A LINGUAGEM AUDIOVISUAL EM MÍDIAS PORTÁTEIS E UBÍQUAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A LINGUAGEM AUDIOVISUAL EM MÍDIAS PORTÁTEIS E UBÍQUAS"

Transcrição

1 ISSN: A LINGUAGEM AUDIOVISUAL EM MÍDIAS PORTÁTEIS E UBÍQUAS Angeles Treitero García Cônsolo¹ Resumo Neste texto procuraremos traçar um cenário a respeito dos dispositivos móveis, seu surgimento e desenvolvimento até os dias atuais, como também fazer uma refletir sobre temas como: mobilidade, novos comportamentos de sociabilidade, conexão constante, ou seja, conceitos que estão presentes quando se fala de tal tecnologia. Enfim, procuraremos analisar algumas transformações que vêm ocorrendo como fruto das mídias móveis. Palavras-chave: mobilidade aprendizagem conectividade - sociabilidade ¹Angeles Treitero García Cônsolo Doutoranda em Educação: Currículo e Mestre em Tecnologias da Inteligência e Design Digital, área: Processos Cognitivos e Ambientes Digitais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Endereço eletrônico:

2 CÔNSOLO, Angeles Treitero García 251 Introdução Quando surgiu a motivação para fazer um estudo em profundidade sobre os dispositivos móveis, isso parecia algo bastante fácil tendo em vista a modernidade do assunto. Entretanto, quando nos embrenhamos pelo caminho da investigação, percebemos que não se trata de algo tão simples. Constatamos que a trajetória a ser percorrida pode transformar-se efetivamente num labirinto, em virtude da complexidade do assunto. Ao falarmos em dispositivos móveis logo nos vem à mente os telefones celulares, porém, nessa categoria podem ser classificados um simples MP3 player (dispositivo que serve só como arquivo sonoro música ou voz) ou algo bastante sofisticado como o SmartPhone ou um tablet. Os telefones celulares, por exemplo, são hoje muito mais do que um meio de comunicação oral que serve para falar com alguém distante. Existem os aparelhos de última geração (3ª geração - 3G) que carregam arquivos de MP3, possuem rádios FM, gravam, permitem baixar vídeo, além dos serviços já comuns tais como câmeras fotográficas, transmissão de mensagens de texto (SMS e MMS), etc, ou seja, é um equipamento que possibilita de maneira efetiva o entretenimento, aprendizado, ou ao trabalho na sociedade contemporânea. Neste texto, procuraremos traçar um cenário a respeito dos dispositivos móveis. Refletir sobre temas tais como: mobilidade, novos comportamentos de sociabilidade, conexão constante, entre outros. Enfim procuraremos analisar algumas transformações que vêm ocorrendo como fruto das mídias móveis 1. O Desenvolvimento dos Dispositivos Móveis 1.1 O Telefone Celular Ao longo da história, a comunicação telefônica sofreu grandes transformações, enfrentou vários problemas com relação às transmissões, às interferências e aos múltiplos sinais que pareciam imensos. A maior parte dos problemas era causada pelo amontoado de fios em que o sistema estava esquematizado, o que impossibilitava uma transmissão perfeita. A solução só veio por volta da metade do século XX, quando foram introduzidos a amplificação eletrônica e o código de modulação, o que trouxe também o código binário. A informação binária pôde ser replicada de maneira infinitamente mais precisa. Posteriormente, essa mesma linguagem veio a ser usada nos computadores. Em 1956, nasceu o primeiro telefone digital. O novo sistema podia carregar vinte e quatro sinais de voz ou 1.5 megabits de informação num par de fios padrão. A comunicação por telégrafo e telefone, através do modo digital, pôde ser usada em larga escala. Em 1980, mais da metade das ligações na América do Norte foram realizadas eletronicamente. Ainda por volta de 1980, surgiram os primeiros telefones celulares. Eles pesavam de 3 a 10 quilos, consumiam muita bateria e tinham baixa qualidade de voz e, além disso, o sinal era analógico. Em 1992, estes aparelhos começaram a ser substituídos pelas redes digitais e, em 1997, nasceu a tecnologia GSM (Global System for Mobile Communication).

3 CÔNSOLO, Angeles Treitero García 252 No ano de 2001, os telefones celulares entraram num processo de hibridização, incorporando em suas funções mensagens de texto, envio e recebimento de s, etc. A terceira geração ou 3G (Sistema Celular de Terceira Geração) UTMS² permite que um número muito maior de aplicativos seja apresentado para usuários a nível mundial, promovendo um link crucial entre os múltiplos sistemas GSM atuais e o IMT Esta nova rede também supre a crescente demanda de aplicativos para a Internet móvel. O UMTS aumenta a velocidade de transmissão de dados para 2 Mbps por usuário móvel e estabelece um padrão global de roaming. Podemos dizer que tais dispositivos se destacam por serem terminais multimídia e pela sua maior velocidade de transmissão de dados. A tecnologia permite transmitir imagens ao vivo, ouvir música, assistir TV, possuem pequenas câmeras de vídeo embutidas, fones de ouvido, saídas de áudio, bluetooth, browser com acesso à internet e correio eletrônico. 1.2 Outros Dispositivos Móveis Em paralelo aos celulares, surgiram outros dispositivos móveis, como por exemplo, o handheld (Palm) denominado Newton, lançado em meados de 1992 pela Apple. O Newton chegou ao mercado com tela sensível ao toque, 1MB de memória total, e capacidade de transmissão de dados de 38.5 kbps. Este modelo não teve muita repercussão, mas é considerado o início dos dispositivos móveis. Em 1996, a U.S. Robotics lançou o (Palmtop) Pilot 1000 e 5000, dispositivo que teve uma grande aceitação no mercado, por lançar as bases de toda uma plataforma de Palmstops que chegou a atingir 80% do mercado mundial e existente até hoje No mesmo ano, foi lançado um dispositivo com Windows CE 1.0, da Microsoft. Posteriormente foi lançado o Windows CE 3.0 e a plataforma Pocket PC, em 2000, mas a plataforma Windows CE não teve grande aceitação do mercado. Entretanto, a partir do Sistema Operacional Pocket PC 2000, embutido em dispositivos como o HP Jornada e o Compaq Ipaq, esta plataforma ganhou aceitação do mercado e começou a crescer. Contudo, não seria possível obter mídias móveis e ubíquas se não tivesse sido desenvolvida a tecnologia Wi- Fi ou Wi-Max. 2. A Tecnologia Wi-fi e Wi-max 2.1 A Tecnologia Wi-Fi A tecnologia Wi-Fi (Wireless Fidelity) é uma tecnologia WLAN (Rede Local sem fios). Em área limitada, permite conexões de alta velocidade entre dispositivos móveis de dados como, por exemplo, computadores portáteis. ²G/UMTS - Apesar dos sucessivos atrasos, originados por diversos fatores de ordem econômica e tecnológica, as tecnologias 3G (terceira geração) / UMTS (Universal Mobile Telecommunications Systems) estão agora oferecendo tecnologias e serviços de banda larga. Através de uma gama definida de microondas, esta tecnologia disponibiliza acessos de alta velocidade (telefone, paging, messaging, Internet, banda larga) sem fios a longa distância, através de interfaces aéreas tais como as redes GSM (Europa), TDMA e CDMA (América).

4 CÔNSOLO, Angeles Treitero García 253. Estes dispositivos juntam-se a um ponto de acesso Wi-Fi, onde se autenticam para acederem ao canal de comunicações que a rede Wi-Fi disponibiliza. As redes Wi-Fi podem ser configuradas e operadas por qualquer pessoa, permitindo diferentes acessos a diferentes redes. Um ponto de acesso que permite, numa localização geográfica específica, conexão a uma rede (por exemplo, Internet) é denominado HotSpot. Já é comum encontrarmos hotspots em aeroportos, cibercafés, hotéis e outros lugares públicos, para lazer ou trabalho. 2.2 A Tecnologia Wi-Max A tecnologia Wi-Max (Worldwide Interoperability for Microwave Access) é uma tecnologia WLAN (Rede Local sem fios). Comparativamente ao Wi-Fi, cobre uma área maior de sinal, maior largura de banda e usa uma gama de freqüências mais alta. A tecnologia Wi-Max usa uma infra-estrutura de rede de dados fixa e, por utilizar uma gama de freqüências superior ao Wi-Fi, necessita de antenas de alto ganho (aproximadamente do tamanho de um computador portátil). Como resultado, o Wi-Max é uma tecnologia não móvel sem fios de alta velocidade que conecta de um ponto fixo para outros pontos fixos. Para melhor entendimento, imaginemos uma torre de rádio que emite um sinal para diversas antenas instaladas no topo dos edifícios. O Wi-Max é ideal para substituir o alto custo da instalação e serviços de curta distância em empresas que usam as tradicionais linhas T1. Deste modo, o Wi-Max é capaz de integrar uma WLAN existente, conectando diversos edifícios num campus de uma empresa ou corporação. Uma rede Wi-Max pode disponibilizar acesso Internet para hot-spots Wi-Fi, cabo coaxial e serviços DSL. Uma das vantagens do Wi-Max é que permite acesso de alta velocidade à Internet, disponibilizando um serviço wireless em regiões que necessita de infra-estruturas de cabo como, por exemplo, zonas rurais e zonas periféricas. Tal como é referido em alguns meios de discussão de tecnologias sem fios, o Wi-Max pode tornar-se uma tecnologia concorrente à 3G ou a outras tecnologias para telefones celulares de banda larga sem fios por disponibilizar acesso de alta velocidade, utilizando hot-spots Wi-Fi de baixo custo em diversos locais estratégicos. Provavelmente, essas tecnologias evoluíram em paralelo, permitindo o uso a autênticas redes sem fios. A tecnologia Wi-Max continuará a disponibilizar Internet sem fios em grandes áreas e a grandes distâncias, conectando pequenos sistemas WLAN, enquanto a tecnologia Wi-Fi permite o acesso wireless a pequenos dispositivos móveis existentes numa WLAN. Deste modo, as duas tecnologias não se substituem, mas tendem a complementar-se. 3. Alguns Estudos e Pesquisas sobre os Dispositivos móveis Como se sabe, com desenvolvimento tecnológico surge a microinformática, trazendo os Computadores Pessoais - personal computer (PC) -, posteriormente segundo André Lemos (2004, p.19) com a popularização da Internet presenciou-se a transformação do PC nos Computadores Coletivos (CC) conectados ao ciberespaço.

5 A LINGUAGEM AUDIOVISUAL EM MÍDIAS PORTÁTEIS E UBÍQUAS 254 E, nos dias atuais estamos vivendo uma nova etapa com o desenvolvimento das mídias móveis, os Computadores Coletivos móveis (CCm) que se estabelecem com a computação ubíqua sem fio. Para o autor, trata-se da ampliação de formas de conexão as mais variadas, ou seja, ampliam-se as formas de conexão entre homem e homem, máquina e homem e máquina e máquina. A conexão é motivada pelo nomadismo tecnológico da cultura contemporânea e pelo desenvolvimento da computação ubíqua (3G, Wi-Fi), da computação senciente (RFID, bluetooth) e da computação pervasiva, além da continuação natural de processos de emissão generalizada e de trabalho cooperativos da primeira fase dos CC (blogs, fóruns, chats, softawars livres, peer to peer, etc). Para Lemos, na era da conexão, do CCm, a rede transforma-se em um ambiente generalizado de conexão, envolvendo o usuário em plena mobilidade. Afirma Patrick Lichty (2006), que o indivíduo móvel é um nômade, pois se move de um lugar para outro sem perder contato com o coletivo da aldeia eletrônica. Desde que estejam em sua rede de recepção, eles ainda estão disponíveis. Alguns movimentos estão ocorrendo com o auxílio dos dispositivos móveis, envolvendo o indivíduo móvel e nômade. Circunstâncias geradas pela conexão com as novas mídias trazem efetivamente sociabilidades totalmente diferentes das conhecidas até então. Trata-se de relações sociais em grupo com as Smart mobs³ ou as flash mobs 4. O conceito está baseado em movimentos inteligentes ou inteligência coletiva. 4. Dispositivos Móveis: uma mídia convergente? Segundo Lemos, o aparelho celular expressa: a radicalização da convergência digital, transformando-se em um teletudo para a gestão móvel e informacional do quotidiano.. (Lemos: 2004, p. 24). Com um simples apertar de teclas sabemos o que necessitamos fazer, não é mais necessário carregar pesadas agendas de um lado para outro. Vemos quem está nos ligando através de uma foto colocada como pano de fundo ou pelo nome que aparece no visor e ainda escolhemos se atendemos ou não quem está do outro lado da linha. Para Santaella os dispositivos móveis transformaram-se em verdadeiros controles remotos no comando da vida cotidiana dos indivíduos. (Santaella: 2010, p. 152). ³O termo Smart mobs foi criado por H. Rheingold para descrever as novas formas de sociabilidade usando dispositivos móveis tais como celulares, pagers, internet sem fio blogs, etc, com voz e mensagens de texto (Short Message Service - SMS). Os Smart Mobs são organizados para ações coletivas de multidões que podem ter adeptos de qualquer lugar do mundo. 4 Para Rheingold (2003) as práticas de flash mob, (multidões relâmpago que tem como característica principal realizar uma encenação em algum ponto da cidade), geralmente ocorrem em circuitos urbanos, mais freqüentemente nos hipercentros das grandes metrópoles, e representam a ponta final de um processo: a flash mob é especificamente um tipo de smart mob organizado exclusivamente para entretenimento. Tem-se aí o auge do processo de articulação e organização que tem início no ambiente on-line. Através da Internet - principalmente em blogs, listas de discussão, canais de chat, instant messengers ou mensagens SMS trocadas via telefones celulares - e das facilidades proporcionadas pelas novas formas de comunicação sem fio (comunicação descentralizada, multiplicação da capacidade de circulação de informações em curtos espaços de tempo, rapidez nas rearticulações necessárias, etc.), os interessados em participar de uma flash mob encontram-se, deliberam, encaminham os procedimentos necessários à consecução do evento.

6 A LINGUAGEM AUDIOVISUAL EM MÍDIAS PORTÁTEIS E UBÍQUAS 255 Com um celular o homem adquiriu características que somente Deus possuía que a dom da ubiqüidade, ele pode estar em vários lugares ao mesmo tempo, coloca as pessoas em um estado de presença ausência, o que significa que elas estão presentes e ao mesmo tempo não estão. (Santaella: 2010, p.102). Podemos afirmar que nestes aparelhos encontramos várias mídias? É o hibridismo das mídias, é uma convergência? Para Santaella (2010) o hibridismo das mídias está associado ao processo de convergência das mídias. Para a autora as mídias antes existiam em suportes físicos separados, como: papel para texto, película química para a fotografia e o filme, fita magnética para o som e o vídeo, fio de telefone, onda de rádio, satélite de televisão, tudo isso passou a combinar-se em informações digitais, produzindo a convergência de vários campos mediáticos tradicionais. De acordo com a autora: Foram assim fundidas as quatro formas principais da comunicação humana: o documento escrito (imprensa, magazine, livro); o audiovisual (televisão, vídeo, cinema); as telecomunicações (telefone, satélites, cabo) e a informática (computadores e programas informáticos). (Santaella; 2010, p. 86) Todo esse processo passou a chamar-se convergência das mídias, que tem como base o hibridismo midiático. Isso foi possível a partir da convergência entre os computadores e as telecomunicações com o advento da internet, um universo que cresce para o infinito, chamado por ciberespaço. O acesso é a característica mais marcante desse espaço virtual, que segundo Santaella é um espaço que está em todo lugar e em nenhum ao mesmo tempo, a interatividade que passou a fazer parte do cibernauta, para a autora é um espaço de acesso livre, informal, descentrado, capaz de atender a muitas das idiossincrasias motoras, afetivas, emocionais, cognitivas do usuário. (Santaella: 2007, p. 198). É um espaço das múltiplas linguagens todas misturadas transformando-se apenas em um clik com o acesso fácil e rápido para quem quiser participar. Para Santaella essa tecnologia móvel tem como principal característica a conexão contínua, se constitui por uma rede móvel de pessoas e de tecnologia nômade que circula em espaços físicos não contíguos. Para fazer parte desse espaço, um nó (ou seja, uma pessoa) não necessariamente precisa compartilhar do mesmo espaço geográfico com outros nós da rede móvel, transformando-se segundo Adriana Souza e Silva (2006) de espaços híbridos, são espaços criados pela junção entre lugares diferentes e desconectados. Define Souza e Silva espaço híbrido como: espaços móveis, criados pela constante movimentação de usuários que carregam aparelhos portáteis de comunicação continuamente conectado à Internet e a outros usuários (2006, p.24.). A autora caracteriza esse espaço com as palavras: lugar, espaço e mobilidade. Santaella (2010) chama de espaços intersticiais. Mistura inextricáveis entre os espaços físicos e o ciberespaço, possibilitada pelas mídias móveis. (2010, p.99). Ou seja, são espaços sem delimitação específica. A tecnologia móvel fez com que conceitos como espaço, tempo, lugar e mobilidade, que estavam bem definidos passassem a ser repensados. Porque estes conceitos ganham novos valores que não são possíveis serem pensados em separados antes da existência dessa tecnologia.

7 A LINGUAGEM AUDIOVISUAL EM MÍDIAS PORTÁTEIS E UBÍQUAS As interfaces dos aparelhos celulares Como já foi dito anteriormente os aparelhos celulares têm como principal característica o hibridismo midiático, como também possibilitam uma interface anteriormente desconhecida, isto é, permite estar on ou off-line ao mesmo tempo e em mobilidade. O que cria um espaço híbrido diferente, misturam-se o espaço físico ao virtual sem o sujeito perceber. Para algumas pessoas, ainda hoje, o ato de entrar na Internet é algo que está relacionado com determinadas atitudes, por exemplo, parar totalmente o que se está fazendo; depois sentar-se em frente a uma tela de um computador; ligar o computador; e finalmente entrar na Internet. E ali navegar onde desejar, conectado com o mundo virtual. Para algumas pessoas, ainda hoje, o ato de entrar na Internet é algo que está relacionado com determinadas atitudes, por exemplo, parar totalmente o que se está fazendo; depois sentar-se em frente a uma tela de um computador; ligar o computador; e finalmente entrar na Internet. E ali navegar onde desejar, conectado com o mundo virtual. Podemos afirmar que vários estudos já foram realizados sobre os usos dos celulares em diversos países, e aparecem de forma unânime o uso acentuado na utilização da voz, SMS, compras, etc, mas o que aparece como mola propulsora do consumo da telefonia celular, segundo Lemos (2004) é a necessidade de mobilidade e de contato permanente, são características primárias para o homem se manter em qualquer sociedade. 5. A Tecnologia Móvel A tecnologia móvel, principalmente o celular, pode ser considerada uma espécie de lugar onde podemos ser encontrados a qualquer momento se o desejarmos. Pois a primeira coisa que se pergunta quando se faz uma chamada onde você está. É um novo sistema de comunicação que estamos vivenciando nos dias atuais. Segundo Castells: O que caracteriza o novo sistema de comunicação, baseado na integração em rede digitalizada de múltiplos modos de comunicação, é sua capacidade de inclusão e abrangência de todas as experiências culturais. Em razão de sua existência, todas as espécies de mensagens do novo tipo de sociedade funcionam em um modo binário: presença/ausência no sistema multimídia de comunicação. Só a presença nesse sistema integrado permite a comunicabilidade e a socialização da mensagem. (2005, p. 460/461). As tecnologias móveis, principalmente os aparelhos celulares, hoje, estão por toda parte em nossa sociedade. Uma pesquisa realizada pelo IBGE 2010 revelou que mais de um terço dos brasileiros utilizam o telefone celular de modo exclusivo, dispensando até o uso da telefonia fixa. Segundo dados do CGI (Comitê Gestor de Internet) a diferença entre a penetração do telefone móvel e do telefone fixo é muito grande (78% e 40% no Total Brasil, respectivamente). O que significa dizer que os esforços para a penetração dessa tecnologia na sociedade estão muito grandes.

8 A LINGUAGEM AUDIOVISUAL EM MÍDIAS PORTÁTEIS E UBÍQUAS 257 As campanhas publicitárias com objetivo de propagar novos aparelhos através das mídias de massa são inúmeras e imensas. Elas querem atender a todos os tipos de públicos. Somos chamados o tempo todo para conhecer esses novos equipamentos por meio de todas as mídias. A televisão, por sua vez, que é a mídia que envolve mais receptores de uma vez só, convida de forma direta ou indireta a comprar um novo aparelho. Nas páginas da Internet as propagandas estão em todas as partes. Os links para visualizar tais equipamentos são diversos. As mensagens publicitárias se voltam para atender qualquer tipo de público. As empresas de telefonia móvel querem oferecer cada vez mais vantagens para o consumidor. Existe um direcionamento mercadológico enorme por parte tanto das operadoras de telefonia móvel como dos fabricantes de aparelhos móveis para criar novos hábitos de consumo. O grande negócio do momento é pulverizar e distribuir essa tecnologia para qualquer pessoa não importando classe social, sexo ou idade. Diversos tipos de aplicativos são desenvolvidos, eles estão sendo utilizados para atividades simples como calcular números, indo para coisas mais complexas como curso completo de idiomas. Por exemplo, a operadora própria de telefonia móvel a Vivo no Brasil, acabou de lançar mais um curso de inglês para seus clientes, com um custo de R$ 2,99 por semana, para quem quer iniciar a aprender inglês. O serviço conta com aulas em áudio e exercícios escritos via SMS, e o usuário ligar para o portal e inicia suas aulas. O usuário é estimulado a falar e pode gravar sua voz para ver como se saiu em seguida. A operadora disponibiliza hoje, oito cursos de inglês e espanhol para seus clientes, que podem ser feitos através de portal de voz, SMS e Internet. Outro exemplo de utilização de dispositivos móveis na educação, é a escola CCAA (escola de idiomas) que está disponibilizando, por meio de seu site, informações para seus alunos baixarem o material didático gratuitamente disponível para tablets (ipad ou Android). Os celulares são encontrados em todos os países, dos mais pobres aos mais ricos. Foi o equipamento de comunicação e de informação que obteve a maior aceitação e penetração nas sociedades. Redes de telefonia fixa hoje estão perdendo mercado enquanto a telefonia móvel está em plena expansão. Segundo dados da CETIC.br (Centro de Estudos sobre Tecnologias de Informação e da Comunicação) em novembro de 2011 / janeiro de 2012 o uso do celular no Brasil é algo bastante representativo sendo que 76% das pessoas possuem celular e somente 24% não possui. Número esse que vem crescendo gradativamente ano a ano. O celular tem se tornado um equipamento indispensável para o cidadão brasileiro, as pessoas não saem de casa sem levar esse pequeno aparelho consigo. Em termos de números estatísticos, no Brasil, ainda existe uma diferença significativa em virtude da região urbana ou rural, conforme dados apresentados pela CETIC.br, na região urbana 80% das pessoas possuem celular e somente 20% não possuem, sendo que na região rural 55% possuem e 45% não. O que está relacionado com instalação de antenas transmissoras. Essa tecnologia está proporcionando a realização de uma série de atividades via celulares.

9 A LINGUAGEM AUDIOVISUAL EM MÍDIAS PORTÁTEIS E UBÍQUAS Atividades realizadas via celular As estatísticas mostram as atividades realizadas com o uso deste aparelho: - receber e fazer chamadas ainda é a atividade mais utilizada fica 99% do total, (urbana 99% e rural 98%). - depois para o envio de SMS com 57% (urbana 59% e rural 40%), - passando para o acesso de música com 31% (urbana 33% e rural 18%), - indo para envio e recebimento de fotos e imagens com 23% (urbana 25% e rural 14%), - acesso a vídeos 21% (urbana 22% e rural 12%), - acesso a internet ficou com 17% (urbana 19% e rural 8%) - e por último foi para consultas de mapas 8% (urbana 8% e rural 3%). Todos esses dados apresentados são de fato algo para ser analisados e estudados, tendo em vista que esses aparelhos estão trazendo novos comportamentos e introduzindo novos hábitos culturais. Fazer uma chamada telefônica não se concentra mais somente via voz, ela foi ampliada na linguagem escrita através de SMS ou linguagem visual por meio de fotos e imagem, o que acaba incluindo muito mais pessoas nesse mundo comunicacional. Ou seja, a partir dessa tecnologia pessoas com deficiências auditivas ou visuais também passam a se comunicar. Em termos de comportamento, é normal ver uma pessoa pegar o celular por várias vezes só para verificar se não recebeu uma mensagem ou se deixou de atender uma chamada que não ouviu, mesmo que o aparelho esteja muito próximo dela. Ou interromper uma conversa para atender ao celular. Parece até que a comunicação móvel cria certa esquizofrenia da conexão constante. As pessoas principalmente as mais jovens ficam conectadas com seus aparelhos de celulares durante 24 horas por dia, pois isso lhes dá elas uma sensação de estar ligada em seu mundo, em sua rede social constantemente. E em certa medida não fazem diferença entre estar online ou off line. Esse consumo foi chamado por Lawrence e Phillips de produtos culturais e definido pelos autores como produtos culturais são bens e serviços valorizados por seu significado. (p.4). São produtos que são consumidos não pelo fato de resolver algum problema existente, mas pelo fato da interpretação que a sociedade ou o meio em que se vive faz. São produtos consumidos simbolicamente, é o valor do simbólico que importa. São produtos diferentes dos consumidos de indústrias tradicionais que são consumidos pelo seu valor material e para resolver um determinado problema prático. Hoje em dia até crianças muito pequenas possuem celulares, segundo dados CETIC.br em novembro de 2011 / janeiro de 2012, 59% de crianças na faixa etária entre 10 a 15 possuem celulares contra 41% que não possuem. O que nos mostra que pais procuram inserir seus filhos muito cedo nesse mundo digital e em mobilidade. E qual é o papel do professor e do aluno, uma vez que estes novos meios apresentam um novo panorama de comunicação? Como utilizar isto em favor do aprendizado.

10 A LINGUAGEM AUDIOVISUAL EM MÍDIAS PORTÁTEIS E UBÍQUAS O mundo digital e em mobilidade Os dispositivos móveis em sua maioria possibilitam ao indivíduo estar on ou offline e em movimento o que muda toda uma forma de comportamento, como também não é difícil ver pela televisão ou pela internet uma reportagem que foi feita por um cidadão comum, pois eles estão equipados com câmaras conectadas que podem relatam fatos antes mesmo dos profissionais, tudo isso em mobilidade. A Mobilidade Segundo Santaella (2010, p. 109) mobilidade pode ser definida de várias formas dependendo da área que a esteja conceituando. A palavra mobilidade contém o sema de movimento, o que compreende a ideia de um ato de deslocamento que permite que objetos, pessoas, ideia, coisas, possam trafegar através de localidades. Na perspectiva da geografia, mobilidade pode ser entendida como a habilidade de mover-se entre diferentes lugares de atividades. Nesta área as definições têm um significado mais físico, enquanto que os sociólogos apresentam mais o caráter social da mobilidade e as condições de possibilidade que se apresentam, ou seja, propensão a ser móvel varia de intensidade de indivíduo para indivíduo. Para a autora há também a questão da mobilidade de curto e de longo alcance. De longo alcance aparecem os aviões e os carros, de longa distância no espaço e de longa duração no tempo. No turismo, ou em caso de mudanças de residência, migrações ou imigrações também aparecem o conceito de mobilidade. Só que neste caso o conceito está associado à transgressão de fronteira, pelo menos do ponto de vista convencional. Entretanto, o conceito de mobilidade passa a ter outras conotações no mundo pós-moderno, pois o indivíduo é constantemente desafiado à permanente em mobilidade. Segundo Kellerman (apud Santaella 2010, p. 110) a dimensão mais notável da mobilidade encontra-se na expansão espacial do eu pela transmissão e recepção de informação que tem produzido mobilidades virtuais. Apesar de que, segundo Kellerman tudo isso começou com o telefone, se acentua mais expressivamente com os meios de comunicação de massa: jornal, cinema, rádio e especial com a televisão que promovem o transporte da mente. Porém, com o advento da internet e com os dispositivos móveis a mobilidade virtual não só se potencializa ou se diversifica como também obtêm novos significados: a informação, o saber, o conhecimento, a habilidade humana em criar identidades abstratas, pois tudo isso passa eletronicamente Considerações finais A tecnologia móvel está crescendo e tornando-se uma ferramenta de muita importância para o desenvolvimento pessoal e profissional para os indivíduos e para as organizações. Dispositivos com acesso a internet e comunicação em tempo real estão se convertendo em acessórios vitais em nossas vidas, como pudemos constatar por meio neste pequeno ensaio.

11 A LINGUAGEM AUDIOVISUAL EM MÍDIAS PORTÁTEIS E UBÍQUAS 260 A comunicação via dispositivos móveis está se convertendo em recurso intensivo em todos os níveis da população mundial, segundo os dados da CETIC.br 76% das pessoas no Brasil possuem celular, mais de 50% da população mundial possui um aparelho celular, empresas de telecomunicação, universidades e outras entidades estão empenhadas em pesquisar e analisar os efeitos que esses dispositivos podem proporcionar para a sociedade como um todo. E para finalizar, essa tecnologia está transformando conceitos tais como espaço e tempo, como também elimina fronteiras, encurta distâncias, mistura espaços virtuais e físicos, sem contar que ela convida o indivíduo a conexão constante, a ubiquidade e a onipresença. Entretanto, continua sendo somente tecnologia, se não houver um direcionamento pedagógico nas escolas de nada adianta, os alunos de forma geral continuarão se distraindo. Assim como se os professores não se especializarem e se atualizarem não irá acompanhar o desenvolvimento tecnológico e permanecerão a imposições por parte das entidades públicas como por exemplo, as proibições de utilização dos celulares em sala de aula. Bibliografia CASTELLS, M. A Era da Informação. Economia, Sociedade e Cultura. Vol.1. A sociedade em rede. SP, Paz e Terra, CENTRO DE ESTUDOS SOBRE TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO. Disponível em : Acesso em: Agost COMITÊ GESTOR DA INTERNET NO BRASIL (CGI) Disponível em: Acesso em Agost INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Disponível em: Acesso em: Agost GIFFONI, Carlos. Do celular ao computador, tecnologias convergem no ensino interdisciplinar de artes. São Paulo: Disponível em: >Acesso em: Out LEMOS, André. Cibercultura e mobilidade a era da conexão. In Derivas: cartografia do ciberespeço. Lucia Leão (Org). São Paulo: Senac, LICHTY, Patrick. Pensando a cultura nomádica: artes móveis e sociedade. <http://www.artemov.net/page/revista04_p3.php - edição.04» Acesso em: maio Valise in an ipod <http://www.voyd.com/voyd/>. Acesso em: maio O homem e os (mais recentes e desafiadores da cultura vigente) mecanismos. <http://www.artemov.net/>. Acesso em: Jun RHEINGOLD, Howard Disponível em: <http://www.smartmobs.com/book/book_summ.html>. Acesso em: Jul

12 A LINGUAGEM AUDIOVISUAL EM MÍDIAS PORTÁTEIS E UBÍQUAS 261 The New York Times. África rural é mercado fértil para celulares Disponível em: SA, Simone. Telefones móveis e formas de escuta na contemporaneidade Disponível em: <http://www.cem.itesm.mx/dacs/publicaciones/logos/anteriores/n41/furoli.html>. Acesso em: Jul SANTAELLA, Lucia. A ecologia pluralista da comunicação. São Paulo, Paulus, Linguagens Líquidas na era da mobilidade. São Paulo, Paulus, Matrizes da linguagem e pensamento: sonora visual verbal. São Paulo, Iluminuras, SILVA, Adriana de Souza. Do ciber ao híbrido: tecnologias móveis como interfaces de espaços híbridos. In: Imagem (Ir)realidade: comunicação e cibermídia. Araujo, Denize Correa. (Org). Porto Alegre: Sulinas, p.24.

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO Profª. Kelly Hannel Novas tecnologias de informação 2 HDTV WiMAX Wi-Fi GPS 3G VoIP Bluetooth 1 HDTV 3 High-definition television (também conhecido por sua abreviação HDTV):

Leia mais

Fundamentos da Computação Móvel

Fundamentos da Computação Móvel Fundamentos da Computação Móvel (Sistemas Computacionais Móveis) Programação de Dispositivos Móveis Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD 1 de 9 Desde o nascimento do telemóvel e o seu primeiro modelo vários se seguiram e as transformações tecnológicas que estes sofreram ditaram o nascimento de várias gerações. O Motorola DynaTac 8000X é

Leia mais

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1

Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio. slide 1 Telecomunicações, Internet e tecnologia sem fio slide 1 Objetivos de estudo Quais os principais componentes das redes de telecomunicações e quais as principais tecnologias de rede? Quais os principais

Leia mais

GUIA DE RECURSOS SMART

GUIA DE RECURSOS SMART GUIA DE RECURSOS SMART Características dos aplicativos da SMART TV 1.Android 4.2 dual-core smart TV 2.Conexão de rede (com fio/sem fio/pppoe/wlan HP) 3. Sync-View (opcional) 4. Multi-screen Interativa

Leia mais

Programa do Curso. Cultura da mobilidade e Educação: desvendando possibilidades pedagógicas

Programa do Curso. Cultura da mobilidade e Educação: desvendando possibilidades pedagógicas UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CAMPUS I MESTRADO EM EDUCAÇÃO E CONTEMPORANEIDADE LINHA DE PESQUISA: JOGOS ELETRÔNICOS E APRENDIZAGEM GRUPO DE PESQUISA: COMUNIDADES VIRTUAIS

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES As telecomunicações referem -se à transmissão eletrônica de sinais para as comunicações, incluindo meios como telefone, rádio e televisão. As telecomunicações

Leia mais

I N T R O D U Ç Ã O W A P desbloqueio,

I N T R O D U Ç Ã O W A P desbloqueio, INTRODUÇÃO Para que o Guia Médico de seu Plano de Saúde esteja disponível em seu celular, antes de mais nada, sua OPERADORA DE SAÚDE terá de aderir ao projeto. Após a adesão, você será autorizado a instalar

Leia mais

Wireless. Crescimento da Rede Wireless. Sistemas de Informação Rui Silva. Rui Silva. Jan 08

Wireless. Crescimento da Rede Wireless. Sistemas de Informação Rui Silva. Rui Silva. Jan 08 Wireless Sistemas de Informação Crescimento da Rede Wireless 1 Caso de Estudo: Intel, etc. Tempo dispendido por ligação em média m 5 minutos para cada nova ligação; Independência do local de trabalho dentro

Leia mais

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis 2.1. Histórico e Evolução dos Sistemas Sem Fio A comunicação rádio móvel teve início no final do século XIX [2], quando o cientista alemão H. G. Hertz demonstrou que as

Leia mais

A Nova Febre da Comunicação Móvel: WhatsApp 1

A Nova Febre da Comunicação Móvel: WhatsApp 1 A Nova Febre da Comunicação Móvel: WhatsApp 1 Cláudia Aparecida da Costa Vicente 2 Universidade Federal de Uberlândia Resumo Com as novas tecnologias da informação, a comunicação passa a ser efetuada de

Leia mais

Cenário sobre a integração das tecnologias às escolas brasileiras. Diretrizes para o desenvolvimento do uso das tecnologias no ensino-aprendizagem

Cenário sobre a integração das tecnologias às escolas brasileiras. Diretrizes para o desenvolvimento do uso das tecnologias no ensino-aprendizagem Cenário sobre a integração das tecnologias às escolas brasileiras Diretrizes para o desenvolvimento do uso das tecnologias no ensino-aprendizagem Maio, 2014 1 Índice 1. Introdução 3 2. Cenário do acesso

Leia mais

Java. para Dispositivos Móveis. Thienne M. Johnson. Novatec. Desenvolvendo Aplicações com J2ME

Java. para Dispositivos Móveis. Thienne M. Johnson. Novatec. Desenvolvendo Aplicações com J2ME Java para Dispositivos Móveis Desenvolvendo Aplicações com J2ME Thienne M. Johnson Novatec Capítulo 1 Introdução à computação móvel 1.1 Computação móvel definições Computação móvel está na moda. Operadoras

Leia mais

O conceito de colaboração

O conceito de colaboração O conceito de colaboração O conceito de colaboração está ligado às técnicas que possibilitam que pessoas dispersas geograficamente possam trabalhar de maneira integrada, como se estivessem fisicamente

Leia mais

MOBILE MARKETING. Prof. Fabiano Lobo

MOBILE MARKETING. Prof. Fabiano Lobo MOBILE MARKETING Prof. Fabiano Lobo - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo o conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros e é protegido pela legislação

Leia mais

Introdução a Computação Móvel

Introdução a Computação Móvel Introdução a Computação Móvel Computação Móvel Prof. Me. Adauto Mendes adauto.inatel@gmail.com Histórico Em 1947 alguns engenheiros resolveram mudar o rumo da história da telefonia. Pensando em uma maneira

Leia mais

Conexão Sem Fio Guia do Usuário

Conexão Sem Fio Guia do Usuário Conexão Sem Fio Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos. Bluetooth é marca comercial dos respectivos

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS A Internet global A World Wide Web Máquinas de busca Surgiram no início da década de 1990 como programas de software relativamente simples que usavam índices de palavras-chave.

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

Peça para um amigo baixar o programa também, e você pode começar a experimentar o VoIP para ver como funciona. Um bom lugar para procurar é

Peça para um amigo baixar o programa também, e você pode começar a experimentar o VoIP para ver como funciona. Um bom lugar para procurar é VOIP Se você nunca ouviu falar do VoIP, prepare-se para mudar sua maneira de pensar sobre ligações de longa distância. VoIP, ou Voz sobre Protocolo de Internet, é um método para pegar sinais de áudio analógico,

Leia mais

Evolução Telefonia Móvel

Evolução Telefonia Móvel 1 Evolução Telefonia Móvel RESUMO De modo geral o artigo visa esclarecer formas de comunicações utilizadas no passado e atualmente em celulares, tablets, modens portáteis entre outras aparelhos de comunicação

Leia mais

Telecomunicações e Teleprocessamento

Telecomunicações e Teleprocessamento Telecomunicações e Teleprocessamento Telecomunicações Telecomunicações podem ser definidas como comunicações por meios eletrônicos, normalmente a grandes distâncias. Como veículos de transmissão podem

Leia mais

Comunicação Sem Fio (Somente em Determinados Modelos)

Comunicação Sem Fio (Somente em Determinados Modelos) Comunicação Sem Fio (Somente em Determinados Modelos) Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos.

Leia mais

Cultura Digital e Educação: desafios contemporâneos para a aprendizagem escolar em tempos de dispositivos móveis

Cultura Digital e Educação: desafios contemporâneos para a aprendizagem escolar em tempos de dispositivos móveis Fórum de Informática Educativa- CEPIC NTM Cultura Digital e Educação: desafios contemporâneos para a aprendizagem escolar em tempos de dispositivos móveis Profª Drª Cíntia Inês Boll / Faced/UFRGS Rafaela

Leia mais

O novo serviço Giro oferece a você o máximo da Internet através da tecnologia móvel digital de terceira geração CDMA 2000 1xEV-DO:

O novo serviço Giro oferece a você o máximo da Internet através da tecnologia móvel digital de terceira geração CDMA 2000 1xEV-DO: Manual da fase de teste do Giro Beta Versão: 1.0 Data de publicação: Janeiro/2004 Descrição: Este manual irá ajudá-lo a responder dúvidas que você possa ter sobre a fase de teste do novo serviço Giro.

Leia mais

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes Noções de Redes: Estrutura básica; Tipos de transmissão; Meios de transmissão; Topologia de redes;

Leia mais

Tecnologia de redes celular GSM X CDMA

Tecnologia de redes celular GSM X CDMA Tecnologia de redes celular GSM X CDMA GSM (Global Standard Mobile) GSM (Global Standard Mobile) Também baseado na divisão de tempo do TDMA, o GSM foi adotado como único sistema europeu em 1992, e se espalhou

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD 1 de 7 Na minha opinião o telemovél na sociedade tem uma boa vantagem porque com tem uma grande mobilidade (pode-se levar para todo o lado), através dele podemos entrar em contacto com amigos ou familiares

Leia mais

Universidade Católica de Petrópolis Centro de Engenharia e Computação Introdução as Telecomunicações. Professor: Erasmus Couto de Miranda Aluno: Rgu:

Universidade Católica de Petrópolis Centro de Engenharia e Computação Introdução as Telecomunicações. Professor: Erasmus Couto de Miranda Aluno: Rgu: Universidade Católica de Petrópolis Centro de Engenharia e Computação Introdução as Telecomunicações Professor: Erasmus Couto de Miranda Aluno: Rgu: ATIVIDADE 1: REALIZAR PESQUISA A RESPEITO DO SEGUINTE

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Redes Wireless / Wi-Fi / IEEE 802.11 Em uma rede wireless, os adaptadores de rede em cada computador convertem os dados digitais para sinais de rádio,

Leia mais

2- Conceitos Básicos de Telecomunicações

2- Conceitos Básicos de Telecomunicações Introdução às Telecomunicações 2- Conceitos Básicos de Telecomunicações Elementos de um Sistemas de Telecomunicações Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Telecomunicações 2 1 A Fonte Equipamento que origina

Leia mais

Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA

Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA 1 Banda Estreita A conexão de banda estreita ou conhecida como linha discada disponibiliza ao usuário acesso a internet a baixas velocidades,

Leia mais

INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO

INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO Gustavo Cançado de Azevedo O autor relaciona educação e tecnologia, tomando como ponto de partida a maneira com que os avanços

Leia mais

Comunicação sem fio (somente para determinados modelos)

Comunicação sem fio (somente para determinados modelos) Comunicação sem fio (somente para determinados modelos) Guia do Usuário Copyright 2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Microsoft e Windows são marcas registradas da Microsoft Corporation nos

Leia mais

Comunicações a longas distâncias

Comunicações a longas distâncias Comunicações a longas distâncias Ondas sonoras Ondas electromagnéticas - para se propagarem exigem a presença de um meio material; - propagam-se em sólidos, líquidos e gases embora com diferente velocidade;

Leia mais

Formadora: Daniela Azevedo Módulo 11 IGRI13 Rui Bárcia - 15

Formadora: Daniela Azevedo Módulo 11 IGRI13 Rui Bárcia - 15 Formadora: Daniela Azevedo Módulo 11 IGRI13 Rui Bárcia - 15 Introdução, com algumas características Uma rede sem fios ou uma rede Wireless é uma infraestrutura das comunicações sem fio que permite a transmissão

Leia mais

SSC0748 - Redes Móveis

SSC0748 - Redes Móveis - Redes Móveis Introdução Redes sem fio e redes móveis Prof. Jó Ueyama Agosto/2012 1 Capítulo 6 - Resumo 6.1 Introdução Redes Sem fo 6.2 Enlaces sem fo, características 6.3 IEEE 802.11 LANs sem fo ( wi-f

Leia mais

Mobile Commerce. e-mail: wilson.cunha@viewit.com.br

Mobile Commerce. e-mail: wilson.cunha@viewit.com.br Mobile Commerce Wilson Cunha 30 anos de experiência em negócios. Formado em Tecnologia da Informação; E-commerce, Marketing Digital,. Há 06 anos em mobile commerce. Premiado no e-show 2013, melhor aplicativo

Leia mais

REDES INTRODUÇÃO À REDES

REDES INTRODUÇÃO À REDES REDES INTRODUÇÃO À REDES Simplificando ao extremo, uma rede nada mais é do que máquinas que se comunicam. Estas máquinas podem ser computadores, impressoras, telefones, aparelhos de fax, etc. Ex: Se interligarmos

Leia mais

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações.

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações. Roteiro de Estudos Redes PAN II O Portal Teleco apresenta periodicamente Roteiros de Estudo sobre os principais temas das Telecomunicações. Os roteiros apresentam uma sugestão de tutoriais publicados para

Leia mais

A Tecnologia a Serviço sdas Ideias

A Tecnologia a Serviço sdas Ideias sua A Tecnologia a Serviço sdas Grandes Ideias 1 Entre os 10 maiores integradores do Brasil Destaques Operacionais Mais de 10,000 equipamentos gerenciados de LAN e WAN 9.000 sites em mais de 700 clientes

Leia mais

INFORME INFRA-ESTRUTURA ÁREA DE PROJETOS DE INFRA-ESTRUTURA NOVEMBRO/96 N 4

INFORME INFRA-ESTRUTURA ÁREA DE PROJETOS DE INFRA-ESTRUTURA NOVEMBRO/96 N 4 INFORME INFRA-ESTRUTURA ÁREA DE PROJETOS DE INFRA-ESTRUTURA NOVEMBRO/96 N 4 As Redes do Futuro Começaram Ontem O acesso a grandes quantidades de informação, de modo rápido, preciso e seguro, vem se constituindo

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES TELECOMUNICAÇÕES E REDES 1 OBJETIVOS 1. Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? 2. Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização deve utilizar? 3. Como sua

Leia mais

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Magistério Superior Especialista em Docência para Educação

Leia mais

Tecnologias para pessoas com deficiência auditiva

Tecnologias para pessoas com deficiência auditiva Tecnologias para pessoas com deficiência auditiva ANTONIO BORGES TDD é a abreviatura de Telecommunications Device for the Deaf (Aparelho de telecomunicações para o surdo). O TDD é um sistema de comunicação

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Rede É um conjunto de computadores chamados de estações de trabalho que compartilham recursos de hardware (HD,

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE V: Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem Fio. Tendências em Redes e Comunicações No passado, haviam dois tipos de redes: telefônicas e redes

Leia mais

AMCO APRENDIZAGEM MÓVEL NO CANTEIRO DE OBRAS

AMCO APRENDIZAGEM MÓVEL NO CANTEIRO DE OBRAS AMCO APRENDIZAGEM MÓVEL NO CANTEIRO DE OBRAS LIMA, Luciana 1 DIAS, Daniele 2 IRELAND, Timothy 3 Centro de Educação /Departamento de Metodologia da Educação/ PROBEX RESUMO Este trabalho tem a finalidade

Leia mais

web2way Comunicações e Vídeos LTDA

web2way Comunicações e Vídeos LTDA web2way Comunicações e Vídeos LTDA Soluções em Comunicação da web2way que podem ser úteis para sua empresa Preparada por: Adriana Grasso sócia/administradora Data: 21/05/2012 Sobre a web2way A web2way

Leia mais

Introdução aos Sistemas de Comunicação

Introdução aos Sistemas de Comunicação Introdução aos Sistemas de Comunicação Edmar José do Nascimento (Princípios de Comunicação) http://www.univasf.edu.br/ edmar.nascimento Universidade Federal do Vale do São Francisco Colegiado de Engenharia

Leia mais

Atividade Capitulo 6 - GABARITO

Atividade Capitulo 6 - GABARITO Atividade Capitulo 6 - GABARITO 1. A Internet é uma força motriz subjacente aos progressos em telecomunicações, redes e outras tecnologias da informação. Você concorda ou discorda? Por quê? Por todos os

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES Capítulo 8 TELECOMUNICAÇÕES E REDES 8.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização

Leia mais

Composição. Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes

Composição. Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes Composição Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes Aterramento Fio de boa qualidade A fiação deve ser com aterramento neutro (fio Terra) trabalhando em tomadas tripolares Fio negativo,

Leia mais

Autor: Patrick Freitas Fures

Autor: Patrick Freitas Fures FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS TÉCNICO EM INFORMÁTICA Conectividade WIMAX Autor: Patrick Freitas Fures Relatório Técnico apresentado ao Profº. Nataniel Vieira com requisito parcial para obtenção

Leia mais

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV:

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV: IFPB Concurso Público/Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (Edital 24/2009) CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓDIGO 06 UCs de Comunicações Móveis e/ou de Processamento de Sinais de Áudio e Vídeo

Leia mais

Portfólio de comunicação wireless da Phonak Informações do produto

Portfólio de comunicação wireless da Phonak Informações do produto Portfólio de comunicação wireless da Phonak Informações do produto Durante todo este tempo recebemos informações importantes para entender perfeitamente o que importa para você. Cada nova geração de produtos

Leia mais

Aprenda a Trabalhar com Telemensagens

Aprenda a Trabalhar com Telemensagens Aprenda a Trabalhar com Telemensagens 5 Incluindo dicas de Cestas, Flores, Presentes e Internet Do Iniciante ao Profissional www.as2.com.br 1 Aprenda a Trabalhar com Telemensagens FASCÍCULO 5 Adquira o

Leia mais

1. Introdução 1.1 Os sistemas de 4 a geração Quando falamos em redes de quarta geração (4G), dois nomes vem imediatamente à nossa cabeça: LTE (Long

1. Introdução 1.1 Os sistemas de 4 a geração Quando falamos em redes de quarta geração (4G), dois nomes vem imediatamente à nossa cabeça: LTE (Long 16 1. Introdução 1.1 Os sistemas de 4 a geração Quando falamos em redes de quarta geração (4G), dois nomes vem imediatamente à nossa cabeça: LTE (Long Term Evolution) e WiMAX [11]. A tecnologia LTE é um

Leia mais

:: Telefonia pela Internet

:: Telefonia pela Internet :: Telefonia pela Internet http://www.projetoderedes.com.br/artigos/artigo_telefonia_pela_internet.php José Mauricio Santos Pinheiro em 13/03/2005 O uso da internet para comunicações de voz vem crescendo

Leia mais

DESAFIOS DO SKYPE NA COLETA DE DADOS NA PESQUISA EM EDUCAÇÃO ONLINE

DESAFIOS DO SKYPE NA COLETA DE DADOS NA PESQUISA EM EDUCAÇÃO ONLINE DESAFIOS DO SKYPE NA COLETA DE DADOS NA PESQUISA EM EDUCAÇÃO ONLINE Mayara Teles Viveiros de Lira (UFAL) Maria Helena de Melo Aragão (UFAL) Luis Paulo Leopoldo Mercado (UFAL) Resumo Este estudo analisa

Leia mais

Visão geral das redes sem fio

Visão geral das redes sem fio Visão geral das redes sem fio 1 - Introdução O termo redes de dados sem fio pode ser utilizado para referenciar desde dispositivos de curto alcance como o Bluetooth à sistemas de altas taxas de transmissão

Leia mais

3 Apresentação do caso

3 Apresentação do caso 3 Apresentação do caso Neste capítulo será contextualizado o mercado de telefonia móvel no Brasil, com a descrição dos principais concorrentes e a participação de mercado de cada um deles, a apresentação

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA AULA 01: TECNOLOGIAS DIGITAIS, MUDANÇAS SOCIAIS E A EDUCAÇÃO TÓPICO 02: VOCÊ E O COMPUTADOR 2.1 VOCÊ E O COMPUTADOR Nesta aula você irá refletir um pouco sobre como o computador, a

Leia mais

Tablet Educacional Possibilidades Pedagógicas

Tablet Educacional Possibilidades Pedagógicas Tablet Educacional Possibilidades Pedagógicas O Tablet 3 3 O Tablet Aplicativos do MEC MEC Mobilidade, TV Escola, Revista TV Escola, E-Proinfo e Portal do Professor (todos necessitam de conexão de internet);

Leia mais

Galaxy Tab 2 7.0. Plataforma PRODUTOS B2B SAMSUNG APPS SUPORTE MY SAMSUNG BUSCA. Página principal Celulares & Tablets Tablets

Galaxy Tab 2 7.0. Plataforma PRODUTOS B2B SAMSUNG APPS SUPORTE MY SAMSUNG BUSCA. Página principal Celulares & Tablets Tablets SOBRE A SAMSUNG NOTICIAS C C C PRODUTOS B2B SAMSUNG APPS SUPORTE MY SAMSUNG BUSCA Página principal Celulares & Tablets Tablets Galaxy Tab 2 7.0 Compatível com impressora GT P3100 7 Tweetar 0 Curtir 53

Leia mais

Mude para digital. Sistema de rádio bidirecional digital profissional MOTOTRBO

Mude para digital. Sistema de rádio bidirecional digital profissional MOTOTRBO Sistema de rádio bidirecional digital profissional A solução de comunicação em rádios bidirecionais de próxima geração está aqui, com melhor desempenho, produtividade e preço e mais oportunidades para

Leia mais

Brasil Conectado Hábitos de Consumo de Mídia

Brasil Conectado Hábitos de Consumo de Mídia Brasil Conectado Hábitos de Consumo de Mídia Objetivos Buscar compreender a audiência online no Brasil, seu envolvimento com a Internet e os diversos tipos de tecnologia (habitos), percepções e atitudes

Leia mais

MIDIA KIT 2015 www.naporteiracast.com.br

MIDIA KIT 2015 www.naporteiracast.com.br MIDIA KIT 15 www.naporteiracast.com.br O QUE É PODCAST? O termo podcast é a junção das palavras ipod (dispositivo de reprodução de arquivos digitais fabricado pela Apple) e broadcast (transmissão, em inglês).

Leia mais

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET Objectivos História da Internet Definição de Internet Definição dos protocolos de comunicação Entender o que é o ISP (Internet Service Providers) Enumerar os equipamentos

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família

Curso de Especialização em Saúde da Família MÓDULO: FAMILIARIZAÇÃO TECNOLÓGICA COM EAD UNIDADE 02 PROCESSO DE INTERAÇÃO EM EAD Prof. Msc Rômulo Martins 2.1 Interação em EAD A partir das novas mídias e tecnologias, tais como a televisão, o telefone

Leia mais

15/02/2015. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

15/02/2015. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Topologias de Redes; Meios de Transmissão; Arquitetura de Redes; Conteúdo deste

Leia mais

Lançamento: Galaxy S II Branco

Lançamento: Galaxy S II Branco Você está aqui : página principal : Celulares : Smartphones : Tenha um mundo de funcionalidades com o Galaxy S II. Com ele você tem Android 2.3 e milhares de aplicativos com o Android Market, pode registrar

Leia mais

Fundamentos da Informática

Fundamentos da Informática 1 PROCESSAMENTO DE DADOS I - FUNDAMENTOS A) CONCEITO DE INFORMÁTICA - é a ciência que estuda o tratamento automático e racional da informação. B) PROCESSAMENTO DE DADOS 1) Conceito Processamento de dados

Leia mais

4. Rede de Computador

4. Rede de Computador Definição Uma rede de computadores é formada por um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos, interligados por um sub-sistema de comunicação, ou seja, é quando

Leia mais

Fundação Oswaldo Aranha Centro Universitário de Volta Redonda RJ

Fundação Oswaldo Aranha Centro Universitário de Volta Redonda RJ Fundação Oswaldo Aranha Centro Universitário de Volta Redonda RJ Curso Seqüencial de Redes de Computadores Disciplina: Metodologia da Pesquisa Científica Outros trabalhos em: www.projetoderedes.com.br

Leia mais

Galaxy Tab 2 10.1 Wi-Fi

Galaxy Tab 2 10.1 Wi-Fi SOBRE A SAMSUNG NOTICIAS C C C PRODUTOS B2B SAMSUNG APPS SUPORTE MY SAMSUNG BUSCA Página principal Celulares & Tablets Tablets Galaxy Tab 2 10.1 Wi-Fi Compatível com impressora GT P5110 94 Tweetar 0 Curtir

Leia mais

Rádio Digital. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Senado Federal

Rádio Digital. Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Senado Federal Rádio Digital Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal Roberto Pinto Martins Secretário rio de Telecomunicações Ministério das Comunicações Sumário 1. Cenário

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENGENHARIA MBA EM TV DIGITAL, RADIODIFUSÃO E NOVAS E NOVAS MÍDIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENGENHARIA MBA EM TV DIGITAL, RADIODIFUSÃO E NOVAS E NOVAS MÍDIAS UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENGENHARIA MBA EM TV DIGITAL, RADIODIFUSÃO E NOVAS E NOVAS MÍDIAS Trabalho final da disciplina Computadores, Redes, IP e Internet Professor: Walter Freire Aluno:

Leia mais

EXPLICITAÇÃO DE FUNCIONALIDADES DO SISTEMA

EXPLICITAÇÃO DE FUNCIONALIDADES DO SISTEMA EXPLICITAÇÃO DE FUNCIONALIDADES DO SISTEMA NOTA INTRODUTÓRIA... 2 SISTEMA - INTRODUÇÃO... 3 I LEITURA DO CAUDAL... 3 II AUTÓMATO... 4 III TECNOLOGIA GSM... 5 IV BASE DE DADOS... 6 V SINÓPTICO... 7 Especificação

Leia mais

Introdução à MULTIMÍDIA E REALIDADE VIRTUAL

Introdução à MULTIMÍDIA E REALIDADE VIRTUAL Introdução à MULTIMÍDIA E REALIDADE VIRTUAL Processo de Comunicação Emissor Mensagem Receptor Canal / Meio Processo de Comunicação Interpretação da Mensagem pode sofrer distorção (ruídos) Após interpretação,

Leia mais

TELEFONIA CELULAR. Roteiro: História Como funciona WAP

TELEFONIA CELULAR. Roteiro: História Como funciona WAP TELEFONIA CELULAR Roteiro: História Como funciona WAP Milhões de pessoas em todo o planeta utilizam a telefonia celular, tecnologia que, atualmente, se tornou popular e barata. Muitas são as coisas que

Leia mais

O CONSUMIDOR MOBILE. Uma visão global

O CONSUMIDOR MOBILE. Uma visão global O CONSUMIDOR MOBILE Uma visão global A PRÓXIMA POTÊNCIA EM MÍDIA Quando a primeira chamada foi realizada por um telefone móvel em 1973, o protótipo utilizado tinha bateria com duração de 30 minutos e levava

Leia mais

NET, Claro e Embratel se unem para transformar a oferta de telecomunicações e entretenimento no Brasil

NET, Claro e Embratel se unem para transformar a oferta de telecomunicações e entretenimento no Brasil NET, Claro e Embratel se unem para transformar a oferta de telecomunicações e entretenimento no Brasil Empresas investem na integração das suas redes e lançam a mais completa oferta convergente de serviços

Leia mais

A EMPRESA SOLUÇÕES CORPORATIVAS SOLUÇÕES PARA OPERADORAS. Wholesale. Servidores SIP. Flat Fixo Brasil em CLI. IPBX Segurança e economia

A EMPRESA SOLUÇÕES CORPORATIVAS SOLUÇÕES PARA OPERADORAS. Wholesale. Servidores SIP. Flat Fixo Brasil em CLI. IPBX Segurança e economia A EMPRESA A ROTA BRASIL atua no mercado de Tecnologia nos setores de TI e Telecom, buscando sempre proporcionar às melhores e mais adequadas soluções aos seus Clientes. A nossa missão é ser a melhor aliada

Leia mais

Meios de Comunicação e Professores: Aproximações Práticas e Distanciamentos Conceituais 1

Meios de Comunicação e Professores: Aproximações Práticas e Distanciamentos Conceituais 1 Meios de Comunicação e Professores: Aproximações Práticas e Distanciamentos Conceituais 1 Charlotte Couto Melo 2 Gláucia da Silva Brito 3 Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR. Resumo As mudanças

Leia mais

Glossário de Internet

Glossário de Internet Acesso por cabo Tipo de acesso à Internet que apresenta uma largura de banda muito superior à da linha analógica. A ligação é feita com recurso a um modem (de cabo), que se liga à ficha de sinal de TV

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Você conectado ao mundo com liberdade APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL > ÍNDICE Sobre a TESA 3 Telefonia IP com a TESA 5 Portfólio de produtos/serviços 6 Outsourcing 6 Telefonia 7 Web

Leia mais

Ser a primeira opção para empresas que buscam soluções que combinem mobilidade, entretenimento e interatividade.

Ser a primeira opção para empresas que buscam soluções que combinem mobilidade, entretenimento e interatividade. MISSÃO Fornecer todas as ferramentas necessárias que possibilitem levar entretenimento e interatividade a todos os usuários de telefones móveis e fixo. OBJETIVO Ser a primeira opção para empresas que buscam

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Tópicos Especiais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Tópicos Especiais Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Professor: Fernando Zaidan Disciplina: Arquitetura da Informática e Automação MBA Gestão em Tecnologia da Informaçao Tópicos Especiais Evolução da Convergência Digital

Leia mais

1. AULA 1 - INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES

1. AULA 1 - INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES 1. AULA 1 - INTRODUÇÃO À REDES DE COMPUTADORES Objetivos da Aula Aprender os conceitos básicos para compreensão das próximas aulas. Na maioria dos casos, os conceitos apresentados serão revistos com maior

Leia mais

Barômetro. Cisco. Banda Larga. Análise de mercado

Barômetro. Cisco. Banda Larga. Análise de mercado Barômetro Cisco Banda Larga da Análise de mercado Barômetro Cisco da Banda Larga Índice Introdução Introdução...2 Metodologia...3 Barômetro Cisco da Banda Larga...3 Definições...4 Banda Larga no Mundo...4

Leia mais

DBL/BLM 01.08.2012. Banda Larga Móvel

DBL/BLM 01.08.2012. Banda Larga Móvel DBL/BLM 01.08.2012 Índice Banda Larga O que é? Abordagem Comercial O que é o 4G Evolução Tecnológica Uma Oferta duas marcas Tarifários Campanha de Adesão Equipamentos Serviços Adicionais Argumentário de

Leia mais

C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO. A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes

C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO. A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes FLORIANÓPOLIS 2014 2 RESUMO: O projeto apresentado é resultado

Leia mais

Série SV8000 UNIVERGE 360. UNIVERGE 360 - Unificando as Comunicações Empresariais

Série SV8000 UNIVERGE 360. UNIVERGE 360 - Unificando as Comunicações Empresariais Série SV8000 UNIVERGE 360 UNIVERGE 360 - Unificando as Comunicações Empresariais Tudo a ver com mudança E estar preparado para ela Com UNIVERGE360 você estabelece a direção. O ambiente de trabalho está

Leia mais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Conteúdo deste módulo Equipamentos usados nas Redes; Modelos de Camadas; Protocolos

Leia mais

Jornalismo móvel espaço de lugares e não-lugares e de novas práticas profissionais 1

Jornalismo móvel espaço de lugares e não-lugares e de novas práticas profissionais 1 Jornalismo móvel espaço de lugares e não-lugares e de novas práticas profissionais 1 Beatriz de Araújo Cavenaghi 2 Maria José Baldessar 3 Universidade Federal de Santa Catarina Resumo A partir da popularização

Leia mais

INTERNET CONCEITOS. Internet é a "grande rede mundial de computadores"

INTERNET CONCEITOS. Internet é a grande rede mundial de computadores INTERNET CONCEITOS O que é Internet Estamos acostumados a ouvir que Internet é a "grande rede mundial de computadores" Entretanto, essa definição não é muito simplista. Na realidade, Ela é uma coleção

Leia mais

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO A COMUNICAÇÃO NA INTERNET PROTOCOLO TCP/IP Para tentar facilitar o entendimento de como se dá a comunicação na Internet, vamos começar contando uma história para fazer uma analogia. Era uma vez, um estrangeiro

Leia mais