetidores

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Julho de 2011 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Aliança com a Portugal Telecom e Aumento de Capital

Leia mais

A EMPRESA SOLUÇÕES CORPORATIVAS SOLUÇÕES PARA OPERADORAS. Wholesale. Servidores SIP. Flat Fixo Brasil em CLI. IPBX Segurança e economia

A EMPRESA SOLUÇÕES CORPORATIVAS SOLUÇÕES PARA OPERADORAS. Wholesale. Servidores SIP. Flat Fixo Brasil em CLI. IPBX Segurança e economia A EMPRESA A ROTA BRASIL atua no mercado de Tecnologia nos setores de TI e Telecom, buscando sempre proporcionar às melhores e mais adequadas soluções aos seus Clientes. A nossa missão é ser a melhor aliada

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK)

ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK) ESTUDO DE VIABILIDADE, PROJETO E IMPLANTAÇÃO DE UMA REDE VPN (VIRTUAL PRIVATE NETWORK) 1. VPN Segundo TANENBAUM (2003), VPNs (Virtual Private Networks) são redes sobrepostas às redes públicas, mas com

Leia mais

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA. Curso: Redes de Computadores e Telecomunicações

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA. Curso: Redes de Computadores e Telecomunicações UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA Curso: Redes de Computadores Módulo 2 - Conceitos e Fundamentos Evolução das Redes d LAN, MAN e WAN Material de Apoio 2011 / sem2 Prof. Luiz Shigueru Seo CONCEITOS e FUNDAMENTOS

Leia mais

F n u d n a d ment n os o Vo V I o P Introdução

F n u d n a d ment n os o Vo V I o P Introdução Tecnologia em Redes de Computadores Fundamentos de VoIP Professor: André Sobral e-mail: alsobral@gmail.com Introdução VoIP (Voice over Internet Protocol) A tecnologia VoIP vem sendo largamente utilizada

Leia mais

Ligação à Internet. Conceitos de Sistemas Informáticos. Grupo de Comunicações por Computador Departamento de Informática Universidade do Minho

Ligação à Internet. Conceitos de Sistemas Informáticos. Grupo de Comunicações por Computador Departamento de Informática Universidade do Minho Grupo de Comunicações por Computador Departamento de Informática Universidade do Minho Maio de 2004 Sumário 1 2 TV Cabo Bragatel Sapo Clix OniNet Telepac Tipos de ligações actualmente disponibilizadas

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Kurose Redes de Computadores e a Internet Uma Abordagem Top-Down 5ª. Edição Pearson Cap.: 1 até 1.2.2 2.1.2 2.1.4 Como funciona uma rede? Existem princípios de orientação e estrutura?

Leia mais

19/07/2013. Camadas. Camadas de Enlace e Física. Camadas de Enlace e Física. Topologias de Rede NOÇÕES DE REDE: CAMADAS DE ENLACE E FÍSICA

19/07/2013. Camadas. Camadas de Enlace e Física. Camadas de Enlace e Física. Topologias de Rede NOÇÕES DE REDE: CAMADAS DE ENLACE E FÍSICA 2 Camadas NOÇÕES DE REDE: CAMADAS DE ENLACE E FÍSICA Introdução à Microinformática Prof. João Paulo Lima Universidade Federal Rural de Pernambuco Departamento de Estatística e Informática Aplicação Transporte

Leia mais

SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA RODRIGO SANTANA DOS SANTOS ANATEL

SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA RODRIGO SANTANA DOS SANTOS ANATEL 1 SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO MULTIMÍDIA RODRIGO SANTANA DOS SANTOS ANATEL 2 Sumário Conceitos Gerais SCM em Números Proteção e Defesa de Direitos dos Assinantes Regulamentos em Estudo 3 Conceitos Gerais Lei

Leia mais

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes de comunicação. de Dados. Network) Area. PAN (Personal( Redes de. de dados

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes de comunicação. de Dados. Network) Area. PAN (Personal( Redes de. de dados Fundamentos de Estrutura de um Rede de Comunicações Profa.. Cristina Moreira Nunes Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação Utilização do sistema de transmissão Geração de sinal Sincronização Formatação

Leia mais

UNIDADE II. Fonte: SGC Estácio e Marco Filippetti

UNIDADE II. Fonte: SGC Estácio e Marco Filippetti UNIDADE II Metro Ethernet Fonte: SGC Estácio e Marco Filippetti Metro Ethernet é um modo de utilizar redes Ethernet em áreas Metropolitanas e geograficamente distribuídas. Esse conceito surgiu pois, de

Leia mais

Sistemas de redes sem fio são classificadas nas categorias de móveis ou fixas:

Sistemas de redes sem fio são classificadas nas categorias de móveis ou fixas: Redes Sem Fio Sistemas de redes sem fio são classificadas nas categorias de móveis ou fixas: Redes sem fio fixa são extremamente bem adequado para implantar rapidamente uma conexão de banda larga, para

Leia mais

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes Noções de Redes: Estrutura básica; Tipos de transmissão; Meios de transmissão; Topologia de redes;

Leia mais

Agenda: INTRODUÇÃO HISPAMAR PLATAFORMA BANDA LARGA SOBRE O BRASIL PLATAFORMA BANDA LARGA SOBRE A AMERICA LATINA PROCESSAMENTO A BORDO - AMERHIS

Agenda: INTRODUÇÃO HISPAMAR PLATAFORMA BANDA LARGA SOBRE O BRASIL PLATAFORMA BANDA LARGA SOBRE A AMERICA LATINA PROCESSAMENTO A BORDO - AMERHIS Agenda: INTRODUÇÃO HISPAMAR PLATAFORMA BANDA LARGA SOBRE O BRASIL PLATAFORMA BANDA LARGA SOBRE A AMERICA LATINA PROCESSAMENTO A BORDO - AMERHIS /0* -').' +,,* ()%*(' %'( $ # 30º e 61º Oeste: Coberturas

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO Profª. Kelly Hannel Novas tecnologias de informação 2 HDTV WiMAX Wi-Fi GPS 3G VoIP Bluetooth 1 HDTV 3 High-definition television (também conhecido por sua abreviação HDTV):

Leia mais

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados Estrutura de um Rede de Comunicações Profa.. Cristina Moreira Nunes Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação Utilização do sistema de transmissão Geração de sinal Sincronização Formatação das mensagens

Leia mais

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010 I Fórum Lusófono de Comunicações Abril. 2010 Evolução do Setor de Telecomunicações no Brasil Pré-Privatização Monopólio estatal Poucos investimentos Baixa qualidade dos serviços 98 Grande demanda reprimida

Leia mais

Projeto de sistemas O novo projeto do Mercado Internet

Projeto de sistemas O novo projeto do Mercado Internet Projeto de sistemas O novo projeto do Mercado Internet Mercados em potencial de serviços Serviços da Web ftp,http,email,news,icq! Mercados em potencial de serviços FTP IRC Telnet E-mail WWW Videoconferência

Leia mais

Introdução. ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como:

Introdução. ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como: Introdução ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como: Correio Eletrônico; Hospedagem de sites; Blogs; DNS; Voip. Introdução

Leia mais

Introdução. ISP Local

Introdução. ISP Local Introdução ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como: Correio Eletrônico; Hospedagem de sites; Blogs; DNS; Voip. Introdução

Leia mais

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1 Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio slide 1 Objetivos de estudo Quais os principais componentes das redes de telecomunicações e quais as principais tecnologias de rede? Quais os principais

Leia mais

O Impacto Sócio-Econômico da Banda Larga

O Impacto Sócio-Econômico da Banda Larga Instituto de Inovação com TIC O Impacto Sócio-Econômico da Banda Larga [ Flávia Fernandes Julho/2010] Banda Larga Internet A Internet supera a produtividade combinada do telefone, transporte e eletricidade

Leia mais

Larga Brasil 2005-2010

Larga Brasil 2005-2010 Barômetro Cisco de Banda Larga Brasil 2005-2010 Resultados de Junho de 2010 Preparado para Meta de Banda Larga em 2010 no Brasil: 15 milhões de conexões Elaborado por IDC Copyright 2010 IDC. Reproduction

Leia mais

Estrutura de um Rede de Comunicações

Estrutura de um Rede de Comunicações Fundamentos de Profa.. Cristina Moreira Nunes Estrutura de um Rede de Comunicações Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação Utilização do sistema de transmissão Geração de sinal Sincronização Formatação

Leia mais

Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia.

Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia. Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia. Bem-vindos à Conferência da ANACOM. Antes de mais gostaria de agradecer

Leia mais

Redes de computadores

Redes de computadores Redes de computadores Eletrônica IV Redes de Computadores Aula 01 Prof. Luiz Fernando Laguardia Campos 3 Modulo Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina Cora Coralina O que é uma rede

Leia mais

Voltar. Placas de rede

Voltar. Placas de rede Voltar Placas de rede A placa de rede é o dispositivo de hardware responsável por envio e recebimento de pacotes de dados e pela comunicação do computador com a rede. Existem placas de rede on-board(que

Leia mais

VOIP A REVOLUÇÃO NA TELEFONIA

VOIP A REVOLUÇÃO NA TELEFONIA VOIP A REVOLUÇÃO NA TELEFONIA Introdução Saiba como muitas empresas em todo mundo estão conseguindo economizar nas tarifas de ligações interurbanas e internacionais. A História do telefone Banda Larga

Leia mais

Fabio Golmia - CEO EnterPlay 11 8139-1100 11 7806-3061 ID 7*22748 fabiogolmia@enterplay.com.br www.enterplay.com.br. Apresentação da Empresa

Fabio Golmia - CEO EnterPlay 11 8139-1100 11 7806-3061 ID 7*22748 fabiogolmia@enterplay.com.br www.enterplay.com.br. Apresentação da Empresa Fabio Golmia - CEO EnterPlay 11 8139-1100 11 7806-3061 ID 7*22748 fabiogolmia@enterplay.com.br www.enterplay.com.br Apresentação da Empresa Estrutura desta Apresentação Tema: Posicionamento da EnterPlay

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

PLANO DE ENSINO CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA: 50 PRÁTICA: 22

PLANO DE ENSINO CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA: 50 PRÁTICA: 22 DEPARTAMENTO: Sistemas de Informação PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: Redes de Computadores I PROFESSOR: SERGIO ROBERTO VILLARREAL SIGLA: RED I E-MAIL: sergio.villarreal@udesc.br CARGA HORÁRIA TOTAL: 72 TEORIA:

Leia mais

O Mercado de TV Assinatura

O Mercado de TV Assinatura STA O Mercado de TV Assinatura André Sanches - NET Serviços Bem vindo! Dados do setor; Tecnologias; Evolução tecnologia/serviços; 3 Play ; Pirataria. Objetivo Dados do setor Fonte ABTA Dez/ 2,7 Milhões

Leia mais

Introdução à Computação Móvel. Carlos Maurício Seródio Figueiredo

Introdução à Computação Móvel. Carlos Maurício Seródio Figueiredo Introdução à Computação Móvel Carlos Maurício Seródio Figueiredo Sumário Visão da Computação Móvel Oportunidades de Pesquisa Alguns Interesses de Pesquisas Futuras Visão da Computação Móvel O que é Computação

Leia mais

Barômetro. Cisco. Banda Larga. Análise de mercado. 2 o Trimestre/2006. 3 a Edição Setembro/2006

Barômetro. Cisco. Banda Larga. Análise de mercado. 2 o Trimestre/2006. 3 a Edição Setembro/2006 Barômetro Cisco Banda Larga da Análise de mercado 2 o Trimestre/2006 3 a Edição Setembro/2006 Barômetro Cisco da Banda Larga Introdução Você está recebendo a nova edição do Barômetro Cisco da Banda Larga,

Leia mais

Introdução ao Subsistema Multimídia IP (IMS) Conceitos básicos de IMS e terminologia

Introdução ao Subsistema Multimídia IP (IMS) Conceitos básicos de IMS e terminologia Introdução ao Subsistema Multimídia IP (IMS) Conceitos básicos de IMS e terminologia Introdução Formalmente, o IP Multimedia Subsystem (IMS) é definido como:... um novo 'domínio' principal da rede (ou

Leia mais

Valor Comercial das Telecomunicações

Valor Comercial das Telecomunicações Valor Comercial das Telecomunicações Superar barreiras geográficas Atendimento ao cliente/preenchimento de pedidos Superar barreiras do tempo Consultas de crédito (POS) Superar barreiras de custo Videoconferência

Leia mais

Esgotamento dos Endereços IPv4 Migração para o IPv6 FÓRUM BRASILEIRO DE IMPLEMENTADORES DE IPV6 SÃO PAULO, 26 DE NOVEMBRO DE 2014

Esgotamento dos Endereços IPv4 Migração para o IPv6 FÓRUM BRASILEIRO DE IMPLEMENTADORES DE IPV6 SÃO PAULO, 26 DE NOVEMBRO DE 2014 Esgotamento dos Endereços IPv4 Migração para o IPv6 FÓRUM BRASILEIRO DE IMPLEMENTADORES DE IPV6 SÃO PAULO, 26 DE NOVEMBRO DE 2014 Somos a PLATAFORMA sobre a qual MILHÕES de SERVIÇOS são PRESTADOS a todo

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme

09/06/2011. Profª: Luciana Balieiro Cosme Profª: Luciana Balieiro Cosme Revisão dos conceitos gerais Classificação de redes de computadores Visão geral sobre topologias Topologias Barramento Anel Estrela Hibridas Árvore Introdução aos protocolos

Leia mais

Vídeo Sob Demanda. Elaine Calvet Mestrado Redes Telecom, UFF Disciplina: Sistemas Multimídia Prof.ª Debora

Vídeo Sob Demanda. Elaine Calvet Mestrado Redes Telecom, UFF Disciplina: Sistemas Multimídia Prof.ª Debora Vídeo Sob Demanda Elaine Calvet Mestrado Redes Telecom, UFF Disciplina: Sistemas Multimídia Prof.ª Debora Agenda Introdução Definição do Serviço VoD Desafios do Serviço Tecnologia Necessária Estudo de

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM REDES E SEGURANÇA DE SISTEMAS TELEFONIA IP E VOIP RESUMO

INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM REDES E SEGURANÇA DE SISTEMAS TELEFONIA IP E VOIP RESUMO INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM REDES E SEGURANÇA DE SISTEMAS TELEFONIA IP E VOIP RESUMO Artigo Científico Curso de Pós-Graduação em Redes e Segurança de Sistemas Instituto

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com RESUMO 1 COMUTAÇÃO DE CIRCUITOS Reservados fim-a-fim; Recursos são dedicados; Estabelecimento

Leia mais

1.264 Aula 22. Tecnologia de rede Celular, CATV, ISDN, DSL, rede de área local

1.264 Aula 22. Tecnologia de rede Celular, CATV, ISDN, DSL, rede de área local 1.264 Aula 22 Tecnologia de rede Celular, CATV, ISDN, DSL, rede de área local TV a cabo Permite a transferência de voz e dados nos estados permitidos (poucos até o momento) À LEC foi permitida a transferência

Leia mais

Telecomunicações CONCEITOS DE COMUNICAÇÃO

Telecomunicações CONCEITOS DE COMUNICAÇÃO Telecomunicações CONCEITOS DE COMUNICAÇÃO 1 COMUNICAÇÃO A COMUNICAÇÃO pode ser definida como a transmissão de um sinal através de um meio, de um emissor para um receptor. O sinal contém uma mensagem composta

Leia mais

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014.

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014. Resultados 3T14_ Novembro de 2014. Disclaimer Esta apresentação pode conter declarações baseadas em estimativas a respeito dos prospectos e objetivos futuros de crescimento da base de assinantes, um detalhamento

Leia mais

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO A COMUNICAÇÃO NA INTERNET PROTOCOLO TCP/IP Para tentar facilitar o entendimento de como se dá a comunicação na Internet, vamos começar contando uma história para fazer uma analogia. Era uma vez, um estrangeiro

Leia mais

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br

Revisão. Karine Peralta karine.peralta@pucrs.br Revisão Karine Peralta Agenda Revisão Evolução Conceitos Básicos Modelos de Comunicação Cliente/Servidor Peer-to-peer Arquitetura em Camadas Modelo OSI Modelo TCP/IP Equipamentos Evolução... 50 60 1969-70

Leia mais

A universalização do acesso à informação pelo uso das telecomunicações

A universalização do acesso à informação pelo uso das telecomunicações CONFIDENCIAL A universalização do acesso à informação pelo uso das telecomunicações José Antônio Guaraldi Félix Presidente da NET Serviços de Comunicação S.A. São Paulo, 29 de setembro de 2009 SUMÁRIO

Leia mais

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Magistério Superior Especialista em Docência para Educação

Leia mais

Anderson L. S. Moreira

Anderson L. S. Moreira Tecnologia da Informação Aula 9 Telecomunicações e Rede Interconectando a Empresa Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@ifpe.edu.br Instituto Federal de Pernambuco Recife PE Esta apresentação está sob

Leia mais

Associação Comercial e Industrial da Ilha do Pico (ACIPICO) Condições Exclusivas para Associados

Associação Comercial e Industrial da Ilha do Pico (ACIPICO) Condições Exclusivas para Associados Associação Comercial e Industrial da Ilha do Pico (ACIPICO) Condições Exclusivas para Associados Setembro 2014 Para aderir ou obter mais informações: Contacte o seu gestor de cliente ou Ligue 16 206 (

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Ementa Introdução a Redes de

Leia mais

Tarifas de banda larga na América Latina e Caribe: Avaliação comparativa e tendências. Hernan Galperin, Universidade de San Andrés (Argentina).

Tarifas de banda larga na América Latina e Caribe: Avaliação comparativa e tendências. Hernan Galperin, Universidade de San Andrés (Argentina). Tarifas de banda larga na América Latina e Caribe: Avaliação comparativa e tendências. Hernan Galperin, Universidade de San Andrés (Argentina). As características de oferta são um indicador chave no desempenho

Leia mais

GUIA DE RECURSOS SMART

GUIA DE RECURSOS SMART GUIA DE RECURSOS SMART Características dos aplicativos da SMART TV 1.Android 4.2 dual-core smart TV 2.Conexão de rede (com fio/sem fio/pppoe/wlan HP) 3. Sync-View (opcional) 4. Multi-screen Interativa

Leia mais

IPT - INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO APRESENTAÇÃO DE REDES DE ACESSOS

IPT - INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO APRESENTAÇÃO DE REDES DE ACESSOS IPT - INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO APRESENTAÇÃO DE REDES DE ACESSOS Mestrandos: Delson Martins N:760 Turma 10 Márcio Fernando Flores N:767 Turma 10 Professores: Volnys; Kiatake;

Leia mais

MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT. Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais

MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT. Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais MASSACHUSETTS INSTITUTE OF TECHNOLOGY SLOAN SCHOOL OF MANAGEMENT 15.565 Integração de Sistemas de Informação: Fatores Tecnológicos, Estratégicos e Organizacionais 15.578 Sistemas de Informação Global:

Leia mais

Soluções para Transmissão de Vídeo Digital IP utilizando plataformas Satélite e Terrestre

Soluções para Transmissão de Vídeo Digital IP utilizando plataformas Satélite e Terrestre Soluções para Transmissão de Vídeo Digital IP utilizando plataformas Satélite e Terrestre Marcos Mandarano 30-31 Janeiro 2007 Informações de direitos exclusivos. Não pode ser reproduzido sem autorização

Leia mais

IP Camera Tutorial. CNet Technology Jan 2008

IP Camera Tutorial. CNet Technology Jan 2008 IP Camera Tutorial CNet Technology Jan 2008 O que é Câmera IP? Camera IP é a combinação entre câmera e computador. As câmeras podem ser conectadas diretamente na sua rede. Ela possui internamente software

Leia mais

Última Atualização 17 de janeiro, 2005 Cisco IP Phone 7902G Cisco IP Phones 7905G e 7912G Cisco IP Phones 7910G e 7910G+SW Cisco IP Phones 7935 e 7936 Conference Stations Tela Não Sim, pixel, pequeno Sim,

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Késsia Marchi

Redes de Computadores. Prof. Késsia Marchi Redes de Computadores Prof. Késsia Marchi Redes de Computadores Redes de Computadores Possibilita a conexão entre vários computadores Troca de informação Acesso de múltiplos usuários Comunicação de dados

Leia mais

Visão geral das redes sem fio

Visão geral das redes sem fio Visão geral das redes sem fio 1 - Introdução O termo redes de dados sem fio pode ser utilizado para referenciar desde dispositivos de curto alcance como o Bluetooth à sistemas de altas taxas de transmissão

Leia mais

6127. Redes comunicação de dados. RSProf@iol.pt. 2014/2015. Introdução.

6127. Redes comunicação de dados. RSProf@iol.pt. 2014/2015. Introdução. Sumário 6127. Redes comunicação de dados. 6127. Redes comunicação de dados A Internet: Permite a interação entre pessoas. 6127. Redes comunicação de dados A Internet: Ensino; Trabalho colaborativo; Manutenção

Leia mais

Como agregar valor aos negócios de provedores de internet

Como agregar valor aos negócios de provedores de internet Encontro de provedores regionais Feira de Santana Como agregar valor aos negócios de provedores de internet Urbano Matos Internet das coisas Fonte: FIESC - PEDIC 2022 Novos paradigmas de trabalho Fonte:

Leia mais

GfK Audience Measurements & Insights MEDIÇÃO DE AUDIÊNCIA DE TV E VÍDEO

GfK Audience Measurements & Insights MEDIÇÃO DE AUDIÊNCIA DE TV E VÍDEO MEDIÇÃO DE AUDIÊNCIA DE TV E VÍDEO Em nenhum momento de toda a história dos meios de comunicação modernos houve tantas mudanças fundamentais na distribuição e mensuração da mídia. Com o surgimento da transmissão

Leia mais

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS INFORMÁTICA PARA CONCURSOS Prof. BRUNO GUILHEN Vídeo Aula VESTCON MÓDULO I - INTERNET Aula 01 O processo de Navegação na Internet. A CONEXÃO USUÁRIO PROVEDOR EMPRESA DE TELECOM On-Line A conexão pode ser

Leia mais

ScatiSuite, A melhor ferramenta para a gravação e a gestão do CFTV

ScatiSuite, A melhor ferramenta para a gravação e a gestão do CFTV ScatiSuite, A melhor ferramenta para a gravação e a gestão do CFTV www.scati.com info@scati.com Índice Scati Suite Caraterísticas gerais Gravação Aplicações cliente de gestão Outras funcionalidades Scati

Leia mais

Defesa da Concorrência nas Telecomunicações: Tempos de Convergência Tecnológica

Defesa da Concorrência nas Telecomunicações: Tempos de Convergência Tecnológica Defesa da Concorrência nas Telecomunicações: Tempos de Convergência Tecnológica Caio Mário da Silva Pereira Neto Fundação Getulio Vargas - Março 2007 caio.pereira@fgv.br Estrutura da Apresentação Convergência

Leia mais

Evolução da Regulamentação do Setor de Telecomunicações. Sub-Comissão de Marcos Regulatórios da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado 21/05/2007

Evolução da Regulamentação do Setor de Telecomunicações. Sub-Comissão de Marcos Regulatórios da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado 21/05/2007 Evolução da Regulamentação do Setor de Telecomunicações Sub-Comissão de Marcos Regulatórios da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado 21/05/2007 Razões para mudar a legislação Antes de mudar, definir

Leia mais

Meio Físico. Mensagem. Protocolo. Emissor e Receptor. Data Terminal Equipment Data Communications Equipment

Meio Físico. Mensagem. Protocolo. Emissor e Receptor. Data Terminal Equipment Data Communications Equipment Emissor Receptor Meio Físico Mensagem Protocolo Emissor e Receptor Data Terminal Equipment Data Communications Equipment (DTE) + (DCE) Meio Físico Mensagem ( pacote ) O meio físico É o elemento que transmite

Leia mais

Carlos Baigorri Superintendente de Competição

Carlos Baigorri Superintendente de Competição Carlos Baigorri Superintendente de Competição Brasília/DF Março/2015 Uma volta ao passado? Há quase uma década o setor de telecomunicações discute a convergência tecnológica. Essa discussão era focada

Leia mais

Resultados 2T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Julho de 2014.

Resultados 2T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Julho de 2014. Resultados _ Julho de 2014. Destaques do DESTAQUES OPERACIONAL FINANCEIRO Crescente market share de pós-pago contribuindo para uma maior adoção de dados e crescimento do ARPU. Crescimento de Acessos Pós-Pagos

Leia mais

IPTV em rede Multicast

IPTV em rede Multicast IPTV em rede Multicast Flávio Gomes Figueira Camacho Apresentação Flavio Gomes Figueira Camacho Diretor de TI da Vipnet Baixada Telecomunicações e, Operadora de STFC e SCM. Mestrando em Engenharia de Telecomunicações

Leia mais

Power Line Communication

Power Line Communication INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA Power Line Communication Nome: Sergio Bezerra Valmir Brasília, 24 de Junho de 2012 Introdução A transmissão de dados via rede de energia elétrica (PLC - Power Line Communications),

Leia mais

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência

Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência Sistema de Telemetria para Hidrômetros e Medidores Aquisição de Dados Móvel e Fixa por Radio Freqüência O princípio de transmissão de dados de telemetria por rádio freqüência proporciona praticidade, agilidade,

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 2 - MODELO DE REFERÊNCIA TCP (RM TCP) 1. INTRODUÇÃO O modelo de referência TCP, foi muito usado pela rede ARPANET, e atualmente usado pela sua sucessora, a Internet Mundial. A ARPANET é de grande

Leia mais

Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais

Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Módulo 3: VoIP INATEL Competence Center treinamento@inatel.br Tel: (35) 3471-9330 As telecomunicações vêm passando por uma grande revolução, resultante do

Leia mais

Transmissão de Voz em Redes de Dados (VoIP)

Transmissão de Voz em Redes de Dados (VoIP) Transmissão de Voz em Redes de Dados (VoIP) Telefonia Tradicional PBX Telefonia Pública PBX Rede telefônica tradicional usa canais TDM (Time Division Multiplexing) para transporte da voz Uma conexão de

Leia mais

Plataforma Interativa de Vídeo

Plataforma Interativa de Vídeo Plataforma Interativa de Vídeo Milonga DWM Soluções em Comunicação e Tecnologia Interativa, empresa do Grupo Ciclotron. Desenvolvemos soluções com foco na experiência do usuário, implantado um novo conceito

Leia mais

Projeto Gráfico de Sistemas. Tecnologias e Aplicações na Indústria Pesquisa e Ensino

Projeto Gráfico de Sistemas. Tecnologias e Aplicações na Indústria Pesquisa e Ensino Projeto Gráfico de Sistemas Tecnologias e Aplicações na Indústria Pesquisa e Ensino Arnaldo Clemente André Oliveira Perfil Líderes em Medição e Automação Baseados em PC Longa história de crescimento e

Leia mais

VoIP em Redes PLC (PowerLine( Communications)

VoIP em Redes PLC (PowerLine( Communications) VoIP em Redes PLC (PowerLine( Communications) Christiane Borges Santos Doutoranda em Ciência da Computação - UNB Mestre em Eng. Elétrica e de Computação - EEEC/UFG Tecnóloga em Redes de Comunicação CEFETGO

Leia mais