RELATÓRIO DE ATIVIDADES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DE ATIVIDADES"

Transcrição

1 Ministério da Ciência e Tecnologia Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Programa Piloto Para a Proteção das Florestas Tropicais PPG7 Subprograma de Ciência e Tecnologia SPC&T Fase II RELATÓRIO DE ATIVIDADES Exercício 2006 Brasília, 26 de Janeiro/2007

2 Ministro da Ciência e Tecnologia Dr. Sérgio Rezende Secretário Executivo Luís Manuel Rebelo Fernandes Ministério da Ciência e Tecnologia - MCT Secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento Dr. Luiz Antônio Barreto de Castro Chefe da Assessoria de Captação de Recursos e Coordenador de Programa Francisco Cleodato Porto Coelho Coordenador-Geral de Gestão de Ecossistemas Maria Luiza Braz Alves Coordenador de Programa substituto Dailton Gilberto Guedes Secretária Técnica do Subprograma de Ciência e Tecnologia do PPG7 Cláudia Morosi Czarneski Equipe Técnica Andréa Carla Righetti Alexandre Correia Luís Henrique Delmont Marco Antônio Laboissiére Ambrósio Apoio Administrativo Viviane Cristina Carvalho de Souza Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq Presidente do CNPq Erney Felício Plessmann de Camargo Diretor de Programas Temáticos e Setoriais Manoel Barral Netto Coordenadora do Programa de Pesquisa em Ciências da Terra e Meio Ambiente e Coordenadora Executiva do Subprograma de Ciência e Tecnologia do PPG7 Helena Luna Ferreira Equipe Técnica Alexandre Mota Antônio Domingos de Oliveira Denise de Oliveira José Fernando Chagas Márcia Aparecida de Brito Márcio Aparecido Reis Maria Clara Ulhoa Rafael Luiz Ribeiro

3 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO EXECUÇÃO TÉCNICA E FINANCEIRA COMPONENTE 1 PROJETOS DE PESQUISA EM TEMAS ESTRATÉGICOS IMPLEMENTAÇÃO DOS PROJETOS DE PESQUISA BOLSAS DO EDITAL MCT/CNPq/PPG7 Nº 48/ MODALIDADES DE BOLSAS DO CNPq APROVADAS AOS PROJETOS DE PESQUISA BOLSAS IMPLEMENTADAS FATORES POSITIVOS E DIFICULDADES ENCONTRADAS NA IMPLEMENTAÇÃO DOS PROJETOS EM REDE COMPONENTE 2 DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E RESULTADOS DAS PESQUISAS ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA CONSULTA AOS PESQUISADORES SOBRE AS DIRETRIZES SUGERIDAS REALIZAÇÃO DA OFICINA PARA SUBSIDIAR A ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA COMPONENTE 3 GERENCIAMENTO, MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO MISSÃO DE SUPERVISÃO DO BANCO MUNDIAL COMITÊ CONSULTIVO DA FASE II DO SPC&T IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO (M&A) ACOMPANHAMENTO DAS SUB-REDES E DOS PROJETOS DE PESQUISA SOLUÇÕES IMPLEMENTADAS PARA DINAMIZAÇÃO DA TROCA DE INFORMAÇÕES ENTRE GESTORES E PESQUISADORES DO SPC&T FASE II PPG DETALHAMENTO DOS INDICADORES DE M&A DO SPC&T FASE II 25

4 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DAS SUB-REDES MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE PESQUISA MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DOS BOLSITAS MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DO COMPONENTE 2 DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E RESULTADOS DAS PESQUISAS PARTICIPAÇÃO DA EQUIPE DO SPC&T FASE II NAS ATIVIDADES DE M&A DO PPG7/MMA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DOS RECURSOS CONCLUSÃO 30 ANEXOS Anexo 1. Objetivos das Modalidades de Bolsas do Edital MCT/CNPq/PPG7 n o. 48/2005 Anexo 2. Programação e Sistemática da Oficina de Divulgação Científica Anexo 3. Participantes da Oficina de Divulgação Científica 28 e Anexo 4. Relatório da Oficina de Divulgação Científica - SPC&T Fase II Anexo 5. Notícia no Jornal da Ciência sobre a Oficina de Divulgação Científica do SPC&T Fase II Anexo 6. Portaria MCT_11_2006 Comitê Consultivo do SPC&T Fase II/PPG7 Anexo 7. Portaria MCT_19_2006 Comitê Consultivo do SPC&T Fase II/PPG7 Anexo 8. Notícia no Jornal da Ciência sobre a primeira reunião da sub-rede 8 Anexo 9. Notícia no Jornal da Ciência sobre a primeira reunião da sub-rede 9 Anexo 10. Diagnósticos das sub-redes do SPC&T Fase II/PPG7 Anexo 11. Demonstrativo das origens e aplicações de recursos no Projeto - DOAR

5 Anexo 12. Demonstração dos Investimentos no Projeto (em Real) Anexo 13. Demonstração de Gastos do Projeto (em dólar) Anexo 14. Movimentação Financeira - Entradas de recursos por fonte- Razão 2006 Anexo 15. Movimentação Financeira - Saídas de recursos para pagamento de capital e custeio para os projetos de pesquisa - Razão 2006 Anexo 16. Relação de despesas Administrativas em 2006 para os Componentes 2 e 3 Anexo 17. Bolsas de pesquisa pagas em 2006 por fonte

6 Ministério da Ciência e Tecnologia Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Programa Piloto Para a Proteção das Florestas Tropicais PPG7 Subprograma de Ciência e Tecnologia SPC&T Fase II RELATÓRIO DE PROGRESSO DA FASE II DO SUBPROGRAMA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA (SPC&T/PPG7) EXERCÍCIO INTRODUÇÃO O Subprograma de Ciência e Tecnologia (SPC&T) do Programa Piloto para a Proteção das Florestas Tropicais do Brasil (PPG7) está organizado em três componentes: Projetos de Pesquisa em Temas Estratégicos; Divulgação de Informações e Resultados das Pesquisas; Gerenciamento, Monitoramento e Avaliação. Conforme o Plano de Implementação do Projeto (PIP), o Manual Operativo (MOP) e o Plano Operativo Anual (POA/2006), foram estabelecidas atividades e recursos financeiros específicos para cada componente que devem ser executados pela Unidade de Coordenação Executiva do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (UCE/CNPq) e supervisionados pela Unidade de Coordenação Geral do Ministério da Ciência e Tecnologia (UCG/MCT). Nesse sentido, o presente relatório tem por objetivos apresentar as ações desenvolvidas no exercício de 2006, no âmbito de cada componente, bem como as dificuldades administrativas, técnicas e financeiras encontradas na implementação da Fase II do Subprograma de Ciência e Tecnologia. 6

7 2. EXECUÇÃO TÉCNICA E FINANCEIRA COMPONENTE 1 - PROJETOS DE PESQUISA EM TEMAS ESTRATÉGICOS IMPLEMENTAÇÃO DOS PROJETOS DE PESQUISA Em resposta ao Edital MCT/CNPq/PPG7 nº 48/2005, lançado em 19 de agosto de 2005, forom aprovadas 11 sub-redes e 54 projetos de pesquisa. Em dezembro de 2005, 49,9% do total aprovado de capital e custeio foram empenhados em nome dos coordenadores dos projetos de pesquisa aprovados no Edital MCT/CNPq/PPG7 nº 48/2005, mas devido aos cortes orçamentários realizados pelo Comitê Assessor de Julgamento das Propostas, os projetos de pesquisa tiveram que readequar suas metas de acordo com o orçamento aprovado, no período de janeiro a fevereiro/2006, antes da assinatura do Termo de Concessão e abertura da conta bancária do projeto. Além disso, outros acontecimentos ocasionaram atraso no início de implementação desses projetos, como a mudança de titularidade (substituição do coordenador de projeto), solicitação de adicional de recursos e remanejamento de recursos entre rubrica capital e bolsas de pesquisa. Nesse contexto, o início da execução dos projetos foi de março a agosto/2006, Área de estudo do projeto de pesquisa Avaliação dos impactos do manejo dos estoques pesqueiros sob diferentes sistemas de gestão (sub-rede 4), sob a coordenação da Dra. Victoria Judith Isaac Nahum (UFPA-PA). 7

8 período em que ocorreu o desembolso da primeira parcela de recursos, totalizando R$ ,54, o que corresponde a aproximadamente 49,9% do valor do Edital referente às rubricas de capital e custeio. Cumpre esclarecer que do valor global do Edital de R$ ,82, o montante de R$ ,49 foi destinado para as rubricas de capital e custeio e R$ ,33 para o pagamento de bolsas de pesquisa. Cabe ressaltar, ainda, que dois projetos foram cancelados, no âmbito de duas sub-redes distintas, referentes aos processos nº / e nº /2005-7, em função da ilegalidade do vínculo institucional e do vínculo empregatício do pesquisador, respectivamente. Desse modo, encontram-se em execução 52 dos 54 projetos de pesquisa aprovados pelo Edital. O projeto de pesquisa Desenvolvimento e validação de estratégias participativas de recuperação de pastagem e áreas agrícolas degradadas (sub-rede 3), sob a coordenação de Osvaldo Ryohei Kato (Embrapa Amazônia Oriental) abrange o estudo de alternativas sustentáveis à recuperação de áreas degradadas com agricultura e pastagens, com vistas ao uso sustentado da terra e melhoria de vida de agricultores da Amazônia. Adicionalmente, dois projetos de pesquisa tiveram mudança de titularidade (troca de coordenação), sendo um deles por motivo de falecimento da coordenadora de projeto de pesquisa no âmbito da sub-rede 3, a Dra. Maria do Socorro Andrade Kato (Embrapa Amazônia Oriental). Os recursos de capital desembolsados aos projetos de pesquisa, na primeira parcela, correspondentes à 49,9% do total de capital aprovado, não foram suficientes para a aquisição de equipamentos, ocasionando a baixa execução no primeiro ano de implementação. A fim de solucionar o problema, o MCT solicitou à Secretaria do Tesouro 8

9 Nacional (STN), após comprovação de parte dos gastos do primeiro desembolso, o adiantamento da segunda parcela de recursos de doação, realizada em novembro/2006, no valor de R$ ,04. Desse montante, R$ ,04 foram destinados para os projetos de pesquisa, visando o repasse dos 50,1% restantes do valor de capital aprovado, bem como a complementação de recursos na rubrica custeio para execução das atividades previstas para 2006 e, ainda, R$ ,00 para o pagamento das bolsas de pesquisa contratadas no âmbito do Subprograma. O restante dos recursos foram destinados para o pagamento de passagens e diárias, para viabilizar a participação da equipe MCT/CNPq, dos consultores especialistas e dos coordenadores de projetos nas reuniões de sub-redes do SPC&T Fase II. Mapa temático de uma das áreas de estudo enfocada pelo projeto de pesquisa Modelagem espacial e multivariada do banco de dados georreferenciados visando o zoneamento ambiental da Sub-bacia Hidrográfica do Rio Madeira (sub-rede 10), sob a coordenação do Dr. José Vicente Elias Bernardi (UNIR-RO). Vale, assim, destacar que do valor total do Edital (R$ ,82), cerca de R$ ,22 da fonte Doação (anexo 15 - Financeiro)(aproximadamente 67%) já foram disponibilizados aos projetos de pesquisa, excluindo os recursos alocados para o pagamento de bolsas de pesquisa. Com relação às bolsas de pesquisa, já foram pagos R$ ,91, correspondendo a cerca de 23% do total aprovado para bolsas. Cumpre esclarecer que a maior parte desses recursos é oriunda da fonte contrapartida nacional, 9

10 no montante de R$ ,35, uma vez que a primeira parcela liberada pela Secretaria do Tesouro Nacional, da fonte doação, foi designada integralmente para o pagamento de despesas dos projetos de pesquisa, nas rubricas capital e custeio BOLSAS DO EDITAL MCT/CNPq/PPG7 n o.48/ MODALIDADES DE BOLSAS DO CNPq APROVADAS AOS PROJETOS DE PESQUISA No Edital MCT/CNPq/PPG7 no.48/2005, as seguintes modalidades de bolsas estavam disponíveis para os coordenadores de projetos de pesquisa escolherem: Pós- Doutorado Júnior PDJ e Pesquisador Visitante - PV (Bolsas Individuais de Fomento Científico); Desenvolvimento Tecnológico e Industrial DTI, Extensão no País EXP e Iniciação Tecnológica e Industrial - ITI (Bolsas Individuais de Fomento Tecnológico); Iniciação Científica - IC e Apoio Técnico AT (Bolsas por Quotas). O anexo 1 apresenta os objetivos dessas modalidades de bolsas. Após a aprovação dos projetos e dos pedidos de reconsideração, bem como de conversão de modalidades de bolsas, foram aprovadas 122 bolsas aos projetos de pesquisa, em seis modalidades diferentes. O maior número de bolsas aprovadas - 48 bolsas - é o da modalidade Desenvolvimento Científico e Tecnológico DTI. A finalidade dessa modalidade de bolsa é possibilitar o fortalecimento da equipe responsável pelo desenvolvimento de projeto de pesquisa, desenvolvimento ou inovação, por meio da incorporação de profissional qualificado para a execução de uma atividade específica. Essa modalidade abrange pesquisadores com no mínimo nível superior, ou seja, com experiência em atividades de pesquisa, desenvolvimento ou inovação, e no máximo nível de doutorado, ou seja, com no mínimo quatro anos de experiência em atividades de pesquisa, desenvolvimento ou inovação. Em seguida, as modalidades com maior número de bolsas são a de Apoio Técnico AT, com 35 bolsas (níveis médio e superior) e a modalidade Iniciação Cientifica - IC, com 34 bolsas (graduandos matriculados no nível superior), conforme ilustra a tabela 1. 10

11 Tabela 1. Número total de bolsas aprovadas para as 11 sub-redes, por modalidade: Modalidade Número de bolsas aprovadas Pós-Doutorado Junior PDJ 2 Pesquisador Visitante - PV - Desenvolvimento Tecnológico e Industrial DTI 48 Extensão no País EXP 2 Iniciação Tecnológica e Industrial - ITI 3 Iniciação Científica - IC 33 Apoio Técnico - AT 34 Total BOLSAS IMPLEMENTADAS Do total de 122 bolsas concedidas (aprovadas), cerca de 82% foram implementadas no período de março de 2006 a dezembro de Todas as sub-redes já implementaram mais de 50% das bolsas concedidas, sendo que duas delas já estão com todas as bolsas em vigência (sub-redes 2 e 4), conforme mostra a tabela 2. Tabela 2. Bolsas aprovadas e implementadas até dezembro de Sub-rede Bolsas aprovadas Bolsas implementadas (em vigência) Percentual de bolsas implementadas (%) , , , , , , , ,5 Total: % Cumpre informar que foram executados R$ ,91 no período de abril a dezembro de 2006, para pagamento de bolsas de pesquisa do SPC&T Fase II, sendo R$ ,35 oriundos da fonte contrapartida nacional e R$ ,56, da fonte doação. 11

12 FATORES POSITIVOS E DIFICULDADES ENCONTRADAS NA IMPLEMENTAÇÃO DOS PROJETOS EM REDE Os pesquisadores, por meio dos relatórios técnicos trimestrais, destacaram como fatores positivos na execução dos projetos: o trabalho em rede, a capacitação de recursos humanos, as reuniões de sub-redes, o acompanhamento pela Equipe da UCE/CNPq e da UCG/MCT, a liberação rápida dos recursos financeiros. Seguem, abaixo, trechos dos relatórios técnicos trimestrais (em itálico), destacando os fatores positivos citados acima: Trabalho em rede...reunião de projetos com características multidisciplinares e inserção de temas transversais, sendo excelente oportunidade de interação com outras áreas de pesquisa. Reunião entre membros de uma das comunidades da área de estudo em Manacapuru - AM e pesquisadores, para apresentação e esclarecimento sobre os projetos de pesquisa no âmbito da sub-rede 2 "Bases para a sustentabilidade da pesca na Amazônia", sob a coordenação do Dr. Carlos Edwar de Carvalho Freitas (UFAM - AM).... característica interdisciplinar da pesquisa, tendo como pressuposto o diálogo de saberes, possibilitando uma visão holística da realidade socioambiental dos sujeitos sociais envolvidos na pesquisa. 12

13 destaca-se como principal fator positivo na realização do projeto a excelente interação entre as equipes que compõe a sub-rede, apesar da distância geográfica que separam cada grupo ser um fator prejudicial ao andamento do projeto, toda a equipe envolvida está conseguindo superar as limitações e trabalhar de forma coordenada. a execução do projeto através da sub-rede é o fator mais positivo, pela possibilidade de somar esforços e ao mesmo tempo realizar etapas de pesquisa subseqüentes ao conhecimento gerado no âmbito de uma linha de pesquisa e até mesmo numa área do conhecimento científico. "a inserção de pesquisadores de diversas áreas de conhecimento, com diferentes titulações, incluindo alunos de graduação no processo iniciação científica, também se configura como um dos principais pontos positivos na execução do projeto. O incentivo por parte das agências financiadoras a esse tipo de pesquisa é de suma importância para a promoção de pesquisas na Amazônia e inserção de novos pesquisadores no campo científico." "as demais áreas do conhecimento nos fornecem dados significativos para melhor entender os aspectos soioculturais dos grupos sociais. Dessa forma, a pesquisa interdisciplinar acumula riqueza de informações, nos dando condições para fazer uma interpretação mais consitente da realidade local." Capacitação de recursos humanos...a inserção de pesquisadores de diversas áreas de conhecimento, com diferentes titulações, incluindo alunos de graduação no processo iniciação científica, também se configura como um dos principais pontos positivos na execução do projeto, sendo de suma importância para a promoção de pesquisas na Amazônia e inserção de novos pesquisadores no campo científico....importante a inclusão de pesquisadores de instituições de pesquisa sediadas na Região Sudeste do país tenham contato com a realidade socioambiental e com as condições de trabalho na Região Amazônica. Reuniões de sub-redes as reuniões de sub-rede, com a presença da equipe do MCT e CNPq (técnico e financeiro) e de consultores, é excelente oportunidade para integração entre 13

14 pesquisadores dos diferentes projetos da sub-rede, permitindo melhor visualização dos objetivos de cada projeto, além de compartilhamento de esforços para amostragem, sendo positiva, também nessa reunião, a interação com os consultores e com o staff do CNPq e MCT, com esclarecimentos de dúvidas da parte burocrática do projeto, sendo as críticas dos consultores bastantes construtivas. Acompanhamento pela Equipe do CNPq o comprometimento da equipe técnica do CNPq que tem prestado excelente apoio e esclarecimento, auxiliando os coordenadores na solução de eventuais problemas, como esclarecimento de dúvidas sobre os formulários da prestação de contas e processos de compras/licitação. Aquisição de experiência...a importância da aquisição de experiência em um projeto exigente com relação à prestação de contas. As principais dificuldades encontradas pelos projetos de pesquisa referem-se às normas e aos procedimentos do Banco Mundial para a utilização de recursos e à prestação de contas. Os projetos têm tido dificuldade de conseguir três propostas para contratação de um serviço, pois muitas vezes não existem três empresas para as quais solicitar essas propostas. Além disso, houve reclamação quanto aos cortes orçamentários efetuados pelo Comitê Assessor, que causaram descompasso na implementação dos projetos de uma mesma rede e inviabilizaram a aquisição de itens importantes. Vale lembrar que com relação aos cortes orçamentários, a UCE e a UCG reformularam o PIP, em março de 2006, para reduzir os gastos operacionais a fim de atender aos pedidos de reconsideração apresentados. Foram relatados, ainda, que o alto nível de exigência administrativa quanto ao acompanhamento do uso dos recursos, com solicitação de relatórios trimestrais (técnico e financeiro) e outros documentos, tem prejudicado as atividades dos pesquisadores. Os pesquisadores apontaram ainda dificuldades logísticas encontradas na execução da pesquisa, relacionadas com o acesso à comunidade (como ponte quebrada), e condições climáticas, que têm sido obstáculos na execução dos trabalhos de campo. Visando contornar alguns dos problemas acima, especialmente os administrativos, foram sugeridos pelos pesquisadores: 14

15 - discutir junto ao Banco Mundial a possibilidade de exceção de shopping para compras com valor inferior a R$ 300,00; - estudo de prazos adequados para o envio de relatórios técnicos e financeiros; - rever os termos de compromisso entre o CNPq e o Banco Mundial para evitar as dificuldades na prestação de contas em empreendimentos futuros; - possibilitar a participação de fundações para dar assistência ao pesquisador, em vista das altas exigências burocráticas dessa modalidade de apoio. A principal dificuldade encontrada pelo CNPq na implementação do SPC&T Fase II refere-se ao não cumprimento dos prazos por parte do pesquisador com relação ao envio dos documentos solicitados pelo CNPq, relatórios técnicos parciais, prestação de contas e POA 2007, o que por sua vez tem prejudicado a alimentação do SIGMA e conseqüentemente, o envio dos relatórios de monitoramento financeiro e do Plano Operativo Anual ao MCT, dentro dos prazos previstos. Adicionalmente, o atraso no envio do cronograma de metas e atividades e relatórios técnicos tem prejudicado o monitoramento e avaliação das sub-redes e dos projetos de pesquisa COMPONENTE 2 DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E RESULTADOS DAS PESQUISAS ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA CONSULTA AOS PESQUISADORES SOBRE AS DIRETRIZES SUGERIDAS Com o intuito de iniciar o processo de elaboração da estratégia de divulgação da Fase II do SPC&T/PPG7, a UCE/CNPq, em parceria com a UCG/MCT, agendou para julho/2006 três reuniões com representantes da Universidade de Brasília (UnB), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e do Projeto de Mobilização e Capacitação para a Prevenção de Incêndios Florestais na Amazônia (Proteger), que apresentam ações bem-sucedidas de divulgação científica. Apenas a reunião com o Projeto Proteger não foi realizada, pois a representante dessa iniciativa não compareceu. A Drª Tatiana Deane de Abreu Sá, funcionária da Embrapa Amazônia Oriental, Belém (PA), com grande experiência em pesquisa e divulgação científica na Amazônia, enfatizou que a divulgação deve ser atrelada às políticas públicas, com ações maiores, devendo ser participativa, envolvendo vários atores, com integração de instituições e de 15

16 iniciativas. Sugeriu que fosse feito um zoneamento/geografia dos projetos. Ressaltou a importância do envolvimento da Escola e sua eficiência para atingir o produtor rural e do intercâmbio de estudantes de graduação e intercâmbio de visitas entre as instituições, como parte dos mecanismos de divulgação dos resultados. Destacou a experiência da Embrapa com todas as mídias (impressa, eletrônica, TV e rádio), que buscam a transversalidade, enfocando tanto o pequeno produtor como o público jovem. Foram apresentados exemplos de ações da Embrapa na área de divulgação científica: - material elaborado pelo CPATU/EMBRAPA para capacitar disseminadores; - programa de rádio Prosa Rural (Fernando Amaral); - programa Dia de Campo na TV; - EMBRAPA vai para dentro das escolas; - EMBRAPA e o Meio ambiente; - minibibliotecas. Participantes reunidos na Oficina de Trabalho para subsidiar a elaboração da Estratégia de Divulgação Científica do SPC&T Fase II/PPG7 (Brasília, 28 e 29/nov/2006).. Foi realizada reunião com a Profª Fernanda Sobral, da Universidade de Brasília, na qual foram levantados, entre outras informações, itens necessários para se realizar a oficina e a divulgação dos resultados: - Que itens são financiáveis pelo CNPq? 16

17 - Que tipo de instituições podem participar? - Que forma de divulgação utilizar? - Que locais e que agentes devem ser envolvidos? Foi contatado, ainda, o Dr. Carlos Nobre, membro do IAG/PPG7, que apresentou sua experiência na produção de material didático sobre os temas de pesquisa realizados na Amazônia, no âmbito do Programa LBA, como o cd-rom Tópicos em Meio Ambiente e Ciências Atmosféricas. O mesmo destacou a importância do caráter pedagógico da divulgação científica para crianças e do envolvimento e treinamento de professores. Adicionalmente, durante as reuniões de sub-redes da Fase II do SPC&T, realizadas entre julho e outubro de 2006, foram apresentados aos pesquisadores os componentes do SPC&T Fase II, incluindo informações do Componente 2, como objetivos, temas elegíveis, público-alvo, bem como enfatizada a importância do envolvimento dos pesquisadores na divulgação científica dos resultados da pesquisa REALIZAÇÃO DA OFICINA PARA SUBSIDIAR A ELABORAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA Para iniciar o processo de elaboração da Oficina de Divulgação Científica, contatou-se a Professora Irenilza de Alecancar Näas da Universidade de Campinas (Unicamp), representante do Comitê de Julgamento do Edital MCT/CNPq/PPG7 nº Dr. Nelson Sanjad (MPEG - PA) apresenta o Sistema de Comunicação Científica do Museu Paraense Emílio Goeldi, durante a Oficina de Trabalho para subsidiar a elaboração da Estratégia de Divulgação Científica do SPC&T Fase II/PPG7 (Brasília, 28/nov/2006). 17

18 48/2005 e que trabalha com transferência de tecnologias, para auxiliar na descrição da metodologia e na coordenação da Oficina para subsidiar a elaboração da estratégia de divulgação científica da Fase II do SPC&T/PPG7. Foram convidados para o evento os coordenadores de sub-redes e outros integrantes dos projetos de pesquisa do SPC&T Fase II, os coordenadores do SPC&T Fase I cujos temas de pesquisa estavam relacionados aos temas aprovados na Fase II, os membros do Comitê de Divulgação Científica do CNPq, vários especialistas em Divulgação Científica e Jornalismo Científico, Educação Ambiental e realidade amazônica, e, ainda, representantes do PPG7 no Ministério do Meio Ambiente, de instituições parceiras, como USAID, Banco Mundial, SEBRAE, entre outros. Nos dias 28 e 29 de novembro/2006, foi realizado, em Brasília - DF, o evento, cujo objetivo foi discutir as diretrizes para a divulgação dos resultados do Subprograma de C&T. Na manhã do primeiro dia, foram apresentadas as experiências de divulgação do Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), da Universidade Federal de Viçosa (UFV) e da Embrapa Amazônia Oriental. Em entrevista dada à Assessoria de Comunicação de Imprensa do INPA, Ruth Rendeiro da Embrapa destacou que é preciso acreditar na importância da comunicação como uma atividade fim dentro da instituição, com investimentos em pessoal e infra-estrutura. À tarde, foram organizadas duas mesas redondas que trataram dos meios de divulgação científica e do estabelecimento de parcerias. Por meio da metodologia adotada pela Coordenadora do encontro, apresentada na programação e sistemática da Oficina (anexo 2), no segundo dia de trabalho, os participantes definiram prioridades de o que divulgar, onde divulgar e os níveis de divulgação científica e tecnológica para os temas recursos pesqueiros e organismos aquáticos, recuperação de áreas degradadas e produtos madeireiros e não-madeireiros. O evento contou com a participação de aproximadamente 50 participantes, conforme lista de presença (anexo 3) e os resultados foram compilados em relatório que se encontra no anexo 4. Dos convidados, não vieram representantes do SPC&T Fase I. Vale ressaltar que tal Oficina foi considerada exitosa, conforme manifestações dos representantes da USAID, do Dr. Clodowaldo Pavam e dos demais participantes. Além disso, mereceu matéria, elaborada pela Assessoria de Imprensa do INPA, no Jornal da Ciência (anexo 5). 18

19 A fim de elaborar a estratégia de divulgação da Fase II, com base nos resultados da Oficina, foi realizada reunião em Brasília DF, nos dias 13 e 14 de dezembro/2006, com a presença da Dra. Irenilza Nääs da Unicamp, da Dra. Glória Malavoglia, jornalista com imensa experiência em divulgação científica, do Dr. Carlos Saito da UnB, especialista em educação ambiental e representantes do CNPq e MCT. Como resultado do dia 13, foram obtidas várias informações importantes que complementaram as prioridades obtidas na Oficina, sendo que no dia 14 as equipes CNPq e MCT, juntamente com a Dra. Irenilza, organizaram algumas diretrizes para elaboração da minuta de Edital COMPONENTE 3 GERENCIAMENTO, MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO MISSÃO DE SUPERVISÃO DO BANCO MUNDIAL No período de 18 a 22 de maio/2006, foi realizada a Missão de Supervisão do Banco Mundial na qual foram discutidos o Plano Operativo Anual (POA) 2006, os relatórios de progresso, o sistema de monitoramento e avaliação, a divulgação científica e a execução financeira do Subprograma. Quanto aos aspectos levantados pelo Banco, a UCG e a UCE deveriam envidar esforços no cumprimento dos prazos estabelecidos para encaminhamento de documentos como relatórios, POAs, prestação de contas, entre outros. A UCG e a UCE sugeriram que as Missões do Banco ocorressem concomitantemente com as reuniões de integração das sub-redes e Conferências de C&T, uma vez que esses eventos são ricos de informações quanto à implementação dos projetos, os resultados obtidos e às dificuldades encontradas. Além disso, seria mais fácil viabilizar as visitas técnicas, não sobrecarregando os pesquisadores com atividades adicionais e reduzindo as despesas com passagens e diárias COMITÊ CONSULTIVO DA FASE II DO SPC&T Em 5 de outubro de 2006, foi instituído o Comitê Consultivo da Fase II do Subprograma de Ciência e Tecnologia, conforme Portaria MCT nº 11, de 05 de outubro de 2006(anexo 6), com as seguintes atribuições: tornar a coordenação interinstitucional efetiva e eficiente; auxiliar na resolução de questões de implementação que possam surgir; prestar assistência à supervisão. Os membros desse Comitê foram designados por meio da Portaria MCT nº 800, de (anexo 7). 19

20 IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA DE MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO (M&A) ACOMPANHAMENTO DAS SUB-REDES E DOS PROJETOS DE PESQUISA A primeira reunião das 11 sub-redes do SPC&T Fase II aconteceu entre os meses de julho a outubro de 2006, conforme tabela 3, contando com a participação de representantes da ASCAP/MCT, SEPED/MCT, CGCTM/CNPq (áreas técnica e financeira), de consultores especialistas do Comitê de Julgamento do Edital (área técnica e temas transversais) e dos coordenadores dos projetos e membros das equipes que compõem as sub-redes (pesquisadores e bolsistas). Uma das grandes dificuldades para a realização dessas reuniões foi a confirmação de uma data compatível com as agendas dos consultores especialistas e coordenadores de projetos de pesquisa. Por outro lado, houve grande esforço e cooperação por parte dos membros das redes com relação à organização da reunião, como auditórios, equipamentos, água e coffee break. Dr. Carlos Edwar de Carvalho Freitas (UFAM-AM) apresenta o plano de integração da sub-rede "Bases para a sustentabilidade da pesca na Amazônia", durante a primeira reunião de sub-rede com a participação dos coordenadores de projeto de pesquisa, bolsistas, outros pesquisadores, consultores especialistas e representantes do CNPq e MCT 20

EDITAL 05/2015 PROPESP/FADESP PROGRAMA DE APOIO À COOPERAÇÃO INTERINSTITUCIONAL PACI SUBPROGRAMA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL

EDITAL 05/2015 PROPESP/FADESP PROGRAMA DE APOIO À COOPERAÇÃO INTERINSTITUCIONAL PACI SUBPROGRAMA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL EDITAL 05/2015 PROPESP/FADESP PROGRAMA DE APOIO À COOPERAÇÃO INTERINSTITUCIONAL PACI SUBPROGRAMA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL A Pró- Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação (PROPESP) e a Fundação de Amparo e

Leia mais

Diagnóstico de oportunidades de quebra de barreiras para acesso às políticas públicas da Agricultura Familiar em São Félix do Xingu, Pará.

Diagnóstico de oportunidades de quebra de barreiras para acesso às políticas públicas da Agricultura Familiar em São Félix do Xingu, Pará. TERMO DE REFERÊNCIA Diagnóstico de oportunidades de quebra de barreiras para acesso às políticas públicas da Agricultura Familiar em São Félix do Xingu, Pará. 1. Título: Diagnóstico de oportunidades para

Leia mais

FACULDADE DE SAÚDE, CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLÓGICAS DO PIAUÍ - NOVAFAPI COORDENAÇÃO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

FACULDADE DE SAÚDE, CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLÓGICAS DO PIAUÍ - NOVAFAPI COORDENAÇÃO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO R FACULDADE DE SAÚDE, CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLÓGICAS DO PIAUÍ - NOVAFAPI COORDENAÇÃO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL DE PESQUISA CPPG/NOVAFAPI Nº 001/2008 Seleção de projetos de pesquisa e desenvolvimento

Leia mais

1. Da finalidade e objetivos do edital

1. Da finalidade e objetivos do edital UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Decanato de Ensino de Graduação Edital 5/2015 PROGRAMA DE FOMENTO PARA PROJETOS DE APRENDIZAGEM E INOVAÇÃO SOCIAL NO PARANOÁ/ITAPOÃ Os decanatos de Ensino de Graduação, de Extensão

Leia mais

Programa Nota CAPES COTA

Programa Nota CAPES COTA PROGRAMA DE BOLSAS FAPESB - COTAS INSTITUCIONAIS MESTRADO PROFISSIONAL, MESTRADO E DOUTORADO 1. INTRODUÇÃO A FAPESB tem como um de seus principais objetivos apoiar a formação científica através da concessão

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONS-MON 04-09. 01 Vaga

TERMO DE REFERÊNCIA CONS-MON 04-09. 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS-MON 04-09 01 Vaga 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria de pessoa física para aprimoramento das estratégias e metodologias

Leia mais

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratar consultoria por produto para formular

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UEMA PIBIC-CNPq/UEMA/FAPEMA EDITAL UEMA/PPG Nº 03/2015

PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UEMA PIBIC-CNPq/UEMA/FAPEMA EDITAL UEMA/PPG Nº 03/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UEMA PIBIC-CNPq/UEMA/FAPEMA EDITAL UEMA/PPG Nº 03/2015 A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Estadual do Maranhão - PPG UEMA em conjunto

Leia mais

MANUAL PROPPG BOLSAS E AUXÍLIOS À PESQUISA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG

MANUAL PROPPG BOLSAS E AUXÍLIOS À PESQUISA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG MANUAL PROPPG BOLSAS E AUXÍLIOS À PESQUISA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 O MANUAL DE APOIO À PESQUISA DA UEMG... 4 3 OS PROGRAMAS... 4 3.1 Programas Financiados

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA 2014

CHAMADA PÚBLICA 2014 EDITAL N º 34/PROPPI/2014 CÂMPUS URUPEMA CHAMADA PÚBLICA 2014 PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS TÉCNICOS COM FINALIDADE DIDÁTICO-PEDAGÓGICA EM CURSOS REGULARES NO CÂMPUS URUPEMA EXECUÇÃO:

Leia mais

EDITAL DE INCENTIVO AO ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA

EDITAL DE INCENTIVO AO ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA Coordenação de Educação a Distância CEAD, Pró-Reitoria de Graduação PROGRAD, Pró-Reitoria de Extensão e Cultura PROExC, Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa PROPG e Diretoria de Assuntos Comunitários

Leia mais

EDITAL MEC/CAPES/FNDE

EDITAL MEC/CAPES/FNDE EDITAL MEC/CAPES/FNDE Seleção pública de propostas de projetos de iniciação à docência voltados ao Programa Institucional de Iniciação à Docência - PIBID O Ministério da Educação - MEC, por intermédio

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO DA USC PIBIC/PIBITI 2013/2014

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO DA USC PIBIC/PIBITI 2013/2014 PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO DA USC PIBIC/PIBITI 2013/2014 A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade do Sagrado Coração torna público o

Leia mais

Lei do Audiovisual IN 81 de 2008.

Lei do Audiovisual IN 81 de 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 81, DE 28 DE OUTUBRO DE 2008. Estabelece procedimentos sobre a apresentação de relatórios de gestão e prestação de contas em Programas Especiais de Fomento. A DIRETORIA COLEGIADA

Leia mais

UNIVERSIDADE NILTON LINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE NILTON LINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL INICIAÇÃO CIENTÍFICA/2015-2016 Programa de Iniciação Científica PROIC/NILTON LINS A Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade NILTON LINS, por meio da Coordenação de Iniciação Científica,

Leia mais

NORMAS PARA PROGRAMAS DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO, DE PESQUISA E TECNOLÓGICA - FAPEG-I

NORMAS PARA PROGRAMAS DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO, DE PESQUISA E TECNOLÓGICA - FAPEG-I RESOLUÇÃO N. 001/2007 ANEXO NORMAS PARA PROGRAMAS DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE FORMAÇÃO, DE PESQUISA E TECNOLÓGICA - FAPEG-I 1. Conceituação As normas relativas à concessão de Bolsas de Formação, de Pesquisa

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA 2015

CHAMADA PÚBLICA 2015 EDITAL N º 13 /PRPPGI/2015 CHAMADA PÚBLICA 2015 PROGRAMA DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS COM FINALIDADE DIDÁTICO- PEDAGÓGICA EM CURSOS REGULARES NO EXECUÇÃO: MAIO A NOVEMBRO DE 2015. A Reitora

Leia mais

EDITAL PIBIEXT - 01/2014

EDITAL PIBIEXT - 01/2014 UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA PROEC PROGRAMA DE FORTALECIMENTO ACADÊMICO - PFA PROGAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À EXTENSÃO - PIBIEXT EDITAL PIBIEXT - 01/2014

Leia mais

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD.

Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 2013. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. Edital para publicação no site período de 23 a 30 de junho de 203. PROJETO BRA/04/029 Seleciona CONSULTOR na modalidade PRODUTO* CÓD. GESTÃO EAD Os currículos deverão ser encaminhados para o endereço eletrônico

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA Nº 04

TERMO DE REFERENCIA Nº 04 TERMO DE REFERENCIA Nº 04 CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA APOIO NA ELABORAÇÃO DE PRODUTO REFERENTE À AÇÃO 02 DO PROJETO OBSERVATÓRIO LITORAL SUSTENTÁVEL - INSTITUTO PÓLIS EM PARCERIA COM A PETROBRAS. Perfil:

Leia mais

EDITAL PI IPCIT - Nº001/2012 - PRPPGI/IFAM PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PI-IPCIT

EDITAL PI IPCIT - Nº001/2012 - PRPPGI/IFAM PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PI-IPCIT EDITAL PI IPCIT - Nº001/2012 - PRPPGI/IFAM PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PI-IPCIT PROJETOS DE PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO IFAM Maio

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS. EDITAL 93/2010 de 31 de agosto de 2010

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS. EDITAL 93/2010 de 31 de agosto de 2010 1. OBJETIVOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS EDITAL 93/2010 de 31 de agosto de 2010 A Diretora de Graduação do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas

Leia mais

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa CAFP/BA (Centros Associados para o Fortalecimento

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - AÇÕES AFIRMATIVAS DA UEMA

PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - AÇÕES AFIRMATIVAS DA UEMA PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - AÇÕES AFIRMATIVAS DA UEMA EDITAL UEMA/PPG Nº 10/2015 A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Estadual do Maranhão - PPG UEMA, em conformidade

Leia mais

1. OBJETIVO 2. DADOS FINANCEIROS E ORÇAMENTÁRIOS

1. OBJETIVO 2. DADOS FINANCEIROS E ORÇAMENTÁRIOS 1. OBJETIVO O referido Edital tem por objetivo apoiar o desenvolvimento da pesquisa científica e/ou tecnológica no estado, através da presença, nas instituições baianas, de pesquisadores estrangeiros renomados

Leia mais

EDITAL 004/2015 COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR - CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR - PDSE

EDITAL 004/2015 COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR - CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR - PDSE EDITAL 004/2015 COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR - CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR - PDSE A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Ciências

Leia mais

EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável

EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável EXO ANEXO TEMÁTICO 2: Tema Prioritário II Manejo de Paisagem Linha de Ação Temática 2.1 Manejo Florestal Sustentável 1. Objetivos da Chamada de Projetos para esta Linha de Ação Temática O objetivo da chamada

Leia mais

Regulamento Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica Sênior do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá

Regulamento Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica Sênior do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá Regulamento Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica Sênior do I. CONSIDERAÇÕES GERAIS ART. 1º - Este regulamento tem por objetivo orientar a apresentação, tramitação, aprovação, execução,

Leia mais

Programa CAPES-PVE CAPES. Processo Seletivo 2010 Edital nº 049/2010/CAPES/DRI

Programa CAPES-PVE CAPES. Processo Seletivo 2010 Edital nº 049/2010/CAPES/DRI Programa CAPES- Processo Seletivo 2010 Edital nº 049/2010/CAPES/DRI A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior-CAPES, Fundação Pública, criada pela Lei nº. 8.405, de 09 de janeiro de

Leia mais

Programa de Bolsas de Mestrado e Doutorado

Programa de Bolsas de Mestrado e Doutorado Chamada Pública 11/2014 Programa de Bolsas de Mestrado e Doutorado Acordo CAPES/FA A Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná (FA) em parceria com a Coordenação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EDITAL 024/2015 PRPGP/UFSM Programa PROIC-HUSM Programa de Bolsas de Iniciação Científica ou Auxílio

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Ministério da Educação Secretária de Educação Profissional e Tecnológica Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Ministério da Educação Secretária de Educação Profissional e Tecnológica Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL Ministério da Educação Secretária de Educação Profissional e Tecnológica Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLOGICO

Leia mais

Edital CNPq nº 06/2003 Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas

Edital CNPq nº 06/2003 Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas Edital CNPq nº 06/2003 Ciências Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas O Ministério da Ciência e Tecnologia, por intermédio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq, torna

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TOR)

TERMO DE REFERÊNCIA (TOR) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO DIRETORIA DE POLÍTICAS PARA EDUCAÇÃO DO CAMPO E DIVERSIDADE COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA (UNILAB) Edital PROEX 05/2015 - Programa de Bolsas de Extensão de Línguas Estrangeiras e Portuguesa da UNILAB

Leia mais

Consulta Pública RESOLUÇÃO DA CPP N. 000/2011

Consulta Pública RESOLUÇÃO DA CPP N. 000/2011 Consulta Pública O Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação (DPP), por intermédio de sua Diretoria de Fomento à niciação Científica (Diric), encaminha à comunidade acadêmica da Universidade de Brasília consulta

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA N.º

TERMO DE REFERÊNCIA N.º MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO E DIVERSIDADE DIRETORIA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL, DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto

Termo de Referência para contratação de consultor na modalidade Produto TÍTULO DO PROJETO: Fortalecimento da capacidade institucional com vistas a melhoria dos processos de monitoramento e avaliação dos programas de fomento voltados para a Educação Básica e para o Ensino Superior

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EDITAL 01/2015 - PRPGP/UEPB PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA UEPB/CNPq

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EDITAL 01/2015 - PRPGP/UEPB PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA UEPB/CNPq PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EDITAL 01/2015 - PRPGP/UEPB PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA UEPB/CNPq A Reitoria da Universidade Estadual da Paraíba, por intermédio de sua Pró-Reitoria

Leia mais

RESUMO DA CHAMADA MCTI/CNPq/ANA Nº 23/2015 Pesquisa em Mudança do Clima

RESUMO DA CHAMADA MCTI/CNPq/ANA Nº 23/2015 Pesquisa em Mudança do Clima RESUMO DA CHAMADA MCTI/CNPq/ANA Nº 23/2015 Pesquisa em Mudança do Clima Salvador Nov/2015 I - CHAMADA A referida chamada tem por objetivo selecionar propostas para apoio financeiro a projetos de desenvolvimento

Leia mais

EDITAL FACEPE 07/2014 APOIO A PROGRAMAS DE FORMAÇÃO EM ENGENHARIA AUTOMOTIVA EM PARCERIA COM O POLITECNICO DI TORINO SDEC POLITO

EDITAL FACEPE 07/2014 APOIO A PROGRAMAS DE FORMAÇÃO EM ENGENHARIA AUTOMOTIVA EM PARCERIA COM O POLITECNICO DI TORINO SDEC POLITO EDITAL FACEPE 07/2014 APOIO A PROGRAMAS DE FORMAÇÃO EM ENGENHARIA AUTOMOTIVA EM PARCERIA COM O POLITECNICO DI TORINO SDEC POLITO A, em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDEC), torna

Leia mais

2.1.1 Preenchimento do formulário de inscrição. Deve ser preenchido de forma a contemplar as etapas a seguir:

2.1.1 Preenchimento do formulário de inscrição. Deve ser preenchido de forma a contemplar as etapas a seguir: EDITAL PIBITI Nº 041/2013 Goiânia, 26 de dezembro de 2013. A Universidade Federal de Goiás por intermédio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação torna público o presente edital e convida os interessados

Leia mais

3. ORGANIZAÇÕES ELEGÍVEIS

3. ORGANIZAÇÕES ELEGÍVEIS EDITAL FLD 04/2011 SELEÇÃO DE PROJETOS DE FORTALECIMENTO DE REDES SOCIAIS QUE ATUAM NA PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COM JUSTIÇA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICA 1. OBJETIVO Selecionar projetos

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DO PROEX (2015)

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DO PROEX (2015) UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Instituto de Medicina Social Rua São Francisco Xavier, 524 / 7º andar / Bloco D - Maracanã CEP: 20550-013 - Rio de Janeiro - BRASIL TEL: 55-021- 2334-0235 FAX:

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria de pessoa física para realizar ações e organizar atividades

Leia mais

C T & I PARA A AMAZÔNIA LEGAL

C T & I PARA A AMAZÔNIA LEGAL C T & I PARA A AMAZÔNIA LEGAL David C. Oren Coordenador de Biodiversidade Coordenação Geral de Gestão de Ecossistemas e Biodiversidade - CGEB Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisas e Desenvolvimento

Leia mais

EDITAL PROPPG 14/2014 PDSE CAPES (Bolsas de doutorado sanduíche no exterior)

EDITAL PROPPG 14/2014 PDSE CAPES (Bolsas de doutorado sanduíche no exterior) EDITAL PROPPG 14/2014 PDSE CAPES (Bolsas de doutorado sanduíche no exterior) A Pró-reitora de Pesquisa e Pós Graduação PROPPG, em conjunto com a Coordenação do Programa de Pós-graduação em Fitotecnia PPGF,

Leia mais

EDITAL Nº 73/2013. Público-alvo: alunos de cursos de graduação, exceto aqueles matriculados no último semestre do curso.

EDITAL Nº 73/2013. Público-alvo: alunos de cursos de graduação, exceto aqueles matriculados no último semestre do curso. EDITAL Nº 73/2013 Programa Institucional de Iniciação Científica em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Proiti) Bolsas de Iniciação Científica Proiti/CNPq/UNISANTOS A Universidade Católica de Santos

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EDITAL 2015 CAMPUS NATAL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EDITAL 2015 CAMPUS NATAL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA EDITAL DE EXTENSÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO À EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EDITAL 2015 CAMPUS NATAL 1. EDITAL A Universidade Potiguar UnP, através da Pró-Reitoria Acadêmica, torna

Leia mais

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR PORTARIA Nº 156, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2014

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR PORTARIA Nº 156, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2014 COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR PORTARIA Nº 156, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2014 Aprova o regulamento do Programa de Apoio à Pós-graduação PROAP, que se destina a proporcionar melhores

Leia mais

Edital CNPq/CT-Petro nº 01/2003

Edital CNPq/CT-Petro nº 01/2003 Edital CNPq/CT-Petro nº 01/2003 O Ministério da Ciência e Tecnologia, por intermédio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq, torna público o presente edital e convoca os

Leia mais

Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF)

Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF) FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO VICENTE Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF) Introdução O Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DOCENTE PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CIENTÍFICA (PIBID/FAI) EDITAL N O.

EDITAL DE SELEÇÃO DOCENTE PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CIENTÍFICA (PIBID/FAI) EDITAL N O. EDITAL DE SELEÇÃO DOCENTE PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA CIENTÍFICA (PIBID/FAI) EDITAL N O. 004/15 1. APRESENTAÇÃO A Direção-Geral das FACULDADES ADAMANTINENSES INTEGRADAS

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2015

PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2015 PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2015 O reitor do Centro Universitário de Brasília UniCEUB, no uso de suas atribuições legais e estatutárias,

Leia mais

II PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC/FSMA 2014/2015 EDITAL 01/2014 Coordenação de Pesquisa e Extensão.

II PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC/FSMA 2014/2015 EDITAL 01/2014 Coordenação de Pesquisa e Extensão. II PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC/FSMA 2014/2015 EDITAL 01/2014 Coordenação de Pesquisa e Extensão. A Direção Geral e Vice-direção Acadêmica juntamente com a Coordenação de Pós-graduação, Pesquisa

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO E PESQUISA CIENTÍFICAS E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PIC/FCSES EDITAL CIPEC FCSES Nº 01/2015

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO E PESQUISA CIENTÍFICAS E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PIC/FCSES EDITAL CIPEC FCSES Nº 01/2015 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO E PESQUISA CIENTÍFICAS E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PIC/FCSES EDITAL CIPEC FCSES Nº 01/2015 Regras Gerais do Edital n.º 01/2015: I. O recebimento dos Programas e Projetos

Leia mais

1. REQUISITOS DO SOLICITANTE

1. REQUISITOS DO SOLICITANTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EDITAL Nº 023/PRPGP/UFSM, DE 29 DE ABRIL DE 2015 Programa Especial de Incentivo às Revistas Científicas

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU CENTRO DE PESQUISA. PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC/USJT/CNPq 2006/2007

UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU CENTRO DE PESQUISA. PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC/USJT/CNPq 2006/2007 UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU CENTRO DE PESQUISA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PIBIC/USJT/CNPq 2006/2007 EDITAL nº 01 de 01 de agosto de 2006 (em consonância com a Resolução Normativa

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA AGÊNCIA BRASILEIRA DE COOPERAÇÃO - ABC INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA - IICA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E

Leia mais

Iniciação Científica - Ações afirmativas - UNESP Edital 15/ 2015 PROPe

Iniciação Científica - Ações afirmativas - UNESP Edital 15/ 2015 PROPe Iniciação Científica - Ações afirmativas - UNESP Edital 15/ 2015 PROPe 1 INTRODUÇÃO A avaliação das principais ações afirmativas da UNESP tem sido altamente positiva e mostra a preocupação da universidade

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONSULTOR PRODUTO PORTAL

TERMO DE REFERÊNCIA CONSULTOR PRODUTO PORTAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SECRETARIA DE EXTRATIVISMO E DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL DEPARTAMENTO DE EXTRATIVISMO GERÊNCIA DE AGROEXTRATIVISMO PROGRAMA DE APOIO AO AGROEXTRATIVISMO - PNUD BRA/08/012

Leia mais

Programa de Bolsas de Estágio Pós-Doutoral no Exterior para Docentes

Programa de Bolsas de Estágio Pós-Doutoral no Exterior para Docentes CHAMADA PÚBLICA 17/2015 Programa de Bolsas de Estágio Pós-Doutoral no Exterior para Docentes (Acordo Capes/FA) A Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROPPG REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA ENSINO MÉDIO

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROPPG REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA ENSINO MÉDIO UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROPPG REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA ENSINO MÉDIO CAPÍTULO I DA NATUREZA DO PROGRAMA Art. 1º O Programa

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À EXTENSÃO - PIBIEXT EDITAL PIBIEXT - 01/2015

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À EXTENSÃO - PIBIEXT EDITAL PIBIEXT - 01/2015 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À EXTENSÃO - PIBIEXT EDITAL PIBIEXT - 01/2015 A Universidade de Pernambuco, através da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura, torna público o presente Edital e

Leia mais

PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA (PJT CIC) DIRETRIZES

PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA (PJT CIC) DIRETRIZES PROGRAMA JOVENS TALENTOS PARA A CIÊNCIA (PJT CIC) DIRETRIZES SOBRE O PROGRAMA Em 2012 a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico

Leia mais

PROGRAMA DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NO CAMPUS ARARANGUÁ DO IF-SC EDITAL INTERNO- N0 XX/2010

PROGRAMA DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NO CAMPUS ARARANGUÁ DO IF-SC EDITAL INTERNO- N0 XX/2010 PROGRAMA DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NO DO IF-SC EDITAL INTERNO- N0 XX/2010 CHAMADA DE PROJETOS DE PESQUISA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA EXECUÇÃO: 19 DE ABRIL DE 2010 A 10 DE MAIO DE 2010

Leia mais

Promover o Ensino Superior Associado ao Desenvolvimento Sustentável de Belém e Região

Promover o Ensino Superior Associado ao Desenvolvimento Sustentável de Belém e Região Promover o Ensino Superior Associado ao Desenvolvimento Sustentável de Belém e Região Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica- PIC A iniciação científica viabiliza, aos universitários

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

FUNDAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA EM CIÊNCIAS DA SAÚDE ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE EDITAL Nº 03, DE, DE FEVEREIRO DE 2007.

FUNDAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA EM CIÊNCIAS DA SAÚDE ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE EDITAL Nº 03, DE, DE FEVEREIRO DE 2007. FUNDAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA EM CIÊNCIAS DA SAÚDE ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE EDITAL Nº 03, DE, DE FEVEREIRO DE 2007. O DIRETOR GERAL DA ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE - ESCS, no uso das

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL N 01/2012 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE EXTENSÃO PROBEXT-SERVIDOR

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL N 01/2012 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE EXTENSÃO PROBEXT-SERVIDOR PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL N 01/2012 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE EXTENSÃO PROBEXT-SERVIDOR 1- PREÂMBULO O PROBEXT SERVIDOR é um instrumento que abrange Programas e Projetos de Extensão, com

Leia mais

EDITAL 016/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2015

EDITAL 016/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE SÃO PAULO CÂMPUS CAPIVARI EDITAL 016/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2015 O Diretor do câmpus Capivari do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

Original assinado Vicente Pereira de Almeida Presidente do CS

Original assinado Vicente Pereira de Almeida Presidente do CS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 037/2013 DE 27

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 007/RIFB, DE 28 DE ABRIL DE 2015.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 007/RIFB, DE 28 DE ABRIL DE 2015. EDITAL Nº 007/RIFB, DE 28 DE ABRIL DE 2015. SELEÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS E VOLUNTARIADO EM INICIAÇÃO CIENTÍFICA NAS AÇÕES AFIRMATIVAS (ENSINO

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA SAÚDE

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA SAÚDE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA SAÚDE Edital PPGPS Nº 01/2015 para Seleção de Candidatos ao PNPD 2015 PROCESSO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EDITAL 009 /2014 PRPGP/UFSM Programa Especial de Incentivo à Pesquisa para o Servidor Mestre (PEIPSM)

Leia mais

APOIO A PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS EDITAL Nº001/2015 - APEC

APOIO A PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS EDITAL Nº001/2015 - APEC APOIO A PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS EDITAL Nº001/2015 - APEC O Governo do Estado do Maranhão e a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTEC), por meio da Fundação de Amparo

Leia mais

EDITAL Nº 05/2007 PRODOCÊNCIA

EDITAL Nº 05/2007 PRODOCÊNCIA EDITAL Nº 05/2007 PRODOCÊNCIA PROGRAMA DE CONSOLIDAÇÃO DAS LICENCIATURAS MEC/SESu/DEPEM 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR - SESu EDITAL Nº 05/2007 Brasília, 20 junho de 2007

Leia mais

FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 16, DE 8 DE JUNHO DE 2010

FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 16, DE 8 DE JUNHO DE 2010 FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 16, DE 8 DE JUNHO DE 2010 Altera a Resolução CD/FNDE nº 64, de 13 de dezembro de 2007, que estabelece os critérios e os

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 032 CONSUPER/2012

RESOLUÇÃO Nº 032 CONSUPER/2012 RESOLUÇÃO Nº 032 CONSUPER/2012 Dispõe sobre alterações na Regulamentação de apoio à pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense. O Presidente do do Instituto Federal de

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS ESTUDANTIS - PROEXAE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE EXTENSÃO - PIBEX EDITAL Nº 006/2015 PROEXAE/UEMA

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS ESTUDANTIS - PROEXAE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE EXTENSÃO - PIBEX EDITAL Nº 006/2015 PROEXAE/UEMA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E ASSUNTOS ESTUDANTIS - PROEXAE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE EXTENSÃO - PIBEX EDITAL Nº 006/2015 PROEXAE/UEMA A Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis da Universidade

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO REGIONAL DCR/CEARÁ EDITAL FUNCAP/CNPq Nº 02/2012 DCR A FUNCAP, vinculada à Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior SECITECE, em parceria

Leia mais

EDITAL FORTIS 01/2013. FORTIS - Programa de Apoio aos Cursos Três e Quatro da UFV. Parceria UFV / FAPEMIG

EDITAL FORTIS 01/2013. FORTIS - Programa de Apoio aos Cursos Três e Quatro da UFV. Parceria UFV / FAPEMIG 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Campus Universitário - Viçosa, MG 36570 000 Tel: 31 3899-1480 Fax: 31 3899-2148 secretaria.ppg@ufv.br EDITAL

Leia mais

Edital de Seleção. Curso de Formação Inicial Continuada em Manejo Florestal Comunitário. (Turma 2015)

Edital de Seleção. Curso de Formação Inicial Continuada em Manejo Florestal Comunitário. (Turma 2015) Edital de Seleção Curso de Formação Inicial Continuada em Manejo Florestal Comunitário (Turma 2015) Belém Pará Novembro de 2014 Realização Página 2 de 9 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 4 3.

Leia mais

Portal PPBio Amazônia na Internet Relatório da versão 1.1 do Portal do PPBio Debora Drucker, Ana Carolina Pimenta, Ian Lawrence, Responsáveis

Portal PPBio Amazônia na Internet Relatório da versão 1.1 do Portal do PPBio Debora Drucker, Ana Carolina Pimenta, Ian Lawrence, Responsáveis Projeto Título Autoria e Portal PPBio Amazônia na Internet Relatório da versão 1.1 do Portal do PPBio Debora Drucker, Ana Carolina Pimenta, Ian Lawrence, Responsáveis Objetivos Público alvo Nome do arquivo

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE EXTENSÃO PIBEX EDITAL Nº

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE EXTENSÃO PIBEX EDITAL Nº PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE EXTENSÃO PIBEX EDITAL Nº 43 /2014 Segunda Chamada para seleção de bolsistas de Extensão para o período de 1º de junho de 2014 a 31

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009 TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultor (a) para desenvolver, treinar e implantar o Sistema de Gestão de Projetos do IBAMA. 2 JUSTIFICATIVA 2.1 Contextualização: O

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO DOU de 16/01/2014 (nº 11, Seção 1, pág. 26) Institui o Plano Nacional de

Leia mais

EDITAL FAPESB/SECTI/SEBRAE/IEL Apoio à Implantação de Cursos de Empreendedorismo 002/2006

EDITAL FAPESB/SECTI/SEBRAE/IEL Apoio à Implantação de Cursos de Empreendedorismo 002/2006 EDITAL FAPESB/SECTI/SEBRAE/IEL Apoio à Implantação de Cursos de Empreendedorismo 002/2006 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA O PROGRAMA BAHIA INOVAÇÃO REDE DE EMPREENDEDORISMO A Fundação de Amparo à Pesquisa

Leia mais

EDITAL Nº 035-2011/PROPP/UEMS Programa - CsF-SWG /CNPq

EDITAL Nº 035-2011/PROPP/UEMS Programa - CsF-SWG /CNPq EDITAL Nº 035-2011/PROPP/UEMS Programa - CsF-SWG /CNPq SELEÇÃO DE ALUNOS AO PROGRAMA INSTITUCIONAL CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS BOLSAS SANDUÍCHE NA GRADUAÇÃO CsF-SWG /CNPq 1. OBJETO A Pró-Reitora de Pesquisa

Leia mais

CHAMADA PARA SELEÇÃO DE BOLSA NA MODALIDADE APOIO CIENTÍFICO - RES

CHAMADA PARA SELEÇÃO DE BOLSA NA MODALIDADE APOIO CIENTÍFICO - RES CHAMADA PARA SELEÇÃO DE BOLSA NA MODALIDADE APOIO CIENTÍFICO - RES A Fundação Flora de Apoio à Botânica, com a anuência do Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, em consonância com a

Leia mais

CARTA-CONVITE A EMPRESAS USUÁRIAS DOS RECURSOS HÍDRICOS E A FABRICANTES DE INSUMOS E EQUIPAMENTOS VINCULADOS À ÁREA DE RECURSOS HÍDRICOS

CARTA-CONVITE A EMPRESAS USUÁRIAS DOS RECURSOS HÍDRICOS E A FABRICANTES DE INSUMOS E EQUIPAMENTOS VINCULADOS À ÁREA DE RECURSOS HÍDRICOS MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA CARTA-CONVITE A EMPRESAS USUÁRIAS DOS RECURSOS HÍDRICOS E A FABRICANTES DE INSUMOS E EQUIPAMENTOS VINCULADOS À ÁREA DE RECURSOS HÍDRICOS O MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS ASSESSORIA DE PROJETOS, CAPTAÇÃO DE RECURSOS E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA SEÇÃO DE PROJETOS E CAPTAÇÃO DE RECURSOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS ASSESSORIA DE PROJETOS, CAPTAÇÃO DE RECURSOS E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA SEÇÃO DE PROJETOS E CAPTAÇÃO DE RECURSOS EDITAL APCRIT Nº 01, DE 24 DE MARÇO DE 2010 SELEÇÃO DE BOLSISTAS PROJETO: RIDESA PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO APLICADOS AO SETOR SUCROALCOOLEIRO A Universidade Federal da Grande Dourados, mediante

Leia mais

APOIO AO PROGRAMA MULHERES SIM

APOIO AO PROGRAMA MULHERES SIM PROEX N º 05/2015/PROEX APOIO AO PROGRAMA MULHERES SIM EXECUÇÃO: 10 JULHO DE 2015 A 10 DE DEZEMBRO DE 2015. 1 PROEX Nº 05/2015 EDITAL PROGRAMA MULHERES SIM A Reitora do Instituto Federal de Santa Catarina,

Leia mais

EDITAL Nº 010 /2015 APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO

EDITAL Nº 010 /2015 APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO EDITAL Nº 010 /2015 APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO A DA FACAPE, com base na deliberação do Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão - CEPE, no uso de suas atribuições previstas no Decreto Lei 085/2009, torna

Leia mais

1º O PIPG compreende as seguintes ações:

1º O PIPG compreende as seguintes ações: RESOLUÇÃO N o 005, de 25 de fevereiro de 2013. Regulamenta o Programa de Incentivo à Pós-Graduação Stricto Sensu (PIPG) da UFSJ. A PRESIDENTE DO CONSELHO DIRETOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI

Leia mais

EDITAL N. 58/2015 INCENTIVO

EDITAL N. 58/2015 INCENTIVO EDITAL N. 58/2015 INCENTIVO À DIVULGAÇÃO E PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS, TECNOLÓGICOS E DE INOVAÇÃO POR SERVIDORES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA. A Direção Geral

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO A INCLUSÃO SOCIAL PESQUISA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA 2014

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO A INCLUSÃO SOCIAL PESQUISA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA 2014 Chamada de Projetos Pública 04/2014 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE APOIO A INCLUSÃO SOCIAL PESQUISA E EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA 2014 A Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA nº 2014.0721.00016-3

TERMO DE REFERÊNCIA nº 2014.0721.00016-3 TERMO DE REFERÊNCIA nº 2014.0721.00016-3 Ref.: Contratação de consultoria pessoa jurídica para elaboração e realização de capacitação em gestão institucional e gestão de projetos voltada para instituições

Leia mais