MESTRADO ACADÊMICO. 1. Proposta do programa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MESTRADO ACADÊMICO. 1. Proposta do programa"

Transcrição

1 MESTRADO ACADÊMICO Os projetos de cursos novos serão julgados por uma comissão de avaliação da área de antropologia/arqueologia com base nos dados obtidos pela aplicação dos critérios abaixo relacionados e na análise global do mérito do projeto. a) Perfil do Programa: a proposta deve apresentar uma articulação clara e coerente entre linhas de pesquisa, estrutura curricular, projetos de pesquisa e produção acadêmica, indicando o empenho do Programa em formar profissionais de alto nível. b) Atividades de formação: espera-se do Programa que proporcione uma sólida formação dos fundamentos teóricos, metodológicos e práticos da área. A estrutura curricular deve apresentar perspectivas pedagógicas claras e abrangentes, compatíveis com a disponibilidade docente e com as características institucionais dos cursos. Os programas das disciplinas necessitam apresentar bibliografia nacional e internacional adequada e atualizada. A proposta do Programa deve prever que o trabalho de orientação seja bem distribuído prioritariamente entre os docentes permanentes. c) Atividades de pesquisa: As linhas de pesquisa e projetos devem ser bem definidos, abrangentes em seu conjunto, e devem refletir as especialidades dos docentes, compreendendo diversos temas da área de concentração. É desejável que o Programa venha a desenvolver núcleos e laboratórios que articulem diferentes linhas e projetos de pesquisa. As atividades de pesquisa devem envolver alunos de graduação e pós-graduação, resultando em produção intelectual docente e discente. d) Recursos físicos: salas para coordenação e secretaria; salas de aula e pesquisa para docentes e alunos, acesso a uma biblioteca adequada (textos clássicos e contemporâneos da área, bibliografia atualizada em relação às linhas de pesquisa e periódicos reconhecidos pela área, nacionais e estrangeiros); recursos computacionais e Internet disponíveis para os corpos docente e discente. Nos casos em que a área de concentração requeira, serão necessários laboratórios, reservas técnicas e arquivos. 2. Corpo Docente 1

2 a) O corpo docente do Mestrado deve ser constituído, em sua totalidade, por professores/pesquisadores doutores. O curso deve contemplar um núcleo básico de no mínimo seis professores permanentes. Desses, pelo menos 70% devem ter regime de dedicação integral ao programa. b) Todos os docentes permanentes devem realizar atividades de ensino e orientação na graduação (quando existir), além daquelas desenvolvidas no programa de pósgraduação. c) A maioria dos docentes deve possuir uma formação que lhes permita dar aulas em diversas disciplinas das áreas básicas do Programa. De acordo com as características do Programa, a inclusão de Especialistas de áreas afins é recomendada. 3. Produção Acadêmica. a) A avaliação individual e conjunta do corpo docente nos últimos três anos levará em consideração a produtividade em atividades de pesquisa, veiculada em publicações e produção artístico-cultural (livros, artigos, vídeos, exposições, etc.), utilizando-se como instrumento de hierarquização o Qualis da área. Também será levada em consideração a produção técnica e aplicada. b) Recomenda-se uma distribuição equilibrada da produção entre os docentes do Programa. c) Os alunos devem ser encorajados a apresentar os resultados de suas pesquisas em congressos e publicações científicas. A qualidade da avaliação das dissertações e teses será garantida pela participação de membros externos ao Programa nas Bancas Examinadoras e pela diversidade interna das mesmas. 2

3 MESTRADO PROFISSIONAL No caso de mestrado profissional, a avaliação deverá considerar também o seu caráter específico adotando-se os seguintes critérios: a) Perfil do Programa: a proposta deve apresentar uma articulação clara e integrada com a área de antropologia e arqueologia. b) Atividades de Pesquisa: as linhas de pesquisa e projetos devem contemplar atividades práticas e teórico-práticas que possam ter impactos significativos sobre, entre outros, a gestão pública e privada de bens artístico-culturais, o desenvolvimento social e humano, a preservação ambiental, o marco jurídico relativo a direitos de populações tradicionais e grupos minoritários, contribuindo ao avanço global da área de Antropologia/ Arqueologia. 2. Produção acadêmica Dever-se-á conferir o mesmo peso às publicações acadêmicas e aos produtos técnicos advindos da atividade profissional à qual o mestrado está dirigido. 3

4 DOUTORADO Quando houver a abertura simultânea de mestrado e doutorado, prevalecerão os critérios para abertura de doutorado. Além das condições exigidas para a abertura de um curso de mestrado, para a abertura de um doutorado, exige-se: a) O doutorado na área deve ser avaliado em função de sua relevância cientifica, dentro de seu contexto institucional e regional. O doutorado deve ser articulado ao mestrado, representando um aprofundamento na formação teórica e na experiência de pesquisa. b) Os orientadores de doutorado (professores do Programa) devem possuir significativa experiência em orientação e ter uma sólida e regular produção intelectual na área. 2. Corpo docente a) Para iniciar suas atividades, um curso de Doutorado deve possuir um núcleo básico de no mínimo nove professores permanentes. Desses, pelo menos 70% devem ter regime de dedicação integral ao programa. b) Pelo menos quatro docentes do núcleo básico devem ter obtido o título de doutor há pelo menos 5 anos. 3. Produção Acadêmica. a) Os membros do corpo docente devem ter participação ativa em debates intelectuais de âmbito internacional, através de congressos, coletâneas, e revistas publicadas no exterior. Mais do que a quantidade de artigos e de livros produzidos será considerada a qualidade e a efetiva contribuição que a produção científica possa representar para a área. b) A produção acadêmica do corpo docente nos últimos cinco anos deve ser estável e bem distribuída entre os docentes, incluindo livros, capítulos de livros e artigos em periódicos nacionais de reconhecida qualidade científica com arbitragem de pares (utilizar-se-á como instrumento de hierarquização o Qualis da área). Considera-se 4

5 fundamental a apresentação regular de trabalhos nos principais eventos científicos da área. c) Os alunos devem ser encorajados a apresentar os resultados de suas pesquisas em congressos e publicações científicas. As teses e dissertações devem ser bem articuladas com as Linhas de Pesquisa do Programa. A qualidade da avaliação das dissertações e teses será garantida pela participação de membros externos ao Programa nas Bancas Examinadoras e pela diversidade interna das mesmas. d) A participação de alguns docentes em tarefas de natureza administrativa (coordenação de cursos e chefia de departamento) ou representativa (participação em conselhos acadêmicos) será considerada como fator positivo. 5

TABELA ÚNICA DE PONTUAÇÃO PARA JULGAMENTO DE TÍTULOS. Módulo I - Títulos Acadêmicos - Peso 0,5 (meio) Itens Pontuados

TABELA ÚNICA DE PONTUAÇÃO PARA JULGAMENTO DE TÍTULOS. Módulo I - Títulos Acadêmicos - Peso 0,5 (meio) Itens Pontuados SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Concurso Público de Provas e Títulos, para provimento de Cargos Docentes da Carreira do Magistério Superior (Professor Titular) TABELA ÚNICA DE

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA APCN - 2016

ORIENTAÇÕES PARA APCN - 2016 Identificação Área de Avaliação: Saúde Coletiva Coordenador de Área: Guilherme Loureiro Werneck (UERJ) Coordenador-Adjunto de Área: Hillegonda Maria Dutilh Novaes (USP) Coordenador-Adjunto de Mestrado

Leia mais

COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE HISTÓRIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012

COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE HISTÓRIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação 40.hist@capes.gov.br COMUNICADO n o 003/2012 ÁREA DE HISTÓRIA ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Concurso Público de Provas e Títulos, para provimento de Cargos Docentes da Carreira do Magistério Superior (Professor Adjunto) TABELA DE PONTUAÇÃO

Leia mais

DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DE DOUTORADO

DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DE DOUTORADO DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DE DOUTORADO 1) Apresentação Este documento descreve as diretrizes e parâmetros de avaliação de propostas de cursos

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO A PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA DAS FACULDADES INTEGRADAS EINSTEIN DE LIMEIRA PAPIC- EINSTEIN

PROGRAMA DE APOIO A PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA DAS FACULDADES INTEGRADAS EINSTEIN DE LIMEIRA PAPIC- EINSTEIN PROGRAMA DE APOIO A PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA DAS FACULDADES INTEGRADAS EINSTEIN DE LIMEIRA PAPIC- EINSTEIN EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS DO PAPIC- EINSTEIN Nº 01/2015 A Comissão Científica do

Leia mais

DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DE DOUTORADO

DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DE DOUTORADO DIRETRIZES E PARÂMETROS DE AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS NOVOS DE MESTRADO ACADÊMICO E DE DOUTORADO 1) Apresentação Este documento descreve as diretrizes e parâmetros de avaliação de propostas de cursos

Leia mais

CONCURSO 2011 EDITAL 06/2010.

CONCURSO 2011 EDITAL 06/2010. CONCURSO 2011 EDITAL 06/2010. BAREMA PARA AVALIAÇÃO DA PROVA DE TÍTULOS (Conforme Resolução 11/2010, do Conselho Universitário da UFBA) I. TÍTULOS ACADEMICOS N o DE PONTOS 01. Livre docência na área do

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR E PLANEJAMENTO EDUCACIONAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR E PLANEJAMENTO EDUCACIONAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR E PLANEJAMENTO EDUCACIONAL INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES AO EDITAL N 127, DE 09 DE SETEMBRO DE 2010, PUBLICADO NO

Leia mais

Cálculo da Pontuação nos concursos para Professor Adjunto:

Cálculo da Pontuação nos concursos para Professor Adjunto: SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Concurso Público de Provas e Títulos, para provimento de Cargos Docentes da Carreira do Magistério Superior (Professor Adjunto) TABELA DE PONTUAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Instituto de Geociências Departamento de Geologia

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Instituto de Geociências Departamento de Geologia 1.0 TÍTULOS ACADÊMICOS (PESO = 70)* 1.1. Curso doutorado ou livre docência 1.1.1 Em matéria (área) sob concurso 70 1.1.2 Em área correlata 50 1.2. Curso de mestrado 1.2.1 Em matéria (área) sob concurso

Leia mais

C O N C U R S O P Ú B L I C O P AR A D O C E N T E D O M AG I S T É R I O S U P E R I O R E D I T AL 0 1 / 2 013 DEPARTAMENTO DE GEOFÍSICA

C O N C U R S O P Ú B L I C O P AR A D O C E N T E D O M AG I S T É R I O S U P E R I O R E D I T AL 0 1 / 2 013 DEPARTAMENTO DE GEOFÍSICA INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS Rua Barão de Jeremoabo s/n Campus Universitário de Ondina Salvador Bahia CEP 40.170-290 Fones [71] 3283 8600 /Telefax [71] 3283 8601 C O N C U R S O P Ú B L I C O P AR A D O C

Leia mais

ENSINO SUPERIOR E REFORMULAÇÃO CURRICULAR

ENSINO SUPERIOR E REFORMULAÇÃO CURRICULAR SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE ENSINO DIRETORIA DE POLÍTICAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE CIRURGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE CIRURGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE CIRURGIA CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR EDITAL nº, de de setembro de 12, publicado no Diário Oficial

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PPG QUALISAÚDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PPG QUALISAÚDE EDITAL Nº 001/2016 do Mestrado Profissional Gestão da Qualidade em Serviços de Saúde (PPG QualiSaúde) de 07 de junho de 2016 para Credenciamento de Docentes A Coordenação do Programa de Pós-Graduação Gestão

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ENGENHARIA ELÉTRICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI TÍTULO I

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ENGENHARIA ELÉTRICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI TÍTULO I REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM ENGENHARIA ELÉTRICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FEI TÍTULO I DAS CARACTERÍSTICAS DO PROGRAMA E SEUS OBJETIVOS Art. 1º - Este Regulamento complementa

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO MATERNO INFANTIL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO MATERNO INFANTIL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO MATERNO INFANTIL CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DA CARREIRA DO MAGISTÉRIO SUPERIOR CLASSE

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTE DO MAGISTÉRIO SUPERIOR

CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTE DO MAGISTÉRIO SUPERIOR CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTE DO MAGISTÉRIO SUPERIOR EDITAL nº. 01/2016 Inclusão nº. 02 FACULDADE DE - UFBA Áreas de Conhecimento: Patrimônio cultural e políticas de preservação da arquitetura, do urbanismo

Leia mais

Mestrados Profissionais em Ensino: Características e Necessidades

Mestrados Profissionais em Ensino: Características e Necessidades Mestrados Profissionais em Ensino: Características e Necessidades Carlos Eduardo Aguiar Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física Instituto de Física, Universidade Federal do Rio de Janeiro www.if.ufrj.br/~pef/

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO MATERNO INFANTIL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO MATERNO INFANTIL SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO MATERNO INFANTIL CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 56, de 16 de junho de

Leia mais

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO EDITAL Nº 02/PPGEDU/2016

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO EDITAL Nº 02/PPGEDU/2016 UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO EDITAL Nº 02/PPGEDU/2016 CONTRATAÇÃO DE DOCENTE PARA O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO O Pró-Reitor Acadêmico

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE RESOLUÇÃO N o XX/0xx-CONSUP Natal (RN), xx de xx de 0xx. Aprova as Normas relativas à carga horária docente

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E HUMANAS CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA PROCESSO SELETIVO PARA O CARGO DE PROFESSOR EDITAL N 09/2016

PRÓ-REITORIA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E HUMANAS CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA PROCESSO SELETIVO PARA O CARGO DE PROFESSOR EDITAL N 09/2016 PRÓ-REITORIA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE E HUMANAS CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA PROCESSO SELETIVO PARA O CARGO DE PROFESSOR EDITAL N 09/2016 O Reitor da UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA (USS), no uso de suas atribuições,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIENCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE MEDICINA TROPICAL CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIENCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE MEDICINA TROPICAL CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIENCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE MEDICINA TROPICAL CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR EDITAL Nº 56 de 16 de JUNHO de 2016, publicado no

Leia mais

EDITAL N.º 248/2015 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL: SELEÇÃO DE TUTOR PET PRODUÇÃO E POLÍTICA CULTURAL

EDITAL N.º 248/2015 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL: SELEÇÃO DE TUTOR PET PRODUÇÃO E POLÍTICA CULTURAL EDITAL N.º 248/215 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL: SELEÇÃO DE TUTOR PET PRODUÇÃO E POLÍTICA CULTURAL A REITORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, considerando

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA APCN - 2016

ORIENTAÇÕES PARA APCN - 2016 Identificação Área de Avaliação: Medicina II Coordenador de Área: Paulo Hilário Nascimento Saldiva Coordenador-Adjunto de Área: Geraldo Brasileiro Filho Coordenador-Adjunto de Mestrado Profissional: Arnaldo

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO TERAPIA NUTRICIONAL EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA

EDITAL DE SELEÇÃO TERAPIA NUTRICIONAL EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA EDITAL DE SELEÇÃO CURSO DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL PARA NUTRICIONISTAS: TERAPIA NUTRICIONAL EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA A Universidade Corporativa do Hospital Mãe de Deus torna pública a abertura

Leia mais

Comissão de Pós-Graduação

Comissão de Pós-Graduação CRITÉRIOS DE SELEÇÃO MESTRADO 2012 PROGRAMA DE FONOAUDIOLOGIA 1. Avaliação teórica específica dissertativa, envolvendo temas relacionados aos Processos e Distúrbios da Comunicação (Peso 4). 2. Análise

Leia mais

Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação 06.bio1@capes.gov.br

Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação 06.bio1@capes.gov.br REQUISITOS PARA A CRIAÇÃO DE CURSOS NOVOS APCN 2016 As orientações contidas neste documento se referem a propostas de doutorado e de mestrado acadêmico e mestrado profissional. O documento considera a

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS SIMONSEN REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO RESOLUÇÃO Nº 1, DE 12 DE JULHO 2013.

FACULDADES INTEGRADAS SIMONSEN REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO RESOLUÇÃO Nº 1, DE 12 DE JULHO 2013. FACULDADES INTEGRADAS SIMONSEN REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO RESOLUÇÃO Nº 1, DE 12 DE JULHO 2013. A Resolução nº1, de julho de 2013, que estabelece seus objetivos no projeto de pesquisa,

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR VISITANTE PARA O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA AMBIENTAL PPG-CTA

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR VISITANTE PARA O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA AMBIENTAL PPG-CTA PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR VISITANTE PARA O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA PPG-CTA O Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental (PPGCTA)

Leia mais

1- Atividades e pesos atribuídos

1- Atividades e pesos atribuídos A comissão de avaliação da área de Ciências Biológicas II, utilizou na avaliação continuada de 2002, de maneira geral, os critérios já estabelecidos nas avaliações de 1998 e 2001. Apenas foram introduzidos

Leia mais

DIRETRIZES PARA ESTRUTURAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

DIRETRIZES PARA ESTRUTURAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DIRETRIZES PARA ESTRUTURAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO INTRODUÇÃO O curso de Engenharia de Produção da Escola Superior de Tecnologia e Educação de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE BELAS ARTES

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE BELAS ARTES 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE BELAS ARTES BAREMA PARA AVALIAÇÃO DA PROVA DE TÍTULOS DOS CONCURSOS E SELEÇÕES PÚBLICAS Aprovado pela Congregação da EBA/UFBA em 29/03/2012 1. TÍTULOS ACADÊMICOS

Leia mais

PROJETO BÁSICO DE CURSO EM EaD. JUSTIFICATIVA (análise de cenário / análise das características da Instituição):

PROJETO BÁSICO DE CURSO EM EaD. JUSTIFICATIVA (análise de cenário / análise das características da Instituição): PROJETO BÁSICO DE CURSO EM EaD JUSTIFICATIVA (análise de cenário / análise das características da Instituição): - Objetivos da Instituição; - Programas da Instituição (citar, indicar em que fase estão

Leia mais

Renovação do Credenciamento do Programa de Pós-Graduação em Física(níveis de Mestrado e Doutorado).

Renovação do Credenciamento do Programa de Pós-Graduação em Física(níveis de Mestrado e Doutorado). SOCIEDADE CIVIL FACULDADES CATÓLICAS Renovação do Credenciamento do Programa de Pós-Graduação em Física(níveis de Mestrado e Doutorado). Arnaldo Niskier I - RELATÓRIO 0 curso de Pós-Graduação em Física

Leia mais

NOME DO CURSO: A Gestão do Desenvolvimento Inclusivo da Escola Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância. Parte 1 Código / Área Temática

NOME DO CURSO: A Gestão do Desenvolvimento Inclusivo da Escola Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância. Parte 1 Código / Área Temática NOME DO CURSO: A Gestão do Desenvolvimento Inclusivo da Escola Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância Parte 1 Código / Área Temática Código / Nome do Curso Etapa de ensino a que se destina Educação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 001 - CPG, DE 17 DE MAIO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº. 001 - CPG, DE 17 DE MAIO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº. 001 - CPG, DE 17 DE MAIO DE 2013. Estabelece critérios para o credenciamento, descredenciamento, recredenciamento, enquadramento e habilitação de docentes, bem como a coorientação no âmbito

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA

ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA O artigo 8º da RESOLUÇÃO CNE/CES 2, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2002 do CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR institui que o projeto pedagógico

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO DEPARTAMENTO DE LETRAS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO DEPARTAMENTO DE LETRAS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO DEPARTAMENTO DE LETRAS CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 04, de 10 de fevereiro de

Leia mais

EDITAL Nº. 10/12 - DG TESTE SELETIVO PARA A CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR COLABORADOR I

EDITAL Nº. 10/12 - DG TESTE SELETIVO PARA A CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR COLABORADOR I EDITAL Nº. 10/12 - DG TESTE SELETIVO PARA A CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR COLABORADOR I O Diretor Geral das Faculdades Integradas do Brasil torna público que estão abertas as inscrições para o teste seletivo

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GABINETE DO SECRETÁRIO EDITAL Nº. 002/2010

PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GABINETE DO SECRETÁRIO EDITAL Nº. 002/2010 Processo Seletivo Simplificado para preenchimento de cargos em caráter temporário, com fulcro na Lei Municipal nº 6.690/2005 que alterou o art. 4º, da Lei Municipal nº 4.302/1994 e no Decreto 5727/2008,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO SOBRE A ORGANIZAÇÃO DA PESQUISA DO CNM

REGIMENTO INTERNO SOBRE A ORGANIZAÇÃO DA PESQUISA DO CNM 1 REGIMENTO INTERNO SOBRE A ORGANIZAÇÃO DA PESQUISA DO CNM DISPÕE SOBRE A PROPOSIÇÃO, ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES DE PESQUISA NO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

5.1 Processo de Avaliação de Organizações Prestadoras de Serviços Hospitalares O processo de avaliação e visita deve ser orientado pela aplicação do

5.1 Processo de Avaliação de Organizações Prestadoras de Serviços Hospitalares O processo de avaliação e visita deve ser orientado pela aplicação do 5. PROCEDIMENTOS 5.1 Processo de Avaliação de Organizações Prestadoras de Serviços Hospitalares O processo de avaliação e visita deve ser orientado pela aplicação do Manual Brasileiro de Acreditação das

Leia mais

EDITAL N 002/2015 CURSO DE BIOLOGIA (EaD) SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIO

EDITAL N 002/2015 CURSO DE BIOLOGIA (EaD) SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS CÂMPUS DE PORTO NACIONAL CURSO DE LICENCIATURA EM BIOLOGIA (EaD) Rua 03, Quadra 17, s/nº, Jardim dos Ipês 77500-000 Porto Nacional/TO (63) 2112-2216 www.uft.edu.br coordbioead@uft.edu.br

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UNIRIO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UNIRIO RESOLUÇÃO N.o 2628, DE 08 DE SETEMBRO DE 2005 Dispõe sobre a regulamentação das Atividades Complementares nos currículos dos Cursos de Graduação da UNIRIO. o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, em

Leia mais

REGIMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGIMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES FACULDADE MARECHAL RONDON REGIMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES ENFERMAGEM São Manuel 2016 1 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DA FMR As Atividades Complementares, conforme

Leia mais

Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2013-PPGCF/UNICENTRO - UEPG Regulamentar os critérios para o credenciamento, recredenciamento e descredenciamento de docentes no Programa de Pós-Graduação em Considerando a Reunião

Leia mais

Norma para Trabalho de Conclusão de Curso em. CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares

Norma para Trabalho de Conclusão de Curso em. CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares Norma para Trabalho de Conclusão de Curso em Engenharia Elétrica Robótica e Automação Industrial CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares Art. 1 Art. 2 A presente norma tem como objetivo regulamentar a

Leia mais

EDITAL EXTRAORDINÁRIO PARA O PROCESSO DE SELEÇÃO DE DOCENTES CONSTITUIÇÃO DE CADASTRO 2016/2

EDITAL EXTRAORDINÁRIO PARA O PROCESSO DE SELEÇÃO DE DOCENTES CONSTITUIÇÃO DE CADASTRO 2016/2 Torno público que estão abertas, no período de 18 à 25/08/2016, as inscrições para a seleção de docentes da UNICASTELO, constantes no item 1 deste Edital, para a constituição de cadastro. 1. DAS VAGAS

Leia mais

ÁREA: ARQUITETURA E URBANISMO + DESIGN

ÁREA: ARQUITETURA E URBANISMO + DESIGN MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação ÁREA: ARQUITETURA E URBANISMO + DESIGN TRIÊNIO 2008-2010 Coordenador: Benamy Turkienicz (UFRGS)

Leia mais

CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

CAPÍTULO II DOS OBJETIVOS DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Versão final MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA O ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA DA UNOESC CAPÍTULO I DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Art. 1º O Estágio Curricular Supervisionado

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO (PAE)

PLANO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO (PAE) Núcleo de Apoio à Prática Profissional das Licenciaturas CURSOS DE LICENCIATURAS PLANO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO (PAE) ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO Atualizado em 17 jun 2016 5º. PERÍODO 4º. PERÍODO

Leia mais

Possibilidades da EAD na formação continuada de professores centrada no protagonismo docente. Janeiro, 2014

Possibilidades da EAD na formação continuada de professores centrada no protagonismo docente. Janeiro, 2014 Possibilidades da EAD na formação continuada de professores centrada no protagonismo docente Janeiro, 2014 Questão Central Que possibilidades a EAD fornece para o aperfeiçoamento das ações de formação

Leia mais

ANEXO V QUADRO DE ATRIBUIÇÃO DE PONTOS PARA AVALIAÇÃO DE TÍTULOS.

ANEXO V QUADRO DE ATRIBUIÇÃO DE PONTOS PARA AVALIAÇÃO DE TÍTULOS. GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAPÁ EDITAL N. 043/23 CONCURSO PÚBLICO PARA O PROVIMENTO DE VAGAS DOS CARGOS DO QUADRO DE PESSOAL EFETIVO DE DOCENTES DA UEAP ANEXO V QUADRO DE ATRIBUIÇÃO

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PÓS-DOUTORADO EM BIOCIÊNCIAS E BIOTECNOLOGIA 2013 PELO PNDP-CAPES Instituto Carlos Chagas / FIOCRUZ

PROCESSO SELETIVO PÓS-DOUTORADO EM BIOCIÊNCIAS E BIOTECNOLOGIA 2013 PELO PNDP-CAPES Instituto Carlos Chagas / FIOCRUZ PROCESSO SELETIVO PÓS-DOUTORADO EM BIOCIÊNCIAS E BIOTECNOLOGIA 2013 PELO PNDP-CAPES / FIOCRUZ O da Fundação Oswaldo Cruz (ICC/FIOCRUZ, Curitiba, PR) torna público, para conhecimento dos interessados, o

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS (UFLA) CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DO MESTRADO E DOUTORADO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS (UFLA) CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DO MESTRADO E DOUTORADO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS (UFLA) DEPARTAMENTO DE ADMINSITRAÇÃO E ECONOMIA (DAE) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO (PPGA) CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DO MESTRADO E DOUTORADO O processo de seleção

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 003 / 2015

RESOLUÇÃO Nº 003 / 2015 RESOLUÇÃO Nº 003 / 2015 EMENTA: Dispõe sobre os Planos Individuais de Trabalho (PIT) Docente, o Regimes e Horários de Trabalho e a distribuição da Carga Horária do Docentes da Faculdade de Comunicação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 181 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011.

RESOLUÇÃO Nº. 181 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. RESOLUÇÃO Nº. 181 DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer nº76/2011

Leia mais

Normas do Programa de Pós-Graduação em Turismo - PPTUR I COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP)

Normas do Programa de Pós-Graduação em Turismo - PPTUR I COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) Normas do Programa de Pós-Graduação em Turismo - PPTUR I COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO COORDENADORA DE PROGRAMA (CCP) A Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Turismo é constituída por 04 (quatro)

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 05, de 11 de fevereiro

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO BOLSAS DEMANDA SOCIAL/2013

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO BOLSAS DEMANDA SOCIAL/2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS CENTRO DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS HUMANAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL EDITAL DO PROCESSO SELETIVO BOLSAS DEMANDA SOCIAL/2013 O Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Doutoramento em Educação Especialização: Administração e Política Educacional (Regime Intensivo) 16 17 Edição Instituto de Educação

Leia mais

TABELA DE PONTUAÇÃO PARA PROVA DE TÍTULOS

TABELA DE PONTUAÇÃO PARA PROVA DE TÍTULOS ANEXO IV TABELA DE PONTUAÇÃO PARA PROVA DE TÍTULOS Títulos acadêmicos; atividades de ensino; atividades administrativas/profissionais; produção científica, técnica e/ou cultural, literária, filosófica

Leia mais

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE ENSINO DA MARINHA DIVISÃO DE CURRÍCULOS PROGRAMA DE LEITURA PARA O CORPO DISCENTE DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO DA MB

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE ENSINO DA MARINHA DIVISÃO DE CURRÍCULOS PROGRAMA DE LEITURA PARA O CORPO DISCENTE DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO DA MB DIRETORIA DE ENSINO DA MARINHA DIVISÃO DE CURRÍCULOS PROGRAMA DE LEITURA PARA O CORPO DISCENTE DAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO DA MB 1.1 - PROPÓSITO Estabelecer normas para a execução do programa de leitura

Leia mais

PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS PESQUISADORES DA UEL, NA ÁREA DE AGRONOMIA: TRABALHOS PUBLICADOS EM EVENTOS DE 2004 A 2008.

PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS PESQUISADORES DA UEL, NA ÁREA DE AGRONOMIA: TRABALHOS PUBLICADOS EM EVENTOS DE 2004 A 2008. PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS PESQUISADORES DA UEL, NA ÁREA DE AGRONOMIA: TRABALHOS PUBLICADOS EM EVENTOS DE 2004 A 2008. Karina de Oliveira Pinho (PIBIC/ UEL), Ana Esmeralda Carelli (Orientador), e-mail: carelliana@uel.br

Leia mais

Reforço em Matemática. Professora Daniela Eliza Freitas. Disciplina: Matemática

Reforço em Matemática. Professora Daniela Eliza Freitas. Disciplina: Matemática Reforço em Matemática Professora Daniela Eliza Freitas Disciplina: Matemática PROPOSTA PEDAGÓGICA Justificativa: Existe um grande número de alunos que chegam no ensino médio sem saberem a matemática básica

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 03/2008

EDITAL PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 03/2008 EDITAL PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 03/2008 O Uni-FACEF Centro Universitário de Franca, representado por seu Vice-Reitor, Prof. Dr. Alfredo José Machado Neto, no exercício da Reitoria, no uso das

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE AGRONOMIA ELISEU MACIEL DEPARTAMENTO DE FITOSSANIDADE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FITOSSANIDADE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE AGRONOMIA ELISEU MACIEL DEPARTAMENTO DE FITOSSANIDADE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FITOSSANIDADE UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE AGRONOMIA ELISEU MACIEL DEPARTAMENTO DE FITOSSANIDADE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FITOSSANIDADE PROCESSO SELETIVO - PNPD - 2010 A Coordenação do Programa de

Leia mais

EDITAL BOM NEGOCIO PARANÁ 009/2015 BOM NEGÓCIO PARANÁ UNIVERSIDADE SEM FRONTEIRAS 1 DAS VAGAS, DEDICAÇÃO AO PROJETO, VALOR E DURAÇÃO DA BOLSA.

EDITAL BOM NEGOCIO PARANÁ 009/2015 BOM NEGÓCIO PARANÁ UNIVERSIDADE SEM FRONTEIRAS 1 DAS VAGAS, DEDICAÇÃO AO PROJETO, VALOR E DURAÇÃO DA BOLSA. EDITAL BOM NEGOCIO PARANÁ 009/2015 BOM NEGÓCIO PARANÁ UNIVERSIDADE SEM FRONTEIRAS REPUBLICADO EDITAL COM ALTERAÇÕES EM DESTAQUE. A Universidade Estadual do Norte do Paraná, por meio da Pró-Reitoria de

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

REGULAMENTO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA REGULAMENTO DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA CAPÍTULO I - DOS PRINCÍPIOS Art. 1º. O Programa de Iniciação Científica tem como princípios: a) possibilitar os contatos iniciais

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA SELEÇÃO DE BOLSISTA N 16/2016. Bolsa de Desenvolvimento para Inovação Tecnológica

TERMO DE REFERÊNCIA PARA SELEÇÃO DE BOLSISTA N 16/2016. Bolsa de Desenvolvimento para Inovação Tecnológica TERMO DE REFERÊNCIA PARA SELEÇÃO DE BOLSISTA N 16/2016 Bolsa de Desenvolvimento para Inovação Tecnológica Área de Concentração em Desenvolvimento Estrutural de CTI Linha de Desenvolvimento de CTI Popularização

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO REGULAMENTO DO TRABALHO DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º Este Regulamento estabelece a normatização das disciplinas de

Leia mais

TESTE SELETIVO PARA A CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR EDITAL Nº 16/2016

TESTE SELETIVO PARA A CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR EDITAL Nº 16/2016 EDITAL Nº 16/2016 O Reitor do Centro Universitário Autônomo do Brasil, UniBrasil torna público que estão abertas as inscrições para o teste seletivo de contratação de professor para as disciplinas de Resistência

Leia mais

Edital Nº04/2008 Seleção de Tutores a Distância para os cursos de:

Edital Nº04/2008 Seleção de Tutores a Distância para os cursos de: Edital Nº04/2008 Seleção de Tutores a Distância para os cursos de: Gestão do Meio Ambiente: Educação, Direito e Análise Ambiental; Gestão Pública Municipal Integrada; Tecnologia de Informação e Comunicação

Leia mais

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DO SISTEMA TERRESTRE

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DO SISTEMA TERRESTRE REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DO SISTEMA TERRESTRE TÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO Art. 1 - O Curso de Doutorado em Ciência do Sistema Terrestre do INPE tem como objetivo a formação de recursos

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTOAVALIAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL 2014/01 a 2014/02 APRESENTAÇÃO O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES,

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTA DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS- DOUTORADO-PNPD/CAPES 2016

EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTA DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS- DOUTORADO-PNPD/CAPES 2016 EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSISTA DO PROGRAMA NACIONAL DE PÓS- DOUTORADO-PNPD/CAPES 2016 BOLSA DE PÓS-DOUTORADO JUNTO AO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL DO CCTA/UENF O Programa de Pós-Graduação

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO PIBID/FAI 2014 Edital 04/2014 Dados do Docente Escola: Nome: CPF: RG: Endereço: Cidade: Telefone: Celular: Email: Área(s) onde o professor concorrerá: Ensino Infantil ( ) Pedagogia Ensino

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE BIBLIOTECONOMIA E COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE BIBLIOTECONOMIA E COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE BIBLIOTECONOMIA E COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO RESOLUÇÃO 01/2016 O Conselho do Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Leia mais

Regimento de Atividades Complementares do Bacharelado em Artes Cênicas da Universidade Federal de Santa Catarina.

Regimento de Atividades Complementares do Bacharelado em Artes Cênicas da Universidade Federal de Santa Catarina. Regimento de Atividades Complementares do Bacharelado em Artes Cênicas da Universidade Federal de Santa Catarina. CAPÍTULO I Das Disposições Iniciais Art.1º - Observando o disposto no Artigo 08º da Resolução

Leia mais

Edital ICESP/PROMOVE: 01/2016 - Programa Institucional Interno de Criação, Consolidação e Apoio a Grupos de Pesquisa

Edital ICESP/PROMOVE: 01/2016 - Programa Institucional Interno de Criação, Consolidação e Apoio a Grupos de Pesquisa Edital ICESP/PROMOVE: 0/06 - Programa Institucional Interno de Criação, Consolidação e Apoio a Grupos de Pesquisa A Faculdade ICESP/Faculdades Integradas Promove de Brasília (ICESP / PROMOVE), por intermédio

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA/FISIOLOGIA VEGETAL

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA/FISIOLOGIA VEGETAL REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA/FISIOLOGIA VEGETAL O Programa de Pós-Graduação em Agronomia, com área de concentração em Fisiologia Vegetal (PPGFV), nos níveis de mestrado e de doutorado,

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Belo Horizonte

Faculdade de Tecnologia SENAI Belo Horizonte PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU FATEC SENAI BH A Faculdade de Tecnologia SENAI Belo Horizonte, credenciada pelo MEC pela Portaria n 1788 de 27 de maio de 2005 e despacho SEMTEC nº 311/2005, apresenta

Leia mais

EDITAL Nº 260/2013 COLÉGIO METODISTA AMERICANO EDITAL DE SELEÇÃO DE DOCENTE

EDITAL Nº 260/2013 COLÉGIO METODISTA AMERICANO EDITAL DE SELEÇÃO DE DOCENTE EDITAL Nº 260/23 COLÉGIO METODISTA AMERICANO EDITAL DE SELEÇÃO DE DOCENTE A Vice-Direção Acadêmica do e a Gestão de Pessoas, no uso de suas atribuições, tornam público o PROCESSO SELETIVO DE PROFESSORES

Leia mais

TABELA DE ATIVIDADES E CRÉDITOS

TABELA DE ATIVIDADES E CRÉDITOS Folha: 01/ ATENÇÃO! Atividade Complementar é um componente curricular que atende a LDB 9394/96 do MEC e a Resolução 0 de 02/09/20, portanto o aluno deve cumprir as exigências de acordo com seu currículo.

Leia mais

Concessão de vaga de Professor Titular

Concessão de vaga de Professor Titular Concessão de vaga de Professor Titular Concessão de vaga de Professor Titular RESOLUÇÃO N o 11/2011, DE 22 DE MARÇO DE 2011 Reedita, com alterações, a Resolução n o 11/2005, de 13/12/2005, que estabelece

Leia mais

PROJETO DE SOLICITAÇÃO DE DISCIPLINA NO PROGRAMA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PID/2015

PROJETO DE SOLICITAÇÃO DE DISCIPLINA NO PROGRAMA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PID/2015 PROJETO DE SOLICITAÇÃO DE DISCIPLINA NO PROGRAMA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PID/2015 I. Professor orientador: Leonardo Santos Bordoni. II. Disciplina de atuação: Anatomia do Aparelho Locomotor. III. Justificativa

Leia mais

SELEÇÃO INTERNA DE PROFESSORES. Curso de Marketing EDITAL DE SELEÇÃO

SELEÇÃO INTERNA DE PROFESSORES. Curso de Marketing EDITAL DE SELEÇÃO SELEÇÃO INTERNA DE PROFESSORES Curso de Marketing EDITAL DE SELEÇÃO O coordenador do curso de Marketing, Prof. Cláudio José Faleiros, nos termos das regras fixadas pela Pró-Reitoria de Graduação do Uni-BH,

Leia mais

Art. 6 As atividades descritas no artigo anterior compreendem quatro grupos descritos a seguir e têm a pontuação descrita na tabela em anexo:

Art. 6 As atividades descritas no artigo anterior compreendem quatro grupos descritos a seguir e têm a pontuação descrita na tabela em anexo: ANEXO IV REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Art. 1º As Atividades Complementares do Curso de Arquitetura e Urbanismo, como parte integrante do currículo, constituem atividades extraclasse, desenvolvidas

Leia mais

Interdisciplinar II Módulo CST: GESCOM

Interdisciplinar II Módulo CST: GESCOM UniãoMetropolitana deeducaçãoecultura Interdisciplinar II Módulo CST: GESCOM Lauro de Freitas - BAHIA 2013 2 JUSTIFICATIVA A principal justificativa para o desenvolvimento e implementação do projeto interdisciplinar

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOLOGIA VEGETAL ADITIVO A RESOLUÇÃO Nº 02 DO PPGFV/UFLA

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOLOGIA VEGETAL ADITIVO A RESOLUÇÃO Nº 02 DO PPGFV/UFLA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOLOGIA VEGETAL ADITIVO A RESOLUÇÃO Nº 02 DO PPGFV/UFLA Este aditivo modifica o Art. 2º da Resolução nº 2 de 05 de maio de 2009 que estabelece critérios para seleção de

Leia mais

SELEÇÃO INTERNA DE PROFESSORES. Curso de Ciências Biológicas EDITAL DE SELEÇÃO

SELEÇÃO INTERNA DE PROFESSORES. Curso de Ciências Biológicas EDITAL DE SELEÇÃO SELEÇÃO INTERNA DE PROFESSORES Curso de Ciências Biológicas EDITAL DE SELEÇÃO O(a) coordenador(a) do curso de Ciências Biológicas, Prof(a). Junia de Sousa Franco, nos termos das regras fixadas pela Pró-Reitoria

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MINEIROS

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MINEIROS CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MINEIROS DEPARTAMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES SUPERVISIONADOS OBRIGATÓRIOS, TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (T.C.C) E ATIVIDADES COMPLEMENTARES MANUAL PRÁTICO MINEIROS - GOIÁS 2014

Leia mais

REGULAMENTO DE MONITORIA DA AEMS FACULDADES INTEGRADAS DE TRÊS LAGOAS - AEMS

REGULAMENTO DE MONITORIA DA AEMS FACULDADES INTEGRADAS DE TRÊS LAGOAS - AEMS REGULAMENTO DE MONITORIA DA AEMS - AEMS A Faculdades Integradas de Três Lagoas - AEMS, mantida pela Associação de Ensino e Cultura de Mato Grosso do Sul, em respeito aos seus projetos pedagógicos, oferece

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI Nº 6.370, DE 13 DE DEZEMBRO DE 1993 - D.O. 13.12.93.

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE SERVIÇOS LEGISLATIVOS LEI Nº 6.370, DE 13 DE DEZEMBRO DE 1993 - D.O. 13.12.93. Autor: Poder Executivo LEI Nº 6.370, DE 13 DE DEZEMBRO DE 1993 - D.O. 13.12.93. * Cria a Carreira de Tecnologia Ambiental. (*Revogada pela Lei n 7.290 D.O..06.00). A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE

Leia mais

AVALIAÇÃO TRIENAL DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA DA FURB (2004-2006)

AVALIAÇÃO TRIENAL DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA DA FURB (2004-2006) Universidade Regional de Blumenau Centro de Ciências Exatas e Naturais Departamento de Química Programa de Pós-Graduação em Química AVALIAÇÃO TRIENAL DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA DA FURB (2004-2006)

Leia mais

DOCUMENTO DE ÁREA 2013

DOCUMENTO DE ÁREA 2013 Identificação Área de Avaliação: EDUCAÇÃO Coordenadora de Área: Clarilza Prado de Sousa (PUC-SP) Coordenadora - Adjunta de Área: Marlucia Menezes de Paiva (UFRN) Coordenadora - Adjunta de Mestrado Profissional

Leia mais

Atualização Aperfeiçoamento Produção Profissional. natureza inerente. Temas transversais - cidadania. Teoria, metodologia e gestão.

Atualização Aperfeiçoamento Produção Profissional. natureza inerente. Temas transversais - cidadania. Teoria, metodologia e gestão. EVOLUÇÃO FUNCIONAL VIA NÃO-ACADÊMICA Decreto nº 49394, de 22/02/2005 D.O.E. de 23/02/2005, Poder Executivo, Seção I, p. 3. CAMPO DE ATUAÇÃO FATORES Atualização Aperfeiçoamento Produção Profissional Indicadores

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 912 de 13 de dezembro de 2011.

LEI COMPLEMENTAR Nº 912 de 13 de dezembro de 2011. LEI COMPLEMENTAR Nº 912 de 13 de dezembro de 2011. ANEXO VIII TABELAS DE FORMAS DE AVALIAÇÃO PARA FINS DE CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS PARA EVOLUÇÃO VERTICAL Agente Administrativo funções no cargo; cargo

Leia mais