Seminário Apoios Comunitários para o Ambiente e Energia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Seminário Apoios Comunitários para o Ambiente e Energia"

Transcrição

1

2 Seminário Apoios Comunitários para o Ambiente e Energia 4 de fevereiro de 2015 Enquadramento: Os Fundos Europeus Estruturais e de Investimento (FEEI) para o período de serão determinantes no desenvolvimento de Portugal, no quadro de uma estratégia para um crescimento inteligente, sustentável e inclusivo. É imprescindível que Portugal avance assente num crescimento sustentável, numa lógica de criação de valor, com um desenvolvimento mais competitivo, com menor consumo de recursos naturais e gerando novas oportunidades de emprego. O processo de programação do horizonte visa a antecipação e a adaptação europeia às grandes mudanças globais, no domínio da energia, das alterações climáticas e do uso mais eficiente dos recursos numa perspetiva dinâmica que relaciona competitividade e sustentabilidade, o que permite às empresas melhorarem os seus processos produtivos garantindo um progresso em termos ambientais e económicos. Neste contexto, surge o Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO SEUR) que pretende contribuir para a concretização da Estratégia Europa 2020, particularmente em termos do crescimento verde, respondendo aos desafios de transição para uma economia de baixo carbono, assente numa utilização mais eficiente de recursos e na promoção de maior resistência face aos riscos climáticos e às catástrofes. O desempenho de Portugal neste domínio apresenta progressos relevantes, para os quais o contributo dos fundos comunitários tem sido decisivo. No entanto, apesar dos investimentos já realizados, torna-se necessário enfrentar ainda alguns desafios decorrentes da elevada intensidade energética da economia portuguesa, de ineficiências na utilização e gestão de recursos, de vulnerabilidades face a diversos riscos naturais e tecnológicos e de debilidades na proteção dos valores ambientais.

3 A abordagem para responder a tais constrangimentos estrutura-se em três vetores que serão basilares para a mobilização dos fundos comunitários do próximo ciclo, a saber: transição para uma economia de baixo carbono - focada na promoção da eficiência energética, em especial, na redução de consumos energéticos na administração pública e na promoção de eficiência energética no setor dos transportes, empresas e edifícios residenciais; promoção da adaptação às alterações climáticas e prevenção e gestão de riscos - com enfoque para a erosão costeira e combate aos incêndios florestais; e preservação e proteção do ambiente e promoção da utilização eficiente dos recursos - assentes na operacionalização das estratégias para o setor dos resíduos (PERSU 2020), para o setor das águas (PENSAAR 2020), para a biodiversidade e para os passivos ambientais. Por outro lado existem os Programas Operacionais Regionais que também vão apoiar os objetivos temáticos acima referidos. Surgem novas áreas de investimento que são relativamente novas do ponto de vista dos Fundos Estruturais (por exemplo mitigação e adaptação às alterações climáticas, transição para o baixo carbono), outras ganham uma maior relevância e reorientação face às prioridades ambientais (energia e ambiente) e outras que são de continuidade águas, resíduos, passivos ambientais, etc. - mas onde mudam os desafios (mais que infraestruturar pretende-se, atualmente e face a níveis elevados de cobertura, melhorar em termos de eficiência e redução de perdas). Inicia-se assim um novo ciclo de desenvolvimento onde as prioridades ambientais mudaram, exigindo novas abordagens e envolvimentos por parte da sociedade e em linha com esta estratégia só PO SEUR prevê através do Fundo de Coesão o apoio em cerca de milhões de euros de fundos comunitários para a área da sustentabilidade e eficiência no uso dos recursos, que as entidades podem beneficiar. Se se considerar as verbas previstas nos programas operacionais regionais, que abrangem também a área da Energia e Clima, o investimento atinge um valor global de 4 mil milhões de euros para a área do Ambiente e Energia.

4 Programa: 8h30 Receção aos Participantes 9h00 Sessão de Abertura Jorge Moreira da Silva, Ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia João Belo, Diretor-geral do Grupo About Media Fernando Santana, Diretor do Jornal Água & Ambiente 9h30 A Estratégia Europa 2020 Novo Ciclo de Financiamentos Comunitários O novo ciclo de desenvolvimento onde as prioridades ambientais mudam, exigindo novas abordagens e envolvimentos por parte da sociedade, numa base de crescimento inteligente, sustentável e inclusivo e onde o apoio dos financiamentos comunitários é determinante. Jorge Moreira da Silva, Ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia 10h15 - Fundos Estruturais Financiamentos no Âmbito do PO SEUR e Programas Operacionais Regionais Abordagem aos financiamentos do PO SEUR e Programas Regionais, no enquadramento dos Fundos Estruturais, sustentados no acordo de parceria entre Portugal e Comissão Europeia. - Regras de atribuição dos fundos José Soeiro, Presidente da Agência para o Desenvolvimento e Coesão, I.P. 11h00 - Café 11h15 - Mainstreaming de Políticas Climáticas no Quadro Financeiro Plurianual Financiamentos disponíveis e pouco utilizados para mainstreaming de políticas climáticas: - Regras e trâmites de atribuição dos fundos - Financiamentos aplicáveis às diferentes áreas setoriais Claus Kondrup, Perito da DG Climate Action da Comissão Europeia 11h50 - Os Fundos para a Promoção da Adaptação às Alterações Climáticas e Prevenção e Gestão De Riscos dos Constrangimentos às Oportunidades Contextualização dos fundos comunitários na promoção da adaptação às alterações climáticas e a prevenção e gestão de riscos. Fernando Teigão dos Santos, Assessor do Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia 12h30 - Debate Moderador: a designar

5 13h00 - Almoço Livre 14h30 Energia - Prioridades e Investimentos a Privilegiar Para uma Economia de Baixo Carbono - Regras e mecanismos de atribuição dos fundos Pedro Cabral, Presidente da ADENE 15h15 Resíduos - Prioridades e Investimentos a Privilegiar PERSU Regras e mecanismos de atribuição dos fundos Paulo Ferrão, Coordenador do Grupo de Trabalho do PERSU h00 - Café 16h15 Água - Prioridades e Investimentos a Privilegiar PENSAAR Regras e mecanismos de atribuição dos fundos José Veiga Frade, Coordenador do Grupo de Trabalho do PENSAAR h00 Debate Moderador: Nuno Lacasta, Presidente da Agência Portuguesa do Ambiente, I.P. 17h30 - Sessão de Encerramento Portugal em 2020 Timeline: Onde Estamos, para Onde Vamos O percurso que Portugal pretende fazer para atingir os objetivos estabelecidos no acordo de parceria. A competitividade estratégica e o novo paradigma do novo ciclo de desenvolvimento, visão do futuro. Paulo Lemos, Secretário de Estado do Ambiente

6

1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DA ENAAC 2020

1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DA ENAAC 2020 Estratégia Nacional de Adaptação às Alterações Climáticas (ENAAC 2020) Avaliação do âmbito de aplicação do Decreto-Lei n.º 232/2007, de 15 de junho 1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DA ENAAC 2020 A Estratégia

Leia mais

1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DO PNAC 2020/2030

1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DO PNAC 2020/2030 Programa Nacional para as Alterações Climáticas (PNAC2020/2030) Avaliação do âmbito de aplicação do Decreto-Lei n.º 232/2007, de 15 de junho 1. DEFINIÇÃO, ANTECEDENTES E VISÃO DO PNAC 2020/2030 O Programa

Leia mais

CARTA de MISSÃO 1. MISSÃO

CARTA de MISSÃO 1. MISSÃO CARTA de MISSÃO 1. MISSÃO Através da Resolução do Conselho de Ministros n.º 52-A/2015, de 23 de julho, o Governo criou a estrutura de missão designada por Estrutura de Gestão do Instrumento Financeiro

Leia mais

Portugal 2020: Objetivos e Desafios António Dieb

Portugal 2020: Objetivos e Desafios António Dieb Portugal 2020: Objetivos e Desafios 2014-2020 António Dieb Porto, 11 de julho de 2016 Tópicos: 1. Enquadramento Estratégico (EU 2020) 2. Portugal 2020: Objetivos e prioridades 3. Estrutura Operacional

Leia mais

Económico Ambiental Social

Económico Ambiental Social EUROPA 2020 Desenvolvimento Sustentável Crescimento Inteligente, Sustentável e Inclusivo (CISI) Estratégia Marítima da União Europeia para a Área do Atlântico Estratégias Regionais de Suporte (asseguram

Leia mais

QUE MEIOS FINANCEIROS?

QUE MEIOS FINANCEIROS? QUE MEIOS FINANCEIROS? PARA A CONSERVAÇÃO DA NATUREZA ATRAVÉS DO PO SEUR? HELENA PINHEIRO DE AZEVEDO MOBILIZAÇÃO DE RECURSOS PARA CONSERVAÇÃO DA NATUREZA E BIODIVERSIDADE 22 JUN 2015 TAPADA DE MAFRA Organização:

Leia mais

PORTUGAL Faça clique para editar o estilo apresentação. Não podemos prever o futuro mas podemos construí-lo!

PORTUGAL Faça clique para editar o estilo apresentação. Não podemos prever o futuro mas podemos construí-lo! apresentação PORTUGAL 2020 www.in-formacao.com.pt Não podemos prever o futuro mas podemos construí-lo! 03-02-2015 FAMALICÃO PORTO IN.03.03.00 1 INTRODUÇÃO O PORTUGAL 2020 é o Acordo de Parceria adotado

Leia mais

ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 PORTUGAL 2020

ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 PORTUGAL 2020 ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 PORTUGAL 2020 1 Portugal 2020, o Acordo de Parceria (AP) que Portugal irá submeter à Comissão Europeia estrutura as intervenções, os investimentos e as prioridades de financiamento

Leia mais

LIFE 2014/2020 Subprograma Ação Climática Mitigação às Alterações Climáticas

LIFE 2014/2020 Subprograma Ação Climática Mitigação às Alterações Climáticas LIFE 2014/2020 Subprograma Ação Climática Mitigação às Alterações Climáticas Auditório do LNEC, Lisboa, 25 de janeiro de 2017 Ana Daam DCLIMA/DMMC 25/01/2017 Pacote Clima-Energia 2020 2 Política Climática

Leia mais

O Mar no próximo QFP

O Mar no próximo QFP O Mar no próximo QFP 2014-2020 Fórum do Mar José Manuel Fernandes Deputado ao Parlamento Europeu Estratégia Europa 2020 A guia das próximas perspectivas financeiras Estratégia Europa 2020 2020 Crescimento

Leia mais

Política de Coesão da UE

Política de Coesão da UE da UE 2014 2020 Propostas da Comissão Europeia da União Europeia Estrutura da apresentação 1. Qual é o impacto da política de coesão da UE? 2. A que se devem as alterações propostas pela Comissão para

Leia mais

CONDIÇÕES DE ADMISSIBILIDADE CONDIÇÕES EXCLUDENTES. 1 Apresentação telemática no prazo estabelecido na convocatória.

CONDIÇÕES DE ADMISSIBILIDADE CONDIÇÕES EXCLUDENTES. 1 Apresentação telemática no prazo estabelecido na convocatória. CONDIÇÕES DE ADMISSIBILIDADE CONDIÇÕES EXCLUDENTES 1 Apresentação telemática no prazo estabelecido na convocatória. 2 Apresentação do formulário completo. 3 Orçamento FEDER em conformidade com o que está

Leia mais

APRESENTAÇÃO SEMINÁRIO EFICIÊNCIA ENERGÉTICA: AS GRANDES OPORTUNIDADES

APRESENTAÇÃO SEMINÁRIO EFICIÊNCIA ENERGÉTICA: AS GRANDES OPORTUNIDADES APRESENTAÇÃO O Jornal água&ambiente organiza o Seminário Eficiência Energética: as grandes oportunidades no próximo dia 26 de Junho de 2012, no Hotel Açores, em Lisboa. Numa altura em que a eficiência

Leia mais

ANEXO III REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO

ANEXO III REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO ANEXO III REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO PLANOS ESTRATÉGICOS DE DESENVOLVIMENTO URBANO AVISO DE CONCURSO Nº ALT20 06 2016 18 ALT20 16 2016 19 ALT20 43 2016 20 DOMÍNIO DA SUSTENTABILIDADE E EFICIÊNCIA

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral Baixo Alentejo Planeamento Estratégico Regional

Leia mais

Programa para o Ambiente e a Ação Climática (LIFE)

Programa para o Ambiente e a Ação Climática (LIFE) Programa para o Ambiente e a Ação Climática (LIFE) O que é o Programa LIFE? O Programa LIFE - cujo acrónimo traduz L Instrument Financier pour l Environment é um instrumento financeiro comunitário que

Leia mais

Plano de Comunicação. Plano de Comunicação. Elaborado a 22 dezembro Revisto a 19 de fevereiro de 2016

Plano de Comunicação. Plano de Comunicação. Elaborado a 22 dezembro Revisto a 19 de fevereiro de 2016 Plano de Comunicação Elaborado a 22 dezembro 2015 Revisto a 19 de fevereiro de 2016 0 Índice 1. Enquadramento...- 1-2. Objetivos...- 2-3. Identidade Gráfica...- 2-3.1 Logótipo...- 2-3.2 Assinatura...-

Leia mais

A MOBILIDADE INTELIGENTE e INCLUSIVA

A MOBILIDADE INTELIGENTE e INCLUSIVA A MOBILIDADE INTELIGENTE e INCLUSIVA Os Projetos de Lisboa para 2020 Teresa Almeida A MOBILIDADE INTELIGENTE e INCLUSIVA Os Projetos de Lisboa para 2020 1. O Quadro Europeu 2. O Quadro Municipal 3. As

Leia mais

NOVOS HÁBITOS SUSTENTÁVEIS SEMINÁRIO MINISTÉRIO DO AMBIENTE

NOVOS HÁBITOS SUSTENTÁVEIS SEMINÁRIO MINISTÉRIO DO AMBIENTE NOVOS HÁBITOS SUSTENTÁVEIS SEMINÁRIO MINISTÉRIO DO AMBIENTE Luanda 3 de Fevereiro de 2014 2 Novos Hábitos Sustentáveis Quem deve PARTICIPAR? Adquirir Competências. Partilhar Experiências. Decisores, Directores

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE EXECUÇÃO. Programa Operacional MAR 2020 PORTUGAL

RELATÓRIO ANUAL DE EXECUÇÃO. Programa Operacional MAR 2020 PORTUGAL RELATÓRIO ANUAL DE EXECUÇÃO 2015 Programa Operacional MAR 2020 PORTUGAL Relatório Anual 2015 RELATÓRIO DE EXECUÇÃO DO PO MAR 2020 ANO DE 2015 CCI: 2014PT14MFOP001 PROGRAMA OPERACIONAL: PROGRAMA OPERACIONAL

Leia mais

mar 2020: Fazer acontecer o MAR

mar 2020: Fazer acontecer o MAR Onde a terra se acaba e o mar começa (in Os Lusíadas, Canto III) Portugal sempre foi mar. Mas agora, mais do que nunca, o mar pode ser uma infinidade de oportunidades para todos os portugueses. A extensão

Leia mais

Os novos mecanismos de apoio à Economia e Empreendedorismo do Mar no contexto Sónia Ribeiro COLÓQUIO ANMP/MARE START UP Universidade

Os novos mecanismos de apoio à Economia e Empreendedorismo do Mar no contexto Sónia Ribeiro COLÓQUIO ANMP/MARE START UP Universidade Os novos mecanismos de apoio à Economia e Empreendedorismo do Mar no contexto 2014-2020 Sónia Ribeiro COLÓQUIO ANMP/MARE START UP Universidade Católica Portuguesa Lisboa 9 de abril de 2015 Agenda A Estratégia

Leia mais

PO SEUR OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO

PO SEUR OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO III FÓRUM DE PARTILHA DE EXPERIÊNCIAS E DIVULGAÇÃO DE BOAS PRÁTICAS INOVAÇÃO NA GESTÃO DE SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA E SANEAMENTO LNEC, 22 MAIO 2015 PO SEUR OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO MANUELA

Leia mais

Compromissso Documento de Orientação Estratégica. António Oliveira das Neves Funchal, 09 de Julho 2013

Compromissso Documento de Orientação Estratégica. António Oliveira das Neves Funchal, 09 de Julho 2013 Compromissso Madeira@2020 Documento de Orientação Estratégica António Oliveira das Neves Funchal, 09 de Julho 2013 Roteiro da Apresentação 1. Contexto da Programação 2. Estratégia de Desenvolvimento Regional

Leia mais

Portugal 2020 Apresentação

Portugal 2020 Apresentação Portugal 2020 Apresentação Porto Rua Dr. Ernesto Soares dos Reis, N.º 208, 1º Andar, Sala Q 3720-256 Oliveira de Azeméis Lisboa Edifício Oeiras Office - 1ºD R. Marechal Teixeira Rebelo, 2 2780-271 Oeiras

Leia mais

REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS CARTA DE COMPROMISSO

REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS CARTA DE COMPROMISSO REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS CARTA DE COMPROMISSO CARTA DE COMPROMISSO DA REDE DE MUNICÍPIOS PARA A ADAPTAÇÃO LOCAL ÀS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS Considerando: Que o 5.º

Leia mais

Guia Prático. Fundos Estruturais

Guia Prático. Fundos Estruturais Fundos Estruturais 2014-2020 Guia Prático Como conceber um Programa Operacional Multifundos para a Renovação Energeticamente Eficiente do Parque Imobiliário Está a conceber os Programas Operacionais que

Leia mais

BASE JURÍDICA MISSÃO E PRIORIDADES

BASE JURÍDICA MISSÃO E PRIORIDADES SEGUNDO PILAR DA PAC: A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO RURAL A última reforma da política agrícola comum (PAC) manteve a estrutura em dois pilares desta política, continuando o desenvolvimento rural a representar

Leia mais

O Mar nos Programas Temáticos Regionais João Fonseca Ribeiro Diretor Geral de Politica do Mar

O Mar nos Programas Temáticos Regionais João Fonseca Ribeiro Diretor Geral de Politica do Mar O Mar nos Programas Temáticos Regionais 2014-2020 João Fonseca Ribeiro Diretor Geral de Politica do Mar O Panorama Nacional e Internacional Oceano Atlântico Norte Oceano Atlântico Sul Reafirmar Portugal

Leia mais

Programa Operacional Regional do Algarve

Programa Operacional Regional do Algarve Programa Operacional Regional do Algarve Concurso para apresentação de candidaturas Aviso nº ALG-52-2015-01 Eixo Prioritário 2 SISTEMA DE APOIO A AÇÕES COLETIVAS INTERNACIONALIZAÇÃO Data de abertura: 1

Leia mais

Seminário Protecção do Ambiente e Segurança o caso paradigmático das Forças Armadas e Forças de Segurança. Conclusões

Seminário Protecção do Ambiente e Segurança o caso paradigmático das Forças Armadas e Forças de Segurança. Conclusões Seminário Protecção do Ambiente e Segurança o caso paradigmático das Forças Armadas e Forças de Segurança Conclusões Senhor Secretário de Estado da Defesa Nacional e dos Assuntos do Mar, Demais autoridades

Leia mais

CONVITE À APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA AVISO N.º 01/SIAC/2015 PORTUGAL SOU EU

CONVITE À APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA AVISO N.º 01/SIAC/2015 PORTUGAL SOU EU CONVITE À APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA AVISO N.º 01/SIAC/2015 SISTEMA DE APOIO A AÇÕES COLETIVAS QUALIFICAÇÃO PORTUGAL SOU EU REFERENCIAL DE MÉRITO DO PROJETO junho de 2015 Página 1 de 14 O Mérito do Projeto

Leia mais

Quadro Estratégico Comum

Quadro Estratégico Comum Quadro Estratégico Comum 2014-2020 Objetivos Prioridades Estrutura Orgânica Sociedade de Geografia de Lisboa, 8 de Julho de 2013 Piedade Valente Vogal da Comissão Diretiva do COMPETE Quadro Estratégico

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 6.2.204 C(204) 00 final DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 6.2.204 que aprova determinados elementos do programa operacional «Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos»

Leia mais

Testemunhos da cooperação: os projetos do Espaço o Sudoeste Europeu (SUDOE)

Testemunhos da cooperação: os projetos do Espaço o Sudoeste Europeu (SUDOE) Testemunhos da cooperação: os projetos do Espaço o Sudoeste Europeu (SUDOE) Do SUDOE 2007-2013 à Estratégia 2020 Promoção da inovação e constituição de redes estáveis de cooperação em matéria tecnológica

Leia mais

PLANO DE AVISOS 2016 (*)

PLANO DE AVISOS 2016 (*) PO PO PO PO Calendário de de Dados do Identificação do Referência do Empreendedorismo Qualificado 3 3.1, 8.5 janeiro 16 abril 16 SI - 02/SI/2016 Inovação Empresarial Inovação Produtiva Científico e Tecnológico

Leia mais

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO N.º CENTRO

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO N.º CENTRO REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS POR CONVITE PI 6.3 PRODUTOS TURÍSTICOS INTEGRADOS DE BASE INTERMUNICIPAL AVISO N.º CENTRO-14-2016-16 O Mérito do Projeto

Leia mais

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP

SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 SESSÃO DE APRESENTAÇÃO Cursos Técnicos Superiores Profissionais TeSP Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo

Leia mais

METAS DO PERSU 2020: PONTO DE SITUAÇÃO E PERSPECTIVAS FUTURAS. Nuno Lacasta Presidente do Conselho Diretivo

METAS DO PERSU 2020: PONTO DE SITUAÇÃO E PERSPECTIVAS FUTURAS. Nuno Lacasta Presidente do Conselho Diretivo METAS DO PERSU 2020: PONTO DE SITUAÇÃO E PERSPECTIVAS FUTURAS Nuno Lacasta Presidente do Conselho Diretivo 1. APA: FACTOS E NÚMEROS A APA foi criada em 2012, em resultado da fusão de 9 organismos distintos.

Leia mais

CONVITE À APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA AVISO Nº 02/SIAC/2016

CONVITE À APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA AVISO Nº 02/SIAC/2016 CONVITE À APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURA AVISO Nº 02/SIAC/2016 SISTEMA DE APOIO A AÇÕES COLETIVAS PROMOÇÃO DO ESPÍRITO EMPRESARIAL STARTUP VOUCHER REFERENCIAL DE MÉRITO DO PROJETO 16 de setembro de 2016 Página

Leia mais

Apoio à Economia Circular no Portugal 2020. O caso do PO SEUR. Helena Pinheiro de Azevedo

Apoio à Economia Circular no Portugal 2020. O caso do PO SEUR. Helena Pinheiro de Azevedo Apoio à Economia Circular no Portugal 2020 O caso do PO SEUR Helena Pinheiro de Azevedo ECONOMIA CIRCULAR o que é É uma sociedade que privilegia a Eficiência no Uso de Recursos Naturais Evita o uso e desperdício

Leia mais

POLÍTICA CLIMÁTICA 2020/2030

POLÍTICA CLIMÁTICA 2020/2030 POLÍTICA CLIMÁTICA 2020/2030 Índice 1. Quadro Estratégico para a Política Climática 2020/2030 (QEPiC) 2. Programa Nacional para as Alterações Climáticas (PNAC 2020/2030) 3. Estratégia Nacional de Adaptação

Leia mais

LIFE FUNDOS ESTRUTURAIS FEADER

LIFE FUNDOS ESTRUTURAIS FEADER Workshop sobre Financiamento da Rede Natura 2000 2014-2020 Lisboa, 24.01.2014 LIFE Programa para o Ambiente e Acção Climática Regulamento (EU) nº 1293/2013, de 11 de Dezembro FEADER Mário Silva, ICNF I.P.

Leia mais

Regulamento específico Assistência Técnica FEDER

Regulamento específico Assistência Técnica FEDER Regulamento específico Assistência Técnica FEDER Capítulo I Âmbito Artigo 1.º Objecto O presente regulamento define o regime de acesso aos apoios concedidos pelo Programa Operacional de Assistência Técnica

Leia mais

Apoios financeiros europeus Dr. Carlos Ribeiro Medeiros

Apoios financeiros europeus Dr. Carlos Ribeiro Medeiros Apoios financeiros europeus 2014-2020 Dr. Carlos Ribeiro Medeiros Apoios financeiros europeus 2014-2020 Quadro Financeiro UE 2007-2013 Estratégia Europa 2020 Quadro Financeiro UE 2014-2020 Programas europeus

Leia mais

II CURSO PÓS-GRADUADO DE ACTUALIZAÇÃO SOBRE DIREITO DOS RESÍDUOS

II CURSO PÓS-GRADUADO DE ACTUALIZAÇÃO SOBRE DIREITO DOS RESÍDUOS II CURSO PÓS-GRADUADO DE ACTUALIZAÇÃO SOBRE DIREITO DOS RESÍDUOS Coordenação científica: Prof. Doutor João Miranda / Prof. Doutor Rui Cunha Marques (IST) Mestre Ana Luísa Guimarães / Mestre Mark Kirkby

Leia mais

Base de Dados: Manuais de Boas Práticas Florestais e objetivos SEEF

Base de Dados: Manuais de Boas Práticas Florestais e objetivos SEEF Serviços do Ecossistema em Espaços Florestais Contributos para uma Economia Verde Base de Dados: Manuais de Boas Práticas Florestais e objetivos SEEF Graça Louro 24 de maio de 2012 Serviços do Ecossistema

Leia mais

Programa Energia Inteligente Europa (EIE)

Programa Energia Inteligente Europa (EIE) Programa Energia Inteligente Europa (EIE) -Participação Nacional Porto, Fevereiro de 2014 Isabel Soares 1 Programa comunitário Energia Inteligente - Europa Apoio a políticas da UE em matéria de energias

Leia mais

Debate sobre as Estratégias de Desenvolvimento e os Modelos da Governança na Região Alentejo. Apresentação do Projecto

Debate sobre as Estratégias de Desenvolvimento e os Modelos da Governança na Região Alentejo. Apresentação do Projecto Debate sobre as Estratégias de Desenvolvimento e os Modelos da Governança na Região Alentejo Apresentação do Projecto Teresa Pinto-Correia e José da Veiga ICAAM Universidade de Évora e Direcção Regional

Leia mais

com menor consumo de recursos naturais e energéticos,

com menor consumo de recursos naturais e energéticos, Janeiro, 2015 Portugal 2020 Portugal procura uma trajetória de crescimento sustentável assente num modelo de desenvolvimento mais competitivo e resiliente procurando criar condições para uma maior coesão

Leia mais

ÍNDICE. Sistema de Certificação Energética. Revisão da Legislação. Edifícios Sustentáveis. A importância da legislação

ÍNDICE. Sistema de Certificação Energética. Revisão da Legislação. Edifícios Sustentáveis. A importância da legislação Edifícios Sustentáveis. A importância da legislação Congresso LiderA 2011 IST Lisboa, 25 e 26 de Maio de 2011 ADENE Agência para a Energia Nuno Baptista sce@adene.pt ÍNDICE Sistema de Certificação Evolução

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO. de COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 8.2.204 C(204) 076 final DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 8.2.204 que aprova determinados elementos do programa operacional «Regional dos Açores 204-2020» do apoio do Fundo

Leia mais

Compras Públicas Ecológicas: o papel do consumidor Estado. Paula Trindade LNEG

Compras Públicas Ecológicas: o papel do consumidor Estado. Paula Trindade LNEG Compras Públicas Ecológicas: o papel do consumidor Estado Paula Trindade LNEG Conferência Consumo Sustentável e Alterações Climáticas Alfragide, 26 Novembro 2009 Potencial das Compras Públicas Sustentáveis

Leia mais

Orçamento Plurianual da UE

Orçamento Plurianual da UE Orçamento Plurianual da UE 2014/2020 José Manuel Fernandes Deputado ao Parlamento Europeu Estratégia Europa 2020 A guia das próximas perspetivas financeiras Estratégia Europa 2020 Crescimento Inteligente

Leia mais

SEMINÁRIO DE LANÇAMENTO PROGRAMA INTERREG V - A

SEMINÁRIO DE LANÇAMENTO PROGRAMA INTERREG V - A SEMINÁRIO DE LANÇAMENTO PROGRAMA INTERREG V - A MADEIRA-AÇORES-CANÁRIAS 2014-2020 Angra do Heroísmo, 29 janeiro 2016 QUAL O TERRITÓRIO DO ESPAÇO DE COOPERAÇÃO? - As regiões insulares ultraperiféricas de

Leia mais

PNPOT. Território e Economia Circular. Energia. Gabriela Prata Dias. Lisboa, 27 outubro 2016

PNPOT. Território e Economia Circular. Energia. Gabriela Prata Dias. Lisboa, 27 outubro 2016 PNPOT Território e Economia Circular Energia Gabriela Prata Dias Lisboa, 27 outubro 2016 Temas Eficiência energética em Portugal Energia e economia circular Transição energética para um novo paradigma

Leia mais

Avaliação Ambiental Estratégica Relatório Ambiental. PGRH-Açores 2016-2021. Anexo I

Avaliação Ambiental Estratégica Relatório Ambiental. PGRH-Açores 2016-2021. Anexo I Anexo I Diretivas Diretiva Quadro da Água (DQA) Diretiva Quadro Estratégia Marinha (DQEM) Diretiva 2000/60/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 23 de outubro de 2000, que estabelece um quadro de

Leia mais

O papel do QREN na consolidação e qualificação das redes de equipamentos coletivos

O papel do QREN na consolidação e qualificação das redes de equipamentos coletivos O papel do QREN na consolidação e qualificação das redes de equipamentos coletivos Porto, 18 de junho de 2013 Susana Monteiro Núcleo de Estudos e Avaliação Estrutura 1. Diagnóstico 2. Planeamento 3. Monitorização

Leia mais

O TURISMO DE NATUREZA NA ESTRATÉGIA PARA O TURISMO 2027

O TURISMO DE NATUREZA NA ESTRATÉGIA PARA O TURISMO 2027 Conselho Nacional do Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável O TURISMO DE NATUREZA NA ESTRATÉGIA PARA O TURISMO 2027 Nuno fazenda Lisboa, 28 de outubro de 2016 AGENDA ET 27: enquadramento e percurso

Leia mais

Deliberação n.º 3/2016. Recursos Hierárquicos do Quadro de Referência Estratégico Nacional

Deliberação n.º 3/2016. Recursos Hierárquicos do Quadro de Referência Estratégico Nacional Deliberação n.º 3/2016 Recursos Hierárquicos do Quadro de Referência Estratégico Nacional O Decreto-Lei n.º 312/2007, de 17 de setembro, alterado pelo Decreto-Lei n.º 74/2008, de 22 de abril, e pelo Decreto-Lei

Leia mais

Evento EDIFÍCIOS BALANÇO. Rumo ao Impacte Nulo da Construção e Reabilitação nas Cidades. 22 Novembro Museu das Comunicações.

Evento EDIFÍCIOS BALANÇO. Rumo ao Impacte Nulo da Construção e Reabilitação nas Cidades. 22 Novembro Museu das Comunicações. Evento EDIFÍCIOS BALANÇO Rumo ao Impacte Nulo da Construção e Reabilitação nas Cidades PARTICIPE 22 Novembro 2011 Museu das Comunicações Lisboa ORGANIZAÇÃO UMA PUBLICAÇÃO APOIO APRESENTAÇÃO A conferência

Leia mais

Lisboa, 25 de novembro de 2011

Lisboa, 25 de novembro de 2011 Lisboa, 25 de novembro de 2011 A reabilitação urbana constitui um fator essencial no desenvolvimento do setor do turismo, enquanto elemento integrante da nossa oferta turística A regeneração urbana estabelece

Leia mais

As políticas e prioridades para a Eficiência Energética e para as Energias Renováveis em Portugal Isabel Soares Diretora de Serviços

As políticas e prioridades para a Eficiência Energética e para as Energias Renováveis em Portugal Isabel Soares Diretora de Serviços As políticas e prioridades para a Eficiência Energética e para as Energias Renováveis em Portugal Isabel Soares Diretora de Serviços Lisboa, 15 de julho de 2016 Ordem dos Engenheiros Oportunidades de Financiamento

Leia mais

Seminário. 12 novembro Iniciativa conjunta INE LNEC. António Manzoni - AECOPS

Seminário. 12 novembro Iniciativa conjunta INE LNEC. António Manzoni - AECOPS Seminário 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC António Manzoni - AECOPS 1 Desafio e Inovação na Reabilitação Urbana Perspetivas do Mercado de Reabilitação Visão AECOPS Sumário da Apresentação:

Leia mais

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO N.º CENTRO

REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO N.º CENTRO REFERENCIAL DE ANÁLISE DE MÉRITO DO PROJETO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS POR CONVITE PI 6.3 PROMOÇÃO DO PATRIMÓNIO CULTURAL UNESCO AVISO N.º CENTRO-14-2016-14 O Mérito do Projeto (MP) é determinado

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GABINETE DO MINISTRO DE ESTADO E DAS FINANÇAS

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GABINETE DO MINISTRO DE ESTADO E DAS FINANÇAS 20º Encontro de Lisboa com as Delegações dos Bancos Centrais dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa e de Timor Leste à Assembleia Anual do Fundo Monetário Internacional e do Banco Mundial 04

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Excelentíssimas Senhoras e Senhores Deputados,

Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Excelentíssimas Senhoras e Senhores Deputados, Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Excelentíssimas Senhoras e Senhores Deputados, É presente, hoje, a esta Assembleia, o diploma que adapta à Região Autónoma da Madeira,

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA 2. OS APOIOS. Relatório Anual de Execução 2016 Resumo para os Cidadãos. Eixo 4 Qualidade e Inovação 176 Milhões

1. APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA 2. OS APOIOS. Relatório Anual de Execução 2016 Resumo para os Cidadãos. Eixo 4 Qualidade e Inovação 176 Milhões 1. APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA O Programa Operacional Capital Humano (PO CH), aprovado pela Comissão Europeia a 12 de Dezembro de 2014, constitui o principal instrumento de financiamento do Portugal 2020

Leia mais

ADITAMENTO AO ACORDO ENTRE OS MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS, DA ECONOMIA E DA SAÚDE E A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

ADITAMENTO AO ACORDO ENTRE OS MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS, DA ECONOMIA E DA SAÚDE E A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA ADITAMENTO AO ACORDO ENTRE OS MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS, DA ECONOMIA E DA SAÚDE E A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA Os Ministérios das Finanças, da Economia e da Saúde, e a Indústria Farmacêutica, por intermédio

Leia mais

EDIFÍCIOS BALANÇO. Rumo ao Impacte Nulo da Construção e Reabilitação nas Cidades. 22 Novembro Museu das Comunicações. Lisboa.

EDIFÍCIOS BALANÇO. Rumo ao Impacte Nulo da Construção e Reabilitação nas Cidades. 22 Novembro Museu das Comunicações. Lisboa. Evento EDIFÍCIOS BALANÇO Rumo ao Impacte Nulo da Construção e Reabilitação nas Cidades PARTICIPE 22 Novembro 2011 Museu das Comunicações Lisboa ORGANIZAÇÃO UMA PUBLICAÇÃO APOIO APRESENTAÇÃO A conferência

Leia mais

Investimento nas regiões: A Política de Coesão reformada da UE

Investimento nas regiões: A Política de Coesão reformada da UE Investimento nas regiões: A Política de Coesão reformada da UE 2014-2020 Apresentação por política de coesão Princípios básicos da Política de Coesão da UE política de coesão A União Europeia caracteriza-se

Leia mais

Estratégia Regional de Especialização Inteligente

Estratégia Regional de Especialização Inteligente Estratégia Regional de Especialização Inteligente Ateliê de RECURSOS MINERAIS & NOVAS TECNOLOGIAS Évora, 17 de Março de 2014 Principais Conceitos A competitividade das regiões deve fundar-se nas respetivas

Leia mais

SECRETÁRIA DE ESTADO ADJUNTA E DA DEFESA NACIONAL

SECRETÁRIA DE ESTADO ADJUNTA E DA DEFESA NACIONAL INTERVENÇÃO DA SECRETÁRIA DE ESTADO ADJUNTA E DA DEFESA NACIONAL BERTA DE MELO CABRAL Conferência Estratégia Nacional Lisboa, ISCSP, 20 de junho de 2013 Só serão válidas as palavras proferidas pelo orador

Leia mais

Inovação como prioridade estratégica do BNDES

Inovação como prioridade estratégica do BNDES Inovação como prioridade estratégica do BNDES Helena Tenorio Veiga de Almeida APIMECRIO 20/04/2012 Histórico do apoio à inovação no BNDES 2 Histórico do apoio à inovação no BNDES 1950 Infraestrutura Econômica

Leia mais

Como Responder ao Questionário de Cidades e Consórcios

Como Responder ao Questionário de Cidades e Consórcios Como Responder ao Questionário de Cidades e Consórcios Neste guia, os gestores públicos de Cidades e Consórcios encontrarão informações práticas que os ajudarão a responder ao questionário de postulação

Leia mais

Síntese de Legislação Nacional e Comunitária. 04 de Janeiro de 2012

Síntese de Legislação Nacional e Comunitária. 04 de Janeiro de 2012 LEGISLAÇÃO Síntese de Legislação Nacional e Comunitária de 2012 Legislação Nacional Energias Renováveis Portaria n.º 8/2012 I Série n.º 3, de 4/01 Aprova, no âmbito da política de promoção da utilização

Leia mais

Consolidar o universo da energia

Consolidar o universo da energia Consolidar o universo da energia Consolidar o universo da energia O Novo Banco tem vindo a minimizar a pegada ambiental com enfoque na proteção do ambiente e prevenção das alterações climáticas. As principais

Leia mais

Agenda Factores de Competitividade

Agenda Factores de Competitividade QREN Agenda Factores de Competitividade 12 Novembro 07 1 Objectivos desenvolvimento de uma economia baseada no conhecimento e na inovação; incremento da produção transaccionável e de uma maior orientação

Leia mais

Programa Operacional Regional do Algarve

Programa Operacional Regional do Algarve Programa Operacional Regional do Algarve Critérios de Seleção das Candidaturas e Metodologia de Análise Domínio Temático SEUR Sustentabilidade e Eficiente Uso de Recursos Prioridades de investimento: 4.2/4.3/4.5/6.3/6.5

Leia mais

Apresentação Dezembro 2016

Apresentação Dezembro 2016 Apresentação Dezembro 2016 ÍNDICE o Enquadramento o O Conceito o Missão, Visão e Valores o Objetivos o Plano Estratégico 2020 o Plano de Atividades para 2017 o Principais iniciativas 2 ENQUADRAMENTO POLÍTICAS

Leia mais

A estratégia para o setor agro-alimentar em territórios de baixa densidade

A estratégia para o setor agro-alimentar em territórios de baixa densidade A estratégia para o setor agro-alimentar em territórios de baixa densidade Seminário Contributo do Setor Agroalimentar para o Desenvolvimento Territorial 2 0 1 4-2 0 2 0 Guarda, 9 de Dezembro de 2014 A

Leia mais

II Conferência do Turismo e Hotelaria O Turismo em Portugal após 2009 [Oportunidades e Desafios]

II Conferência do Turismo e Hotelaria O Turismo em Portugal após 2009 [Oportunidades e Desafios] II Conferência do Turismo e Hotelaria O Turismo em Portugal após 2009 [Oportunidades e Desafios] Painel: Como é que os destinos turísticos se estão a preparar? O caso do Destino Douro Porto, 18 de Junho

Leia mais

Economia de Baixo Carbono: Oportunidade na reforma do sector da energia Maria da Graça Carvalho e Ana Pipio

Economia de Baixo Carbono: Oportunidade na reforma do sector da energia Maria da Graça Carvalho e Ana Pipio Introdução É fundamental adaptarmos o debate europeu e global sobre as alterações climáticas e a segurança energética à missão de construir uma sociedade de baixo carbono. A reforma do sector da é uma

Leia mais

RESUMO PARA OS CIDADÃOS

RESUMO PARA OS CIDADÃOS RESUMO PARA OS CIDADÃOS Relatório Anual de Execução 2015 INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO DO PROGRAMA Para o Programa Operacional de Assistência Técnica 2014-2020 (POAT2020) foi determinante a aprovação do Acordo

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013

Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013 Cooperação Territorial Europeia 2007/2013 Que oportunidades para Lisboa e Vale do Tejo? Centro Cultural de Belém 31 de Março 2008 Programa Operacional Regional Alentejo 2007/2013 Cooperação territorial

Leia mais

Luís Correia Presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco

Luís Correia Presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco Luís Correia Presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco Reabilitação Urbana para a Promoção Cultural e Inclusão Social. Apresentação do filme Investimento Autárquico no Portugal 2020 Pedro Marques

Leia mais

Modelo de Desenvolvimento, Quadro de Monitorização e Economia Azul

Modelo de Desenvolvimento, Quadro de Monitorização e Economia Azul Modelo de Desenvolvimento, Quadro de Monitorização e Economia Azul Meios de Financiamento Nacionais e Europeus e Integração das Políticas de Desenvolvimento Par$lha de Informação A promoção de um ambiente

Leia mais

Uma estratégia para as pessoas e para o planeta: assegurando uma transição justa para empregos verdes dignos?

Uma estratégia para as pessoas e para o planeta: assegurando uma transição justa para empregos verdes dignos? Uma estratégia para as pessoas e para o planeta: assegurando uma transição justa para empregos verdes dignos? Judith Kirton-Darling Secretária Confederal da CES A actual situação é insustentável Socialmente:

Leia mais

PORTUGAL 2020: A IMPORTÂNCIA DA ELEGIBILIDADE DAS DESPESAS

PORTUGAL 2020: A IMPORTÂNCIA DA ELEGIBILIDADE DAS DESPESAS 21 de maio de 2015 PORTUGAL 2020: A IMPORTÂNCIA DA ELEGIBILIDADE DAS DESPESAS Ao abrigo do Acordo de Parceria estabelecido entre Portugal e a Comissão Europeia, denominado Portugal 2020, as empresas portuguesas

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 03/2016

ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 03/2016 ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 03/2016 REGULAMENTO ESPECÍFICO DO DOMÍNIO DA COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO (RECI) Sistema de Incentivos às Empresas Inovação Produtiva Majoração «Execução do Investimento»

Leia mais

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E RESPETIVA METODOLOGIA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E RESPETIVA METODOLOGIA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA CRITÉRIOS DE SELEÇÃO E RESPETIVA METODOLOGIA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA aprovados através de processo de consulta escrita concluído a 13 de Maio de 2015 METODOLOGIA E CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA

Leia mais

Seminário WAVE A Estratégia de Lisboa e o Desenvolvimento

Seminário WAVE A Estratégia de Lisboa e o Desenvolvimento CONNECTING INNOVATION TO PEOPLE 5 de Junho de 2009 Seminário WAVE A Estratégia de Lisboa e o Desenvolvimento GABINETE DO COORDENADOR NACIONAL DA ESTRATÉGIA DE LISBOA E DO PLANO TECNOLÓGICO TOPICOS Estratégia

Leia mais

Ponta Delgada, 12 de janeiro de Com os melhores cumprimentos, O Grupo Parlamentar do BE/Açores. (Zuraida Soares) (Paulo Mendes)

Ponta Delgada, 12 de janeiro de Com os melhores cumprimentos, O Grupo Parlamentar do BE/Açores. (Zuraida Soares) (Paulo Mendes) Excelentíssima Senhora Presidente da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores Assunto: Apoio financeiro a pescadores e armadores durante a cessação temporária de atividades de pesca - captura

Leia mais

Mais valias do ciclo de vida e da economia circular para o desempenho e negócio das empresas. Sofia Santos 24 novembro 2015

Mais valias do ciclo de vida e da economia circular para o desempenho e negócio das empresas. Sofia Santos 24 novembro 2015 Mais valias do ciclo de vida e da economia circular para o desempenho e negócio das empresas Sofia Santos 24 novembro 2015 A origem da economia circular não é nova Fonte: Paulo Ferrão, apresentação realizada

Leia mais

Deliberação n.º 83 /2015. Regulamento Interno da CIC Portugal 2020

Deliberação n.º 83 /2015. Regulamento Interno da CIC Portugal 2020 Deliberação n.º 83 /2015 Regulamento Interno da CIC Portugal 2020 A CIC Portugal 2020, na reunião ordinária de 21 de dezembro de 2015, deliberou, nos temos da alínea q) do n.º 2 do artigo 10.º do Decreto-Lei

Leia mais

aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural Instrumentos financeiros

aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural Instrumentos financeiros aplicação dos instrumentos financeiros dos FEEI O Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural Os instrumentos financeiros cofinanciados pelo Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural são uma

Leia mais

Programa Operacional Regional do Alentejo/Estratégia Regional de Especialização Inteligente. Financiamento de projetos para Cidades Analíticas

Programa Operacional Regional do Alentejo/Estratégia Regional de Especialização Inteligente. Financiamento de projetos para Cidades Analíticas Programa Operacional Regional do Alentejo/Estratégia Regional de Especialização Inteligente Financiamento de projetos para Cidades Analíticas Rio Maior 13 de Março 2015 Estratégia Regional de Especialização

Leia mais

Rede Social: Desenvolvimento Local Revisitado

Rede Social: Desenvolvimento Local Revisitado Rede Social: Desenvolvimento Local Revisitado José Manuel Henriques ISCTE-IUL Encontro Nacional de Desenvolvimento Local em Portugal Associação In Loco Lisboa, 9 Maio 2013 Estrutura Contexto Cenários para

Leia mais

PO SEUR OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO

PO SEUR OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO HORIZONTE 2020 DESAFIOS PARA AS EMPRESAS PORTUGUESAS NO SECTOR DO AMBIENTE CASCAIS, 24 ABRIL 2015 PO SEUR OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO HELENA PINHEIRO DE AZEVEDO PORTUGAL 2020 PRINCIPAIS PRIORIDADES

Leia mais

Programa Nacional de Acção para o Crescimento e o Emprego (PNACE) Estratégia de Lisboa- Portugal de novo CONTRIBUTOS DA UGT

Programa Nacional de Acção para o Crescimento e o Emprego (PNACE) Estratégia de Lisboa- Portugal de novo CONTRIBUTOS DA UGT Programa Nacional de Acção para o Crescimento e o Emprego 2005-2008 (PNACE) Estratégia de Lisboa- Portugal de novo CONTRIBUTOS DA UGT I. INTRODUÇÃO O Conselho Europeu de Bruxelas de 22-23 de Março de 2005

Leia mais