IX CURSO DE ATUALIZAÇÃO LAVOURA CAFEEIRA MANEJO TECNOLÓGICO DA LAVOURA CAFEEIRA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IX CURSO DE ATUALIZAÇÃO LAVOURA CAFEEIRA MANEJO TECNOLÓGICO DA LAVOURA CAFEEIRA"

Transcrição

1 IX CURSO DE ATUALIZAÇÃO LAVOURA CAFEEIRA MANEJO TECNOLÓGICO DA LAVOURA CAFEEIRA

2 MANEJO DA COLHEITA E RECOLHEITA MECANIZADA DO CAFÉ NO SUL DE MINAS. Juliano Mendonça Araujo Eng. Agrônomo

3 - Aspectos gerais - Aspectos técnico/operacionais - Aspectos econômicos - Resultados:Fazenda Rancho Fundo

4 -Qual a melhor máquina de recolher -café do chão?

5

6 - Processo mais simples; - Maior evolução no processo; - Opção por terceirização do serviço;

7 - Espaçamento - Alinhamento - Áreas de manobra - Variedades - Equilíbrio nutricional/manejo fitossanitário - Manejo de podas - Sistematização do solo - Manejo da cobertura vegetal

8 - Entre linhas: 1,6m a 4,0m - Entre plantas: 0,5m a 1,0m (renque)

9 - Maior tamanho de ruas possível - Reta curta X Curva longa - Posicionamento das linhas em relação ao declive - Orientação em relação ao sol

10 - 7,0m Ideal - Praças de manobra

11

12 - Maturação(precoce,média,tardia) - Uniformidade de maturação. - Porte baixo - Uniformidade de porte - Arquitetura da planta - Força de adesão dos frutos

13

14

15 - PLANTAS BEM NUTRIDAS SÃO MAIS FLEXÍVEIS - PLANTAS SADIAS: MENOR DESFOLHA,MAIOR FLEXIBILIDADE

16 - Controle da arquitetura das plantas - Aumento da flexibilidade dos ramos

17

18 - Facilidade de trânsito do maquinário

19 - Diminuição da compactação - Munch mato absorve impacto das máquinas

20 - COLHER O MÁXIMO POSSÍVEL,O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL,DANIFICANDO O MÍNIMO POSSÍVEL A PLANTA.

21 - Vibração - Agressão - Velocidade - Ajuste da velocidade dos transportadores - Altura das hastes X Altura do cafeeiro - Tamanho das hastes/distância entre as hastes - Distancia entre os eixos osciladores - Abanação

22 - Cada máquina possui um regime de vibração - Menor nº hastes / maior concentração vibração - Flanges de alumínio/maior poder de derriça com a mesma vibração no eixo oscilador

23 - Agressão mecânica X Agressão hidráulica - Agressão mecânica: maiores recursos de ajuste em condições extremas - Ajuste subjetivo,depende muito da experiência do operador/técnico

24 - 600 m/hora a 2000 m/hora - Derriça X Recolhimento

25 -Ajuste conjugado X Ajuste independente - Ajuste independente aumenta a capacidade de recolhimento

26 - Muitas importante em plantas jovens e/ou vindas de poda - Aumenta eficiência de colheita - Maior vibração e agressão(cuidado!)

27

28

29

30

31

32 - MATÃO - TDI - TDI MINI - JACTO K-3 MILLENIUM - CASE - KORVAN - VITAL

33 - CONJUNTO = TRATOR+COLHEDORA

34 - Peso - Raio de giro - Escalonamento de velocidade - Consumo - Vazão da bomba hidráulica - Assistência técnica/pós-venda

35 Propriedade A : ha de café: 100% mecanizável. muito plana (decliv.< ou = 10% ). espaç. Largo : 3,5 a 4,0 m. entre linhas. -Podas sistemáticas. -Duas passadas -Estrutura de pós-colheita: l/semana. -CD, VD, BD.

36 Propriedade B: -200 ha de café ha mecanizáveis. -Espaç.Misto: -(20 ha semi-adens./topog. irregular). -(180 ha largos-topog. plana). -Alguns talhões com lavouras muito altas. -Duas passadas. -Podas sistemáticas. -Estrutura de pós-colheita: l/semana. CD,VD,BD.

37 Propriedade C : -500 ha de café ha mecanizáveis ha topografia plana (até 10%) -80 ha topografia. Média (10 a 20%) -20 ha topog. Inclinada (20 a 30%) -Espaç. 3,5m. (100%) acaiá (80%). -Duas passadas. -Podas sistemáticas. -Estrutura de pós-colheita: l/semana

38 Propriedade D : -50 ha de café. -50 ha mecanizáveis. -50 ha topografia plana (até 10%) -Duas passadas.(200 h/m/ano) -Podas sistemáticas. -Estrutura de pós-colheita: l/semana.

39 - Processo muito mais complexo; - Maior qualificação e empenho da equipe; - Necessidade de limpeza embaixo das plantas; - Maior influência da umidade do solo no processo (chuvas, orvalho); - Maior influência da temperatura no processo; - Menor período de trabalho durante a safra; - Adequação da estrutura de pós colheita;

40 - Necessidade de uma melhor implantação da lavoura

41 - Sistematização do solo

42 - Vídeo

43 - Diminuição da eficiência da mão-de-obra - Aumento do custo do transporte - Aumento da fiscalização trabalhista

44 Salário mínimo + 345% Custo da máquina +272% SALÁRIO X MÁQUINA + 27%

45

46 SUCÇÃO X RECOLHIMENTO MECÂNICO

47 Posicionamento do Café Centro da rua X projeção da Copa -Vídeo

48 Abanação Mecânica X Pneumática

49 Assistência Técnica/ Desenvolvimento - Disponibilidade de peças de reposição - Disponibilidade de mecânicos - Possibilidade de evolução técnica dos equipamentos

50 Desenvolvimento Tecnológico

51

52 Propriedade: Juliano Mendonça Araujo e Irmãos Localização: Campos Gerais Sul de Minas Gerais Brasil Área de café: 170 Ha.

53

54

55

56 DEPRECIAÇÃO (R$/hm) MANUTENÇÃO (R$/hm) COMBUSTÍVEL (R$/hm) OPERAÇÃO (R$/hm) TOTAL (R$/hm) TRATOR R$ 6,00 R$ 5,00 R$ 10,00 R$ 9,00 R$ 30,00 DRAGÃO ECO R$ 12,00 R$ 5,00 R$ 17,00 CONJUNTO R$ 47,00

57 OPERAÇÃO TOTAL(safra 2009) UNIDADE CUSTO/ UNID. CUSTO TOTAL/ha DRAGÃO ECO (hm/ha) 3,7 47,00 173,90 ENLEIRAMENTO (hm/ha) 2,51 15,00 37,65 APOIO (sd/ha) 1,1 52,00 57,20 TOTAIS 268,75 CUSTO POR SACA R$72,63

58 = Conceitos Científicos + Tecnologia + Criatividade + Prática

59 O planejamento é umas das atividades intelectuais mais complexas e difícies na qual um homem pode se envolver! (Russel L. Ackoff )

60 Juliano Mendonça Araujo Cel.: (0xx35)

13º Curso de Atualização

13º Curso de Atualização 13º Curso de Atualização Manejo Tecnológico da Lavoura Cafeeira Desafios da Assistência Técnica na Cafeicultura Gustavo Rennó Reis Almeida Engenheiro Agrônomo - MSc. Varginha 15 de julho de 2015 Consultoria

Leia mais

COLHEITA MECANIZADA DE CAFÉ DO CHÃO ALINO PEREIRA DUARTE ENGENHEIRO AGRÔNOMO ADMINISTRADOR DA FAZENDA DONA NENEM

COLHEITA MECANIZADA DE CAFÉ DO CHÃO ALINO PEREIRA DUARTE ENGENHEIRO AGRÔNOMO ADMINISTRADOR DA FAZENDA DONA NENEM COLHEITA MECANIZADA DE CAFÉ DO CHÃO ALINO PEREIRA DUARTE ENGENHEIRO AGRÔNOMO ADMINISTRADOR DA FAZENDA DONA NENEM Realidade: colher café com mínimo de mão de obra ou zero dia homem por ha Evolução tecnológicas

Leia mais

Mecanização Máquinas de levante e inovações atuais. MIAC na Mecanização do Café. Eric Miranda Abreu Engenheiro Agrônomo Desde 1999, pela UFLA

Mecanização Máquinas de levante e inovações atuais. MIAC na Mecanização do Café. Eric Miranda Abreu Engenheiro Agrônomo Desde 1999, pela UFLA Mecanização Máquinas de levante e inovações atuais MIAC na Mecanização do Café Eric Miranda Abreu Engenheiro Agrônomo Desde 1999, pela UFLA PROCAFÉ. VARGINHA MG 15.08.2013 MIAC na mecanização do café Recolhedoras

Leia mais

MODOS E CUSTOS NO MICRO-TERRACEAMENTO EM CAFEZAIS DE MONTANHA

MODOS E CUSTOS NO MICRO-TERRACEAMENTO EM CAFEZAIS DE MONTANHA MODOS E CUSTOS NO MICRO-TERRACEAMENTO EM CAFEZAIS DE MONTANHA J. B. Matiello, Eng Agr Mapa/Fundação Procafé e Lucas Franco e J. R. Dias Engs Agrs Fdas Sertãozinho Importância da Cafeicultura de Montanha

Leia mais

A importância da Manutenção Automotiva. STAB Julho/15. Eng. Bellini Bellmec Consultoria Ltda Julho/15

A importância da Manutenção Automotiva. STAB Julho/15. Eng. Bellini Bellmec Consultoria Ltda Julho/15 A importância da Manutenção Automotiva STAB Julho/15 83% do custo do plantio está na mecanização 94% do custo da colheita é mecanização Do custo total com equipamentos da área agrícola: 18% são custos

Leia mais

A N A I S D O E V E N T O. 12 e 13 de Novembro de 2014 Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil

A N A I S D O E V E N T O. 12 e 13 de Novembro de 2014 Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil A N A I S D O E V E N T O 12 e 13 de Novembro de 2014 Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil Evolução da mecanização da colheita de cana-de-açúcar em São Paulo: uma reflexão a partir de dados do Protocolo

Leia mais

IX SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL

IX SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL IX SIMPÓSIO DE PESQUISA DOS CAFÉS DO BRASIL MECANIZAÇÃO DA COLHEITA DO CONILON Walmi Gomes Martin Gerente de Produto - Colhedoras Local: Curitiba - PR Data: 25/06/2015 1ª Colhedora de Café do Mundo - 1979

Leia mais

ATENÇÃO. www.poscolheita.com.br. juarez@ufv.br ESTA PALESTRA E OUTROS MATERIAIS IMPORTANTES PARA A PÓS-COLHEITA DO CAFÉ ESTÃO DISPONÍVEIS NO ENDEREÇO:

ATENÇÃO. www.poscolheita.com.br. juarez@ufv.br ESTA PALESTRA E OUTROS MATERIAIS IMPORTANTES PARA A PÓS-COLHEITA DO CAFÉ ESTÃO DISPONÍVEIS NO ENDEREÇO: ATENÇÃO ESTA PALESTRA E OUTROS MATERIAIS IMPORTANTES PARA A PÓS-COLHEITA DO CAFÉ ESTÃO DISPONÍVEIS NO ENDEREÇO: www.poscolheita.com.br juarez@ufv.br CAFEICULTURA DE MONTANHA & CAFÉ COM QUALIDADE Tecnologias

Leia mais

PRODUÇÃO INTEGRADA DE CAFÉ. Caderno de informações gerais

PRODUÇÃO INTEGRADA DE CAFÉ. Caderno de informações gerais PRODUÇÃO INTEGRADA DE CAFÉ Caderno de informações gerais Propriedade Nome do Proprietário: Nome da Propriedade: Cidade: Telefone: ( ) Organização PIC a que pertence: Número de registro na PIC: Ano Agrícola:

Leia mais

Plano de curso Tecnologia em Plataforma Aérea

Plano de curso Tecnologia em Plataforma Aérea PLANO DE CURSO MSOBRFDPTA08 PAG1 Plano de curso Tecnologia em Plataforma Aérea Justificativa do Curso A plataforma aérea de trabalho se tornou um dos equipamentos mais comuns em obras e sites de trabalho

Leia mais

Goulds 3640. API-610 10ª edição/iso 13709 API BB2 de dois estágios dividida radialmente entre rolamentos

Goulds 3640. API-610 10ª edição/iso 13709 API BB2 de dois estágios dividida radialmente entre rolamentos API-610 10ª edição/iso 13709 API BB2 de dois estágios dividida radialmente entre rolamentos Goulds Pumps Uma empresa líder em soluções de pacotes de bombas projetadas segundo normas do API Liderança comprovada

Leia mais

IRRIGAÇÃO. JOSÉ ANTÔNIO FRIZZONE frizzone@esalq.usp.br

IRRIGAÇÃO. JOSÉ ANTÔNIO FRIZZONE frizzone@esalq.usp.br IRRIGAÇÃO JOSÉ ANTÔNIO FRIZZONE frizzone@esalq.usp.br IRRIGAÇÃO CONCEITO CLÁSSICO Aplicação artificial de água ao solo, em intervalos definidos e em quantidade suficiente para fornecer às espécies vegetais

Leia mais

TRATOS CULTURAIS PARA QUALIDADE DA SEMENTEIRA

TRATOS CULTURAIS PARA QUALIDADE DA SEMENTEIRA 1º CICLO DE PALESTRAS SODEPAC TRATOS CULTURAIS PARA QUALIDADE DA SEMENTEIRA Maia Barnabé Sambongo Dir. Fazenda Quizenga TRATOS CULTURAIS PARA QUALIDADE DA SEMENTEIRA ÁREA DE 1º ANO 1. Supressão Vegetal

Leia mais

Introdução ao estudo dos tratores agrícolas

Introdução ao estudo dos tratores agrícolas Instituto de Tecnologia-Departamento de Engenharia IT 154 Motores e Tratores Introdução ao estudo dos tratores agrícolas Professor: Carlos Alberto Alves Varella Doutor em Engenharia Agrícola E-mail: varella.caa@gmail.com

Leia mais

Tipos de tratores agrícolas

Tipos de tratores agrícolas Tratores Agrícolas Tipos de tratores agrícolas Tratores agrícolas São máquinas projetadas para tracionar, transportar e fornecer potência para máquinas e implementos agrícolas. O desenvolvimento de tratores

Leia mais

Custo de Produção do Milho Safrinha 2012

Custo de Produção do Milho Safrinha 2012 09 Custo de Produção do Milho Safrinha 2012 1 Carlos DirceuPitol Luiz2 Broch1 Dirceu Luiz Broch Roney Simões Pedroso2 9.1. Introdução Os sistemas de produção da atividade agropecuária cada vez requerem

Leia mais

PLANTIO MECANIZADO MAIS UM DESAFIO A SER VENCIDO

PLANTIO MECANIZADO MAIS UM DESAFIO A SER VENCIDO PLANTIO MECANIZADO MAIS UM DESAFIO A SER VENCIDO Armene José Conde Gerente Regional Mauro Sampaio Benedini Gerente Regional José Guilherme Perticarrari Coordenador de Pesquisa Tecnológica CTC - Centro

Leia mais

IX Curso de Atualização Lavoura Cafeeira RESULTADOS DA AGRICULTURA DE PRECISÃO NA CAFEICULTURA. Alexandre Mudrik

IX Curso de Atualização Lavoura Cafeeira RESULTADOS DA AGRICULTURA DE PRECISÃO NA CAFEICULTURA. Alexandre Mudrik IX Curso de Atualização Lavoura Cafeeira RESULTADOS DA AGRICULTURA DE PRECISÃO NA CAFEICULTURA Alexandre Mudrik AGRICULTURA DE PRECISÃO GERENCIAMENTO DE PRECISÃO Prestação de Serviços em Agricultura de

Leia mais

Equipamento de Compactação. Built to last

Equipamento de Compactação. Built to last Built to last Equipamento de Compactação Placas Vibratórias de Solo e Asfalto Trabalhos fortes exigem máquinas fortes Projetada para atender as altas demandas das empresas de aluguel e empreiteiras, a

Leia mais

11º SBA SEMINÁRIO BRASILEIRO AGROINDUSTRIAL 27 E 28 DE OUTUBRO DE 2010 IMPUREZAS DA CANA

11º SBA SEMINÁRIO BRASILEIRO AGROINDUSTRIAL 27 E 28 DE OUTUBRO DE 2010 IMPUREZAS DA CANA 11º SBA SEMINÁRIO BRASILEIRO AGROINDUSTRIAL 27 E 28 DE OUTUBRO DE 2010 IMPUREZAS DA CANA IMPUREZAS DA CANA SEPARAÇÃO DAS IMPUREZAS EM MESA E ESTEIRA DE CANA PICADA POTÊNCIAS INSTALADAS E CONSUMIDAS EFICIÊNCIA

Leia mais

PANORAMA DA CAFEICULTURA ARÁBICA NO PARANÁ. Armando Androcioli Filho Iapar Londrina, Pr.

PANORAMA DA CAFEICULTURA ARÁBICA NO PARANÁ. Armando Androcioli Filho Iapar Londrina, Pr. PANORAMA DA CAFEICULTURA ARÁBICA NO PARANÁ Armando Androcioli Filho Iapar Londrina, Pr. VIII Curso de Atualização Manejo Tecnológico da Lavoura Cafeeira Varginha, MG 13 a 15 de julho de 2010 ZONEAMENTO

Leia mais

PROJETO CAMPO FUTURO CUSTO DE PRODUÇÃO DO CAFÉ EM LUÍS EDUARDO MAGALHÃES-BA

PROJETO CAMPO FUTURO CUSTO DE PRODUÇÃO DO CAFÉ EM LUÍS EDUARDO MAGALHÃES-BA PROJETO CAMPO FUTURO CUSTO DE PRODUÇÃO DO CAFÉ EM LUÍS EDUARDO MAGALHÃES-BA Os produtores de Luís Eduardo Magalhães se reuniram, em 09/04, para participarem do levantamento de custos de produção de café

Leia mais

Esta apresentação irá mostrar passo a passo os cálculos e as decisões envolvidas no dimensionamento. O tempo de cada apresentação: 12 minutos.

Esta apresentação irá mostrar passo a passo os cálculos e as decisões envolvidas no dimensionamento. O tempo de cada apresentação: 12 minutos. Dimensionamento Altair (SP) - região de São José do Rio Preto 1/28 Esta apresentação irá mostrar passo a passo os cálculos e as decisões envolvidas no dimensionamento. O tempo de cada apresentação: 12

Leia mais

PRODUÇÃO ECONÔMICA DE SILAGEM 2º Dia de Campo de Ovinocultura Pedro Canário/ES 29/11/14

PRODUÇÃO ECONÔMICA DE SILAGEM 2º Dia de Campo de Ovinocultura Pedro Canário/ES 29/11/14 PRODUÇÃO ECONÔMICA DE SILAGEM 2º Dia de Campo de Ovinocultura Pedro Canário/ES 29/11/14 Pergunta fundamental 1 Quanto custa produzir um quilo de carne????????? Pergunta fundamental 2 O que produz o pecuarista?

Leia mais

PLANO DIRETOR PARA COMBATE ÀS PERDAS EM SISTEMAS DE ABASTECIMENTO PÚBLICO DE ÁGUA

PLANO DIRETOR PARA COMBATE ÀS PERDAS EM SISTEMAS DE ABASTECIMENTO PÚBLICO DE ÁGUA PLANO DIRETOR PARA COMBATE ÀS PERDAS EM SISTEMAS DE ABASTECIMENTO PÚBLICO DE ÁGUA A PERDA DE ÁGUA NO ABASTECIMENTO PÚBLICO O índice de perdas é um dos principais indicadores da eficiência da operação dos

Leia mais

Green Fleet Sistema de Gestão de Frota Auteq

Green Fleet Sistema de Gestão de Frota Auteq Unpublished work (2014) Deere & Company. All rights reserved worldwide. THIS MATERIAL IS THE PROPERTY OF DEERE & COMPANY. NO PORTION MAY BE USED, ALTERED, DISCLOSED AND/OR REPRODUCED WITHOUT EXPRESS WRITTEN

Leia mais

ANEXO II ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE PROJETO TÉCNICO ECONÔMICO FINANCEIRO PARA PLEITOS DE INCENTIVO TRIBUTÁRIO

ANEXO II ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE PROJETO TÉCNICO ECONÔMICO FINANCEIRO PARA PLEITOS DE INCENTIVO TRIBUTÁRIO ANEXO II ROTEIRO DE ELABORAÇÃO DE PROJETO TÉCNICO ECONÔMICO FINANCEIRO PARA PLEITOS DE INCENTIVO TRIBUTÁRIO 1 CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA 1.1. Razão Social: 1.2. Endereços: Fone: - Escritório - Fábrica 1.3.

Leia mais

MECÂNICA APLICADA TRATORES AGRÍCOLAS PROFº RUI CASARIN. Tratores Agrícolas

MECÂNICA APLICADA TRATORES AGRÍCOLAS PROFº RUI CASARIN. Tratores Agrícolas MECÂNICA APLICADA TRATORES AGRÍCOLAS Tratores Agrícolas PROFº RUI CASARIN PERGUNTAS IMPORTANTES? QUEM FABRICA TRATORES NO BRASIL? WWW.AGRALE.COM.BR POTÊNCIA ENTRE 15 E 168CV WWW.BRASIL.CAT.COM MÁQUINAS

Leia mais

RISCO DE EROSÃO. Projecto n.º 2004/EQUAL/A2/EE/161 1

RISCO DE EROSÃO. Projecto n.º 2004/EQUAL/A2/EE/161 1 RISCO DE EROSÃO Portugal é um dos países europeus mais susceptíveis aos processos de desertificação física dos solos. Cerca de 68% dos solos nacionais estão ameaçados pela erosão e 30% encontram-se em

Leia mais

Plaina Frontal VALTRA VL. 60-190 cv. sua máquina. *FOTO MERAMENTE ILUSTRATIVA.

Plaina Frontal VALTRA VL. 60-190 cv. sua máquina. *FOTO MERAMENTE ILUSTRATIVA. Plaina Frontal VALTRA VL 60-190 cv *FOTO MERAMENTE ILUSTRATIVA. sua máquina. de trabalho. TECNOLOGIA E EFICIÊNCIA NA MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS Menor concentração de massa (peso) na parte frontal gera menor

Leia mais

APROVEITAMENTO DA BIOMASSA RESIDUAL DE COLHEITA FLORESTAL

APROVEITAMENTO DA BIOMASSA RESIDUAL DE COLHEITA FLORESTAL APROVEITAMENTO DA BIOMASSA RESIDUAL DE COLHEITA FLORESTAL XIV Seminário de Atualização Sobre Sistemas de Colheita de Madeira e Transporte Florestal Curitiba, Agosto 2006 1. Introdução O preço do petróleo

Leia mais

CONSERVAÇÃO DE ÁREAS COM COBERTURA VEGETAL E LIMPEZA EM RODOVIAS 1. INTRODUÇÃO

CONSERVAÇÃO DE ÁREAS COM COBERTURA VEGETAL E LIMPEZA EM RODOVIAS 1. INTRODUÇÃO CONSERVAÇÃO DE ÁREAS COM COBERTURA VEGETAL E LIMPEZA EM RODOVIAS Cristiana Arruda Corsini & Dorival Zanóbia Eng a. Agrônoma, Agrimensor, Verbo Conservação de Áreas Verdes - Araras SP. verbo@laser.com.br

Leia mais

Eng. Agr. Luís César Pio Diretor Herbicat

Eng. Agr. Luís César Pio Diretor Herbicat II Simpósio Stab Sobre Plantas Daninhas em Cana-de-Açúcar Manejo químico de plantas daninhas e as MPBs. Tecnologia de aplicação em pós-emergência. O que pode trazer melhores resultados à não intoxicação

Leia mais

SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO PROJETO 1 DATA DE ENTREGA:

SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO PROJETO 1 DATA DE ENTREGA: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS CENTRO DE ENGENHARIAS SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO PROJETO 1 DATA DE ENTREGA: 05/10/2015 1. Objetivo A expansão do sistema de abastecimento de

Leia mais

Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil) Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café

Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil) Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil) Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café Marcus Vinícius Martins M.Sc. em Agronomia Fiscal Federal Agropecuária

Leia mais

COMPARATIVO ENTRE COLHEITA MECANIZADA E SELETIVA DO CAFÉ

COMPARATIVO ENTRE COLHEITA MECANIZADA E SELETIVA DO CAFÉ COMPARATIVO ENTRE COLHEITA MECANIZADA E SELETIVA DO CAFÉ João Luiz P. Toratti¹,Wesley Gabriel C. Prates¹,Jose Vitor Salvi² ¹Discente FATEC Shunji Nishimura, Pompéia-SP ²Eng.Agrônomo,Mestre,Professor Associado

Leia mais

Controle Alternativo da Broca do Café

Controle Alternativo da Broca do Café Engº Agrº - Pablo Luis Sanchez Rodrigues Controle Alternativo da Broca do Café Trabalho realizado na região de Ivaiporã, na implantação de unidade experimental de observação que visa o monitoramento e

Leia mais

Sistema de condução da Videira

Sistema de condução da Videira Sistema de condução da Videira Reginaldo T. Souza EMBRAPA UVA E VINHO - EEVT Videiras em árvores Evolução no cultivo da videira Evolução no cultivo da videira Espaldeira Gobelet Latada Lira Mito ou realidade

Leia mais

ALTA PRODUTIVIDADE EM CAFEEIROS DA CULTIVAR CONILLON, NA REGIÃO DA BACIA DE FURNAS, NO SUL DE MINAS GERAIS. Celio L. Pereira- Eng Agr Consultor em

ALTA PRODUTIVIDADE EM CAFEEIROS DA CULTIVAR CONILLON, NA REGIÃO DA BACIA DE FURNAS, NO SUL DE MINAS GERAIS. Celio L. Pereira- Eng Agr Consultor em ALTA PRODUTIVIDADE EM CAFEEIROS DA CULTIVAR CONILLON, NA REGIÃO DA BACIA DE FURNAS, NO SUL DE MINAS GERAIS. Celio L. Pereira- Eng Agr Consultor em cafeicultura, J.B. Matiello Eng Agr Fundação Procafé e

Leia mais

DIRETRIZES DO CADASTRO TÉCNICO DE REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS

DIRETRIZES DO CADASTRO TÉCNICO DE REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS DIRETRIZES DO CADASTRO TÉCNICO DE REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS 1. OBJETIVO Esta Diretriz fixa as condições exigíveis na elaboração de plantas e relatórios detalhados do cadastro de redes de coleta de esgoto,

Leia mais

Culturas. A Cultura do Milho. Nome A Cultura do Milho Produto Informação Tecnológica Data Outubro de 2000 Preço - Linha Culturas Resenha

Culturas. A Cultura do Milho. Nome A Cultura do Milho Produto Informação Tecnológica Data Outubro de 2000 Preço - Linha Culturas Resenha 1 de 5 10/16/aaaa 11:24 Culturas A Cultura do Milho Nome A Cultura do Milho Produto Informação Tecnológica Data Outubro de 2000 Preço - Linha Culturas Resenha Informações resumidas sobre a cultura do milho

Leia mais

Colhedoras de Café Coffee Express

Colhedoras de Café Coffee Express Colhedoras de Café Coffee Express Colhedora de Café tracionada Coffee Express 100 Operação otimizada: um único operador A colhedora de café Coffee Express 100 possui comandos elétricos simplificados que

Leia mais

Colhedora de cana A4000

Colhedora de cana A4000 Colhedora de cana A4000 Inovação sem limites. Uma marca registrada da case ih. A Case IH é referência mundial no segmento sucroenergético. Com mais de 50 anos de conhecimento e experiência no setor, a

Leia mais

Influência dos diferentes processos de pós-colheita na agregação de valor do café conilon

Influência dos diferentes processos de pós-colheita na agregação de valor do café conilon Universidade Federal do Espírito Santo Mestrado em Produção Vegetal Influência dos diferentes processos de pós-colheita na agregação de valor do café conilon Orientado: Marcos Moulin Teixeira Orientador:

Leia mais

NA BUSCA DO AUMENTO DA PRODUTIVIDADE FLORESTAL E REDUÇÃO DO CUSTO OPERACIONAL.

NA BUSCA DO AUMENTO DA PRODUTIVIDADE FLORESTAL E REDUÇÃO DO CUSTO OPERACIONAL. TÉCNICAS MODERNAS DE PREPARO DO SOLO NA BUSCA DO AUMENTO DA PRODUTIVIDADE FLORESTAL E REDUÇÃO DO CUSTO OPERACIONAL. Edésio P. Bortolas 1 João Batista Rosa 2 1. INTRODUÇÃO A unidade florestal da Klabin

Leia mais

27 Sistemas de vedação II

27 Sistemas de vedação II A U A UL LA Sistemas de vedação II Ao examinar uma válvula de retenção, um mecânico de manutenção percebeu que ela apresentava vazamento. Qual a causa desse vazamento? Ao verificar um selo mecânico de

Leia mais

Aproveitamento de potência de tratores agrícolas *

Aproveitamento de potência de tratores agrícolas * Aproveitamento de potência de tratores agrícolas * 1. Introdução Uma das principais fontes de potência, responsáveis pela alta produção agrícola com significante economia de mão-de-obra, é o trator agrícola.

Leia mais

Pavimentadora da classe de 10 m com uma ampla gama de aplicações. Pavimentadora de Concreto SP 850

Pavimentadora da classe de 10 m com uma ampla gama de aplicações. Pavimentadora de Concreto SP 850 Pavimentadora da classe de 10 m com uma ampla gama de aplicações Pavimentadora de Concreto SP 850 Pavimentadora de concreto SP 850 para uma pavimentação em concreto com qualidade superior Ampla variedade

Leia mais

Vantagens e Desvantagens da Utilização da PALHA da Cana. Eng. Agr. Dib Nunes Jr. GRUPO IDEA

Vantagens e Desvantagens da Utilização da PALHA da Cana. Eng. Agr. Dib Nunes Jr. GRUPO IDEA Vantagens e Desvantagens da Utilização da PALHA da Cana Eng. Agr. Dib Nunes Jr. GRUPO IDEA NOVO PROTOCOLO AMBIENTAL (Única, Orplana e Secretaria do Meio Ambiente) Áreas mecanizáveis Extinção das queimadas

Leia mais

Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho

Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho Práticas Agronômicas que Interferem na Produção de Silagem de Milho Engº Agrº Robson F. de Paula Coordenador Técnico Regional Robson.depaula@pioneer.com Silagem de qualidade começa no campo! E no momento

Leia mais

RAFAEL ANTONIO ALMEIDA DIAS

RAFAEL ANTONIO ALMEIDA DIAS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS (IFET) Curso Superior de Tecnologia em Cafeicultura RAFAEL ANTONIO ALMEIDA DIAS MÁQUINAS DEMONSTRADAS NO DIA DE CAMPO SOBRE COLHEITA

Leia mais

Semeadoras. Plantadora de linha, hidráulica, plantio direto, pequena propriedade. Moderna, versátil e resistente. Planta soja, milho, feijão e sorgo.

Semeadoras. Plantadora de linha, hidráulica, plantio direto, pequena propriedade. Moderna, versátil e resistente. Planta soja, milho, feijão e sorgo. Semeadoras 1. Semeadora MAX Seed Line Plantadora de linha, hidráulica, plantio direto, pequena propriedade. Moderna, versátil e resistente. Planta soja, milho, feijão e sorgo. Características: Distribuição

Leia mais

Custo de Produção da Cultura da Soja Safra 2011/2012

Custo de Produção da Cultura da Soja Safra 2011/2012 11 Custo de Produção da Cultura da Soja Safra 2011/2012 Dirceu Luiz Broch Roney Simões Pedroso 1 2 11.1. Introdução Os sistemas de produção da atividade agropecuária cada vez mais requerem um grau de conhecimento

Leia mais

Especifi cação Técnica. Pavimentadora de Concreto SP 92 / SP 92 i

Especifi cação Técnica. Pavimentadora de Concreto SP 92 / SP 92 i Especifi cação Técnica Pavimentadora de Concreto SP 92 / SP 92 i Especifi cação Técnica Pavimentadora de Concreto SP 92 SP 92 i Vibradores e circuitos Vibração hidráulica Vibração elétrica Vibradores de

Leia mais

ENTREGAS RÁPIDAS, EFICIENTES E COM QUALIDADE. O diferencial que sua empresa busca para os negócios

ENTREGAS RÁPIDAS, EFICIENTES E COM QUALIDADE. O diferencial que sua empresa busca para os negócios ENTREGAS RÁPIDAS, EFICIENTES E COM QUALIDADE O diferencial que sua empresa busca para os negócios Índice APRESENTAÇÃO 03 CAPÍTULO 1 MOTIVOS DE SOBRA PARA TERCERIZAR SUA FROTA! 05 CAPÍTULO 2 POR QUE A TRANSMIT?

Leia mais

RET Relatório Técnico de Encerramento Título do Teste TESTE DE HIDROVARIADOR DE VELOCIDADE HENFEL MODELO HFPM2500

RET Relatório Técnico de Encerramento Título do Teste TESTE DE HIDROVARIADOR DE VELOCIDADE HENFEL MODELO HFPM2500 RET Relatório Técnico de Encerramento Título do Teste TESTE DE HIDROVARIADOR DE VELOCIDADE HENFEL MODELO HFPM2500 APLICADO EM ACIONAMENTO DE TRANSPORTADORES DE CORREIA TMPM SÃO LUÍS - MA SAT 1260 Localidade,

Leia mais

0800 709 8000 - www.brasifmaquinas.com.br. Distribuidor exclusivo: Distrito Federal. Espírito Santo. Goiás. Minas Gerais. Paraná

0800 709 8000 - www.brasifmaquinas.com.br. Distribuidor exclusivo: Distrito Federal. Espírito Santo. Goiás. Minas Gerais. Paraná 0800 709 8000 - www.brasifmaquinas.com.br Distribuidor exclusivo: Distrito Federal. Espírito Santo. Goiás. Minas Gerais. Paraná Santa Catarina. São Paulo. Rio Grande do Sul. Tocantins ÍNDICE Confiança

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA AUTOMÁTICO DE CONTROLE DE BOMBEAMENTO NO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO SAAE DE GUARULHOS-SP

IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA AUTOMÁTICO DE CONTROLE DE BOMBEAMENTO NO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO SAAE DE GUARULHOS-SP IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA AUTOMÁTICO DE CONTROLE DE BOMBEAMENTO NO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO SAAE DE GUARULHOS-SP Geraldo Pereira de Abreu* Técnico em Eletroeletrônica pelo Colégio Torricelli

Leia mais

Saneamento I Adutoras

Saneamento I Adutoras Saneamento I Adutoras Prof Eduardo Cohim ecohim@uefs.br 1 INTRODUÇÃO Adutoras são canalizações que conduzem água para as unidades que precedem a rede de distribuição Ramificações: subadutoras CLASSIFICAÇÃO

Leia mais

JLG450AJ SÉREI II [ Altura de trabalho: 15,50 m ]

JLG450AJ SÉREI II [ Altura de trabalho: 15,50 m ] JLG450AJ SÉREI II [ Altura de trabalho: 15,50 m ] Alcance aqueles lugares mais difíceis que as outras plataformas não alcançam. Melhores velocidades de elevação de sua classe aumentam a produtividade e

Leia mais

Carregadeira LW300K. Potência Motor: 124 HP - Capacidade da caçamba: 1,9 m³ - Peso operacional: 10.600 Kg

Carregadeira LW300K. Potência Motor: 124 HP - Capacidade da caçamba: 1,9 m³ - Peso operacional: 10.600 Kg Carregadeira LW300K Potência Motor: 124 HP - Capacidade da caçamba: 1,9 m³ - Peso operacional: 10.600 Kg Qualidade, confiabilidade e força, aliada ao baixo consumo de combustível. A Pá-carregadeira LW300K

Leia mais

Agrícola ISO 9001 OHSAS 18001 ISO 22000 ISO 14001

Agrícola ISO 9001 OHSAS 18001 ISO 22000 ISO 14001 Agrícola ISO 9001 OHSAS 18001 ISO 22000 ISO 14001 1 Tema: PREPARO REDUZIDO E PLANTIO DIRETO Local: Ribeirão Preto - SP Palestrante: Hilário 2 LOCALIZAÇÃO Latitude: 20º28 41 S UAM Longitude: 47º52 21 W

Leia mais

Colhedoras de Café Coffee Express

Colhedoras de Café Coffee Express Colhedoras de Café Coffee Express Colhedora de Café tracionada Coffee Express 100 Operação otimizada: um único operador A colhedora de café Coffee Express 100 possui comandos elétricos simplificados que

Leia mais

MÉTODOS DE PROTEÇÃO CONTRA GEADAS EM CAFEZAIS EM FORMAÇÃO

MÉTODOS DE PROTEÇÃO CONTRA GEADAS EM CAFEZAIS EM FORMAÇÃO MÉTODOS DE PROTEÇÃO CONTRA GEADAS EM CAFEZAIS EM FORMAÇÃO Paulo Henrique Caramori, Armando Androcioli Filho, Francisco Carneiro Filho, Dalziza de Oliveira, Heverly Morais, Alex Carneiro Leal e Jonas Galdino.

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE INSTALAÇÕES PREDIAIS PARA ÁGUAS PLUVIAIS NBR 10844

DIMENSIONAMENTO DE INSTALAÇÕES PREDIAIS PARA ÁGUAS PLUVIAIS NBR 10844 ÁREA DE CONTRIBUIÇÃO DADOS PLUVIOMÉTRICOS Localidade: Praça XV Ângulo de inclinação da chuva: θ = 60,0 Tipo: Coberturas s/ extravazamento Período de Retorno: T = 25 anos Intensidade pluviométrica*: i =

Leia mais

Empilhadoras Elétricas IXION SPE125/SPE160. Controle Sensi-lift

Empilhadoras Elétricas IXION SPE125/SPE160. Controle Sensi-lift Empilhadoras Elétricas Os empilhadores com braços de suporte oferecem uma solução efetiva e econômica para todos os tipos de armazém grandes ou pequenos. A BT oferece o grupo mais completo de empilhadores

Leia mais

1 Circular. Técnica. Reúso da Água na Produção de Café Cereja Descascado. Introdução. Autores ISSN 2317-2029

1 Circular. Técnica. Reúso da Água na Produção de Café Cereja Descascado. Introdução. Autores ISSN 2317-2029 ISSN 2317-2029 Reúso da Água na Produção de Café Cereja Descascado 1 Circular Técnica Introdução Os frutos de café maduros, denominado café cereja, dão origem às melhores bebidas, razão pela qual o café

Leia mais

SECAGEM DE GRÃOS. Disciplina: Armazenamento de Grãos

SECAGEM DE GRÃOS. Disciplina: Armazenamento de Grãos SECAGEM DE GRÃOS Disciplina: Armazenamento de Grãos 1. Introdução - grãos colhidos com teores elevados de umidade, para diminuir perdas:. permanecem menos tempo na lavoura;. ficam menos sujeitos ao ataque

Leia mais

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I Curso de Graduação em Administração Administração da Produção e Operações I 11º Encontro - 23/03/2012 18:50 às 20:30h COMO SERÁ NOSSO ENCONTRO HOJE? - ABERTURA -LOCALIZAÇÃO DA EMPRESA INDUSTRIAL MÉTODOS

Leia mais

NEW HOLLAND CR CR6O8O

NEW HOLLAND CR CR6O8O NEW HOLLAND CR CR6o8o 2 3 CR6080. A PERFEIÇÃO NA COLHEITA, AGORA EM MENORES DIMENSÕES. Quando a New Holland lançou a linha CR, o produtor conheceu o que era perfeição na colheita. O sistema com duplo rotor

Leia mais

MINI PIVÔ REBOCÁVEL IRRIGABRAS

MINI PIVÔ REBOCÁVEL IRRIGABRAS MINI PIVÔ REBOCÁVEL IRRIGABRAS Rebocado pelo Balanço Rebocado pelo Centro Características do Mini Pivô Irrigabras O Mini Pivô Irrigabras une as vantagens da mecanização, do baixo consumo de energia, da

Leia mais

HSL650 7A/HSL850-7A CONSTRUINDO UM FUTURO MELHOR. MINI CARREGADEIRA HYUNDAI Motor Tier 3 aplicado

HSL650 7A/HSL850-7A CONSTRUINDO UM FUTURO MELHOR. MINI CARREGADEIRA HYUNDAI Motor Tier 3 aplicado CONSTRUINDO UM FUTURO MELHOR * Algumas fotos podem incluir equipamentos opcionais. MINI CARREGADEIRA HYUNDAI Motor Tier 3 aplicado HSL650 7A/HSL850-7A NOVAS Minicarregadeiras Hyundai HSL650-7A/HSL850-7A

Leia mais

Soluções em Açúcar, Etanol e Co-geração

Soluções em Açúcar, Etanol e Co-geração Soluções em Açúcar, Etanol e Co-geração A Sucral Iniciou suas atividades em 1968 e foi uma das empresas pioneiras no desenvolvimento do setor sucroenergético não só do país como também no exterior. Nos

Leia mais

UNIVERSIDADE CEUMA CAMPUS RENASCENÇA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. Professor Leonardo Gonsioroski

UNIVERSIDADE CEUMA CAMPUS RENASCENÇA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. Professor Leonardo Gonsioroski UNIVERSIDADE CEUMA CAMPUS RENASCENÇA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Objetivos da Aula Diferenciar automação da mecanização. Posicionar a automação industrial no contexto histórico. Classificar os tipos

Leia mais

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 1. Um agricultor relata que não está tendo controle satisfatório na aplicação de um herbicida. Afirma estar aplicando conforme recomendação do fabricante do produto (x litros p.c./ha

Leia mais

CIRCUITO BÁSICO DE UM SISTEMA ELETRÔNICO PARA AVALIAÇÃO DE EQUILÍBRIO DINÂMICO DE TRATORES AGRÍCOLAS

CIRCUITO BÁSICO DE UM SISTEMA ELETRÔNICO PARA AVALIAÇÃO DE EQUILÍBRIO DINÂMICO DE TRATORES AGRÍCOLAS CIRCUITO BÁSICO DE UM SISTEMA ELETRÔNICO PARA AVALIAÇÃO DE EQUILÍBRIO DINÂMICO DE TRATORES AGRÍCOLAS Matheus Daniel de Souza Luciano 1, João Eduardo Guarnetti dos Santos 2, José Ângelo Cagnon 3, André

Leia mais

Fertilização nitrogenada do cafeeiro com base na ecofisiologia

Fertilização nitrogenada do cafeeiro com base na ecofisiologia Fertilização nitrogenada do cafeeiro com base na ecofisiologia ESALQ - USP Produção Vegetal agosto - 2013 Prof. José Laércio Favarin Composição química Importância do nitrogênio Composição cafeeiro Kg

Leia mais

IRRIGAÇÃO POR PIVÔ CENTRAL

IRRIGAÇÃO POR PIVÔ CENTRAL IRRIGAÇÃO POR PIVÔ CENTRAL Introdução Num passado não muito distante, irrigação era sinônimo de trabalho humano intenso. Desde a pré-história o homem vem desviando ribeirões para irrigar suas plantações,

Leia mais

Fruticultura. Bananeira : Mal do Panamá. Nome Bananeira : Mal do Panamá Produto Informação Tecnológica Data 1985 Preço - Linha Fruticultura Resenha

Fruticultura. Bananeira : Mal do Panamá. Nome Bananeira : Mal do Panamá Produto Informação Tecnológica Data 1985 Preço - Linha Fruticultura Resenha 1 de 5 10/16/aaaa 11:32 Fruticultura Bananeira : Mal do Panamá Nome Bananeira : Mal do Panamá Produto Informação Tecnológica Data 1985 Preço - Linha Fruticultura Resenha Informações sobre a doença do mal-do-panamá

Leia mais

COMPARATIVO ENTRE UMA LAVOURA IRRIGADA E DE SEQUEIRO NO RS

COMPARATIVO ENTRE UMA LAVOURA IRRIGADA E DE SEQUEIRO NO RS COMPARATIVO ENTRE UMA LAVOURA IRRIGADA E DE SEQUEIRO NO RS LEVANTAMENTO REALIZADO POR FARSUL/CEPEA 19/05/2014 PROPRIEDADE TÍPICA: MUINCÍPIO DE CRUZ ALTA Característica da Propriedade: 44 ha Reserva Legal

Leia mais

Protocolo para coleta de amostras de solo destinadas ao monitoramento de mudanças nos estoques de carbono nos solos da Amazônia

Protocolo para coleta de amostras de solo destinadas ao monitoramento de mudanças nos estoques de carbono nos solos da Amazônia Protocolo para coleta de amostras de solo destinadas ao monitoramento de mudanças nos estoques de carbono nos solos da Amazônia Objetivo Determinar os estoques de carbono no solo, com alta precisão até

Leia mais

TAURULIFT LINE. MANIPULADORES COMPACTOS COM CAPACIDADE DE CARGA DE 1.350, 2.000, 2.300 & 3.000 Kg. www.ausa.com

TAURULIFT LINE. MANIPULADORES COMPACTOS COM CAPACIDADE DE CARGA DE 1.350, 2.000, 2.300 & 3.000 Kg. www.ausa.com TAURULIFT LINE MANIPULADORES COMPACTOS COM CAPACIDADE DE CARGA DE 1.350, 2.000, 2.300 & 3.000 Kg www.ausa.com A LINHA TAURULIFT É A GAMA DE MANIPULADORES COMPACTOS MAIS AMPLA DO MERCADO T 144 H plus T

Leia mais

Agroecologia. Agroecossistema

Agroecologia. Agroecossistema Agroecologia Ciência integradora dos princípios agronômicos, ecológicos e sócio-econômicos na compreensão da natureza e funcionamento dos agroecossistemas. Agroecossistema Unidade de estudo da Agroecologia,

Leia mais

Lubrificação III. Após a visita de um vendedor de lubrificante. Outros dispositivos de lubrificação

Lubrificação III. Após a visita de um vendedor de lubrificante. Outros dispositivos de lubrificação A U A UL LA Lubrificação III Introdução Após a visita de um vendedor de lubrificante ao setor de manutenção de uma indústria, o pessoal da empresa constatou que ainda não conhecia todos os dispositivos

Leia mais

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS

DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS DIRETRIZES EXECUTIVAS DE SERVIÇOS ES-T02 ATERROS COMPACTADOS 1 DOCUMENTO DE CIRCULAÇÃO EXTERNA Í N D I C E PÁG. 1. OBJETO E OBJETIVO... 3 2. DESCRIÇÃO... 3 3. MATERIAIS... 3 4. EQUIPAMENTO...4 5. FUNDAÇÕES

Leia mais

NEW HOLLAND CR CR6080

NEW HOLLAND CR CR6080 NEW HOLLAND CR CR6080 VOCÊ PEDIU. A NEW HOLLAND FEZ. Quando a New Holland lançou a linha CR, o produtor conheceu o que era perfeição na colheita. O sistema com duplo rotor reafirmava a condição da marca

Leia mais

n. 9 - setembro - 2007

n. 9 - setembro - 2007 n. 9 - setembro - 2007 ISSN 0103-4413 Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais Av. José Cândido da Silveira, 1.647 - Cidade Nova - 31170-000 Belo Horizonte - MG - site: www.epamig.br - e-mail:

Leia mais

SUMARIO 1 INTRODUÇÃO, 1

SUMARIO 1 INTRODUÇÃO, 1 SUMARIO 1 INTRODUÇÃO, 1 Evolu ão modema dajécnica.de.. tratamento 'Aplicação das técnicas de tratamento, 1 Noções fundamentais sobre movimentos de fluidos, 4 Cisalhamento e gradientes de velocidade no

Leia mais

Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil): Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café

Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil): Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil): Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café Marcus Vinícius Martins M.Sc. em Agronomia Coordenador de Produção Integrada da Cadeia Agrícola Secretaria

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE O PLANTIO DO EUCALIPTO NO SISTEMA DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA

INFORMAÇÕES SOBRE O PLANTIO DO EUCALIPTO NO SISTEMA DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA INFORMAÇÕES SOBRE O PLANTIO DO EUCALIPTO NO SISTEMA DE INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA Informações sobre o plantio do eucalipto no Sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta COLETA DE SOLO NA

Leia mais

Noções de Topografia Para Projetos Rodoviarios

Noções de Topografia Para Projetos Rodoviarios Página 1 de 9 Noções de Topografia Para Projetos Rodoviarios Capitulos 01 - Requisitos 02 - Etaqpas 03 - Traçado 04 - Trafego e Clssificação 05 - Geometria 06 - Caracteristicas Técnicas 07 - Distancia

Leia mais

Empilhadeiras a combustão:

Empilhadeiras a combustão: Empilhadeiras a combustão: 5FG/5FD A Teoria Toyota da Evolução: um triunfo da estabilidade e do desempenho. A Toyota introduz uma nova classe de empilhadeiras de alta performance: a nova série de 5 a 8

Leia mais

New Holland TC. TC5070 TC5070 Exitus

New Holland TC. TC5070 TC5070 Exitus New Holland TC TC5070 TC5070 Exitus DOIS MODELOS PARA CONSOLIDAR A LIDERANÇA ABSOLUTA EM TODAS AS SAFRAS. A New Holland está presente em todos os campos. Sinônimo de colheita, especialista no sucesso

Leia mais

Eng.º Agr.º José Maria Fernandes dos Santos

Eng.º Agr.º José Maria Fernandes dos Santos PONTOS CRÍTICOS NA APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS Eng.º Agr.º José Maria Fernandes dos Santos Pesquisador Científico Laboratório de Proteção e Clínica Vegetal E-mail: santosjmf@biologico.sp.gov.br Fone/Fax: (11)

Leia mais

Tratores Puma Modelos disponíveis: puma 140 = puma 155 = puma 170 = puma 185 =

Tratores Puma Modelos disponíveis: puma 140 = puma 155 = puma 170 = puma 185 = TRATORES PUMA Tratores Puma Seguindo sua estratégia de oferecer um sistema de mecanização agrícola completo, a Case IH apresenta ao mercado sua nova linha de tratores de média potência da família Puma.

Leia mais

TRATOR DE ESTEIRAS 1150L / 1650L / 2050M

TRATOR DE ESTEIRAS 1150L / 1650L / 2050M TRATOR DE ESTEIRAS 1150L / 1650L / 2050M PERFECT IN EVERY MISSION casece.com.br experts for the real world since 1842. TONELADAS DE MAIS PRODUTIVIDADE. Mais força. Mais eficiência. Maior facilidade de

Leia mais

DISTRIBUIDORES DE FERTILIZANTES E CORRETIVOS

DISTRIBUIDORES DE FERTILIZANTES E CORRETIVOS DISTRIBUIDORES DE FERTILIZANTES E CORRETIVOS -CORRETIVOS: - Definição INTRODUÇÃO -FERTILIZANTES: - Definição -MAIS UTILIZADOS - Exemplos: 2- APLICADORES DE CORRETIVOS 2.1 PRÉ REQUISITOS - Dose de aplicação

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre Telescópios. Telescopio Refrator. tub o Bandeja porta oculares Haste de micro ajuste Tripé. Buscador Ajuste de foco

Perguntas e Respostas sobre Telescópios. Telescopio Refrator. tub o Bandeja porta oculares Haste de micro ajuste Tripé. Buscador Ajuste de foco Perguntas e Respostas sobre Telescópios A palavra telescópio é de origem grega e significa ver ao longe (Tele Skopen). Os telescópios têm dois tipos básicos: refratores, regidos pelo princípio físico da

Leia mais