CONFLITO NO ORIENTE MÉDIO Conflito árabe israelense ( ) Por volta do século IX, comunidades judaicas foram restabelecidas em Jerusalém e

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONFLITO NO ORIENTE MÉDIO Conflito árabe israelense (1948 1949) Por volta do século IX, comunidades judaicas foram restabelecidas em Jerusalém e"

Transcrição

1 CONFLITO NO ORIENTE MÉDIO Conflito árabe israelense ( ) Por volta do século IX, comunidades judaicas foram restabelecidas em Jerusalém e Tibérias. No século XI, a população judaica crescia nas cidades de Rafah, Gaza, Ashkelon, Jaffa e Caesarea. Durante o século XII, muitos judeus que viviam na Terra Prometida foram massacrados pelas Cruzadas, mas nos séculos seguintes, a imigração para a Terra de Israel continuou. Mais comunidades religiosas judaicas estavam se fixando em Jerusalém e em outras cidades. Um dos pontos fundamentais da fé judaica é que todo o povo será liderado de volta à Terra de Israel e que o Templo Sagrado será restabelecido. Muitos judeus acreditam que o Messias, que será enviado por Deus, irá liderar o retorno de todo o povo judeu à Terra de Israel. Contudo, muitos judeus acreditavam que eles próprios deveriam iniciar seu retorno à sua terra histórica. A idéia de estabelecer um estado judeu moderno começou a ganhar grande popularidade no século XIX na Europa. Um jornalista austríaco chamado Theodor Herzl levou adiante a idéia do sionismo, definido como o movimento nacional de libertação do povo judeu. O sionismo afirma que o povo judeu tem direito ao seu próprio estado, soberano e independente. No final do século XIX, o aparecimento do anti semitismo, o preconceito e ódio contra judeus, levaram ao surgimento de pogroms (massacres organizados de judeus) na Rússia e na Europa Oriental. Esta violência notória contra judeus europeus ocasionou imigrações maciças para a Terra de Israel. Em 1914, o número de imigrantes vindos da Rússia para a Terra de Israel já alcançava os Simultaneamente, muitos judeus vindos do Iêmen, Marrocos, Iraque e Turquia imigraram para a Terra de Israel. Quando os judeus começaram, em 1882, a imigrar para seu antigo território em grande escala, viviam por lá menos de árabes. O povo judeu baseia suas reivindicações pela Terra de Israel em diversos fatores: 1. A Terra de Israel foi prometida por Deus aos judeus. Esta é a antiga terra dos patriarcas e profetas bíblicos. 2. Desde que os judeus foram exilados pelos romanos, a Terra de Israel nunca foi estabelecida como um estado. 3. O estado de Israel foi criado pelas Nações Unidas em É um estado democrático, moderno e soberano. 4. Toda a Terra de Israel foi comprada pelos judeus ou conquistada por Israel em guerras de defesa, após o país ter sido atacado por seus vizinhos árabes. 5. Os árabes controlam 99.9% do território no Oriente Médio. Israel representa apenas um décimo de 1 % da região. 6. A história demonstrou que a segurança do povo judeu apenas pode ser garantida através da existência de um estado judeu forte e soberano. Em 1517, os turcos otomanos da Ásia Menor conquistaram a região e, com poucas interrupções, governaram Israel, então chamada de Palestina, até o inverno de O país foi dividido em diversos distritos, dentre eles, Jerusalém. A administração dos distritos foi cedida em grande parte aos árabes palestinos. As comunidades cristãs e judaicas, porém, receberam grande autonomia. A Palestina compartilhou a glória do Império Otomano 1

2 durante o século XVI, mas foi negligenciada quando o império começou entrar em declínio no século XVII. Em 1882, menos de árabes viviam no local. Uma parte significante da Terra de Israel pertencia aos senhores, que viviam no Cairo, Damasco e Beirute. Por volta de 80% dos árabes palestinos eram camponeses, nômades ou beduínos. Em , com apoio dos árabes, os britânicos capturaram a Palestina dos turcos otomanos. Na época, os árabes palestinos não se imaginavam tendo uma identidade separada. Eles se consideravam parte de uma Síria árabe. O nacionalismo árabe palestino é, em grande parte, um fenômeno do pós Primeira Guerra Mundial. Em 1921, o Secretário Colonial Winston Churchill separou quase quatro quintos da Palestina aproximadamente milhas quadradas para criar um emirado árabe, a Transjordânia, conhecida hoje como Jordânia. Este país, que é uma monarquia árabe, é em sua maioria composto por palestinos que hoje representam aproximadamente 70% da população. Em 1939, os britânicos anunciaram o White Paper (Carta Branca), um documento relatando que um estado árabe independente e não dividido seria estabelecido na Terra de Israel (chamada de Palestina) dentro de 10 anos. O nacionalismo árabe cresceu com a promessa de um estado forte. Mas, como discutiremos futuramente, os britânicos não foram capazes de manter sua promessa aos árabes. Em vez disso, em 1947, as Nações Unidas decidiram dividir a Terra de Israel em dois estados: um judeu e outro árabe. Em 1948, foi estabelecido o estado de Israel. Quando seus vizinhos árabes atacaram o novo estado judeu, teve início a primeira guerra árabe israelense. Durante o estabelecimento do estado de Israel e durante a primeira guerra entre árabes e israelenses, mais da metade dos árabes que viviam na Terra de Israel fugiram, dando início ao problema ainda hoje vigente de refugiados palestinos, que discutiremos nos próximos artigos. O povo palestino baseia suas reivindicações pela Terra de Israel em diversos fatores: 1. Os árabes muçulmanos viveram no local por muitos anos. 2. O povo palestino tem o direito à independência nacional e à soberania sobre a terra onde viveram. 3. Jerusalém é a terceira cidade sagrada na religião muçulmana, local de elevação do profeta Maomé aos Céus. 4. O Oriente Médio é dominado por árabes. Outras religiões ou nacionalidades não pertencem à região. 5. Todos os territórios árabes que foram colonizados tornaram se estados completamente independentes, exceto a Palestina. 6. Os palestinos tornaram se refugiados. Guerra dos Seis Dias A Guerra dos Seis Dias foi mais um desdobramento dos conflitos entre árabes e judeus. Ela recebeu esta denominação devido ao efetivo contra ataque israelense à ofensiva árabe, promovido pelo Egito. O presidente Nasser, buscando fortalecer o mundo árabe, tomou medidas importantes: deslocou forças árabes para a fronteira com Israel, exigiu a retirada de representantes 2

3 militares da ONU mantida na região desde 1956, e ameaçou fechar a navegabilidade do Estreito de Tiran aos israelenses. No entanto, a reação israelense a essas medidas foi rápida e decisiva: atacou o Egito, a Jordânia e a Síria, encerrando o conflito num curto espaço de tempo 5 a 10 de junho (6 dias) de Israel dominava as forças aéreas e, por terra, contava com forças blindadas comandadas pelo general israelense Moshé Dayan. O resultado da guerra aumentou consideravelmente o estado de Israel: foram conquistadas áreas do Egito, Faixa de Gaza, Península de Sinai, região da Jordânia, a Cisjordânia, o setor oriental de Jerusalém, partes pertencentes à Síria e às Colônias de Golan. A Guerra dos Seis Dias fortaleceu o Estado de Israel e agravou o nível de tensão entre os países beligerantes. Acordo de Camp David Com o cessar fogo estabelecem se as relações diplomáticas, iniciando se um processo que é designado por paz americana. Iniciado em 1974/1975 com a metodologia dos pequenos passos de Henry Kissinger e, continuada pelo presidente Jimmy Carter em 1978/1979, ela visa, por parte dos E.U.A., a divisão do mundo árabe. A visita do presidente egípcio a Israel (1977) e os Acordos de Camp David (1978), que preparam um tratado de paz separado entre Isarel e o Egipto, concluído em 1979, constituem acontecimentos de relevo político na região. O presidente Sadate terá procurado nesta estratégia discutir a solução do problema palestino. Numa outra perspectiva, o tratado deveria atrair outros estados árabes, nomeadamente a Jordânia. A realidade posterior não viria a confirmar estas perspectivas, e os dirigentes israelitas prosseguirão até 1983 uma política assente na agressividade e na ocupação (os Montes Golan em 1980). Quanto às conversações sobre a autonomia dos Territórios Ocupados, previstas no Tratado de Paz entre o Egito e Israel, elas são praticamente ignorado continuando Israel a instalar colunatas na Cisjordânia. Intifada Como Arafat insistia em negociar uma solução para a Questão Palestina, houve uma dissidência dentro da Organização para a Libertação da Palestina e, em maio de 1983, as forças leais a Arafat começaram a enfrentar rebeldes chefiados por Abu Mussa. Arafat, por sua vez, firmou novas alianças com o presidente do Egito, Hosni Mubarak, e com o Rei Hussein, da Jordânia, e se reelegeu presidente da OLP no ano seguinte. Em 1985, Yasser e Hussein fizeram uma oferta de paz a Israel, em troca de sua retirada dos territórios ocupados. Os judeus, além de rejeitarem a proposta, mantiveram o exército naquelas regiões. Em 1987 explodiu uma rebelião popular em Gaza, cujo estopim foi o atropelamento e morte de quatro palestinos por um caminhão do exército israelense. Adolescentes, munidos de paus e pedras, enfrentaram, nas ruas, os soldados israelenses e o levante se alastrou. A repressão israelense foi brutal. Os soldados combatiam os paus e pedras com bombas de gás, tanques e balas de borracha. 3

4 Os resultados da Intifada foram vários espancamentos, detenções em massa e deportações. A ação judaica foi condenada pelo Conselho de Segurança da ONU, o que influenciou a opinião pública mundial a favor da OLP. Como resultado da Intifada, as facções da OLP se uniram na intenção de criar um Estado palestino e, em novembro de 1988, o Conselho Nacional Palestino proclamou o Estado Independente da Palestina, ao mesmo tempo em que aceitava a existência de Israel. Além disso, o Conselho declarou sua rejeição ao terrorismo e pediu uma solução pacífica para o problema dos refugiados, aceitando, também, participar de uma conferência internacional de paz. Conflito Irã Iraque Começa em setembro de 1980 com a invasão do Irã e a destruição de Khorramshar, onde fica a refinaria de Abadã, por tropas iraquianas. O pretexto é o repúdio, pelo governo iraquiano, ao Acordo de Argel (1975), que define os limites dos dois países no Chatt el Arab, canal de acesso do Iraque ao golfo Pérsico. O Iraque quer soberania completa sobre o canal e teme que o Irã sob Khomeini tente bloquear o transporte do petróleo iraquiano ao golfo Pérsico pelo canal. Khomeini havia sido expulso do Iraque em 1978, a pedido do xá Reza Pahlevi, e o presidente iraquiano, Saddam Hussein, dera apoio aos movimentos contra revolucionários de Baktiar e do general Oveissi. O novo regime iraniano apóia o separatismo dos curdos no norte do Iraque e convoca os xiitas iraquianos a rebelarem se contra o governo sunita de Saddam. O Irã bloqueia o porto de Basra e ocupa a ilha de Majnun, no pântano de Hoelza, onde estão os principais poços petrolíferos do Iraque. Este bombardeia navios petroleiros no golfo, usa armas químicas proibidas e ataca alvos civis. Há pouco avanço nas frentes de luta, mas o conflito deixa 1 milhão de mortos ao terminar em Guerra do Golfo Conflito militar ocorrido inicialmente entre o Kuwait e o Iraque de 2 de agosto de 1990 a 27 de fevereiro de 1991, que acaba por envolver outros países. A crise começa quando o Iraque, liderado pelo presidente Saddam Hussein (1937 ), invade o Kuwait. Como pretexto, o líder iraquiano acusa o Kuwait de provocar a baixa no preço do petróleo ao vender mais que a cota estabelecida pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). Hussein exige que o Kuwait perdoe a dívida de US$ 10 bilhões contraída pelo Iraque durante a guerra com o Irã (1980) e também cobra indenização de US$ 2,4 bilhões, alegando que os kuweitianos extraíram petróleo de campos iraquianos na região fronteiriça de Rumaila. Estão ainda em jogo antigas questões de limites, como o controle dos portos de Bubiyan e Uarba, que dariam ao Iraque novo acesso ao Golfo Pérsico. A invasão acontece apesar das tentativas de mediação da Arábia Saudita, do Egito e da Liga Árabe. As reações internacionais são imediatas. O Kuwait é grande produtor de petróleo e país estratégico para as economias industrializadas na região. Em 6 de agosto, a ONU impõe um boicote econômico ao Iraque. No dia 28, Hussein proclama a anexação do Kuwait como sua 19ª província. Aumenta a pressão norte americana para a ONU autorizar o uso de força. Hussein tenta em vão unir os árabes em torno de sua causa ao vincular a retirada de tropas 4

5 do Kuwait à criação de um Estado palestino. A Arábia Saudita torna se base temporária para as forças dos EUA, do Reino Unido, da França, do Egito, da Síria e de países que formam a coalizão anti Hussein. Fracassam as tentativas de solução diplomática, e, em 29 de novembro, a ONU autoriza o ataque contra o Iraque, caso seu Exército não se retire do Kuwait até 15 de janeiro de Em 16 de janeiro, as forças coligadas de 28 países liderados pelos EUA dão início ao bombardeio aéreo de Bagdá, que se rende em 27 de fevereiro. Como parte do acordo de cessar fogo, o Iraque permite a inspeção de suas instalações nucleares. Consequências O número estimado de mortos durante a guerra é de 100 mil soldados e 7 mil civis iraquianos, 30 mil kuweitianos e 510 homens da coalizão. Após a rendição, o Iraque enfrenta problemas internos, como a rebelião dos curdos ao norte, dos xiitas ao sul e de facções rivais do partido oficial na capital. O Kuwait perde US$ 8,5 bilhões com a queda da produção petrolífera. Os poços de petróleo incendiados pelas tropas iraquianas em retirada do Kuwait e o óleo jogado no golfo provocam um grande desastre ambiental. Tecnologia na guerra A Guerra do Golfo introduz recursos tecnológicos sofisticados, tanto no campo bélico como em seu acompanhamento pelo resto do planeta. A TV transmite o ataque a Bagdá ao vivo, e informações instantâneas sobre o desenrolar da guerra espalhamse por todo o mundo. A propaganda norte americana anuncia o emprego de ataques cirúrgicos, que conseguiriam acertar o alvo militar sem causar danos a civis próximos. Tanques e outros veículos blindados têm visores que enxergam no escuro graças a detectores de radiação infravermelha ou a sensores capazes de ampliar a luz das estrelas. Mas o maior destaque é o avião norte americano F 117, o caça invisível, projetado para minimizar sua detecção pelo radar inimigo. JUDEUS E PALESTINOS Origens do conflito "Ele julgará entre muitos povos e corrigirá entre nações poderosas e longínquas; estas converterão as suas espadas em relhas de arados e suas lanças em podadeiras; uma nação não levantará a espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerra" (Miquéias 4:3) O dilema não é novo. Na história e no presente do Oriente Médio, os conflitos já são características natas. Segundo o historiador José Volphi, o conflito entre judeus e palestinos preocupa o mundo todo: "De um lado os palestinos, que querem fazer de Jerusalém A Terra Santa sua capital; de outro, os autênticos judeus, que não admitem isso." Para Israel, os palestinos teriam expandido suas terras além do demarcado em um contrato mediado pela Organização das Nações Unidas. Desde o início dos recentes conflitos, no mês de outubro, já são mais de 150 mortos e a paz ainda está longe. Volphi ressalta que, se o conflito não for contido a tempo, podem ocorrer atos terroristas pelo mundo. "Os conflitos são difíceis de serem resolvidos naquela região, pois suas raízes são religiosas. Trata se, então, não apenas de uma disputa pela terra, e sim de uma guerra cultural", analisa. Por que existe conflito? Judeus e palestinos estão em confronto há centenas de anos. O desentendimento perdura desde a diáspora, quando os judeus foram expulsos pelos romanos de sua terra natal: a 5

6 Palestina, que aos poucos foi sendo ocupada por tribos árabes. Sem um destino certo, os judeus passaram a viver de forma nômade em vários países. O desejo judeu de retornar à antiga pátria sempre permaneceu. Durante a Segunda Guerra Mundial os judeus foram cruelmente perseguidos e mortos pelos nazistas. Aproximadamente 6 milhões deles morreram no Holocausto. Com o fim da guerra, a ONU e os Estados Unidos criaram o Estado de Israel, no antigo território da palestina, que na época era colônia inglesa. Neste mesmo acordo, ficou decido a criação de um Estado Palestino, o que na realidade nunca ocorreu. Embora resolvido o problema político do povo judeu, criou se um novo problema: o cultural. De volta a região da Palestina (Estado de Israel), o povo árabe que ali vivia e por ocuparem aquela região eram chamados de palestinos foi sendo lentamente expulso. No ano de 1973, depois de mais um confronto, os árabes abalaram a economia capitalista, pois aumentaram, de um só vez, o preço do barril de petróleo de U$ 3 para U$ 12. A crise atingiu todos os países importadores de petróleo do Oriente Médio, inclusive o Brasil. Com todos os confrontos vencidos por Israel, os palestinos se sentem sem saída e partem para o terrorismo. Os judeus, com o apoio militar e financeiro americano, perseguem os guerrilheiros palestinos. A resolução no 181 da ONU defende, na Palestina, a criação de um Estado judeu e outro palestino. Raízes históricas Os palestinos, através de uma estratégia política, protestam com manifestações e pedradas as investidas do exército judeu.em 1993 foi possível um acordo entre palestinos e judeus, em Washington (EUA), quando Yitzhak Rabin (Israel), Yasser Araft (Palestino) e Bill Clinton (EUA) definiram os pontos que trariam a paz para a região. Os palestinos reconheceram a existência de Israel como Estado judeu e os judeus cederam a região de Gaza e Cisjordânia que, lentamente, passaram para o controle político da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), criando o que se chamou de Autoridade Palestina. O sonho do povo palestino realizou se: a criação de um Estado livre e independente. Yasser Araft e Yitzhak Rabim, receberam o prêmio Nobel da Paz. Mais uma vez, o acordo não obteve os resultados esperados. As facções mais radicais do movimento palestino, como o Hamas, não aceitam a existência de Israel e insistem em uma revolução para conquistar seus territórios. Por outro lado, os fundamentalistas judeus não concordam com as decisões tomadas pelos atuais governantes e se negam a qualquer diálogo com os palestinos. Yitzhak Rabin (do partido trabalhista), primeiro ministro israelense, sempre teve muitas dificuldades de convencer o partido de Lukud, o mais conservador, da necessidade da paz. O seu assassinato por fundamentalistas judeus, reflete a complicada situação política de Israel e o fez mártir dessa luta milenar entre os dois povos inimigos. O substituo de Rabin pertence também ao partido trabalhista, Shimon Peres. Os problemas religiosos são de grande destaque. Os judeus professam o judaísmo e os palestinos, o islamismo. Jerusalém é uma cidade santa para as duas religiões, por isso é tão disputada. Os confrontos atuais tem como principal motivo, a decisão de reabrir sorrateiramente um túnel arqueológico que passa perto das duas mesquitas veneradas pelos muçulmanos, na parte antiga de Jerusalém (bairros árabes). Só neste conflito, houve mais de 60 mortos e de mil feridos. 6

7 EXERCÍCIO DE REVISÃO 1 (FACULDADE TREVISAN) A pretensão do Islã de criar Estados islâmicos e tornar se uma nova força mundial, exigindo uma unidade entre religião e política nos países por ele governados, pode ser designada como a) Fundamentalismo. b) Laicização. c) Racionalismo. d) Modernismo. e) Positivismo. 2 (FALM) O terrorismo é o grande assunto do momento. Ele afetou as bolsas de valores e as perspectivas decrescimento das economias, a começar pela norte americana a mais poderosa do globo e vem suscitando uma série de discussões sobre como evitá lo, com algumas propostas que, se adotadas, vão certamente alterar algumas de nossas rotinas do dia a dia. E também a ordenação geopolítica mundial começa a sofrer significativas modificações em função do desenrolar dos acontecimentos, em especial da luta contra o terrorismo. (VESENTINI, José William. Terrorismo e Nova Ordem Mundial, 2002). O terrorismo, assim, é uma ação desesperada e violenta, feita por grupos (ou eventualmente por um indivíduo) que almejam determinados ideais. De acordo com as alternativas abaixo, assinale qual NÃO corresponde aos ideais terroristas. a) Mudar alguma coisa na vida política e social, derrubar um regime, lutar contra uma potência colonialista ou imperialista. b) Lutar pela união dos povos, com objetivos de liberdade mundial, evitando atingir inocentes. c) Alterar radicalmente os valores de uma sociedade. d) Alcançar uma independência nacional ou controlar um território. e) Semear o pânico, desestabilizar as instituições e com isso suscitar mudanças radicais. 3 (UECE Localizado no sudoeste do continente asiático, o Oriente Médio é um território limitado pelos mares Negro, Mediterrâneo e Vermelho, pelo Golfo Pérsico e pelo Mar Arábico, no Oceano Índico. Em termos geopolíticos é considerado como um barril de pólvora devido ao complexo e explosivo clima político, fundamentado por princípios religiosos que orientam permanentes conflitos. Sobre o território em questão, assinale o INCORRETO. a) Nele se concentra a maior riqueza do continente asiático. Localizados no Golfo Pérsico, os seus lençóis petrolíferos são considerados os maiores do globo terrestre. b) A Faixa de Gaza e a Cisjordânia constituem as principais áreas de conflitos entre árabes e judeus, palcos de sangrentas manifestações travadas entre radicais islâmicos, bem como, de radicas israelitas que não desejam a formação de um estado palestino. c) O fundamentalismo islâmico, cujo ideário é a revogação dos costumes modernos e a aplicação da lei corânica à vida cotidiana, bem como, uma rejeição completa ao mundo moderno, galgaram o cenário político do Oriente Médio, a partir da Revolução Xiita iraniana, em

8 d) Com exceção do Líbano, onde a maioria da população segue o judaísmo, os demais países do Oriente Médio professam o islamismo como religião. 4 (UFRR) Em pleno século XXI, as religiões continuam tendo grande influência no contexto social e cultural de diversos países e em amplas regiões do planeta. O poder da fé é de tal magnitude que é capaz de influir em aspectos políticos, sociais e econômicos de nações cujas autoridades, leis ou fronteiras são fortemente delimitadas por questões religiosas. Além disso, variados conflitos no mundo nos últimos tempos têm sua origem em divergências religiosas. (...) Jerusalém é a cidade sagrada de três grandes religiões (...). Os três credos têm em Jerusalém marcos básicos de sua doutrina e de sua historia. (In.: Atlas Geográfico Mundial para conhecer melhor o mundo em que vivemos vol.01. Mundo. Barcelona: Editorial Sol 90, 2005.) O texto acima apresenta Jerusalém como a cidade sagrada de três religiões. São elas: a) Judaísmo, hinduísmo e islamismo b) Judaísmo, cristianismo e islamismo c) Judaísmo, budismo e islamismo d) Judaísmo, confucionismo e islamismo e) Judaísmo, xintoísmo e islamismo 5 (MACKENZIE) Leia o texto: "Negócio fechado, assinado e selado. Selado com um aperto de mãos Debaixo de um céu azul, e um sol de rachar, no gramado da Casa Branca, o aperto de mãos entre dois velhos guerreiros, no sentido literal da palavra, deu vida ao acordo de paz entre israelenses e palestinos." (Revista Veja ) Os dois "velhos guerreiros", Yitzhak Rabln e Yasser Arafat, são personagens históricos do conflito árabe israelense, cujas origens são: a) A guerra civil do Líbano, que teve como causa as rivalidades político religiosas entre cristãos e muçulmanos. b) A guerra Irã Iraque, que se iniciou com a ocupação por tropas do Iraque da região do estreito de Chatt el Arab. c) A partilha da Palestina, realizada pela O.N.U., que deu origem ao Estado de Israel. d) As tensões entre E.U.A. e U.R.S.S. no Oriente Médio, que favoreceram os aiatolahs xiitas a derrubarem o Xá Reza Pahlevi. e) A invasão do Kwait e o conflito entre tropas aliadas internacionais e o governo de Saddan Hussein. 6 (MACKENZIE) "A condenação à ocidentalização do país, contrária às tradições islâmicas, desencadeou manifestações que exigiam o regresso ao país do líder exilado Ruhola Komeini; provocando a fuga do Xá Reza Pahlevi." O texto acima refere se: a) À Guerra do Líbano. b) À Revolução Xiita do Irã. c) À Guerra do Yom Kippur. d) À Revolução Sunita do Iraque. 8

9 e) Ao Golpe de Estado de Saddam Hussein. 7 (CESGRANRIO) A paz firmada recentemente entre judeus e palestinos contribuiu para a diminuição dos conflitos e antagonismos históricos no Oriente Médio. Sobre esses antagonismos, NÃO podemos afirmar que: a) As origens do conflito na Palestina remontam ao final da primeira Guerra Mundial, com a instituição da administração inglesa na região, apoiada pela Liga das Nações, através da Declaração Balfour (1922). b) O movimento sionista, com o favorecimento inglês, organizou uma forte corrente migratória para a Palestina, a partir da década de 20, aumentando a população judia e, consequentemente, os conflitos religiosos. c) A intervenção da ONU, em 1947, dividindo o território palestino em dois, obteve o consentimento árabe, o que evitou o conflito militar após a retirada britânica da região, em d) A Organização para a Liberação da Palestina, criada em 1964, tinha por objetivo retomar os territórios ocupados por Israel e, através da guerrilha, fundar um Estado palestino. e) Os acordos firmados em Camp David, em 1979, promovidos pelos Estados Unidos, selaram a paz em separado entre Israel e Egito, garantindo a este a devolução dos territórios do Sinai. 8 (UEL) "No dia 9 de dezembro de 1987 explodiu uma rebelião popular espontânea em Gaza, motivada pelo atropelamento e morte de quatro palestinos por um caminhão do exército israelense. Munidos de paus e pedras, vários adolescentes começaram a enfrentar nas ruas os soldados inimigos " A rebelião a que o texto se refere ficou conhecida como a) "Diáspora". b) "Intifada". c) "Guerra de Suez". d) "Guerra do Yom Kippur". e) "Guerra dos Seis Dias". 9 (UFES) A questão racial tem sido muito debatida na atualidade. A Conferência Internacional sobre esse tema, organizada pela ONU e realizada em Durban, na África do Sul, teve seus objetivos distorcidos, não alcançando os resultados esperados: "Boa cansa, maus argumentos" ("Veja", p. 48, 12 set. 2001). No Brasil, discutem se projetos que visam o aumento do número de indivíduos negros nas universidades, por meio do estabelecimento de cotas. Alguns conceitos, interpretações, tendências ou posições podem prejudicar e até inviabilizar grandes e importantes decisões sobre a questão racial: I Avaliação das demais culturas, baseada na superioridade de um povo e de sua cultura, desvalorizando as por serem diferentes. II Movimento nacionalista voltado para a criação de um estado judeu, povoado pela imigração, e para a concentração de maior número de cidadãos numa comunidade autônoma. 9

10 III Tendência à desvalorização de certos grupos (étnicos, culturais ou sociais) aos quais são atribuídas características consideradas inferiores em relação a outros grupos, sem base científica. É CORRETO afirmar que a) O "apartheid" exemplifica as idéias contidas no item I. b) A intifada exemplifica as idéias contidas no item II. c) O etnocentrismo corresponde às idéias contidas no item III. d) O sionismo corresponde às idéias contidas no item II. e) A civilização sínica é uma das consequências das idéias contidas no item III. 10 (UNIFESP) Leia as frases seguintes, sobre as dificuldades para a paz entre Israel e a Palestina. I. Destino de 3 milhões de refugiados palestinos dispersos pelos países vizinhos. II. Controle do Rio Jordão a partir das colinas de Golan, que estão sob domínio da Síria. III. Fim da Intifada, movimento de judeus pela aceitação do acordo de Oslo. IV. Definição da situação de Jerusalém, apontada como capital por judeus e considerada sagrada pelos palestinos. V. Presença de colônias judaicas em áreas destinadas ao estado Palestino. Está correto o que se afirma em: a) I, II e IV, apenas. b) I, III e V, apenas. c) I, IV e V, apenas. d) II, III e IV, apenas. e) II, III e V, apenas. 11 (UDESC) O Oriente Médio é uma região de grande instabilidade política, onde encontramos um emaranhado de culturas diferentes, antagonismos religiosos, múltiplas formas de organização política e econômica e interesses das grandes potências industriais do petróleo, que acirram bastante os problemas regionais. Sobre o assunto, assinale a afirmativa CORRETA. a) O Estado de Israel foi criado em 1948, durante o período da Guerra Fria, pela recém criada Organização das Nações Unidas. b) O Oriente Médio é rico em reservas florestais, sendo o maior responsável pela produção de energia térmica do mundo. c) A maior parte das Nações do Oriente Médio obteve sua independência recentemente, nos idos de 80 e 90, quando se intensificaram os nacionalismos étnicos após a queda do muro de Berlim. d) O Mar Morto é rico em pescados, que é a principal fonte alimentícia dos povos árabes dos desertos. e) A Síria é o maior produtor mundial de gás natural e petróleo. 12 (PUCCAMP) Após 45 anos de guerras e mortes, a assinatura da Declaração de Princípios entre Israel e a OLP (Organização de Libertação da Palestina) parece marcar uma nova era na 10

11 história do Oriente Médio. O plano de paz prevê o autogoverno quase total dos palestinos na cidade de a) Jerusalém e nos campos de Sabra. b) Haifa e na faixa de Gaza. c) Jericó e nas colinas de Golan. d) Jericó e na faixa de Gaza. e) Jerusalém e na Cisjordânia. 13 (UFPR) Observando o cartograma da região do Oriente Médio, é correto afirmar que: (01) As letras A e F indicam países diretamente envolvidos na "Guerra do Golfo": Arábia Saudita e o Iraque. (02) As letras C, B e D indicam, respectivamente, Israel, Líbano e Síria, que têm sido focos de tensão da região. (04) A letra H indica a Jordânia, que, por sua situação geográfica, está muito vinculada à chamada "Questão Palestina". (08) O projeto da "Grande Síria" objetiva a expansão da Síria sobre o Líbano, a Jordânia e o Iraque, indicados por F, I e E respectivamente. (16) Entre 1980 e 1988 ocorreu violento conflito entre Irã e Iraque, países limítrofes indicados por F e E. soma = ( ) (MACKENZIE) "A presença, a ausência ou a passagem do petróleo definem a economia e os orçamentos da região. Para o conjunto da população, ele é uma riqueza estranha pois o homem do campo está alienado das rendas recebidas pelos governos. Só aparece de forma indireta em alguns investimentos e nas modernas construções urbanas." O texto faz referência: a) Ao México. b) À Indonésia. c) Ao Oriente Médio. d) À África Ocidental. e) À Europa Oriental. 11

12 15 (CESGRANRIO) Que fator, entre os a seguir mencionados, NÃO representa condicionante geopolítico e econômico na atual crise do Oriente Médio? a) Desejo do Iraque de se afirmar como liderança árabe num mundo islâmico profundamente dividido, imagem esta dirigida mais aos povos que aos governos. b) A estratégica posição do Golfo Pérsico, não só em relação aos campos petrolíferos adjacentes, mas sobretudo em função dos enormes terminais de embarque aí existentes. c) lnteresse das potências ocidentais em manter a influência na área dividida por elas onde criaram países entregaram governos a famílias e grupos que fazem a política destas potências. d) Mais do que uma guerra de petróleo, a questão do Oriente Médio constitui um capítulo da guerra fria leste oeste. e) Participação importante da Jordânia, Síria e Líbano, países sem petróleo, na economia do ouro negro, por terem seus territórios atravessados por oleodutos que demandam o Mediterrâneo. GABARITO: 1 A 2 B 3 D 4 B 5 C 6 B 7 C 8 B 9 D 10 C 11 A 12 D C 15 D 12

Região de conflitos 1) Irã x Iraque: 2) Guerra do Golfo ou Iraque x Kuwait 3) Guerra no Afeganistão: 4) Guerra no Iraque ou Iraque x EUA:

Região de conflitos 1) Irã x Iraque: 2) Guerra do Golfo ou Iraque x Kuwait 3) Guerra no Afeganistão: 4) Guerra no Iraque ou Iraque x EUA: AVALIAÇÃO MENSAL DE GEOGRAFIA 1º Bim./2012 GABARITO Professor(a): Marcelo Duílio / Mônica Moraes Curso: Fund. II 9º ano Data: 08 / 03 / 2012 Tarde versão 2 Nome: BOA PROVA!!! Nº.: Instruções gerais Para

Leia mais

1896 Surgimento do movimento sionista Em 1896, o jornalista judeu Theodor Herzl, autor do livro "O Estado Judeu", criou o movimento sionista.

1896 Surgimento do movimento sionista Em 1896, o jornalista judeu Theodor Herzl, autor do livro O Estado Judeu, criou o movimento sionista. 1896 Surgimento do movimento sionista Em 1896, o jornalista judeu Theodor Herzl, autor do livro "O Estado Judeu", criou o movimento sionista. O objetivo era estabelecer um lar nacional para os judeus na

Leia mais

Barak Articula Articulação com o estopim Sharon

Barak Articula Articulação com o estopim Sharon Barak Articula Articulação com o estopim Sharon JERUSALÉM- Ehud Barak está prestes a fazer um acordo para formar um governo de unidade nacional com o líder do direitista palestino Likud, Ariel Sharon,

Leia mais

Conflito entre Israel e Palestina CONFLITO ATUAL

Conflito entre Israel e Palestina CONFLITO ATUAL Conflito entre Israel e Palestina CONFLITO ATUAL Os conflitos entre Israel e a Faixa de Gaza se intensificaram em junho e julho de 2014. Os dois territórios apresentam instabilidade política há anos, ou

Leia mais

Conflitos no Oriente Médio. Prof a Maria Fernanda Scelza

Conflitos no Oriente Médio. Prof a Maria Fernanda Scelza Conflitos no Oriente Médio Prof a Maria Fernanda Scelza Revolução Iraniana 1953: o Xá (rei) Mohamed Reza Pahlevi passou a governar autoritariamente o Irã; Seu objetivo era ocidentalizar o país, tornando-o

Leia mais

CONFLITO EM GAZA: ENTENDA A GUERRA ENTRE ISRAEL E OS PALESTINOS

CONFLITO EM GAZA: ENTENDA A GUERRA ENTRE ISRAEL E OS PALESTINOS CONFLITO EM GAZA: ENTENDA A GUERRA ENTRE ISRAEL E OS PALESTINOS Um assunto que volta e meia ocupa as manchetes de jornais do mundo inteiro há décadas é a questão sobre o conflito entre israelenses e palestinos

Leia mais

ISRAEL E A QUESTÃO PALESTINA

ISRAEL E A QUESTÃO PALESTINA ISRAEL E A QUESTÃO PALESTINA Origem do Judaísmo Os relatos bíblicos são a principal fonte de informações para entender as origens dos judeus. Segundo a Bíblia, Abraão recebeu de Deus a missão de levar

Leia mais

ATIVIDADES ONLINE 9º ANO

ATIVIDADES ONLINE 9º ANO ATIVIDADES ONLINE 9º ANO 1) (UFV) Das alternativas, aquela que corresponde à causa do acordo entre Israel e a Organização para Libertação da Palestina (OLP) é: a) o fortalecimento do grupo liderado por

Leia mais

Israel e o mundo Árabe

Israel e o mundo Árabe Israel e o mundo Árabe Leonardo Herms Maia¹ Regina Cohen Barros² Para uma compreensão espacial e econômica deste assunto, irei abordar temas principais que nos mostram como Israel se tornou uma grande

Leia mais

HISTÓRIA - 2 o ANO MÓDULO 59 OS CONFLITOS NO ORIENTE MÉDIO (1973 A 1991)

HISTÓRIA - 2 o ANO MÓDULO 59 OS CONFLITOS NO ORIENTE MÉDIO (1973 A 1991) HISTÓRIA - 2 o ANO MÓDULO 59 OS CONFLITOS NO ORIENTE MÉDIO (1973 A 1991) Como pode cair no enem (ENEM) Em 1947, a Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou um plano de partilha da Palestina

Leia mais

A formação do Estado de Israel

A formação do Estado de Israel A formação do Estado de Israel 1946: 500 mil judeus na Palestina querem a independência de Israel do domínio britânico Aumento da tensão entre israelenses e ingleses: centenas de ataques de judeus a britânicos

Leia mais

CONFLITO ENTRE ISRAEL E PALESTINA CLAUDIO F GALDINO GEOGRAFIA

CONFLITO ENTRE ISRAEL E PALESTINA CLAUDIO F GALDINO GEOGRAFIA CONFLITO ENTRE ISRAEL E PALESTINA CLAUDIO F GALDINO GEOGRAFIA Oferecimento Fábrica de Camisas Grande Negão AQUELA QUE TRAZ EMOÇÃO. PARA VOCÊ E SEU IRMÃO!!! Canaã Terra Prometida Abraão recebeu de Deus

Leia mais

Professora Erlani. Capítulo 3 Apostila 4

Professora Erlani. Capítulo 3 Apostila 4 Capítulo 3 Apostila 4 Aspectos cruciais para a compreensão do Oriente Médio e de suas relações internacionais petróleo e terrorismo. Petróleo indispensável como fonte de energia. Terrorismo desencadeia

Leia mais

Descolonização e Lutas de Independência no Século XX

Descolonização e Lutas de Independência no Século XX Descolonização e Lutas de Independência no Século XX A Independência da Índia (1947) - Antecedentes: Partido do Congresso (hindu) Liga Muçulmana Longa luta contra a Metrópole inglesa - Desobediência pacífica

Leia mais

Exercícios sobre Israel e Palestina

Exercícios sobre Israel e Palestina Exercícios sobre Israel e Palestina Material de apoio do Extensivo 1. Observe o mapa a seguir, que representa uma área do Oriente Médio, onde ocorrem grandes tensões geopolíticas. MAGNOLI, Demétrio; ARAÚJO,

Leia mais

GOIÂNIA, / / 2015. ALUNO(a):

GOIÂNIA, / / 2015. ALUNO(a): GOIÂNIA, / / 2015 No Anhanguera você é PROFESSOR: ANDERSON JOSÉ SOARES DISCIPLINA: GEOGRAFIA SÉRIE:9º ALUNO(a): Lista de atividades P1 Bimestre III Leia com atenção a matéria da revista Ciência Hoje e

Leia mais

Sessenta anos de Israel

Sessenta anos de Israel Sessenta anos de Israel Resen AnSegurançaCar Resenha Segurança Diego Cristóvão Alves de Souza Paes 03 de junho de 2008 Sessenta anos de Israel Resenha Segurança Diego Cristóvão Alves de Souza Paes 03 de

Leia mais

Profª: Sabrine V.Welzel

Profª: Sabrine V.Welzel GEOGRAFIA 3 ano Ensino Médio Oriente Médio 1 (Ufg) O Estado de Israel foi criado pela ONU em 1948. Desde a sua criação, Israel mantém um conflito permanente com os palestinos. Sobre esse conflito, explique

Leia mais

Oriente Médio. Geografia Monitor: Renata Carvalho e Eduardo Nogueira 21, 24 e 25/10/2014. Material de Apoio para Monitoria

Oriente Médio. Geografia Monitor: Renata Carvalho e Eduardo Nogueira 21, 24 e 25/10/2014. Material de Apoio para Monitoria Oriente Médio 1.(VEST - RIO) A Guerra do Líbano, o conflito Irã/ Iraque, a questão Palestina, a Guerra do Golfo, são alguns dos conflitos que marcam ou marcaram o Oriente Médio. Das alternativas abaixo,

Leia mais

COLÉGIO SANTA ROSA PROFESSOR: CARLOS FERREIRA. SÉRIE: 8ª ASSUNTO: ORIENTE MÉDIO

COLÉGIO SANTA ROSA PROFESSOR: CARLOS FERREIRA. SÉRIE: 8ª ASSUNTO: ORIENTE MÉDIO COLÉGIO SANTA ROSA PROFESSOR: CARLOS FERREIRA. SÉRIE: 8ª ASSUNTO: ORIENTE MÉDIO Essa região é considerada um local de intensa divergência religiosa e política. É marcada por diversos conflitos e tem áreas

Leia mais

Prof ª Viviane Jordão

Prof ª Viviane Jordão Prof ª Viviane Jordão LOCALIZAÇÃO Localização geográfica estratégica, na Ásia Ocidental (ponto de encontro entre a Ásia, Europa e África). ORIENTE MÉDIO 1. Turquia 2. Síria 3. Chipre 4. Líbano 5. Israel

Leia mais

Português. Atualidades Fascículo 05 Cinília Tadeu Gisondi Omaki Maria Odette Simão Brancatelli

Português. Atualidades Fascículo 05 Cinília Tadeu Gisondi Omaki Maria Odette Simão Brancatelli Português Atualidades Fascículo 05 Cinília Tadeu Gisondi Omaki Maria Odette Simão Brancatelli Índice Nova Ordem vive entre acordo de paz e conflito...1 Exercicíos...2 Gabarito...2 Negociações amenizam

Leia mais

I s r a e l. P a l e s t i n o s ORIENTE MÉDIO OU ÁSIA OCIDENTAL

I s r a e l. P a l e s t i n o s ORIENTE MÉDIO OU ÁSIA OCIDENTAL I s r a e l P a l e s t i n o s ORIENTE MÉDIO OU ÁSIA OCIDENTAL 1 ISRAEL PRINCIPAIS FATOS HISTÓRICOS MAPA DE ISRAEL E DA REGIÃO A LÍBANO B COLINAS DE GOLÃ C CISJORDÃNIA D RIO JORDÃO E MAR MORTO F DESERTO

Leia mais

Exercícios de Oriente Médio

Exercícios de Oriente Médio Exercícios de Oriente Médio 1. (Cesgranrio) Quanto aos conflitos entre árabes e israelenses, podemos dizer que: I - se aceleram com a partilha da Palestina realizada pela ONU em 1947, que deu origem ao

Leia mais

Formação do Estado de Israel

Formação do Estado de Israel Arão e Sara recebem de Deus Canaã para viverem e a promessa que sua família se transformaria em uma nação numerosa. Livro do Bereshit (Gênesis) - Torá1 17/04/2013 1 BANDEIRA DE ISRAEL 17/04/2013 2 Primeira

Leia mais

HISTÓRIA APROFUNDAMENTO CONFLITOS ÁRABE-ISRAELENSES

HISTÓRIA APROFUNDAMENTO CONFLITOS ÁRABE-ISRAELENSES HISTÓRIA Prof. Eliezer APROFUNDAMENTO CONFLITOS ÁRABE-ISRAELENSES MAPA: RESUMO: Os conflitos entre árabes e israelenses, como o mundo os vê hoje, começaram com a I Guerra Mundial (1914-1918). Até 1917,

Leia mais

Colégio Jardim São Paulo 2012 9 os Anos. ORIENTE MÉDIO 2. prof. Marcelo Duílio profa. Mônica Moraes

Colégio Jardim São Paulo 2012 9 os Anos. ORIENTE MÉDIO 2. prof. Marcelo Duílio profa. Mônica Moraes Colégio Jardim São Paulo 2012 9 os Anos. ORIENTE MÉDIO 2 prof. Marcelo Duílio profa. Mônica Moraes 1 ORIENTE MÉDIO Quadro político e socioeconômico Essa região divide se politicamente em uma porção continental:

Leia mais

O conflito interno entre palestinos: Hamas e Fatah. Resenha Segurança

O conflito interno entre palestinos: Hamas e Fatah. Resenha Segurança O conflito interno entre palestinos: Hamas e Fatah Resenha Segurança Lígia Franco Prados Mello 09 de julho de 2007 1 O conflito interno entre palestinos: Hamas e Fatah Resenha Segurança Lígia Franco Prados

Leia mais

DÉCADA DE 70. Eventos marcantes: Guerra do Vietnã Watergate Crise do Petróleo Revolução Iraniana

DÉCADA DE 70. Eventos marcantes: Guerra do Vietnã Watergate Crise do Petróleo Revolução Iraniana Eventos marcantes: Guerra do Vietnã Watergate Crise do Petróleo Revolução Iraniana GUERRA DO VIETNÃ Após o fim da Guerra da Indochina (1954), Vietnã é dividido na altura do paralelo 17: Norte: república

Leia mais

Uma Primavera dos Povos Árabes?

Uma Primavera dos Povos Árabes? Uma Primavera dos Povos Árabes? Documento de Trabalho Oriente Médio e Magreb Danny Zahreddine 18 de Junho de 2011 Uma Primavera dos Povos Árabes? Documento de Trabalho Oriente Médio e Magreb Danny Zahreddine

Leia mais

A atual situação do Egito e as perspectivas para a reconstrução do país

A atual situação do Egito e as perspectivas para a reconstrução do país A atual situação do Egito e as perspectivas para a reconstrução do país Análise Oriente Médio e Magreb Pedro Casas 14 de Março de 2011 A atual situação do Egito e as perspectivas para a reconstrução do

Leia mais

Carta Aberta do Conselho da Paz dos EUA Para Todos Os Nossos Amigos e Camaradas Do Movimento Pela Paz

Carta Aberta do Conselho da Paz dos EUA Para Todos Os Nossos Amigos e Camaradas Do Movimento Pela Paz Carta Aberta do Conselho da Paz dos EUA Para Todos Os Nossos Amigos e Camaradas Do Movimento Pela Paz Caros Amigos e Camaradas da Paz, Como é do vosso conhecimento, o nosso mundo encontra-se numa conjuntura

Leia mais

Geografia. Questão 1. Questão 2. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor:

Geografia. Questão 1. Questão 2. Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Avaliação: Aluno: Data: Ano: Turma: Professor: Geografia Questão 1 Em 1967, por ocasião da Guerra dos Seis Dias, Israel ocupou de seus vizinhos árabes uma série de territórios, entre eles a Península do

Leia mais

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 4 A 10 DE AGOSTO SEMANA 4 A 10 DE AGOSTO. Material: Raquel Basilone

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 4 A 10 DE AGOSTO SEMANA 4 A 10 DE AGOSTO. Material: Raquel Basilone Obama lança plano contra efeito estufa Israel aumenta repressão aos extremistas judeus após críticas ATUALIDADES PROFESSOR MARCOS JOSÉ Material: Raquel Basilone Donald Trump ameaça ser candidato independente

Leia mais

MESOPOTÂMIA ORIENTE MÉDIO FENÍCIA ISRAEL EGITO PÉRSIA. ORIENTE MÉDIO origem das primeiras civilizações

MESOPOTÂMIA ORIENTE MÉDIO FENÍCIA ISRAEL EGITO PÉRSIA. ORIENTE MÉDIO origem das primeiras civilizações MESOPOTÂMIA FENÍCIA ISRAEL EGITO ORIENTE MÉDIO PÉRSIA ORIENTE MÉDIO origem das primeiras civilizações CIVILIZAÇÕES DA ANTIGUIDADE ORIENTAL Mesopotâmia - Iraque Egito Hebreus Israel Fenícios Líbano Pérsia

Leia mais

DÉCADA DE 60. Eventos marcantes:

DÉCADA DE 60. Eventos marcantes: Eventos marcantes: Invasão da Baía dos Porcos Crise dos Mísseis de Cuba Aquecimento da corrida espacial Revolução Cultural na China Guerra dos Seis Dias Início da Guerra do Vietnã INVASÃO DA BAÍA DOS PORCOS

Leia mais

A PAZ ENTRE PALESTINOS E ISRAELENSES CONTINUA DISTANTE

A PAZ ENTRE PALESTINOS E ISRAELENSES CONTINUA DISTANTE Aumentar a fonte Diminuir a fonte MUNDO ÁRABE A PAZ ENTRE PALESTINOS E ISRAELENSES CONTINUA DISTANTE Apesar da vitória diplomática palestina na ONU, a existência de um Estado fica difícil com os novos

Leia mais

ISRAEL X ÁRABES / GUERRA DOS 6 DIAS ISRAEL X ÁRABES / GUERRA DO YOM KIPPUR

ISRAEL X ÁRABES / GUERRA DOS 6 DIAS ISRAEL X ÁRABES / GUERRA DO YOM KIPPUR PROPOSTA ORIGINAL DA ONU JERUSALÉM 57 58 ISRAEL X ÁRABES / GUERRA DOS 6 DIAS ISRAEL X ÁRABES / GUERRA DO YOM KIPPUR Golda Meir, foi uma fundadora do Estado de Israel. Emigrou para a Palestina no ano de

Leia mais

O Golfo em debate com Mohamed Benbouta

O Golfo em debate com Mohamed Benbouta DEBATE O Golfo em debate com Mohamed Benbouta DUARTE CALVÃO A guerra do Golfo eclodiu há cerca de um ano. Nessa altura esteve em Lisboa o professor Mohamed Benbouta, economista, cientista político, docente

Leia mais

Frente contra as guerras e intervenções imperialistas

Frente contra as guerras e intervenções imperialistas Pelo Socialismo Questões político-ideológicas com atualidade http://www.pelosocialismo.net Publicado em: http://inter.kke.gr/news/news2011/2011-05-04-eliseo-artho Tradução do inglês de MF Colocado em linha

Leia mais

ISRAEL E PALESTINA COMO COMEÇOU O CONFLITO?

ISRAEL E PALESTINA COMO COMEÇOU O CONFLITO? ISRAEL E PALESTINA COMO COMEÇOU O CONFLITO? O movimento sionista, que procurava criar um Estado para os judeus, ganhou força no início do século 20, incentivado pelo antissemitismo sofrido por judeus na

Leia mais

RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS DAS

RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS DAS 1 RESOLUÇÕES E COMENTÁRIOS DAS QUESTÕES ( ) I Unidade ( ) II Unidade ( x ) III Unidade FÍSICA E GEOGRAFIA Curso: Ensino Fundamental Ano: 9.º Turma: ABCDEF Data: / / 1 11 009 Física Prof. s Fernandes e

Leia mais

Unidade III Cidadania e Movimento Aula 16.2 Conteúdo: Israel: uma política desenvolvida na região. A difícil criação de um Estado Palestino.

Unidade III Cidadania e Movimento Aula 16.2 Conteúdo: Israel: uma política desenvolvida na região. A difícil criação de um Estado Palestino. Unidade III Cidadania e Movimento Aula 16.2 Conteúdo: Israel: uma política desenvolvida na região. A difícil criação de um Estado Palestino. 2 Habilidades: Analisar os motivos que levaram ao conflito entre

Leia mais

ORIENTE MÉDIO CAPÍTULO 10 GRUPO 07

ORIENTE MÉDIO CAPÍTULO 10 GRUPO 07 ORIENTE MÉDIO CAPÍTULO 10 GRUPO 07 LOCALIZAÇÃO Compreende a região que se estende do Mar Vermelho e Canal de Suez, no Egito, até o Afeganistão, a leste. Também fazem parte do Oriente Médio a Ilha de Chipre,

Leia mais

Conflitos Geopolíticos II. Oriente Médio, África, Índia, Curdistão e Timor Leste

Conflitos Geopolíticos II. Oriente Médio, África, Índia, Curdistão e Timor Leste Conflitos Geopolíticos II Oriente Médio, África, Índia, Curdistão e Timor Leste Oriente Médio Histórico Israel X Palestina 1947 Partilha da Palestina/Israel pela ONU 1948-49 implantação do Estado de Israel

Leia mais

Oriente Médio (Parte 1) Professor Luiz Fernando

Oriente Médio (Parte 1) Professor Luiz Fernando Oriente Médio (Parte 1) Professor Luiz Fernando Aspectos Físicos É uma região da Ásia Climas Secos (área de alta pressão atmosférica) Reflete na agropecuária Predominância de planaltos Principal região

Leia mais

PROFESSOR: Gabriel Mattos e Marcello Rangel

PROFESSOR: Gabriel Mattos e Marcello Rangel PROFESSOR: Gabriel Mattos e Marcello Rangel BANCO DE QUESTÕES - HISTÓRIA - 3ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO - PARTE 8 ==============================================================================================

Leia mais

Capítulo 12 Oriente Médio: zona de tensões

Capítulo 12 Oriente Médio: zona de tensões Capítulo 12 Oriente Médio: zona de tensões Aspectos Físicos Área: 6,8 milhões de km² porção continental e peninsular. Relevo: - Domínio de terras altas: planaltos. - Planície da Mesopotâmia Predomínio

Leia mais

Marcel Gromaire, A Guerra. A partida de soldados portugueses para a guerra.

Marcel Gromaire, A Guerra. A partida de soldados portugueses para a guerra. Marcel Gromaire, A Guerra. A partida de soldados portugueses para a guerra. No início de agosto de 1914, as potências europeias desencadearam um conflito militar que ficou conhecido, entre os contemporâneos,

Leia mais

A Guerra dos Seis Dias

A Guerra dos Seis Dias A Guerra dos Seis Dias Desde o fim da Segunda Guerra Mundial e da criação do Estado de Israel em 1948 que o Oriente Médio vive em uma constante tensão bélica por conta das inúmeras discordâncias entre

Leia mais

MATÉRIA Geografia NOTA. 2. Sobre os sistemas políticos nos Tigres Asiáticos, observamos com exceção da Coréia do Sul regimes políticos

MATÉRIA Geografia NOTA. 2. Sobre os sistemas políticos nos Tigres Asiáticos, observamos com exceção da Coréia do Sul regimes políticos Valores eternos. TD Recuperação MATÉRIA Geografia ANO/TURMA 9º SEMESTRE DATA 2º Dez/13 ALUNO(A) ) PROFESSOR(A) Tiago Bastos TOTAL DE ESCORES ESCORES OBTIDOS NOTA VISTO DOS PAIS/RESPONSÁVEIS 1. Destaque

Leia mais

Apostila 03 - Atividade 35 pp. 69-74 Aspectos Naturais: relevo, hidrografia, clima e vegetação

Apostila 03 - Atividade 35 pp. 69-74 Aspectos Naturais: relevo, hidrografia, clima e vegetação Apostila 03 - Atividade 35 pp. 69-74 Aspectos Naturais: relevo, hidrografia, clima e vegetação 01. F, V, V, F, V. 02. Oceano Glacial Ártico; Círculo Polar Ártico; Montes Urais; Trópico de Câncer; Oceano

Leia mais

Oriente Médio Oceania

Oriente Médio Oceania 1 Fonte: Para viver juntos: Geografia, 9º ano: ensino fundamental. São Paulo: Edições SM, 2008, p. 206. O mapa acima nos mostra uma região que tem sido motivo de disputas e conflitos entre os europeus

Leia mais

Violência aumenta no Afeganistão. Resenha Segurança / Desenvolvimento

Violência aumenta no Afeganistão. Resenha Segurança / Desenvolvimento Violência aumenta no Afeganistão Resenha Segurança / Desenvolvimento Tiago Cerqueira Lazier 26 de maio de 2006 Violência aumenta no Afeganistão Resenha Segurança / Desenvolvimento Tiago Cerqueira Lazier

Leia mais

Quatro Dicas Para o ENEM. Prof: Marcio Santos ENEM 2009. As Quatro Áreas de Conhecimento

Quatro Dicas Para o ENEM. Prof: Marcio Santos ENEM 2009. As Quatro Áreas de Conhecimento Quatro Dicas Para o ENEM Prof: Marcio Santos ENEM 2009 Ciências Humanas Dominar Linguagens: saber ler e entender textos, mapas e gráficos. Manter-se Atualizado: ler jornais, revistas, assistir telejornais.

Leia mais

REVISÃO PARA O PROVÃO HISTÓRIA

REVISÃO PARA O PROVÃO HISTÓRIA REVISÃO PARA O PROVÃO HISTÓRIA 1) Quais são os aspectos da guerra fria: corrida armamentista, corrida olimpica, corrida tecologica, corrida aeroespacial 2) O que acontece quando a gente se vê duplicado

Leia mais

Professor: MARCOS ROBERTO Disciplina: HISTÓRIA Aluno(a): Série: 9º ano - REGULAR Turno: MANHÃ Turma: Data:

Professor: MARCOS ROBERTO Disciplina: HISTÓRIA Aluno(a): Série: 9º ano - REGULAR Turno: MANHÃ Turma: Data: Professor: MARCOS ROBERTO Disciplina: HISTÓRIA Aluno(a): Série: 9º ano - REGULAR Turno: MANHÃ Turma: Data: REVISÃO FINAL PARA O SIMULADO 1ª Avaliação: Imperialismo na Ásia e na África 01. Podemos sempre

Leia mais

Geografia: Conflitos Mundiais (Parte 1)

Geografia: Conflitos Mundiais (Parte 1) Geografia: Conflitos Mundiais (Parte 1) Questão Israel x Palestina: A região da Palestina desde a Antiguidade vem sendo palco da ação de potências que se sucedem com o passar do tempo. A terra foi disputada

Leia mais

A VIOLÊNCIA RELIGIOSA CONTEMPORÂNEA

A VIOLÊNCIA RELIGIOSA CONTEMPORÂNEA A VIOLÊNCIA RELIGIOSA CONTEMPORÂNEA Carlos Alberto da Silva Tomei a liberdade de ler os três livros sagrados das maiores religiões da atualidade a Bíblia, o Al Corão e a Torá e a partir deles, escrever

Leia mais

CRONOLOGIA DO CONFLITO

CRONOLOGIA DO CONFLITO ORIENTE MÉDIO: COMO ENTENDER TANTA GUERRA? CONFLITO ÁRABE-ISRAELENSE Tem por base a constituição do Estado de Israel nos territórios da antiga Palestina britânica e os movimentos de reação arábe, após

Leia mais

Três factos que explicam a importância do petróleo na crise no Iraque

Três factos que explicam a importância do petróleo na crise no Iraque Três factos que explicam a importância do petróleo na crise no Iraque Brad Plumer Incêndio em campos petrolíferos em Kirkuk, no Iraque, 13 de Setembro de 2007. (Ian Terry/Flickr) Desde há meses, militantes

Leia mais

HISTÓRIA. Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses da Coluna B, de cima para baixo.

HISTÓRIA. Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses da Coluna B, de cima para baixo. HISTÓRIA 37 Associe as civilizações da Antigüidade Oriental, listadas na Coluna A, às características políticas que as identificam, indicadas na Coluna B. 1 2 3 4 COLUNA A Mesopotâmica Fenícia Egípcia

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO FÉLIX ARAÚJO Disciplina: GEOGRAFIA Professor: TIBÉRIO MENDONÇA Série: Turma: Turno: Aluno(a): Nº

ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO FÉLIX ARAÚJO Disciplina: GEOGRAFIA Professor: TIBÉRIO MENDONÇA Série: Turma: Turno: Aluno(a): Nº ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO FÉLIX ARAÚJO Disciplina: GEOGRAFIA Professor: TIBÉRIO MENDONÇA Série: Turma: Turno: Aluno(a): Nº OS REFUGIADOS A prática de conceder asilo em terras estrangeiras

Leia mais

A resolução 1559 e o assassinato do ex- Primeiro Ministro Rafic Al Hariri e seus impactos para o equilíbrio regional de poder no Oriente Médio

A resolução 1559 e o assassinato do ex- Primeiro Ministro Rafic Al Hariri e seus impactos para o equilíbrio regional de poder no Oriente Médio A resolução 1559 e o assassinato do ex- Primeiro Ministro Rafic Al Hariri e seus impactos para o equilíbrio regional de poder no Oriente Médio Análise Segurança Prof. Danny Zahreddine 25 de fevereiro de

Leia mais

IRAQUE: UM ATOLEIRO DE PROBLEMAS

IRAQUE: UM ATOLEIRO DE PROBLEMAS 2008/02/07 IRAQUE: UM ATOLEIRO DE PROBLEMAS Atualmente a força de ocupação dos Estados Unidos no Iraque registra a presença de 162 mil homens. Até Julho de 2008, está prevista a retirada de três brigadas

Leia mais

PEP/2015 2ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO

PEP/2015 2ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO 1 PEP/2015 2ª AVALIAÇÃO DE TREINAMENTO FICHA AUXILIAR DE CORREÇÃO HISTÓRIA 1ª QUES TÃ O (Valor 6,0) Estudar as Rebeliões Coloniais de vulto, ocorridas no Brasil, durante os séculos XVII e XVIII, que contestaram

Leia mais

Estados Unidos apóiam ataque em território somali

Estados Unidos apóiam ataque em território somali Estados Unidos apóiam ataque em território somali Resenha Segurança Lígia Franco Prados Mello 06 de março de 2007 Estados Unidos apóiam ataque em território somali Resenha Segurança Lígia Franco Prados

Leia mais

EUA e Grã-Bretanha preparam plano de intervenção militar na Líbia 1

EUA e Grã-Bretanha preparam plano de intervenção militar na Líbia 1 EUA e Grã-Bretanha preparam plano de intervenção militar na Líbia 1 Ann Talbot Os Estados Unidos e Grã-Bretanha deram um passo para a intervenção militar direta contra a Líbia, terça-feira (08-03), quando

Leia mais

Material de AULA AO VIVO. Conteúdo teórico da aula de hoje

Material de AULA AO VIVO. Conteúdo teórico da aula de hoje Olá meu amigo desenrolado, Seja bem- vindo à primeira aula ao vivo do Desenrolado.com. Eu sou o professor George Wilton da disciplina de Geografia que está inserida dentro da área de Ciências humanas e

Leia mais

PALESTINA ATUALIDADES 02

PALESTINA ATUALIDADES 02 PALESTINA ATUALIDADES 02 SEGUNDO A ONU - 1947 O movimento sionista, que procurava criar um Estado para os judeus, ganhou força no início do século 20, incentivado pelo antissemitismo sofrido por judeus

Leia mais

EGIPTO. DA PRIMAVERA ÁRABE PARA A PRIMAVERA ISLÂMICA

EGIPTO. DA PRIMAVERA ÁRABE PARA A PRIMAVERA ISLÂMICA 2012/08/26 EGIPTO. DA PRIMAVERA ÁRABE PARA A PRIMAVERA ISLÂMICA O processo de transição egípcio para uma democracia, tal como preparado pelo Conselho Supremo das Forças Armadas (CSFA), nunca seguiu o trajeto

Leia mais

prosa poética sistematizado pelos estrutura

prosa poética sistematizado pelos estrutura ORIGENS ISLAMISMO Continuidade judaico-cristã Religião revelada instituída num livro sagrado Devoção ritual e ética: ascetismo moderado (condena apenas prazeres iníquos ) Obrigações cotidianas (orações,

Leia mais

O risco de mudança de estação na África e Oriente Médio

O risco de mudança de estação na África e Oriente Médio O risco de mudança de estação na África e Oriente Médio Roberto Carvalho de Medeiros (*) O mundo inteiro tem assistido um conjunto de fatos no antigo Magreb 1 e no Oriente Médio que, a meu ver, por si

Leia mais

Fim da 1ª Guerra Mundial: domínio franco britânico e sionismo Oriente Médio

Fim da 1ª Guerra Mundial: domínio franco britânico e sionismo Oriente Médio COLÉGIO SANTA ROSA PROFESSOR: CARLOS FERREIRA ASSUNTO: ORIENTE MÉDIO O Oriente Médio é uma das regiões mais fascinantes do planeta. Habitado desde tempos imemoriais, é uma área estratégica do ponto de

Leia mais

7. TURQUIA OTOMANOS ISLAMISMO 8. IRÃ PERSAS e AZERIS ISLAMISMO (MAIORIA XIITA) 9. ISRAEL JUDEUS JUDAÍSMO

7. TURQUIA OTOMANOS ISLAMISMO 8. IRÃ PERSAS e AZERIS ISLAMISMO (MAIORIA XIITA) 9. ISRAEL JUDEUS JUDAÍSMO CONFLITO PALESTINO-ISRAELENSE O r i e n t e M é d i o 7 mi Km 2 Elo: 03 Continentes - Mar - Oceano. EGITO 25.000 Km 2 20 Mi Hab. Jordânia + sul do Líbano + Israel + Gaza e Cisjordânia ( Estado Palestino

Leia mais

ATUALIDADES AULA 3 14/10/2013

ATUALIDADES AULA 3 14/10/2013 ATUALIDADES AULA 3 14/10/2013 Prof. Viegas Fernandes da Costa Questões recentes da África do Sul Ainda é um dos países com a maior população de infectados pelo HIV no mundo. E m 2010 sediou a primeira

Leia mais

OBJETIVOS Ao fi nal da aula o(a) aluno(a) deverá: analisar os diversos aspectos que fazem da região da Palestina alvo de diversos conflitos.

OBJETIVOS Ao fi nal da aula o(a) aluno(a) deverá: analisar os diversos aspectos que fazem da região da Palestina alvo de diversos conflitos. Aula9 O ORIENTE MÉDIO META Compreender os processos que levaram palestinos e judeus a disputar o mesmo território. OBJETIVOS Ao fi nal da aula o(a) aluno(a) deverá: analisar os diversos aspectos que fazem

Leia mais

Primeira Guerra Mundial E Revolução Russa.

Primeira Guerra Mundial E Revolução Russa. Aula 17 Primeira Guerra Mundial E Revolução Russa. Esta aula abordará a Primeira Guerra Mundial, suas causas e conseqüências, entre as conseqüências; destaque para a Revolução Russa e a criação do primeiro

Leia mais

As Novas Migrações Internacionais

As Novas Migrações Internacionais As Novas Migrações Internacionais As novas migrações ganharam novas direções, as realizações partem de países subdesenvolvidos para países desenvolvidos, e o novo modelo de migração internacional surge

Leia mais

ORIENTE MÉDIO. Col. Santa Clara Prof. Marcos

ORIENTE MÉDIO. Col. Santa Clara Prof. Marcos ORIENTE MÉDIO Col. Santa Clara Prof. Marcos DÉFICIT HÍDRICO NO ORIENTE MÉDIO ONU: escassez de água = menos de 1.000 m³ por ano, por pessoa. Oriente Médio = 700 m³/pessoa ao ano CRESCENTE FÉRTIL - Rios

Leia mais

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 58 A RÚSSIA ATUAL

GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 58 A RÚSSIA ATUAL GEOGRAFIA - 2 o ANO MÓDULO 58 A RÚSSIA ATUAL Como pode cair no enem (UFG) A geopolítica é uma disciplina que estuda os conflitos dos Estados nações e procura compreender, no mundo contemporâneo, a diversidade

Leia mais

ALTA IDADE MÉDIA 1. FORMAÇÃO DOS REINOS CRISTÃOS-BÁRBAROS

ALTA IDADE MÉDIA 1. FORMAÇÃO DOS REINOS CRISTÃOS-BÁRBAROS ALTA IDADE MÉDIA É costume dividir o período medieval em duas grandes fases: a Alta Idade Média, que se estende do século V ao século XI e a Baixa Idade Média, do século XII ao século XV. A primeira fase

Leia mais

Estado Islâmico e o Ataque ao Charlie Hebdo. Prof. Osvaldo

Estado Islâmico e o Ataque ao Charlie Hebdo. Prof. Osvaldo Estado Islâmico e o Ataque ao Charlie Hebdo Prof. Osvaldo O Estado Islâmico tem sua origem na Al Qaeda do Iraque que atuava contra tropas norte-americanas no país Em março de 2003, sem apoio da comunidade

Leia mais

O mundo árabe-muçulmano após a Primavera. Prof. Alan Carlos Ghedini

O mundo árabe-muçulmano após a Primavera. Prof. Alan Carlos Ghedini O mundo árabe-muçulmano após a Primavera Prof. Alan Carlos Ghedini Entre as causas da Primavera Árabe podemos citar: Altos índices de desemprego na região Crise econômica Pouca ou nenhuma representação

Leia mais

CONFISSÕES RELIGIOSAS 1. Refugiados (internos)*: * Refugiados estrangeiros a viver neste país. ** Cidadãos deste país a viver no estrangeiro.

CONFISSÕES RELIGIOSAS 1. Refugiados (internos)*: * Refugiados estrangeiros a viver neste país. ** Cidadãos deste país a viver no estrangeiro. MACEDÓNIA CONFISSÕES RELIGIOSAS 1 Cristãos (59,3%) Ortodoxos (58,7%) Protestantes (0,6%) Muçulmanos (39,3%) Sem Religião (1,4%) População 2 : 2.106.000 Superfície 3 : 25.700 km 2 Refugiados (internos)*:

Leia mais

ATUALIDADES. PROFESSOR MARCOS JOSÉ Materiais: Raquel Basilone. SEMANA 01 a 07 DE DEZEMBRO. SEMANA 01 a 07 DE DEZEMBRO. SEMANA 01 a 07 DE DEZEMBRO

ATUALIDADES. PROFESSOR MARCOS JOSÉ Materiais: Raquel Basilone. SEMANA 01 a 07 DE DEZEMBRO. SEMANA 01 a 07 DE DEZEMBRO. SEMANA 01 a 07 DE DEZEMBRO Coreia do Sul ratifica acordo de livre comércio com a China COP21: A 'polêmica da compensação' que divide países ricos e pobres ATUALIDADES PROFESSOR MARCOS JOSÉ Materiais: Raquel Basilone Reino Unido

Leia mais

Palestina - em defesa da nação oprimida

Palestina - em defesa da nação oprimida Palestina - em defesa da nação oprimida Que o Hamas entregue armas à população! Derrotar a ofensiva sionista com o levante das massas palestinas! Unidade dos explorados do Oriente Médio para enfrentar

Leia mais

Unidade III. Aula 16.1 Conteúdo Aspectos políticos. A criação dos Estados nas regiões; os conflitos árabe-israelenses. Cidadania e Movimento

Unidade III. Aula 16.1 Conteúdo Aspectos políticos. A criação dos Estados nas regiões; os conflitos árabe-israelenses. Cidadania e Movimento CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade III Cidadania e Movimento Aula 16.1 Conteúdo Aspectos políticos. A criação dos Estados nas regiões; os conflitos árabe-israelenses. 2

Leia mais

Século XXI. Sobre a cultura islâmica após os atentados de 11 de setembro. Palavras amáveis não custam nada e conseguem muito.

Século XXI. Sobre a cultura islâmica após os atentados de 11 de setembro. Palavras amáveis não custam nada e conseguem muito. Século XXI Oficialmente, o século XXI, inicia-se cronologicamente no final do ano 2000. Historicamente podemos destacar que os eventos que aconteceram um ano após a entrada do novo milênio marcam a chegada

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org TERRA EM TRANSE POVO EM DESESPERO Relatos e reflexões a partir de uma viagem a Jerusalém e territórios

Leia mais

discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, hoje o Estado de Israel completa 57 anos de

discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, hoje o Estado de Israel completa 57 anos de O Sr. VIEIRA REIS (PMDB-RJ) pronuncia o seguinte discurso: Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, hoje o Estado de Israel completa 57 anos de fundação. Mas a saga do povo judeu, vivamente narrada

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES GEOGRAFIA AULA. Conteúdo: Áreas de Tensão no Mundo

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES GEOGRAFIA AULA. Conteúdo: Áreas de Tensão no Mundo Conteúdo: Áreas de Tensão no Mundo Habilidade: Compreender os conflitos atuais existentes entre os países e as principais consequências para as populações. ESTADOS UNIDOS x MÉXICO Muro construído na década

Leia mais

. a d iza r to u a ia p ó C II

. a d iza r to u a ia p ó C II II Sugestões de avaliação Geografia 8 o ano Unidade 5 5 Unidade 5 Nome: Data: 1. Sobre a formação do território dos Estados Unidos, marque V nas sentenças verdadeiras e F nas falsas. ( ) o espaço territorial

Leia mais

Kosovo declara independência da Sérvia

Kosovo declara independência da Sérvia Kosovo declara independência da Sérvia Resenha Segurança Ana Caroline Medeiros Maia 24 de fevereiro de 2008 Kosovo declara independência da Sérvia Resenha Segurança Ana Caroline Medeiros Maia 24 de fevereiro

Leia mais

Israel & Palestina. História de Israel e Palestina:

Israel & Palestina. História de Israel e Palestina: Israel & Palestina Israel & Palestina: ISRAEL - Área: 20.770 km2 - Capital: * Tel Aviv (sede diplomática) * Jerusalém (sede do governo, reivindicada pelos israelenses, mas não reconhecida internacionalmente)

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO ALOCUÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTRO, MINISTRO DA DEFESA E SEGURANÇA KAY RALA XANANA GUSMÃO POR OCASIÃO DA VISITA À ACADEMIA

Leia mais

O povo da Bíblia HEBREUS

O povo da Bíblia HEBREUS O povo da Bíblia HEBREUS A FORMAÇÃO HEBRAICA Os hebreus eram pastores nômades que se organizavam em tribos lideradas por chefes de família denominado patriarca. Principais patriarcas: Abraão, Jacó e Isaac.

Leia mais

Esquema da conquista da península do Sinai durante a Guerra dos Seis Dias

Esquema da conquista da península do Sinai durante a Guerra dos Seis Dias Guerra dos Seis Dias A Guerra dos Seis Dias foi um conflito armado entre Israel e a frente árabe, formada por Egito, Jordânia e Síria, apoiados pelo Iraque, Kuweit, Arábia Saudita, Argélia e Sudão. O crescimento

Leia mais

Há que imaginar a Europa nos séculos XII e XIII como um imenso tabuleiro de

Há que imaginar a Europa nos séculos XII e XIII como um imenso tabuleiro de SEXTA CRUZADA (1228 1229) O Desencadeamento. Desde 1187 Jerusalém permanecia em mãos dos Muçulmanos. Nenhuma das Cruzadas anteriores havia conseguido avanço algum em terra Santa. Desta forma havia a necessidade

Leia mais