Atividades de P&D no setor. Novembro 2012 Prof. Marco Jose da Silva CPGEI / UTFPR

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Atividades de P&D no setor. Novembro 2012 Prof. Marco Jose da Silva CPGEI / UTFPR mdasilva@utfpr.edu.br"

Transcrição

1 Atividades de P&D no setor de petróleo e gás g s na UTFPR Novembro 2012 Prof. Marco Jose da Silva CPGEI / UTFPR

2 Dados sobre UTFPR desde 2005 Universidade Tecnológica (antigo CEFET-PR) 12 Campi no estado do Paraná aprox. 25,000 estudantes matriculados Cursos Técnicos Graduação Pós-Graduação Foco é em ciência aplicada e engenharia (física, química + eng. elétrica, de computação, mecânica, civil)

3 Os 12 Campi da UTFPR Apucarana Londrina CORNÉLIO PROCÓPIO Toledo CAMPO MOURÃO MEDIANEIRA Francisco Beltrão Dois Vizinhos Guarapuava PONTA GROSSA CURITIBA Ecoville Centro CURSOS Técnico 12 Graduação 87 Especialização 81 Mestrado 24 Doutorado 5 Pato Branco Professores Dr. 744 Técnicos-Administrativos 909 Alunos Área construída (m2) CPGEI PPGEM Slide 3

4 PRH10 Desde 1999: Programa de Formação de Recursos Humanos para o Setor de Petróleo, Gás Natural e Bicombustíveis PRH-10 Planejamento e Otimização de Processos de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis CPGEI PPGEM Slide 4

5 Equipe (Petróleo e Gás) LACIT/PPGEM LAMES/PPGEM LASCA/CPGEI DIFOTON/CPGEI Prof. Rigoberto Morales Prof. Admilson Teixeira Prof. Cezar Negrão Prof. Luciano Rossi Prof. Silvio Junqueira Prof. Marco Luersen Prof. Flavio Neves Prof. Valeria Arruda Prof. Marco da Silva Prof. Cicero Martelli Prof. Hypolito Kaliwoski Prof. Carlos Amaral Engenharia Mecânica Engenharia Elétrica CPGEI PPGEM Slide 5

6 29 Alunos Grad. Equipe 12 Professores (Dr.) 76 9 Bolsistas PQ e DT 21 Estudantes MSc+PhD 4 Pesquisadores 10 Técnicos CPGEI PPGEM Slide 6

7 Prêmios Prêmio Petrobras de Tecnologia LACIT: Graduação - Tecnologia de Perfuração e de Produção LASCA: Doutorado - Tecnologia de Logística e de Transporte de Petróleo, Gás e derivados Prêmio Petrobras de Tecnologia LACIT: Mestrado Tecnologia de Perfuração e de Produção LASCA: Doutorado - Tecnologia de Logística e de Transporte de Petróleo, Gás e derivados CPGEI PPGEM Slide 7

8 P&D com a PETROBRAS UTFPR está envolvida em cinco Rede Temáticas ticas Rede de Tecnologia de Poços os Rede de Escoamento Multifásico Rede de Elevação Artificial Rede de Logística de Distribuição Rede de Garantia de Escoamento CPGEI PPGEM Slide 8

9 Competências CPGEI PPGEM Slide 9

10 Laboratório de Ciências Térmicas (LACIT) Análise teórica e computacional de processos que envolvem escoamentos monofásicos e multifásicos em tubulações e equipamentos Investigação experimental de escoamentos Newtonianos e não-newtonianos Desenvolvimento de instrumentação avançada para investigar o escoamento multifásico Modelagem matemática e experimental do escoamentos e transporte em meios porosos CPGEI PPGEM Slide 10

11 LaMEs - Laboratório de Mecânica Estrutural Aplicação do Método dos Elementos Finitos para análise de componentes ou produtos mecânicos submetidos a carregamentos estáticos ou dinâmicos. Desenvolvimento, implementação e aplicação de diferentes técnicas de otimização no projeto estrutural de materiais CPGEI PPGEM Slide 11

12 Laboratório de Sistemas de Controle Avançado Desenvolvimento de software para auxiliar a tomada de decisão (ótima) na gestão da cadeia de abastecimento (refinarias e rede de dutos) Desenvolvimento de instrumentos e sensores especiais incluindo algoritmos de processamento de sinal Desenvolvimento de produtos eletrônicos dedicados (hardware e firmware) CPGEI PPGEM Slide 12

13 Grupo de Fotônica em Engenharia Desenvolvimento, produção e caracterização de sistemas de sensores a fibra óptica Desenvolvimento de sensores a fibra óptica e eletrônica associada para monitoramento de saúde estrutural e escoamento multifásico (FBG, LPG, DTS...) Sensoriamento espectroscópico / espécies químicas tanto em laboratório como ensaios de campo (óptica guiada e de espaço livre) CPGEI PPGEM Slide 13

14 Breve descrição de alguns projetos com financiamento CPGEI PPGEM Slide 14

15 Projeto de P&D Modelagem e experimentação em escoamento bifásico Slug tracking com mudança de direção Análise escoamento em risers de produção Financiamento: Petrobras Periodo: SET/2011 AGO/2015 Financiamento: Petrobras Periodo: SET/2011 AGO/2013 CPGEI PPGEM Slide 15

16 Projeto de P&D Modelagem e experimentação em escoamento bifásico - Slug tracking - Financiamento: Petrobras Periodo: SET/2011 AGO/2015 CPGEI PPGEM Slide 16

17 Simulação numérica de escoamento Bomba centrífuga submersa BCS Projeto de P&D Separador gás-líquido Financiamento: Petrobras Periodo: OUT/2008 NOV/2012 Financiamento: Petrobras Periodo: MAR/2011 FEV/2012 CPGEI PPGEM Slide 17

18 Projeto de P&D Estudo de Fenômenos de Hidráulica de Perfuração de Poços os de Petróleo Surge & swab Picos de pressão Termodinâmica de hidratos Escoamento de fluido de perfuração Meios porosos Reologia Financiamento: Petrobras Periodo: SET/2011 AGO/2014 CPGEI PPGEM Slide 18

19 Projeto de P&D: Análise Estrutural Análise de tensões por elementos finitos de uma estrutura de arvore de Natal submarina Financiamento: Kvaerner Oilfield Products Brasil Periodo: CPGEI PPGEM Slide 19

20 R&D Project Desenvolvimento de instrumentação para monitoramento e visualizacao de escoamento multifásico Sensor Wire Mesh Sensor optico Sonda capacitiva Financiamento: Petrobras Periodo: DEZ/2009 DEZ/2013 CPGEI PPGEM Slide 20

21 R&D Project Sistema de medição ultrassonico para análise de escoamento multifásico Desenvolvimento de um medidor de concentração gasosa com tecnologia nacional CPGEI PPGEM Slide 21 Financiamento: FINEP/CT-Petro

22 Projeto de P&D: SConsuelo Ferramenta de otimização para auxiliar a tomada de decisão de planejamento e programação de atividades de transferência de derivados CPGEI PPGEM Slide 22 Financiamento: Petrobras Periodo:

23 Projeto de P&D: TATU Sistema computacional para escalonamento de operações no setor de transferência e estocagem de refinarias. Busca de rotas com detalhes nos equipamentos envolvidos Financiamento: Petrobras Periodo: CPGEI PPGEM Slide 23

24 Projeto de Infraestrutura Implantação de um Núcleo de Excelência em P&D para o Setor de Petróleo e Gás Financiamento: PETROBRAS UTFPR CPGEI PPGEM Slide 24

25 Ecoville: vista geral 3,200 m 2 CPGEI PPGEM Slide 25

26 Desenho arquitetônico CPGEI PPGEM Slide 26

27 Laboratorios a implementar Laboratório de Escoamento Multifásico: Circuitos experimentais com tubulações de até 40 metros de comprimento na horizontal e 20 m na vertical; Laboratório de Instrumentação aplicada a Escoamentos Multifásicos Laboratório de Escoamento com transferência de Calor com Mudança de Fase Laboratório de Reologia Laboratório de Garantia de Escoamento Laboratório de Meios Porosos; Laboratório de Visualização Laboratório de Dinâmica dos Fluidos Computacional CPGEI PPGEM Slide 27

28 Março 2011 CPGEI PPGEM Slide 28

29 The Big Picture May 2011 CPGEI PPGEM Slide 29

30 Estado atual Conclusão prevista para DEZ/2013 CPGEI PPGEM Slide 30

31 Competências Escoamento: Simulação, Visualização Desenvolvimento e Aplicação de Instrumentação Análise Estrutural Mecânica Desenvolvimento de Software e Modelos CPGEI PPGEM Slide 31

32 Partnership Model: Operator-Suplier-Academia CPGEI PPGEM Slide 32

33 Cursos, Projetos e Apoios Tecnológicos Cursos de Extensão Universitária. Treinamento Profissional "In Company". Projetos/Apoios: Tem como objetivo viabilizar parcerias com o meio empresarial, canalizando oportunidades e transferindo tecnologias necessárias para o processo de inovação. Contato: Pró-Reitoria de Relações Empresariais e Comunitárias CPGEI PPGEM Slide 33

34 Obrigado pela atenção! CPGEI PPGEM Slide 35

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO PARANÁ

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO PARANÁ CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO PARANÁ Profª Elane Amorim Maia Gerência de Relações Empresariais e Comunitárias E-mail: elane@cefetpr.br Telefone: (41) 310-4557 Dez 2003 Evolução Histórica Universidade

Leia mais

ANEXO I - CURSOS E VAGAS POR CÂMPUS

ANEXO I - CURSOS E VAGAS POR CÂMPUS ANEXO I - CURSOS E VAGAS POR CÂMPUS Categorias dos cotistas: 1 cotista oriundo de família com renda bruta, comprovada, igual ou inferior a 1,5 (um vírgula cinco) salário-mínimo per capita e que não se

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Reitoria. Educar com padrão

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Reitoria. Educar com padrão Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Reitoria Educar com padrão de excelência Educar com padrão de excelência A Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), que comemorou

Leia mais

Automação, Controle e Otimização em Sistemas de Produção de Petróleo

Automação, Controle e Otimização em Sistemas de Produção de Petróleo Automação, Controle e Otimização em Sistemas de Produção de Petróleo Departamento de Automação e Sistemas Universidade Federal de Santa Catarina Apresentação da Rede Temática GeDIg, Março de 2008 Sumário

Leia mais

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria Relações Empresariais e Comunitárias Agência de Inovação

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria Relações Empresariais e Comunitárias Agência de Inovação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria Relações Empresariais e Comunitárias Agência de Inovação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria Relações Empresariais e Comunitárias

Leia mais

ANÁLISE DO EFEITO DA VELOCIDADE NO ESCOAMENTO BIFÁSICO EM DUTOS CURVADOS COM VAZAMENTO

ANÁLISE DO EFEITO DA VELOCIDADE NO ESCOAMENTO BIFÁSICO EM DUTOS CURVADOS COM VAZAMENTO ANÁLISE DO EFEITO DA VELOCIDADE NO ESCOAMENTO BIFÁSICO EM DUTOS CURVADOS COM VAZAMENTO L.R.B. SARMENTO 1, G.H.S. PEREIRA FILHO 2, E.S. BARBOSA 3, S.R. de FARIAS NETO 4 e A.B. de LIMA 5 (Times New Roman

Leia mais

Geodinâmica/Geofísica aplicada ao Setor Petróleo e Gás (mestrado e doutorado);

Geodinâmica/Geofísica aplicada ao Setor Petróleo e Gás (mestrado e doutorado); PRH 22 - Programa de Formação em Geologia, Geofísica e Informática no Setor Petróleo e Gás na UFRN Instituição: UFRN - Universidade Federal do Rio Grande do Norte Reitor: José Ivonildo do Rego Helenice

Leia mais

ENGENHARIA ELÉTRICA. 1. TURNO: Integral HABILITAÇÃO: Bacharelado. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos

ENGENHARIA ELÉTRICA. 1. TURNO: Integral HABILITAÇÃO: Bacharelado. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos ENGENHARIA ELÉTRICA 1. TURNO: Integral HABILITAÇÃO: Bacharelado GRAU ACADÊMICO: Engenheiro Eletricista PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos Máximo = 9 anos 2. HISTÓRICO DO CURSO No desenvolvimento industrial

Leia mais

Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia

Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia Pós-Graduação Stricto Sensu Pós-Graduação Lato Sensu Extensão Graduação Diagnósticos Tecnológicos Soluções de Problemas Empresariais

Leia mais

Tabela 1 Matriz Curricular disciplinas do 1º ao 4º período.

Tabela 1 Matriz Curricular disciplinas do 1º ao 4º período. Tabela 1 Matriz Curricular disciplinas do 1º ao 4º período. Período MEC001 Introdução à Engenharia Mecânica 2 30 30 MEC002 Cálculo I 6 90 90 MEC003 Geometria Analítica 1º MEC004 Química Geral e Experimental

Leia mais

Grade Curricular - Engenharia Aeronáutica

Grade Curricular - Engenharia Aeronáutica Grade Curricular - Engenharia Aeronáutica SEMESTRE 1 - Obrigatórias FCM0101 Física I 6 0 6 FFI0180 Laboratório de Física Geral I SCE0103 Introdução à Ciência da Computação 2 2 4 SMA0300 Geometria Analítica

Leia mais

DINÂMICA DOS FLUIDOS COMPUTACIONAL. CFD = Computational Fluid Dynamics

DINÂMICA DOS FLUIDOS COMPUTACIONAL. CFD = Computational Fluid Dynamics DINÂMICA DOS FLUIDOS COMPUTACIONAL CFD = Computational Fluid Dynamics 1 Problemas de engenharia Métodos analíticos Métodos experimentais Métodos numéricos 2 Problemas de engenharia FENÔMENO REAL (Observado

Leia mais

Cod.Disc Requisito Administração 252 2 Matemática Financeira 3114 Matemática 3531

Cod.Disc Requisito Administração 252 2 Matemática Financeira 3114 Matemática 3531 Curso Grade Periodo Disciplina Cod.Disc Disciplina Requisito Cod.Disc Requisito Administração 22 2 Matemática Financeira 11 Matemática 1 22 Total Contabilidade Gerencial 111 Contabilidade Geral 09 Administração

Leia mais

Disciplina Linhas CH Créditos

Disciplina Linhas CH Créditos Biogeoquímica com Ênfase em Contaminantes AMIA 60 4 Dotar o estudante de conhecimentos sobre o funcionamento da ciclagem de materiais na natureza, especialmente de contaminantes, para ser de subsídio à

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE FIRMWARE E SOFTWARE APLICATIVO DE CONTROLE PARA UMA MÁQUINA DE ENSAIOS GEOLÓGICOS

DESENVOLVIMENTO DE FIRMWARE E SOFTWARE APLICATIVO DE CONTROLE PARA UMA MÁQUINA DE ENSAIOS GEOLÓGICOS Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas - ICEB Departamento de Computação - DECOM DESENVOLVIMENTO DE FIRMWARE E SOFTWARE APLICATIVO DE CONTROLE PARA UMA MÁQUINA

Leia mais

PROPOSTA DE PROJETO DE PESQUISA

PROPOSTA DE PROJETO DE PESQUISA Anexo I PROPOSTA DE PROJETO DE PESQUISA 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 1.1. Título: Estação hidrometeorológica automatizada com microcontrolador Arduíno 1.2. Grande Área do Conhecimento: ( x )1. Exatas e

Leia mais

METODOLOGIA DA PESQUISA (20 horas/aula) Objetivo: Apoiar, auxiliar e estimular a elaboração da monografia de conclusão do curso.

METODOLOGIA DA PESQUISA (20 horas/aula) Objetivo: Apoiar, auxiliar e estimular a elaboração da monografia de conclusão do curso. EMENTA DAS DISCIPLINAS PARA O EDITAL N.º 002/2012 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NOS CURSOS DE PÓS GRADUAÇÃO DE ENGENHARIA DE PROCESSOS UPSTREAM E ENGENHARIA DE PROCESSAMENTO DE GÁS NATURAL, DA ESCOLA DE

Leia mais

Pré-Sal: Desafios e Oportunidades Tecnológicas

Pré-Sal: Desafios e Oportunidades Tecnológicas Pré-Sal: Desafios e Oportunidades Tecnológicas Aloisio Nóbrega Superintendente ONIP CCT do Senado Federal Outubro de 2008 Introdução Província Pré-Sal Fonte: Petrobras Situação da Perfuração dos Poços

Leia mais

Marcelo Castilho de Freitas. Chefe da Divisão de Articulação e Regulamentação Técnica Metrológica - Diart

Marcelo Castilho de Freitas. Chefe da Divisão de Articulação e Regulamentação Técnica Metrológica - Diart Regulamentação Técnica Metrológica Marcelo Castilho de Freitas Chefe da Divisão de Articulação e Regulamentação Técnica Metrológica - Diart Sumário Análise de Demandas Desenvolvimento de regulamentação

Leia mais

O que? Quando? E por quem? Uma investigação sobre o ensino de IHC nas universidades públicas do Estado do Paraná

O que? Quando? E por quem? Uma investigação sobre o ensino de IHC nas universidades públicas do Estado do Paraná III Workshop sobre Ensino de IHC Cuiabá 05/11/2012 IHC 12 O que? Quando? E por quem? Uma investigação sobre o ensino de IHC nas universidades públicas do Estado do Paraná Sílvia Amélia Bim e Clodis Boscarioli

Leia mais

Inteligência Tecnológica

Inteligência Tecnológica Cenários Tecnológicos Vale Inteligência Tecnológica Gestão de Tecnologia e Propriedade Intelectual Diretoria de Tecnologia e Inovação 2014 Agenda Quem somos? Gestão de Tecnologia e Propriedade Intelectual

Leia mais

Pesquisa & Desenvolvimento

Pesquisa & Desenvolvimento Pesquisa & Desenvolvimento O Programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) na AES Uruguaiana é uma importante ferramenta para a companhia promover melhorias contínuas na prestação do serviço, com a qualidade

Leia mais

Óleo Combustível. Informações Técnicas

Óleo Combustível. Informações Técnicas Informações Técnicas 1. Definição e composição... 3 2. Principais aplicações... 3 2.1. Sistemas de combustão de óleo combustível... 3 3. Tipos de óleos combustíveis... 4 4. Requisitos de qualidade e especificação...

Leia mais

ENSAIOS EM CÂMARAS DE COMBUSTÃO DE TURBINAS A GÁS

ENSAIOS EM CÂMARAS DE COMBUSTÃO DE TURBINAS A GÁS ENSAIOS EM CÂMARAS DE COMBUSTÃO DE TURBINAS A GÁS João Vitor Fontenele Romero- IC Aluno de graduação do curso de Engenharia Aeronáutica do Instituto Tecnológico de Aeronáutica Bolsista PIBIC-CNPQ; Brasil;

Leia mais

DESENVOLVIMENTO. São Luís, 25 de Novembro de 2011 TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PARA O SETOR DE P&G

DESENVOLVIMENTO. São Luís, 25 de Novembro de 2011 TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PARA O SETOR DE P&G DESENVOLVIMENTO São Luís, 25 de Novembro de 2011 TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PARA O SETOR DE P&G CONVÊNIO PETROBRAS - SEBRAE OBJETIVO GERAL Promover a inserção competitiva e sustentável de micro e pequenas

Leia mais

Escola de Química - UFRJ

Escola de Química - UFRJ Escola de Química - UFRJ Cursos de Graduação Escola de Química - UFRJ Engenharia Química Química Industrial Engenharia Alimentos Engenharia de Bioprocessos Engenharia Ambiental (EQ &EPOLI & COPPE) Engenharia

Leia mais

Aprovado no CONGRAD: 11.09.07 Vigência: ingressos a partir de 2008/1. CÓD. 483 CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Currículo nº 02

Aprovado no CONGRAD: 11.09.07 Vigência: ingressos a partir de 2008/1. CÓD. 483 CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Currículo nº 02 Aprovado no CONGRAD: 11.09.07 Vigência: ingressos a partir de 2008/1 CÓD. 483 CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Currículo nº 02 DISCIPLINAS E PRÁTICAS DO CURRÍCULO PLENO I- NÚCLEO DOS CONTEÚDOS BÁSICOS Matemática

Leia mais

O PAPEL DO QUÍMICO NA INDÚSTRIA DO PETRÓLEO

O PAPEL DO QUÍMICO NA INDÚSTRIA DO PETRÓLEO O PAPEL DO QUÍMICO NA INDÚSTRIA DO PETRÓLEO AERENTON FERREIRA BUENO Químico de Petróleo - Consultor PETROBRAS Refinaria Henrique Lage (REVAP) São José dos Campos SP Um pouco sobre a PETROBRAS... Exploração

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 148/2012

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 148/2012 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 148/2012 Altera o Currículo do Curso de Engenharia Aeronáutica para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade do Processo nº MEC-480/2012, aprovou

Leia mais

Regulamentação Técnica Metrológica

Regulamentação Técnica Metrológica Regulamentação Técnica Metrológica Marcelo Castilho de Freitas Chefe da Divisão de Articulação e Regulamentação Técnica Metrológica - Diart 1 Sumário Análise de Demandas Desenvolvimento de regulamentação

Leia mais

INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM BIOSINTÉTICOS

INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM BIOSINTÉTICOS INSTITUTO SENAI DE INOVAÇÃO EM BIOSINTÉTICOS Inovação Soluções em Tecnologia Sustentabilidade Prover Soluções de Tecnologia e Inovação para aumentar a competitividade da indústria. 300 projetos de inovação

Leia mais

ASPECTOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM REDES INTELIGENTES SMART GRIDS PROJETO DE PESQUISA 01: ANÁLISE DA MEDIÇÃO INTELIGENTE DE ENERGIA VIA PLC

ASPECTOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM REDES INTELIGENTES SMART GRIDS PROJETO DE PESQUISA 01: ANÁLISE DA MEDIÇÃO INTELIGENTE DE ENERGIA VIA PLC PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS, AMBIENTAIS E DE TECNOLOGIAS CEATEC PUC-CAMPINAS ASPECTOS DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM REDES INTELIGENTES SMART GRIDS PROJETO DE PESQUISA

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 096/2015

DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 096/2015 DELIBERAÇÃO CONSEP Nº 096/2015 Altera a Deliberação CONSEP Nº 148/2012, que altera o Currículo do Curso de Engenharia Aeronáutica para regime seriado semestral. O CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA, na conformidade

Leia mais

DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO Relatório de Gestão 2011 GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA UTFPR A Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação (DIRGTI) é responsável pelas atividades

Leia mais

Edital 015/2011 PROGRAD

Edital 015/2011 PROGRAD MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Edital 015/2011 PROGRAD A Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional (PROGRAD)

Leia mais

2ª ETAPA - TURMA P e R

2ª ETAPA - TURMA P e R CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I PAIE 3 CIÊNCIAS DO AMBIENTE PAIE 3 ÉTICA E CIDADANIA I PAIE 3 FÍSICA GERAL I PAIE 3 GEOMETRIA ANALÍTICA E VETORES PAIE 3 1ª ETAPA - TURMA P e R INTRODUÇÃO À ENGENHARIA

Leia mais

LISTA DE LABORATÓRIOS VINCULADOS AO CENTRO DE TECNOLOGIA DA UFRN. Laboratório de Informática Aplicada a Arquitetura e Urbanismo (LABINFO)

LISTA DE LABORATÓRIOS VINCULADOS AO CENTRO DE TECNOLOGIA DA UFRN. Laboratório de Informática Aplicada a Arquitetura e Urbanismo (LABINFO) LISTA DE LABORATÓRIOS VINCULADOS AO CENTRO DE TECNOLOGIA DA UFRN ARQUITETURA Laboratório de Conforto Ambiental (LabCon) Laboratório de Informática Aplicada a Arquitetura e Urbanismo (LABINFO) Laboratório

Leia mais

CORPO DOCENTE DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL

CORPO DOCENTE DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL CORPO DOCENTE DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL Alex Sandre Guedes Alves (Mestre) Regime de Trabalho: Tempo Integral Qualificação Profissional: Engenharia Mecânica Atualmente é professor

Leia mais

micropropulsão; catálise; etanol Grupo de Modelagem e Simulação Computacional

micropropulsão; catálise; etanol Grupo de Modelagem e Simulação Computacional Universidade Federal de Santa Catarina Atividades de Pesquisa Formulário de Tramitação e Registro Situação:Aprovação/Depto Coordenador Protocolo nº: 2013.1156 Título: Desenvolvimento de micropropulsores

Leia mais

2º semestre - Ciências Exatas (noturno)

2º semestre - Ciências Exatas (noturno) 2º semestre - Ciências Exatas (noturno) Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira 18:50 às 19:45 Geometria Analítica Geometria Analítica Energia Energia Bases Experimentais na Química

Leia mais

Cidade Digital Estratégica Planejamento Estratégico de Informações Municipais

Cidade Digital Estratégica Planejamento Estratégico de Informações Municipais 16/9/2011 Cidade Digital Estratégica Planejamento Estratégico de Informações Municipais 14 set 2011 Denis Alcides Rezende, Dr. Educação e Consultoria em Informação e Estratégia www.denisalcidesrezende.com.br

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Outubro de 2012 Agenda Missão e Visão Tipos de Inovação Financiáveis Áreas

Leia mais

Matriz curricular do curso de graduação em Engenharia Ambiental campus de Chapecó Turno integral

Matriz curricular do curso de graduação em Engenharia Ambiental campus de Chapecó Turno integral Matriz curricular do curso de graduação em Engenharia Ambiental campus de Chapecó Turno integral 1 a 01 Matemática C 4 60-02 Geometria Analítica 4 60-03 Biologia Geral 3 45-04 Produção Textual Acadêmica

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Apucarana (AP) / Campo Mourão (CM) / Cornélio Procópio (CP) / Curitiba (CT) / Dois Vizinhos (DV) Francisco Beltrão (FB) / Guarapuava (GP) / Londrina (LD) / Medianeira (MD) / Pato Branco (PB) Ponta Grossa

Leia mais

Planejamento 2011 Diretoria de TI

Planejamento 2011 Diretoria de TI Planejamento 2011 Diretoria de TI ITIL / COBIT / Definição de Processos Inicio: 01/2011 Prioridade: Alta Repositório Institucional Inicio: 07/2010 UPGRADE Prioridade: Média Política de Utilização de Recursos

Leia mais

FACULDADE METROPLITANA DA AMAZÔNIA-FAMAZ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CALENDÁRIO DE PROVAS DA 1ª AVALIAÇÃO CURSO: ENGENHARIA CIVIL

FACULDADE METROPLITANA DA AMAZÔNIA-FAMAZ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CALENDÁRIO DE PROVAS DA 1ª AVALIAÇÃO CURSO: ENGENHARIA CIVIL CALENDÁRIO DE PROVAS DA 1ª AVALIAÇÃO TURMA: 450116 - SALA: 102 Bloco I TURNO: VESPERTINO 1º PERÍODO (1º semestre/2014) 1ª Avaliação Regimental Fundamentos da Engenharia 20.03.2014 14:00 às 17:30 Comportamento

Leia mais

AVALIAÇÃO DO ESCOAMENTO DE FLUIDOS INCOMPRESSÍVEIS EM TUBULAÇÕES USANDO CFD

AVALIAÇÃO DO ESCOAMENTO DE FLUIDOS INCOMPRESSÍVEIS EM TUBULAÇÕES USANDO CFD AVALIAÇÃO DO ESCOAMENTO DE FLUIDOS INCOMPRESSÍVEIS EM TUBULAÇÕES USANDO CFD 1 Délio Barroso de Souza, 2 Ulisses Fernandes Alves, 3 Valéria Viana Murata 1 Discente do curso de Engenharia Química 2 Bolsista

Leia mais

Grade Curricular - Engenharia de Computação

Grade Curricular - Engenharia de Computação Grade Curricular - Engenharia de Computação SEMESTRE 1 - Obrigatórias FCM0101 Física I 6 0 6 FFI0180 Laboratório de Física Geral I 2 0 2 SAP0678 Desenho 2 0 2 SAP0679 Humanidades e Ciências Sociais 2 0

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM POLÍMEROS UEZO CURRÍCULO NOVO (INGRESSOS A PARTIR DE 2010/01) DISCIPLINAS DO 1º PERÍODO

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM POLÍMEROS UEZO CURRÍCULO NOVO (INGRESSOS A PARTIR DE 2010/01) DISCIPLINAS DO 1º PERÍODO CURRÍCULO NOVO (INGRESSOS A PARTIR DE 2010/01) Código POL1001 POL1002 POL1003 POL1004 POL1005 POL1006 POL1007 DISCIPLINAS DO 1º PERÍODO Disciplina Química Orgânica Química Geral Teoria Química Geral Experimental

Leia mais

ASPECTOS PRAGMÁTICOS DA TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA. - SUBSISTEMAS DE INOVAÇÃO

ASPECTOS PRAGMÁTICOS DA TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA. - SUBSISTEMAS DE INOVAÇÃO ASPECTOS PRAGMÁTICOS DA TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA. - SUBSISTEMAS DE INOVAÇÃO FERNANDO BARATELLI JUNIOR Gerente de Informação Técnica e Propriedade Intelectual Centro de Pesquisas & Desenvolvimento Leopoldo

Leia mais

Centro de Pesquisa da GE no Brasil

Centro de Pesquisa da GE no Brasil Centro de Pesquisa da GE no Brasil Industrial Internet Marcelo Blois Ribeiro, PhD Líder de Integração de Sistemas 09/05/2013 A GE é uma companhia de tecnologia, serviços e finanças, que busca solucionar

Leia mais

Comissão Própria de Avaliação. Resultado Avaliação Desempenho Docente 2012.1

Comissão Própria de Avaliação. Resultado Avaliação Desempenho Docente 2012.1 Comissão Própria de Avaliação Resultado Avaliação Desempenho Docente 1 Desempenho dos Docentes por Curso Curso Desempenho Eletrônica Industrial 90,54% Engenharia Mecânica (1º Trimestre) 88,38% Gestão da

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DO MÉTODO NODAL NA SIMULAÇÃO DE PROCESSOS TÉRMICOS

A UTILIZAÇÃO DO MÉTODO NODAL NA SIMULAÇÃO DE PROCESSOS TÉRMICOS A UTILIZAÇÃO DO MÉTODO NODAL NA SIMULAÇÃO DE PROCESSOS TÉRMICOS C. R. RODRIGUES VELOSO 1, R. GEDRAITE 2 1 Bolsista PIBIC FAPEMIG/UFU, discente do curso de Engenharia Química 2 Professor da Faculdade de

Leia mais

Chiller Centrífugo de Alta Eficiência INVERTER

Chiller Centrífugo de Alta Eficiência INVERTER Chiller Centrífugo de Alta Eficiência INVERTER HFC134a Série GXG-SIT/GSG-SIT 3 a 1. TR Chiller Centrífugo Inverter de Alta Eficiência Hitachi Séries GXG-SIT/GSG-S SIT O Chiller Centrífugo Inverter de Alta

Leia mais

[ Soluções ] Manutenção de unidades e painéis

[ Soluções ] Manutenção de unidades e painéis Manutenção de unidades e painéis A Transcontrol realiza serviços de manutenção preventiva e corretiva em unidades hidráulicas e painéis de comando tanto de fabricação própria quanto de terceiros. Estes

Leia mais

Reconhecimento: DECRETO 37852 de 03/09/55 DOU 06/09/55 pág. 16891. Tempo para integralização do curso. Mínimo 4 Médio 5 Máximo 9

Reconhecimento: DECRETO 37852 de 03/09/55 DOU 06/09/55 pág. 16891. Tempo para integralização do curso. Mínimo 4 Médio 5 Máximo 9 ANO ANO A Engenharia Civil da UFC O curso de Engenharia Civil da UFC implementou, a partir de 99, um regime seriado, no qual a maioria das disciplinas, em especial as do ciclo básico, passou a ser ministrada

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 15:02. Centro de Ciências Tecnológicas Curso:

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 15:02. Centro de Ciências Tecnológicas Curso: Centro de Ciências Tecnológicas Curso: Engenharia Química (Noturno) Ano/Semestre: 11/1 9/5/11 15: s por Curso EQU.7.1.1-5 FIS...-7 MAT.7.1.1-3 MAT.9.1.-7 MAT.9..9- MAT.9.3.- MAT.9..-3 EDU.5..- EQU...-9

Leia mais

A IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE P+L EM UMA SIDERÚRGICA CERTIFICADA PELA ISO 14001- CASO AEP/GERDAU

A IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE P+L EM UMA SIDERÚRGICA CERTIFICADA PELA ISO 14001- CASO AEP/GERDAU A IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE P+L EM UMA SIDERÚRGICA CERTIFICADA PELA ISO 14001- CASO AEP/GERDAU Carlos Alberto Mendes Moraes, Eng. Mecânica - UNISINOS Lisiane Kleinkauf da Rocha, Pesquisadora - UNISINOS

Leia mais

EDITAL: EXAME DE PROFICIÊNCIA 2016.1 ANEXO 1. Página 1 de 13

EDITAL: EXAME DE PROFICIÊNCIA 2016.1 ANEXO 1. Página 1 de 13 TIPO DE AVALIAÇÃO ESCOLA CURSO ESTRUTURA SÉRIE DISCIPLINA CH CÓDIGO TEÓRICA PRÁTICA LOCAL COMUNICAÇÃO COMUN. SOCIAL - HABILIT. EM PUBLIC. E PROPAGANDA 2012.1 7ª MARKETING POLÍTICO E ESTRATÉGIAS ELEITORAIS

Leia mais

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. CRÉDITOS Obrigatórios: 172 Optativos: 8.

Sistema de Controle Acadêmico. Grade Curricular. Curso : CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. CRÉDITOS Obrigatórios: 172 Optativos: 8. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Pró-reitoria de Graduação - DAARG DRA - Divisão de Registros Acadêmicos Sistema de Controle Acadêmico Grade Curricular 30/01/2014-13:38:00 Curso : CIÊNCIA DA

Leia mais

Congresso Minas Petro

Congresso Minas Petro Belo Horizonte / MG - 25 e 26 de Outubro Congresso Minas Petro IX Congresso de Postos Revendedores de Combustíveis de Minas Gerais Painel de Debates sobre Perspectivas da Revenda diante da nova Matriz

Leia mais

Apresentação EQPS. Programa Prioritário AmazonSoft. MPS.BR para AmazonSoft. PBQP para AmazonSoft. Softex para AmazonSoft. ALATS para AmazonSoft

Apresentação EQPS. Programa Prioritário AmazonSoft. MPS.BR para AmazonSoft. PBQP para AmazonSoft. Softex para AmazonSoft. ALATS para AmazonSoft www.cide.org.br www.amazonsoft.br Apresentação EQPS Programa Prioritário AmazonSoft MPS.BR para AmazonSoft PBQP para AmazonSoft Softex para AmazonSoft ALATS para AmazonSoft Programa Prioritário AmazonSoft

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA Curso de Graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária Matriz Curricular válida a partir de 2016_3 Reestruturação Aprovada em janeiro de 2016 Natureza Horas-aula Disciplinas

Leia mais

4.2 - Instruções Específicas de Matrícula no Curso

4.2 - Instruções Específicas de Matrícula no Curso 1 4 - Seu Curso 4.1 - Informações Específicas sobre o Curso 4.1.1 - Objetivos Sólida formação nos conceitos da eng. mecânica, eletro-eletrônica, informática e controle; Preparo técnico e psicológico dos

Leia mais

Inovação da Intel no/para Brasil

Inovação da Intel no/para Brasil Inovação da Intel no/para Brasil Apaixonados pelo Futuro. rogério de paula, ph.d. Inovação e Pesquisa, Intel Brasil O número de transistores incorporados num processador irá dobrar a cada dois anos, aproximadamente."

Leia mais

APLICAÇÃO DE UM SIMULADOR INDUSTRIAL COMO FERRAMENTA DE GESTÃO EM UMA REFINARIA DE ÓLEO DE SOJA

APLICAÇÃO DE UM SIMULADOR INDUSTRIAL COMO FERRAMENTA DE GESTÃO EM UMA REFINARIA DE ÓLEO DE SOJA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 APLICAÇÃO DE UM SIMULADOR INDUSTRIAL COMO FERRAMENTA DE GESTÃO EM UMA REFINARIA DE ÓLEO DE SOJA José Maximiano Candido Neto 1, Wagner Andre dos Santos

Leia mais

Pesquisa operacional:

Pesquisa operacional: Pesquisa operacional: Conjunto de técnicas e métodos aplicados por equipes multidisciplinares para se determinar a melhor utilização de recursos limitados e para programação otimizada das operações de

Leia mais

Aprovado no CONGRAD: 24.08.10 Vigência: ingressos a partir 2011/1 CÓD. 622 - CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA MANHÃ E TARDE

Aprovado no CONGRAD: 24.08.10 Vigência: ingressos a partir 2011/1 CÓD. 622 - CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA MANHÃ E TARDE Aprovado no CONGRAD: 24.08.10 Vigência: ingressos a partir 2011/1 CÓD. 622 - CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA MANHÃ E TARDE MATRIZ CURRICULAR Currículo nº 03 I - NÚCLEO DE CONTEÚDOS BÁSICOS Matemática 10021

Leia mais

Iniciativa Nacional de Inovação em Biotecnologia

Iniciativa Nacional de Inovação em Biotecnologia Iniciativa Nacional de Inovação em Biotecnologia Visão Atual e 2021 3º CB APL 29 de novembro de 2007. Brasília - DF 1 CONTEXTO Fórum de Competitividade de Biotecnologia: Política de Desenvolvimento da

Leia mais

Revista Gestão Pública em Curitiba MOMENTOS II ENCONTRO INTERNACIONAL DE CURITIBA EM PLANEJAMENTO URBANO 40 Volume II - Edição Especial - Março/2012 II Encontro Internacional de Curitiba em Planejamento

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília - IFB. Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação - PRPI Coordenação de Pesquisa - CDPQ

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília - IFB. Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação - PRPI Coordenação de Pesquisa - CDPQ CNPq Chamada CNPq N º 12/2013 Cooperação MCTI-CNPq/DBT (Índia) Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília - IFB Ag. Edital Inscrições Objetivo Áreas de interesse 22/04/2013 a Apoiar

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO - CAMPUS SÃO LUIS - MONTE CASTELO PRÓ-REITORIA DE ENSINO Matrizes Curriculares

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO - CAMPUS SÃO LUIS - MONTE CASTELO PRÓ-REITORIA DE ENSINO Matrizes Curriculares Matriz 842 - Engenharia Mecânica Industrial (2002/1) Curso EM - Engenharia Mecânica Industrial Nível Periodicidade Regime Situação Superior Período Não-seriado Matriz em Vigor Per. Letivo Inicial 2002/1

Leia mais

1.1 Objetivo. 1.2 Considerações Iniciais

1.1 Objetivo. 1.2 Considerações Iniciais 1 Introdução 1.1 Objetivo O objetivo deste trabalho é avaliar o desempenho de um reparo em dutos, que utiliza multicamadas metálicas coladas; estudando seu comportamento e propondo modelos numéricos e

Leia mais

Aplicação do princípio de Redes de Bragg em sensores baseados em cabo coaxial

Aplicação do princípio de Redes de Bragg em sensores baseados em cabo coaxial Aplicação do princípio de Redes de Bragg em sensores baseados em cabo coaxial Mariana Brisky Costa (UTFPR) E-mail: marianabrisky@gmail.com José Jair Alves Mendes Junior (UTFPR) E-mail: mendes.junior13@yahoo.com.br

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária

FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária Ano Base: 2013 Título do Projeto: Programa de Atividades Optativas Tipo

Leia mais

Suplemento à proposta COM (2010)459 de um REGULAMENTO (UE) N.º /2010 DO CONSELHO

Suplemento à proposta COM (2010)459 de um REGULAMENTO (UE) N.º /2010 DO CONSELHO PT PT PT COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 21.9.2010 COM(2010) 515 final 2010/0240 (NLE) Suplemento à proposta COM (2010)459 de um REGULAMENTO (UE) N.º /2010 DO CONSELHO que impõe medidas restritivas contra

Leia mais

Programa NAGI P&G 2013-2014. Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação da Cadeia de Petróleo e Gás do Estado de São Paulo. Edital Pro-Inova FINEP/2010

Programa NAGI P&G 2013-2014. Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação da Cadeia de Petróleo e Gás do Estado de São Paulo. Edital Pro-Inova FINEP/2010 Programa NAGI P&G Núcleo de Apoio à Gestão da Inovação da Cadeia de Petróleo e Gás do Estado de São Paulo 2013-2014 Edital Pro-Inova FINEP/2010 O programa dura cerca de 9 meses, somando 116h entre capacitações

Leia mais

DE OFERTA DE DISCIPLINAS EM TURMA ESPECIAL - - 2016 JANEIRO A JUNHO ANEXO: DISCIPLINAS EM OFERTA PARA CURSOS DE GRADUAÇÃO

DE OFERTA DE DISCIPLINAS EM TURMA ESPECIAL - - 2016 JANEIRO A JUNHO ANEXO: DISCIPLINAS EM OFERTA PARA CURSOS DE GRADUAÇÃO UNP - Universidade Potiguar EDITAL DE OFERTA DE DISCIPLINAS EM TURMA ESPECIAL - 2016 JANEIRO A JUNHO ANEXO: DISCIPLINAS EM OFERTA PARA CURSOS DE GRADUAÇÃO e PARA CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO Curso Disciplina

Leia mais

CALENDÁRIO GERAL 2016 VERSÃO 1.0 PROGRAMA PÓS-FLEX 2016 CÂMPUS ECOVILLE

CALENDÁRIO GERAL 2016 VERSÃO 1.0 PROGRAMA PÓS-FLEX 2016 CÂMPUS ECOVILLE CALENDÁRIO GERAL 2016 VERSÃO 1.0 GRAMA PÓS-FLEX 2016 CÂMPUS ECOVILLE ÁREA DE NEGÓCIOS E ENGENHARIA Recesso: 18 a 31 de julho de 2016 29 de junho a 20 de julho de 2016 Legenda: Programa Pós-Flex Gestão

Leia mais

MEDIÇÃO VIRTUAL DE PRESSÃO POR MEIO DE REDES NEURAIS ATRAVÉS DO PI ACE

MEDIÇÃO VIRTUAL DE PRESSÃO POR MEIO DE REDES NEURAIS ATRAVÉS DO PI ACE Seminário Regional OSIsoft do Brasil 2010 São Paulo, Brasil MEDIÇÃO VIRTUAL DE PRESSÃO POR MEIO DE REDES NEURAIS ATRAVÉS DO PI ACE 28 de Outubro de 2010 André Paulo Ferreira Machado PETROBRAS Empowering

Leia mais

MODELO. Plano de Trabalho. Estudo de Propulsores Iônicos e suas Aplicações para Propulsão de Satélites

MODELO. Plano de Trabalho. Estudo de Propulsores Iônicos e suas Aplicações para Propulsão de Satélites MODELO Plano de Trabalho Estudo de Propulsores Iônicos e suas Aplicações para Propulsão de Satélites Cooperação técnico-científica entre o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais INPE - Brasil e a Universidade

Leia mais

Regulamento Técnico do Sistema de Gerenciamento de Segurança Operacional de Sistemas Submarinos. Proposição PETROBRAS

Regulamento Técnico do Sistema de Gerenciamento de Segurança Operacional de Sistemas Submarinos. Proposição PETROBRAS Regulamento Técnico do Sistema de Gerenciamento de Segurança Operacional de Sistemas Submarinos Proposição PETROBRAS PRINCIPAIS CONTRIBUIÇÕES 1. INTERFACE COM OUTROS REGULAMENTOS 2. ABRANGÊNCIA DO REGULAMENTO

Leia mais

Curso: Engenharia de Produção Mecânica. Escola de Engenharia de São Carlos

Curso: Engenharia de Produção Mecânica. Escola de Engenharia de São Carlos Curso: Engenharia de Mecânica Escola de Engenharia de São Carlos Informações Básicas do Currículo Duração Ideal - 10 semestres Mínima - 8 semestres Máxima - 18 semestres Carga Horária Aula Trabalho Subtotal

Leia mais

Público alvo: Profissionais envolvidos com as tarefas de integridade estrutural e extensão de vida útil de equipamentos.

Público alvo: Profissionais envolvidos com as tarefas de integridade estrutural e extensão de vida útil de equipamentos. ISO 9001 : 2008 Integridade Estrutural de Equipamentos De 28/11/2011 a 02/12/2011 Local: Hotel a definir RJ Carga Horária: 40 horas Horário: 8h30min às 17h30min Objetivo: Apresentar critérios de avaliação

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Matriz Curricular vigente a partir de 2012/1 Fase Cód. Disciplina Prérequisitos Carga Horária

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2014/1 Fase

Leia mais

Catálogo de Requisitos

Catálogo de Requisitos Catálogo de Requisitos 1. Artes (Base Nacional Comum) (Ensino Médio) Artes (LP) - qualquer linguagem Artes Cênicas (LP) Artes Plásticas (LP) Artes Plásticas e Desenho (LP) Artes Visuais (LP) Dança (LP)

Leia mais

Manutenção da Ponte Tocantins Estrada de Ferro Carajás / Km 724 + 806 - Marabá / PA

Manutenção da Ponte Tocantins Estrada de Ferro Carajás / Km 724 + 806 - Marabá / PA Manutenção da Ponte Tocantins Estrada de Ferro Carajás / Km 724 + 806 - Marabá / PA Introdução A Vale é a empresa que mais investe em logística no Brasil. Ao longo dos anos, temos trabalhado para aprimorar

Leia mais

Relatório de vagas disponíveis - Bolsa Emprego

Relatório de vagas disponíveis - Bolsa Emprego MODALIDADE : AGRONOMIA RLDA / REGIONAL LONDRINA BORSATO GOMES E CIA LTDA TEC. EM AGROPECUÁRIA CONTROLADOR DE PRAGAS URBANAS E REPRESENTANTE DE VENDAS Email : ecodet-ambiental@hotmail.com Telefone : (43)

Leia mais

LABORATÓRIOS MÓVEIS E EM CONTAINERS

LABORATÓRIOS MÓVEIS E EM CONTAINERS LABORATÓRIOS MÓVEIS E EM CONTAINERS Oferece uma solução quando se deseja: Flexibilidade na modulação; Rapidez na liberação de uso; Pode ser fornecido testado e certificado na fábrica; Pode ser deslocado

Leia mais

FUNDAMENTOS DA ATUAÇÃO DO CBA

FUNDAMENTOS DA ATUAÇÃO DO CBA O QUE É O CBA O CBA é um Centro Tecnológico, voltado para a promoção da inovação tecnológica a partir de processos e produtos da biodiversidade amazônica, por meio de: Ação integrada com universidades

Leia mais

EDITAL. 1º As inscrições deverão ser realizadas na Central de Atendimento, dentro do prazo informado no caput.

EDITAL. 1º As inscrições deverão ser realizadas na Central de Atendimento, dentro do prazo informado no caput. EDITAL SG N.º 03/2012 DISPÕE SOBRE O PROCESSO DE INSCRIÇÃO PARA A AVALIAÇÃO DE SUFICIÊNCIA E O EXAME DE PROFICIÊNCIA DA FAE CENTRO UNIVERSITÁRIO. O Secretário-Geral da FAE Centro Universitário, no uso

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional 024/2014 PROGRAD

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional 024/2014 PROGRAD Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional Edital 024/2014 PROGRAD Apoio à execução de Trabalhos de Conclusão de Cursos TCC O Pró-Reitor

Leia mais

REGIMENTO DO CURSO DE MESTRADO DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA (PPGEM) CAPÍTULO I DO PROGRAMA E SEUS OBJETIVOS

REGIMENTO DO CURSO DE MESTRADO DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA (PPGEM) CAPÍTULO I DO PROGRAMA E SEUS OBJETIVOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO CENTRO TECNOLÓGICO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA Recomendado pela CAPES em 31/08/2012 Reconhecido pelo

Leia mais

Fenômenos de Transporte

Fenômenos de Transporte Objetivos Fenômenos de Transporte I - Conceitos Fundamentais Identificar o campo de atuação da disciplina. Conceituar as variáveis básicas trabalhadas em Fenômenos de Transporte. Explanar sobre os conceitos

Leia mais

Sistemas Subterrâneos de Distribuição Aspectos Regulatórios

Sistemas Subterrâneos de Distribuição Aspectos Regulatórios Sistemas Subterrâneos de Distribuição Aspectos Regulatórios Palestra 5: Experiência da Cemig, análise econômica e fontes de financiamento Anderson Neves Cortez CEMIG Distribuição SA Brasília, 26 de Setembro

Leia mais

Planejamento Estratégico da Coordenação do Curso de Graduação em Psicologia

Planejamento Estratégico da Coordenação do Curso de Graduação em Psicologia Planejamento Estratégico da Coordenação do Curso de Graduação em Psicologia Apresentação: O curso de Psicologia da UFPR foi criado em 1976. Até hoje se apresenta como o único curso público e gratuito de

Leia mais

EXCELÊNCIA NOS DETALHES.

EXCELÊNCIA NOS DETALHES. EXCELÊNCIA NOS DETALHES. A SEA Engenharia é uma empresa com foco na prestação de serviços de execução, consultoria em instalações elétricas, mecânica e automação industrial. Nosso objetivo principal é

Leia mais