A importância da gestão para o pequeno e médio produtor florestal

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A importância da gestão para o pequeno e médio produtor florestal"

Transcrição

1 A importância da gestão para o pequeno e médio produtor florestal Richard Respondovesk ESALQ - 20/08/2014

2 Tópicos A Empresa Áreas de atuação Cadeia produtiva florestal Planejamento e mercado Uso de tecnologias Manejo da floresta Gestão do negócio Ferramenta de gestão Desafios

3 A Empresa

4 Gestão Atuação Operação Produção de mudas Silvicultura Colheita Florestal Logística e abastecimento Desenvolvimento Florestal Planejamento Planejamento Florestal de curto, médio e longo prazo Inventário Gestão Orçamentária Geoprocessamento Análise de viabilidade técnico e econômica de Projetos florestais Suporte Implantação e manutenção de certificados ISO e FSC Recomposição de Reserva Legal e APP Análise e revisão de processos florestais Projetos Lean Six Sigma Gestão de ativos

5 Gestão Atuação Operação Produção de mudas Silvicultura Colheita Florestal Logística e abastecimento Desenvolvimento Florestal Planejamento Planejamento Florestal de curto, médio e longo prazo Inventário Gestão Orçamentária Geoprocessamento Análise de viabilidade técnico e econômica de Projetos florestais Suporte Implantação e manutenção de certificados ISO e FSC Recomposição de Reserva Legal e APP Análise e revisão de processos florestais Projetos Lean Six Sigma Gestão de ativos

6 Gestão Atuação Operação Produção de mudas Silvicultura Colheita Florestal Logística e abastecimento Desenvolvimento Florestal Planejamento Planejamento Florestal de curto, médio e longo prazo Inventário Gestão Orçamentária Geoprocessamento Análise de viabilidade técnico e econômica de Projetos florestais Suporte Implantação e manutenção de certificados ISO e FSC Recomposição de Reserva Legal e APP Análise e revisão de processos florestais Projetos Lean Six Sigma Gestão de ativos

7 Gestão Atuação Operação Produção de mudas Silvicultura Colheita Florestal Logística e abastecimento Desenvolvimento Florestal Planejamento Planejamento Florestal de curto, médio e longo prazo Inventário Gestão Orçamentária Geoprocessamento Análise de viabilidade técnico e econômica de Projetos florestais Suporte Implantação e manutenção de certificados ISO e FSC Recomposição de Reserva Legal e APP Análise e revisão de processos florestais Projetos Lean Six Sigma Gestão de ativos

8 Cadeia produtiva florestal Máquinas e Equipamentos Insumos Mão de Obra Silvicultura Florestas Plantadas Viveiro Florestal Produtos não Madeireiros Tora CAVACO Toco Lenha Mudas Florestais Serraria Indústria de Celulose e Papel Carvão Ecoturismo/ Ind. Química Cons. Doméstico Cons. Industrial Construção Civil Exportação Ind. Moveleira Embalagens Gráfica/ Editorial Indústria da Biomassa Indústria Siderúrgica C O N S U M I D O R F I N A L

9 Planejamento e mercado Objetivos da floresta Celulose Biomassa Carvão Uso múltiplo Outros Projeto adequado aos objetivos Localização Consumo Concorrência Espécie adequada Planejamento operacional Pacote tecnológico

10 Pacote tecnológico Equipamentos Insumos Sistema de manejo Material genético Lista técnica de operações

11 Manejo da floresta Com gestão florestal Manejo Investimento Floresta A B C

12 Manejo da floresta Sem gestão florestal aumenta o chance de insucesso Manejo Investimento Floresta A B C

13 Gestão do negócio florestal Espaçamento Dosagens Rendimentos Tipo de solo Mapa... Locação de parcelas Medição Altura DAP... Análise de solo Análise de folha Auditorias operacionais Inventário... Custo de formação Produtividade Custo da madeira... Cadastro Inventário Indicadores de qualidade Resultados Histórico Relatório gerencial Custos IMA ICA % falhas Volume Projeto de fertilização Ações corretivas Capacitação Revisão de processos Decisão do manejo Rentabilidade Novos investimentos

14 Sistema de Gestão Uso de ferramentas adequadas Controle do processo Gerenciamento da informação Emissão relatórios gerenciais Gestão orçamentária Redução de riscos Tomada de decisão

15 A BR Gestão Florestal é parceira da INFLOR na implantação do SGF Start para pequenos e médios produtores florestais Líder em sistemas de gestão florestal Mais de 5 milhões de ha gerenciados em 4 continentes 80 % do mercado brasileiro

16 SGF START

17 INFLOR PORTFOLIO SGF

18 INFLOR PORTFOLIO SGF

19 Desafios Produzir floresta Como? Custo competitivo Alta produtividade Alta qualidade Sustentável Planejamento estratégico Projeto bem elaborado Gestão precisa do negócio

20 Seja qual for o produto final! Fazer a gestão do negócio é fundamental!

21 Obrigado! Richard Respondovesk Vanderson Fernandes Avenida Itália, 466 Cidade Jardim Piracicaba - SP Fone

Bases Para Uma Indústria Florestal Competitiva no Mato Grosso

Bases Para Uma Indústria Florestal Competitiva no Mato Grosso Bases Para Uma Indústria Florestal Competitiva no Mato Grosso Histórico O Grupo Floresteca foi fundada em 1994 tendo como objetivo o desenvolvimento de plantações de teca no Brasil de maneira sustentável

Leia mais

SEBRAE. Reunião da Câmara Técnica T. da Silvicultura MAPA 20/08/2013

SEBRAE. Reunião da Câmara Técnica T. da Silvicultura MAPA 20/08/2013 SEBRAE Reunião da Câmara Técnica T da Silvicultura MAPA 20/08/2013 SEBRAE Análise do Ambiente Externo Demanda crises econômicas sucessivas; Legislação ambiental necessidade do CV ser proveniente de floresta

Leia mais

A CERTIFICAÇÃO FSC DA DURATEX Seminário Internacional sobre Tendências Florestais. 10 a 12 de maio de 2000. Curitiba - Paraná

A CERTIFICAÇÃO FSC DA DURATEX Seminário Internacional sobre Tendências Florestais. 10 a 12 de maio de 2000. Curitiba - Paraná A CERTIFICAÇÃO FSC DA DURATEX Seminário Internacional sobre Tendências Florestais 10 a 12 de maio de 2000 Curitiba - Paraná INFORMAÇÕES GERAIS ÁREA FLORESTAL INFORMAÇÕES GERAIS ÁREA FLORESTAL BAHIA (ESPLANADA)

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FLORESTAIS LCF-1581

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FLORESTAIS LCF-1581 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FLORESTAIS LCF-1581 Recursos Florestais em Propriedades Agrícolas Trabalho final: Projeto de adequação

Leia mais

O selo verde garante que o produto respeita rios e nascentes

O selo verde garante que o produto respeita rios e nascentes O selo verde garante que o produto respeita rios e nascentes Secretária executiva do FSC, ONG que gerencia a principal certificação de florestas, diz que o desafio agora é ampliar atuação na Mata Atlântica

Leia mais

ESTRUTURA. Matriz ESCRITÓRIO SEDE CURITIBA, PR. www.stcp.com.br

ESTRUTURA. Matriz ESCRITÓRIO SEDE CURITIBA, PR. www.stcp.com.br ESTRUTURA ESCRITÓRIO SEDE CURITIBA, PR. Matriz ATUAÇÃO GLOBAL REINO UNIDO CANADÁ ESTADOS UNIDOS HONDURAS PANAMÁ COLÔMBIA EQUADOR PERÚ BOLÍVIA CHILE EL SALVADOR CONGO ARGENTINA URUGUAI PARAGUAI BRASIL GUIANA

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DO MERCADO DA MADEIRA DE REFLORESTAMENTO NO BRASIL. Sebastião Renato Valverde 1

CARACTERÍSTICAS DO MERCADO DA MADEIRA DE REFLORESTAMENTO NO BRASIL. Sebastião Renato Valverde 1 CARACTERÍSTICAS DO MERCADO DA MADEIRA DE REFLORESTAMENTO NO BRASIL Sebastião Renato Valverde 1 A economia do setor florestal brasileiro até o ano de 1965 era pouco expressiva, tanto que as atividades de

Leia mais

Local: Mogi Guaçu São Paulo Brasil. Evento Oficial:

Local: Mogi Guaçu São Paulo Brasil. Evento Oficial: Local: Mogi Guaçu São Paulo Brasil Evento Oficial: 3 BRASIL HISTÓRICO O Brasil é referência mundial quando o assunto é floresta plantada. Por isso, é o lugar certo para a maior feira florestal dinâmica

Leia mais

A BIOMASSA FLORESTAL PRIMARIA

A BIOMASSA FLORESTAL PRIMARIA A BIOMASSA FLORESTAL PRIMARIA Entende-se por biomassa florestal primaria (BFP) a fração biodegradável dos produtos gerados e que são processados com fins energéticos. Nos casos dos reflorestamentos, a

Leia mais

C ELULOS E & P A P E L

C ELULOS E & P A P E L ELULOSE C & P A P E L C ELULOSE & P A P E L APRESENTAÇÃO A Revista CELULOSE & PAPEL surge no segmento para oferecer aos seus leitores uma nova oportunidade na busca da melhor informação do mercado e novos

Leia mais

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DE BASE FLORESTAL PARA O ESTADO DE SANTA CATARINA 2014 LAGES/SC 27 DE FEVEREIRO DE 2014

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DE BASE FLORESTAL PARA O ESTADO DE SANTA CATARINA 2014 LAGES/SC 27 DE FEVEREIRO DE 2014 ANUÁRIO ESTATÍSTICO DE BASE FLORESTAL PARA O ESTADO DE SANTA CATARINA 214 LAGES/SC 27 DE FEVEREIRO DE 214 CONTEÚDO 1. APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL ACR 2. BASE FLORESTAL PLANTADA 3. MERCADO DE PRODUTOS FLORESTAIS

Leia mais

A Questão Florestal e o Desenvolvimento

A Questão Florestal e o Desenvolvimento Alcir Ribeiro Carneiro de Almeida, Eng. Ftal., MSc.,Dr. Gerente Florestal A Questão Florestal e o Desenvolvimento BNDES, Rio de Janeiro, 09 de julho de 2003 Grupo CIKEL CIKEL BRASIL VERDE S.A. - atua na

Leia mais

MARCOS REGULATÓRIOS DE FLORESTAS PLANTADAS. Seminário PDFS/MT 2015

MARCOS REGULATÓRIOS DE FLORESTAS PLANTADAS. Seminário PDFS/MT 2015 MARCOS REGULATÓRIOS DE FLORESTAS PLANTADAS Seminário PDFS/MT 2015 É referência em questões e atividades que interferem na cadeia de florestas plantadas, sugerindo e opinando em políticas públicas de pesquisa,

Leia mais

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro - 2º Congresso Florestal do Tocantins - André Luiz Campos de Andrade, Me. Gerente Executivo de Economia e Mercados do Serviço Florestal

Leia mais

Sistemas de gestão da informação em Planos de Manejo e Indústrias Madeireiras de Mato Grosso. Júlio Bachega Consultor-ICV Cuiabá, 27/03/2014

Sistemas de gestão da informação em Planos de Manejo e Indústrias Madeireiras de Mato Grosso. Júlio Bachega Consultor-ICV Cuiabá, 27/03/2014 Sistemas de gestão da informação em Planos de Manejo e Indústrias Madeireiras de Mato Grosso Júlio Bachega Consultor-ICV Cuiabá, 27/03/2014 Contexto Necessidade de rastreabilidade estabelecida pela resolução

Leia mais

ASPECTOS DA LEGALIDADE NA GESTÃO FLORESTAL

ASPECTOS DA LEGALIDADE NA GESTÃO FLORESTAL ASPECTOS DA LEGALIDADE NA GESTÃO FLORESTAL Dezembro, 2011 O Serviço Florestal Brasileiro Lei de Gestão de Florestas Públicas Lei 11.284/2006 Estabelece a forma de gestão de florestas públicas para o uso

Leia mais

Tecnologia de Produção de Biomassa Energética. Capítulo 2 Florestas Energéticas

Tecnologia de Produção de Biomassa Energética. Capítulo 2 Florestas Energéticas Tecnologia de Produção de Biomassa Energética Capítulo 2 Florestas Energéticas Bibliografia indicada Biomassa para energia Capítulo 4 Florestas Energéticas no Brasil (págs. 93 a 108) Capítulo 3 Tópico

Leia mais

Federação das Associações de Recuperação Florestal do Estado de São Paulo

Federação das Associações de Recuperação Florestal do Estado de São Paulo Federação das Associações de Recuperação Florestal do Estado de São Paulo Reposição Florestal Modelo FARESP / São Paulo / Brasil Cenário Florestal Brasileiro: Biomas AMAZÔNIA 419,6 milhões ha. = 49,30%

Leia mais

Certificação ambiental a) Sistema de Gestão Ambiental

Certificação ambiental a) Sistema de Gestão Ambiental Certificação ambiental A certificação dos sistemas de gestão atesta a conformidade do modelo de gestão de fabricantes e prestadores de serviço em relação a requisitos normativos. Os sistemas clássicos

Leia mais

Simulação dos pátios de madeira no Paraná Obtendo o melhor modelo logístico

Simulação dos pátios de madeira no Paraná Obtendo o melhor modelo logístico Simulação dos pátios de madeira no Paraná Obtendo o melhor modelo logístico 1 A Klabin A Klabin é a maior produtora e exportadora de papéis do Brasil*. Líder nos mercados de papéis e cartões para embalagens,

Leia mais

Aracruz Celulose principais dados

Aracruz Celulose principais dados ARACRUZ CELULOSE Aracruz Celulose principais dados Fundada em 1972, e iniciou a produção em 1978 400.000 t/ano Hoje produz 3.000.000 t/ano. Responde por 33% do mercado mundial de celulose de eucalipto.

Leia mais

Mercado de Painéis de Madeira Reconstituída. Graça B. Gnoatto 31/10/2014

Mercado de Painéis de Madeira Reconstituída. Graça B. Gnoatto 31/10/2014 Mercado de Painéis de Madeira Reconstituída Graça B. Gnoatto 31/10/2014 Ibá Inédita união de quatro associações de empresas de produtos de base florestal plantada, com valores intrínsecos de desenvolvimento

Leia mais

Orientadora do Projeto Integrado Profª Alessandra Sutti

Orientadora do Projeto Integrado Profª Alessandra Sutti Orientadora do Projeto Integrado Profª Alessandra Sutti Equipe SOGMA Sócia-Diretora da SOGMA, Fernanda Villas Boas Frediani é Gestora Ambiental, formada pela FMU. Têm em seu currículo especialização na

Leia mais

9001, ISO TS 16949, ISO 14001, OHSAS 18001, ISO 22000, SASSMAQ.

9001, ISO TS 16949, ISO 14001, OHSAS 18001, ISO 22000, SASSMAQ. 1 Versão: 04A APRESENTAÇÃO: A I9Gestão é uma empresa de consultoria e treinamento especializada na implantação de Sistemas de Gestão, auxiliando as organizações no atendimento a diversos padrões normativos

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS SISTEMA DE GESTÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO (OHSAS 18001)

CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS SISTEMA DE GESTÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO (OHSAS 18001) 1 INFO012 REV 05 APRESENTAÇÃO: A I9Gestão é uma empresa de consultoria e treinamento especializada na implantação de Sistemas de Gestão, auxiliando as organizações no atendimento a diversos padrões normativos

Leia mais

USO DE TECNOLOGIA DE PRECISÃO NA SILVICULTURA DA SUZANO PAPEL E CELULOSE

USO DE TECNOLOGIA DE PRECISÃO NA SILVICULTURA DA SUZANO PAPEL E CELULOSE Manutenção de Florestas e Manejo Integrado de Pragas USO DE TECNOLOGIA DE PRECISÃO NA SILVICULTURA DA SUZANO PAPEL E CELULOSE Lindenberg Rodrigues Perpétuo 1 Tecnólogo em Gestão da Agropecuária, Especializado

Leia mais

6 Exploração florestal ATENÇÃO!

6 Exploração florestal ATENÇÃO! 6 Exploração florestal 6.1 O que depende de autorização ambiental? Uso alternativo do solo Toda intervenção na cobertura vegetal nativa (ou seja, desmatamento com ou sem destoca, raleamento ou brocamento

Leia mais

III Seminário Internacional de Direito, Águas, Energia e Aquecimento Global. Políticas Ambientais Empresariais. Campo Grande / MS

III Seminário Internacional de Direito, Águas, Energia e Aquecimento Global. Políticas Ambientais Empresariais. Campo Grande / MS III Seminário Internacional de Direito, Águas, Energia e Aquecimento Global Políticas Ambientais Empresariais Campo Grande / MS 30.10 a 01.11.2007 International Paper no Mundo Companhia global de papel

Leia mais

MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE FLORESTAS

MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE FLORESTAS MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE DEPARTAMENTO DE FLORESTAS Referência: Agenda para a criação de instrumentos de financiamentos e crédito para o setor florestal Interessado: DFLOR/SBF/MMA. 1. ANTECEDENTES: O

Leia mais

SOLUÇÕES COMPLETAS EM PRODUTOS E SERVIÇOS PARA AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

SOLUÇÕES COMPLETAS EM PRODUTOS E SERVIÇOS PARA AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SOLUÇÕES COMPLETAS EM PRODUTOS E SERVIÇOS PARA AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SN de Estratégia para Micro e Pequeno Empreendedorismo GN Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental Outubro - 2014 153

Leia mais

CONGRESSO INTERNACIONAL MEIO AMBIENTE OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS

CONGRESSO INTERNACIONAL MEIO AMBIENTE OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS CONGRESSO INTERNACIONAL MEIO AMBIENTE OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS WORKSHOP SUSTENTABILIDADE E CERTIFICAÇÃO FLORESTAL O EXEMPLO DO BRASIL 12 de agosto de 1999 Belo Horizonte - MG * Rubens Cristiano D. Garlipp

Leia mais

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira SÃO PAULO SP 22 / 05 / 2013

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira SÃO PAULO SP 22 / 05 / 2013 Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira SÃO PAULO SP 22 / 05 / 2013 SOJA BRASILEIRA A soja é a principal cultura agrícola do Brasil - 28 milhões de ha (25% da área mundial plantada)

Leia mais

33º Forum de Análise do Mercado de Celulose, Papel e Indústria Gráfica

33º Forum de Análise do Mercado de Celulose, Papel e Indústria Gráfica 33º Forum de Análise do Mercado de Celulose, Papel e Indústria Gráfica Crise Econômica Mundial Quais os impactos no setor de papel e celulose O Efeito do Câmbio no Mercado Doméstico de Papelcartão Túlio

Leia mais

A EMPRESA E O PROFISSIONAL DO SÉCULO 21

A EMPRESA E O PROFISSIONAL DO SÉCULO 21 O PROFISSIONAL DE MEIO AMBIENTE DO SÉCULO 21: OPORTUNIDADES E DESAFIOS Rubens Garlipp* A EMPRESA E O PROFISSIONAL DO SÉCULO 21 UFSCAR Sorocaba - SP 01 de junho de 2007 * Engº Ftal Superintendente da Sociedade

Leia mais

41º CAFÉ COM SUSTENTABILIDADE 2015

41º CAFÉ COM SUSTENTABILIDADE 2015 41º CAFÉ COM SUSTENTABILIDADE 2015 CENÁRIO MUNDIAL SETOR FLORESTAL PRESSÃO PARA PRESERVAÇÃO DAS FLORESTAS PRESSÃO PARA ABERTURA DE NOVAS FRONTEIRAS FLORESTA RISCO DE ESCASSEZ VALORIZAÇÃO 2 O BRASIL FLORESTAL

Leia mais

PLANO ESTADUAL PARA O DESENVOLVIMENTO DE FLORESTAS PLANTADAS

PLANO ESTADUAL PARA O DESENVOLVIMENTO DE FLORESTAS PLANTADAS PLANO ESTADUAL PARA O DESENVOLVIMENTO DE FLORESTAS PLANTADAS Rodrigo Guilherme Rodrigues STCP 1 de 44 1/36 2 de 44 QUEM É A STCP Fundada em 1981 Sede em Curitiba (PR) 17 escritórios em diferentes regiões

Leia mais

RESUMO DO PLANO DE MANEJO FLORESTAL

RESUMO DO PLANO DE MANEJO FLORESTAL RESUMO DO PLANO DE MANEJO FLORESTAL Introdução Este documento é um resumo dos programas e procedimentos da International Paper para a gestão do seu processo florestal, sendo revisado anualmente. I N T

Leia mais

n abi Kl Logística Re vers r a Aparas de paras de apel

n abi Kl Logística Re vers r a Aparas de paras de apel Klabin Logística Reversa Aparas de Papel A Klabin Logística Klabin Mercado de Aparas de Papel Logística Reversa - Aparas A Klabin A Klabin é a maior produtora e exportadora de papéis do Brasil*. Líder

Leia mais

Efeito dos custos dos insumos na rentabilidade dos projetos florestais

Efeito dos custos dos insumos na rentabilidade dos projetos florestais Ativos do Campo - Nº 04/2013 Efeito dos custos dos insumos na rentabilidade dos projetos florestais Mesmo sendo as plantações florestais intensivas em utilização de mão de obra, sobretudo em regiões montanhosas,

Leia mais

PORTARIA INTERSETORIAL SDM/FATMA Nº 01, de 05/11/2002

PORTARIA INTERSETORIAL SDM/FATMA Nº 01, de 05/11/2002 PORTARIA INTERSETORIAL SDM/FATMA Nº 01, de 05/11/2002 "Estabelece que a exploração e a supressão de produtos florestais nativos em qualquer modalidade, no Estado de Santa Catarina, dependem da emissão,

Leia mais

Agregando valor ao seu resultado!

Agregando valor ao seu resultado! Agregando valor ao seu resultado! Porto Alegre - Avenida Protásio Alves, 3332, Sala 303 Tel: +55 51 3023 4200 São Leopoldo: Rua Bento Gonçalves, 806, Sala 203, Centro A empresa A empresa foi fundada em

Leia mais

PRODUÇÃO DE MUDAS NA CENIBRA

PRODUÇÃO DE MUDAS NA CENIBRA PRODUÇÃO DE MUDAS NA CENIBRA FLUXOGRAMA DE PRODUÇÃO DE MUDA CLONAL JARDIM CLONAL COLHEITA DE BROTOS PLANTIO DE ESTACA CASA DE VEGETAÇÃO CASA DE SOMBRA CRESCIMENTO RUSTIFICAÇÃO/ EXPEDIÇÃO SUBIRRIGAÇÃO TRANSPORTE

Leia mais

O SETOR FLORESTAL SÉCULO XXI

O SETOR FLORESTAL SÉCULO XXI O SETOR FLORESTAL SÉCULO XXI PONTOS FORTES AMBIENTAIS Maior área florestal do mundo com 477 milhões de ha Estoque de carbono nas florestas da ordem de 50 bilhões de t C 150 milhões de ha com terras indígenas

Leia mais

PRODUÇÃO FLORESTAL Plante árvores e aumente a renda da propriedade

PRODUÇÃO FLORESTAL Plante árvores e aumente a renda da propriedade Série Time Agro Brasil PRODUÇÃO com PRESERVAÇÃO PRODUÇÃO FLORESTAL Plante árvores e aumente a renda da propriedade 1 Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro

Leia mais

Soluçoes ~ Gráficas. Digital. Off-Set. Compromisso com o CERTIFICAÇÃO FSC FOREST STEWARDSHIP COUNCIL. www.dizart.com.br

Soluçoes ~ Gráficas. Digital. Off-Set. Compromisso com o CERTIFICAÇÃO FSC FOREST STEWARDSHIP COUNCIL. www.dizart.com.br Soluçoes ~ Gráficas Digital Off-Set CERTIFICAÇÃO FSC FOREST STEWARDSHIP COUNCIL www.dizart.com.br SOBRE O FSC É amplamente aceito que os recursos florestais e as áreas por eles ocupadas devam ser manejados

Leia mais

Klabin eleva produtividade e eficiência operacional e financeira de fábricas com SAP MII

Klabin eleva produtividade e eficiência operacional e financeira de fábricas com SAP MII Klabin eleva produtividade e eficiência operacional e financeira de fábricas com SAP MII Com 16 fábricas no Brasil e uma na Argentina, a Klabin S.A. é a maior produtora e exportadora de papéis do Brasil.

Leia mais

VIII Simpósio Técnicas de Plantio e Manejo de Eucalipto para Usos Múltiplos

VIII Simpósio Técnicas de Plantio e Manejo de Eucalipto para Usos Múltiplos VIII Simpósio Técnicas de Plantio e Manejo de Eucalipto para Usos Múltiplos Linhas de crédito para o setor florestal Homero José Rochelle Engº Agrônomo ESALQ 1979 Plano de Safra 2014/2015 MAPA - Ministério

Leia mais

Comissão Nacional de Silvicultura e Agrossilvicultura

Comissão Nacional de Silvicultura e Agrossilvicultura CONFEDERAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA DO BRASIL Comissão Nacional de Silvicultura e Agrossilvicultura Camila Soares Braga Assessora Técnica Bem estar humano F ood F resh water F uel F iber A gente não

Leia mais

A Suzano e o Fomento na Bahia

A Suzano e o Fomento na Bahia A Suzano e o Fomento na Bahia Como é a atuação da Suzano na região? Fundada há 85 anos, a Suzano começou a produzir papel em 1940 e celulose em 1950 sempre abastecendo o mercado brasileiro e os de diversos

Leia mais

DESAFIOS DO CRESCIMENTO ECONÔMICO SUSTENTADO - SETOR FLORESTAL -

DESAFIOS DO CRESCIMENTO ECONÔMICO SUSTENTADO - SETOR FLORESTAL - DESAFIOS DO CRESCIMENTO ECONÔMICO SUSTENTADO - SETOR FLORESTAL - O MEIO AMBIENTE PARA A ECONOMIA - FIESP- São Paulo - SP 02 de junho de 2008 Rubens Garlipp SENSIBILIDADE ÀS S QUESTÕES FLORESTAIS EM DIFERENTES

Leia mais

Caminhos da Embraco na CHINA

Caminhos da Embraco na CHINA Caminhos da Embraco na CHINA A Embraco hoje %)&& *& " & & # + $$2! " & 34,- & #&*.&! "# $ %& ' (" 0 & "& &*'1 & $- & # / 1 Plantas e pessoas 567 5 8* $9$

Leia mais

Forest Stewardship Council FSC Brasil

Forest Stewardship Council FSC Brasil Tutorial - FSC Marketplace Perfil Certificados Para criar um perfil de uma organização certificada, entre na página http://marketplace.fsc.org/ e clique em Registre-se Agora A seguir, insira o e-mail,

Leia mais

DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting

DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting Soluções personalizadas para acelerar o crescimento do seu negócio Estratégia Operacional Projeto e Otimização de Redes Processos de Integração Eficácia

Leia mais

Roteiro de visita a campo

Roteiro de visita a campo Roteiro de visita a campo 4Fs Brasil - The Forest Dialogue (TFD) 11-14 Novembro 2012, Capão Bonito, Brasil Dia 1 Domingo, 11 de Novembro 8:00 Saída dos hotéis 8:30 Chegada ao IDEAS e informações sobre

Leia mais

BNDES Financiamento à Indústria de Base Florestal Plantada. Outubro de 2014

BNDES Financiamento à Indústria de Base Florestal Plantada. Outubro de 2014 BNDES Financiamento à Indústria de Base Florestal Plantada Outubro de 2014 Agenda 1. Aspectos Institucionais 2. Formas de Atuação 3. Indústria de Base Florestal Plantada 1. Aspectos Institucionais Linha

Leia mais

ENGENHARIA FLORESTAL. COORDENADORA Angélica de Cássia Oliveira Carneiro cassiacarneiro@ufv.br

ENGENHARIA FLORESTAL. COORDENADORA Angélica de Cássia Oliveira Carneiro cassiacarneiro@ufv.br ENGENHARIA FLORESTAL COORDENADORA Angélica de Cássia Oliveira Carneiro cassiacarneiro@ufv.br 78 Currículos dos Cursos do CCA UFV Currículo do Curso de Engenharia Engenheiro ATUAÇÃO O Engenheiro estará

Leia mais

Uso de Softwares destinados ao planejamento das operações

Uso de Softwares destinados ao planejamento das operações Logística Florestal Uso de Softwares destinados ao planejamento das operações AGENDA Estrutura Integração Florestal e Logística Fluxo de Operações Otimizador Transporte - GAPSO LOOMA (Logística Otimizada

Leia mais

.2.3 HISTÓRICO... 05. MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLíTICA DE QUALIDADE... 06 OPERAÇÃO PORTUÁRIA... 08 ATIVIDADES... 08 QUALIDADE...

.2.3 HISTÓRICO... 05. MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLíTICA DE QUALIDADE... 06 OPERAÇÃO PORTUÁRIA... 08 ATIVIDADES... 08 QUALIDADE... HISTÓRICO... 05 MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLíTICA DE QUALIDADE... 06 OPERAÇÃO PORTUÁRIA... 08 ATIVIDADES... 08 QUALIDADE... 10 EVOLUIR SEMPRE... 12 ALTA TECNOLOGIA PARA GRANDES RESULTADOS... 15 EQUIPAMENTOS...

Leia mais

ESTRATÉGIAS CONTÁBEIS: UM MODELO DE GESTÃO APLICÁVEL A EMPRESA MADEIREIRA AMBIENTALMENTE CORRETA

ESTRATÉGIAS CONTÁBEIS: UM MODELO DE GESTÃO APLICÁVEL A EMPRESA MADEIREIRA AMBIENTALMENTE CORRETA ESTRATÉGIAS CONTÁBEIS: UM MODELO DE GESTÃO APLICÁVEL A EMPRESA MADEIREIRA AMBIENTALMENTE CORRETA Edgar de Lima Silva Universidade da Amazônia (UNAMA-PA) Universidade Federal do Pará (UFPA) edgar@usp.br

Leia mais

INSTITUTO DE PESQUISAS E ESTUDOS FLORESTAIS

INSTITUTO DE PESQUISAS E ESTUDOS FLORESTAIS INSTITUTO DE PESQUISAS E ESTUDOS FLORESTAIS PESQUISA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO A SERVIÇO DO SETOR FLORESTAL MODELO DE INTEGRAÇÃO UNIVERSIDADE-EMPRESA desde 1968 Empresas Associadas Acesita Energética

Leia mais

Índice. 3 Resultados da pesquisa. 17 Conclusão. 19 Questionário utilizado na pesquisa

Índice. 3 Resultados da pesquisa. 17 Conclusão. 19 Questionário utilizado na pesquisa Índice 3 Resultados da pesquisa 17 Conclusão 19 Questionário utilizado na pesquisa Esta pesquisa é uma das ações previstas no Plano de Sustentabilidade para a Competitividade da Indústria Catarinense,

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MAPA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO E COOPERATIVISMO SDC

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MAPA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO E COOPERATIVISMO SDC MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MAPA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO E COOPERATIVISMO SDC Programa ABC Linha de Crédito para Agricultura de Baixa Emissão de Carbono Sidney

Leia mais

Jornal Canal da Bioenergia A energia das florestas Agosto de 2014 Ano 9 Nº 94

Jornal Canal da Bioenergia A energia das florestas Agosto de 2014 Ano 9 Nº 94 Jornal Canal da Bioenergia A energia das florestas Agosto de 2014 Ano 9 Nº 94 Apesar de pouco explorada, a biomassa florestal pode ser uma das alternativas para a diversificação da matriz energética Por

Leia mais

SITUAÇÃO E DESAFIOS DO USO DA MADEIRA PARA ENERGIA NO BRASIL

SITUAÇÃO E DESAFIOS DO USO DA MADEIRA PARA ENERGIA NO BRASIL II ENCONTRO BRASILEIRO DE SILVICULTURA Campinas, Abril 2011 SITUAÇÃO E DESAFIOS DO USO DA MADEIRA PARA ENERGIA NO BRASIL JOSÉ OTÁVIO BRITO Professor Titular jobrito@usp.br CONJUNTURA MUNDIAL CONSUMO MUNDIAL

Leia mais

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL DE INTERFACE COM AS FLORESTAS PLANTADAS EM MS. Política Ambiental para o Setor Florestal

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL DE INTERFACE COM AS FLORESTAS PLANTADAS EM MS. Política Ambiental para o Setor Florestal LEGISLAÇÃO AMBIENTAL DE INTERFACE COM AS FLORESTAS PLANTADAS EM MS Principais Objetivos da Política Ambiental de MS para o Setor Florestal Reduzir a pressão sobre a vegetação nativa, especialmente aquela

Leia mais

PORFOLIO DE SERVIÇOS. www.qualicall.com.br

PORFOLIO DE SERVIÇOS. www.qualicall.com.br PORFOLIO DE SERVIÇOS www.qualicall.com.br Visão O mercado industrial, de serviços e e-business reconhecerão a QUALICALL como uma empresa pequena, coesa e competitiva, porém muito grande na sua base de

Leia mais

PROJETOS FLORESTAIS: QUALIFICAÇÕES (PLANTAÇÕES COMERCIAIS)

PROJETOS FLORESTAIS: QUALIFICAÇÕES (PLANTAÇÕES COMERCIAIS) PROJETOS FLORESTAIS: QUALIFICAÇÕES (PLANTAÇÕES COMERCIAIS) * Rubens C. Garlipp São Paulo - SP 07 de junho de 2001 Mudanças Climáticas: Uma Abordagem Estrutural 3ª Semana FIESP / CIESP de Meio Ambiente

Leia mais

DA TORMENTA À ESPERANÇA O

DA TORMENTA À ESPERANÇA O DA TORMENTA À ESPERANÇA O começo do ano é um bom momento para refletir sobre as questões importantes, e suas implicações para o resto do ano. Para a Finlândia, 2014 trouxe uma virada positiva quando comparamos

Leia mais

ARRANJOS INSTITUCIONAIS DA CADEIA FLORESTAL MINEIRA Estratégias e Mecanismos de Abastecimento da Indústria de Base Florestal

ARRANJOS INSTITUCIONAIS DA CADEIA FLORESTAL MINEIRA Estratégias e Mecanismos de Abastecimento da Indústria de Base Florestal ARRANJOS INSTITUCIONAIS DA CADEIA FLORESTAL MINEIRA Estratégias e Mecanismos de Abastecimento da Indústria de Base Florestal III CONGRESSO BRASILEIRO DE EUCALIPTO VITÓRIA - ES 02 DE SETEMBRO DE 2015 Motivação

Leia mais

Ficha de Inscrição do 18º Prêmio Expressão de Ecologia

Ficha de Inscrição do 18º Prêmio Expressão de Ecologia Ficha de Inscrição do 18º Prêmio Expressão de Ecologia OBS: Apresentação obrigatória na primeira página do case 1. Informações cadastrais a) Identificação: empresa b) Nome: Walmart Brasil c) Setor: Comércio

Leia mais

Banco do Brasil. Programa ABC

Banco do Brasil. Programa ABC Banco do Brasil Programa ABC Junho de 2015 Plano ABC Conceito Crédito orientado para promover a redução das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) na agricultura, conforme preconizado na Política Nacional

Leia mais

reflexos da oscilação cambial para o exportador brasileiro

reflexos da oscilação cambial para o exportador brasileiro Central de Cases MADEHOUSE: reflexos da oscilação cambial para o exportador brasileiro www.espm.br/centraldecases Central de Cases MADEHOUSE: reflexos da oscilação cambial para o exportador brasileiro

Leia mais

XV COBREAP - CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS - IBAPE/SP 2009

XV COBREAP - CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS - IBAPE/SP 2009 XV COBREAP - CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE AVALIAÇÕES E PERÍCIAS - IBAPE/SP 2009 ANÁLISE COMPARATIVA NA AVALIAÇÃO DE FLORESTA PLANTADA DE PINUS PELO MÉTODO DO VALOR ECONÔMICO, UTILIZANDO COMO PARÂMETROS

Leia mais

Brasil: desafios para a indústria de papel no mundo globalizado

Brasil: desafios para a indústria de papel no mundo globalizado Brasil: desafios para a indústria de papel no mundo globalizado Maximo Pacheco Presidente International Paper do Brasil 34º ANAVE São Paulo, 29 de Setembro de 2009 A indústria de papel de I&E do Brasil

Leia mais

IPEF, n.25, p.5-6, 1983. Notícias e comentários / News and comments

IPEF, n.25, p.5-6, 1983. Notícias e comentários / News and comments IPEF, n.25, p.5-6, 1983 Notícias e comentários / News and comments COMUNICAÇÕES GERAIS DO IPEF Este veículo informativo está sendo reativado com as atividades realizadas pelo IPEF no período de junho a

Leia mais

Fábrica de. Imperatriz

Fábrica de. Imperatriz Fábrica de Industrial Por que Maranhão? Logística Florestal Fábrica de Por que Maranhão? COMPETITIVIDADE FLORESTAL Nova Fronteira para produção de celulose PA MA PI TO BA FLORESTAL 25 anos de pesquisa

Leia mais

Apresentação Institucional. Junho 2011

Apresentação Institucional. Junho 2011 1 Apresentação Institucional Junho 2011 Disclaimer As declarações contidas nesta apresentação relativas às perspectivas de negócio, projeções operacionais e financeiras e perspectivas de crescimento da

Leia mais

21º Prêmio Expressão de Ecologia

21º Prêmio Expressão de Ecologia 21º Prêmio Expressão de Ecologia Edição 2013-2014 Projeto: Redução do Consumo de Água Captada do Rio Canoas Organização: Klabin Página: 1/1 PÁGINA 1: Inform ações cadastrais: P1: Título do projeto am biental

Leia mais

Manejo Florestal Resumo Público

Manejo Florestal Resumo Público Itacoatiara/AM- Brasil. Edição 2013. Manejo Florestal Resumo Público Mil Madeiras Preciosas Ltda. TERMOS E DEFINIÇÕES PWA: Precious Woods Amazon. Ramificação do grupo PW (Precious Woods), onde os empreendimentos

Leia mais

ESPECIAL EMPRESAS FLORESTAIS RECORREM ÀS CONSULTORIAS PARA NÃO ERRAR, PRINCIPALMENTE EM ÉPOCA DE CRISE NO ALVO. www.referenciaflorestal.com.

ESPECIAL EMPRESAS FLORESTAIS RECORREM ÀS CONSULTORIAS PARA NÃO ERRAR, PRINCIPALMENTE EM ÉPOCA DE CRISE NO ALVO. www.referenciaflorestal.com. ESPECIAL EMPRESAS FLORESTAIS RECORREM ÀS CONSULTORIAS PARA NÃO ERRAR, PRINCIPALMENTE EM ÉPOCA DE CRISE NO ALVO 58 www.referenciaflorestal.com.br MADEIRA SERRADA DE TECA Foto: arquivo N ão há espaço para

Leia mais

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : ENGENHARIA FLORESTAL. CRÉDITOS Obrigatórios: 241 Optativos: 12.

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : ENGENHARIA FLORESTAL. CRÉDITOS Obrigatórios: 241 Optativos: 12. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Pró-reitoria de Graduação - DAARG DRA - Divisão de Registros Acadêmicos Sistema de Controle Acadêmico Grade Curricular 30/01/2014-13:09:29 Curso : ENGENHARIA

Leia mais

Seminário Internacional sobre. Estatísticas Ambientais e Contas Econômicoambientais

Seminário Internacional sobre. Estatísticas Ambientais e Contas Econômicoambientais Seminário Internacional sobre Estatísticas Ambientais e Contas Econômicoambientais Tatiana Mahalem do Amaral 21 a 25 de setembro de 2009 RJ MISSÃO Conciliar uso e conservação das florestas, valorizando-as

Leia mais

ArcelorMittal Timóteo / Jequitinhonha Projetos de Mecanismos de Desenvolvimento Limpo. 19 de outubro de 2007

ArcelorMittal Timóteo / Jequitinhonha Projetos de Mecanismos de Desenvolvimento Limpo. 19 de outubro de 2007 ArcelorMittal Timóteo / Jequitinhonha Projetos de Mecanismos de Desenvolvimento Limpo 19 de outubro de 2007 Tópicos 1. Introdução 2. ArcelorMittal Timóteo - Aços Inoxidáveis e Elétricos Brasil 3. ArcelorMittal

Leia mais

FLORESTAS PLANTADAS E CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE NO BRASIL

FLORESTAS PLANTADAS E CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE NO BRASIL FLORESTAS PLANTADAS E CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE NO BRASIL Uma posição institucional conjunta de: Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais Sociedade Brasileira de Silvicultura Departamento de Ciências

Leia mais

Linhas de Financiamento Setor Florestal. 1º Encontro Paulista de Biodiversidade São Paulo, 18 de novembro de 2009 Eduardo Canepa Raul Andrade

Linhas de Financiamento Setor Florestal. 1º Encontro Paulista de Biodiversidade São Paulo, 18 de novembro de 2009 Eduardo Canepa Raul Andrade Linhas de Financiamento Setor Florestal 1º Encontro Paulista de Biodiversidade São Paulo, 18 de novembro de 2009 Eduardo Canepa Raul Andrade Política Ambiental do BNDES O BNDES entende que investimentos

Leia mais

SOCIAL AMBIENTAL MFS ECONÔMICA

SOCIAL AMBIENTAL MFS ECONÔMICA II FORUM INTERNACIONAL DE MEIO AMBIENTE BRASIL JAPÃO Desenvolvimento Sustentável e Indústria Florestal do Brasil Rio de Janeiro - RJ Setembro 2007 Sociedade Brasileira de Silvicultura Carlos Alberto da

Leia mais

13-05-2015 EUCALIPTO. plantio. Projeção de Receitas e Resultados. Fomento. Como suprir tamanha demanda preservando as florestas nativas?

13-05-2015 EUCALIPTO. plantio. Projeção de Receitas e Resultados. Fomento. Como suprir tamanha demanda preservando as florestas nativas? 13-05-2015 Como suprir tamanha demanda preservando as florestas nativas? Através de florestas plantadas de Eucalipto e Pinus. Cada 1ha destas preservam 10ha de nativas. EUCALIPTO O plantio de Eucalipto

Leia mais

Termo de Referência para Elaboração do Plano de Manejo Florestal Sustentável

Termo de Referência para Elaboração do Plano de Manejo Florestal Sustentável Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos Termo de Referência para Elaboração do Plano Avenida Nascimento de Castro, 2127 Lagoa Nova Natal RN

Leia mais

AÇÃO MADEIRA LEGAL Informativo às construtoras - Internet

AÇÃO MADEIRA LEGAL Informativo às construtoras - Internet AÇÃO MADEIRA LEGAL Informativo às construtoras - Internet A Ação Madeira Legal está vigorando, desde 02 de Janeiro de 2009. O procedimento implantado pela CAIXA é simples e consiste na apresentação do

Leia mais

1.1) PLANO DE APLICAÇÃO DE RECURSOS (EM ANEXO) 1.2) PROJETO DE CAPACITAÇÃO EM GEOTECNOLOGIA INTRODUÇÃO

1.1) PLANO DE APLICAÇÃO DE RECURSOS (EM ANEXO) 1.2) PROJETO DE CAPACITAÇÃO EM GEOTECNOLOGIA INTRODUÇÃO 1.1) PLANO DE APLICAÇÃO DE RECURSOS (EM ANEXO) 1.2) PROJETO DE CAPACITAÇÃO EM GEOTECNOLOGIA INTRODUÇÃO Com o crescimento e desenvolvimento tecnológico constante, o agronegócio brasileiro ostenta aumentos

Leia mais

CERTIFICAÇÃO FLORESTAL

CERTIFICAÇÃO FLORESTAL ESTUDO CERTIFICAÇÃO FLORESTAL Luís Antônio Guerra Conceição Silva Consultor Legislativo da Área VI Direito Agrário e Política Fundiária ESTUDO OUTUBRO/2005 Câmara dos Deputados Praça 3 Poderes Consultoria

Leia mais

ANTONIO SERGIO ALFANO

ANTONIO SERGIO ALFANO DEZEMBRO DE 2013 ANTONIO SERGIO ALFANO DE 2008 A 2013 REDUÇÃO DE CUSTOS E MUDANÇA DAS PRÁTICAS COMERCIAIS INVESTIMENTOS DE ALTO RETORNO AMPLIAÇÃO DA CONVERSÃO MONTE ALEGRE, PR OTACÍLIO COSTA, SC CORREIA

Leia mais

O SETOR FLORESTAL NOS PAÍSES NÓRDICOS CONTINUA FORTE

O SETOR FLORESTAL NOS PAÍSES NÓRDICOS CONTINUA FORTE No 18, junho de 2014 O SETOR FLORESTAL NOS PAÍSES NÓRDICOS CONTINUA FORTE Nos últimos anos, foram publicados vários artigos na mídia com previsões de que poderia haver um declínio na indústria florestal

Leia mais

ÍNDICE. Fotos: Greenpeace Designer Gráfico: Carol Patitucci

ÍNDICE. Fotos: Greenpeace Designer Gráfico: Carol Patitucci FSC - SECR - 0030 ÍNDICE 3 4 6 8 9 10 11 12 13 14 15 Sua empresa vai ficar fora do mercado O que é manejo florestal Resumo das Etapas do Manejo Florestal O que é Certificação Florestal Como funciona O

Leia mais

CENIBRA IMPLANTA MODERNO SISTEMA DE ERP PARA GESTÃO DO PROCESSO FLORESTAL

CENIBRA IMPLANTA MODERNO SISTEMA DE ERP PARA GESTÃO DO PROCESSO FLORESTAL CENIBRA IMPLANTA MODERNO SISTEMA DE ERP PARA GESTÃO DO PROCESSO FLORESTAL Perfil A CENIBRA foi fundada em 1973 e está localizada no leste de Minas Gerais. A empresa é o resultado do espírito empreendedor

Leia mais

Um portal de promoção dos PMFSPE

Um portal de promoção dos PMFSPE Um portal de promoção dos PMFSPE Prestações de serviço n 3 Termos de Referência JF Kibler Floresta Viva / GRET setembro de 2006 1. UM PORTAL DE PROMOCÃO DOS PMFSPE... 3 1.1. Objetivos do portal... 3 1.2.

Leia mais

PLANO DE MANEJO FLORESTAL SUSTENTÁVEL. Resumo Público

PLANO DE MANEJO FLORESTAL SUSTENTÁVEL. Resumo Público PLANO DE MANEJO FLORESTAL SUSTENTÁVEL Resumo Público RIO CAPIM PA / 2011 2 EMPRESA CIKEL BRASIL VERDE MADEIRAS LTDA - COMPLEXO RIO CAPIM Fazenda Rio Capim, Rod. BR 010, Km 1564, Zona Rural Paragominas-PA

Leia mais

EUCALIPTO COMO FORMA DE COMPLEMENTAÇÃO DE RENDA AO PRODUTOR RURAL

EUCALIPTO COMO FORMA DE COMPLEMENTAÇÃO DE RENDA AO PRODUTOR RURAL EUCALIPTO COMO FORMA DE COMPLEMENTAÇÃO DE RENDA AO PRODUTOR RURAL COLOMBINI, Alexandre Beckedorff Acadêmico Eng. Florestal FAIT/AGEG OLIVEIRA JUNIOR, Ezer Dias Docente FAIT/AGEG RESUMO O objetivo desse

Leia mais

HACH ENGENHARIA, CONSTRUÇÕES E CONSULTORIA AMBIENTAL CONSULTORIA AMBIENTAL

HACH ENGENHARIA, CONSTRUÇÕES E CONSULTORIA AMBIENTAL CONSULTORIA AMBIENTAL HACH ENGENHARIA, CONSTRUÇÕES E CONSULTORIA AMBIENTAL CONSULTORIA AMBIENTAL Quem somos: Somos HACH ENGENHARIA, CONSTRUÇÕES E CONSULTORIA AMBIENTAL Ltda. um grupo multidisciplinar de profissionais com conhecimentos

Leia mais

RESUMO DO PLANO DE MANEJO FLORESTAL

RESUMO DO PLANO DE MANEJO FLORESTAL RESUMO DO PLANO DE MANEJO FLORESTAL Introdução Este documento é um resumo dos programas e procedimentos da International Paper para a gestão do seu processo florestal, sendo revisado anualmente. I N T

Leia mais