DICA 4.3 Programa CAR Módulo de Cadastro ETAPA GEO. Brasil Abril de 2015 Realização

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DICA 4.3 Programa CAR Módulo de Cadastro ETAPA GEO. Brasil Abril de 2015 Realização"

Transcrição

1 DICA 4.3 Programa CAR Módulo de Cadastro ETAPA GEO Este material de apoio ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) faz parte das ações de difusão de boas práticas agrícolas do Programa Agricultura Consciente da Nidera, e espera oferecer dicas úteis para facilitar e agilizar este importante processo eletrônico de cadastro de imóveis rurais no Brasil. Neste 5º material, você encontrará dicas para realizar a demarcação da área do imóvel e de seus componentes, como o tipo de cobertura do solo, Área de Preservação Permanente (APP) e Reserva Legal (RL), sobre a imagem de satélite do município em que ele está localizado. Brasil Abril de 2015 Realização

2 1 INTRODUÇÃO À ETAPA GEO Figura 1 Antes de entrarmos na ETAPA GEO, não se esqueça de fazer o download da imagem do município onde está localizado o seu imóvel rural. As dicas e informações apresentadas neste material são um complemento 1.1 à ETAPA GEO do Manual do Usuário do programa CAR - Módulo de cadastro elaborado pelo Ministério do Meio Ambiente. A sigla GEO vem da palavra GEORREFERENCIAMENTO, que significa a demarcação da área do imóvel e de seus componentes, como o tipo de cobertura do solo, Área de Preservação Permanente (APP) e Reserva Legal (RL), sobre a imagem de satélite do município em que ele está localizado. PADRÕES DE FEIÇÕES DE UMA PAISAGEM Para realizar qualquer análise em imagens de satélite é necessário ter um conhecimento mínimo sobre os padrões das feições de uma paisagem. A seguir, são apresentados alguns dos padrões que deverão ser reconhecidos na Etapa GEO, iniciando por OCUPAÇÃO ANTRÓPICA (Figura1), que refere-se a toda ocupação humana realizada por meio de atividades como agricultura, pecuária, construção civil e outras, que modificam a cobertura natural do solo, fazendo com que a área seja considerada degradada (área alterada em função de impacto da atividade humana, sem capacidade de regeneração natural) ou alterada (com capacidade de regeneração natural). Na Figura 1, são ilustradas áreas de agricultura que podem ser facilmente reconhecidas nas imagens de satélite, por apresentarem padrões com formas bem definidas, como: talhões, pivôs centrais, cores variadas, textura lisa e linhas de plantio. A Figura 2 apresenta os tipos de REMANESCENTE DE VEGETAÇÃO NATIVA com padrões arbóreos, arbustivos e campestres, que podem ser identificados nas imagens por meio da coloração em tons de verde, e textura rugosa; apresentando maior número de pontos de sombras em função da diferença de tamanho da vegetação; bem como, pelas formas não regulares e sem indícios de alteração por ações humanas. Figura 2 2

3 Figura 3 Já a Figura 3 apresenta fragmentos de REMANESCENTE DE VEGETAÇÃO NATIVA ao lado de áreas de OCUPAÇÃO ANTRÓPICA. Na Figura 4 são apresentados os tipos de CORPOS D ÁGUA, tais como: rios, lagos, lagoas, águas costeiras, canais artificiais, reservatórios, dentre outros. Estas feições podem ser reconhecidas na paisagem por conterem coloração em tons de azul e preto e formas variadas no caso de formações naturais, e formas bem definidas no caso de formações artificiais. Figura 4 COORDENADAS GEOGRÁFICAS 1.2 Para demarcar ou localizar qualquer tipo de informação em um mapa ou imagem de satélite, criou-se os Sistemas de Coordenadas Geográficas que são formados por linhas imaginárias que permitem atribuir a cada ponto da superfície terrestre um par de coordenadas geográficas, que indicam a latitude (Norte-Sul) e longitude (Leste-Oeste) do ponto (Figura 5), e medidas em graus considerando o hemisfério que se encontram (Figura 6). Figura 5 Lon: 47º55'24 W Lat: 15º48'09 S Figura 6 (A) reservatório para abastecimento/geração de energia, (B) APP de curso d água, (C) lago natural, (D) corpo d água litorâneo, (E) curso d água com largura menor que 10 m e (F) curso d água com largura maior que 100 m. 3

4 2 DEMARCANDO A ÁREA DE SEU IMÓVEL Selecione a ferramenta desenhar polígono, e sobre a área de seu imóvel, inicie a demarcação sempre com 1 clique do botão esquerdo do mouse e crie os chamados nós ou vértices do seu polígono. Na ETAPA GEO do programa CAR - Módulo de cadastro, existem 3 opções para demarcar a área de seu imóvel. Para iniciar a demarcação, clique no passo para georreferenciamento ÁREA DO IMÓVEL. LEMBRETE: Passos para georreferenciamento do imóvel estão descritos na página 79 do Manual do Usuário Opção 1: Desenhar polígono Localize o seu imóvel, por meio das ferramentas inserir coordenada de referência. Outra opção é pesquisar por município e em seguida, localizar visualmente na imagem de satélite e/ou com o auxílio das coordenadas geográficas do programa. Dicas: Para traçados arredondados do polígono, crie um número maior de nós. Continue com a demarcação, mesmo que tenha criado um ou alguns nós fora do traçado real de seu imóvel. Caso tenha efetuado o clique duplo do mouse, antes de finalizar o traçado do polígono, o programa incluirá o nó final e o fechará automaticamente. Se estiver no início da criação do polígono, sugere-se remover o objeto e recomeçar Com clique duplo do botão esquerdo do mouse, finalize a demarcação e feche o polígono. Caso precise excluir algum nó ou corrigir algum traçado, perceba que os nós possuem 2 tonalidades diferentes de branco. Um clique sobre o nó branco transparente, gera a sua duplicação. Já um clique sobre o nó branco normal, gera a sua exclusão. Para CORRIGIR algum traçado, clique e segure o nó com o botão esquerdo do mouse e desloque-o até o local correto. 4

5 Opção 3: Importar um arquivo shapefile, kml ou gpx Opção 2: Inserir vértices de polígono manualmente Utilize esta opção, caso você possua os dados de longitude e latitude Utilize esta opção, caso você possua algum mapa com os polígono de de todos os vértices do polígono de seu imóvel rural. seu imóvel, que tenha sido produzido e salvo nos formatos shapefile,.kml ou.gpx Clique aqui para continuar a inserir cada ponto individualmente Clique aqui, caso possua os dados salvos em seu computador em uma planilha do Excel (formato.xls ou.xlsx), conforme exemplo abaixo. Dicas: Ao utilizar um arquivo shapefile, você deverá compactar os formatos.shp,.shx,.dbf e.prj, associados à feição que será representada, em um arquivo ZIP. Para representar cada feição a ser inserida no cadastro deve ser produzido um arquivo ZIP individual. Por exemplo, é preciso um arquivo associado para o perímetro do imóvel, um para remanescente de vegetação nativa, outro para área consolidada, e assim por diante. 5

6 LEMBRETE: Ao finalizar a demarcação da ÁREA DO IMÓVEL, verifique com a ferramenta Quadro de áreas, se os dados estão de acordo com a realidade ÁREA CONSOLIDADA IMPORTANTE: ÁREA LÍQUIDA DO IMÓVEL = área total - área de servidão administrativa Essa informação é importante, pois o cálculo da área da Reserva Legal do imóvel é realizado sobre a área líquida e não sobre a área total. É a área de imóvel rural com OCUPAÇÃO ANTRÓPICA (definição na página 2) preexistente a 22 de julho de 2008, como edificações, benfeitorias ou atividades agrossilvipastoris, admitida, neste último caso, a adoção do regime de pousio. Caso sua área necessite de alguma regularização em áreas de uso restrito, Reserva Legal ou Áreas de Preservação Permanente (APP), a delimitação desta área pode ser muito importante. 3 COBERTURA DO SOLO No passo COBERTURA DO SOLO, você poderá inserir as feições ÁREA CONSOLIDADA, REMANESCENTE DE VEGETAÇÃO NATIVA e ÁREA DE POUSIO REMANESCENTE DE VEGETAÇÃO NATIVA Complementando a descrição desta feição (página 2), esta é uma área com vegetação nativa em estágio primário (efeitos mínimos ou ausentes de ações antrópicas) ou secundário avançado de regeneração (vegetação recuperada com os processos naturais de sucessão, após supressão total ou parcial da vegetação primária, por ações antrópicas ou causas naturais). 6

7 3.4. DEMARCANDO AS FEIÇÕES LEMBRETE: Quando conservada essa vegetação nativa apresenta uma série utilidades, como: amortecimento de impacto da chuva, diminuindo a erosão do solo e o assoreamento de rios e reservatórios; melhoria da qualidade e quantidade da água de rios e reservatórios; melhoria da umidade e da qualidade do ar; possibilidade de extração de produtos florestais não madeireiros; possibilidade de manejo florestal para extração de madeira; estoque de carbono, que contribui para a diminuição do efeito estufa; manutenção de estoque genético de plantas nativas; conservação da biodiversidade e como benefício, a diminuição dos ataques de pragas. Para demarcar cada uma das feições, selecione a feição desejada e utilize uma das 3 opções de demarcação de área apresentadas nas páginas 4 e 5. Dicas para a Opção 1: Desenhar polígono Utilize a ferramenta clonar objetos de outra categoria para copiar o polígono de outra feição. Por exemplo, após demarcar a ÁREA DO IMÓVEL, você poderá clonar este polígono e utilizar parte dele para criar o novo polígono da ÁREA CONSOLIDADA de seu imóvel ÁREA DE POUSIO Refere-se à área onde ocorre a interrupção temporária de atividades ou usos agrícolas, pecuários ou silviculturais, por no máximo 5 (cinco) anos, para possibilitar a recuperação da capacidade de uso ou da estrutura física do solo. Desta forma, você evita erros na demarcação da nova feição que possui sobreposição exata sobre outras. RELEMBRANDO: um clique sobre o nó branco transparente, gera a sua duplicação. Já um clique sobre o nó branco normal, gera a sua exclusão. Para CORRIGIR algum traçado, clique e segure o nó com o botão esquerdo do mouse e desloque-o até o local correto. 7

8 LEMBRETE: Ao finalizar a demarcação da COBERTURA DO SOLO, verifique com a ferramenta Quadro de áreas, se os dados estão de acordo com a realidade. É uma área de utilidade pública declarada pelo Poder Público, na qual se restringe o uso de partes do imóvel rural visando atender uma necessidade coletiva da sociedade. No passo SERVIDÃO ADMINISTRATIVA, você poderá inserir as feições INFRAESTRUTURA PÚBLICA, UTILIDADE PÚBLICA e RESERVATÓRIO PARA ABASTECIMENTO OU GERAÇÃO DE ENERGIA. SERVIDÃO ADMINISTRATIVA 4 Dicas para o Quadro de áreas Sempre que finalizar a demarcação de uma feição, verifique com a ferramenta Quadro de áreas, se os dados estão de acordo com a realidade. Para facilitar a visualização dos polígonos das feições de seu imóvel, em alguns momentos, pode ser interessante habilitar ou desabilitar alguma feição específica no mapa, ou tornar a cor de preenchimento dos polígonos transparente. LEMBRETE: A cobertura do solo que não for classificada nas 3 feições mencionadas, será considerada como ÁREA ANTRÓPICA NÃO CONSOLIDADA INFRAESTRUTURA PÚBLICA INFRAESTRUTURA PÚBLICA refere-se ao conjunto de instalações, equipamentos ou serviços pertencentes ao governo em benefício da sociedade. Os principais exemplos são obras nos setores de transporte, telecomunicações, saneamento e energia. 8

9 Dicas para demarcação das feições Essas feições podem ser demarcadas pela ferramenta Desenhar linhas, como no caso de estradas, ou por Desenhar polígono, como em praças públicas. Ao utilizar Desenhar linhas, você será questionado sobre a largura da feição, devendo informá-la para que seja gerada automaticamente. ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE/ USO RESTRITO UTILIDADE PÚBLICA São caracterizadas como áreas que possuem: a) atividades de segurança nacional e proteção sanitária; b) obras de infraestrutura destinadas às concessões e aos serviços públicos de transporte, sistema viário, saneamento, gestão de resíduos, energia, telecomunicações, radiodifusão, instalações necessárias à realização de competições esportivas estaduais, nacionais ou internacionais, bem como mineração, exceto, neste último caso, a extração de areia, argila, saibro e cascalho; c) atividades e obras de defesa civil; d) atividades que comprovadamente proporcionem melhorias na proteção de funções ambientais ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE (APP) é definida como área protegida, coberta ou não por vegetação nativa, com a função ambiental de preservar os recursos hídricos, a paisagem, a estabilidade geológica, a biodiversidade, facilitar o fluxo gênico de fauna e flora, proteger o solo e assegurar o bem-estar das populações humanas. As demarcações da APP podem ser agrupadas em relação ao seu caráter de proteção de RECURSOS HÍDRICOS, do RELEVO ou da LOCALIZAÇÃO. 9

10 APP - RECURSOS HÍDRICOS CURSOS D'ÁGUA - São as faixas nas margens de qualquer curso d'água natural, desde a borda da calha do leito regular, que devem ser protegidas com vegetação nativa conforme as largura mínimas apresentadas na tabela abaixo. Largura do curso d'água Largura mínima de APP < 10 metros 30 metros >10 e < 50 metros 50 metros >50 e < 200 metros 100 metros >200 e < 600 metros 200 metros >600 metros 500 metros Dicas para demarcação de CURSOS D'ÁGUA Nesta feição, você deverá demarcar o próprio o curso d'água, e então posteriormente, a APP será gerada automaticamente. Ao demarcar um curso d'água, você deverá atentar-se para a largura do mesmo, uma vez que cursos d'água de até 10 metros de largura serão representados pela ferramenta Desenhar linhas, enquanto os demais por Desenhar polígono. Ao finalizar a linha ou polígono, você poderá visualizar ao redor de seu curso d'água faixas nas cores verde, vermelho, amarelo e laranja (Figura 7). A faixa verde representará a largura mínima da APP que está coberta por REMANESCENTE DE VEGETAÇÃO NATIVA. A faixa vermelha representará a largura mínima da APP que necessita de regularização e ser coberta por vegetação nativa. Já as faixas amarela e laranja poderão ser visualizadas em imóveis que possuam ÁREA CONSOLIDADA. Figura 7 A faixa amarela representará a largura mínima da APP. Já a faixa laranja, representará a largura mínima que necessita de regularização e ser coberta por vegetação nativa, mas que possui limites diferenciados por estar em uma ÁREA CONSOLIDADA LAGO OU LAGOA NATURAL - São as faixas no entorno de lagos ou lagoas que devem ser protegidas com vegetação nativa com largura mínima de 100 (cem) metros, em zonas rurais. Porém, lagos ou lagoas com até 20 (vinte) hectares de superfície possuem a largura mínima da APP de 50 (cinquenta) metros; e com superfície até 1 (um) hectare, fica dispensada da faixa de APP, sendo que, o proprietário ou possuidor, não poderá suprimir qualquer remanescente de vegetação nativa no seu imóvel para uso alternativo do solo. Dica para demarcação de LAGO OU LAGOA NATURAL Nesta feição, você deverá demarcar o próprio o curso d'água com a ferramenta Desenhar polígono, e então posteriormente, a APP será gerada automaticamente. 10

11 ENTORNO DE RESERVATÓRIO D'ÁGUAS ARTIFICIAIS, DECORRENTES DE BARRAMENTO OU REPRESAMENTO DE CURSOS D'ÁGUA NATURAIS - São as faixas no entorno de reservatórios d'água artificiais, decorrentes de barramento ou represamento de cursos d'água naturais que devem ser protegidas com vegetação nativa com largura mínima definida na licença ambiental do empreendimento. Dica para demarcação Nesta feição, você deverá demarcar o próprio o curso d'água com a ferramenta Desenhar polígono, e informar a largura da APP para que ela seja gerada automaticamente VEREDAS - As faixas no entorno de veredas (vegetação com fisionomia de savana), em projeção horizontal, que devem ser protegidas com vegetação nativa, possuem largura mínima de 50 (cinquenta) metros, a partir do espaço permanentemente brejoso e encharcado APP - LOCALIZAÇÃO São a RESTINGA (vegetação fixadora de dunas ou estabilizadora de mangues) e os MANGUEZAIS que devem ser integralmente protegidos com vegetação nativa em toda a sua extensão NASCENTE OU OLHO D ÁGUA PERENE - São as faixas no entorno de nascentes e dos olhos d'água perenes, qualquer que seja sua situação topográfica, que devem ser protegidas com vegetação nativa com raio mínimo de 50 (cinquenta) metros. Dica para demarcação Nesta feição, você deverá demarcar as nascentes com a ferramenta Desenhar um ponto, e automaticamente a APP de 50 metros será gerada APP - RELEVO ÁREA DE DECLIVE MAIOR QUE 45 GRAUS - As encostas ou partes destas com declividade superior a 45 devem ser protegidas com vegetação nativa em toda a sua extensão BORDAS DE TABULEIROS OU CHAPADAS - As bordas dos tabuleiros ou chapadas, até a linha de ruptura do relevo, devem ser protegidas com vegetação nativa em faixa nunca inferior a 100 (cem) metros em projeções horizontais TOPO DE MORROS, MONTES, MONTANHAS E SERRAS No topo de morros, montes, montanhas e serras, com altura mínima de 100 (cem) metros e inclinação média maior que 25, as áreas delimitadas a partir da curva de nível correspondente a 2/3 (dois terços) da altura mínima da elevação em relação à base, devem ser protegidas com vegetação nativa em toda sua extensão. 11

12 ÁREA COM ALTITUDE SUPERIOR A M - As áreas em altitude superior a (mil e oitocentos) metros, qualquer que seja a vegetação, devem ser protegidas em toda sua extensão ÁREA DE USO RESTRITO DECLIVIDADE DE 25 A 45 GRAUS - Serão permitidos o manejo florestal sustentável e o exercício de atividades agrossilvipastoris, bem como a manutenção da infraestrutura física associada ao desenvolvimento das atividades, observadas boas práticas agronômicas, sendo vedada a conversão de novas áreas, excetuadas as hipóteses de utilidade pública e interesse social REGIÕES PANTANEIRAS - É permitida a exploração ecologicamente sustentável, devendo-se considerar as recomendações técnicas dos órgãos oficiais de pesquisa. As novas supressões de vegetação nativa para usos alternativos do solo estão condicionadas à autorização do órgão estadual de meio ambiente. É a área do imóvel rural que, coberta por vegetação natural, pode ser explorada com o manejo florestal sustentável, nos limites estabelecidos em lei para o bioma em que está a propriedade. Além de contribuir com a conservação e a reabilitação dos processos ecológicos e promover a conservação da biodiversidade, bem como o abrigo e a proteção de fauna silvestre e da flora nativa. Bioma e a região Percentual de RL no imóvel Floresta na Amazônia Legal 80% Cerrado na Amazônia Legal 35% Campos na Amazônia Legal 20% Qualquer bioma nas demais regiões do país 20% RESERVA LEGAL 6 Atualmente, o percentual da propriedade de RESERVA LEGAL varia de acordo com o bioma e a região em questão, sendo: Figura 8 - Limite da Amazônia Legal e os biomas brasileiros 12

13 6.1. RESERVA LEGAL PROPOSTA - Imóvel rural que não possui remanescente de vegetação nativa destinado para RESERVA LEGAL e que, após o preenchimento da ETAPA GEO, propõe o estabelecimento de área para ser destinada como de proteção ambiental RESERVA LEGAL APROVADA E AVERBADA - Imóvel rural que possui remanescente de vegetação nativa destinado para RESERVA LEGAL, com anuência por parte do órgão ambiental competente e registrado em documento de registro RESERVA LEGAL APROVADA E NÃO AVERBADA - imóvel rural que possui remanescente de vegetação nativa destinado para RESERVA LEGAL, com anuência por parte do órgão ambiental competente, porém sem registro em documento de propriedade ou posse. Acesse o nosso 6º material, que aborda dicas e informações sobre a ETAPA INFORMAÇÕES. REFERÊNCIAS E FONTE DAS IMAGENS Ministério do Meio Ambiente - MMA. Manual do usuário: CAR - Módulo de Cadastro - versão 1.0. Disponível em: Acesso em: 02 abr 2015 Ministério do Meio Ambiente - MMA. CAR - Módulo de Cadastro. Disponível em: Acesso em: 02 abr 2015 FILHO, L. O. M. [et al.]. Curso de capacitação para o Cadastro Ambiental Rural (CapCAR): noções de geotecnologias. Lavras: UFLA, p. OLIVEIRA, A. L. de [et al.]. Curso de capacitação para o Cadastro Ambiental Rural (CapCAR): Etapa Geo. Lavras: UFLA, p. COMPARTILHE Para ampliar a difusão dos conteúdos produzidos pelo Programa Agricultura Consciente, esta publicação está sob licença da Com esta licença, você pode: Copiar, distribuir, exibir e executar este material; Criar obras derivadas. Sob as seguintes condições: Você deve dar crédito ao autor original; Você não pode utilizar este material com finalidades comerciais. Essa licença não vale para fotos e ilustrações, que permaneçam em copyright. 13

BR 116/RS Gestão Ambiental. Oficina para Capacitação em Gestão Ambiental

BR 116/RS Gestão Ambiental. Oficina para Capacitação em Gestão Ambiental BR 116/RS Gestão Ambiental Programa de Apoio às Prefeituras Municipais Oficina para Capacitação em Gestão Ambiental Novo Código Florestal Inovações e aspectos práticos STE Serviços Técnicos de Engenharia

Leia mais

Módulo fiscal em Hectares 20 10 16 12

Módulo fiscal em Hectares 20 10 16 12 CÓDIGO FLORESTAL COMO SE REGULARIZAR O QUE É CÓDIGO FLORESTAL? O Código é uma lei que estabelece limites e obrigações no uso da propriedade,, que deve respeitar a vegetação existente na terra, considerada

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO Enio Resende de Souza Eng. Agr. M.Sc. Manejo Ambiental / Coordenador Técnico / Meio Ambiente Gestão do Produto

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental

Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental Cadastro Ambiental Rural e Programa de Regularização Ambiental Segundo a Lei Federal 12.651/2012 e Decreto Federal 7.830/2012 ESALQ Março/Abril de 2014 Caroline Vigo Cogueto Centro de Monitoramento e Avaliação

Leia mais

DISPOSIÇÕES PERMANENTES

DISPOSIÇÕES PERMANENTES Revista RG Móvel - Edição 31 DISPOSIÇÕES PERMANENTES CADASTRO AMBIENTAL RURAL (CAR): O novo Código Florestal determina a criação do CAR (Cadastro Ambiental Rural) e torna obrigatório o registro para todos

Leia mais

Prof. Charles Alessandro Mendes de Castro

Prof. Charles Alessandro Mendes de Castro ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE -NOVO CÓDIGO FLORESTAL MINEIRO LEI 20922/13 Prof. Charles Alessandro Mendes de Castro ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE(APPs) ART. 8º - São aquelas cobertas ou não por vegetação

Leia mais

Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo

Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo Licenciamento Ambiental no Estado de São Paulo Aspectos relacionados com a Legislação Florestal / Mineração LEI FEDERAL 12651/12 Engª Amb. Adriana Maira Rocha Goulart Divisão de Apoio e Gestão dos Recursos

Leia mais

CAPÍTULO 6 NOVO CÓDIGO FLORESTALBRASILEIRO (LEI 12.651/2012)

CAPÍTULO 6 NOVO CÓDIGO FLORESTALBRASILEIRO (LEI 12.651/2012) MANUAL DE DIREITO AMBIENTAL ROMEU THOMÉ ATUALIZAÇÃO DA 2ª PARA A 3ª EDIÇÃO CAPÍTULO 6 NOVO CÓDIGO BRASILEIRO (LEI 12.651/2012) NA PÁGINA 304: Onde se lê: Já em 25 de maio de 2012, e após intensos debates

Leia mais

CADASTRO AMBIENTAL RURAL. ELON DAVI JAGUSZEWSKI Engenheiro Florestal Técnico em Agropecuária CREA/SC 091.142-4

CADASTRO AMBIENTAL RURAL. ELON DAVI JAGUSZEWSKI Engenheiro Florestal Técnico em Agropecuária CREA/SC 091.142-4 CADASTRO AMBIENTAL RURAL ELON DAVI JAGUSZEWSKI Engenheiro Florestal Técnico em Agropecuária CREA/SC 091.142-4 MISSÃO DO SENAR Realizar a educação profissional e promoção social das pessoas do meio rural,

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural CAR

Cadastro Ambiental Rural CAR Cadastro Ambiental Rural CAR LEGISLAÇÃO Lei Federal nº 12.651/2012 Código Florestal Brasileiro; Lei Estadual n.º 20.922/2013 - Dispõe sobre as políticas florestal e de proteção à biodiversidade no Estado

Leia mais

Prof. Pedro Brancalion

Prof. Pedro Brancalion Prof. Pedro Brancalion Decreto Federal 23793/34: Institui o Código Florestal Brasileiro (Getúlio Vargas) Art. 1º As florestas existentes no territorio nacional, consideradas em conjuncto, constituem

Leia mais

E qual é a nossa realidade???

E qual é a nossa realidade??? E qual é a nossa realidade??? Área urbana invadindo a beira de rio MUNIC 2012 - Dos 366 municípios que declararam sofrer problemas de deslizamento de terra, 25% também declararam ter como causa da degradação

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 368, DE 2012

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 368, DE 2012 SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 368, DE 2012 Altera a Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012, para dispor sobre as Áreas de Preservação Permanentes em áreas urbanas. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL E CADASTRO AMBIENTAL RURAL

NOVO CÓDIGO FLORESTAL E CADASTRO AMBIENTAL RURAL NOVO CÓDIGO FLORESTAL E CADASTRO AMBIENTAL RURAL Eduardo de Mércio Figueira Condorelli desenvolvimentosustentavel@farsul.org.br Ibirubá (RS), 08 de maio de 2014 O TAMANHO DA AGROPECUÁRIA NACIONAL Área

Leia mais

Lei 12.651/2012. Prof. Dr. Rafaelo Balbinot Departamento. de Eng. Florestal UFSM Frederico Westphalen

Lei 12.651/2012. Prof. Dr. Rafaelo Balbinot Departamento. de Eng. Florestal UFSM Frederico Westphalen Lei 12.651/2012 Prof. Dr. Rafaelo Balbinot Departamento. de Eng. Florestal UFSM Frederico Westphalen Considerações Padrão Legal X Padrão de Qualidade Capacitação para aplicação da lei Análise individual

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR CURSO INTENSIVO III Disciplina: Direito Ambiental Prof. Fabiano Melo Data: 09.12.2009 Aula nº 06 MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Lei 4771/65 Art. 2 Consideram-se de preservação permanente, pelo só efeito desta

Leia mais

LICENCIAMENTO AMBIENTAL. Autorização para supressão de vegetação nativa e intervenções em Áreas de Preservação Permanente - APP

LICENCIAMENTO AMBIENTAL. Autorização para supressão de vegetação nativa e intervenções em Áreas de Preservação Permanente - APP LICENCIAMENTO AMBIENTAL Autorização para supressão de vegetação nativa e intervenções em Áreas de Preservação Permanente - APP Engª Adriana Maira Rocha Goulart Gerente Divisão de Apoio e Gestão dos Recursos

Leia mais

Comparação entre lei 4771 e PL relatado pelo Dep.Aldo Rebelo preparado por Zeze Zakia Versão preliminar ( APP)

Comparação entre lei 4771 e PL relatado pelo Dep.Aldo Rebelo preparado por Zeze Zakia Versão preliminar ( APP) Lei 4771 versão em vigor II área de preservação permanente: área protegida nos termos dos arts. 2 o e 3 o desta Lei, coberta ou não por vegetação nativa, com a função ambiental de preservar os recursos

Leia mais

CADASTRO AMBIENTAL RURAL E AS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE

CADASTRO AMBIENTAL RURAL E AS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE CADASTRO AMBIENTAL RURAL E AS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE O que são as APP e quais as suas funções Diferença entre APP e Reserva Legal Os diversos tipos de APP Sobre nascentes e olho d água diferenças

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Apostila SICARMG Página 1

MANUAL DO USUÁRIO. Apostila SICARMG Página 1 MANUAL DO USUÁRIO - *Ultima atualização: 05/10/2015 Apostila SICARMG Página 1 SUMÁRIO SUMÁRIO... 2 1 CONHECENDO O CAR... 4 1.1 1.2 1.3 1.4 1.5 1.6 RESUMO DO FUNCIONAMENTO DO CADASTRO AMBIENTAL RURAL (CAR)...

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL. Zoneamento Ambiental. Espaços Territoriais especialmente protegidos ... Camila Regina Eberle camilaeberle@hotmail.

GESTÃO AMBIENTAL. Zoneamento Ambiental. Espaços Territoriais especialmente protegidos ... Camila Regina Eberle camilaeberle@hotmail. ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL GESTÃO AMBIENTAL Zoneamento Ambiental Espaços

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE O NOVO CÓDIGO FLORESTAL E SUAS IMPLICAÇÕES PRÁTICAS

REFLEXÕES SOBRE O NOVO CÓDIGO FLORESTAL E SUAS IMPLICAÇÕES PRÁTICAS REFLEXÕES SOBRE O NOVO CÓDIGO FLORESTAL E SUAS IMPLICAÇÕES PRÁTICAS Dr. Sergius Gandolfi www.lerf.esalq. 22/03/2012 19:30 20:30h - São Carlos-SP Escola Paulista da Magistratura Laboratório de Ecologia

Leia mais

Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal

Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal 1/33 Ferramentas de sensoriamento remoto e SIG aplicadas ao novo Código Florestal Introdução Eng. Allan Saddi Arnesen Eng. Frederico Genofre Eng. Matheus Ferreira Eng. Marcelo Pedroso Curtarelli 2/33 Conteúdo

Leia mais

TEXTO EM VIGOR EM VERDE

TEXTO EM VIGOR EM VERDE BUREAUX JURÍDICOS ASSOCIADOS Porto Alegre-RS Brasília-DF São Paulo-SP Belo Horizonte-MG Ricardo Alfonsin Advogados Ricardo Barbosa Alfonsin OAB/RS 9.275 Breno Moreira Mussi OAB/RS 5.791 Arilei Ribeiro

Leia mais

5.2.3.1.1 Editar Matrícula

5.2.3.1.1 Editar Matrícula Figura 37 Tabela de matrículas adicionadas. 5.2.3.1.1 Editar Matrícula Para editar uma matrícula, o usuário deve acessar a opção (Editar), conforme destaque na Figura 38. O sistema irá carregar os dados

Leia mais

Novo Código Florestal, Adequação Ambiental e CAR

Novo Código Florestal, Adequação Ambiental e CAR Considerações Novo Código Florestal, Adequação Ambiental e CAR Prof. Rafaelo Balbinot Curso de Engenharia Florestal UFSM-Campus de Frederico Westphalen Padrão Legal X Padrão de Qualidade Capacitação para

Leia mais

CADASTRO AMBIENTAL RURAL (CAR)

CADASTRO AMBIENTAL RURAL (CAR) CADASTRO AMBIENTAL RURAL (CAR) Manual de inscrição do CAR para o proprietário rural Patrocínio: 2015 Sumário Lista de Siglas... 3 Apresentação... 4 1. O que é o CAR?... 5 2. Objetivo do CAR... 6 3. Vantagens

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA. II Seminário Estadual de Saneamento Ambiental

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA. II Seminário Estadual de Saneamento Ambiental MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SANTA CATARINA II Seminário Estadual de Saneamento Ambiental Regularização fundiária em áreas de preservação permanente APPs em zona urbana: uma proposta de gestão ALEXANDRE

Leia mais

Rodrigo Justus de Brito Advogado e Engº Agroº Especialista em Legislação Ambiental. Fevereiro - 2013

Rodrigo Justus de Brito Advogado e Engº Agroº Especialista em Legislação Ambiental. Fevereiro - 2013 Rodrigo Justus de Brito Advogado e Engº Agroº Especialista em Legislação Ambiental Fevereiro - 2013 ROTEIRO 1. HISTORICO DO CODIGO FLORESTAL a. EVOLUCAO DOS CONCEITOS DE APP e RESERVA LEGAL b. PROCESSO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 303, DE 20 DE MARÇO DE 2002. (D.O.U. de 13/05/02) Dispõe sobre parâmetros, definições e limites de Áreas de Preservação Permanente.

RESOLUÇÃO Nº 303, DE 20 DE MARÇO DE 2002. (D.O.U. de 13/05/02) Dispõe sobre parâmetros, definições e limites de Áreas de Preservação Permanente. RESOLUÇÃO Nº 303, DE 20 DE MARÇO DE 2002 (D.O.U. de 13/05/02) Dispõe sobre parâmetros, definições e limites de Áreas de Preservação Permanente. O CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA, no uso das competências

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural (CAR)

Cadastro Ambiental Rural (CAR) Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Cadastro Ambiental Rural (CAR) Procedimentos e Prazos Nelson Ananias Filho Coordenador de Sustentabilidade Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil

Leia mais

Novo Código Florestal Lei 12.651/12. Rodrigo Justus de Brito Advogado e Engº Agroº Especialista em Legislação Ambiental

Novo Código Florestal Lei 12.651/12. Rodrigo Justus de Brito Advogado e Engº Agroº Especialista em Legislação Ambiental Novo Código Florestal Lei 12.651/12 Rodrigo Justus de Brito Advogado e Engº Agroº Especialista em Legislação Ambiental Fevereiro - 2013 ROTEIRO 1. HISTORICO DO CODIGO FLORESTAL a. EVOLUCAO DOS CONCEITOS

Leia mais

Novo Código Florestal Aquecimento Global Desenvolvimento Sustentável

Novo Código Florestal Aquecimento Global Desenvolvimento Sustentável Novo Código Florestal Aquecimento Global Desenvolvimento Sustentável Seminário "Alterações do Código Florestal e os Desafios do Desenvolvimento Sustentável 25/09/2012 Capital (SP) Dr. Sergius Gandolfi

Leia mais

2. DO CONCEITO DE ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE - APP

2. DO CONCEITO DE ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE - APP 1 DA TUTELA DAS ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE NA LEI FLORESTAL Boisbaudran Imperiano Advogado, Biólogo e Professor, Pós-graduado em Direito Ambiental; Pós-graduado em Direito do Trabalho; Pós-graduado

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: ASPECTOS LEGAIS AMBIENTAIS RELEVANTES

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: ASPECTOS LEGAIS AMBIENTAIS RELEVANTES NOVO CÓDIGO FLORESTAL: ASPECTOS LEGAIS AMBIENTAIS RELEVANTES 25 de Setembro de 2012 ESPAÇOS TERRITORIAIS ESPECIALMENTE PROTEGIDOS Cabe ao Poder Público definir, em todas as unidades da Federação, espaços

Leia mais

Lei 20.922/13 Lei Florestal Mineira

Lei 20.922/13 Lei Florestal Mineira Lei 20.922/13 Lei Florestal Mineira 2014 Reserva Legal: Conceito: Nova Lei Florestal Mineira - Lei nº 20.922/2013 Área localizada no interior de uma propriedade ou posse rural, delimitada nos termos da

Leia mais

Posicionamento sobre proposta de novo Código Florestal

Posicionamento sobre proposta de novo Código Florestal Posicionamento sobre proposta de novo Código Florestal A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, Seção São Paulo, entidade sem fins lucrativos de âmbito nacional que preconiza a defesa

Leia mais

O Código Florestal, Mudanças Climáticas e Desastres Naturais em Ambientes Urbanos

O Código Florestal, Mudanças Climáticas e Desastres Naturais em Ambientes Urbanos O Código Florestal, Mudanças Climáticas e Desastres Naturais em Ambientes Urbanos Carlos A. Nobre Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento - SEPED Ministério de Ciência, Tecnologia

Leia mais

O NOVO CÓDIGO FLORESTAL Lei 12.651, de 25 de maio de 2012 - com as modificações da Medida Provisória 517, de mesma data

O NOVO CÓDIGO FLORESTAL Lei 12.651, de 25 de maio de 2012 - com as modificações da Medida Provisória 517, de mesma data O NOVO CÓDIGO FLORESTAL Lei 12.651, de 25 de maio de 2012 - com as modificações da Medida Provisória 517, de mesma data 1 Índice I. Conceitos... 4 II. Área de Preservação Permanente... 5 III. Áreas consolidadas

Leia mais

Lei Federal nº 12.651/12 ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE. Eng. Agr. Renata Inês Ramos Eng. Ftal. Irene Tosi Ahmad

Lei Federal nº 12.651/12 ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE. Eng. Agr. Renata Inês Ramos Eng. Ftal. Irene Tosi Ahmad Lei Federal nº 12.651/12 ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE Eng. Agr. Renata Inês Ramos Eng. Ftal. Irene Tosi Ahmad Lei 12651/12 Áreas de Preservação Permanente CONCEITO - Art. 3º, inciso II Área protegida

Leia mais

Iniciativa Verde. Pontos para aplicação do novo Código Florestal, Lei 12.651/12

Iniciativa Verde. Pontos para aplicação do novo Código Florestal, Lei 12.651/12 Iniciativa Verde Pontos para aplicação do novo Código Florestal, Lei 12.651/12 Roberto Ulisses Resende São Paulo, março de 2013 Introdução Esta é a primeira versão do documento elaborado pela Iniciativa

Leia mais

USO DA TERRA NO BRASIL 851 milhões de hectares

USO DA TERRA NO BRASIL 851 milhões de hectares USO DA TERRA NO BRASIL 851 milhões de hectares URBANIZAÇÃO E OUTROS USOS 4% AGRICULTURA 7% VEGETAÇÃO NATURAL (FLORESTAIS E OUTROS) 65% PASTAGENS 23% FONTES: MMA/IBGE-PAM(2010)/INPE/CENSO AGROPECUÁRIO 2006

Leia mais

Código Florestal: APP e RL

Código Florestal: APP e RL Código Florestal: APP e RL Decreto Federal 23793/34: Institui o Código Florestal Brasileiro (Getúlio Vargas) Art. 1º As florestas existentes no territorio nacional, consideradas em conjuncto, constituem

Leia mais

O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA. Restrições x Oportunidades

O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA. Restrições x Oportunidades O MEIO AMBIENTE E A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA Restrições x Oportunidades Secretaria de Políticas para o Desenvolvimento Sustentável SDS Dr. Gilney Amorim Viana ASPECTOS REGULATÓRIOS RELEVANTES Código Florestal:

Leia mais

LIMPEZA DA ÁREA LIMPEZA DA ÁREA LIMPEZA DA ÁREA MATA CILIAR. Áreas de Preservação Permanente RESERVA LEGAL

LIMPEZA DA ÁREA LIMPEZA DA ÁREA LIMPEZA DA ÁREA MATA CILIAR. Áreas de Preservação Permanente RESERVA LEGAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE MEDICINA VETERINÁRIA DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO ANIMAL ESPECIALIZAÇÃO EM PRODUÇÃO DE BOVINOS FORMAÇÃO E MANEJO DE PASTAGENS (IMPLANTAÇÃO DE PASTAGENS) EDGAR FRAGA

Leia mais

ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE - APP -

ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE - APP - ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE - APP - Área de Preservação Permanente - APP (definição do Código Florestal-Lei 4771/65) Área protegida nos termos dos arts. 2º e 3º desta Lei, COBERTA OU NÃO POR VEGETAÇÃO

Leia mais

Entendendo o Novo Código Florestal II CBRA 2012. Eduardo Chagas Engº Agrônomo, M.Sc Chefe DRNRE / IDAF

Entendendo o Novo Código Florestal II CBRA 2012. Eduardo Chagas Engº Agrônomo, M.Sc Chefe DRNRE / IDAF Entendendo o Novo Código Florestal II CBRA 2012 Eduardo Chagas Engº Agrônomo, M.Sc Chefe DRNRE / IDAF O Idaf por definição O IDAF, é a entidade responsável pela execução da política, florestal, bem como

Leia mais

POLÍTICA FLORESTAL E O NOVO CÓDIGO

POLÍTICA FLORESTAL E O NOVO CÓDIGO POLÍTICA FLORESTAL E O NOVO CÓDIGO (Lei Federal n. 12.651/12) PROF. DR. RAFAEL COSTA FREIRIA E-MAIL: RAFAELFREIRIA@COM4.COM.BR DISCIPLINA: DIREITO AMBIENTAL Fundamentos e Temas de Trabalho na Questão Florestal

Leia mais

VII Reunião de Atualização em Eucalitptocultura

VII Reunião de Atualização em Eucalitptocultura VII Reunião de Atualização em Eucalitptocultura Planejamento da Propriedade Agrícola (APP e RL) Eng o. F tal. Msc. João Carlos Teixeira Mendes Dept o. Ciências Florestais ESALQ/USP Estação Experimental

Leia mais

Engenharia de Avaliações Aplicada às Áreas de Preservação Permanente (APP)

Engenharia de Avaliações Aplicada às Áreas de Preservação Permanente (APP) Engenharia de Avaliações Aplicada Às Áreas de Preservação Permanente (APP). Engenharia de Avaliações Aplicada às Áreas de Preservação Permanente (APP) 1. Fundamento Legal das APPs: Constituição Federal

Leia mais

Documento Assinado Digitalmente

Documento Assinado Digitalmente LICENÇA DE OPERAÇÃO LO Processo n.º 1962 / 2014-DL A Fundação Estadual de Proteção Ambiental, criada pela Lei Estadual n.º 9.077, de 04/06/90, e com seus Estatutos aprovados pelo Decreto n.º 33.765, de

Leia mais

Breve Histórico das Leis Ambientais Aplicadas à Propriedade Rural

Breve Histórico das Leis Ambientais Aplicadas à Propriedade Rural Breve Histórico das Leis Ambientais Aplicadas à Propriedade Rural Código florestal 1934 Código das águas Novo Código florestal 1965 Política Nacional de Meio Ambiente 1981 Mudança na mata ciliar 1986/9

Leia mais

Retrocesso na Proteção Ambiental. Dispositivos. Lei nº 12.651/2012

Retrocesso na Proteção Ambiental. Dispositivos. Lei nº 12.651/2012 Retrocesso na Proteção Ambiental Dispositivos Lei nº 12.651/2012 Áreas de Preservação Permanente (APPs) Dispositivos da Lei Áreas de Preservação Permanente (APPs) TOPOS DE MORRO E MONTANHAS Topos de Morro:

Leia mais

PRINCIPAIS REGRAS SOBRE

PRINCIPAIS REGRAS SOBRE PRINCIPAIS REGRAS SOBRE ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE - APP ÁREA DE RESERVA LEGAL - RL CADASTRO AMBIENTAL RURAL - CAR PROGRAMA DE REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL - PRA Material desenvolvido e publicado em decorrência

Leia mais

-essa definição irá abranger mais de 90% das propriedades rurais brasileiras, as quais serão desobrigadas de restaurar as suas Reservas Legais.

-essa definição irá abranger mais de 90% das propriedades rurais brasileiras, as quais serão desobrigadas de restaurar as suas Reservas Legais. Tabela As mudanças mais sérias propostas pelo projeto de lei (PLC 30/2011) que visa alterar o Código Florestal atual, aprovadas em dezembro de 2011 pelo Senado Federal, e suas consequências comentadas.

Leia mais

Treinamento no Sistema de Cadastro Ambiental Rural

Treinamento no Sistema de Cadastro Ambiental Rural Treinamento no Sistema de Cadastro Ambiental Rural Programação Manhã: teórica Conceitos da legislação ambiental Conceitos específicos do CAR e do PRA Tarde: prática Considerações sobre o sistema Apresentação

Leia mais

II WORKSHOP PINEDA & KRAHN

II WORKSHOP PINEDA & KRAHN II WORKSHOP PINEDA & KRAHN Passo a passo do Cadastro Ambiental Rural do Estado do Mato Grosso do Sul Novo Código Florestal -Lei Federal Ordinária n.º 12.651/2012 Cadastro Ambiental Rural Decreto Federal

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL - LEI Nº 12.651, DE 25 DE MAIO DE 2012.

NOVO CÓDIGO FLORESTAL - LEI Nº 12.651, DE 25 DE MAIO DE 2012. Novo Código Florestal Comentado - Lei 12.651/2012 Tipo de norma: Lei Ordinária Número: 12.651 Fonte: Planalto (legislação) Âmbito: Federal Texto resumido e integral: NOVO CÓDIGO FLORESTAL - LEI Nº 12.651,

Leia mais

Especialização em Direito Ambiental. 3. As principais funções das matas ciliares são:

Especialização em Direito Ambiental. 3. As principais funções das matas ciliares são: Pedro da Cunha Barbosa. Especialização em Direito Ambiental. Área do conhecimento jurídico que estuda as relações entre o homem e a natureza, é um ramo do direito diferenciado em suas especificidades e,

Leia mais

12 - MAPA DE DISTÂNCIA

12 - MAPA DE DISTÂNCIA 12 - MAPA DE DISTÂNCIA Para fazer uso da ferramenta Mapa de Distancia do SPRING, a titulo de exemplo, vamos considerar a Área de Preservação Permanente APP de um rio. Desta forma, é importante conhecer

Leia mais

CONQUISTAS AOS AGRICULTORES NO CÓDIGO FLORESTAL

CONQUISTAS AOS AGRICULTORES NO CÓDIGO FLORESTAL CONQUISTAS AOS AGRICULTORES NO CÓDIGO FLORESTAL 1. DISPENSA AOS PROPRIETÁRIOS DE ÁREAS CONSOLIDADAS DE RECOMPOSIÇÃO DA RESERVA LEGAL Art. 61 a. Área rural consolidada: é a área de imóvel rural com ocupação

Leia mais

CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º Esta Lei estabelece normas gerais sobre a proteção da vegetação, dispõe sobre as Áreas de Preservação Permanente e as áreas de Reserva Legal, define regras gerais

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO Lei 12.651/2012 (alterado pela Lei 12.727/2012) e Decreto Federal 7.830/2012 Exemplos de inclusões ou alterações conceituais na Lei 12.651/12: Conceito de Área de Preservação Permanente (art.3º, item II):

Leia mais

CAPÍTULO 1 PLANO DE MANEJO FLORESTAL

CAPÍTULO 1 PLANO DE MANEJO FLORESTAL CAPÍTULO 1 PLANO DE MANEJO FLORESTAL 2 Manual para Produção de Madeira na Amazônia APRESENTAÇÃO O plano de manejo pode ser organizado em três etapas. 1 Na primeira, faz-se o zoneamento ou divisão da propriedade

Leia mais

AMBIENTAL E NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS SOBRE O CADASTRO AMBIENTAL RURAL - ( CAR )

AMBIENTAL E NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS SOBRE O CADASTRO AMBIENTAL RURAL - ( CAR ) AMBIENTAL E NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS 29/04/2015 27 PERGUNTAS E RESPOSTAS DIRETAS E ESSENCIAIS SOBRE O CADASTRO AMBIENTAL RURAL - ( CAR ) ÍNDICE POR ASSUNTO ITENS Nº Informações Gerais 1, 4, 9 Responsabilidade

Leia mais

Análise de Viabilidade

Análise de Viabilidade Análise de Viabilidade 1. Identificação Município: Itaúna Localização: Região de Tabuões Bacia Hidrográfica: Rio São Francisco 2. Resultados: Considerando as especulações que estão sendo levantadas com

Leia mais

8º. Curso de Atualização em Eucaliptocultura. Adequação Legal da Propriedade Rural

8º. Curso de Atualização em Eucaliptocultura. Adequação Legal da Propriedade Rural 8º. Curso de Atualização em Eucaliptocultura Adequação Legal da Propriedade Rural Eng o. F tal. Msc. João Carlos Teixeira Mendes jctmende@esalq.usp.br Departamento de Ciências Florestais Estação Experimental

Leia mais

AUTORIZAÇÃO PARA INTERVENÇÃO DE QUALQUER NATUREZA NA VEGETAÇÃO NATURAL OU IMPLANTADA de 16/08/2005

AUTORIZAÇÃO PARA INTERVENÇÃO DE QUALQUER NATUREZA NA VEGETAÇÃO NATURAL OU IMPLANTADA de 16/08/2005 08/11/2006 Pág 1 AUTORIZAÇÃO PARA INTERVENÇÃO DE QUALQUER Substitui a IS-19 NATUREZA NA VEGETAÇÃO NATURAL OU IMPLANTADA de 16/08/2005 1. FINALIDADE 1.1 Esta Instrução tem por finalidade estabelecer critérios

Leia mais

LEVANTAMENTO AMBIENTAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO DE REDES RURAIS

LEVANTAMENTO AMBIENTAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE EXTENSÃO DE REDES RURAIS Página 1 de 6 Treinamento Recomendado: - formal - leitura (sem necessidade de manter em registro) Controle de Revisão Revisão Data Item Descrição das Alterações - 27/02/2004 - Emissão inicial A 20/05/2005

Leia mais

O SECRETÁRIO DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE, DO PLANEJAMENTO, DA CIÊNCIA E DA TECNOLOGIA SEMAC, no uso de suas atribuições legais e

O SECRETÁRIO DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE, DO PLANEJAMENTO, DA CIÊNCIA E DA TECNOLOGIA SEMAC, no uso de suas atribuições legais e RESOLUÇÃO SEMAC N 12 DE 17 DE JULHO DE 2014. Aprova a Norma Técnica para Georreferenciamento de Áreas de Interesse Ambiental e de atividades sujeitas ao Licenciamento e Regularização Ambiental no IMASUL,

Leia mais

Código Florestal Goiano. O que mudou?

Código Florestal Goiano. O que mudou? Código Florestal Goiano O que mudou? Sumário Apresentação Mão que planta e preserva 03 O que mudou no novo Código Florestal do Estado de Goiás 04 Capítulo I - Lei nº 18.104 13 Capítulo II - das Áreas de

Leia mais

Lição VII ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DO RIO IBICUÍ

Lição VII ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DO RIO IBICUÍ Lição VII ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE DO RIO IBICUÍ - 79 - A última lição trata sobre a questão ambiental. Iremos estudar sobre a importância da preservação da vegetação, principalmente da mata ciliar.

Leia mais

Saiba mais sobre o Novo Código Florestal Brasileiro e o CAR COLADO NA CAPA

Saiba mais sobre o Novo Código Florestal Brasileiro e o CAR COLADO NA CAPA Saiba mais sobre o Novo Código Florestal Brasileiro e o CAR COLADO NA CAPA Índice O que o agricultor brasileiro deve saber sobre o Novo Código Florestal?...1 Começando a regularizar o imóvel rural...2

Leia mais

Conhecendo as Leis. Sistema Jurídico Ambiental 1988 - O novo código florestal passa por 82 modificações sendo 67 por MP(1996-2001)

Conhecendo as Leis. Sistema Jurídico Ambiental 1988 - O novo código florestal passa por 82 modificações sendo 67 por MP(1996-2001) Conhecendo as Leis 1972 1988 1992 193-- 1965 1981 1986 1989 1996 1997 1998 2000/1 1964 1991 2005 O novo código florestal passa por 82 modificações sendo 67 por MP(1996-2001) Sistema Jurídico Ambiental

Leia mais

ecoturismo ou turismo. As faixas de APP que o proprietário será obrigado a recompor serão definidas de acordo com o tamanho da propriedade.

ecoturismo ou turismo. As faixas de APP que o proprietário será obrigado a recompor serão definidas de acordo com o tamanho da propriedade. São as áreas protegidas da propriedade. Elas não podem ser desmatadas e por isso são consideradas Áreas de Preservação Permanente (APPs). São as faixas nas margens de rios, lagoas, nascentes, encostas

Leia mais

Marcio S. Suganuma Escola de Engenharia de São Carlos EESC/ USP. marciosuganuma@gmail.com

Marcio S. Suganuma Escola de Engenharia de São Carlos EESC/ USP. marciosuganuma@gmail.com Marcio S. Suganuma Escola de Engenharia de São Carlos EESC/ USP marciosuganuma@gmail.com Área de preservação permanente (artigos 2 o e 3 o ) Reserva Legal (artigos 16 e 44) Área de preservação permanente

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO

NOVO CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO Senado Federal Senador ACIR GURGACZ NOVO CÓDIGO FLORESTAL BRASILEIRO brasília df Sumário Pág. Apresentação... 5 Lei n o 12.651, de 25 de maio de 2012 Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera

Leia mais

LEI FLORESTAL MINEIRA

LEI FLORESTAL MINEIRA LEI FLORESTAL MINEIRA PALAVRA DO PRESIDENTE Indústria sustentável Com satisfação, colocamos à disposição da Indústria mineira esta publicação sobre a Lei nº 20.922, de 16 de outubro de 2013, que trata

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL 4ª CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL 4ª CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL 4ª CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO -Meio Ambiente e Patrimônio Cultural- - NOTA TÉCNICA Nota técnica que expede a 4ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Previsão Legal Objetivos Categorias Finalidades Gestão do Sistema Quantitativos Outros Espaços Protegidos Distribuição Espacial Relevância O Brasil possui alguns

Leia mais

Regularização Ambiental do Imóvel Rural. no novo Código Florestal

Regularização Ambiental do Imóvel Rural. no novo Código Florestal Regularização Ambiental do Imóvel Rural no novo Código Florestal Sistema OCB CNCOOP, OCB e SESCOOP Presidente: Márcio Lopes de Freitas Superintendente: Renato Nobile Gerente-Geral da OCB: Tânia Zanella

Leia mais

Sistema de Cadastro Ambiental Rural

Sistema de Cadastro Ambiental Rural Sistema de Cadastro Ambiental Rural XX Simpósio Jurídico ABCE ÂNGELO RAMALHO ASSESSOR MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO DIRETORIA DE FOMENTO E INCLUSÃO FLORESTAL São Paulo, Outubro/2014

Leia mais

Cadastro Ambiental Rural - CAR. Objetivos. Dúvidas mais frequentes. Áreas de Preservação Permanente - APP

Cadastro Ambiental Rural - CAR. Objetivos. Dúvidas mais frequentes. Áreas de Preservação Permanente - APP Orientações básicas Cadastro Ambiental Rural - CAR O CAR é o registro público eletrônico das informações ambientais dos imóveis rurais. Objetivos Promover a identificação e integração das informações

Leia mais

SUMÁRIO: Projeto de recuperação de áreas degradadas. Instrução Normativa Nº. 08

SUMÁRIO: Projeto de recuperação de áreas degradadas. Instrução Normativa Nº. 08 SUMÁRIO: OBJETIVOS:... 2 I DAS DEFINIÇÕES:... 3 II DOS PROCEDIMENTOS:... 3 III INSTRUÇÕES:... 4 ANEXO 1... 6 EXEMPLO DE CROQUI DE REPRESENTAÇÃO DA ÁREA A SER RECUPERADA... 6 ANEXO 2... 7 ENDEREÇO DO DEPARTAMENTO

Leia mais

CADASTRO AMBIENTAL RURAL CAR

CADASTRO AMBIENTAL RURAL CAR Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará Serviço Nacional de Aprendizagem Rural Sindicato dos Produtores Rurais CADASTRO AMBIENTAL RURAL CAR

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10 TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10 O processo administrativo para aprovação e licenciamento de parcelamentos de

Leia mais

Impacto das Alterações do Código Florestal: Quais Políticas de Conservação no Pós Código?

Impacto das Alterações do Código Florestal: Quais Políticas de Conservação no Pós Código? Impacto das Alterações do Código Florestal: Quais Políticas de Conservação no Pós Código? Dr. Sergius Gandolfi IV Simpósio sobre RAD - Ibt 16/11/2011-14h- Capital (SP) Biólogo, Laboratório de Ecologia

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa, altera as Leis nºs 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; revoga as Leis nºs 4.771, de 15 de

Leia mais

Município de Colíder MT

Município de Colíder MT Diagnóstico da Cobertura e Uso do Solo e das Áreas de Preservação Permanente Município de Colíder MT Paula Bernasconi Ricardo Abad Laurent Micol Julho de 2008 Introdução O município de Colíder está localizado

Leia mais

I - Comparação entre o Código Florestal atual e o Substitutivo ao PL 1876/99 e apensados, de Relatoria do Deputado Aldo Rebelo.

I - Comparação entre o Código Florestal atual e o Substitutivo ao PL 1876/99 e apensados, de Relatoria do Deputado Aldo Rebelo. 1 I - Comparação entre o Código Florestal atual e o Substitutivo ao PL 1876/99 e apensados, de Relatoria do Deputado Aldo Rebelo. O substitutivo de relatoria do Deputado Aldo Rebelo, aprovado pela Comissão

Leia mais

b) cinqüenta hectares, se localizada no polígono das secas ou a leste do Meridiano de 44º W, do Estado do Maranhão; e

b) cinqüenta hectares, se localizada no polígono das secas ou a leste do Meridiano de 44º W, do Estado do Maranhão; e MEDIDA PROVISÓRIA N o 2.166-67, DE 24 DE AGOSTO DE 2001. Altera os arts. 1 o, 4 o, 14, 16 e 44, e acresce dispositivos à Lei n o 4.771, de 15 de setembro de 1965, que institui o Código Florestal, bem como

Leia mais

http://www4.planalto.gov.br/legislacao/resenha-diaria/2012/maio-resenhadiaria#content

http://www4.planalto.gov.br/legislacao/resenha-diaria/2012/maio-resenhadiaria#content http://www4.planalto.gov.br/legislacao/resenha-diaria/2012/maio-resenhadiaria#content Lei nº 12.651, de 25.5.2012 - Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis n os 6.938, de 31 de agosto

Leia mais

ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE CONSOLIDADAS:

ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE CONSOLIDADAS: O mais importante Do novo Código Florestal Engª Agrônoma Carla Beck- FAEP/DTE As propriedades rurais ocupadas até 22 de julho de 2008, terão que cumprir as seguintes regras estabelecidas pelo novo Código

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JUINA E S T A D O D E M A T O G R O S S O P O D E R E X E C U T I V O

PREFEITURA MUNICIPAL DE JUINA E S T A D O D E M A T O G R O S S O P O D E R E X E C U T I V O LEI N.º 1.453/2013. SÚMULA: Autoriza o Poder Executivo Municipal a promover a Concessão de Direto Real de Uso em favor da Colônia Z-20 de Pescadores de Juína, da área urbana que menciona, e dá outras Providências.

Leia mais

RESOLUÇÃO CONAMA 369/06

RESOLUÇÃO CONAMA 369/06 RESOLUÇÃO CONAMA 369/06 Dispõe de casos excepcionais no casos de utilidade pública, interesse social e de baixo impacto ambiental, que possibilitam a intervenção ou supressão de vegetação em áreas de preservação

Leia mais

A AGRICULTURA EM MACHADINHO D OESTE & O CÓDIGO FLORESTAL EVARISTO DE MIRANDA

A AGRICULTURA EM MACHADINHO D OESTE & O CÓDIGO FLORESTAL EVARISTO DE MIRANDA A AGRICULTURA EM MACHADINHO D OESTE & O CÓDIGO FLORESTAL EVARISTO DE MIRANDA Coordenador do Grupo de Inteligência Territorial Estratégica GITE da Embrapa TULIO BARBOSA Mineiro de Guidoval TULIO BARBOSA

Leia mais

Dispositivos da Lei. Destaques. Áreas de Preservação Permanente (APPs)

Dispositivos da Lei. Destaques. Áreas de Preservação Permanente (APPs) Cursos d água naturais perenes e intermitentes excluídos os efêmeros: art. 4º, inciso I. A proteção vale para os cursos d água naturais. Variados cursos d água, como resultantes de retificações, canalizações

Leia mais

Legislação Ambiental Brasileira: Entraves, Sucessos e Propostas Inovadoras no Âmbito da Pequena Propriedade

Legislação Ambiental Brasileira: Entraves, Sucessos e Propostas Inovadoras no Âmbito da Pequena Propriedade Legislação Ambiental Brasileira: Entraves, Sucessos e Propostas Inovadoras no Âmbito da Pequena Propriedade Fórum sobre Área de Preservação Permanente e Reserva Legal na Paisagem e Propriedade Rural Piracicaba,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 18/2014 Deputado(a) Catarina Paladini

PROJETO DE LEI Nº 18/2014 Deputado(a) Catarina Paladini DIÁRIO OFICIAL DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Porto Alegre, terça-feira, 10 de fevereiro de 2015. PRO 1 PROJETO DE LEI Nº 18/2014 Reconhece como de relevante interesse cultural e ambiental o Balneário dos prazeres,

Leia mais

Sistema de Informação para Gestão do Cadastro Ambiental Rural MANUAL DE USO

Sistema de Informação para Gestão do Cadastro Ambiental Rural MANUAL DE USO Sistema de Informação para Gestão do Cadastro Ambiental Rural MANUAL DE USO ÍNDICE 2 ÍNDICE ÍNDICE 5... Sobre o SIG-CAR 6... Sobre o CAR 7... Sobre o Geo Catálogo 8... Cadastro de Usuários 9... Como se

Leia mais