CIRCULAÇÃO EM 03/08/2007 ÀS 13:00 h

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CIRCULAÇÃO EM 03/08/2007 ÀS 13:00 h"

Transcrição

1 136 DIÁRIO DA JUSTIÇA Nº 147 FORTALEZA, 03 DE AGOSTO DE 2007 cidade de São Paulo - SP, nos dias 02 e 03 de agosto do corrente ano, concedendo-lhe o pagamento de 02 (duas) diárias no valor unitário de R$ 737,04 (setecentos e trinta e sete reais e quatro centavos), perfazendo um total de R$ 1.474,08 (hum mil, quatrocentos e setenta e quatro reais e oito centavos), ajuda de custo de 1/2 (meia) diária, no valor de R$ 368,52 (trezentos e sessenta e oito reais e cinqüenta e dois centavos), bem como passagens aéreas para o trecho Fortaleza - São Paulo - Fortaleza, devendo a despesa correr por conta da verba própria desta Procuradoria Geral de Justiça. Registre-se. Publique-se. Cumpra-se. GABINETE DO VICE-PROCURADOR GERAL DE JUSTIÇA, em Fortaleza, aos 25 de julho de FRANCISCO GADELHA DA SILVEIRA Vice-Procurador Geral de Justiça *** TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Aos 24 (vinte e quatro) dias do mês de abril de 2007, nesta Cidade e Comarca de Fortaleza, no Edifício Airton Castelo Branco Sales, Sede da Procuradoria Geral de Justiça, nas salas das Promotorias de Justiça do Meio Ambiente e Planejamento Urbano da Comarca da Capital, às 12h00, onde presente se achava o Promotor de Justiça, Dr. José Francisco de Oliveira Filho, titular da 2ª. Promotoria de Justiça do Meio Ambiente e Planejamento Urbano da Comarca da Capital, com amparo nos termos do art. 129, IX, da Constituição Federal c/c o art. 130, IX, da Constituição do Estado do Ceará; o art. 25 da Lei Orgânica Nacional; o art. 52, XX, do Código Estadual do Ministério Público, e o art. 4º e seguintes da Lei Estadual nº /2002, compareceu o Sr. José Cunha Saldanha, brasileiro, casado, representante legal do estabelecimento denominado FORRÓ KANGALHA, este doravante denominado Compromissário, que informa conhecer o conteúdo dos autos do Processo Administrativo n.º 280/2006, em tramitação perante a 2.ª Promotoria de Justiça do Meio Ambiente e Planejamento Urbano da Comarca da Capital, que trata de poluição sonora produzida em eventos religiosos em seus centros de evangelização, em desacordo com a Legislação Municipal, pretendendo ajustar-se aos mandamentos legais sem necessidade de ajuizamento da ação civil pública de que trata a Lei Federal n. º 7.347, de 24 de julho de 1985, para firmar o presente TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA, em verdade título extrajudicial, de conformidade com o disposto no parágrafo 6.º do art. 5.º, da Lei Federal, 7347/85, e art. 585, incisos III e VII,do CPC, nas seguintes condições: Cláusula Primeira O Compromissário não procederá, promoverá, realizará nem permitirá que se faça qualquer atividade que provoque emissão ou propagação de sons ou ruídos em níveis superiores aos estabelecidos na legislação municipal, Lei Municipal n.º 8097/97 (Poluição Sonora) c/c Lei n.º 5530/81 (Código de Posturas).. Parágrafo Primeiro - O presente compromisso deverá constar obrigatoriamente como cláusula vinculante em eventual futuro empréstimo, cessão de uso ou arrendamento do estabelecimento supra citado, transferindo a obrigação constante do presente título de modo a ser obtida idêntica adequação de conduta por parte de terceiros, cessionários e arrendatários. Parágrafo Segundo O Compromissário providenciará instalações acústicas adequadas, principalmente a resolução dos problemas de contenção acústica ocorridas no palco, de modo a reduzir a pressão sonora aos níveis permitidos na Lei Municipal 8097/97 c/c Lei n.º 5530/81, ou outra norma que venha disciplinar a produção de ruídos, desde que mais benéfica ao meio ambiente e à saúde humana, ficando de logo fixado o prazo de 45 (quarenta e cinco) dias para a conclusão da retificação do projeto acústico. Cláusula Segunda O presente título executivo não inibirá nem restringirá, de forma alguma, as ações de controle, monitoramento e fiscalização de qualquer órgão público, nem limita ou impede o exercício, por ele, de suas atribuições legais e regulamentares. Parágrafo Único O presente título executivo não eximirá o Compromissário de eventual responsabilidade penal por produção de poluição sonora, bem como de qualquer fiscalização procedida pelos órgãos ambientais; Cláusula Terceira - O Descumprimento ou violação de qualquer dos compromissos ora assumidos implicará, a título de cláusula penal, o pagamento de multa diária correspondente a R$ 500,00 (quinhentos reais), exigíveis enquanto perdurar a violação; Cláusula Quarta O descumprimento de qualquer das obrigações assumidas implicará a sujeição do Compromissário às medidas judiciais cabíveis, incluindo execução específica na forma estatuída no parágrafo 6. º do art. 5. º, da Lei Federal n. º 73.47/85 e incisos II e VII, do art. 585, do CPC. Cláusula Quinta - A fiscalização do cumprimento do compromisso ora firmado será realizada pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Serviços Urbanos SEMAM e pelas Secretarias Executivas Regionais, segundo as respectivas competências, ou outro órgão ambiental. Cláusula Sexta - A celebração deste TERMO de COMPROMISSO e AJUSTAMENTO de CONDUTA não impede que um novo termo seja firmado entre o MINISTÉRIO PÚBLICO e o COMPROMISSÁRIO, desde que mais vantajoso para o meio ambiente e submetido à prévia apreciação do Conselho Superior do Ministério Público. Cláusula Sétima - O MINISTÉRIO PÚBLICO, através da Promotoria de Justiça do Meio Ambiente e Planejamento Urbano, poderá, diante de novas informações ou se as circunstâncias assim o exigirem, retificar ou complementar o presente compromisso, determinando outras providências que se fizerem necessárias, e dando prosseguimento ao procedimento administrativo, mediante prévia apreciação do Conselho Superior do Ministério Público. Cláusula Oitava - Este Termo de Compromisso e Ajustamento de Conduta produzirá efeitos legais depois de homologado perante o conselho Superior do Ministério Público. Cláusula Nona - Fica consignado que os valores eventualmente desembolsados deverão ser revertidos em benefício do FUNDO de DEFESA DOS DIREITOS DIFUSOS DO ESTADO DO CEARÁ - FDID. Cláusula Decima O compromissário a partir desta data, se compromete que, se eventualmente realizar algum evento nos locais referidos acima, regularizará perante a municipalidade, apresentando nesta Promotoria de Justiça o devido alvará de funcionamento. Nada mais havendo a tratar, o Promotor de Justiça ordenou que se encerrasse o presente termo de compromisso de ajustamento, impresso em 3 (três) vias, o que foi feito na forma e observadas às formalidades legais. Do que, para constar, lavrei o presente que, lido e achado conforme, vai devidamente assinado pelas partes compromissárias e pelas testemunhas adiante assinadas. Eu, Fabiano Santiago Mendes, Assistente Ministerial, o subscrevi. José Francisco de Oliveira Filho Promotor de Justiça José Cunha Saldanha Representante legal do estabelecimento Marcos Saldanha Advogado, OAB nº 9837 Testemunha Testemunha *** PROVIMENTO N 36/2007 Dispõe sobre o estágio probatório e a Avaliação Especial de Desempenho dos servidores do Quadro de Pessoal Efetivo e Permanente do Ministério Público do Estado do Ceará, e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO CEARÁ, DOUTOR MANUEL LIMA SOARES FILHO, no uso das atribuições que lhe confere o art. 45, inciso I, alínea 26, da Lei nº , de 08 de julho de 1982 Código do Ministério Público do Estado do Ceará, CONSIDERANDO que o comando constitucional que condiciona a

2 DIÁRIO DA JUSTIÇA Nº 147 FORTALEZA, 03 DE AGOSTO DE 2007 aquisição da estabilidade no serviço público à submissão a período de estágio probatório e a avaliação especial de desempenho, art. 41, caput e 4º; CONSIDERANDO que os servidores deste Ministério Público se submetem ao regime estabelecido pelo Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Estado do Ceará, conforme dispõe o artigo 67, parágrafo único da Lei /95; CONSIDERANDO que o referido Estatuto, consoante o comando constitucional supra, estabelece no art. 27, 2º, b, a realização de avaliação especial de desempenho, logo após o término do estágio probatório; CONSIDERANDO a necessidade de regulamentar a avaliação especial de desempenho dos servidores do Ministério Público para fim de aquisição da estabilidade funcional; CONSIDERANDO que os servidores públicos em estágio probatório devem ser avaliados quanto a sua capacidade e qualidade no desempenho das atribuições do cargo e os demais fatores elencados no art. 27, 3 da Lei 9.826/74; CONSIDERANDO a necessidade de imprimir objetividade e padronizar os procedimentos de avaliação dos servidores em cumprimento de estágio probatório; R E S O L V E: Art. 1 O estágio probatório é o período durante o qual o servidor nomeado, em virtude de aprovação em concurso público para cargo de provimento efetivo do Quadro de Pessoal Efetivo e Permanente do Ministério Público do Estado do Ceará, será avaliado na sua aptidão e capacidade para o desempenho do cargo e função, através dos seguintes fatores: I - Idoneidade moral, avaliação da conduta do servidor na execução de suas atribuições com probidade, moralidade, lealdade, decoro e zelo, demonstrando sempre a valorização do elemento ético na sua conduta; II - Assiduidade e pontualidade, apuração da qualidade de ser assíduo, mediante verificação da freqüência sem faltas e da inexistência de atrasos nas entradas, saídas antecipadas e ausências durante o expediente; III - Disciplina, verificação do exercício da função pública relativamente a ordem, o respeito às leis e às normas e o irrestrito cumprimento dos deveres de cidadão e de servidor público; IV - Aptidão, avaliação da qualidade que deverá ser demonstrada pelo servidor no desempenho de suas atribuições na tomada de decisões, no domínio de forma atualizada de conhecimentos, técnicas e práticas e no grau de iniciativa para realização de tarefas sem supervisão, bem como a capacidade de assumir os resultados dos trabalhos, sejam eles positivos ou negativos; V - Eficiência, avaliação da capacidade e habilidade de desenvolver trabalhos com o menor custo possível, mediante verificação do atingimento de objetivos e metas de desempenho, em maior quantidade e melhor qualidade, cumprindo na execução de suas tarefas os prazos de término e entrega de trabalhos. Parágrafo único - O estágio probatório terá a duração de 03 (três) anos e somente após este período, se aprovado, o servidor será confirmado no cargo. Art. 2 A Avaliação Especial de Desempenho do servidor durante o estágio probatório terá por base o acompanhamento diário com apurações quadrimestrais e avaliação em duas etapas, uma realizada no 18 (décimo oitavo) mês, e outra no 34 (trigésimo quarto) mês. 1 A Avaliação Especial de Desempenho é um conjunto de procedimentos destinados a mensurar o desempenho das atribuições do cargo pelo servidor em estágio probatório. 2 Na homologação do resultado final do estágio probatório, observados os fatores enumerados no artigo 1, verificar-se-á o desempenho e comportamento do servidor relativamente a outras habilidades e características necessárias ao desempenho do cargo. Art. 3 No processo de Avaliação Especial de Desempenho do servidor em estágio probatório deverão ser considerados os aspectos de quantidade e qualidade. 1 O aspecto quantidade constitui a verificação e medição do trabalho e o qualidade a verificação do ajuizamento e a reflexão sobre o valor dos dados registrados. 2 São objetivos da avaliação de desempenho no estágio 137 probatório: a) saber se os fatores de aptidão e capacidade estão sendo ou não alcançados; b) saber os motivos por que o servidor não está alcançando os fatores de aptidão e capacidade; c) levar o servidor a uma atitude crítica de seu trabalho; d) servir de instrumento de controle de qualidade; e) formar juízo quanto a aptidão e capacidade do servidor para o desempenho das atribuições do cargo e/ou função. Art. 4 A apuração dos fatores indicados no artigo 1 far-se-á, durante o estágio probatório, mediante expedição e preenchimento pela Chefia Imediata do Boletim de Desempenho, onde serão registrados os aspectos do comportamento do servidor no decorrer do quadri. Parágrafo único. No preenchimento do Boletim de Desempenho os fatores serão avaliados observada a escala de pontos constante do Anexo Único. Art. 5 O Boletim de Desempenho será preenchido nos dez dias iniciais do primeiro mês do quadri imediatamente seguinte ao de avaliação, pela Chefia Imediata, após o que será dada ciência ao interessado, remetendo-o, no prazo de oito dias de seu preenchimento, à Comissão Permanente para Avaliação de Desempenho. 1 O servidor ao tomar ciência do Boletim, caso não concorde com os pontos que lhe forem atribuídos, deverá recorrer ao Procurador- Geral de Justiça, no prazo improrrogável de cinco dias úteis. 2 O servidor ao recorrer dos pontos obtidos deverá demonstrar, de forma objetiva, que no julgamento do seu desempenho ou do seu comportamento deixaram de ser observadas normas de avaliação estabelecidas neste Provimento. 3 Os recursos interpostos deverão ser encaminhados juntamente com o Boletim ao Procurador-Geral de Justiça. Art. 6 Os Boletins de Desempenho encaminhados serão apurados em duas etapas, que, por sua vez, serão consideradas para apuração do resultado final da Avaliação Especial de Desempenho. 1 No décimo oitavo mês do estágio probatório, a Comissão Permanente para Avaliação de Desempenho deverá proceder à primeira avaliação para apurar e analisar os Boletins até então encaminhados, com vistas a adoção de medidas de adequação/otimização do desempenho do servidor avaliado. 2 No trigésimo quarto mês do estágio probatório do servidor, a Comissão Permanente para Avaliação de Desempenho deverá apurar e analisar os Boletins que lhe foram encaminhados, referentes aos quadris não compreendidos na primeira etapa. 3 A avaliação do último quadri será obtida pela média de pontos obtidos nos três quadris imediatamente anteriores. 4º Após a segunda avaliação a Comissão Permanente para Avaliação de Desempenho divulgará o resultado final em relação a todo o período do estágio. Art. 7 Será aprovado na Avaliação Especial de Desempenho o servidor que obtiver média aritmética igual ou superior a 5,0 (cinco) pontos obtida do somatório da nota da primeira com a segunda avaliação e que obtenha, no mínimo, o percentual de 50% (cinqüenta por cento) do máximo dos pontos atribuíveis em todo o período de avaliação, para cada fator avaliado. 1 O Presidente da Comissão Permanente para Avaliação de Desempenho verificando que o servidor não atingiu o mínimo de pontos exigidos para a aprovação no estágio probatório, após avaliados os eventuais recursos, submeterá o resultado ao Procurador-Geral de Justiça, para, conforme o caso, declarar a estabilidade do servidor no cargo ou exonerá-lo. 2 A expedição do ato de exoneração será precedida da notificação do servidor avaliado para que, no prazo de quinze dias, apresente defesa escrita. 3 No processo deverá constar, obrigatoriamente, o relatório analítico e todos os Boletins de Desempenho. Art. 8 Além do Secretário-Geral da Procuradoria Geral de Justiça, a quem compete a presidência da coordenação dos trabalhos, a Comissão Permanente para Avaliação de Desempenho compor-se-á de: I 01 (um) representante indicado pela entidade representativa dos servidores do MP-CE; II 02 (dois) representantes da Diretoria de Recursos Humanos do MP-CE; III 02 (dois) Servidores efetivos ou estáveis, sendo um da carreira de Analista Ministerial e um da carreira de Técnico Ministerial. 1 São atribuições da Comissão Permanente de Avaliação de Desempenho, dentre outras que vierem a ser estipuladas:

3 138 DIÁRIO DA JUSTIÇA Nº 147 FORTALEZA, 03 DE AGOSTO DE 2007 I Instaurar e formalizar o procedimento administrativo de avaliação de desempenho dos servidores em estágio probatório; II Orientar o preenchimento do Boletim de Desempenho e providenciar outras medidas necessárias ao bom andamento do processo de avaliação; III Apurar e analisar os Boletins de Desempenho dos servidores em estágio probatório, e, se necessário, requerer novas informações ou realizar diligências no sentido de entrevistar pessoalmente o servidor, visitar o local de trabalho daquele, entrevistar outros servidores lotados no mesmo setor, realizar correição nos trabalhos realizados pelo servidor, dentre outras medidas que se fizerem necessárias; IV Emitir despacho, sendo o caso, indicativo de medidas necessárias à adequação/otimização do desempenho do servidor avaliado. V Emitir parecer conclusivo, devidamente fundamentado, pela estabilidade do servidor ou pela exoneração daquele cujo desempenho não tenha atendido ao estabelecido neste regulamento ou tenha cometido infração passível de penalidade disciplinar, remetendo o procedimento administrativo ao Procurador-Geral de Justiça. 2 Até o final da primeira quinzena do mês de janeiro de cada ano, o Procurador Geral de Justiça, mediante portaria, designará os componentes da Comissão cujo mandato, salvo quanto a presidência, será de 01 (um) ano, prorrogável por igual período. 1. SISTEMA DE PONTUAÇÃO Dando cumprimento à exigência legal e sem perder de vista o objetivo maior da avaliação que é de identificar os aspectos que interferem no desempenho do servidor e consequentemente na eficiência e na eficácia da Instituição, fica adotado o BOLETIM DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ EM ESTÁGIO PROBATÓRIO, cujo modelo é apresentado ao final deste Documento. Para dar uniformidade à avaliação dos aspectos previstos no artigo 1 do presente Provimento estabeleceu-se um SISTEMA DE PONTUAÇÃO, com fatores de gradação, em valores mínimo e máximo, conforme a seguinte Tabela: FATORES DE GRADAÇÃO Possui o fator em grau elevado. É bastante característico do avaliado. (ótimo) Possui o fator em grau considerável. É uma de suas características. (bom) Possui o fator em grau razoável. Até certo ponto, é uma de suas características. (regular) Possui o fator em grau bem pequeno. Não é uma de suas características. (insuficiente) PONTOS 9 a 10 7 a 8 4 a 6 0 a 3 Art. 9 O estágio probatório será cumprido, obrigatoriamente, no exercício das atribuições próprias do cargo e função para a qual tenha sido nomeado o servidor. 1 No período do estágio probatório é vedado ao servidor afastar-se do desempenho das atribuições da função, ressalvados os casos previstos nos artigos 68, incisos I, II, III, IV, VI, X XII, XIII, XV E XXI da Lei n 9.826/74, e outros que a lei conceder. 2 Quando a soma dos dias de afastamento, previstos no parágrafo anterior, for superior à metade e inferior a 3/4 (três quatros) do período do quadri, será repetido o Boletim do quadri imediatamente anterior. 3 Se a soma dos dias de afastamento do servidor, durante cada quadri do estágio probatório, somar mais de 3/4 do total de dias do quadri, não será expedido o respectivo Boletim de Desempenho do quadri, ficando suspenso o período de avaliação pelo tempo em que o servidor se achar afastado, retomando a avaliação e contagem do prazo quando ocorrer o retorno do servidor, pelo número de dias necessários ao seu implemento. Art. 10. O não encaminhamento da proposta de exoneração do servidor, quando cabível, ensejará a apuração da responsabilidade de quem lhe deu causa. Art. 11. O modelo de Boletim de Desempenho, das avaliações e as instruções necessárias à sua aplicação são as constantes do Anexo Único. Art. 12. Os casos omissos serão submetidos e decididos pelo Procurador-Geral de Justiça. Art. 13. Este Provimento entra em vigor na data de sua publicação. Art. 14. Ficam revogadas as disposições em contrário. Procuradoria-Geral de Justiça, em Fortaleza, aos 24 dias do mês de julho do ano de MANUEL SOARES LIMA FILHO Procurador-Geral de Justiça PROVIMENTO N 36/2007, de ANEXO ÚNICO REGULAMENTO PARA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ EM ESTÁGIO PROBATÓRIO 2. DA METODOLOGIA Considerando as diversas influências que ocorrem nas relações de trabalho, o desempenho do servidor poderá vir a apresentar, nos vários momentos de avaliação, diferentes graus, elevando ou rebaixando o seu conceito. Assim sendo, a avaliação será realizada em 2 etapas: a primeira no décimo oitavo mês, e a segunda no trigésimo quarto mês. Se a primeira avaliação não apresentar resultado satisfatório, serão procedidas entrevistas com o servidor e respectiva chefia, com vistas à adoção de alternativas que possibilitem ao servidor melhorar o seu desempenho, no cargo que ocupa, inclusive com a possibilidade de encaminhamento ao Programa de Capacitação e Aperfeiçoamento. A avaliação de desempenho será permanente por parte dos Chefes imediatos a que estejam subordinados os servidores em estágio probatório, que será responsável pelo preenchimento quadrimestral de formulário próprio de avaliação. Na avaliação do fator idoneidade moral será considerada a conduta do servidor, no desempenho de suas atividades, no trato com os colegas, com suas tarefas, com a coisa pública e com o público em geral, com probidade, moralidade, lealdade, decoro e zelo) Na avaliação do fator assiduidade e pontualidade considerarse-á a freqüência sem faltas e da inexistência de atrasos nas entradas, saídas antecipadas e ausências durante o expediente não justificadas. No aspecto disciplina observar-se-á a ordem, o respeito às leis e às normas e o irrestrito cumprimento dos deveres de cidadão e de servidor público. Na avaliação da aptidão serão considerados: tomada de decisões, domínio de forma atualizada de conhecimentos, técnicas e práticas, iniciativa para realização de tarefas sem supervisão, capacidade de assumir os resultados dos trabalhos, sejam eles positivos ou negativos. Na avaliação do quesito eficiência avaliar-se-á a capacidade e habilidade de desenvolver trabalhos com o menor custo possível, mediante verificação do atingimento de objetivos e metas de desempenho, em maior quantidade e melhor qualidade, cumprindo na execução de suas tarefas os prazos de término e entrega de trabalhos. São parceiros, responsáveis pela devolução do referido Boletim de Desempenho a respectiva chefia e o servidor em processo de avaliação. O não encaminhamento do Boletim, no prazo estipulado, poderá acarretar prejuízo ao servidor. A Diretoria de Recursos Humanos, enviará, aos respectivos setores, a relação dos nomes dos servidores, neles lotados, sujeitos à avaliação de desempenho pelo estágio probatório e fará o acompanhamento da devolução das fichas juntamente com a Comissão competente.

4 DIÁRIO DA JUSTIÇA Nº 147 FORTALEZA, 03 DE AGOSTO DE DAS AVALIAÇÕES E RESULTADOS O resultado da pontuação do servidor corresponderá à média aritmética dos pontos atribuídos a cada fator de avaliação, de cada Boletim quadrimestral preenchido pela chefia imediata e à média aritmética obtida do total de pontos obtidos em cada Boletim de Desempenho. No caso de mudança de lotação do servidor durante o período de estágio probatório, os formulários de avaliação de desempenho já preenchidos deverão ser encaminhados à nova chefia imediata do servidor, a quem compete prosseguir com a avaliação. Na primeira Avaliação será apurada a média dos Boletins dos quatro primeiros quadris. Na segunda Avaliação será apurada a média dos Boletins dos cinco últimos quadris. O RESULTADO FINAL será obtido com a média aritmética da soma dos pontos da primeira com a segunda avaliação, dividindose este resultado por dois, conforme fórmula a seguir: (A1 + A2) 2 Será considerado APROVADO no ESTÁGIO PROBATÓRIO o servidor que obtiver no Resultado Final, o mínimo de 5,0 (cinco pontos), e que obtenha, no mínimo, 50% (cinquenta por cento) do total de pontos de cada fator avaliado. Após a apuração do resultado final, a Comissão poderá indicar a inclusão do servidor que, embora aprovado, obtenha média 139 aritmética inferior a 7,0 (sete) pontos, em curso de capacitação e aperfeiçoamento específico ao fator preponderante na avaliação regular de seu desempenho. No caso de REPROVAÇÃO, o servidor poderá interpor recurso no prazo de 15 (quinze) dias a partir de sua intimação para defesa, na forma do art. 8º, 2 deste Provimento. 4. CONSIDERAÇÕES GERAIS É permitido ao servidor em estágio probatório, participar de cursos ou eventos para capacitação previstos no Programa de Treinamento e Desenvolvimento Funcional dos Servidores do Ministério Público do Estado do Ceará, desde que não se afaste do exercício de suas atividades e que seja contemplado nos critérios previstos no planejamento interno do setor no qual se encontra lotado. 5. MODELO DE BOLETIM DE DESEMPENHO DE SERVIDOR EM ESTÁGIO PROBATÓRIO Instruções para preenchimento: 1. Preencha, à caneta, os dados de identificação do servidor ainda não preenchidos. 2. Antes de preencher o formulário, leia atentamente cada um dos fatores/ quesitos da avaliação. 3. Não deixe quesito sem avaliação. 5. O formulário não pode conter rasuras. 6. Se necessário, preencha também o formulário Informações Complementares. 7. Date e assine o formulário. DRH/DP BOLETIM DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ EM ESTÁGIO PROBATÓRIO Provimento n de / / Nome: Cargo: Data de Admissão: Matrícula: Setor de Lotação: Período de Avaliação: Esta Ficha objetiva avaliar o desempenho do servidor no trabalho que desenvolveu, do início ao término do período de avaliação, obedecendo à tabela abaixo: FATORES DE GRADAÇÃO PONTOS Possui o fator em grau elevado. É bastante característico do avaliado. (ótimo) 9 a 10 Possui o fator em grau considerável. É uma de suas características. (bom) 7 a 8 Possui o fator em grau razoável. Até certo ponto, é uma de suas características. (regular) 4 a 6 Possui o fator em grau bem pequeno. Não é uma de suas características. (insuficiente) 0 a 3 CONCEITOS PARA AVALIAÇÃO PONTUAÇÃO Idoneidade moral (avaliação da conduta do servidor na execução de suas atribuições com probidade, moralidade, lealdade, decoro e zelo) Assiduidade e pontualidade (verificação da freqüência sem faltas e da inexistência de atrasos nas entradas, saídas antecipadas e ausências durante o expediente) Disciplina (ordem, o respeito às leis e às normas e o irrestrito cumprimento dos deveres de cidadão e de servidor público) Aptidão (tomada de decisões, domínio de forma atualizada de conhecimentos, técnicas e práticas, iniciativa para realização de tarefas sem supervisão, capacidade de assumir os resultados dos trabalhos, sejam eles positivos ou negativos) Eficiência (capacidade e habilidade de desenvolver trabalhos com o menor custo possível, mediante verificação do atingimento de objetivos e metas de desempenho, em maior quantidade e melhor qualidade, cumprindo na execução de suas tarefas os prazos de término e entrega de trabalhos) TOTAL DE PONTOS: OBSERVAÇÕES/JUSTIFICATIVAS:

5 140 DIÁRIO DA JUSTIÇA Nº 147 FORTALEZA, 03 DE AGOSTO DE 2007 INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES Com base nos fatores abordados pela avaliação, comente sobre aquele(s) que você considera importante(s), visando esclarecer e/ou acrescentar algum aspecto acerca do desenvolvimento do servidor. Indique, se necessário, sugestões para melhor adaptação e/ou melhoria de desempenho do servidor. Este espaço está reservado para sugestões que possam favorecer o aperfeiçoamento desta avaliação. ASSINATURAS: Avaliado em (local e data) Chefia Imediata Ciente em (local e data) Servidor 6. MODELO DE FICHA DE AVALIÇÃO POR ETAPA Comissão Permanente de Avaliação de Desempenho FICHA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ EM ESTÁGIO PROBATÓRIO ETAPA DE AVALIAÇÃO Nome: Cargo: Matrícula: Data de Admissão: Setor de Lotação: Fatores avaliados Idoneidade moral Assiduidade pontualidade Disciplina Aptidão Eficiência TOTAL e m estre n Total NOTA DA ETAPA: OBSERVAÇÕES: Fortaleza, / / Presidente da Comissão

6 DIÁRIO DA JUSTIÇA Nº 147 FORTALEZA, 03 DE AGOSTO DE MODELO DE FICHA DE AVALIÇÃO ESPECIAL DE DESEMPENHO (RESULTADO FINAL) DRH Comissão Permanente de Avaliação AVALIAÇÃO ESPECIAL DE DESEMPENHO de Desempenho Nome: Cargo: Data de Admissão: Matrícula: Setor de Lotação: Fatores A1 A2 Total OBS avaliados Idoneidade moral Assiduidade e pontualidade Disciplina Aptidão Eficiência TOTAL NOTA FINAL: OBSERVAÇÕES: Fortaleza, / / Presidente da Comissão 19 - ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL SECÇÃO DO CEARÁ ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Secção do Ceará Edital da Secretaria-Prazo: 05 dias. A Secretaria da Ordem dos Advogados do Brasil, Secção do Ceará, faz público que requeram inscrição no Quadro de Estagiários, os acadêmicos Marta Luna de Meneses Dantas, Antonia Katiuscia Nogueira Lima, Yaskara Melk Silva Nicacio, Patrícia Gonçalo de Abreu, Daniele Forte Aragão, Alice Melo de Sousa, Tânia Aparecida Carneiro, Rômulo Américo Lessa, Tiago Alves Camelo e Victor Cesar Frota Pinho Filho. O presente aviso é feito com prazo de (05) dias úteis. Fortaleza, 25 de julho de Croaci Aguiar DIRETOR SECRETARIO-GERAL DA OAB/CE *** ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL Secção do Ceará Edital da Secretaria-Prazo: 05 dias. A Secretaria da Ordem dos Advogados do Brasil, Secção do Ceará, faz público que requeram inscrição Definitiva no Quadro de Advogados Bacharéis: Maria Cely Sobreira Cacimiro, Themis Pinheiro Feijão, Adriana Alves Brandão Braga, Camyle Cavalcanti Leitão, Ana Carolina Fernandes de Mendonça, Felipe Espinhola Arruda, Allysson George Alves de Castro, Francisco Handerson Miranda Gomes, Rafael Matos Ramos e Bruno Manuel Cortesão dos Santos de Carvalho. O presente aviso é feito com o prazo de (05) dias úteis. Fortaleza, 25 de julho de Croaci Aguiar DIRETOR SECRETARIO-GERAL DA OAB/CE 20 - TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL PODER JUDICIÁRIO FEDERAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO CEARÁ Desa. HUGUETTE BRAQUEHAIS - Presidente Desa. GIZELA NUNES DA COSTA - Vice-Presidente e Corregedora Dra. MARIA NAILDE PINHEIRO NOGUEIRA Juíza de Direito Dr. TARCÍSIO BRILHANTE DE HOLANDA Jurista Dra. MARIA VILAUBA FAUSTO LOPES Juiza de Direito Substituta Dr. DANILO FONTENELE SAMPAIO CUNHA Juiz

PORTARIA PGR/MPU Nº 577 DE 16 DE NOVEMBRO DE 2010

PORTARIA PGR/MPU Nº 577 DE 16 DE NOVEMBRO DE 2010 PORTARIA PGR/MPU Nº 577 DE 16 DE NOVEMBRO DE 2010 Regulamenta o processo de Gestão do Desempenho no Estágio Probatório dos servidores ocupantes de cargos de provimento efetivo no âmbito do Ministério Público

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Aos 04 (quatro) dias do mês de agosto do ano em curso, nesta cidade e comarca de Fortaleza, no Edifício Procurador de Justiça Airton Castelo Branco Sales,

Leia mais

DISPÕE SOBRE A AVALIAÇÃO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DISPÕE SOBRE A AVALIAÇÃO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 2001/2006 DISPÕE SOBRE A AVALIAÇÃO DE ESTÁGIO PROBATÓRIO, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. IRANI CHIES, Prefeito Municipal de Carlos Barbosa, Estado do Rio Grande do Sul, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS. INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 001 de 02 de fevereiro de 2012

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS. INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 001 de 02 de fevereiro de 2012 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 001 de 02 de fevereiro de 2012 EMENTA: Estabelece critérios e procedimentos, no âmbito

Leia mais

D E C R E T O Nº 6.393 de 24 de fevereiro de 2011

D E C R E T O Nº 6.393 de 24 de fevereiro de 2011 1 Proc. Nº 7.030/89 D E C R E T O Nº 6.393 de 24 de fevereiro de 2011 Regulamenta a avaliação de desempenho para fins do estágio probatório, previsto na Lei Complementar nº 582, de 19 de dezembro de 2008,

Leia mais

DECRETO N.º 377/2013.

DECRETO N.º 377/2013. DECRETO 377/2013. Regulamenta a Lei Municipal n.º 3.120/2001 que dispõe sobre o Sistema de Avaliação do servidor em estágio probatório e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE URUGUAIANA, no uso

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 011/2013 DE 19 DE AGOSTO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 011/2013 DE 19 DE AGOSTO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº 011/2013 DE 19 DE AGOSTO DE 2013 Ementa: Dispõe sobre o programa de avaliação dos servidores em estágio probatório, conforme especifica. A Presidenta da Autarquia do Ensino Superior de Garanhuns

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIOS

MINISTÉRIO PÚBLICO DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIOS ACORDO JUDICIAL Firmado entre o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, através da Promotoria de Justiça de Defesa da Educação, e o Distrito Federal, por sua Secretaria de Estado de Educação,

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura Municipal de Barra Mansa Gabinete do Prefeito

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura Municipal de Barra Mansa Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 6567, DE 20 DE JULHO DE 2011 Ementa: Regulamenta a Lei Municipal n.º 3.147/2000 alterada pela Lei n.º 3.413/2003 e revoga o Decreto n.º 3.651/2001. atribuições de seu cargo, O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

ATO PGJ N. 06, DE 28 DE JANEIRO DE 2014

ATO PGJ N. 06, DE 28 DE JANEIRO DE 2014 Edição 1133 Publicação:04/02/2014 - Revogou expressamente os Atos-PGJ n. 14/1999 e 07/2003, art. 14. ATO PGJ N. 06, DE 28 DE JANEIRO DE 2014 Regulamenta o estágio probatório dos servidores do Ministério

Leia mais

Decreto N 1.945 de 13 de dezembro de 2005

Decreto N 1.945 de 13 de dezembro de 2005 Decreto N 1.945 de 13 de dezembro de 2005 Dispõe sobre o cumprimento do estágio probatório de servidor público civil ocupante de cargo de provimento efetivo da administração direta, das autarquias e das

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 018 DE 25 DE JANEIRO DE 2012.

RESOLUÇÃO Nº 018 DE 25 DE JANEIRO DE 2012. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CONSELHO SUPERIOR Avenida Professor Mário Werneck, nº. 2590,

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 199 / 2011

PORTARIA NORMATIVA Nº 199 / 2011 Publicada no DOE de 02/04/2011 PORTARIA NORMATIVA Nº 199 / 2011 A PRESIDENTE da Fundação Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente - Fundação CASA-SP, no uso de sua competência, e Considerando

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 057/2009

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 057/2009 TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 057/2009 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

Parágrafo único É obrigatória a promoção de magistrado que figure, por três vezes consecutivas ou cinco alternadas, em lista de merecimento.

Parágrafo único É obrigatória a promoção de magistrado que figure, por três vezes consecutivas ou cinco alternadas, em lista de merecimento. RESOLUÇÃO Nº 9, DE 4 DE MAIO DE 2006 Dispõe sobre a aferição do merecimento para promoção de magistrados e acesso ao Tribunal de Justiça. O Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, tendo em vista a decisão

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0135/2007

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0135/2007 TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0135/2007 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO MINUTA DE RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO MINUTA DE RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA MINUTA DE RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA Regulamenta o teletrabalho no âmbito do Tribunal Superior do Trabalho e dá outras providências. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO TST, no uso de suas atribuições

Leia mais

NORMA DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PARA SERVIDOR DOCENTE DA UNIFEI

NORMA DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PARA SERVIDOR DOCENTE DA UNIFEI 1 NORMA DE ESTÁGIO PROBATÓRIO PARA SERVIDOR DOCENTE DA UNIFEI UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ Normatiza o Estágio Probatório de Docentes no âmbito da Universidade Federal de Itajubá. O CONSELHO DE ENSINO,

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0115/2006

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0115/2006 TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0115/2006 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

Tutorial da Avaliação de Desempenho do Servidor no Estágio Probatório

Tutorial da Avaliação de Desempenho do Servidor no Estágio Probatório SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE PESSOAL Tutorial da Avaliação de Desempenho do Servidor no Estágio Probatório Belém/ Pará. Junho, 2013.

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual,

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 91, inciso III, da Constituição Estadual, DECRETO N.º 2299 R, DE 15 DE JULHO DE 2009. (Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial de 16/07/2009) Regulamenta o estágio estudantil no âmbito do Poder Executivo Estadual e dá outras providências.

Leia mais

1.1.1 SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE

1.1.1 SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE 1.1.1 SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE GABINETE DO SECRETÁRIO GA PUBLICADA NO DOE DE 12-1-213 SEÇÃO I PÁG 46-5 RESOLUÇÃO SMA Nº 97, DE 1 DE OUTUBRO DE 213 O SECRETÁRIO DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE,

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0082/2007

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0082/2007 TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0082/2007 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE DIREITO DE VITÓRIA FDV

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE DIREITO DE VITÓRIA FDV REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE DE DIREITO DE VITÓRIA FDV REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA TÍTULO I Dos Princípios gerais Art. 1. Este regimento Interno disciplina

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0162/2006

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0162/2006 TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0162/2006 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE DIRETORIA DE PESSOAS GERÊNCIA DE ALOCAÇÃO E AVALIAÇÃO DE PESSOAL MANUAL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE DIRETORIA DE PESSOAS GERÊNCIA DE ALOCAÇÃO E AVALIAÇÃO DE PESSOAL MANUAL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE DIRETORIA DE PESSOAS GERÊNCIA DE ALOCAÇÃO E AVALIAÇÃO DE PESSOAL MANUAL DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO 006 2 2 APRESENTAÇÃO Este manual é uma ferramenta de consulta

Leia mais

MANUAL DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES EM ESTÁGIO PROBATÓRIO

MANUAL DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES EM ESTÁGIO PROBATÓRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE DIRETORIA DE GESTÃO DE PESSOAS DIVISÃO DE ALOCAÇÃO E AVALIAÇÃO MANUAL DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES EM ESTÁGIO PROBATÓRIO APRESENTAÇÃO Este manual é

Leia mais

PORTARIA-CONJUNTA Nº 85/2006

PORTARIA-CONJUNTA Nº 85/2006 Publicação:20/09/06 PORTARIA-CONJUNTA Nº 85/2006 Regulamenta a avaliação especial de desempenho do servidor em estágio probatório no âmbito da Secretaria do Tribunal de Justiça e da Justiça de Primeira

Leia mais

PROVIMENTO Nº 09/2008

PROVIMENTO Nº 09/2008 PROVIMENTO Nº 09/2008 Dispõe sobre controle de freqüência dos servidores do Ministério Público do Estado do Ceará e dá outras providências. A DOUTORA MARIA DO PERPÉTUO SOCORRO FRANÇA PINTO, PROCURADORA-GERAL

Leia mais

Comissão do Jovem Advogado

Comissão do Jovem Advogado REGULAMENTO DO PROGRAMA MEU PRIMEIRO ESTÁGIO Estabelece normas para acompanhamento das atividades do programa meu primeiro estágio, da Comissão da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Acre OAB/AC.

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art. 41. São estáveis após três anos de efetivo exercício os servidores nomeados para cargo de provimento efetivo em virtude

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE GESTÃO E RECURSOS HUMANOS - SEGER MANUAL DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE GESTÃO E RECURSOS HUMANOS - SEGER MANUAL DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE GESTÃO E RECURSOS HUMANOS - SEGER MANUAL DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO INDIVIDUAL 2013 PARTE I 1. OBJETIVOS DO MANUAL Este manual tem como propósito orientar

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA Secretaria de Planejamento e Gestão Econômica Divisão de Licitações e Compras Contrato nº 081/2007 Fls.

PREFEITURA MUNICIPAL DE FRANCA Secretaria de Planejamento e Gestão Econômica Divisão de Licitações e Compras Contrato nº 081/2007 Fls. Contrato nº 081/2007 Fls. 1 MINUTA TERMO DE CONTRATO Convite de Preços n.º 081/07 Processo n.º 11784/05 Objeto: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE DESCUPINIZAÇÃO DO PREDIO E ACERVO DO

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0108/2006

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0108/2006 TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0108/2006 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

PROVIMENTO Nº 29/2007

PROVIMENTO Nº 29/2007 PROVIMENTO Nº 29/2007 Cria o Programa de Treinamento e Desenvolvimento Funcional dos servidores do Ministério Público do Estado do Ceará e estabelece normas para o seu funcionamento. O PROCURADOR-GERAL

Leia mais

PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS E COMPUTACIONAIS AVALIAÇÃO ESPECIAL DE DESEMPENHO DE SERVIDOR EM ESTÁGIO PROBATÓRIO DO QUADRO CIVIL

PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS E COMPUTACIONAIS AVALIAÇÃO ESPECIAL DE DESEMPENHO DE SERVIDOR EM ESTÁGIO PROBATÓRIO DO QUADRO CIVIL PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS E COMPUTACIONAIS AVALIAÇÃO ESPECIAL DE DESEMPENHO DE SERVIDOR EM ESTÁGIO PROBATÓRIO DO QUADRO CIVIL 1 CONCEITO A Emenda Constitucional nº 19/98 estabelece que o servidor nomeado

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 6/2013/CM

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 6/2013/CM PROVIMENTO N. 6/2013/CM Revoga o Provimento n. 017/2011/CM e estabelece critérios para a remoção e movimentação interna dos servidores do Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso. O EGRÉGIO CONSELHO DA

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE COMÉRCIO EXTERIOR

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE COMÉRCIO EXTERIOR REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE COMÉRCIO EXTERIOR TÍTULO I CAPÍTULO I Das Finalidades Artigo 1º O presente Regulamento tem por finalidade estabelecer padrão único de funcionamento

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 001/2014

RESOLUÇÃO Nº 001/2014 RESOLUÇÃO Nº 001/2014 Forma a Comissão de Avaliação de Estágio Probatório e de Desempenho de Servidores da Câmara Municipal de Itiquira-MT e dá outras providências. A MESA DIRETORA DA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SECRETARIA GERAL DOS CONSELHOS DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO SECRETARIA GERAL DOS CONSELHOS DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR CONSELHO UNIVERSITÁRIO SECRETARIA GERAL DOS CONSELHOS DA ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 014/2014. EMENTA: Revoga Resolução nº 004/2012 do CONSU e aprova o Programa de Avaliação do Estágio Probatório

Leia mais

RESOLUÇÃO SEPLAG N.º 16, DE 22 DE MARÇO DE 2004.

RESOLUÇÃO SEPLAG N.º 16, DE 22 DE MARÇO DE 2004. RESOLUÇÃO SEPLAG N.º, DE DE MARÇO DE 00. * Publicada no Minas Gerais, em de março de 00. Define a metodologia e os procedimentos da Avaliação Especial de Desempenho do servidor público civil em estágio

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 30, DE 28 DE ABRIL DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 30, DE 28 DE ABRIL DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 30, DE 28 DE ABRIL DE 2011 Dispõe sobre as normas para a pós-graduação na modalidade lato sensu ofertada pela Universidade Federal do Pampa. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal

Leia mais

COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA

COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, representado pelo Procurador da República RICARDO BALDANI OQUENDO, ora denominado COMPROMITENTE, e a ANHANGUERA EDUCACIONAL S/A, mantenedora

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA DE GESTÃO ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA RESOLUÇÃO N.º 04/2007 Institui o Programa de Avaliação do Desempenho PAD

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 016/2012

ATO NORMATIVO Nº 016/2012 ATO NORMATIVO Nº 016/2012 Dispõe sobre o horário de expediente e a jornada de trabalho dos servidores, no âmbito do Ministério Público do Estado da Bahia, e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DE

Leia mais

Considerando que incumbe ao Ministério Público a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses socias (art.

Considerando que incumbe ao Ministério Público a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses socias (art. TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Na data de na data de 12 de maio de 2011, no gabinete da Promotoria de Justiça de Crixás, o MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS, por intermédio do Promotor de Justiça

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA PORTARIA N 1370/2004 PGJ.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA PORTARIA N 1370/2004 PGJ. MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA PORTARIA N 1370/2004 PGJ. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRONICO ÓRGÃO DE DIVULGAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRONICO ÓRGÃO DE DIVULGAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DIÁRIO DA JUSTIÇA ELETRONICO ÓRGÃO DE DIVULGAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL LEI N 1.008, DE 12-04-50 DATA DA DISPONIBILIZAÇÃO: QUINTA-FEIRA, 10 DE MARÇO DE 2011 - PORTO ALEGRE/RS

Leia mais

MINUTA RESOLUÇÃO Nº... /2014, DE.. DE... DE 2014.

MINUTA RESOLUÇÃO Nº... /2014, DE.. DE... DE 2014. MINUTA RESOLUÇÃO Nº... /2014, DE.. DE... DE 2014. Regulamenta a avaliação de desempenho funcional dos Servidores Técnico-Administrativos da Fundação Universidade Regional de Blumenau - FURB prevista na

Leia mais

DECRETO Nº 1.745, DE 12 DE AGOSTO DE 2009.

DECRETO Nº 1.745, DE 12 DE AGOSTO DE 2009. DECRETO Nº 1.745, DE 12 DE AGOSTO DE 2009. Dispõe sobre os critérios de avaliação de desempenho do servidor público municipal efetivo e estável, para fins das promoções horizontais e verticais, bem como

Leia mais

NORMAS E CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS ESTÁVEIS E EM ESTÁGIO PROBATÓRIO DO IF GOIANO

NORMAS E CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS ESTÁVEIS E EM ESTÁGIO PROBATÓRIO DO IF GOIANO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO NORMAS E CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

Leia mais

Art. 5º O Plano de Capacitação dos Servidores compreende as seguintes ações:

Art. 5º O Plano de Capacitação dos Servidores compreende as seguintes ações: PORTARIA Nº 2143, DE 12 DE JUNHO DE 2003. Institui o Plano de Capacitação de Servidores e regulamenta a participação de servidores em eventos de capacitação no âmbito do TRT da 4ª Região. A PRESIDENTE

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA DE INICIAÇÃO AO TRABALHO. Das Definições e Finalidades

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA DE INICIAÇÃO AO TRABALHO. Das Definições e Finalidades CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA DE INICIAÇÃO AO TRABALHO Das Definições e Finalidades Art. 1º. O Programa de Bolsa de Trabalho do Centro Federal

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 032, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2010. Estabelece normas e procedimentos para lotação, movimentação e remanejamento interno de

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 032, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2010. Estabelece normas e procedimentos para lotação, movimentação e remanejamento interno de INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 032, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2010. Estabelece normas e procedimentos para lotação, movimentação e remanejamento interno de servidores da Agência de Fiscalização do Distrito Federal

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO CONTROLE INTERNO DO PODER LEGISLATIVO DE POCONÉ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O Presidente da Câmara Municipal de Poconé,

Leia mais

AGÊNCIA REGULADORA DE ÁGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 03, DE 02/02/2015, PÁGINAS 03 A 08

AGÊNCIA REGULADORA DE ÁGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 03, DE 02/02/2015, PÁGINAS 03 A 08 AGÊNCIA REGULADORA DE ÁGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO BOLETIM ADMINISTRATIVO Nº 03, DE 02/02/2015, PÁGINAS 03 A 08 PORTARIA Nº. 17, DE 23 DE JANEIRO DE 2015. Aprova

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 021/2014

ATO NORMATIVO Nº 021/2014 ATO NORMATIVO Nº 021/2014 Altera o Ato Normativo nº 003/2011 que regulamenta a Lei nº 8.966/2003, com alterações decorrentes das Leis n os 10.703/2007, 11.171/2008 e 12.607/2012 que dispõem sobre o Plano

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 002/2015

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 002/2015 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 002/2015 A, por seu Secretário de Município Sr. Cleide Torres Rodrigues - torna público, no uso de suas atribuições legais conferidas pela Portaria nº 009/2013

Leia mais

CÓDIGO DE AUTO-REGULAÇÃO DA ANBID PARA O PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO CONTINUADA

CÓDIGO DE AUTO-REGULAÇÃO DA ANBID PARA O PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO CONTINUADA CÓDIGO DE AUTO-REGULAÇÃO DA ANBID PARA O PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO CONTINUADA CAPÍTULO I DO OBJETIVO E DA ABRANGÊNCIA Art. 1º- O objetivo do presente Código de Auto-Regulação é estabelecer princípios e

Leia mais

PROVIMENTO Nº 60/2009

PROVIMENTO Nº 60/2009 PROVIMENTO Nº 60/2009 Regulamenta, no âmbito do Ministério Público do Estado do Ceará, o Sistema de Avaliação Periódica de Desempenho dos integrantes do Quadro de Servidores e dos servidores à disposição

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 248/2009

RESOLUÇÃO Nº 248/2009 RESOLUÇÃO Nº 248/2009 PROCESSO Nº 07588/2009-000-07-00-0 TIPO: Processo Administrativo PARTE 1: PROPOSIÇÃO DO PRESIDENTE DO TRT 7ª REGIÃO PARTE 2: TRIBUNAL PLENO Vistos, relatados e discutidos os presentes

Leia mais

BOLSA MEMÓRIA TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA FINANCEIRA Nº /2007

BOLSA MEMÓRIA TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA FINANCEIRA Nº /2007 BOLSA MEMÓRIA TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA FINANCEIRA Nº /2007 TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA FINANCEIRA QUE CELEBRAM O ESTADO DO CEARÁ, ATRAVÉS DA SECRETARIA DA CULTURA E (NOME DO BOLSISTA) PARA OS FINS QUE

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0216/2007

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0216/2007 TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0216/2007 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul EDITAL Nº 031/2015 PROCESSO CLASSIFICATÓRIO DE AFASTAMENTO DE SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO DA UNIDADE ORGANIZACIONAL CAMPUS BENTO GONÇALVES DO IFRS O Diretor-Geral da Unidade Organizacional

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0098/2007

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0098/2007 TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTE DE CONDUTA Nº 0098/2007 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJ USTE DE CONDUTA Nº009/2003

TERMO DE COMPROMISSO DE AJ USTE DE CONDUTA Nº009/2003 TERMO DE COMPROMISSO DE AJ USTE DE CONDUTA Nº009/2003 Pelo presente instrumento, por um lado a Agência Nacional de Saúde Suplementar, pessoa jurídica de direito público, autarquia especial vinculada ao

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013 RESOLUÇÃO Nº 62 DE 26 DE SETEMBRO DE 2013 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 45ª Reunião Ordinária, realizada no dia 26 de setembro de 2013, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÂO DEL REI Secretaria Municipal de ADMINISTRAÇÃO Departamento de Recursos Humanos

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÂO DEL REI Secretaria Municipal de ADMINISTRAÇÃO Departamento de Recursos Humanos PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÂO DEL REI Secretaria Municipal de ADMINISTRAÇÃO Departamento de Recursos Humanos COMITÊ GERAL DE AVALIAÇÃO FUNCIONAL DE DESEMPENHO DO ESTÁGIO PROBATÓRIO Assegurado pelo Decreto

Leia mais

DOE Seção I quinta-feira, 19 de março de 2015, páginas 29/30.

DOE Seção I quinta-feira, 19 de março de 2015, páginas 29/30. DOE Seção I quinta-feira, 19 de março de 2015, páginas 29/30. Resolução SS 28, de 18-3-2015 Dispõe sobre a instrução de processos de afastamento para participar de congressos, cursos e outros eventos culturais,

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO SERVIDOR EM ESTÁGIO PROBATÓRIO (Anexo V da Portaria N.º 21.000-088/2009/GAB-SEAD, de 01 de julho

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO SERVIDOR EM ESTÁGIO PROBATÓRIO (Anexo V da Portaria N.º 21.000-088/2009/GAB-SEAD, de 01 de julho MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO SERVIDOR EM ESTÁGIO PROBATÓRIO (Anexo V da Portaria N.º 21.000-088/2009/GAB-SEAD, de 01 de julho de 2009) Teresina (PI) 2009 SECRETARIA DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA nº 03/2009

RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA nº 03/2009 RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA nº 03/2009 Dispõe sobre o estágio de estudantes no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região. O ÓRGÃO ESPECIAL DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso

Leia mais

TERMO DE PARCERIA (Art. 9º da Lei nº 9.790, de 23.3.99, e Art. 8º do Decreto nº 3.100, de 30.6.99)

TERMO DE PARCERIA (Art. 9º da Lei nº 9.790, de 23.3.99, e Art. 8º do Decreto nº 3.100, de 30.6.99) TERMO DE PARCERIA (Art. 9º da Lei nº 9.790, de 23.3.99, e Art. 8º do Decreto nº 3.100, de 30.6.99) TERMO DE PARCERIA QUE ENTRE SI CELEBRAM A (UNIÃO/ESTADO/MUNICÍPIO), ATRAVÉS DO (ÓRGÃO/ENTIDADE ESTATAL),

Leia mais

Ato PGJ nº 001/2012 RESOLVE:

Ato PGJ nº 001/2012 RESOLVE: Ato PGJ nº 001/2012 Dispõe sobre a jornada de trabalho, a prestação de serviço extraordinário, o banco de horas e o controle de frequência dos servidores do Ministério Público do Estado do Piauí, e dá

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA Nº 837/2008 (republicada no DOAL nº 9267, de 03 de junho de 2008) (vide publicação original abaixo)

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ATO Nº 342/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 25 DE JUNHO DE 2014.

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ATO Nº 342/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 25 DE JUNHO DE 2014. TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ATO Nº 342/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 25 DE JUNHO DE 2014. Dispõe sobre a concessão de bolsa de estudo para curso de língua estrangeira no âmbito do Tribunal Superior

Leia mais

ATO REGULAMENTAR N. 18/2012-GPGJ

ATO REGULAMENTAR N. 18/2012-GPGJ ATO REGULAMENTAR N. 18/2012-GPGJ Dispõe sobre a regulamentação de registro e controle biométrico, por meio de impressão digital, de frequência dos servidores do Ministério Público do Estado do Maranhão.

Leia mais

RESOLVE: TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

RESOLVE: TÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Dispõe sobre os procedimentos internos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, referentes ao Estágio Probatório, nos termos do Art. 41 4.º da Constituição da República Federativa do Brasil.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 31/2012

RESOLUÇÃO Nº 31/2012 RESOLUÇÃO Nº 31/2012 Fixa normas e condições de afastamento de docentes da UFES para aperfeiçoamento em instituições nacionais ou estrangeiras em nível de pósgraduação de natureza presencial. O CONSELHO

Leia mais

Título I. Da Monitoria

Título I. Da Monitoria MONITORIA O programa de monitoria tem como objetivo dar oportunidade de aprimoramento na formação do aluno e ainda despertar a valorização do ensino aprendizado de sua prática bem como estimular a seguir

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE COMAM - CONSELHO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE. DELIBERAÇÃO NORMATIVA N o 19/98

SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE COMAM - CONSELHO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE. DELIBERAÇÃO NORMATIVA N o 19/98 DELIBERAÇÃO NORMATIVA N o 19/98 O Conselho Municipal de Meio Ambiente, no uso de suas atribuições que lhe são conferidas pela Lei n. o 4.253 de 04.12.85, regulamenta os procedimentos administrativos para

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 0654. Institui e regulamenta o serviço de voluntários no âmbito do MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ.

RESOLUÇÃO Nº 0654. Institui e regulamenta o serviço de voluntários no âmbito do MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ. RESOLUÇÃO Nº 0654 Institui e regulamenta o serviço de voluntários no âmbito do MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições legais conferidas

Leia mais

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL Pró-Reitoria de Graduação Diretoria do Curso de Direito COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL Pró-Reitoria de Graduação Diretoria do Curso de Direito COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA COORDENAÇÃO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO III - SAJULBRA - 1 REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO III - SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA JURÍDICA GRATUITA DA UNIVERSIDADE LUTERANA

Leia mais

O presente Contrato fica vinculado a Apólice apresentada pela CONTRATADA.

O presente Contrato fica vinculado a Apólice apresentada pela CONTRATADA. CONTRATO Nº 003/2013 - PARANACIDADE CONTRATO DE SEGURO, POR PREÇO GLOBAL FIXO QUE ENTRE SI CELEBRAM O SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO PARANACIDADE E A EMPRESA MARÍTIMA SEGUROS S/A, NA FORMA ABAIXO: O Serviço Social

Leia mais

DECRETO JUDICIÁRIO Nº 135/2009

DECRETO JUDICIÁRIO Nº 135/2009 DECRETO JUDICIÁRIO Nº 135/2009 Dispõe sobre o registro e controle da freqüência dos servidores do Poder Judiciário. PUBLICADO NO DIÁRIO DO PODER JUDICIÁRIO NO DIA 24 DE AGOSTO DE 2009. A PRESIDENTE DO

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina CONTRATO N. 044/2008 Contrato para locação de 1 (um) grupo gerador, com fornecimento de mão-de-obra para a instalação do referido equipamento, autorizado pelo

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE GABINETE DA PRESIDÊNCIA SECRETARIA GERAL RESOLUÇÃO Nº 006/2004-TJ CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE GABINETE DA PRESIDÊNCIA SECRETARIA GERAL RESOLUÇÃO Nº 006/2004-TJ CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE GABINETE DA PRESIDÊNCIA SECRETARIA GERAL RESOLUÇÃO Nº 006/2004-TJ Dispõe sobre concurso de ingresso e de remoção nos Serviços Notariais e de Registro,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO ACRE POLÍCIA MILITAR DIVISÃO DE ENSINO E INSTRUÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DO ACRE POLÍCIA MILITAR DIVISÃO DE ENSINO E INSTRUÇÃO GOVERNO DO ESTADO DO ACRE POLÍCIA MILITAR DIVISÃO DE ENSINO E INSTRUÇÃO Portaria nº 033/DEI/PM/2015 Processo seletivo CHOA PM/2015/AC O COMANDANTE GERAL DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO ACRE, no uso de

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e

PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e a atuação da Secretaria de Controle Interno e dá outras

Leia mais

Prefeitura Municipal de Paulínia

Prefeitura Municipal de Paulínia CONTRATO SOB Nº 020/2016, DE AQUISIÇÃO DE MATERIAIS ODONTOLÓGICOS, QUE ENTRE SI CELEBRAM A MUNICIPALIDADE DE PAULÍNIA E A EMPRESA PORTAL LTDA. Protocolado nº 13.970/2015. CONTRATANTE: MUNICIPALIDADE DE

Leia mais

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. Regulamenta as atribuições da Secretaria de Controle Interno do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá outras providências. A PRESIDENTE DO, no uso de

Leia mais

DECRETO Nº. 2.469 DE 23 DE NOVEMBRO DE 2009

DECRETO Nº. 2.469 DE 23 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o procedimento de fiscalização para fins de SUSPENSÃO e CANCELAMENTO de Alvará de Funcionamento e INTERDIÇÃO em estabelecimentos empresariais e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO

Leia mais

Decreta nº 26.978, (DOE de 05/07/06)

Decreta nº 26.978, (DOE de 05/07/06) Decreta nº 26.978, (DOE de 05/07/06) Introduz alterações no Decreto nº 16106, de 30 de novembro de 1994, que regulamenta a Lei nº 657, de 25 de janeiro de 1994 e consolida a legislação referente ao processo

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA PRESIDÊNCIA RESOLUÇÃO CONJUNTA N 4, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2014

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA PRESIDÊNCIA RESOLUÇÃO CONJUNTA N 4, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2014 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA PRESIDÊNCIA RESOLUÇÃO CONJUNTA N 4, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2014 Regulamenta, no âmbito do Poder Judiciário e do Ministério Público, os arts. 6º, inciso XI, e 7 -A, ambos da

Leia mais

PORTARIA Nº 440, DE 23 DE MAIO DE 2006.

PORTARIA Nº 440, DE 23 DE MAIO DE 2006. PORTARIA Nº 440, DE 23 DE MAIO DE 2006. Disciplina as Ações de Capacitação e Desenvolvimento de Recursos Humanos no âmbito da PGFN. O PROCURADOR-GERAL DA FAZENDA NACIONAL, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

=CONTRATO 01/2013 LOCAÇÃO DE SOFTWARE=

=CONTRATO 01/2013 LOCAÇÃO DE SOFTWARE= =CONTRATO 01/2013 LOCAÇÃO DE SOFTWARE= CONTRATO PARA LOCAÇÃO DE SOFTWARE - PROGRAMA PARA GERENCIAMENTO DOS DADOS PREVIDENCIÁRIOS DOS SERVIDORES PÚBLICOS CIVIS DO MUNICÍPIO DE CAMPINA GRANDE DO SUL E CESSÃO

Leia mais

c Publicada no DOU de 16-12-2004.

c Publicada no DOU de 16-12-2004. LEI N o 10.999, de 15 DE DEZEMBRO DE 2004 Autoriza a revisão dos benefícios previdenciários concedidos com data de início posterior a fevereiro de 1994 e o pagamento dos valores atrasados nas condições

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE PIAUÍ Agente de Transformação Social Promotoria de Justiça de Gilbués

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE PIAUÍ Agente de Transformação Social Promotoria de Justiça de Gilbués TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Aos 06 de Maio de 2014, nos termos do art. 5º, 6º, da Lei nº 7.347/85, de um lado o MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ, por meio da, representada pelo

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICIPIO DE XAXIM Rua Rui Barbosa n. 347 Fone: 3353-8200 CEP: 89825-000 XAXIM CNPJ: 82.854.670/0001-30

ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICIPIO DE XAXIM Rua Rui Barbosa n. 347 Fone: 3353-8200 CEP: 89825-000 XAXIM CNPJ: 82.854.670/0001-30 CONTRATO N. 033/2014 CELEBRADO ENTRE O MUNICÍPIO DE XAXIM/FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE E A EMPRESA DENTAL GORGES LTDA- EPP. O Município de XAXIM, Através do Fundo Municipal da Saúde, com inscrição no CNPM/MF

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O Nº 002/88

R E S O L U Ç Ã O Nº 002/88 R E S O L U Ç Ã O Nº 002/88 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA UFPI Aprova o Regimento do Conselho de Administração da UFPI. O Reitor da Universidade Federal do Piauí e Presidente do Conselho de Administração,

Leia mais

REGIMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE ALMEIDA RODRIGUES FAR

REGIMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE ALMEIDA RODRIGUES FAR ` REGIMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA DA FACULDADE ALMEIDA RODRIGUES FAR Rio Verde, Goiás 2010/2 Regimento do Núcleo de Prática Jurídica da FACULDADE ALMEIDA RODRIGUES - FAR A Administração Geral da

Leia mais