IDENTIFICAÇÃO DE FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE ALGODOEIRO EMPREGADAS NA REGIÃO DE CHAPADÃO DO SUL 1

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IDENTIFICAÇÃO DE FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE ALGODOEIRO EMPREGADAS NA REGIÃO DE CHAPADÃO DO SUL 1"

Transcrição

1 Página 1108 IDENTIFICAÇÃO DE FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE ALGODOEIRO EMPREGADAS NA REGIÃO DE CHAPADÃO DO SUL 1 Gustavo de Faria Theodoro (UFMS André Augusto Chumpati 2 (UFMS), Hectory de Castro Correia 2 (UFMS), Josiane Vogel Cortina Theodoro (UFMS), Daniel Cassetari Neto (UFMT), Andréia Quixabeira Machado (UNIVAG), Antonio Carlos Maringoni (UNESP). RESUMO Os fungos patogênicos ao algodoeiro, associados às sementes, são limitantes à obtenção de índices satisfatórios de produtividade, especialmente nas condições de cultivo do cerrado brasileiro e são escassas as informações sobre a sanidade de sementes empregadas em Mato Grosso do Sul. O objetivo deste trabalho foi identificar os fungos associados às sementes de algodoeiro, obtidas de 18 lotes, empregadas no Cerrado sul-mato-grossense. Foram identificados 18 gêneros de fungos, em maior quantidade, nas sementes que não foram submetidas à desinfestação. Houve elevada incidência de fungos associados ao armazenamento e a ocorrência de Fusarium pallidoroseum e Colletotrichum gossypii var. cephalosporioides. Palavras-chave: Gossypium hirsutum; patologia; algodão; sementes INTRODUÇÃO O cultivo do algodoeiro (Gossypium hirsutum L.) em Mato Grosso do Sul é caracterizado pelo uso de alta tecnologia e por estar se expandido nas áreas de cerrado, anteriormente ocupadas pela cultura da soja (MELO FILHO; RICHETTI, 2003). Existem diversas doenças de etiologia fúngica que incidem em algodoeiros, como aquelas que se manifestam por meio de podridões de raízes e do colo, além de tombamentos de plântulas. Estas doenças são, normalmente, causadas por fungos dos gêneros Fusarium, Rhizoctonia, Colletotrichum, Botryodiplodia, Sclerotinia e Macrophomina, que atuam isoladamente ou, mais frequentemente, associados. Existem patógenos que causam murchas vasculares, como Fusarium e Verticillium, enquanto a maioria das doenças ocorre nas folhas do algodoeiro e são incitadas por Colletotrichum, 1 Trabalho financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico/CNPq Edital MCT/CNPq/CT-Agro nº 42/ Bolsista ITI-A do CNPq

2 Página 1109 Alternaria, Ramularia, Cerotelium, Cercospora, Stemphylium, Phakopsora e, casualmente, por outros fungos (ARAÚJO; SUASSUNA, 2003; JULIATTI; RUANO, 1997), sendo que muitos destes podem estar associados as sementes e até mesmo serem transmitidos via semente. Alguns dos fungos que normalmente estão associados às sementes do algodoeiro podem vir a ser limitantes à obtenção de índices satisfatórios de produtividade, especialmente nas condições de cultivo do cerrado brasileiro (CASSETARI NETO, 2003). O objetivo deste trabalho foi identificar os fungos que ocorreram em sementes de algodoeiro empregadas na região de Chapadão do Sul. MATERIAL E MÉTODOS I Localização de fungos em sementes de algodoeiro Foram obtidos 18 lotes de sementes de algodoeiro, sem línter, empregadas na região de Chapadão do Sul na safra 2008/09. As sementes de cada lote foram separadas em amostras com e sem desinfestação superficial, pela imersão em hipoclorito de sódio a 1 %, por cinco minutos, visando estimar a localização dos fungos nas sementes (MACHADO, 2000). A determinação da incidência de fungos foi realizada utilizando-se o teste de papel de filtro, seguindose metodologia adaptada de Neergaard (1979). Foram avaliadas 200 sementes por amostra, distribuídas em caixas gerbox. Em cada recipiente, houve o acondicionamento de 25 sementes, de forma equidistante, sob duas folhas de papel de filtro previamente esterilizadas. Empregou-se a técnica de restrição hídrica, por meio do umedecimento dos papéis de filtro com uma solução esterilizada de cloreto de sódio, no potencial de -1,0 MPa (MACHADO et al., 2007). As sementes permaneceram incubadas por sete dias, a 25 o C, com fotoperíodo de 12 h e, posteriormente, foi realizada a identificação morfológica dos fungos com o auxílio de um microscópios estereoscópico (lupa) e microscópio de luz. Estimou-se também a média de incidência de fungos nas amostras avaliadas. II. Comparação da incidência de fungos em lotes de sementes de algodoeiro Foi realizada a detecção de Colletotrichum gossypii var. cephalosporioides, Fusarium pallidoroseum e Penicillium spp. em 17 lotes de sementes de algodoeiro empregadas na região de Chapadão do Sul. A metodologia empregada foi a mesma daquela descrita no item I, porém, empregando-se temperatura de 22ºC durante o período de incubação das sementes. Foram empregadas quatro repetições (50 sementes/repetição), em um delineamento experimental inteiramente casualisado e as médias de incidência dos fungos nas sementes obtidas de diferentes lotes foram comparadas por meio do teste de Tukey, a 5% de probabilidade.

3 Página 1110 RESULTADOS E DISCUSSÃO Os resultados referentes à identificação de fungos em sementes de algodoeiro empregadas na região de Chapadão do Sul encontram-se nas Tabelas 1 e 2. No primeiro experimento, foram identificados 18 gêneros de fungos, encontrados, de uma forma geral, na maioria das sementes que não foram submetidas à desinfestação (Tabelas 1). Aventa-se a hipótese, com esta informação, que estes microrganismos encontravam-se localizados no tegumento. Entretanto, Chaetomium foi detectado com maior incidência, na grande parte dos lotes avaliados, em sementes de amostras desinfestadas. Houve elevada incidência de fungos associados ao armazenamento de sementes, como Aspergillus, Cephalosporium, Cladosporium, Dictyosporium, Mucor, Penicillium, Pithomyces, Rhizopus, entre outros (Tabelas 1). Notou-se que, entre os lotes avaliados no experimento II, houve maior incidência de Penicillium em FMT 7001 Sequeiro e Variedade 993 Sequeiro (Tabela 2), indicando a necessidade de melhorias nos sistemas de armazenamento das sementes de algodoeiro. Concernente aos fungos fitopatogênicos que foram identificados e merecem destaque, notou-se a ocorrência de Fusarium spp. (77,8 % dos lotes) e Colletotrichum spp. (0,5% de incidência média, em 11,1 % dos lotes) nas sementes avaliadas (Tabelas 1). Houve a prevalência de Fusarium pallidoroseum, que ocorreu em 47% dos lotes avaliados no Experimento II, especialmente nos identificados como Variedade 993 Renato Burgell e Nuopal Lote CD (Tabela 2). Apesar de Colletotrichum gossypii var. cephalosporioides, agente causal da ramulose do algodoeiro, ter sido encontrado em apenas dois dos lotes avaliados no Experimento II (Tabela 2), ressalta-se a necessidade da manutenção de um controle rigoroso deste patógeno em campos de produção das sementes empregadas na região de Chapadão do Sul. Alguns fungos relacionados à podridão de maçãs também foram identificados nas sementes avaliadas, tais como Aspergillus, Cladosporium, Colletotrichum, Fusarium, Penicillium, Rhizoctonia e Rhizopus (CIA; SALGADO, 2005).

4 Página 1111 Tabela 1 Fungos identificados em lotes de sementes de algodoeiro empregadas na região de Chapadão do Sul Variedade Var 701 Var 993 FM 993 Nuopal Var FMT Delta Opal BRS 293 Fungos 993 Bayer Serrinha Schlatter BAYER Lote Burgell Sequeiro D 1 ND 2 D ND D ND D ND D ND D ND D ND D ND D ND Aspergillus 1,5 3 36,5 2,5 31,5 42,5 74,5 0,0 39,5 22,5 89,5 9 84,5 0, ,5 4 80,5 Bipolaris 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,5 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Botrytis 0,0 0, ,5 0,5 0,0 2 0,0 2,5 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,5 Cephalosporium 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,5 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Chaetomium 91 84,5 0,0 0, , , , ,5 54,5 60,5 25,5 Cladosporium 0,0 0,0 2,5 39,5 0,0 2,5 0,0 0,0 0,0 4, ,5 9 0,0 12 0,0 10,5 Colletotrichum 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,5 0,0 0,0 0,0 0,0 Curvularia 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,5 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 1 0,0 0,5 0,0 0,0 0,0 0,0 Dictyosporium 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 29 0,0 0,0 0,0 6,5 1 0,0 0,0 3 0,0 0,5 0,0 3,5 Fusarium 5 23,5 73,5 17, ,5 7,5 13,5 0,0 0,0 0, Mucor 0,0 2,5 0,0 0,0 15,5 62 0,0 1, ,5 77,5 0,0 9 4,5 37,5 0,5 23,5 Penicillium 0,0 0,5 1 22,5 3,5 22 0,5 10, ,5 1,5 0,0 4 1,5 61 0,0 11 Pithomyces 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,5 0,0 0,0 0,0 0,0 Rhizoctonia 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,5 1 0,0 2,5 0,0 0,5 0,0 0,5 Rhizopus 0,0 0,0 0,0 2,5 0,0 1,5 0,0 0, ,0 90,5 0,0 0,0 0,0 47 0,0 62,5 Stemphilium 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,5 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Trichoderma 0,0 2 0,0 8,5 0,0 0,0 0,0 4, ,0 0,0 0,0 0,0 0,5 0,0 0,0 1 Sementes desinfestadas; 2 Sementes não desinfestadas; 3 Incidência média (%) em 200 sementes. Expansão dos Mercados: Anais... Campina grande: Embrapa Algodão, p

5 Página 1112 Tabela 2 - Fungos identificados em lotes de sementes de algodoeiro empregadas na região de Chapadão do Sul. Nuopal Nuopal Lote Sure grow DP 90 B Sicala 40 FM 993 Delta Penta DP 604 BG BRS Cedro Fungos Lote CD D 1 ND 2 D ND D ND D ND D ND D ND D ND D ND D ND Aspergillus , , Bipolaris 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0, ,0 0,0 0,0 0,0 Botrytis , , ,0 0, ,0 0,0 2 0,0 0,0 Cephalosporium 0, ,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Chaetomium Cladosporium , ,0 0,0 0,0 2 0, , ,0 22 0,0 0.5 Colletotrichum 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0, ,0 0,0 0,0 0,0 Curvularia 0, ,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 1 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Cylindrocorpun 0, ,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Dictyosporium 0,0 3 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0, ,0 0,0 0,0 1 0,0 0,0 0,0 0,0 Fusarium ,0 0,0 0,0 0,0 0, ,0 0,0 Mucor ,0 0,0 0,0 0, , Penicillium 0, , ,0 1 0, ,0 1 0, ,0 0,0 Pithomyces 0, ,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 Rhizoctonia ,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0, ,0 5 0,0 0,0 0,0 1.5 Rhizopus 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 2 0,0 0, , Stemphilium 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 1 0,0 0,0 0,0 0,0 Trichoderma 0,0 2 0, , ,0 0,0 0,0 1 0,0 0,0 0, ,0 0,0 1 Sementes desinfestadas; 2 Sementes não desinfestadas; 3 Incidência média (%) em 200 sementes. Expansão dos Mercados: Anais... Campina grande: Embrapa Algodão, p

6 Página 1113 Tabela 3 Incidência de Colletotrichum gossypii var. cephalosporioides, Fusarium pallidoroseum e Penicillium spp. em lotes de sementes de algodoeiro empregadas na região de Chapadão do Sul. Fungos Genótipos Colletotrichum gossypii Fusarium var. cephalosporioides pallidoroseum Penicillium spp. BRS 293 Lote GYV 012/08 Peneira 08 0,71 1 a 2 2,34 1 c 2 17,50 3 cde 2 BRS Cedro Lote C-806 CD 0,71 a 0,71 a 23,75 fg Delta Penta Lote ,71 a 0,71 a 12,50 bc Delta Penta Lote ,71 a 0,71 a 15,50 bcde DP 604BG Lote ,71 a 2,24 c 4,75 a DP-90B Lote ,71 a 1,40 b 5,00 a FM 993 Safra 2008 Grupo Schlatter 0,71 a 1,31 b 22,75 f FMT 7001 Sequeiro 0,71 a 1,31 b 28,75 g Nuopal Lote CD 1,31 c 3,24 d 20,00 ef Nuopal Lote ,71 a 0,71 a 4,75 a Nuopal Lote ,71 a 0,71 a 12,00 b Sicala 40 Lote CD 0,71 a 0,71 a 12,00 b Sure-Grow Lote ,71 a 0,71 a 23,75 fg V.701 F. Serrinha G. Schlatter Sequeiro 1,09 b 1,22 b 18,75 def Variedade 993 Fazenda Reunidas Schlatter 0,71 a 0,71 a 11,00 b Variedade 993 Renato Burgell 0,71 a 3,16 d 14,75 bcd Variedade 993 Sequeiro 0,71 a 0,71 a 41,00 h C.V.(%) 9,76 7,61 11,40 1 Médias transformadas em (x+0,5). 2 Médias seguidas da mesma letra não diferem ente si na vertical, a 5% de probabilidade, pelo teste de Tukey. 3 Incidência média (%). CONCLUSÃO Foram detectados 18 gêneros de fungos nas sementes de algodoeiro; Foi constatada a maior incidência de fungos em sementes não desinfestadas; Foram encontrados fungos fitopatogênicos, tais como Colletotrichum gossypii var. cephalosporioides e Fusarium spp. nas sementes avaliadas. CONTRIBUIÇÃO PRÁTICA E CIENTÍFICA DO TRABALHO O trabalho buscou identificar os fungos associados às sementes de algodoeiro empregadas na região de Chapadão do Sul, indicando a necessidade de melhorias nos sistemas de armazenamento e no controle da ramulose em campos de produção de sementes. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ARAÚJO, A.E.; SUASSUNA, N.D. Guia de identificação e controle das principais doenças do algodoeiro no Estado de Goiás. Embrapa : Campina Grande, p.

7 Página 1114 CASSETARI NETO, D. Controle de fungos na parte aérea do algodão. Fitopatologia Brasileira, Brasília, v.28, p , (Suplemento) CIA, E.; SALGADO, C.L. Doenças do algodoeiro (Gossypium hirsutum L.). In: KIMATI, H.; AMORIM, L.; REZENDE, J.A.M.,et al. Manual de Fitopatologia, v.2, 4.ed., São Paulo:Agronômica Ceres, p JULIATTI, F.C.; RUANO, O. Algodão (Gossypium hirsutum L.): doenças causadas por fungos e bactérias. In: VALE, F.X.R.; ZAMBOLIM, L. (Ed.) Controle de doenças de plantas: grandes culturas. v.2, Viçosa:UFV, p MACHADO, A.Q.; MACHADO, J.C.; VIEIRA, M.D.G.G.C.; CASSETARI NETO, D.; SOUZA, M.V. Potencial do uso da restrição hídrica em testes de sanidade de sementes de algodoeiro. Fitopatologia Brasileira, Brasília, v.32, n.5, p , MACHADO, J.C. Tratamento de sementes no controle de doenças. Lavras : LAPS/UFLA/FAEPE, p. MELO FILHO, G.A.; RICHETTI, A. Cadeia produtiva do algodão de Mato Grosso do Sul: eficiência econômica e competitividade. Dourados : Embrapa Agropecuária Oeste, (Série Documentos n o. 54). 72p. NEERGAARD, P. Seed pathology. London : The MacMillan Press, p.

CONTROLE DE TOMBAMENTO DE PLÂNTULAS E MELA DO ALGODOEIRO NO OESTE DA BAHIA

CONTROLE DE TOMBAMENTO DE PLÂNTULAS E MELA DO ALGODOEIRO NO OESTE DA BAHIA Página 354 CONTROLE DE TOMBAMENTO DE PLÂNTULAS E MELA DO ALGODOEIRO NO OESTE DA BAHIA Luiz Gonzaga Chitarra 1 ; Cleiton Antônio da Silva Barbosa 2; Benedito de Oliveira Santana Filho 2 ; Pedro Brugnera

Leia mais

Palavras-chave: algodão, ramulose, mancha de ramularia, fungicidas. INTRODUÇÃO

Palavras-chave: algodão, ramulose, mancha de ramularia, fungicidas. INTRODUÇÃO Área temática: Fitopatologia APLICAÇÃO SEQÜENCIAL DE FUNGICIDAS NO CONTROLE DE RAMULOSE (Colletotrichum gossypii var. cephalosporioides) E MANCHA DE RAMULARIA (Ramularia areola) EM ALGODOEIRO NO MATO GROSSO

Leia mais

CULTIVARES DE ALGODOEIRO AVALIADAS EM DIFERENTES LOCAIS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 2007/08 1. INTRODUÇÃO

CULTIVARES DE ALGODOEIRO AVALIADAS EM DIFERENTES LOCAIS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 2007/08 1. INTRODUÇÃO Página 1481 CULTIVARES DE ALGODOEIRO AVALIADAS EM DIFERENTES LOCAIS NO CERRADO DA BAHIA, SAFRA 2007/08 1. Murilo Barros Pedrosa (Fundação Bahia / algodao@fundacaoba.com.br), Camilo de Lelis Morello (Embrapa

Leia mais

QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES COMERCIAIS DE HELIANTHUS ANNUUS L. Apresentação: Pôster

QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES COMERCIAIS DE HELIANTHUS ANNUUS L. Apresentação: Pôster QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES COMERCIAIS DE HELIANTHUS ANNUUS L. Apresentação: Pôster Roberta Maria Ferreira Paes 1 ; Douglas Oliveira Santos 2 ; Paulo Sergio da Silva 3 ; Denise de Santana Silva 4 ;

Leia mais

143 - QUALIDADE DE SEMENTES DE CEBOLA CULTIVAR BAIA PRODUZIDAS SOB SISTEMA AGROECOLÓGICO E AVALIAÇÃO DAS MUDAS RESULTANTES

143 - QUALIDADE DE SEMENTES DE CEBOLA CULTIVAR BAIA PRODUZIDAS SOB SISTEMA AGROECOLÓGICO E AVALIAÇÃO DAS MUDAS RESULTANTES Manejo de Agroecosistemas Sustentaveis Monferrer 143 - QUALIDADE DE SEMENTES DE CEBOLA CULTIVAR BAIA PRODUZIDAS SOB SISTEMA AGROECOLÓGICO E AVALIAÇÃO DAS MUDAS RESULTANTES RESUMO Dércio Dutra 1 ; Derblai

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE AGRONOMIA E ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRICULTURA TROPICAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE AGRONOMIA E ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRICULTURA TROPICAL PLANO DE ENSINO 1) IDENTIFICAÇÃO Disciplina: Patologia de Sementes Carga Horária: 40 h Professores: Leimi Kobayasti Departamento de Origem: DFF 2) EMENTA Código da Disciplina: Período Letivo: Curso: Mestrado

Leia mais

Zoneamento climático do estado de Minas Gerais para as principais doenças que acometem as oleaginosas: algodão, girassol, soja e mamona

Zoneamento climático do estado de Minas Gerais para as principais doenças que acometem as oleaginosas: algodão, girassol, soja e mamona Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 8., 2011, Belo Horizonte Zoneamento climático do estado de Minas Gerais para as principais doenças que acometem as oleaginosas: algodão, girassol, soja

Leia mais

VII Congresso Brasileiro do Algodão, Foz do Iguaçu, PR 2009 Página 1044

VII Congresso Brasileiro do Algodão, Foz do Iguaçu, PR 2009 Página 1044 Página 1044 AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DO FUNGICIDA TIOFANATO METÍLICO-CIPROCONAZOLE NO CONTROLE DA MANCHA DE RAMULÁRIA (RAMULARIA AREOLA) EM ALGODOEIRO Luiz Gonzaga Chitarra (Embrapa Algodão / chitarra@cnpa.embrapa.br),

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Eficiência do Controle Químico na Redução da Incidência de Grãos Ardidos em Milho Fabrício Eustáquio Lanza 1, Carla

Leia mais

QUALIDADE FISIOLÓGICA E SANITÁRIA DE SEMENTES DE ALGODOEIRO PRODUZIDAS NAS REGIÕES DO TRIÂNGULO MINEIRO E SUL DE GOIÁS

QUALIDADE FISIOLÓGICA E SANITÁRIA DE SEMENTES DE ALGODOEIRO PRODUZIDAS NAS REGIÕES DO TRIÂNGULO MINEIRO E SUL DE GOIÁS Original Article 24 QUALIDADE FISIOLÓGICA E SANITÁRIA DE SEMENTES DE ALGODOEIRO PRODUZIDAS NAS REGIÕES DO TRIÂNGULO MINEIRO E SUL DE GOIÁS PHYSIOLOGICAL AND SANITY QUALITY OF SEEDS OF COTTON PRODUCED IN

Leia mais

AUMENTO DOS PROBLEMAS COM DOENÇAS NO CERRADO DO BRASIL

AUMENTO DOS PROBLEMAS COM DOENÇAS NO CERRADO DO BRASIL R. reniformis AUMENTO DOS PROBLEMAS COM DOENÇAS NO CERRADO DO BRASIL Rafael Galbieri Pesquisador do IMA (rafaelgalbieri@imamt.com.br) RESUMO Quais são as doenças; Análise nos últimos 10 anos; Possíveis

Leia mais

LEVANTAMENTO DA INCIDÊNCIA DE FUNGOS POTENCIALMENTE PATOGÊNICOS EM SEMENTES DE PINHÃO MANSO

LEVANTAMENTO DA INCIDÊNCIA DE FUNGOS POTENCIALMENTE PATOGÊNICOS EM SEMENTES DE PINHÃO MANSO Área Temática Plantas daninhas, pragas e doenças LEVANTAMENTO DA INCIDÊNCIA DE FUNGOS POTENCIALMENTE PATOGÊNICOS EM SEMENTES DE PINHÃO MANSO Leimi Kobayasti 1, Andressa Iraides Adoriam 2, Vespasiano Borges

Leia mais

COMPORTAMENTO DE CULTIVARES E LINHAGENS DE ALGODOEIRO HERBÁCEO NO CERRADO DO SUDOESTE PIAUIENSE

COMPORTAMENTO DE CULTIVARES E LINHAGENS DE ALGODOEIRO HERBÁCEO NO CERRADO DO SUDOESTE PIAUIENSE COMPORTAMENTO DE CULTIVARES E LINHAGENS DE ALGODOEIRO HERBÁCEO NO CERRADO DO SUDOESTE PIAUIENSE José Lopes Ribeiro (Embrapa MeioNorte / jlopes@cpamn.embrapa.br), Valdenir Queiroz Ribeiro (Embrapa MeioNorte),

Leia mais

FUNGOS ASSOCIADOS AS SEMENTES DE Paspalum notatum FLÜGGE. 1

FUNGOS ASSOCIADOS AS SEMENTES DE Paspalum notatum FLÜGGE. 1 FUNGOS ASSOCIADOS AS SEMENTES DE Paspalum notatum FLÜGGE. 1 AGUIAR, A. R. de 2 ; SILVA, C. M. S. 3 ; AGUIAR, D. 3 ; OLIVEIRA, F. R. de 2 ; GONÇALVES, C. E. P. 2 ; KÖPP, M. M. 4 ; OLIVEIRA, J. C. P. 4 ;

Leia mais

ESCALAS DE NOTAS PARA AVALIAÇÃO DE DOENÇAS FOLIARES DO ALGODOEIRO *

ESCALAS DE NOTAS PARA AVALIAÇÃO DE DOENÇAS FOLIARES DO ALGODOEIRO * ESCALAS DE NOTAS PARA AVALIAÇÃO DE DOENÇAS FOLIARES DO ALGODOEIRO * Alderi Emídio de Araújo 1, Nelson Dias Suassuna 2, Francisco José Correia Farias 3, Eleusio Curvelo Freire 4. (1) Embrapa Algodão, Rua

Leia mais

Controle das doenças do algodoeiro. por meio de. produtos químicos

Controle das doenças do algodoeiro. por meio de. produtos químicos Controle das doenças do algodoeiro por meio de produtos químicos Marcos Massamitsu Iamamoto MCI Assessoria em Fitopatologia E-mail:iamamoto@asbyte.com.br Tel: (016)9784-5140 Manejo de Doenças HOJE Você

Leia mais

MICROBIOLIZAÇÃO DE SEMENTES DE MILHO 1

MICROBIOLIZAÇÃO DE SEMENTES DE MILHO 1 MICROBIOLIZAÇÃO DE SEMENTES DE MILHO 1 JUNGES, Emanuele ²; BASTOS, Bruna ³; PEDROSO, Janaine Voll 4 ; SANTOS, Ricardo Feliciano ³; PEDROSO, Daniele Cardoso 2 ; MULLER, Juceli 2 ; MACHADO, Rodrigo Tascheto

Leia mais

VII Congresso Brasileiro do Algodão, Foz do Iguaçu, PR 2009 Página 1122

VII Congresso Brasileiro do Algodão, Foz do Iguaçu, PR 2009 Página 1122 Página 1122 PROGRAMAS DE APLICAÇÃO DE FUNGICIDAS NO CONTROLE DE RAMULOSE (COLLETOTRICHUM GOSSYPII VAR. CEPHALOSPORIOIDES) E MANCHA DE RAMULARIA (RAMULARIA AREOLA) EM ALGODOEIRO NO MATO GROSSO Daniel Cassetari

Leia mais

OCORRÊNCIA DE MANCHAS FOLIARES CAUSADAS POR FUNGOS E BACTÉRIA EM CULTIVARES DE ALGODOEIRO 1

OCORRÊNCIA DE MANCHAS FOLIARES CAUSADAS POR FUNGOS E BACTÉRIA EM CULTIVARES DE ALGODOEIRO 1 OCORRÊNCIA DE MANCHAS FOLIARES CAUSADAS POR FUNGOS E BACTÉRIA EM CULTIVARES DE ALGODOEIRO 1 Ricardo Barros 2, Paulo Eduardo Degrande 2, Miguel Ferreira Soria 2, Justino Sidrônio Franco Ribeiro 2 ABSTRACT

Leia mais

SANIDADE DE SEMENTES DE SOJA SUBMETIDA A DIFERENTES TRATAMENTOS

SANIDADE DE SEMENTES DE SOJA SUBMETIDA A DIFERENTES TRATAMENTOS SANIDADE DE SEMENTES DE SOJA SUBMETIDA A DIFERENTES TRATAMENTOS Gean Marcos Merten (1); Eliandro Rossoni (2) ; Thiago Frank (3) ; Wanderlei Lulu Gaias (4) e Márcia de Holanda Nozaki (5) ; Eduardo Rodrigo

Leia mais

Qualidade física e sanitária de grãos de milho produzidos em Mato Grosso

Qualidade física e sanitária de grãos de milho produzidos em Mato Grosso Qualidade física e sanitária de grãos de milho produzidos em Mato Grosso Larissa Fatarelli Bento 1, Maria Aparecida Braga Caneppele 2, Carlos Caneppele 2, Larissa Duarte Gonçalves da Silva 3, Valéria Oda

Leia mais

UNIDADE II Patogênese e especificidade do hospedeiro X bactérias fitopatogênicas

UNIDADE II Patogênese e especificidade do hospedeiro X bactérias fitopatogênicas PLANO DE ENSINO 1) IDENTIFICAÇÃO Disciplina: Tópicos Especiais em Fitopatologia Curso: Mestrado em Agricultura Tropical Carga Horária: 60 h Período Letivo: Professor: Dra. Leimi Kobayasti Créditos: 04

Leia mais

EFEITO DE FUNGICIDAS APLICADOS NAS SEMENTES, NA EMERGÊNCIA DE PLÂNTULAS DE ERVA-MATE (Ilex paraguariensis St. Hil.) RESUMO

EFEITO DE FUNGICIDAS APLICADOS NAS SEMENTES, NA EMERGÊNCIA DE PLÂNTULAS DE ERVA-MATE (Ilex paraguariensis St. Hil.) RESUMO EFEITO DE FUNGICIDAS APLICADOS NAS SEMENTES, NA EMERGÊNCIA DE PLÂNTULAS DE ERVA-MATE (Ilex paraguariensis St. Hil.) Albino Grigoletti Júnior * Ayrton Zanon ** Celso Garcia Auer *** João Antonio Pereira

Leia mais

Revista Caatinga ISSN: X Universidade Federal Rural do Semi-Árido Brasil

Revista Caatinga ISSN: X Universidade Federal Rural do Semi-Árido Brasil Revista Caatinga ISSN: 1-316X caatinga@ufersa.edu.br Universidade Federal Rural do Semi-Árido Brasil Pereira Gomes, Delineide; Villas Boas de Campos Leite, Regina Maria; Furtado Hilal Moraes, Myrna; Zanin

Leia mais

Original Article. PALAVRAS-CHAVE: Gossypium hirsutum L. var. latifolium Hutch. Cultivares. Fungicidas. Produtividade. INTRODUÇÃO

Original Article. PALAVRAS-CHAVE: Gossypium hirsutum L. var. latifolium Hutch. Cultivares. Fungicidas. Produtividade. INTRODUÇÃO Original Article 518 FUNGOS ASSOCIADOS À PODRIDÃO DE MAÇÃS DO ALGODOEIRO NA REGIÃO DE PRIMAVERA DO LESTE, MT, BRASIL: OCORRÊNCIA, CONTROLE QUÍMICO E INFLUÊNCIA NA QUALIDADE DA FIBRA FUNGI ASSOCIATED WITH

Leia mais

QUALIDADE DE SEMENTES DE CULTIVARES DE ALGODOEIRO DE FIBRA BRANCA E COLORIDA

QUALIDADE DE SEMENTES DE CULTIVARES DE ALGODOEIRO DE FIBRA BRANCA E COLORIDA Congresso Técnico Científico da Engenharia e da Agronomia CONTECC 2016 Rafain Palace Hotel & Convention Center- Foz do Iguaçu - PR 29 de agosto a 1 de setembro de 2016 QUALIDADE DE SEMENTES DE CULTIVARES

Leia mais

Tratamento Profilático de Panículas de Sorgo com Fungicidas em Campo de Produção de Sementes 1 PINTO, N. F. J. A. 2

Tratamento Profilático de Panículas de Sorgo com Fungicidas em Campo de Produção de Sementes 1 PINTO, N. F. J. A. 2 Tratamento Profilático de Panículas de Sorgo com Fungicidas em Campo de Produção de Sementes 1 PINTO, N. F. J. A. 2 1 Cooperação técnica-financeira Embrapa Milho e Sorgo e Dow Agrosciences 2 Eng. Agrº.,

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE SOJA PRODUZIDAS NO MUNICÍPIO DE FREDERICO WESTPHALEN-RS

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE SOJA PRODUZIDAS NO MUNICÍPIO DE FREDERICO WESTPHALEN-RS AVALIAÇÃO DA QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE SOJA PRODUZIDAS NO MUNICÍPIO DE FREDERICO WESTPHALEN-RS Juliano dos Santos 1, Fabiana Raquel Mühl 2, Neuri Antonio Feldmann 3, Anderson Rhoden 3 Palavras-chave:

Leia mais

INFLUÊNCIA DO NÚMERO DE APLICAÇÕES DE FUNGICIDAS NO CONTROLE DE RAMULÁRIA EM DUAS CULTIVARES DE ALGODOEIRO, EM CAMPO VERDE MT

INFLUÊNCIA DO NÚMERO DE APLICAÇÕES DE FUNGICIDAS NO CONTROLE DE RAMULÁRIA EM DUAS CULTIVARES DE ALGODOEIRO, EM CAMPO VERDE MT INFLUÊNCIA DO NÚMERO DE APLICAÇÕES DE FUNGICIDAS NO CONTROLE DE RAMULÁRIA EM DUAS CULTIVARES DE ALGODOEIRO, EM CAMPO VERDE MT Edson R. de Andrade Junior (Pequisador IMAmt edsonjunior@imamt.com.br) Resumo.

Leia mais

INCIDÊNCIA DE FUNGOS ASSOCIADOS A SEMENTES DE SOJA TRANSGÊNICA VARIEDADE BRS VALIOSA RR

INCIDÊNCIA DE FUNGOS ASSOCIADOS A SEMENTES DE SOJA TRANSGÊNICA VARIEDADE BRS VALIOSA RR 52 INCIDÊNCIA DE FUNGOS ASSOCIADOS A SEMENTES DE SOJA TRANSGÊNICA VARIEDADE BRS VALIOSA RR Thatyane Pereira de Sousa¹; Ivaneide Oliveira Nascimento²; Claudio Belmino Maia²; Joacir Morais 1 ; Gustavo de

Leia mais

PRODUTIVIDADE E COMPONENTES DE PRODUÇÃO DE ALGODOEIRO EM FUNÇÃO DO CULTIVAR EM CHAPADÃO DO SUL - MS 1. Priscila Maria Silva Francisco

PRODUTIVIDADE E COMPONENTES DE PRODUÇÃO DE ALGODOEIRO EM FUNÇÃO DO CULTIVAR EM CHAPADÃO DO SUL - MS 1. Priscila Maria Silva Francisco Página 1075 PRODUTIVIDADE E COMPONENTES DE PRODUÇÃO DE ALGODOEIRO EM FUNÇÃO DO CULTIVAR EM CHAPADÃO DO SUL - MS 1 Jefferson Luis Anselmo 1 ; Denis Santiago da Costa; Thiago Zago Leonel; Fábio da Silva

Leia mais

FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE ESPÉCIES ARBÓREAS DA MATA ATLÂNTICA

FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE ESPÉCIES ARBÓREAS DA MATA ATLÂNTICA FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE ESPÉCIES ARBÓREAS DA MATA ATLÂNTICA Álvaro Figueredo dos Santos 1 Antonio Carlos de Souza Medeiros 1 Dalva Luiz de Queiroz Santana 2 RESUMO Amostras de sementes de quatro

Leia mais

QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DA ESPÉCIE DA FAMÍLIA BIGNONIACEAE EM DIFERENTES CONDIÇÕES DE TEMPERATURA 1

QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DA ESPÉCIE DA FAMÍLIA BIGNONIACEAE EM DIFERENTES CONDIÇÕES DE TEMPERATURA 1 QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DA ESPÉCIE DA FAMÍLIA BIGNONIACEAE EM DIFERENTES CONDIÇÕES DE TEMPERATURA 1 BOVOLINI, Marciéli Pitorini 2 ; MACIEL, Caciara Gonzatto 3 ; NOAL, Gisele 4 ; LAZAROTTO, Marília

Leia mais

AVALIAÇÃO SANITÁRIA DE CULTIVARES DE MILHO CRIOULO ARMAZENADAS EM AMBIENTE NÃO CONTROLADO 1

AVALIAÇÃO SANITÁRIA DE CULTIVARES DE MILHO CRIOULO ARMAZENADAS EM AMBIENTE NÃO CONTROLADO 1 AVALIAÇÃO SANITÁRIA DE CULTIVARES DE MILHO CRIOULO ARMAZENADAS EM AMBIENTE NÃO CONTROLADO 1 NOAL, Gisele 2 ; MUNIZ, Marlove 3 ; BOVOLINI, Marciéli 4 ; MACIEL, Caciara 5 ; DEPRÁ, Marta 6 ; MIGLIORINI, Patrícia

Leia mais

FUNGOS ASSOCIADOS ÀS FLORES E SEMENTES DA NOGUEIRA-PECÃ (Carya illinoinensis)

FUNGOS ASSOCIADOS ÀS FLORES E SEMENTES DA NOGUEIRA-PECÃ (Carya illinoinensis) REVISTA DE CIÊNCIAS AMBIENTAIS - RCA (ISSN 1981-8858) http://www.revistas.unilasalle.edu.br/index.php/rbca FUNGOS ASSOCIADOS ÀS FLORES E SEMENTES DA NOGUEIRA-PECÃ (Carya illinoinensis) Tales Poletto 1

Leia mais

USO DE ADUBAÇÃO FOLIAR ASSOCIADA A FUNGICIDAS NO CONTROLE DE DOENÇAS FÚNGICAS EM MILHO 2ª SAFRA NO MATO GROSSO

USO DE ADUBAÇÃO FOLIAR ASSOCIADA A FUNGICIDAS NO CONTROLE DE DOENÇAS FÚNGICAS EM MILHO 2ª SAFRA NO MATO GROSSO USO DE ADUBAÇÃO FOLIAR ASSOCIADA A FUNGICIDAS NO CONTROLE DE DOENÇAS FÚNGICAS EM MILHO 2ª SAFRA NO MATO GROSSO Daniel Cassetari Neto 1, Andréia Quixabeira Machado 2, Eduardo Dias Vidotti 3, Vinicius Eduardo

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES E LINHAGENS DE ALGODOEIRO NO CERRADO MATOGROSSENSE *

AVALIAÇÃO DE CULTIVARES E LINHAGENS DE ALGODOEIRO NO CERRADO MATOGROSSENSE * AVALIAÇÃO DE CULTIVARES E LINHAGENS DE ALGODOEIRO NO CERRADO MATOGROSSENSE * Fábio Akiyoshi Suinaga 1, Eleusio Curvelo Freire 2, Francisco José Correa Farias 3, Luiz Gonzaga Chitarra 4, Mário Cezar Coelho

Leia mais

Controle Cultural de Doenças do Algodoeiro. Alderi Emídio de Araújo Eng o Agr o, Fitopatologista, M. Sc. Pesquisador Embrapa Algodão

Controle Cultural de Doenças do Algodoeiro. Alderi Emídio de Araújo Eng o Agr o, Fitopatologista, M. Sc. Pesquisador Embrapa Algodão Controle Cultural de Doenças do Algodoeiro Alderi Emídio de Araújo Eng o Agr o, Fitopatologista, M. Sc. Pesquisador Embrapa Algodão Controle cultural o que é? Práticas agrícolas que visam erradicar ou

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE FLORESTAIS NA PRODUÇÃO DE MUDAS

IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE FLORESTAIS NA PRODUÇÃO DE MUDAS Importância da qualidade DIVULGAÇÃO sanitária de sementes TÉCNICA de florestais na produção de mudas. 27 IMPORTÂNCIA DA QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE FLORESTAIS NA PRODUÇÃO DE MUDAS Instituto Biológico,

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO IHARA

BOLETIM TÉCNICO IHARA BOLETIM TÉCNICO IHARA FUNGICIDA TODA SEMENTE PRECISA SER MUITO BEM PROTEGIDA INOVAÇÃO E QUALIDADE JAPONESAS A SERVIÇO DA AGRICULTURA BRASILEIRA Há mais de 50 anos, trabalhamos com os agricultores brasileiros

Leia mais

Análise Sanitária de Sementes de Urucum (Bixa orellana L.)

Análise Sanitária de Sementes de Urucum (Bixa orellana L.) Anais do VIII Seminário de Iniciação Científica e V Jornada de Pesquisa e Pós-Graduação UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS 10 a 12 de novembro de 2010 Análise Sanitária de Sementes de Urucum (Bixa orellana

Leia mais

AVALIAÇÃO DE UM EQUIPAMENTO MANUAL PARA A SEMEADURA DA MAMONEIRA.

AVALIAÇÃO DE UM EQUIPAMENTO MANUAL PARA A SEMEADURA DA MAMONEIRA. AVALIAÇÃO DE UM EQUIPAMENTO MANUAL PARA A SEMEADURA DA MAMONEIRA Odilon Reny Ribeiro Ferreira da Silva 1, Valdinei Sofiatti 1,Waltemilton Vieira Cartaxo 1, Franklin Magnum de Oliveira Silva 2, Gedeão Rodrigues

Leia mais

BASES BIOLÓGICAS DO TRATAMENTO INDUSTRIAL DE SEMENTES

BASES BIOLÓGICAS DO TRATAMENTO INDUSTRIAL DE SEMENTES BASES BIOLÓGICAS DO TRATAMENTO INDUSTRIAL DE SEMENTES José da Cruz Machado Prof. Titular de Patologia de Sementes Universidade Federal delavras- MG machado@dfp.ufla.br Conceitos e premissas do TS : Por

Leia mais

Patologia, Tamanho de Grão, Poder Germinativo e Teor de Micotoxina em Genótipos de Cevada Produzidos em Ambiente Favorável a Doenças de Espigas

Patologia, Tamanho de Grão, Poder Germinativo e Teor de Micotoxina em Genótipos de Cevada Produzidos em Ambiente Favorável a Doenças de Espigas Patologia, Tamanho de Grão, Poder Germinativo e Teor de Micotoxina em s de Cevada Produzidos em Ambiente Favorável a Doenças de Espigas Maria Imaculada Pontes Moreira Lima 1 ; Euclydes Minella 1 ; Martha

Leia mais

MÉTODOS DE DETECÇÃO DE PATÓGENOS EM SEMENTES. Maria Heloisa D. Moraes; J.O.M. Menten

MÉTODOS DE DETECÇÃO DE PATÓGENOS EM SEMENTES. Maria Heloisa D. Moraes; J.O.M. Menten MÉTODOS DE DETECÇÃO DE PATÓGENOS EM SEMENTES Maria Heloisa D. Moraes; J.O.M. Menten LABORATÓRIO DE PATOLOGIA DE SEMENTES DEPARTAMENTO DE FITOPATOLOGIA E NEMATOLOGIA ESALQ/USP LFT 5770-5 / 2015 MICRORGANISMOS

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15 1 05 INCIDÊNCIA DE GRÃOS ARDIDOS EM HÍBRIDOS DE MILHO EM DOIS NÍVEIS DE TECNOLOGIA Objetivo Este trabalho teve como objetivo avaliar a incidência de grãos ardidos em híbridos de milho em dois níveis de

Leia mais

SANIDADE DE SEMENTES E MANEJO DE DOENÇAS EM FORRAGEIRAS TROPICAIS

SANIDADE DE SEMENTES E MANEJO DE DOENÇAS EM FORRAGEIRAS TROPICAIS SANIDADE DE SEMENTES E MANEJO DE DOENÇAS EM FORRAGEIRAS TROPICAIS José da Cruz Machado UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS--MG machado@dfp.ufla.br Maria Luiza Nunes Costa UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO

Leia mais

DETERMINAÇÃO DA QUALIDADE SANITÁRIA DAS SEMENTES DE SOJA COLHIDAS NA SAFRA 2014/15. Ademir Assis Henning Embrapa Soja

DETERMINAÇÃO DA QUALIDADE SANITÁRIA DAS SEMENTES DE SOJA COLHIDAS NA SAFRA 2014/15. Ademir Assis Henning Embrapa Soja DETERMINAÇÃO DA QUALIDADE SANITÁRIA DAS SEMENTES DE SOJA COLHIDAS NA SAFRA 2014/15 Ademir Assis Henning Embrapa Soja OBJETIVO Determinar a qualidade sanitária da semente de soja produzida no Brasil, quanto

Leia mais

Avaliação Fitossanitária de Sementes de Pinhão-Manso Provenientes dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Avaliação Fitossanitária de Sementes de Pinhão-Manso Provenientes dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Avaliação Fitossanitária de Sementes de Pinhão-Manso Provenientes dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Wânia dos Santos eves 1, Douglas Ferreira Parreira 2, Paulo Afonso Ferreira 2, Everaldo Antônio Lopes

Leia mais

INCIDÊNCIA DE FUNGOS EM SEMENTES DE PINHÃO-MANSO 1

INCIDÊNCIA DE FUNGOS EM SEMENTES DE PINHÃO-MANSO 1 INCIDÊNCIA DE FUNGOS EM SEMENTES DE PINHÃO-MANSO 1 Leimi Kobayasti 2, Andressa Iraides Adoriam 2, Vespasiano Borges de Paiva Neto 3, Charline Zaratin Alves 3, Mônica Cristina Rezende Zuffo 3 ABSTRACT FUNGI

Leia mais

ATIVIDADE ANTIFÚNGICA DO ÓLEO DE Carapa guianensis EM SEMENTES DE Bauhinia variegata

ATIVIDADE ANTIFÚNGICA DO ÓLEO DE Carapa guianensis EM SEMENTES DE Bauhinia variegata ATIVIDADE ANTIFÚNGICA DO ÓLEO DE Carapa guianensis EM SEMENTES DE Bauhinia variegata Larissa Cavalcante Almeida 1, Rommel dos Santos Siqueira Gomes 1, Carolline Vargas e Silva 1, Marciano Costa Nunes 1,

Leia mais

Ocorrência de Fungos em Sementes de Cevada Produzidas em Sistema Irrigado por Pivô Central no Cerrado Brasileiro

Ocorrência de Fungos em Sementes de Cevada Produzidas em Sistema Irrigado por Pivô Central no Cerrado Brasileiro Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro de Pesquisa Agropecuária do Oeste Ministério da Agricultura e do Abastecimento ISSN 1679-0456 Setembro, 2004 18 Ocorrência de Fungos em Sementes de Cevada

Leia mais

Relação entre Níveis de Inóculo de Colletotrichum gossypii var. cephalosporioides nas Sementes e o Progresso da Ramulose do Algodoeiro*

Relação entre Níveis de Inóculo de Colletotrichum gossypii var. cephalosporioides nas Sementes e o Progresso da Ramulose do Algodoeiro* Relação entre Níveis de Inóculo de Colletotrichum gossypii var. cephalosporioides nas Sementes e o Progresso da Ramulose do Algodoeiro* Dejânia V. Araújo, Edson A. Pozza, José C. Machado, Elisandra B.

Leia mais

EFEITO DO VIGOR E DO TRATAMENTO FUNGICIDA NOS TESTES DE GERMINAÇÃO E DE SANIDADE DE SEMENTES DE SOJA

EFEITO DO VIGOR E DO TRATAMENTO FUNGICIDA NOS TESTES DE GERMINAÇÃO E DE SANIDADE DE SEMENTES DE SOJA Original Article 59 EFEITO DO VIGOR E DO TRATAMENTO FUNGICIDA NOS TESTES DE GERMINAÇÃO E DE SANIDADE DE SEMENTES DE SOJA EFFECT OF THE VIGOUR AND OF THE FUNGICIDE TREATMENT IN THE GERMINATION AND SANITY

Leia mais

OCORRÊNCIA DE FUNGOS FITOPATOGÊNICOS EM MUDAS DE VIDEIRAS DA SERRA GAÚCHA

OCORRÊNCIA DE FUNGOS FITOPATOGÊNICOS EM MUDAS DE VIDEIRAS DA SERRA GAÚCHA OCORRÊNCIA DE FUNGOS FITOPATOGÊNICOS EM MUDAS DE VIDEIRAS DA SERRA GAÚCHA R. S. BEHLING 1 ; S. A. CARVALHO 1 ; M. A. K. ALMANÇA 2 RESUMO: O declínio e morte de videiras jovens vem sendo frequentemente

Leia mais

Qualidade Sanitária de Sementes de Pau-cigarra (Senna multijuga)

Qualidade Sanitária de Sementes de Pau-cigarra (Senna multijuga) Qualidade Sanitária de Sementes de Pau-cigarra (Senna multijuga) Vanessa Sperandio Schultz 1 Álvaro Figueredo dos Santos 2 Antonio Carlos Souza Medeiros 3. RESUMO Com o objetivo de se determinar a incidência

Leia mais

AVALIAÇÃO E MANEJO DE DOENÇAS EM Brachiaria brizantha cv. BRS PIATÃ. Área Temática da Extensão: Tecnologia.

AVALIAÇÃO E MANEJO DE DOENÇAS EM Brachiaria brizantha cv. BRS PIATÃ. Área Temática da Extensão: Tecnologia. AVALIAÇÃO E MANEJO DE DOENÇAS EM Brachiaria brizantha cv. BRS PIATÃ Jaqueline Ianelo Guerra 1 ; Maria Luiza Nunes Costa 2 1p Bolsista UEMS. Estudante do Curso de Agronomia da UEMS, Unidade Universitária

Leia mais

TRATAMENTO DE SEMENTES INDUSTRIAL (TSI) E QUALIDADE DE SEMENTES

TRATAMENTO DE SEMENTES INDUSTRIAL (TSI) E QUALIDADE DE SEMENTES I Workshop de Tratamento de Sementes Industrial 4-5 de agosto de 2015 Piracicaba -SP TRATAMENTO DE SEMENTES INDUSTRIAL (TSI) E QUALIDADE DE SEMENTES José da Cruz Machado Prof. Titular de Fitopatologia

Leia mais

LEVANTAMENTO POPULACIONAL DE FUNGOS EM SEMENTES DE ALFAVACA

LEVANTAMENTO POPULACIONAL DE FUNGOS EM SEMENTES DE ALFAVACA SILVA DB; SANTOS PCM; MONTEIRO Levantamento TMA; SILVA populacional DEM; FRANÇA de fungos SKS; SILVA em sementes CS; OLIVEIRA de alfavaca FC; FREITAS JMN. 2008. Levantamento populacional de fungos em sementes

Leia mais

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 336

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 336 Página 336 AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO DE CULTIVARES DE ALGODOEIRO À MANCHA DE RAMULARIA Juliano Cesar da Silva 1 ; Wagner Bettiol 2 ; Zayame Vegette Pinto 2 ; Edvaldo Cia 3 ; Ricardo Harakava 4 ; Rafael

Leia mais

PLANTA NATIVA DO CERRADO, GÊNERO

PLANTA NATIVA DO CERRADO, GÊNERO PLANTA NATIVA DO CERRADO, GÊNERO Magonia, DA FAMÍLIA DO GUARANÁ (Sapindaceae), POSSUI PRINCÍPIOS ATIVOS CONTRA O CRESCIMENTO MICELIAL IN VITRO DE FUNGOS FITOPATOGÊNICOS Athos Silva de Oliveira 1, Marilia

Leia mais

TRANSPORTE, PATOGENICIDADE E TRANSMISSIBILIDADE DE FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE PINHÃO MANSO 1

TRANSPORTE, PATOGENICIDADE E TRANSMISSIBILIDADE DE FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE PINHÃO MANSO 1 663 TRANSPORTE, PATOGENICIDADE E TRANSMISSIBILIDADE DE FUNGOS ASSOCIADOS ÀS SEMENTES DE PINHÃO MANSO 1 Danila Alves Corrêa de Sá 2, Gil Rodrigues dos Santos 3, Gleiber Quintão Furtado 4, Eduardo Andréa

Leia mais

Análise sanitária em sementes de algodoeiro branco e colorido submetidas a diferentes tratamentos durante o armazenamento

Análise sanitária em sementes de algodoeiro branco e colorido submetidas a diferentes tratamentos durante o armazenamento Revista Agro@mbiente On-line, v. 5, n. 3, p. 207-211, setembro-dezembro, 2011 Centro de Ciências Agrárias - Universidade Federal de Roraima, Boa Vista, RR www.agroambiente.ufrr.br Artigo Científico ISSN

Leia mais

QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE TRIGO, SOJA E MILHO PRODUZIDAS EM MATO GROSSO DO SUL

QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE TRIGO, SOJA E MILHO PRODUZIDAS EM MATO GROSSO DO SUL ISSN 0104-5156 BOLETIM DE PESQUISA Nº 7 Augusto César Pereira Goulart QUALIDADE SANITÁRIA DE SEMENTES DE TRIGO, SOJA E MILHO PRODUZIDAS EM MATO GROSSO DO SUL Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

Physiological and sanity seed quality of common beans (Phaseolus vulgaris L.) from Goias state

Physiological and sanity seed quality of common beans (Phaseolus vulgaris L.) from Goias state Qualidade fisiológica e sanitária de sementes de feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) provenientes do estado de Goiás Qualidade fisiológica e sanitária de sementes de feijoeiro (Phaseolus vulgaris L.) provenientes

Leia mais

VIABILIDADE DO TRIGO CULTIVADO NO VERÃO DO BRASIL CENTRAL

VIABILIDADE DO TRIGO CULTIVADO NO VERÃO DO BRASIL CENTRAL VIABILIDADE DO TRIGO CULTIVADO NO VERÃO DO BRASIL CENTRAL Auri Fernando de Moraes 1, Alexandre Pereira Bonfá 1, Walter Quadros Ribeiro Júnior 2, Maria Lucrécia Gerosa Ramos 3, Júlio César Albrecht 2, Renato

Leia mais

Efeito cultivar na incidência de grãos ardidos em milho 1

Efeito cultivar na incidência de grãos ardidos em milho 1 Efeito cultivar na incidência de grãos ardidos em milho 1 Sílvia Cristina de Souza 2, Dagma Dionísia da Silva 3, Fabrício Eustáquio Lanza 4, Rodrigo Veras da Costa 3, Luciano Viana Cota 3 1 Trabalho financiado

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 17 A 24 DE FEVEREIRO DE 2014

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 17 A 24 DE FEVEREIRO DE 2014 ANO III / Nº 76 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 17 A 24 DE FEVEREIRO DE 2014 No decorrer desta semana a Ampasul promoveu o Tour do Algodão módulo Doenças, passando por

Leia mais

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 797

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 797 Página 797 CONTROLE DE CORDA-DE-VIOLA COM AS OPÇÕES DE TRATAMENTOS HERBICIDAS DISPONÍVEIS PARA A CULTURA DO ALGODÃO Jamil Constantin 1 ; Rubem Silvério de Oliveira Jr. 1 ; Eliezer Antonio Gheno 2 ; Guilherme

Leia mais

TRATAMENTO DE SEMENTES DE SOJA COM FUNGICIDAS

TRATAMENTO DE SEMENTES DE SOJA COM FUNGICIDAS TRATAMENTO DE SEMENTES DE SOJA COM FUNGICIDAS Augusto César Pereira Goulart, Eng. Agr. M.Sc. Fitopatologia/Patologia de Sementes Embrapa Agropecuária Oeste, C.P. 661 Dourados, MS. CEP: 79.804-970 e-mail:

Leia mais

COMPETIÇÃO DE GENÓTIPOS DE MAMONEIRA NO PERÍODO OUTONO-INVERNO EM ITAOCARA, RJ*

COMPETIÇÃO DE GENÓTIPOS DE MAMONEIRA NO PERÍODO OUTONO-INVERNO EM ITAOCARA, RJ* COMPETIÇÃO DE GENÓTIPOS DE MAMONEIRA NO PERÍODO OUTONO-INVERNO EM ITAOCARA, RJ* Guilherme Eugênio Machado Lopes 1 ; Luiz Antônio Antunes de Oliveira 1 ; Aldo Shimoya 2 ; Wander Eustáquio de Bastos Andrade

Leia mais

QUANTO CUSTA TRATAR AS SEMENTES DE SOJA, MILHO E ALGODÃO COM FUNGICIDAS?

QUANTO CUSTA TRATAR AS SEMENTES DE SOJA, MILHO E ALGODÃO COM FUNGICIDAS? ISSN 1516-845X AUGUSTO CÉSAR PEREIRA GOULART GERALDO AUGUSTO DE MELO FILHO QUANTO CUSTA TRATAR AS SEMENTES DE SOJA, MILHO E ALGODÃO COM FUNGICIDAS? Dourados, MS 2000 Embrapa Agropecuária Oeste. Documentos,

Leia mais

TRATAMENTOS PARA SUPERAÇÃO DE DORMÊNCIA DE SEMENTES DE AROEIRA PIRIQUITA (Schinus molle L.) E AROEIRA BRANCA (Lithraea molleioides (Vell.

TRATAMENTOS PARA SUPERAÇÃO DE DORMÊNCIA DE SEMENTES DE AROEIRA PIRIQUITA (Schinus molle L.) E AROEIRA BRANCA (Lithraea molleioides (Vell. TRATAMENTOS PARA SUPERAÇÃO DE DORMÊNCIA DE SEMENTES DE AROEIRA PIRIQUITA (Schinus molle L.) E AROEIRA BRANCA (Lithraea molleioides (Vell.) MATTOS, Letícia Cantiliano Perez 1 ; DELFIM, Tamíris Franco 1

Leia mais

LONGEVIDADE DE SEMENTES DE Crotalaria juncea L. e Crotalaria spectabilis Roth EM CONDIÇÕES NATURAIS DE ARMAZENAMENTO

LONGEVIDADE DE SEMENTES DE Crotalaria juncea L. e Crotalaria spectabilis Roth EM CONDIÇÕES NATURAIS DE ARMAZENAMENTO LONGEVIDADE DE SEMENTES DE Crotalaria juncea L. e Crotalaria spectabilis Roth EM CONDIÇÕES NATURAIS DE ARMAZENAMENTO Odilon Peixoto de Morais Júnior 1, Vladimir Sperandio Porto 1, Daniela Cleide Azevedo

Leia mais

COMPORTAMENTO DE DIFERENTES GENÓTIPOS DE MAMONEIRA IRRIGADOS POR GOTEJAMENTO EM PETROLINA-PE

COMPORTAMENTO DE DIFERENTES GENÓTIPOS DE MAMONEIRA IRRIGADOS POR GOTEJAMENTO EM PETROLINA-PE COMPORTAMENTO DE DIFERENTES GENÓTIPOS DE MAMONEIRA IRRIGADOS POR GOTEJAMENTO EM PETROLINA-PE Marcos Antônio Drumond 1, José Barbosa dos Anjos 1, Máira Milani 2, Luiz Balbino Morgado 1, e José Monteiro

Leia mais

COMPLEXO DE DOENÇAS FOLIARES NA CULTURA DO AMENDOIM, NAS REGIÕES PRODUTORAS DO ESTADO DE SÃO PAULO, NA SAFRA 2015/2016

COMPLEXO DE DOENÇAS FOLIARES NA CULTURA DO AMENDOIM, NAS REGIÕES PRODUTORAS DO ESTADO DE SÃO PAULO, NA SAFRA 2015/2016 COMPLEXO DE DOENÇAS FOLIARES NA CULTURA DO AMENDOIM, NAS REGIÕES PRODUTORAS DO ESTADO DE SÃO PAULO, NA SAFRA 2015/2016 Margarida Fumiko Ito 1, Ignácio José de Godoy 2, Andrea Rocha Almeida de Moraes 2,

Leia mais

Microflora fúngica de sementes comerciais de Panicum maximum e Stylosanthes spp.

Microflora fúngica de sementes comerciais de Panicum maximum e Stylosanthes spp. Microflora fúngica de sementes comerciais de Panicum maximum e Stylosanthes spp. Fungic microflora of Panicum maximum and Styosanthes spp. commercial seed Carlos Eduardo Marchi 1* ; Celso Dornelas Fernandes

Leia mais

Influência da adubação silicatada na qualidade sanitária de sementes de arroz

Influência da adubação silicatada na qualidade sanitária de sementes de arroz Influência da adubação silicatada na qualidade sanitária de sementes de arroz Sílvia Miranda Borba (1), Vanda Maria de Oliveira Cornélio (2), Moizés de Sousa Reis (2), João Roberto de Mello Rodrigues (2),

Leia mais

SUSCETIBILIDADE DE CULTIVARES DE ALGODOEIRO A Rhizoctonia solani E BENEFÍCIOS DO TRATAMENTO DE SEMENTES COM FUNGICIDAS (*)

SUSCETIBILIDADE DE CULTIVARES DE ALGODOEIRO A Rhizoctonia solani E BENEFÍCIOS DO TRATAMENTO DE SEMENTES COM FUNGICIDAS (*) SUSCETIBILIDADE DE CULTIVARES DE ALGODOEIRO A Rhizoctonia solani E BENEFÍCIOS DO TRATAMENTO DE SEMENTES COM FUNGICIDAS (*) Augusto César Pereira Goulart (Embrapa Agropecuária Oeste / goulart@cpao.embrapa.br)

Leia mais

LEVANTAMENTO DA OCORRÊNCIA DE DOENÇAS DA SOJA EM MATO GROSSO DO SUL, EM QUATRO SAFRAS: 1996/1997 A 1999/2000

LEVANTAMENTO DA OCORRÊNCIA DE DOENÇAS DA SOJA EM MATO GROSSO DO SUL, EM QUATRO SAFRAS: 1996/1997 A 1999/2000 ISSN 1516-8441 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro de Pesquisa Agropecuária do Oeste Ministério da Agricultura e do Abastecimento BR 163, km 253,6 - Trecho Dourados-Caarapó km 5 Caixa Postal

Leia mais

Conceitos MOLÉSTIA É uma sequência de eventos numa interação entre um organismo e um agente, em que, como resultado de uma ação contínua do agente, oc

Conceitos MOLÉSTIA É uma sequência de eventos numa interação entre um organismo e um agente, em que, como resultado de uma ação contínua do agente, oc DIAGNOSE E CONTROLE DE MOLÉSTIAS DE PLANTAS ÊNFASE EM MOLÉSTIAS DA ALFAFA 1 Conceitos MOLÉSTIA É uma sequência de eventos numa interação entre um organismo e um agente, em que, como resultado de uma ação

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FITOSSANITÁRIA E GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE Avena strigosa E Lolium multiflorum

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FITOSSANITÁRIA E GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE Avena strigosa E Lolium multiflorum AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FITOSSANITÁRIA E GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE Avena strigosa E Lolium multiflorum Área Temática: Ciências agrárias- Agronomia Autor(es): Natieli Gonçalves Chortaszko (UNICENTRO - Fundação

Leia mais

Princípios ativos via tratamento de sementes industrial na cultura do milho após armazenamento

Princípios ativos via tratamento de sementes industrial na cultura do milho após armazenamento Princípios ativos via tratamento de sementes industrial na cultura do milho após armazenamento Marcelo Cruz Mendes (1) ; Jean Carlos Zocche (2) ;Paulo Henrique Matchula (3) ; Jhonatan Schlosser (4) ; Marizangela

Leia mais

TRATAMENTO DE SEMENTES DE SOJA NO CONTROLE DA ANTRACNOSE EM CONDIÇÕES A CAMPO.

TRATAMENTO DE SEMENTES DE SOJA NO CONTROLE DA ANTRACNOSE EM CONDIÇÕES A CAMPO. TRATAMENTO DE SEMENTES DE SOJA NO CONTROLE DA ANTRACNOSE EM CONDIÇÕES A CAMPO. Carmo Guilherme Giebelmeier 1, Saulo Mendes 1, Marcos Antônio Marchioro Júnior 1, Amanda Nogueira de Albuquerque 2, Daiane

Leia mais

Patologia de sementes olerícolas

Patologia de sementes olerícolas Patologia de sementes olerícolas 1 Ana Paula Simplício Mota, 2 Érica Fernandes Leão, 3 Laís Assupção Junqueira, 4 Lucas Emanuel Nunes Gonçalves, 5 Maristela dos Santos Rey 1 Bolsista PIBIC/UEG 2 Voluntária

Leia mais

GRUPO DE DOENÇAS. Grupo de Doenças. Profª. Msc. Flávia Luciane Bidóia Roim. Universidade Norte do Paraná

GRUPO DE DOENÇAS. Grupo de Doenças. Profª. Msc. Flávia Luciane Bidóia Roim. Universidade Norte do Paraná Grupo de Doenças GRUPO DE DOENÇAS Profª. Msc. Flávia Luciane Bidóia Roim Universidade Norte do Paraná Classificação das doenças de plantas: Baseando-se no agente causal, no hospedeiro ou nos processos

Leia mais

Tombamento de mudas Caciara Gonzatto Maciel Marília Lazarotto Graziela Piveta Marlove Fátima Brião Muniz

Tombamento de mudas Caciara Gonzatto Maciel Marília Lazarotto Graziela Piveta Marlove Fátima Brião Muniz Tombamento de mudas Caciara Gonzatto Maciel Marília Lazarotto Graziela Piveta Marlove Fátima rião Muniz O tombamento de mudas pode ocorrer em pré-emergência e/ou pósemergência. No primeiro caso, o patógeno

Leia mais

EFEITO DO TRATAMENTO DE SEMENTES DE ALGODÃO COM ABAMECTINA NA PENETRAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INICIAL DE Meloidogyne incógnita 1

EFEITO DO TRATAMENTO DE SEMENTES DE ALGODÃO COM ABAMECTINA NA PENETRAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INICIAL DE Meloidogyne incógnita 1 EFEITO DO TRATAMENTO DE SEMENTES DE ALGODÃO COM ABAMECTINA NA PENETRAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INICIAL DE Meloidogyne incógnita 1 Rosana Bessi (ESALQ/USP / rosbessi@yahoo.com.br), Fernando R. Sujimoto (ESALQ/USP),

Leia mais

FUNGOS ASSOCIADOS COM A MORTALIDADE DE MINIESTACAS DE Eucalyptus benthamii Maiden et Cambage

FUNGOS ASSOCIADOS COM A MORTALIDADE DE MINIESTACAS DE Eucalyptus benthamii Maiden et Cambage FUNGOS ASSOCIADOS COM A MORTALIDADE DE MINIESTACAS DE Eucalyptus benthamii Maiden et Cambage Thiare Aparecida do Valle Coelho 1, Izabela Moura Duin 1, Izabele Domingues Soares 1, Álvaro Figueredo dos Santos

Leia mais

Av. Ademar Diógenes, BR 135 Centro Empresarial Arine 2ºAndar Bom Jesus PI Brasil (89)

Av. Ademar Diógenes, BR 135 Centro Empresarial Arine 2ºAndar Bom Jesus PI Brasil (89) Av. Ademar Diógenes, BR 135 Centro Empresarial Arine 2ºAndar Bom Jesus PI Brasil (89) 3562-2274 Efeito do uso dos produtos da linha Celleron no tratamento de semente e na parte aérea, para o aumento do

Leia mais

Tratamentos Alternativos para o Controle de Patógenos em Sementes de Cedro (Cedrela fissilis)

Tratamentos Alternativos para o Controle de Patógenos em Sementes de Cedro (Cedrela fissilis) Tratamentos Alternativos para o Controle de Patógenos em Sementes de Cedro (Cedrela fissilis) Alternative Treatments for Control of Pathogens on Cedrela fissilis Seeds LAZAROTTO, Marília. Universidade

Leia mais

Qualidade Sanitária de Sementes de Soja de Diferentes Cultivares Introduzidos para Cultivo em Sergipe. 73 ISSN Dezembro, 2012

Qualidade Sanitária de Sementes de Soja de Diferentes Cultivares Introduzidos para Cultivo em Sergipe. 73 ISSN Dezembro, 2012 Qualidade Sanitária de Sementes de Soja de Diferentes Cultivares Introduzidos para Cultivo em Sergipe 73 ISSN 1678-1961 Dezembro, 2012 ISSN 1678-1961 Dezembro, 2012 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

RESUMO. Palavras-chave adicionais: Fungo, Restrição Hídrica, Incidência, Potencial Osmótico, Ramulose ABSTRACT

RESUMO. Palavras-chave adicionais: Fungo, Restrição Hídrica, Incidência, Potencial Osmótico, Ramulose ABSTRACT Efeito de restritores hídricos sobre a germinação, comprimento da radícula e níveis de detecção de Colletotrichum gossypii var. cephalosporioides em sementes de algodão Alderi Emídio de Araújo 1*, José

Leia mais

Patogenicidade de fungos associados às sementes e plântulas de amendoim cv. Tatu

Patogenicidade de fungos associados às sementes e plântulas de amendoim cv. Tatu Patogenecidade de fungos associados às sementes e plântulas de amendoim cv. Tatu Patogenicidade de fungos associados às sementes e plântulas de amendoim cv. Tatu Pathogenicity of seed-borne and seedling

Leia mais

PP = 788,5 mm. Aplicação em R3 Aplicação em R5.1. Aplicação em Vn

PP = 788,5 mm. Aplicação em R3 Aplicação em R5.1. Aplicação em Vn Fabiano Andrei Bender da Cruz. Pesquisador/Consultor Fundação Bahia, Eng o. Agr o. Dr. CREA 40620232/MG. Aline Fabris. Estagiária, Acadêmica do Curso de Agronomia, convênio FAAHF/Fundação Bahia. Edimilson

Leia mais

Sanidade do Arroz Comercializado em Pelotas,RS

Sanidade do Arroz Comercializado em Pelotas,RS ISSN 1516-8832 Sanidade do Arroz Comercializado em Pelotas,RS 147 Introdução O arroz (Oryza sativa L.) é um alimento produzido em todos os continentes. Considerado de melhor balanceamento nutricional,

Leia mais

Termoterapia via Calor Úmido no Controle de Patógenos em Sementes de Tabebuia chrysotrichae seu Efeito Sobre a Qualidade Fisiológica

Termoterapia via Calor Úmido no Controle de Patógenos em Sementes de Tabebuia chrysotrichae seu Efeito Sobre a Qualidade Fisiológica Termoterapia via Calor Úmido no Controle de Patógenos em Sementes de Tabebuia chrysotrichae seu Efeito Sobre a Qualidade Fisiológica Thermotherapy through Humid Heat in the Control of Pathogens in Tabebuia

Leia mais

Extratos Vegetais na Qualidade Fisiológica e Sanitária de Sementes de Zínia (Zinnia elegans)

Extratos Vegetais na Qualidade Fisiológica e Sanitária de Sementes de Zínia (Zinnia elegans) Extratos Vegetais na Qualidade Fisiológica e Sanitária de Sementes de Zínia (Zinnia elegans) Plant Extracts in Zinnia Seed Pathology and Germination GIRARDI, Leonita B. 1 lbgirardi@hotmail.com; LAZAROTTO,

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Soja Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Soja Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. ISSN 1516-781X Outubro, 2002 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Soja Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documentos190 Patologia de Sementes: ilustração

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Efeito da Época e Dose de Aplicação de Fungicida no Controle da Antracnose do Sorgo Lorena de Oliveira Moura 1, Luciano

Leia mais