Estruturas de Dados. Alguns dados não costumam ser tão simples assim... Podem ser compostos por vários dados distintos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estruturas de Dados. Alguns dados não costumam ser tão simples assim... Podem ser compostos por vários dados distintos"

Transcrição

1 Estruturas de Dados Alguns dados não costumam ser tão simples assim... Podem ser compostos por vários dados distintos Estruturas de Dados Programação de Computadores 1 de 26

2 Tipos Estruturados de Dados Em C, é possível agregar, NA MESMA VARIÁVEL, vários tipos distintos de dados Ex: a variável motorista pode conter Nome RG CPF String Inteiro Inteiro Categoria Caractere Validade String Estruturas de Dados Programação de Computadores 2 de 26

3 Definição de Tipo Estruturado Antes da declaração das variáveis compostas, é necessário definir o novo tipo de dados Para isto, é utilizada a função typedef struct Deve ser inclusa antes da declaração das variáveis typedef struct { char nome[80]; int rg; int cpf; char categ; int val[3]; } motorista; typedef struct e abre as chaves Declaração dos dados assim como são nas variáveis Fecha as chaves e dá-se o nome do bloco Estruturas de Dados Programação de Computadores 3 de 26

4 Declaração do Tipo Estruturado Após a definição, para se utilizar uma variável de tipo estruturado, é feita a declaração das variáveis de tal tipo É semelhante à dos tipos primitivos float, int, double, char Pode ser declarado como vetor ou matriz motorista a; motorista b[20]; motorista caminnhoneiro[10][10]; Estruturas de Dados Programação de Computadores 4 de 26

5 Atribuição de Valores A atribuição de valores deve ser feita por elemento da variável É separada por meio de um ponto a.nome = "Bento Ribeiro"; a.rg = ; b[0].categ = 'A'; b[2].categ = 'D'; gets(carro.marca); gets(carro.modelo); carro.ano = 2009; carro.km = ; scanf("%d", &carro.portas); Estruturas de Dados Programação de Computadores 5 de 26

6 Exemplo #include <stdio.h> #include <stdlib.h> #include <math.h> typedef struct { float x; float y; } ponto; Calcular a distância entre dois pontos no plano bidimensional, dado que: ponto P, Q; float dist; //programa int main() { printf("ponto P: "); scanf("%f %f", &P.x, &P.y); printf("ponto Q: "); scanf("%f %f", &Q.x, &Q.y); dist = sqrt(pow((p.x - Q.x), 2) + pow((p.y - Q.y), 2)); printf("dist(p, Q) = %f\n", dist); system("pause"); } Estruturas de Dados Programação de Computadores 6 de 26

7 Exemplo Ler e exibir uma lista de chamada com 10 alunos, contendo o nome do aluno, o registro de matrícula e o município onde reside Estruturas de Dados Programação de Computadores 7 de 26

8 Declaração das variáveis Exemplo #include <math.h> #define N 10 typedef struct { char nome[80]; int matricula; char municipio[50]; } aluno; aluno classe[n]; int i; Estruturas de Dados Programação de Computadores 8 de 26

9 Exemplo int Restante main() do código { for (i = 0; i < N; i++) { printf("nome do aluno %d: ", i); gets(classe[i].nome); printf("matricula %d: ", i); scanf("%d", &classe[i].matricula); printf("municipio do aluno %d: ", i); gets(classe[i].municipio); } } printf("listagem DE ALUNOS: \n"); for (i = 0; i < N; i++) { printf("%7d - %s\n", classe[i].matricula, classe[i].nome); printf("reside em: %s ", classe[i].cidade); } Estruturas de Dados Programação de Computadores 9 de 26

10 Exercícios cios 1. Faça um algoritmo que peça para entrar com o nome, registro e nota final de um aluno e exiba a listagem dos alunos que tiveram notas maiores que 5 2. Num algoritmo, insira os dados de 5 carros e peça para que o programa exiba: a) O número de carros da VW b) a marca e o modelo dos carros da cor prata //carro: typedef struct { char marca[20]; char modelo[20]; int ano; char cor[20]; } carro; Estruturas de Dados Programação de Computadores 10 de 26

11 Ponteiros Considere um carteiro recém-chegado na vila Na vila, a referência para se encontrar a casa é pelo morador Estruturas de Dados Programação de Computadores 11 de 26

12 Ponteiros No entanto, as cartas são direcionadas de acordo com o endereço das casas Estruturas de Dados Programação de Computadores 12 de 26

13 Ponteiros Em C, os dados (representados pelas variáveis) não são representados na memória pelo seu nome Esta tarefa é realizada apenas na programação Na memória, os dados são armazenados em função dos seus respectivos endereços A variável ocupa um espaço endereçável da memória a partir do momento em que ela é declarada Estruturas de Dados Programação de Computadores 13 de 26

14 Endereços Para saber o endereço de memória onde a variável está alocada, utiliza- -se a expressão %X em meio ao printf GATA, EU NÃO SOU CARTEIRO, MAS VIM TE DAR UM SELINHO. BOA NOITE! printf("posicao da variavel %X: ", &x); Note que a variável é precedida por um & Este caractere significa que está sendo referenciado o endereço da variável na memória Por isso que ele é utilizado no scanf... Estruturas de Dados Programação de Computadores 14 de 26

15 Ponteiros Algumas variáveis são utilizadas para armazenar o endereço de memória de algumas informações Estas variáveis são conhecidas como ponteiros Em suas declarações, são precedidas por um * int *a; float *x; char *c; cliente *ender; Estruturas de Dados Programação de Computadores 15 de 26

16 Ponteiros Em suma, o ponteiro serve para armazenar o endereço de memória de um determinado valor Cada ponteiro deve possuir o * ao ser declarado O elemento neutro de um ponteiro é o NULL float x = 5.0; float *y; y = &x; x 5.0 0D5 y 0D5 0A4 Estruturas de Dados Programação de Computadores 16 de 26

17 Tipos de Referência Referência direta o acesso à memória é feito por meio da variável associada ao endereço a = 500; printf("valor de a: %d\n", a); printf("endereco de a: %p\n", &a); a++; printf("%d",a); Estruturas de Dados Programação de Computadores 17 de 26

18 Tipos de Referência Referência indireta o acesso à memória é feito através do ponteiro associado ao endereço *pa = 500; printf("valor de a: %d\n", *pa); printf("endereco de a: %p\n", pa); *pa++; printf("%d", *pa); Estruturas de Dados Programação de Computadores 18 de 26

19 Deslocamento de um ponteiro Em se tratando de ponteiros, os sinais aritméticos + e servem como deslocadores dos endereços de memória Têm como finalidade modificar a direção dos ponteiros para posições posteriores e anteriores da memória, respectivamente O mesmo pode ser aplicado à índices de vetores char s[80], *ps, c; ps = s; // equivalente à ps = &s[0]; //Atribui o elemento da posição 6 da string s à variável c c = s[6]; // indexação de vetores, ou c = *(ps + 6); // aritmética de ponteiros Estruturas de Dados Programação de Computadores 19 de 26

20 Alocação Dinâmica de Memória Em C, variáveis e constantes devem ser declaradas antes de serem utilizadas Se forem vetores ou matrizes, o número máximo já deve ser pré-determinado (alocação estática) Porém, ponteiros permitem que este número possa ser estabelecido durante a execução do programa (alocação dinâmica) Estruturas de Dados Programação de Computadores 20 de 26

21 Alocação Dinâmica de Memória Algumas funções são utilizadas para a alocação dinâmica de memória sizeof(valor): comprimento em bytes de um dado calloc(num, tam): faz a alocação dinâmica, onde: num: número de elementos do vetor tam: tamanho em bytes de cada elemento free(variavel): libera da memória o espaço ocupado pela variável Antes da função calloc(), deve ser colocado entre parênteses o tipo estruturado do dado juntamente com o ponteiro Estruturas de Dados Programação de Computadores 21 de 26

22 Alocação Dinâmica de Memória Exemplo de uma alocação dinâmica de um vetor de inteiros de dimensão n: int *x; int n, i; printf("tamanho do vetor: "); scanf("%d", &n); x = (int *) calloc(n, sizeof(int)); puts("informe os elementos do vetor x:"); for (i = 0; i < n; i++) scanf("%d", &x[i]);... free(x); Estruturas de Dados Programação de Computadores 22 de 26

23 Alocação Dinâmica de Memória No caso de uma matriz, a alocação deve ser feita em duas etapas int **Y; int m, n, i; printf("numero de linhas: "); scanf("%d", &m); Y = (int **) calloc(m, sizeof(int *)); printf("numero de colunas: "); scanf("%d", &n); for (i = 0; i < m; i++) Y[i] = (int *) calloc(n, sizeof(int)); Estruturas de Dados Programação de Computadores 23 de 26

24 Alocação Dinâmica de Memória Para a liberação da variável da memória, utiliza-se a função free(): A liberação pode ser feita vetor a vetor for (i = 0; i < m; i++) free(y[i]); free(y); Em se tratando de strings, a alocação dinâmica é bem mais simples... char *nome; puts("entre com seu nome: "); gets(nome); printf("seu nome: %s\n", nome); Estruturas de Dados Programação de Computadores 24 de 26

25 Alocação Dinâmica de Memória Em algumas situações, é necessário que seja feita a verificação da alocação de memória Um exemplo de verificação é dado da seguinte maneira: if (p == NULL) puts("memoria nao alocada para p!"); Neste caso, se não ocorre a alocação de memória, a mensagem aparecerá Pode ser colocados comandos para, por exemplo, encerrar o programa, caso seja necessário Estruturas de Dados Programação de Computadores 25 de 26

26 Exercícios cios 1. Escreva um programa em C que calcule a soma de dois vetores de tamanho n alocados dinamicamente 2. Reescreva em um programa C o seguinte trecho de código e responda (Pereira, 2010) char c, *pc; int i, *pi; double x, *px; pc = &c; printf("tam. c: %db\tendereco c: %p\t Prox. endereco: %p\n", sizeof(c), pc, pc+1); pi = &i; printf("tam. i: %db\tendereco i: %p\t Prox. endereco: %p\n", sizeof(i), pi, pi+1); px = &x; printf("tam. x: %db\tendereco x: %p\t Prox. endereco: %p\n", sizeof(x), px, px+1); a) Qual a saída fornecida pelo programa? b) Se os & s fossem omitidos, qual seria a saída do programa? Estruturas de Dados Programação de Computadores 26 de 26

27 Exercícios cios 1. Faça um programa em C que leia um vetor de dimensão n e calcule, em um outro vetor, a soma do valor do elemento pelo seu respectivo índice. Utilize alocação dinâmica de memória. 2. Tendo como base o conhecimento adquirido por ponteiros, dadas duas matrizes quadradas A e B, de dimensão n, calcule A B t, utilizando alocação dinâmica de memória. Estruturas de Dados Programação de Computadores 27 de 26

Programação de Computadores I. Ponteiros

Programação de Computadores I. Ponteiros Ponteiros Prof. Edwar Saliba Júnior Outubro de 2012 Unidade 13 Ponteiros 1 Identificadores e Endereços Na linguagem C, uma declaração de variável faz associação entre um identificador e endereços de memória;

Leia mais

Variáveis e Comandos de Atribuição

Variáveis e Comandos de Atribuição BCC 201 - Introdução à Programação Variáveis e Comandos de Atribuição Guillermo Cámara-Chávez UFOP 1/47 Estrutura Básica de um programa C I < d i r e t i v a s do pré p r o c e s s a d o r > < d e c l

Leia mais

Introdução a Programação. Ponteiros e Strings, Alocação Dinâmica

Introdução a Programação. Ponteiros e Strings, Alocação Dinâmica Introdução a Programação Ponteiros e Strings, Alocação Dinâmica Tópicos da Aula Hoje aprenderemos a relação entre ponteiros e strings Ponteiros para strings X Vetores de Caracteres Vetores de ponteiros

Leia mais

Estrutura de Dados Básica

Estrutura de Dados Básica Estrutura de Dados Básica Professor: Osvaldo Kotaro Takai. Aula 4: Tipos de Dados O objetivo desta aula é apresentar os tipos de dados manipulados pela linguagem C, tais como vetores e matrizes, bem como

Leia mais

Programação: Tipos, Variáveis e Expressões

Programação: Tipos, Variáveis e Expressões Programação de Computadores I Aula 05 Programação: Tipos, Variáveis e Expressões José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/56 Valores Valor é uma entidade

Leia mais

Linguagem C. Programação Estruturada. Fundamentos da Linguagem. Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.

Linguagem C. Programação Estruturada. Fundamentos da Linguagem. Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu. Programação Estruturada Linguagem C Fundamentos da Linguagem Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.br Sumário Estrutura Básica Bibliotecas Básicas Tipos de Dados Básicos Variáveis/Declaração

Leia mais

Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org

Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org Breve Histórico A linguagem de programação C foi criada na década de 70, por Dennis Ritchie, que a implementou,

Leia mais

Linguagem de Programação I

Linguagem de Programação I Linguagem de Programação I Curso de Sistemas de Informação Karla Donato Fook karladf@ifma.edu.br DESU / DAI 2016 Linguagem de Programação C 2 1 Linguagem de Programação C Os programas em C consistem em

Leia mais

PROGRAMAÇÃO FUNÇÕES NA LINGUAGEM C

PROGRAMAÇÃO FUNÇÕES NA LINGUAGEM C PROGRAMAÇÃO FUNÇÕES NA LINGUAGEM C 1 Enunciado: a)implementar a função maior que devolve o maior de dois números inteiros passados como parâmetro; b)construir um programa em C que determine o maior de

Leia mais

Algoritmos e Programação

Algoritmos e Programação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Produção / Elétrica Algoritmos e Programação Parte 05 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

Linguagem C Tipos de Dados. void; escalares; sizeof Vectores; strings em C Estruturas Introdução ao pré-processador

Linguagem C Tipos de Dados. void; escalares; sizeof Vectores; strings em C Estruturas Introdução ao pré-processador Linguagem C Tipos de Dados void; escalares; sizeof Vectores; strings em C Estruturas Introdução ao pré-processador Funções void void pode ser usado em lugar de um tipo, para indicar a ausência de valor

Leia mais

Curso de C. Memória Dinâmica 17/05/2010 16:33 1

Curso de C. Memória Dinâmica 17/05/2010 16:33 1 Curso de C Memória Dinâmica 17/05/2010 16:33 1 Memória Dinâmica Curso C - IC/UNICAMP Roteiro: Memória dinâmica Vetores dinâmicos Listas ligadas 17/05/2010 16:33 @Arnaldo V. Moura, Daniel F. Ferber 2 Conceitos:

Leia mais

Linguagem C: variáveis, operadores, entrada/saída. Prof. Críston Algoritmos e Programação

Linguagem C: variáveis, operadores, entrada/saída. Prof. Críston Algoritmos e Programação Linguagem C: variáveis, operadores, entrada/saída Prof. Críston Algoritmos e Programação Linguagem C Linguagem de uso geral (qualquer tipo de aplicação) Uma das linguagens mais utilizadas Foi utilizada

Leia mais

INF 1007 Programação II

INF 1007 Programação II INF 1007 Programação II Aula 05 Cadeias de Caracteres Edirlei Soares de Lima Caracteres Caracteres são representados através de códigos numéricos. Tabela de códigos: Define correspondência

Leia mais

1 Funções básicas de implementação de arquivos

1 Funções básicas de implementação de arquivos 1 Funções básicas de implementação de arquivos 1.1 Definindo registros Depois de um objeto do mundo real ter sido modelado, ou seja, após seus atributos importantes (e relevantes) terem sido identificados,

Leia mais

Linguagem C. TGSI Lógica de Programação / Linguagem C Prof. Marcos Roberto

Linguagem C. TGSI Lógica de Programação / Linguagem C Prof. Marcos Roberto Linguagem C O C nasceu na década de 70. Seu inventor, Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando um DEC PDP-11 rodando o sistema operacional UNIX. O C é derivado de uma outra linguagem: o B,

Leia mais

Conceitos básicos da linguagem C

Conceitos básicos da linguagem C Conceitos básicos da linguagem C 2 Em 1969 Ken Thompson cria o Unix. O C nasceu logo depois, na década de 70. Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando o sistema operacional UNIX criado por

Leia mais

Estrutura de Dados. Prof. Gustavo Willam Pereira. Créditos: Profa. Juliana Pinheiro Campos

Estrutura de Dados. Prof. Gustavo Willam Pereira. Créditos: Profa. Juliana Pinheiro Campos Estrutura de Dados Prof. Gustavo Willam Pereira Créditos: Profa. Juliana Pinheiro Campos ESTRUTURAS DE DADOS Ementa Introdução à Linguagem C. Recursividade. Alocação dinâmica de memória. Conceito de tipos

Leia mais

MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis

MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis Variáveis Variáveis são locais onde armazenamos valores na memória. Toda variável é caracterizada por um nome, que a identifica em um programa,

Leia mais

1. Fazer um programa em C que pergunta um valor em metros e imprime o correspondente em decímetros, centímetros e milímetros.

1. Fazer um programa em C que pergunta um valor em metros e imprime o correspondente em decímetros, centímetros e milímetros. Lista de exercícios: Grupo I - programa seqüênciais simples 1. Fazer um programa em C que pergunta um valor em metros e imprime o correspondente em decímetros, centímetros e milímetros. 2. Fazer um programa

Leia mais

INF 1007 Programação II

INF 1007 Programação II INF 1007 Programação II Aula 08 Busca em Vetor Edirlei Soares de Lima Busca em Vetor Problema: Entrada: vetor v com n elementos; elemento d a procurar; Saída: m se o elemento procurado

Leia mais

Programação: Estruturas de seleção

Programação: Estruturas de seleção Programação de Computadores I Aula 07 Programação: Estruturas de seleção José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/53 Valores booleanos Os valores booleanos

Leia mais

Linguagem de Programação C

Linguagem de Programação C ICMC USP Linguagem de Programação C Aula: Funções em C Prof Alneu de Andrade Lopes MODULARIZAÇÃO Um problema complexo é melhor abordado se for dividido primeiramente em vários subproblemas MODULARIZAÇÃO

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Introdução a Computação Aula 02 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Lógica de Programação Lógica de Programação é a técnica de criar sequências lógicas de ações para

Leia mais

MC-102 Aula 19 Registros

MC-102 Aula 19 Registros MC-102 Aula 19 Registros Instituto de Computação Unicamp 4 de Maio de 2015 Roteiro 1 Registros 2 Redefinição de tipos (Instituto de Computação Unicamp) MC-102 Aula 19 4 de Maio de 2015 2 / 17 Registros

Leia mais

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C Capítulo 2: Introdução à Linguagem C INF1005 Programação 1 Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática Programa Programa é um algoritmo escrito em uma linguagem de programação. No nosso

Leia mais

LTP-IV. Prof. Dr. Silvio do Lago Pereira. Departamento de Tecnologia da Informação Faculdade de Tecnologia de São Paulo

LTP-IV. Prof. Dr. Silvio do Lago Pereira. Departamento de Tecnologia da Informação Faculdade de Tecnologia de São Paulo LTP-IV Prof. Dr. Silvio do Lago Pereira Departamento de Tecnologia da Informação Faculdade de Tecnologia de São Paulo Contato e-mail: slago@ime.usp.br home page: www.ime.usp.br/~slago apostila: Linguagem

Leia mais

Prof. Yandre Maldonado - 1 PONTEIROS. Prof. Yandre Maldonado e Gomes da Costa

Prof. Yandre Maldonado - 1 PONTEIROS. Prof. Yandre Maldonado e Gomes da Costa Prof. Yandre Maldonado - 1 PONTEIROS Prof. Yandre Maldonado e Gomes da Costa PONTEIROS Prof. Yandre Maldonado - 2 Ponteiro é uma variável que possui o endereço de outra variável; É um poderoso recurso

Leia mais

Algoritmos e Técnicas de

Algoritmos e Técnicas de INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Algoritmos e Técnicas de Programação Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com eberton.marinho@ifrn.edu.br

Leia mais

Programação Engenharia Informática (11543) 1º ano, 1º semestre Tecnologias e Sistemas de Informação (6619) 1º ano, 1º semestre

Programação Engenharia Informática (11543) 1º ano, 1º semestre Tecnologias e Sistemas de Informação (6619) 1º ano, 1º semestre Programação Engenharia Informática (11543) 1º ano, 1º semestre Tecnologias e Sistemas de Informação (6619) 1º ano, 1º semestre Cap. 02 Fundamentos de Linguagens Sumário : Linguagem, alfabeto e gramática

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA INFORMÁTICA APLICADA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA INFORMÁTICA APLICADA Responda 1) Quem desenvolveu a linguagem C? Quando? 2) Existe alguma norma sobre a sintaxe da linguagem C? 3) Quais são os tipos básicos de dados disponíveis na linguagem C? 4) Quais são as principais

Leia mais

Registros. Técnicas de Programação. Rafael Silva Guimarães :p://:p.ci.ifes.edu.br/informa@ca/rafael_guimaraes

Registros. Técnicas de Programação. Rafael Silva Guimarães :p://:p.ci.ifes.edu.br/informa@ca/rafael_guimaraes Rafael Silva Guimarães :p://:p.ci.ifes.edu.br/informa@ca/rafael_guimaraes Registros Técnicas de Programação Baseado no material do Prof. Rafael Vargas Mesquita Conceito de Registro (Struct) Vetores e Matrizes

Leia mais

INF 1005 Programação I

INF 1005 Programação I INF 1005 Programação I Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição de constantes:

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I 01/2013. Estruturas Condicionais e de Repetição (parte 2) Pedro O.S. Vaz de Melo

Algoritmos e Estruturas de Dados I 01/2013. Estruturas Condicionais e de Repetição (parte 2) Pedro O.S. Vaz de Melo Algoritmos e Estruturas de Dados I 01/2013 Estruturas Condicionais e de Repetição (parte 2) Pedro O.S. Vaz de Melo Problema 1 Suponha que soma (+) e subtração (-) são as únicas operações disponíveis em

Leia mais

14.1 Vetor - Problemas

14.1 Vetor - Problemas Problema 14: Um método de Criptografia consiste em substituir as letras de uma mensagem através do emparelhamento de alfabetos tal como dado abaixo. Construir um programa que codifica mensagens usando

Leia mais

INF 1620 P1-10/04/02 Questão 1 Nome:

INF 1620 P1-10/04/02 Questão 1 Nome: INF 1620 P1-10/04/02 Questão 1 Considere uma disciplina que adota o seguinte critério de aprovação: os alunos fazem duas provas (P1 e P2) iniciais; se a média nessas duas provas for maior ou igual a 5.0,

Leia mais

5 Apresentando a linguagem C

5 Apresentando a linguagem C 5 Apresentando a linguagem C O criador da linguagem de programação C foi Dennis Ritchie que, na década de 70, programou-a por meio de um computador DEC PDP-11 rodando sistema operacional Unix. Entretanto,

Leia mais

Fundamentos de Programação

Fundamentos de Programação Fundamentos de Programação CP41F Conversão de tipos. Alocação dinâmica de memória. Recursão. Aula 16 Prof. Daniel Cavalcanti Jeronymo Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) Engenharia de Computação

Leia mais

Convertendo Algoritmos para a Linguagem C

Convertendo Algoritmos para a Linguagem C onvertendo Algoritmos para a Linguagem Notas de Aula Prof. Francisco Rapchan www.geocities.com/chicorapchan O objetivo deste texto é mostrar alguns programas em, dando uma breve descrição de seu funcionamento

Leia mais

Plano de Aula. if(condição) { bloco de comandos; } else { bloco de comandos2; }

Plano de Aula. if(condição) { bloco de comandos; } else { bloco de comandos2; } Instituto Federal de Santa Catarina - Câmpus Chapecó Ensino Médio Integrado em Informática - Módulo IV Unidade Curricular: Programação Estruturada Professora: Lara Popov Zambiasi Bazzi Oberderfer Plano

Leia mais

PIP/CA - Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação em Computação Aplicada da UNISINOS ALGORITMOS & ESTRUTURAS DE DADOS

PIP/CA - Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação em Computação Aplicada da UNISINOS ALGORITMOS & ESTRUTURAS DE DADOS PIP/CA - Programa Interdisciplinar de Pós-Graduação em Computação Aplicada da UNISINOS Disciplina de Nivelamento - 2000/1: ALGORITMOS & ESTRUTURAS DE DADOS Professor Responsável: Prof. Fernando Santos

Leia mais

Neste artigo estudaremos os conceitos relacionados às matrizes unidimensionais (vetores) e multidimensionais.

Neste artigo estudaremos os conceitos relacionados às matrizes unidimensionais (vetores) e multidimensionais. Linguagem C Matrizes Objetivos Neste artigo estudaremos os conceitos relacionados às matrizes unidimensionais (vetores) e multidimensionais. Definição de Matrizes em Linguagem C As matrizes em geral são

Leia mais

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C++

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C++ INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C++ 1 - VARIÁVEIS Variáveis espaço de memória reservado para armazenar tipos de dados, com um nome para referenciar seu conteúdo. Observações importantes Todas as variáveis devem

Leia mais

Números positivos ordenados

Números positivos ordenados Sumário Armazenamento de dados Vectores Vectores dinâmicos Listas Tipos de dados dinâmicos Declaração Uso Exemplos Armazenamento de dados Tamanho conhecido antes compilação Vectores BI vect[200] Tamanho

Leia mais

IFTO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO AULA 05

IFTO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO AULA 05 IFTO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO AULA 05 Prof. Manoel Campos da Silva Filho Tecnólogo em Processamento de Dados / Unitins Mestre em Engenharia Elétrica / UnB http://lab.ifto.edu.br/~mcampos http://manoelcampos.com

Leia mais

Curso C: Funções e Macros

Curso C: Funções e Macros Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Computação Curso C: Funções e Macros Prof. Ricardo Pezzuol Jacobi rjacobi@cic.unb.br Funções Fun es s o blocos de c digo que podem ser nomeados e chamados

Leia mais

3. INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C 3.1. CONCEITOS BÁSICOS. Lógica de Programação

3. INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C 3.1. CONCEITOS BÁSICOS. Lógica de Programação Lógica de Programação 3. INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C Caro Aluno Vamos iniciar o terceiro capítulo da nossa disciplina. Agora vamos começar a aplicar os conceitos vistos nos capítulos anteriores em uma linguagem

Leia mais

Sumário. Armazenamento de dados. Tipos de dados dinâmicos. Exemplos. Vectores Vectores dinâmicos Dados dinamicos. Declaração Uso 10-1

Sumário. Armazenamento de dados. Tipos de dados dinâmicos. Exemplos. Vectores Vectores dinâmicos Dados dinamicos. Declaração Uso 10-1 Sumário Armazenamento de dados Vectores Vectores dinâmicos Dados dinamicos Tipos de dados dinâmicos Declaração Uso Exemplos 10-1 Armazenamento de dados Tamanho conhecido antes compilação Vectores BI vect[200]

Leia mais

INF1007 - PROGRAMAÇÃO II LISTA DE EXERCÍCIOS 4

INF1007 - PROGRAMAÇÃO II LISTA DE EXERCÍCIOS 4 INF1 - PROGRAMAÇÃO II LISTA DE EXERCÍCIOS 4 1. Considere uma aplicação que utiliza pontos, retângulos e círculos para representações gráficas. Um ponto é composto pelas suas coordenadas x e y, um retângulo

Leia mais

MC-102 Aula 17 Strings e Matrizes

MC-102 Aula 17 Strings e Matrizes MC-102 Aula 17 Strings e Matrizes Instituto de Computação Unicamp 5 de Maio de 2015 Roteiro 1 Strings Strings: Exemplos 2 Matrizes Exemplos com Matrizes 3 Exercícios (Instituto de Computação Unicamp) MC-102

Leia mais

cast poderia ser usado também para transformar um real (float) em inteiro. A sintaxe C (float)i pode ser substituída em C++ por float(i).

cast poderia ser usado também para transformar um real (float) em inteiro. A sintaxe C (float)i pode ser substituída em C++ por float(i). Cast (conversão) Um tipo de dado pode ser convertido momentaneamente em outro tipo com um cast. Em linguagem C a sintaxe usada é formada pelo tipo desejado entre parênteses precedendo a expressão a ser

Leia mais

Curso de Linguagem C

Curso de Linguagem C Curso de Linguagem C 1 Aula 1 - INTRODUÇÃO...4 AULA 2 - Primeiros Passos...5 O C é "Case Sensitive"...5 Dois Primeiros Programas...6 Introdução às Funções...7 Introdução Básica às Entradas e Saídas...

Leia mais

Introdução à Programação. Armazenamento de Grande Quantidade de Informação Usando Vetores

Introdução à Programação. Armazenamento de Grande Quantidade de Informação Usando Vetores Introdução à Programação Armazenamento de Grande Quantidade de Informação Usando Vetores Armazenando Grande Quantidade de Informação Como armazenar tanta informação? Vetores! 2 Tópicos da Aula Hoje, aprenderemos

Leia mais

Trabalho 3: Agenda de Tarefas

Trabalho 3: Agenda de Tarefas INF 1620 Estruturas de Dados Semestre 08.2 Trabalho 3: Agenda de Tarefas O objetivo deste trabalho é a implementação de um conjunto de funções para a manipulação de uma agenda de tarefas diárias, de forma

Leia mais

INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO

INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO INTRODUÇÃO AO C++ SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DR. EDNALDO B. PIZZOLATO Tópicos Estrutura Básica B de Programas C e C++ Tipos de Dados Variáveis Strings Entrada e Saída de Dados no C e C++ INTRODUÇÃO O C++ aceita

Leia mais

GFM015 Introdução à Computação Linguagem C / Introdução à Modularização de Programas (uso de subprogramas)

GFM015 Introdução à Computação Linguagem C / Introdução à Modularização de Programas (uso de subprogramas) GFM015 Introdução à Computação Linguagem C / Introdução à Modularização de Programas (uso de subprogramas) Ilmério Reis da Silva ilmerio@facom.ufu.br www.facom.ufu.br/~ilmerio/ic UFU/FACOM Programa 1.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO Curso: Engenharia de Computação e Ciência da Computação Data: 10/09/2013 Disciplina: Programação Estruturada Valor: 3,0 pontos Professor: Henrique Monteiro Cristovão Nota: Aluno: Prova resolvida 4ª Prova

Leia mais

INF 1007 Programação II

INF 1007 Programação II INF 1007 Programação II Aula 06 Tipos Estruturados Edirlei Soares de Lima Dados Compostos Até agora somente utilizamos tipos de dados simples: char, int, float, double. Muitas vezes

Leia mais

Programando em C++ Histórico da Linguagem C

Programando em C++ Histórico da Linguagem C Programando em C++ Joaquim Quinteiro Uchôa joukim@comp.ufla.br DCC-UFLA, 2002 Programando em C++ p.1/38 Histórico da Linguagem C Linguagem C: 1972 - Laboratório Bells, por Dennis Ritchie, a partir da linguagem

Leia mais

Computadores Digitais 2. Prof. Rodrigo de Souza Couto

Computadores Digitais 2. Prof. Rodrigo de Souza Couto Computadores Digitais 2 Linguagens de Programação DEL-Poli/UFRJ Prof. Miguel Campista Aula de Hoje Cadeias de caracteres (strings) Caracteres Definição e manipulação de strings Vetor de strings Parâmetros

Leia mais

LP II Estrutura de Dados. Introdução e Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br

LP II Estrutura de Dados. Introdução e Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br LP II Estrutura de Dados Introdução e Linguagem C Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Considerações Gerais Introdução a Linguagem C Variáveis e C Tipos de

Leia mais

Exercícios. Alocação Dinâmica. Alocação dinâmica de memória. Alocação de memória. Alocação da Memória Principal. Alocação da Memória Principal

Exercícios. Alocação Dinâmica. Alocação dinâmica de memória. Alocação de memória. Alocação da Memória Principal. Alocação da Memória Principal Exercícios 1) Crie uma função que recebe os coeficientes de uma função do 2o. grau e retorna as raízes sem usar vetor. 2) Faça um programa que acha o maior e o menor inteiro dentro de um vetor de 10 inteiros,

Leia mais

Operaçõe õ s c om o Strings Intr oduç ão a o Ponte iros o e Funçõe õ s

Operaçõe õ s c om o Strings Intr oduç ão a o Ponte iros o e Funçõe õ s Universidade de São Paulo São Carlos Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Operações com Strings Introdução a Ponteiros e Funções Profa Rosana Braga 1 Strings Strings são seqüências de caracteres

Leia mais

Algoritmos e Programação Estruturada

Algoritmos e Programação Estruturada Algoritmos e Programação Estruturada Virgínia M. Cardoso Linguagem C Criada por Dennis M. Ritchie e Ken Thompson no Laboratório Bell em 1972. A Linguagem C foi baseada na Linguagem B criada por Thompson.

Leia mais

ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO PARA COMPUTADORES II

ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO PARA COMPUTADORES II 1 Disciplina: ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO PARA COMPUTADORES II Faculdade de Análise de Sistemas Práticas de Laboratório 1- Cronograma Previsto (este cronograma pode sofrer alterações em decorrência de ajustes

Leia mais

struct LISTA item quant

struct LISTA item quant UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU ESTRUTURA DE DADOS - PROF. H. Senger IMPLEMENTAÇÃO DE LISTAS COM VETORES A implementação de listas utilizando vetores é simples. Existe apenas uma pequena questão, com relação

Leia mais

7. Estrutura de Decisão

7. Estrutura de Decisão 7. Estrutura de Decisão Neste tipo de estrutura o fluxo de instruções a ser seguido é escolhido em função do resultado da avaliação de uma ou mais condições. Uma condição é uma expressão lógica. A classificação

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I. Arquivos. Pedro O.S. Vaz de Melo

Algoritmos e Estruturas de Dados I. Arquivos. Pedro O.S. Vaz de Melo Algoritmos e Estruturas de Dados I Arquivos Pedro O.S. Vaz de Melo Problema 1 Considere que um arquivo de dados contém os valores das dimensões (tam. max.: 100) e dos elementos de duas matrizes de números

Leia mais

5 - Vetores e Matrizes Linguagem C CAPÍTULO 5 VETORES E MATRIZES

5 - Vetores e Matrizes Linguagem C CAPÍTULO 5 VETORES E MATRIZES CAPÍTULO 5 5 VETORES E MATRIZES 5.1 Vetores Um vetor armazena uma determinada quantidade de dados de mesmo tipo. Vamos supor o problema de encontrar a média de idade de 4 pessoas. O programa poderia ser:

Leia mais

Métodos Computacionais. Fila

Métodos Computacionais. Fila Métodos Computacionais Fila Definição de Fila Fila é uma estrutura de dados dinâmica onde: Inserção de elementos se dá no final e a remoção no início O primeiro elemento que entra é o primeiro que sai

Leia mais

Curso de C para Engenharias

Curso de C para Engenharias Aula 4 Cristiano Dalbem Dennis Balreira Gabriel Moreira Miller Biazus Raphael Lupchinski Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Informática Grupo PET Computação Sintaxe Funções Exemplos

Leia mais

Tipo de Dados em Linguagem C

Tipo de Dados em Linguagem C Tipo de Dados em Linguagem C Principais tipos de dados em C int : tipo de dados inteiros (exemplo: 1, -3, 100, -9, 18, etc.) float : tipo de dados reais (exemplo: 1.33, 3.14, 2.00, -9.0, 1.8, etc.) Ocupa

Leia mais

Alocação Dinâmica em C

Alocação Dinâmica em C Universidade de São Paulo São Carlos Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Alocação Dinâmica em C Profa Rosana Braga Adaptado de material preparado pela profa Silvana Maria Affonso de Lara

Leia mais

Conteúdo programático

Conteúdo programático Introdução à Linguagem C Conteúdo programático Introdução à Linguagem C Estrutura de Programas Variáveis, Constantes Operadores, Entrada e Saída de Dados Estruturas de Desvio Estrutura de Múltipla Escolha

Leia mais

Introdução à Programação

Introdução à Programação Introdução à Programação Introdução a Linguagem C Construções Básicas Programa em C #include int main ( ) { Palavras Reservadas } float celsius ; float farenheit ; celsius = 30; farenheit = 9.0/5

Leia mais

2 a LISTA DE EXERCÍCIOS DE LINGUAGEM C

2 a LISTA DE EXERCÍCIOS DE LINGUAGEM C 2 a LISTA DE EXERCÍCIOS DE LINGUAGEM C 1. Fazer um programa ler um vetor de inteiros e positivos e imprimir quantas vezes aparece o número 1, 3 e 4, nesta ordem. O vetor terá no máximo 100 posições. Sair

Leia mais

Estruturas (registros)

Estruturas (registros) BCC 201 - Introdução à Programação I Estruturas (registros) Guillermo Cámara-Chávez UFOP 1/44 Estruturas (struct) I Imaginemos que queremos ler as notas de 4 provas para um aluno e calcular a média do

Leia mais

Tabela ASCII de caracteres de controle

Tabela ASCII de caracteres de controle Caracteres Estruturas de Dados Aula 6: Cadeias de Caracteres 31/03/2010 Caracteres são representados internamente por códigos numéricos Tipo char (inteiro pequeno ) 1 byte (8 bits) 256 caracteres possíveis

Leia mais

INF 1620 P3-25/11/05 Questão 1 Nome:

INF 1620 P3-25/11/05 Questão 1 Nome: INF 1620 P3-25/11/05 Questão 1 Dizemos que uma matriz quadrada é um quadrado mágico se a soma dos elementos de cada linha, a soma dos elementos de cada coluna e a soma dos elementos de sua diagonal principal

Leia mais

Algoritmos e Programação. Curso de Engenharia de Produção Prof. Ms. Rogério Cardoso rogerio.cardoso@aedu.com professor@rogeriocardoso.com.

Algoritmos e Programação. Curso de Engenharia de Produção Prof. Ms. Rogério Cardoso rogerio.cardoso@aedu.com professor@rogeriocardoso.com. Algoritmos e Programação Curso de Engenharia de Produção Prof. Ms. Rogério Cardoso rogerio.cardoso@aedu.com professor@rogeriocardoso.com.br 2012 Conteúdo e Objetivos da Aula Introdução a Linguagem C Revisão

Leia mais

Universidade Federal de Rondônia Técnicas de Desenvolvimento de Programas Lista 4

Universidade Federal de Rondônia Técnicas de Desenvolvimento de Programas Lista 4 Universidade Federal de Rondônia Técnicas de Desenvolvimento de Programas Lista 4 WHILE 1. Faça um comando while equivalente ao descrito abaixo (que realize o mesmo tipo de procedimento e obtenha o mesmo

Leia mais

1 - INTRODUÇÃO: O QUE É C?

1 - INTRODUÇÃO: O QUE É C? 1 - INTRODUÇÃO: O QUE É C? C é uma linguagem de programação de computadores; Desenvolvida em 1972 por Dennis Ritchie no Bell Lab para uso no sistema operacional Unix; Foi amplamente aceita por oferecer

Leia mais

Expressões. Prof. Alberto Costa Neto alberto@ufs.br. Linguagens de Programação. Departamento de Computação Universidade Federal de Sergipe

Expressões. Prof. Alberto Costa Neto alberto@ufs.br. Linguagens de Programação. Departamento de Computação Universidade Federal de Sergipe Linguagens de Programação Departamento de Computação Universidade Federal de Sergipe Expressão é uma frase de um programa que ao ser avaliada retorna um valor Tipos Literais Agregados Chamadas de Função

Leia mais

LINGUAGEM C. Estrutura básica de um programa

LINGUAGEM C. Estrutura básica de um programa LINGUAGEM C Estrutura básica de um programa Um programa em linguagem C é constituído por uma sequência de funções (módulos) que em conjunto irão permitir resolver o problema proposto. Estas funções contêm

Leia mais

Estruturas de Dados Aula 15: Árvores 17/05/2011

Estruturas de Dados Aula 15: Árvores 17/05/2011 Estruturas de Dados Aula 15: Árvores 17/05/2011 Fontes Bibliográficas Livros: Introdução a Estruturas de Dados (Celes, Cerqueira e Rangel): Capítulo 13; Projeto de Algoritmos (Nivio Ziviani): Capítulo

Leia mais

Aula 06 - Funções. O que é uma Função - Comando return - Protótipos de Funções - Tipos de Funções - Escopo de Variáveis - Passagem de parâmetros

Aula 06 - Funções. O que é uma Função - Comando return - Protótipos de Funções - Tipos de Funções - Escopo de Variáveis - Passagem de parâmetros O que é uma Função - Comando return - Protótipos de Funções - Tipos de Funções - Escopo de Variáveis - Passagem de parâmetros Algoritmo e Programação Aula 06 - Funções Colegiado de Engenharia da Computação

Leia mais

2. OPERADORES... 6 3. ALGORITMOS, FLUXOGRAMAS E PROGRAMAS... 8 4. FUNÇÕES... 10

2. OPERADORES... 6 3. ALGORITMOS, FLUXOGRAMAS E PROGRAMAS... 8 4. FUNÇÕES... 10 1. TIPOS DE DADOS... 3 1.1 DEFINIÇÃO DE DADOS... 3 1.2 - DEFINIÇÃO DE VARIÁVEIS... 3 1.3 - VARIÁVEIS EM C... 3 1.3.1. NOME DAS VARIÁVEIS... 3 1.3.2 - TIPOS BÁSICOS... 3 1.3.3 DECLARAÇÃO DE VARIÁVEIS...

Leia mais

Programação com Posix Threads

Programação com Posix Threads 9 Programação com Posix Threads Revisão: Data: 11-03-2016 Cap. 9 1/6 Programação multi-threaded com Pthreads 9.1. O que é uma thread? Um processo represente a execução pelo sistema operativo dum programa.

Leia mais

Programação de Computadores I. Linguagem C Arquivos

Programação de Computadores I. Linguagem C Arquivos Linguagem C Arquivos Prof. Edwar Saliba Júnior Novembro de 2011 Unidade 12 Arquivos 1 Trabalhando com Arquivos Um arquivo em Linguagem C pode representar diversas coisas, como: arquivos em disco, uma impressora,

Leia mais

Exercícios práticos - Folha 3

Exercícios práticos - Folha 3 Instalação e Manutenção de Redes e Serviços Informáticos PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS Exercícios práticos - Folha 3 Estruturas de decisão 1. Implemente um programa para ler do teclado o ano de nascimento do

Leia mais

P r o g r a m a ç ã o d e C o m p u t a d o r e s 1 o S e m - 2 0 1 3 P r o f. A n d r é A m a r a n t e L u i z L A B 5 tag %2d while printf PE1:

P r o g r a m a ç ã o d e C o m p u t a d o r e s 1 o S e m - 2 0 1 3 P r o f. A n d r é A m a r a n t e L u i z L A B 5 tag %2d while printf PE1: Inteligência É a faculdade de criar objetos artificiais, especialmente ferramentas para fazer ferramentas. Henri Bergson. WHILE Além dos comandos if-else e switch, o controle de fluxo de um programa pode

Leia mais

MC-102 Algoritmos e Programação de Computadores

MC-102 Algoritmos e Programação de Computadores MC-102 Algoritmos e Programação de Computadores Prof. Ariel Vargas Unicamp Arquivos Binários Arquivos Arquivos Texto Podem ser manipulados por um editor de texto comum Os dados são gravados como caracteres

Leia mais

9.1.2 Laços Controlados por Entrada: Contador

9.1.2 Laços Controlados por Entrada: Contador 9.1.2 Laços Controlados por Entrada: Contador Exemplo 2- Escreva um algoritmo e um programa em C que dado um Número qualquer, seja calculado e impresso a tabuada desse número. Algoritmo tabuada Variáveis:

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Prof a.dr a.thatyana de Faria Piola Seraphim (ECO) Prof.Dr.Enzo Seraphim (ECO) Universidade Federal de Itajubá thatyana@unifei.edu.br seraphim@unifei.edu.br Introdução - História A linguagem de programação

Leia mais

Tipos de Dados Avançados Vetores e Matrizes

Tipos de Dados Avançados Vetores e Matrizes SSC0101 - ICC1 Teórica Introdução à Ciência da Computação I Tipos de Dados Avançados Vetores e Matrizes Prof. Vanderlei Bonato: vbonato@icmc.usp.br Prof. Claudio Fabiano Motta Toledo: claudio@icmc.usp.br

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I

Algoritmos e Estruturas de Dados I Algoritmos e Estruturas de Dados I Prof. Daniel M. Martin (daniel.martin@ufabc.edu.br) Aula 7 (laboratório) Exercício de Laboratório Neste exercício você deverá praticar o uso da estrutura de dados 'Fila'

Leia mais

Alocação dinâmica de memória

Alocação dinâmica de memória Alocação dinâmica de memória Jander Moreira 1 Primeiras palavras Na solução de problemas por meio algoritmos ou programas, é comum surgir a necessidade de manter todo o conjunto de dados a ser processado

Leia mais