35º Fórum de Debates Brasilianas.Org A Energia Elétrica no Brasil. 3º painel: Tecnologias de transmissão e distribuição

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "35º Fórum de Debates Brasilianas.Org A Energia Elétrica no Brasil. 3º painel: Tecnologias de transmissão e distribuição"

Transcrição

1 35º Fórum de Debates Brasilianas.Org A Energia Elétrica no Brasil 3º painel: Tecnologias de transmissão e distribuição Daniel Senna Guimarães Gestor do Projeto Cidades do Futuro facebook.com/cemig.energia São Paulo, 10 de dezembro de 2012 Advertência: o conteúdo desta apresentação é de propriedade da Cemig, não sendo permitida a reprodução ou divulgação deste material de forma total ou parcial sem prévia e expressa autorização.

2 AGENDA Conceito de Redes Inteligentes Cenário Internacional Cenário Nacional Visão Geral do Projeto Cidades do Futuro

3 Visão da Cemig sobre Redes Inteligentes Visão Geral do Projeto

4 CIDADES DO FUTURO CONCEITOS BÁSICOS DE REDES INTELIGENTES E VISÃO GERAL DO PROJETO

5 Investimentos e Motivadores Diferentes ao Redor do Mundo Modernização do Sistema Elétrico Fonte: ABDI Evento Metering 2012 Redução de emissão de CO 2 Fator de alavancagem da economia Aumento da confiabilidade Conexão de novas fontes renováveis de energia e mini e micro geração distribuída Aumento da eficiência operacional Novos produtos tarifários

6 Política Pública e Regulação Diferentes motivadores e ações por país e estados EUA Canada Europa Austrália No Brasil Ministérios Aneel P&Ds

7 Fonte: Banco Mundial Consumo Mundial

8 Consumo Mundial Relação BR Média Brazil ,07 Portugal 2, ,92 United Kingdom 2, ,03 Netherlands 3, ,54 Germany 3, ,78 New Zealand 4, ,70 Australia 5, ,57 United States 6, ,34 Canada 8,20 Fonte: Banco Mundial ,20

9 CENÁRIO NACIONAL E INTERNACIONAL A IMPORTÂNCIA DO ENGAJAMENTO DO CLIENTE E PARTES INTERESSADAS

10 ALGUNS PONTOS-CHAVE COINCIDENTES NOS CENÁRIOS NACIONAL E INTERNACIONAL Perspectiva do Consumidor e Sociedade Requer mudança de hábito Quem paga a conta? Privacidade de dados Necessidade de educação em redes inteligentes Perspectiva do Governo e Agências Reguladoras Demandam políticas públicas Requerem ajustes na regulamentação Qualidade e modicidade tarifária Confiabilidade Redução de custos operacionais Redução de assimetria de informações Base para aperfeiçoamento estrutura tarifária Perspectiva da Concessionária Necessidade de regulação e políticas públicas para desenvolvimento pleno das redes inteligentes Desafio da transformação empresarial Qual a melhor abordagem aos diferentes tipos de cliente Necessidade de projetos piloto Projetos intensivos em capital Desafios tecnológicos Desafios de relacionamento com o consumidor

11 Modelo Nacional Regulamentação e Política Pública Brasil Cultura e Tecnologia Brasileiras Cadeia Produtiva Modelo de Redes Inteligentes para o Brasil

12 Principais Desafios para implantação CENÁRIO DAS REDES INTELIGENTES NO BRASIL VISÃO DA CEMIG D Funcionalidades da medição definidas recentemente Poucos modelos de sistemas AMI disponíveis e certificados pelo INMETRO Baixo consumo médio por consumidor no Brasil Tecnologia para redes inteligentes disponível porém ainda cara Discussão e definição de políticas públicas Regulamentação ainda em discussão no Brasil pelas agências, governo e sociedade

13 Cenário Brasileiro para Redes Inteligentes Principais Iniciativas CENÁRIO DAS REDES INTELIGENTES NO BRASIL VISÃO DA CEMIG D Pelo Governo Federal MME, MCTI e MDIC P&D Estratégico de Redes Inteligentes - PDRI Resoluções AMI e Sistema Tarifário Regulador (Aneel) Resolução para Geração Distribuída Patrocínio de programas de P&D e PEE Preparação do mercado para implantação plena Abradee Coordenação do P&D Estratégico de Redes Inteligentes - PDRI P&D, PEE, PoC, Projetos Piloto Concessionárias Cemig - Coordenação do PDRI 37 concessionárias Cooperadas PDRI

14 Estratégia e Transformação Empresarial Infraestrutura Avançada de Medição - AMI Automação da Distribuição Relacionamento com Consumidor e Comunicação Privacidade de Dados e Testes de Invasão Telecomunicações Tecnologia da Informação Geração Distribuída Automação Residencial Mobilidade Elétrica PROJETO CIDADES DO FUTURO ORGANIZAÇÃO BLOCOS DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO, APLICAÇÕES E FONTES DE RECURSO Blocos de P&D, Aplicações e Fontes de Recursos

15 O QUE ESTAMOS FAZENDO NA CEMIG PROJETO PILOTO EM REDES INTELIGENTES Objetivos Validar, em escala adequada e representativa, os produtos, serviços e soluções inovadoras aderentes à arquitetura das redes inteligentes de energia RI Analisar a viabilidade técnica e econômica da cadeia de valor RI Identificar a aceitação pelo consumidor por meio de pesquisas e desenvolvimento de aplicações de interação com os clientes visando seu engajamento e participação Implementar prova de conceito visando a elaboração de modelo de referência para implantação da arquitetura RI na Cemig Contribuir para o Processo de Transformação da Concessionária com a implementação da arquitetura de redes inteligentes de energia Criar massa crítica de RI envolvendo o público interno e os diversos agentes do setor

16 PROJETO CIDADES DO FUTURO DEFINIÇÃO DA REGIÃODE PROVA DE CONCEITO SETE LAGOAS População: Três Subestações: 2x25 MVA cada 24 alimentadores clientes ( na cidade) Consumidores de todas as categorias Sistema de Telecomunicações UniverCemig Proximidade de Belo Horizonte - 62 km Parceria com o município e com o Estado

17 CIDADES DO FUTURO Destaques Roadmap Lançamento do programa Definição de área geográfica para suportar os P&Ds, PoC e demais iniciativas Assinatura de acordo com USTDA Início das RFI Início das RFP Pesquisa de campo junto aos consumidores Implantação da infraestrutura de telecomunicações, equipamentos e sensores desenvolvidos nos P&Ds e de mercado Implantação dos sistemas AMI, Automação de Redes, Geração Distribuída, Desenvolvimento e implantação de ferramentas de Relacionamento com o Consumidor e Partes Interessadas 4T/ XX Planejamento e estruturação de projetos Novembro: Assinatura dos contratos dos P&Ds D423 e D424 Integração de sistemas desenvolvidos e legado (MDM, GIS, SGD), Pen Test e Privacidade de Dados Testes laboratoriais e de campo da arquitetura técnica e relacionamento com consumidores frente aos novos equipamentos Implantação de programas de eficiência energética Testes de tarifação horária em BT Mobilidade Elétrica e Automação Residencial (eletrodomésticos e tomadas inteligentes) Avaliação das Métricas Avaliação Econômico- Financeira Modelo de Roll Out Integração com P&Ds e Iniciativas Capacitação Subsídios à Regulação

18 Estratégia e Transformação Empresarial

19 REDES INTELIGENTES NA CEMIG D PROJETO CIDADES DO FUTURO Motivações Alinhamento à Estratégia

20 Infraestrutura Avançada de Medição - AMI

21 CONTEXTUALIZAÇÃO REDES INTELIGENTES PRINCIPAIS IMPACTOS AMI Consulta Pública 15/2009 (30/jan/2009 a 30/abr/2009) Audiência Pública 043/2010 (01/out/2010 a 28/jan/2011) Define as funcionalidades dos medidores para implantação da infraestrutura avança de medição Resolução Normativa Nº 502, de 7 de agosto de 2012 A proposta estabelece dois tipos de medidores Um deles, a ser instalado sem ônus, será fornecido no caso de o usuário aderir à modalidade tarifária branca O outro modelo, mais completo, oferecerá acesso a informações específicas individualizadas sobre o serviço prestado, e a instalação poderá ser cobrada pela distribuidora Em ambos os casos, a instalação do medidor ocorrerá por solicitação do consumidor. 18 meses As distribuidoras terão 18 meses para oferecer os medidores eletrônicos aos consumidores (~ fevereiro/2014)

22 CONTEXTUALIZAÇÃO REDES INTELIGENTES PRINCIPAIS IMPACTOS Tarifa Horária Tarifa monômia (R$/KWh), opcional para o consumidor, com 3 postos tarifários: (P) Ponta 3 horas diárias (I) Intermediária 2 horas diárias, sendo 1 antes e 1 depois da ponta (FP) Fora Ponta horas complementares aos períodos de ponta e intermediária nos dias úteis. Todo o dia em fins de semana e feriados Aplicável a todos os consumidores do grupo B, exceto subgrupo B1-Baixa Renda e B4-IP Resultado da Audiência Pública nº. 120/2010, iniciada em 17/12/2010 e finalizada em 18/03/2011

23 INFRAESTRUTURA AVANÇADA DE MEDIÇÃO PRIMEIRA AQUISIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS

24 REDE MESH Fonte: Landis+Gyr

25 INFRAESTRUTURA AVANÇADA DE MEDIÇÃO PRÓXIMAS AQUISIÇÕES INFORMAÇÕES GERAIS E ITENS

26 AMI INFRAESTRUTURA AVANÇADA DE MEDIÇÃO FUNCIONALIDADES Leitura remota de energia ativa (kwh) Corte e religamento remoto Monitoramento remoto de falta de tensão na unidade consumidora Monitoramento de alarmes do medidor (caso existam) Aplicação da tarifa branca

27 INFRAESTRUTURA AVANÇADA DE MEDIÇÃO Próximos Passos Novas licitações para crescimento da base instalada de AMI Pesquisa e Desenvolvimento em medição multi-utility com compartilhamento de infraestrutura Smart Smart Meter Meter Smart Meter Eletricidade Novos desenvolvimentos portal do cliente Água Gás (1) Centro de Medição implantado e operado pela Superintendência de Proteção da Receita e Faturamento de Clientes

28 Tecnologia da Informação

29 MDM P&D423 WebService MDM PAV Interface Padrão - SOA INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES DESTAQUES Suporte às funcionalidades das redes inteligentes Topologia computacional integrada ao MDM Desenvolvimento de interfaces com legado para suporte aos processos da Distribuição Implantação e povoamento do portal Web Testes de invasão Integração Projeto de BI Sistema de comunicação Camada comunicação Senergy Camada comunicação P&D423 Aplicativos Centro Int. Medição Centro Int. Medição (*) Interfaceamento PI WebService Arquivos sequenciais DB WebService Arquivos sequenciais DB Arquivos sequenciais Sistemas Legados SAP AGV SAS PAE CAC Condis Gemini Conint xomni Desenvolvimento de arquitetura de referência com interface padrão SOA e Barramento Empresarial

30 Telecomunicações

31 TELECOMUNICAÇÕES Telecomunicações da PoC Última milha em RF e PLC Diversidade de mídias para o backhaul: rádio, fibra óptica, satélite e GPRS Suporte à automação da medição, automação de redes e serviços de campo RFPs finalizadas Gestão da rede em aplicativo computacional dedicado Desenvolvimento de equipamentos

32 Automação da Distribuição

33 AUTOMAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO DESTAQUES Fault Location, Isolation and Supply Restoration (FLISR - Localização de faltas, isolamento e restabelecimento do serviço Controle Volt-Var Monitoramento de temperatura em transformadores de distribuição Aplicativos Computacionais Integrados ao COD e à Infraestrutura Avançada de Medição

34 Relacionamento com Consumidor e Comunicação Empresarial

35 RELACIONAMENTO COM CLIENTES DESTAQUES Pesquisas de campo e levantamentos junto aos canais de comunicação da Cemig possibilitam o desenvolvimento de novos serviços, produtos e comunicação diferenciados de acordo com o perfil dos clientes; Site do projeto na Internet

36 RELACIONAMENTO COM CLIENTES Plano de Comunicação Adequado à Diversidade Interfaces de relacionamento diversificadas para atender clientes com diferentes graus de letramento, habilidade com TIC e posses

37 INTERFACES DE RELACIONAMENTO COM O CONSUMIDOR

38 Interfaces impressas INTERFACES GRÁFICAS Cartas, Cartilhas e Folders

39 INTERFACE WEB Destaques Calendário de consumo: Informações de consumo em kwh nos períodos diário, semanal e mensal Gráfico de consumo: Informações de consumo em kwh nos períodos diário, semanal e mensal Canais de Comunicação: O consumidor pode estabelecer canais de comunicação para o recebimento de avisos e alertas referentes ao seu consumo.

40 Informações de consumo sempre a mão. A aplicação mobile traz informações resumidas e detalhadas do consumo. DISPOSITIVOS MÓVEIS Plataformas ios e Android

41 SIMULADOR DE CONSUMO Com o simulador de consumo, além de entender melhor seu consumo de energia o consumidor pode avaliar qual modalidade de tarifa é mais interessante para o seu perfil.

42 JOGOS ADAPTADOS AO CONTEÚDO Destaques Conteúdo programável Graus de dificuldade Integrados a temas de relevância para a Cemig

43 RELACIONAMENTO COM CLIENTES Destaques Possibilidade de pilotos em pequena escala e grupos focais para entender as percepções dos consumidores Utilização de múltiplos canais para educar e engajar os consumidores Dados precisos e claros de consumo recente de energia Transparência sobre as motivações para novos produtos tarifários

44 Micro Geração Distribuída

45 MICROGERAÇÃO E GERAÇÃO DISTIBUÍDA DESTAQUES Integração ao Projeto da Planta Solar Fotovoltaica de 3MW (1) Planta solar fotovoltaica 50 kwp e armazenamento 100kWp Microgeração distribuída em unidades consumidoras de baixa tensão Requisitos para a conexão de Acessantes Produtores de Energia Elétrica ao Sistema de Distribuição Cemig Conexão em Baixa Tensão conforme Resolução ANEEL 482/2012 (1) Em implantação pela Superintendência de Tecnologia e Alternativas Energéticas

46 Integração ao Programa Energia Inteligente

47 INTEGRAÇÃO CIDADES DO FUTURO E PROGRAMA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA ENERGIA INTELIGENTE Projeto Conviver e utilização de AMI para alavancar ações e projetos de Eficiência Energética e Educação do Consumidor Cemig nas Escolas Energia Solar para Aquecimento de Água Eficientização de Iluminação em Edifícios Públicos Equacionamento e prevenção humana sob linhas de transmissão

48 Capacitação

49 TESTES EM AMBIENTE CONTROLADO CAPACITAÇÃO E DEMONSTAÇÃO DESTAQUES Universidade Corporativa Cemig - UniverCemig (1) Parceria com UFMG para especialização e mestrado (1) Gerida pela Superintendência de Recursos Humanos

50 Resultados Parciais

51 Resultados Parciais Geração de massa crítica sobre o tema na Cemig Integração de equipe em torno do processo e do projeto Reconhecimento pelo mercado do Grupo Cemig como atuante em inovação tecnológica Desenvolvimento de documentação técnica (relatórios e especificações técnicas) Desenvolvimento de produtos (hardware e software) Participação na construção da regulamentação Desenvolvimento de parcerias com setor público, privado e acadêmico Identificação dos principais players na cadeia de valor das redes inteligentes Integração com o poder público municipal (Sete Lagoas)

52 35º Fórum de Debates Brasilianas.Org A Energia Elétrica no Brasil 3º painel: Tecnologias de transmissão e distribuição Daniel Senna Guimarães Gestor do Projeto Cidades do Futuro facebook.com/cemig.energia São Paulo, 10 de dezembro de 2012 Advertência: o conteúdo desta apresentação é de propriedade da Cemig, não sendo permitida a reprodução ou divulgação deste material de forma total ou parcial sem prévia e expressa autorização.

Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D

Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D Tadeu Batista Coordenador Projeto Cidades do Futuro tbatista@cemig.com.br cidadesdofuturo@cemig.com.br www.cemig.com.br/smartgrid facebook.com/cemig.energia

Leia mais

Gestão de Ativos de Distribuição

Gestão de Ativos de Distribuição Gestão de Ativos de Distribuição Smart Grid na Cemig Denys Cláudio Cruz de Souza Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição O que é Smart Grid? Sistema elétrico inteligente, que integra

Leia mais

Objetivo. 0 Conceitos. 0 Funcionalidades. 0 Desafios. 0 Experiências de Implantação

Objetivo. 0 Conceitos. 0 Funcionalidades. 0 Desafios. 0 Experiências de Implantação Objetivo 0 Conceitos 0 Funcionalidades 0 Desafios 0 Experiências de Implantação Smart Grid Conceitos 0 NÃO é só Medição Eletrônica e Telecom!! 0 Envolve conhecimentos sobre: 0 Tecnologia, Padrões, Normas

Leia mais

Projeto Smart Grid. Visão Geral

Projeto Smart Grid. Visão Geral Projeto Smart Grid Visão Geral Contextualização Sobre o Smart Grid Smart Grid Light Estratégia da Light para os próximos anos 2 3-8 usinas - 98 SE - 111 SE - 7.500 2500 circuitos 19.685 km 1045 Dispositivos

Leia mais

Smart Grid e Net Metering no Brasil

Smart Grid e Net Metering no Brasil Smart Grid e Net Metering no Brasil Daniel Vieira Superintendência de Regulação dos Serviços de Distribuição SRD/ANEEL Cidade do México 30/01/2013 Sistema de Distribuição 63 concessionárias de distribuição

Leia mais

A 1ª Cidade Inteligente da América Latina

A 1ª Cidade Inteligente da América Latina A 1ª Cidade Inteligente da América Latina Imagine... gerar somente a energia que precisamos em nossas casas através de fontes renováveis... saber o consumo de energia de cada aparelho elétrico conectado

Leia mais

Programa Smart Grid da AES Eletropaulo. - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013

Programa Smart Grid da AES Eletropaulo. - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013 Programa Smart Grid da AES Eletropaulo - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013 1 Agenda Institucional Projeto Smart Grid Eletropaulo Digital Motivadores Objetivos

Leia mais

AES ELETROPAULO. Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015

AES ELETROPAULO. Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015 AES ELETROPAULO Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015 1 AES Eletropaulo AES Eletropaulo % Brasil Area Concessão 4,526 (km 2 ) 0,05% Brazil Consumidores 6,8 (milhões) 9% Brasil Energia 46 (TWh) 11% São

Leia mais

Aspectos Regulatórios de Redes Inteligentes no Brasil

Aspectos Regulatórios de Redes Inteligentes no Brasil IEEE Workshop SMART GRID Trends & Best Practices Aspectos Regulatórios de Redes Inteligentes no Brasil Marco Aurélio Lenzi Castro Superintendência de Regulação dos Serviços de Distribuição SRD/ANEEL Salvador,

Leia mais

SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA

SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA SISTEMAS DE MEDIÇÃO CENTRALIZADA Estado da arte Aplicações atuais Perspectivas Landulfo Mosqueira Alvarenga Consultor Técnico Diretoria de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação CEPEL 1 Seminário Internacional

Leia mais

O Programa de Eficiência Energética Regulado pela ANEEL e a Geração Distribuída

O Programa de Eficiência Energética Regulado pela ANEEL e a Geração Distribuída Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída O Programa de Eficiência Energética Regulado pela ANEEL e a Geração Distribuída Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Superintendência de Pesquisa

Leia mais

Smart Energy Energias Inteligentes A Visão da Indústria, Instituições de P&D e Especialistas Álvaro Dias Júnior

Smart Energy Energias Inteligentes A Visão da Indústria, Instituições de P&D e Especialistas Álvaro Dias Júnior Smart Energy Energias Inteligentes Álvaro Dias Júnior 8 de maio de 2014, Curitiba Cenário Econômico Brasileiro A importância do Brasil tanto na área econômica quanto política, tem aumentado nos últimos

Leia mais

Minigeração e Microgeração Distribuída no Contexto das Redes Elétricas Inteligentes. Djalma M. Falcão

Minigeração e Microgeração Distribuída no Contexto das Redes Elétricas Inteligentes. Djalma M. Falcão Smart Grid Trends & Best Practices 17 e 18 de Outubro de 2013 Salvador-BA Minigeração e Microgeração Distribuída no Contexto das Redes Elétricas Inteligentes Djalma M. Falcão Redes Elétricas Inteligentes

Leia mais

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento A solução para relacionamento de Smart Grid com os consumidores Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento asmart Grid + Relacionamento ferramenta

Leia mais

Parintins. Agenda. ADA - Advanced Distribution Automation AMI Advanced Metering Infrastructure Monitoramento de Trafos. Interação com consumidor

Parintins. Agenda. ADA - Advanced Distribution Automation AMI Advanced Metering Infrastructure Monitoramento de Trafos. Interação com consumidor Agenda Parintins ADA - Advanced Distribution Automation AMI Advanced Metering Infrastructure Monitoramento de Trafos Interação com consumidor Comunicação e Interação de Sistemas PARINTINS Agenda Parintins

Leia mais

Projetos InovCityEDP. Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2014

Projetos InovCityEDP. Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2014 Projetos InovCityEDP Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2014 Agenda Soluções Smart Grid implantadas na EDP Projeto InovCity Aparecida Projeto InovCity ES Desafios para o Setor Elétrico Barreiras à serem vencidas

Leia mais

Redes Inteligentes. Como passo inicial do Conceito Smart Grid. Belo Horizonte - 11/08/2010

Redes Inteligentes. Como passo inicial do Conceito Smart Grid. Belo Horizonte - 11/08/2010 Redes Inteligentes Como passo inicial do Conceito Smart Grid Belo Horizonte - 11/08/2010 A Rede Elétrica ONS Mercado De Energia NOSSO FOCO Geração Geração renovável Armazenamento Rede de Distribuição Negócio

Leia mais

Sm S a m r a t r t Gr G i r d Bruno Erik Cabral

Sm S a m r a t r t Gr G i r d Bruno Erik Cabral Bruno Erik Cabral Smart Grid Agenda Introdução Definição Características Confiabilidade Flexibilidade Eficiência Sustentabilidade Medidores Inteligentes Controle avançado Cenário Internacional Cenária

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº043/2010

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº043/2010 CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº043/2010 NOME DA INSTITUIÇÃO: CIAPORTE SOLUÇÕES E SOFTWARE LTDA ME AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: Resolução /Normativa, 2010

Leia mais

Pesquisa e Desenvolvimento que geram avanços

Pesquisa e Desenvolvimento que geram avanços P&D O compromisso das empresas com o desenvolvimento sustentável por meio da energia limpa e renovável será demonstrado nesta seção do relatório. Nela são disponibilizados dados sobre a Pesquisa, Desenvolvimento

Leia mais

Experiências em Redes Inteligentes Institutos Lactec e UFPR. Por Rodrigo Jardim Riella riella@lactec.org.br

Experiências em Redes Inteligentes Institutos Lactec e UFPR. Por Rodrigo Jardim Riella riella@lactec.org.br Experiências em Redes Inteligentes Institutos Lactec e UFPR Por Rodrigo Jardim Riella riella@lactec.org.br Agenda Os Institutos Lactec Projetos nas áreas de Smart Grids Piloto Programa Smart Grid Light

Leia mais

Ações ABESCO e ANEEL para Fortalecimento do Mercado de Eficiência Energética. Reive Barros dos Santos Diretor

Ações ABESCO e ANEEL para Fortalecimento do Mercado de Eficiência Energética. Reive Barros dos Santos Diretor Ações ABESCO e ANEEL para Fortalecimento do Mercado de Eficiência Energética Reive Barros dos Santos Diretor São Paulo - SP 26 de agosto de 2015 Missão Proporcionar condições favoráveis para que o mercado

Leia mais

Regulamento do projeto "50 Telhados"

Regulamento do projeto 50 Telhados Regulamento do projeto "50 Telhados" Iniciativa Novembro de 2013 Sumário 1. Contextualização... 3 2. Missão do projeto 50 Telhados... 3 3. Objetivo... 3 4. Benefícios para empresas/clientes/cidades participantes...

Leia mais

10/10/2012. Motivações sociais: Camada Gestão da Energia. Camada - Gestão de ativos, implantação, operação e manutenção. Camada Gestão da Informação

10/10/2012. Motivações sociais: Camada Gestão da Energia. Camada - Gestão de ativos, implantação, operação e manutenção. Camada Gestão da Informação Utilização de técnicas e métodos da arquitetura Smart Grid para implementar uma solução de gestão de consumo de energia elétrica e água, baseada na coleta de medições e submedições de Unidades Consumidoras

Leia mais

SMARTGRID Rede Inteligente de Energia. Apresentação para Sociedade Mineira de Engenheiros

SMARTGRID Rede Inteligente de Energia. Apresentação para Sociedade Mineira de Engenheiros SMARTGRID Rede Inteligente de Energia Apresentação para Sociedade Mineira de Engenheiros Belo Horizonte,09 de Dezembro de 2009 Sumário: O que é SMARTGRID? Sistema elétrico inteligente, que integra e possibilita

Leia mais

PERSPECTIVAS DO PROJETO SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES *

PERSPECTIVAS DO PROJETO SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES * PERSPECTIVAS DO PROJETO SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES * Rosemar Aquino de Rezende JUNIOR 1 ; Laura Vitória Rezende DIAS 2 ; Getúlio Antero de DEUS JÚNIOR 3. 1 Bolsista do PET

Leia mais

HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA.

HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. CRIANDO SOLUÇÕES COMPLETAS PARA EMPRESAS E PESSOAS A Furukawa tem como foco ampliar os relacionamentos,

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data

Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Projeto de Monitoração e Melhoria Contínua com Six-Sigma, IoT e Big Data Contexto As pressões do mercado por excelência em qualidade e baixo custo obrigam as empresas a adotarem sistemas de produção automatizados

Leia mais

Regulamento do projeto "50 Telhados"

Regulamento do projeto 50 Telhados Regulamento do projeto "50 Telhados" Iniciativa Fevereiro de 2014 Sumário 1. Contextualização... 3 2. Missão do projeto 50 Telhados... 3 3. Objetivo... 3 3.1. Pequenas cidades... 3 4. Benefícios para empresas/clientes/cidades

Leia mais

AES Eletropaulo. Area Concessão. Energia. Eletropaulo. Brasil. 4,526 (km 2 ) 0,05% 6,8 (milhões) 46 (TWh) 11% Brasil.

AES Eletropaulo. Area Concessão. Energia. Eletropaulo. Brasil. 4,526 (km 2 ) 0,05% 6,8 (milhões) 46 (TWh) 11% Brasil. AES ELETROPAULO 1 AES Eletropaulo AES Eletropaulo % Brasil Area Concessão 4,526 (km 2 ) 0,05% Brazil Consumidores 6,8 (milhões) 9% Brasil Energia 46 (TWh) 11% São Paulo Estado 2 PROJETO AES ELETROPAULO

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL GE Distributed Power Jose Renato Bruzadin Sales Manager Brazil T +55 11 2504-8829 M+55 11 99196-4809 Jose.bruzadini@ge.com São Paulo, 11 de Julho de 2014 NOME DA INSTITUIÇÃO: GE Distributed Power AGÊNCIA

Leia mais

Fernando Alvim Diório Coordenador do SGT ABNT Brasil

Fernando Alvim Diório Coordenador do SGT ABNT Brasil Fernando Alvim Diório Coordenador do SGT ABNT Brasil 19 a 21 de outubre de 2009 Hotel Transamérica São Paulo BRASIL PADRÕES PARA PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO. Agenda Histórico Objetivos Aplicações Nova proposta

Leia mais

DIGITALIZAÇÃO E GESTÃO INTELIGENTE DA MEDIÇÃO COMO FERRAMENTA DE CONTROLE DE PERDAS E PROTEÇÃO DA RECEITA

DIGITALIZAÇÃO E GESTÃO INTELIGENTE DA MEDIÇÃO COMO FERRAMENTA DE CONTROLE DE PERDAS E PROTEÇÃO DA RECEITA DIGITALIZAÇÃO E GESTÃO INTELIGENTE DA MEDIÇÃO COMO FERRAMENTA DE CONTROLE DE PERDAS E PROTEÇÃO DA RECEITA MOTIVADORES Níveis elevados de perdas não técnicas das empresas Restrições mais rígidas (ambientais,

Leia mais

A SILENCIOSA MUDANÇA DO MODELO DE NEGÓCIOS DO SETOR ELÉTRICO MUNDIAL (*)

A SILENCIOSA MUDANÇA DO MODELO DE NEGÓCIOS DO SETOR ELÉTRICO MUNDIAL (*) A SILENCIOSA MUDANÇA DO MODELO DE NEGÓCIOS DO SETOR ELÉTRICO MUNDIAL (*) A evolução tecnológica proporcionada pelas Smart Grids já colocou em plena marcha, mundialmente e silenciosamente, uma grande mudança

Leia mais

Programa de Eficiência Energética das Empresas de Distribuição de Energia Elétrica PEE

Programa de Eficiência Energética das Empresas de Distribuição de Energia Elétrica PEE Programa de Eficiência Energética das Empresas de Distribuição de Energia Elétrica PEE Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Superintendência de Pesquisa e Desenvolvimento e Eficiência Energética

Leia mais

Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída. Prof. Jamil Haddad UNIFEI-EXCEN

Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída. Prof. Jamil Haddad UNIFEI-EXCEN Fórum sobre Eficiência Energética e Geração Distribuída Prof. Jamil Haddad UNIFEI-EXCEN Brasília, 28 de maio de 2015 Quarto Painel Experiências de Sucesso e Perspectivas: a Percepção da Academia Experiências

Leia mais

Apresentação CEI. Perspectivas no mercado de energia fotovoltaica

Apresentação CEI. Perspectivas no mercado de energia fotovoltaica Apresentação CEI Perspectivas no mercado de energia fotovoltaica A CEI é produtora independente de energia em MG, com 9 usinas em operação, 15 empreendimentos hidrelétricos em desenvolvimento (130MW) e

Leia mais

Palavras-chave: Smart Grid. Eficiência energética. Projetos pilotos. Eletricidade.

Palavras-chave: Smart Grid. Eficiência energética. Projetos pilotos. Eletricidade. IMPLEMENTAÇÃO DE PROJETOS SMART GRID NO BRASIL Marcos Vinicius Nunes Arruda Aluno do IFMT, Campus Cuiabá, voluntário Ruy de Oliveira Prof. Doutor. do IFMT, Campus Cuiabá, orientador Resumo As redes de

Leia mais

Luiz Carlos Santini Jr Gerente de Perdas Comerciais Enersul Brasil

Luiz Carlos Santini Jr Gerente de Perdas Comerciais Enersul Brasil Luiz Carlos Santini Jr Gerente de Perdas Comerciais Enersul Brasil 19 a 21 de outubro de 2009 Hotel Transamérica São Paulo BRASIL Enersul Empresa Energética de Mato Grosso do Sul Enersul Empresa distribuidora

Leia mais

A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE

A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE A Atuação da Finep em Energia e Tecnologias Limpas DENE Agenda FINEP Departamento de Energia e Tecnologias Limpas DENE Programas Setoriais Inova Energia A Finep A Finep é uma empresa pública vinculada

Leia mais

PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411

PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411 PROJETO DE UM MICRO INVERSOR INTEGRADO AOS PAINÉIS SOLARES PARA APLICAÇÃO EM CONSUMIDORES RESIDENCIAIS Solução n o 411 Eng. João Marcos Castro Soares (Diretor de P&D) São Paulo, 29 de abril de 2015 REIVAX

Leia mais

INOVA ENERGIA. Plano Conjunto de Apoio à Inovação Propostas para atuação ANEEL BNDES FINEP

INOVA ENERGIA. Plano Conjunto de Apoio à Inovação Propostas para atuação ANEEL BNDES FINEP INOVA ENERGIA Plano Conjunto de Apoio à Inovação Propostas para atuação ANEEL BNDES FINEP Elementos de Articulação INOVA ENERGIA: Elementos da Proposta Fontes de Recursos Linhas Temáticas Subvenção, Crédito

Leia mais

X SIMPASE Temário TEMA 1. Automação e digitalização de usinas, subestações, redes de distribuição e instalações de grandes consumidores, tais como:

X SIMPASE Temário TEMA 1. Automação e digitalização de usinas, subestações, redes de distribuição e instalações de grandes consumidores, tais como: X SIMPASE Temário TEMA 1 Automação e digitalização de usinas, subestações, redes de distribuição e instalações de grandes consumidores, tais como: - Implantação, operação e manutenção de sistemas de automação

Leia mais

- Projeto & Concepção - Solicitação de Acesso - Venda de Equipamentos - Instalação - Conexão com Distribuidora. Campinas

- Projeto & Concepção - Solicitação de Acesso - Venda de Equipamentos - Instalação - Conexão com Distribuidora. Campinas A Blue Sol Energia Solar visa disseminar a tecnologia fotovoltaica e o conhecimento sobre os temas no Brasil promovendo, portanto, uma fonte limpa, renovável e inesgotável de energia, alinhada com a crescente

Leia mais

Case: BI disponível no Smartphone. Empresa : Indiana Seguros S/A. CIO : Reinaldo D Errico.

Case: BI disponível no Smartphone. Empresa : Indiana Seguros S/A. CIO : Reinaldo D Errico. Case: BI disponível no Smartphone. Empresa : Indiana Seguros S/A. CIO : Reinaldo D Errico. Institucional 1943 Década de 90 Nacionalização Internacionalização Institucional COMPOSIÇÃO ACIONÁRIA: 60% FAMÍLIA

Leia mais

Setor Elétrico Brasileiro Um Breve histórico. Pontos Básicos da regulação para a Distribuição. Desafios regulatórios Associados à Distribuição

Setor Elétrico Brasileiro Um Breve histórico. Pontos Básicos da regulação para a Distribuição. Desafios regulatórios Associados à Distribuição viii SUMÁRIO Apresentação Prefácio e Agradecimentos Introdução C a p í t u l o 1 Setor Elétrico Brasileiro Um Breve histórico 1.1 Mudanças ocorridas nos anos 1990 1.2 Avanços e aprimoramentos em 2003 C

Leia mais

Avanços do Projeto Cidade Inteligente Búzios

Avanços do Projeto Cidade Inteligente Búzios Avanços do Projeto Cidade Inteligente Búzios São Paulo, 27 de novembro de 2013 Weules Correia Coordenador Técnico do Projeto Cidade Inteligente Búzios Ampla Energia e Serviços SA Enel: um operador internacional

Leia mais

Energia Solar. Aquecimento Solar e Geração Fotovoltaica

Energia Solar. Aquecimento Solar e Geração Fotovoltaica Energia Solar Aquecimento Solar e Geração Fotovoltaica Profa. Elizabeth Marques Duarte Pereira Centro Universitário UNA Belo Horizonte, 04/06/2014 Parcerias: CEMIG/Eletrobras/FAPEMIG/ Embaixada Britânica

Leia mais

Metering system for billing in the National Interconnected System Sistema de Medição para Faturamento no Sistema Interligado Nacional Neyl Hamilton

Metering system for billing in the National Interconnected System Sistema de Medição para Faturamento no Sistema Interligado Nacional Neyl Hamilton Metering system for billing in the National Interconnected System Sistema de Medição para Faturamento no Sistema Interligado Nacional Neyl Hamilton M. Soares Medição para Faturamento no Sistema Interligado

Leia mais

Sistemas Eletrônicos S.A.

Sistemas Eletrônicos S.A. Sistemas Eletrônicos S.A. Institucional ELO Empresa de Capital 100% Brasileiro; Estabelecida em 1980; Engenharia de Desenvolvimento Própria; Desenvolvimento e Produção de Dispositivos de Medição Eletrônica

Leia mais

Programa de Incentivos aos Leilões de Energia e à Geração Distribuída do Governo de Pernambuco João Bosco de Almeida

Programa de Incentivos aos Leilões de Energia e à Geração Distribuída do Governo de Pernambuco João Bosco de Almeida Programa de Incentivos aos Leilões de Energia e à Geração Distribuída do Governo de Pernambuco João Bosco de Almeida Secretário de Infraestrutura Energia Renovável em Pernambuco Desenvolvimento Técnico,

Leia mais

DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA

DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA OBJETIVOS Desenvolvimento de metodologia e sistema de automação do monitoramento de riscos e controles organizacionais para: Minimização dos riscos regulatórios

Leia mais

Área de concessão. 24 municípios incluindo a Capital. Abrangência: 4,526 km2 e 10% do consumo de energia do país. 6,7 milhões de unidades consumidoras

Área de concessão. 24 municípios incluindo a Capital. Abrangência: 4,526 km2 e 10% do consumo de energia do país. 6,7 milhões de unidades consumidoras Redes Inteligentes Área de concessão 24 municípios incluindo a Capital Abrangência: 4,526 km2 e 10% do consumo de energia do país 6,7 milhões de unidades consumidoras 8% da população do Brasil (aprox.

Leia mais

BNDESPAR INGRESSA NO CAPITAL SOCIAL DA RENOVA ENERGIA

BNDESPAR INGRESSA NO CAPITAL SOCIAL DA RENOVA ENERGIA BNDESPAR INGRESSA NO CAPITAL SOCIAL DA RENOVA ENERGIA Por meio de um investimento estratégico de até R$314,7 milhões, a BNDESPAR ingressa no capital social da Renova Energia. Parceria de Longo Prazo A

Leia mais

Diretrizes do Fundo Solar: Apoio a microgeração fotovoltaica. Promovido por

Diretrizes do Fundo Solar: Apoio a microgeração fotovoltaica. Promovido por Diretrizes do Fundo Solar: Apoio a microgeração fotovoltaica Promovido por Texto atualizado em 22 de Maio de 2013 Índice 1. Contextualização... 3 2. Objetivo... 3 3. Público-Alvo... 3 4. Entidades promotoras...

Leia mais

Projeto InovCity Status de execução e principais aprendizados para o desenvolvimento futuro das smart grids no Brasil

Projeto InovCity Status de execução e principais aprendizados para o desenvolvimento futuro das smart grids no Brasil Projeto InovCity Status de execução e principais aprendizados para o desenvolvimento futuro das smart grids no Brasil São Paulo, 27 de Novembro de 2013 Agenda Grupo EDP Apresentação do projeto Status de

Leia mais

Painel: Implicações técnicas da regulação do fornecimento de energia elétrica para edificações residenciais e comerciais.

Painel: Implicações técnicas da regulação do fornecimento de energia elétrica para edificações residenciais e comerciais. Painel: Implicações técnicas da regulação do fornecimento de energia elétrica para edificações residenciais e comerciais. Daniel José Justi Bego Especialista em Regulação Superintendência de Regulação

Leia mais

DIAGNÓSTICO E DEFINIÇÃO DE SOLUÇÕES

DIAGNÓSTICO E DEFINIÇÃO DE SOLUÇÕES Somos uma empresa brasileira, especializada em soluções de automação de máquinas e processos industriais, instalação, comissionamento e segurança de infraestrutura elétrica e de máquinas, microgeração

Leia mais

SOME - VIP Solução de Medição de Energia em Vias Públicas para Blindagem da Receita

SOME - VIP Solução de Medição de Energia em Vias Públicas para Blindagem da Receita 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG SOME - VIP Solução de Medição de Energia em Vias Públicas para Blindagem da Receita Ricardo Zimmer NANSEN Instrumentos de Precisão S.A. zimmer@nansen.com.br

Leia mais

UMA ABORDAGEM DE GERENCIAMENTO REMOTO DO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA USANDO WEB SERVICES SOBRE TECNOLOGIA GPRS

UMA ABORDAGEM DE GERENCIAMENTO REMOTO DO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA USANDO WEB SERVICES SOBRE TECNOLOGIA GPRS UMA ABORDAGEM DE GERENCIAMENTO REMOTO DO SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA USANDO WEB SERVICES SOBRE TECNOLOGIA GPRS Prof. Roberto A. Dias, Dr. Eng CEFET-SC Igor Thiago Marques Mendonça Reginaldo

Leia mais

Agenda Regulatória ANEEL 2014/2015 - Destaques

Agenda Regulatória ANEEL 2014/2015 - Destaques Agenda Regulatória ANEEL 2014/2015 - Destaques Carlos Alberto Mattar Superintendente - SRD 13 de março de 2014 Rio de Janeiro - RJ Sumário I. Balanço 2013 II. Pautas para GTDC - 2014 III. Principais audiências

Leia mais

Área de Distribuição e Comercialização Identificação do Trabalho: BR-13 São Paulo, Brasil, Setembro de 2002.

Área de Distribuição e Comercialização Identificação do Trabalho: BR-13 São Paulo, Brasil, Setembro de 2002. COMISSÃO DE INTEGRAÇÃO ENERGÉTICA REGIONAL IV CIERTEC SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE AUTOMAÇÃO DE REDES DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA E CENTROS DE CONTROLE Área de Distribuição e Comercialização Identificação

Leia mais

VI ENCONTRO NACIONAL DA ABRAPCH A importância da Geração Distribuída num momento de crise energética

VI ENCONTRO NACIONAL DA ABRAPCH A importância da Geração Distribuída num momento de crise energética VI ENCONTRO NACIONAL DA ABRAPCH A importância da Geração Distribuída num momento de crise energética Copel Distribuição S.A Vlademir Daleffe 25/03/2015 1 VI ENCONTRO NACIONAL DA ABRAPCH 1. Composição tarifária

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Testes e Experiência do CPqD em Sistemas PLC

Testes e Experiência do CPqD em Sistemas PLC Testes e Experiência do CPqD em Sistemas PLC Rogério Botteon Romano Pesquisador Maio/2007 www.cpqd.com.br PLC no CPqD Projeto P&D ANEEL - ciclo 2001/2002 - CPFL - ELETROPAULO - BANDEIRANTE - ELEKTRO (São

Leia mais

29/09/2010. Carlos Alberto FRÓES Lima, MsC Gilberto De Martino JANNUZZI, PhD FEM- Planejamento Energético Unicamp Brasil

29/09/2010. Carlos Alberto FRÓES Lima, MsC Gilberto De Martino JANNUZZI, PhD FEM- Planejamento Energético Unicamp Brasil Carlos Alberto FRÓES Lima, MsC Gilberto De Martino JANNUZZI, PhD FEM- Planejamento Energético Unicamp Brasil 28 a 30 de Setembro de 2010 Centro de Convenções Frei Caneca São Paulo BRASIL Metering, smart

Leia mais

TARIFA BRANCA E BANDEIRAS TARIFÁRIAS VISÃO DA ANEEL

TARIFA BRANCA E BANDEIRAS TARIFÁRIAS VISÃO DA ANEEL TARIFA BRANCA E BANDEIRAS TARIFÁRIAS VISÃO DA ANEEL Diego Luís Brancher Especialista em Regulação Chapecó/SC 27/11/2014 PROGRAMA 1.BANDEIRAS TARIFÁRIAS DÚVIDAS 2.TARIFA BRANCA DÚVIDAS 2 BANDEIRAS TARIFÁRIAS

Leia mais

SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Bolsista do PET EEEC/UFG engenheiralaura1@hotmail.com.

SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES. Bolsista do PET EEEC/UFG engenheiralaura1@hotmail.com. SMART GRID EM ESPAÇOS POPULARES: DESAFIOS E POSSIBILIDADES Rosemar Aquino de Rezende JUNIOR 1 ; Laura Vitória Rezende Dias 2 ; Getúlio Antero de Deus JÚNIOR 3 Grupo PET EEEC (Conexões de Saberes) /UFG

Leia mais

WORKSHOP FIESP - Energia/Smart Grids. Welson R. Jacometti CAS Tecnologia S/A

WORKSHOP FIESP - Energia/Smart Grids. Welson R. Jacometti CAS Tecnologia S/A WORKSHOP FIESP - Energia/Smart Grids Welson R. Jacometti CAS Tecnologia S/A V4.3-27022015 A CAS presente no seu dia a dia e da sua empresa A CAS Tecnologia é uma empresa que aplica tecnologia, engenharia

Leia mais

Reunião de Trabalho PROPEE ANEEL e ABESCO 30 Set 2013

Reunião de Trabalho PROPEE ANEEL e ABESCO 30 Set 2013 Reunião de Trabalho PROPEE ANEEL e ABESCO 30 Set 2013 Aspectos Normativos e Legais da Eficiência Energética Lei no 8.987, de fevereiro de 1995, Art. 29. Incumbe ao poder concedente: Inciso X: estimular

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº043/2010

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº043/2010 CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº043/2010 NOME DA INSTITUIÇÃO: LECTRON INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: Resolução /Normativa, 2010 EMENTA

Leia mais

VI Forum Latino Americano de Smart Grid Estratégias e Tecnologias de Tranformação do Negócio. Claudio T Correa Leite

VI Forum Latino Americano de Smart Grid Estratégias e Tecnologias de Tranformação do Negócio. Claudio T Correa Leite VI Forum Latino Americano de Smart Grid Estratégias e Tecnologias de Tranformação do Negócio 27nov2013 Claudio T Correa Leite CPqD na Dinâmica de Transformação do Setor Elétrico A Dinâmica dos Mercados

Leia mais

HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA.

HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. HÁ 130 ANOS A FURUKAWA PARTICIPA ATIVAMENTE NA VIDA DAS PESSOAS, ATRAVÉS DA CONTÍNUA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA. CRIANDO SOLUÇÕES COMPLETAS PARA EMPRESAS E PESSOAS DATA CENTER SOLUÇÃO ITMAX ENTERPRISE REDES

Leia mais

Energia solar Fotovoltaica e as iniciativas para uma nova indústria nacional

Energia solar Fotovoltaica e as iniciativas para uma nova indústria nacional Workshop Embaixada Verde - Uma contribuição original ao debate sobre energias renováveis no Brasil Brasília 09/02/2011 Energia solar Fotovoltaica e as iniciativas para uma nova indústria nacional Prof.

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DO FÓRUM DAS ASSOCIAÇÕES EMPRESARIAIS PRÓ- DESENVOLVIMENTO DO MERCADO DE GÁS NATURAL CONSULTA PÚBLICA ANEEL Nº 005/2014

CONTRIBUIÇÃO DO FÓRUM DAS ASSOCIAÇÕES EMPRESARIAIS PRÓ- DESENVOLVIMENTO DO MERCADO DE GÁS NATURAL CONSULTA PÚBLICA ANEEL Nº 005/2014 CONTRIBUIÇÃO DO FÓRUM DAS ASSOCIAÇÕES EMPRESARIAIS PRÓ- DESENVOLVIMENTO DO MERCADO DE GÁS NATURAL CONSULTA PÚBLICA ANEEL Nº 005/2014 Descrição: Obter subsídios para identificar a necessidade de criação

Leia mais

III Workshop Inovação para o Estabelecimento do Setor de Energia Solar Fotovoltaica no Brasil. Nelson Fonseca Leite Presidente 06/03/2013

III Workshop Inovação para o Estabelecimento do Setor de Energia Solar Fotovoltaica no Brasil. Nelson Fonseca Leite Presidente 06/03/2013 III Workshop Inovação para o Estabelecimento do Setor de Energia Solar Fotovoltaica no Brasil Nelson Fonseca Leite Presidente 06/03/2013 PRINCIPAIS INDICADORES DO SETOR DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

Leia mais

Telebras Institucional

Telebras Institucional Telebras Institucional Ibirubá-RS, Setembro 2011 A Telebrás Quem somos A TELEBRAS é uma S/A de economia mista, vinculada ao Ministério das Comunicações, autorizada a usar e manter a infraestrutura e as

Leia mais

Fórum de Eficiência Energética em Edificações 12º CONGRESSO BRASILEIRO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - COBEE

Fórum de Eficiência Energética em Edificações 12º CONGRESSO BRASILEIRO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - COBEE Fórum de Eficiência Energética em Edificações 12º CONGRESSO BRASILEIRO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - COBEE Orientações para a implementação de EE em edifícios públicos Paula Baratella, arq. MSc. Analista

Leia mais

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Dezembro/2010 2 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Missão: Prover soluções efetivas de tecnologia

Leia mais

Sociedade para o Desenvolvimento da Tecnologia da Informação. CRISE FISCAL x OPORTUNIDADES DE MELHORIA NO ATENDIMENTO AO CIDADÃO

Sociedade para o Desenvolvimento da Tecnologia da Informação. CRISE FISCAL x OPORTUNIDADES DE MELHORIA NO ATENDIMENTO AO CIDADÃO Sociedade para o Desenvolvimento da Tecnologia da Informação CRISE FISCAL x OPORTUNIDADES DE MELHORIA NO ATENDIMENTO AO CIDADÃO Rápido, Fácil e Barato! TEMPOS DE CRISE REQUEREM PRAGMATISMO E SOLUÇÕES

Leia mais

MANUAL DE PESQUISA & DESENVOLVIMENTO Eletrobras Distribuição Alagoas

MANUAL DE PESQUISA & DESENVOLVIMENTO Eletrobras Distribuição Alagoas MANUAL DE PESQUISA & DESENVOLVIMENTO Eletrobras Distribuição Alagoas Versão 4.0 MARÇO/2011 1. INTRODUÇÃO A ELETROBRAS DISTRIBUIÇÃO ALAGOAS deve aplicar anualmente 0,2% (zero vírgula dois por cento) de

Leia mais

Aspectos da Política de Ciência, Tecnologia e Inovação em Redes Elétricas Inteligentes no Brasil

Aspectos da Política de Ciência, Tecnologia e Inovação em Redes Elétricas Inteligentes no Brasil Aspectos da Política de Ciência, Tecnologia e Inovação em Redes Elétricas Inteligentes no Brasil Dante Hollanda Tecnologista em Ciência e Tecnologia Curitiba, 08 de maio de 2014 1 Estrutura do MCTI 2 Secretaria

Leia mais

Assinatura Digital. Contratos de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado - CCEARs

Assinatura Digital. Contratos de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado - CCEARs Assinatura Digital Contratos de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado - CCEARs Agenda O papel da CCEE Visão geral da comercialização de energia elétrica no Brasil Processo de Assinatura

Leia mais

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MECANISMOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O Ciclo da Governança de T.I. ALINHAMENTO

Leia mais

1) QUANTIDADE E DETALHAMENTO DE ESPECIFICAÇÕES DE EQUIPAMENTOS. O item 1.1.1.2 das Condições Gerais do Objeto dispõe o seguinte:

1) QUANTIDADE E DETALHAMENTO DE ESPECIFICAÇÕES DE EQUIPAMENTOS. O item 1.1.1.2 das Condições Gerais do Objeto dispõe o seguinte: 1) QUANTIDADE E DETALHAMENTO DE ESPECIFICAÇÕES DE EQUIPAMENTOS. O item 1.1.1.2 das Condições Gerais do Objeto dispõe o seguinte: 1.1.1.2 Nos CSR, os quais executarão ações comandadas pelo CM e supervisionarão

Leia mais

Portal de Dados Abertos elaborado pela Emprel lança iniciativas que aproximam Prefeitura e cidadãos no Recife

Portal de Dados Abertos elaborado pela Emprel lança iniciativas que aproximam Prefeitura e cidadãos no Recife Portal de Dados Abertos elaborado pela Emprel lança iniciativas que aproximam Prefeitura e cidadãos no Recife Perfil A Empresa Municipal de Informática Emprel é uma empresa pública, dotada de personalidade

Leia mais

PORTFOLIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS INSTALADOS/PROJETADOS PELA BLUE SOL ENERGIA SOLAR

PORTFOLIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS INSTALADOS/PROJETADOS PELA BLUE SOL ENERGIA SOLAR PORTFOLIO DE SISTEMAS FOTOVOLTAICOS INSTALADOS/PROJETADOS PELA BLUE SOL ENERGIA SOLAR B l u e S o l E n e r g i a S o l a r A v e n i d a A n t ô n i o D i e d e r i c s h e n, 4 0 0 S a l a 8 0 8 J a

Leia mais

GERENCIAMENTO PELO LADO DA DEMANDA - MÉTODOS DIRETO, INDIRETO E INCENTIVADO

GERENCIAMENTO PELO LADO DA DEMANDA - MÉTODOS DIRETO, INDIRETO E INCENTIVADO STC/ 13 17 à 22 de outubro de 1999 Foz do Iguaçu Paraná - Brasil SESSÃO TÉCNICA ESPECIAL CONSERVAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA (STC) GERENCIAMENTO PELO LADO DA DEMANDA - MÉTODOS DIRETO, INDIRETO E INCENTIVADO

Leia mais

SISTEMA AUTOMATIZADO DE MEDIÇÃO Projeto piloto de Infra-estrutura de Medição Avançada

SISTEMA AUTOMATIZADO DE MEDIÇÃO Projeto piloto de Infra-estrutura de Medição Avançada SISTEMA AUTOMATIZADO DE MEDIÇÃO Projeto piloto de Infra-estrutura de Medição Avançada Luiz A. Garbelotto Depto. Engenharia Comercial Celesc Distribuição S.A. Santa Catarina, Brasil Vladimir Nascimento

Leia mais

CONHEÇA MAIS SOBRE A MICROWARE:

CONHEÇA MAIS SOBRE A MICROWARE: CONHEÇA MAIS SOBRE A MICROWARE: A Microware é especialista no desenvolvimento e na execução de projetos de T.I.C. Atuamos nas áreas de Serviços Profissionais, Datacenter, Conectividade, Workplace e Processos

Leia mais

A Estrutura do Mercado de Energia Elétrica

A Estrutura do Mercado de Energia Elétrica 2º Encontro de Negócios de Energia Promoção: FIESP/CIESP A Estrutura do Mercado de Energia Elétrica 05 de setembro de 2001 São Paulo-SP José Mário Miranda Abdo Diretor-Geral Sumário I - Aspectos Institucionais

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI e Site Backup

Gerenciamento de Serviços de TI e Site Backup Gerenciamento de Serviços de TI e Site Backup ATIVAS encerra o ano como a empresa que mais cresceu no mercado brasileiro de serviços de TI ATIVAS é formalmente apresentada ao mercado CEMIG Telecom adquire

Leia mais

Eficiência energética de edificações e sua contribuição para a redução dos gases de efeito estufa

Eficiência energética de edificações e sua contribuição para a redução dos gases de efeito estufa Eficiência energética de edificações e sua contribuição para a redução dos gases de efeito estufa Contexto Perfil de emissões MCTI Ministério do Meio Ambiente Objetivos Ampliar e aprimorar a participação

Leia mais

DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009.

DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009. DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009. Institui a Política de Tecnologia da Informação e Comunicação no Governo do Estado do Piauí, cria o Sistema de Governança de Tecnologia da Informação e

Leia mais

Programas Sistemas Projetos

Programas Sistemas Projetos Programas Sistemas Projetos A Cemig Maior empresa integrada do setor de energia elétrica do País, a Cemig também é o maior grupo distribuidor, responsável por aproximadamente 12% do mercado nacional. A

Leia mais

Potencialidades da Cogeração nos Segmentos Industrial e Comercial. Leonardo Caio Filho COGEN leonardo@cogen.com.br (11) 3815-4887

Potencialidades da Cogeração nos Segmentos Industrial e Comercial. Leonardo Caio Filho COGEN leonardo@cogen.com.br (11) 3815-4887 Potencialidades da Cogeração nos Segmentos Industrial e Comercial Leonardo Caio Filho COGEN leonardo@cogen.com.br (11) 3815-4887 COGEN Associação da Indústria de Cogeração de Energia A COGEN Associação

Leia mais

Qualidade dos Serviços Situação Atual e Perspectivas COELCE 30/06/2011

Qualidade dos Serviços Situação Atual e Perspectivas COELCE 30/06/2011 Qualidade dos Serviços Situação Atual e Perspectivas COELCE 30/06/2011 Agenda O grupo Endesa 1 Características da COELCE e do estado do Ceará 2 Qualidade dos Serviços Técnicos e Comerciais 3 Investimentos

Leia mais

Como faço para ter eletricidade solar em minha casa?

Como faço para ter eletricidade solar em minha casa? Como faço para ter eletricidade solar em minha casa? Guia de microgeradores fotovoltaicos EXPEDIENTE ÍNDICE Projeto Editorial e Conteúdo Revisão Textual Paula Scheidt Revisão técnica Giovanni Secco Projeto

Leia mais

Projeto GeoCONVIAS abril 2009

Projeto GeoCONVIAS abril 2009 Projeto GeoCONVIAS abril 2009 Logica 2008. All rights reserved Agenda 1 2 3 4 5 6 7 8 Instituições Participantes Objetivo do Projeto Fluxo de Trabalho de CONVIAS Benefícios Escopo do Projeto Arquitetura

Leia mais