PLANO DE MONITORIZAÇÃO DA QUALIDADE DA ONDA DE TENSÃO PARA A REDE DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DA EDA ÍNDICE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO DE MONITORIZAÇÃO DA QUALIDADE DA ONDA DE TENSÃO PARA A REDE DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DA EDA ÍNDICE"

Transcrição

1 PÁG. 1/9 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO METODOLOGIA E CRITÉRIOS UTILIZADOS NA DEFINIÇÃO DO NÚMERO E LOCALIZAÇÃO DAS MONITORIZAÇÕES PL DE MONITORIZAÇÃO 2016/

2 PÁG. 2/9 1. INTRODUÇÃO De acordo com o Procedimento n. 8 - Planos de monitorização da qualidade da energia elétrica, do Anexo II - Manual de Procedimentos da Qualidade de Serviço do setor elétrico, publicado em Diário da República, 2.ª série N.º de novembro de 2013, ponto 1 - Objeto e Âmbito, os operadores das redes de transporte e distribuição devem desenvolver planos de monitorização da qualidade da energia elétrica que permitam proceder a uma caracterização do desempenho das respetivas redes e verificar o cumprimento dos limites estabelecidos para as diferentes características da onda de tensão. De acordo com o ponto 5 do Anexo II referido anteriormente, a monitorização da qualidade da energia elétrica pode ser realizada através de monitorização permanente ou de campanhas periódicas devendo a entidade concessionária do transporte e distribuição da RAA assegurar o cumprimento dos seguintes requisitos: REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO EM AT E MT A monitorização permanente da qualidade da energia elétrica deverá garantir a cobertura de, pelo menos, 50% das subestações de cada ilha. Nas subestações das redes de transporte e distribuição em AT e MT não abrangidas por monitorização permanente, a monitorização da qualidade da energia elétrica pode ser efetuada através de campanhas periódicas, com períodos mínimos de medição de um ano. Deverá ser assegurada a monitorização de pelo menos 20 pontos de rede em cada ano.. REDE DE DISTRIBUIÇÃO EM BT Num período máximo de dois anos deve ser efetuada a monitorização da qualidade da energia nos barramentos de BT de pelo menos dois PTs de cada concelho. A figura 1 ilustra os 19 concelhos da RAA. As campanhas periódicas deverão ter uma duração mínima de 1 ano. FIG.1. Concelhos da RAA Ainda de acordo com o Procedimento n. 8 - Planos de monitorização da qualidade da energia elétrica, do Anexo II - Manual de Procedimentos da Qualidade de Serviço do setor elétrico, ponto 2 - periodicidade e aprovação, os planos de monitorização da qualidade da energia elétrica têm uma abrangência temporal de dois anos consecutivos. 2. METODOLOGIA E CRITÉRIOS UTILIZADOS NA DEFINIÇÃO DO NÚMERO E LOCALIZAÇÃO DAS MONITORIZAÇÕES O Sistema de Monitorização de Qualidade de Onda de Tensão da EDA envolve a aquisição de dados em Subestações (), Postos de Transformação (PT) e em Postos de Seccionamento (PS), transmissão desses dados por meio de comunicação (GPRS/ Ethernet) para um sistema central onde se procede ao tratamento de informação e disponibilização de relatórios conforme a EN A seleção das instalações a monitorizar foi sujeita ao melhor compromisso entre a sua localização e o número limitado de equipamentos por ilha utilizando os seguintes critérios: a) Monitorizar as principais subestações de Distribuição; b) Escolher as instalações não monitorizadas anteriormente e onde possam existir dúvidas sobre o cumprimento de todos os indicadores da qualidade da onda de tensão, de forma a determinar

3 PÁG. 3/9 a necessidade de efectuar melhorias na rede de distribuição. Na identificação das instalações foram consideradas as reclamações de clientes sobre a Qualidade de Energia. c) Dar especial atenção às zonas A, nomeadamente às zonas urbanas das cidades de Ponta Delgada, Angra do Heroísmo e Horta. d) Por uma questão de garantia de condições de instalação dos equipamentos de monitorização, foram escolhidos Postos de Transformação de cabine. e) Atendendo a que para as ilhas de São Jorge, Flores e Corvo, não foi possível (até à data) cumprir a totalidade do Plano de Monitorização 2014/2015 para a BT devido a atraso no fornecimento de três equipamentos de monitorização da BT, e apesar de se esperar que o processo de instalação dos equipamentos esteja concluído ainda em 2015, manteve-se no plano bianual 2016/2017 as três instalações não monitorizadas no plano 2014/2015 (Ilha de São Jorge: 5PT0001 Porto da Calheta, Ilha das Flores: 8PT008 Vila das Lajes, Ilha do Corvo: 9PT0001- Vila Nova do Corvo) de forma a assegurar a monitorização de um ano completo. Esses critérios têm subjacentes os seguintes aspectos: O sistema eléctrico nos Açores é composto por nove sistemas isolados. Em regra, as cidades e as principais vilas dos Açores são alimentadas por redes subterrâneas operadas em anel aberto. As construções e remodelações são feitas com o objectivo de introduzir a mesma secção em toda a extensão e adoptando a solução de PS/PT para todos os pontos de ligação, PTD s e PTC s. Persistem alguns pontos em estrela quase exclusivamente de PTC s e pequenos troços aéreos a remodelar oportunamente. Por seu lado, as localidades semi-urbanas e rurais, são alimentadas por redes aéreas. A concepção dessas redes assenta na escolha de uma secção uniforme em toda a extensão para a Linha principal e noutra secção, também uniforme, para os ramais. A localização das indústrias, incluindo oficinas, assim como o comércio por grosso, armazéns e até alguns outros tem sido condicionada pelas exigências de várias entidades, quer dependentes do Governo Regional quer das Câmaras Municipais e que apontam e obrigam a sua instalação em parques construídos para esses fins. Essa característica manifesta-se de forma mais intensa em S. Miguel e vai-se atenuando nas restantes ilhas acompanhando a dimensão da economia de cada uma. Na perspectiva da monitorização BT as perturbações inerentes a essas cargas, outrora dispersas, começam a concentrar-se e têm um tratamento diferenciado no Plano de Monitorização, principalmente em S. Miguel. Quanto às restantes, podemos considerar que temos cada vez mais cargas do tipo doméstico e de outros de pequena dimensão sendo as do tipo informático, mini-mercados, restaurantes e bares as causadoras de maiores perturbações. Para a seleção das instalações a monitorizar (PTs) foram ainda consideradas as condições físicas para a montagem do equipamento de monitorização (por exemplo o espaço disponível para montagem) e exposição às intempéries e atos de vandalismo dos equipamentos. De referir que não obstante as visitas e testes preliminares, por várias ocasiões se tem constatado que as condições do local escolhido não são as mais adequadas para a permanência contínua dos equipamentos principalmente no que respeita à cobertura GSM, o que tem levado a alterações de alguns locais propostos nos Planos. No decorrer do presente plano de monitorização e quando identificadas situações não regulamentares, a EDA servir-se-á de equipamentos de monitorização de qualidade da onda de tensão portáteis que lhe permitirão identificar, conjuntamente com outros equipamentos de monitorização permanentes, a origem das situações não conformes detectadas.

4 PÁG. 4/9 De forma a maior transparência no processo de identificação das instalações abrangidas pelo Plano de Monitorização, é enviado em anexo o esquema unifilar de todas as ilhas e identificadas as instalações a monitorizar. 3. PL DE MONITORIZAÇÃO 2016/2017 Com base no anteriormente exposto, propomos o seguinte Plano de monitorização, que contempla a realização de medições das características da onda de tensão em 75 instalações (28 /PS e 47 PTDs) durante as 52 semanas: 3.1 Plano de Monitorização Redes de transporte e Distribuição em AT e MT ILHA CONCELHO DA INSTALAÇÃO INSTALAÇÃO BARRAMENTO (KV) S. MARIA VILA DO PORTO CT AEROPORTO /17 S.MIGUEL RIBEIRA GRANDE CT CALDEIRÃO /17 RIBEIRA GRANDE CALDEIRÃO /17 PONTA DELAGADA MILHAFRES /17 PONTA DELGADA PONTA DELGADA /17 PONTA DELGADA S. ROQUE /17 PONTA DELGADA AEROPORTO /17 LAGOA LAGOA 30/ /17 RIBEIRA GRANDE FOROS 60/30/ /17 NORDESTE PE GRAMINHAIS /17

5 PÁG. 5/9 ILHA CONCELHO DA INSTALAÇÃO INSTALAÇÃO BARRAMENTO (KV) VILA FRANCA DO CAMPO VILA FRANCA 30/ /17 PRAIA DA VITÓRIA CT BELO JARDIM 30/ ANGRA DO HEROÍSMO VINHA BRAVA ANGRA DO HEROÍSMO ANGRA HEROÍSMO PRAIA DA VITÓRIA 15/ /17 PRAIA DA VITÓRIA QUATRO RIBEIRAS PRAIA DA VITÓRIA PS RRA CUME /17 GRACIOSA SANTA CRUZ DA GRACIOSA CT QUITADOURO S. JORGE VELAS CT CAMINHO NOVO SÃO ROQUE DO CT S. ROQUE 30/ MADALENA MADALENA DO CT STA. BARBARA PS PE SALAO DAS CT SANTA CRUZ DAS CH ALÉM FAZENDA

6 PÁG. 6/9 ILHA CONCELHO DA INSTALAÇÃO INSTALAÇÃO BARRAMENTO (KV) SANTA CRUZ DAS PS SANTA CRUZ CT 3.2 Plano de Monitorização Rede de distribuição em BT ILHA ZONA GEOGRÁFIC CONCELHO INSTALAÇÃO TIPO DE CARGA (*) POT. INSTALADA (KVA) S. MARIA V. PORTO 1PT0045 PT B.S.Lourenço R 93.4% I+S 6.6% S. MARIA V. PORTO 1PT0051 PT Pedras São pedro R 79,1% I+S 20,9% PONTA DELGADA 2PT0354 Associação Deficientes R 67,2% I+S 32,8% PONTA DELGADA 2PT0059 Gaiatos R 76,3% I+S 23,7% PONTA DELGADA 2PT0398 A.M.Furtado R 83,9% I+S 16,1% PONTA DELGADA 2PT0117 Covoada R 94,9% I+S 5,1% RIB. GRANDE 2PT0392 Lomba Pico da Pedra R 88,4% I+S 11,6% RIB. GRANDE 2PT0081 Escolas- Rib. Seca R 86,0% I+S 14,0% RIB. GRANDE 2PT0329 Av. Luis Camões R 63,0% I+S 37,0% RIB. GRANDE 2PT0015 Igreja Santa Barbara R 85,6% I+S 14,4% LAGOA 2PT0008 Rosário R 52,0% I+S 48,0%

7 PÁG. 7/9 ILHA ZONA GEOGRÁFIC CONCELHO INSTALAÇÃO TIPO DE CARGA (*) POT. INSTALADA (KVA) LAGOA 2PT0462 Lot. Cabo da Vila R 77,0% I+S 23,0% V.F.CAMPO 2PT0022 Rocha dos Campos R 78,6% I+S 21,4% V.F.CAMPO 2PT0025 Rua do General R 62,2% I+S 37,8% POVOAÇÃO 2PT0041 Lomba do Alcaide R 87,7% I+S 12,3% POVOAÇÃO 2PT0360 Hotel do Mar R 44,6% I+S 55,4% NORDESTE 2PT0028 Vila Nordeste R 61,7% I+S 38,3% NORDESTE 2PT0125 Lomba da Cruz R 88,5% I+S 11,5% A.HEROÍSMO 3PT0008 Boa Nova R 76,6% I+S 23,4% A.HEROÍSMO 3PT0103 Melancólicos R 78,6% I+S 21,4% A.HEROÍSMO 3PT0030 S. Bartolomeu R 85,2% I+S 14,8% A.HEROÍSMO 3PT0039 Altares R 82,9% I+S 17,1% P.VITÓRIA 3PT0065 Paúl 1 R 56,6% I+S 43,4% P.VITÓRIA 3PT0123 Largo da Luz R 59,4% I+S 40,6% P.VITÓRIA 3PT0071 Pechita R 80,6% I+S 19,4% P.VITÓRIA 3PT0074 Ribeira dos Pães R 89,5% I+S 10,5% GRACIOSA S.C.GRACIOSA 4PT0026 Mercado R 66,0% I+S 34,0%

8 PÁG. 8/9 ILHA ZONA GEOGRÁFIC CONCELHO INSTALAÇÃO TIPO DE CARGA (*) POT. INSTALADA (KVA) GRACIOSA S.C.GRACIOSA 4PT0019 Fenais R 97,3% I+S 2,7% S. JORGE VELAS 5PT0016 Queimada R 80,2% I+S 19,8% S. JORGE VELAS 5PT0002 Av. Livramento R 75,6% I+S 24,4% S. JORGE CALHETA 5PT0001 Porto da calheta R 40,9% I+S 59,1% S. JORGE CALHETA 5PT0040 Santo Antão R 86,2% I+S 13,8% S.ROQUE 6PT0002 Poço R 89,6% I+S 10,4% S.ROQUE 6PT0015 Lajido R 88,5% I+S 11,5% 6PT0049 Ribeira do Meio R 85,5% I+S 14,5% PT0079 Ramal Sta. Cruz R 90,2% I+S 9,8% MADALENA 6PT0026 Areia Funda R 51,6% I+S 48,4% MADALENA 6PT0018 Cabeço Chão R 84,5% I+S 15,5% PT0038 Consul D Abney R 54,6% I+S 45,4% C 7PT0008 Capelo R 79,0% I+S 21,0% PT0002 Angústias R 64,8% I+S 35,2% PT0012 Pedro Miguel R 85,1% I+S 14,9% S. CRUZ 8PT0002 Ribeira dos Barqueiros R 85,0% I+S 15,0%

9 PÁG. 9/9 ILHA ZONA GEOGRÁFIC CONCELHO INSTALAÇÃO TIPO DE CARGA (*) POT. INSTALADA (KVA) S. CRUZ 8PT0018 BOQUEIRÃO R 57,5% I+S 42,5% PT0008 Vila das lajes R 46,8% I+S 53,2% 8PT0022 Urb. Ângelo Freitas Henriques R 69,0% I+S 31,0% PT0001 VILA NOVA DO R 56,2% I+S 43,8% /2017 (*) R- percentagem clientes do sector residencial; I+S percentagem clientes do sector industrial e de serviços

PLANO DE MONITORIZAÇÃO DA QUALIDADE DA ONDA DE TENSÃO PARA A REDE DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DA EDA ÍNDICE

PLANO DE MONITORIZAÇÃO DA QUALIDADE DA ONDA DE TENSÃO PARA A REDE DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DA EDA ÍNDICE PÁG. 1/8 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 2 2. METODOLOGIA E CRITÉRIOS UTILIZADOS NA DEFINIÇÃO DO NÚMERO E LOCALIZAÇÃO DAS MONITORIZAÇÕES... 3 3. PL DE MONITORIZAÇÃO 2014/2015... 4 PÁG. 2/8 1. INTRODUÇÃO De acordo

Leia mais

Evolução dos edifícios por ilha e município nos Açores

Evolução dos edifícios por ilha e município nos Açores Evolução dos edifícios por ilha e município nos Açores análise aos dados do Recenseamento Geral da Habitação 1981, 1991, 2001 & 2011 Vasco Silva Lisboa, 1 Dezembro 2014 1 RESUMO Com base nos dados recolhidos

Leia mais

Tabela de correspondência entre código da Divisão Administrativa/revisão 1994

Tabela de correspondência entre código da Divisão Administrativa/revisão 1994 Tabela de correspondência entre código da Divisão Administrativa/revisão 1994 Continente Código Actual Código Anterior 10 09 30 Carreira 10 09 28 Chainça 10 09 31 Chainça 10 09 29 Carreira Região Autónoma

Leia mais

Beneficiários de RSI a frequentar FP - janeiro 2016

Beneficiários de RSI a frequentar FP - janeiro 2016 Beneficiários de RSI a frequentar FP - janeiro 2016 ILHA / CONCELHO Total ILHA DE SANTA MARIA 14 VILA DO PORTO 14 ILHA DE SÃO JORGE 16 CALHETA 5 VELAS 11 ILHA DE SÃO MIGUEL 676 LAGOA 60 NORDESTE 15 PONTA

Leia mais

Envelhecimento e Natalidade nos Açores, Ventilação espacial por Ilha/Município

Envelhecimento e Natalidade nos Açores, Ventilação espacial por Ilha/Município Envelhecimento e Natalidade nos Açores, Ventilação espacial por Ilha/Município Augusto Elavai S. P. Estatísticas Sociais (CSE) 18 Março 2013 Temas em análise Índice Envelhecimento Taxa Natalidade Taxa

Leia mais

II.12.1 - Estabelecimentos de Instituições Bancárias e Seguradoras e respectivo Pessoal ao Serviço, em 2000

II.12.1 - Estabelecimentos de Instituições Bancárias e Seguradoras e respectivo Pessoal ao Serviço, em 2000 II.2. - Estabelecimentos de Instituições Bancárias e Seguradoras e respectivo Pessoal ao Serviço, em 2000 Bancos e Caixas Económicas Estabelecimentos Caixas de Crédito Agrícola Mútuo Bancos, Caixas Económicas

Leia mais

Plano de Monitorização da Qualidade de Serviço Técnica

Plano de Monitorização da Qualidade de Serviço Técnica Plano de Monitorização da Qualidade de Serviço Técnica 2017-2018 DEP Direção de Estudos e Planeamento Setembro de 2016 Índice 1 Introdução... 3 2 Proposta de Plano de Monitorização da Qualidade de Serviço

Leia mais

Sistema. i da Qualidade de Onda de Tensão GESIS. Lisboa

Sistema. i da Qualidade de Onda de Tensão GESIS. Lisboa Sistema de Monitorização i da Qualidade de Onda de Tensão GESIS Lisboa 23 de Junho de 2009 Sumário 1ª Parte Alguns conceitos sobre Qualidade de Energia Eléctrica Factores que influenciam a Qualidade e

Leia mais

REDE DE BIBLIOTECAS MUNICIPAIS REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

REDE DE BIBLIOTECAS MUNICIPAIS REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES REDE DE BIBLIOTECAS MUNICIPAIS REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES A BIBLIOTECA PÚBLICA (clicar para aparecer o que está abaixo) Porta de acesso local ao conhecimento In, Manifesto da UNESCO sobre Bibliotecas Públicas

Leia mais

AUTO DE SORTEIO DE DISTRIBUIÇÃO DOS TEMPOS DE ANTENA

AUTO DE SORTEIO DE DISTRIBUIÇÃO DOS TEMPOS DE ANTENA Processo: 1480/13.0TBPDL-B - Processo Eleitoral Referência: 7890690 AUTO DE SORTEIO DE DISTRIBUIÇÃO DOS TEMPOS DE ANTENA Data: 10.9.2013 Juiz de Direito: Dr.ª Patrícia Pedreiras Escrivã Auxiliar: Carla

Leia mais

Qualidade de Serviço do setor elétrico - Vertente Técnica - Jorge Esteves

Qualidade de Serviço do setor elétrico - Vertente Técnica - Jorge Esteves Qualidade de Serviço do setor elétrico - Vertente Técnica - Jorge Esteves Conteúdo 1. Dimensões da Qualidade de Serviço e Regulação 2. Evolução do Desempenho das Redes Elétricas e Regulação da Qualidade

Leia mais

CONTACTOS ESCOLAS COM ENSINO SECUNDÁRIO STª MARIA

CONTACTOS ESCOLAS COM ENSINO SECUNDÁRIO STª MARIA CONTACTOS ESCOLAS COM ENSINO SECUNDÁRIO STª MARIA de Santa Maria Av. do Aeroporto 9580-501 Vila do Porto Telf. 296 820 060 Fax. 296 882 339 Email: ebis.smaria@azores.gov.pt http://srec.azores.gov.pt/dre/sd/115111010600

Leia mais

PROJETOS ELÉTRICOS EBOOK

PROJETOS ELÉTRICOS EBOOK PROJETOS ELÉTRICOS EBOOK ENTENDENDO SOBRE REDES ELÉTRICAS A REDE ELÉTRICA PODE SER DIVIDIDA EM 3 GRUPOS, DE ACORDO COM A TENSÃO: BAIXA TENSÃO acima de 50V até 1.000V MÉDIA TENSÃO acima de 1.000V até 69.000V

Leia mais

XVI CONGRESSO REGIONAL PARTIDO SOCIALISTA/AÇORES REGULAMENTO

XVI CONGRESSO REGIONAL PARTIDO SOCIALISTA/AÇORES REGULAMENTO XVI CONGRESSO REGIONAL PARTIDO SOCIALISTA/AÇORES REGULAMENTO SECÇÃO I NORMAS GERAIS Artigo 1º Local, data e Ordem de Trabalhos O XVI Congresso Regional do Partido Socialista/Açores, realiza-se na ilha

Leia mais

RedeOutdoor MAPA DE OCUPAÇÃO. Última actualização:

RedeOutdoor MAPA DE OCUPAÇÃO. Última actualização: V2.0 RedeOutdoor MAPA DE OCUPAÇÃO Última actualização: 26.05. Frente Parque Atlântico Painel Esq Clique nas fotos para explorar online a localização dos painéis e área circundante. NOTA IMPORTANTE: As

Leia mais

RedeOutdoor MAPA DE OCUPAÇÃO. Última actualização:

RedeOutdoor MAPA DE OCUPAÇÃO. Última actualização: V2.0 RedeOutdoor MAPA DE OCUPAÇÃO Última actualização: 30.01. Frente Parque Atlântico Painel Esq Clique nas fotos para explorar online a localização dos painéis e área circundante. NOTA IMPORTANTE: As

Leia mais

EDP Distribuição Energia, S.A. Rua Camilo Castelo Branco, LISBOA

EDP Distribuição Energia, S.A. Rua Camilo Castelo Branco, LISBOA Este documento está preparado para impressão em frente e verso EDP Distribuição Energia, S.A. Rua Camilo Castelo Branco, 43 1050-044 LISBOA www.edpdistribuicao.pt Índice Introdução... 1 Caracterização

Leia mais

RedeOutdoor MAPA DE OCUPAÇÃO. Última actualização:

RedeOutdoor MAPA DE OCUPAÇÃO. Última actualização: V2.0 RedeOutdoor MAPA DE OCUPAÇÃO Última actualização: 20.09. Frente Parque Atlântico Painel Esq Clique nas fotos para explorar online a localização dos painéis e área circundante. NOTA IMPORTANTE: As

Leia mais

Avaliação Ambiental Estratégica Relatório Ambiental. PGRH-Açores 2016-2021. Anexo I

Avaliação Ambiental Estratégica Relatório Ambiental. PGRH-Açores 2016-2021. Anexo I Anexo I Diretivas Diretiva Quadro da Água (DQA) Diretiva Quadro Estratégia Marinha (DQEM) Diretiva 2000/60/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 23 de outubro de 2000, que estabelece um quadro de

Leia mais

PARTE II - Cartas e Publicações Náuticas - Portugal Cartas Eletrónicas de Navegação

PARTE II - Cartas e Publicações Náuticas - Portugal Cartas Eletrónicas de Navegação PARTE II - Cartas e Publicações Náuticas - Portugal 71 1.2. Cartas Eletrónicas de Navegação 72 Catálogo de Cartas e Publicações Náuticas Correções: 12/2016 PARTE II - Cartas e Publicações Náuticas - Portugal

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA - IRRIGANTES NTD

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA - IRRIGANTES NTD Página: 1 de 5 1. Objetivo Este documento define os critérios e padrões dos sistemas de medições a serem observados no fornecimento de energia elétrica para unidades consumidoras classificadas como rural

Leia mais

2 Cartas Náuticas. Edição Reimpressão ª Ago Portugal Continental, Arquipélago dos Açores. Título Escala 1: e Arquipélago da Madeira

2 Cartas Náuticas. Edição Reimpressão ª Ago Portugal Continental, Arquipélago dos Açores. Título Escala 1: e Arquipélago da Madeira Publicação Título Escala 1: Nac. INT Edição Reimpressão 11101 Portugal Continental, Arquipélago dos Açores e Arquipélago da Madeira 2 500 000 1ª Ago 2002 21101 1081 Cabo Finisterre a Casablanca 1 000 000

Leia mais

I N V E N T Á R I O D O P A T R I M Ó N I O I M Ó V E L D O S A Ç O R E S

I N V E N T Á R I O D O P A T R I M Ó N I O I M Ó V E L D O S A Ç O R E S I N V E N T Á R I O D O P A T R I M Ó N I O I M Ó V E L D O S A Ç O R E S 5 APRESENTAÇÃO - DIRECÇÃO REGIONAL DA CULTURA 7 APRESENTAÇÃO - INSTITUTO AÇORIANO DE CULTURA 9 APRESENTAÇÃO CÂMARA MUNICIPAL DA

Leia mais

GRANDES OPORTUNIDADES NOS AÇORES

GRANDES OPORTUNIDADES NOS AÇORES GRANDES OPORTUNIDADES NOS AÇORES CAMPANHA DE IMÓVEIS DE 15 DE JUNHO A 31 DE JULHO DE 2017 Saiba mais em millenniumbcp.pt na área de imobiliário. AÇORES MAIS DE 90 IMÓVEIS 10% DE DESCONTO SOBRE O PREÇO

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS QUESTIONÁRIO ELABORADO NO ÂMBITO DO PROCESSO DE ESCRUTÍNIO DA INICIATIVA DA COMISSÃO EUROPEIA - AS REGIÕES ULTRAPERIFÉRICAS: UM TRUNFO PARA A EUROPA COM (2008) 642 Lista de entidades a consultar Grupo

Leia mais

PAPER. Título As Subestações de Entrada de Energia e entradas de Serviço no Brasil um estudo das possíveis configurações.

PAPER. Título As Subestações de Entrada de Energia e entradas de Serviço no Brasil um estudo das possíveis configurações. Título As Subestações de Entrada de Energia e entradas de Serviço no Brasil um estudo das possíveis configurações. Propuesta de sesión * 1 Introdução Autores del Trabajo Fernando Reis da Cunha Brasil cunhac3e@yahoo.com.br

Leia mais

ESCOLA CÓDIGO CÍRCULO CONCELHO

ESCOLA CÓDIGO CÍRCULO CONCELHO APRODAZ - Associação para a Promoção do Desenvolvimento dos Açores 4203714 Açores Ponta Delgada (Ilha de São Miguel) Colégio de Santa Clara 2301120 Açores Angra do Heroísmo (Ilha da Terceira) Colégio do

Leia mais

MONTE TRIGO: Gestão da demanda em um sistema eléctrico com geração 100% renovável

MONTE TRIGO: Gestão da demanda em um sistema eléctrico com geração 100% renovável MONTE TRIGO: Gestão da demanda em um sistema eléctrico com geração 100% renovável ILHA DE SANTÃO ANTÃO CABO VERDE PROJECTO SESAM-ER I. O projeto SESAM-ER II. Localização e caracterização da aldeia de Monte

Leia mais

PPDA PLANO DE PROMOÇÃO DO DESEMPENHO AMBIENTAL

PPDA PLANO DE PROMOÇÃO DO DESEMPENHO AMBIENTAL PPDA PLANO DE PROMOÇÃO DO DESEMPENHO AMBIENTAL Medidas aprovadas pela ERSE 2009-2011 A. Figueira 0 MEDIDAS APROVADAS 1 Implementação de um Sistema de Gestão Ambiental 2 Avaliação do impacto das linhas

Leia mais

edp distribuição em números

edp distribuição em números edp distribuição em números a better energy, a better future, a better world CLIENTES E CONSUMOS EDP DISTRIBUIÇÂO 46 508 GWh 6 137 7,6 MWh/Clientes Porto 10 480 GWh 1 107 9,5 MWh/Clientes Lisboa 12 863

Leia mais

Relatório Final Projecto de Avaliação da Interacção entre a Avifauna e a Rede de Transporte e Distribuição de Energia Eléctrica dos Açores

Relatório Final Projecto de Avaliação da Interacção entre a Avifauna e a Rede de Transporte e Distribuição de Energia Eléctrica dos Açores Relatório Final Projecto de Avaliação da Interacção entre a Avifauna e a Rede de Transporte e Distribuição de Energia Eléctrica dos Açores Ponta Delgada, Março, 2009 Relatório Intercalar Aplicação de medidas

Leia mais

IMÓVEIS E CONJUNTOS DE INTERESSE MUNICIPAL NA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

IMÓVEIS E CONJUNTOS DE INTERESSE MUNICIPAL NA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES CORVO Vila Nova do Corvo 01. Moinho de Vento, Caminho dos Moinhos Fernando Rocha Pimentel 02. Moinho de Vento, Caminho dos Moinhos Gregório Rodrigues Domingos 03. Moinho de Vento, Caminho dos Moinhos Manuel

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

CARACTERIZAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES CARACTERIZAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Situação em 31 de Dezembro de 2015 ELECTRICIDADE DOS AÇORES EDA, S.A. 31 de Março de 2016 ÍNDICE

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

CARACTERIZAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES CARACTERIZAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Situação em 31 de Dezembro de 2009 ELECTRICIDADE DOS AÇORES EDA, S.A. 31 de Março de 2010 ÍNDICE

Leia mais

LABORATÓRIO ESTRATÉGICO R.A. AÇORES

LABORATÓRIO ESTRATÉGICO R.A. AÇORES LABORATÓRIO ESTRATÉGICO R.A. AÇORES Ponta Delgada, 4 de janeiro de 2017 Nuno Fazenda O Turismo nos últimos 10 anos ESTRUTURA Gestão e Monitorização Grandes Desafios Referencial Estratégico FOCO EM ATIVOS

Leia mais

2 Noites / 3 Dias de Viagem Desde:

2 Noites / 3 Dias de Viagem Desde: Ilha das Flores Explore as grutas marinhas *185 Passagem Aérea em Voo Sata: Terceira / Flores / Terceira, na classe de reserva H; Taxas de aeroporto Em voos diretos 17,35 (Sujeitas a alterações legais);

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO NBR14039/05 CELESC NT 01-AT/01 CELESC ADENDO 02/05

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO NBR14039/05 CELESC NT 01-AT/01 CELESC ADENDO 02/05 FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO PRIMÁRIA DE DISTRIBUIÇÃO NBR14039/05 CELESC NT 01-AT/01 CELESC ADENDO 02/05 Prof. Marcos Fergütz fev/2015 CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO Segundo a Norma CELESC

Leia mais

DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS ENTRE ORDBT E ORDMT

DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS ENTRE ORDBT E ORDMT DCG DISPONIBILIZAÇÃO DE DADOS ENTRE ORDBT E ORDMT Documento Complementar ao Guia de Medição, Leitura e Disponibilização de Dados Modelo de fluxo de informação entre o ORDBT e ORDMT Histórico de alterações

Leia mais

Ponta Delgada - Ribeirinha - Ponta Delgada (Via Rabo de Peixe) Sábado. Ponta Delgada / Ribeirinha (Gramas)

Ponta Delgada - Ribeirinha - Ponta Delgada (Via Rabo de Peixe) Sábado. Ponta Delgada / Ribeirinha (Gramas) 102 Ponta Delgada - Ribeirinha - Ponta Delgada (Via Rabo de Peixe) Ponta Delgada / Ribeirinha (Gramas) PONTA DELGADA - AV. MARGINAL (ALFANDEGA / TURISMO) 08:15 10:00 13:30 15:30 17:30 19:00 S. ROQUE -

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011 AMB3E

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011 AMB3E RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2011 AMB3E www.amb3e.pt Entidade Atividade Licença Amb3E Associação Portuguesa de Gestão de Resíduos Gestão de um sistema integrado de Gestão de Resíduos de Equipamento Elétrico

Leia mais

Plano de Monitorização da Qualidade de Serviço Técnica 2015-2016

Plano de Monitorização da Qualidade de Serviço Técnica 2015-2016 Plano de Monitorização da Qualidade de Serviço Técnica 2015-2016 DEP Direção de Estudos e Planeamento Setembro de 2014 Índice 1 Introdução... 3 2 Proposta de Plano de Monitorização da Qualidade de Serviço

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

CARACTERIZAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES CARACTERIZAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Situação em 31 de Dezembro de 2011 ELECTRICIDADE DOS AÇORES EDA, S.A. 31 de Março de 2012 ÍNDICE

Leia mais

A RAA em números. Geografia

A RAA em números. Geografia 09 Foto: Espectro A RAA em números Geografia O arquipélago dos Açores é constituído por nove ilhas dispersas no Atlântico Norte ao longo de 600 km, segundo uma orientação noroeste-sudeste e enquadrado

Leia mais

Pagamentos no âmbito do PROMAR - Fundo Europeu das Pescas

Pagamentos no âmbito do PROMAR - Fundo Europeu das Pescas Pagamentos no âmbito do PROMAR - Fundo Europeu das Pescas (efectuados desde 1 de janeiro de 2007 a 31 de janeiro de 2016) Nº Operação Nome do Beneficiário NUT III Concelho Unidade: Euros Despesa Pública

Leia mais

As zonas húmidas são dos ecossistemas mais ricos e

As zonas húmidas são dos ecossistemas mais ricos e http://.azores.gov.pt Ilhéus da Formigas Ilha de Santa Maria Ribeiro do Engenho Concelho de Vila do Porto, Ilha de Santa Maria Lagoa de Santiago Concelho de Ponta Delgada, Ilha de S. Miguel As zonas húmidas

Leia mais

PROJETO SESAM-ER Monte Trigo: primeira localidade de Cabo verde 100% renovável

PROJETO SESAM-ER Monte Trigo: primeira localidade de Cabo verde 100% renovável PROJETO SESAM-ER Monte Trigo: primeira localidade de Cabo verde 100% renovável ILHA DE SANTO ANTÃO CABO VERDE Localização Monte Trigo Tarrafal 2 Monte Trigo PROJECTO SESAM-ER (Serviço Energético Sustentável

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

CARACTERIZAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES CARACTERIZAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Situação em 31 de Dezembro de 2007 ELECTRICIDADE DOS AÇORES EDA, S.A. 31 de Março de 2008 ÍNDICE

Leia mais

Grupo de Trabalho da Qualidade de Energia Elétrica (GT-QEE) Relatório da Reunião n.º 9

Grupo de Trabalho da Qualidade de Energia Elétrica (GT-QEE) Relatório da Reunião n.º 9 Grupo de Trabalho da Qualidade de Energia Elétrica (GT-QEE) Relatório da Reunião n.º 9 Dia: 9 de maio de 2016 Hora: 10h00 às 12h00 Local: ERSE, Rua Dom Cristóvão da Gama 1, 1400-113 Lisboa Participantes:

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DO SECTOR ELÉCTRICO. Despacho n.º A/99

ENTIDADE REGULADORA DO SECTOR ELÉCTRICO. Despacho n.º A/99 ENTIDADE REGULADORA DO SECTOR ELÉCTRICO Despacho n.º 14030-A/99 O Regulamento de Relações Comerciais, aprovado através do Despacho n.º 16 288-A/98, de 15 de Setembro (2.ª série suplemento), prevê que os

Leia mais

Nº DE EMPRESAS EM NOME INDIVIDUAL NOS AÇORES, POR ANO

Nº DE EMPRESAS EM NOME INDIVIDUAL NOS AÇORES, POR ANO Q.15.1 - Número de Empresas em nome individual nos Açores, segundo a CAE Rev. 3, por ano AÇORES TOTAL 19 276 2 51 21 238 22 46 23 332 22 335 21 335 21 341 Agricultura, produção animal, caça, floresta e

Leia mais

ASSUNTO: REQUERIMENTO N 6231IX - ABASTECIMENTO DE AGUA A AGRICULTURA

ASSUNTO: REQUERIMENTO N 6231IX - ABASTECIMENTO DE AGUA A AGRICULTURA REGIÃO PRESIDENCIA DO GOVERNO da Presidencia Palacio da Conceigáo ASSEMBIBALEGISIATIVA DA REGO AOTONOIAA DOS ACES A sessao olstriiva-00 polos Optputados b;b Exmo. Senhor Chefe de Gabinete de Sua Excelencia

Leia mais

Campanhas de Colaboradores Tarifários Unlimited Tarifários Grupo Tarifários - Banda Larga

Campanhas de Colaboradores Tarifários Unlimited Tarifários Grupo Tarifários - Banda Larga Campanhas de Colaboradores Tarifários Unlimited Tarifários Grupo Tarifários - Banda Larga Campanha de Colaboradores Quais as vantagens para os Colaboradores? Tarifa a 0,00 entre os cartões TMN. 25% de

Leia mais

Códigos STAPE Códigos INE Código Distrito Concelho Freguesia Código Distrito Concelho Freguesia

Códigos STAPE Códigos INE Código Distrito Concelho Freguesia Código Distrito Concelho Freguesia 021116 Beja Odemira Longueira/Almograve 021117 Beja Odemira Longueira/Almograve 021117 Beja Odemira Boavista dos Pinheiros 021116 Beja Odemira Boavista dos Pinheiros 070517 Évora Évora Malagueira 070519

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO A norma brasileira para instalações elétricas de baixa tensão é a NBR 5410 Fixa as condições que as instalações de baixa tensão devem atender; Primeira edição de 1941;

Leia mais

Taxas de aprovação por Direções de Serviços

Taxas de aprovação por Direções de Serviços Ficha análise e resultados por Direção Serviços A taxa aprovação na Região Autónoma dos Açores, nas realizadas neste trimestre, é 65,45, para um total 2819, consirando apenas a categoria B a taxa correspon

Leia mais

CARTA DO DESPORTO DO CONCELHO DE PONTA DELGADA. CÂMARA MUNICIPAL DE PONTA DELGADA Dezembro de 2007

CARTA DO DESPORTO DO CONCELHO DE PONTA DELGADA. CÂMARA MUNICIPAL DE PONTA DELGADA Dezembro de 2007 CARTA DO DESPORTO DO CONCELHO DE PONTA DELGADA CÂMARA MUNICIPAL DE PONTA DELGADA Dezembro de 2007 INDICE NOTA INTRODUTÓRIA METODOLOGIA APRESENTAÇÃO DO CONCELHO DE PONTA DELGADA Geografia... 2 Mapa do Concelho...

Leia mais

III.9.1 - Indicadores de transportes por concelho, 2004. III.9.1 - Transport indicators by municipality, 2004

III.9.1 - Indicadores de transportes por concelho, 2004. III.9.1 - Transport indicators by municipality, 2004 III.9.1 - Indicadores de transportes por concelho, 2004 III.9.1 - Transport dicators by municipality, 2004 Veículos automóveis vendidos por 1000 habitantes Índice de gravidade dos acidentes Proporção de

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO CONDIÇÕES ESPECÍFICAS PARA CONDOMÍNIOS E LOTEAMENTOS FECHADOS

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO CONDIÇÕES ESPECÍFICAS PARA CONDOMÍNIOS E LOTEAMENTOS FECHADOS SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.05.021 PARA CONDOMÍNIOS E LOTEAMENTOS FECHADOS 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA ENGENHARIA - SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO...

Leia mais

Boletim Climatológico Junho 2016 Região Autónoma dos Açores

Boletim Climatológico Junho 2016 Região Autónoma dos Açores Boletim Climatológico Junho 2016 Região Autónoma dos Açores Conteúdo Resumo...2 Situação sinóptica...2 Precipitação...3 Temperatura do ar...5 Vento...5 Radiação global...6 INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO. Título

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO. Título PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título ATENDIMENTO DE LIGAÇÃO DE CONSUMIDORES JUNTO À FAIXA DE PRAIA DA ORLA MARÍTIMA Código NTD-00.074 Data da emissão 05.12.2005 Data da última revisão 18.01.2008 Folha

Leia mais

OPERAÇÃO 2015 Balanço

OPERAÇÃO 2015 Balanço OPERAÇÃO 2015 Balanço 29-03-2016 OPERAÇÃO SAZONAL 2015 Capital Social 7.145.400 Euros Contribuinte n.º 512 091 773 PRINCIPAIS INDICADORES Operação de 6/05 a 27/09 REUNIÃO GERAL DE COLABORADORES Foram realizadas

Leia mais

"EMPREITADA DE VALORIZAÇÃO DO CAIS COMERCIAL DO PORTO DA FIGUEIRA DA FOZ" LISTA DE ERROS

EMPREITADA DE VALORIZAÇÃO DO CAIS COMERCIAL DO PORTO DA FIGUEIRA DA FOZ LISTA DE ERROS 2 - ESTRUTURA DO CAIS COMERCIAL 2.1 - Remoção de betão em profundidade 2.1.1 - Remoção do betão de recobrimento com recurso a martelos pneumáticos leves, na profundidade de recobrimento de cada elemento,

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Novembro de 2015

Boletim Climatológico Mensal Novembro de 2015 Boletim Climatológico Mensal Novembro de 2015 CONTEÚDOS Coronel F.A. Chaves (primeiro da direita) numa reunião que teve lugar em Londres (1921), junto com outros eméritos cientistas da época. 01 Resumo

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Junho de 2015

Boletim Climatológico Mensal Junho de 2015 Boletim Climatológico Mensal Junho de 2015 CONTEÚDOS Vista do antigo posto meteorológico de Angra do Heroísmo, localizado na torre do Palácio dos Capitães Generais (c. 1940). 01 Resumo Mensal 02 Resumo

Leia mais

25-10-2011 AS REGIÕES INSULARES AÇORES E MADEIRA. Autores: Gilberta Pavão Nunes Rocha DUAS REGIÕES DOIS ARQUIPÉLAGOS

25-10-2011 AS REGIÕES INSULARES AÇORES E MADEIRA. Autores: Gilberta Pavão Nunes Rocha DUAS REGIÕES DOIS ARQUIPÉLAGOS AS REGIÕES INSULARES AÇORES E MADEIRA Autores: Gilberta Pavão Nunes Rocha DUAS REGIÕES DOIS ARQUIPÉLAGOS COM POPULAÇÕES QUE REPRESENTAM, EM 2011, CERCA 5% DA TOTALIDADE DA POPULAÇÃO PORTUGUESA: 2,3% NO

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Outubro de 2014

Boletim Climatológico Mensal Outubro de 2014 Boletim Climatológico Mensal Outubro de 2014 CONTEÚDOS Imagem de satélite MSG (Natural Color RGB) de 14.10.2014 12 UTC.. 01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições Meteorológicas 02 Caracterização Climática

Leia mais

CARTAS NÁUTICAS E CARTAS ELETRÓNICAS DE NAVEGAÇÃO DE PORTUGAL

CARTAS NÁUTICAS E CARTAS ELETRÓNICAS DE NAVEGAÇÃO DE PORTUGAL S. R. MINISTÉRIO DA DEFESA NACIONAL MARINHA INSTITUTO HIDROGRÁFICO CARTAS NÁUTICAS E CARTAS ELETRÓNICAS DE NAVEGAÇÃO DE PORTUGAL ÍNDICE 2013 A imagem da capa do Índice 2013 resulta da sobreposição da 1.ª

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Abril de 2015

Boletim Climatológico Mensal Abril de 2015 Boletim Climatológico Mensal Abril de 2015 CONTEÚDOS Preparação de uma sondagem nos anos 30-40 (arquivo fotográfico do Observatório José Agostinho). 01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições Meteorológicas

Leia mais

NOVOS PROCEDIMENTOS PARA ATENDIMENTO DE SOLICITAÇÕES TÉCNICAS PARA ATENDER A RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL N 670 DE 14 DE JULHO DE 2015

NOVOS PROCEDIMENTOS PARA ATENDIMENTO DE SOLICITAÇÕES TÉCNICAS PARA ATENDER A RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL N 670 DE 14 DE JULHO DE 2015 CT-63 NOVOS PROCEDIMENTOS PARA ATENDIMENTO DE SOLICITAÇÕES TÉCNICAS PARA ATENDER A RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL N 670 DE 14 DE JULHO DE 2015 Norma Técnica da AES Eletropaulo Diretoria de Planejamento, Engenharia

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

CARACTERIZAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES CARACTERIZAÇÃO DAS REDES DE TRANSPORTE E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉCTRICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Situação em 31 de Dezembro de 2009 ELECTRICIDADE DOS AÇORES EDA, S.A. 31 de Março de 2010 ÍNDICE

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Janeiro de 2013

Boletim Climatológico Mensal Janeiro de 2013 Boletim Climatológico Mensal Janeiro de 2013 CONTEÚDOS Vista do parque meteorológico do aeródromo do Pico (2009) 01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições Meteorológicas 02 Caracterização Climática Mensal

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Dezembro de 2013

Boletim Climatológico Mensal Dezembro de 2013 Boletim Climatológico Mensal Dezembro de 2013 CONTEÚDOS Imagem RGB (Natural Color) do MSG das 18:00 TUC de 2013.12.06. 01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições Meteorológicas 02 Caracterização Climática

Leia mais

CAPÍTULO 2 AVALIAÇÃO TÉCNICO-ECONÔMICA DA ENERGIA

CAPÍTULO 2 AVALIAÇÃO TÉCNICO-ECONÔMICA DA ENERGIA CAPÍTULO 2 AVALIAÇÃO TÉCNICO-ECONÔMICA DA ENERGIA Versão 2.0 Dirreitos Reservados PROCOBRE 2009 INTRODUÇÃO O custo da energia elétrica é um fator importante na economia de uma familia, comércio e indústria.

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Setembro de 2014

Boletim Climatológico Mensal Setembro de 2014 Boletim Climatológico Mensal Setembro de 2014 CONTEÚDOS Imagem de satélite MODIS do furacão Edouard a 15 de setembro de 2014. 01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições Meteorológicas 03 Caracterização Climática

Leia mais

Alteração Proc. n.º 9 Monitorização QEE na sequência de reclamações

Alteração Proc. n.º 9 Monitorização QEE na sequência de reclamações Alteração Proc. n.º 9 Monitorização QEE na sequência de reclamações Proposta desenvolvida no GA-RQS Nuno Melo EDP Distribuição Enquadramento 1 2 Reclamações relativas à QEE Artigo 43.º RQS Medições QEE

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Junho de 2011

Boletim Climatológico Mensal Junho de 2011 Boletim Climatológico Mensal Junho de 2011 CONTEÚDOS Observatório das Flores (1921-1976) 01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições Meteorológicas 02 Caracterização Climática Mensal 02 Precipitação total

Leia mais

Enunciados de problemas sobre cálculo aproximado de correntes de curto-circuito e dimensionamento de canalizações eléctricas e suas protecções

Enunciados de problemas sobre cálculo aproximado de correntes de curto-circuito e dimensionamento de canalizações eléctricas e suas protecções Enunciados de problemas sobre cálculo aproximado de correntes de curto-circuito e dimensionamento de canalizações eléctricas e suas protecções J. Neves dos Santos J. Rui Ferreira M. Costa Matos J. Tomé

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Julho de 2015

Boletim Climatológico Mensal Julho de 2015 Boletim Climatológico Mensal Julho de 2015 CONTEÚDOS Observatório da Horta, atual Príncipe Alberto de Mónaco, inaugurado a 1 de julho de 1915. 01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições Meteorológicas 02

Leia mais

Portaria 311/2002, de 22 de Março (Alterada pela Portaria 299/2011, de 24 de Novembro)

Portaria 311/2002, de 22 de Março (Alterada pela Portaria 299/2011, de 24 de Novembro) Portaria 311/2002, de 22 de Março (Alterada pela Portaria 299/2011, de 24 de Novembro) O Decreto-Lei 4/93, de 8 de Janeiro, que aprovou o Regulamento de Taxas de Instalações Eléctricas, remeteu expressamente,

Leia mais

Boletim Climatológico Março 2016 Região Autónoma dos Açores

Boletim Climatológico Março 2016 Região Autónoma dos Açores Boletim Climatológico Março 2016 Região Autónoma dos Açores Conteúdo Resumo...2 Situação sinóptica...2 Precipitação...3 Temperatura do ar...5 Vento...5 Radiação global...6 INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E

Leia mais

Boletim Climatológico Outubro 2016 Região Autónoma dos Açores

Boletim Climatológico Outubro 2016 Região Autónoma dos Açores Boletim Climatológico Outubro 2016 Região Autónoma dos Açores Conteúdo Resumo...2 Situação sinóptica...2 Precipitação...3 Temperatura do ar...4 Vento...5 Radiação global...6 INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão da Qualidade - Gabinete de Atendimento ao Munícipe-

Manual do Sistema de Gestão da Qualidade - Gabinete de Atendimento ao Munícipe- Manual do Sistema de Gestão da Qualidade - Gabinete de Atendimento ao Munícipe- Cópia Controlada Página 2 de 13 1. Índice 1. Índice... 2 2. Controlo de Edições... 3 3. Promulgação... 4 4. Apresentação

Leia mais

Regulamentação do Programa Sea Family. Operação I Termos e Condições Gerais

Regulamentação do Programa Sea Family. Operação I Termos e Condições Gerais Regulamentação do Programa Sea Family Operação 2017 I Termos e Condições Gerais 1.1) O Programa de Passageiro Frequente SEA FAMILY é o programa de fidelização da Atlânticoline S.A. 1.2) O presente Regulamento

Leia mais

Prestação de serviços no âmbito de Projecto e de fornecimento de materiais para infra-estruturas e instalações eléctricas e de telecomunicações

Prestação de serviços no âmbito de Projecto e de fornecimento de materiais para infra-estruturas e instalações eléctricas e de telecomunicações Prestação de serviços no âmbito de Projecto e de fornecimento de materiais para infra-estruturas e instalações eléctricas e de telecomunicações Postos de transformação Do tipo Aéreo com seccionador (AS)

Leia mais

Linhas Gerais para uma Proposta de Alteração Legislativa relativa a Projectos e Obras de Instalações Eléctricas de Serviço Particular

Linhas Gerais para uma Proposta de Alteração Legislativa relativa a Projectos e Obras de Instalações Eléctricas de Serviço Particular ORDEM DOS ENGENHEIROS Colégio Nacional de Engenharia Electrotécnica Linhas Gerais para uma Proposta de Alteração Legislativa relativa a Projectos e Obras de Instalações Eléctricas de Serviço Particular

Leia mais

Boletim Climatológico Outono de 2010

Boletim Climatológico Outono de 2010 Boletim Climatológico Outono de 2010 CONTEÚDOS Estação Meteorológica do Pico 01 Resumo 02 Resumo das Condições Meteorológicas 02 Caracterização Climática 02 Precipitação total 04 Temperatura do ar 05 Outros

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Março de 2015

Boletim Climatológico Mensal Março de 2015 Boletim Climatológico Mensal Março de 2015 CONTEÚDOS Imagens MODIS de ondas de montanha causadas pela orografia da ilha de S. Miguel em 23.03.2015 01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições Meteorológicas

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL

PROCEDIMENTO OPERACIONAL Página 1 de 5 1. Objectivo Estabelecer a metodologia para verificar as características do gás natural nas redes de distribuição de gás natural e registar anomalias nos valores analisados. 2. Âmbito Aplica-se

Leia mais

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas

Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Curso Técnico em Eletroeletrônica Instalações Elétricas Aula 03 Padrão de entrada. Ramal de ligação, poste particular e pontalete. Quadro de medição. Quadro de distribuição. Prof. Dra. Giovana Tripoloni

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Dezembro de 2015

Boletim Climatológico Mensal Dezembro de 2015 Boletim Climatológico Mensal Dezembro de 2015 CONTEÚDOS Ponta Delgada (14.12.2015) 01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições Meteorológicas 02 Caracterização Climática Mensal 02 Precipitação total 04 Temperatura

Leia mais

Legislação Consolidada. Diploma

Legislação Consolidada. Diploma Diploma Estabelece os critérios para a repercussão diferenciada dos custos decorrentes de medidas de política energética, de sustentabilidade ou de interesse económico geral na tarifa de uso global do

Leia mais

Legislação Consolidada. Diploma

Legislação Consolidada. Diploma Diploma Estabelece os critérios para a repercussão diferenciada dos custos decorrentes de medidas de política energética, de sustentabilidade ou de interesse económico geral na tarifa de uso global do

Leia mais

EDIFICIOS Fiscalizações

EDIFICIOS Fiscalizações EDIFICIOS 1 2 EMPREITADA DE CONSTRUÇÃO DA EB2,3/S DAS LAJES DO PICO DONO DE OBRA: Secretaria Regional da Educação, Ciência e Cultura Direção Regional da Educação VALOR DE ADJUDICAÇÃO: 13.890.000,00 PRAZO:

Leia mais

RELATÓRIO E PARECER À PROPOSTA DE DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL REGIME JURÍDICO DA PESCA LÚDICA NAS AGUAS DOS AÇORES.

RELATÓRIO E PARECER À PROPOSTA DE DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL REGIME JURÍDICO DA PESCA LÚDICA NAS AGUAS DOS AÇORES. RELATÓRIO E PARECER À PROPOSTA DE DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL REGIME JURÍDICO DA PESCA LÚDICA NAS AGUAS DOS AÇORES. PONTA DELGADA, 6 DE FEVEREIRO DE 2007 A Comissão Permanente de Economia reuniu no dia

Leia mais

Manual de Aprovação de Projeto para Clientes de Média Tensão

Manual de Aprovação de Projeto para Clientes de Média Tensão Manual de Aprovação de Projeto para Clientes de Média Tensão 1 2 Clientes de Média Tensão São aqueles conectados ao sistema de distribuição de energia de 13.800 volts (Rede de MT) da Coelce. Definidos

Leia mais

Boletim Climatológico Agosto 2016 Região Autónoma dos Açores

Boletim Climatológico Agosto 2016 Região Autónoma dos Açores Boletim Climatológico Agosto 2016 Região Autónoma dos Açores Conteúdo Resumo...2 Situação sinóptica...2 Precipitação...3 Temperatura do ar...4 Vento...5 Radiação global...6 INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E

Leia mais

Fornecimento de Energia Elétrica

Fornecimento de Energia Elétrica Fornecimento de Energia Elétrica 1 Objetivos Análise da constituição de sistemas de potência Normas para fornecimento de energia elétrica Características gerais do fornecimento de energia elétrica Esquemas

Leia mais

Boletim Climatológico Mensal Janeiro de 2014

Boletim Climatológico Mensal Janeiro de 2014 Boletim Climatológico Mensal Janeiro de 2014 CONTEÚDOS Vestígios de neve no ponto mais alto da ilha do Faial, a 7 de janeiro de 2014. (Cortesia de António Maia) 01 Resumo Mensal 02 Resumo das Condições

Leia mais

MATERIAIS PARA REDES APARELHAGEM AT E MT

MATERIAIS PARA REDES APARELHAGEM AT E MT MATERIAIS PARA REDES APARELHAGEM AT E MT Disjuntores MT 36 kv Características Elaboração: DNT Homologação: conforme despacho do CA de 2007-02-13 Edição: 2ª. Substitui a edição de DEZ 1987 Emissão: EDP

Leia mais