CAOCID GRATUIDADE NO TRANSPORTE PÚBLICO URBANO A PARTIR DOS 65 (SESSENTA E CINCO) ANOS DE IDADE.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CAOCID GRATUIDADE NO TRANSPORTE PÚBLICO URBANO A PARTIR DOS 65 (SESSENTA E CINCO) ANOS DE IDADE."

Transcrição

1 1- Transporte coletivo urbano: Estatuto do Idoso, artigo 39. GRATUIDADE NO TRANSPORTE PÚBLICO URBANO A PARTIR DOS 65 (SESSENTA E CINCO) ANOS DE IDADE. O passaporte do idoso é emitido pela Secretaria de Cidadania e Trabalho, e pode ser feito em qualquer agência vapt vupt, bastando que o idoso leve os documentos abaixo relacionados: O idoso deverá ter idade igual ou superior a 65 (sessenta e cinco) anos; Comprovar renda familiar mensal não superior a 03 (três) salários mínimos; Original e cópia do RG ou CNH, se a mesma contiver foto; Original e cópia do comprovante de endereço no Estado de Goiás (água, energia, telefone ou extrato do IPTU); Comprovante de renda. Para comprovar a renda, o idoso deverá apresentar um dos seguintes documentos: carteira de trabalho; contracheque de pagamento; extrato de pagamento de benefício ou declaração fornecida pelo INSS onde conste o número e o valor do benefício. Para os demais casos, havendo impossibilidade de comprovar a renda, deverá o idoso assinar no ato do atendimento uma declaração que será fornecida pelo atendente; Duas (02) fotos 3x4 iguais, coloridas e recentes; O cadastro só poderá ser preenchido mediante a presença do interessado (idoso). OBS 1: O interessado deverá entregar a cópia dos documentos e apresentar os originais. OBS 2: Se o idoso estiver impossibilitado de pegar o passaporte, o mesmo poderá ser entregue a outra pessoa desde que apresente o protocolo de emissão do passaporte e sua identidade. A pessoa deverá assinar seu próprio nome e colocar o número da sua identidade. OBS 3: O prazo de entrega do passaporte (confeccionado) é de 60 (sessenta) dias. Para ter o Cartão do Idoso, que serve para o transporte coletivo em Goiânia e Região Metropolitana, o idoso deverá ter 65 (sessenta e cinco) anos. Para solicitar basta comparecer ao Setransp, que fica na Rua 04 nº Edifício Parthenon Center - Setor Central, fone , levando documentos pessoais (Carteira de Identidade, CPF e Comprovante de Endereço) e 01 foto 3 x 4. Para o idoso fazer o Cartão do Idoso para viagem interestadual, deverá comparecer à SEMAS, Rua 25-A esq. c/av. República do Líbano Setor Aeroporto, Goiânia GO, e se dirigir ao Departamento de Atendimento ao Idoso, sendo a Sra. Irene a responsável pelo departamento, e o telefone é o O idoso deverá comparecer para fazer o CADÚNICO, passando pela Assistência Social. Para reclamações sobre não disponibilização de passagens para os idosos, em caso de ser transporte intermunicipal, o órgão responsável pela fiscalização é a AGR, o telefone da ouvidoria é Se for transporte intermunicipal o órgão responsável pela fiscalização é a ANTT, o telefone é

2 Nas comarcas do interior, caso o Promotor de Justiça já tenha tentado uma recomendação ou um TAC com as empresas de transporte e não obteve êxito, deverá tentar uma ACP. A manufatura do passaporte do idoso poderá ser feita na Secretaria de Cidadania e Trabalho de Goiânia. 2- Transporte intermunicipal: TRANSPORTE COLETIVO INTERMUNICIPAL DO IDOSO: Fundamentos legais 1. Lei Estadual nº de 27 de abril de Decreto Estadual nº de 07 de agosto de Disposições Gerais Embora não haja lei de âmbito nacional garantindo o transporte intermunicipal aos idosos, a Lei Estadual nº de 27 de abril de 2004, estabelece a gratuidade no Transporte Coletivo rodoviário intermunicipal aos idosos no Estado de Goiás. A lei em comento foi regulamentada pelo Decreto Estadual nº de 07 de agosto de Segundo a Lei Estadual, é garantido passe livre aos idosos com idade superior a 65 (sessenta e cinco anos), comprovadamente carentes. Para tanto, as empresas prestadoras do transporte coletivo rodoviário intermunicipal do Estado deverão reservar duas vagas em cada veículo, atendendo-se para os seguintes requisitos: a) idade idade igual ou superior a sessenta e cinco anos de idade b) renda renda familiar mensal não superior a três salários mínimos c) comprovante de residência no Estado de Goiás Considera-se serviço público de transporte coletivo rodoviário intermunicipal aquele que transponha os limites territoriais de um município para outro, dentro do Estado de Goiás, ficando excluídos da abrangência da lei dispositiva os municípios da Rede Metropolitana de Transportes Coletivos. Prova da idade mediante a apresentação da carteira de idade ou outro documento equivalente, com indicação da data de nascimento. Prova da renda mediante a apresentação de um dos documentos: carteira de trabalho e previdência social, com anotações atualizadas; contracheques de pagamento e/ou declaração de rendimentos expedida pelo empregador, com firma reconhecida; extrato de pagamento de benefício ou declaração fornecida pelo Instituto Nacional de Seguridade Social INSS e/ou por outro regime de providência social pública ou privada. Prova de residência pela conta de água, energia ou pelo extrato do imposto predial territorial urbano, independentemente de estar em nome do interessado. A comprovação de tais requisitos serão apresentados pelo idoso interessado à Secretaria de Cidadania e Trabalho para que esta emita o passaporte do idoso, dando efetividade ao benefício previsto na Lei Estadual. O único documento que poderá ser exigido pelas transportadoras e pela Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos AGR como comprovação do direito ao benefício é o passaporte do idoso.

3 É, pois, por meio da apresentação do passaporte do idoso à prestadora de serviços de transporte intermunicipal que estas irão emitir o bilhete de viagem, sendo lhes vedada exigir qualquer outro documento ou negar-se à solicitação.. Constata-se que nos municípios do interior do Estado de Goiás, o passaporte do idoso deverá ser solicitado na Gerência Executiva do Programa Renda Cidadã. Ademais aos idosos que não podem comprovarem sua renda mediante a apresentação dos documentos anteriormente expostos, será admitido declaração de insuficiência de recursos apresentada quando do requerimento do passaporte. Considerações Cada idoso terá direito a no máximo 4 (quatro) autorizações de viagens intermunicipais por mês. A bagagem do idoso beneficiado deverá ser transportada gratuitamente pela transportadora. A emissão de informações ou documentos falsos pelo beneficiário implica em responsabilidade penal. Aqueles que descumprirem o benefício estatuído pela legislação estadual Incorrem em infração grave sujeita à sansão de multa ( valor de R$5.000,00, conforme previsto no art. 21, 7, inciso II, da Lei nº de 17 de dezembro de 1999, e art. 65, 7º, inciso II c/c 9º, inciso III, do Decreto nº 5.940, de 27 de abril de 2004), sem prejuízo de outras penalidades de natureza civil e penal. O Órgão responsável pela fiscalização no Estado é a Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos AGR. Bilhete de viagem Para fazer jus ao benefício da gratuidade, o idoso deverá, de posse do passaporte do idoso, dirigir-se aos postos de vendas das empresas de transporte intermunicipal e requerer a emissão do bilhete de viagem, com antecedência mínima de cinco horas em relação ao horário de partida do veículo (art.4º, do Decreto nº 6.777/2008). Diante de tal disposição, o Centro de Apoio Operacional do Cidadão propôs Recomendação nº 01/2008 (dia 25 de novembro de 2008) ao Presidente da Agência Goiana de Regulação, Secretária Estadual de Cidadania e Trabalho e ao Presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário Intermunicipal e Interestadual de passageiros do Estado de Goiás, para que se abstenham de exigir o comparecimento pessoal do idoso para a concessão do benefício do bilhete de viagem do idoso bem como para que seja permitido a qualquer familiar, desde que apresente os documentos pessoais do idoso, retirar com a antecedência devida seu bilhete de viagem nos postos de vendas das empresas de transporte coletivo rodoviário intermunicipal de passageiros no Estado de Goiás. Outrossim, no dia marcado para viagem, o idoso deverá comparecer para embarque, no mínimo trinta minutos antes da hora marcada para início da viagem, culminando na perda do benefício em caso de inobservância do prazo estabelecido. (Extraído A manufatura do passaporte do idoso poderá ser feita na Secretaria de Cidadania e Trabalho de Goiânia.

4 3- Transporte interestadual: TRANSPORTE INTERESTADUAL DE IDOSOS DISPOSIÇÕES GERAIS A Lei nº de 1º de outubro de 2003, denominado Estatuto do Idoso previu, dentre outros direitos, o acesso ao benefício gratuito ou com desconto ao transporte coletivo interestadual de passageiros, senão vejamos: Art. 40. No sistema de transporte coletivo interestadual observar-se-á, nos termos da legislação específica: I a reserva de 2 (duas) vagas gratuitas por veículo para idosos com renda igual ou inferior a 2(dois) salário-mínimos; II desconto de 50% (cinquenta por cento), no mínimo, no valor das passagens, para os idosos que excederem as vagas gratuitas, com renda igual ou inferior a 2 (dois) salários-mínimos. Parágrafo único. Caberá aos órgãos competentes definir os mecanismos e os critérios para o exercício dos direitos previstos nos incisos I e II. Assim, a par de regulamentar o dispositivo em comento, foi editado pelo Poder Executivo Federal o Decreto nº em 08 de julho de 2004, alterado pelo Decreto nº de 23 de julho de Todavia, ambos foram revogados pelo Decreto nº 5.934/2006, de 18 de outubro de 2006, o qual estabelece os mecanismos e critérios a serem adotados na aplicação do art. 40 do Estatuto do Idoso. Por sua vez, a Agência Nacional de Transportes Terrestres ANTT como órgão responsável por regular e fiscalizar a prestação de serviços de transportes terrestres no país, editou a Resolução nº 1692/2006, também com o fim de estipular os procedimentos a serem adotados no âmbito dos serviços de transporte rodoviário interestadual, revogando as Resoluções de nº 653 e 654. REGRAS BÁSICAS Com o advento do Estatuto do Idoso restou garantido aos idosos o benefício do bilhete de viagem no transporte interestadual. Para tanto, as empresas prestadoras de serviços devem reservar duas vagas gratuitas para os idosos em cada veículo, comboio ferroviário ou embarcação do serviço convencional de transporte interestadual de passageiros, desde que atentem para dois requisitos: 1 - idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos 2 - renda pessoal igual ou inferior a dois salários mínimos Por serem requisitos cumulativos, a inobservância de um deles implica na negativa do direito ao benefício. Prova da idade: será feita mediante apresentação do documento de identidade, com fé pública, com foto. Prova da renda: será feita mediante a apresentação de um dos documentos: carteira de trabalho e Previdência Social com anotações atualizadas; contracheque de pagamento ou documento expedido pelo empregador;

5 carnê de contribuição para o Instituto Nacional do Seguro Social INSS; extrato de pagamento de beneficiou declaração fornecida pelo INSS ou outro regime de previdência social público ou privada; documento ou carteira emitida pelas secretarias Estaduais ou Municipais de Assistência Social ou congêneres. Para o uso das vagas gratuitas, o idoso deverá solicitar o Bilhete de Viagem do Idoso nos pontos de venda próprios da empresa permissionária, com antecedência de três horas da partida do ônibus, inclusive podendo solicitar o bilhete de retorno. Caso os assentos reservados para tal fim não forem resgatados, as empresas poderão colocar à venda os bilhetes desses assentos e enquanto não forem comercializados permanecerão à disposição do idoso para exercício da gratuidade à qual faz jus. Porém, perderá o benefício o passageiro idoso que não comparecer ao terminal de embarque até 30 (trinta) minutos antes da hora marcada para o início da viagem. Ademais, se as duas vagas gratuitas disponíveis já tiverem sido preenchidas, o idoso terá direito ao desconto de cinquenta por cento do valor da passagem para os demais assentos, adquirindo o bilhete nos seguintes prazos: - seis horas de antecedência para viagens com distância de até 500 Km. - doze horas de antecedência para viagens acima de 500 Km. Cumpre mencionar que a ANTT, por meio da Resolução 233/2003, prevê multas para empresas que descumprirem tais determinações. CARTEIRA DO IDOSO O Decreto nº 5934, de 18 de outubro de 2006, atribui às Secretarias de Assistência Social ou congêneres a emissão da carteira para idosos que não possuem documentos comprobatórios de renda, a fim de garantir o acesso à gratuidade ou desconto nas passagens de viagens interestaduais, proporcionando igualdade de condições àqueles que já se beneficiam por possuírem um dos documentos de prova. A resolução nº 4, de 18 de abril de 2007, aprovada pela Comissão Inter gestores Tripartite (CIT), define a unificação dos procedimentos a serem adotados na emissão da Carteira do Idoso. Os idosos que não podem comprovar renda, deverão solicitar na Secretaria Municipal do Município residente a carteira do idoso. Para tanto, este órgão responsável procederá sua inscrição no Cadastro de Programas Sociais do Governo Federal CADÚNICO. A Carteira do Idoso será emitida pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) por meio do suas web (www.mds.gov.br) sistema informatizado do MDS e impressa pelas Secretarias Municipais de Assistência Social, devendo ser fornecida no prazo de 45 dias do cadastramento no CADÚNICO. O documento terá dados de identificação do idoso e do município residente, número de identificação social (NIS), foto e terá validade de dois anos, em todo o território nacional, a contar da data da expedição. (Extraído

6 No transporte interestadual do idoso não há a necessidade do passaporte. 4- Atendimento preferencial: ATENDIMENTO PREFERENCIAL, IMEDIATO E INDIVIDUALIZADO EM ÓRGÃOS PÚBLICOS E PRIVADOS (REPARTIÇÕES PÚBLICAS, BANCOS, TEATROS, CINEMA, SUPERMERCADO, RODOVIÁRIAS) Os órgãos responsáveis pela fiscalização do atendimento preferencial, imediato e individualizado em repartições públicas, bancos, teatros e cinema são os Procons, tanto estadual quanto municipal. O Procon Municipal fica na Av. Tocantins nº 191 Centro (antigo prédio do TRE 01 quadra abaixo dos Correios) e o telefone é /2940 e o fax é o O Procon Estadual é Rua 02 nº 24 Centro e o telefone é 151. O órgão responsável pela fiscalização do atendimento preferencial, imediato e individualizado em supermercados é o Procon Municipal, que fica localizado na Av. Tocantins nº 191 Centro (antigo prédio do TRE 01 quadra abaixo dos Correios), e o telefone é o /2940 e o fax é o O órgão responsável pela fiscalização do atendimento preferencial, imediato e individualizado em rodoviárias, bem como o cumprimento do estatuto do idoso em relação a reserva de vagas para os idosos, é feita pela ANTT, que tem postos de atendimento nos Terminais Rodoviários. O telefone da ANTT é o ou no Cabe ressaltar que os idosos possuem prioridades elencadas no Estatuto do Idoso, no artigo 3º, parágrafo único. 5- Parte cultural: Estatuto do idoso, artigo 23. DESCONTO DE PELO MENOS 50% NOS INGRESSOS PARA EVENTOS ARTÍSTICOS, CULTURAIS, ESPORTIVOS E DE LAZER O órgão responsável pela fiscalização é o Procon Municipal, que fica localizado na Av. Tocantins nº 191 Centro (antigo prédio do TRE 01 quadra abaixo dos Correios), e o telefone é o /2940 e o fax é o Há algumas Universidades que possuem programas educacionais para idosos, para demais informações, contactar a Secretaria de Cidadania e Trabalho para sanar dúvidas e averiguar como deve proceder o idoso para lograr inserção nos programas educacionais. 6- Processo de Interdição/Curatela:

7 A finalidade da curatela é principalmente conceder proteção aos incapazes no tocante a seus interesses e garantir a preservação dos negócios realizados por eles com relação a terceiros. A curatela constitui um poder assistencial ao incapaz maior, completando-lhe ou substituindo-lhe a vontade. O principal aspecto é o patrimonial, pois o curador protege essencialmente os bens do interdito. O instituto obtém fulcro no artigo do Código Civil e seguintes. A curatela pode ser legítima, testamentária ou dativa. O cônjuge, ou companheiro, não separado judicialmente ou de fato, é, de direito, curador do outro, quando interdito. Na falta de cônjuge, é curador legítimo o pai ou a mãe, na falta destes, o descendente que se mostrar mais apto. Entre os descendentes, os mais próximos precedem os mais remotos. Na falta das pessoas mencionadas, compete ao juiz a escolha do curador dativo. O vigente Código Civil estabelece uma legitimação geral para todas as modalidades de curatela. Assim, o artigo do C.C permite que a interdição seja promovida I- pelos pais ou tutores, II- pelo cônjuge, ou por qualquer parente, III- pelo Ministério Público. O artigo completa afirmando quais os casos em que o Ministério Público promoverá a interdição. A interdição e nomeação de curador também devem decorrer de decisão judicial. O procedimento é regulado pelos artigos a do Código de Processo Civil. Na petição inicial, o requerente provará sua legitimidade, descrevendo os fatos que revelam a anomalia psíquica (artigo do CPC). O interditando será citado para, em dia designado, comparecer perante o juiz, que o examinará, interrogando-o minuciosamente acerca de sua vida, negócios, bens e do mais que lhe parecer necessário para ajuizar do seu estado mental, reduzidas a auto as perguntas e respostas (artigo do CPC). O interrogatório do interditando é fundamental nesse procedimento. O interditando pode contestar o pedido, no prazo de cinco dias contados da audiência de interrogatório. Poderá constituir advogado, ou será representado pelo Ministério Público, ou, quando este for o requerente, por curador à lide. Decorrido esse prazo de impugnação, o juiz nomeará perito para proceder ao exame do interditando. Apresentado o laudo, o juiz designará audiência de instrução e julgamento (artigo 1.183). A audiência não é obrigatória, se prova alguma será produzida. Os interessados podem apresentar outras provas, inclusive crítica de assistente técnico. Procedente o pedido e decretada a interdição, o juiz nomeará o curador ao interdito. O laudo pericial é essencial nesse procedimento para avaliação do estado mental do interditando, fora dos limites de conhecimento do magistrado. O Ministério Público deve participar do processo sob pena de nulidade. O processo é classificado como de jurisdição voluntária. O pedido será processado pelas Varas de Família, onde houver, e o foro competente é o do domicílio do interditando. Estabelece o artigo 1.184, do CPC, que a sentença de interdição produz efeito desde logo, embora sujeita a apelação. Será inscrita no Registro de Pessoas Naturais e

8 publicada pela imprensa local e pelo órgão oficial por três vezes, com intervalo de 10 dias, constando do edital os nomes do interdito, o do curador, a causa da interdição e os limites da curatela. Os atos praticados pelo interdito são nulos ex nunc. Para os atos praticados anteriormente à sentença, deve ser proposta ação de nulidade dos negócios jurídicos praticados pelo agente incapacitado. Manifesta Sílvio Rodrigues que decretada a interdição por moléstia, os atos praticados pelo interdito são nulos, nos termos do art. 145, I, do Código Civil; praticado o ato antes de decretada a interdição, é ele meramente anulável, se o interessado provar que a doença já existia à época do negócio. A incapacidade pode cessar após o decreto de interdição, qualquer que tenha sido a causa da incapacidade. A deficiência mental pode desaparecer, assim como pode o surdo-mudo, mediante educação apropriada, adquirir capacidade de entendimento. Nesse sentido, dispõe o art do CPC que será levantada a interdição, cessando a causa que a determinou. O pedido pode ser formulado pelo Ministério Público (art ) ou pelo interessado (art ). Acolhido o pedido, o juiz decretará o levantamento da interdição e mandará publicar a sentença. Nada impede que o levantamento da interdição seja parcial, isto é, que ao interdito absoluto seja permitida a prática de certos atos em razão de melhora de seu estado. Não se esqueça de que, havendo meio de recuperar o interdito, o curador promover-lhe-á o tratamento em estabelecimento apropriado (art ). Devem o juiz e o membro do Ministério Público zelar e auxiliar no sentido de que a disposição seja cumprida, inclusive obtendo internação em estabelecimentos oficiais, quando o curatelado não tiver meios de obter tratamento em estabelecimento particular. Fonte: VENOSA, Sílvio de Salvo. Direito Civil: Direito de Família. 6ª ed. São Paulo: Editora Atlas S.A, Isenção de Impostos: Os idosos de 65 anos que recebem da previdência social poderão ficar isentos do Imposto de Renda (IR). Nos serviços públicos, o pagamento de água, luz, gás e telefone pode ser escolhido para ser feito na data mais apropriada ao idoso. Para isso, o idoso deve ligar para a empresa e solicitar a mudança de data. Esse benefício é simples, e extingue o problema das multas por atraso de pagamento.

RECOMENDAÇÃO Nº 01/2013 2ª PROMOTORIA DE JUSTIÇA DA COMARCA DE COLORADO

RECOMENDAÇÃO Nº 01/2013 2ª PROMOTORIA DE JUSTIÇA DA COMARCA DE COLORADO RECOMENDAÇÃO Nº 01/2013 2ª PROMOTORIA DE JUSTIÇA DA COMARCA DE COLORADO O PROMOTOR SUBSTITUTO DA 2ª PROMOTORIA DE JUSTIÇA DA COMARCA DE COLORADO, diante do Procedimento Administrativo nº 0040.12.000123-1,

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Secretaria Nacional de Assistência Social

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania Secretaria Nacional de Assistência Social Instrução Operacional Conjunta nº 02 SENARC-SNAS/MDS Brasília, 31 de julho de 2007. Assunto: Divulga procedimentos operacionais para o cadastramento de idosos com 60 anos ou mais, com renda individual

Leia mais

RECOMENDAÇÃO Nº /2012/2ªPJ - PB

RECOMENDAÇÃO Nº /2012/2ªPJ - PB RECOMENDAÇÃO Nº /2012/2ªPJ - PB O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE RONDÔNIA, por sua Promotora de Justiça signatária, Dra. Marcília Ferreira da Cunha e Castro, titular da 2ª Promotoria de Justiça da Comarca

Leia mais

Resolução nº 260 RESOLUÇÃO Nº 260-ANTAQ, DE 27 DE JULHO DE 2004.

Resolução nº 260 RESOLUÇÃO Nº 260-ANTAQ, DE 27 DE JULHO DE 2004. RESOLUÇÃO Nº 260-ANTAQ, DE 27 DE JULHO DE 2004. APROVA A NORMA PARA A CONCESSÃO DE BENEFÍCIO AOS IDOSOS NO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO INTERESTADUAL DE PASSAGEIROS. O DIRETOR-GERAL DA AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES

Leia mais

CONSIDERANDO o disposto nos arts. 20, inciso II, 22, inciso III, e 24, inciso IV, da Lei nº 10.233, de 5 de junho de 2001; e

CONSIDERANDO o disposto nos arts. 20, inciso II, 22, inciso III, e 24, inciso IV, da Lei nº 10.233, de 5 de junho de 2001; e Dispõe sobre procedimentos a serem observados na aplicação do Estatuto do Idoso no âmbito dos serviços de transporte rodoviário interestadual de passageiros, e dá outras providências. A Diretoria da Agência

Leia mais

DECRETO Nº 5.130, DE 7 DE JULHO DE 2004

DECRETO Nº 5.130, DE 7 DE JULHO DE 2004 DECRETO Nº 5.130, DE 7 DE JULHO DE 2004 Regulamenta o art. 40 da Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso), e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições

Leia mais

Edição Número 130 de 08/07/2004. Regulamenta o art. 40 da Lei n o 10.741, de 1 o de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso), e dá outras providências.

Edição Número 130 de 08/07/2004. Regulamenta o art. 40 da Lei n o 10.741, de 1 o de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso), e dá outras providências. Atos do Poder Executivo Edição Número 130 de 08/07/2004 DECRETO N o 5.130, DE 7 DE JULHO DE 2004 Regulamenta o art. 40 da Lei n o 10.741, de 1 o de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso), e dá outras providências.

Leia mais

INOVAÇÕES DA LEI ESTADUAL (SP) N 15.179 DE 23 DE OUTUBRO DE 2013. REGULAMENTADO PELO DECRETO Nº 60.085, DE 22 DE JANEIRO DE 2014.

INOVAÇÕES DA LEI ESTADUAL (SP) N 15.179 DE 23 DE OUTUBRO DE 2013. REGULAMENTADO PELO DECRETO Nº 60.085, DE 22 DE JANEIRO DE 2014. INOVAÇÕES DA LEI ESTADUAL (SP) N 15.179 DE 23 DE OUTUBRO DE 2013. REGULAMENTADO PELO DECRETO Nº 60.085, DE 22 DE JANEIRO DE 2014. INNOVATIONS OF STATE LAW (SP) N 15,179 OCTOBER 23, 2013. REGULATED BY THE

Leia mais

Parágrafo único. Incluem-se na condição de serviço convencional:

Parágrafo único. Incluem-se na condição de serviço convencional: DECRETO Nº 10.890, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2004. Regulamenta a Lei Nº 1307, de 15 de janeiro de 2004, que concede passe livre às pessoas idosas, e portadoras de deficiência. no sistema de transporte intermunicipal

Leia mais

TRANSPORTE INTERESTADUAL DO IDOSO

TRANSPORTE INTERESTADUAL DO IDOSO TRANSPORTE INTERESTADUAL DO IDOSO NUCLEO DE APOIO TÉCNICO DO IDOSO MINISTÉRIO PUBLICO DE GOIÁS TRANSPORTE INTERESTADUAL DO IDOSO Equipe Técnica: Janaína Gomes Claudino Promotora de justiça Comarca de Rubiataba

Leia mais

Art. 1.776. Havendo meio de recuperar o interdito, o curador promover-lhe-á o tratamento em estabelecimento apropriado.

Art. 1.776. Havendo meio de recuperar o interdito, o curador promover-lhe-á o tratamento em estabelecimento apropriado. INTERDIÇÃO 1) CÓDIGO CIVIL Art. 1.767. Estão sujeitos à curatela: I aqueles que, por enfermidade ou deficiência mental, não tiverem o necessário discernimento para os atos da vida civil; II aqueles que,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO N o 1.744, DE 8 DE DEZEMBRO DE 1995 (Revogado pelo Decreto nº 6.214, de 2007) Texto para impressão Regulamenta o benefício

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 826, DE 2011 (Do Sr. José Priante)

PROJETO DE LEI N.º 826, DE 2011 (Do Sr. José Priante) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 826, DE 2011 (Do Sr. José Priante) Altera dispositivos da Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003, que dispõe sobre o Estatuto do Idoso, para assegurar às pessoas

Leia mais

CAPÍTULO I DO BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA E DO BENEFICIÁRIO

CAPÍTULO I DO BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA E DO BENEFICIÁRIO DECRETO N o 1.744, DE 8 DE DEZEMBRO DE 1995 Regulamenta o benefício de prestação continuada devido à pessoa portadora de deficiência e ao idoso, de que trata a Lei n 8.742, de 7 de dezembro de 1993, e

Leia mais

INTERDIÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL TUTELA E CURATELA

INTERDIÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL TUTELA E CURATELA INTERDIÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL TUTELA E CURATELA TUTELA O que é tutela? É um encargo atribuído pelo Juiz a uma pessoa que seja capaz de proteger, zelar, guardar, orientar, responsabilizar-se

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR Cacildo Baptista Palhares Júnior: advogado em Araçatuba (SP) Questões comentadas de Direito do Idoso da prova objetiva do concurso de 2009 para Defensor do Maranhão 92. O Estatuto do Idoso, e suas alterações

Leia mais

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES. PORTARIA N.º 261, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2012 (DOU de 04/12/2012 Seção I Pág. 79)

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES. PORTARIA N.º 261, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2012 (DOU de 04/12/2012 Seção I Pág. 79) MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES PORTARIA N.º 261, DE 3 DE DEZEMBRO DE 2012 (DOU de 04/12/2012 Seção I Pág. 79) Disciplina a concessão e a administração do benefício de passe livre à pessoa com deficiência,

Leia mais

CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO DIADEF DIVISÃO DE ATENDIMENTO ÀS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO DIADEF DIVISÃO DE ATENDIMENTO ÀS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA 66 DIADEF DIVISÃO DE ATENDIMENTO ÀS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 03 IDENTIDADE ORGANIZACIONAL... 04 4. DIVISÃO DE ATENDIMENTO ÀS PCD's - DIADEF... 05 4.1. Inscrição e Pedido do Benefício

Leia mais

ESTATUTO DO IDOSO LEI Nº 10.741 E TRANSPORTE INTERESTADUAL DE PASSAGEIROS

ESTATUTO DO IDOSO LEI Nº 10.741 E TRANSPORTE INTERESTADUAL DE PASSAGEIROS ESTATUTO DO IDOSO LEI Nº 10.741 E TRANSPORTE INTERESTADUAL DE PASSAGEIROS Alexandre Pontieri Advogado em São Paulo; Pós-Graduado em Direito Tributário pelo CPPG Centro de Pesquisas e Pós-Graduação da UniFMU,

Leia mais

Art. 4º. Esta lei complementar entrará em vigor na data de sua publicação, devendo ser regulamentada no prazo de 60 (sessenta) dias.

Art. 4º. Esta lei complementar entrará em vigor na data de sua publicação, devendo ser regulamentada no prazo de 60 (sessenta) dias. B. Passe Livre Lei Complementar do Estado de São Paulo nº 666, de 26/11/1991, regulamentada pelo Decreto Estadual n 34.753, de 01/04/92, e Resolução STM nº 101, de 28 de maio de 1992, que disciplina as

Leia mais

CENTRO DE APOIO OPERACIONAL CIDADANIA. Belém, 25 de outubro de 2005

CENTRO DE APOIO OPERACIONAL CIDADANIA. Belém, 25 de outubro de 2005 CENTRO DE APOIO OPERACIONAL CIDADANIA Belém, 25 de outubro de 2005 Pesquisa nº 18 Gratuidade de Transporte Interestadual e Intermunicipal para deficientes e idosos. Fonte: sites da internet/ Constituição

Leia mais

Estatuto do Idoso Lei 10.741 e Transporte Interestadual de Passageiros

Estatuto do Idoso Lei 10.741 e Transporte Interestadual de Passageiros Estatuto do Idoso Lei 10.741 e Transporte Interestadual de Passageiros *Alexandre Pontieri 107 1. Introdução O Estatuto do Idoso foi publicado no Diário Oficial da União do dia 3 de outubro de 2003, com

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES. RESOLUÇÃO Nº 3.535, DE 10 DE JUNHO DE 2010 DOU de 21 DE JUNHO DE 2010

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES. RESOLUÇÃO Nº 3.535, DE 10 DE JUNHO DE 2010 DOU de 21 DE JUNHO DE 2010 AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES RESOLUÇÃO Nº 3.535, DE 10 DE JUNHO DE 2010 DOU de 21 DE JUNHO DE 2010 Fixa normas gerais sobre o Serviço de Atendimento ao Consumidor SAC nos serviços de transporte

Leia mais

CAPÍTULO I. Da Bolsa Auxílio e da Família Acolhedora

CAPÍTULO I. Da Bolsa Auxílio e da Família Acolhedora Lei Nº:6.286/2013 DISPÕE SOBRE A IMPLANTAÇÃO DE BOLSA AUXÍLIO PARA O ACOLHIMENTO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE RISCO PESSOAL E SOCIAL, INSERIDAS NO SERVIÇO DE ACOLHIMENTO EM FAMÍLIA ACOLHEDORA

Leia mais

Estatuto do Idoso: considerações sobre o direito a. alimentos, à saúde, à habitação e ao transporte

Estatuto do Idoso: considerações sobre o direito a. alimentos, à saúde, à habitação e ao transporte Estatuto do Idoso: considerações sobre o direito a alimentos, à saúde, à habitação e ao transporte Material didático destinado à sistematização do conteúdo da disciplina Direito da Infância Juventude e

Leia mais

1/11 DECRETA: Art. 3 o. Art. 4 o Ficam revogados os Decretos n os 1.744, de 8 de dezembro de 1995, e 4.712, de 29 de maio de 2003.

1/11 DECRETA: Art. 3 o. Art. 4 o Ficam revogados os Decretos n os 1.744, de 8 de dezembro de 1995, e 4.712, de 29 de maio de 2003. DECRETO Nº 6.214, DE 26 DE SETEMBRO DE 2007 DOU 28.9.2007 Regulamenta o benefício de prestação continuada da assistência social devido à pessoa com deficiência e ao idoso de que trata a Lei n o 8.742,

Leia mais

DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

DE ASSISTÊNCIA SOCIAL A Cartilha BENEFÍCIO BENEF ÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA NOVA CARTILHA BPC.indd 1 B 16/11/2009 11:43:41 NOVA CARTILHA BPC.indd 2 16/11/2009 11:43:41 O QUE É O BPC O BPC, assegurado pela Constituição Federal

Leia mais

BENEFICIOS ASSISTENCIAIS. Cartilha elaborada por: Centro Mineiro de Reabilitação Auditiva CEMEAR. Assistente social. Márcia Izabel Silva Mendes

BENEFICIOS ASSISTENCIAIS. Cartilha elaborada por: Centro Mineiro de Reabilitação Auditiva CEMEAR. Assistente social. Márcia Izabel Silva Mendes BENEFICIOS ASSISTENCIAIS Cartilha elaborada por: Centro Mineiro de Reabilitação Auditiva CEMEAR. Assistente social Márcia Izabel Silva Mendes Natália Fagundes de Freitas Moraes Benefício de Prestação Continuada

Leia mais

CADASTRO ÚNICO POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA E SEUS DIREITOS

CADASTRO ÚNICO POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA E SEUS DIREITOS CADASTRO ÚNICO POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA E SEUS DIREITOS SABIA? VOCÊ As pessoas em situação de rua têm direito a estar no Cadastro Único. O que é o Cadastro Único? O Cadastro Único identifica quem são

Leia mais

ARTIGO: CURATELA ASPECTOS TEÓRICOS E PRÁTICOS

ARTIGO: CURATELA ASPECTOS TEÓRICOS E PRÁTICOS ARTIGO: CURATELA ASPECTOS TEÓRICOS E PRÁTICOS Carlos Roberto Pegoretti Júnior 1 RESUMO: Curatela. Instituto do Direito Civil que visa proteger a pessoa que não pode reger sua vida civil. Curador é o representante

Leia mais

Prezado(a) candidato(a),

Prezado(a) candidato(a), Prezado(a) candidato(a), Por favor, fique atento às informações a seguir, as quais garantirão o bom andamento do seu processo de comprovação de informações para o PROUNI na ULBRA. Dedique alguns minutos

Leia mais

INSTRUÇÕES BÁSICAS PARA PAGAMENTO DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS DE ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA ADVOGADOS E PERITOS PESSOA FÍSICA JURISDIÇÃO DELEGADA

INSTRUÇÕES BÁSICAS PARA PAGAMENTO DE HONORÁRIOS PROFISSIONAIS DE ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA ADVOGADOS E PERITOS PESSOA FÍSICA JURISDIÇÃO DELEGADA 0 HONORÁRIOS PROFISSIONAIS DE ASSISTÊNCIA JUDICIÁRIA ADVOGADOS E PERITOS PESSOA FÍSICA JURISDIÇÃO DELEGADA RESOLUÇÃO 541/2007 - CJF JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU SÃO PAULO NÚCLEO FINANCEIRO SEÇÃO DE

Leia mais

Hospedagem de Crianças e Adolescentes

Hospedagem de Crianças e Adolescentes Hospedagem de Crianças e Adolescentes Principais Documentos de Identificação RG; RNE (Registro Nacional de Estrangeiros); Passaporte; CNH (Carteira Nacional de Habilitação); Carteira de Trabalho; Carteira

Leia mais

www.unifeb.edu.br PROJETO CUIDA DIREITO do Idoso

www.unifeb.edu.br PROJETO CUIDA DIREITO do Idoso www.unifeb.edu.br Cartilha do Idoso APRESENTAÇÃO OS DIREITOS DOS IDOSOS NO MUNICÍPIO DE BARRETOS ASSISTÊNCIA SOCIAL PENSÃO ALIMENTÍCIA PLANO DE SAÚDE PREVIDÊNCIA SOCIAL INFORMAÇÕES ÚTEIS APRESENTAÇÃO Essa

Leia mais

LEI N. 3.003, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015

LEI N. 3.003, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015 LEI N. 3.003, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015 Altera e acresce a Lei n. 2.731, de 23 de agosto de 2013, que Dispõe sobre o Sistema de Transporte Rodoviário Intermunicipal de Passagens do Estado do Acre e dá

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL CÍVEL DESANTOS Praça Barão do Rio Branco nº 30 - Centro Santos (SP) Fone (13) 3228-1000 PORTARIA N.

PODER JUDICIÁRIO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL CÍVEL DESANTOS Praça Barão do Rio Branco nº 30 - Centro Santos (SP) Fone (13) 3228-1000 PORTARIA N. PODER JUDICIÁRIO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL CÍVEL DESANTOS Praça Barão do Rio Branco nº 30 - Centro Santos (SP) Fone (13) 3228-1000 PORTARIA N. 49/2008 A Doutora Luciana de Souza Sanchez, Juíza Federal Titular,

Leia mais

DIREÇÃO DO FORO DA COMARCA DE BELO HORIZONTE VARA CÍVEL DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE PORTARIA N 001/2010

DIREÇÃO DO FORO DA COMARCA DE BELO HORIZONTE VARA CÍVEL DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE PORTARIA N 001/2010 DJe de 17/06/2010 (cópia sem assinatura digital) DIREÇÃO DO FORO DA COMARCA DE BELO HORIZONTE VARA CÍVEL DA INFÂNCIA E DA JUVENTUDE PORTARIA N 001/2010 Dispõe quanto ao procedimento de habilitação de pretendentes

Leia mais

Estatuto do Idoso. Resumido. anos

Estatuto do Idoso. Resumido. anos Estatuto do Idoso Resumido 60 anos ESTATUTO DO IDOSO RESUMIDO O aumento da expectativa de vida do brasileiro representa um grande desafio para os governos bem como para a sociedade civil. O implemento

Leia mais

EDITAL Nº 06/2012 DISPÕE SOBRE O PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE ESTUDO NA ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO COMERCIAL E MARKETING ESIC.

EDITAL Nº 06/2012 DISPÕE SOBRE O PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE ESTUDO NA ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO COMERCIAL E MARKETING ESIC. EDITAL Nº 06/2012 DISPÕE SOBRE O PROCESSO SELETIVO PARA BOLSAS DE ESTUDO NA ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO COMERCIAL E MARKETING ESIC. A Escola Superior de Gestão Comercial e Marketing ESIC, mantido pela Associação

Leia mais

Da Ação de Interdição

Da Ação de Interdição 146 Da Ação de Interdição Juliana Grillo El-Jaick 1 A interdição é um instituto que teve origem no direito romano. Trata-se de uma ação intentada no âmbito cível e tem por fim a declaração da incapacidade

Leia mais

Recomendação nº /2007

Recomendação nº /2007 Recomendação nº /2007 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, representado pelo procurador da República signatário, no exercício das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 6º, inciso XX, da Lei Complementar

Leia mais

2. Interdição e Inabilitação. Beatriz Valério Direito da Família e Sucessões

2. Interdição e Inabilitação. Beatriz Valério Direito da Família e Sucessões 2. Interdição e Inabilitação Beatriz Valério Direito da Família e Sucessões Autismo e incapacidades Regra geral os cidadãos são titulares de direitos que podem exercer e de obrigações que podem cumprir

Leia mais

PRINCIPAIS ETAPAS PARA COMPRA NO PORTAL DE VENDAS ONLINE

PRINCIPAIS ETAPAS PARA COMPRA NO PORTAL DE VENDAS ONLINE PRINCIPAIS ETAPAS PARA COMPRA NO PORTAL DE VENDAS ONLINE Se você ainda não está cadastrado no sistema, faça agora o cadastro para prosseguir com sua compra. 1) Pesquise a. Na página inicial do site PÁSSARO

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 075/2014 Dispõe sobre o reconhecimento e o registro de união estável e sobre o instituto da dependência econômica em

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 075/2014 Dispõe sobre o reconhecimento e o registro de união estável e sobre o instituto da dependência econômica em PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SGPe Nº 075/2014 Dispõe sobre o reconhecimento e o registro de união estável e sobre o instituto da dependência econômica em relação aos magistrados e servidores do Tribunal Regional

Leia mais

A Defensoria Pública é a instituição com previsão constitucional para prestar assistência jurídica integral às pessoas que não têm condições

A Defensoria Pública é a instituição com previsão constitucional para prestar assistência jurídica integral às pessoas que não têm condições A Defensoria Pública é a instituição com previsão constitucional para prestar assistência jurídica integral às pessoas que não têm condições financeiras para pagar por um advogado. (Art. 134 da Constituição)

Leia mais

LEI Nº 1.726 DE 18 DE DEZEMBRO DE 2008

LEI Nº 1.726 DE 18 DE DEZEMBRO DE 2008 LEI Nº 1.726 DE 18 DE DEZEMBRO DE 2008 Dispõe sobre a acessibilidade no transporte público coletivo no Município de Rio Branco e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE RIO BRANCO - ACRE, usando

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS NÚCLEO DE SELEÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS NÚCLEO DE SELEÇÃO I DA ABERTURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS CRONOGRAMA Data Atividade Local 26 de março de 2013 Publicação do Edital de isenção da taxa de Via internet, no sítio inscrição 02 a 04 de abril de 2013 Período

Leia mais

Direitos do paciente com câncer

Direitos do paciente com câncer Direitos do paciente com câncer Saque do FGTS O trabalhador com câncer pode realizar o saque do FGTS na fase sintomática da doença, o trabalhador cadastrado no FGTS que tiver neoplasia maligna (câncer)

Leia mais

GRATUIDADE NO TRANSPORTE COLETIVO PARA A PESSOA PORTADORA DE DEFICIÊNCIA E PARA O IDOSO

GRATUIDADE NO TRANSPORTE COLETIVO PARA A PESSOA PORTADORA DE DEFICIÊNCIA E PARA O IDOSO GRATUIDADE NO TRANSPORTE COLETIVO PARA A PESSOA PORTADORA DE E PARA O IDOSO Trata-se o presente de breve estudo relativo à gratuidade no transporte coletivo para o idoso e para a pessoa portadora de deficiência

Leia mais

Conselho da Justiça Federal

Conselho da Justiça Federal RESOLUÇÃO Nº 558, DE 22 DE MAIO DE 2007 Dispõe sobre o pagamento de honorários de advogados dativos, curadores, peritos, tradutores e intérpretes, em casos de assistência judiciária gratuita, e disciplina

Leia mais

Passe Livre Intermunicipal. Manual do Beneficiário

Passe Livre Intermunicipal. Manual do Beneficiário Passe Livre Intermunicipal Manual do Beneficiário O que é? O passe livre intermunicipal garantirá que as pessoas com deficiência do Estado tenham assegurado o direito de ir vir em todo o Piauí com a gratuidade

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE - ES

PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE - ES DECRETO Nº 6.106/2013 REGULAMENTA AS LICENÇAS PARA TRATAMENTO DE SAÚDE, DE QUE TRATAM OS ARTS. 80, I; 82 A 100, DA LEI MUNICIPAL Nº 1.132, DE 02 DE JULHO DE 1990 (ESTATUTO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO

Leia mais

CONSIDERANDO a implantação do Sistema Digital de Consignações e a crescente demanda de averbações de consignações em folha de pagamento;

CONSIDERANDO a implantação do Sistema Digital de Consignações e a crescente demanda de averbações de consignações em folha de pagamento; DECRETO Nº 1843-R, DE 25 DE ABRIL DE 2007. Altera as disposições sobre consignação em folha de pagamento, nos termos do Art. 74 da Lei Complementar nº. 46 de 31 de Janeiro de 1994, e nos termos das Alíneas

Leia mais

REGULAMENTO Nº 006, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014.

REGULAMENTO Nº 006, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. REGULAMENTO Nº 006, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. Dispõe acerca das regras e procedimentos para a concessão de ajuda de custo e transporte dos servidores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS Gabinete do Prefeito Av. Cuia Mangabeira, 211 - Montes Claros - MG - CEP: 39.401-002

MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS Gabinete do Prefeito Av. Cuia Mangabeira, 211 - Montes Claros - MG - CEP: 39.401-002 MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS Gabinete do Prefeito Av. Cuia Mangabeira, 211 - Montes Claros - MG - CEP: 39.401-002 LEI N 4.158, DE 07 DE OUTUBRO DE 2009. DISPÕE SOBRE FEIRAS ITINERANTES E CONTÉM OUTRAS DISPOSIÇÕES.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 16, DE 5 DE MAIO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 16, DE 5 DE MAIO DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 16, DE 5 DE MAIO DE 2010 Define os parâmetros nacionais para a inscrição das entidades e organizações de assistência social, bem como dos serviços, programas, projetos e benefícios socioassistenciais

Leia mais

PROCESSO DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDOS (CEBAS/MEC) ANO 2016

PROCESSO DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDOS (CEBAS/MEC) ANO 2016 EDITAL nº 001/2015 PROCESSO DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDOS (CEBAS/MEC) ANO 2016 O Pe. Eduardo Beltramini, SJ., Diretor Geral do Colégio São Francisco Xavier, no uso de suas atribuições, torna público

Leia mais

Guia para compra de passagens e contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros. Suburbano e Rodoviário

Guia para compra de passagens e contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros. Suburbano e Rodoviário Guia para compra de passagens e contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros 100 95 Suburbano e Rodoviário 75 25 5 0 Introdução A Artesp tem a finalidade de regulamentar e fiscalizar todas as

Leia mais

INTERDIÇÃO PARCIAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL TUTELA E CURATELA

INTERDIÇÃO PARCIAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL TUTELA E CURATELA INTERDIÇÃO PARCIAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL TUTELA E CURATELA É importante compreender sobre a interdição da pessoa com deficiência intelectual? Sim porque a pessoa com deficiência intelectual

Leia mais

Ministério Público Federal Procuradoria da República em Pernambuco PROMOÇÃO

Ministério Público Federal Procuradoria da República em Pernambuco PROMOÇÃO Inquérito Civil Público n. º 1.26.000.000764/2011-02 Promoção de Arquivamento nº 486-2013/MPF/PRPE/AT PROMOÇÃO Trata-se de inquérito civil público instaurado nesta Procuradoria da República a partir de

Leia mais

CONSIDERANDO o disposto no art. 14-A e no inciso IV do art. 26 da Lei nº 10.233, de 05 de junho de 2001;

CONSIDERANDO o disposto no art. 14-A e no inciso IV do art. 26 da Lei nº 10.233, de 05 de junho de 2001; RESOLUÇÃO ANTT Nº 1.737, de 21/11/2006 Estabelece procedimentos de registro e fiscalização, institui infrações e sanções referentes ao Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Carga - RNTRC,

Leia mais

PROGRAMAS DA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL EDITAL Nº

PROGRAMAS DA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL EDITAL Nº MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CÂMPUS MONTEIRO PROGRAMAS DA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL EDITAL

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2012

PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 (Do Sr. Marco Tebaldi) Dispõe sobre o Programa de agendamento de consultas e entrega domiciliar de medicamentos de uso contínuo às pessoas portadoras de necessidades especiais

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE JURANDA LEI Nº 931/2010 Dispõe sobre incentivo fiscal para a realização de projetos culturais no Município de Juranda, Estado do Paraná, e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE JURANDA, ESTADO DO PARANÁ,

Leia mais

PRINCIPAIS ETAPAS PARA COMPRA NO PORTAL DE VENDAS

PRINCIPAIS ETAPAS PARA COMPRA NO PORTAL DE VENDAS PRINCIPAIS ETAPAS PARA COMPRA NO PORTAL DE VENDAS Se você ainda não está cadastrado em nosso sistema, faça agora o cadastro para prosseguir com sua compra. 1) Pesquise: a. Na página inicial do site Gardenia,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO DIREÇÃO DE ASSUNTOS COMUNITÁRIOS E ESTUDANTIS DACE REITORIA EDITAL DO AUXÍLIO-MORADIA 2014.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO DIREÇÃO DE ASSUNTOS COMUNITÁRIOS E ESTUDANTIS DACE REITORIA EDITAL DO AUXÍLIO-MORADIA 2014. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO DIREÇÃO DE ASSUNTOS COMUNITÁRIOS E ESTUDANTIS DACE REITORIA EDITAL DO AUXÍLIO-MORADIA 2014.2 Chamada para seleção de estudantes de graduação, candidatos

Leia mais

ANTT - AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES DIRETORIA PROPOSTA DE RESOLUÇÃO

ANTT - AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES DIRETORIA PROPOSTA DE RESOLUÇÃO Estabelece procedimentos para o transporte de bagagens e encomendas nos ônibus utilizados nos serviços de transporte interestadual e internacional de passageiros e para a identificação de seus proprietários

Leia mais

Resoluções ResoluçÃo CoNJuNTA PResI/CoGeR/CoJeF 20 De 18/10/2012 CAPÍTulo I Do PRoCeDIMeNTo De IMPlANTAçÃo Do AJG/CJF

Resoluções ResoluçÃo CoNJuNTA PResI/CoGeR/CoJeF 20 De 18/10/2012 CAPÍTulo I Do PRoCeDIMeNTo De IMPlANTAçÃo Do AJG/CJF RESOLUÇÃO CONJUNTA PRESI/COGER/COJEF 20 DE 18/10/2012 Resoluções Regulamenta os procedimentos para a implantação do novo Sistema Eletrônico de Assistência Judiciária Gratuita da Justiça Federal (AJG/ CJF),

Leia mais

5 Direito do Idoso. Direito do Idoso. Documentação básica. Conteúdo Programático. Direitos e Garantias Fundamentais (Parte III) Direitos Fundamentais

5 Direito do Idoso. Direito do Idoso. Documentação básica. Conteúdo Programático. Direitos e Garantias Fundamentais (Parte III) Direitos Fundamentais Aula 04/07 Curso ministrado na Escola de Administração Judiciária do Estado do Rio de Janeiro Prof a. Mabel Christina Castrioto Juíza de Direito Direitos Fundamentais mabelcastrioto@globo.com Parte III

Leia mais

REGULAMENTO DE BOLSA DE ESTUDO SOCIAL 2015

REGULAMENTO DE BOLSA DE ESTUDO SOCIAL 2015 REGULAMENTO DE BOLSA DE ESTUDO SOCIAL 2015 I DO CONCEITO Art. 1º. Entende-se como Bolsa de Estudo Social, a concessão de descontos, em virtude da situação financeira momentânea do aluno, de até 40% (quarenta

Leia mais

Conselho Municipal dos Direitos do Idoso

Conselho Municipal dos Direitos do Idoso Conselho Municipal dos Direitos do Idoso Av. Duque de Caxias, 635 Jd. Mazzei II Londrina-PR Fone: (43) 3372-4046 / Fax: (43) 3372-4547 cmdi@londrina.pr.gov.br / cmdi_londrina@yahoo.com.br 7ª CONFERÊNCIA

Leia mais

Vara Regional da Infância e Juventude da 1ª Circunscrição Judiciária

Vara Regional da Infância e Juventude da 1ª Circunscrição Judiciária Vara Regional da Infância e Juventude da 1ª Circunscrição Judiciária PORTARIA Nº 06/2011 Diário de Justiça Eletrônico Disciplina o procedimento para a entrada e permanência de crianças e adolescentes em

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 754, DE 26 DE AGOSTO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 754, DE 26 DE AGOSTO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº 754, DE 26 DE AGOSTO DE 2015 Regulamenta os procedimentos para habilitação e concessão de Seguro-Desemprego para empregados domésticos dispensados sem justa causa na forma do art. 26 da Lei

Leia mais

Alunos da rede pública de ensino com ensino médio completo, ou a completá-lo em 2014.

Alunos da rede pública de ensino com ensino médio completo, ou a completá-lo em 2014. EDITAL Nº 01/2014 SELEÇÃO DE ALUNOS PARA O CEUE PRÉ VESTIBULAR O Centro dos Estudantes Universitários de Engenharia (CEUE) torna público o edital que regulamenta a seleção de alunos para o Curso Pré-Vestibular

Leia mais

Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre

Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre Licitação do Sistema Ônibus de Porto Alegre Anexo VII Legislação Aplicável Anexo VII O presente anexo apresenta a relação da legislação principal aplicável a este procedimento licitatório e à operação

Leia mais

Conselho Nacional de Assistência Social - CNAS

Conselho Nacional de Assistência Social - CNAS Conselho Nacional de Assistência Social - CNAS RESOLUÇÃO Nº 14, DE 15 MAIO DE 2014 Define os parâmetros nacionais para a inscrição das entidades ou organizações de Assistência Social, bem como dos serviços,

Leia mais

RESOLUÇÃO AGERBA N 08, DE 03 DE JUNHO DE 2013.

RESOLUÇÃO AGERBA N 08, DE 03 DE JUNHO DE 2013. RESOLUÇÃO AGERBA N 08, DE 03 DE JUNHO DE 2013. Dispõe sobre a implantação do Sistema de Bilhetagem Eletrônica em linhas metropolitanas de transporte rodoviário intermunicipal de passageiros. A Diretoria

Leia mais

AUTÓGRAFO DE LEI Nº 086/2015

AUTÓGRAFO DE LEI Nº 086/2015 AUTÓGRAFO DE LEI Nº 086/2015 Define, Normatiza e Regulamenta a concessão de Benefícios Eventuais da Política da Assistência Social, no Âmbito do Município de Cachoeira Dourada-GO e dá Outras Providências.

Leia mais

Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social SEMCAS

Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social SEMCAS Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social SEMCAS Passo Fundo - RS 2010 Serviços e Seguridade Social Registro Civil Endereço: Morom, 1120 Centro Horário: 9h às 17h sem fechar ao meio-dia Telefone:

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DO SERVIDOR PÚBLICO O RPPS é estabelecido por lei elaborada em cada um dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal, e se destina exclusivamente aos servidores públicos titulares

Leia mais

Interdição. Ricardo Pinheiro Machado 1 INTRODUÇÃO

Interdição. Ricardo Pinheiro Machado 1 INTRODUÇÃO 250 Série Aperfeiçoamento de Magistrados 10 Curso: Processo Civil - Procedimentos Especiais Interdição Ricardo Pinheiro Machado 1 INTRODUÇÃO Visa o presente estudo adentrar, mesmo que de forma superficial,

Leia mais

PORTARIA Nº 68, DE 13 DE MARÇO DE 2012 RESOLVE:

PORTARIA Nº 68, DE 13 DE MARÇO DE 2012 RESOLVE: PORTARIA Nº 68, DE 13 DE MARÇO DE 2012 RESOLVE: O PRESIDENTE DA AGÊNCIA MUNICIPAL DE TRÂNSITO, TRANSPORTES E MOBILIDADE, no uso de suas atribuições legais conferidas pela Lei Complementar n 183, de 19

Leia mais

ProUni FADERGS. Documentos para Comprovação de Informações

ProUni FADERGS. Documentos para Comprovação de Informações ProUni FADERGS Documentos para Comprovação de Informações Os candidatos Pré-Selecionados deverão apresentar a FADERGS, para comprovação de informações, cópia simples acompanhada da via original dos seguintes

Leia mais

EDITAL DE BOLSA SOCIAL 2015.2 2ª SELEÇÃO PARA ALUNOS DE RENOVAÇÃO

EDITAL DE BOLSA SOCIAL 2015.2 2ª SELEÇÃO PARA ALUNOS DE RENOVAÇÃO EDITAL DE BOLSA SOCIAL 2015.2 2ª SELEÇÃO PARA ALUNOS DE RENOVAÇÃO O Reitor no uso de suas atribuições, torna público o Edital para o Processo de Concessão de Bolsas Sociais. O Programa de Bolsas Sociais

Leia mais

COMUNICADO. Assunto: Bolsas de Estudos 2015

COMUNICADO. Assunto: Bolsas de Estudos 2015 COMUNICADO Assunto: Bolsas de Estudos 2015 O Colégio Franciscano Santa Clara informa os critérios para concorrer à bolsa de estudos 2015, aos candidatos que cumprirem com as seguintes condições: 1º Requisitos:

Leia mais

Poder Judiciário INSTRUÇÃO NORMATIVA N9 5G, DE J^ DE FEVEREIRO DE 2014. suas atribuições e com fundamento nos arts. 53 a 57 da Lei n9 8.

Poder Judiciário INSTRUÇÃO NORMATIVA N9 5G, DE J^ DE FEVEREIRO DE 2014. suas atribuições e com fundamento nos arts. 53 a 57 da Lei n9 8. *. «/A ' Poder Judiciário INSTRUÇÃO NORMATIVA N9 5G, DE J^ DE FEVEREIRO DE 2014 Dispõe sobre a concessão de ajuda de custo aos Conselheiros, aos Juizes Auxiliares e aos Servidores no âmbito do Conselho

Leia mais

CARTILHA DO IDOSO. Secretaria de Assistência Social

CARTILHA DO IDOSO. Secretaria de Assistência Social CARTILHA DO IDOSO Secretaria de Assistência Social ANOTAÇÕES: O Estatuto do Idoso foi aprovado em 1º de outubro de 2003, fruto da organização e mobilização dos aposentados, pensionistas e idosos vinculados

Leia mais

Serão concedidas bolsas de estudos em três Grupos: A, B e C, de acordo com as seguintes condições:

Serão concedidas bolsas de estudos em três Grupos: A, B e C, de acordo com as seguintes condições: A Fundação CSN Para o Desenvolvimento Social e a Construção da Cidadania comunica que promoverá Processo Seletivo para os Cursos da ETPC, referente ao ano letivo de 2016, de acordo com as instruções abaixo.

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO D E C Ex D E P A COLÉGIO MILITAR DE JUIZ DE FORA

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO D E C Ex D E P A COLÉGIO MILITAR DE JUIZ DE FORA MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO D E C Ex D E P A COLÉGIO MILITAR DE JUIZ DE FORA EDITAL Nº 01 / 2015 PARA ISENÇÃO DA QUOTA MENSAL ESCOLAR PARA ALUNOS CARENTES O Comandante e Diretor de Ensino

Leia mais

EDITAL DE BOLSA SOCIAL 2015

EDITAL DE BOLSA SOCIAL 2015 EDITAL DE BOLSA SOCIAL 2015 A Diretoria de Colégios da ABEU Colégios, no uso de suas atribuições, torna público o Edital para o Processo de Concessão de Bolsas Sociais destinadas a estudantes regularmente

Leia mais

EDITAL FEMC N 01/2012

EDITAL FEMC N 01/2012 EDITAL FEMC N 01/2012 REGULAMENTA O PROCESSO DE CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDO PARA AS UNIDADES DE ENSINO DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL MONTES CLAROS O Presidente do Conselho de Administração da Fundação Educacional

Leia mais

DOS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS AO PROCESSO DE SELEÇÃO E MATRÍCULA

DOS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS AO PROCESSO DE SELEÇÃO E MATRÍCULA DOS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS AO PROCESSO DE SELEÇÃO E MATRÍCULA A Ficha Socioeconômica deve ser preenchida, sem rasuras, assinada pelo (a) candidato(a) ou pelo(a) pai, mãe e/ou responsável legal e, apresentada

Leia mais

DO PROCEDIMENTO SUMÁRIO. Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO

DO PROCEDIMENTO SUMÁRIO. Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO DO PROCEDIMENTO SUMÁRIO Des. ANA MARIA DUARTE AMARANTE BRITO PROCESSO E PROCEDIMENTO PROCEDIMENTO COMUM Art. 271. Aplica-se a todas as causas o procedimento comum, salvo disposição em contrário deste Código

Leia mais

CERTIFICADO DE ENTIDADE BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL (CEBAS)

CERTIFICADO DE ENTIDADE BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL (CEBAS) CERTIFICADO DE ENTIDADE BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL (CEBAS) XIII Oficina de Conhecimento Terceiro Setor: Gestão e Sustentabilidade Goiânia, 09/10/12 Wagner Nogueira da Silva Advogado OAB/GO 14.374

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA SERVIÇO DE BEM-ESTAR À COMUNIDADE COORDENADORIA DE PROCESSOS SELETIVOS PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS INSTRUÇÃO DE SERVIÇO CONJUNTA SEBEC/COPS/PROAF Nº 001/2015 ISENÇÃO OU DESCONTO NO PAGAMENTO

Leia mais

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu Foz Previdência

Prefeitura do Município de Foz do Iguaçu Foz Previdência INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 05/2015 FOZPREV DATA: 18 de dezembro de 2015 SÚMULA: Estabelece a forma e os procedimentos para o Recadastramento Anual, na modalidade Prova de Vida, dos pensionistas vinculados

Leia mais