Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Redes Sem Fio

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Graduação Tecnológica em Redes de Computadores. Redes Sem Fio"

Transcrição

1 Graduação Tecnológica em Redes de Computadores Redes Sem Fio Euber Chaia Cotta e Silva

2 Redes Sem Fio

3 Link Completo: 015/08/26/numerode-municipios-comwi-fi-cresce-83-emdois-anos/

4 Link Completo: 015/08/26/numerode-municipios-comwi-fi-cresce-83-emdois-anos/

5 Link Completo: /cerca-de-20-da-base-da-claro-e-4g-edemanda-por-dados-cresce-apesar-da-crise/

6 Link Completo: oticia/capacidade-do-4g-poderase-esgotar-em-ate-3-anos/46629

7 Link Completo:

8

9 Site completo:

10 Loja especializada em produtos Wireless

11 IEEE 802 Active working groups Higher Layer LAN Protocols Working Group Ethernet Working Group Wireless LAN Working Group Wireless Personal Area Network (WPAN) Working Group Broadband Wireless Access Working Group Resilient Packet Ring Working Group Radio Regulatory TAG Coexistence TAG Mobile Broadband Wireless Access (MBWA) Working Group Media Independent Handoff Working Group Wireless Regional Area Networks Inactive or disbanded working groups Logical Link Control Working Group Token Bus Working Group Token Ring Working Group Broadband Area Network Working Group Fiber Optic TAG Integrated Service LAN Working Group Security Working Group Demand Priority Working Group Cable Modem Working Group

12 Padrões IEEE 802 (sem fio)

13 Padrões IEEE 802 (sem fio) WRAN WRAN Alcance WWAN 2/2,5/2,75G 3/3.5/3,75G 4G MBWA 5G WIMAX WMAN WiFi a/b/g/n/ac/ad WLAN ZigBee WPAN 0.1 Bluetooth UWB Taxa de dados (Mbps)

14 WLAN Padrões e mercado Wi-Fi Arquitetura Componentes, antenas e acessórios Site survey Testes de desempenho Segurança ac

15 WLAN Padrões do IEEE para redes locais sem fio Guia rápido de referência: Padrões: a/b/g/n/ac/ad i - WPA e - QoS e Power Save...

16 WLAN - Wi-Fi Wi-Fi = Wireless Fidelity Conhecida até 1999 como Wireless Ethernet Compatibility Alliance (WECA) Marca da Wi-Fi Alliance - Hoje é sinônimo do IEEE Certifica produtos pertencentes à classe WLAN

17 WLAN Padrões e mercado Wi-Fi Arquitetura Componentes, antenas e acessórios Site survey Testes de desempenho Segurança ac

18 WLAN - Arquitetura Logical Link Control (LLC) Management MAC MAC a b g n ac PHY PHY PHY PHY PHY PHY PHY PHY CSMA/CD (Ethernet) Token Ring Medium Access Control (MAC) CSMA/CA CSMA/CA (Wireless LAN)

19 WLAN Arq CSMA/CA CSMA/CA = Carrier Sense Multiple Access with Collision Avoidance Diferente da rede cabeada, estações WLAN não podem detectar colisões elas evitam colisões Medium Access Control (MAC) CSMA/CA PHY Camada MAC comum, mas a b g diferenças na física802.11n PHY PHY PHY PHY ac PHY

20 WLAN Arq Poderia utilizar Infravermelho e RF. A especificação original de RF da camada física definia dois formatos de sinal (espalhamento): FHSS (Frequency Hopping Spread Spectrum) DSSS (Direct Sequence Spread Spectrum) Taxas de transferência de dados suportadas: 1 e 2 Mbit/s Medium a Access Control (MAC) PHY unc CSMA/CA n o u, tadcsma/ca o c u n d e Ca plem im a b g n ac PHY PHY PHY PHY PHY Banda ISM: GHz

21 WLAN Arq a a opera na banda de 5.8 GHz. Utiliza OFDM (Orthogonal Frequency Division Multiplexing) Taxas de transferência suportadas: Muitas entre 6 e 54 Mbit/s. no Control (MAC) Medium Access o d iza opa lcsma/ca i t ucsma/ca ur E co Pou asil e Br a b g n ac PHY PHY PHY PHY PHY PHY Bandas UNII: GHz GHz GHz

22 WLAN Arq b O primeiro padrão largamente utilizado. DSSS (Direct Sequence Spread Spectrum) como o , mas com maiores taxas: 1, 2, 5.5, 11 Mbit/s o Medium Access Control and (MAC) orn ob t to CSMA/CA CSMA/CA Se sole a b g n ac PHY PHY PHY PHY PHY PHY Muda automaticamente a velocidade em caso de problemas na transmissão. Banda ISM: GHz

23 WLAN Arq g g é um dos padrões mais difundidos, opera na mesma banda do b. OFDM e DSSS Taxas de tranf. suportadas: Várias entre 1 to 54 Mbit/s Medium Access Control (MAC) CSMA/CA CSMA/CA a b g n ac PHY PHY PHY PHY PHY PHY Banda ISM: GHz

24 WLAN Arq n n é um dos padrões mais utilizados hoje em dia. Lançado oficialmente em nov/2009. Se m rá a a no ior bo de es rda co de do Medium Access Control cu (MAC) rr te e r CSMA/CA so er lha m CSMA/CA do s OFDM (Orthogonal Frequency Division Multiplexing) Taxas de tranf. suportadas: Várias até 600 Mbit/s a b g n ac PHY PHY PHY PHY PHY PHY Banda ISM: GHz Bandas UNII: GHz GHz GHz

25 WLAN Arq ac ac é o padrão mais recente disponível. Desenvolvida praticamente entre os anos 2011 e 2012, sendo aprovadas as suas características em 2013 pelo IEEE. Se m rá a a no ior bo Medium Access Control da de es r(mac) d d c CSMA/CA cu or ete o CSMA/CA rs rer lh em o d o as OFDM (Orthogonal Frequency Division Multiplexing) Taxas de tranf. suportadas: Várias até Mbit/s a b g n ac PHY PHY PHY PHY PHY PHY Bandas UNII: GHz GHz GHz

26 WLAN Arq Desafios da Camada MAC Qualidade de RF: Diferente da maioria dos outros protocolos de enlace, a subcamada MAC do utiliza confirmação positiva. Todos os frames são confirmados.

27 WLAN Arq Desafios da Camada MAC Problema da estação oculta e exposta:

28 WLAN Arq Camada MAC Para lidar com estes problemas, foram criados dois modos de operação: DCF (Distributed Coordination Function): Não utiliza controle central; Semelhante ao Ethernet; Dois tipos: CSMA/CA puro e CSMA/CA com MACAW; Implementação obrigatória. PCF (Point Coordination Function): Utiliza a estação base BS ou AP para controlar toda a atividade em sua célula; Trabalha com polling; Não há colisão; Implementação opcional.

29 WLAN Arq Camada MAC - DCF Baseado no protocolo CSMA/CA puro É utilizado como uma função de distribuição coordenada Acesso múltiplo com detecção da portadora Tenta prevenir colisões com intervalos entre dados Se houve colisão, as estações esperam um tempo aleatório para tentar transmitir novamente (backoff algotithm)

30 WLAN Arq Camada MAC - DCF Baseado no protocolo CSMA/CA com MACAW Utilização de RTS e CTS: RTS = Request to Send CTS = Clear to Send

31 WLAN Arq Camada MAC - DCF Utilização de detecção de canal virtual com CSMA/CA e MACAW NAV = Network Allocation Vector - Alocação de canal virtual = fica esperando a conversa terminar

32 WLAN Arq Camada MAC DCF Fragment. Quanto maior o quadro, maior a probabilidade de haver interferência e o consequente dano ao pacote. Neste caso, utiliza-se fragmentação. Controle feito com SIFS

33 WLAN Arq Camada MAC DCF Intervalos SIFS Short InterFrame Spacing Utilizado para permitir que partes de um único diálogo tenham a chance de transmitir primeiro (normalmente com fragmentos). PIFS PCF InterFrame Spacing Estação base envia pacotes de controle. DIFS DCF InterFrame Spacing Qualquer estação pode tentar adquirir a posse do canal para enviar um novo quadro. EIFS Extended InterFrame Spacing Utilizado por estações que receberam um quadro defeituoso.

34 WLAN Arq Camada MAC DCF Intervalos

35 WLAN Arq Camada MAC DCF Fragment.

36 WLAN Arq Camada MAC PCF Implementado sobre o DCF

37 WLAN Arq Camada MAC PCF Utilizado principalmente para criar um intervalo de tempo sem contenção Normalmente demandado por aplicações de tempo real PC = Point Coordinator

38 WLAN Arq Estrutura do Quadro São definidos 3 tipos de quadros: Dados Controle: RTS, CTS ou ACK Gerenciamento: Associação, Autenticação, Quadro de Dados

39 WLAN Arq Topologias Independent Basic Service Set (IBSS) Estrutura descentralizada Flexível: IBSS Redes permanentes e temporárias Infrastructure Basic Service Set (BSS) Componentes: Station (STA) Access Point (AP) or Point Coordinator (PC) BSS

40 WLAN Arq Topologias - ESS ESS BSS BSS BSS BSS AP Distribution System (DS) WLAN LAN O padrão não define detalhes de implementação Pode ser cabeada ou sem fio

41 WLAN Arq BSSID e SSID BSSID (Basic Service Set Identity) BSS: MAC address da AP Ad-Hoc: número aleatório escolhido pelo dispositivo que inicia a rede SSID (Service Set ID) Conhecido como o nome da rede Tamanho: 2~32 bytes 0: é o SSID de broadcast Deve ser único; utilizado para distinguir as WLAN s AP s e estações que querem formar uma única WLAN devem utilizar o mesmo SSID

42 WLAN Arq Serviços de Rede A arquitetura IEEE define 9 serviços: 4 chamados de estação e 5 de distribuição. Serviços de Estação (atividades dentro de uma única célula): Authentication Similar a conectar/desconectar um cabo em Deauthentication uma rede tradicional (end. MAC) Confidentiality se chamava privacy quando apenas o WEP existia Data delivery entrega de dados Serviços de Distributição (gerenciamento de associação e interação com estações fora da célula): Association gera a conexão entre STA e a AP Disassociation Reassociation como associação, mas informa a antiga AP Distribution encaminhamento de pacotes (papel de switch) Integration conecta a WLAN com outras LANs, conversão de formatos de pacotes

43 WLAN Arq Serviços de Rede - Estados Class 1 frames Estado1: unauthenticated, unassociated Successful authentication Class 1 & 2 frames Estado2: authenticated, unassociated Successful authentication or reassociation Class 1, 2 & 3 frames Deauthentication notification Disassociation notification Estado 3: authenticated, associated Deauthentication notification Uma STA pode estar autenticada em várias AP s, mas associada a apenas uma

44 WLAN Arq Suporte a mobilidade Transição entre ESS s diferentes Transição na mesma ESS Roaming possível com: Mobile-IP Soluções proprietárias

45 WLAN Arq Suporte a mobilidade

46 WLAN Arq Beacon Beacons são pequenos frames utilizados para organizar e sincronizar a comunicação: Sincronização de clock Configurações de parâmetros FH e DS Informações de SSID Traffic Indication MAP (TIM) Indica aos cliente que há tráfego de multicast/broadcast para ser enviado pela AP Informações sobre taxa de transmissão

47 WLAN Arq Scanning Escaneamento Passivo: Estações escutam o meio para identificar a existência das redes

48 WLAN Arq Scanning Escaneamento Ativo: Estações enviam probes em cada canal na tentativa de encontrar uma rede conhecida (SSID configurado) ou com desconhecida (BSSID de broadcast)

49 WLAN Arq Adaptação Dinâmica Ajuste automático de velocidade: DSR - Dynamic Rate Switching ASR - Automatic Rate Selection

50 WLAN Arq Modos de operação das AP s Access Point Bridge Normalmente mutuamente exclusivo com o modo AP Dois tipos: Ponto a ponto Ponto a multiponto Repetidor: AP não se conecta a uma rede cabeada Ela repete o sinal de outra AP Mesmo SSID, canal e sobreposição de sinal Client

51 WLAN Arq Modos de operação das AP s

52 WLAN Componentes, antenas e acessórios Padrões e mercado Wi-Fi Arquitetura Componentes, antenas e acessórios Site survey Testes de desempenho Segurança n

53 WLAN Componentes Access Point - Características Antenas: fixas ou removíveis Capacidade de filtragem de endereços MAC Capacidade de filtragem de protocolos (firewall?) Configuração e gerenciamento via browser ou console Padrões de segurança suportados Serviços de DHCP e NAT (router wireless) Roteamento

54 WLAN Componentes Access Point - Indoor

55 WLAN Componentes Access Point - Outdoor

56 WLAN Componentes Acessórios Amplificadores Atenuadores Protetor contra raios (lightning arrestors) Conectores Spliters Cabos Pigtail Caixas de proteção

57 WLAN Componentes Acessórios Amplificadores Atenuadores

58 WLAN Componentes Acessórios Protetor contra raios (lightning arrestors) Spliters

59 WLAN Componentes Acessórios Conectores Tipo N RP-SMA TNC

60 WLAN Componentes Acessórios Conectores (cuidado ao pedir sma) SMA Macho SMA Fêmea RP-SMA Macho RP-SMA Fêmea

61 WLAN Componentes Acessórios Conectores

62 WLAN Componentes Acessórios Cabos Utilize o menor comprimento possível Com menor perda (de boa qualidade qualidade!) Mesma impedância dos outros componentes

63 WLAN Componentes Acessórios Pigtail Faz a conversão de padrões diferentes de conectores.

64 WLAN Componentes Acessórios Caixa de proteção (caixa hermética)

65 WLAN Componentes Acessórios Caixa de proteção (caixa hermética)

66 WLAN Componentes Antenas Tipos de antenas: Omnidirecionais: todas as direções Semi-direcionais: focadas em um ângulo específico Direcionais: muito focadas em uma direção

67 WLAN Componentes Antenas Diagrama de Irradiação

68 WLAN Componentes Antenas Diagrama de Irradiação

69 WLAN Componentes Antenas Omnidirecionais Indoor (baixo ganho em db medida da antena em dbi)

70 WLAN Componentes Antenas Omnidirecionais Outdoor (alto ganho em db medida da antena em dbi)

71 WLAN Componentes Antenas Semi-direcionais Yagi Setoriais

72 WLAN Componentes Antenas 90º 60º

73 WLAN Componentes Antenas Diagrama de irradiação

74 WLAN Componentes Antena Setorial Exemplo Ubiquiti Airmax Antena Am-v5g-ti Setorial 5.8ghz Titanium 19dBi 20dBi 21dBi

75 WLAN Componentes Antenas Direcionais Parabólicas

76 WLAN Componentes Antenas Direcionais Links: ficar atendo à Zona de Fresnel

77 WLAN Componentes Antenas Direcionais Zona de Fresnel

78 WLAN Componentes Antenas Home made :-D

79 WLAN Componentes Antenas Home made :-D

80 WLAN Componentes Prática Configuração básica do AP Troca de antena Medição do sinal Checagem do espectro com inssider / linssid

81 WLAN Site Survey Padrões e mercado Wi-Fi Arquitetura Componentes, antenas e acessórios Site survey Testes de desempenho Segurança n

82 WLAN Site Survey Definição Site survey é uma metodologia aplicada na inspeção técnica minuciosa do local que será objeto da instalação de uma nova infra-estrutura de rede, na avaliação dos resultados obtidos com as melhorias da infra-estrutura existente ou mesmo na identificação e solução dos problemas de um sistema já em funcionamento. Não ocorre apenas em redes wireless.

83 WLAN Site Survey Objetivo Assegurar que o número, localização e configuração da nova instalação de rede forneçam as funcionalidades requeridas e propiciem um desempenho compatível com o investimento proposto no projeto.

84 WLAN Site Survey Procedimentos Preliminares Questionário executivo: Análise das necessidades do negócio: Qual o nível de segurança requerido? Quantos usuários da rede sem fio por área em média? Haverá aplicações com necessidades de desempenho em tempo real? (voz e vídeo) Redes e dispositivos existentes Número de usuários Sistema operacionais Qual a largura de banda requerida?

85 WLAN Site Survey Considerações Obstrução por obstáculos Fontes de interferência Telefones 2.4 GHz Câmeras Wireless Outras redes... Comportamento de RF: Atenuação Reflexão Refração Difração Absorção

86 WLAN Site Survey Equipamentos o que levar? Access Point (para geração de sinal) Antenas Notebook com utilitários específicos para redes wireless Bateria, extensão elétrica Cabos de rede Plantas da área de cobertura Escadas, trena, lanterna, binóculo, ferramentas,... GPS...

87 WLAN Site Survey Procedimentos Os procedimentos envolvidos na metodologia visam dimensionar adequadamente o local para a instalação dos equipamentos e cabos (redes estruturadas) ou de Pontos de Acesso (redes wireless), permitindo que todas as estações possam ter qualidade nas conexões e obtenham total acesso às aplicações disponíveis na rede.

88 WLAN Site Survey Procedimentos Estratégia 1 Projeto 1. Obtenção dos diagramas representativos do local de instalação da infra-estrutura da rede (plantas da edificação) para a definição das rotas do cabeamento e/ou linhas de visada; 2. Identificação e localização dos pontos de rede nas áreas de trabalho e locais de concentração de equipamentos para a elaboração das plantas, desenhos e esquemáticos, seguindo uma simbologia padronizada;

89 WLAN Site Survey Procedimentos Estratégia 1 Projeto 3. Inspeção visual do local para a definição da prumada da rede e identificação de possíveis obstáculos para a passagem de cabos e/ou montagem dos Pontos de Acesso; 4. Verificação de facilidades quanto ao fornecimento de energia elétrica, condições do aterramento, sistemas de controle de ventilação, temperatura e umidade nos pontos de concentração de equipamentos;

90 WLAN Site Survey Procedimentos Estratégia 1 Projeto 5. Definição dos requisitos da rede quanto: Cobertura (área geográfica ocupada pela rede estruturada ou que se pretende alcançar via rede sem fio); Performance (que irá depender das aplicações de rede); Mobilidade (em redes wireless, roaming entre pontos de acesso); Número de pontos ativos na(s) área(s) de trabalho; Tipos de equipamentos utilizados; Interfaces disponíveis; Segurança física e lógica; Possibilidade de ampliação; Orçamento do projeto; Prazo de instalação.

91 WLAN Site Survey Procedimentos Estratégia 1 Projeto 6. Identificação de possíveis fontes de interferência EMI/RFI; 7. Definição da potência dos Pontos de Acesso (limites legais, área de cobertura e tipos de antenas); 8. Planejamento das frequências utilizadas (escolha dos canais dos AP s); 9. Instalação e testes de aceitação da rede; 10. Documentação do design final da infra-estrutura da rede efetivamente construída (As Built).

92 WLAN Site Survey Procedimentos Estratégia 2 Incremental 1. Obtenção dos diagramas representativos (plantas) - It is important that you have an accurate blueprint of the facility you are surveying so you can diagram coverage zones and access point locations as the survey is performed. 2. Execute um reconhecimento do ambiente - More often than not, the person performing the survey has been contracted, and has no familiarity with the area being surveyed. Doing an initial site walk thru will familiarize the surveyor of the facility. It will also let any on site IT or management point out areas that may not need coverage. 3. Determine visualmente um ponto de início - An experienced surveyor will be able to analyze a facility and determine a starting point. This starting point is in no way set in stone, but provides for the first zone to be tested for data throughput between the temporarily installed network, and the client PC. It is best to start in a corner of the building and work to the other side.

93 WLAN Site Survey Procedimentos Estratégia 2 Incremental 4. Instale a primeira AP- Using a lift, you will now temporarily install the access point and chosen antenna to the ceiling. Depending on the environment, you will choose either a Dipole, Directional, or Omni-Directional antenna. Other considerations would be the Peak Gain (dbi) of the antenna. 5. Determine a taxa de transferência entre a AP e o PC - Using software to send data back and forth between the installed network and the client PC, you will now walk through the facility and monitor actual throughput. Measuring actual throughput will give you the best representation of what to expect when your completed network is in place. 6. Determine a área de cobertura - As you walk further from the AP you will see the throughput rates begin to drop. As soon as they have dropped to your allowable throughput cutoff rate you have found the end of your zone. You should try to test the entire zone and determine the exact perimeter in which to use as a cut off area. The throughput rates should be determined prior to the site survey and depend on what sort of data is being transferred on your network.

94 WLAN Site Survey Procedimentos Estratégia 2 Incremental 7. Repita o processo para a próxima área de cobertura - With zone one completed you should have a good idea of the coverage to expect. Take down the installed access point & antenna, and reinstall in a neighboring zone. Repeat the steps to determine coverage area. Continue this process until the entire building is covered. Keep in mind that all zones will not necessarily require the same antenna type, or dbi. 8. Selecione os canais para as AP s - Each AP can be configured on a different frequency - or channel. The available channels on the B/G spectrum (at least in the US) are The only non-overlapping channels would be 1, 6, 11. To minimize interference between your access points it is important to develop an AP layout that uses only these channels, and keeps the same channels as far away from one another as possible.

95 WLAN Site Survey Softwares Existem muitas opções no mercado: Ekahau Heatmapper (Free) Ekahau SiteSurvey VisiWare WirelessMon Pro

96 https://store.metageek.com/

97

98 WLAN Site Survey Softwares netsh netsh wlan show networks mode=bssid

99 WLAN Site Survey Softwares iwlist iwlist wlan0 scan

100 WLAN Testes de desempenho Padrões e mercado Wi-Fi Arquitetura Componentes, antenas e acessórios Site survey Testes de desempenho Segurança n

101 WLAN Testes de desempenho Assim que a rede estiver operacional, é interessante que seja observado o desempenho da mesma. É importante estar atento a: Manter histórico (geração de gráficos) Variações do tempo de resposta Variações no throughput máximo Variações na qualidade do sinal (SNR ou RSSI)

102 WLAN Testes de desempenho Ferramentas: Conectividade e variação do tempo de resposta: ping (multiping, pingplotter, colasoft ping, konst pinger...) MTR (traceroute gráfico) MRTG/CACTI Throughput: Netpersec com transferência de arquivos (FTP) Jperf (iperf) Qualidade do sinal: inssider Netstumbler

103 WLAN Próximas aulas Segurança n e ac Práticas

104 Redes Sem Fio Bibliografia: Behrouz Forouzan Comunicação de dados e redes de computadores Artmed/Bookman 3a. edição 2006 capitulo 17 telefonia celular e redes de satélite 22 páginas Kurose James Redes de computadores e a Internet Pearson 3a. Edição 2005 redes sem fio e redes móveis 49 páginas Simon Haykin Sistemas modernos de comunicação wireless Artmed/Bookman 1a. Edição 2008 capitulo 7 - arquiteturas wireless 29 páginas Técnicas de comunicação Eletronica - Paul Young Pearson Education - 5º Edição Capítulo: modulação digital e de pulsos - 22 páginas Capítulo: Antenas - 22 páginas

105

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Comunicação Wireless Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Maio de 2012 1 / 30 Redes sem Fio Nas redes sem fio (wireless), não exite uma conexão cabeada

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ CURSO DE REDES DE COMPUTADORES PROFESSOR MARCELO BERRÊDO NOTAS DE AULA PADRÃO IEEE 802.11 REVISÃO ABRIL/2004 IEEE 802.11 WIRELESS LAN 1. INTRODUÇÃO O Grupo de trabalho IEEE 802.11

Leia mais

Redes IEEE 802.11. Makoto Miyagawa 1. Manaus Amazonas Brasil

Redes IEEE 802.11. Makoto Miyagawa 1. Manaus Amazonas Brasil Redes IEEE 802.11 Makoto Miyagawa 1 1 Faculdade de Tecnologia Universidade Federal do Amazonas Manaus Amazonas Brasil Resumo. A mobilidade oferecida pelas redes sem fio aos usuários, aliada ao baixo custo

Leia mais

Redes de Computadores sem Fio

Redes de Computadores sem Fio Redes de Computadores sem Fio Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Programa Introdução

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Padrão IEEE 802.11 Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores IEEE 802.11 Aula 12 Modelo para arquiteturas wireless (1997) Especifica a camada de nível físico (PHY) e seu controle de

Leia mais

Wireless LAN (IEEE 802.11x)

Wireless LAN (IEEE 802.11x) Wireless LAN (IEEE 802.11x) WLAN: Wireless LAN Padrão proposto pela IEEE: IEEE 802.11x Define duas formas de organizar redes WLAN: Ad-hoc: Sem estrutura pré-definida. Cada computador é capaz de se comunicar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE INFORMÁTICA. Computação Móvel e Ubíqua. Ciência da Computação

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE INFORMÁTICA. Computação Móvel e Ubíqua. Ciência da Computação UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO DE INFORMÁTICA Computação Móvel e Ubíqua Ciência da Computação Prof. Vagner J. do Sacramento Rodrigues vagner@inf.ufg.br www.inf.ufg.br/~vagner/ Tecnologias de Redes

Leia mais

Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi

Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi Capítulo 7 - Redes Wireless WiFi Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 55 Roteiro Definição Benefícios Tipos de Redes Sem Fio Métodos de Acesso Alcance Performance Elementos da Solução

Leia mais

Redes de Computadores I

Redes de Computadores I Redes de Computadores I REDES SEM FIO CARACTERÍSTICAS DE ENLACE LAN S SEM FIO 802.11 Slide 1 Elementos de uma Rede Sem Fio Hospedeiros sem fio Equipamentos de sistemas finais que executam aplicações Enlaces

Leia mais

Redes Locais Sem Fio

Redes Locais Sem Fio Redes Locais Sem Fio Prof. Rafael Guimarães Redes sem Fio Aula 13 Aula 13 Rafael Guimarães 1 / 63 Sumário Sumário 1 Motivação e Objetivos 2 Introdução 3 Terminologia 4 WiFi 5 Arquitetura 802.11 6 Padrões

Leia mais

ACESSO AO MEIO EM REDES SEM FIO

ACESSO AO MEIO EM REDES SEM FIO PÓS GRADUAÇÃO EM REDES DE COMPUTADORES MÓDULO II: REDES: SERVIÇOS TECNOLOGIA E ARQUITETURA ACESSO AO MEIO EM REDES SEM FIO Professor: Filippe Coury Jabour Grupo: * Antônio Márcio Gama Silva * Fabiana Marcato

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

TELECOMUNICAÇÕES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 4 - Padrão 802.11 - WIRELESS 1. INTRODUÇÃO O padrão IEEE 802.11 estabelece os padrões para redes locais sem fio. O modelo tem como premissa o funcionamento da rede de duas formas: - Na presença

Leia mais

Wireless LANs. IEEE 802.11 e 802.11e. FEUP/DEEC Redes de Banda Larga MIEEC 2009/10 José Ruela

Wireless LANs. IEEE 802.11 e 802.11e. FEUP/DEEC Redes de Banda Larga MIEEC 2009/10 José Ruela Wireless LANs IEEE 802.11 e 802.11e FEUP/DEEC Redes de Banda Larga MIEEC 2009/10 José Ruela IEEE 802.11 IEEE 802.11 Wireless LAN Medium Access Control (MAC) and Physical Layer (PHY) specifications é uma

Leia mais

Sistemas de Comunicação. WLANs Prof. Paulo Gonçalves pasg@cin.ufpe.br www.cin.ufpe.br/~pasg CIn/UFPE

Sistemas de Comunicação. WLANs Prof. Paulo Gonçalves pasg@cin.ufpe.br www.cin.ufpe.br/~pasg CIn/UFPE Sistemas de Comunicação WLANs Prof. Paulo Gonçalves pasg@cin.ufpe.br www.cin.ufpe.br/~pasg CIn/UFPE INTRODUÇÃO Introdução 1-2 O que é uma LAN? E uma WLAN? LAN: Local Area Network Rede Local Rede de dados

Leia mais

Redes de Computadores I

Redes de Computadores I Redes de Computadores I Nível de Enlace (Redes Ethernet & WiFi) por Helcio Wagner da Silva. p.1/35 Introdução A Arquitetura TCP/IP não define muito bem o que deve haver no Nível de Host/rede. Neste contexto,

Leia mais

Protocolo wireless Ethernet

Protocolo wireless Ethernet Protocolo wireless Ethernet Conceituar as variações de redes sem fio (wireless) descrevendo os padrões IEEE 802.11 a, b, g e n. Em meados de 1986, o FCC, organismo norte-americano de regulamentação, autorizou

Leia mais

Brampton Telecom, PhD em Engenharia de Telecomunicações (Unicamp).

Brampton Telecom, PhD em Engenharia de Telecomunicações (Unicamp). Wireless LAN (WLAN) Este tutorial apresenta alguns aspectos da arquitetura e protocolos de comunicação das Redes Locais sem fio, ou Wireless Local Area Networks (WLAN's), que são baseados no padrão IEEE

Leia mais

SSC0748 - Redes Móveis

SSC0748 - Redes Móveis - Redes Móveis Introdução Redes sem fio e redes móveis Prof. Jó Ueyama Agosto/2012 1 Capítulo 6 - Resumo 6.1 Introdução Redes Sem fo 6.2 Enlaces sem fo, características 6.3 IEEE 802.11 LANs sem fo ( wi-f

Leia mais

Tecnologias Wireless WWAN Wireless Wide Area Network WLAN Wireless Local Area Network WPAN Wireless Personal Area Network

Tecnologias Wireless WWAN Wireless Wide Area Network WLAN Wireless Local Area Network WPAN Wireless Personal Area Network Fundamentos de Tecnologias Wireless Parte 1 Assunto Tecnologias Wireless Introdução à Wireless LAN Algumas questões e desafios Tecnologias Wireless WWAN Wireless Wide Area Network WLAN Wireless Local Area

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES Tecnologias de Rede Arquitetura Padrão 802.11 Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 Arquitetura Wireless Wi-Fi

Leia mais

Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco. Jonas Odorizzi. Curso de Redes e Segurança de Sistemas. Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco. Jonas Odorizzi. Curso de Redes e Segurança de Sistemas. Pontifícia Universidade Católica do Paraná Estudo de caso da Solução Unified Wireless Cisco Jonas Odorizzi Curso de Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Abril de 2010 RESUMO Este artigo tem o objetivo

Leia mais

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede Rede de Computadores Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações nos

Leia mais

2. Componentes básicos (Hardware) Redes Sem Fio (Wireless) 1

2. Componentes básicos (Hardware) Redes Sem Fio (Wireless) 1 2. Componentes básicos (Hardware) Redes Sem Fio (Wireless) 1 Ementa 1. Introdução a Tecnologias Sem Fio WLAN 2. Componentes básicos (Hardware) 3. Conceitos de espectro de Frequência e tecnologia de sinais

Leia mais

Redes Wireless. Prof. Érico José Ferreira

Redes Wireless. Prof. Érico José Ferreira Prof. Érico José Ferreira erico.ferreira@uneb.com.br UNEB/2006 Prof. Érico José Ferreira 1 Referências Bibliográficas ENGST, Adam: Kit do Iniciante em Redes sem Fio. São Paulo, Elsevier, 2005 ROSS, John

Leia mais

INF-111 Redes Sem Fio Aula 04 Tecnologias para WLAN Prof. João Henrique Kleinschmidt

INF-111 Redes Sem Fio Aula 04 Tecnologias para WLAN Prof. João Henrique Kleinschmidt INF-111 Redes Sem Fio Aula 04 Tecnologias para WLAN Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, outubro de 2014 Roteiro Introdução Camada física Subcamada MAC Estrutura do quadro Segurança Introdução

Leia mais

Telefonia Celular: Redes WLAN. CMS60808 2015/1 Professor: Bruno Fontana da Silva

Telefonia Celular: Redes WLAN. CMS60808 2015/1 Professor: Bruno Fontana da Silva Telefonia Celular: Redes WLAN CMS60808 2015/1 Professor: Bruno Fontana da Silva REVISÃO SOBRE REDES LOCAIS - Seguem os padrões IEEE 802 Redes Locais - IEEE: Institute of Electronics and Electrical Engineers

Leia mais

Redes Wireless. Padrão IEEE 802.11. Redes Sem Fio (Wireless) 1

Redes Wireless. Padrão IEEE 802.11. Redes Sem Fio (Wireless) 1 Padrão IEEE 802.11 Redes Wireless Redes Sem Fio (Wireless) 1 Topologias e pilha de protocolos 802.11 Parte da pilha de protocolos 802.11. Padrão IEEE 802.11 Redes Wireless Redes Sem Fio (Wireless) 3 Quadros

Leia mais

Site Survey (Indoor)

Site Survey (Indoor) Comunicações Móveis Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Site Survey (Indoor) 6 de Junho de 2003 Ricardo Oliveira rmpoliveira@portugalmail.pt

Leia mais

Aula 06 Redes Locais: Acessos Múltiplos e Ethernet. Prof. Dr. S. Motoyama

Aula 06 Redes Locais: Acessos Múltiplos e Ethernet. Prof. Dr. S. Motoyama Aula 06 Redes Locais: Acessos Múltiplos e Ethernet Prof. Dr. S. Motoyama Redes Locais (Local area networks, LANs) Início da década de 80 IBM s token ring vs. DIX (Digital, Intel, e Xerox) Ethernet IEEE

Leia mais

Na implantação de um projeto de rede sem fio existem dois personagens:

Na implantação de um projeto de rede sem fio existem dois personagens: Redes Sem Fio Instalação Na implantação de um projeto de rede sem fio existem dois personagens: O Projetista é o responsável: Cálculo dos link e perdas Site survey (levantamento em campo das informações)

Leia mais

Redes Locais de Computadores

Redes Locais de Computadores Redes Locais de Computadores Pós Graduação em Redes de Computadores e Telecomunicações Controle de Acesso Múltiplo Prof. Josafá de Jesus Silva A tecnologia Ethernet AlohaNet inicio da década de 1960 -

Leia mais

RCO2. Redes Locais (LANs): Características e requisitos

RCO2. Redes Locais (LANs): Características e requisitos RCO2 Redes Locais (LANs): Características e requisitos 1 Aplicações de LANs LANs para computadores pessoais Baixo custo Taxas de transmissão limitadas Redes de conexão Interconexão de sistemas maiores

Leia mais

Capítulo 6 Redes sem fio e redes móveis

Capítulo 6 Redes sem fio e redes móveis Capítulo 6 Redes sem fio e redes móveis Todo o material copyright 1996-2009 J. F Kurose e K. W. Ross, Todos os direitos reservados slide 1 2010 2010 Pearson Prentice Hall. Hall. Todos Todos os os direitos

Leia mais

prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores

prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores prof.edney@superig.com.br Redes de Computadores Apresentação do professor, da disciplina, dos métodos de avaliação, das datas de trabalhos e provas; introdução a redes de computadores; protocolo TCP /

Leia mais

Subcamada de Controle de Acesso ao Meio. Bruno Silvério Costa

Subcamada de Controle de Acesso ao Meio. Bruno Silvério Costa Subcamada de Controle de Acesso ao Meio Bruno Silvério Costa 1. O Problema de Alocação do Canal Alocação estática de canais em LANs e MANs Alocação dinâmica de canais em LANs e MANs 1.1 Alocação dinâmica

Leia mais

Rede Wireless Para LAN e WAN

Rede Wireless Para LAN e WAN Rede Wireless Para LAN e WAN Marcos Macoto Iwashita CERNET Tecnologia e Sistemas macoto@cernet.com.br www.cernet.com.br INTRODUÇÃO Toda a tecnologia wireless não é nova, porém, em nossos dias apresenta

Leia mais

Redes sem fio e interligação com redes cabeadas UNIP. Renê Furtado Felix. rffelix70@yahoo.com.br

Redes sem fio e interligação com redes cabeadas UNIP. Renê Furtado Felix. rffelix70@yahoo.com.br e interligação com redes cabeadas UNIP rffelix70@yahoo.com.br A comunicação portátil tornou-se uma expectativa em muitos países em todo o mundo. Existe portabilidade e mobilidade em tudo, desde teclados

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores Controle de acesso ao meio (Medium Access Control - MAC) Aula 10 Enlaces podem ser divididos em duas grandes categorias: Enlace

Leia mais

Fundamentos de Redes de Computadores. Camadas física e de enlace do modelo OSI Prof. Ricardo J. Pinheiro

Fundamentos de Redes de Computadores. Camadas física e de enlace do modelo OSI Prof. Ricardo J. Pinheiro Fundamentos de Redes de Computadores Camadas física e de enlace do modelo OSI Prof. Ricardo J. Pinheiro Resumo Camada física. Padrões. Equipamentos de rede. Camada de enlace. Serviços. Equipamentos de

Leia mais

Redes Locais Sem Fio (WLANs)

Redes Locais Sem Fio (WLANs) Introdução à Computação Móvel Prof. Francisco José da Silva e Silva Prof. Rafael Fernandes Lopes Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação (PPGCC) Universidade Federal do Maranhão (UFMA) Redes

Leia mais

Mobilidade em Redes 802.11

Mobilidade em Redes 802.11 Mobilidade em Redes 802.11 Prof. Rafael Guimarães Redes sem Fio Aula 14 Aula 14 Rafael Guimarães 1 / 37 Sumário Sumário 1 Motivação e Objetivos 2 O protocolo MAC 802.11 3 Quadro 802.11 4 802.11: Mobilidade

Leia mais

Apesar das vantagens, essa tecnologia apresenta a mesma desvantagem de outras tecnologias para a transmissão de dados: os cabos.

Apesar das vantagens, essa tecnologia apresenta a mesma desvantagem de outras tecnologias para a transmissão de dados: os cabos. Página 1 de 9 PROJETOS / Telecom 25/08/2008 10:44:40 Sistemas Wireless em chão de fábricas. Existem diversas opções de padrões de conexão entre equipamentos industriais e computadores. Dentre essas opções,

Leia mais

LNET-SURVEY SITE SURVEY-WIRELESS

LNET-SURVEY SITE SURVEY-WIRELESS LNET-SURVEY SITE SURVEY-WIRELESS INTRODUÇÃO: O Site Survey é uma metodologia aplicada para inspeção técnica e minuciosa do local que será objeto da instalação de uma nova infra-estrutura de rede, na avaliação

Leia mais

WiMAX. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

WiMAX. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com WiMAX é uma tecnologia padronizada de rede sem fio que permite substituir as tecnologias de acesso de banda larga por cabo e ADSL. O WiMAX permite a

Leia mais

Capítulo 4. Subcamada de controle de acesso ao meio

Capítulo 4. Subcamada de controle de acesso ao meio slide 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. Computer Networks, Fifth Edition by Andrew Tanenbaum and David Wetherall, Pearson Education-Prentice Hall, 2011 Capítulo 4 Subcamada de

Leia mais

MAC. Controle de acesso ao meio. Alocação estática e dinâmica. Tipos de transmissão. Controle de acesso ao meio. MAC Medium Access Control

MAC. Controle de acesso ao meio. Alocação estática e dinâmica. Tipos de transmissão. Controle de acesso ao meio. MAC Medium Access Control MAC Controle de acesso ao meio Marcos Augusto Menezes Vieira Camada de Enlace dividida em: MAC - Medium Access Control na camada inferior LLC - Link Logical Control com funções de controle lógico do enlace

Leia mais

Comunicação sem Fio WLAN (802.11) Edgard Jamhour

Comunicação sem Fio WLAN (802.11) Edgard Jamhour Comunicação sem Fio WLAN (802.11) Edgard Jamhour WLAN: Parte I Técnicas de Modulação, Taxas de Transmissão e Alcance Faixa de Freqüências faixa desde até comprimento da onda ELF 30 Hz 300 Hz 10 7 metros

Leia mais

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana Rede de Computadores Parte 01 Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações

Leia mais

TRANSMISSÃO DE DADOS

TRANSMISSÃO DE DADOS TRANSMISSÃO DE DADOS Aula 6: Controle de acesso ao meio Notas de aula do livro: FOROUZAN, B. A., Comunicação de Dados e Redes de Computadores, MCGraw Hill, 4ª edição Prof. Ulisses Cotta Cavalca

Leia mais

i) configurar uma rede local sem fio (WLAN) ii) investigar o funcionamento e desempenho da WLAN iii) criar um enlace sem fio ponto a ponto

i) configurar uma rede local sem fio (WLAN) ii) investigar o funcionamento e desempenho da WLAN iii) criar um enlace sem fio ponto a ponto Laboratório de IER 10 o experimento Objetivo: Introdução i) configurar uma rede local sem fio (WLAN) ii) investigar o funcionamento e desempenho da WLAN iii) criar um enlace sem fio ponto a ponto O padrão

Leia mais

Redes Sem Fio (Wireless): Fundamentos e Padrões

Redes Sem Fio (Wireless): Fundamentos e Padrões Redes Sem Fio (Wireless): Fundamentos e Padrões As redes locais sem fio (WLANs) constituem-se como uma alternativa às redes convencionais com fio, fornecendo as mesmas funcionalidades, mas de forma flexível,

Leia mais

Redes de Computadores Aula 2. Aleardo Manacero Jr.

Redes de Computadores Aula 2. Aleardo Manacero Jr. Redes de Computadores Aula 2 Aleardo Manacero Jr. O protocolo RM OSI 1 Camada Física e Componentes Funcionalidades relacionadas à transmissão de bits Codificação Modulação Sincronismo de bits Especificação

Leia mais

WL-5470POE Hi-Powered Ponto Acesso POE com oito Modos de Operação

WL-5470POE Hi-Powered Ponto Acesso POE com oito Modos de Operação WL-5470POE Hi-Powered Ponto Acesso POE com oito Modos de Operação omo fornecedor e líder global de soluções WISP, AirLive compreende as aplicações dos ambientes dos operadores WISP. Como resultado, estamos

Leia mais

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL Broadband Wireless Access -Visualização da linha de produtos BreezeACCESS VL- Solução completa ponto multiponto para comunicação Wireless em ambiente que não tenha linda de visada direta, utiliza a faixa

Leia mais

UM ESTUDO DA APLICAÇÃO DA FERRAMENTA ORINOCO EM REDES WIRELESS

UM ESTUDO DA APLICAÇÃO DA FERRAMENTA ORINOCO EM REDES WIRELESS UM ESTUDO DA APLICAÇÃO DA FERRAMENTA ORINOCO EM REDES WIRELESS Diogo Lisboa Lopes Ciência da Computação Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) Barbacena MG Brasil. RESUMO: Este artigo tem como

Leia mais

Padrões de Rede 15/02/2014. Padrões de rede. Padrão Ethernet IEEE 802.3 802.3

Padrões de Rede 15/02/2014. Padrões de rede. Padrão Ethernet IEEE 802.3 802.3 Padrões de Rede Fundamentos de Redes de Computadores Prof. Marcel Santos Silva Padrões de rede Existem diversos padrões Ethernet, que são utilizados pela maioria das tecnologias de rede local em uso. Definem

Leia mais

3 Redes Locais sem fio IEEE 802.11

3 Redes Locais sem fio IEEE 802.11 3 Redes Locais sem fio IEEE 802.11 3.1. Padrões das redes sem fio IEEE 802.11 Uma rede sem fio (Wireless) é tipicamente uma extensão de uma rede local (Local Area Network - LAN) convencional com fio, criando-se

Leia mais

Este segundo tutorial apresenta detalhes do funcionamento do padrão 802.11.

Este segundo tutorial apresenta detalhes do funcionamento do padrão 802.11. Redes LAN/MAN Wireless II: Funcionamento do Padrão 802.11 Esta série de tutoriais apresenta um estudo comparativo das tecnologias definidas pelos padrões 802.11 a, b e g do IEEE (Institute of Electrical

Leia mais

Advanced Wireless Networks Overview & Configuration. Workshop by Nicola Sanchez

Advanced Wireless Networks Overview & Configuration. Workshop by Nicola Sanchez Advanced Wireless Networks Overview & Configuration Workshop by Nicola Sanchez Microwave Wireless Telecom - Brasil Distribuidor Mikrotik no Brasil Fornecedor de Soluções em Redes Wireless Consultoria e

Leia mais

ANÁLISE DE REDES HIERÁRQUICAS PARA ATENDIMENTO DE LOCAIS REMOTOS

ANÁLISE DE REDES HIERÁRQUICAS PARA ATENDIMENTO DE LOCAIS REMOTOS ANÁLISE DE REDES HIERÁRQUICAS PARA ATENDIMENTO DE LOCAIS REMOTOS Fabiana da Silva Podeleski Faculdade de Engenharia Elétrica CEATEC podeleski@yahoo.com.br Prof. Dr. Omar Carvalho Branquinho Grupo de Pesquisa

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos

REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos Administração de Empresas 2º Período Informática Aplicada REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos Prof. Sérgio Rodrigues 1 INTRODUÇÃO Introdução Este trabalho tem como objetivos: definir

Leia mais

Comunicação sem Fio WLAN (802.11) Edgard Jamhour

Comunicação sem Fio WLAN (802.11) Edgard Jamhour Comunicação sem Fio WLAN (802.11) Edgard Jamhour WLAN: Parte II Controle de Acesso ao Meio e Segurança Padrões WLAN: WiFi Define duas formas de organizar redes WLAN: Ad-hoc: Apenas computadores computadores

Leia mais

Redes Locais Sem Fio Wireless LAN (IEEE 802.11) Agenda. 1) Histórico. Vagner Sacramento

Redes Locais Sem Fio Wireless LAN (IEEE 802.11) Agenda. 1) Histórico. Vagner Sacramento Redes Locais Sem Fio Wireless LAN (IEEE 802.11) Vagner Sacramento vagner@lac.inf.puc-rio.br Laboratory for Advanced Collaboration - LAC Departamento de Informática - PUC-Rio Agenda 1 Histórico do IEEE

Leia mais

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Magistério Superior Especialista em Docência para Educação

Leia mais

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com Wireless Leandro Ramos www.professorramos.com Redes Wireless Interferências Access-Point / ROUTER Wireless Ponto de Acesso Numa rede wireless, o hub é substituído pelo ponto de acesso (access-point em

Leia mais

AULA 9: REDES SEM FIO

AULA 9: REDES SEM FIO AULA 9: REDES SEM FIO Objetivo: Detalhar conceitos sobre a aplicação, configuração, métodos utilizados para autenticação de usuários e segurança de acesso a redes sem fio. Ferramentas: - Emuladores de

Leia mais

i) configurar uma rede local sem-fio (WLAN) ii) investigar o funcionamento e desempenho da WLAN iii) criar um enlace sem-fio ponto-a-ponto

i) configurar uma rede local sem-fio (WLAN) ii) investigar o funcionamento e desempenho da WLAN iii) criar um enlace sem-fio ponto-a-ponto Laboratório de IER 11 o experimento Objetivo: Introdução i) configurar uma rede local sem-fio (WLAN) ii) investigar o funcionamento e desempenho da WLAN iii) criar um enlace sem-fio ponto-a-ponto O padrão

Leia mais

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 11: Redes de Computadores Prof.: Roberto Franciscatto REDES - Introdução Conjunto de módulos de processamento interconectados através de um sistema de comunicação, cujo objetivo é compartilhar

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Nilton Alves Jr. - naj@cbpf.br Sandro Luiz P. da Silva - sandro@cbpf.br RESUMO

Nilton Alves Jr. - naj@cbpf.br Sandro Luiz P. da Silva - sandro@cbpf.br RESUMO CBPF-NT-003/02 Pág.1 Introdução as Redes Wireless Nilton Alves Jr. - naj@cbpf.br Sandro Luiz P. da Silva - sandro@cbpf.br RESUMO Esta nota técnica tem por objetivo mostrar uma breve introdução a nova tecnologia

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Redes Sem Fio Fabricio Breve Tipos de transmissão sem fio Rádio Infravermelho Laser Aplicações Em ambientes internos: Ideal para situações onde não é possível utilizar cabeamento

Leia mais

Redes Sem Fio. Prof. Othon M. N. Batista (othonb@yahoo.com) Mestre em Informática

Redes Sem Fio. Prof. Othon M. N. Batista (othonb@yahoo.com) Mestre em Informática Redes Sem Fio Prof. Othon M. N. Batista (othonb@yahoo.com) Mestre em Informática Tópicos Introdução Modelos de Propagação de Rádio Padrões do IEEE IEEE 802.11 IEEE 802.15 IEEE 802.16 Mobilidade Introdução

Leia mais

Guia das Cidades Digitais

Guia das Cidades Digitais Guia Técnico Inatel Guia das Cidades Digitais Módulo 4: Tecnologia Wi-Fi INATEL Competence Center treinamento@inatel.br Tel: (35) 3471-9330 Este módulo trata da tecnologia de acesso sem fio mais amplamente

Leia mais

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão

O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento. Padrões. Padrões. Meios físicos de transmissão O que é uma rede industrial? Redes Industriais: Princípios de Funcionamento Romeu Reginato Julho de 2007 Rede. Estrutura de comunicação digital que permite a troca de informações entre diferentes componentes/equipamentos

Leia mais

Interconexão de redes locais. Repetidores. Pontes (Bridges) Hubs. Pontes (Bridges) Pontes (Bridges) Existência de diferentes padrões de rede

Interconexão de redes locais. Repetidores. Pontes (Bridges) Hubs. Pontes (Bridges) Pontes (Bridges) Existência de diferentes padrões de rede Interconexão de redes locais Existência de diferentes padrões de rede necessidade de conectá-los Interconexão pode ocorrer em diferentes âmbitos LAN-LAN LAN: gerente de um determinado setor de uma empresa

Leia mais

Especificação de Referência Ponto de Acesso (Access Point)

Especificação de Referência Ponto de Acesso (Access Point) 1 Especificação de Referência Ponto de Acesso (Access Point) Código do Objeto Descrição do Objeto Aplicação do Objeto Data da Especificação de Referência Validade da Especificação de Referência AC0000048

Leia mais

Solução Acesso Internet Áreas Remotas

Solução Acesso Internet Áreas Remotas Solução Acesso Internet Áreas Remotas Página 1 ÍNDICE GERAL ÍNDICE GERAL... 1 1. ESCOPO... 2 2. SOLUÇÃO... 2 2.1 Descrição Geral... 2 2.2 Desenho da Solução... 4 2.3 Produtos... 5 2.3.1 Parte 1: rádios

Leia mais

Protocolo Ethernet e Dispositivos de Interconexão de LANs

Protocolo Ethernet e Dispositivos de Interconexão de LANs Protocolo Ethernet e Dispositivos de Interconexão de LANs Prof. Rafael Guimarães Redes de Alta Velocidade Tópico 4 - Aula 1 Tópico 4 - Aula 1 Rafael Guimarães 1 / 31 Sumário Sumário 1 Motivação 2 Objetivos

Leia mais

Figura 1 - Comparação entre as camadas do Modelo OSI e doieee. A figura seguinte mostra o formato do frame 802.3:

Figura 1 - Comparação entre as camadas do Modelo OSI e doieee. A figura seguinte mostra o formato do frame 802.3: Introdução Os padrões para rede local foram desenvolvidos pelo comitê IEEE 802 e foram adotados por todas as organizações que trabalham com especificações para redes locais. Os padrões para os níveis físico

Leia mais

Redes de Computadores. Protocolos de Controle de Acesso ao Meio e Redes Locais Profa. Priscila Solís Barreto

Redes de Computadores. Protocolos de Controle de Acesso ao Meio e Redes Locais Profa. Priscila Solís Barreto Redes de Computadores Protocolos de Controle de Acesso ao Meio e Redes Locais Profa. Priscila Solís Barreto Camada de Enlace: Introdução Alguma terminologia: hosts e roteadores são nós canais de comunicação

Leia mais

Capítulo 6. Redes sem fio e redes móveis

Capítulo 6. Redes sem fio e redes móveis 1 Capítulo 6 Redes sem fio e redes móveis 2 Redes de computadores I Prof.: Leandro Soares de Sousa E-mail: leandro.uff.puro@gmail.com Site: http://www.ic.uff.br/~lsousa Não deixem a matéria acumular!!!

Leia mais

19/07/2013. Camadas. Camadas de Enlace e Física. Camadas de Enlace e Física. Topologias de Rede NOÇÕES DE REDE: CAMADAS DE ENLACE E FÍSICA

19/07/2013. Camadas. Camadas de Enlace e Física. Camadas de Enlace e Física. Topologias de Rede NOÇÕES DE REDE: CAMADAS DE ENLACE E FÍSICA 2 Camadas NOÇÕES DE REDE: CAMADAS DE ENLACE E FÍSICA Introdução à Microinformática Prof. João Paulo Lima Universidade Federal Rural de Pernambuco Departamento de Estatística e Informática Aplicação Transporte

Leia mais

SonicWALL Clean Wireless Solution. Arley Brogiato SE SonicWALL Brasil brasil@sonicwall.com Tel: + 55 11 5095-3490

SonicWALL Clean Wireless Solution. Arley Brogiato SE SonicWALL Brasil brasil@sonicwall.com Tel: + 55 11 5095-3490 SonicWALL Clean Wireless Solution Arley Brogiato SE SonicWALL Brasil brasil@sonicwall.com Tel: + 55 11 5095-3490 Os desafios Expandir o uso de acesso a rede Wireless Cada vez mais dispositivos no padrão

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Redes Sem Fio e Redes Móveis. Alexandre Augusto Giron

REDES DE COMPUTADORES Redes Sem Fio e Redes Móveis. Alexandre Augusto Giron REDES DE COMPUTADORES Redes Sem Fio e Redes Móveis Alexandre Augusto Giron ROTEIRO Introdução CDMA e CSMA/CA Mobilidade Wi-Fi: LANs sem fio 802.11 Acesso celular à Internet Roteamento móvel IP móvel Segurança

Leia mais

ROTEIRO. Introdução. Introdução. Conceitos. Introdução 07/11/2014. REDES DE COMPUTADORES Redes Sem Fio e Redes Móveis

ROTEIRO. Introdução. Introdução. Conceitos. Introdução 07/11/2014. REDES DE COMPUTADORES Redes Sem Fio e Redes Móveis REDES DE COMPUTADORES Redes Sem Fio e Redes Móveis Alexandre Augusto Giron ROTEIRO Introdução CDMA e CSMA/CA Mobilidade Wi-Fi: LANs sem fio 802.11 Acesso celular à Internet Roteamento móvel IP móvel Segurança

Leia mais

RCO2. Redes Locais (LANs): Arquitetura IEEE 802

RCO2. Redes Locais (LANs): Arquitetura IEEE 802 RCO2 Redes Locais (LANs): 1 Conjunto de padrões no escopo das camadas de enlace e física 2 Exemplos de padrões partes da arquitetura IEEE 802: 3 Alguns padrões da família IEEE 802: 802.2 LLC 802.3 Equivalente

Leia mais

Norma IEEE 802.11. Arquitectura IEEE 802.11

Norma IEEE 802.11. Arquitectura IEEE 802.11 Norma IEEE 802.11 Esta norma define as funções e os serviços necessários para um cliente 802.11, de maneira a este operar no modo ad-hoc ou no modo infra-estrutura. Define ainda os aspectos da mobilidade

Leia mais

Orientações para implantação e uso de redes sem fio

Orientações para implantação e uso de redes sem fio Orientações para implantação e uso de redes sem fio Define requisitos e orientações técnicas para implantação e uso de redes sem fio na Universidade Estadual de Campinas. I. Introdução Este documento apresenta

Leia mais

Unidade 2.3 Visão Geral de Protocolos de Redes

Unidade 2.3 Visão Geral de Protocolos de Redes Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Redes de Computadores Disciplina: Redes de Computadores Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2.3 Visão Geral de Protocolos de Redes 2 Bibliografia

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Capítulo 8: Segurança de Redes Sem Fio Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Introdução Uma Wireless LAN (WLAN) é uma rede local sem fio padronizada pelo IEEE 802.11.

Leia mais

Topologias. Topologias. Repetidores Bridges LAN, WAN, MAN LAN Local Area Network. Protocolos de Acesso ao Meio Família IEEE 802.XXX.

Topologias. Topologias. Repetidores Bridges LAN, WAN, MAN LAN Local Area Network. Protocolos de Acesso ao Meio Família IEEE 802.XXX. Repetidores Bridges, WAN, MAN Local Area Network Ponto a Ponto Protocolos de Acesso ao Meio Família IEEE 802.XXX BUS - Segmento 1 2 TREE - Árvore RING - Anel STAR - Estrela STAR - Estrela 3 4 1 BRIDGE

Leia mais

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO)

UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) Par Trançado UTP ( PAR TRANÇADO SEM PROTEÇÃO) O cabo UTP é composto por pares de fios, sendo que cada par é isolado um do outro e todos são trançados juntos dentro de uma cobertura externa, que não possui

Leia mais

2) TECNOLOGIAS DE REDE

2) TECNOLOGIAS DE REDE 2) TECNOLOGIAS DE REDE 2.1) TECNOLOGIA ETHERNET 2.1.1) PADRÃO IEEE 803.3 Tecnologia usada para LANs Usa um meio de comunicação compartilhado (transmissão multiponto), disputado por vários computadores

Leia mais

Configurações do adaptador W-U3300nL

Configurações do adaptador W-U3300nL Configurações do adaptador W-U3300nL Introdução Obrigado por adquirir o adaptador para rede sem fio C3 Tech. Apresentando o que há de melhor em Tecnologia Wireless, o Adaptador para Rede Sem Fio C3 Tech

Leia mais

O Padrão 802.11. Resumo CBPF-NT-003/03

O Padrão 802.11. Resumo CBPF-NT-003/03 CBPF-NT-003/03 João Paulo Malheiro de Barcelos jpmb@cbpf.br Raphael Guimarães Gonçalves raphagg@cbpf.br Nilton Alves Jr. naj@cbpf.br http://mesonpi.cat.cbpf.br/naj Resumo Esta nota técnica apresenta as

Leia mais

Conexão Sem Fio Guia do Usuário

Conexão Sem Fio Guia do Usuário Conexão Sem Fio Guia do Usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada da Microsoft Corporation nos Estados Unidos. Bluetooth é marca comercial dos respectivos

Leia mais

A topologia em estrela é caracterizada por um determinado número de nós, conectados em uma controladora especializada em comunicações.

A topologia em estrela é caracterizada por um determinado número de nós, conectados em uma controladora especializada em comunicações. Topologia em estrela A topologia em estrela é caracterizada por um determinado número de nós, conectados em uma controladora especializada em comunicações. Como esta estação tem a responsabilidade de controlar

Leia mais

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas

Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Modelo de referência OSI. Modelo TCP/IP e Internet de cinco camadas Conhecer os modelo OSI, e TCP/IP de cinco camadas. É importante ter um padrão para a interoperabilidade entre os sistemas para não ficarmos

Leia mais