Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes"

Transcrição

1 Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes Orientações BásicasB Gerência de Inovação Tecnológica

2 Informação Tecnológica gica- O que é? Informação Tecnológica é todo tipo de conhecimento sobre tecnologias de fabricação, de projeto e de gestão, que favoreça a melhoria contínua da qualidade e a inovação no setor produtivo. Fonte: Glossário Geral de Ciência da Informação. Brasília: CID/UNB, 2004.

3 Fontes de Informação Tecnológica Fontes Informais: Obtidas em congressos, feiras e exposições, entrevistas em rádio, televisão etc.; Fontes Formais: Obtidas em livros, normas técnicas, teses, notícias em jornais e revistas, meio eletrônico (bases de dados nacionais ou internacionais, informações da internet: bibliotecas virtuais, artigos), patentes, etc. Kahaner (1997, p )

4 Importância das Bases Patentárias Segundo a Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), mais de 70% da Informação Tecnológica disponível em todo o mundo somente pode ser encontrada nos documentos de patente.

5 Vantagens do USO da Informação Tecnológica Patenteada A busca em Bancos de Patentes feita sistematicamente, mesmo quando não há intenção de se patentear um invento, pode proporcionar informações valiosas sobre: As atividades de P&D dos atuais e futuros competidores; Tendências tecnológicas; Tecnologias disponíveis para licenciamento; Potenciais fornecedores, parceiros e pesquisadores; Possíveis nichos de mercado no Brasil e no exterior; Patentes relevantes que expiraram e que caíram em domínio público; Possíveis campos de desenvolvimento, com base nas tecnologias existentes.

6 Fontes de Informação Tecnológica- Principais Base Comercial Online DIALOG Permite acesso a cerca de 600 bases de dados em diversas áreas do conhecimento humano. Exs. WPI (base de patentes) e INPADOC. Endereço:

7 Fontes de Informação Tecnológica gica- Principais Bases Patentárias Gratuitas Brasil (INPI - Instituto Nacional da Propriedade Industrial) Europa (EPO - European Patente Office) EUA (USPTO - Escritório Norte-Americano de Patentes) Japão (Escritório Japones de Patentes)

8 Busca de Patente no INPI

9 Busca de Patente no INPI

10 Busca de Patente no INPI

11 Busca de Patente no INPI Dicas de Pesquisa

12 Busca de Patente no INPI Termo/assunto usado na pesquisa

13 Busca de Patente no INPI Número de identificação do pedido da patente

14 Busca de Patente no INPI pdf com desenhos e resumo Classificação Internacional, pode auxiliar na busca de patentes em bases internacionais

15 Busca de Patente no INPI Número de identificação do pedido da patente Classificação Internacional, pode auxiliar na busca de patentes em bases internacionais, uma vez que a classificação do assunto se mantém Desenho Ilustrativo

16 Documento de Patente Brasileiro

17 Número de identificação do pedido da patente Classificação Internacional Documento Europeu

18 Número de identificação do pedido da patente Classificação Internacional Documento Americano (US)

19 Dicas de Busca Importantes Busca por palavras-chave busca ampla para a recuperação de toda a documentação referente a uma determinada matéria usar todos os sinônimos e formas de descrição Busca por palavras-chave para a recuperação de documentos referentes à origem de uma tecnologia considerar possível forma de descrição original Alguns termos somente são adotados após s o lançamento amento do produto no mercado. Ex.: nomes comerciais de princípios pios ativos de medicamentos Busca por Classificação delimita o campo específico fico para a busca Combinação do uso de palavras chave e Classificação permite a recuperação de documentos contendo os termos buscados, mas apenas aqueles relacionados ao campo tecnológico de interesse USO de operadores lógicos/booleanos (AND, OR e NOT) Truncagem: * - nº ilimitado de caracteres? 0 ou 1 caracter # - somente 1 caracter

20 Sites Adicionais para Suporte para Buscas Sinônimos de termos técnicos: Estruturas químicas e informações sobre compostos químicos: CIP- Classificação Internacional de Patentes na internet: 8ª edição - Atual 7ª edição - Atual

21 O que é uma Patente? Patente é um título de propriedade temporária sobre uma invenção ou modelo de utilidade, outorgados pelo Estado aos inventores ou autores ou outras pessoas físicas ou jurídicas detentoras de direitos sobre a criação. Em contrapartida, o inventor se obriga a revelar detalhadamente todo o conteúdo técnico da matéria protegida pela patente. Durante o prazo de vigência da patente, o titular tem o direito de excluir terceiros, sem sua prévia autorização, de atos relativos à matéria protegida, tais como fabricação, comercialização, importação, uso, venda, etc. Fonte: INPI

22 Documento de Patente Tipos Pedido de patente - documento depositado, independente de ter sido concedido ou não. Patente concedida documento final, após o processamento do pedido.

23 Aviso Importante A pesquisa prévia, para determinar se uma invenção é nova e não decorre obviamente daquilo que já se conhece (estado da técnica), deve se estender a toda a literatura técnica e científica divulgada em livros, conferências, teses, sites da Internet, publicações empresariais e jornais. Todavia, a melhor maneira de pesquisar o estado da técnica é fazer buscas em um Banco de Patentes.

24 Aviso Importante A busca prévia de anterioridade é uma amostragem e não verifica os documentos de patentes que estão em período de sigilo a partir da data de pedido de depósito, nos escritórios oficiais, que é de 18 meses. Portanto se algum documento similar ou igual estiver no período de sigilo, vale o recurso para o primeiro depositante. Além do que foi exposto anteriormente, a busca prévia não garante a abrangência do campo de pesquisa bibliográfica na totalidade da literatura técnica publicada no mundo.

25 Apoio SENAI para Busca de Patentes É importante que um técnico da área a ser pesquisada e um profissional de informação realizem a pesquisa em parceria, um domina a área temática o outro as estratégias de busca. A Rede de Núcleos de Informação Tecnológica com sua equipe multidisciplinar, oferece apoio para pesquisa prévia em bases patentárias. Encontre uma unidade mais próxima:

Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes. Aspectos Gerais

Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes. Aspectos Gerais CURSO DE CAPACITAÇÃO EM PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes Aspectos Gerais Araraquara, agosto/2009 Importância da Informação Tecnológica

Leia mais

A Patente como Fonte de Informação Tecnológica

A Patente como Fonte de Informação Tecnológica A Patente como Fonte de Informação Tecnológica Rafaela Di Sabato Guerrante Ciclo de Palestras ICTs e Inovação Tecnológica UECE/CEFET-CE/UFC Fortaleza CE Maio/2007 Globalização Era da Informação Relações

Leia mais

Oficina de Busca de. Patentes

Oficina de Busca de. Patentes Núcleo de Tecnológica Oficina deinovação Busca de Patentes Mostra Científico-Cultural 2012 2ª Semana de Telecomunicações Oficina de Busca de Patentes Luiz Henrique Castelan Carlson, Dr. Eng. PATENTES (Propriedade

Leia mais

MESTRADO PROFISSIONAL EM DEFESA SANITÁRIA ANIMAL "BUSCA DE PATENTES COMO ESTRATÉGIA PARA A ATUALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO"

MESTRADO PROFISSIONAL EM DEFESA SANITÁRIA ANIMAL BUSCA DE PATENTES COMO ESTRATÉGIA PARA A ATUALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO MESTRADO PROFISSIONAL EM DEFESA SANITÁRIA ANIMAL "BUSCA DE PATENTES COMO ESTRATÉGIA PARA A ATUALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO" ATUAÇÕES NIT-UEMA Divulgação Programadas e por Demanda O

Leia mais

II Bases e Estratégias. Objetivos da busca Tipos de busca

II Bases e Estratégias. Objetivos da busca Tipos de busca II Bases e Estratégias Objetivos da busca Tipos de busca Passos da Busca 1- definir e delimitar o objeto de busca 2- escolher bases de dados 3- delimitar os campos de busca e definir os parâmetros da pesquisa:

Leia mais

Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 65 DOE de 08/04/08

Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 65 DOE de 08/04/08 Diário Oficial Estado de São Paulo Poder Executivo Seção I Palácio dos Bandeirantes Av. Morumbi, 4.500 - Morumbi - CEP 05698-900 - Fone: 3745-3344 Nº 65 DOE de 08/04/08 COORDENADORIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA

Leia mais

Curso de Estruturação de NITs. Procedimentos. Marli Elizabeth Ritter dos Santos Coordenadora do ETT/PUCRS ENDEREÇO E-MAIL TELEFONE

Curso de Estruturação de NITs. Procedimentos. Marli Elizabeth Ritter dos Santos Coordenadora do ETT/PUCRS ENDEREÇO E-MAIL TELEFONE Curso de Estruturação de NITs Procedimentos Marli Elizabeth Ritter dos Santos Coordenadora do ETT/PUCRS Fortaleza, 29 a 31 de agosto de 2007 Ferramentas Manuais para disseminar junto à comunidade universitária

Leia mais

A Patente como Fonte de Informação Tecnológica. Dr. Alex Todorov CEDIN / DART / INPI

A Patente como Fonte de Informação Tecnológica. Dr. Alex Todorov CEDIN / DART / INPI A Patente como Fonte de Informação Tecnológica Dr. Alex Todorov CEDIN / DART / INPI A evolução da informação tecnológica Quantidade Qualidade Acessibilidade Modelo de inovação linear: Pesquisa básica Pesquisa

Leia mais

Introdução à Propriedade Intelectual

Introdução à Propriedade Intelectual Introdução à Propriedade Intelectual UFF Leila Longa Gisele de Mendonça Coordenação de Gestão Tecnológica e Inovação Vice-Presidência de Desenvolvimento Tecnológico FIOCRUZ Maio/2007 PROPRIEDADE INTELECTUAL

Leia mais

FORMULÁRIO DE COMUNICAÇÃO DE INVENÇÃO DESCRIÇÃO DO INVENTO E AVALIAÇÃO DA ANTERIORIDADE

FORMULÁRIO DE COMUNICAÇÃO DE INVENÇÃO DESCRIÇÃO DO INVENTO E AVALIAÇÃO DA ANTERIORIDADE FORMULÁRIO DE COMUNICAÇÃO DE INVENÇÃO DESCRIÇÃO DO INVENTO E AVALIAÇÃO DA ANTERIORIDADE Nome: Unidade: Data: Código: Número do Processo: Inventor responsável pelo preenchimento e envio* Campos de preenchimento

Leia mais

Processo de Criação e Inovação Tecnológica

Processo de Criação e Inovação Tecnológica Processo de Criação e Inovação Tecnológica Prof. Dr. Arnaldo Dal Pino Jr. Dep. de Física do ITA EVFITA -2008 Os primórdios da informação tecnológica 776 ac até 393 ac: nutricionistas do desporto gregos:

Leia mais

Propriedade Intelectual e Inovação: Proteção para a valorização do conhecimento. Manaus, 29 de Maio de 2012

Propriedade Intelectual e Inovação: Proteção para a valorização do conhecimento. Manaus, 29 de Maio de 2012 Propriedade Intelectual e Inovação: Proteção para a valorização do conhecimento Manaus, 29 de Maio de 2012 Propriedade Intelectual= direito, outorgado pelo Estado por meio de leis específicas, por um prazo

Leia mais

Capa PATENTES. O que se deve saber a respeito. da área de q. RQI - 2º trimestre 2012

Capa PATENTES. O que se deve saber a respeito. da área de q. RQI - 2º trimestre 2012 Capa PATENTES O que se deve saber a respeito da área de q 6 : Ricardo Pereira ão teria ocorrido em Veneza, no inicio do s 7 Rogério Filgueiras ` ` _ ` 8 direito, lhe permite, inclusive, licenciar os direitos

Leia mais

Propriedade Intelectual e Patentes

Propriedade Intelectual e Patentes Propriedade Intelectual e Patentes Ernani Souza Jr. Redator de Patentes NUPITEC - CDT/UnB Patentes http://www.forbes.com/sites/timworstall/2013/02/10/apples-winning-the-samsung-patent-battles-and-losing-the-war/

Leia mais

Propriedade Industrial. Curso de Engenharia de Telecomunicações Legislação Professora Msc Joseane Pepino de Oliveira

Propriedade Industrial. Curso de Engenharia de Telecomunicações Legislação Professora Msc Joseane Pepino de Oliveira Propriedade Industrial Curso de Engenharia de Telecomunicações Legislação Professora Msc Joseane Pepino de Oliveira 1 PROPRIEDADE INTELECTUAL Propriedade intelectual é gênero, do qual são espécies: o O

Leia mais

O Sistema de Propriedade Intelectual no Brasil

O Sistema de Propriedade Intelectual no Brasil O Sistema de Propriedade Intelectual no Brasil Estrutura do INPI Propriedade Intelectual Sistema criado para garantir a propriedade ou exclusividade resultante da atividade intelectual nos campos industrial,

Leia mais

Proteção Jurídica do Conhecimento Tradicional Associado à Biodiversidade. Harmonização dos artigos 8ª (j) da CDB e 27.

Proteção Jurídica do Conhecimento Tradicional Associado à Biodiversidade. Harmonização dos artigos 8ª (j) da CDB e 27. Proteção Jurídica do Conhecimento Tradicional Associado à Biodiversidade Harmonização dos artigos 8ª (j) da CDB e 27.3(b) do TRIPS Importância do uso da biodiversidade, principalmente na indústria farmacêutica.

Leia mais

Prospecção Tecnológica em Projetos de Pesquisa e no Setor Produtivo

Prospecção Tecnológica em Projetos de Pesquisa e no Setor Produtivo Teresina, 12 de setembro de 2012. I INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE P INDUSTRIAL Prospecção Tecnológica em Projetos de Pesquisa e no Setor Produtivo Alexandre Guimarães Vasconcellos INPI O mundo tecnológico

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 31 de agosto a 04 de setembro de 2009 UNESP BAURU- SP

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 31 de agosto a 04 de setembro de 2009 UNESP BAURU- SP CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 31 de agosto a 04 de setembro de 2009 UNESP BAURU- SP OBJETIVO: Apresentar uma visão atualizada dos mecanismos

Leia mais

EDITAL Nº 429 de 29/07/2015

EDITAL Nº 429 de 29/07/2015 EDITAL Nº 429 de 29/07/2015 O Reitor em exercício do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, torna público o processo de seleção de invenções

Leia mais

Inovação da Ideia ao Mercado

Inovação da Ideia ao Mercado Inovação da Ideia ao Mercado Como proteger minha Inovação 26.05.2015 AHK-SP Henrique Steuer I. de Mello henrique@dannemann.com.br dannemann.com.br 2013 2013 Dannemann Dannemann Siemsen. Siemsen. Todos

Leia mais

QUESTIONÁRIO PARA CONHECIMENTO DE INVENÇÃO

QUESTIONÁRIO PARA CONHECIMENTO DE INVENÇÃO QUESTIONÁRIO PARA CONHECIMENTO DE INVENÇÃO Dados referentes ao(s) inventor(es)/autor(es): Inventor responsável pelo preenchimento e envio* Nome: Unidade: E-mail: Data: Campos de preenchimento exclusivo

Leia mais

PCT. Divisão Internacional do PCT DIPCT Seção de Recepção do PCT SRPCT Divisão Nacional do PCT DNPCT DIRPA. Curso Oficina do PCT

PCT. Divisão Internacional do PCT DIPCT Seção de Recepção do PCT SRPCT Divisão Nacional do PCT DNPCT DIRPA. Curso Oficina do PCT PCT TRATADO DE COOPERAÇÃO EM MATÉRIA DE PATENTES Coordenação Geral do PCT Divisão Internacional do PCT DIPCT Seção de Recepção do PCT SRPCT Divisão Nacional do PCT DNPCT DIRPA Curso Oficina do PCT Abril

Leia mais

TECHNOLOGICAL INFORMATION: IDENTIFYING TECHNOLOGIES, ADVANTAGES AND APPLICATIONS THROUGH THE NATIONAL AND INTERNATIONAL BANK OF PATENTS

TECHNOLOGICAL INFORMATION: IDENTIFYING TECHNOLOGIES, ADVANTAGES AND APPLICATIONS THROUGH THE NATIONAL AND INTERNATIONAL BANK OF PATENTS INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA: IDENTIFICANDO TECNOLOGIAS, VANTAGENS E APLICAÇÕES ATRAVÉS DO BANCO NACIONAL E INTERNACIONAL DE PATENTES L. C. S. Silva¹, J. L. Kovaleski², S. Gaia² e A. C. Francisco² ¹ Departamento

Leia mais

Guia para o requerimento do Serviço Especial. Opinião Preliminar sobre a Patenteabilidade

Guia para o requerimento do Serviço Especial. Opinião Preliminar sobre a Patenteabilidade INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO DIRETORIA DE PATENTES Guia para o requerimento do Serviço Especial Opinião Preliminar sobre a Patenteabilidade

Leia mais

Parte I Informação Tecnológica; Objetivos das Buscas; Exercícios Parte II Tipo de Bases de Patentes; Como Buscar nas Bases

Parte I Informação Tecnológica; Objetivos das Buscas; Exercícios Parte II Tipo de Bases de Patentes; Como Buscar nas Bases Teresina, 28 de novembro de 2011 Parte I Informação Tecnológica; Objetivos das Buscas; Exercícios Parte II Tipo de Bases de Patentes; Como Buscar nas Bases O que buscamos? Qual é a função da pesquisas?

Leia mais

Máquinas agrícolas 1 Trabalho do solo

Máquinas agrícolas 1 Trabalho do solo Máquinas agrícolas 1 Trabalho do solo Rio de Janeiro Setembro / 2015 Instituto Nacional da Propriedade Industrial - INPI Presidente: Luiz Otávio Pimentel Vice-Presidente: Mauro Sodré Maia Diretoria de

Leia mais

Propriedade Intelectual e Exportação

Propriedade Intelectual e Exportação Propriedade Intelectual e Exportação Rita Pinheiro Machado Coordenadora Geral ACADEMIA/ INPI Rio de Janeiro, 12 de abril de 2016 Sumário O que é e como se divide a Propriedade Intelectual? Desde quando

Leia mais

VII REPICT ANPROTEC - II WORKSHOP DE PROPRIEDADE INTELECTUAL

VII REPICT ANPROTEC - II WORKSHOP DE PROPRIEDADE INTELECTUAL VII REPICT ANPROTEC - II WORKSHOP DE PROPRIEDADE INTELECTUAL A PATENTE COMO FONTE DE INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA PARA AS EMPRESAS DE BASE TECNOLÓGICA - INOVAÇÃO 2004 - PARTE I e PARTE II Leila da Luz Lima Cabral

Leia mais

O uso da informação tecnológica como ferramenta em estudos de infometria

O uso da informação tecnológica como ferramenta em estudos de infometria Encontro Brasileiro de Bibliometria e Cienciometria, Rio de Janeiro, 2008 O uso da informação tecnológica como ferramenta em estudos de infometria Rita Pinheiro-Machado Coordenadora da Academia de Propriedade

Leia mais

Elaboração do Manual de Propriedade Intelectual do CETEM

Elaboração do Manual de Propriedade Intelectual do CETEM Elaboração do Manual de Propriedade Intelectual do CETEM Aline de Oliveira Pereira Damasceno Bolsista de Iniciação Científica, Direito, UFRJ Carlos César Peiter Orientador, Engenheiro de Minas, D. Sc.

Leia mais

Curso de Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes

Curso de Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes Curso de Busca de Informação Tecnológica em Bases de Patentes Eliandro dos Santos Costa Arquivista DRT/RS Nº. 1582 Bolsista DTI II CNPq UBEA/PUCRS/NIT-RS Mestrando em Engenharia da Produção SANTA MARIA,

Leia mais

PANORAMA DO PATENTEAMENTO BRASILEIRO *

PANORAMA DO PATENTEAMENTO BRASILEIRO * PANORAMA DO PATENTEAMENTO BRASILEIRO * Graziela Ferrero Zucoloto** 1 INTRODUÇÃO Patentes são títulos concedidos ao criador de um produto ou processo útil, inventivo e novo, que permite a exclusão de outros

Leia mais

A Contribuição da Informação Tecnológica de Patentes para a Plataforma itec

A Contribuição da Informação Tecnológica de Patentes para a Plataforma itec Atribuição-Sem Derivações-Sem Derivados CC BY-NC-ND A Contribuição da Informação Tecnológica de Patentes para a Plataforma itec Encontro de Negócios em Inovação e Tecnologia itec 2015 São Paulo, SP 28

Leia mais

II Congresso Brasileiro de Propriedade Intelectual

II Congresso Brasileiro de Propriedade Intelectual II Congresso Brasileiro de Propriedade Intelectual Iara Ferreira Diretora de Parcerias da Inova Unicamp A Agência de Inovação Inova Unicamp Agência de Inovação Inova Unicamp Anterior à Lei de Inovação

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Examinadora de Patentes Divisão de Química II - DIRPA

INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Examinadora de Patentes Divisão de Química II - DIRPA I N PI INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL Curso Básico de Capacitação para Gestores de Propriedade Intelectual PATENTES Márcia C. M. R. Leal, D.Sc. Examinadora de Patentes Divisão de Química

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O PROJETO PRIORIDADE BR (Versão 2016.01.25)

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O PROJETO PRIORIDADE BR (Versão 2016.01.25) MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL DIRETORIA DE PATENTES DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O PROJETO PRIORIDADE BR Este texto não substitui

Leia mais

1. Patente de Invenção (PI) Produtos ou processos que atendam aos requisitos de atividade inventiva, novidade e aplicação industrial.

1. Patente de Invenção (PI) Produtos ou processos que atendam aos requisitos de atividade inventiva, novidade e aplicação industrial. 1 O que é patente? Patente é um título de propriedade temporária sobre uma invenção ou modelo de utilidade, outorgado pelo Estado aos inventores ou autores ou outras pessoas físicas ou jurídicas detentoras

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA FORMULÁRIO DE COMUNICAÇÃO DE INVENÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA FORMULÁRIO DE COMUNICAÇÃO DE INVENÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA FORMULÁRIO DE COMUNICAÇÃO DE INVENÇÃO Este formulário deve ser preenchido e enviado após o recebimento do relatório de resultados

Leia mais

PCT TRATADO DE COOPERAÇÃO EM MATÉRIA DE PATENTES. Gisela Ap. S. Nogueira. Divisão Internacional do PCT - DIPCT CGPCT - DIRPA

PCT TRATADO DE COOPERAÇÃO EM MATÉRIA DE PATENTES. Gisela Ap. S. Nogueira. Divisão Internacional do PCT - DIPCT CGPCT - DIRPA PCT TRATADO DE COOPERAÇÃO EM MATÉRIA DE PATENTES Gisela Ap. S. Nogueira Divisão Internacional do PCT - DIPCT CGPCT - DIRPA Curso Intermediário de Patentes julho/2011 SETI/TEPCAR- PR 1 PCT Tratado de Cooperação

Leia mais

Tiago Leitão. Examinador de Patentes INPI 10.ABR. 2014 AGENDA

Tiago Leitão. Examinador de Patentes INPI 10.ABR. 2014 AGENDA Tiago Leitão PESQUISA E INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA Examinador de Patentes INPI 10.ABR. 2014 AGENDA 1. Importância da informação sobre patentes 2. Sistemas de classificação 3. Pesquisa ao estado da técnica

Leia mais

Concessão de Patentes na Área de Biotecnologia no Brasil

Concessão de Patentes na Área de Biotecnologia no Brasil Concessão de Patentes na Área de Biotecnologia no Brasil Claudia Magioli Coordenadora Geral de Patentes II Área de Biotecnologia Workshop de Ciência, Tecnologia e Inovação 7 de novembro de 2013 Centro

Leia mais

COMO PROTEGER SUA INVENÇÃO NO BRASIL UTILIZANDO AS PATENTES

COMO PROTEGER SUA INVENÇÃO NO BRASIL UTILIZANDO AS PATENTES COMO PROTEGER SUA INVENÇÃO NO BRASIL UTILIZANDO AS PATENTES Dr Rockfeller Maciel Peçanha Conselheiro e Diretor do CREA-RJ Esta apresentação é de responsabilidade do autor não refletindo necessariamente

Leia mais

Flexibilidades do Acordo Trips e o Instituto da Anuência Prévia.

Flexibilidades do Acordo Trips e o Instituto da Anuência Prévia. Flexibilidades do Acordo Trips e o Instituto da Anuência Prévia. Luis Carlos Wanderley Lima Coordenação de Propriedade Intelectual-COOPI Agência Nacional de Vigilância Sanitária-Anvisa Ministério da Saúde-MS

Leia mais

Tutorial de busca em bases de patentes

Tutorial de busca em bases de patentes INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE PESQUISA E INOVAÇÃO CENTRO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Tutorial de busca em bases de patentes

Leia mais

Máquinas agrícolas 3 - Colheita

Máquinas agrícolas 3 - Colheita Rio de Janeiro Setembro/2015 i Instituto Nacional da Propriedade Industrial - INPI Presidente: Luiz Otávio Pimentel Vice-Presidente: Mauro Sodré Maia Diretoria de Cooperação para o Desenvolvimento - Dicod

Leia mais

Seminário OEP/INPI. O papel dos Offices nacionais da PI na promoção da inovação e das invenções. Em colaboração com: Apresentado por

Seminário OEP/INPI. O papel dos Offices nacionais da PI na promoção da inovação e das invenções. Em colaboração com: Apresentado por Seminário OEP/INPI Apresentado por José Maria Maurício Director de Marcas e Patentes O papel dos Offices nacionais da PI na promoção da inovação e das invenções Em colaboração com: Bissau, 21 de Dezembro

Leia mais

Ministério do Trabalho e Emprego FUNDACENTRO. Trabalho e Inovação

Ministério do Trabalho e Emprego FUNDACENTRO. Trabalho e Inovação Trabalho e Inovação Ministério do Trabalho e Emprego Depois de um período de incentivos à formação de profissionais pós-graduados no país e no exterior, a adesão ao tratado das patentes exigiu a orientação

Leia mais

Iniciativa Regional de PATENTES TECNOLÓGICAS PARA O DESENVOLVIMENTO. Como criar conceitos tecnológicos patenteáveis desde a América Latina e o Caribe

Iniciativa Regional de PATENTES TECNOLÓGICAS PARA O DESENVOLVIMENTO. Como criar conceitos tecnológicos patenteáveis desde a América Latina e o Caribe Iniciativa Regional de PATENTES TECNOLÓGICAS PARA O DESENVOLVIMENTO Como criar conceitos tecnológicos patenteáveis desde a América Latina e o Caribe 1 Vice-presidência de Energia da CAF Hamilton Moss,

Leia mais

CURSO GERAL DE PROPRIEDADE INTELECTUAL À DISTÂNCIA DL 101P BR

CURSO GERAL DE PROPRIEDADE INTELECTUAL À DISTÂNCIA DL 101P BR CURSO GERAL DE PROPRIEDADE INTELECTUAL À DISTÂNCIA DL 101P BR OBJETIVO: Apresentar uma visão global e atualizada dos mecanismos de proteção das criações intelectuais, enfocando o arcabouço legal brasileiro

Leia mais

Metodologia Científica e Tecnológica

Metodologia Científica e Tecnológica Metodologia Científica e Tecnológica Módulo 5 Tecnologia Prof. Carlos Fernando Jung carlosfernandojung@gmail.com http://lattes.cnpq.br/9620345505433832 Edição 2009 Material para Fins Didáticos Distribuição

Leia mais

A Propriedade Intelectual e as ICTs. Jorge de P. C. Avila São José dos Campos, 06 de julho de 2006

A Propriedade Intelectual e as ICTs. Jorge de P. C. Avila São José dos Campos, 06 de julho de 2006 A Propriedade Intelectual e as ICTs Jorge de P. C. Avila São José dos Campos, 06 de julho de 2006 1.Contexto: a economia do conhecimento Comportamentos típicos Global outsourcing Obter insumos de maior

Leia mais

POLÍTICA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL REDE NACIONAL DE ENSINO E PESQUISA (RNP)

POLÍTICA DE PROPRIEDADE INTELECTUAL REDE NACIONAL DE ENSINO E PESQUISA (RNP) REDE NACIONAL DE ENSINO E PESQUISA (RNP) MOTIVAÇÃO A Lei de Inovação federal, Lei nº 10.973, de 2 de dezembro de 2004, regulamentada pelo Decreto nº 5.563 de 11 de outubro de 2005, estabelece medidas de

Leia mais

Inovação tecnológica e empreendedorismo:

Inovação tecnológica e empreendedorismo: Inovação tecnológica e empreendedorismo: Ciência, desenvolvimento tecnológico, proteção industrial e geração de novos negócios Prof. Dr. Cleber Gustavo Dias 22/09/2015 Programação da oficina 1. Relações

Leia mais

Júlio César Moreira. Diretor de Patentes novembro de 2012. http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/agencia16/ag01/arvore/ag01_23_911200585232.

Júlio César Moreira. Diretor de Patentes novembro de 2012. http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/agencia16/ag01/arvore/ag01_23_911200585232. Júlio César Moreira Diretor de Patentes novembro de 2012 http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/agencia16/ag01/arvore/ag01_23_911200585232.html Projeto de Lei do Senado nº 440 de 2011 Art 3º A BIOBRAS terá

Leia mais

MANUAL DE PESQUISA DE PATENTES

MANUAL DE PESQUISA DE PATENTES MANUAL DE PESQUISA DE PATENTES Recife 2015 APRESENTAÇÃO Com a aprovação da PPI- Política de Propriedade Industrial do SENAI-PE torna-se necessário que os técnicos, professores e alunos que já buscam a

Leia mais

Controle de Pragas - Equipamentos

Controle de Pragas - Equipamentos s Rio de Janeiro Janeiro / 2016 i Instituto Nacional da Propriedade Industrial INPI Presidente: Luiz Otávio Pimentel Vice-Presidente: Mauro Maia Diretoria de Cooperação para o Desenvolvimento - Dicod Diretora:

Leia mais

O PEDIDO DE PATENTE. São Paulo, 11 de Março de 2008. André Korottchenko de Oliveira Consultor da PROTEC

O PEDIDO DE PATENTE. São Paulo, 11 de Março de 2008. André Korottchenko de Oliveira Consultor da PROTEC O PEDIDO DE PATENTE São Paulo, 11 de Março de 2008 André Korottchenko de Oliveira Consultor da PROTEC 1 Pedido de patente de invenção Requerimento: Formulário 1.01 Comprovante da taxa correspondente O

Leia mais

ANÁLISE DOS RESULTADOS DE BUSCAS REALIZADAS EM BASES PÚBLICAS DE PATENTES: O CASO DA APLICAÇÃO DE LIPASES PARA RESOLUÇÃO DE RACÊMICOS

ANÁLISE DOS RESULTADOS DE BUSCAS REALIZADAS EM BASES PÚBLICAS DE PATENTES: O CASO DA APLICAÇÃO DE LIPASES PARA RESOLUÇÃO DE RACÊMICOS Cad. Prospec., Salvador, v. 8, n. 1, p. 114-121, jan./mar. 2015 D.O.I.: 10.9771/S.CPROSP.2015.008.013 ANÁLISE DOS RESULTADOS DE BUSCAS REALIZADAS EM BASES PÚBLICAS DE PATENTES: O CASO DA APLICAÇÃO DE LIPASES

Leia mais

3 º D i á l o g o s d a M E I. P r o p r i e d a d e I n t e l e c t u a l Acordos Internacionais de Cooperação para Exame de Patentes

3 º D i á l o g o s d a M E I. P r o p r i e d a d e I n t e l e c t u a l Acordos Internacionais de Cooperação para Exame de Patentes 3 º D i á l o g o s d a M E I P r o p r i e d a d e I n t e l e c t u a l Acordos Internacionais de Cooperação para Exame de Patentes CICLO VIRTUOSO DA I N O VA Ç Ã O Investimento em pesquisa e desenvolvimento

Leia mais

COMPREENDENDO MELHOR O APOIO DA FAPEMIG À PROTEÇÃO INTELECTUAL DE INVENTORES INDEPENDENTES

COMPREENDENDO MELHOR O APOIO DA FAPEMIG À PROTEÇÃO INTELECTUAL DE INVENTORES INDEPENDENTES COMPREENDENDO MELHOR O APOIO DA FAPEMIG À PROTEÇÃO INTELECTUAL DE INVENTORES INDEPENDENTES 1- A FAPEMIG apoia, tecnicamente e financeiramente, os inventores independentes na proteção e manutenção de invenções,

Leia mais

Lei Complementar LEI COMPLEMENTAR Nº 1049, DE 19 DE JUNHO DE 2008

Lei Complementar LEI COMPLEMENTAR Nº 1049, DE 19 DE JUNHO DE 2008 DOE 20/06/2008, Seção I, Pág. 1/3 Lei Complementar LEI COMPLEMENTAR Nº 1049, DE 19 DE JUNHO DE 2008 Dispõe sobre medidas de incentivo à inovação tecnológica, à pesquisa científica e tecnológica, ao desenvolvimento

Leia mais

Propriedade Industrial. (Lei 9.279/96) Direitos Autorais (Lei 9.610/98)

Propriedade Industrial. (Lei 9.279/96) Direitos Autorais (Lei 9.610/98) Propriedade Industrial Patentes (Lei 9.279/96) Invenção Modelo de Utilidade Desenho Industrial Marcas Direitos Autorais (Lei 9.610/98) Software (Lei n 9.609/98) Patentes Invenção/Modelo de Utilidade Proteção

Leia mais

A PROPRIEDADE INTELECTUAL COMO INSTRUMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL E TECNOLÓGICO

A PROPRIEDADE INTELECTUAL COMO INSTRUMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL E TECNOLÓGICO A PROPRIEDADE INTELECTUAL COMO INSTRUMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL E TECNOLÓGICO USO DA INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA CONTIDA NOS DOCUMENTOS DE PATENTES Florianópolis 12 de maio de 2009 Propriedade

Leia mais

PINTEC 2008 Data: 29/10/2010

PINTEC 2008 Data: 29/10/2010 PINTEC 2008 Data: 29/10/2010 Introdução Objetivo Geral: Levantar informações que visam à construção de indicadores nacionais e regionais das atividades de inovação tecnológica nas empresas industrias,

Leia mais

Registro de marca pode levar até quatro anos; veja passo a passo Larissa Coldibeli (Do UOL, em São Paulo) e outros sites

Registro de marca pode levar até quatro anos; veja passo a passo Larissa Coldibeli (Do UOL, em São Paulo) e outros sites Registro de marca pode levar até quatro anos; veja passo a passo Larissa Coldibeli (Do UOL, em São Paulo) e outros sites 1. Marca A marca é o que diferencia um produto ou serviço dos seus concorrentes

Leia mais

A LEGISLAÇÃO PATENTÁRIA E O FUTURO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NO BRASIL

A LEGISLAÇÃO PATENTÁRIA E O FUTURO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NO BRASIL A LEGISLAÇÃO PATENTÁRIA E O FUTURO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NO BRASIL Principais Preocupações: João F. Gomes de Oliveira (e colaboradores) o INPI INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL, ainda não

Leia mais

A PESQUISA E A PROPRIEDADE INTELECTUAL NA USP

A PESQUISA E A PROPRIEDADE INTELECTUAL NA USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA A PESQUISA E A PROPRIEDADE INTELECTUAL NA USP MARIA APARECIDA DE SOUZA LORENA, 27 DE MARÇO DE 2014. Agência USP de Inovação - Pró-Reitoria de Pesquisa.

Leia mais

Termos de Uso. 1. Escopo

Termos de Uso. 1. Escopo Termos de Uso 1. Escopo 1.1 A utilização da página de Internet disponibilizada pela Siemens Aktiengesellschaft e / ou suas subsidiárias ("Siemens"), " Web Site da Siemens ", está sujeita a estas Condições

Leia mais

Registro de Marcas e Patentes

Registro de Marcas e Patentes Registro de Marcas e Patentes Propriedade Intelectual Propriedade Industrial (marcas, patentes e desenhos industriais) + Direito de Autor Sistema de Propriedade Intelectual - Direito autoral e patentes:

Leia mais

Formação de Recursos humanos em Propriedade Intelectual e Inovação a experiência do INPI

Formação de Recursos humanos em Propriedade Intelectual e Inovação a experiência do INPI Formação de Recursos humanos em Propriedade Intelectual e Inovação a experiência do INPI Araken Alves de Lima Coordenador-Geral da Academia da Propriedade Intelectual, Inovação e Desenvolvimento Instituto

Leia mais

Instituto Nacional da Propriedade Industrial. A patente como fonte de Informação Tecnológica

Instituto Nacional da Propriedade Industrial. A patente como fonte de Informação Tecnológica A patente como fonte de Informação Tecnológica A patente como fonte de Informação Tecnológica Alex Todorov INPI INPI/2007 Os primórdios da informação tecnológica 776 ac até 393 ac: nutricionistas do desporto

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Manual do Usuário

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação. Manual do Usuário MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Manual do Usuário SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 3 INTRODUÇÃO 4 ACESSO AO SISTEMA 5 CADASTRO 6 1 Identificação da ICT 6 2 Política

Leia mais

Bases Disponíveis Para Buscas Informatizadas

Bases Disponíveis Para Buscas Informatizadas Bases Disponíveis Para Buscas Informatizadas Principais Bases Internacionais de Patentes via Internet (Gratuitas) Organização Americana de Marcas e Patentes, USPTO: Permite a busca em todas as patentes

Leia mais

Registros de Programas de Computador

Registros de Programas de Computador Curso de Capacitação de Gestores de Tecnologia em Propriedade Intelectual Registros de Programas de Computador Maria Alice Camargo Calliari Coordenadora Geral de Outros Registros Diretoria de Transferência

Leia mais

Propriedade Intelectual e Inovação na Agricultura

Propriedade Intelectual e Inovação na Agricultura Propriedade Intelectual e Inovação na Agricultura Marcia Soares Vidal Simpósio Latino Americano de Ciência, Tecnologia e Inovação em Agropecuária 27 a 30 de Outubro de 2015 Seropédica - RJ Panorama Economia

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 13 a 17 de abril de 2009 São João Del-Rei- MG

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 13 a 17 de abril de 2009 São João Del-Rei- MG CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA 13 a 17 de abril de 2009 São João Del-Rei- MG OBJETIVO: Apresentar uma visão atualizada dos mecanismos de proteção

Leia mais

Produção de Hidrogênio na Usina Hidrelétrica de Itaipu em Escala Piloto e Utilização em Célula a Combustível com base no Convênio ECV-DTC 002/2011.

Produção de Hidrogênio na Usina Hidrelétrica de Itaipu em Escala Piloto e Utilização em Célula a Combustível com base no Convênio ECV-DTC 002/2011. FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL PROCESSO FPTI-BR Nº. 0098/2014 Edital Nº. 098/2014 A Fundação Parque Tecnológico Itaipu Brasil, FPTI-BR, por meio do PTI Ciência, Tecnologia e Inovação, PTI

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA A LEGISLAÇÃO DE PATENTES E O FUTURO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NO BRASIL MARIA APARECIDA DE SOUZA CAMPINAS, 17 DE OUTUBRO DE 2011. Agência USP de Inovação

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 7735/2014

PROJETO DE LEI Nº 7735/2014 PROJETO DE LEI Nº 7735/2014 Regulamenta o inciso II do 1º e o 4º do art. 225 da Constituição; os arts. 1, 8, "j", 10, "c", 15 e 16, 3 e 4 da Convenção sobre Diversidade Biológica, promulgada pelo Decreto

Leia mais

SOCIEDADE, TECNOLOGIA & INOVAÇÃO

SOCIEDADE, TECNOLOGIA & INOVAÇÃO SOCIEDADE, TECNOLOGIA & INOVAÇÃO CARGA: 02 H/A POR SEMANA TOTAL.: 40 H/A NO SEMESTRE Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. Endereço disciplina: http://stinovacao.blogspot.com.br/ 1 TECNOLOGIA & INOVAÇÃO Aula 08...

Leia mais

PROJETO LIGA DE INVENTORES DA UFG Renan Dias ROSA 1, Getúlio Antero de DEUS JÚNIOR 2. Bolsista do PET EEEC/UFG; renandiasrosa@gmail.com.

PROJETO LIGA DE INVENTORES DA UFG Renan Dias ROSA 1, Getúlio Antero de DEUS JÚNIOR 2. Bolsista do PET EEEC/UFG; renandiasrosa@gmail.com. PROJETO LIGA DE INVENTORES DA UFG Renan Dias ROSA 1, Getúlio Antero de DEUS JÚNIOR 2 1 Bolsista do PET EEEC/UFG; renandiasrosa@gmail.com. 2 Professor Tutor do PET EEEC /UFG; gdeusjr@gmail.com. PALAVRAS-CHAVE:

Leia mais

Código de Ética Rastru

Código de Ética Rastru CÓDIGO DE ÉTICA RASTRU O objetivo desse Código de É tica é definir com clareza os princípios éticos que norteiam as ações e os compromissos da organização Rastru, tanto da parte institucional como da parte

Leia mais

13 a 17 de setembro. Terça 14/09. Quarta 15/09. Desenho Industrial. Patentes I. Desenho Industrial. Patentes I. Indicação Geográfica

13 a 17 de setembro. Terça 14/09. Quarta 15/09. Desenho Industrial. Patentes I. Desenho Industrial. Patentes I. Indicação Geográfica CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO CURSO BÁSICO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL PARA GESTORES DE TECNOLOGIA Local: Auditório Dr. Henrique Mello- Universidade Corporativa do Sistema Eletrobras (Unise), Edifício Sede da

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL. Profa. Dra. Suzana Leitão Russo

PROPRIEDADE INTELECTUAL. Profa. Dra. Suzana Leitão Russo PROPRIEDADE INTELECTUAL Profa. Dra. Suzana Leitão Russo InvençãoX Criação X Inovação Invenção: É uma idéia, um esboço ou modelo para um novo ou melhorado dispositivo, produto, processo ou sistema. Criação:

Leia mais

Gestão da Propriedade Industrial

Gestão da Propriedade Industrial Gestão da Propriedade Industrial ZEA DUQUE VIEIRA LUNA MAYERHOFF Rio de Janeiro Julho/2009 Sistema de Propriedade Intelectual Consiste em um conjunto de instrumentos importantes para o processo de Inovação:

Leia mais

Patentes e a CTIT. Rodrigo Dias de Lacerda Setor de Propriedade Intelectual. Abril de 2012

Patentes e a CTIT. Rodrigo Dias de Lacerda Setor de Propriedade Intelectual. Abril de 2012 Patentes e a CTIT Rodrigo Dias de Lacerda Setor de Propriedade Intelectual Abril de 2012 TÓPICOS A SEREM ABORDADOS Propriedade Intelectual Propriedade Industrial O que é Patente? O que é patenteável? Como

Leia mais

Desenvolvimento de Produtos, Inovação e a. Prof. Dr. João Irineu de Resende Miranda Agência de Inovação e Propriedade Intelectual AGIPI/UEPG

Desenvolvimento de Produtos, Inovação e a. Prof. Dr. João Irineu de Resende Miranda Agência de Inovação e Propriedade Intelectual AGIPI/UEPG Desenvolvimento de Produtos, Inovação e a Pós-Graduação Prof. Dr. João Irineu de Resende Miranda Agência de Inovação e Propriedade Intelectual AGIPI/UEPG Propriedade Intelectual - Conceito A Propriedade

Leia mais

E- Marketing - Estratégia e Plano

E- Marketing - Estratégia e Plano E- Marketing - Estratégia e Plano dossier 2 http://negocios.maiadigital.pt Indíce 1 E-MARKETING ESTRATÉGIA E PLANO 2 VANTAGENS DE UM PLANO DE MARKETING 3 FASES DO PLANO DE E-MARKETING 4 ESTRATÉGIAS DE

Leia mais

Introdução aos conceitos de Propriedade Intelectual

Introdução aos conceitos de Propriedade Intelectual 8º REPICT Encontro de Propriedade Intelectual e Comercialização de Tecnologia Introdução aos conceitos de Propriedade Intelectual Módulo 5 A PATENTE COMO FONTE DE INFORMAÇÃO TECNOLÓGICA Sérgio Barcelos

Leia mais

Metadados. 1. Introdução. 2. O que são Metadados? 3. O Valor dos Metadados

Metadados. 1. Introdução. 2. O que são Metadados? 3. O Valor dos Metadados 1. Introdução O governo é um dos maiores detentores de recursos da informação. Consequentemente, tem sido o responsável por assegurar que tais recursos estejam agregando valor para os cidadãos, as empresas,

Leia mais

INOVAÇÃO E TECNOLOGIA PARA APLs. Serviços Tecnológicos do CDT/UnB

INOVAÇÃO E TECNOLOGIA PARA APLs. Serviços Tecnológicos do CDT/UnB INOVAÇÃO E TECNOLOGIA PARA APLs Serviços Tecnológicos do CDT/UnB Brasília, 5 de dezembro de 2013 Centro de Excelência Missão do CDT Apoiar e promover o desenvolvimento tecnológico, a inovação e o empreendedorismo

Leia mais

COMO PROTEGER A PROPRIEDADE INTELECTUAL DA SUA EMPRESA. Flavia Mansur Murad Schaal Julia Costa Diniz

COMO PROTEGER A PROPRIEDADE INTELECTUAL DA SUA EMPRESA. Flavia Mansur Murad Schaal Julia Costa Diniz COMO PROTEGER A PROPRIEDADE INTELECTUAL DA SUA EMPRESA Flavia Mansur Murad Schaal Julia Costa Diniz AFINAL, O QUE É PROPRIEDADE INTELECTUAL? Propriedade Intelectual Criações Sinais Distintivos Industriais

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS INTERPRETAÇÃO TÉCNICA ICPC 05

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS INTERPRETAÇÃO TÉCNICA ICPC 05 COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS INTERPRETAÇÃO TÉCNICA ICPC 05 Pronunciamento Técnico CPC 10 Pagamento Baseado em Ações Transações de Ações do Grupo e em Tesouraria Correlação às Normas Internacionais

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL DESENHO INDUSTRIAL. Profa. Dra. Suzana Leitão Russo

PROPRIEDADE INTELECTUAL DESENHO INDUSTRIAL. Profa. Dra. Suzana Leitão Russo PROPRIEDADE INTELECTUAL DESENHO INDUSTRIAL Profa. Dra. Suzana Leitão Russo DESENHO OU MODELO INDUSTRIAL Concepção funcional-estética de um produto, possível de reprodução em série, industrialmente. Vigência:10

Leia mais

Patentes absurdas. Escada "spider" para a banheira. (Doughney Edward Thomas Patrick 1994 Nº Patente GB 2272154)

Patentes absurdas. Escada spider para a banheira. (Doughney Edward Thomas Patrick 1994 Nº Patente GB 2272154) Patentes absurdas Escada "spider" para a banheira. (Doughney Edward Thomas Patrick 1994 Nº Patente GB 2272154) Leia mais em: As patentes mais absurdas da história http://www.mdig.com.br/index.php?itemid=21894

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO RIO GRANDE DO NORTE Dispõe sobre o incentivo à inovação tecnológica no Estado do Rio Grande do Norte, e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO

Leia mais

5º ENIFarMed. Intelectual no Setor farmacêutico. 29 a 31 de Agosto de 2011 Centro de Convenções Rebouças São Paulo. Marcio Falci

5º ENIFarMed. Intelectual no Setor farmacêutico. 29 a 31 de Agosto de 2011 Centro de Convenções Rebouças São Paulo. Marcio Falci 5º ENIFarMed 29 a 31 de Agosto de 2011 Centro de Convenções Rebouças São Paulo Novos rumos para Propriedade Intelectual no Setor farmacêutico Marcio Falci Diretor de Pesquisa, Desenvolvimento & Inovação

Leia mais

O que é? Porque foi criado? Quais sãos os objetivos? O que terá de novo?

O que é? Porque foi criado? Quais sãos os objetivos? O que terá de novo? BRDE INOVA O que é? Porque foi criado? Quais sãos os objetivos? O que terá de novo? Contextualização Primeiro Agente Financeiro do País credenciado junto ao BNDES Primeiro Agente Financeiro do País credenciado

Leia mais

Desenvolvimento Tecnológico e Sensoriamento Remoto

Desenvolvimento Tecnológico e Sensoriamento Remoto Desenvolvimento Tecnológico e Sensoriamento Remoto A proteção da propriedade industrial como estímulo ao desenvolvimento tecnológico A experiência da Agência de Inovação da Unicamp Roberto A Lotufo, diretor

Leia mais