Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas FFLCH. Departamento de Geografia

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas FFLCH. Departamento de Geografia"

Transcrição

1 Universidade de São Paulo Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas FFLCH Departamento de Geografia Mini-curso Mapeamento de APP (áreas de preservação permanente) através de técnicas de Geoprocessamento Utilização do software ArcGIS 9.3 Palestrante: Geóg. Jânio Marcos Rodrigues Ferreira Mestrando em Engenharia de Transportes EPUSP Coordenador de Cartografia da Divisão Técnica de Unidades de Conservação e Proteção da Biodiversidade e Herbário Municipal PMSP - SVMA São Paulo, Setembro de 2010

2 Sumário Lista de figuras... 3 Objetivo... 4 Introdução... 5 Apresentação do software de Cartografia Digital ArcGIS Exercício prático Mapeamento e definição de APP de Rios e Nascentes Exercício 01 Criação de um arquivo Shapefile no ArcCATALOG Exercício 02 Carregar arquivos cartográficos já existentes no ArcMAP Exercício 03 Usando o módulo ArcTOOLBOX para calcular a APP de 30 metros Exercício 04 Criação do layer de Nascentes através da Hidrografia Exercício 05 Edição dos layer de APPs de 30 m (rios) e 50 m (nascente) Exercício 06 Edição final Considerações finais Anexos - Base de dados digital (mídia anexa) Bibliografia

3 Lista de Figuras Figura 01: Demonstração de APPs de nascente e ao longo de rios... 6 Figura 02: Apresentação do módulo ArcMAP... 9 Figura 03: Apresentação do módulo ArcCATALOG Figura 04: Apresentação do módulo ArcTOOLBOX Figura 05: Criando um arquivo shapefile no ArcCATALOG Figura 06: Criação de um arquivo shapefile no ArcCATALOG Figura 07: Inserindo dados no ArcMAP Figura 08. Usando o ArcTOOLBOX Figura 09: Escolha do arquivo de curva de nível Figura 10: Tela de cálculo das APPs de 30 metros Figura 11: Arquivo com as áreas de APPs de 30 metros Figura 12: Layer de hidrografia Figura 13: Acessando a função Feature Vertices to Point Figura 14: Criação do layer de Nascentes Figura 15: Layer de Nascente gerado Figura 16: Edição do layer de Nascente Figura 17: Layer de Nascente após edição Figura 18: Layers de curvas de nível, hidrografia, nascente e limite da bacia Figura 19: Cálculo das APPs de Nascente Figura 20: Layer das APPs de Nascente Figura 21: Edição dos layers de APPs Figura 22: Edição do layer de nascente Figura 23: Adição do layer de nascente ao layer de APPs de rios Figura 24: Detalhe da edição dos layers de APPs Figura 25: Tabela de atributos do layer de APPs, após edição Figura 26: Edição final das intersecções entre as áreas das APPs Figura 27: Layer final editado, sem as intersecções Figura 28: Arquivo final do exercício de cálculo de APPs de rio e nascente Figura 29: Visão geral da bacia hidrográfica e o resultado das áreas definidas como APPs

4 Objetivo O objetivo deste material é apresentar aos alunos do curso de graduação em Geografia as possibilidades de uso de geotecnologias e cartografia digital aplicadas no mapeamento de APPs (áreas de preservação permanente). Para tanto, daremos ênfase em ferramentas disponíveis no software de geoprocessamento ArcGIS

5 Introdução Código Florestal Lei 4771/65 O Código Florestal Brasileiro (Lei 4.771, de 15 de setembro de 1965), em consonância com as leis ambientais estaduais e municipais, estabelece as regras de uso, preservação e conservação das florestas e outras formas de vegetação, utilizando duas figuras básicas: as Áreas de Preservação Permanente (APP) e Reserva Legal (ARL). A APP e a ARL são dois conceitos importantes no planejamento ambiental, tendo em vista a obrigatoriedade dos proprietários rurais e empreendedores de demarcarem e descreverem as características dessas áreas. De acordo com o Código Florestal, entende-se por: Área de Preservação Permanente: área protegida nos termos dos arts. 2 e 3 desta Lei, coberta ou não por vegetação nativa, com a função ambiental de preservar os recursos hídricos, a paisagem, a estabilidade geológica, a biodiversidade, o fluxo gênico de fauna e flora, proteger o solo e assegurar o bem-estar das populações humanas. Reserva Legal: área localizada no interior de uma propriedade ou posse rural, excetuada a de preservação permanente, necessária ao uso sustentável dos recursos naturais, à conservação e reabilitação dos processos ecológicos, à conservação da biodiversidade e ao abrigo e proteção de fauna e flora nativas. Trataremos aqui apenas do mapeamento das categorias de APP ao longo de rios com largura menor ou igual a 10 m e de nascentes. As diretrizes para estabelecimento das APP s encontram-se descritas no artigo 2 do Código Florestal, relacionadas na tabela abaixo. 5

6 Tabela 1. Largura de vegetação ciliar a ser mantida ou revegetada de acordo com largura de curso de água. LARGURA DO CURSO D ÁGUA (metros) LARGURA DA APP (metros) Menor ou igual a De 10 a De 50 a De 200 a Maior que Nascentes 50 Figura 01: Demonstração de APPs de nascente e ao longo de rios. A figura acima apresenta as categorias de APP ao longo de rios e nascentes. Podemos perceber as diferentes larguras dessas áreas, observando as diferentes larguras do canal do rio. O art. 2 do Código Florestal define com maior detalhamento as áreas de preservação permanente e apresenta os coeficientes mínimos de preservação das florestas e demais formas de vegetação natural, relacionadas abaixo: 6

7 a) ao longo dos rios ou de qualquer curso d'água desde o seu nível mais alto em faixa marginal cuja largura mínima será: 1 - de 30 (trinta) metros para os cursos d'água de menos de 10 (dez) metros de largura; 2 - de 50 (cinquenta) metros para os cursos d'água que tenham de 10 (dez) a 50 (cinquenta) metros de largura; 3 - de 100 (cem) metros para os cursos d'água que tenham de 50 (cinquenta) a 200 (duzentos) metros de largura; 4 - de 200 (duzentos) metros para os cursos d'água que tenham de 200 (duzentos) a 600 (seiscentos) metros de largura; 5 - de 500 (quinhentos) metros para os cursos d'água que tenham largura superior a 600 (seiscentos) metros; b) ao redor das lagoas, lagos ou reservatórios d'água naturais ou artificiais; c) nas nascentes, ainda que intermitentes e nos chamados "olhos d'água", qualquer que seja a sua situação topográfica, num raio mínimo de 50 (cinquenta) metros de largura; d) no topo de morros, montes, montanhas e serras; e) nas encostas ou partes destas, com declividade superior a 45, equivalente a 100% na linha de maior declive; f) nas restingas, como fixadoras de dunas ou estabilizadoras de mangues; g) nas bordas dos tabuleiros ou chapadas, a partir da linha de ruptura do relevo, em faixa nunca inferior a 100 (cem) metros em projeções horizontais; h) em altitude superior a (mil e oitocentos) metros, qualquer que seja a vegetação. i) Nas áreas metropolitanas definidas em lei. 7

8 No caso de áreas urbanas, sendo entendidas como as áreas compreendidas nos perímetros urbanos definidos por lei municipal e nas regiões metropolitanas e aglomerações urbanas, em todo o território abrangido, deve-se considerar as disposições dos respectivos planos diretores e leis de uso do solo municipais, respeitando os princípios e limites definidos pelo código florestal. 8

9 Apresentação do software de Cartografia Digital ArcGIS 9.3. Uma descrição sucinta dos módulos do software de cartografia digital ArcGIS 9.3, usado em nosso mini-curso, será apresentada a seguir. O ArcGIS 9.3 pode ser dividido em três módulos: ArcMAP, ArcCATALOG e ArcTOOLBOX. A figura 02 apresenta a tela de visualização do ArcMAP. Esse módulo é responsável por toda a parte de visualização, edição e layout de impressão de arquivos cartográficos. Através dele são acessadas diversas funções de geoprocessamento. Figura 02: Apresentação do módulo ArcMAP. A figura 03 apresenta o módulo ArcCATALOG, da família ArcGIS. Esse módulo é responsável pelo gerenciamento de arquivos cartográficos: shapefile, geodatabases, raster etc. As conexões com diretórios internos e externos são estabelecidas através dessa interface. Conexões a bancos de dados espaciais ou alfanuméricos também são executados através do ArcCATALOG. 9

10 Figura 03: Apresentação do módulo ArcCATALOG. A figura 04 apresenta o módulo ArcTOOLBOX. Através desse módulo pode-se acessar todas as funções de geoprocessamento existentes no ArcGIS: modelagem digital de terrenos, ferramentas de análise e conversão de dados, ferramentas cartográficas, geocodificação, análise geoestatística, análise espacial, estatística espacial, entre outras ferramentas. Figura 04: Apresentação do módulo ArcTOOLBOX. 10

11 Exercício prático Mapeamento e definição de APP de Rios e Nascentes. Para a realização do exercício prático utilizaremos os seguintes arquivos cartográficos: ortofotos digitais do ano de 2007, recorte de uma bacia hidrográfica, recorte de hidrografia restituída de cartas EMPLASA 1:10000, recorte de curvas de nível, limite administrativo do município de São Paulo. A bacia hidrográfica usada nesse exercício localiza-se no extremo sul do município de São Paulo, na Área de Proteção Ambiental (APA) Capivari- Monos, categoria de Unidade de Conservação de Uso Sustentável. 11

12 Exercício 01 Criação de um arquivo Shapefile no ArcCATALOG. Iniciaremos nosso exercício com a criação de um arquivo shapefile, formato padrão usado para dados cartográficos no ArcGIS. Abra o ArcCATALOG e acesse um diretório conhecido. Clique com o botão direito na área de conteúdo - lado direito da tela - e escolha a opção New Shapefile, como na figura abaixo. Figura 05: Criando um arquivo shapefile no ArcCATALOG. Na opção Name, dê um nome para o seu arquivo e escolha uma característica (ponto, linha ou polígono) no campo Feature Type. Em seguida clique em Edit para definir um sistema de projeção e um Datum para o seu arquivo shapefile. Na tela Spatial Reference System clique na opção Select e escolha um Sistema de Coordenadas através das opções da tela Browse for Coordinate System. Clique duas vezes em Projected Coordinate Systems UTM South America e escolham o arquivo de projeção South American 1969 UTM Zone 23S. Cliquem em Add e verifiquem as características desse sistema de projeção no campo Details. Cliquem em Ok Ok. 12

13 Esse primeiro passo serviu para ensiná-los a criar um arquivo shapefile. A figura abaixo resume algumas etapas do que foi executado. Figura 06: Criação de um arquivo shapefile no ArcCATALOG. 13

14 Exercício 02 Carregar arquivos cartográficos já existentes no ArcMAP. Inicie o ArcCATALOG e o ArcMAP. Localize a pasta MINICURSO_GEO_USP\VETOR, através do ArcCATALOG. Selecione todos os arquivos e arraste para a Tabela de Conteúdo do ArcMAP. Verifique os dados que você acabou de carregar. A figura abaixo demonstra os arquivos que foram inseridos no módulo ArcMAP. Figura 07: Inserindo dados no ArcMAP. Ative o módulo ArcTOOLBOX clicando na caixa de ferramenta disponível na barra de ferramentas do ArcMAP. Nesse exercício iniciamos o trabalho com o módulo de edição e visualização de dados ArcMAP. 14

15 Exercício 03 Usando o módulo ArcTOOLBOX para calcular a APP de 30 metros. Iniciaremos o cálculo das APPs através do módulo ArcTOOLBOX, explorando algumas de suas ferramentas. No ArcTOOLBOX, clique na opção Analist Tools Proximity, em segiuda clique duas vezes na opção Buffer, como mostra a figura abaixo. Figura 08. Usando o ArcTOOLBOX. No campo Input Features escolha o arquivo REC_HIDRO_BACIA_UTM_SAD69_F23S, referente às curvas de nível da área de estudo. 15

16 Figura 09: Escolha do arquivo de curva de nível. Escolha o diretório onde será salvo o arquivo modificado, clicando na pasta ao lado do campo Output Feature Class. Dê um nome para esse novo arquivo. Ex.: APP_30_UTM_SAD69. Na opção Distance [Value or Field] Linear Unit digite 30 (faixa de 30 metros que será calculada ao longo do rio) e escolha a unidade metros. Aceite as outras opções e clique em OK. A figura abaixo demonstra essas etapas. 16

17 Figura 10: Tela de cálculo das APPs de 30 metros. Aparecerá uma tela de processamento de dados e, logo depois, um arquivo similar ao que está na figura XX abaixo será adicionado à Tabela de Conteúdos. Essas são as áreas referentes ao cálculo de distância de 30 metros de cada lado da hidrografia. Figura 11: Arquivo com as áreas de APPs de 30 metros. 17

18 Exercício 04 Criação do layer de Nascentes através da Hidrografia. Desligue todos os layers (camadas de dados cartográficos), exceto a hidrografia REC_HIDRO_BACIA_UTM_SAD69_F23S. A figura abaixo apresenta o layer de hidrografia. Figura 12: Layer de hidrografia. 18

19 No ArcTOOLBOX clique em Data Management Tools, abra a caixa de ferramenta Features e clique duas vezes na ferramenta Feature Vertices to Point. A figura abaixo resume essas ações. Figura 13: Acessando a função Feature Vertices to Point. Na caixa de diálogo Features Vertices to Point no campo Input Feature, escolha o arquivo de hidrografia REC_HIDRO_BACIA_UTM_SAD69_F23S. Na opção Output Feature Class, escolha um diretório para salvar o arquivo que será gerado e dê um nome ao seu arquivo. Ex.: NASCENTE_UTM_SAD69_F23S. No campo Point Type escolha a opção Start ; esse procedimento tem a função de definir o início da linha de hidrografia para criar o ponto de nascente. Clique em OK e aguarde o processamento da operação. A figura abaixo resume essas etapas. 19

20 Figura 14: Criação do layer de Nascentes. A figura abaixo apresenta o arquivo de nascentes que foi gerado com base na hidrografia. Será necessário editar e apagar alguns pontos que foram criados ao longo da drenagem, devido a erros de digitalização das linhas de hidrografia. Figura 15: Layer de Nascente gerado. 20

21 Para editar os pontos de nascente, clique na ferramenta de edição Editor Start Editing. Na caixa Task, escolha a opção Modify Feature e, na caixa Target, escolha o arquivo de nascentes que você acabou de criar NASCENTE_UTM_SAD69_F23S. Esse procedimento define qual será o layer (camada) a ser editado. Selecione todos os pontos que não representam nascentes, ou seja, os pontos que foram criados nas junções de rios ou em vértices intermediários da linha de hidrografia. Apague esses pontos usando a tecla Delete do seu teclado. Figura 16: Edição do layer de Nascente. Clique novamente em Editor e escolha a opção Save Edits, após salvar a edição clique novamente em Editor e escolha a opção Stop Editing. Com isso, você salvará as modificações no layer de nascentes e sairá do módulo de edição. 21

22 Ao final da edição, o seu arquivo de hidrografia deverá ter pontos de nascente apenas no início das linhas de drenagem, como mostra a figura abaixo. Figura 17: Layer de Nascente após edição. Ligue os layers de curva de nível REC_CURVAS_NIVEL_UTM_SAD69_F23S e o limite da bacia hidrográfica REC_BACIA_APA_CM_UTM_SAD69_F23S. Faça uma análise da localização dos pontos de nascentes; tendo em vista a conformação da topografia apresentada pelas curvas de nível. A figura abaixo demonstra a tela de visualização do ArcMAP com os layers a serem analisados. 22

23 Figura 18: Layers de curvas de nível, hidrografia, nascente e limite da bacia. Repita o procedimento do Exercício 03 para definir a área das APPs de nascente. O cálculo deve considerar 50 metros, como definido no Código Florestal para APPs em volta de nascentes. A figura abaixo resume as operações necessárias. Figura 19: Cálculo das APPs de Nascente. 23

24 A figura abaixo demonstra as áreas de 50 m de raio calculadas em volta dos pontos definidos como nascente. Figura 20: Layer das APPs de Nascente. 24

25 Exercício 05 Edição dos layer de APPs de 30 m (rios) e 50 m (nascente). Desligue todos os layers, exceto o referente às APPs de 30 m APP_30_UTM_SAD69_F23S e o layer com as APPs de nascente APP_NASCENTE_UTM_SAD69_F23S. Repita o procedimento de edição, clicando em Editor Start Editing. Escolha o layer de APP de 30 m para ser editado, como mostra a figura abaixo. Em seguida desligue esse layer, deixando apenas o layer de APP de nascente ativo. Figura 21: Edição dos layers de APPs. 25

26 Selecione todas as APPs de nascente, fazendo um retângulo envolvente com o mouse. Copie e cole no layer de APP 30 m, que deverá ser ligado logo após dessa ação. As figuras abaixo demonstram esses procedimentos. Salve a edição em Save Edit e finalize a edição em Stop Editing. Figura 22: Edição do layer de nascente. Figura 23: Adição do layer de nascente ao layer de APPs de rios. 26

27 Deixe apenas o layer de APPs de 30 m ligado e veja que as áreas referentes às APPs de 50 m foram associadas (coladas) a esse layer. A figura abaixo mostra um detalhe do layer que acabou de ser editado. Figura 24: Detalhe da edição dos layers de APPs. 27

28 Exercício 06 Edição final. Abra o tabela de atributos do layer que acabamos de editar. Clique com o botão direito sobre o nome do layer e escolha a opção Open Attribute Table. Analisem a coluna BUFF_DIST, essa coluna contém as distâncias usadas no cálculo das áreas de APP. Percebam que os valores definidos no cálculo das APPs 30 e 50 m aparecem gravados nas linhas referentes a cada feição mapeada. Figura 25: Tabela de atributos do layer de APPs, após edição. Iniciaremos a edição final do arquivo tendo como objetivo reparar a sobreposição das linhas das APPs de 30 m com as APPs de 50 m. Clique em Editor Start Editing e escolha o layer de APPs como alvo a ser editado. Selecione todas as feições, clique novamente na ferramenta Editor e escolha a opção Merge e, em seguida, na caixa de diálogo Merge, clique em OK. Essa ferramenta irá recortar as intersecções entre as linhas de APP, criando um arquivo contínuo. Salve as edições desse layer e termine a edição, clicando em Editor Save Edits Stop Editing. As figuras abaixo demonstram as operações efetuadas e o resultado obtido. 28

29 Figura 26: Edição final das intersecções entre as áreas das APPs. Figura 27: Layer final editado, sem as intersecções. Reparem no detalhe da figura abaixo que não há mais intersecções entre linhas. Analisem as formas finais do arquivo, atentando para as áreas de APP de nascente nas extremidades. Estas se apresentam arredondadas, evidenciando o cálculo diferenciado para essas categorias. 29

30 Para efeito de teste, cliquem na ferramenta de medidas Measure, defina a unidade de medidas para metros e cliquem no centro da circunferência definida como APP de nascente e meçam a distância até as extremidades. O valor da distância será de aproximadamente 50 m, dependendo do detalhe de sua medida. Efetuem as mesmas medidas para distâncias ao longo dos rios; estas deverão ser de aproximadamente 30 m. Figura 28: Arquivo final do exercício de cálculo de APPs de rio e nascente. Para finalizar o exercício liguem os layers de ortofotos, limite da bacia, nascentes, curvas de nível, hidrografia e as APPs que acabaram de ser criadas. Façam uma análise da bacia, com relação à hidrografia e área de APPs. É possível fazer um comparativo entre a área da bacia e as áreas definidas como APP, o que evidenciaria o percentual a ser preservado. Ressaltamos que, para o cálculo das APPs de rios e nascente, os critérios legais apresentados no Código Florestal e nas leis ambientais municipais e estaduais posteriores devem ser respeitados integralmente. Os procedimentos apresentados nesse manual devem, necessariamente, serem 30

31 adequados a métodos propostos em leis ambientais específicas para a definição das APPs. A figura abaixo apresenta todos os layers usados nesse exercício. Figura 29: Visão geral da bacia hidrográfica e o resultado das áreas definidas como APPs. 31

32 Considerações finais Tendo em vista a complexidade da legislação ambiental no Brasil e os aspectos técnicos envolvidos nas etapas de mapeamento e representação dos elementos naturais de interesse para preservação e conservação, pretendemos aqui levantar o interesse dos futuros geógrafos que se envolverão em projetos de planejamento, gestão e licenciamento ambiental, diagnósticos sócioambientais, mapeamento e georeferenciamento de áreas rurais e urbanas. Os métodos e técnicas que integram o recente campo das geotecnologias, envolvendo receptores GPS (Global Positioning System), sensoriamento remoto orbital e aéreo, cartografia digital, geoprocessamento e análise espacial de dados cartográficos devem ser encarados pelo profissional geógrafo como um rico campo de trabalho e possibilidade de aplicação de seu conhecimento. 32

33 Anexos - Base de dados digital (mídia anexa) 33

34 Bibliografia Código Florestal Brasileiro Lei n 4771 de 13 de Setembro de Getting Started With ArcGIS ESRI PRESS

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA. II Seminário Estadual de Saneamento Ambiental

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA. II Seminário Estadual de Saneamento Ambiental MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA II Seminário Estadual de Saneamento Ambiental Regularização fundiária em áreas de preservação permanente APPs em zona urbana: uma proposta de gestão ALEXANDRE

Leia mais

Engenharia de Avaliações Aplicada às Áreas de Preservação Permanente (APP)

Engenharia de Avaliações Aplicada às Áreas de Preservação Permanente (APP) Engenharia de Avaliações Aplicada Às Áreas de Preservação Permanente (APP). Engenharia de Avaliações Aplicada às Áreas de Preservação Permanente (APP) 1. Fundamento Legal das APPs: Constituição Federal

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR CURSO INTENSIVO III Disciplina: Direito Ambiental Prof. Fabiano Melo Data: 09.12.2009 Aula nº 06 MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Lei 4771/65 Art. 2 Consideram-se de preservação permanente, pelo só efeito desta

Leia mais

Comparação entre lei 4771 e PL relatado pelo Dep.Aldo Rebelo preparado por Zeze Zakia Versão preliminar ( APP)

Comparação entre lei 4771 e PL relatado pelo Dep.Aldo Rebelo preparado por Zeze Zakia Versão preliminar ( APP) Lei 4771 versão em vigor II área de preservação permanente: área protegida nos termos dos arts. 2 o e 3 o desta Lei, coberta ou não por vegetação nativa, com a função ambiental de preservar os recursos

Leia mais

Sensoriamento remoto e SIG

Sensoriamento remoto e SIG Multidisciplinar Sensoriamento remoto e SIG aplicados ao novo Código Florestal Allan Arnesen Frederico Genofre Marcelo Curtarelli Matheus Ferreira CAPÍTULO 3 Mapeamento de APP e Reserva Legal APP de corpos

Leia mais

Aula Delimitação de APPS no ArcGis e produção de um memorial descritivo das situações encontradas dentro e fora das APP

Aula Delimitação de APPS no ArcGis e produção de um memorial descritivo das situações encontradas dentro e fora das APP Aula Delimitação de APPS no ArcGis e produção de um memorial descritivo das situações encontradas dentro e fora das APP 1. Abrir o Arcmap, clicar no ícone Arcmap (seta preta na figura abaixo), que pode

Leia mais

SIG e Banco de Dados OFICINA BUFFER E OVERLAY. Responsável: MARIA ISABEL C DE FREITAS Colaboração: KATIA CRISTINA BORTOLETTO E BRUNO ZUCHERATO

SIG e Banco de Dados OFICINA BUFFER E OVERLAY. Responsável: MARIA ISABEL C DE FREITAS Colaboração: KATIA CRISTINA BORTOLETTO E BRUNO ZUCHERATO SIG e Banco de Dados OFICINA BUFFER E OVERLAY Responsável: MARIA ISABEL C DE FREITAS Colaboração: KATIA CRISTINA BORTOLETTO E BRUNO ZUCHERATO ************************************************************

Leia mais

Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo

Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo Aspectos relacionados com a Legislação Florestal / Mineração LEI FEDERAL 12651/12 Engª Amb. Adriana Maira Rocha Goulart Divisão de Apoio e Gestão dos Recursos

Leia mais

José Francisco Ladeira Neto

José Francisco Ladeira Neto Procedimentos Para Criação de Feature Class e Inserção de Entidades Gráficas Georeferenciadas e seus Atributos, Utilizando o Software ArcCatalog / ArcMap / ArcEditor José Francisco Ladeira Neto 10/2006

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 368, DE 2012

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 368, DE 2012 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 368, DE 2012 Altera a Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012, para dispor sobre as Áreas de Preservação Permanentes em áreas urbanas. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Leia mais

BR 116/RS Gestão Ambiental. Oficina para Capacitação em Gestão Ambiental

BR 116/RS Gestão Ambiental. Oficina para Capacitação em Gestão Ambiental BR 116/RS Gestão Ambiental Programa de Apoio às Prefeituras Municipais Oficina para Capacitação em Gestão Ambiental Novo Código Florestal Inovações e aspectos práticos STE Serviços Técnicos de Engenharia

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JUINA E S T A D O D E M A T O G R O S S O P O D E R E X E C U T I V O

PREFEITURA MUNICIPAL DE JUINA E S T A D O D E M A T O G R O S S O P O D E R E X E C U T I V O LEI N.º 1.453/2013. SÚMULA: Autoriza o Poder Executivo Municipal a promover a Concessão de Direto Real de Uso em favor da Colônia Z-20 de Pescadores de Juína, da área urbana que menciona, e dá outras Providências.

Leia mais

MAPA - Orientações. Conteúdo desse documento:

MAPA - Orientações. Conteúdo desse documento: Conteúdo desse documento: 1. Como fazer upload de arquivos espaciais no CAR 1.a. Formato do arquivo 1.b. Características do shapefile 1.c. Sistema de coordenadas requerido 1.d. Como preparar o shapefile

Leia mais

1 - Crie um novo documento no ArcMap. Com o programa aberto, selecione o Dataframe Layers

1 - Crie um novo documento no ArcMap. Com o programa aberto, selecione o Dataframe Layers Conversão de Raster para Polígono usando o ArcMap Nos posts anteriores, conhecemos uma situação onde uma empresa solicita, além do produto esperado, imagens no canal alfa para geração de polígonos envolventes

Leia mais

4ª aba do cadastro: Mapa Orientações para upload de shapefiles

4ª aba do cadastro: Mapa Orientações para upload de shapefiles Conteúdo: 1. Como fazer upload de arquivos espaciais no SiCAR-SP? Formato dos arquivos Características do shapefile Sistema de Coordenadas requerido Como preparar o shapefile para o upload 2. O que fazer

Leia mais

ArcGIS 10: Parcel Editor: Divisão de Shapefile em Partes Iguais

ArcGIS 10: Parcel Editor: Divisão de Shapefile em Partes Iguais ArcGIS 10: Parcel Editor: Divisão de Shapefile em Partes Iguais A Edição de Parcelas de Fábrica é um poderoso recurso de edição do ArcGIS 10. Essa ferramenta é fundamental para divisão de arquivos shapefile

Leia mais

PREPARAÇÃO DE BASES EM SIG

PREPARAÇÃO DE BASES EM SIG UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Geociências Departamento de Geologia e Recursos Naturais (DGRN) GE 804 Sistema de Informações Georreferenciadas Prof. Carlos Roberto de Souza Filho PREPARAÇÃO

Leia mais

APP ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE. Feições de Relevo com alta fragilidade, que exercem funções essenciais a vida

APP ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE. Feições de Relevo com alta fragilidade, que exercem funções essenciais a vida APP ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE Feições de Relevo com alta fragilidade, que exercem funções essenciais a vida Dispositivo legal aplicado em distintos ambientes: Urbano, Rural ou Florestal Área de Preservação

Leia mais

12 - MAPA DE DISTÂNCIA

12 - MAPA DE DISTÂNCIA 12 - MAPA DE DISTÂNCIA Para fazer uso da ferramenta Mapa de Distancia do SPRING, a titulo de exemplo, vamos considerar a Área de Preservação Permanente APP de um rio. Desta forma, é importante conhecer

Leia mais

Consultas a banco de dados no ArcView

Consultas a banco de dados no ArcView UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE CARTOGRAFIA Laboratório de Geoprocessamento Grazielle Anjos Carvalho Belo Horizonte, 2007 A consulta ao banco de dados no Arcview

Leia mais

Especialização em Direito Ambiental. 3. As principais funções das matas ciliares são:

Especialização em Direito Ambiental. 3. As principais funções das matas ciliares são: Pedro da Cunha Barbosa. Especialização em Direito Ambiental. Área do conhecimento jurídico que estuda as relações entre o homem e a natureza, é um ramo do direito diferenciado em suas especificidades e,

Leia mais

Disciplina SIG Profa. Responsável Maria Isabel C. de Freitas Profa. Colaboradora Lucimari Rossetti

Disciplina SIG Profa. Responsável Maria Isabel C. de Freitas Profa. Colaboradora Lucimari Rossetti Disciplina SIG Profa. Responsável Maria Isabel C. de Freitas Profa. Colaboradora Lucimari Rossetti Georreferenciamento da Carta Topográfica Digitalizada de Rio Claro (Imagem Escaneada ) ArcGIS 10.0 Iniciar

Leia mais

Iniciando o ArcView 3.2

Iniciando o ArcView 3.2 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS DEGEO LABORATÓRIO DE GEOPROCESSAMENTO DIDÁTICO Iniciando o ArcView 3.2 Selma Regina Aranha Ribeiro Ricardo Kwiatkowski Silva Carlos André

Leia mais

1 - INTRODUÇÃO 2 - CONCEITOS BÁSICOS ARCPAD

1 - INTRODUÇÃO 2 - CONCEITOS BÁSICOS ARCPAD 1 - INTRODUÇÃO O ArcPad é um software de mapeamento e tratamento de Informações Geográficas desenvolvido pela ESRI cujo objetivo principal é a portabilidade e mobilidade dos dados. O ArcPad pode ser utilizado

Leia mais

VII Reunião de Atualização em Eucalitptocultura

VII Reunião de Atualização em Eucalitptocultura VII Reunião de Atualização em Eucalitptocultura Planejamento da Propriedade Agrícola (APP e RL) Eng o. F tal. Msc. João Carlos Teixeira Mendes Dept o. Ciências Florestais ESALQ/USP Estação Experimental

Leia mais

Georreferenciamento de arquivos Raster em ArcGIS

Georreferenciamento de arquivos Raster em ArcGIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE CARTOGRAFIA Laboratório de Geoprocessamento Georreferenciamento de arquivos Raster em ArcGIS Grazielle Anjos Carvalho Paulo

Leia mais

Módulo fiscal em Hectares 20 10 16 12

Módulo fiscal em Hectares 20 10 16 12 CÓDIGO FLORESTAL COMO SE REGULARIZAR O QUE É CÓDIGO FLORESTAL? O Código é uma lei que estabelece limites e obrigações no uso da propriedade,, que deve respeitar a vegetação existente na terra, considerada

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL. Zoneamento Ambiental. Espaços Territoriais especialmente protegidos ... Camila Regina Eberle camilaeberle@hotmail.

GESTÃO AMBIENTAL. Zoneamento Ambiental. Espaços Territoriais especialmente protegidos ... Camila Regina Eberle camilaeberle@hotmail. ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL GESTÃO AMBIENTAL Zoneamento Ambiental Espaços

Leia mais

Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal

Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal 1/33 Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal Introdução Eng. Allan Saddi Arnesen Eng. Frederico Genofre Eng. Matheus Ferreira Eng. Marcelo Pedroso Curtarelli 2/33 Conteúdo

Leia mais

E qual é a nossa realidade???

E qual é a nossa realidade??? E qual é a nossa realidade??? Área urbana invadindo a beira de rio MUNIC 2012 - Dos 366 municípios que declararam sofrer problemas de deslizamento de terra, 25% também declararam ter como causa da degradação

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA MICROBACIA SANGA ITÁ, MUNICÍPIO DE QUATRO PONTES, PARANÁ

AVALIAÇÃO DA ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA MICROBACIA SANGA ITÁ, MUNICÍPIO DE QUATRO PONTES, PARANÁ AVALIAÇÃO DA ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA MICROBACIA SANGA ITÁ, MUNICÍPIO DE QUATRO PONTES, PARANÁ Mônica A. Muller, Aline Uhlein, Deise D. Castagnara, Diego A. V. Gambaro, Pedro C. S. da Silva (Orientador/UNIOESTE),

Leia mais

5.2.3.1.1 Editar Matrícula

5.2.3.1.1 Editar Matrícula Figura 37 Tabela de matrículas adicionadas. 5.2.3.1.1 Editar Matrícula Para editar uma matrícula, o usuário deve acessar a opção (Editar), conforme destaque na Figura 38. O sistema irá carregar os dados

Leia mais

O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA. Restrições x Oportunidades

O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA. Restrições x Oportunidades O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA Restrições x Oportunidades Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável SDS Dr. Gilney Amorim Viana ASPECTOS REGULATÓRIOS RELEVANTES Código Florestal:

Leia mais

Prof. Charles Alessandro Mendes de Castro

Prof. Charles Alessandro Mendes de Castro ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE -NOVO CÓDIGO FLORESTAL MINEIRO LEI 20922/13 Prof. Charles Alessandro Mendes de Castro ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE(APPs) ART. 8º - São aquelas cobertas ou não por vegetação

Leia mais

Objetivo: desenvolver um Plano de Bacia Hidrográfica

Objetivo: desenvolver um Plano de Bacia Hidrográfica Tutorial de Aplicações do geoprocessamento em Sistema de Informação Geográfica livre Elaborado por: ¹Loide Angelini Sobrinha; ²Leandro Guimarães Bais Martins; ³João Luiz Boccia Brandão ¹ ²Engenheiro(a)

Leia mais

Aula de ArcGIS Criando uma planta de um

Aula de ArcGIS Criando uma planta de um Aula de ArcGIS Criando uma planta de um topográfico Prof. Frederico D. Bortoloti Introdução No menu Iniciar, vá no grupo de programas ArcGIS e clique em ArcMap No ArcMap, feche a janela inicial. Passo

Leia mais

LIMPEZA DA ÁREA LIMPEZA DA ÁREA LIMPEZA DA ÁREA MATA CILIAR. Áreas de Preservação Permanente RESERVA LEGAL

LIMPEZA DA ÁREA LIMPEZA DA ÁREA LIMPEZA DA ÁREA MATA CILIAR. Áreas de Preservação Permanente RESERVA LEGAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE MEDICINA VETERINÁRIA DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO ANIMAL ESPECIALIZAÇÃO EM PRODUÇÃO DE BOVINOS FORMAÇÃO E MANEJO DE PASTAGENS (IMPLANTAÇÃO DE PASTAGENS) EDGAR FRAGA

Leia mais

ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE EM ÁREAS URBANAS

ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE EM ÁREAS URBANAS ESTUDO ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE EM ÁREAS URBANAS Roseli Senna Ganem Consultora Legislativa da Área XI Meio Ambiente e Direito Ambiental, Organização Territorial, Desenvolvimento Urbano e Regional

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental

Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental Segundo a Lei Federal 12.651/2012 e Decreto Federal 7.830/2012 ESALQ Março/Abril de 2014 Caroline Vigo Cogueto Centro de Monitoramento e Avaliação

Leia mais

INTRODUÇÃO ÀS FERRAMENTAS DE GEOPROCESSAMENTO PARA ECOLOGIA DE PAISAGENS

INTRODUÇÃO ÀS FERRAMENTAS DE GEOPROCESSAMENTO PARA ECOLOGIA DE PAISAGENS UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO USP Instituto de Biociências Departamento de Ecologia Laboratório de Ecologia da Paisagem e Conservação (LEPaC) CURSO DE DIFUSÃO APOSTILA INTRODUÇÃO ÀS FERRAMENTAS DE GEOPROCESSAMENTO

Leia mais

TEXTO EM VIGOR EM VERDE

TEXTO EM VIGOR EM VERDE BUREAUX JURÍDICOS ASSOCIADOS Porto Alegre-RS Brasília-DF São Paulo-SP Belo Horizonte-MG Ricardo Alfonsin Advogados Ricardo Barbosa Alfonsin OAB/RS 9.275 Breno Moreira Mussi OAB/RS 5.791 Arilei Ribeiro

Leia mais

ACONSTRUIDA... 28 AFD Área de faixa de Domínio... 29 ESTRADA... 30 FERROVIA... 31 DUTO... 32 LTRANSMISSAO... 33 Orientações para atributação dos

ACONSTRUIDA... 28 AFD Área de faixa de Domínio... 29 ESTRADA... 30 FERROVIA... 31 DUTO... 32 LTRANSMISSAO... 33 Orientações para atributação dos Sumário Introdução... 4 O projeto geográfico da Dominialidade... 5 Importação de shapes... 5 Lista de feições de uso obrigatório... 6 Lista de feições de uso condicionado... 6 Lista das feições processadas...

Leia mais

Rodar o ArcMap e navegar até o diretório do tutorial (~Map) para selecionar o mapa que foi concluído no exercício anterior airport_tutorial

Rodar o ArcMap e navegar até o diretório do tutorial (~Map) para selecionar o mapa que foi concluído no exercício anterior airport_tutorial ArcMAP (parte 4) Nesta parte do tutorial, você irá usar o ArcMap para editar os seus dados bem como criar mapas. Neste exercício, você irá expandir a rodovia do aeroporto para criar uma nova rodovia juntando

Leia mais

Sistema de Informações Geográficas Aplicado a Bacias Hidrográficas Aula 3. Frederico Damasceno Bortoloti

Sistema de Informações Geográficas Aplicado a Bacias Hidrográficas Aula 3. Frederico Damasceno Bortoloti Sistema de Informações Geográficas Aplicado a Bacias Hidrográficas Aula 3 Frederico Damasceno Bortoloti Criar um novo arquivo de feição ArcCatalog: clique com o botão direito em uma pasta e selecione Novo

Leia mais

SIG - Sistemas de Informação Geográfica

SIG - Sistemas de Informação Geográfica SIG - Sistemas de Informação Geográfica Gestão da Informação Para gestão das informações relativas ao desenvolvimento e implantação dos Planos Municipais de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL. Autorização para supressão de vegetação nativa e intervenções em Áreas de Preservação Permanente - APP

LICENCIAMENTO AMBIENTAL. Autorização para supressão de vegetação nativa e intervenções em Áreas de Preservação Permanente - APP LICENCIAMENTO AMBIENTAL Autorização para supressão de vegetação nativa e intervenções em Áreas de Preservação Permanente - APP Engª Adriana Maira Rocha Goulart Gerente Divisão de Apoio e Gestão dos Recursos

Leia mais

Novo Código Florestal, Adequação Ambiental e CAR

Novo Código Florestal, Adequação Ambiental e CAR Considerações Novo Código Florestal, Adequação Ambiental e CAR Prof. Rafaelo Balbinot Curso de Engenharia Florestal UFSM-Campus de Frederico Westphalen Padrão Legal X Padrão de Qualidade Capacitação para

Leia mais

Mapeamento de APP e Reserva Legal APP de corpos d água

Mapeamento de APP e Reserva Legal APP de corpos d água 1/53 Mapeamento de APP e Reserva Legal APP de corpos d água Técnicas de mapeamento: exercícios práticos Eng. Allan Saddi Arnesen Mestre em Sensoriamento Remoto - INPE 2/53 Conteúdo programático: Capitulo

Leia mais

Tutorial 3 Dataframe layers Dataframe

Tutorial 3 Dataframe layers Dataframe Tutorial 3 Inserir malha geográfica Inserir uma linha conectando as duas localidades Copiar a imagem produzida Definir uma projeção cartográfica Mudar o nome do Dataframe Exportar os layers do Dataframe

Leia mais

8º. Curso de Atualização em Eucaliptocultura. Adequação Legal da Propriedade Rural

8º. Curso de Atualização em Eucaliptocultura. Adequação Legal da Propriedade Rural 8º. Curso de Atualização em Eucaliptocultura Adequação Legal da Propriedade Rural Eng o. F tal. Msc. João Carlos Teixeira Mendes jctmende@esalq.usp.br Departamento de Ciências Florestais Estação Experimental

Leia mais

Saiba mais sobre o Novo Código Florestal Brasileiro e o CAR COLADO NA CAPA

Saiba mais sobre o Novo Código Florestal Brasileiro e o CAR COLADO NA CAPA Saiba mais sobre o Novo Código Florestal Brasileiro e o CAR COLADO NA CAPA Índice O que o agricultor brasileiro deve saber sobre o Novo Código Florestal?...1 Começando a regularizar o imóvel rural...2

Leia mais

Sistema de Informações Geográficas Aplicado a Bacias Hidrográficas Aula 1. Frederico Damasceno Bortoloti

Sistema de Informações Geográficas Aplicado a Bacias Hidrográficas Aula 1. Frederico Damasceno Bortoloti Sistema de Informações Geográficas Aplicado a Bacias Hidrográficas Aula 1 Frederico Damasceno Bortoloti Agenda Revisão das funcionalidades do ArcGIS Criação de documentos de mapa Classificação de camadas

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA Jugurta Lisboa Filho Departamento de Informática Universidade Federal de Viçosa (MG) jugurta@dpi.ufv.br Universidade Federal de Viçosa Departamento de Informática Tópicos

Leia mais

DICA 4.3 Programa CAR Módulo de Cadastro ETAPA GEO. Brasil Abril de 2015 Realização

DICA 4.3 Programa CAR Módulo de Cadastro ETAPA GEO. Brasil Abril de 2015 Realização DICA 4.3 Programa CAR Módulo de Cadastro ETAPA GEO Este material de apoio ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) faz parte das ações de difusão de boas práticas agrícolas do Programa Agricultura Consciente

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (I)

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (I) UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS DISCIPLINA: LEB450 TOPOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO II PROF. DR. CARLOS ALBERTO VETTORAZZI

Leia mais

Glossário das Camadas do SISTEMA CADEF

Glossário das Camadas do SISTEMA CADEF Glossário das Camadas do SISTEMA CADEF Imagem dos Corredores Ecológicos: Exibe a imagem de satélite baixa resolução de SPOT-5, adquirida em 2005. Esta imagem está como padrão defaut ao iniciar o sistema,

Leia mais

O que mudou no novo Sistema de Cadastro Ambiental Rural de Minas Gerais?

O que mudou no novo Sistema de Cadastro Ambiental Rural de Minas Gerais? O que mudou no novo Sistema de Cadastro Ambiental Rural de Minas Gerais? O Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da conjugação de esforços entre Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento

Leia mais

Igualmente ao procedimento do mapa de uso da terra, você começará criando um novo data frame para visualizar dados.

Igualmente ao procedimento do mapa de uso da terra, você começará criando um novo data frame para visualizar dados. ArcMAP (parte 3) Nesta parte do tutorial, você irá mapear a densidade populacional para o município. Um mapa de densidade populacional mostra onde as pessoas estão concentradas. Primeiramente, você adicionará

Leia mais

PTR 2355/2389 Princípios de Geoprocessamento. Atividade Prática: Laboratório SIG

PTR 2355/2389 Princípios de Geoprocessamento. Atividade Prática: Laboratório SIG PTR 2355/2389 Princípios de Geoprocessamento Atividade Prática: Laboratório SIG Docentes: Prof. Dr Claudio Luiz Marte Prof. Dr. José Alberto Quintanilha Elaboração Roteiro: Mariana Abrantes Giannotti Colaboração:

Leia mais

EXERCÍCIO 5: TRABALHANDO COM DESENHOS CAD

EXERCÍCIO 5: TRABALHANDO COM DESENHOS CAD EXERCÍCIO 5: TRABALHANDO COM DESENHOS CAD O ArcMap permite que se trabalhe com arquivos de formato CAD. Antes se realizar qualquer operação de edição sobre este arquivo, é importante converter a extensão

Leia mais

QGIS 2.4 Sistemas de Referência de Coordenadas (SRC)

QGIS 2.4 Sistemas de Referência de Coordenadas (SRC) QGIS 2.4 Sistemas de Referência de Coordenadas (SRC) Jorge Santos 2014 Conteúdo Sumário Capítulo 1... 3 Introdução... 3 1.1 Referência Espacial... 3 1.2 Sistema de Referência de Coordenadas (SRC)...3 1.3

Leia mais

Transformação entre o SAD 69 e o SIRGAS2000 no ArcGIS

Transformação entre o SAD 69 e o SIRGAS2000 no ArcGIS Transformação entre o SAD 69 e o SIRGAS2000 no ArcGIS Relatório de pesquisa Como projetar dados em SAD69 para SIRGAS 2000 no ArcGIS. Conteúdo Introdução... 2 Quando usar NTV2 ou GEOCENTRIC TRANSLATION...

Leia mais

GEODATABASES EXERCÍCIO 1

GEODATABASES EXERCÍCIO 1 GEODATABASES A informação espacial de que muitas vezes dispomos, para os nossos projectos, provem de fontes diversas e surge nos mais variados formatos, shapefiles, ficheiros CAD, imagens, etc, todos estes

Leia mais

Sistemas de Informação Geográfica 2008/2009

Sistemas de Informação Geográfica 2008/2009 Sistemas de Informação Geográfica 2008/2009 Explorar o ARCGIS para editar dados 1. Abrir o ArcMap e adicionar dados Escolher a opção A new empty map Adicionar dados da geodatabase Subdivision SubdivisionParcels

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS Laboratório de Ensino, Pesquisa e Projetos em Análise Espacial TUTORIAL DE SPRING Alexandro Medeiros

Leia mais

Apostila do curso: Quantum GIS Básico Módulo I

Apostila do curso: Quantum GIS Básico Módulo I Apostila do curso: Quantum GIS Básico Módulo I Helio Larri Vist Geógrafo Mestre em Sensoriamento Remoto Ayr Müller Gonçalves Educador Físico e Graduando em Segurança da Informação Rai Nunes dos Santos

Leia mais

Lei Federal nº 12.651/12 ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE. Eng. Agr. Renata Inês Ramos Eng. Ftal. Irene Tosi Ahmad

Lei Federal nº 12.651/12 ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE. Eng. Agr. Renata Inês Ramos Eng. Ftal. Irene Tosi Ahmad Lei Federal nº 12.651/12 ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE Eng. Agr. Renata Inês Ramos Eng. Ftal. Irene Tosi Ahmad Lei 12651/12 Áreas de Preservação Permanente CONCEITO - Art. 3º, inciso II Área protegida

Leia mais

http://www4.planalto.gov.br/legislacao/resenha-diaria/2012/maio-resenhadiaria#content

http://www4.planalto.gov.br/legislacao/resenha-diaria/2012/maio-resenhadiaria#content http://www4.planalto.gov.br/legislacao/resenha-diaria/2012/maio-resenhadiaria#content Lei nº 12.651, de 25.5.2012 - Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis n os 6.938, de 31 de agosto

Leia mais

Lição VII ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DO RIO IBICUÍ

Lição VII ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DO RIO IBICUÍ Lição VII ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DO RIO IBICUÍ - 79 - A última lição trata sobre a questão ambiental. Iremos estudar sobre a importância da preservação da vegetação, principalmente da mata ciliar.

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO Enio Resende de Souza Eng. Agr. M.Sc. Manejo Ambiental / Coordenador Técnico / Meio Ambiente Gestão do Produto

Leia mais

Lei 12.651/2012. Prof. Dr. Rafaelo Balbinot Departamento. de Eng. Florestal UFSM Frederico Westphalen

Lei 12.651/2012. Prof. Dr. Rafaelo Balbinot Departamento. de Eng. Florestal UFSM Frederico Westphalen Lei 12.651/2012 Prof. Dr. Rafaelo Balbinot Departamento. de Eng. Florestal UFSM Frederico Westphalen Considerações Padrão Legal X Padrão de Qualidade Capacitação para aplicação da lei Análise individual

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS Laboratório de Ensino, Pesquisa e Projetos em Análise Espacial TUTORIAL DE SPRING Alexandro Medeiros

Leia mais

Marcio S. Suganuma Escola de Engenharia de São Carlos EESC/ USP. marciosuganuma@gmail.com

Marcio S. Suganuma Escola de Engenharia de São Carlos EESC/ USP. marciosuganuma@gmail.com Marcio S. Suganuma Escola de Engenharia de São Carlos EESC/ USP marciosuganuma@gmail.com Área de preservação permanente (artigos 2 o e 3 o ) Reserva Legal (artigos 16 e 44) Área de preservação permanente

Leia mais

Vetorização no Spring

Vetorização no Spring UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE CARTOGRAFIA Laboratório de Geoprocessamento Vetorização no Spring Grazielle Anjos Carvalho Beatriz Trindade Laender Belo Horizonte,

Leia mais

CADASTRO AMBIENTAL RURAL E AS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE

CADASTRO AMBIENTAL RURAL E AS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE CADASTRO AMBIENTAL RURAL E AS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE O que são as APP e quais as suas funções Diferença entre APP e Reserva Legal Os diversos tipos de APP Sobre nascentes e olho d água diferenças

Leia mais

ANÁLISE DO USO DA TERRA NAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA BARRAGEM PIRAQUARA II E SEUS AFLUENTES. PIRAQUARA PARANÁ

ANÁLISE DO USO DA TERRA NAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA BARRAGEM PIRAQUARA II E SEUS AFLUENTES. PIRAQUARA PARANÁ ANÁLISE DO USO DA TERRA NAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA BARRAGEM PIRAQUARA II E SEUS AFLUENTES. PIRAQUARA PARANÁ 1. INTRODUÇÃO Otacílio Lopes de Souza da Paz Acadêmico de Geografia UFPR otacílio.paz@gmail.com

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE TÉCNICAS DE GEOPROCESSAMENTO COMO FERRAMENTA PARA DELIMITAÇÃO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE NO MUNICÌPIO DE BRASÓPOLIS MG.

UTILIZAÇÃO DE TÉCNICAS DE GEOPROCESSAMENTO COMO FERRAMENTA PARA DELIMITAÇÃO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE NO MUNICÌPIO DE BRASÓPOLIS MG. UTILIZAÇÃO DE TÉCNICAS DE GEOPROCESSAMENTO COMO FERRAMENTA PARA DELIMITAÇÃO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE NO MUNICÌPIO DE BRASÓPOLIS MG. PEDRO HENRIQUE BAÊTA ANGELINI 1, ROSÂNGELA ALVES TRISTÃO BORÉM

Leia mais

Introdução ao ArcGIS

Introdução ao ArcGIS Introdução ao ArcGIS Maria Cecilia Brandalize Novembro, 2011 Tópicos O que é um SIG? A estrutura do ArcGIS Dados utilizados no ArcGIS Operações básicas com o ArcGIS Edição de dados Combinação de dados

Leia mais

ArcMAP (parte 2) Rodar o ArcMap teclar: Iniciar > Todos os programas > ArcGIS > ArcMap. Sobre a janela selecionar o item An existing map:

ArcMAP (parte 2) Rodar o ArcMap teclar: Iniciar > Todos os programas > ArcGIS > ArcMap. Sobre a janela selecionar o item An existing map: ArcMAP (parte 2) Nesta parte do tutorial, você irá mapear cada tipo de uso da terra dentro do noise contour. Você adicionará dados ao seu mapa, desenhará feições baseadas em atributos, selecionará feições

Leia mais

MAPEAMENTO DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PAJEÚ-PE. Carlos Tiago Amâncio Rodrigues¹, André Quintão de Almeida²

MAPEAMENTO DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PAJEÚ-PE. Carlos Tiago Amâncio Rodrigues¹, André Quintão de Almeida² MAPEAMENTO DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PAJEÚ-PE Carlos Tiago Amâncio Rodrigues¹, André Quintão de Almeida² ¹Graduando em Agronomia, UAST, UFRPE,Serra Talhada-PE, tiagoamancio@hotmail.com

Leia mais

"Protegendo as nascentes do Pantanal"

Protegendo as nascentes do Pantanal "Protegendo as nascentes do Pantanal" Diagnóstico da Paisagem: Região das Cabeceiras do Rio Paraguai Apresentação O ciclo de garimpo mecanizado (ocorrido nas décadas de 80 e 90), sucedido pelo avanço das

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (SIG) Oficina - Overlay e Obtenção do Mapa de Suscetibilidade à Erosão

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (SIG) Oficina - Overlay e Obtenção do Mapa de Suscetibilidade à Erosão SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (SIG) Responsável: MARIA ISABEL C DE FREITAS Oficina - Overlay e Obtenção do Mapa de Suscetibilidade à Erosão O objetivo desta oficina é oferecer aporte à geração de mapa

Leia mais

Análise da Paisagem. Riscos ambientais relacionados ao uso e apropriação do relevo

Análise da Paisagem. Riscos ambientais relacionados ao uso e apropriação do relevo Análise da Paisagem Riscos ambientais relacionados ao uso e apropriação do relevo (análise do meio físico como subsídio para o planejamento territorial) Desastres naturais ocorridos no mundo e seus respectivos

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 18/2014 Deputado(a) Catarina Paladini

PROJETO DE LEI Nº 18/2014 Deputado(a) Catarina Paladini DIÁRIO OFICIAL DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Porto Alegre, terça-feira, 10 de fevereiro de 2015. PRO 1 PROJETO DE LEI Nº 18/2014 Reconhece como de relevante interesse cultural e ambiental o Balneário dos prazeres,

Leia mais

ArcGIS: Rescale em Batch, Composição Colorida RGB e Fusão de Imagens Landsat-8

ArcGIS: Rescale em Batch, Composição Colorida RGB e Fusão de Imagens Landsat-8 ArcGIS: Rescale em Batch, Composição Colorida RGB e Fusão de Imagens Landsat-8 2013 LANDSAT-8: Informações para Novos Usuários de Imagens Licença: As imagens Landsat-8 são gratuitas; Download: Para baixar

Leia mais

Tutorial Simplificado do OpenJUMP THIAGO GOMES

Tutorial Simplificado do OpenJUMP THIAGO GOMES 1 Tutorial Simplificado do OpenJUMP THIAGO GOMES 2 O OpenJUMP é um sistema de informação geográfica (SIG) de fácil visualização, manipulação e produção de arquivos no formato shapefile (.shp). Além de

Leia mais

Acesso ao Servidor de Mapas (ARCMAP)

Acesso ao Servidor de Mapas (ARCMAP) Acesso ao Servidor de Mapas (ARCMAP) Versão 1.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 05/03/2014 1.0 Criação do documento Frederico dos Santos Soares APRESENTAÇÃO O presente documento tem como

Leia mais

Aula 3 - Registro de Imagem

Aula 3 - Registro de Imagem 1. Registro de Imagens Aula 3 - Registro de Imagem Registro é uma transformação geométrica que relaciona as coordenadas da imagem (linha e coluna) com as coordenadas geográficas (latitude e longitude)

Leia mais

Código Florestal: APP e RL

Código Florestal: APP e RL Código Florestal: APP e RL Decreto Federal 23793/34: Institui o Código Florestal Brasileiro (Getúlio Vargas) Art. 1º As florestas existentes no territorio nacional, consideradas em conjuncto, constituem

Leia mais

CAPÍTULO 6 NOVO CÓDIGO FLORESTALBRASILEIRO (LEI 12.651/2012)

CAPÍTULO 6 NOVO CÓDIGO FLORESTALBRASILEIRO (LEI 12.651/2012) MANUAL DE DIREITO AMBIENTAL ROMEU THOMÉ ATUALIZAÇÃO DA 2ª PARA A 3ª EDIÇÃO CAPÍTULO 6 NOVO CÓDIGO BRASILEIRO (LEI 12.651/2012) NA PÁGINA 304: Onde se lê: Já em 25 de maio de 2012, e após intensos debates

Leia mais

1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS

1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS Secretaria de Estado do Meio SEMA-MT Roteiro Básico de Projeto de Compensação de Área de Reserva Legal (ARL) 1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS I T E M N º. D O C U M E N T O S E X I G I D O S O B S E

Leia mais

Exercício prático GPS Thales MobileMapper

Exercício prático GPS Thales MobileMapper Exercício prático GPS Thales MobileMapper Criar biblioteca: - Abrir o software Mobile Mapper Office e, no menu Tools, seleccionar a opção Feature Library Editor. - Para criar os ficheiros de pontos, linhas

Leia mais

Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT

Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT Diagnóstico Ambiental do Município de Alta Floresta - MT Paula Bernasconi Ricardo Abad Laurent Micol Maio de 2008 Introdução O município de Alta Floresta está localizado na região norte do estado de Mato

Leia mais

1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS

1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS Secretaria de Estado do Meio SEMA-MT Roteiro Básico de Projeto de Desoneração de Área de Reserva Legal (ARL) 1. DOCUMENTOS A SEREM APRESENTADOS I T E M N º. D O C U M E N T O S E X I G I D O S O B S E

Leia mais

DETERMINAÇÃO DAS ÁREAS DE CONFLITO DO USO DO SOLO NA MICROBACIA DO RIBEIRÃO ÁGUA-FRIA, BOFETE (SP), ATRAVÉS DE TÉCNICAS DE GEOPROCESSAMENTO

DETERMINAÇÃO DAS ÁREAS DE CONFLITO DO USO DO SOLO NA MICROBACIA DO RIBEIRÃO ÁGUA-FRIA, BOFETE (SP), ATRAVÉS DE TÉCNICAS DE GEOPROCESSAMENTO DETERMINAÇÃO DAS ÁREAS DE CONFLITO DO USO DO SOLO NA MICROBACIA DO RIBEIRÃO ÁGUA-FRIA, BOFETE (SP), ATRAVÉS DE TÉCNICAS DE GEOPROCESSAMENTO RAFAEL CALORE NARDINI; SÉRGIO CAMPOS; LUCIANO NARDINI GOMES;

Leia mais

CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD

CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Turismo Pós-Graduação em Gestão de Negócios CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD EMENTA

Leia mais

GPS TrackMaker. Principais Funções e aplicações. Departamento de Engenharia Florestal Universidade Estadual Centro-Oeste UNICENTRO - Campus de Irati

GPS TrackMaker. Principais Funções e aplicações. Departamento de Engenharia Florestal Universidade Estadual Centro-Oeste UNICENTRO - Campus de Irati GPS TrackMaker o Principais Funções e aplicações Departamento de Engenharia Florestal Universidade Estadual Centro-Oeste UNICENTRO - Campus de Irati GPS TrackMaker Software desenvolvido por Odilon Ferreira

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural CAR

Cadastro Ambiental Rural CAR Cadastro Ambiental Rural CAR LEGISLAÇÃO Lei Federal nº 12.651/2012 Código Florestal Brasileiro; Lei Estadual n.º 20.922/2013 - Dispõe sobre as políticas florestal e de proteção à biodiversidade no Estado

Leia mais

I Encontro Brasileiro de usuários QGIS

I Encontro Brasileiro de usuários QGIS I Encontro Brasileiro de usuários QGIS Uso do QGIS no Processamento Digital de Imagens de Sensoriamento Remoto Jorge Santos jorgepsantos@outlook.com www.processamentodigital.com.br Dicas, tutoriais e tudo

Leia mais

Tutorial do Sistema GeoOffice. Todos os direitos reservados (1999-2002)

Tutorial do Sistema GeoOffice. Todos os direitos reservados (1999-2002) Tutorial do Sistema GeoOffice Todos os direitos reservados (1999-2002) Sistema GeoOffice Sistema Topográfico Solution Softwares Tutorial Passo a Passo Conteúdo I Tabela de Conteúdos Foreword 0 Parte I

Leia mais