SERVIÇO DE ENGENHARIA PARA IMPLANTAÇÃO E COMPLEMENTAÇÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA EM DIVERSAS PRAÇAS DE PORTO ALEGRE ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SERVIÇO DE ENGENHARIA PARA IMPLANTAÇÃO E COMPLEMENTAÇÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA EM DIVERSAS PRAÇAS DE PORTO ALEGRE ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS"

Transcrição

1 SERVIÇO DE ENGENHARIA PARA IMPLANTAÇÃO E COMPLEMENTAÇÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA EM DIVERSAS PRAÇAS DE PORTO ALEGRE ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1. GENERALIDADES O presente projeto tem como finalidade implantar e complementar a iluminação pública em diversas praças de Porto Alegre que atualmente ou não contam com iluminação pública ou estão deficientes nesse quesito; Para orçamento e posterior realização das obras e serviços em questão, deverão ser considerados todos os itens desta Especificação Técnica e documentos anexos. Todos os materiais, equipamentos e mão-de-obra necessários para execução dos serviços propostos serão fornecidos pela contratada e deverão seguir o padrão DIP/SMOV, exceto a placa de identificação da luminária. Em caso de inobservância desse item, será solicitada substituição dos materiais não aprovados pela fiscalização, sem ônus adicional para a Contratante. 2. DESCRIÇÃO DOS SERVIÇOS 2.1. Instalar postes de aço de 4m, 6m, 8m e 10m de altura (livre), engastados, com luminárias, núcleos e equipamentos eletricamente montados, conforme seguinte especificação: a) postes de 4m: instalar luminárias tipo LP-D1 com lâmpadas a vapor metálico de 150W; b) postes de 6m, 8m e 10m: instalar conjunto de luminárias tipo 4 x LP-6, com lâmpadas a vapor metálico de 150W e 250W, conforme projeto; 2.2. Montar e instalar comando de acionamento em grupo da iluminação pública, disposto em caixa de aço para uso ao tempo, contendo chave magnética com isolação mínima para 660V com bobina para 220/60Hz,

2 dispositivo diferencial residual (DR) trifásico, e fusíveis de proteção do circuito de força - do tipo NH - e de proteção da bobina - do tipo diazed; A capacidade de corrente dos equipamentos será ajustada conforme indicado em projeto; A chave magnética será comandada por um relé fotoelétrico; 2.3. Para os casos especificados a seguir, utilizar os seguintes materiais e equipamentos: a) circuito de distribuição: cabos singelos com isolação para 1000V nas seções indicadas em projeto; b) conexão das luminárias: condutores singelos na seção 2,5 mm² com isolação para 750 V; c) descida do comando: ferro galvanizado φ 50mm fixado ao poste por meio de abraçadeiras; 2.4. Instalar rede subterrânea de distribuição diretamente no solo, a uma profundidade mínima de 60cm, com o objetivo de inibir danos ao sistema de iluminação pública; 2.5. Construir, ao lado de cada poste e onde estiver indicado, caixa de alvenaria subterrânea, com dimensões de 40 x 40 x 40 cm, com tampa de concreto de 10cm de espessura, cuja face superior deverá estar a 20cm da superfície do solo, no mínimo; 2.6. Conectar o sistema de iluminação instalado à rede subterrânea, cujas conexões deverão ficar dentro das caixas de alvenaria, citadas no item anterior; 2.7. Aterrar postes e o comando conforme indicado em projeto; ligá-los à haste de aterramento (bastão de ferro galvanizado de φ 16 x 1500 mm) através de condutor de cobre nu com seção de 10mm²; 2.8. Confeccionar as sapatas de fixação em concreto, com tubo-guia de PVC, nas dimensões compatíveis de cada posteação a ser instalada; As sapatas de fixação de concreto serão feitas no próprio local da obra, utilizando areia, cimento e brita;

3 2.9.. Fixar em cada ponto de iluminação pública instalado, uma placa de identificação fornecida pela Contratante; 3. OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA 3.1. Realizar os serviços para o qual foi contratada; 3.2. Obedecer às disposições, regulamentos e padronizações da CEEE e da DIP/SMOV em todas as instalações elétricas e materiais a serem utilizados; 3.3. Fornecer todo o material, mão de obra, ferramentas e equipamentos necessários à realização dos serviços; 3.4. Fornecer ao seu pessoal em serviço equipamentos de proteção individual e coletiva, conforme orientação da NR-10 e outras normas vigentes; 3.5. Realizar outros serviços complementares que se fizerem necessários ao acabamento da obra; 3.6. Providenciar o transporte dos materiais, ferramentas, equipamentos e pessoal até os locais de execução dos serviços, de acordo com as exigências do Código Nacional de Trânsito e em conformidade com as determinações da EPTC Empresa Pública de Transporte e Circulação, com a qual a Contratada manterá todos os contatos necessários para a execução dos serviços; 3.7. Responsabilizar-se pelo pagamento, sem qualquer reembolso por parte da Contratante, de indenizações decorrentes de acidentes ou fatos que causem danos ou prejuízos aos serviços contratados e/ou a terceiros; 3.8. Não reivindicar da Contratante qualquer indenização por perdas e danos de bens de sua propriedade ou de terceiros sob sua responsabilidade; 3.9. Realizar os serviços dentro das características técnicas exigidas, de acordo com as normas e padrões da DIP/SMOV, CEEE, ABNT, NR-10 e demais regulamentações;

4 3.10. Refazer os serviços realizados imperfeitamente, fornecendo inclusive dos materiais necessários, não cabendo à Contratante, nestes casos, o fornecimento dos mesmos; Manter seu pessoal em serviço devidamente uniformizado e com todos os equipamentos de proteção individual necessários à realização dos serviços, portanto, obrigatoriamente, Carteira de Identidade Funcional fornecida pela contratada; Pagar todos os tributos, taxas, encargos sociais e seguros, atuais ou futuros, referentes à realização dos serviços; Providenciar transporte e alimentação para o seu pessoal em serviço; Sinalizar, com equipamento adequado, conforme as normas do Conselho Nacional de Trânsito, os locais onde estiverem sendo realizados os serviços; Manter, sempre que necessário, contato com a EPTC e outros órgãos públicos para liberação de locais de trabalho; Documentar os dados referentes aos materiais aplicados, bem como a localização exata da instalação dos pontos de iluminação públicas; Georreferenciar os pontos de iluminação pública, conforme orientação da Contratante e considerando os seguintes itens: a) Precisão posicional sub-métrica para cada ponto, com a utilização de aparelhos GPS topográficos de simples frequência (L1); b) Relação de coordenadas geodésicas em graus com 6 casas decimais, referenciadas aos Sistemas Geodésicos Brasileiro SAD69 (latitude e longitude) e SIRGAS; c) Relação de coordenadas referenciadas ao Sistema Geodésico Brasileiro SAD69 e projetadas para o sistema de projeção UTM (E, N), em metros e com três casas decimais; Entregar à Contratante todos os dados citados nos três itens anteriores, em papel e em mídia digital, no formato txt, conforme orientação da Contratante;

5 3.19 Revisar todos os dados que forem considerados inválidos pela Contratante, conforme conferência em campo a ser realizada em um prazo não superior a 15 (quinze) dias após a sua entrega; Realizar os serviços prevendo a proteção de toda a vegetação existente; 3.21 Recuperar qualquer dano causado à urbanização existente nos locais de realização dos serviços; 4. OBRIGAÇÕES DA CONTRATANTE 4.1. Esclarecer à Contratada toda e qualquer dúvida com referência à realização dos serviços; 4.2. Vistoriar e fiscalizar os serviços realizados; 4.3. Rejeitar qualquer serviço que não esteja sendo realizado de acordo com as Especificações Técnicas da DIP/SMOV; 4.4. Vistoriar veículos, equipamentos e ferramentas dos grupos de trabalho da Contratada; 4.5. Conferir em campo os dados fornecidos pela Contratada; 4.6. Pagar à Contratada as faturas apresentadas, conforme medição realizada pela fiscalização, quando não houver nenhuma irregularidade nos serviços prestados; 4.7. Fornecer placa de identificação das luminárias a serem instaladas pela Contratada; 4.8. Disponibilizar os projetos (croquis) de iluminação pública, referentes aos serviços contratados; 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS 5.1 Os serviços deverão ser executados conforme as normas e padronizações vigentes da DIP/SMOV, PMPA/NGE e ABNT;

6 5.2 Quando da Ordem de Início, a empresa deverá fornecer placa de obra modelo DIP/SMOV, que possa ser deslocada para todos os locais de trabalho.

ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS TÍTULO: RECOLOCAÇÃO E SUBSTITUIÇÂO DE POSTES DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA, COM IDENTIFICAÇÃO, GEORREFERENCIAMENTO E CADASTRAMENTO DE LUMINÁRIAS, EM DIVERSOS LOGRADOUROS DE

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA REFORMULAÇÃO DA ILUMINAÇÃO PÚBLICA DO PARQUE FARROUPILHA.

CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA REFORMULAÇÃO DA ILUMINAÇÃO PÚBLICA DO PARQUE FARROUPILHA. CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA REFORMULAÇÃO DA ILUMINAÇÃO PÚBLICA DO PARQUE FARROUPILHA. ANEXO XIV - PROJETO BÁSICO 1) GENERALIDADES O presente Projeto Básico tem como objetivo estabelecer

Leia mais

ANEXO XV - PROJETO BÁSICO

ANEXO XV - PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA REFORMULAÇÃO DA ILUMINAÇÃO PÚBLICA DA RUA PADRE CHAGAS E PROXIMIDADES ANEXO XV - PROJETO BÁSICO 1) GENERALIDADES O presente Projeto Básico tem como objetivo estabelecer

Leia mais

ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO

ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA REFORMULAÇÃO DA ILUMINAÇÃO PÚBLICA DA ELEVADA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO E TRECHO DA RUA DA CONCEIÇÃO. ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO 1) GENERALIDADES O presente

Leia mais

ANEXO XIV - PROJETO BÁSICO

ANEXO XIV - PROJETO BÁSICO CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA INSTALAÇÃO E REFORMULAÇÃO DA ILUMINAÇÃO PÚBLICA DO VIADUTO TIRADENTES ANEXO XIV - PROJETO BÁSICO 1) GENERALIDADES O presente Projeto Básico tem como objetivo

Leia mais

USINA DO GASÔMETRO Rede de Distribuição de Energia para Iluminação de Fachada

USINA DO GASÔMETRO Rede de Distribuição de Energia para Iluminação de Fachada Anexo XII - MEMORIAL DESCRITIVO 1 - APRESENTAÇÃO: O presente memorial visa descrever as diretrizes básicas, a serem observadas na execução de serviço de circuitos de distribuição de energia para iluminação

Leia mais

CENTRO HISTÓRICO ANEXO XIV - PROJETO BÁSICO

CENTRO HISTÓRICO ANEXO XIV - PROJETO BÁSICO CENTRO HISTÓRICO ANEXO XIV - PROJETO BÁSICO 1. INTRODUÇÃO Este Projeto Básico tem por objetivo a contratação dos Serviços de Engenharia para Substituição do Sistema de Iluminação Pública do Centro Histórico

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA CONCORRÊNCIA N.º

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA CONCORRÊNCIA N.º PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA CONCORRÊNCIA N.º 002.083000.09.7 ANEXO IV Contratação de Serviços de Engenharia para substituição

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Praça da Biblia R22 e R23, Centro Sinop/MT. Sinop/MT,30 de julho de 2014

MEMORIAL DESCRITIVO. Praça da Biblia R22 e R23, Centro Sinop/MT. Sinop/MT,30 de julho de 2014 MEMORIAL DESCRITIVO ASSUNTO: Projeto de instalações elétricas para implantação de iluminação pública nas dependências internas da Praça da Biblia Quadra R22 e R23 com a instalação de projetores embutidos

Leia mais

CNPJ: / INSC. EST.: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA

CNPJ: / INSC. EST.: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA Notas: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA A fiação do ramal de saída deve ser a mesma fiação do ramal de entrada; O padrão de entrada na zona rural deverá ficar no mínimo de 10 metros e no máximo

Leia mais

CNPJ: / INSC. EST.: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA

CNPJ: / INSC. EST.: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA Notas: CRITÉTRIOS CONSTRUTIVOS DO PADRÃO DE ENTRADA A fiação do ramal de saída deve ser a mesma fiação do ramal de entrada; O padrão de entrada na zona rural deverá ficar no mínimo de 10 metros e no máximo

Leia mais

Memorial Descritivo e Especificações Técnicas. Instalações Elétricas. Quadra Poliesportiva

Memorial Descritivo e Especificações Técnicas. Instalações Elétricas. Quadra Poliesportiva Memorial Descritivo e Especificações Técnicas Instalações Elétricas Quadra Poliesportiva Identificação do Projeto: Dados da Obra: Nome: Quadra Poliesportiva do Campus Restinga. Endereço: Rua Alberto Hoffmann,

Leia mais

ANEXO XIV - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO XIV - MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO XIV - MEMORIAL DESCRITIVO 1 - APRESENTAÇÃO: O presente memorial visa descrever as diretrizes básicas que devem ser observadas na reformulação / readequação da iluminação pública da Praça Carlos Simão

Leia mais

SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0044 ILUMINAÇÃO PÚBLICA 1/20 1.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA PROJETO BÁSICO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA PROJETO BÁSICO ANEXO XII PROJETO BÁSICO 1) GENERALIDADES O presente Projeto Básico tem como objetivo estabelecer as normas e encargos que presidirão o desenvolvimento do trabalho de revisão/execução de aterramento e

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E VIAÇÃO DIVISÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO XII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS SERVIÇO DE ENGENHARIA PARA EXECUÇÃO DE EXTENSÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO PARA ATENDER A ILUMINAÇÃO PÚBLICA EM DIVERSOS LOGRADOUROS DE PORTO ALEGRE 1. GENERALIDADES O

Leia mais

CC-MD10 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

CC-MD10 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS CC-MD10 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INTRODUÇÃO O presente Memorial descreve e especifica os requisitos mínimos para o fornecimento de materiais e serviços para Desativação com remoção de dois transformadores

Leia mais

PROPOSTA DE PADRONIZAÇÃO PARA SPDA

PROPOSTA DE PADRONIZAÇÃO PARA SPDA GGO GRUPO GESTOR DE OBRAS CPO COORDENADORIA DE PROJETOS DE OBRAS Rua Bernardo Sayão, 38 - Térreo - Cidade Universitária Zeferino Vaz - Campinas/SP PROPOSTA DE PADRONIZAÇÃO PARA SPDA Cidade Universitária,

Leia mais

Foram projetados poços de aterramento com hastes de cobre e interligações feitas com solda exotérmicas e ligações mecânicas.

Foram projetados poços de aterramento com hastes de cobre e interligações feitas com solda exotérmicas e ligações mecânicas. SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. MEMORIAL DESCRITIVO... 4 2.1 SISTEMA DE ATERRAMENTO - CONCEPÇÃO... 5 2.2 SISTEMA DE ATERRAMENTO - MEDIÇÃO... 6 2.3 SISTEMA DE CAPTAÇÃO... 6 3. MATERIAIS APLICADOS... 7 3.1

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO. Título

PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO. Título PROCEDIMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO Título ATENDIMENTO DE LIGAÇÃO DE CONSUMIDORES JUNTO À FAIXA DE PRAIA DA ORLA MARÍTIMA Código NTD-00.074 Data da emissão 05.12.2005 Data da última revisão 18.01.2008 Folha

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE VENÂNCIO AIRES

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE VENÂNCIO AIRES PROJETO ARQUITETÔNICO REVITALIZAÇÃO DA PRAÇA THOMAZ PEREIRA MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO Revitalização da Praça Thomaz Pereira 1. OBJETIVO: A presente especificação tem por objetivo estabelecer

Leia mais

REMANEJAMENTO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA

REMANEJAMENTO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA REMANEJAMENTO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA Redes de Distribuição de Baixa e Média Tensão CANOAS- RS MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO PROJETO EXECUTIVO 1. OBJETIVO: Fornecer informações necessárias sobre os

Leia mais

O que é Padrão de Entrada?

O que é Padrão de Entrada? 1 O que é Padrão de Entrada? O padrão de entrada é o conjunto de condutores, eletrodutos, poste, caixa de medição e demais acessórios utilizados na sua montagem, padronizados pela Cosern e de acordo com

Leia mais

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA.

ECOM EMPRESA DE CONSTRUÇÕES, CONSULTORIA E MEIO AMBIENTE LTDA. PROJETO DE INSTALAÇÕES ELETRICAS DE BAIXA TENSÃO MERCADO DO SÃO JOAQUIM BAIRRO SÃO JOAQUIM, TERESINA - PI TERESINA PI AGOSTO/2014 MEMORIAL DESCRITIVO INST. ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO 1.0 IDENTIFICAÇÃO Obra:

Leia mais

ANEXO XIII - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO XIII - MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO XIII - MEMORIAL DESCRITIVO 1 - APRESENTAÇÃO: O presente memorial visa descrever as diretrizes básicas que devem ser observadas na reformulação da iluminação pública do Viaduto Tiradentes. 2 - SITUAÇÃO

Leia mais

UNIDADE MÓVEL SOBRE A PLATAFORMA DE UM ÔNIBUS BIARTICULADO. Módulo 2

UNIDADE MÓVEL SOBRE A PLATAFORMA DE UM ÔNIBUS BIARTICULADO. Módulo 2 UNIDADE MÓVEL SOBRE A PLATAFORMA DE UM ÔNIBUS BIARTICULADO Módulo 3 Módulo FRENTE MEDIDAS: Comprimento Total 2,0 m Comprimento módulo, m Comprimento módulo 2,00 m Comprimento módulo 3,0 m Largura 2,3 m

Leia mais

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA ESTIMATIVA

PLANILHA ORÇAMENTÁRIA ESTIMATIVA MÊS DE REFERÊNCIA DOS S: MAIO / 2009 ITEM MATERIAL UN QUANT. 1 REDE DE DISTRIBUIÇÃO: Rede de distribuição a ser executada parte no sistema embutido e parte no sistema aparente com eletroduto de pvc, fiação,

Leia mais

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono.

CCM. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão. Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Centro de Controle de Motores Conjunto de manobra e controle de baixa tensão Painéis metálicos fabricados em aço carbono. Definição ( montado): é uma combinação de dispositivos e equipamentos de manobra,

Leia mais

2. TOMADA DE ENERGIA:

2. TOMADA DE ENERGIA: MEMORIAL DESCRITIVO DO POSTO DE TRANSFORMAÇÃO DE ENERGIA DA EMEII LUZIA MARIA DAIBEM FERRAZ DE ARRUDA RUA LUIZ MARCÍLIO BERNARDO, 03-160, NÚCLEO HABITACIONAL NOBUJI NAGASAWA O presente memorial descritivo

Leia mais

1. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E ADMINISTRAÇÃO Diretoria de Infraestrutura

1. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL DA BAHIA PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO E ADMINISTRAÇÃO Diretoria de Infraestrutura 1. FINALIDADE MEMORIAL DESCRITIVO Fornecimento de energia elétrica a três edifícios da Universidade Federal do Sul da Bahia, com a sede sendo a Reitoria localizada na Rua Itabuna, s/n, Rod. Ilhéus Vitória

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: GUARITA E BALANÇA ELETRÔNICA PARA PESAGEM DE CAMINHÕES LOCAL: IMPLANTAÇÃO DE TRANSBORDO

MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: GUARITA E BALANÇA ELETRÔNICA PARA PESAGEM DE CAMINHÕES LOCAL: IMPLANTAÇÃO DE TRANSBORDO MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: GUARITA E BALANÇA ELETRÔNICA PARA PESAGEM DE CAMINHÕES LOCAL: IMPLANTAÇÃO DE TRANSBORDO LOGRADOURO: ERS 344/Km 89 Distrito Restinga Seca/Linha Maria Luiza CIDADE: SANTO ÂNGELO

Leia mais

COMPANHIA ESPÍRITO SANTENSE DE SANEAMENTO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA MONTAGEM DE QUADROS E PAINEIS ELÉTRICOS ODMN-VIT-ET

COMPANHIA ESPÍRITO SANTENSE DE SANEAMENTO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA MONTAGEM DE QUADROS E PAINEIS ELÉTRICOS ODMN-VIT-ET COMPANHIA ESPÍRITO SANTENSE DE SANEAMENTO DE QUADROS E PAINEIS ELÉTRICOS ODMN-VIT-ET-2015-002 1 1. ESCOPO Esta Prescrição Técnica estabelece os requisitos técnicos gerais para execução da montagem, testes

Leia mais

MANUAL DE PADRONIZAÇÃO DE FACHADAS

MANUAL DE PADRONIZAÇÃO DE FACHADAS MANUAL DE PADRONIZAÇÃO DE FACHADAS SINALIZAÇÃO EXTERNA MAIOR PLACAS DE FACHADAS - Placa de ACM Laranja com caixa de 15cm sem iluminação; - Placa de ACM Verde vazada com caixa de 15 cm e iluminação - Letreiros

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE SPDA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS - CAMPUS SENADOR CANEDO-GO

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE SPDA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS - CAMPUS SENADOR CANEDO-GO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SENADOR CANEDO -GO MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE SPDA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS - CAMPUS SENADOR CANEDO-GO

Leia mais

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA 1 VIA ORIENTAL NO CONCELHO DE CASCAIS - TROÇO 1 PROJECTO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA PROJECTO DE EXECUÇÃO ÍNDICE 4-1 LEGISLAÇÃO... 2 4-2 COMPOSIÇÃO DO PROJECTO... 2 4-2.1 PEÇAS

Leia mais

Fonte Full Range Vac/Vdc 24 Vdc/ 3A

Fonte Full Range Vac/Vdc 24 Vdc/ 3A Descrição do Produto A fonte de alimentação é uma solução para aplicações de uso geral no que se refere a alimentação de controladores programáveis, sensores e comando de quadro elétricos. Tem duas saídas

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG D. Ligações Especiais para Atendimento em Baixa Tensão NTC-74

NORMA TÉCNICA CELG D. Ligações Especiais para Atendimento em Baixa Tensão NTC-74 NORMA TÉCNICA CELG D Ligações Especiais para Atendimento em Baixa Tensão NTC-74 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 3 4. CONDIÇÕES GERAIS DE

Leia mais

MANUAL DE INFRA-ESTRUTURA MEDLIQ MMD1 CONDIÇÕES DE INFRA-ESTRUTURA INDISPENSÁVEIS PARA UMA CORRETA INSTALAÇÃO DO APARELHO MEDIDOR MEDILIQ MODELO MMD1.

MANUAL DE INFRA-ESTRUTURA MEDLIQ MMD1 CONDIÇÕES DE INFRA-ESTRUTURA INDISPENSÁVEIS PARA UMA CORRETA INSTALAÇÃO DO APARELHO MEDIDOR MEDILIQ MODELO MMD1. 1/5 CONDIÇÕES DE INFRA-ESTRUTURA INDISPENSÁVEIS PARA UMA CORRETA INSTALAÇÃO DO APARELHO MEDIDOR MEDILIQ MODELO MMD1. REQUISITOS INDISPENSÁVEIS: 1. Todas as linhas de tubulações, e caixas de passagem, deverão

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Características Gerais da Guarita:

TERMO DE REFERÊNCIA. Características Gerais da Guarita: 1. DO OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA CP 108/13 - OBRAS Contratação de empresa para fornecimento de uma Guarita, conforme especificações para instalação na entrada do estacionamento do Hemocentro Regional de

Leia mais

ANEXO XIV - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO XIV - MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO XIV - MEMORIAL DESCRITIVO 1 - APRESENTAÇÃO: O presente memorial visa descrever as diretrizes básicas que devem ser observadas na reformulação da iluminação pública do Trevo Carrion Junior (Viadutos

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGA ATMOSFÉRICA

MEMORIAL DESCRITIVO SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGA ATMOSFÉRICA MEMORIAL DESCRITIVO SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGA ATMOSFÉRICA OBRA: CONSTRUÇÃO TERMINAL RODOVIÁRIO ARIPUANÃ MODALIDADE: CONSTRUÇÃO LOCAL: ARIPUANÃ - MT PROPRIETÁRIO: PREFEITURA MUNICIPAL DE ARIPUANÃ

Leia mais

VIADUTO DOM PEDRO I E LARGO TELMO THOMPSON FLORES INSTALAÇÃO DA ILUMINAÇÃO

VIADUTO DOM PEDRO I E LARGO TELMO THOMPSON FLORES INSTALAÇÃO DA ILUMINAÇÃO ANEXO XIV - MEMORIAL DESCRITIVO 1 - APRESENTAÇÃO: O presente memorial visa descrever as diretrizes básicas que devem ser observadas na reformulação da iluminação pública do Viaduto Dom Pedro I e Largo

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO PARA MESA DE PASSADORIA THEOBOARD 03 CONFORME NORMAS DA NR-12

MANUAL DE INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO PARA MESA DE PASSADORIA THEOBOARD 03 CONFORME NORMAS DA NR-12 MANUAL DE INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO PARA MESA DE PASSADORIA THEOBOARD 03 CONFORME NORMAS DA NR-12 SINAIS DE ATENÇÃO! Atenção! Alta Voltagem 230/240V Atenção! Superfície quente! Vapor quente ou líquido. Atenção!

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482

Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 13 Dimensionamento de Condutores (Critério do Limite de Queda de Tensão) Porto Alegre - 2012 Tópicos Critério do limite de queda

Leia mais

CC-MD41 AMPLIAÇÕES DE SUBESTAÇÃO E INSTALAÇÕES ELÉRICAS DO CENTRO DE PESQUISA

CC-MD41 AMPLIAÇÕES DE SUBESTAÇÃO E INSTALAÇÕES ELÉRICAS DO CENTRO DE PESQUISA CC-MD41 AMPLIAÇÕES DE SUBESTAÇÃO E INSTALAÇÕES ELÉRICAS DO CENTRO DE PESQUISA INTRODUÇÃO O presente Memorial descreve e especifica os requisitos mínimos para serviços de ampliação de subestação e instalações

Leia mais

Item (Pág. 26) Foi inserida a Norma NR 10 Segurança em instalações e serviços em eletricidade.

Item (Pág. 26) Foi inserida a Norma NR 10 Segurança em instalações e serviços em eletricidade. O presente documento contém as alterações, correções e inclusões da versão anterior, contempladas na versão 1.2, que entrará em vigor a partir de 1º de novembro de 2014. TEXTO Item 10.3.2 (Pág. 26) Foi

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 46

COMUNICADO TÉCNICO Nº 46 Página 1 de 11 COMUNICADO TÉCNICO Nº 46 LIGAÇÕES ESPECIAIS NA VIA PÚBLICA COM MEDIÇÃO Diretoria de Planejamento e Planejamento Gerência de Engenharia Página 2 de 11 ÍNDICE OBJETIVO...3 1. APLICAÇÃO...4

Leia mais

CUIDADO! ELETRICIDADE CUIDADO! ELETRICIDADE CUIDADO! ELETRICIDADE CUIDADO! ELETRICIDADE PLANTA BAIXA MEDIDAS EM: cm BEP 1 x Ø4" VISTA FRONTAL MEDIDAS EM: cm VISTA CORTE LATERAL: A-A" MEDIDAS EM: cm Av.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DA OBRA

MEMORIAL DESCRITIVO DA OBRA MEMORIAL DESCRITIVO DA OBRA PROPONENTE: MUNICÍPIO DE ARATIBA ENDEREÇO: QUADRA Nº 19, ESQUINA DAS RUAS ALFREDO LOSS E RUA ERECHIM, BAIRRO SANTO ANTÔNIO, ARATIBA/RS OBRA: IMPLANTAÇÃO DE INFRAESTRUTURA ESPORTIVA

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PADRÃO DE ENTRADA COM CAIXA DE MEDIÇÃO COM LEITURA ATRAVÉS DE LENTE SÃO PAULO

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PADRÃO DE ENTRADA COM CAIXA DE MEDIÇÃO COM LEITURA ATRAVÉS DE LENTE SÃO PAULO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.14.002 LEITURA ATRAVÉS DE LENTE SÃO PAULO 02 APROVADO POR JOSELINO SANTANA FILHO ENGENHARIA E DESENVOLVIMENTO TECNÓLOGICO SUMÁRIO 1. OBJETIVO...

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ANEXO II MEMORIAL DESCRITIVO Sistema de Ar-Condicionado Tipo Split. ÌNDICE 1. INTRODUÇÃO 1.1 NORMAS TÉCNICAS 1. 2 ORIENTAÇÕES INICIAIS 2. SERVIÇOS 3. EQUIPAMENTOS E MATERIAIS 4. REQUISITOS PARA FORNECEDORES

Leia mais

Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal

Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal Padrões de Entradas de Serviço para Atendimento à Resolução ANEEL 384/2009 e Programa Luz Legal DDI/SCD/SED Maio/2010 Notas sobre esta revisão (maio/2010) Este manual, originalmente desenvolvido para Entrada

Leia mais

PROJETO BÁSICO GRAMADOTUR

PROJETO BÁSICO GRAMADOTUR PROJETO BÁSICO GRAMADOTUR 1 Projeto Básico da Contratação de Serviços: 1.1 O presente Projeto Básico consiste na descrição para contratação de empresa para fornecimento de balões dos tipos MACY S e SKY

Leia mais

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE IX MONTAGEM ELÉTRICA

MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE IX MONTAGEM ELÉTRICA MONTAGEM INDUSTRIAL UNIDADE IX MONTAGEM ELÉTRICA Montagem Elétrica Os serviços de montagens elétricas estão presentes em todas as instalações que produzem ou utilizam energia, compreendendo: Geração nas

Leia mais

PADRÃO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO SUBTERRÂNEA PARA LOTEAMENTO ABERTO

PADRÃO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO SUBTERRÂNEA PARA LOTEAMENTO ABERTO PADRÃO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO SUBTERRÂNEA PARA LOTEAMENTO ABERTO Celso Rogério Tomachuk dos Santos CPFL Piratininga Rogério Macedo Moreira CPFL Piratininga 1 CPFL Energia Visão Geral da Empresa Líder

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 09 / 04 / 2013 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de fio de cobre isolado para utilização em circuitos de iluminação/tomadas e aterramento

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS038 EXECUÇÃO DE RAMAL PREDIAL Revisão: 01 Out/08 SUMÁRIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS038 EXECUÇÃO DE RAMAL PREDIAL Revisão: 01 Out/08 SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências...2 3. Definições...2 4. Condições para início dos serviços...2 5. Materiais e equipamentos necessários...3 5.1 Materiais...3 5.2 Equipamentos...3

Leia mais

Modelo da Estrutura Tipo IP-E3

Modelo da Estrutura Tipo IP-E3 1/9 Modelo da Estrutura Tipo IP-E3 Seguir o POP-IP 001.01.02 Regras Básicas do de Iluminação Pública. Passo 01: Executar os passos 01 a 13 do POP-IP 001.01.03 Diretriz do eletricista de Iluminação Pública.

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO. Critérios para Dimensionamento e Ajustes da Proteção de Redes Aéreas de Distribuição Classes 15 e 36,2 kv ITD-17

INSTRUÇÃO TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO. Critérios para Dimensionamento e Ajustes da Proteção de Redes Aéreas de Distribuição Classes 15 e 36,2 kv ITD-17 INSTRUÇÃO TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO Critérios para Dimensionamento e Ajustes da Proteção de Redes Aéreas de Distribuição Classes 15 e 36,2 kv ITD-17 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. OBJETIVO 1 2. NORMAS E

Leia mais

MAGNETI MARELLI T-BOX HW06 MANUAL DE INSTALAÇÃO

MAGNETI MARELLI T-BOX HW06 MANUAL DE INSTALAÇÃO MAGNETI MARELLI T-BOX HW06 MANUAL DE INSTALAÇÃO 1 Índice 1 ANTES DA INSTALAÇÃO...3 1.1 CUIDADOS ANTES DA INSTALAÇÃO...3 1.2 EQUIPAMENTOS NECESSÁRIOS...3 2 INSTALAÇÃO...4 2.1 LOCAIS DE INSTALAÇÃO...4 2.2

Leia mais

ET-SE -030 TRAVESSIAS COM LUMINÁRIAS À LED

ET-SE -030 TRAVESSIAS COM LUMINÁRIAS À LED Sumário 1 OBJETIVO 2 2 DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 2 3 DEFINIÇÃO 3 4 REQUISITOS ESPECÍFICOS 5 5 DOCUMENTAÇÃO 9 6 GARANTIA 11 Superintendência de Engenharia de Sinalização - SSI Página 1 1 OBJETIVO Estabelecer

Leia mais

ANEXO XIV - MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO XIV - MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO XIV - MEMORIAL DESCRITIVO 1 - APRESENTAÇÃO: O presente memorial visa descrever as diretrizes básicas que devem ser observadas na reformulação da iluminação pública da Avenida Érico Veríssimo, trecho

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE CONVENCIONAL CHAVE FUSÍVEL. Sumário

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE CONVENCIONAL CHAVE FUSÍVEL. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas de Derivação com Chaves Fusíveis 6.1. Estrutura M1-N3 com Chave Fusível

Leia mais

Modelo da Estrutura Tipo IP-E1

Modelo da Estrutura Tipo IP-E1 1/9 Modelo da Estrutura Tipo IP-E1 Atividades Competência Riscos/Controles Seguir o POP-IP 001.01.02 Regras Básicas do de Iluminação Pública Passo 01: Executar os passos 01 a 13 do POP-IP 001.01.03 Diretriz

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO Quadra Poliesportiva Padrão 1A - 19m x 32,90m

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO Quadra Poliesportiva Padrão 1A - 19m x 32,90m MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ELÉTRICO Quadra Poliesportiva Padrão 1A - 19m x 32,90m Proprietário: Secretaria de Estado de Goiás Autora: LUCIANA DUTRA MARTINS - Engenheira Eletricista - CREA_8646/D Sumário:

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA PASSARELA

MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA PASSARELA MEMORIAL DESCRITIVO REFORMA PASSARELA INDICE 1.0-APRESENTAÇÃO 2.0-MEMORIAL DESCRITIVO- PROJETO ESTRUTURAL 2.1-Dados geral 2.2-Disposições gerais 2.3-Omissões 2.4-Execução 2.5-Responsabilidades da empresa

Leia mais

Fonte Bivolt 24 Vdc / 5 A

Fonte Bivolt 24 Vdc / 5 A Descrição do Produto A fonte de alimentação é uma solução para aplicações de uso geral no que se refere a alimentação de controladores programáveis, sensores e comando de quadro elétricos. Tem uma saída

Leia mais

ANEXO XIII - MEMORIAL DESCRITIVO HIDROSSANITÁRIO

ANEXO XIII - MEMORIAL DESCRITIVO HIDROSSANITÁRIO ANEXO XIII - MEMORIAL DESCRITIVO HIDROSSANITÁRIO O presente memorial descritivo trata das instalações hidrossanitárias do prédio acima descrito, o qual foi elaborado segundo as normas da ABNT e Dec. 9369/88

Leia mais

Finalidade Fonte de Alimentação Proteção da Rede de Média Tensão Proteção contra Sobretensão: 2.5.

Finalidade Fonte de Alimentação Proteção da Rede de Média Tensão Proteção contra Sobretensão: 2.5. MEMÓRIAL DESCRITIVO 5 2.1. - Finalidade Traçar diretrizes básicas para a implementação dos projetos de iluminação externa do Campus Petrolina e iluminação da via de interligação entre o anel viário e os

Leia mais

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE CONVENCIONAL ENTRADA CLIENTE

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE CONVENCIONAL ENTRADA CLIENTE Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Ramal de Entrada Subterrâneo de Cliente 6.1. Ramal Simples em Estrutura M1 6.2. Ramal

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA DAS BARREIRAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA DAS BARREIRAS PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA DAS BARREIRAS PROJETO DE CONSTRUÇÃO DE FEIRA COBERTA LOCAL: VILA CASA DE TÁBUA MEMORIAL DESCRITIVO SANTA MARIA DAS BARREIRAS 2015 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1- APRESENTAÇÃO

Leia mais

Termo de Referência 15/2016

Termo de Referência 15/2016 (ISO Em Processo de Implantação) Itapira, 23 de março de 2016. Termo de Referência 15/2016 1. OBJETO Contratação de empresa especializada para a realização de serviços de manutenção eletromecânica preventiva

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SUPRIMENTO DE ENREGIA ELÉTRICA AO EDIFÍCIO CREA - PI INSTALAÇÃO ELÉTRICA DE BAIXA TENSÃO

MEMORIAL DESCRITIVO SUPRIMENTO DE ENREGIA ELÉTRICA AO EDIFÍCIO CREA - PI INSTALAÇÃO ELÉTRICA DE BAIXA TENSÃO MEMORIAL DESCRITIVO SUPRIMENTO DE ENREGIA ELÉTRICA AO EDIFÍCIO CREA - PI INSTALAÇÃO ELÉTRICA DE BAIXA TENSÃO Teresina Piauí Março 2017 MEMORIAL DESCRITIVO EDIFÍCIO CREA - PI INTALAÇÕES ELÉTRICAS BAIXA

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 03

COMUNICADO TÉCNICO Nº 03 Página 1 de 1 COMUNICADO TÉCNICO Nº 03 ALTERAÇÕES NAS TABELAS PARA DIMENSIONAMENTO DOS PADRÕES DE ENTRADA DE BAIXA TENSÃO DE USO COLETIVO 1.OBJETIVO Visando a redução de custos de expansão do sistema elétrico

Leia mais

GERÊNCIA DE NORMAS E PADRÕES ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT-003/2015 (NT , NT , NT

GERÊNCIA DE NORMAS E PADRÕES ORIENTAÇÃO TÉCNICA OT-003/2015 (NT , NT , NT 1 OBJETIVO A presente Orientação Técnica altera e complementa as normas de fornecimento contemplando as mudanças ocorridas em conformidade com as alterações da REN 414/2010 da ANEEL, implementadas através

Leia mais

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO

MANUAL DO CONSUMIDOR VENTILADOR DE TETO VENTILADOR DE TETO MODELO: Obrigado por adquirir o. Antes de utilizar o seu produto leia atentamente este manual de instruções. Após a leitura guarde-o em local seguro para consultas futuras. Este aparelho

Leia mais

Projeto Instalação Sala 3D v. 1.0 Pearson Sistemas do Brasil

Projeto Instalação Sala 3D v. 1.0 Pearson Sistemas do Brasil / 2 v..0 Pearson Sistemas do Brasil Pearson Centro de Serviços Compartilhados Rua Deolinda, 70 Jardim Macedo Ribeirão Preto SP Brasil Pág./2 Departamento de Qualidade em TI Fone +55 (6) 3603 9272 2/ 2

Leia mais

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PROJETO: INCÊNDIO Modelo: 3.000 m2 MAIO 2011 SUMÁRIO 1. Apresentação... 03 2. Extintores... 04 3. Iluminação de Emergência...

Leia mais

Instruções para instalação Retificadoras Cilíndricas Série U

Instruções para instalação Retificadoras Cilíndricas Série U Instruções para instalação Retificadoras Cilíndricas Série U Recomendações gerais: Antes de solicitar a instalação do equipamento, o cliente deverá: 1 Posicionar a máquina no local definitivo, sobre os

Leia mais

ANEXO XII - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO XII - TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO XII - TERMO DE REFERÊNCIA OBJETIVO: ELABORAÇÃO DE PROJETO DE ILUMINAÇÃO E ELÉTRICO PARA IMÓVEIS, MONUMENTOS E CONJUNTOS TOMBADOS LOCALIZADOS EM PORTO ALEGRE GRUPO 2. Grupo 2 - Mercado Público, Ponte

Leia mais

KIT DIDÁTICO DE ELETROTÉCNICA

KIT DIDÁTICO DE ELETROTÉCNICA KIT DIDÁTICO DE ELETROTÉCNICA MODELO: EE0204.EE0003 DESCRIÇÃO O Kit de Eletrotécnica (EE0003) é composto de módulos de placas individuais e removíveis para montagem na Bancada Principal (EE0204), contendo

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 001 DE 29 DE FEVEREIRO DE 2016

INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 001 DE 29 DE FEVEREIRO DE 2016 Página 1 de 6 INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 001 DE 29 DE FEVEREIRO DE 2016 Institui normas acerca dos procedimentos para novas ligações em condomínios verticais e/ou horizontais. O PRESIDENTE DO SERVIÇO AUTÔNOMO

Leia mais

S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo

S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo S i s t e m a N o r m a t i vo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº DELIBERAÇÃO Nº APROVAÇÃO DATA DATA DE PUBLICAÇÃO 01-06/08/2014 06/08/2014 APROVADO POR RODNEY PEREIRA MENDERICO JÚNIOR DTES-BD SUMÁRIO

Leia mais

ITENS EXIGIDOS PELA OPERADORA TUBULAÇÃO DE ENTRADA SUBTERRÂNEA

ITENS EXIGIDOS PELA OPERADORA TUBULAÇÃO DE ENTRADA SUBTERRÂNEA Readequação do DG TUBULAÇÃO DE ENTRADA SUBTERRÂNEA Instalar tubo galvanizado 50 mm ( subida de lateral ) com ( 3 ) três amarrações com fita galvanizada ou arame galvanizado ( 8 voltas ); Utilizar PVC rígido

Leia mais

Ficha Técnica IE01 ESTRUTURA: Piso e Cobertura

Ficha Técnica IE01 ESTRUTURA: Piso e Cobertura Ficha Técnica IE01 Piso e Cobertura Função: Acomodar a Estação Renova e seus leitos de secagem de lodo, protegendo-os dos raios solares e intempéries. O piso deverá ser construído de acordo com as dimensões

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA DAS BARREIRAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA DAS BARREIRAS PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA DAS BARREIRAS PROJETO DE CONSTRUÇÃO DE GINÁSIO POLIESPORTIVO LOCAL: SEDE DO MUNICÍPIO MEMORIAL DESCRITIVO SANTA MARIA DAS BARREIRAS 2015 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1- APRESENTAÇÃO

Leia mais

DECRETO Nº , DE 18 DE JANEIRO DE 2012.

DECRETO Nº , DE 18 DE JANEIRO DE 2012. DECRETO Nº 17.628, DE 18 DE JANEIRO DE 2012. Regulamenta a Lei nº 11.096, de 11 de julho de 2011, estabelecendo a padronização dos materiais a serem utilizados na implantação e manutenção da iluminação

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Secretaria Municipal de Transportes Empresa Pública de Transporte e Circulação TERMO DE REFERÊNCIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Secretaria Municipal de Transportes Empresa Pública de Transporte e Circulação TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA SINALIZAÇÃO VIÁRIA VERTICAL, HORIZONTAL E SEMAFÓRICA EM DIVERSOS LOGRADOUROS DO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE CONTRATO CAF REQUALIFICAÇÃO DO PAVIMENTO 1 1 GENERALIDADES 1.1. A Sinalização

Leia mais

ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO

ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO Contratação de Serviços de Engenharia para Manutenção do Sistema Iluminação Pública na Região II - Zonas Sul e Oeste do Município de Porto Alegre ANEXO XIII - PROJETO BÁSICO 1) INTRODUÇÃO: O presente Projeto

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Administração Nacional Sesc Pantanal TERMO DE REFERÊNCIA

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Administração Nacional Sesc Pantanal TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETIVOS Destinam-se as Especificações Técnicas presentes, orientar e apresentar dados técnicos para execução da conclusão da obra de reforma do bloco administrativo do Hotel Sesc

Leia mais

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA - IRRIGANTES NTD

FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA - IRRIGANTES NTD Página: 1 de 5 1. Objetivo Este documento define os critérios e padrões dos sistemas de medições a serem observados no fornecimento de energia elétrica para unidades consumidoras classificadas como rural

Leia mais

G O V E R N O F E D E R A L P A Í S R I C O É P A Í S S E M P O B R E Z A QUADRA ESCOLAR 02 CGEST - C Geral de Infraestrutura Educacional PLANTA BAIXA, CORTE A-B e DETALHES EST FORMATO A1 (841 X 594) R.01

Leia mais

LEVANTAMENTO BATIMÉTRICO DO PORTO DE FORTALEZA

LEVANTAMENTO BATIMÉTRICO DO PORTO DE FORTALEZA LEVANTAMENTO BATIMÉTRICO DO PORTO DE FORTALEZA ESPECIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS Novembro/2012 ÍNDICE I - OBJETO... 2 II - DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 III - LEVANTAMENTO BATIMÉTRICO... 2 IV - PAGAMENTO... 4 V - OBRIGAÇÕES

Leia mais

COMPOSIÇÃO DE PREÇO UNITÁRIO

COMPOSIÇÃO DE PREÇO UNITÁRIO 8.13.1.1 FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE CORDOALHA DE ALUMÍNIO NÚ, SEÇÃO NOMINAL #70MM2 M EQUIPAMENTOS UND QUANT OPER IMPROD (A) DE EQUIPAMENTOS - SALÁRIO MÃO-DE-OBRA SUPLEMENTAR UND COEFICIENTE BASE H 0,8400000

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE COMPACTA ENTRADA CLIENTE. Sumário

ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD REDE COMPACTA ENTRADA CLIENTE. Sumário Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Ramal de Entrada Subterrâneo 6.1. CE2H ES Poste de Concreto de Seção Circular 6.2.

Leia mais

Instruções para instalação Retificadoras Tangenciais Série TA

Instruções para instalação Retificadoras Tangenciais Série TA Instruções para instalação Retificadoras Tangenciais Série TA Recomendações gerais: Antes de solicitar a instalação do equipamento, o cliente deverá: 1 Posicionar a máquina no local definitivo, sobre os

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ALÉM PARAÍBA SECRETARIA MUNICIPAL DE SERVIÇOS E OBRAS PÚBLICAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE ALÉM PARAÍBA SECRETARIA MUNICIPAL DE SERVIÇOS E OBRAS PÚBLICAS PREFEITURA MUNICIPAL DE ALÉM PARAÍBA SECRETARIA MUNICIPAL DE SERVIÇOS E OBRAS PÚBLICAS AMPLIAÇÃO E REFORMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA - LICITAÇÃO 2016 BDI CONFORME ACORDÃO 2622/ 2013 TCU - 27,46% 638.688,96

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 26 / 07 / 2013 1 de 5 1 FINALIDADE Esta Norma especifica e padroniza as dimensões e as características mínimas exigíveis de suporte L para fixação de Chave Fusível e para-raios em cruzeta para utilização

Leia mais

Capítulo 2 - Símbolos Gráficos para Instalações Elétricas Prediais 2.1. Simbologia Padronizada

Capítulo 2 - Símbolos Gráficos para Instalações Elétricas Prediais 2.1. Simbologia Padronizada Capítulo 1 - Conceitos Básicos de Eletricidade para Aplicação em Instalações Elétricas 1.1. Tipos e Formas de Distribuição de Energia 1.1.1. Energia 1.2. Geração de Energia Elétrica 1.2.1. Barragem 1.2.2.

Leia mais