PLANO DE MONITORIZAÇÃO DA QUALIDADE DA ONDA DE TENSÃO PARA A REDE DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DA EDA ÍNDICE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE MONITORIZAÇÃO DA QUALIDADE DA ONDA DE TENSÃO PARA A REDE DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DA EDA ÍNDICE"

Transcrição

1 PÁG. 1/8 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO METODOLOGIA E CRITÉRIOS UTILIZADOS NA DEFINIÇÃO DO NÚMERO E LOCALIZAÇÃO DAS MONITORIZAÇÕES PL DE MONITORIZAÇÃO 2014/

2 PÁG. 2/8 1. INTRODUÇÃO De acordo com o Procedimento n. 8 - Planos de monitorização da qualidade da energia elétrica, do Anexo II - Manual de Procedimentos da Qualidade de Serviço do setor elétrico, publicado em Diário da República, 2.ª série N.º de novembro de 2013, ponto 1 - Objeto e Âmbito, os operadores das redes devem desenvolver planos de monitorização da qualidade da energia elétrica que permitam proceder a uma caracterização do desempenho das respetivas redes e verificar o cumprimento dos limites estabelecidos para as diferentes características da onda de tensão. De acordo com o ponto 5 do Anexo II referido anteriormente, a monitorização da qualidade da energia elétrica pode ser realizada através de monitorização permanente ou de campanhas periódicas devendo a entidade concessionária do transporte e distribuição da RAA assegurar o cumprimento dos seguintes requisitos: REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO EM AT E MT A monitorização permanente da qualidade da energia elétrica deverá garantir a cobertura de, pelo menos, 50% das subestações de cada ilha. Nas subestações das redes de transporte e distribuição em AT e MT não abrangidas por monitorização permanente, a monitorização da qualidade da energia elétrica pode ser efetuada através de campanhas periódicas, com períodos mínimos de medição de um ano. Deverá ser assegurada a monitorização de pelo menos 20 pontos de rede em cada ano.. REDE DE DISTRIBUIÇÃO EM BT Num período máximo de dois anos deve ser efetuada a monitorização da qualidade da energia nos barramentos de BT de pelo menos dois PTs de cada concelho. As campanhas periódicas deverão ter uma duração mínima de 1 ano. Ainda de acordo com o Procedimento n. 8 - Planos de monitorização da qualidade da energia elétrica, do Anexo II - Manual de Procedimentos da Qualidade de Serviço do setor elétrico, ponto 2 - periodicidade e aprovação, os planos de monitorização da qualidade da energia elétrica têm uma abrangência temporal de dois anos consecutivos. Tendo em 2013 a entidade concessionária do transporte e distribuição da RAA submetido o plano de monitorização para o ano 2014, procedeu-se à sua extensão por forma a adequá-lo aos requisitos no novo RQS 2014, nomeadamente no que diz respeito à necessidade de monitorização de pelo menos dois PTs de cada concelho num período mínimo de 1 ano com os equipamentos de monitorização de barramento de BT existentes. A figura 1 ilustra os 19 concelhos da RAA. Para as ilhas de São Jorge, Flores e Corvo, em 2014 não foi possível cumprir os requisitos do RQS, de monitorizar dois PTs por concelho com duração mínima de uma ano mas apenas um por concelho, uma vez que não existiam número de equipamentos necessários para o cumprir. No entanto espera-se que o processo de aquisição e instalação de três novos equipamentos esteja concluído em 2015 pelo que no próximo plano bianual, 2016/2017 o requisito de monitorização de dois PTs por concelho seja cumprido integralmente. FIG.1. Concelhos da RAA

3 PÁG. 3/8 2. METODOLOGIA E CRITÉRIOS UTILIZADOS NA DEFINIÇÃO DO NÚMERO E LOCALIZAÇÃO DAS MONITORIZAÇÕES O Sistema de Monitorização de Qualidade de Onda de Tensão da EDA envolve a aquisição de dados em Subestações (), Postos de Transformação (PT) e em Postos de Seccionamento (PS), transmissão desses dados por meios de comunicação nem sempre disponíveis (GPRS/ Ethernet), tratamento de informação e disponibilização de relatórios conforme a EN A seleção das instalações a monitorizar foi sujeita ao melhor compromisso entre a sua localização e o número limitado de equipamentos por ilha utilizando os seguintes critérios: a) Monitorizar as principais subestações de Distribuição; b) Escolher as instalações não monitorizadas anteriormente e onde possam existir dúvidas sobre o cumprimento de todos os indicadores da qualidade da onda de tensão, de forma a determinar a necessidade de efectuar melhorias na rede de distribuição. c) Dar especial atenção às zonas A, nomeadamente às zonas urbanas das cidades de Ponta Delgada, Angra do Heroísmo e Horta. d) Por uma questão de garantia de condições de instalação dos equipamentos de monitorização, foram escolhidos Postos de Transformação de cabine. Esses critérios têm subjacentes os seguintes aspectos: O sistema eléctrico nos Açores é composto por nove sistemas isolados. Em regra, as cidades e as principais vilas dos Açores são alimentadas por redes subterrâneas operadas em anel aberto. As construções e remodelações são feitas com o objectivo de introduzir a mesma secção em toda a extensão e adoptando a solução de PS/PT para todos os pontos de ligação, PTD s e PTC s. Persistem alguns pontos em estrela quase exclusivamente de PTC s e pequenos troços aéreos a remodelar oportunamente. Por seu lado, as localidades semi-urbanas e rurais, são alimentadas por redes aéreas. A concepção dessas redes assenta na escolha de uma secção uniforme em toda a extensão para a Linha principal e noutra secção, também uniforme, para os ramais. A localização das indústrias, incluindo oficinas, assim como o comércio por grosso, armazéns e até alguns outros tem sido condicionada pelas exigências de várias entidades, quer dependentes do Governo Regional quer das Câmaras Municipais e que apontam e obrigam a sua instalação em parques construídos para esses fins. Essa característica manifesta-se de forma mais intensa em S. Miguel e vai-se atenuando nas restantes ilhas acompanhando a dimensão da economia de cada uma. Na perspectiva da monitorização BT as perturbações inerentes a essas cargas, outrora dispersas, começam a concentrar-se e têm um tratamento diferenciado no Plano de Monitorização, principalmente em S. Miguel. Quanto às restantes, podemos considerar que temos cada vez mais cargas do tipo doméstico e de outros de pequena dimensão sendo as do tipo informático, mini-mercados, restaurantes e bares as causadoras de maiores perturbações. Para a seleção das instalações a monitorizar (PTs) foram ainda consideradas as condições físicas para a montagem do equipamento de monitorização (por exemplo o espaço disponível para montagem) e exposição às intempéries e atos de vandalismo dos equipamentos. De referir que não obstante as visitas e testes preliminares, por várias ocasiões se tem constatado que as condições do local escolhido não são as mais adequadas para a permanência contínua dos equipamentos principalmente no que respeita à cobertura GSM, o que tem levado a alterações de alguns locais propostos nos Planos.

4 PÁG. 4/8 No decorrer do presente plano de monitorização e quando identificadas situações não regulamentares, a EDA servir-se-á de equipamentos de monitorização de qualidade da onda de tensão portáteis que lhe permitirão identificar, conjuntamente com outros equipamentos de monitorização permanentes, a origem das situações não conformes detectadas. De forma a maior transparência no processo de identificação das instalações abrangidas pelo Plano de Monitorização, é enviado em anexo o esquema unifilar de todas as ilhas e identificadas as instalações a monitorizar. 3. PL DE MONITORIZAÇÃO 2014/2015 Com base no anteriormente exposto, propomos o seguinte Plano de monitorização, que contempla a realização de medições das características da onda de tensão em 63 instalações (28 /PS e 35 PTDs) durante as 52 semanas. Na monitorização da rede de distribuição em BT, procurou-se dar sequência ao plano proposto para 2014 com alguma estabilização nas instalações a monitorizar em Plano de Monitorização Redes de transporte e Distribuição em AT e MT ILHA CONCELHO DA INSTALAÇÃO INSTALAÇÃO BARRAMENTO (KV) S. MARIA VILA DO PORTO CT AEROPORTO 10 S.MIGUEL RIBEIRA GRANDE CT CALDEIRÃO 60 RIBEIRA GRANDE CALDEIRÃO 30 PONTA DELAGADA MILHAFRES 30 PONTA DELGADA PONTA DELGADA 10 PONTA DELGADA S. ROQUE 10 PONTA DELGADA AEROPORTO 10 LAGOA LAGOA 30/10 RIBEIRA GRANDE FOROS 60/30/10

5 PÁG. 5/8 ILHA CONCELHO DA INSTALAÇÃO INSTALAÇÃO BARRAMENTO (KV) NORDESTE PE GRAMINHAIS 60 VILA FRANCA DO CAMPO VILA FRANCA 30/10 PRAIA DA VITÓRIA CT BELO JARDIM 30/ ANGRA DO HEROÍSMO VINHA BRAVA ANGRA DO HEROÍSMO ANGRA HEROÍSMO PRAIA DA VITÓRIA 15/6.9 PRAIA DA VITÓRIA QUATRO RIBEIRAS PRAIA DA VITÓRIA PS RRA CUME 30 GRACIOSA SANTA CRUZ DA GRACIOSA CT QUITADOURO S. JORGE VELAS CT CAMINHO NOVO SÃO ROQUE DO CT S. ROQUE 30/ DO FAIAL HORTA CT STA. BARBARA FAIAL HORTA PS PE SALAO DAS CT

6 PÁG. 6/8 ILHA CONCELHO DA INSTALAÇÃO INSTALAÇÃO BARRAMENTO (KV) SANTA CRUZ DAS CH ALÉM FAZENDA SANTA CRUZ DAS PS SANTA CRUZ CT 3.2 Plano de Monitorização Rede de distribuição em BT ILHA ZONA GEOGRÁFICA/ CONCELHO INSTALAÇÃO TIPO DE CARGA (*) POT. INSTALADA (KVA) S. MARIA V. PORTO 1PT0053 LARGO S ANTONIO 66% R(*); 34% I+S (*) S. MARIA V. PORTO 1PT0050 PT MERCADO 69% R(*); 31% I+S (*) A/ PONTA DELGADA 2PT0308 AVENIDA KOPKE 100% I+S (*) 315 PONTA DELGADA 2PT0409 HABITAÇÕES VICTOR CAMARA 84% R (*) 16% I+S (*) 250 B/ RIB. GRANDE 2PT0425 GARRIDA 73% R (*) 27% I+S (*) 250 RIB. GRANDE 2PT0472 BOA VIAGEM - CALHETAS 81% R (*) 19% I+S (*) 400 B/ LAGOA 2PT0526 TECNOPARQUE 1 100% I+S (*) B/ LAGOA 2PT0274 Urb.N.S.Graça 80% R+20%S (*) V.F.CAMPO 2PT0384 PELOURINHO 60% R (*) 40% I+S (*) V.F.CAMPO 2PT0313 Porto de V. Franca 82% R (*) 18% I+S (*)

7 PÁG. 7/8 ILHA ZONA GEOGRÁFICA/ CONCELHO INSTALAÇÃO TIPO DE CARGA (*) POT. INSTALADA (KVA) POVOAÇÃO 2PT0039 LOMBA DO POMAR 84% R (*) 16% I+S (*) POVOAÇÃO 2PT0036 LOMBA DO CARRO 100%S (*) NORDESTE 2PT0358 PARQUE IND. NORDESTE 65% R (*) 35% I+S (*) NORDESTE 2PT0514 PISCINAS- NORDESTE 100% S (*) A/ A.HEROÍSMO 3PT0210 PORTO DAS PIPAS 100% I+S (*) 250 A.HEROÍSMO 3PT0036 DOZE RIBEIRAS 82% R(*); 18% I+S (*) 200 B/ P.VITÓRIA 3PT0058 BELO JARDIM 79% R(*); 21% I+S (*) 200 P.VITÓRIA 3PT0076 VILA NOVA 81% R(*); 19% I+S (*) 400 GRACIOSA S.C.GRACIOSA 4PT0030 JARDIM 100% I+S (*) GRACIOSA S.C.GRACIOSA 4PT0003 LUZ 79% R (*); 21% I+S S. JORGE VELAS 5PT0012 BAIRRO NOVO 78% R(*); 22% I+S (*) S. JORGE VELAS 5PT0059 VELAS 70% R(*); 29% I+S (*) ** S. JORGE CALHETA 5PT0001 PORTO DA CALHETA 79% R(*); 21% I+S (*) S.ROQUE 6PT0005 CAIS 64% R(*); 36% I+S (*) S.ROQUE 6PT0081 POLIVALENTE 49% R(*); 51% I+S (*) PT0097 CRUZEIRO 45% R(*); 55% I+S (*)

8 PÁG. 8/8 ILHA ZONA GEOGRÁFICA/ CONCELHO INSTALAÇÃO TIPO DE CARGA (*) POT. INSTALADA (KVA) 6PT % R(*); 50% I+S (*) PT % R(*); 67% I+S (*) PT0022 BARCA 42% R(*); 58% I+S (*) FAIAL A/ HORTA 7PT0044 HORTECO 87% R(*); 13% I+S (*) 630 FAIAL C HORTA 7PT0036 VALE FORMOSO 83% R(*); 17% I+S (*) 63 S. CRUZ 8PT0001 VILA SANTA CRUZ 51% R(*); 49% I+S (*) S. CRUZ 8PT0021 BAIRRO DE ALFAVACAS 53% R(*); 47% I+S (*) ** 8PT0008 VILA DAS 46% R(*); 54% I+S (*) PT0001 VILA NOVA DO 57% R(*); 43% I+S (*) ** (*) R- percentagem clientes do sector residencial; I+S percentagem clientes do sector industrial e de serviços (**) Mediante a instalação de novos equipamentos

Plano de Monitorização da Qualidade de Serviço Técnica 2015-2016

Plano de Monitorização da Qualidade de Serviço Técnica 2015-2016 Plano de Monitorização da Qualidade de Serviço Técnica 2015-2016 DEP Direção de Estudos e Planeamento Setembro de 2014 Índice 1 Introdução... 3 2 Proposta de Plano de Monitorização da Qualidade de Serviço

Leia mais

ESCOLA CÓDIGO CÍRCULO CONCELHO

ESCOLA CÓDIGO CÍRCULO CONCELHO APRODAZ - Associação para a Promoção do Desenvolvimento dos Açores 4203714 Açores Ponta Delgada (Ilha de São Miguel) Colégio de Santa Clara 2301120 Açores Angra do Heroísmo (Ilha da Terceira) Colégio do

Leia mais

Códigos STAPE Códigos INE Código Distrito Concelho Freguesia Código Distrito Concelho Freguesia

Códigos STAPE Códigos INE Código Distrito Concelho Freguesia Código Distrito Concelho Freguesia 021116 Beja Odemira Longueira/Almograve 021117 Beja Odemira Longueira/Almograve 021117 Beja Odemira Boavista dos Pinheiros 021116 Beja Odemira Boavista dos Pinheiros 070517 Évora Évora Malagueira 070519

Leia mais

20 Relatório Técnico 04

20 Relatório Técnico 04 Relatório Técnico 20 04 Relatório Técnico 20 04 Electricidade dos Açores, S.A. Rua Eng.º José Cordeiro, 6 9504-535 Ponta Delgada Açores 20 04 RELATÓRIO TÉCNICO ÍNDICE 01. INTRODUÇÃO 5 02. COMERCIALIZAÇÃO

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

CARACTERIZAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES CARACTERIZAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Situação em 31 de Dezembro de 2010 ELECTRICIDADE DOS AÇORES EDA, S.A. 31 de Março de 2011 ÍNDICE

Leia mais

A Região Autónoma dos Açores é composta por nove ilhas localizadas no Atlântico Norte, entre a América do Norte e a Europa;

A Região Autónoma dos Açores é composta por nove ilhas localizadas no Atlântico Norte, entre a América do Norte e a Europa; 1 2 A Região Autónoma dos Açores é composta por nove ilhas localizadas no Atlântico Norte, entre a América do Norte e a Europa; As ilhas encontram-se dispersas por uma extensão de 600km, desde Santa Maria

Leia mais

JORNAL OFICIAL I SÉRIE NÚMERO 68 QUINTA-FEIRA, 4 DE OUTUBRO DE 2007 ÍNDICE:

JORNAL OFICIAL I SÉRIE NÚMERO 68 QUINTA-FEIRA, 4 DE OUTUBRO DE 2007 ÍNDICE: I SÉRIE NÚMERO 68 QUINTA-FEIRA, 4 DE OUTUBRO DE 2007 ÍNDICE: SECRETARIA REGIONAL DA AGRICULTURA E FLORESTAS PORTARIA n.º 62/2007: Aprova os valores máximos das rendas de prédios rústicos para o ano agrícola

Leia mais

Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres vs Linhas de Orientação do Plano Nacional de Reformas (PNR)

Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres vs Linhas de Orientação do Plano Nacional de Reformas (PNR) Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres vs Linhas de Orientação do Plano Nacional de Reformas (PNR) Estratégias Regionais (PMP) no âmbito dos Transportes Terrestres Objectivos

Leia mais

NECESSIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOS ACTIVOS DAS EMPRESAS DE HOTELARIA E RESTAURAÇÃO 2011/2012

NECESSIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOS ACTIVOS DAS EMPRESAS DE HOTELARIA E RESTAURAÇÃO 2011/2012 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA DO CONSUMIDOR OBSERVATÓRIO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

13 A 21 DE SETEMBRO ILHAS DOS AÇORES

13 A 21 DE SETEMBRO ILHAS DOS AÇORES 2011 13 A 21 DE SETEMBRO ILHAS DOS AÇORES PROGRAMA VIAGEM AOS AÇORES 13 A 21 DE SETEMBRO DE 2011 1.º Dia 13 de Setembro FUNCHAL/ PONTA DELGADA / TERCEIRA Comparência dos senhores participantes no Aeroporto

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Diário da República, 1.ª série N.º 87 4 de maio de 2012 2361 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Presidência do Governo Decreto Regulamentar Regional n.º 11/2012/A Terceira alteração ao Decreto Regulamentar Regional

Leia mais

2013 (calendário provisório)

2013 (calendário provisório) 2013 (calendário provisório) Eventos Events Janeiro / January 1 Primeiro Banho do Ano (Todas as ilhas) 1 st sea bath of the year (all islands) 6 Dia de Reis (Todas as ilhas) Three King's Day (all islands)

Leia mais

Prova de Avaliação Sumativa Externa de Matemática

Prova de Avaliação Sumativa Externa de Matemática PROVA DE AVALIAÇÃO SUMATIVA EXTERNA A PREENCHER PELO ALUNO Nome Data de nascimento / / (DIA/MÊS/ANO) Escola A PREENCHER PELA UNIDADE ORGÂNICA Número convencional do Aluno Número convencional da Turma Prova

Leia mais

região região açores região açores região açores região açores açores açores açores açores 01 adeliaçor 02 arde 03 asdepr 04 grater minha terra 55

região região açores região açores região açores região açores açores açores açores açores 01 adeliaçor 02 arde 03 asdepr 04 grater minha terra 55 minha terra 0 adeliaçor 0 arde 0 asdepr 04 grater 04 0 0 0 adeliaçor são jorge, pico, faial, flores e corvo www.adeliacor.org Faial Soja Herberto Soares Produtos de Soja, Sociedade Unipessoal, Lda. Freguesia

Leia mais

Região Autónoma dos Açores (RAA) Centro Regional dos Açores (CRA) Delegações da Horta e Angra do Heroísmo

Região Autónoma dos Açores (RAA) Centro Regional dos Açores (CRA) Delegações da Horta e Angra do Heroísmo Região Autónoma dos Açores (RAA) Centro Regional dos Açores (CRA) Delegações da Horta e Angra do Heroísmo Período de Visita de 28 de Junho a 01 de Julho de 2010 A Introdução 1. Em complemento da visita,

Leia mais

Inserção Territorial e Laboral

Inserção Territorial e Laboral Imigrantes na Região Autónoma dos Açores Inserção Territorial e Laboral Angra do Heroísmo, 30 de Maio de 2008 Aníbal C. Pires 1. Inserção territorial dos imigrantes na RAA 1.1 Número de cidadãos estrangeiros

Leia mais

AS REGIÕES DE PORTUGAL REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

AS REGIÕES DE PORTUGAL REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES AS REGIÕES DE PORTUGAL REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES O Território Porquê os? O Arquipélago dos é formado por 9 ilhas principais divididas por três grupos distintos: Grupo Ocidental Corvo e Flores; Grupo Central

Leia mais

região açores adeliaçor asdepr arde grater lagoa, vila franca do campo, povoação, nordeste e ribeira grande são jorge, pico, faial, flores e corvo

região açores adeliaçor asdepr arde grater lagoa, vila franca do campo, povoação, nordeste e ribeira grande são jorge, pico, faial, flores e corvo TERRITÓRIO região açores são jorge, pico, faial, flores e corvo adeliaçor 114 ponta delgada e vila do porto arde 116 lagoa, vila franca do campo, povoação, nordeste e ribeira grande asdepr 118 graciosa

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Maio de 2014

Boletim Climatológico Mensal Maio de 2014 Boletim Climatológico Mensal Maio de 2014 CONTEÚDOS Detalhe do posto meteorológico de Angra do Heroísmo, instalado na Igreja do Colégio (c. 1927). 01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições Meteorológicas

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Fevereiro de 2010

Boletim Climatológico Mensal Fevereiro de 2010 Boletim Climatológico Mensal Fevereiro de 2010 CONTEÚDOS Observatório José Agostinho 01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições Meteorológicas 03 Caracterização Climática Mensal 03 Precipitação total 04

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES A relevância de uma Agenda Digital e Tecnológica como instrumento de mudança

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES A relevância de uma Agenda Digital e Tecnológica como instrumento de mudança REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES A relevância de uma Agenda Digital e Tecnológica como instrumento de mudança 12º Encontro de Utilizadores da Esri Portugal Maio 2014 Eng. Bruno Pacheco Bruno.MC.Pacheco@azores.gov.pt

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Junho de 2014

Boletim Climatológico Mensal Junho de 2014 Boletim Climatológico Mensal Junho de 2014 CONTEÚDOS Observatório Magnético e Sismológico de S. Miguel (c. 1944). 01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições Meteorológicas 02 Caracterização Climática Mensal

Leia mais

Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo Associação Empresarial das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge

Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo Associação Empresarial das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge Terceira alteração ao Decreto Regulamentar Regional n.º 21/2007/A, de 24 de outubro, alterado pelos Decretos Regulamentares Regionais 11/2009/A, de 13 de agosto, e 9/2010/A, de 14 de junho. Promotores

Leia mais

Out.1986 Nov.1988 5.611.000,00 Instalações de Apoio em Terra Nov.1989 Jan.1992 2.863.000,00 Núcleo de Pesca Fev.1992 Jan.1999 8.507.

Out.1986 Nov.1988 5.611.000,00 Instalações de Apoio em Terra Nov.1989 Jan.1992 2.863.000,00 Núcleo de Pesca Fev.1992 Jan.1999 8.507. Início Porto da Praia da Vitória Molhe Sul da Baía do Porto da Praia da Vitória Fev.1983 Fev.1987 9.278.000,00 Cais Comercial incluíndo Redes Eléctricas, Telefónicas, Água e Drenagem D.R.O.P. Out.1986

Leia mais

Carta Regional das Obras Públicas 2013 2016

Carta Regional das Obras Públicas 2013 2016 Carta Regional das Obras Públicas 2013 2016 Governo dos Açores junho de 2013 1ª versão Índice Introdução... 3 Procedimentos a iniciar na legislatura (2013-2016)... 4 Empreitadas a iniciar procedimento

Leia mais

REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS

REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS Eliminado: Maio REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS Junho 2007 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail:

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 15/2014

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 15/2014 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 15/2014 Tarifas e preços para a energia elétrica e outros serviços em 2015 e parâmetros para o período de regulação 2015-2017 Nos termos dos seus

Leia mais

Gabinete de Planeamento da Secretaria Regional da Agricultura e Florestas Instituto de Alimentação e Mercados Agrícolas. Governo Regional dos Açores

Gabinete de Planeamento da Secretaria Regional da Agricultura e Florestas Instituto de Alimentação e Mercados Agrícolas. Governo Regional dos Açores Caracterização da produção de leite nos Açores no ano de 2008 a partir do universo de referência dos produtores com quota na Campanha Leiteira 2007/2008 da Secretaria Regional da Agricultura e Florestas

Leia mais

ANEXO 1 CADASTRO DE SUBESTAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PARTE I - INFORMAÇÕES GERAIS SEÇÃO 1: DADOS DE IDENTIFICAÇÃO SEÇÃO 2: DADOS ADMINISTRATIVOS

ANEXO 1 CADASTRO DE SUBESTAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA PARTE I - INFORMAÇÕES GERAIS SEÇÃO 1: DADOS DE IDENTIFICAÇÃO SEÇÃO 2: DADOS ADMINISTRATIVOS ANE 1 CADASTR DE SUBESTAÇÃ DE ENERGIA ELÉTRICA PARTE I - INFRMAÇÕES GERAIS SEÇÃ 1: DADS DE IDENTIFICAÇÃ DENMINAÇÃ LCAL Nº BAIRR MUNICÍPI CEP NME D REPRESENTANTE E-MAIL: CARG TEL. E RAMAL SEÇÃ 2: DADS ADMINISTRATIVS

Leia mais

Açores. São Miguel, São Jorge, Pico e Faial. exótico e diversificado. férias ativas de intensidade moderada. viagens em Outubro 2015.

Açores. São Miguel, São Jorge, Pico e Faial. exótico e diversificado. férias ativas de intensidade moderada. viagens em Outubro 2015. Montes e Vales Açores férias ativas de intensidade moderada São Miguel, São Jorge, Pico e Faial viagens em Outubro 2015 www.montesevales.com Açores Como se escolhem quatro ilhas a visitar de entre nove

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Fevereiro de 2015

Boletim Climatológico Mensal Fevereiro de 2015 Boletim Climatológico Mensal Fevereiro de 2015 CONTEÚDOS Estação climatológica das Furnas (Fevereiro de 2015) 01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições Meteorológicas 02 Caracterização Climática Mensal

Leia mais

NOTA DE ABERTURA. É nossa vontade criar condições para uma melhor proximidade com os nossos colaboradores, clientes, fornecedores, seguros e banca.

NOTA DE ABERTURA. É nossa vontade criar condições para uma melhor proximidade com os nossos colaboradores, clientes, fornecedores, seguros e banca. NOTA DE ABERTURA O nosso Grupo de Empresas continua a abrir janelas numa vontade contínua de melhoria da nossa actividade, dos nossos produtos, certificando-os. É nossa vontade criar condições para uma

Leia mais

INTERVENÇÃO. Rede viária

INTERVENÇÃO. Rede viária INTERVENÇÃO Rede viária Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados Senhora e Senhores Membros do Governo Os governos formados pelo Partido Socialista na Região Autónoma dos Açores têm realizado investimentos

Leia mais

APÊNDICE A. Elementos de apoio ao Capítulo 4

APÊNDICE A. Elementos de apoio ao Capítulo 4 APÊNDICES 481 APÊNDICE A Elementos de apoio ao Capítulo 4 482 Quadro A.1 Listagem das unidades de hotelaria tradicional em actividade na Região Autónoma dos Açores, em 2003, por categoria e ilha Nome da

Leia mais

REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS SETOR ELÉTRICO. Outubro 2012 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS

REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS SETOR ELÉTRICO. Outubro 2012 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS REGULAMENTO DE RELAÇÕES COMERCIAIS DO SETOR ELÉTRICO Outubro 2012 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail:

Leia mais

Bruxelas, 25-VIII-2005 C(2005) 3288

Bruxelas, 25-VIII-2005 C(2005) 3288 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 25-VIII-2005 C(2005) 3288 Assunto: Auxílio estatal N 360/2005 Portugal Alteração do regime de auxílios existente Auxílios estatais a favor do desenvolvimento regional dos Açores

Leia mais

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉCTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2009 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2009-2011

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉCTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2009 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2009-2011 TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉCTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2009 E PARÂMETROS PARA O PERÍODO DE REGULAÇÃO 2009-2011 Dezembro 2008 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama

Leia mais

III.4.1 - Indicadores do comércio internacional por NUTS II, 2004. III.4.1 - Indicators of international trading by NUTS II, 2004

III.4.1 - Indicadores do comércio internacional por NUTS II, 2004. III.4.1 - Indicators of international trading by NUTS II, 2004 III.4.1 - Indicadores do comércio internacional por NUTS II, 2004 III.4.1 - Indicators of international trading by NUTS II, 2004 Unidade: % Unit:% Taxa de cobertura das pelas para os 4 principais mercados

Leia mais

Ligações às redes de energia eléctrica de instalações consumidoras (em vigor a partir de 12 de maio de 2013)

Ligações às redes de energia eléctrica de instalações consumidoras (em vigor a partir de 12 de maio de 2013) Ligações às redes de energia eléctrica de instalações consumidoras (em vigor a partir de 12 de maio de 2013) Novembro de 2012 Índice Competências da ERSE Princípios e conceitos gerais Potência requisitada

Leia mais

CANDIDATURAS AO ENSINO SUPERIOR. Divisão do Ensino Secundário e Profissional - Gabinete de Acesso ao Ensino Superior

CANDIDATURAS AO ENSINO SUPERIOR. Divisão do Ensino Secundário e Profissional - Gabinete de Acesso ao Ensino Superior CANDIDATURAS AO ENSINO SUPERIOR 2011 Nota Introdutória Com a elaboração do presente documento pretende-se reunir um conjunto de informação estatística relativamente ao processo de candidatura às 3 fases

Leia mais

OFERTA ESPECIAL MADEIRA CASAS DE CAMPO DO POMAR O ESPAÇO DE TURISMO RURAL EM SANTANA

OFERTA ESPECIAL MADEIRA CASAS DE CAMPO DO POMAR O ESPAÇO DE TURISMO RURAL EM SANTANA desde 27,50 CASAS DE CAMPO DO POMAR O ESPAÇO DE TURISMO RURAL EM SANTANA VALORES APRESENTADOS SÃO POR PESSOA/NOITE EM BB. VÁLIDO DE 01.MAIO ATÉ 31.OUTUBRO.2015 desde 19,80 HOTEL EURO MONIZ PORTO MONIZ

Leia mais

CURRICULO SIMPLIFICADO DE MARIA MARGARIDA VAZ DO REGO MACHADO

CURRICULO SIMPLIFICADO DE MARIA MARGARIDA VAZ DO REGO MACHADO CURRICULO SIMPLIFICADO DE MARIA MARGARIDA VAZ DO REGO MACHADO Nasceu em Ponta Delgada, Açores, onde fez os seu estudos Liceais. Na mesma cidade iniciou os estudos no Conservatório onde conclui 1970 Curso

Leia mais

DECISÃO TÉCNICA DT-144/2013 R-00

DECISÃO TÉCNICA DT-144/2013 R-00 DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DA REDE DT-144/2013 DECISÃO TÉCNICA DT-144/2013 R-00 INSTALAÇÃO DE CAIXA DE PROTEÇÃO SECUNDÁRIA NA REDE DE BAIXA TENSÃO FOLHA DE CONTROLE DECISÃO TÉCNICA INSTALAÇÃO

Leia mais

NECESSIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DAS MICROEMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO PARA 2010/2011

NECESSIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DAS MICROEMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO PARA 2010/2011 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA DO CONSUMIDOR OBSERVATÓRIO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

Programa / Itinerário / Lista Inscritos Mapas / Zonas de Espéctaculo

Programa / Itinerário / Lista Inscritos Mapas / Zonas de Espéctaculo Programa / Itinerário / Lista Inscritos Mapas / Zonas de Espéctaculo ONDE VER APOIOS 2 0 07-2 01 3 PROCONVERGENCIA AÇORES CONSTRUIR O FUTURO AUTO REPARAÇÕES ARNALDO Manuel Gilberto Dutra Luis Serviço de

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Título Exposição 25 Anos - 25 Projectos, A União Europeia hoje nos Açores

FICHA TÉCNICA. Título Exposição 25 Anos - 25 Projectos, A União Europeia hoje nos Açores FICHA TÉCNICA Título Exposição 25 Anos - 25 Projectos, A União Europeia hoje nos Açores Edição Direcção Regional do Planeamento e dos Fundos Estruturais Data Maio 2011 www.proconvergencia.azores.gov.pt

Leia mais

Sumário. 1 - Aspectos Gerais: aplicação, custos, vantagens e desvantagens. 2 - Sistemas Existentes. 3 - Novas Aplicações. 4 - Conclusão.

Sumário. 1 - Aspectos Gerais: aplicação, custos, vantagens e desvantagens. 2 - Sistemas Existentes. 3 - Novas Aplicações. 4 - Conclusão. Sumário 1 - Aspectos Gerais: aplicação, custos, vantagens e desvantagens. 2 - Sistemas Existentes. 3 - Novas Aplicações. 4 - Conclusão. Aplicação dos Sistemas Subterrâneos Determinada basicamente por 4

Leia mais

PROCURADORIA DA COMARCA DOS AÇORES Rua Marquês da Praia e Monforte, 31 a 33 9500-089 Ponta Delgada Telefone 296209670 Fax 296209699

PROCURADORIA DA COMARCA DOS AÇORES Rua Marquês da Praia e Monforte, 31 a 33 9500-089 Ponta Delgada Telefone 296209670 Fax 296209699 REGULAMENTO DA PROCURADORIA DA REPÚBLICA DA COMARCA DOS AÇORES CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objecto 1. O presente regulamento define a estrutura e funcionamento da Procuradoria da República

Leia mais

Relatório da Qualidade de Serviço

Relatório da Qualidade de Serviço 213 21 Relatório da Qualidade de Serviço D.E.P.- Direcção de Estudos e Planeamento Maio de 211 214 RELATÓRIO DA QUALIDADE DE SERVIÇO 213 1 INTRODUÇÃO... 3 2 SÍNTESE... 3 2.1 Continuidade de serviço...

Leia mais

EDP Distribuição Energia, S.A. Rua Camilo Castelo Branco, 43 1050-044 LISBOA www.edpdistribuicao.pt

EDP Distribuição Energia, S.A. Rua Camilo Castelo Branco, 43 1050-044 LISBOA www.edpdistribuicao.pt Este documento está preparado para impressão em frente e verso EDP Distribuição Energia, S.A. Rua Camilo Castelo Branco, 43 1050-044 LISBOA www.edpdistribuicao.pt Errata ao Relatório da Qualidade de Serviço

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Diário da República, 1.ª série N.º 205 24 de Outubro de 2007 7839 QUADRO N.º 6 6.º semestre Tempo de trabalho (horas) Unidades curriculares Área científica Tipo Total Contacto Créditos Observações Culturas

Leia mais

Proteção Primária ria para Transformadores da Rede de Distribuição Subterrânea

Proteção Primária ria para Transformadores da Rede de Distribuição Subterrânea Proteção Primária ria para Transformadores da Rede de Distribuição Subterrânea Gerência de Redes Subterrâneas Diretoria Regional II Rafael Moreno Engenheiro Eletricista Campo rafael.moreno@aes.com Charles

Leia mais

REGULAMENTO DE ACESSO

REGULAMENTO DE ACESSO REGULAMENTO DE ACESSO ÀS REDES E ÀS INTERLIGAÇÕES DO SETOR ELÉTRICO Dezembro 2014 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax:

Leia mais

A COMPETITIVIDADE E O CRESCIMENTO DA ECONOMIA AÇORIANA - OPORTUNIDADES NO QUADRO DO HORIZONTE 2020

A COMPETITIVIDADE E O CRESCIMENTO DA ECONOMIA AÇORIANA - OPORTUNIDADES NO QUADRO DO HORIZONTE 2020 A COMPETITIVIDADE E O CRESCIMENTO DA ECONOMIA AÇORIANA - OPORTUNIDADES NO QUADRO DO HORIZONTE 2020 Quais os Instrumentos regionais para apoiar as empresas dos Açores? Competir + Apoios contratação de RH

Leia mais

RESUMO 05 1. NOTA INTRODUTÓRIA 06 2. METODOLOGIA 07 3. RESULTADOS 08. 3.1 Santa Maria 08 3.2 Graciosa 11 3.3 Faial 13 4. CONSIDERAÇÕES FINAIS 15

RESUMO 05 1. NOTA INTRODUTÓRIA 06 2. METODOLOGIA 07 3. RESULTADOS 08. 3.1 Santa Maria 08 3.2 Graciosa 11 3.3 Faial 13 4. CONSIDERAÇÕES FINAIS 15 Relatório Final Localização e mapeamento dos troços da rede de transporte e distribuição de energia eléctrica dos Açores mais utilizados pelo estorninho-malhado como dormitório Povoação, Maio 2012 Trabalhar

Leia mais

Escolha o melhor parceiro para estar entre os maiores. Escolha TSE ENERGIA E AUTOMAÇÃO. www.grupotse.com.br

Escolha o melhor parceiro para estar entre os maiores. Escolha TSE ENERGIA E AUTOMAÇÃO. www.grupotse.com.br Escolha o melhor parceiro para estar entre os maiores. Escolha TSE www.grupotse.com.br I. A EMPRESA II. SERVIÇOS III. CLIENTES IV. CERTIFICAÇÕES V. CASES www.grupotse.com.br A Empresa Com Matriz em São

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Diretiva n.º 20/2013. Parâmetros de Regulação da Qualidade de Serviço do setor elétrico

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Diretiva n.º 20/2013. Parâmetros de Regulação da Qualidade de Serviço do setor elétrico Diário da República, 2.ª série N.º 227 22 de novembro de 2013 34305 PARTE E ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Diretiva n.º 20/2013 Parâmetros de Regulação da Qualidade de Serviço do setor elétrico

Leia mais

Manual da Marca Priolo

Manual da Marca Priolo 2015 Manual da Marca Priolo Carta Europeia de Turismo Sustentável Terras do Priolo ÍNDICE RESUMO 01 1. NOTA INTRODUTÓRIA 02 1.1 Justificação da necessidade de criação da Marca Priolo 02 2. PROCEDIMENTO

Leia mais

EMPRESA DE ELECTRICIDADE DA MADEIRA SA

EMPRESA DE ELECTRICIDADE DA MADEIRA SA EMPRESA DE ELECTRICIDADE DA MADEIRA SA CENTRAL TÉRMICA DA VITÓRIA EEM/DSP 1 117 MWe Central Térmica da Vitória 1 Descrição Geral A Central Térmica da Vitória entrou em funcionamento em 1979, para fazer

Leia mais

S.R. DA ECONOMIA Portaria n.º 72/2010 de 30 de Julho de 2010

S.R. DA ECONOMIA Portaria n.º 72/2010 de 30 de Julho de 2010 S.R. DA ECONOMIA Portaria n.º 72/2010 de 30 de Julho de 2010 O afastamento dos principais mercados com os quais a economia açoriana mantém relações comerciais; a reduzida dimensão e fragmentação do mercado

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO Responsável Técnico: Proprietário / Responsável Legal: Marcos Antônio de Sordi Instituto Federal de Ciência e Eng.º Eletricista CREA PR-73895/D Tecnologia

Leia mais

Índice Temático. Capitulo IV Caracterização Sectorial 112 Transportes 113 Turismo 122 Agricultura 142 Pescas 154. 2de 224

Índice Temático. Capitulo IV Caracterização Sectorial 112 Transportes 113 Turismo 122 Agricultura 142 Pescas 154. 2de 224 VOLUME II Índice Temático Capitulo III Caracterização Geral 5 Localização e Caracterização 6 Caracterização Demográfica 15 Caracterização Económica 32 Caracterização da Educação 56 Caracterização do Emprego

Leia mais

Encontros da Ligação

Encontros da Ligação Agenda 9h30 - Recepção 9h45 - Apresentação da Agenda 9h50 Abertura 10h00 EDP Distribuição 10h20 - Enquadramento Geral do Manual da Ligação 10h40 - Ligação em BT (BTN & BTE) 11h00 - Ligação da Microprodução

Leia mais

Postos de transformação. PFS Cabinas Subterrâneas para Postos de Transformação Até 36 kv

Postos de transformação. PFS Cabinas Subterrâneas para Postos de Transformação Até 36 kv Postos de transformação PFS Cabinas Subterrâneas para Postos de Transformação Até 36 kv PFS CABINAS SUBTERRÂNEAS PARA POSTOS DE TRANSFORMAÇÃO DESCRIÇÃO A cabina PFS é uma envolvente monobloco de betão

Leia mais

JORNAL OFICIAL II SÉRIE NÚMERO 219 TERÇA-FEIRA, 13 DE NOVEMBRO DE 2012 ÍNDICE: Página 6688 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES

JORNAL OFICIAL II SÉRIE NÚMERO 219 TERÇA-FEIRA, 13 DE NOVEMBRO DE 2012 ÍNDICE: Página 6688 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES II SÉRIE NÚMERO 219 TERÇA-FEIRA, 13 DE NOVEMBRO DE 2012 ÍNDICE: PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Despachos SECRETARIA REGIONAL DA SAÚDE Despachos Página 6688 SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E CULTURA Despachos

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Regulamento n.º 468/2012. Alteração ao Regulamento de Relações Comerciais do Setor Elétrico

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Regulamento n.º 468/2012. Alteração ao Regulamento de Relações Comerciais do Setor Elétrico Diário da República, 2.ª série N.º 218 12 de novembro de 2012 36849 PARTE E ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Regulamento n.º 468/2012 Alteração ao Regulamento de Relações Comerciais do Setor

Leia mais

1º CAMPUS DO JUNCAL 13-18 AGOSTO 2015

1º CAMPUS DO JUNCAL 13-18 AGOSTO 2015 VENHAM TREINAR COM OS NOSSOS CAMPEÕES!!! Patrícia Maciel Raquel Andrade Ana Rita Costa Campeã da Europa de Pares 2014 9º lugar Individual no Campeonato Campeã Nacional Individual (Riva del garda, Itália)

Leia mais

Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos dos Açores. Sistema de apoio financeiro ao transporte marítimo de resíduos

Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos dos Açores. Sistema de apoio financeiro ao transporte marítimo de resíduos Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos dos Açores Sistema de apoio financeiro ao transporte marítimo de resíduos 2012 1. Qual a finalidade deste sistema de apoio? Este sistema de apoio tem

Leia mais

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO

RELATÓRIO DE EXECUÇÃO COMPONENTE FEOGA-0 RELATÓRIO DE EXECUÇÃO 2005 1 RELATÓRIO DE EXECUÇÃO 2005 2 EIIXO 2 Incrementar a Modernização da Base Produtiva Regional RELATÓRIO DE EXECUÇÃO 2005 3 RELATÓRIO DE EXECUÇÃO 2005 4 A componente

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES. 3892 Diário da República, 1.ª série N.º 143 25 de julho de 2012

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES. 3892 Diário da República, 1.ª série N.º 143 25 de julho de 2012 3892 Diário da República, 1.ª série N.º 143 25 de julho de 2012 ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Resolução da Assembleia da República n.º 92/2012 Recomenda ao Governo a elaboração de uma lista exaustiva com os

Leia mais

S.R. DA ECONOMIA Portaria n.º 39/2012 de 29 de Março de 2012

S.R. DA ECONOMIA Portaria n.º 39/2012 de 29 de Março de 2012 S.R. DA ECONOMIA Portaria n.º 39/2012 de 29 de Março de 2012 O X Governo dos Açores deliberou introduzir alterações ao regime Sistema de Apoio à Promoção de Produtos Açorianos de forma a potenciar um conjunto

Leia mais

Portugal. Turismo Náutico 20-02-2012. 2011 Quota (%) 2011 Instalações Náuticas (nº) Portos Recreio Docas Recreio. Bandeira Azul (nº)

Portugal. Turismo Náutico 20-02-2012. 2011 Quota (%) 2011 Instalações Náuticas (nº) Portos Recreio Docas Recreio. Bandeira Azul (nº) Turismo áutico Portugal Marinas Instalações áuticas (nº) Portos Recreio Docas Recreio IDICADORE Postos Amarração (nº) Quota (%) Bandeira Azul (nº) 23 13 Total UT II 13.082 100% 16 4 1 1 orte 1.218 2 6

Leia mais

Concurso Pessoal Docente 2013-2014

Concurso Pessoal Docente 2013-2014 Secretaria Regional da Educação, Ciência e Cultura Direção Regional da Educação Concurso Pessoal Docente 2013-2014 Vagas Apuradas Oferta de Emprego Grupo de Recrutamento Escola Vagas Grupo 100 - Educação

Leia mais

As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores

As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores Margarida Brites Coordenadora da Área das Estatísticas da Balança de Pagamentos e da Posição de Investimento

Leia mais

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2014

TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2014 TARIFAS E PREÇOS PARA A ENERGIA ELÉTRICA E OUTROS SERVIÇOS EM 2014 Dezembro 2013 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua Dom Cristóvão

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO RIO DE JANEIRO - CREA-RJ. Certidão de Acervo Técnico nº 59919/2014

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO RIO DE JANEIRO - CREA-RJ. Certidão de Acervo Técnico nº 59919/2014 PÁG: 1/ 9 Certidão de Acervo Técnico nº 59919/2014 Não há vinculação entre a presente Certidão e qualquer atestado (Artigo 30,P arágrafo 1º, Inciso I da Lei 8666/93), tendo sido a mesma emitida com a finalidade

Leia mais

SALA DO ARQUIVO PISO 2

SALA DO ARQUIVO PISO 2 SALA DO ARQUIVO 1200 60 x 20,5 6,80 5/ 2,45 x 3,33 Soalho 1200 650 141 1200 2000 Climatização Insonorizada Sistema de iluminação por sectores e com regulação de fluxo Palco amovível 10m x 10m em módulos

Leia mais

CONDIÇÕES A OBSERVAR PARA O ESTEBELECIMENTO DE POSTO DE TRANSFORMACÃO PRIVATIVO

CONDIÇÕES A OBSERVAR PARA O ESTEBELECIMENTO DE POSTO DE TRANSFORMACÃO PRIVATIVO CONDIÇÕES A OBSERVAR PARA O ESTEBELECIMENTO DE POSTO DE TRANSFORMACÃO PRIVATIVO 1 CONDIÇÕES PRÉVIAS Antes de iniciar qualquer trabalho de montagem, ou antes de adquirir um posto de transformação (PT),

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 60

COMUNICADO TÉCNICO Nº 60 Página 1 de 15 COMUNICADO TÉCNICO Nº 60 ALTERAÇÃO DE TENSÃO SECUNDÁRIA DE NOVOS EMPREENDIMENTOS NO SISTEMA RETICULADO SUBTERRÂNEO (NETWORK) Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia da

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Obras de acabamento do Polivalente da Escola da Retorta

Obras de acabamento do Polivalente da Escola da Retorta OBRAS PÚBLICAS 1 - EQUIPAMENTOS ESCOLARES: Obras de acabamento do Polivalente da Escola da Retorta Campo Reparação da Escola da Gandra Reparação da Escola das Saibreiras Imp. de um P.T. na Escola C+S D.António

Leia mais

CONTRATAÇÃO COLETIVA DE TRABALHO PUBLICADA NA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES. SETOR DA HOTELARIA, RESTAURAÇÃO e SIMILARES

CONTRATAÇÃO COLETIVA DE TRABALHO PUBLICADA NA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES. SETOR DA HOTELARIA, RESTAURAÇÃO e SIMILARES CONTRATAÇÃO COLETIVA DE TRABALHO PUBLICADA NA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SETOR DA HOTELARIA, RESTAURAÇÃO e SIMILARES DIREÇÃO DE SERVIÇOS DO TRABALHO novembro 2014 VICE-PRESIDÊNCIA, EMPREGO E COMPETITIVIDADE

Leia mais

INSTALAÇÕES AT E MT. Postos de transformação pré-fabricados (prontos a instalar) DMA-C13-912/N NOV 2011. Características e ensaios

INSTALAÇÕES AT E MT. Postos de transformação pré-fabricados (prontos a instalar) DMA-C13-912/N NOV 2011. Características e ensaios INSTALAÇÕES AT E MT Postos de transformação pré-fabricados (prontos a instalar) Características e ensaios Elaboração: DTI Homologação: conforme despacho do CA de 2011-11-02 Edição: 1ª Emissão: EDP Distribuição

Leia mais

Todos os preços constantes da tabela estão isentos de IVA ao abrigo do art.14 CIVA.

Todos os preços constantes da tabela estão isentos de IVA ao abrigo do art.14 CIVA. Sentir o prazer de navegar pt Mapa do Site Contactos 800 500 501 Passageiros Viaturas Tarifa Bagagem Camarotes Turística Oversea Ida e Volta Agência/RIAC/Atlânticoline S. Maria S. Miguel Terceira Graciosa

Leia mais

GUIA DE MEDIÇÃO, LEITURA E DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS DE ENERGIA ELÉTRICA EM PORTUGAL CONTINENTAL

GUIA DE MEDIÇÃO, LEITURA E DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS DE ENERGIA ELÉTRICA EM PORTUGAL CONTINENTAL GUIA DE MEDIÇÃO, LEITURA E DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS DE ENERGIA ELÉTRICA EM PORTUGAL CONTINENTAL 23 de Dezembro de 2011 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão

Leia mais

Jayme da costa. A Jayme da Costa desenvolve a sua actividade em várias áreas

Jayme da costa. A Jayme da Costa desenvolve a sua actividade em várias áreas SOMOS ENERGIA Jayme da costa Ao longo dos seus 95 anos de actividade, a Jayme da Costa tornou-se numa das mais conceituadas empresas no ramo da Engenharia. As suas realizações ao nível das instalações

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO NO DOMiNIO DA HABITAC;AO DO MUNICIPIO DE LAGOA-AC;ORES

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO NO DOMiNIO DA HABITAC;AO DO MUNICIPIO DE LAGOA-AC;ORES REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO NO DOMiNIO DA HABITAC;AO DO MUNICIPIO DE LAGOA-AC;ORES Artigo 1. Ambito o presente Regulamento aplica-se a toda a area do Concelho de Lagoa. Artigo 2. Objecto Constitui objecto

Leia mais

RIBEIRINHA DAS ORIGENS À ACTUALIDADE

RIBEIRINHA DAS ORIGENS À ACTUALIDADE RIBEIRINHA DAS ORIGENS À ACTUALIDADE Por Carlos Faria Dia da Freguesia e de apresentação do símbolos heráldicos 21 de Setembro de 2009 1. DAS ORIGENS DA RIBEIRINHA NATURAIS A Freguesia da Ribeirinha situa-se

Leia mais

O plano e orçamento 2010 que vos é proposto materializam o que queremos para o sector da Saúde nos Açores:

O plano e orçamento 2010 que vos é proposto materializam o que queremos para o sector da Saúde nos Açores: Plano e Orçamento para 2010 - Saúde O plano e orçamento 2010 que vos é proposto materializam o que queremos para o sector da Saúde nos Açores: Queremos um Serviço Público de Saúde cada vez mais próximo.

Leia mais

PORTFÓLIO FISCALIZAÇÕES, PLANEAMENTO E COORDENAÇÃO DE SEGURANÇA EM OBRAS DO SETOR PÚBLICO E PRIVADO. Portfólio_CE

PORTFÓLIO FISCALIZAÇÕES, PLANEAMENTO E COORDENAÇÃO DE SEGURANÇA EM OBRAS DO SETOR PÚBLICO E PRIVADO. Portfólio_CE Sede Rua da Esperança, 42 Gabinete Ladeira de S Bento, 41 9700-179 Angra do Heroísmo Tel: 295 216 939 / 216 243 Fax: 295 216 938 E-mail geral@arquiangra.pt PORTFÓLIO FISCALIZAÇÕES, PLANEAMENTO E COORDENAÇÃO

Leia mais

EMPRESA DE ELECTRICIDADE DA MADEIRA SA

EMPRESA DE ELECTRICIDADE DA MADEIRA SA EMPRESA DE ELECTRICIDADE DA MADEIRA SA CENTRAL TÉRMICA DO PORTO SANTO EEM/DSP 1 16 MWe Central Térmica do Porto Santo 1 Descrição Geral A Central Térmica do Porto Santo entrou em funcionamento em 1992,

Leia mais

Postos de Transformação de Clientes Soluções Técnicas EEM. Edição de Janeiro de 2010

Postos de Transformação de Clientes Soluções Técnicas EEM. Edição de Janeiro de 2010 Clientes Soluções Técnicas EEM Edição de Janeiro de 2010 DEP Direcção de Estudos e Planeamento 2010 Índice 1 Introdução... 5 2 Domínio de Aplicação... 5 3 Processo de Concepção... 6 4 Considerações Gerais...

Leia mais

Regimento de Guarnição N.º1

Regimento de Guarnição N.º1 NEWSLETTER Edição N.º 05 / 2015 Participação do RG1 na XXV Meia Maratona dos Bravos - 01 de maio de 2015; Participação de militar do RG1 no Campeonato Militar de Tiro Desportivo / Fase Exército - 04 a

Leia mais

GERÊNCIA DO SUBTERRÂNEO

GERÊNCIA DO SUBTERRÂNEO GERÊNCIA DO SUBTERRÂNEO 4.578 Câmaras Transformadoras 10.200 Transformadores 2.590 Protetores Network 35 Subestações 27 Sistemas Reticulados 227 Alimentadores do Reticulado 673 Alimentadores 3.200 Km Rede

Leia mais

GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES. Resolução Nº 1/2000 de 27 de Janeiro

GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES. Resolução Nº 1/2000 de 27 de Janeiro GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES Resolução Nº 1/2000 de 27 de Janeiro Considerando a necessidade de dotar a Região Autónoma dos Açores de um instrumento orientador do desenvolvimento do sistema educativo, com

Leia mais

Regulamento Particular

Regulamento Particular Regulamento Particular VISA Nº 40A/TRCAM/2015-12.03.2015 PROGRAMA ABERTURA DAS INSCRIÇÕES: Sexta-feira 27 de Março ENCERRAMENTO DAS INSCRIÇÕES: Segunda-feira 6 de Abril 22h00 ENTREGA DO CADERNO DE ITINERÁRIOE

Leia mais

SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA ILHA DA MADEIRA

SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA ILHA DA MADEIRA Porto Moniz SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA ILHA DA MADEIRA São Vicente Santana Calheta Machico Galeria de Captação Furo de Captação Estação de Tratamento de Água (Municipal / desactivada) Central

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE

CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE Proposta de Regulamento do Serviço Municipal de Protecção Civil do Concelho da Ribeira Grande Preâmbulo Atendendo que: A Protecção Civil é, nos termos da Lei de Bases

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL Gabinete do Presidente

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL Gabinete do Presidente Diário da Sessão n.º 008 de 25/01/01 Vamos passar ao ponto nº 4 da nossa ordem do dia, ou seja, à Proposta de Resolução Medidas de Combate à Leptospirose. Tem a palavra o Sr. Deputado Bento Barcelos. Deputado

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA. Introdução

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA. Introdução FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA Introdução A questão do fornecimento de energia elétrica é de suma importância para um funcionamento adequado de equipamentos eletro-eletrônicos. Assim sendo, cabe ao poder

Leia mais