CLASSIFICAÇÃO, ARMAZENAMENTO E TRANSPORTE DE RESÍDUOS EMBRAER SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CLASSIFICAÇÃO, ARMAZENAMENTO E TRANSPORTE DE RESÍDUOS EMBRAER SÃO JOSÉ DOS CAMPOS"

Transcrição

1 CLASSIFICAÇÃO, ARMAZENAMENTO E TRANSPORTE DE RESÍDUOS EMBRAER SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

2 O QUE É RESÍDUO? De acordo com o Dicionário de Aurélio Buarque de Holanda, resíduo é tudo aquilo que não se quer mais e se joga fora; coisas inúteis, velhas e sem valor. Já a Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT - define os resíduos como os "restos das atividades humanas, considerados pelos geradores como inúteis, indesejáveis ou descartáveis, podendo-se apresentar no estado sólido, semi-sólido ou líquido, desde que não seja passível de tratamento convencional.

3 CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS QUANTO A ORIGEM RESÍDUO INDUSTRIAL RESÍDUO DOMICILIAR RESÍDUO DE SERVIÇO DE SAÚDE

4 ABNT NBR 10004: CLASSIFICAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Tem o objetivo de classificar os resíduos sólidos quanto aos seus riscos potenciais ao meio ambiente e à saúde pública, para que possam ser gerenciados adequadamente. RESÍDUOS SÓLIDOS DEFINIÇÃO Resíduos nos estados sólido e semi-sólido, que resultam de atividade de origem industrial, doméstica, hospitalar, comercial, agrícola, de serviços e de varrição. Ficam incluídos nesta definição os lodos provenientes de sistema de tratamento de água, aqueles gerados em equipamentos e instalações de controle de poluição, bem como determinados líquidos cujas particularidades tornem inviável o seu lançamento na rede pública de esgotos ou corpos de água, ou exijam para isso soluções técnica e economicamente inviáveis em face à melhor tecnologia disponível (Resolução Nº 5 de 05/08/93 CONAMA)

5 CLASSIFICAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS RESÍDUOS CLASSE I PERIGOSOS São todos os resíduos sólidos, semi-sólidos e os líquidos não passíveis de tratamento convencional, resultantes da atividade industrial e do tratamento convencional de seus efluentes líquidos e gasosos que, por suas características, apresentam periculosidade efetiva e potencial à saúde humana, ao meio ambiente e ao patrimônio público e privado, requerendo cuidados especiais quanto ao acondicionamento, coleta, transporte, armazenamento, tratamento e disposição"

6 CLASSIFICAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS PERICULOSIDADE Característica apresentada por um resíduo que, em função de suas propriedades físicas, químicas ou infecto-contagiosas pode implicar em : Risco à saúde pública, provocando mortalidade, incidência de doenças ou acentuando seus índices; Riscos ao meio ambiente, quando o resíduo for gerenciado de forma inadequada. INFLAMABILIDADE Líquido com ponto de fulgor menor que 60 C; Capaz de produzir fogo por fricção, absorção de umidade ou alterações químicas espontâneas; Composto oxidante (libera oxigênio e estimulando a combustão) Gás comprimido inflamável. CORROSIVIDADE Ser aquosa ou sua mistura com água na proporção 1:1 em peso apresentar ph inferior ou igual a 2 ou superior ou igual a 12,5; Líquido e corroer o aço de acordo com USEPA SW 846 ou equivalente.

7 CLASSIFICAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS REATIVIDADE Instável e reação violenta e imediata; Reagir violentamente com a água; Formar misturas explosivas com a água; Gerar gases, vapores e fumos em mistura com a água; Liberar gases a base de cianetos e sulfetos; Produzir reação explosiva ou detonante através de estimulo; Produzir reação ou decomposição detonante ou explosiva; Ser explosivo ou produzido para ser explosivo. TOXICIDADE Contiver qualquer um dos contaminantes em concentrações superiores aos valores constantes no anexo F; Possui uma ou mais substâncias constantes no anexo C; Ser constituída por embalagens contaminadas com substâncias doas anexos D ou E; Resultar de derramamentos de produto químico fora de especificação ou do prazo de validade que constam nos anexos D ou E; Comprovadamente letal. PATOGENICIDADE Contiver microorganismos, proteínas virais, ADN, ARN recombinantes, organismos geneticamente modificados ou toxinas capazes de produzir doenças em homens, animais ou vegetais;

8 CLASSIFICAÇÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS RESÍDUOS CLASSE II NÃO PERIGOSOS Classe II A Não Inertes Aqueles que não se enquadram nas classificações de resíduos classe I perigosos ou de resíduos classe II B inertes, nos termos desta norma. Classe II B Inertes Resíduos que não sofrem transformações físicas, químicas ou biológicas importantes e, em consequência, não podem ser solúveis nem inflamáveis, nem ter qualquer outro tipo de reação física ou química, nem afetar negativamente outras substâncias com as quais entrem em contato.

9 LEGISLAÇÃO APLICÁVEL Normas ABNT- Resíduos Sólidos NBR Resíduos Sólidos Classificação NBR Lixiviação de Resíduos NBR Solubilização de Resíduos NBR Amostragem de Resíduos NBR Degradação do Solo - Terminologia NBR Líquidos Livres Verificação em Amostra de Resíduo

10 LEGISLAÇÃO APLICÁVEL Armazenamento NB 98 Armazenamento e Manuseio de Líquidos Inflamáveis e Combustíveis NBR Armazenamento de Petróleo e seus Derivados Líquidos NB Armazenamento de Resíduos Sólidos Perigosos NB Armazenamento de Resíduos Classe II Não Inertes e III Inertes Transporte NBR Transporte de Resíduos NBR Transporte de Cargas Perigosas Simbologia NBR Transporte de Cargas Perigosas Terminologia NBR Ficha de Emergência para Transporte de Cargas Perigosas

11 RESÍDUOS INDUSTRIAIS

12 DIAGNÓSTICO Levantamento Inicial de Resíduos Empresa: Tipos de Resíduos Origem Quantidade Gerada Aspecto Físico Composição Aproximada Identificação de Poluentes Potenciais É realizado um levantamento inicial, do qual constam: Tipos de resíduo Origem Quantidade gerada Aspecto físico Composição aproximada Identificação de Poluentes potenciais Entre outros Data: / /

13 ANÁLISES LABORATORIAIS A fim de se estudar as características dos resíduos e, em conseqüência, determinar as melhores soluções para cada um deles, são realizadas as seguintes análises: Amostragem Caracterização e Classificação Estudos de tratabilidade de efluentes Estudos de solidificação e estabilização Estudos de viabilidade para o co-processamento

14 LICENCIAMENTO Autorização para Transporte; Autorização para Destinação; Licença de operação de instalações; Inventariado anual; Entre outros que se fizerem necessários (plano de medidas mitigadoras, revegetação;

15 INVENTÁRIO DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS Legislação Aplicável: Resolução CONAMA 313 (29/10/2002) Objetivos : Conhecer a geração destes resíduos nos diversos estados; Diagnosticar pontos críticos para atuação intensiva dos órgãos ambientais; Identificar principais fontes geradoras; Consolidar banco de dados; Estimular o desenvolvimento de tecnologias limpas ; Modelo do inventário.

16 COLETA, MANUSEIO E LOGÍSTICA INTERNA Padronização dos recipientes por material; Integração com equipe interna para otimização dos serviços; Adequação dos equipamentos nos diferentes locais envolvidos; Estudo de compatibilidade das cargas; Logística de transporte respeitando a linha produtiva; Apelo visual / comunicação.

17 TABELA DE COMPATIBILIDADE DE RESÍDUOS Fonte : USEPA Grupo Família 1 Ácidos, minerais, não oxidantes 1 2 Ácidos, minerais, oxidantes 2 3 Ácidos, orgânicos G,H 3 4 Alcoois e Glicois H H,P H,P 4 5 Aldeídos H,P H,P H,P 5 6 Amidos H H,GT 6 7 Aminas, aromáticas e alifáticas H H,GT H H 7 8 Carbamatos H,G H,GT 8 9 Cáusticos (alcalis) H H H H G,H 9 10 Cianetos GT,GF GT,GF GT,GF Ésteres H H,P H Éteres H H,F 12 LEGENDA H F G GT GF E P S U Geração de calor Incêndio Geração de gás inócuo e não inflamável Geração de gás tóxico Geração de gás inflamável Explosão Polimerização violenta Solubilização de substância tóxica Pode ser perigoso mas é desconhecido

18 ACONDICIONAMENTO Containers: Caçambas: Tambores, Bombonas:

19 CORES DOS RECIPIENTES Cores para a coleta seletiva O Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA padronizou as cores dos recipientes para coleta seletiva através da Resolução Nº 275 de 25 de abril de 2001.

20 OPERAÇÃO DE CENTRAIS NBR Armazenamento de resíduos sólidos perigosos NBR Armazenamento de resíduos classe II e III

21 OPERAÇÃO DE CENTRAIS Requisitos das normas NBR e Impermeabilização de base (concreto) Drenagem conduzindo a caixa estanque para a contenção de vazamentos Cobertura Ventilação (natural) Delimitação de células de armazenamento Consulta de compatibilidade Identificação dos lotes e recipientes armazenados Registros aplicáveis

22 OPERAÇÃO DE CENTRAIS Segregação de resíduos Descaracterização Prensagem, enfardamento Acondicionamento Identificação

23 TRANSPORTE DE RESÍDUOS Total atendimento à norma NBR Motoristas treinados Qualidade na subcontratação; Traçado e monitoramento do percurso; Diversos tipos de caminhões adequados a cada tipo de resíduo; Estudo de compatibilidade das cargas.

24 FICHA DE EMERGÊNCIA

25 NOTA FISCAL

26 MTR

27 MTR

28 RÓTULO DE RISCO Painel de Segurança Classe 1 Explosivos Classe 2 Gases Classe 3 Líquidos Inflamáveis Classe 4 Sólidos Inflamáveis Classe 5 Substâncias Oxidantes e Peróxidos Orgânicos Classe 6 Substâncias tóxicas e infectantes Classe 7 Substâncias radioativas Classe 8 Corrosivos Classe 9 Substâncias Perigosas Diversas

29 ATERRO INDUSTRIAL Técnica de disposição final de resíduos industriais no solo; Não causa danos ou riscos à saúde pública e à sua segurança; Minimiza os impactos ambientais; Método que utiliza princípios de engenharia para confinar os resíduos industriais, tanto perigosos Classe I e II; Utiliza a menor área possível e reluz ao menor volume permissível; Cobre os resíduos com uma camada de terra na conclusão de cada jornada de trabalho ou a intervalos menores se for necessário.

30 CO-PROCESSAMENTO Destruição térmica de resíduos através de fornos de cimento; Aproveitamento do resíduo como potencial energético e de substituição de matéria; Matéria - prima na indústria cimenteira; Eventualmente o processamento é precedido de blendagem, para se obter um padrão calorífico constante; Resíduos organoclorados, organofosforados, radioativos, hospitalares, domésticos, pesticidas e explosivos não são passíveis para o processo.

31 INCINERAÇÃO Incineração é um processo de oxidação térmica sob alta temperatura - no qual ocorre a decomposição da matéria orgânica (resíduo), transformando-a em uma fase gasosa e outra sólida. A incineração é um processo adequado a tratar todo material proveniente de processo industrial na forma de rejeitos, sub produtos ou, ainda, produtos acabados que apresentem periculosidade conforme a Norma Brasileira

32 Compromisso com a qualidade de vida Gestão Ambiental Priscila Boer Mazaro Tecnologia e Desenvolvimento Tel: (11)

Prof. Carlos E. Matos. Maio - 2013

Prof. Carlos E. Matos. Maio - 2013 Elaboração de Ficha com Dados de Segurança de Resíduos químicos (FDSR) e rotulagem (ABNT-NBR 16725) Resíduos perigosos: classificação (ABNT- NBR 10004 e transporte) Prof. Carlos E. Matos Maio - 2013 FISPQ

Leia mais

RESÍDUOS SÓLIDOS CLASSIFICAÇÃO - ABNT NBR 10004

RESÍDUOS SÓLIDOS CLASSIFICAÇÃO - ABNT NBR 10004 RESÍDUOS SÓLIDOS CLASSIFICAÇÃO - ABNT NBR 10004 A classificação de resíduos sólidos envolve a identificação do processo ou atividade que lhes deu origem, de seus constituintes e características, e a comparação

Leia mais

RESÍDUOS SÓLIDOS. Classificação dos Resíduos. 1. Quanto a categoria: Resíduos Urbanos residências e limpeza pública urbana;

RESÍDUOS SÓLIDOS. Classificação dos Resíduos. 1. Quanto a categoria: Resíduos Urbanos residências e limpeza pública urbana; RESÍDUOS SÓLIDOS - são os resíduos que se apresentam nos estados sólidos, semi-sólidos e os líquidos não passíveis de tratamento convencional, que resultam de atividades de origem industrial, comercial,

Leia mais

Priscila Boer Mazaro. Ciclo de Vida dos Resíduos Industriais

Priscila Boer Mazaro. Ciclo de Vida dos Resíduos Industriais Priscila Boer Mazaro A ESTRE É O LÍDER INCONTESTÁVEL A ESTRE é a maior companhia brasileira do setor de serviços ambientais 18.300 Empregados 40.000 TONS/DIA Todos os tipos de resíduos 4.522 CLIENTES

Leia mais

GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Aula 02 Resíduos Conceitos Gerais. Prof. Renata Romagnolli Basso Arq. Me / Universidade Norte do Paraná 2012.

GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Aula 02 Resíduos Conceitos Gerais. Prof. Renata Romagnolli Basso Arq. Me / Universidade Norte do Paraná 2012. GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS Aula 02 Resíduos Conceitos Gerais Prof. Renata Romagnolli Basso Arq. Me / Universidade Norte do Paraná 2012. Resíduos Sólidos Domésticos: EUA 720Kg/ hab.ano Japão 410Kg/ hab.ano

Leia mais

SUMÁRIO. Daniel Bortolin02/02/2015 ÍNDICE: ÁREA. Número 80 Título. Aprovação comunicada para Cintia Kikuchi/BRA/VERITAS; Fernando Cianci/BRA/VERITAS

SUMÁRIO. Daniel Bortolin02/02/2015 ÍNDICE: ÁREA. Número 80 Título. Aprovação comunicada para Cintia Kikuchi/BRA/VERITAS; Fernando Cianci/BRA/VERITAS Aprovado ' Elaborado por Daniel Bortolin/BRA/VERITAS em 02/02/2015 Verificado por Cintia Kikuchi em 02/02/2015 Aprovado por Americo Venturini/BRA/VERITAS em 02/02/2015 ÁREA QHSE Tipo Procedimento Regional

Leia mais

MANUSEIO, ACONDICIONAMENTO, ARMAZENAMENTO E TRANSPORTE DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS. Profa. Margarita Maria Dueñas O.

MANUSEIO, ACONDICIONAMENTO, ARMAZENAMENTO E TRANSPORTE DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS. Profa. Margarita Maria Dueñas O. MANUSEIO, ACONDICIONAMENTO, ARMAZENAMENTO E TRANSPORTE DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS Profa. Margarita Maria Dueñas O. RESÍDUOS PERIGOSOS Ponto de geração Destino final FASE INTERNA COLETA ACONDICIONAMENTO FASE

Leia mais

Resíduos Sólidos: A Classificação Nacional e a Problemática dos Resíduos de Ampla e Difusa Geração

Resíduos Sólidos: A Classificação Nacional e a Problemática dos Resíduos de Ampla e Difusa Geração Resíduos Sólidos: A Classificação Nacional e a Problemática dos Resíduos de Ampla e Difusa Geração 01/33 Apresentação do Instrutor: Eduardo Fleck *Engenheiro Químico UFRGS, 1990; **Mestre em Engenharia

Leia mais

Vice-Presidência de Engenharia e Meio Ambiente Instrução de Trabalho de Meio Ambiente

Vice-Presidência de Engenharia e Meio Ambiente Instrução de Trabalho de Meio Ambiente Histórico de Alterações Nº de Revisão Data de Revisão Alteração Efetuada 1-Foi alterado o texto do item 2, onde foram suprimidas as referências anteriores e referenciada a PGR 4.3.2 e PGR-4.3.1 e IGR-4.4.6-12.

Leia mais

DZ-1314.R-0 - DIRETRIZ PARA LICENCIAMENTO DE PROCESSOS DE DESTRUIÇÃO TÉRMICA DE RESÍDUOS

DZ-1314.R-0 - DIRETRIZ PARA LICENCIAMENTO DE PROCESSOS DE DESTRUIÇÃO TÉRMICA DE RESÍDUOS DZ-1314.R-0 - DIRETRIZ PARA LICENCIAMENTO DE PROCESSOS DE DESTRUIÇÃO TÉRMICA DE RESÍDUOS Notas: Aprovada pela Deliberação CECA nº 2 968, de 14 de setembro de 1993 Publicada no DOERJ de 05 de outubro de

Leia mais

Resíduos Sólidos Industriais Cenário Mundial Atual Toda atividade humana gera resíduos, e eles são indesejáveis triplamente, pois ocupam áreas que poderiam ter finalidades mais nobres, têm grande potencial

Leia mais

Segurança com Pr P odutos o Q u Q ími m cos

Segurança com Pr P odutos o Q u Q ími m cos Segurança com Produtos Químicos Assuntos a serem Abordados 1. Conceitos e Definições; 2. Pré Avaliação do Produto Químico (Compra); 3. Armazenamento de Produto Químico; 4. Resíduo / Licença Ambiental;

Leia mais

ULTRAVIOLETA DESINFECÇÃO DE ÁGUA E EFLUENTES COM RAIOS. Sistema de decantação. Fenasan 2013. tratamento de água e efluentes

ULTRAVIOLETA DESINFECÇÃO DE ÁGUA E EFLUENTES COM RAIOS. Sistema de decantação. Fenasan 2013. tratamento de água e efluentes revista especializada em tratamento de DESINFECÇÃO DE ÁGUA E EFLUENTES COM RAIOS ULTRAVIOLETA Sistema de decantação Ação dos decantadores em tratamento de água Fenasan 2013 9 772236 261064 junho/julho-2013

Leia mais

Soluções Ambientais para a Destinação de Resíduos

Soluções Ambientais para a Destinação de Resíduos Soluções Ambientais para a Destinação de Resíduos ONDE ESTAMOS REGIONAIS São Paulo (Caieiras, São José dos Campos, Itaberaba, Taboão da Serra e Sede) Rio de Janeiro (Magé e Macaé) Minas Gerais (Betim,

Leia mais

Programa de Consumo Consciente nas Instituições de Ensino Superior Particulares FOREXP. Fórum de Extensão das IES Particulares

Programa de Consumo Consciente nas Instituições de Ensino Superior Particulares FOREXP. Fórum de Extensão das IES Particulares Programa de Consumo Consciente nas Instituições de Ensino Superior Particulares FOREXP Fórum de Extensão das IES Particulares Consumir conscientemente significa atentar para os efeitos que este ato acarreta

Leia mais

RESÍDUOS PERIGOSOS. Autor: Nicolau Bello Email:- nicobelo@hotmail.com 1

RESÍDUOS PERIGOSOS. Autor: Nicolau Bello Email:- nicobelo@hotmail.com 1 RESÍDUOS PERIGOSOS Email:- nicobelo@hotmail.com 1 Autor:- Nicobelo@hotmail.com Resíduos Perigosos Resíduos Industriais Normas Ambientais Como Identificar Resíduos Perigosos? Tratamento de Resíduos Perigosos.

Leia mais

COLEGIO EST. FRANCISCO CARNEIRO MARTINS. Descarte de resíduos de laboratório química biologia

COLEGIO EST. FRANCISCO CARNEIRO MARTINS. Descarte de resíduos de laboratório química biologia COLEGIO EST. FRANCISCO CARNEIRO MARTINS Descarte de resíduos de laboratório química biologia Guarapuava 2013 BPL Boas Praticas de Laboratório Descarte de resíduos de laboratório 1º Módulo Química Professoras:

Leia mais

ENG. ELVIRA LÍDIA STRAUS SETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS

ENG. ELVIRA LÍDIA STRAUS SETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS 4a Reunião Ordinária do GT Interinstitucional sobre Uso de Resíduos Industriais Indicados como Matéria-Prima para Fabricação de Produtos Fornecedores de Micronutrientes Utilizados como Insumo Agrícola

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUíMICOS (FISPQ)

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUíMICOS (FISPQ) 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Aplicação: Redutor de ph Empresa: Micheloto Ind. e Com. de Prod. Químicos Ltda EPP Endereço: Est. Vic. Dr. Eduardo Dias de Castro Km 03 B Zona Rural Fernão/SP

Leia mais

de Segurança de Produtos Químicos

de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: Impermeabilizante acrílico a base d água. Fornecedor:. Av Eng Juarez de Siqueira Britto Wanderley, 380 Jd Vale do Sol CEP: 12.238-565 São José

Leia mais

FISPQ - Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico

FISPQ - Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico FISPQ - Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Código interno: Empresa: FLEXOTOM INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE PRODUTOS QUÍMICOS PARA CONSTRUÇÃO

Leia mais

Os resíduos sólidos podem ser classificados de acordo com a origem, tipo de resíduo, composição química e periculosidade conforme abaixo:

Os resíduos sólidos podem ser classificados de acordo com a origem, tipo de resíduo, composição química e periculosidade conforme abaixo: TIPOS DE RESIDUOS Os resíduos sólidos podem ser classificados de acordo com a origem, tipo de resíduo, composição química e periculosidade conforme abaixo: Resíduo Hospitalar ou de Serviços de Saúde :

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM EMBALAGENS E UNITIZAÇÃO

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM EMBALAGENS E UNITIZAÇÃO DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM EMBALAGENS E UNITIZAÇÃO DEFINIÇÕES MERCADORIA: qualquer produto que seja objeto do comércio CARGA: qualquer mercadoria entregue a terceiros para: - ser transportada - ser armazenada

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO Página: 1 de 5 FISPQ Nº: 037 Data da última revisão: 26/10/2010 Nome do Produto: Betugrout 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Betugrout Código do Produto: 026050025. Nome da Empresa:

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FIS 00001 1/6 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Empresa: Endereço: Água sanitária Super Cândida Indústrias Anhembi S/A Matriz: Rua André Rovai, 481 Centro Osasco SP Telefone: Matriz:

Leia mais

AULA 20 TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS

AULA 20 TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS AULA 20 TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS Introdução O transporte de produtos perigosos é um caso particular do transporte de mercadorias numa cadeia de fornecimento. Durante esta atividade, vários fatores

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO RIO DE JANEIRO ATO DO PRESIDENTE

SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO RIO DE JANEIRO ATO DO PRESIDENTE SECRETARIA DE ESTADO DO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO RIO DE JANEIRO ATO DO PRESIDENTE RESOLUÇÃO CONEMA Nº 56 DE 13 DE DEZEMBRO DE 2013. ESTABELECE CRITÉRIOS PARA A INEXIGIBILIDADE DE

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO. Amarelado. Característico ph 10,00 11,50 g/cm3 ( 20ºC )

RELATÓRIO TÉCNICO. Amarelado. Característico ph 10,00 11,50 g/cm3 ( 20ºC ) RELATÓRIO TÉCNICO I - DADOS GERAIS: Nome do Produto: ÁGUA SANITÁRIA Estado Físico: Líquido Cuidados para conservação: Conservar o produto na embalagem original. Proteger do sol, do calor e da umidade.

Leia mais

Elaboração Item 2 inclusão do PG-C-01 Programa Integrado de SSTMA Item 2 Codificação dos documentos de referência

Elaboração Item 2 inclusão do PG-C-01 Programa Integrado de SSTMA Item 2 Codificação dos documentos de referência Página 1 de 9 DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 00 01 20/05/2009 30/09/2009 16/12/09 Elaboração Item 2 inclusão do PG-C-01 Programa Integrado de SSTMA Item 2 Codificação dos documentos

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA A GESTÃO DOS MUNICÍPIOS. Marcos Vieira Analista Ambiental GELSAR/INEA

CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA A GESTÃO DOS MUNICÍPIOS. Marcos Vieira Analista Ambiental GELSAR/INEA CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA A GESTÃO DOS MUNICÍPIOS Marcos Vieira Analista Ambiental GELSAR/INEA Março/2012 Gerência ESTRUTURA GELSAR 1 Gerente SERURB SERVIÇO DE RESÍDUOS URBANOS 1 Chefe de Serviço, 5 analistas

Leia mais

EXTRUTOP FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 017 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

EXTRUTOP FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 017 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA FISPQ 017 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Extrutop Código interno: AGM215 e AGM216 Empresa: Indutil Indústria de Tintas Ltda. e-mail: indutil@indutil.com.br

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE. Mônica Macedo de Jesus & Sidnei Cerqueira dos Santos RESÍDUOS & REJEITOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE. Mônica Macedo de Jesus & Sidnei Cerqueira dos Santos RESÍDUOS & REJEITOS UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE Mônica Macedo de Jesus & Sidnei Cerqueira dos Santos RESÍDUOS & REJEITOS Profa. Songeli Menezes Freire Salvador 2009 RESÍDUO Qualquer material,

Leia mais

FISPQ. FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 NOME DO PRODUTO: Solução Titulante

FISPQ. FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 NOME DO PRODUTO: Solução Titulante NOME DO PRODUTO: Solução Titulante 1/12 FISPQ NRº. 28 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome Comercial do Produto: Solução Titulante Nome Químico: Solução Ácida a 0,1 N Nome da Empresa: Hidroazul

Leia mais

o ojet Pr a Consciênci 1 Resíduos

o ojet Pr a Consciênci 1 Resíduos Projeto Consciência Resíduos 1 Qual é a diferença entre resíduo e lixo? 2 Qual é a diferença entre resíduo e lixo? Resíduo pode ser considerado qualquer material que sobra após uma ação ou processo produtivo.

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE CANOAS

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE CANOAS TERMO DE REFERÊNCIA PLANO DE GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGIRS 1 JUSTIFICATIVA O presente Termo de Referência tem por fim orientar a elaboração do PGIRS. 2 OBJETIVO O objetivo do PGIRS

Leia mais

ANEXO IV. II- um armário para armazenagem de solventes, com construção resistente ao fogo.

ANEXO IV. II- um armário para armazenagem de solventes, com construção resistente ao fogo. ANEXO IV ARMAZENAMENTO DE PRODUTOS QUÍMICOS. No laboratório, almoxarifado e em locais em que se tenha que armazenar ou manipular substâncias químicas, deve-se ter em conta sua composição, pois muitas delas

Leia mais

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725

FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO NBR 14725 FISPQ NRº. 005 1/7 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: Bicarbonato de Sódio Nome Comercial : Estabilizador de ph Sinônimo: Bicarbonato Ácido de Sódio N CAS: 144-55-8 Nome da Empresa:

Leia mais

FISPQ. Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico ACELERADOR DE VULCANIZAÇÃO MBTS-80 ACELERADOR DE VULCANIZAÇÃO MBTS-80

FISPQ. Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico ACELERADOR DE VULCANIZAÇÃO MBTS-80 ACELERADOR DE VULCANIZAÇÃO MBTS-80 Folha: 1 / 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Código Interno: Principais usos recomendados: Master de acelerador de vulcanização de borracha MBTS-80. Acelerador de vulcanização;

Leia mais

de Segurança de Produtos Químicos

de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: CONCRECOR CIMENFLEX Fornecedor:. Av Eng Juarez de Siqueira Britto Wanderley, 380 Jd Vale do Sol CEP: 12.238-565 São José dos Campos - SP e-mail:

Leia mais

Lista das frases de risco e de segurança

Lista das frases de risco e de segurança Lista das frases de risco e de segurança FRASES DE RISCO R1 : Explosivo no estado seco. R2 : Risco de explosão por choque, fricção, fogo ou outras fontes de ignição. R3 : Grande risco de explosão por choque,

Leia mais

CURSO PARA CONDUTORES DE VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS

CURSO PARA CONDUTORES DE VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS CURSO PARA CONDUTORES DE VEÍCULOS DE TRANSPORTE DE PRODUTOS PERIGOSOS Carga horária: 50 (cinqüenta) horas aula Requisitos para matrícula Ser maior de 21 anos; Estar habilitado em uma das categorias B,

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS GERADOS EM LABORATÓRIOS DE ENSINO E PESQUISA: PROCEDIMENTOS GERAIS. Patricia Busko Di Vitta. pabusko@iq.usp.

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS GERADOS EM LABORATÓRIOS DE ENSINO E PESQUISA: PROCEDIMENTOS GERAIS. Patricia Busko Di Vitta. pabusko@iq.usp. GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS GERADOS EM LABORATÓRIOS DE ENSINO E PESQUISA: PROCEDIMENTOS GERAIS Patricia Busko Di Vitta pabusko@iq.usp.br Setor Técnico de Tratamento de Resíduos Instituto de Química

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE PRODUTOS PERIGOSOS: CLASSIFICAÇÃO DE RISCOS DA ONU, PAINEL DE SEGURANÇA E RÓTULO DE RISCOS

IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE PRODUTOS PERIGOSOS: CLASSIFICAÇÃO DE RISCOS DA ONU, PAINEL DE SEGURANÇA E RÓTULO DE RISCOS IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE PRODUTOS PERIGOSOS: CLASSIFICAÇÃO DE RISCOS DA ONU, PAINEL DE SEGURANÇA E RÓTULO DE RISCOS 1. Introdução Por Edson Haddad, Ricardo Serpa e Rodolfo Arias As atividades que

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico - FISPQ

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico - FISPQ Produto: Antiderrapante para Correias Página 1 de 5 1 Informação do Produto e da Empresa Nome do Produto: Antiderrapante para Correias Fornecedor Nome: Ultralub Química Ltda. Endereço: Estrada dos Crisântemos,

Leia mais

Produção Mais Limpa: Melhores Técnicas de Destinação de Resíduos Industriais

Produção Mais Limpa: Melhores Técnicas de Destinação de Resíduos Industriais Produção Mais Limpa: Melhores Técnicas de Destinação de Resíduos Industriais Legislação Classificação dos Resíduos NORMA ABNT 10.004 CLASSE I - PERIGOSOS CLASSE II - NÃO PERIGOSOS classe II A não inertes

Leia mais

CUIDADO! PERIGOSO SE INGERIDO,

CUIDADO! PERIGOSO SE INGERIDO, JohnsonDiversey SAFE BIO C 520 Remediador para Estação de Tratamento de Efluentes em geral e com a Presença de Contaminantes Tóxicos. Indicado para indústrias em geral. Descrição: Benefícios: Este produto

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico Página 1 de 4

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico Página 1 de 4 Página 1 de 4 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA LATEX ACRILICO PLUS Empresa INDUSTRIA E COMERCIO DE TINTAS FERRAZ LTDA RODOVIA INDIO TIBIRIÇA 2520 RAFFO SUZANO SP CEP 008776-960 SAC- (11) 4749-1566

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS Diretoria de Licenciamento Ambiental Coordenação Geral de Transporte, Mineração

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Nome do produto: AROMA UVA PERMASEAL 013.277 Página: (1 of 7) ATENÇÃO: Leia atentamente esta Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico (FISPQ)

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO AMACIANTE DE ROUPAS 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO AMACIANTE DE ROUPAS 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO AMACIANTE DE ROUPAS 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA a) Nome do Produto: AMACIANTE DE ROUPAS. b) Código do Produto: c) Nome da Empresa: ICARAÍ

Leia mais

A Assembléia Legislativa do Estado do Paraná

A Assembléia Legislativa do Estado do Paraná LEI Nº 12493-22/01/1999 Publicado no Diário Oficial Nº 5430 de 05/02/1999. Estabelece princípios, procedimentos, normas e critérios referentes a geração, acondicionamento, armazenamento, coleta, transporte,

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO FISPQ

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO FISPQ 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA - Identificação do Produto: Página: 1 / 5 Nome do produto ou Nome Comercial: HAGEN SUPERFLEXÍVEL Uso da Substância/Preparação: Produto para construção e indústria.

Leia mais

INSTRUÇOES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS -

INSTRUÇOES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS - INSTRUÇOES PARA A ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS - I. APRESENTAÇÃO O presente Termo de Referência visa subsidiar os diversos empreendimentos quanto à elaboração e apresentação

Leia mais

Produto: Denvercril RA701 Nº FISPQ: 079 Revisão: 00. Denver Indústria e Comércio Ltda. denver.resinas@denverresinas.com.br

Produto: Denvercril RA701 Nº FISPQ: 079 Revisão: 00. Denver Indústria e Comércio Ltda. denver.resinas@denverresinas.com.br 1. Identificação do Produto e da Empresa Nome do Produto: Nome da Empresa: Endereço: Denvercril RA701. Denver Indústria e Comércio Ltda. Rua Geny Gusmão dos Santos, 48 Rio Abaixo Suzano-SP. Telefone da

Leia mais

INDUFIX FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

INDUFIX FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Indufix Código interno: 2000 Empresa: Indutil Indústria de Tintas Ltda. e-mail: indutil@indutil.com.br

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico AMINA TERCIÁRIA C12 FISPQ 014 1 de 4 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: AMINA TERCIÁRIA C12 Fornecedor: Multichemie Indústria e Comércio de Produtos Químicos Ltda. R. Howard Archibald

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos FORTEX Ficha de Segurança Nome do Produto: MASSA PVA FORTEX Data de Revisão: 15/08/2013 Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto:

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial do produto: CJI MASTER HARD SS Nome da empresa: Endereço: Rua Hermínio Poltroniere, 198

Leia mais

Nome do produto: BIOAGLOPAR PET

Nome do produto: BIOAGLOPAR PET Data da última revisão: 17/04/2014 Pagina 1/5 1. Identificação do produto e da empresa Nome do produto: Bioaglopar PET NCM: 3209.10.20 - Código interno de identificação do produto: 1.3.2.004 - Nome da

Leia mais

01 Identificação do produto e da Empresa. 02 Composição e informações sobre os ingredientes. 03 Identificação de perigos

01 Identificação do produto e da Empresa. 02 Composição e informações sobre os ingredientes. 03 Identificação de perigos Página: 01/05 01 Identificação do produto e da Empresa Natureza Química : Limpador de Uso Geral Autorização de Funcionamento / MS : nº 3.02.599-9 Registro no Ministério da Saúde : 3.2599.0103.001-4 Aceita

Leia mais

Considerando a necessidade da elaboração de Programa Estadual e de Plano para Gerenciamento de Resíduos Sólidos Industriais.

Considerando a necessidade da elaboração de Programa Estadual e de Plano para Gerenciamento de Resíduos Sólidos Industriais. 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 07/2011 Dispõe sobre gerenciamento e disposição final dos resíduos sólidos gerados em unidades de produção industrial, de bens e serviços, assim como os provenientes de atividades

Leia mais

RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE Isabela Helena De Marchi A Resolução CONAMA nº 005, em conformidade com a NBR nº10.004 da Associação brasileira de Normas Técnicas ABTN definiu em seu artigo 1º os resíduos

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade: NBR ISO 9001 Ficha de Segurança de Produto: LAB TIN 3104

Sistema de Gestão da Qualidade: NBR ISO 9001 Ficha de Segurança de Produto: LAB TIN 3104 Código: FSP-261 Revisão: 1 Página: 1/5 1 Informação do produto e da empresa Nome do produto: LAB TIN 3104 Nome da empresa: Lab Analítica e Ambiental Ltda. Endereço: Rodovia Geraldo Scavone, 2300 Condomínio

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO. Característico, irritante ph ( Puro ) 0,45 0,65 Densidade 0,980 1,040 ( 25ºC )

RELATÓRIO TÉCNICO. Característico, irritante ph ( Puro ) 0,45 0,65 Densidade 0,980 1,040 ( 25ºC ) Elaboração: 03/12 Revisão: 0-03/12 RELATÓRIO TÉCNICO I - DADOS GERAIS: Nome do Produto: LIMPA BAÚ Sinônimo: Detergente Ácido Composição: Linear Alquil Benzeno Sulfonado, Ácido Clorídrico, Ácido Cítrico,

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS (FISPQ)

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS (FISPQ) FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS (FISPQ) 1. Identificação do produto e da empresa Nome do produto: PDC Polymer Dust Cover Uso: Antipó, melhorador de resistência e impermeabilizante.

Leia mais

Soluções em Gestão Ambiental

Soluções em Gestão Ambiental Soluções em Gestão Ambiental QUEM SOMOS A Silcon Ambiental Empresa de engenharia ambiental, especializada em serviços e soluções para o gerenciamento, tratamento e destinação final de resíduos e na produção

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Produto : NO-RUST D - Data da Atualização: 22/01/2014 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Empresa: R. Pref. Eurípedes de Siqueira, n.º 36 Distrito

Leia mais

Sistema globalmente harmonizado de classificação e rotulagem de produtos químicos (GHS)

Sistema globalmente harmonizado de classificação e rotulagem de produtos químicos (GHS) Sistema globalmente harmonizado de classificação e rotulagem de produtos químicos (GHS) (ANTT 420) Definição das classes de risco PROPORÇÃO ENTRE OS SÍMBOLOS A SEGUIR ESTÁ ALTERADA. 1 - Explosivos 2 -

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO E SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS MATERIAL SAFETY DATA SHEET (MSDS) Rescol 65

FICHA DE INFORMAÇÃO E SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS MATERIAL SAFETY DATA SHEET (MSDS) Rescol 65 Pag. 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial: Outros Nomes: Óleo de Pinho 65% Branco; Alfa Terpineol. Nome Químico: Alfa Terpineol Peso Molecular P. M. C 10 H 18 O (componente principal)

Leia mais

NORMA CETESB P4.262 (2007)

NORMA CETESB P4.262 (2007) NORMA CETESB P4.262 (2007) (Versão Agosto/2007) Gerenciamento de Resíduos Químicos provenientes de Estabelecimentos de Serviços de Saúde - Procedimento 1 - Objetivo Esta norma estabelece procedimentos

Leia mais

Gerenciamento de Resíduos

Gerenciamento de Resíduos Gerenciamento de Resíduos ANVISA RDC 306/04 - REGULAMENTO TÉCNICO PARA GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS DE SAÚDE veronica.schmidt@ufrgs.br O perigo do lixo hospitalar. Resíduos biológicos - culturas de microrganismos

Leia mais

FISPQ-FICHA DE INFORMAÇÃO SOBRE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS.

FISPQ-FICHA DE INFORMAÇÃO SOBRE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUIMICOS. IDENTIFICAÇÃO: Razão Social:TEXTURA SÃO CAETANO IND E COM DE TINTAS E REVESTIMENTOS LTDA Endereço: Av Rochedo de Minas nº37 Bairro:Cidade Industrial Satélite de São Paulo Guarulhos-São Paulo Cep: 07222-200

Leia mais

Política Nacional de Resíduos Sólidos

Política Nacional de Resíduos Sólidos Política Nacional de Resíduos Sólidos Princípios, objetivos e instrumentos, Diretrizes relativas à gestão integrada e ao gerenciamento de resíduos sólidos, incluídos os perigosos Responsabilidades dos

Leia mais

NORMA DE FISCALIZAÇÃO CONJUNTA DA CÂMARA DE ENGENHARIA CIVIL E QUÍMICA N 001/09 DE ABRIL DE 2009.

NORMA DE FISCALIZAÇÃO CONJUNTA DA CÂMARA DE ENGENHARIA CIVIL E QUÍMICA N 001/09 DE ABRIL DE 2009. NORMA DE FISCALIZAÇÃO CONJUNTA DA CÂMARA DE ENGENHARIA CIVIL E QUÍMICA N 001/09 DE ABRIL DE 2009. Esclarece a competência dos Engenheiros: Civis, de Fortificações, Sanitaristas e Químicos quanto projetos,

Leia mais

TÉCNICAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS EM EMPRESAS DE REPARAÇÃO VEÍCULAR

TÉCNICAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS EM EMPRESAS DE REPARAÇÃO VEÍCULAR 1 o SIMPÓSIO SINDIREPA-RS TÉCNICAS DE GESTÃO DE RESÍDUOS EM EMPRESAS DE REPARAÇÃO VEÍCULAR Felipe Saviczki - cntl.att@senairs.org.br Engenheiro Ambiental Técnico de Desenvolvimento - Área de Consultoria

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos (MSDS)

Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos (MSDS) Página: 1/5 1 - Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: TEMED (N,N,N,N -Tetramethylenediamine) - Código de identificação do produto: 161-0800N - Nome da Empresa: BioAgency Biotecnologia

Leia mais

LIMPA- PEDRAS. FISPQ-004 Pag. 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DOPRODUTO E DA EMPRESA. Nome Comercial do Produto :

LIMPA- PEDRAS. FISPQ-004 Pag. 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DOPRODUTO E DA EMPRESA. Nome Comercial do Produto : Pag. 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DOPRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial do Produto : LIMPA- PEDRAS Identificação da Empresa: VALÊNCIA IND. E COMÉRCIO DE MATERIAIS DE LIMPEZA LTDA. Telefone FAX: (11) 2632-7070

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGRS 1. JUSTIFICATIVA O presente Termo de Referência tem por fim orientar a elaboração do PGRS conforme previsto no

Leia mais

Postes de Eucalipto Tratados

Postes de Eucalipto Tratados Postes de Eucalipto Tratados - Considerações - Destinação de Resíduos de Madeira Tratada 3º Simpósio Madeira e Construção- Agosto 2015 Flavio C. Geraldo ABPM Workshop Presidente ABRADEE Maio 2015 Flavio

Leia mais

feam FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE PARECER TÉCNICO Empreendedor: RECITEC RECICLAGEM TÉCNICA DO BRASIL LTDA.

feam FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE PARECER TÉCNICO Empreendedor: RECITEC RECICLAGEM TÉCNICA DO BRASIL LTDA. FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE PARECER TÉCNICO RESUMO Parecer Técnico GEDIN 078 / 2008 A RECITEC Reciclagem Técnica do Brasil Ltda., detentora da Licença Prévia 107/2004, da Licença de Instalação 273/2005

Leia mais

Resoluções RESOLUÇÃO Nº 9, DE 31 DE AGOSTO DE 1993

Resoluções RESOLUÇÃO Nº 9, DE 31 DE AGOSTO DE 1993 Resoluções RESOLUÇÃO Nº 9, DE 31 DE AGOSTO DE 1993 Resolução CONAMA Nº 009/1993 - "Estabelece definições e torna obrigatório o recolhimento e destinação adequada de todo o óleo lubrificante usado ou contaminado".

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ PRODUTO: BATERIA MOURA 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Nome da Empresa: Endereço: Bateria Moura Acumuladores Moura

Leia mais

1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 2 COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES

1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 2 COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES NOME DO PRODUTO: BRANCOL 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome da Empresa: Petra Química Matriz: Estrada do Barreiro, 136 Gleba Nova Ukrânia - CEP: 86.800-970 - Apucarana/PR Fone: (43) 4104-0224

Leia mais

DESTINAÇÃO E DISPOSIÇÃO FINAL AMBIENTALMENTE ADEQUADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS

DESTINAÇÃO E DISPOSIÇÃO FINAL AMBIENTALMENTE ADEQUADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS DESTINAÇÃO E DISPOSIÇÃO FINAL AMBIENTALMENTE ADEQUADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS Alternativas tecnológicas disponíveis. Variações de custo e de segurança das operações. Copyright Ecovalor Consultoria

Leia mais

Presença de agentes biológicos com risco potencial à saúde pública e ao meio ambiente.

Presença de agentes biológicos com risco potencial à saúde pública e ao meio ambiente. Classificação Os resíduos de Serviço de Saúde são classificados por grupo e tipo, com base na Resolução CONAMA 5-5/8/93, complementada pela Resolução Federal 283-12/7/2001 Grupo A: INFECTANTES Presença

Leia mais

1º SEMINÁRIO DA AGENDA AMBIENTAL NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DO JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO

1º SEMINÁRIO DA AGENDA AMBIENTAL NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DO JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO 1º SEMINÁRIO DA AGENDA AMBIENTAL NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DO JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO Gestão de resíduos sólidos impactos ambientais negativos BASE LEGAL 1/2 Lei 11.107/05 - Consórcios Públicos

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Tinta para demarcação Suprivia base d água Código interno: BA5215 e outros Empresa: Suprivias Indústria e Comercio de Materiais para Demarcação

Leia mais

Notas: Aprovada pela Deliberação CECA nº 4.497, de 03 de setembro de 2004. Publicada no DOERJ de 21 de setembro de 2004.

Notas: Aprovada pela Deliberação CECA nº 4.497, de 03 de setembro de 2004. Publicada no DOERJ de 21 de setembro de 2004. DZ-1310.R-7 - SISTEMA DE MANIFESTO DE RESÍDUOS Notas: Aprovada pela Deliberação CECA nº 4.497, de 03 de setembro de 2004. Publicada no DOERJ de 21 de setembro de 2004. 1 OBJETIVO Estabelecer a metodologia

Leia mais

TRANSPORTE E MANUSEIO DE PRODUTO QUÍMICO

TRANSPORTE E MANUSEIO DE PRODUTO QUÍMICO TRANSPORTE E MANUSEIO DE PRODUTO QUÍMICO ÍCARO LOGÍSTICA AMBIENTAL QUÍMICO ORION DE VARGAS FLORES TELEFONE COMERCIAL: 51-3051-7544 TELEFONE DE EMERGÊNCIA: 51-9918-9135 icaroamb@cpovo.net orion.phoenix@terra.com.br

Leia mais

Nome do produto: BIOAGLOPAR

Nome do produto: BIOAGLOPAR Data da última revisão: 09/02/2011 Pagina 1/5 1. Identificação do produto e da empresa Nome do produto: Bioaglopar NCM: 3905.21.00 - Código interno de identificação do produto: 1.3.2.002 - Nome da empresa:

Leia mais

1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Produto: CURATON CQ FISPQ n 052 emissão 02/02/09 Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Curaton CQ Código do produto: 11130 Nome

Leia mais

Panorama sobre resíduos sólidos

Panorama sobre resíduos sólidos Panorama sobre resíduos sólidos Brasil Dinamarca: Cooperação em Meio Ambiente Setembro de 2009 Principais conceitos (proposta do setor industrial) Resíduos sólidos: qualquer material, substância, objeto

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos VEDAPREN FAST - TERRACOTA

Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos VEDAPREN FAST - TERRACOTA 1. Identificação do produto e da empresa Nome do produto: Códigos internos de identificação do produto: 111690, 111691, 121714 e 111689 Nome da empresa: Otto Baumgart Ind. e Com. S/A Endereço: Rua Coronel

Leia mais

NORMA COGERE - RQ01/2007 ROTULAGEM, ARMAZENAMENTO E DESCARTE DE RESÍDUOS QUÍMICOS

NORMA COGERE - RQ01/2007 ROTULAGEM, ARMAZENAMENTO E DESCARTE DE RESÍDUOS QUÍMICOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PREFEITURA DO CAMPUS DIVISÃO AMBIENTAL COMISSÃO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS NORMA COGERE - RQ01/2007 ROTULAGEM, ARMAZENAMENTO E DESCARTE DE RESÍDUOS QUÍMICOS 1. Classificação

Leia mais

IV SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS- 2011 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS EM MEDICINA LABORATORIAL

IV SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS- 2011 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS EM MEDICINA LABORATORIAL IV SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS- 2011 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS QUÍMICOS EM MEDICINA LABORATORIAL São Paulo, 26/09/2011 VALÉRIA APARECIDA FARIA Bióloga Especialização em Gestão Ambiental pela Faculdade

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ PRODUTO: BICARBONATO DE AMÔNIA 1/5 1. IDENTIFICACÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Empresa: Endereço: Telefone de emergência: e-mail: BICARBONATO DE AMÔNIA Sasil Comercial e Industrial de Petroquímicos

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico Produto : NO RUST D ( para desenvolvimento de poços) ver.03.07 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Empresa: Clanox Ind. e Comércio de Produtos Químicos

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Fundo Preparador Empresa: Textura São Caetano Industria e Comércio de Tintas e Revestimentos

Leia mais

Produtos químicos PERIGOSOS

Produtos químicos PERIGOSOS Produtos químicos PERIGOSOS Como podemos identificar os produtos químicos perigosos? Os produtos químicos estão presentes em todo o lado, quer em nossas casas, quer nos locais de trabalho. Mesmo em nossas

Leia mais