Feira Limpa. SocialSérie EcoSol Nº

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Feira Limpa. SocialSérie EcoSol Nº 01-2009"

Transcrição

1 Feira Limpa SocialSérie EcoSol Nº

2

3 3 Sumário Feira Limpa - como reduzir o impacto ambiental de uma feira? 8 Diagnóstico: quais os possíveis impactos ambientais de uma feira? 8 Desafios e sugestões para evitar desperdícios 10 A- Geração do lixo 10 B- Consumo de energia elétrica 13 C- Consumo de água 15 D- Impacto visual na paisagem 16 E- Proliferação de organismos vivos 16 F- Uso de produtos químicos 17 G- Impacto sonoro 18 H- Poluição do ar 18 Feira Educadora Sustentável - um espaço de educação ambiental 19 Público interno 20 Público externo 21 Subsídios complementares 22 Economia Solidária e Educação Ambiental: convergências e 22 complementaridades A- Olhar o processo por trás de um produto 22 B- Fechar ciclos: ambiente sustentáveis e economicamente solidários 22 C- Política do cotidiano 25 D- Repensar desenvolvimento, progresso, riqueza 25 Notas referenciais 27 Curiosidades 28 Bibliografia 29 Internet 30 Referências 30

4 SISTEMATIZAÇÃO DE EXPERIÊNCIAS EM ECONOMIA SOLIDÁRIA Caderno 1 da Série Marista Social Realização: Instituto Marista de Solidariedade - IMS Diretor: Vicente Falqueto Gerência Social UBEE/UNBEC Gerente Social: Cláudia Laureth Faquinote Coordenação da Publicação: Rizoneide Souza Amorim Shirlei A. A. Silva Versão Preliminar: Antônia Alcilene S. Nascimento Maria de Fátima do Nascimento Oliveira Maria Cirleide Maia de Oliveira Rocha Vângela Maria Lima do Nascimento Kennedy Ribeiro Alencar Mayra Mariana Bento Nogueira Consultoria para Elaboração Final: Daniel Tygel Ana Flávia Borges Badue Maria Rita Avanzi Revisão: Gabriela Chaves SDS, Bloco F, N.27, Conjunto Baracat, Salas 113/115 CEP: Fone: (61) Fax: (61) Brasília/DF 2009

5 5 Apresentação Esta cartilha foi inspirada na experiência vivida pelos organizadores da III Feira Estadual de Economia Solidária do Acre, realizada em Nesta Feira, a comissão organizadora, em especial a comissão de meio ambiente, teve a idéia de realizar uma feira mais limpa e idealizou algumas estratégias, de linha educativa, no que concerne aos aspectos socioambientais para um evento como este. A estratégia desta comissão era de sensibilizar a organização e participantes da Feira quanto às questões relacionadas ao meio ambiente. Nesse sentido, foi pensada uma agenda ambiental contendo alguns itens que exercitassem na prática os valores para preservação ambiental, tais como o uso de papel reciclado, adoção de canecas, utilização frente e verso do papel, coleta seletiva durante a Feira, entre outras iniciativas. Foi pensada, também, em uma identidade visual específica sobre o tema, sendo adotado como selo em todas as peças publicitárias do evento. A identidade visual continha a frase: FEIRA LIMPA: Ato de cidadania. As práticas adotadas nesse evento tiveram boa aceitação, tanto pelos organizadores quanto pelo público participante, surgindo a partir daí, a idéia de sistematizar o vivenciado e elaborar um material que pudesse contribuir com a questão ambiental em outros eventos, em especial de economia solidária. Assim, Antônia Alcilene S. Nascimento, Maria de Fátima do Nascimento Oliveira, Maria Cirleide Maia de Oliveira Rocha e Vângela Maria Lima do Nascimento elaboraram uma versão preliminar do que poderia ser uma cartilha sobre Feira Limpa. Receberam colaborações, ainda, de Kennedy Ribeiro Alencar e Mayra Mariana Bento Nogueira, todos do Estado do Acre. Esta primeira versão foi de fundamental importância para a construção coletiva, pois foi a partir dela que o IMS se colocou no desafio de contribuir com a temática, ampliando a proposta original e buscando novas contribuições, tanto de militantes da economia solidária, quanto do movimento ambientalista, uma vez que o desafio da feira limpa deveria criar um diálogo entre estes diferentes atores. Sendo assim, o IMS convidou Daniel Tygel, da Secretaria Executiva do Fórum Brasileiro de Economia Solidária, que elaborou a cartilha em sua versão atual, com valiosas contribuições de Ana Flávia (Instituto Kairós) e Maria Rita Avanzi (ex-integrante do Ministério do Meio Ambiente na Diretoria de Educação Ambiental).

6 Esta publicação é fruto, portanto, de um trabalho coletivo e muitos esforços conjuntos no intuito de contribuir para que a prática de um manejo adequado de resíduos seja viável em eventos de economia solidária. Nesse sentido, é com muita alegria que apresentamos esta cartilha, estruturada em três partes: A primeira aborda o tema Feira Limpa - Como Reduzir os Impactos de uma Feira e traz uma série de desafios e sugestões de formas de lidar com diversos aspectos para que a organização da Feira possa fazer com que ela tenha o mínimo possível de impacto ou que contribua para melhorar as condições ambientais do local em que será realizada e seu entorno. A segunda parte aborda a educação ambiental: como fazer com que a Feira seja um espaço de educação ambiental? São apontadas sugestões para a realização de uma feira educadora sustentável e que contribua de maneira que os visitantes e expositores passem por um processo pedagógico de aprendizados a respeito da importância da dimensão ambiental em suas vidas, ambiente de trabalho e estudo. A terceira parte é um suporte com informações de subsídio (textos, curiosidades, links e bibliografia) para ações e reflexões dos organizadores e integrantes dos Fóruns de Economia Solidária. Boa leitura a todas(os)! Ir. Vicente Falqueto Diretor do Instituto Marista de Solidariedade (IMS) BOA LEITURA.

7 7 Não há natureza capaz de alimentar um shopping do tamanho do planeta Boaventura de Souza Santos

8 Introdução Vivemos em uma sociedade onde o modo de produção, comercialização e consumo já se mostraram insustentáveis. O planeta demonstra sinais de que não suportará tanto desperdício de recursos naturais e o crescente estímulo ao consumismo. Desperdício insustentável Desperdício: 80% do lixo das feiras livres poderiam ser reaproveitados. Todos os dias, as feiras livres de São Paulo produzem toneladas de lixo. Nem todos os alimentos estão estragados e com organização seria possível alimentar famílias menos favorecidas. Fonte: CD-ROM Por Dentro do Município de São Paulo, Empresa Metropolitana de Planejamento da Grande São Paulo (Emplasa) citada no Jornal da Tarde, 10 de janeiro de 2001, por Danilea Tófoli) Sabe-se hoje que cada indivíduo ou instituição tem um papel importante na mudança do seu padrão de consumo, contribuindo para a sustentabilidade da vida no planeta. O que significa isso? Temos que buscar consumir produtos e serviços que atendam às necessidades básicas, que proporcionem uma melhor qualidade de vida e que garantam esta qualidade para futuras gerações, ou seja, que tenham o mínimo de impacto ambiental. Isso pode parecer difícil, mas não é. Basta usarmos a criatividade com um olhar sensível, crítico e curioso com relação à realidade em nossa volta. Isso não pode ser encarado como um fardo ou como grande dificuldade, mas como sendo uma oportunidade de evolução e de repensar a supervalorização que nossa sociedade dá às questões materiais. As Feiras em geral são espaços importantes para a comercialização de produtos. Para tanto, unem-se diferentes atores com o objetivo de maximizar vendas e negócios, mas poucos se preocupam com o custo decorrente dos benefícios conquistados. A geração de grandes quantidades de resíduos, o gasto com energia, as diferentes formas de poluição, dentre outros, são impactos ambientais que muitas vezes passam despercebidos pela organização de Feiras. A realização de eventos propicia a aglomeração de muitas pessoas com hábitos e

9 9 costumes diferentes. A comercialização de produtos com embalagens diversas e as inúmeras propagandas podem gerar uma grande quantidade de resíduos, que por sua vez vão parar nos aterros sanitários ou lixões. Será que esta é uma realidade inevitável? Não! Um exemplo foi a iniciativa dos organizadores da 3ª Feira Estadual de Economia Solidária do Acre, realizada em dezembro de 2006, na cidade de Rio Branco/AC, que tiveram a idéia de realizar uma Feira Limpa. No início, era apenas um princípio a ser adotado, mas ele resultou como parte integrante do evento durante sua organização e realização. O objetivo foi sensibilizar a organização e os participantes da Feira quanto a questões relacionadas ao meio ambiente, promovendo a mudança de atitudes e comportamentos pela educação ambiental. Neste sentido, foi pensada uma agenda ambiental contendo alguns itens que fossem de fácil aceitação e baixo custo como o uso de papel reciclado, adoção de canecas, uso frente e verso do papel, material de divulgação em papel reciclado, oficinas de recicláveis e a criação do selo da Feira Limpa, criado para dar o diferencial da Feira e fortalecer a identidade da economia solidária no que concerne aos aspectos socioambientais e de consumo ético. Um impacto positivo foi que a 3ª Feira de Economia Solidária do Acre atingiu diretamente pessoas com uma abordagem educativa. Sabemos que a economia solidária é baseada em fortes princípios, valores e práticas e, portanto, é natural que elas devam estar também presentes em nossas Feiras de Economia Solidária. APRENDENDO De fato, há uma preocupação dos organizadores de nossas Feiras com a questão ambiental, mas normalmente não sabemos muito bem como fazer para tratar o assunto. É por isso que produzimos esta cartilha, para orientar e dar sugestões de como repensar o atual modelo de Feira que conjugue as dimensões econômica, social, cultural e ambiental de forma harmônica, e com isso sejam mais coerentes com

10 os princípios e valores da economia solidária. Cada produto e serviço oferecido na Feira - atividade, show, oficina, praça de alimentação, decisão sobre infra-estrutura, local, banheiros, disposição dos estandes - gera um impacto. O importante é determinar o tipo de impacto e como buscar minimizá-lo ao máximo. As possibilidades e formas de reduzir o impacto ambiental de cada uma destas atividades são infinitas e dependem exclusivamente de sua criatividade e imaginação. Esta cartilha traz algumas sugestões que podem ajudar a tomar estas medidas e fazer da Feira um evento exemplar, ou seja, uma Feira Limpa. É importante ressaltar, no entanto, que muitas vezes os desperdícios gerados em uma Feira decorrem da forma como pensamos o nosso produto ou serviço. Ou seja, ela e outros pontos de comercialização fazem parte de uma cadeia que vai desde a produção até o consumo. Para entendermos o que se chama ciclo de vida de um produto o esquema ao lado traz algumas perguntas que podemos fazer em cada uma dessas etapas. Esperamos que as reflexões desta cartilha ajudem, também, a pensar estes outros processos!

11 11 Ciclo de vida do produto PRODUÇÃO De onde vem as matérias-primas dos produtos? Como é produzido nosso produto? Como embalamos nosso produto? Como divulgamos nosso produto? etc. DISTRIBUIÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO Distribuição: Como é transportado o produto que vamos comercializar? Comercialização (por exemplo, em uma feira): Como são vendidos os produtos e quais os impactos que este sistema de comercialização gera desde o seu planejamento até o pós-feira? etc. CONSUMO Como o consumidor consome o produto e como ele o descarta - o que não utilizou, embalagens etc. Que impacto o descarte causa no meio ambiente? Como este impacto afeta a qualidade de vida no planeta e depois como afeta a produção de matérias-primas, para que o ciclo de vida do produto possa continuar de forma sustentável? etc. Desafio: como tornar este ciclo sustentável?

12 Feira Limpa : como reduzir o impacto ambiental de uma feira? DIAGNÓSTICO: Quais os possíveis impactos ambientais da feira? Durante os primeiros momentos de planejamento da Feira, é fundamental que seja feito um diagnóstico sobre os possíveis impactos ambientais de cada evento que está sendo planejado. Isso significa que a questão ambiental não pode ser considerada como uma dimensão separada do planejamento, mas sim, deve perpassar todo o processo de construção da Feira, desde a escolha do local até a definição das atividades, espaços, distribuição de estandes e soluções sanitárias. Apresentamos a seguir algumas perguntas que podem ser realizadas para cada atividade ou estrutura que esteja sendo pensada, de modo a orientar esse diagnóstico. É muito interessante notar que o simples fato de se fazer um diagnóstico já estimula a comissão organizadora e as equipes a pensarem soluções para que a Feira seja mais limpa. É importante que estas perguntas sejam feitas para cada etapa, ou seja, preparação (antes), utilização (durante), e desmonte/arrumação (depois): a) Será gerado lixo? De que tipo? b) Será consumida energia elétrica? Quanto? c) Será consumida água? Quanto? d) Esta atividade ou estrutura afeta a paisagem? Tem impacto visual? Como? e) Poderá haver proliferação de organismos vivos? f) Serão usados produtos químicos (limpeza, manutenção, pintura)? Quais? g) Haverá impacto sonoro? h) Haverá poluição do ar? Estas perguntas são um bom começo para imaginarmos como reduzir os impactos ambientais de cada atividade ou estrutura da Feira. A tabela 1 mostra um exemplo de instrumento para organizar estas perguntas de maneira fácil de visualizar. Como a Feira é normalmente organizada em equipes responsáveis por diferentes atividades e espaços, cada uma pode montar uma tabela para a sua responsabilidade, que servirá como um guia para o restante desta seção da

13 cartilha. Vamos, agora, refletir sobre cada um desses aspectos e identificar alguns desafios e sugestões, tomando como exemplo a Praça de Alimentação, no quadro ao lado: Atividade ou estrutura: praça de alimentação Pergunta ANTES DURANTE DEPOIS a) Geração de lixo? b) Consumo de energia elétrica? c) Consumo de água? d) Impacto visual na paisagem? e) Proliferação de organismos vivos? f) Uso de produtos químicos? h) Poluição do ar? Material de construção Embalagens furadeira, iluminação da obra limpeza do espaço da feira, banheiros vazamentos em pias, vasos sanitários e torneiras em geral tapumes da montagem falta de limpeza adequada de ambientes cera para prateleiras, produtos de limpeza, pinturas e inseticidas g) Impacto sonoro? construção do espaço transporte para a montagem, fuligem e poeira da montagem, uso de materiais de limpeza e cigarro copos, pratos, talheres, sacolas, restos de comida, folderes, guardanapos, lixo e banheiro iluminação da praça e barracas, microondas e outros instrumentos elétricos de cozinha nas barracas, refrigeradores e geladeiras e banheiros limpeza de louças e panelas, água para cozinhar ou sucos, pias para público lavar mãos, vasos sanitários, vazamento em pias, vasos sanitários e torneiras banneres, cartazes, outdoor internos e externos, tabelas de preços e cardápios nas barracas, produção e má destinação de lixo, panfletagem excessiva e sem orientação falta de limpeza adequada dos ambientes, de cuidados adequados com os alimentos detergentes, produtos de limpeza em geral, pinturas e inseticidas barulho das pessoas/visitantes, expositores, shows, apresentações diversas, atividades artísticas e culturais veiculadas com som acima dos decibéis permitidos transporte dos expositores e visitantes, uso de materiais de limpeza e cigarros embalagens, material das barracas, banneres, faixas, folderes iluminação do desmonte da feira e banheiros limpeza do espaço da feira, banheiros, vazamentos em pias, vasos sanitários e torneiras em geral sujeira, sinalização e lixo deixados pelos visitantes e expositores falta de limpeza adequada de ambientes, de cuidados adequados com alimentos produtos de limpeza, pinturas e inseticidas barulho dos equipamentos para desmonte transporte para desmontagem, fuligem e poeira da desmontagem, queima de produtos, uso de materiais de limpeza e cigarro Figura 1: Exemplo de tabela para visualizar aspectos e potenciais impactos ambientais de cada espaço, atividade ou estrutura da Feira ( o exemplo acima aborda a praça de alimentação de um feira fictícia). 13

14 Desafios e sugestões para evitar desperdícios Consumo responsável é a capacidade de cada pessoa ou instituição, pública ou privada, escolher serviços e produtos que contribuam, de forma ética e de fato, para a melhoria de vida de cada um, da sociedade e do ambiente. Instituto Kairós A partir do levantamento dos aspectos e possíveis impactos ambientais da Feira apontados anteriormente, vem o momento de encontrar soluções para minimizar cada um deles. As sugestões abaixo servem para contribuir nesta busca, dando apenas um estímulo com idéias iniciais. O fundamental é a sua criatividade! Dividimos as sugestões em oito partes, de acordo com as perguntas sugeridas na seção anterior. A - GERAÇÃO DE LIXO É comum quando se fala em lixo e meio ambiente, de se pensar somente na reciclagem. Entretanto, ela deve ser a última alternativa! Antes disso, devemos pensar em como minimizar ao máximo a geração do lixo (reduzir), como reaproveitar o lixo na própria Feira (reutilizar) e só então devemos achar uma solução adequada para o seu descarte. Portanto, devemos ter claro que a reciclagem não é uma solução mágica para todos os problemas relacionados ao lixo. Pelo contrário, os processos de reciclagem demandam energia e nem todos os materiais podem ser aproveitados. Seguem algumas sugestões para lidarmos com o lixo em uma Feira: REDUZIR: Precisamos gerar tudo isso? A redução da geração de lixo é muito importante, pois ataca o mal pela raiz. Portanto, ao fazermos o diagnóstico do lixo que será gerado com cada atividade,

15 15 espaço ou estrutura da Feira, devemos olhar e ver se é possível evitar que ele seja gerado! Um exemplo é evitar o uso de materiais descartáveis de qualquer espécie, tais como copinhos, pratinhos e talheres plásticos, quentinhas de alumínio e sacolas plásticas de compras. Há várias maneiras criativas de fazer isso. Por exemplo, cada participante pode adquirir uma caneca com a logomarca da Feira (e da economia solidária) por um preço de custo e se quiser, pode levar para casa ou devolver. Se a pessoa devolver, recebe o dinheiro de volta. Se levar pra casa, terá uma lembrança bonita de sua participação no evento! O mesmo pode ser feito para pratos, sacolas e talheres, pratos de cerâmica ou de acrílico e sacolas de tecidos podem servir como lembrança ou serem devolvidos e o dinheiro voltar para o participante. Pode-se, também, usar como embalagem para os produtos, jornal, caixas e sacos feitos em papel de revista. Além disso, outra dica é evitar a panfletagem excessiva, colocação de banneres, cartazes e outdoors, que não possam ser reaproveitados. Antes de produzir o material gráfico de divulgação, devemos perguntar: Qual é a quantidade realmente necessária? Que tipo de papel e tinta serão usados? Há alguma maneira de reaproveitarmos o material posteriormente? (Apenas para citar um exemplo: gerar cartazes, banners ou outdoors com espaço em branco para colar o local e a data dafeira, de modo que o mesmo material pode ser usado na próxima, precisando apenas colar outra data e local). REUTILIZAR: Como aproveitar o lixo gerado? Antes de pensar em levar o lixo para a reciclagem, pode haver materiais que sejam reutilizados por entidades parceiras na construção da Feira, ou por empreendimentos solidários. Por exemplo, as garrafas de vinho, as compotas de vidro de doces, ou o papel de anotações, podem ser importantes para empreendimentos de produção de vinho, doces e fabricação de arte em papel machê, respectivamente.

16 Se todos os produtores, por exemplo, levarem sacos plásticos para embalar seus produtos que por si só já possuem uma embalagem própria, o impacto de lixo gerado será muito maior do que se for pensado um sistema único de sacola de tecido (reutilizável), cujo valor seja cotizado pelos feirantes, cobrando-se do visitante o preço de custo e eliminando, assim, uma embalagem supérflua e descartável que é o plástico. Em nossas Feiras de economia solidária temos as trocas solidárias. É interessante estimular essa atividade também para trocas de produtos usados dos visitantes e feirantes que não querem mais, prolongando, assim, a vida útil dos produtos de maneira rica e gostosa! Há uma cartilha específica para a organização das trocas solidárias nas Feiras. RECICLAR: Como garantir que o lixo não-reaproveitado seja descartado da melhor maneira possível? SEPARAÇÃO DO LIXO - A separação de lixo e o seu correto encaminhamento são fundamentais para o processo da reciclagem. De nada adianta fazer a separação do lixo se não tiver alguém que o recolha para dar a destinação correta, como veremos a seguir. Uma das maneiras mais simples de separação é termos dois coletores (tipos de latas de lixo, com as cores bem definidas): um para lixo reciclável e outro para lixo não-reciclável. Contudo, a forma de separação depende totalmente das soluções pensadas para o lixo. Por exemplo, se houver compostagem, deve haver um terceiro tipo de coletor: o lixo para restos de comida e cascas de frutas. Se houver coleta por tipo de material, deve haver mais tipos de coletores. Ao invés de um coletor de lixo reciclável, deve haver um coletor para cada tipo de material. E ainda: se houver alguma iniciativa de reaproveitamento de lixo para a própria Feira como, por exemplo, o uso do papel descartado para rascunho ou de latas vazias de vidro, deve haver espaços específicos para isso também. Ou seja: só se deve pensar em como será a separação do lixo (os espaços para o público e expositores jogarem seu lixo fora) depois de ter definido todas as soluções. Isso é fundamental, pois o pior desestímulo que existe é ver o material ser todo

17 17 misturado de novo por causa de falta de planejamento das soluções para cada tipo de coletor criado na Feira. COLETA SELETIVA - A coleta seletiva de lixo é a coleta dos materiais recicláveis separados do restante que não é reciclável. Os principais produtos são papéis, vidros, plásticos e metais. Esse processo começa no local de geração e descarte do lixo onde se devem separar adequadamente os materiais recicláveis para ser devidamente encaminhado. Para se implantar a coleta seletiva em qualquer ambiente deve haver um planejamento prévio que estude desde o levantamento do tipo de lixo gerado, o conhecimento das características locais e as possibilidades de destinação local do lixo, até o planejamento da parte operacional e as ações de comunicação, conscientização e dos usuários (¹). A implantação da coleta seletiva deverá ser realizada preferencialmente através de empreendimentos solidários de coleta de materiais recicláveis. Recomenda-se a aquisição e distribuição de vários coletores seletivos devidamente identificados e espalhados criteriosamente no espaço da Feira e, ainda, a elaboração de uma escala de trabalho para os catadores. Além disso, indica-se a sensibilização dos expositores e participantes da Feira por meio de reuniões, palestras, vinhetas e placas educativas, quanto à importância da coleta seletiva para o meio ambiente e para o sucesso da Feira Limpa, ressaltando o papel de cada cidadão nesse processo. COMPOSTAGEM - A compostagem é um processo biológico de transformação natural da matéria orgânica animal e vegetal em um composto orgânico que serve de nutriente para outras plantas. Esta é a forma mais natural e sustentável para a destinação de resíduos orgânicos (restos de comida, folhas de varrição, cascas de ovo, palha, cinzas, terra, ossos picados, folhas de chá, restos de cultura agrícolas, etc.) que, quando colocados em composteiras, produzirão o adubo. Uma sugestão interessante e estimulante é que a Feira seguinte distribua para os participantes o adubo gerado com o lixo orgânico da anterior! Assim, cada pessoa sentirá que a Feira passada gerou substrato para nova vida! (1) Para saber mais sobre este processo, conheça as orientações do Instituto GEA (www.institutogea.org.br)

18 Durante a realização do Fórum Social Mundial em Porto Alegre (2005), construíram-se estruturas de bioconstrução no acampamento, projetadas pelo Ateliê do FSM e executados sob a orientação do Instituto de Permacultura e Ecovilas da Pampa(²). Nele, foram construídos banheiros secos com duas câmaras de compostagem e utilização de serragem, não havendo, assim, desperdício de água. B - CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA COMO ECONOMIZAR? - Um dos aspectos que pouco se nota em uma Feira é o desperdício de energia elétrica, pois a tomada está lá, a fiação está armada e tudo acontece de maneira invisível. Entretanto, os impactos do desperdício de energia elétrica são muito grandes no país. Por causa do alto consumo, são construídas novas hidrelétricas, termoelétricas ou até mesmo usinas nucleares! Há várias maneiras de se reduzir o consumo de energia elétrica. O primeiro passo é identificar com instrumentos, como o da figura 1, o que vai gerar consumo de energia elétrica para, então, se pensar em como reduzir ou mesmo eliminar este consumo. Um gasto importante de energia costuma estar relacionado à iluminação, ao aquecimento (aquecedores elétricos) ou ao resfriamento (ar-condicionado, ventiladores) dos espaços da Feira. Se esta questão for pensada desde o início de sua preparação, é possível pensar soluções que aproveitem a luz do sol e os ventos do local. Basta observar a rota do sol durante o dia, para pensar os espaços abertos que permitam a entrada da luminosidade e buscar, também, deixar vãos em locais em que o vento costuma passar para manter todos os espaços ventilados ou pelo menos arejados. Além disso, é possível colocar objetos brilhantes em locais estratégicos para substituir lâmpadas elétricas, pois refletem a luz do sol e aumentam a luminosidade interna de locais fechados. Um exemplo é o uso de (2) IPEP (www.ipep.org.br)

19 19 garrafas PET cheias de água³. Para os eventos noturnos é possível otimizar o uso de lâmpadas se as barracas não tiverem teto, ou seja, se a cobertura for da Feira (ex: toldo), de modo que uma mesma lâmpada mais forte possa ser usada para iluminar 2 a 4 barracas ao mesmo tempo. Além disso, para economizar com a iluminação de espaços comuns, basta evitar que haja excesso de divisórias e corredores nos pátios internos, para garantir que cada ponto de luz possa se espalhar o máximo possível. Outras fontes muito grandes de consumo de energia elétrica em uma Feira são os refrigeradores e geladeiras utilizadas para produtos que devem ser conservados resfriados. O estímulo para que empreendimentos solidários usem refrigeradores comuns é uma sugestão, pois é melhor um refrigerador de grande porte do que vários pequenos. Além disso, ao contratar os serviços de aluguel, deve-se buscar optar por aparelhos potentes de refrigeração e, se possível, que possuam o selo do PROCEL, que demonstra o uso mais eficiente de energia. Uma dica é verificar o estado do motor e das borrachas de vedação das portas de cada máquina. Se isso é pensado antes da contratação do serviço, é possível colocar como condição para a escolha do fornecedor (não há problemas com licitações: basta especificar as razões ambientais para inserir este critério no edital). Ainda quanto aos refrigeradores, um ponto importante é a sensibilização de quem for usá-lo, para que evite manter a porta aberta muito tempo e que busque tirar o que deseja rapidamente. Pouca gente sabe, mas cada segundo que uma porta de refrigerador está aberta implica em grande aquecimento do interior. Outro aspecto importante é determinar a temperatura ideal para cada tipo de produto. Nem todos precisam ser refrigerados ao máximo. Alguns podem ficar apenas esfriados e não congelados. (3) Como fazer: Pegue uma garrafa pet transparente, coloque água limpa e duas tampinhas de água sanitária e feche a garrafa e proteja a tampa com um tubo de filme fotográfico. Coloque no telhado ou na cobertura da barraca, metade pra cima da cobertura em contato com o sol, metade para baixo, daí a luz do sol bate na parte de cima da garrafa, e na parte de baixo reflete a luz no ambiente.

20 A economia ao regular a potência desejada pode ser muito grande. Quanto a outros aparelhos eletrônicos, tais como TVs e aparelhos de som, uma dica é não deixá-los no modo de espera (stand-by). É melhor desligar os aparelhos no botão ou, caso não seja possível, desligá-los na tomada ou instalar uma extensão com interruptor. OUTRAS FONTES DE ENERGIA - Sempre que possível, vale a pena buscar a utilização de outras fontes de energia elétrica, tais como placas solares para a iluminação ou mesmo cataventos para energia do vento (eólica). Esse tipo de energia ainda é bastante cara para ser implementada, portanto é adequada caso a Feira ocorra sempre num mesmo lugar. Nesse sentido, um pequeno projeto de geração limpa de energia pode garantir a construção da estrutura, que poderá ser usada em todos os eventos sem mais nenhum gasto adicional nas próximas! Esse tipo de solução é para os que tem visão de futuro e querem que a Feira se torne a cada ano mais auto-suficiente em termos de geração de energia elétrica, exigindo, assim, uma maior organização e captação de recursos. A energia solar pode ser utilizada, também, para aquecimento de água. Existem orientações para a construção de sistemas de baixo custo até mesmo com uso de garrafas PET e embalagens Longa Vida. C - CONSUMO DE ÁGUA ECONOMIA NO USO DE ÁGUA - Costuma-se pensar que a água é inesgotável. Não é. Muito pelo contrário, uma crise de água pode ocorrer a qualquer momento se continuarmos explorando as fontes como temos feito até hoje.numa Feira, a economia de água é um grande desafio, pois envolve uma conscientização de cada empreendimento solidário expositor e dos participantes no evento. A redução do consumo requer cuidados como fechar a torneira enquanto se escova os dentes, ensaboa as mãos, faz a barba e ensaboa a louça, usar a vassoura sempre que possível para limpar ambientes em vez de lavá-los e não deixar ocorrer vazamentos. Em caso de construção de espaço para as Feiras, existem equipamentos disponíveis no mercado que são mais econômicos como, por exemplo, o vaso

21 21 com caixa acoplada ou válvula de descarga econômica, torneiras com sensores automáticos, arejadores para torneiras, chuveiros dispersantes, entre outros. REAPROVEITAMENTO DE ÁGUA - Há outra possibilidade de se evitar desperdício de água no seu reaproveitamento, utilizada de uma atividade para outra. Água com qualidade não-potável pode ser reutilizada diretamente em aplicações específicas. Por exemplo, a água utilizada para lavar as mãos ou nas pias das barracas pode ser aproveitada para dar descarga do vaso sanitário, lavagem de pisos, rega de jardins e combate a incêndios. Já em aplicações que possuam diferentes exigências de qualidade da água é preciso fazer o tratamento e o controle indicado antes de sua reutilização. Também o aproveitamento de água de chuva possibilita realizar diversas ações de limpeza e lavagem. D - IMPACTO VISUAL E NA PAISAGEM Um dos grandes impactos causados na realização de Feiras, em especial durante a sua realização, é a poluição visual causada, por exemplo, pela produção e má destinação do lixo, panfletagem excessiva e sem orientação, banners, cartazes, outdoors, etc. Sugere-se a racionalização do uso de panfletos, somente distribuindo aos visitantes que buscam informações dos produtos, demonstram interesse pelo material de divulgação e procuram fazer a reutilização de materiais de divulgação como banners, cartazes, folders, etc. E - PROLIFERAÇÃO DE ORGANISMOS VIVOS O lixo mal acondicionado pode contribuir para a proliferação de ratos, baratas, moscas e mosquitos, que disseminam várias doenças como dengue, leptospirose, verminoses, hepatite A e doenças de pele. Ao manter o ambiente limpo, acondicionar e destinar o lixo adequadamente pode-se evitar este tipo de problema. Também se deve evitar a entrada de animais nos ambientes das Feiras, em especial em locais com alimentos, e ter uma atenção maior com a limpeza para que não se acumule dejetos de animais no local.

Consumo Consciente. Faz bem para você, para a sociedade e para o planeta

Consumo Consciente. Faz bem para você, para a sociedade e para o planeta Consumo Consciente Faz bem para você, para a sociedade e para o planeta Uma mudança do bem Para nós da Rossi, o consumo consciente é algo vital para a sustentabilidade da sociedade e para o futuro do nosso

Leia mais

Esplanada sem desperdício: preservando o meio ambiente.

Esplanada sem desperdício: preservando o meio ambiente. Implementar ações voltadas ao uso racional de recursos sustentabilidade naturais para promover a ambiental e socioeconômica na Administração Pública Federal. A Esplanada terá metas de racionalização do

Leia mais

Sustentabilidade do Planeta. Todo mundo deve colaborar!

Sustentabilidade do Planeta. Todo mundo deve colaborar! Sustentabilidade do Planeta Todo mundo deve colaborar! Situação no mundo atual O Planeta pede socorro!!!! A atividade humana tem impactado negativamente o meio ambiente. Os padrões atuais de consumo exploram

Leia mais

CENÁRIO BRASILEIRO. Latas de alumínio e plásticos vão para a indústria de reciclagem.

CENÁRIO BRASILEIRO. Latas de alumínio e plásticos vão para a indústria de reciclagem. CENÁRIO BRASILEIRO O Brasil gera aproximadamente 250 mil toneladas de lixo por dia. Assim, imagine duas filas de caminhões de 5 toneladas de capacidade, ocupando uma distância equivalente a 10 pontes Rio-Niterói.

Leia mais

dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis

dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis dicas sustentáveis Como crescer com práticas responsáveis Um desafio que envolve você! Compartilhamos os mesmos espaços e problemas, mas também as soluções. É fundamental ter atitudes responsáveis, suprindo

Leia mais

AR-CONDICIONADO 8 H / DIA = 35,3% / MÊS

AR-CONDICIONADO 8 H / DIA = 35,3% / MÊS O Brasil vive uma crise hídrica e energética que está afetando a distribuição de ambos os recursos no país todo, em maior ou menor intensidade. O Estado de São Paulo, em especial a capital, vem sofrendo

Leia mais

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto.

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. REDUZIR REUTILIZAR RECUPERAR RECICLAR A redução deve ser adaptada por

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE

INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE 12:43 Page 1 INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE Jardins é Page 2 LIXO UM PROBLEMA DE TODOS Reduzir a quantidade de lixo é um compromisso de todos. Uma pessoa é capaz

Leia mais

Preservação do meio ambiente

Preservação do meio ambiente Preservação do meio ambiente Introdução: Este texto, visando a preservação do ambiente em que vivemos, traz atitudes fáceis e práticas que você mesmo pode tomar para tornar o mundo um lugar mais agradável

Leia mais

REDUZIR REUTILIZAR RECICLAR. O caminho para um futuro melhor.

REDUZIR REUTILIZAR RECICLAR. O caminho para um futuro melhor. R R R REDUZIR REUTILIZAR RECICLAR O caminho para um futuro melhor. A FGR se preocupa com o planeta. v Reduza o quanto puder; Reutilize tudo que puder; Recicle o máximo que puder. 2 A qualidade de vida

Leia mais

Práticas Verdes Para Condomínios

Práticas Verdes Para Condomínios Guia de Práticas Verdes Para Condomínios A economia que faz bem para o seu bolso e para o meio ambiente Com o objetivo de incentivar e disseminar práticas sustentáveis em condomínios, o Secovi Rio criou

Leia mais

REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO

REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO REVISÃO 2º BIMESTRE LIXO E SEU DESTINO 1) Analise as alternativas sobre aspectos relacionados ao lixo e marque (V) para as verdadeiras e (F) para as falsas. ( ) O lixo é caracterizado como tudo aquilo

Leia mais

Olá meninos, vocês parecem contrariados. O que aconteceu?

Olá meninos, vocês parecem contrariados. O que aconteceu? Olá meninos, vocês parecem contrariados. O que aconteceu? Puxa, o lixo é mesmo um problema muito sério. Vocês sabiam que muitos animais silvestres estão morrendo porque confundem lixo com comida? Sério?

Leia mais

Lixo. A vida é repleta de Química, Física, História e todas outras ciências que estudamos. Da mesma maneira, o ENEM, aborda os conteúdos que

Lixo. A vida é repleta de Química, Física, História e todas outras ciências que estudamos. Da mesma maneira, o ENEM, aborda os conteúdos que Lixo 1 A vida é repleta de Química, Física, História e todas outras ciências que estudamos. Da mesma maneira, o ENEM, aborda os conteúdos que estudamos em temáticas que rementem ao nosso cotidiano. Dessa

Leia mais

Jardim Escola Aladdin

Jardim Escola Aladdin Jardim Escola Aladdin Os 4 Rs da Sustentabilidade Rio de janeiro 2016 Objetivo geral Esse projeto tem como objetivo promover o envolvimento dos alunos, professores, pais e comunidade em defesa à sustentabilidade

Leia mais

Escritório Verde. Dicas práticas para tornar seu escritório sustentável

Escritório Verde. Dicas práticas para tornar seu escritório sustentável Escritório Verde Dicas práticas para tornar seu escritório sustentável Use a criatividade e o bom senso para gerar conscientização ecológica e economia Escritório Verde Dicas práticas para tornar seu escritório

Leia mais

COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA

COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA COLETA SELETIVA PRATIQUE ESTA IDEIA O QUE É? Coleta seletiva é o processo de separação dos materiais recicláveis do restante dos resíduos sólidos. Como definição de resíduos sólidos, pelo Wikipédia, entende-se

Leia mais

REDUÇÃO DE DESPERDÍCIO DE RECURSOS NATURAIS

REDUÇÃO DE DESPERDÍCIO DE RECURSOS NATURAIS CONSUMO CONSCIENTE REDUÇÃO DE DESPERDÍCIO DE RECURSOS NATURAIS ÁGUA ENERGIA INSUMOS Desenvolvimento Sustentável A ÁGUA NOSSO BEM MAIS PRECIOSO Distribuição de toda água doce 1,8 % 0,96 % 0,02 % 0,001 %

Leia mais

Fique de bem. com a natureza!! Turma do Lixildo em:

Fique de bem. com a natureza!! Turma do Lixildo em: Fundado em agosto de 2003, o Instituto Kautsky é uma Associação sem fins lucrativos que tem como missão estabelecer a harmonia do homem com o meio ambiente pesquisando, promovendo e disseminando conhecimentos

Leia mais

PLANO DE PATROCÍNIO EVENTO REGIONAL VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL

PLANO DE PATROCÍNIO EVENTO REGIONAL VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL PLANO DE PATROCÍNIO EVENTO REGIONAL VICE-PRESIDÊNCIA COMERCIAL Dir. Nac. de Marketing Jun/13 APRESENTAÇÃO Sustentabilidade é um projeto que visa conscientizar a população a preservar o meio ambiente, buscando

Leia mais

PROJETO DE ECONOMIA ECONOMIA DE CONSUMO ÁGUA E ENERGIA EM CASA, RUA, TRABALHO, ESCOLA...

PROJETO DE ECONOMIA ECONOMIA DE CONSUMO ÁGUA E ENERGIA EM CASA, RUA, TRABALHO, ESCOLA... 1 PROJETO DE ECONOMIA ECONOMIA DE CONSUMO ÁGUA E ENERGIA EM CASA, RUA, TRABALHO, ESCOLA... Risco de racionamento de energia existe para 2015, alertaram em 2014 os economistas Treze anos após o apagão que

Leia mais

Vamos Cuidar do. nosso Planeta! Elaboração: Núcleo de Responsabilidade Social

Vamos Cuidar do. nosso Planeta! Elaboração: Núcleo de Responsabilidade Social Vamos Cuidar do Elaboração: Núcleo de Responsabilidade Social Unimed Londrina Rua Senador Souza Naves, 1333 Fone 43 3375-6161 - Fax 43 3375-6100 Cep 86010-160 - Londrina - PR nosso Planeta! responsabilidadesocial@unimedlondrina.com.br

Leia mais

PLANO DE TRABALHO PARA IMPLANTAÇÃO DA A3P CNPJ/MF 10.565.000/0001-92 CEP 50.030-230 CPF 342.246.884-68 CEP 52.041-170

PLANO DE TRABALHO PARA IMPLANTAÇÃO DA A3P CNPJ/MF 10.565.000/0001-92 CEP 50.030-230 CPF 342.246.884-68 CEP 52.041-170 PLANO DE TRABALHO PARA IMPLANTAÇÃO DA A3P 1. DADOS CADASTRAIS Órgão SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE Endereço CAIS DO APOLO, Nº 925, BAIRRO DO RECIFE Cidade RECIFE UF PE Nome do Responsável MARCELO AUGUSTO

Leia mais

Os TRÊS Rs ADMINISTRADOR E GEÓGRAFO SEBASTIÃO CELSO FERREIRA DA SILVA

Os TRÊS Rs ADMINISTRADOR E GEÓGRAFO SEBASTIÃO CELSO FERREIRA DA SILVA Os TRÊS Rs ADMINISTRADOR E GEÓGRAFO SEBASTIÃO CELSO FERREIRA DA SILVA Há pouco mais de 100 anos, éramos 1,6 bilhões e em 2020, seremos 8 bilhões. Onde iremos viver? Com quem (animais)? Quais habitats serão

Leia mais

Guia Ambiental de Materiais de Mídia. Reciclando objetos, renovando conceitos.

Guia Ambiental de Materiais de Mídia. Reciclando objetos, renovando conceitos. Guia Ambiental de Materiais de Mídia. Reciclando objetos, renovando conceitos. Conscientização A questão do lixo é de vital importância para a sobrevivência do planeta e da qualidade de vida da população.

Leia mais

Reciclar, são ações que. Reduzir É o inicio da conservação do meio. Reutilizar Significa reutilizar um produto de

Reciclar, são ações que. Reduzir É o inicio da conservação do meio. Reutilizar Significa reutilizar um produto de Especialistas em meio ambiente alertam para a necessidade da utilização racional dos recursos naturais. Reduzir, Reutilizar e Reciclar, são ações que contribuem para o consumo responsável reduzindo o impacto

Leia mais

BR 448 RODOVIA DO PARQUE GESTÃO E SUPERVISÃO AMBIENTAL MÓDULO II EDUCADORES

BR 448 RODOVIA DO PARQUE GESTÃO E SUPERVISÃO AMBIENTAL MÓDULO II EDUCADORES BR 448 RODOVIA DO PARQUE GESTÃO E SUPERVISÃO AMBIENTAL MÓDULO II EDUCADORES 3 Definições de lixo: No dicionário: sujeira, imundice, coisa(s) inúteis, velhas, sem valor. Na linguagem técnica: sinônimo

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL "PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL" Quem somos: Associação sem fins lucrativos, fundado em 1992, o CEMPRE se dedica à promoção da reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado

Leia mais

Sustentabilidade do planeta. Este assunto diz respeito a todos nós!

Sustentabilidade do planeta. Este assunto diz respeito a todos nós! Sustentabilidade do planeta Este assunto diz respeito a todos nós! Situação no mundo atual O Planeta pede socorro!!! A atividade humana tem impactado negativamente o meio ambiente Os padrões de consumo

Leia mais

Projeto de Sustentabilidade Recicla Mundo

Projeto de Sustentabilidade Recicla Mundo Projeto de Sustentabilidade Recicla Mundo Shopping Eldorado A) Dados da Empresa Em um terreno de 74 mil m², o Shopping Eldorado, inaugurado em 10 de setembro de 1981, consumiu investimentos na ordem de

Leia mais

8- O que você poderia fazer para contribuir com a preservação desse recurso (água)?

8- O que você poderia fazer para contribuir com a preservação desse recurso (água)? Resultado da Enquete Resposta aberta 8- O que você poderia fazer para contribuir com a preservação desse recurso (água)? Reduzir o tempo do banho. Reaproveitar mais a água que utilizo em casa, evitar desperdícios,

Leia mais

Cartilha Coleta Seletiva

Cartilha Coleta Seletiva Cartilha Coleta Seletiva Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Acre Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Cartilha Coleta Seletiva Renata Beltrão Teixeira Vlayrton Tomé Maciel

Leia mais

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL

ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL ENSINO DE QUÍMICA: VIVÊNCIA DOCENTE E ESTUDO DA RECICLAGEM COMO TEMA TRANSVERSAL MENDONÇA, Ana Maria Gonçalves Duarte. Universidade Federal de Campina Grande. E-mail: Ana.duartemendonca@gmail.com RESUMO

Leia mais

Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA

Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA COLETA SELETIVA Conheça algumas medidas importantes para não poluir o meio ambiente na hora de jogar fora o seu lixo Já é inquestionável hoje a importância da reciclagem

Leia mais

SUSTENTABILIDADE EM CONDOMINIOS

SUSTENTABILIDADE EM CONDOMINIOS EM CONDOMINIOS Miguel Tadeu Campos Morata Engenheiro Químico Pós Graduado em Gestão Ambiental Considerações Iniciais Meta - A sobrevivência e perpetuação do seres humanos no Planeta. Para garantir a sobrevivência

Leia mais

Município: São Pedro do Ivaí e-mail: nilsonmarquedeoliveira@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3451 1241

Município: São Pedro do Ivaí e-mail: nilsonmarquedeoliveira@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3451 1241 NRE: Ivaiporã Nome do Professor: Nilson Marques de Oliveira Município: São Pedro do Ivaí e-mail: nilsonmarquedeoliveira@seed.pr.gov.br Fone: (43) 3451 1241 Escola: Escola Estadual Vicente Machado Ensino

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente Programa é um instrumento que visa à minimização de resíduos sólidos, tendo como escopo para tanto a educação ambiental voltada

Leia mais

Apresenta: PAPEL METAL LIXO ORGÂNICO VIDRO PLÁSTICO. no luga

Apresenta: PAPEL METAL LIXO ORGÂNICO VIDRO PLÁSTICO. no luga Apresenta: Coloqu e o lixo no luga r, na hor a e no d certo. ia ORGÂNICO CAPItao VAREJO em: coleta seletiva Enquanto isso, na sala secreta de reuniões... Olá, Capitão Varejo! Grande Gênio, bom dia! Espero

Leia mais

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Preservação e Conservação A preservação é o esforço para proteger um ecossistema e evitar que ele seja modificado. Depende também da presença e ação do homem sobre

Leia mais

SUSTENTABILIDADE? COMO ASSIM?

SUSTENTABILIDADE? COMO ASSIM? SUSTENTABILIDADE? COMO ASSIM? 1. Matéria Bruta Representa a vontade de melhorar o 6. Reciclagem mundo e construir um futuro mais próspero. É o equilíbrio econômico, social e ambiental que garante a qualidade

Leia mais

Limpando a Caixa D'água

Limpando a Caixa D'água Limpando a Caixa D'água É muito importante que se faça a limpeza no mínimo 2 (duas) vezes ao ano. Caixas mal fechadas/tampadas permitem a entrada de pequenos animais e insetos que propiciam sua contaminação.

Leia mais

Dica nº 1: Esta dica do manual é relacionada ao bom uso da água!

Dica nº 1: Esta dica do manual é relacionada ao bom uso da água! Dica nº 1: Esta dica do manual é relacionada ao bom uso da água! Fui atrás de dados sobre o seu consumo consciente no site da Sabesp e encontrei ótimas informações. Você sabia que segundo a ONU - Organização

Leia mais

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Práticas de sustentabilidade Ações que tenham como objetivo a construção de um novo modelo de cultura institucional visando a inserção de critérios de sustentabilidade

Leia mais

Água. Material de Apoio - Água

Água. Material de Apoio - Água Água Material de Apoio Programa Escola Amiga da Terra Mapa Verde Realização: Instituto Brookfield Assessoria: Práxis Consultoria Socioambiental Este material foi utilizado pelos educadores participantes

Leia mais

Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás

Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás PRATIQUE COLETA SELETIVA Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) tem a missão de defender a ordem jurídica, o regime democrático e os interesses

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL Reciclagem e Valorizaçã ção o de Resíduos Sólidos S - Meio Ambiente UNIVERSIDADE DE SÃO S O PAULO "PANORAMA DA COLETA SELETIVA DE LIXO NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, o CEMPRE se dedica à promoção

Leia mais

Reciclando o saber nos 20 anos da Semana da Água - VINHEDO

Reciclando o saber nos 20 anos da Semana da Água - VINHEDO Reciclando o saber nos 20 anos da Semana da Água - VINHEDO II Seminário Regional Semana da Água Média Bacia - Consórcio PCJ Indaiatuba, 23 de abril de 2014. E.M. Professor Claudio Gomes. 1 20 anos de Semana

Leia mais

13/09/2014. Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações.

13/09/2014. Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações. 6º Anos Prof. Leonardo F. Stahnke Consiste em usar os recursos do planeta de forma responsável, atendendo às necessidades atuais sem prejudicar as futuras gerações. Para se alimentar, o ser humano abate

Leia mais

CARTILHA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIVIRTA-SE E APRENDA SOBRE A RECICLAGEM E AS VANTAGENS DAS EMBALAGENS LONGA VIDA U M P RO J E TO

CARTILHA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIVIRTA-SE E APRENDA SOBRE A RECICLAGEM E AS VANTAGENS DAS EMBALAGENS LONGA VIDA U M P RO J E TO CARTILHA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DIVIRTA-SE E APRENDA SOBRE A RECICLAGEM E AS VANTAGENS DAS EMBALAGENS LONGA VIDA U M P RO J E TO O PRIMEIRO PASSO PARA APRENDER A RECICLAR É CONHECER QUAIS MATERIAIS SÃO

Leia mais

Profa. Ana Luiza Veltri

Profa. Ana Luiza Veltri Profa. Ana Luiza Veltri EJA Educação de Jovens e Adultos Água de beber Como está distribuída a água no mundo? A Terra, assim como o corpo humano, é constituída por dois terços de água; Apenas 1% da quantidade

Leia mais

Reciclagem Monte seu jogo e chame a turma para brincar. Corrida da. ANO 7 - Nº7 Caça-palavras Vamos colorir 7 erros e muito mais!

Reciclagem Monte seu jogo e chame a turma para brincar. Corrida da. ANO 7 - Nº7 Caça-palavras Vamos colorir 7 erros e muito mais! ANO 7 - Nº7 Caça-palavras Vamos colorir 7 erros e muito mais! Atividades infantis para resolver e colorir. Uma publicação da Corrida da Reciclagem Monte seu jogo e chame a turma para brincar Vamos colorir?

Leia mais

AVALIAÇÃO AMBIENTAL EM UMA COOPERATIVA DE MATERIAIS RECICLÁVEIS

AVALIAÇÃO AMBIENTAL EM UMA COOPERATIVA DE MATERIAIS RECICLÁVEIS 182 AVALIAÇÃO AMBIENTAL EM UMA COOPERATIVA DE MATERIAIS RECICLÁVEIS Nagiélie Muara SILVA 1* ; Camilla Stheffani Oliveira Machado 2 ; Maria Cristina Rizk 3 1,2 Discente em Engenharia Ambiental pela Universidade

Leia mais

Página 1 de 8-01/04/2014-5:59

Página 1 de 8-01/04/2014-5:59 PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 4 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 LIXO NO LIXO Dá para

Leia mais

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo Amanda Aroucha de Carvalho Reduzindo o seu resíduo 1 Índice 1. Apresentação 2. Você sabe o que é Educação Ambiental? 3. Problemas Ambientais 4. Para onde vai o seu resíduo? 5. Soluções para diminuir a

Leia mais

Aprenda como reduzir custos de seu posto implementando ações sustentáveis

Aprenda como reduzir custos de seu posto implementando ações sustentáveis Aprenda como reduzir custos de seu posto implementando ações sustentáveis Sustentabilidade Equilíbrio Satisfação das necessidades da sociedade Garantia da sobrevivência humana No uso dos Recursos Naturais

Leia mais

Eco Dicas - Construir ou Reformar

Eco Dicas - Construir ou Reformar Eco Dicas - Construir ou Reformar São dicas de como preservar e economizar os recursos naturais quando se pensa em obras. Praticando-as, nosso bolso também agradece. É bom saber que: a fabricação de PVC

Leia mais

"PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL"

PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL "PANORAMA DA COLETA SELETIVA E RECICLAGEM NO BRASIL" Associação sem fins lucrativos, fundado em 1992, o CEMPRE se dedica à promoção da reciclagem dentro do conceito de gerenciamento integrado do lixo.

Leia mais

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO?

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO? SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO? Eixo Temático -Ser Humano e Saúde. Tema -O que Fazer com Tanto Lixo? Subtema - Qualidade de Vida: A Saúde Individual, Coletiva e Ambiental. Ano/Série

Leia mais

Oficina de Forno Solar

Oficina de Forno Solar Oficina de Forno Solar Desfrutando da vida moderna, cada um de nós é responsável pela emissão de grandes quantidades de carbono e outros gases que contribuem para o aquecimento global e suas conseqüências

Leia mais

O LIXO NAS RUAS. É preciso conscientizar as pessoas sobre os riscos que a falta de cuidado com o lixo pode trazer à sociedade.

O LIXO NAS RUAS. É preciso conscientizar as pessoas sobre os riscos que a falta de cuidado com o lixo pode trazer à sociedade. O LIXO NAS RUAS É preciso conscientizar as pessoas sobre os riscos que a falta de cuidado com o lixo pode trazer à sociedade. Por Maria Alice Luna Sampaio Hoje em dia, não podemos dar um passo fora de

Leia mais

SELEÇÃO DE PROJETOS. Feiras de Economia Solidária no Brasil. Brasília/DF, Maio de 2009 SENAES/MTE - UBEE/IMS N. 01/2009

SELEÇÃO DE PROJETOS. Feiras de Economia Solidária no Brasil. Brasília/DF, Maio de 2009 SENAES/MTE - UBEE/IMS N. 01/2009 SELEÇÃO DE PROJETOS Feiras de Economia Solidária no Brasil Brasília/DF, Maio de 2009 SELEÇÃO DE PROJETOS FEIRAS INTERNACIONAIS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA - UBEE/IMS N. 01/2009 1. APRESENTAÇÃO A União Brasileira

Leia mais

ADESÃO DA POPULAÇÃO.

ADESÃO DA POPULAÇÃO. A Comlurb desenvolve desde 1993 um programa de coleta seletiva, inicialmente baseado na implantação de cooperativas de bairro, muitas das quais em operação até hoje. Num passo seguinte foi implantada a

Leia mais

Política de Responsabilidade Ambiental IGS/CeMAIS

Política de Responsabilidade Ambiental IGS/CeMAIS Política de Responsabilidade Ambiental IGS/CeMAIS Uma nova cultura institucional criada a partir dos princípios do uso racional dos recursos naturais com a participação de todos os funcionários Introdução

Leia mais

Lixo é tudo aquilo que já não tem utilidade e é jogado fora, qualquer material de origem doméstica ou industrial.

Lixo é tudo aquilo que já não tem utilidade e é jogado fora, qualquer material de origem doméstica ou industrial. Lixo reflexo da sociedade Definição Lixo é tudo aquilo que já não tem utilidade e é jogado fora, qualquer material de origem doméstica ou industrial. Todo lixo gerado pode ser classificado em dois tipos:orgânico

Leia mais

Como implantar e manter a coleta seletiva na sua escola. Coleta Seletiva

Como implantar e manter a coleta seletiva na sua escola. Coleta Seletiva Como implantar e manter a coleta seletiva na sua escola Coleta Seletiva Apresentaçao ~ Índice Esta cartilha foi elaborada pela Prefeitura de São Bernardo do Campo, em parceria com a SBC Valorização de

Leia mais

Consumo Consciente Energia Elétrica

Consumo Consciente Energia Elétrica Consumo Consciente Energia Elétrica Agosto 2010 Planeta SUSTENTABILIDADE NO CONSUMO Incentivo ao consumo responsável e consciente IMPORTÂNCIA DA ENERGIA PARA O GRUPO Compra energia elétrica de 23 concessionárias

Leia mais

Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A

Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A Programa de Gestão Ambiental Agosto de 2009 Programa de Gestão Ambiental Agosto de 2009 1 1. O Programa de Gestão Ambiental O Programa de Gestão Ambiental da

Leia mais

Sustentabilidade Bartholomeu Consultoria de Imóveis

Sustentabilidade Bartholomeu Consultoria de Imóveis Sustentabilidade Bartholomeu Consultoria de Imóveis Com o intuito de melhorarmos a qualidade do ambiente de trabalho em 2015, a Bartholomeu Consultoria de Imóveis irá desenvolver ações de sustentabilidade

Leia mais

Os 3 R s REDUZIR, REUTILIZAR E RECICLAR

Os 3 R s REDUZIR, REUTILIZAR E RECICLAR Os 3 R s REDUZIR, REUTILIZAR E RECICLAR O problema do lixo é um problema sério que, por enquanto, não tem solução. Citando a capital paulista, onde nem 10% do lixo são reciclados. Cada paulistano produz

Leia mais

Ambiental. Cartilha. Aquecimento Global. Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2. Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos?

Ambiental. Cartilha. Aquecimento Global. Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2. Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos? Cartilha Ambiental Vamos deixar um futuro melhor para nossos filhos? Saiba como reduzir ou até neutralizar suas emissões de Co2 Com atitudes simples você pode contribuir para diminuir sua emissão de CO2,

Leia mais

Prof. Paulo Medeiros

Prof. Paulo Medeiros Prof. Paulo Medeiros Em 2010 entrou em vigor no Brasil a lei dos Resíduos Sólidos. Seu objetivo principal é diminuir a destinação incorreta de resíduos ao meio ambiente. Ela define que todas as indústrias,

Leia mais

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA PROGRAMA DE COLETA SELETIVA PROGRAMA DE COLETA SELETIVA Usando Bem Ninguém Fica Sem. PROGRAMA DE COLETA SELETIVA 1. O QUE É COLETA SELETIVA 2. DESTINO FINAL DO LIXO DE SÃO PAULO 3. COMPOSIÇÃO DO LIXO SELETIVO

Leia mais

CARTILHA GESTÃO AMBIENTAL

CARTILHA GESTÃO AMBIENTAL CARTILHA GESTÃO AMBIENTAL 2 CARTILHA AMBIENTAL VIDRO PLÁSTICO PAPEL METAL ORGÂNICO NÃO RECICLÁVEL Vem se tornando cada vez mais frequente dentro das empresas, a adoção de medidas no sentido de ajudar o

Leia mais

Programa de Gestão. Ambiental. Cartilha. Ambiental

Programa de Gestão. Ambiental. Cartilha. Ambiental Programa de Gestão Ambiental Cartilha Ambiental Índice Responsabilidade Ambiental 1. Responsabilidade Ambiental 2. Organograma 4. Política Ambiental 6. Coleta Seletiva Interna 12. Dicas Importantes A preocupação

Leia mais

O que é saneamento básico?

O que é saneamento básico? O que é saneamento básico? Primeiramente, começaremos entendendo o real significado de saneamento. A palavra saneamento deriva do verbo sanear, que significa higienizar, limpar e tornar habitável. Portanto,

Leia mais

RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL

RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL SOUZA,I.C. ;BUFAIÇAL,D.S.S;SANTOS,M.D.;ARANTES,S.S.;XAVIER,L.;FERREIRA,G.K.S; OLIVEIRA,B.A.;PAGOTTO,W.W.B.S.;SILVA,R.P.;SANTOS.L.G.;SANTOS.F.F.S.;FRANCO,R.

Leia mais

A Importância da reciclagem

A Importância da reciclagem Texto 1 A Importância da reciclagem Vanessa Minuzzi Bidinoto Reciclar é economizar energia, poupar recursos naturais e trazer de volta ao ciclo produtivo o que jogamos fora. Para compreendermos a reciclagem

Leia mais

C a m p a n h a I n s t I t u C I o n a l

C a m p a n h a I n s t I t u C I o n a l Viva Melhor! Campanha Institucional CAMPANHA VIVA MELHOR! Camisetas garrafa squeeze saco lixo para carro FOLHETO PROMOCIONAL CAMPANHA Viva Melhor! JUNTOS, PODEMOS CONSTRUIR UM CAMINHO MAIS SOLIDÁRIO E

Leia mais

Problemas Ambientais Urbanos

Problemas Ambientais Urbanos Problemas Ambientais Urbanos INVERSÃO TÉRMICA É comum nos invernos, principalmente no final da madrugada e início da manhã; O ar frio, mais denso, é responsável por impedir a dispersão de poluentes (CO,

Leia mais

Com este pequeno guia pode, finalmente, tirar partido do seu lixo... e sentir-se bem por isso!

Com este pequeno guia pode, finalmente, tirar partido do seu lixo... e sentir-se bem por isso! Com este pequeno guia pode, finalmente, tirar partido do seu lixo... e sentir-se bem por isso! Os restos de comida, as folhas do jardim ou as plantas secas do quintal ganham vida nova através de um processo

Leia mais

Oficina de Forno Solar. José Albano Fortaleza - CEARÁ

Oficina de Forno Solar. José Albano Fortaleza - CEARÁ Oficina de Forno Solar José Albano Fortaleza - CEARÁ Desfrutando da vida moderna, cada um de nós é responsável pela emissão de grandes quantidades de carbono e outros gases que contribuem para o aquecimento

Leia mais

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E B A U R U E s t a d o d e S ã o P a u l o S E C R E T A R I A D A E D U C A Ç Ã O

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E B A U R U E s t a d o d e S ã o P a u l o S E C R E T A R I A D A E D U C A Ç Ã O P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E B A U R U E s t a d o d e S ã o P a u l o S E C R E T A R I A D A E D U C A Ç Ã O E. M. E. F. P R O F ª. D I R C E B O E M E R G U E D E S D E A Z E V E D O P

Leia mais

Magazine Meio Ambiente

Magazine Meio Ambiente Página 1 de 5 Magazine Meio Ambiente MEIO AMBIENTE Dez atitudes domésticas ecologicamente corretas Publicado a 28 Janeiro 2011 por Danielrox01 Substituir sacolas de plástico A sacola de plástico é a atual

Leia mais

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para

é lei Agora Política Nacional de Resíduos Sólidos poder público, empresas, catadores e população Novos desafios para Política Nacional de Resíduos Sólidos Agora é lei Novos desafios para poder público, empresas, catadores e população Marco histórico da gestão ambiental no Brasil, a lei que estabelece a Política Nacional

Leia mais

SANEAMENTO BÁSICO Água Esgoto

SANEAMENTO BÁSICO Água Esgoto SANEAMENTO BÁSICO Água Esgoto Direitos e Deveres do Usuário Publicado e distribuído pela: Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro Rio de Janeiro - RJ 2014 MENSAGEM

Leia mais

MODERNIZE SUA PLANTA FABRIL. Máquinas e equipamentos mais modernos são mais eficientes e consomem menos energia.

MODERNIZE SUA PLANTA FABRIL. Máquinas e equipamentos mais modernos são mais eficientes e consomem menos energia. 1 REALIZE UM DIAGNÓSTICO ENERGÉTICO para identificar todas as oportunidades existentes, avaliar a viabilidade, determinar as prioridades e montar um programa para sua implementação 2 MODERNIZE SUA PLANTA

Leia mais

EDUCAÇÃO EM SAÚDE NO SUS BINGO DA ÁGUA

EDUCAÇÃO EM SAÚDE NO SUS BINGO DA ÁGUA EDUCAÇÃO EM SAÚDE NO SUS Desenvolver ações educativas e de mobilização social é disseminar informações visando o controle de doenças e agravos à saúde e fomentar nas pessoas o senso de responsabilidade

Leia mais

PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE

PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE CONSELHEIRO LAFAIETE MG 2012 PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE JUSTIFICATIVA O Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete tem como princípio desempenhar seu

Leia mais

46º Congresso da SBPC/ML terá ações de sustentabilidade

46º Congresso da SBPC/ML terá ações de sustentabilidade 46º Congresso da SBPC/ML terá ações de sustentabilidade Durante o 46º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial serão desenvolvidas ações com o objetivo de conscientizar os participantes

Leia mais

CIRSURES - CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DA REGIÃO SUL PROPOSTAS DE AÇÕES PARA A COLETA SELETIVA 2016 URUSSANGA - SC

CIRSURES - CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DA REGIÃO SUL PROPOSTAS DE AÇÕES PARA A COLETA SELETIVA 2016 URUSSANGA - SC CIRSURES - CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DA REGIÃO SUL PROPOSTAS DE AÇÕES PARA A COLETA SELETIVA 2016 URUSSANGA - SC JULHO DE 2015 1. Propostas de ações de divulgação Instalar sistema

Leia mais

CIÊNCIA E MEIO AMBIENTE Prof. Dr. Anderson Orzari Ribeiro

CIÊNCIA E MEIO AMBIENTE Prof. Dr. Anderson Orzari Ribeiro CIÊNCIA E MEIO AMBIENTE Prof. Dr. Anderson Orzari Ribeiro Tópico: A água Objetivos: i) identificação dos diferentes tipos de uso dos recursos hídricos e seu impacto ambiental, econômico e social ii) Ciclo

Leia mais

Você sabia. As garrafas de PET são 100% recicláveis. Associação Brasileira da Indústria do PET

Você sabia. As garrafas de PET são 100% recicláveis. Associação Brasileira da Indústria do PET Você sabia? As garrafas de PET são 100% recicláveis Associação Brasileira da Indústria do PET O Brasil é um dos maiores recicladores de PET do mundo A reciclagem é uma atividade industrial que gera muitos

Leia mais

PRESIDENTE DA REPÚBLICA Luiz Inácio Lula da Silva. Redação Inara Vieira. MINISTRO DA CULTURA Juca Ferreira. Revisão Graça Mendes

PRESIDENTE DA REPÚBLICA Luiz Inácio Lula da Silva. Redação Inara Vieira. MINISTRO DA CULTURA Juca Ferreira. Revisão Graça Mendes PRESIDENTE DA REPÚBLICA Luiz Inácio Lula da Silva MINISTRO DA CULTURA Juca Ferreira PRESIDENTE DO IPHAN Luiz Fernando de Almeida CHEFE DE GABINETE Fernanda Pereira PROCURADORA-CHEFE FEDERAL Lúcia Sampaio

Leia mais

Guia de sustentabilidade para plásticos

Guia de sustentabilidade para plásticos Guia de sustentabilidade para plásticos Maio 2014 1 2 3 4 5 6 7 8 Introdução... 4 Contextualização dos plásticos... 6 Composição dos móveis e utensílios de plásticos...7 Requerimentos para materiais que

Leia mais

Programa Municipal de Sustentabilidade e Ação Social Implantação da A3P Agenda Ambiental na Administração Pública José Bonifácio SP, 2009. 28 p. : II.

Programa Municipal de Sustentabilidade e Ação Social Implantação da A3P Agenda Ambiental na Administração Pública José Bonifácio SP, 2009. 28 p. : II. Sumário 34 5 6 7 8 9 Apresentação... 03 Implementação da A3P... 04 Conheça a A3P...05 - O que é A3P?...05 - Objetivos da A3P...05 - Participantes...06 Impactos e Desperdícios...07 Prioridades...08 Planos

Leia mais

DICAS PARA UM MUNDO MELHOR

DICAS PARA UM MUNDO MELHOR DICAS PARA UM MUNDO MELHOR Cartilha do Meio Ambiente Mobilização Energia Transporte Água CUIDANDO DO FUTURO Desenvolvimento sustentável define-se como aquele que atende às necessidades do presente sem

Leia mais

Dicas para tornar o seu evento sustentável

Dicas para tornar o seu evento sustentável Dicas para tornar o seu evento sustentável consumo sustentável A gente faz acontecer Tornar seu evento verde significa reduzir o seu impacto ambiental direto, mas também contribuir para deixar um legado

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS Título do Podcast Área Segmento Duração Consumo, consumismo e impacto humano no meio ambiente Ciências Humanas Ensino Fundamental; Ensino Médio 6min29seg Habilidades:

Leia mais

Economia de água. Ao usar o vaso sanitário

Economia de água. Ao usar o vaso sanitário Economia de água Economizar água não é mais só um hábito saudável. Atualmente, é uma grande responsabilidade com o futuro. Se não mudarmos nossos hábitos, a escassez de água para o consumo vai nos afetar

Leia mais