São Paulo, 08 de novembro de À Comissão de Valores Mobiliários Superintendência de Relações com Empresas Sr. Fernando Soares Vieira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "São Paulo, 08 de novembro de 2013. À Comissão de Valores Mobiliários Superintendência de Relações com Empresas Sr. Fernando Soares Vieira"

Transcrição

1 São Paulo, 08 de novembro de À Comissão de Valores Mobiliários Superintendência de Relações com Empresas Sr. Fernando Soares Vieira C/c: BM&FBovespa S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros At.: Sr. Guilherme Rocha Lopes Diretoria de Relações com Empresas Ref.: OFÍCIO/CVM/SEP/GEA-2/Nº 338/2013 Assunto: Solicitação de esclarecimentos Instruções CVM nº 358/2002 e 480/2009 Prezados Senhores, Em atendimento ao Ofício em referência, em que V.Sas solicitam esclarecimentos desta Companhia relativamente à noticia veiculada no Jornal Valor Econômico do dia 04/11/2013, sob o título Grupo Fleury fecha 15 unidades até setembro (Caderno Empresas, Seção Serviços, página B6), esclarecemos que: O fechamento de unidades de atendimento, mencionado na reportagem, foi abordado na teleconferência de apresentação de resultados do trimestre, na ocasião em que os Executivos da Companhia esclareciam sobre a movimentação líquida da metragem quadrada e da quantidade de unidades de atendimento, conforme reportada nos documentos divulgados pela empresa, no dia 31/10/2013, via sistema IPE ( Press Release ). A explicação mencionava que este movimento foi acentuado no terceiro trimestre, em razão de iniciativas para melhorar a rentabilidade de marcas regionais da Companhia em localidades específicas. As unidades fechadas, em sua maioria, foram pequenos estabelecimentos que não estavam apresentando níveis satisfatórios de rentabilidade, sendo que em alguns deles havia sobreposição de serviços com outras unidades próximas e de maior porte, decorrente principalmente do avanço na otimização das operações no Rio de Janeiro. Página 1 de 6

2 Vale destacar que, dentre as 15 unidades mencionadas, duas delas não devem ser caracterizadas como fechamento de unidade, por se tratar de conversão de bandeira para outras marcas da Companhia, cujo posicionamento é mais adequado em função da demanda das respectivas localidades. Nesse mesmo período, a Companhia também executou expansão de sua rede de unidades em regiões onde existe uma demanda qualificada para os serviços oferecidos. A título de exemplo, a unidade Capela do Socorro, da marca a+, foi inaugurada em São Paulo no início do ano com uma oferta completa de serviços para a região; a unidade Diagnoson, na Bahia, foi expandida em 2,1 mil metros quadrados para acomodar novos serviços a serem ofertados. Esses movimentos de abertura, fechamento e transferência de endereço são atos normais de gestão das operações da Companhia e, portanto, não devem ser considerados como um desinvestimento, mas apenas um remanejamento dos atendimentos por outras unidades próximas, possibilitando maior racionalização de custos e melhoria dos serviços de diagnósticos médicos. Isso porque, de acordo com o indicador de área útil, divulgado trimestralmente pela empresa, não houve redução na oferta dos serviços prestados pela Companhia ao longo do ano de 2013, apesar da redução no número de unidades. Ao contrário, entre dezembro de 2012 e Setembro de 2013, houve uma adição líquida de 1,9 mil metros quadrados de novos serviços (aumento de 2%), o que demonstra não ter havido qualquer tipo de desinvestimento. Essas ocorrências, portanto, não devem ser consideradas como desinvestimento relevante, nos termos do disposto no item 10.1.a.iii do Formulário de Referência (Anexo 24 à Instrução CVM nº 480/09), mas como uma oportunidade de otimização dos serviços, identificada ao longo do exercício de Corrobora com o entendimento da Companhia de não obrigatoriedade de comunicação desses remanejamentos de atendimento, no item 10.1.a.iii do Formulário de Referência, o fato de que o art. 24, 3º da Instrução CVM 480/09 consolidada, não prever que alterações no plano de negócios da Companhia, ou mesmo investimentos ou desinvestimentos relevantes, sejam atualizados em 7 (sete) dias contados da sua ocorrência. Assim é que, as decisões de remanejamento dos serviços, que implicou em novas disposições de unidades, não foi entendido pela Companhia como desinvestimento relevante, não tendo gerado qualquer impacto negativo na oferta dos serviços prestados e, por tal motivo, a Companhia não providenciou a atualização do Formulário de Referência. Página 2 de 6

3 Com relação aos contratos de credenciamento com a Unimed Rio e a Unimed Paulistana, as rescisões ocorreram por decisão da Companhia, uma vez que as condições comerciais não estavam adequadas aos interesses Grupo Fleury. Tais rescisões ocorreram em localidades onde há grande demanda para serviços de medicina diagnóstica, de modo que o volume dessas operadoras está sendo gradativamente substituído por clientes de outras operadoras cujas condições comerciais com o Grupo Fleury permitem a prestação de serviços com a qualidade e padrão desejados, e com a justa rentabilidade do capital empregado. Ressalta-se que esta decisão não causará decréscimo da receita total da Companhia, uma vez que tal movimento está associado a crescimentos consistentes e robustos na base de clientes que se manteve ativa. A Companhia considera que as rescisões dos referidos contratos não influem de modo ponderável na cotação dos seus valores mobiliários e/ou na decisão dos investidores de alterar ou manter a sua relação de titularidade dos valores mobiliários, não se enquadrando, portanto, na definição de Fato Relevante disposta no art. 2º, incisos I a III da Instrução CVM nº 358/2002, sobretudo porque o objetivo das referidas rescisões foi justamente preservar o potencial dos valores mobiliários da Companhia. Por fim, esclarecemos que não há informações adicionais importantes a divulgar no momento. Certos de termos atendido a solicitação de V.Sas., subscrevemo-nos, Atenciosamente, Fleury S.A. João Ricardo K. Patah Diretor de Relações com Investidores OFÍCIO/CVM/SEP/GEA-2/Nº 338/2013 Rio de Janeiro, 4 de novembro de Ao Senhor JOÃO RICARDO KALIL PATAH Página 3 de 6

4 Diretor de Relações com Investidores da FLEURY S.A. Avenida General Valdomiro de Lima, 508 Jabaquara São Paulo SP Tel.: (11) Fax: (11) s: C/C: BM&FBOVESPA Assunto: Solicitação de esclarecimentos Instruções CVM nº 358/2002 e 480/2009 Senhor Diretor, Reportamo-nos aos seguintes trechos em destaque da notícia veiculada no jornal Valor Econômico no dia 04/11/2013, sob o título Grupo Fleury fecha 15 unidades até setembro (Caderno Empresas, Seção Serviços, página B6): O Fleury fechou 15 unidades de atendimento da bandeira a+ nos nove primeiros meses deste ano. Deste total, seis foram laboratórios localizados no Rio, quatro em São Paulo, três no Rio Grande do Sul, um no Paraná e outra unidade na Bahia. Em contrapartida, a empresa de medicina diagnóstica abriu neste mesmo período duas unidades, sendo uma da bandeira Fleury em São Paulo e outra do Felippe Mattoso no Rio. No total, o grupo conta com 174 unidades laboratoriais. O fechamento das unidades faz parte da reestruturação promovida pela companhia. Além delas, o Fleury também vai encerrar as atividades em 11 unidades de hospitais da Rede D'Or até o primeiro trimestre do próximo ano. Descontinuamos negócios que não eram rentáveis. Não vamos fechar mais unidades, disse na sexta-feira João Patah, diretor de relações com investidores do Fleury, em teleconferência com analistas. O processo de reestruturação também prevê uma redução de 16,5% no orçamento para expansão e cancelamento de contratos com operadoras de planos de saúde que geram margens baixas. Nesse sentido, o Fleury rompeu com a Unimed Rio e a Unimed Paulistana. A cooperativa médica carioca representava 30% da receita dos exames realizados nas unidades do Lab's Dor, no Rio. Já conseguimos recuperar 30% da perda com outros planos de saúde. Isso foi possível porque havia uma demanda reprimida, disse também na teleconferência Vivien Rosso, presidente do Fleury. Nas últimas duas semanas, fontes do setor de saúde têm comentado a possibilidade de o Fleury vir a ter um novo sócio. Na sexta-feira, um relatório do Deustche Bank citou dois possíveis interessados, caso o Fleury esteja mesmo aberto a negociações: as americanas Quest Diagnostics e Laboratory Corporation of America. A Laboratory tem interesse no mercado brasileiro, informou o banco. Página 4 de 6

5 A respeito, requeremos que V.Sª esclareça se a afirmação é verídica e, se confirmada sua veracidade, explique: a) os motivos pelos quais os desinvestimentos realizados no âmbito do processo de reestruturação não foram divulgados no item a.iii do Formulário de Referência da Companhia; e b) em relação ao rompimento com a Unimed Rio e a Unimed Paulistana, os motivos pelos quais entendeu não se tratar de fato relevante, tendo em vista o disposto no inciso XVII do artigo 2º da Instrução CVM nº 358, de.3 de janeiro de Tal manifestação deverá incluir cópia deste Ofício e ser encaminhada ao Sistema IPE, categoria Comunicado ao Mercado, tipo Esclarecimentos sobre consultas CVM/BOVESPA. Ressaltamos que, nos termos do art. 3º da Instrução CVM nº 358, de 3 de janeiro de 2002, cumpre ao Diretor de Relações com Investidores divulgar e comunicar à CVM e, se for o caso, à bolsa de valores e entidade do mercado de balcão organizado em que os valores mobiliários de emissão da companhia sejam admitidos à negociação, qualquer ato ou fato relevante ocorrido ou relacionado aos seus negócios, bem como zelar por sua ampla e imediata disseminação, simultaneamente em todos os mercados em que tais valores mobiliários sejam admitidos à negociação. Destacamos, por fim, que a transgressão às disposições da Instrução CVM nº 358, de 3 de janeiro de 2002, constitui infração grave, nos termos do artigo 18 da mencionada Instrução, para os fins previstos no 3º do artigo 11 da Lei 6.385, de 7 de dezembro de Cientificamos para os devidos fins que caberá à Superintendência de Relações com Empresas, no uso de suas atribuições legais e, com fundamento no inciso II, do artigo 9º, da Lei 6.385, de 7 de dezembro de 1976, e no artigo 7º c/c o artigo 9º da Instrução CVM nº 452, de 30 de abril de 2007, determinar a aplicação de multa cominatória, no valor de R$ 1.000,00 (mil reais), sem prejuízo de outras sanções administrativas, pelo não atendimento ao presente Ofício, ora também enviado via , no prazo de 3 (três) dias úteis. Em caso de dúvidas, contatar o analista Gustavo André Ramos Inúbia, por meio do ou do telefone (21) Atenciosamente, Página 5 de 6

6 GUILHERME ROCHA LOPES Gerente de Acompanhamento de Empresas 2 Em exercício FERNANDO SOARES VIEIRA Superintendente de Relações com Empresas Página 6 de 6

Ofício nº 376/2015/CVM/SEP/GEA-2 Rio de Janeiro, 19 de novembro de 2015.

Ofício nº 376/2015/CVM/SEP/GEA-2 Rio de Janeiro, 19 de novembro de 2015. Ofício nº 376/2015/CVM/SEP/GEA-2 Rio de Janeiro, 19 de novembro de 2015. Ao Senhor, José Roberto Lettiere Diretor de Relações com Investidores da NATURA COSMÉTICOS S.A. Av. Alexandre Colares, 1.188- Vila

Leia mais

Aegea Saneamento e Participações S.A. Comunicado ao Mercado. Resposta ao Ofício/CVM/SEP/GEA-2/Nº 019/2015

Aegea Saneamento e Participações S.A. Comunicado ao Mercado. Resposta ao Ofício/CVM/SEP/GEA-2/Nº 019/2015 Aegea Saneamento e Participações S.A. Companhia Aberta CNPJ nº 08.827.501/0001-58 NIRE: 35.300.435.613 Código CVM 2339-6 Comunicado ao Mercado Resposta ao Ofício/CVM/SEP/GEA-2/Nº 019/2015 São Paulo, 26

Leia mais

Comissão de Valores Mobiliários - CVM Superintendência de Relações com o Mercado e Intermediários Superintendência de Relações com Empresas

Comissão de Valores Mobiliários - CVM Superintendência de Relações com o Mercado e Intermediários Superintendência de Relações com Empresas Klabin SA Avenida Brigadeiro Faria Lima 3600, 3º 04538-132 São Paulo SP tel 11 3046 5800 www.klabin.com.br São Paulo, 30 de outubro de 2014. À Comissão de Valores Mobiliários - CVM Superintendência de

Leia mais

MMX MINERAÇÃO E METÁLICOS S.A. CNPJ/MF: 02.762.115/0001-49 NIRE: 33.3.0026111-7 (Companhia Aberta)

MMX MINERAÇÃO E METÁLICOS S.A. CNPJ/MF: 02.762.115/0001-49 NIRE: 33.3.0026111-7 (Companhia Aberta) MMX MINERAÇÃO E METÁLICOS S.A. CNPJ/MF: 02.762.115/0001-49 NIRE: 33.3.0026111-7 (Companhia Aberta) COMUNICADO AO MERCADO Esclarecimento sobre nota veiculada na imprensa À Comissão de Valores Mobiliários

Leia mais

São Paulo, 18 de março de 2013.

São Paulo, 18 de março de 2013. São Paulo, 18 de março de 2013. À Comissão de Valores Mobiliários - CVM Superintendência de Relações com Empresas Gerência de Acompanhamento de Empresas 2 At. Sr. Fernando Soares Vieira Sr. Daniel Alves

Leia mais

Esclarecimento ao Mercado divulgado pela Oi

Esclarecimento ao Mercado divulgado pela Oi Comunicado Lisboa 31 de outubro de 2014 Esclarecimento ao Mercado divulgado pela Oi A Portugal Telecom, SGPS S.A. informa sobre o comunicado divulgado pela Oi, S.A. com esclarecimento ao mercado, de acordo

Leia mais

DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S/A CNPJ/MF n.º 61.486.650/0001-83 NIRE n.º 35.300.172.507. Companhia Aberta

DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S/A CNPJ/MF n.º 61.486.650/0001-83 NIRE n.º 35.300.172.507. Companhia Aberta DIAGNÓSTICOS DA AMÉRICA S/A CNPJ/MF n.º 61.486.650/0001-83 NIRE n.º 35.300.172.507 Companhia Aberta ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 12 DE NOVEMBRO DE 2015 ANEXO I Política de Divulgação

Leia mais

OFÍCIO/CVM/SEP/GEA-5/Nº 121/2012 Rio de Janeiro, 09 de maio de 2012.

OFÍCIO/CVM/SEP/GEA-5/Nº 121/2012 Rio de Janeiro, 09 de maio de 2012. OFÍCIO/CVM/SEP/GEA-5/Nº 121/2012 Rio de Janeiro, 09 de maio de 2012. Ao Senhor, CARLOS ALBERTO BEZERRA DE MIRANDA Diretor de Relações com Investidores da BAESA-ENERGETICA BARRA GRANDE S.A Avenida Madre

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO DA

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO DA POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO DA KROTON EDUCACIONAL S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF n.º 02.800.026/0001-40 NIRE 31.300.025.187 I Definições e Adesão 1. As definições

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO DA COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO DA COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO DA COMPANHIA BRASILEIRA DE DISTRIBUIÇÃO Aprovada em Reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 29 de agosto

Leia mais

Memorando nº 16/2015-CVM/SEP Rio de Janeiro, 19 de janeiro de 2015.

Memorando nº 16/2015-CVM/SEP Rio de Janeiro, 19 de janeiro de 2015. 1 de 5 27/02/2015 17:50 Memorando nº 16/2015-CVM/SEP Rio de Janeiro, 19 de janeiro de 2015. PARA: SGE DE: SEP Assunto: Recurso contra aplicação de multa cominatória COMPANHIA DE ÁGUAS DO BRASIL CAB AMBIENTAL

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE LE LIS BLANC DEUX COMÉRCIO E CONFECÇÕES DE ROUPAS S.A. POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE LE LIS BLANC DEUX COMÉRCIO E CONFECÇÕES DE ROUPAS S.A. POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE LE LIS BLANC DEUX COMÉRCIO E CONFECÇÕES DE ROUPAS S.A. POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE I DEFINIÇÕES E ADESÃO 1. As definições utilizadas

Leia mais

ANEXO A FERTILIZANTES HERINGER S.A. CNPJ/MF 22.266.175/0001-88 POLITICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO

ANEXO A FERTILIZANTES HERINGER S.A. CNPJ/MF 22.266.175/0001-88 POLITICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO ANEXO A FERTILIZANTES HERINGER S.A. CNPJ/MF 22.266.175/0001-88 POLITICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO I - DEFINIÇÕES E ADESÃO 1. As definições utilizadas na presente Política

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA TARPON INVESTIMENTOS S.A.

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA TARPON INVESTIMENTOS S.A. POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA TARPON INVESTIMENTOS S.A. I - DEFINIÇÕES E ADESÃO 1. As definições utilizadas na presente Política de Divulgação têm os significados que lhes são atribuídos

Leia mais

MARFRIG GLOBAL FOODS S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF nº 03.853.896/0001-40 NIRE 35.216.957.541 COMUNICADO AO MERCADO

MARFRIG GLOBAL FOODS S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF nº 03.853.896/0001-40 NIRE 35.216.957.541 COMUNICADO AO MERCADO MARFRIG GLOBAL FOODS S.A. COMPANHIA ABERTA CNPJ/MF nº 03.853.896/0001-40 NIRE 35.216.957.541 COMUNICADO AO MERCADO A MARFRIG GLOBAL FOODS S.A. ( Companhia ou Marfrig ), nos termos do artigo 157, 4º da

Leia mais

CONCESSIONÁRIA RODOVIAS DO TIETÊ S.A. CNPJ/MF Nº 10.678.505/0001-63 NIRE Nº 35.300.366.476

CONCESSIONÁRIA RODOVIAS DO TIETÊ S.A. CNPJ/MF Nº 10.678.505/0001-63 NIRE Nº 35.300.366.476 CONCESSIONÁRIA RODOVIAS DO TIETÊ S.A. CNPJ/MF Nº 10.678.505/0001-63 NIRE Nº 35.300.366.476 POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATOS OU FATOS RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO I. DEFINIÇÕES E ADESÃO 1. As definições

Leia mais

Superintendência de Relações com Mercado e Intermediários Sr. Waldir de Jesus Nobre

Superintendência de Relações com Mercado e Intermediários Sr. Waldir de Jesus Nobre À BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros Rua XV de Novembro, 275 CEP 01013-001, São Paulo/SP São Paulo, 2 de outubro de 2013 At.: C/c BM&FBOVESPA S.A. Gerência de Acompanhamento de Emissores

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 476, DE 16 DE JANEIRO DE 2009.

INSTRUÇÃO CVM Nº 476, DE 16 DE JANEIRO DE 2009. INSTRUÇÃO CVM Nº 476, DE 16 DE JANEIRO DE 2009. Dispõe sobre as ofertas públicas de valores mobiliários distribuídas com esforços restritos e a negociação desses valores mobiliários nos mercados regulamentados.

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA GAEC EDUCAÇÃO S.A. SEÇÃO I DEFINIÇÕES

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA GAEC EDUCAÇÃO S.A. SEÇÃO I DEFINIÇÕES POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA GAEC EDUCAÇÃO S.A. SEÇÃO I DEFINIÇÕES 1. Os termos e expressões relacionados abaixo, quando utilizados nesta Política, terão o seguinte significado: 1.1.

Leia mais

LEVY & SALOMÃO A D V O G A D O S

LEVY & SALOMÃO A D V O G A D O S DANIEL TARDELLI PESSOA (11) 3555-5037 (21) 3503-2033 dpessoa@levysalomao.com.br CHRISTIAN GALVÃO DAVIES (11) 3555-5039 cdavies@levysalomao.com.br AV. BRIG. FARIA LIMA, 2601 12º ANDAR 01452-924 SÃO PAULO

Leia mais

Bradespar S.A. Capítulo I Abrangência. Capítulo II Definições

Bradespar S.A. Capítulo I Abrangência. Capítulo II Definições Bradespar S.A. e de Negociação de Valores Mobiliários de Emissão da Bradespar S.A. Capítulo I Abrangência Art. 1 o ) As Políticas de Divulgação de Ato ou Fato Relevante e de Negociação de Valores Mobiliários

Leia mais

Política de Divulgação de Informações Relevantes e Preservação de Sigilo

Política de Divulgação de Informações Relevantes e Preservação de Sigilo Índice 1. Definições... 2 2. Objetivos e Princípios... 3 3. Definição de Ato ou Fato Relevante... 4 4. Deveres e Responsabilidade... 5 5. Exceção à Imediata Divulgação... 7 6. Dever de Guardar Sigilo...

Leia mais

COMPANHIA ESTADUAL DE ÁGUAS E ESGOTO - CEDAE 3ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2015

COMPANHIA ESTADUAL DE ÁGUAS E ESGOTO - CEDAE 3ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2015 COMPANHIA ESTADUAL DE ÁGUAS E ESGOTO - CEDAE 3ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2015 Rio de Janeiro, 29 de Abril de 2016. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES PARA O MERCADO DE CAPITAIS

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES PARA O MERCADO DE CAPITAIS POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES PARA O MERCADO DE CAPITAIS 1. OBJETIVO A presente Política de Divulgação de Informações tem como objetivo geral estabelecer o dever da Companhia em divulgar, de forma

Leia mais

BTG PACTUAL PARTICIPATIONS, LTD. POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO

BTG PACTUAL PARTICIPATIONS, LTD. POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO BTG PACTUAL PARTICIPATIONS, LTD. POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO (Aprovada em Reunião do Conselho de Administração da Companhia (Director s Meeting) realizada em

Leia mais

CIELO S.A. EXERCÍCIO DE 2015

CIELO S.A. EXERCÍCIO DE 2015 CIELO S.A. 4ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2015 Rio de Janeiro, 29 de Abril de 2016. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade de Agente Fiduciário da 4ª

Leia mais

IMIGRANTES COMPANHIA SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS 2ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS

IMIGRANTES COMPANHIA SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS 2ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS IMIGRANTES COMPANHIA SECURITIZADORA DE CRÉDITOS IMOBILIÁRIOS 2ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2011 Rio de Janeiro, 30 de Abril, 2012.

Leia mais

CYRELA BRAZIL REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013

CYRELA BRAZIL REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 CYRELA BRAZIL REALTY S.A. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2014. Prezados Senhores

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 19, DE 15/12/98

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 19, DE 15/12/98 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 19, DE 15/12/98 Estabelece orientações e procedimentos a serem adotados pelas entidades fechadas de previdência privada(efpp), em decorrência da Decisão-Conjunta CVM/SPC n 02, de

Leia mais

Recurso contra aplicação de multa cominatória

Recurso contra aplicação de multa cominatória PARA: GEA-2 DE: Paulo Portinho RA/CVM/SEP/GEA-2/Nº 105/2015 DATA: 22/06/2015 ASSUNTO: Recurso contra aplicação de multa cominatória CIA. INDL. SCHLOSSER S.A. Processo CVM nº 2014-14745 1. Senhor Superintendente,

Leia mais

S a c h o Auditores Independentes Auditoria e Assessoria

S a c h o Auditores Independentes Auditoria e Assessoria CLIPPING COMENTÁRIOS, REGULAMENTAÇÕES E NORMATIVOS SOCIEDADES CORRETORAS, COOPERATIVAS DE CRÉDITO, ADMINISTRADORAS DE CONSÓRCIO, E INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS EM GERAL Nº 16 ref: Setembro/2009 São Paulo,

Leia mais

Assunto: Esclarecimentos relacionados à atuação do auditor no âmbito do mercado de valores mobiliários

Assunto: Esclarecimentos relacionados à atuação do auditor no âmbito do mercado de valores mobiliários COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Rua Sete de Setembro, 111/2-5º e 23-34º Andares Centro Rio de Janeiro - RJ CEP: 20050-901 Brasil Tel.: (21) 3554-8686 - www.cvm.gov.br OFÍCIO-CIRCULAR/CVM/SNC/GNA/n.º 01/2016

Leia mais

MANUAL PARA REGISTRO DE CERTIFICADO DE DEPÓSITO DE VALORES MOBILIÁRIOS - BDR NÍVEL I NÃO PATROCINADO

MANUAL PARA REGISTRO DE CERTIFICADO DE DEPÓSITO DE VALORES MOBILIÁRIOS - BDR NÍVEL I NÃO PATROCINADO MANUAL PARA REGISTRO DE CERTIFICADO DE DEPÓSITO DE VALORES MOBILIÁRIOS - BDR NÍVEL I NÃO PATROCINADO Artigo 1º. Para registro do Certificado de Depósito de Valores Mobiliários - BDR Nível I Não Patrocinado

Leia mais

EDITAL PARA CREDENCIAMENTO DE FUNDO DE INVESTIMENTOS E SEUS RESPECTIVOS GESTORES/ADMINISTRADORES

EDITAL PARA CREDENCIAMENTO DE FUNDO DE INVESTIMENTOS E SEUS RESPECTIVOS GESTORES/ADMINISTRADORES EDITAL PARA CREDENCIAMENTO DE FUNDO DE INVESTIMENTOS E SEUS RESPECTIVOS GESTORES/ADMINISTRADORES GOIÁS- EDITAL N.º 003/2014 O GOIÁS, por meio de seu Gestor (a) Grasiene Teobalda De Oliveira, torna público

Leia mais

OFÍCIO/CVM/SEP/GEA-1/Nº 140/2011 Rio de Janeiro, 30 de março de 2011.

OFÍCIO/CVM/SEP/GEA-1/Nº 140/2011 Rio de Janeiro, 30 de março de 2011. OFÍCIO/CVM/SEP/GEA-1/Nº 140/2011 Rio de Janeiro, 30 de março de 2011. Ao Senhor Carlos Antonio Tilkian Diretor de Relações com Investidores da MANUFATURA DE BRINQUEDOS ESTRELA SA Rua Gomes de Carvalho,

Leia mais

BC FUNDO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII

BC FUNDO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA DE COTAS DO BC FUNDO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII BC FUNDO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA BM&FBOVESPA PARA A OFERTA

Leia mais

Política de Divulgação de Atos ou Fatos Relevantes da Quality Software S.A. ( Política de Divulgação )

Política de Divulgação de Atos ou Fatos Relevantes da Quality Software S.A. ( Política de Divulgação ) Política de Divulgação de Atos ou Fatos Relevantes da Quality Software S.A. ( Política de Divulgação ) Versão: 1.0, 08/03/2013 Fatos Relevantes v 1.docx 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO... 3 2. PESSOAS SUJEITAS

Leia mais

Processo de Acompanhamento de Divulgação das Informações por parte das Companhias Abertas

Processo de Acompanhamento de Divulgação das Informações por parte das Companhias Abertas 1 Processo de Acompanhamento de Divulgação das Informações por parte das Companhias Abertas Nilza Maria Silva de Oliveira Gerente da Superintendência de Acompanhamento de Empresas (SEP) Praia, Cabo Verde

Leia mais

1 Aquisição que Gerou a Obrigação de Formular a OPA.

1 Aquisição que Gerou a Obrigação de Formular a OPA. OFERTA PÚBLICA DE AQUISIÇÃO DE AÇÕES ORDINÁRIAS DE EMISSÃO DA EXCELSIOR ALIMENTOS S.A. SOB PROCEDIMENTO DIFERENCIADO AVISO RESUMIDO AOS ACIONISTAS DA EXCELSIOR ALIMENTOS S.A. SRS. CLOVIS LUIZ BAUMHARDT,

Leia mais

Gerência Nacional de Desenvolvimento de Fundos Estruturados Av. Paulista, 2.300 11.º andar 01310-300 São Paulo SP

Gerência Nacional de Desenvolvimento de Fundos Estruturados Av. Paulista, 2.300 11.º andar 01310-300 São Paulo SP CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Gerência Nacional de Desenvolvimento de Fundos Estruturados Av. Paulista, 2.300 11.º andar 01310-300 São Paulo SP São Paulo, 16 de maio de 2013 À CVM Comissão de Valores Mobiliários

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004

INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004 Ministério da Fazenda Comissão de Valores Mobiliários INSTRUÇÃO Nº 402, DE 27 DE JANEIRO DE 2004 Estabelece normas e procedimentos para a organização e o funcionamento das corretoras de mercadorias. O

Leia mais

BROOKFIELD INCORPORAÇÕES S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2010.

BROOKFIELD INCORPORAÇÕES S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2010. BROOKFIELD INCORPORAÇÕES S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2010. Rio de janeiro, 29 de Abril de 2011. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade

Leia mais

RB CAPITAL SECURITIZADORA S.A. 74ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO

RB CAPITAL SECURITIZADORA S.A. 74ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO RB CAPITAL SECURITIZADORA S.A. 74ª SÉRIE da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores

Leia mais

Comitê Consultivo de Educação Programa TOP XI Regulamento

Comitê Consultivo de Educação Programa TOP XI Regulamento Apresentação: O Programa TOP é uma iniciativa conjunta das instituições que formam o Comitê Consultivo de Educação, criado pela Deliberação CVM n 498/06, que tem os seguintes objetivos: - propor e apoiar

Leia mais

a importância de um sistema de auditoria independente como suporte indispensável ao órgão regulador;

a importância de um sistema de auditoria independente como suporte indispensável ao órgão regulador; 1) INTRODUÇÃO Ref.: Instrução CVM Nº 308, de 14 de maio de 1999, que dispõe sobre o registro e o exercício da atividade de auditoria independente no âmbito do mercado de valores mobiliários, define os

Leia mais

Nível 2. Governança Corporativa

Nível 2. Governança Corporativa Nível 2 Governança Corporativa Apresentação Implantados em dezembro de 2000 pela antiga Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA), o Novo Mercado e os Níveis Diferenciados de Governança Corporativa Nível

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 2.689. I - constituir um ou mais representantes no País; II - preencher formulário, cujo modelo constitui o Anexo a esta Resolução;

RESOLUÇÃO Nº 2.689. I - constituir um ou mais representantes no País; II - preencher formulário, cujo modelo constitui o Anexo a esta Resolução; RESOLUÇÃO Nº 2.689 Documento normativo revogado, a partir de 30/3/2015, pela Resolução nº 4.373, de 29/9/2014. Dispõe sobre aplicações de investidor não residente nos mercados financeiro e de capitais.

Leia mais

S a c h o Auditores Independentes Auditoria e Assessoria

S a c h o Auditores Independentes Auditoria e Assessoria CLIPPING COMENTÁRIOS, REGULAMENTAÇÕES E NORMATIVOS SOCIEDADES CORRETORAS, COOPERATIVAS DE CRÉDITO, ADMINISTRADORAS DE CONSÓRCIO, E INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS EM GERAL Nº 05/2008 ref: Setembro/2008 São Paulo,

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA EMPRESA GLOBEX UTILIDADES S/A 1. PÚBLICO ALVO

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA EMPRESA GLOBEX UTILIDADES S/A 1. PÚBLICO ALVO POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA EMPRESA GLOBEX UTILIDADES S/A 1. PÚBLICO ALVO a) a própria Globex; b) acionistas controladores, diretos ou indiretos; c) diretores estatutários; d) membros

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Banco do Nordeste Fundo de Investimento Ações Petrobras (Administrado pelo Banco do Nordeste do Brasil S.A. - CNPJ: 07.237.373/0001-20) 31 de março de 2014 com Relatório dos Auditores

Leia mais

BK BRASIL OPERAÇÃO E ASSESSORIA A RESTAURANTES S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014

BK BRASIL OPERAÇÃO E ASSESSORIA A RESTAURANTES S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 BK BRASIL OPERAÇÃO E ASSESSORIA A RESTAURANTES S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores Debenturistas,

Leia mais

SALUS EMPREENDIMENTOS LOGÍSTICOS II S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014

SALUS EMPREENDIMENTOS LOGÍSTICOS II S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 SALUS EMPREENDIMENTOS LOGÍSTICOS II S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores Debenturistas, Na

Leia mais

PEDIDO DE RESERVA CÓDIGO ISIN Nº BRVRTACTF008

PEDIDO DE RESERVA CÓDIGO ISIN Nº BRVRTACTF008 PEDIDO DE RESERVA CÓDIGO ISIN Nº BRVRTACTF008 Condicionado Não Condicionado Pedido de Reserva ( Pedido de Reserva ou Pedido ) relativo à oferta pública de distribuição de até 434.783 (quatrocentas e trinta

Leia mais

BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013

BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2014. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade de

Leia mais

Norma para emissão de relatórios de análise de valores mobiliários sell side

Norma para emissão de relatórios de análise de valores mobiliários sell side O conteúdo deste documento é propriedade da BROOKFIELD BRASIL ASSET MANAGEMENT INVESTIEMENTOS LTDA.. Não pode ser reproduzido, armazenado ou transmitido, em qualquer formato ou por quaisquer meios, sejam

Leia mais

PROLAGOS S.A. CONCESSIONÁRIA DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE ÁGUA E ESGOTO 2ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2015

PROLAGOS S.A. CONCESSIONÁRIA DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE ÁGUA E ESGOTO 2ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2015 PROLAGOS S.A. CONCESSIONÁRIA DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE ÁGUA E ESGOTO 2ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2015 Rio de Janeiro, 29 de Abril de 2016. Prezados Senhores

Leia mais

VGL NEWS ANO 8 - INFORMATIVO 128-15 DE SETEMBRO A 30 DE SETEMBRO DE 2008 ASSUNTOS FISCAIS

VGL NEWS ANO 8 - INFORMATIVO 128-15 DE SETEMBRO A 30 DE SETEMBRO DE 2008 ASSUNTOS FISCAIS 1 de 5 19/5/2012 17:30 VGL NEWS ANO 8 - INFORMATIVO 128-15 DE SETEMBRO A 30 DE SETEMBRO DE 2008 ASSUNTOS FISCAIS Tributos e Contribuições Federais DRAWBACK VERDE E AMARELO SUSPENSÃO DE TRIBUTOS FEDERAIS

Leia mais

Operadora: Alexandre Dias:

Operadora: Alexandre Dias: Operadora: Boa tarde, senhoras e senhores. Sejam bem-vindos à teleconferência de resultados do 3T da Anhanguera Educacional. Hoje nós temos a presença do Sr. Alexandre Dias, CEO da Companhia, Sr. Ricardo

Leia mais

POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A. 18ª. e 19ª SÉRIES da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO

POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A. 18ª. e 19ª SÉRIES da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO POLO CAPITAL SECURITIZADORA S.A. 18ª. e 19ª SÉRIES da 1ª. EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2014.

Leia mais

FIEX HSBC PREMIER FUNDO DE INVESTIMENTO NO EXTERIOR HSBC PREMIER PROSPECTO. ADMINISTRAÇÃO e GESTÃO: HSBC BANK BRASIL S.A.

FIEX HSBC PREMIER FUNDO DE INVESTIMENTO NO EXTERIOR HSBC PREMIER PROSPECTO. ADMINISTRAÇÃO e GESTÃO: HSBC BANK BRASIL S.A. FIEX HSBC PREMIER FUNDO DE INVESTIMENTO NO EXTERIOR HSBC PREMIER PROSPECTO ADMINISTRAÇÃO e GESTÃO: HSBC BANK BRASIL S.A. BANCO MÚLTIPLO Atualizado em março de 2004 Fundo de Investimento no Exterior HSBC

Leia mais

Ref.: Procedimentos de alteração dos Fundos de Investimento cadastrados na Base de Dados da ANBIMA.

Ref.: Procedimentos de alteração dos Fundos de Investimento cadastrados na Base de Dados da ANBIMA. São Paulo, 08 de Setembro de 2010. Comunicado N 013/10 Ref.: Procedimentos de alteração dos Fundos de Investimento cadastrados na Base de Dados da ANBIMA. Prezados (as) Srs (as)., Desde Agosto de 2006,

Leia mais

Referência: Instrumento Particular de Escritura da 6ª Emissão de Debêntures Participativas da Companhia Vale do Rio Doce (Escritura)

Referência: Instrumento Particular de Escritura da 6ª Emissão de Debêntures Participativas da Companhia Vale do Rio Doce (Escritura) Rio de Janeiro, 30 de março de 2004. Referência: Instrumento Particular de Escritura da 6ª Emissão de Debêntures Participativas da Companhia Vale do Rio Doce (Escritura) Assunto: Relatório sobre Faturamento

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004. Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004.

INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004. Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004. INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004 Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM torna público que o Colegiado, em reunião

Leia mais

DELIBERAÇÃO CVM Nº 734, DE 17 DE MARÇO DE 2015

DELIBERAÇÃO CVM Nº 734, DE 17 DE MARÇO DE 2015 DELIBERAÇÃO CVM Nº 734, DE 17 DE MARÇO DE 2015 Delega competência à Superintendência de Registro de Valores Mobiliários para conceder dispensas em ofertas públicas de distribuição de contratos de investimento

Leia mais

0281/15 São Paulo, 09 de fevereiro de 2015. Ao Instituto Brasileiro de Governança Corporativa - IBGC At.: Sr. Alexandre Tanaami

0281/15 São Paulo, 09 de fevereiro de 2015. Ao Instituto Brasileiro de Governança Corporativa - IBGC At.: Sr. Alexandre Tanaami Tel.: +55 11 3848 588o Rua Major Quedinho 90 Fax: + 55 11 3045 7363 Consolação São Paulo, SP - Brasil www.bdobrazil.com.br 01050-030 0281/15 São Paulo, 09 de fevereiro de 2015. Ao Instituto Brasileiro

Leia mais

SUPERVIA CONCESSIONÁRIA DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014

SUPERVIA CONCESSIONÁRIA DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 SUPERVIA CONCESSIONÁRIA DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores Debenturistas,

Leia mais

VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 3ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES

VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 3ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 3ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de

Leia mais

Política de Divulgação de Ato ou Fato Relevante da Marisa Lojas S.A.

Política de Divulgação de Ato ou Fato Relevante da Marisa Lojas S.A. Política de Divulgação de Ato ou Fato Relevante da Marisa Lojas S.A. A presente Política de Divulgação de Informações relevantes tem como princípio geral estabelecer o dever da Marisa Lojas S.A. ( Companhia

Leia mais

VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures

VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2011 VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA

Leia mais

OFÍCIO/CVM/SEP/GEA-1/Nº 142/2011 Rio de Janeiro, 30 de março de 2011.

OFÍCIO/CVM/SEP/GEA-1/Nº 142/2011 Rio de Janeiro, 30 de março de 2011. OFÍCIO/CVM/SEP/GEA-1/Nº 142/2011 Rio de Janeiro, 30 de março de 2011. Ao Senhor Fernando Martins Vaz Chabert Diretor de Relações com Investidores da Hotéis Othon S/A Rua Teófilo Otoni, 15, sala 1201, Centro

Leia mais

31 de março de 2015 e 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras

31 de março de 2015 e 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras Demonstrações Financeiras Banrisul Multi Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ: 92.702.067/0001-96) e 2014 com Relatório

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - CEMEPE INVESTIMENTOS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2011 - CEMEPE INVESTIMENTOS SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Fluxo de Caixa 5 Demonstração das Mutações

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ABERDEEN BRASIL EQUITY FUNDO DE INVESTIMENTO AÇÕES

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ABERDEEN BRASIL EQUITY FUNDO DE INVESTIMENTO AÇÕES LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o ABERDEEN BRASIL EQUITY FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

ARM TELECOMUNICAÇÕES E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2015

ARM TELECOMUNICAÇÕES E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2015 ARM TELECOMUNICAÇÕES E SERVIÇOS DE ENGENHARIA S.A. 1ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2015 Rio de Janeiro, 29 de Abril de 2016. Prezados Senhores Debenturistas,

Leia mais

CAIXA SEGURADORA S.A. CNPJ: 34.020.354/0001-10 Relatório da Administração 1º semestre de 2011

CAIXA SEGURADORA S.A. CNPJ: 34.020.354/0001-10 Relatório da Administração 1º semestre de 2011 CAIXA SEGURADORA S.A. CNPJ: 34.020.354/0001-10 Relatório da Administração 1º semestre de 2011 Aos acionistas, clientes e colaboradores Temos a satisfação de submeter à apreciação de V.Sas. as demonstrações

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÕES DA RODA DE DÓLAR PRONTO

MANUAL DE OPERAÇÕES DA RODA DE DÓLAR PRONTO MANUAL DE OPERAÇÕES DA RODA DE DÓLAR PRONTO 1. INTRODUÇÃO 2. DEFINIÇÃO 3. OBJETO DE NEGOCIAÇÃO 4. PARTICIPANTES 4.1 Participantes Intermediadores 4.2 Participantes Compradores e Vendedores Bancos 5. OPERAÇÕES

Leia mais

COMPANHIA DE LOCAÇÃO DAS AMÉRICAS - LOCAMÉRICA 4ª Emissão de Debêntures Simples

COMPANHIA DE LOCAÇÃO DAS AMÉRICAS - LOCAMÉRICA 4ª Emissão de Debêntures Simples COMPANHIA DE LOCAÇÃO DAS AMÉRICAS - LOCAMÉRICA 4ª Emissão de Debêntures Simples ÍNDICE CARACTERIZAÇÃO DA EMISSORA...3 CARACTERÍSTICAS DAS DEBÊNTURES...3 DESTINAÇÃO DE RECURSOS...5 ASSEMBLÉIAS DE DEBENTURISTAS...5

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA BM&FBOVESPA

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA BM&FBOVESPA DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA PRIMÁRIA E SECUNDÁRIA AÇÕES ORDINÁRIAS DE EMISSÃO DA BRMALLS PARTICIPAÇÕES S.A. MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA BM&FBOVESPA OFERTA VAREJO Performance do Período ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES MULTISETORIAL CNPJ/MF n.º 09.068.796./0001-99 Código ISIN das Quotas: BRMGENCTF005 R$500.000.

FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES MULTISETORIAL CNPJ/MF n.º 09.068.796./0001-99 Código ISIN das Quotas: BRMGENCTF005 R$500.000. Prospecto Definitivo de Distribuição Pública das Quotas da Primeira Emissão do FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES MULTISETORIAL CNPJ/MF n.º 09.068.796./0001-99 Código ISIN das Quotas: BRMGENCTF005

Leia mais

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Memorando nº 29/2016-CVM/SIN/GIF Rio de Janeiro, 15 de maio de 2016. De: SIN Para: SGE Assunto: Pedido de dispensa de cumprimento de requisito normativo da BB Getsão de

Leia mais

Procedimentos para Registro de Companhias na BOVESPA

Procedimentos para Registro de Companhias na BOVESPA Procedimentos para Registro de Companhias na BOVESPA A análise de pedidos de registro no BOVESPA MAIS, bem como dos pedidos de registro no Novo Mercado, Nível 2 e Nível 1 de empresas que estejam em processo

Leia mais

TOTVS S.A. CNPJ/MF 53.113.791/0001-22 NIRE 35.300.153.171 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 28 DE OUTUBRO DE 2014

TOTVS S.A. CNPJ/MF 53.113.791/0001-22 NIRE 35.300.153.171 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 28 DE OUTUBRO DE 2014 TOTVS S.A. CNPJ/MF 53.113.791/0001-22 NIRE 35.300.153.171 ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 28 DE OUTUBRO DE 2014 1. - DATA, HORA E LOCAL DA REUNIÃO: Realizada no dia 28 de outubro

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA RAÍZEN ENERGIA S.A.

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA RAÍZEN ENERGIA S.A. POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA RAÍZEN ENERGIA S.A. 1. OBJETIVO 1.1. O objetivo da presente Política de Divulgação é estabelecer as regras e procedimentos a serem adotados pela Raízen

Leia mais

Merrill Lynch S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários

Merrill Lynch S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários Merrill Lynch S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários Av. Brigadeiro Faria Lima, 3400 6º andar 04538-32 São Paulo, SP - Brasil Tel. (55 ) 288-4000 Fax: (55 ) 288-4074 Merrill Lynch S.A. Corretora

Leia mais

O replay desse evento estará disponível logo após seu encerramento por um período de sete dias.

O replay desse evento estará disponível logo após seu encerramento por um período de sete dias. Operadora: Transcrição da Teleconferência Bom dia e obrigada por aguardarem. Sejam bem vindos à teleconferência da Tegma Gestão Logística S.A., para discussão dos resultados referentes ao 3T10. Estão presentes

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Celular CRT

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Celular CRT Demonstrações Financeiras Relatório Anual 04 Visão Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Celular CRT Período: 04 e 03 dezembro R$ Mil Descrição 04 03 Variação (%). Ativos.85.769

Leia mais

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DE ATIVOS (CBLC) Março 2011 GLOSSÁRIO ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva

Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva 13 Fev 2015 17h00 Fitch Ratings - Rio de Janeiro, 13 de fevereiro de 2015: A Fitch Ratings afirmou, hoje, o Rating Nacional de Longo Prazo

Leia mais

10º PRÊMIO IMPRENSA DE EDUCAÇÃO AO INVESTIDOR

10º PRÊMIO IMPRENSA DE EDUCAÇÃO AO INVESTIDOR 10º PRÊMIO IMPRENSA DE EDUCAÇÃO AO INVESTIDOR R E G U L A M E N T O 1. O PRÊMIO IMPRENSA DE EDUCAÇÃO AO INVESTIDOR 1.1. O PRÊMIO IMPRENSA DE EDUCAÇÃO AO INVESTIDOR é uma iniciativa do Comitê Consultivo

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO "NOVO LEBLON"

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO NOVO LEBLON ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO "NOVO LEBLON" I - Denominação e Objetivo ARTIGO 1º - O Clube de Investimento Novo Leblon, doravante designado Clube é constituído por número limitado de membros

Leia mais

Deveres e Responsabilidades dos Membros do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal. Os Deveres dos Conselheiros na Instrução CVM nº 358/02

Deveres e Responsabilidades dos Membros do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal. Os Deveres dos Conselheiros na Instrução CVM nº 358/02 1 Deveres e Responsabilidades dos Membros do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal Os Deveres dos Conselheiros na Instrução CVM nº 358/02 Elizabeth Lopez Rios Machado SUPERINTENDÊNCIA DE RELAÇÕES

Leia mais

Ano XVI - nº 228 - Edição de 24 Fevereiro de 2015

Ano XVI - nº 228 - Edição de 24 Fevereiro de 2015 Ano XVI - nº 228 - Edição de 24 Fevereiro de 2015 IBRI e Souza, Cescon, Barrieu & Flesch Advogados promovem workshop sobre Assembleia de Acionistas O IBRI (Instituto Brasileiro de Relações com Investidores)

Leia mais

EDITAL DE AUDIÊNCIA PÚBLICA SDM Nº 02/2012 Prazo: 11 de maio de 2012

EDITAL DE AUDIÊNCIA PÚBLICA SDM Nº 02/2012 Prazo: 11 de maio de 2012 EDITAL DE AUDIÊNCIA PÚBLICA SDM Nº 02/2012 Prazo: 11 de maio de 2012 Objeto: Contratação de Formador de Mercado Alterações na Instrução que regula os Fundos de Investimento Imobiliário FII 1. Introdução

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 118, DE 2004.

MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS. RESOLUÇÃO CNSP N o 118, DE 2004. MINISTÉRIO DA FAZENDA CONSELHO NACIONAL DE SEGUROS PRIVADOS RESOLUÇÃO CNSP N o 118, DE 2004. Dispõe sobre a prestação de serviços de auditoria independente para as sociedades seguradoras, de capitalização

Leia mais

- BM&FBOVESPA S.A. BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS Superintendência de Acompanhamento de Empresas - Coordenadoria de Relações com Empresas

- BM&FBOVESPA S.A. BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS Superintendência de Acompanhamento de Empresas - Coordenadoria de Relações com Empresas À COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS Superintendência de Relações com Empresas Rio de Janeiro RJ c/cópia: - BM&FBOVESPA S.A. BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS Superintendência de Acompanhamento de Empresas

Leia mais

BRESSER AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES

BRESSER AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES BRESSER AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES REGULAMENTO DO FUNDO O BRESSER AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES, regido pelas disposições do presente Regulamento, e regulado pelas Instruções CVM nº 302

Leia mais

GENERAL SHOPPING BRASIL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado (Categoria A ) CNPJ/MF nº 08.764.621/0001-53 NIRE 35.300.340.

GENERAL SHOPPING BRASIL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado (Categoria A ) CNPJ/MF nº 08.764.621/0001-53 NIRE 35.300.340. GENERAL SHOPPING BRASIL S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado (Categoria A ) CNPJ/MF nº 08.764.621/0001-53 NIRE 35.300.340.833 FATO RELEVANTE GENERAL SHOPPING BRASIL S.A. ( Companhia ), em atendimento

Leia mais

Lâmina de Informações Essenciais do. Título Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Título FIM-LP) CNPJ/MF: 02.269.

Lâmina de Informações Essenciais do. Título Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Título FIM-LP) CNPJ/MF: 02.269. Lâmina de Informações Essenciais do Informações referentes à Dezembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o TÍTULO FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO - LONGO PRAZO (Título

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 001/2016 - IPMT

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 001/2016 - IPMT EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 001/2016 - IPMT CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS E SIMILARES, SOCIEDADES CORRETORAS, DISTRIBUIDORAS DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E PESSOAS JURÍDICAS QUE ATUEM COMO

Leia mais