CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO"

Transcrição

1 CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO IMPERMEABILIZAÇÃO

2 IMPERMEABILIZAÇÃO "Processo pelo qual se torna impermeável um tecido, um papel, um revestimento," etc. (Dicionário Aurélio) Conforme a NBR 9575: Conforme a NBR 9575: item 4.2: O projeto de impermeabilização deverá ser desenvolvido conjuntamente com o projeto geral e os projetos setoriais, de modo a serem previstas as correspondentes especificações em termos de dimensões, cargas, cargas de testes e detalhes.

3 Os custos de uma correta impermeabilização pode variar de 1 a 3% do custo total de uma obra em média e o retrabalho de uma impermeabilização pode gerar um custo de 10 a 15% do custo total da obra.

4 CLASSIFICAÇÃO DAS IMPERMEABILIZAÇÕES As impermeabilizações podem ser classificadas em duas formas principais: a) de acordo com a atuação da água sobre o elemento da construção; b) de acordo com o comportamento físico do elemento da construção.

5 CLASSIFICAÇÃO DE ACORDO COM A ATUAÇÃO DA ÁGUA Sob este aspecto, temos as impermeabilizações: - contra água de percolação; - contra água com pressão; - contra umidade por capilaridade.

6 CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO COMPORTAMENTO FÍSICO DO ELEMENTO DA CONSTRUÇÃO Sob este aspecto, temos as impermeabilizações: -de elementos da construção onde normalmente se prevê a ocorrência de trincas; -de elementos da construção não sujeitos a fissuramento e trincas.

7 IMPORTÂNCIA DA IMPERMEABILIZAÇÃO Ao barrar a passagem de água, fluídos, vapores e umidade, os sistemas impermeabilizantes : Preservam a integridade da estrutura; Garantem durabilidade aos revestimentos; Protegem a edificação de inúmeros problemas patológicos; Protegem o meio ambiente.

8 LOCAIS A SEREM IMPERMEABILIZADOS - Telhados e coberturas planas. - Terraços e áreas descobertas. - Calhas de escoamento das águas pluviais. - Caixas-d'água, piscinas e tubulações hidráulicas. - Pisos molhados, como banheiros e áreas de serviço. -Paredes pelas quais a água escorre e recebem chuva de vento, jardineira e jardineira de fachadas. - Esquadrias e peitoris das janelas. -Soleiras de portas que abrem para fora. -Água contida no terreno, que sobe por capilaridade, ou se infiltra em subsolos, abaixo do nível freático, etc.

9 Deverão fazer parte integrante deste trabalho as seguintes Normas Técnicas: NBR Elaboração de Projetos de Impermeabilização; NBR Solução Asfáltica Empregada como Imprimação da Impermeabilização; NBR Mantas Asfálticas com Armadura para Impermeabilização; NBR 279/ Execução de Impermeabilização; NBR Materiais e Sistemas para Impermeabilização

10 ADITIVOS PARA CONCRETOS E ARGAMASSAS A defesa contraa água requer uma atuação muito abrangente, e o assunto vai muito além do que se imagina à primeira vista. Aimpermeabilização inclui tratamento que se deve dar aos subsolos, à coberturas planas e terraços, e a forma de execução da construção, como: -Concretos; - Argamassas; - Sistema de pinturas; - Revestimentos decorativos; - Instalações hidráulicas (água e esgoto); - Calafetação de juntas, etc.

11 DEFINIÇÕES DE CONCRETO NBR 12655/2006 CONCRETO DE CIMENTO PORTLAND: Material formado pela mistura homogênea de cimento, agregados miúdo e graúdo e água, com ou sem a incorporação de componentes minoritários (aditivos químicos, metacaulim ou sílica ativa), que desenvolve suas propriedades pelo endurecimento da pasta de cimento (cimento e água). Para os efeitos desta Norma, o termo concreto se refere sempre a concreto de cimento Portland. Concreto Fresco: Concreto que está completamente misturado e que ainda se encontra em estado plástico, capaz de ser adensado por um método escolhido.

12 DEFINIÇÕES DE CONCRETO NBR 12655/2006 Concreto Normal: Concreto endurecido que, quando seco em estufa, apresenta massa específica maior do que kg/m3, mas não excede kg/m3. Concreto Leve: Concreto endurecido que, quando seco em estufa, apresenta massa específica não menor que 800 kg/m3, mas que não excede 2000 kg/m3. Concreto Pesado: Concreto endurecido que, quando seco em estufa, apresenta massa específica maior do que kg/m3.

13 COMO É PREPARADO?

14 ADITIVOS Produtos que adicionados em pequena quantidade a concretos de cimento Portland modificam algumas de suas propriedades, no sentido de melhor adequá-las a determinadas condições. (NBR EB-1763/1992)

15 ADITIVOS MINERAIS: Escóriade Alto Fornooude Aciaria; Cinzade Cascade Arroz-CinzasVolantes Pozolanas naturais Metacaulim Sílica Ativa

16 PRINCIPAISPROPRIEDADESDOS ADITIVOSMINERAIS: Ganho de resistência à compressão, tração e abrasão; Redução da permeabilidade; Redução da trabalhabilidade a ser compensada; Ganho de resistência a ambientes agressivos; Redução da carbonatação; Redução do consumo de cimento; Redução do calor de hidratação; Controle das reações de hidratação do cimento quanto à formação de componentes deletérios ao concreto.

17 ADITIVOS QUÍMICOS: Plastificantes; Lignina e Naftaleno Sulfonado; Superplastificantes; NaftalenoSulfonado, Melaminae Cadeiasde Policarboxilato Aceleradores de pega; Retardadores de pega; Incorporadores de Ar; Densificadores; Expansores; Impermeabilizantes(cristalizantes e penetrantes); Inibidores de corrosão; Inibidores ou retardadores de hidratação; Adesivos(resinas acrílicas e látex); Multifuncionais;

18 Aditivo plastificante (tipo P) Produto que aumenta o índice de consistência do concreto mantida a quantidade de água de amassamento, ou que possibilita a redução de, no mínimo, 6% da quantidade de água de amassamento para produzir um concreto com determinada consistência. Aditivo retardador (tipo R) Produto que aumenta os tempos de início e fim de pega do concreto. Aditivo acelerador (tipo A) Produto que diminui os tempos de início e fim de pega do concreto, bem como acelera o desenvolvimento das suas resistências iniciais.são produtos à base de carbonato, silicato, sulfato ou naftaleno. Aditivo plastificante retardador (tipo PR) Produto que combina os efeitos dos aditivos plastificante e retardador. Aditivo plastificante acelerador (tipo PA) Produto que combina os efeitos dos aditivos plastificante e acelerador.

19 Aditivo incorporador de ar (tipo IAR) Produto que incorpora pequenas bolhas de ar ao concreto. Elevada incorporação de ar com excelente trabalhabilidade Proporciona estabilidade dimensional ao concreto Possibilita redução dos custos de produção Aditivo superplastificante (tipo SP) Este tipo de produto atua na dispersão do material cimentício, possibilitando a produção de concretos com altíssimo índice de consistência e/ou a redução da água deamassamento, sem afetar significativamente o tempo de pega. É recomendado para a produção de concretos de alto desempenho, reodinâmicos, pré-moldados e protendidos. Aditivo superplastificante retardador (tipo SPR) Produto que combina os efeitos dos aditivos superplastificante e retardador. Aditivo superplastificante acelerador (tipo SPA) Produto que combina os efeitos dos aditivos superplastificante e acelerador.

20 *Complast SP 430 *Sika Viscocret

21 Impermeabilizantes Semi-Flexiveis São aqueles aplicados quando ja existem o problema da impermeabilidade ou para prevenir a permeabilidade que poderá surgir no futuro. São elementos que encontram-se em embalagens com dois componentes. Quando misturados, formam um produto polimérico que é aplicado sobre a umidade. Utilizados principalmente em pisos, paredes e caixas de água. Utilizados normalmente em locais onde já existe a impermeabilidade, tais como: umidade de pisos, paredes, caixas de água, etc.

22 OBSERVAÇÃO: 1. Em paredes, deve-se chegar no tijolo. Antes de aplicar o produtos a parede deve estar umidade de forma igual. 2. Em pisos, é aplicado caso a umidade ja exista 3. Em caixas de agua, cisternas, etc, as paredes e os pisos também devem estar umidos.

23 Tipos de impermeabilizantes Semi-Flexíveis Vedax Plus É uma argamassa impermeabilizante semi flexível à base de cimento modificado por polímeros.

24 Viaplus1000 Revestimento impermeabilizante, semiflexível, bicomponente(a+b), à base de cimentos especiais, aditivos minerais e polímeros de excelentes características impermeabilizantes. Tem ótima aderência e excepcional resistência mecânica. É testado sob os mais rigorosos controles de qualidade, sendo o único que resiste a até 60 m.c.a.-metros de coluna d água.

25 Igolflex Preto Sika IgolFlexPreto é um Impermeabilizante flexível para moldagem no local, monocomponente, à base de elastômeros sintéticos e betumes emulsionados, fornecido pronto para o uso.

26 FLEXÍVEIS São materiais que suportam o trabalho de estrutura e tampam fissuras. Compostos geralmente por elastômeros e polimeros. ImpermeabilizantesFlexíveis Na construção civil, problemas de fissuras são ainda em grandes e constantes escalas. Além disso, essas fissuras tornam-se caminhos mais diretos para penetração de água e outros elementos químicos. Há várias causas para a formação de trincas. Uma delas é a dilatação térmica de estuturas e a outra são as reações quimicas dos materiais. Para neste caso evitar o problema da permeabilidade, são utilizados impermeabilizantes flexiveis. Esse tipo de impermeabilização, possui materiais que auxiliam na resistência e na flexibilidade do impermeabilizante.

27 OS MAIS UTILIZADOS SÃO Membranas liquidas para impermeabilização Tintas emborrachadas Mantas asfálticas Etc...

28 O QUE SE CONSIDERA MEMBRANA LÍQUIDA DE IMPERMEABILIZAÇÃO? Polímeros de betume modificado; Polímeros de betume modificado aplicados a quente; Emulsões betuminosas e soluções; Resinas de poliéster insaturadas reforçadas com fibras de vidro; Resinas de poliéster insaturado, flexível; Poliuretano; Polímeros em dispersão aquosa

29 MEMBRANAS LÍQUIDAS DE IMPERMEABILIZAÇÃO Bases de aplicação: Concreto Argamassas Alvenaria Fibrocimento Betuminosos Metais Madeira Ladrilhos

30 VANTAGENS Impermeabilização contínua sem juntas nem soldaduras; Baixa emissão de COV s(menores riscos ambientais); Resistente ao fogo (10min. com chama direta de maçarico); Transitável a pessoas e veículos ligeiros; Cura mesmo com tempo muito húmido ou debaixo de água; Aplicação silenciosa (pode ser feita sem incómodo para o uso do edifício); Aplicação sem chama (não há perigo de incêndio); Aplicação muito rápida, mesmo quando existem muitos elementos emergentes.

31 MEMBRANA LÍQUIDA Aplicadas com rolos, broxas, etc... Normalmente nas cores preta e branca Preta é emulsão asfáltica e branca é emulsão acrílica A primeira demão é diluida 15 % em água Aplicadas no mínimo em 4 demãos Utilizada com véu de poliéster Utilizadas em lajes, paredes, marquises, coberturas inclinadas, calhas, etc...

32 MANTAS ASFÁLTICAS É uma manta de asfalto modificado com polímeros e estruturado, cuja finalidade é impermeabilizar estruturas com grandes variações térmicas, que necessitem resistência e durabilidade. As mantas hoje são consideradas como o melhor material de impermeabilização para estruturas convencionais porque: Maior durabilidade - mínimo 8 anos; Melhor resistência mecânica, como a não se desintegrar com facilidade; Grande flexibilidade; Adere em quase todas as superfícies

33 APLICAÇÃO DA MANTA ASFÁLTICA Verificação da superfície; Regularização da superfície caso necessário; Declividade do pisos para ralos, caso existam; Aplicação do primer em toda a superfície (PRIMER- Pintura asfáltica especialmente desenvolvido para o auxilio da adesão da manta asfáltica com o substrado. EX: Drykoprimer); Reforço em ralos e tubulações; Aplicação da manta com auxilio de maçarico, sobrepondo 10 cm manta com manta );

34 MATERIAL NECESSÁRIO par de luvas de raspa colher de pedreiro objeto cortante (estilete ou faca) rolo de pintura de lã de carneiro maçarico de alta potência

35 TINTA-EMBORRACHADA A tinta-emborrachada É um revestimento elástico impermeabilizante que possui excelente aderência, resistência à alcalinidade, à ação da maresia, às intempéries e sua composição antimofolhe confere superior durabilidade. Sua película impermeável e elástica permite acompanhar a dilatação e retração conforme a variação da temperatura. Reduz calor e ruído.

36 APLICAÇÃO TINTA EMBORRACHADA A superfície não deve apresentar partes soltas ou mal aderidas, deve estar lixada e limpa, seca, isenta de poeira e umidade, gordura ou graxa, sabão, pó, mofo, brilho ou caiação. Aplicar pura ou diluir até 10% com água potável (pincel/rolo). Agitar bem o produto até sua homogeneização completa. Aplicar 2-3 demãos com intervalo de 3 a 4 horas a temperatura de 25ºC e umidade relativa do ar 60%.

37 IMPERMEABILIZAÇÕES RÍGIDAS ABNT NBR 9575 Estabelece as exigências e recomendações relativas à seleção e projeto de impermeabilização, para que sejam atendidas as condições mínimas de proteção da construção contra a passagem de fluidos, bem como a salubridade,segurança e conforto do usuário, de forma a ser garantida a estanqueidade das partes construtivas que a requeiram. Seaplicaàsedificaçõeseconstruçõesemgeral,em execução ou sujeitas a acréscimo ou reconstrução, ou ainda àquelas submetidas a reformas ou reparos.

38 ABNT NBR 9574 Estabelece as exigências e recomendações relativas à execução de impermeabilização para que sejam atendidas as condições mínimas de proteção da construção contra a passagem de fluidos, bem como a salubridade, segurança e conforto do usuário, de forma a ser garantida a estanqueidade das partes construtivas que a requeiram. Se aplica às edificações e construções em geral, em execução ou sujeitas a acréscimo ou reconstrução, ou ainda àquelas submetidas a reformas ou reparos.

39 Definição: SISTEMAS RÍGIDOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO Conjunto de materiais ou produtos aplicáveis nas partes construtivas não sujeitas a fissuração. (NBR 9575) Descrição: Consiste na aplicação de produtos específicos que são aditivados, com o objetivo de proteger as diversas áreas de um imóvel contra ação de águas que podem ser de chuva, de lavagem, de banhos ou de outras origens. (IBI)

40 SISTEMAS RÍGIDOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO Indicação: São indicados para estruturas sujeitas a São indicados para estruturas sujeitas a mínimas variações de temperatura, pequenas vibrações e puca exposição solar.são aplicados em subsolo, piscina sobre a terra, galerias subterrâneas e em geral subsolos.

41 ADITIVOS HIDROGUGANTES É um líquido confere à argamassa normal a propriedade de repelir a água.trata-se de um mecanismo químico que impede as gotas de ficarem pequenas o suficiente para penetrar nos poros do concreto.

42 ADITIVOS CRISTALIZANTES Depois de misturar um componente adesivo e um cimentício, a massa ganha consistência de pasta e é aplicada sobre a superfície úmida. Essa umidade forma cristais que,secos,bloqueiama passagem da água.

43 EXEMPLOS DE SISTEMAS RÍGIDOS 1.Argamassa impermeável com aditivo hidrófugo; 2. Argamassa modificada com polímero ; 3. Argamassa polimérica ; 4. Cimento cristalizante para pressão negativa; 5. Cimento modificado com polímero; 6. Membrana expoxídica.

44 ADITIVOS POLIMÉRICOS É do tipo bicomponente: um composto de cimento e uma emulsão de polímeros. Este último ingrediente gera resistência e até um pouco de flexibilidade. Ela vira uma camada que não deixa a umidade passar.

45 PREPARAÇÃO DO SUBSTRATO Argamassa impermeável com aditivo hidrófugo;argamassa modificada com polímero;argamassapolimérica;cimentomodificado com poímero. O substrato deve se apresentar firme, coeso e homogêneo. O substrato deve ser limpo, isento de corpos estranhos, restos de fôrmas, pontas de ferragem, restos de produtos desmoldantesou impregnantes, falhas e ninhos. Elementos traspassantesao substrato devem ser previamente fixados. O substrato deve estar úmido, porém deve estar isento de filme ou jorro de água. Na existência de jorro de água promover o tamponamento com cimento e aditivo de pega rápida

46 PREPARAÇÃO DO SUBSTRATO Membrana epoxídica a) para água sob pressão negativa: O substrato deve ser de concreto e estar firme, coeso e homogêneo. O substrato deve estar limpo, seco, isento de corpos estranhos, restos de fôrmas, pontas de ferragem, restos de produtos desmoldantesou impregnantes, falhas e ninhos. b) para água sob pressão positiva O substrato deve estar firme, coeso e homogêneo. O substrato deve estar limpo, isento de corpos estranhos, restos de fôrmas, pontas de ferragem, restos de produtos desmoldantesou impregnantes, falhas e ninhos.

47 PREPARAÇÃO DO SUBSTRATO Cimento cristalizante para pressão negativa. O substrato deve ser de concreto e se encontrar firme, coeso e homogêneo. O substrato deve estar limpo, isento de corpos estranhos, restos de fôrmas, pontas de ferragem, restos de produtos desmoldantesou impregnantes, falhas e ninhos. O substrato deve estar saturado, porém deve estar isento de filme ou jorro de água. Na existência de jorro de água promover o tamponamento com cimento e aditivo de pega rápida.

48 Cimento cristalizante para pressão negativa. O substrato deve ser de concreto e se encontrar firme, coeso e homogêneo. O substrato deve estar limpo, isento de corpos estranhos, restos de fôrmas, pontas de ferragem, restos de produtos desmoldantesou impregnantes, falhas e ninhos. O substrato deve estar saturado, porém deve estar isento de filme ou jorro de água. Na existência de jorro de água promover o tamponamento com cimento e aditivo de pega rápida.

49 APLICAÇÃO Argamassa impermeável com aditivo hidrófugo O substrato deve ser umedecido e receber camada de chapisco de cimento e areia, traço 1:2, para servir de ponte de aderência entre o substrato e a argamassa impermeável com hidrófugo. A argamassa deve ser preparada in loco, não deve ser industrializada, composta por areia, cimento portland, aditivo hidrófugo e água potável (ABNT NBR 12170). A areia lavada deve ser de granulometria de 0,075 mm a 3 mm, classificada como média, isenta de substâncias ou materiais argilosos. O traço, o tipo de cimento e da areia e tempo de manuseio devem ser conforme especificações do fabricante.

50 A argamassa impermeável deve ser aplicada de forma contínua, com espessura de 30 mm, sendo a aplicação em camadas sucessivas de 15 mm, evitando-se a superposição das juntas de execução. A primeira camada deve ter acabamento sarrafeado, afim de oferecer superfície de ancoragem para camada posterior, sendo a argamassa impermeável manualmente adensada contra a superfície para eliminar ao máximo o índice de vazios. As duas camadas devem ser executadas no mesmo dia, caso contrário, a última camada deve ser precedida de chapisco. Quando houver descontinuidade devido a interrupção de execução, a junta deve ser previamente chanfrada e chapiscada. A última camada deve ter acabamento com uso de desempenadeira. A cura úmida da argamassa deve ser no mínimo 3 dias.

51 Argamassa modificada com polímero A argamassa a ser empregada deverá ser preparada in loco, pela mistura de aglomerante, agregado e polímero O traço, o tipo de cimento e da areia, tempo de utilização da mistura e cura devem ser conforme especificações do fabricante. O substrato de concreto quando na horizontal deve ser umedecido e receber camada de imprimação com uma composição de polímero e cimento Portland. O polímero deverá ser previamente diluído em água de acordo com a especificação do fabricante do polímero.

52 A necessidade da realização da imprimação e sua metodologia deve ser conforme o fabricante: O substrato de concreto quando na vertical deve ser umedecido e receber camada de chapisco antes da aplicação da argamassa modificada com polímero. O substrato de alvenaria, deve ser umedecido e receber camada de chapisco antes da aplicação da argamassa modificada com polímero A espessura da argamassa modificada com polímero deve ser no mínimo de 1,0 cm. Em áreas abertas ou sob incidência solar, promover a hidratação da argamassa modificada por no mínimo 72 horas.

53 Argamassa polimérica e Cimento modificado com polímero Adicionar aos poucos o componente pó ao componente resina e misturar homogeneamente, de forma manual ou mecânica, dissolvendo os possíveis grumos. Uma vez misturados os componentes pó e resina, o tempo de utilização da mistura não deve ultrapassar o período recomendado pelo fabricante. Aplicar sobre o substrato as demãos em sentido cruzado da argamassa polimérica, com intervalos de 2 a 6 horas entre demãos, dependendo da temperatura ambiente. Caso a demão anterior esteja seca, molhar o local antes da nova aplicação.

54 Quando da utilização de armadura tipo tela, esta deve ser posicionada após a primeira demão e ser totalmente recoberta pelas demãos subseqüentes. Em áreas abertas ou sob incidência solar, promover a hidratação da argamassa polimérica por no mínimo 72 horas. A dosagem, consumo, tempo de mistura e manuseio, ferramentas de aplicação, secagem entre demãos e cura devem seguir as recomendações do fabricante.

55 Cimento cristalizante para pressão negativa Misturar em um recipiente o cimento com aditivo de pega-rápida com água, na proporção indicada pelo fabricante até formar uma pasta de consistência lisa e uniforme. Aplicar uma demão com trincha, vassoura ou brocha. Imediatamente sobre a camada de cimento com aditivo de pega rápida, ainda úmido, esfregar o cimento com aditivo ultra rápido à seco sobre a superfície tratada, forte e repetidas vezes até que se forme uma camada fina de cor escura e uniforme. Caso a água continue penetrando por algum ponto, repetir o tamponamento com cimento com aditivo ultra rápido, até a obtenção da estanqueidade.

56 Aplicar de forma imediata uma demão de Líquido Selador, até que a superfície fique brilhante. Imediatamente sobre o Líquido Selador, ainda brilhante, aplicar uma demão de pasta decimento com aditivo de pega rápida preparada conforme procedimento anterior. Aguardar 20 minutos e dar outra demão de cimento com aditivo de pega rápida no sentido cruzado em relação a demão anterior. A dosagem, consumo, tempo de mistura e manuseio, ferramentas de aplicação, secagem entre demãos e cura devem seguir as recomendações do fabricante.

57 Membrana epoxídica Adicionar aos poucos os componentes endurecedor e resina e misturar homogeneamente, de forma mecânica ou manual. Uma vez misturados os componentes, o tempo de utilização da mistura não deve ultrapassar o tempo de manuseio. Aplicar sobre o substrato as demãos, com intervalo máximo de 24 horas entre demãos, Caso ultrapasse o intervalo máximo, promover lixamento superficial. Quando da utilização de armadura tipo tela, esta deve ser posicionada após a primeira demão e ser totalmente recoberta pelas demãos subseqüentes. A dosagem, consumo, tempo de mistura e manuseio, ferramentas de aplicação, secagem entre demãos e cura devem seguir as recomendações do fabricante.

58 PROTEÇÃO MECÂNICA (Argamassa, concreto,geotêxtil, Metal e Solo) Sim: Argamassa impermeável com aditivo hidrófugo Argamassa polimérica Cimento cristalizante para pressão negativa Membrana epoxídica Cimento modificado com polímero Não: Argamassa modificada com polímero

59 Sistema Tipo de proteção Contra àgua de percolação Contra água de condensação Contra umidade do solo Contra fluidos sob pressão Unilateral ou bilateral Argamassa impermeável com aditivo hidrófugo Argamassa modificada com polímero Argamassa polimérica Cimento cristalizantepara pressão negativa Cimento modificado com polímero Membrana Expoxídica

60 IMPERMEABILIZAÇÃO DE RESERVATÓRIOS Reservatórios são todas as estruturas com o objetivo de reservar líquidos no seu interior. argamassas aditivadas; poliméricas; membranas de cimento modificado com polímeros; membranas de PVC.

61 SOLUÇÕES A SEREM EMPREGADAS NOS PROBLEMAS DE VAZAMENTOS A solução para os casos de vazamentos em reservatórios é fazer/refazer toda a impermeabilização. O sistema de impermeabilização deve seguir a norma NBR 12170/1992, Potabilidade da água aplicável em sistemas de impermeabilização. O esquema a seguir apresenta um esquema das possíveis soluções para o problema.

62 As figuras mostram um caso em reservatórios que apresentavam avançados problemas de infiltração. Parte interna da laje de base do reservatório Para qualquer tipo de sistema impermeabilizante escolhido as seguintes etapas devem ser seguidas: a) Remoção da impermeabilização antiga, se houver; Parte externa danificada pela infiltração

63 b) Limpeza total do reservatório; c) Regularização e arremates necessários; d) Execução de nova impermeabilização e recuperação do revestimento danificado.

64 FERRAMENTAS E MATERIAIS NECESSÁRIOS Broxa, desempenadeira, bloco de espuma, estilete, colher de pedreiro, trincha, impermeabilizante, tela de poliéster, argamassa. É imprescindível o uso de equipamentos de proteção individual(epi), como: capacete, luvas, óculos e avental.

65 Solucionado o problema devem-se fazer teste com água, para verificação da total impermeabilidade do sistema aplicado e executar o teste de estanqueidade (sem vazamento) de acordo com a Norma NBR Encher totalmente com água por no mínimo 72 horas. Desprezar a água de teste efetuando a limpeza com detergente e bucha. Executar biselamentode emendas de mantas, apenas após o teste de estanqueidade, evitando que defeitos de aplicação sejam encobertos pelo biselamento. Aplicar uma argamassa para a proteção mecânica, no piso.

66 MANUTENÇÃO DO SISTEMA IMPERMEABILIZANTE Não utilizar hastes, cabos de vassoura, ácidos ou produtos similares para eventual desobstrução de tubulações; As tubulações devem ser pintadas periodicamente contra a corrosão; Não devem ser empregadas máquinas de alta pressão, palhas de aço ou escovas metálicas para a lavagem.

67 IMPERMEABILIZAÇÃO PARA LAJES DE COBERTURA E TERRAÇOS Normas: NBR Solução Asfáltica Empregada como Imprimação da Impermeabilização; NBR Mantas Asfálticas com Armadura para Impermeabilização;

68 IMPERMEABILIZAÇÃO PARA LAJES DE COBERTURA Embora o concreto das lajes tenham aspecto forte e impenetrável, ele sempre apresenta fissuras e a maioria nem se vê. A laje também protege outras estruturas da casa, como paredes, etc. Vimos que o sistema mais indicado para impermeabilização de superfícies como as lajes, é o flexível.

69 MANTA ASFÁLTICA No caso de áreas com mais de 20m², as mantas têm bom rendimento na aplicação. Avalie se há muitos ralos e antenas, pois seus arremates tomam tempo. Pede camada de proteção mecânica.

70 MANTA ASFÁLTICA COM GRÂNULOS MINERAIS Indicada para lajes sem trânsito de pessoas. Os grãos de granita ou ardósia protegem a massa asfáltica do sol, dispensando a argamassa de proteção mecânica.

71 MANTA ASFÁLTICA ALUMINIZADA O alumínio reflete os raios solares, livrando a manta desse desgaste. Por tabela, melhora o conforto térmico da casa. Também não requer proteção.

72 MEMBRANA ASFÁLTICA A FRIO Aplicadas como se fossem pintura, as emulsões e soluções são práticas em lajes pequenas ou se há interferências, como antenas. Sobre elas, é preciso argamassa de proteção.

73 MEMBRANA ASFÁLTICA A QUENTE Requer time bem treinado para executar o serviço, pois pede uso de caldeira. Oferece melhor proteção que os tipos a frio e vai bem em áreas pequenas. Exige proteção.

74 MEMBRANA ACRÍLICA Aplicada como tinta, é indicada para lajes sem trânsito de pessoas. Como não resiste a empoçamentode água, o caimento da superfície deve ser de 2% em direção ao ralo. Não pede proteção.

75 PROTEÇÃO MECÂNICA Uma argamassa com traço 1:3 ou 1:4 cimento/areia aplicada sobre a manta já aderida. Deve perfazer de 2,5 a 3cm de espessura.

76 IMPERMEABILIZAÇÃO PARA TELHADOS MANTA ASFALTICA ALUMINISADA É UTILIZADA EM LAJES, TELHADOS DE AMIANTO, BARRO E GALVANIZADOS, CALHAS E RUFOS. ALÉM DE IMPERMEABILIZAR TOTALMENTE AINDA FUNCIONA COMO ISOLANTE TÉRMICO NA REDUÇÃO DE CALOR.

77 IMPERMEABILIZAÇÃO PARA TERRAÇOS Classificação de coberturas em terraço

78 Classificação quanto à acessibilidade Terraços acessíveis Solução sem isolamento térmico Solução com isolamento térmico

79 SOLUÇÃO COM ISOLAMENTO TÉRMICO A. Suporte B. Camada de Forma -regularização C. Emulsão betuminosa como primário de impermeabilização D. Membrana de betume polímero APP de 3,00 Kg/m2 com armadura de fibra de vidro de 50 gr/m2, protegida a polietileno em ambas as faces E. Membrana de betume polímero APP de 4,00 Kg/m2 com armadura de poliéster de 180 gr/m2, protegida a polietileno em ambas as faces F. Isolamento térmico em placas de poliestireno extrudido G. Manta geotêxtil de polipropileno com 150 g/m2, como camada separadora H. Proteção pesada

80 Terraços de acessibilidade limitada Solução sem isolamento térmico (sistema aderido) Solução com isolamento térmico Cobertura Invertida (sistema aderido) Solução com isolamento térmico Cobertura tradicional (sistema aderido)

81 SOLUÇÃO COM ISOLAMENTO TÉRMICO COBERTURA TRADICIONAL A. Suporte B. Camada de Forma -regularização C. Emulsão betuminosa aplicada a frio, funcionando simultaneamente como barreira ao vapor e como cola para as placas de isolamento térmico D. Isolamento térmico em placas de fibras de lã de rocha com 150 Kg/m3 recobertas por betume na face superior E. Membrana de betume polímero APP de 3,00 Kg/m2 com armadura de fibra de vidro de 50 g/m2, protegida a polietileno em ambas as faces F. Membrana de betume polímero APP de 4,00 Kg/m2 com armadura de poliéster de 150 g/m2, protegida a polietileno na face inferior e auto protegida com granulado mineral na face superior

82 Terraços acessíveis circulação e permanência de veículos Solução sem isolamento térmico Solução com isolamento térmico Terraços ajardinados

83 SOLUÇÃO COM ISOLAMENTO TÉRMICO A. Suporte B. Camada de Forma - regularização C. Emulsão betuminosa como primário de aderência D. Membrana de betume polímero APP de 4,00 Kg/m2 com armadura de poliéster de 150 g/m2, protegida a polietileno em ambas as faces E. Membrana de betume polímero APP de 4,00 Kg/m2 com armadura de poliéster de 180 g/m2, protegida a polietileno em ambas as faces F. Isolamento térmico em placas de poliestireno extrudido G. Manta geotêxtil de polipropileno com 250 g/m2, como camada separadora H. Protecção pesada (camada de desgaste em betão armado)

84 IMPERMEABILIZAÇÃO DE COBERTURAS INCLINADAS COM TELHAS A. Suporte B. Emulsão betuminosa como primário de aderência C. Membrana de betume polímero APP de 4,00 Kg/m2 com armadura de poliéster de 150 gr/m2, protegida a polietileno na face inferior e auto-protegida com granulado mineralna face superior D. Cola especial para telhas e poliestireno extrudido E. Isolamento térmico em placas de poliestireno extrudido ranhurado, fixo mecanicamente, ou por pontos de cola F. Ripado em betãopara assentamento das telhas (moldado no local ou pré-fabricado) G. Revestimento da cobertura assente sobre o ripado.

Unisalesiano Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil. Construção Civil II. Impermeabilização. Prof. André L.

Unisalesiano Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil. Construção Civil II. Impermeabilização. Prof. André L. Unisalesiano Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil Construção Civil II Impermeabilização Prof. André L. Gamino Normalização ABNT: Termos Gerais NBR 9575 (2010): Impermeabilização

Leia mais

Resistente à altas pressões hidrostáticas, tanto positivas quanto negativas; Não altera a potabilidade da água, sendo atóxico e inodoro;

Resistente à altas pressões hidrostáticas, tanto positivas quanto negativas; Não altera a potabilidade da água, sendo atóxico e inodoro; VIAPLUS BRANCO 1. Descrição Revestimento impermeabilizante, semiflexível, bicomponente (A+B), à base de cimentos especiais, aditivos minerais e polímeros de excelentes características impermeabilizantes.

Leia mais

O QUARTO ELEMENTO DA CONSTRUÇÃO

O QUARTO ELEMENTO DA CONSTRUÇÃO O QUARTO ELEMENTO DA CONSTRUÇÃO Porque Impermeabilizar? O que leva construtoras, construtores, proprietários de imóveis, etc... a procura de impermeabilizantes? De cada 10 pessoas que procuram produtos

Leia mais

Sistemas de Impermeabilização

Sistemas de Impermeabilização Sistemas de Impermeabilização Projecto de Construção CET Seia Eng. Sá Neves Eng. Sá Neve Sistema invertido ou tradicional : Os sistemas em cobertura invertida são os mais aconselháveis devido a maior durabilidade

Leia mais

Impermeabilização de edificações residenciais urbanas

Impermeabilização de edificações residenciais urbanas Impermeabilização de edificações residenciais urbanas Serviços Reparo - Proteção Impermeabilização - Graute Atuação em todo território nacional em obras de infraestrutura www.rossetiimper.com.br Aplicador

Leia mais

Soluções Técnicas em Construção

Soluções Técnicas em Construção Betumanta E Composto de asfalto elastomerico (S.B.S.), reforçado por um filme de polietileno de alta densidade com 50 micra de espessura. Esse produto foi desenvolvido para ser aplicado à maçarico. O produto

Leia mais

VEDATOP é um revestimento modificado com polímeros acrílicos, de alta aderência e impermeabilidade.

VEDATOP é um revestimento modificado com polímeros acrílicos, de alta aderência e impermeabilidade. Descrição VEDATOP é um revestimento modificado com polímeros acrílicos, de alta aderência e impermeabilidade. Adere perfeitamente ao concreto, à alvenaria e à argamassa. VEDATOP não é tinta de acabamento,

Leia mais

Viaplus 7000 Revestimento Impermeabilizante Cimentício Flexível com Fibras Sintéticas

Viaplus 7000 Revestimento Impermeabilizante Cimentício Flexível com Fibras Sintéticas Ficha Técnica de Produto Versão 20-08-2015 Viaplus 7000 1 /5 Viaplus 7000 Revestimento Impermeabilizante Cimentício Flexível com Fibras Sintéticas 1. Descrição Revestimento impermeabilizante, flexível,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas. Prof. Guilherme Brigolini

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas. Prof. Guilherme Brigolini UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas Prof. Guilherme Brigolini Impermeabilidade das construções Impedir a passagem indesejável água, fluído e vapores Pode conter

Leia mais

Excelente aderência quando aplicado sobre superfícies de concreto ou argamassa;

Excelente aderência quando aplicado sobre superfícies de concreto ou argamassa; VIAPLUS 7000-FIBRAS 1. Descrição Impermeabilizante à base de resinas termoplásticas e cimentos com aditivos e incorporação de fibras sintéticas (polipropileno). Essa composição resulta em uma membrana

Leia mais

Aula 24: IMPERMEABILIZAÇÃO SISTEMAS E EXECUÇÃO

Aula 24: IMPERMEABILIZAÇÃO SISTEMAS E EXECUÇÃO PCC-2436 ecnologia da Construção de Edifícios II Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Construção Civil PCC-2436 ecnologia da Construção de Edifícios II SISEMAS

Leia mais

Em toda construção o natural é ter técnica.

Em toda construção o natural é ter técnica. Em toda construção o natural é ter técnica. A TECNIKA iniciou suas atividades em meados de 2003, impulsionada pela demanda do mercado, sempre preocupada em buscar e oferecer soluções técnicas inovadoras,

Leia mais

Construção. Impermeabilizante liquido para preparo de concreto e argamassa. Descrição do Produto Usos. Características / Vantagens.

Construção. Impermeabilizante liquido para preparo de concreto e argamassa. Descrição do Produto Usos. Características / Vantagens. Ficha do Produto Edição 22/04/2011 Sikacim Impermeabilizante Construção Sikacim Impermeabilizante Impermeabilizante liquido para preparo de concreto e argamassa. Descrição do Produto Usos Características

Leia mais

IMPERMEABILIZAÇÕES REVESTIMENTO DE CALHAS E LAJES

IMPERMEABILIZAÇÕES REVESTIMENTO DE CALHAS E LAJES IMPERMEABILIZAÇÕES REVESTIMENTO DE CALHAS E LAJES Prof. Marco Pádua A cobertura é uma fase importante da edificação. Não só a questão estética deve ser considerada, como a escolha dos elementos, a posição

Leia mais

Impermeável Protector Resistente impermeabilizações objectivo - problema - solução objectivo 1 Prevenir a infiltração de água para os pavimentos e paredes das cozinhas, casas de banho, balneários e outros

Leia mais

Manual do Impermabilizador

Manual do Impermabilizador Rev.05 Manual do Impermabilizador Esta especificação técnica tem por objetivo fornecer subsídios na metodologia adequada de impermeabilização com mantas asfálticas. Em cada caso, deverão ser analisadas

Leia mais

Mantas pré-fabricadas, a base de asfaltos modificados e estruturadas com armadura de alta performance.

Mantas pré-fabricadas, a base de asfaltos modificados e estruturadas com armadura de alta performance. ATENDEMOS: Aterros Sanitários Bacias de Contenção de Dejetos Box / Banheiros Box / Banheiros Sistema Drywall Espelhos D' água Estações de Tratamento de Água Estações de Tratamento de Efluentes Floreiras

Leia mais

Tecnologia da Construção IMPERMEABILIZAÇÃO. Profº Joel Filho

Tecnologia da Construção IMPERMEABILIZAÇÃO. Profº Joel Filho Tecnologia da Construção IMPERMEABILIZAÇÃO Profº Joel Filho Introdução: Impermeabilização NBR 9575/2003 - Elaboração de Projetos de Impermeabilização Item 6 Projeto 6.1. Elaboração e responsabilidade técnica

Leia mais

VEDAJÁ é um revestimento impermeável de alta aderência e de fácil aplicação.

VEDAJÁ é um revestimento impermeável de alta aderência e de fácil aplicação. Descrição VEDAJÁ é um revestimento impermeável de alta aderência e de fácil aplicação. Pode ser aplicado sobre concreto, alvenaria e argamassa. VEDAJÁ proporciona impermeabilidade, mesmo com a ocorrência

Leia mais

VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável e elástica.

VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável e elástica. Descrição VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável e elástica. Características Densidade: 1,02 g/cm 3 Aparência: Cor preta Composição básica: emulsão asfáltica modificada com elastômeros

Leia mais

Construção. Aditivo impermeabilizante de pega normal para argamassa e concreto não armado. Descrição do Produto. Usos. Características/ Vantagens

Construção. Aditivo impermeabilizante de pega normal para argamassa e concreto não armado. Descrição do Produto. Usos. Características/ Vantagens Ficha do Produto Edição 18/5/2010 Sika 1 Construção Sika 1 Aditivo impermeabilizante de pega normal para argamassa e concreto não armado Descrição do Produto Usos Características/ Vantagens Dados do Produto

Leia mais

MANTA POLIMÉRICA é um impermeabilizante flexível a base de cimentos especiais modificados com polímeros acrílicos de excelente qualidade.

MANTA POLIMÉRICA é um impermeabilizante flexível a base de cimentos especiais modificados com polímeros acrílicos de excelente qualidade. Data da última revisão: 03/2011 DEFINIÇÃO MANTA POLIMÉRICA é um impermeabilizante flexível a base de cimentos especiais modificados com polímeros acrílicos de excelente qualidade. MANTA POLIMÉRICA é fácil

Leia mais

Internacional SOLUTIONS

Internacional SOLUTIONS Internacional SOLUTIONS SILICONE NEUTRO Silicone neutro Impermeabilizante de uso profissional. Inodoro e com fungicida. ADERE EM: Madeira, concreto, tijolo, vidro, PVC, plástico, alumínio, etc. APLICAÇÃO:

Leia mais

BIANCO é uma resina sintética de alto desempenho que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos.

BIANCO é uma resina sintética de alto desempenho que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos. Descrição BIANCO é uma resina sintética de alto desempenho que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos. BIANCO confere maior elasticidade e, assim, maior resistência

Leia mais

Execução de projetos com vista à impermeabilização

Execução de projetos com vista à impermeabilização Execução de projetos com vista à impermeabilização O arquiteto e o engenheiro, ao realizar um projeto para qualquer tipo de construção, devem preocupar-se com os problemas de impermeabilização já durante

Leia mais

lwarflex Manta asfáltica

lwarflex Manta asfáltica 8 lwarflex Manta asfáltica Manta impermeabilizante pré-fabricada à base de asfalto modificado com polímeros estruturada com poliéster pré-estabilizado. É necessário fazer proteção mecânica para proteção

Leia mais

2101 ARGAMASSA MATRIX REVESTIMENTO INTERNO Argamassa para Revestimento Interno de alvenaria

2101 ARGAMASSA MATRIX REVESTIMENTO INTERNO Argamassa para Revestimento Interno de alvenaria FICHA TÉCNICA DE PRODUTO 1. Descrição: A argamassa 2101 MATRIX Revestimento Interno, é uma argamassa indicada para o revestimento de paredes em áreas internas, possui tempo de manuseio de até 2 horas,

Leia mais

MAXIJUNTA - 3 EM 1 PRODUTO:

MAXIJUNTA - 3 EM 1 PRODUTO: INDICAÇÕES: Argamassa colante de assentamento e rejuntamento simultâneo flexível de alta adesividade para áreas internas e externas. Assenta e rejunta pastilhas de porcelana e cerâmica até 7,5 x 7,5 cm,

Leia mais

PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT FICHA TÉCNICA DO PRODUTO

PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT FICHA TÉCNICA DO PRODUTO PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT FICHA TÉCNICA DO PRODUTO PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT É uma tinta isolante térmica, composta de polímeros acrílicos elastoméricos, microesferas de cerâmicas, e aditivos especiais

Leia mais

Aplicações Xadrez Pigmento em Pó

Aplicações Xadrez Pigmento em Pó Dê asas à sua imaginação nas diversas aplicações do Pó Xadrez. Aplicações Xadrez Pigmento em Pó O PÓ XADREZ é um pigmento concentrado que proporciona efeitos decorativos em diversas aplicações. Mais econômico,

Leia mais

2202 ARGAMASSA MATRIX REVESTIMENTO FACHADA Argamassa para uso em revestimento de áreas externas

2202 ARGAMASSA MATRIX REVESTIMENTO FACHADA Argamassa para uso em revestimento de áreas externas É composta por uma mistura homogênea de cimento Portland, cal hidratada e agregados minerais com granulometria controlada e aditivos químicos. O produto é oferecido na cor cinza. 3. Indicação: A argamassa

Leia mais

Manual do impermeabilizador

Manual do impermeabilizador 1 Manual do impermeabilizador Preparação e aplicação em superfícies cimenticia Índice INTRODUÇÃO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO ESTATÍSTICAS NORMAS TÉCNICAS ELABORAÇÃO DO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO NBR

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções. Patologia: Impermeabilização X Umidade

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções. Patologia: Impermeabilização X Umidade UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Patologia das Construções Patologia: Impermeabilização X Umidade Impermeabilidade das construções Impedir a passagem indesejável água, fluído e

Leia mais

Resinas e. impermeabilizantes

Resinas e. impermeabilizantes Resinas e impermeabilizantes 02923 Flexível 360GR Cinza UNIT. É um adesivo selante, de alta flexibilidade e alongamento, formulado a partir de resinas elastoméricas de poliuretano, que sela a penetração

Leia mais

BIANCO. Preparo do substrato As superfícies devem estar limpas, porosas, isentas de pó ou oleosidade e serem umedecidas antes da aplicação.

BIANCO. Preparo do substrato As superfícies devem estar limpas, porosas, isentas de pó ou oleosidade e serem umedecidas antes da aplicação. Produto é uma resina sintética, de alto desempenho, que proporciona excelente aderência das argamassas aos mais diversos substratos. Confere maior plasticidade e, assim, maior resistência ao desgaste e

Leia mais

MAXIJUNTA - PASTILHAS DE PORCELANA

MAXIJUNTA - PASTILHAS DE PORCELANA INDICAÇÕES: Argamassa colante de assentamento e rejuntamento simultâneo flexível, de alta adesividade, para áreas internas e externas. O Maxijunta Pastilhas de Porcelana é indicado principalmente para

Leia mais

Sistema de Impermeabilização (Membrana)

Sistema de Impermeabilização (Membrana) Sistema de Impermeabilização (Membrana) MI - Membrana Impermeável Locais de Aplicação: Lajes, piscinas, banheiros, cozinhas, caixas d água, reservatórios, baldrames, calhas, muros de arrimo, alvenaria,

Leia mais

Aula 23: IMPERMEABILIZAÇÃO

Aula 23: IMPERMEABILIZAÇÃO PCC-2436 ecnologia da Construção de Edifícios II Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Construção Civil PCC-2436 ecnologia da Construção de Edifícios II Aula 23:

Leia mais

Soluções de Alto Desempenho para Construção PRODUTO MULTIUSO PARA OBRAS ECONÔMICAS

Soluções de Alto Desempenho para Construção PRODUTO MULTIUSO PARA OBRAS ECONÔMICAS Soluções de Alto Desempenho para Construção PRODUTO MULTIUSO PARA OBRAS ECONÔMICAS + + desempenho por m² AMP ARGAMASSA MODIFICADA COM POLÍMERO ( + ) MEMBRANA POLIMÉRICA O BAUCRYL ECOVEDA é um polímero

Leia mais

Com relação à industrialização e à racionalização das construções, julgue o item subsecutivo.

Com relação à industrialização e à racionalização das construções, julgue o item subsecutivo. Com relação à industrialização e à racionalização das construções, julgue o item subsecutivo. 85.(STM/CESPE/2011) A taipa de mão é, tradicionalmente, fabricada por meio de processos artesanais ou com forte

Leia mais

ARG. COLANTE REVESTIMENTO REJUNTE COMPONENTES DO REVESTIMENTO

ARG. COLANTE REVESTIMENTO REJUNTE COMPONENTES DO REVESTIMENTO TECNOLOGIA DE REVESTIMENTO Componentes do sistema BASE CHAPISCO Base Características importantes: Avidez por água - inicial e continuada Rugosidade EMBOÇO ARG. COLANTE REVESTIMENTO REJUNTE Chapisco Função:

Leia mais

assentamento e revestimento ficha técnica do produto

assentamento e revestimento ficha técnica do produto 01 Descrição: votomassa e revestimento é uma argamassa de uso geral que pode ser utilizada para o de elementos de alvenaria de vedação como blocos de concreto, blocos cerâmicos, e tijolos comuns. Também

Leia mais

IMPERMEABILIZAÇÃO EM EDIFICAÇÕES

IMPERMEABILIZAÇÃO EM EDIFICAÇÕES IMPERMEABILIZAÇÃO EM EDIFICAÇÕES Necessidade da impermeabilização Introdução a Impermeabilização Projeto de impermeabilização Execução de impermeabilização 1 - A NECESSIDADE DA IMPERMEABILIZAÇÃO Problemas

Leia mais

Sika Manta PS Tipo II 3mm Alumínio. Manta asfáltica com acabamento em alumínio para impermeabilização. 10 metros 1 metro. 3 mm.

Sika Manta PS Tipo II 3mm Alumínio. Manta asfáltica com acabamento em alumínio para impermeabilização. 10 metros 1 metro. 3 mm. Ficha do Produto Edição 16/09/2015 Sika Manta PS Tipo II 3mm Alumínio Manta asfáltica com acabamento em alumínio para impermeabilização. Descrição do Produto Sika Manta PS Tipo II 3mm Alumínio é uma manta

Leia mais

CONSERVANDO TELHADOS

CONSERVANDO TELHADOS A ESCOLHA DA COR Você sabia que o processo industrial empregado na elaboração de tintas ou revestimentos, etc... Somente se encerra com a cura total do produto após sua aplicação! Na maioria dos casos,

Leia mais

membrana impermeabilizante

membrana impermeabilizante 01 Descrição: votomassa é uma impermeável flexível e antifissura resistente a cargas, que dispensa o uso de telas, para aplicação em diversos substratos. 02 Classificação técnica: ANTES Hydro Ban votomassa

Leia mais

5. Limitações: A argamassa Matrix Assentamento Estrutural não deve ser utilizada para assentamento de blocos silicocalcário;

5. Limitações: A argamassa Matrix Assentamento Estrutural não deve ser utilizada para assentamento de blocos silicocalcário; A argamassa Matrix Assentamento Estrutural é uma mistura homogênea de cimento Portland, agregados minerais com granulometria controlada e aditivos químicos. 3. Indicação: Excelente para assentamento de

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE PINTURA

PROCEDIMENTOS DE PINTURA 1 PROCEDIMENTOS DE PINTURA 2 PROCEDIMENTOS DE PINTURA 01.00 SISTEMA DE PINTURA PARA ACABAMENTO FINAL EM LATEX PVA 01.01 - PREPARAÇÃO DA SUPERFÍCIE 1. GESSO (PLACA/PASTA) - Aplicar fundo preparador de parede

Leia mais

Utilize os produtos Ciplak e garanta uma impermeabilização durável e segura.

Utilize os produtos Ciplak e garanta uma impermeabilização durável e segura. A Ciplak Impermeabilizantes é uma divisão da LWART Química, empresa do Grupo Lwart, especializada na fabricação de produtos impermeabilizantes, isolantes termo acústicos e outros produtos para proteção

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ADITIVOS PARA O CONCRETO 1) Definição : NBR 11768 (EB-1763/92) - Aditivos para concreto de Cimento Portland. Produtos que adicionados em pequena quantidade a concreto de Cimento Portland modificam algumas

Leia mais

PLASTEEL MASSA 4:1 PLASTEEL MASSA

PLASTEEL MASSA 4:1 PLASTEEL MASSA PLASTEEL MASSA 4:1 PLASTEEL MASSA 4:1 é um composto epóxi bi-componente com carga metálica, característica de massa na cor preta, pode ser aplicado com espátula, cura a frio, substituindo de maneira muito

Leia mais

Elastron, membrana anticorrosiva e impermeabilizante. Fácil, a frio e sem juntas.

Elastron, membrana anticorrosiva e impermeabilizante. Fácil, a frio e sem juntas. Elastron, membrana anticorrosiva e impermeabilizante. Fácil, a frio e sem juntas. SOMA DE VALORES A JR Tecnologia em Superfícies (nome fantasia) iniciou suas atividades em 1991 com o nome JR Gonçalves

Leia mais

ELASTEQ 7000 ARGAMASSA POLIMÉRICA

ELASTEQ 7000 ARGAMASSA POLIMÉRICA ELASTEQ 7000 ARGAMASSA POLIMÉRICA Impermeabilizante à base de resinas termoplásticas e cimentos com aditivos e incorporação de fibras sintéticas (polipropileno). Essa composição resulta em uma membrana

Leia mais

UNICAP Universidade Católica de Pernambuco

UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Conceitos importantes UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Prof. Angelo Just da Costa e Silva Materiais betuminosos Impermeabilização Betume: aglomerante orgânico obtido por processo industrial (resíduo

Leia mais

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia MEMORIAL DESCRITIVO Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Sumário 1.Considerações gerais...1 2.Serviços

Leia mais

Sika Lâmina Asfáltica Alumínio. Lâmina asfáltica com acabamento em alumínio para sistemas impermeabilizantes multicamadas.

Sika Lâmina Asfáltica Alumínio. Lâmina asfáltica com acabamento em alumínio para sistemas impermeabilizantes multicamadas. Ficha do Produto Edição 29/10/2015 Erro! Fonte de referência não encontrada. Lâmina asfáltica com acabamento em alumínio para sistemas impermeabilizantes multicamadas. Descrição do Produto Usos é um produto

Leia mais

A OCORRÊNCIA DE EFLORESCÊNCIA EM LOCAIS IMPERMEABILIZADOS COM MANTA ASFÁLTICA

A OCORRÊNCIA DE EFLORESCÊNCIA EM LOCAIS IMPERMEABILIZADOS COM MANTA ASFÁLTICA A OCORRÊNCIA DE EFLORESCÊNCIA EM LOCAIS IMPERMEABILIZADOS COM MANTA ASFÁLTICA IRENE DE AZEVEDO LIMA JOFFILY (1) ANA LUIZA ALVES DE OLIVEIRA (2) (1) Professora UniCeub/Virtus Soluções (2) Graduanda em Engenharia

Leia mais

ADESIVO ACRÍLICO PARA CHAPISCO E ARGAMASSA

ADESIVO ACRÍLICO PARA CHAPISCO E ARGAMASSA ADESIVO ACRÍLICO PARA CHAPISCO E ARGAMASSA Adesivo acrílico em emulsão aquosa PROPRIEDADES DA ARGAMASSA Excelente plasticidade Boa impermeabilidade Minimiza retração após secagem A mistura permanece homogênea,

Leia mais

IMPERMEABILIZAÇÃO. Construção Civil II ( TC-025) Prof. José de Almendra Freitas Jr. freitasjose@terra.com.br

IMPERMEABILIZAÇÃO. Construção Civil II ( TC-025) Prof. José de Almendra Freitas Jr. freitasjose@terra.com.br Impermeabilização Ministério da Educação 15:02 Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Construção Civil II ( TC-025) IMPERMEABILIZAÇÃO Prof. José de Almendra Freitas Jr. freitasjose@terra.com.br

Leia mais

MACTRASET foi desenvolvido para evitar e eliminar definitivamente umidade e infiltrações, sendo de preparo e aplicação muito fáceis.

MACTRASET foi desenvolvido para evitar e eliminar definitivamente umidade e infiltrações, sendo de preparo e aplicação muito fáceis. Data da última revisão: 01/2010 DEFINIÇÃO MACTRASET foi desenvolvido para evitar e eliminar definitivamente umidade e infiltrações, sendo de preparo e aplicação muito fáceis. MACTRASET resiste às pressões

Leia mais

www.dryko.com.br Guia Técnico 4º Edição Linha de produtos Indicações de aplicação Propriedades dos produtos DRYKO

www.dryko.com.br Guia Técnico 4º Edição Linha de produtos Indicações de aplicação Propriedades dos produtos DRYKO www.dryko.com.br Guia Técnico 4º Edição Linha de produtos Indicações de aplicação Propriedades dos produtos DRYKO www.dryko.com.br Obras DRYKO está presente nas mais importantes obras no Brasil: Aeroporto

Leia mais

SISTEMAS DE PISO EPOXI

SISTEMAS DE PISO EPOXI SISTEMAS DE PISO EPOXI PRODUTO DESCRIÇÃO VEC-601 TUBOFLOOR TEE-556 AUTONIVELANTE Selador epóxi de dois componentes de baixa viscosidade. Revestimento epóxi com adição de sílica para regularização de pisos.

Leia mais

Construção Civil. Impermeabilização e Injeção

Construção Civil. Impermeabilização e Injeção Construção Civil Impermeabilização e Injeção Membranas moldadas in loco Vantagens da aplicação moldada in loco Agilidade na aplicação Requer cota mínima Aplicado a frio Molda-se perfeitamente ao substrato

Leia mais

Em vigor desde 19/08/2015 Máquinas e Ferramentas - 1 / 7 TABELA DE PREÇOS CÓDIGO DESCRIÇÃO UN. PVP

Em vigor desde 19/08/2015 Máquinas e Ferramentas - 1 / 7 TABELA DE PREÇOS CÓDIGO DESCRIÇÃO UN. PVP Em vigor desde 19/08/2015 Máquinas e Ferramentas - 1 / 7 1625202 LENA1BASIC CIMENTO COLA BR(S25K)$ UN 6,50 Ligantes hidráulicos, inertes calcáricos e silicioso e aditivos Peças de pequenas dimensões (15x15cm),

Leia mais

IMPERMEABILIZAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turma C01 Disc. Construção Civil II

IMPERMEABILIZAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turma C01 Disc. Construção Civil II IMPERMEABILIZAÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turma C01 Disc. Construção Civil II SISTEMAS DE IMPERMEABILIZAÇÃO Conjunto de produtos e serviços destinados a conferir

Leia mais

Poliuretano modificado com dispersão acrílica Densidade 1,35 kg/l (+23 C) (EN ISO 2811-1) Conteúdo de Sólidos Temperatura de Serviço

Poliuretano modificado com dispersão acrílica Densidade 1,35 kg/l (+23 C) (EN ISO 2811-1) Conteúdo de Sólidos Temperatura de Serviço Ficha do Produto Edição 18/05/2015 Nº de identificação: 0000000 00000 Sikafill Reflex Pro Manta liquida impermeabilizante ecológica de alta refletividade solar para coberturas, baseada na Tecnologia Co-Elástica

Leia mais

MANUAL TÉCNICO BETUMAT I M P E R M E A B I L I Z A N T E S

MANUAL TÉCNICO BETUMAT I M P E R M E A B I L I Z A N T E S MANUAL TÉCNICO BETUMAT Perfil Nossa empresa foi fundada em 1963 como distribuidora de betumes e, em 1968, expandimos nossas atividades e iniciamos a produção de impermeabilizantes. Atuamos na área da

Leia mais

BOLETIM DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS Revisão 006 Julho/2011

BOLETIM DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS Revisão 006 Julho/2011 1 - PRODUTO: Acrílico Standard mais rendimento Natrielli. 2 - DESCRIÇÃO: É uma tinta acrílica de alto rendimento apresenta um excelente acabamento em superfícies externas e internas de alvenaria, reboco,

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO. Primeira linha em impermeabilizante acrílico. Rua Moisés Marx nº. 494 Vila Aricanduva, SP CEP 03507-000 -Fone / Fax : (11) 6191-2442

BOLETIM TÉCNICO. Primeira linha em impermeabilizante acrílico. Rua Moisés Marx nº. 494 Vila Aricanduva, SP CEP 03507-000 -Fone / Fax : (11) 6191-2442 1 SELOFLEX R Primeira linha em impermeabilizante acrílico BOLETIM TÉCNICO Como qualquer tipo de impermeabilização flexível, a estrutura deverá estar seca, mínimo de 7 dias após a regularização, limpa de

Leia mais

MASTERTOP 1119 Sistema de Pintura Epóxi, sem adição de solventes, de alta resistência química e mecânica.

MASTERTOP 1119 Sistema de Pintura Epóxi, sem adição de solventes, de alta resistência química e mecânica. MASTERTOP 1119 Sistema de Pintura Epóxi, sem adição de solventes, de alta resistência química e mecânica. Descrição do Produto MASTERTOP 1119 é um sistema para pintura epoxídica, bicomponente, isento de

Leia mais

GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS. Comunidade da Construção de Vitória

GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS. Comunidade da Construção de Vitória GESTÃO DO CONTROLE TECNOLÓGICO DE REVESTIMENTOS 1 Objetivo Utilizar o controle tecnológico como ferramenta imprescindível para execução do revestimento de argamassa e cerâmica em fachadas, aumentando a

Leia mais

cerâmica externa ficha técnica do produto

cerâmica externa ficha técnica do produto 01 Descrição: Argamassa leve de excelente trabalhabilidade e aderência, formulada especialmente para aplicação de revestimentos cerâmicos em áreas internas e s. 02 Classificação técnica: ANTES Colante

Leia mais

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM COMO CAMADA DE SEPARAÇÃO NO SISTEMA DE IMPERMEABILIZAÇÃO DO EDIFÍCIO JK BELO HORIZONTE MG

APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM COMO CAMADA DE SEPARAÇÃO NO SISTEMA DE IMPERMEABILIZAÇÃO DO EDIFÍCIO JK BELO HORIZONTE MG APLICAÇÃO DO GEOTÊXTIL BIDIM COMO CAMADA DE SEPARAÇÃO NO SISTEMA DE IMPERMEABILIZAÇÃO DO EDIFÍCIO JK BELO HORIZONTE MG Autor: Departamento Técnico - Atividade Bidim Colaboração: Eng. Leonardo de Carvalho

Leia mais

Argamassa colante para assentamento de peças cerâmicas em áreas internas. SUPERFÍCIES INDICADAS PARA APLICAÇÃO Áreas internas. Emboço ou contrapiso sarrafeado ou desempenado, com pelo menos 14 dias de

Leia mais

EMPRESA CERTIFICADA ISO 9001 BETUMAT I M P E R M E A B I L I Z A N T E S MANUAL TÉCNICO BETUMAT I M P E R M E A B I L I Z A N T E S

EMPRESA CERTIFICADA ISO 9001 BETUMAT I M P E R M E A B I L I Z A N T E S MANUAL TÉCNICO BETUMAT I M P E R M E A B I L I Z A N T E S I M P E R M E A B I L I Z A N T E S EMPRESA CERTIFICADA ISO 9001 BETUMAT MANUAL TÉCNICO BETUMAT I M P E R M E A B I L I Z A N T E S I M P E R M E A B I L I Z A N T E S EMPRESA CERTIFICADA ISO 9001 BETUMAT

Leia mais

Argamassa TIPOS. AC-I: Uso interno, com exceção de saunas, churrasqueiras, estufas e outros revestimentos especiais. AC-II: Uso interno e externo.

Argamassa TIPOS. AC-I: Uso interno, com exceção de saunas, churrasqueiras, estufas e outros revestimentos especiais. AC-II: Uso interno e externo. Especificações Técnicas Argamassa INDUSTRIALIZADA : Produto industrializado, constituído de aglomerantes e agregados miúdos, podendo ainda ser adicionados produtos especiais (aditivos), pigmentos com a

Leia mais

Residencial Recanto do Horizonte

Residencial Recanto do Horizonte MEMORIAL DESCRITIVO Residencial Recanto do Horizonte FUNDAÇÃO E ESTRUTURA As Fundações serão executadas de acordo com o projeto estrutural, elaborado de acordo com as normas técnicas pertinentes e baseadas

Leia mais

O fundo preparador ou selador veda e nivela a superfície; se necessário, pode-se corrigir imperfeições com a massa corrida.

O fundo preparador ou selador veda e nivela a superfície; se necessário, pode-se corrigir imperfeições com a massa corrida. Página 1 de 5 TINTAS E VERNIZES LATEX ACRÍLICO E PVA Criadas para proteger e embelezar as paredes de alvenaria, estruturas metálicas e madeiras, as tintas são aperfeiçoadas para garantir maior desempenho

Leia mais

VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável, elástica e de grande durabilidade.

VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável, elástica e de grande durabilidade. Descrição VEDAPREN cobre a estrutura com uma membrana impermeável, elástica e de grande durabilidade. Aplicação Campos de Aplicação - Impermeabilização de:. lajes de cobertura;. terraços;. calhas de concreto;.

Leia mais

O Sistema FLEXGARDEN é constituído pelo primário de aderência TECSOL 1 e pela emulsão impermeabilizante TECSOL ANTI-RAIZES.

O Sistema FLEXGARDEN é constituído pelo primário de aderência TECSOL 1 e pela emulsão impermeabilizante TECSOL ANTI-RAIZES. DOCUMENTO TÉCNICO DE APLICAÇÃO SISTEMA SOTECNISOL FLEXGARDEN IMPERMEABILIZAÇÃO LÍQUIDA ANTI-RAÍZES DTA 09 Impermeabilização de floreiras FEVEREIRO DE 2012 1. DESCRIÇÃO DO SISTEMA O Sistema FLEXGARDEN é

Leia mais

Membrana liquida impermeabilizante, econômica e ecologicamente amigável para coberturas baseada na Tecnologia Co-Elástica (CET) da Sika

Membrana liquida impermeabilizante, econômica e ecologicamente amigável para coberturas baseada na Tecnologia Co-Elástica (CET) da Sika Ficha do Produto Edição 02/08/2011 Nº de identificação: 02 09 02 20 900 0 000004 Membrana liquida impermeabilizante, econômica e ecologicamente amigável para coberturas baseada na Tecnologia Co-Elástica

Leia mais

MÉTODO EXECUTIVO ME 09

MÉTODO EXECUTIVO ME 09 Objetivo: FOLHA 1 de 7 O método tem como objetivo detalhar o processo de proteção estanque para piscina, utilizando membrana polimérica, de modo a propiciar o treinamento da mão de obra e por conseqüência

Leia mais

MANUAL DO FABRICANTE:

MANUAL DO FABRICANTE: MANUAL DO FABRICANTE: ALVENARIA ESTRUTURAL Características e especificações, instruções de transporte, estocagem e utilização. GESTOR: Engenheiro civil EVERTON ROBSON DOS SANTOS LISTA DE TABELAS Tabela

Leia mais

COMO INSTALAR : MATERIAIS: IMPORTANTE. O contra piso deve estar:

COMO INSTALAR : MATERIAIS: IMPORTANTE. O contra piso deve estar: COMO INSTALAR : Importante para uma perfeita instalação, obter o resultado especificado pela Revitech Pisos e esperado pelo cliente, a utilização das ferramentas corretas. Ferramentas como a desempenadeira,

Leia mais

As coberturas planas podem ser classificadas, segundo vários aspectos: - acessíveis a veículos (ligeiros ou pesados);

As coberturas planas podem ser classificadas, segundo vários aspectos: - acessíveis a veículos (ligeiros ou pesados); 9. COBERTURAS DE EDIFÍCIOS 9.1. CLASSIFICAÇÃO DAS COBERTURAS EM TERRAÇO As coberturas planas podem ser classificadas, segundo vários aspectos: quanto à acessibilidade - não acessíveis (à excepção de trabalhos

Leia mais

Valores em Reais. Preço Unit. (Mat.+MO) Preço Parcial 1.0 EDIFÍCIO SEDE

Valores em Reais. Preço Unit. (Mat.+MO) Preço Parcial 1.0 EDIFÍCIO SEDE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE ASSUNTOS ADMINISTRATIVOS Coordenação-Geral de Recursos Logísticos Coordenação de Obras e Suporte Técnico Divisão de Engenharia PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

Leia mais

CONCRETO E ARGAMASSAS JAQUELINE PÉRTILE

CONCRETO E ARGAMASSAS JAQUELINE PÉRTILE CONCRETO E ARGAMASSAS JAQUELINE PÉRTILE Concreto O concreto é um dos produtos mais consumidos no mundo, perdendo apenas para a água, o que o torna muito importante para a construção civil. Ele não é tão

Leia mais

MOGIBASE IMPERMEABILIZANTE DE CONCRETO E ARGAMASSAS

MOGIBASE IMPERMEABILIZANTE DE CONCRETO E ARGAMASSAS MOGIBASE IMPERMEABILIZANTE DE CONCRETO E ARGAMASSAS COMPOSIÇÃO: Sais inorgânicos e estabilizantes. PROPRIEDADES: Impermeabilizante de concreto e argamassas. MOGIBASE é de fácil aplicação e não altera os

Leia mais

Tradicional linha química que incorpora: impermeabilizantes cimentícios, emulsões adesivas,bloqueador de umidade, impermeabilizantes epóxi,

Tradicional linha química que incorpora: impermeabilizantes cimentícios, emulsões adesivas,bloqueador de umidade, impermeabilizantes epóxi, Divisão Nota As informações contidas nesta ficha são baseadas em nosso conhecimento para a sua ajuda e orientação. Salientamos que o desempenho dos nossos produtos depende das condições de preparo da superfície,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA.

MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA. MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA. Dados da Obra: Endereço da obra: Rua Amazonas, nº512, Centro. Parte

Leia mais

Florença Revestimentos Cimentícios Recomendações Técnicas

Florença Revestimentos Cimentícios Recomendações Técnicas Florença Revestimentos Cimentícios Recomendações Técnicas Produto/variações Devido ao processo de fabricação e aplicação de gel envelhecedor, os revestimentos cimentícios, podem apresentar pequenas variações

Leia mais

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos Paredes internas Estrutura leve GESSO ACARTONADO Fixado em perfis de chapa de aço galvanizado (esqueleto de guias e montantes) Parede: chapas de gesso em uma ou mais camadas Superfície pronta para o acabamento

Leia mais

TECNOLOGIA DAS EDIFICAÇÕES III Prof. Antônio Neves de Carvalho Júnior I) REVESTIMENTOS DE PAREDES E TETOS

TECNOLOGIA DAS EDIFICAÇÕES III Prof. Antônio Neves de Carvalho Júnior I) REVESTIMENTOS DE PAREDES E TETOS TECNOLOGIA DAS EDIFICAÇÕES III Prof. Antônio Neves de Carvalho Júnior I) REVESTIMENTOS DE PAREDES E TETOS 1) INTRODUÇÃO ARGAMASSAS. Aglomerantes + agregados minerais + água (eventualmente aditivos). Intervalo

Leia mais

VEDAPREN. Densidade: 1,02 g/cm³ Aparência: Preto(a) Composição básica: Emulsão asfáltica modificada com elastômeros. Validade: 24 meses

VEDAPREN. Densidade: 1,02 g/cm³ Aparência: Preto(a) Composição básica: Emulsão asfáltica modificada com elastômeros. Validade: 24 meses Produto VEDAPREN é uma manta líquida, de base asfalto e aplicação a frio, pronta para uso e moldada no local. Cobre a estrutura com uma proteção impermeável. Apresenta ótimas características de elasticidade

Leia mais

MACTRACOL. Adesivo para chapiscos, argamassas e gesso. Data da última revisão: 01/2010 DEFINIÇÃO

MACTRACOL. Adesivo para chapiscos, argamassas e gesso. Data da última revisão: 01/2010 DEFINIÇÃO Data da última revisão: 01/2010 DEFINIÇÃO MACTRACOL é um adesivo especial à base de resina sintética compatível com cimento, cal, gesso e isopor (EPS). MACTRACOL proporciona às argamassas alto poder de

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS UFBA-ESCOLA POLITÉCNICA-DCTM DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DOS MATERIAIS SETOR DE MATERIAIS ROTEIRO DE AULAS CONCRETO Unidade III Prof. Adailton de O. Gomes II Materiais de Construção CONCRETO Definição:

Leia mais

UMIDADES E IMPERMEABILIZAÇÕES

UMIDADES E IMPERMEABILIZAÇÕES 200888 Técnicas das Construções I UMIDADES E IMPERMEABILIZAÇÕES Prof. Carlos Eduardo Troccoli Pastana pastana@projeta.com.br (14) 3422-4244 AULA 5 o Impermeabilização é a proteção das construções contra

Leia mais

OBRA: REFORMA E RECUPERAÇÃO DE PISCINA ENTERRADA - IEG

OBRA: REFORMA E RECUPERAÇÃO DE PISCINA ENTERRADA - IEG OBRA: REFORMA E RECUPERAÇÃO DE PISCINA ENTERRADA - IEG DATA: Abril/2011. LOCALIZAÇÃO : Av. Anhanguera Goiânia/GO. ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA: Impercia Atacadista LTDA. EXECUÇÃO: - ALDEIA ENGENHARIA LTDA. Situação:

Leia mais

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética REVESTIMENTO DE FACHADA Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética Documentos de referência para a execução do serviço: Projeto arquitetônico Projeto de esquadrias NR 18 20

Leia mais