Ricardo Campos [ h t t p : / / w w w. c c c. i p t. p t / ~ r i c a r d o ] Internet. Internet

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ricardo Campos [ h t t p : / / w w w. c c c. i p t. p t / ~ r i c a r d o ] Internet. Internet"

Transcrição

1

2 Autoria Esta apresentação foi desenvolvida por Ricardo Campos, docente do Instituto Politécnico de Tomar. Encontra-se disponível na página web do autor no link Publications ao abrigo da seguinte licença: Mais detalhes em: O seu uso, de parte ou da totalidade, pressupõe a utilização da seguinte referência: Campos, Ricardo. (2011). Apresentação de. 50 slides. A sua disponibilização em formato PPT pode ser feita mediante solicitação (

3 Bibliografia Recursos Bibliográficos LEMOS.Manuel (1998). Estar na. Lisboa: McGraw-Hill de Portugal. On-line Estatísticas sobre o uso da Informação sobre a utilização de browsers Evolução da Ricardo Campos [ h t t p : / / w w w. c c c. i p t. p t / ~ r i c a r d o ]

4 Conceito de A internet (abreviatura de work) designada também por Net, é a rede de todas as redes, interligando as de área local (LAN Local Area Network) com as de área alargada (WAN Wide Area Network).

5 Conceito de A quem pertence? A todos, qualquer um pode fazer parte da disponibilizando recursos, nomeadamente informação; A ninguém, a não pertence a nenhuma organização, existindo grupos de voluntários e organizações que contribuem para a normalização das tecnologias.

6 Conceito de Para que serve? Para ser usada como meio de comunicação entre pessoas de todo o mundo; Possibilidade de desenvolver um grande número de actividades: ensino, medicina, compras e trabalho à distância, consulta de jornais, comunicar com os amigos, procurar informação, etc.. Vantagem A sua grande vantagem, é a velocidade superior com que se pode obter informação, quando comparada com outros meios de comunicação tradicionais. Mas a tem outras vantagens: Interactividade, Actualidade, Produtividade, Globalidade, etc

7 Evolução da 1957: A URSS lança o Sputnik e os EUA criam a DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency). 1962: Em Agosto, J. C. R. Licklider do MIT escreve um conjunto de memorandos onde discute o conceito da Galatic Network. Neste conceito Licklider apresenta uma visão de um conjunto de computadores interligados entre si, através dos quais, qualquer pessoa poderia aceder a informação e a programas, independentemente do local onde estivesse. 1965: Lawrence Roberts e Thomas Merril ligam dois computadores, um TX-2 em Massassuchets a um Q-32 na Califórnia, através de uma linha telefónica de baixa velocidade, criando a primeira rede de área alargada (WAN).

8 Evolução da 1967: É publicado o plano para a ARPANET, a rede de computadores da DARPA 1969: A ARPANET tem 4 computadores 1971: A ARPANET tem 13 computadores 1972: A ARPANET tem 35 computadores São inventados o FTP e o Telnet Primeira mensagem electrónica, , enviada via ARPANET por Ray Tomlinson. 1973: A ARPANET tem 63 computadores 1977: Surgem os protocolos TCP (Transmission Control Protocol) e IP ( Protocol) na ARPANET

9 Evolução da 1980: Início da arquitectura OSI (Open Systems Interconnection) da ISO (International Standards Organization). A Arpanet atinge os 213 computadores 1983: A ARPANET é separada em 2 redes: a MILNET e a DARPA 1984: P. Mockapetris inventa o DNS Surge a TELEPAC em Portugal 1986: A DARPA atinge os 5089 computadores 1988: A Arpanet deixa de existir. Passa a denominar-se e atinge, em Outubro, os computadores.

10 Evolução da 1989: A atinge os computadores. É criado por Tim Berners-Lee, um projecto, no CERN, para o desenvolvimento de hipertexto (HTML) 1990: A atinge os computadores 1992: É criada a FCCN em Portugal responsável pela RCCN (inicialmente significava Rede de Cálculo Científico Nacional; actualmente significa Rede da Comunidade Científica Nacional). Portugal liga-se à através do EBONE (Rede de backbone à escala Europeia). 1993: A atinge os computadores. É lançada a World Wide Web (WWW) com acesso através da aplicação Mosaic O do Presidente Clinton é publicado

11 Evolução da 1994: A atinge 13.5 milhões de utilizadores e chega a 70 países em todos os continentes. 1995: A chega a de computadores, em Janeiro, e a 16.5 milhões de utilizadores. Começa a ser implementado o acesso à net por dial-up. Em Maio o Vaticano entra on-line. 1999: O número de computadores ligados à atinge os 44 milhões. 2001: Em Agosto, havia milhões de utilizadores on-line.

12 Estatísticas Utilizadores da Regiões Geográficas

13 Estatísticas Utilizadores da Regiões Geográficas %

14 Estatísticas TOP 20 País

15 Estatísticas TOP 20 % Utilizadores

16 Estatísticas Utilização de Browsers

17 Estatísticas Sistemas Operativos Utilizados no Acesso à

18 Estatísticas Servidores Web

19 O acesso à Computador; Subscrição de uma conta num ISP ( Service Provider) Modem

20 O acesso à - Modem A palavra "modem" vem da união das palavras modulador / demodulador. Um modem é utilizado para converter / desconverter sinais digitais transmitidos por um meio analógico (como as linhas telefónicas). A sua origem encontra-se nos anos 60 como uma maneira de permitir que os terminais se pudessem conectar a computadores utilizando as linhas telefónicas.

21 O acesso à Fixo: Dial-Up RDIS Cabo ADSL PLC Fibra Óptica Móvel: GPRS UMTS HSDPA

22 O acesso à Dial-Up (linha telefónica) Funciona em cima de uma linha telefónica convencional, utilizando a banda destinada à voz, impedindo desta forma a realização de chamadas telefónicas. No que diz respeito às velocidades de transmissão, estas não começaram logo com as que conhecemos hoje, muito longe disso. 300 bps - anos 60 até o ano de bps - ganhou popularidade nos anos de 84 e bps 9600 bps - apareceu no final de 1990 e início de ,2 Kbps 28,8 Kbps 33,6 Kbps 56 Kbps - tornou-se padrão em 1998 sendo substituída pela ADSL que ganhou popularidade em 1999.

23 O acesso à Dial-Up (linha telefónica) A taxa de transferência de 56 Kbps só é atingida no entanto no sentido fornecedor-utilizador ("download") No sentido utilizador-fornecedor ("upload", ou seja, para enviar ficheiros e ) o modem trabalha somente a 33,6 Kbps MODEM INTERNO Preços a partir de 7 O tarifário de acesso à através de uma ligação Dial Up (com acesso por uma linha telefónica), é taxado da mesma forma que uma chamada de voz e debitada juntamente com estas na factura telefónica

24 O acesso à Dial-Up (linha telefónica) Neste momento em Portugal este tipo de ligação, praticamente não é utilizado, face à evolução dos conteúdos que hoje são disponibilizados online e devido à consequente evolução das ligações com a ADSL. Apenas se encontram ligações deste tipo em zonas remotas que não estejam ainda cobertas pela rede ADSL, ou ainda na utilização de sistemas de comunicação que não necessitem de elevadas velocidades de comunicação. Mesmo neste último caso e como vimos, o preço pode já não compensar em relação aos praticados com as ligações de Banda Larga.

25 O acesso à Dial-Up (linha telefónica) Vantagens Apenas quando não existe outro tipo de ligação disponível Desvantagens Baixa Velocidade Custos de ligação podem ser mais elevados face a outras melhores opções disponíveis Sistema obsoleto face à evolução das ligações de

26 O acesso à RDIS A RDIS surgiu como alternativa ao acesso via ligação telefónica tradicional (analógica). Actualmente este serviço é praticamente inexistente como se pode observar nas paginas da dos servidores destes serviços, os quais já nem fazem referência a este tipo de ligações. Para ligar o computador a uma linha RDIS utiliza-se uma placa apropriada ou um modem RDIS''. Velocidades de 128Kbps (duas linhas de 64Kbps)

27 O acesso à RDIS Vantagens Mais rápido do que o Dial-Up Linha telefónica desimpedida quando se está ligado à As linhas digitais RDIS não têm virtualmente erros de transmissão ao contrário das linhas analógicas onde o ruído da linha, degrada as taxas de transmissão Desvantagens A ligação RDIS quase não existe, muito por culpa da chegada da ADSL que oferece mais vantagens a menos custos.

28 O acesso à Cabo Ao contrário das linhas telefónicas, que foram concebidos apenas para transportar sinal de voz, as redes de cabo, foram desenhadas para fornecer imagens e vídeo. As ligações por cabo utilizam as mesmas ligações que a distribuição de televisão por cabo (chamadas de CATV - Community Antenna Television). - e, tal como este tipo de emissão de TV, a linha é partilhada com os restantes utilizadores residentes na mesma área residencial, ou seja, todos os subscritores partilham a mesma conexão à no mesmo troço de cabo

29 O acesso à Cabo Os dados referentes à são codificados numa determinada banda de frequências, e da banda disponível os clientes vão alocando slots ou seja, intervalos de transmissão. Daqui deriva o facto de o cabo ser considerado uma tecnologia partilhada. À partida este tipo de ligação oferece maior velocidade de download, no entanto, tratando-se de uma tecnologia partilhada, a largura de banda diminui proporcionalmente à quantidade de utilizadores on-line ao mesmo tempo. As velocidades de Upload são neste caso também superiores, mas com a mesma desvantagem da largura de banda poder diminuir no caso de muitos utilizadores ligados ao mesmo tempo.

30 O acesso à Cabo Para este tipo de acesso à utiliza-se um cabo coaxial e um modem O cabo deve ser ligado ao modem. Onde também é conectado o cabo coaxial da televisão, que servirá para aceder à.

31 O acesso à Cabo Vantagens Não necessita a instalação de uma linha telefónica Possibilita altíssimas velocidades de download nos horários não-convencionais (como no meio da madrugada). Não influencia da distância que separa o terminal da central de distribuição. Desvantagens A velocidade da conexão pode sofrer reduções drásticas em horários de pico, em virtude da partilha de ligação entre todos os utilizadores de um mesmo troço de cabo. A partilha da largura de banda começa logo à saída da casa do utilizador. Desta forma, o número de clientes na mesma zona e o nível de utilização da interfere com a qualidade do serviço. É necessário que a área geográfica seja coberta por um operador de por cabo e que essa rede suporte a bidireccionalidade dos dados

32 O acesso à - ADSL A tecnologia ADSL (Asymmetric Digital Subscriber Line) nasceu em 1989 nos laboratórios da Telcordia Technologies, Inc., Morristown, N.J. posteriormente conhecida como Bellcore. Veio ocupar as necessidades do cliente doméstico e das pequenas empresas. Este tipo de utilizadores utiliza mais a para download de informação do que para upload. Os custos de uma ligação ADSL são, também, significativamente mais baixos do que as ligações de maior débito normalmente utilizadas por grandes empresas. É uma tecnologia que permite a transferência digital de dados a alta velocidade através de um modem que utiliza o par de cobre das linhas telefónicas comuns. A sua denominação de Assimétrica vem do facto de o ritmo de transferência de dados ser diferente para a recepção (downstream ) e emissão ( upstream ).

33 O acesso à - ADSL A linha telefónica é dividida em três canais virtuais de comunicação (sem interferências mútuas): um canal destinado ao serviço de voz um canal de envio de dados (upload) um canal para a recepção de dados (download). Deste modo, foi possível, sem grande investimento adicional e, utilizando as infraestruturas físicas já existentes, disponibilizar ao assinante um acesso de dados de débito muito mais elevado que o comum dial-up e com a mais valia de a linha de voz estar sempre desimpedida para chamadas. A velocidade de transmissão de ADSL é relativa uma vez que depende do serviço contratado. Testar a velocidade de acesso à :

34 O acesso à - ADSL Para a implementação do serviço ADSL é necessária a presença de equipamento na central telefónica local e no terminal do cliente. Na central telefónica local, o dispositivo que efectua a comunicação com o terminal do cliente é denominado por ATU-C (Terminal Unit-Central), enquanto que no terminal do cliente a comunicação é feita através do modem/router ADSL, denominado tecnicamente por ATU-R (Terminal Unit-Remote). Ricardo Campos [ h t t p : / / w w w. c c c. i p t. p t / ~ r i c a r d o ]

35 O acesso à - ADSL A cada cliente de ADSL é atribuído, na central telefónica local, um ATU-C que efectua a comunicação com o seu modem ADSL. O DSLAM ( Digital Subscriber Line Access Multiplexer ), representado na figura abaixo, é o dispositivo que faz a multiplexagem dos vários ATU-C, limitando o débito de cada um (consoante o tipo de acesso contratado), para a rede de dados Ricardo Campos [ h t t p : / / w w w. c c c. i p t. p t / ~ r i c a r d o ]

36 O acesso à - ADSL Vantagens A linha entre o terminal e a central não é partilhada o que garante uma largura de banda estável, não dependente do número de utilizadores da zona. Desvantagens A velocidade de acesso através do ADSL, será tanto maior quanto maior for a distância entre o terminal e a central, constituindo a sua principal limitação. Necessita a existência prévia de cabo telefónico; Péssimo para empresas e para servidores, devido à velocidade limitada de upload; Pelo facto de utilizar a linha telefónica é passível de quebras devido a ruído na linha e à sua qualidade Velocidade afectada pela distância do ponto de distribuição do operador de ADSL. Quanto maior a distância, menor será a velocidade disponível. Velocidades anunciadas de 8MB, por vezes não ultrapassam os 2MB, por esta razão.

37 O acesso à PLC (Powerline) A abreviatura PLC utilizada para COMUNICAÇÃO ATRAVÉS DA REDE ELÉCTRICA, corresponde por outras palavras, a um meio de transmissão de informação digital (na forma de voz, dados e imagem) através da rede eléctrica A Banda Larga PLC foi desenvolvida na década de 90 no evoluir da tecnologia da banda estreita, já utilizada anteriormente. O processo de desenvolvimento das soluções de interior acelerou a partir do ano de 2000 com a criação da "HomePlugTM Powerline Alliance" nos E.U.A.

38 O acesso à PLC (Powerline) Velocidade de transmissão de dados até 14Mbps. O acesso à rede eléctrica é feito através das tomadas eléctricas. Assim, os produtos PLC tornam possível a interface entre os diferentes equipamentos usando as tomadas domésticas, permitindo ao utilizador criar uma rede entre vários equipamentos e o acesso à de banda larga Cada tomada eléctrica torna-se um ponto de acesso à rede PLC A multiplicidade das tomadas eléctricas permite andar por toda a casa ou prédio e conseguir sempre os sinais PLC em qualquer parte

39 O acesso à PLC (Powerline) Vantagens A grande vantagem desta tecnologia é a utilização da instalação eléctrica existente para fins de comunicação. Fácil Instalação (adequada a sua aplicação em apartamentos e prédios) e de baixo custo Não necessita de instalação de rede de cabos extra para ficar operacional, nem de equipamento de rede O acesso à banda larga da pode ser partilhado por vários utilizadores ao mesmo tempo Desvantagens Uma instalação eléctrica mais antiga pode afectar o desempenho e a transmissão de dados

40 O acesso à Fibra Óptica A fibra óptica é um pedaço de vidro com capacidade para transmitir luz. foi inventada por um físico indiano Mesmo confinada a um meio físico, a luz transmitida pela fibra óptica proporciona o alcance de taxas de transmissão (velocidades) elevadíssimas Os cabos fibra óptica são utilizados para ligações transoceânicas Em 1988 foi instalado o primeiro cabo de fibra óptica intercontinental Alguns cabos que atravessam o oceano Atlântico têm capacidade para 200 milhões de circuitos telefónicos.

41 O acesso à Fibra Óptica Vantagens Capacidade para transportar grandes quantidades de informação. Imunidade às interferências electromagnéticas Matéria-prima muito abundante Desvantagens Custo elevado

42 O acesso à - GPRS O GPRS (General Packet Radio Service) é uma rede 2.5G projectada para tornar o acesso à totalmente disponível nos equipamentos móveis As infra-estruturas pelas quais podemos utilizar o GPRS são as redes móveis já existentes, utilizando o mesmo canal para a transmissão de voz e dados Esta tecnologia está orientada para o envio/recepção de Pacotes. A comutação de pacotes é semelhante a um puzzle dividido em pequenas peças pelo fabricante e colocada num saco plástico.

43 O acesso à - GPRS Durante o transporte do puzzle entre a fábrica e o comprador, as peças são misturadas. Quando o comprador do jogo retira as peças da embalagem, monta-as, formando a imagem original. Todas as peças são relacionadas entre si e se encaixam, mas a forma como são transportadas e remontadas varia. A é um outro exemplo de rede de dados baseada em comutação de pacotes, o mais famoso de muitos tipos de rede. A taxação é feita por volume de tráfego, podendo a ligação estar sempre estabelecida sem acréscimo de preço Em situações ideais a velocidade de acesso à através de GRPS chega aos 171,2kbps. Em média no entanto, essa taxa anda à volta dos 53 kbps (similar ao dialup). Ricardo Campos [ h t t p : / / w w w. c c c. i p t. p t / ~ r i c a r d o ]

44 O acesso à - GPRS Vantagens Disponibilidade do serviço: os utilizadores podem aceder à em praticamente todo o lado (ampla cobertura) O utilizador apenas paga pela quantidade de dados transferidos e não pelo tempo que está ligado. Desvantagens A velocidade pode variar de acordo com o tipo de rede, número de utilizadores a usar o serviço na zona (cobertura); Baixa velocidade de transferência;

45 O acesso à - UMTS O UMTS (Universal Mobile Telecommunication System) é uma das principais tecnologias 3G no mundo, promovendo uma grande variedade de serviços, especialmente relacionados com a multimédia de alta taxa de transmissão. Resulta da necessidade de disponibilizar uma nova geração de telemóveis devido ao aumento cada vez maior do número de utilizadores deste meio de comunicação; O sistema permite o acesso à internet a uma velocidade mais rápida que o protocolo GPRS, podendo aceder-se a qualquer tipo de informação em qualquer lugar. É baseado em pacotes: os utilizadores pagam apenas pelos dados que enviam e recebem em vez de pagarem o tempo de conexão Ricardo Campos [ h t t p : / / w w w. c c c. i p t. p t / ~ r i c a r d o ]

46 O acesso à - UMTS O UMTS é compatível com o protocolo GPRS permitindo ao utilizador sair de uma área de cobertura UMTS e ser automaticamente transferido para uma rede GPRS, dependendo entre outros, de factores como disponibilidade de rede. Para além das funções básicas a que estamos habituados no nosso telemóvel, como simplesmente telefonar a alguém ou enviar/receber mensagens, o UMTS permite acrescentar uma nova série de características: Vídeo-conferência; Ver vídeo-online; Ler jornais;

47 O acesso à - UMTS O Serviço de Tecnologia UMTS permite atingir uma velocidade de banda Larga máxima de até 2Mbps (no plano teórico e em condições ideais) A tecnologia digital utilizada pelo UMTS é designada WCMDA (Wide Code Multiple Division Acess), os dados são divididos em pacotes antes da transmissão, os quais são depois reunidos pelo terminal antes de apresentar a informação no ecrã;

48 O acesso à - UMTS Vantagens Portabilidade Aumento da rapidez de acesso à quando comparado com o GPRS Desvantagens Disponibilidade não é completa Energia

49 O acesso à - HSDPA O HSDPA (High-Speed Downlink Packet Access) é uma tecnologia da 3.5G para transmissão de dados que permite multiplicar varias vezes a largura de banda da terceira geração de telemóveis (UMTS ou 3G) Pode-se mesmo dizer que o HSDPA está para os sistemas sem fios como o ADSL está para as redes de cabo No plano teórico pode atingir velocidades de download de até 14 Mbps Ricardo Campos [ h t t p : / / w w w. c c c. i p t. p t / ~ r i c a r d o ]

50 O acesso à - HSDPA Vantagens Rapidez e capacidade de transmissão de dados quando comparado com as tecnologias anteriores. Tendência para a universalização por via da utilização cada vez mais massificada de PDA s, Ipad s, etc. Desvantagens Limitação ao nível da disponibilidade de rede

Ligação à Internet. Conceitos de Sistemas Informáticos. Grupo de Comunicações por Computador Departamento de Informática Universidade do Minho

Ligação à Internet. Conceitos de Sistemas Informáticos. Grupo de Comunicações por Computador Departamento de Informática Universidade do Minho Grupo de Comunicações por Computador Departamento de Informática Universidade do Minho Maio de 2004 Sumário 1 2 TV Cabo Bragatel Sapo Clix OniNet Telepac Tipos de ligações actualmente disponibilizadas

Leia mais

6.3 Tecnologias de Acesso

6.3 Tecnologias de Acesso Capítulo 6.3 6.3 Tecnologias de Acesso 1 Acesso a redes alargadas Acesso por modem da banda de voz (através da Rede Fixa de Telecomunicações) Acesso RDIS (Rede Digital com Integração de Serviços) Acesso

Leia mais

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET Objectivos História da Internet Definição de Internet Definição dos protocolos de comunicação Entender o que é o ISP (Internet Service Providers) Enumerar os equipamentos

Leia mais

Introdução à Internet

Introdução à Internet Tecnologias de Informação e Comunicação Introdução Internet? Introdução 11-03-2007 TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO 2 Internet Introdução É uma rede global de computadores interligados que comunicam

Leia mais

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing Docente (Teóricas): E-mail: vmnf@yahoo.com Web: http://www.vmnf.net/ipam Aula 10 Sumário A Internet: História, Serviços e Tipos de Ligação

Leia mais

DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALGARVE Escola Básica Doutor João Lúcio

DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALGARVE Escola Básica Doutor João Lúcio DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALGARVE Escola Básica Doutor João Lúcio Introdução à Internet Nos dias de hoje a Internet encontra-se massificada, e disponível nos quatro cantos do mundo devido às suas

Leia mais

Glossário de Internet

Glossário de Internet Acesso por cabo Tipo de acesso à Internet que apresenta uma largura de banda muito superior à da linha analógica. A ligação é feita com recurso a um modem (de cabo), que se liga à ficha de sinal de TV

Leia mais

Internet. A Grande Rede Mundial. Givanaldo Rocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha

Internet. A Grande Rede Mundial. Givanaldo Rocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha Internet A Grande Rede Mundial Givanaldo Rocha givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha O que é a Internet? InterNet International Network A Internet é uma rede mundial de

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

Tecnologias de Banda Larga

Tecnologias de Banda Larga Banda Larga Banda larga é uma comunicação de dados em alta velocidade. Possui diversas tecnologia associadas a ela. Entre essas tecnologias as mais conhecidas são a ADSL, ISDN, e o Cable Modem. Essas tecnologias

Leia mais

T ecnologias de I informação de C omunicação

T ecnologias de I informação de C omunicação T ecnologias de I informação de C omunicação 9º ANO Prof. Sandrina Correia TIC Prof. Sandrina Correia 1 Objectivos Aferir sobre a finalidade da Internet Identificar os componentes necessários para aceder

Leia mais

Redes de computadores e Internet

Redes de computadores e Internet Polo de Viseu Redes de computadores e Internet Aspectos genéricos sobre redes de computadores Redes de computadores O que são redes de computadores? Uma rede de computadores é um sistema de comunicação

Leia mais

Sociedade Tecnologia e Ciência

Sociedade Tecnologia e Ciência Centro de Formação Profissional de Alcoitão TAG 11 Formanda: Rute Luísa M. Maldonado Nº16 Sociedade Tecnologia e Ciência Formadora: Ana Freitas 1 / Maio / 2011 A Internet A influência da Internet na sociedade

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD 1 de 9 Desde o nascimento do telemóvel e o seu primeiro modelo vários se seguiram e as transformações tecnológicas que estes sofreram ditaram o nascimento de várias gerações. O Motorola DynaTac 8000X é

Leia mais

Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos -

Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos - - Principais elementos - Equipamento terminal: o telefone na rede convencional Equipamento de transmissão: meio de transmissão, e.g. cabos de pares simétricos, cabo coaxial, fibra óptica, feixes hertzianos,

Leia mais

Internet. Professor: Francisco Silva

Internet. Professor: Francisco Silva Internet e Serviços Internet A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados entre si através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação privadas, satélites e outros serviços

Leia mais

É uma rede mundial de computadores ligados entre si. INTERNET

É uma rede mundial de computadores ligados entre si. INTERNET INTERNET O QUE É A INTERNET? O QUE É NECESSÁRIO PARA ACEDER À INTERNET? QUAL A DIFERENÇA ENTRE WEB E INTERNET? HISTÓRIA DA INTERNET SERVIÇOS BÁSICOS DA INTERNET 2 1 INTERCONNECTED NETWORK INTERNET A Internet

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES As telecomunicações referem -se à transmissão eletrônica de sinais para as comunicações, incluindo meios como telefone, rádio e televisão. As telecomunicações

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade I REDES DE COMPUTADORES E

Prof. Luís Rodolfo. Unidade I REDES DE COMPUTADORES E Prof. Luís Rodolfo Unidade I REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO C Redes de computadores e telecomunicação Objetivo: apresentar os conceitos iniciais e fundamentais com relação às redes de computadores

Leia mais

Hospitais 2004. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação DOCUMENTO METODOLÓGICO

Hospitais 2004. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação DOCUMENTO METODOLÓGICO Hospitais 2004 Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação DOCUMENTO METODOLÓGICO ÍNDICE 1. IDENTIFICAÇÃO E OBJECTIVOS DO PROJECTO... 3 2. RECOLHA E TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO...

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Redes Wireless / Wi-Fi / IEEE 802.11 Em uma rede wireless, os adaptadores de rede em cada computador convertem os dados digitais para sinais de rádio,

Leia mais

1 Introduc ao 1.1 Hist orico

1 Introduc ao 1.1 Hist orico 1 Introdução 1.1 Histórico Nos últimos 100 anos, o setor de telecomunicações vem passando por diversas transformações. Até os anos 80, cada novo serviço demandava a instalação de uma nova rede. Foi assim

Leia mais

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação

AULA 01 INTRODUÇÃO. Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação AULA 01 INTRODUÇÃO Eduardo Camargo de Siqueira REDES DE COMPUTADORES Engenharia de Computação CONCEITO Dois ou mais computadores conectados entre si permitindo troca de informações, compartilhamento de

Leia mais

CLC5 Formador: Vítor Dourado

CLC5 Formador: Vítor Dourado 1 A designação da Internet advém de Interconnected Network, ou seja, rede interligada. A Internet é uma gigantesca teia mundial de redes de computadores, em constante crescimento e evolução, oferecendo

Leia mais

Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins

Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura

Leia mais

Instituto Politécnico de Tomar Escola Superior de Gestão Área Interdepartamental de Tecnologias de Informação e Comunicação.

Instituto Politécnico de Tomar Escola Superior de Gestão Área Interdepartamental de Tecnologias de Informação e Comunicação. Instituto Politécnico de Tomar Escola Superior de Gestão Área Interdepartamental de Tecnologias de Informação e Comunicação Internet Conceito de Internet Para compreender melhor a estrutura da Internet,

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Gestão Aplicada a TIC AULA 06. Prof. Fábio Diniz

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Gestão Aplicada a TIC AULA 06. Prof. Fábio Diniz FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Gestão Aplicada a TIC AULA 06 Prof. Fábio Diniz Na aula anterior ERP Enterprise Resource Planning Objetivos e Benefícios ERP Histórico e Integração dos Sistemas

Leia mais

Guia de Estudo. Redes e Internet

Guia de Estudo. Redes e Internet Tecnologias da Informação e Comunicação Guia de Estudo Redes e Internet Aspectos Genéricos Uma rede de computadores é um sistema de comunicação de dados constituído através da interligação de computadores

Leia mais

TECNOLOGIAS xdsl para pares de cobre

TECNOLOGIAS xdsl para pares de cobre TECNOLOGIAS xdsl para pares de cobre ESTV 2002/03 Paulo Coelho Redes e Serviços em Banda Larga 1 Tecnologias para a rede de cobre Evolução da transmissão de dados sobre pares de cobre: Rede s/ elementos

Leia mais

Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora

Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora 1. Em que consiste uma rede de computadores? Refira se à vantagem da sua implementação. Uma rede de computadores é constituída por dois ou mais

Leia mais

Figura 1 - Arquitectura do GSM

Figura 1 - Arquitectura do GSM GSM O aparecimento das redes de comunicações no século passado veio revolucionar o nosso mundo. Com os primeiros telefones surgiu a necessidade de criar redes que os suportassem. Começaram a surgir as

Leia mais

Sistemas Multimédia. Instituto Superior Miguel Torga. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações

Sistemas Multimédia. Instituto Superior Miguel Torga. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações Sistemas Multimédia Instituto Superior Miguel Torga Redes e Comunicações Francisco Maia famaia@gmail.com Estrutura das Aulas 5 Aulas Aula 10 (20 de Abril) Classificação Componentes Aula 11 (27 de Abril)

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais

Internet. O que é a Internet?

Internet. O que é a Internet? O que é a Internet? É uma rede de redes de computadores, em escala mundial, que permite aos seus utilizadores partilharem e trocarem informação. A Internet surgiu em 1969 como uma rede de computadores

Leia mais

Newsletter. Condições especiais para STFP Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Centro. Janeiro 2011. Campanha Colaboradores

Newsletter. Condições especiais para STFP Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Centro. Janeiro 2011. Campanha Colaboradores Newsletter Janeiro 2011 Campanha Colaboradores Condições especiais para STFP Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Centro Principais Vantagens para Associados A Vodafone oferece condições especiais

Leia mais

Tecnologia da Informação Apostila 02

Tecnologia da Informação Apostila 02 Parte 6 - Telecomunicações e Redes 1. Visão Geral dos Sistemas de Comunicações Comunicação => é a transmissão de um sinal, por um caminho, de um remetente para um destinatário. A mensagem (dados e informação)

Leia mais

Índice. TIPO DE DOCUMENTO Nota Técnica. Designação VERSÃO 3.0. 30 de Julho de 2009. TÍTULO ADSL sobre ISDN - Interface Utilizador-Rede 1/10 3.

Índice. TIPO DE DOCUMENTO Nota Técnica. Designação VERSÃO 3.0. 30 de Julho de 2009. TÍTULO ADSL sobre ISDN - Interface Utilizador-Rede 1/10 3. 1/10 TIPO DE DOCUMENTO Nota Técnica Designação VERSÃO 30 de Julho de 2009 Índice 1 ÂMBITO... 3 2 MODELOS DE REFERÊNCIA... 4 3 INTERFACE UNI USER TO NETWORK... 5 2/10 3.1 PONTO DE TERMINAÇÃO DA REDE......

Leia mais

Telecomunicaçõ. Redes de Computadores

Telecomunicaçõ. Redes de Computadores Licenciatura em Engenharia e Gestão Industrial Telecomunicaçõ ções e Redes de Computadores Prof. João Pires (em substituição do Prof. Paulo Lobato Correia) IST, 2007/2008 Objectivos Rever alguns marcos

Leia mais

Introdução à Internet

Introdução à Internet Introdução à Internet Paulo Santos v. 2.0-2012 1 Índice 1 Introdução à Internet... 3 1.1 Conceitos base... 3 1.1.1 O que é a internet?... 3 1.1.2 O que é preciso para aceder à internet?... 3 1.1.3 Que

Leia mais

WWAN DE BANDA LARGA: VANTAGENS PARA O PROFISSIONAL MÓVEL

WWAN DE BANDA LARGA: VANTAGENS PARA O PROFISSIONAL MÓVEL ARTIGO WWAN DE BANDA LARGA WWAN DE BANDA LARGA: VANTAGENS PARA O PROFISSIONAL MÓVEL Cada vez mais, a conectividade imediata de alta-velocidade é essencial para o sucesso dos negócios bem como para a eficiência

Leia mais

Redes de Comunicações. Redes de Comunicações

Redes de Comunicações. Redes de Comunicações Capítulo 0 Introdução 1 Um pouco de história Século XVIII foi a época dos grandes sistemas mecânicos Revolução Industrial Século XIX foi a era das máquinas a vapor Século XX principais conquistas foram

Leia mais

Índice NETWORK ESSENTIALS

Índice NETWORK ESSENTIALS NETWORK ESSENTIALS Índice Estruturas Físicas... 3 Adaptador de Rede... 4 Tipos de par trançado... 5 Coaxial... 6 Tipos de cabos coaxial... 6 Fibra Óptica... 7 Tecnologias comunicação sem fios... 8 Topologias

Leia mais

Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos -

Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos - Equipamento terminal: Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos - o telefone na rede convencional Equipamento de transmissão: meio de transmissão: cabos de pares simétricos, cabo coaxial,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA PEDRULHA ESCOLA BÁSICA RAINHA SANTA ISABEL Curso de Educação e Formação (Despacho Conjunto Nº453/2004, de 27 de Julho)

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA PEDRULHA ESCOLA BÁSICA RAINHA SANTA ISABEL Curso de Educação e Formação (Despacho Conjunto Nº453/2004, de 27 de Julho) Nome: Nazmul Alam Nº: 11 Ficha de Trabalho 1. No texto que se segue são mencionados três tipos de rede. Indica quais são. Ao chegar a casa, o Miguel ligou o telemóvel ao PC. Transferiu por bluetooth as

Leia mais

// Questões para estudo

// Questões para estudo // Questões para estudo 2 // Ferramentas Básicas de Internet e Web 2.0 1. Sobre a internet, marque a opção correta: A) A internet poder ser definida como uma rede mundial, composta por mihões e milhões

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE V: Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem Fio. Tendências em Redes e Comunicações No passado, haviam dois tipos de redes: telefônicas e redes

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES 08/2013 Material de apoio Conceitos Básicos de Rede Cap.1 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura da bibliografia básica.

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Professor: Rodrigo Caetano Filgueira Tecnologias WAN TECNOLOGIAS WAN Quando uma empresa cresce e passa a ter instalações em várias localidades, é necessário interconectar as redes

Leia mais

*Conceitos básicos *Formas de conexão *Correio Eletrônico *WWW *Principais navegadores para Internet

*Conceitos básicos *Formas de conexão *Correio Eletrônico *WWW *Principais navegadores para Internet Conceitos básicos Formas de conexão Correio Eletrônico WWW Principais navegadores para Internet Para compreender a Internet faz-se necessário o conhecimento de conceitos simples e que muitas vezes causam

Leia mais

Adesão ao Serviço de Interruptibilidade Eléctrica

Adesão ao Serviço de Interruptibilidade Eléctrica DIRECÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO LIGAÇÃO À REDE TELECOMUNICAÇÕES DE SEGURANÇA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA Adesão ao Serviço de Interruptibilidade Eléctrica 2012-03-19 ÍNDICE 1. ÂMBITO... 3 2. ESTRUTURA DO

Leia mais

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing Docente (Teóricas): Eng.º Vitor M. N. Fernandes E-mail: vmnf@yahoo.com Web: http://www.vmnf.net/ipam Aula 13 Sumário Comunicação de Dados,

Leia mais

Principais Introduções Tecnológicas Vodafone Portugal

Principais Introduções Tecnológicas Vodafone Portugal Principais Introduções Tecnológicas Vodafone Portugal A Vodafone tem estado sempre na linha da frente da introdução de novas tecnologias e desenvolvimento de serviços de dados móveis. Foi pioneira em Portugal

Leia mais

09/05/2012. O Professor Plano de Disciplina (Competências, Conteúdo, Ferramentas Didáticas, Avaliação e Bibliografia) Frequência Nota Avaliativa Site:

09/05/2012. O Professor Plano de Disciplina (Competências, Conteúdo, Ferramentas Didáticas, Avaliação e Bibliografia) Frequência Nota Avaliativa Site: O Professor Plano de Disciplina (Competências, Conteúdo, Ferramentas Didáticas, Avaliação e Bibliografia) Frequência Nota Avaliativa Site: https://sites.google.com/site/professorcristianovieira Esta frase

Leia mais

Processadores de telecomunicações

Processadores de telecomunicações 1 Processadores de telecomunicações ƒ Modems (modulação/desmodulação) ƒ Converte sinais entre os formatos analógico e digital. ƒ Multiplexadores ƒ Permitem que um canal de comunicação transporte simultaneamente

Leia mais

Comunicações a longas distâncias

Comunicações a longas distâncias Comunicações a longas distâncias Ondas sonoras Ondas electromagnéticas - para se propagarem exigem a presença de um meio material; - propagam-se em sólidos, líquidos e gases embora com diferente velocidade;

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO Profª. Kelly Hannel Novas tecnologias de informação 2 HDTV WiMAX Wi-Fi GPS 3G VoIP Bluetooth 1 HDTV 3 High-definition television (também conhecido por sua abreviação HDTV):

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Placas de Rede Modems Hubs e switches Router Prof. Hugo Rosa PLACAS DE REDE As placas de rede são periféricos de entrada e saída e são utilizadas para interligar um computador a uma

Leia mais

INTRODUÇÃO ÀS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

INTRODUÇÃO ÀS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO INTRODUÇÃO ÀS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO INTRODUÇÃO À INTERNET A Internet é a maior rede de computadores do Mundo, abrangendo praticamente todos os países; Escrevemos Internet com um «I» maiúsculo

Leia mais

Universidade Federal do Acre. Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas

Universidade Federal do Acre. Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Universidade Federal do Acre Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Pós-graduação Lato Sensu em Desenvolvimento de Software e Infraestrutura

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com 1 PRIMÓRDIOS 1950 Auge da Guerra Fria, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos realiza

Leia mais

Comunicação sem fios (somente em alguns modelos) Manual do utilizador

Comunicação sem fios (somente em alguns modelos) Manual do utilizador Comunicação sem fios (somente em alguns modelos) Manual do utilizador Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registada da Microsoft Corporation nos E.U.A. Bluetooth

Leia mais

Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA

Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA Primeiro Técnico TIPOS DE CONEXÃO, BANDA ESTREITA E BANDA LARGA 1 Banda Estreita A conexão de banda estreita ou conhecida como linha discada disponibiliza ao usuário acesso a internet a baixas velocidades,

Leia mais

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes

André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Redes Noções de Redes: Estrutura básica; Tipos de transmissão; Meios de transmissão; Topologia de redes;

Leia mais

Introdução. Redes de computadores

Introdução. Redes de computadores Introdução Redes de computadores Usos das s de computadores Hardware das s de computadores Periferia da Tecnologias de comutação e multiplexagem Arquitectura em camadas Medidas de desempenho da s Introdução

Leia mais

Introdução ao Uso da Internet. Pedro Veiga

Introdução ao Uso da Internet. Pedro Veiga Introdução ao Uso da Internet Pedro Veiga Tópicos Breve História da Internet Estrutura da Internet Aplicações da Internet Infra-estrutura Internet da FCUL Como apareceu a Internet? A designação Internet

Leia mais

Módulo 1 Introdução às Redes

Módulo 1 Introdução às Redes CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 1 Introdução às Redes Ligação à Internet Ligação à Internet Uma ligação à Internet pode ser dividida em: ligação física; ligação lógica; aplicação. Ligação física

Leia mais

Instituto Federal de Santa Catarina. Redes de Computadores RES 12502

Instituto Federal de Santa Catarina. Redes de Computadores RES 12502 Instituto Federal de Santa Catarina Redes de Computadores RES 12502 2014 2 O material para essas apresentações foi retirado das apresentações disponibilizadas pela Editora Pearson para o livro Redes de

Leia mais

UNIDADE 3: Internet. Navegação na Web utilizando um browser. Utilização de uma aplicação para Correio Electrónico

UNIDADE 3: Internet. Navegação na Web utilizando um browser. Utilização de uma aplicação para Correio Electrónico Navegação na Web utilizando um browser Utilização de uma aplicação para Correio Electrónico A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados entre si através de linhas telefónicas

Leia mais

Centro Universitário Fundação Santo André. Disciplina Redes de Computadores. Módulo 05

Centro Universitário Fundação Santo André. Disciplina Redes de Computadores. Módulo 05 Centro Universitário Fundação Santo André Disciplina Redes de Computadores Módulo 05 2006 V1.0 Conteúdo Telecomunicação e Canais de Comunicação Multiplexação Tipos de Circuitos de Dados DTE e DCE Circuit

Leia mais

Redes de Computadores: Introdução

Redes de Computadores: Introdução s de Computadores: Introdução Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores s de Computadores Necessidades de comunicação 28-02-2010

Leia mais

Tecnologia ao seu dispor

Tecnologia ao seu dispor Tecnologia ao seu dispor EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE 1987 Janeiro Fundação como empresa de prestação de serviços na área da electrónica e Centro de Assistência Técnica para o Sul do País de um fabricante de

Leia mais

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Disciplina Redes de Banda Larga Prof. Andrey Halysson Lima Barbosa Aula 6 Redes xdsl Sumário Introdução; Taxas de transmissão DSL e qualidade

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES SERVICOS DE REDE LOCAL Na internet, cada computador conectado à rede tem um endereço IP. Todos os endereços IPv4 possuem 32 bits. Os endereços IP são atribuídos à interface

Leia mais

Sistemas Internos de Informação Redes e serviços de comunicação Sistema interno de informação da ESTV

Sistemas Internos de Informação Redes e serviços de comunicação Sistema interno de informação da ESTV Sistemas Internos de Informação Redes e serviços de comunicação Sistema interno de informação da ESTV Redes e Serviços de Comunicação Conceito de rede telemática Classes de redes de comunicação Componentes

Leia mais

Módulo II. Sistemas Internos de Informação. Redes e serviços de comunicação Sistema interno de informação da ESTV. Módulo II

Módulo II. Sistemas Internos de Informação. Redes e serviços de comunicação Sistema interno de informação da ESTV. Módulo II Sistemas Internos de Informação Redes e serviços de comunicação Sistema interno de informação da ESTV 1 Redes e Serviços de Comunicação Conceito de rede telemática Classes de redes de comunicação Componentes

Leia mais

19/07/2013. Camadas. Camadas de Enlace e Física. Camadas de Enlace e Física. Topologias de Rede NOÇÕES DE REDE: CAMADAS DE ENLACE E FÍSICA

19/07/2013. Camadas. Camadas de Enlace e Física. Camadas de Enlace e Física. Topologias de Rede NOÇÕES DE REDE: CAMADAS DE ENLACE E FÍSICA 2 Camadas NOÇÕES DE REDE: CAMADAS DE ENLACE E FÍSICA Introdução à Microinformática Prof. João Paulo Lima Universidade Federal Rural de Pernambuco Departamento de Estatística e Informática Aplicação Transporte

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES Capítulo 8 TELECOMUNICAÇÕES E REDES 8.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização

Leia mais

REDES DE 16/02/2010 COMPUTADORES

REDES DE 16/02/2010 COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Delfa M. HuatucoZuasnábar 2010 2 A década de 50 - Uso de máquinas complexas de grande porte operadas por pessoas altamente especializadas e o enfileiramento de usuários para submeter

Leia mais

Sistemas para Internet 02 Como funciona a Internet?

Sistemas para Internet 02 Como funciona a Internet? Sistemas para Internet 02 Como funciona a Internet? Componente Curricular: Bases da Internet Professor: Jorge Luís Gregório e-mail: jorge.gregorio@fatec.sp.gov.br @jlgregorio81 Jorge Luís Gregório Internet

Leia mais

Internet ou Net. É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns.

Internet ou Net. É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns. Internet Internet ou Net É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns. Como Comunicam os computadores Os computadores comunicam entre si utilizando uma linguagem

Leia mais

Redes de Telecomunicações

Redes de Telecomunicações Redes de Telecomunicações Mestrado em Engenharia Electrotécnica e e de Computadores 1º semestre 2009/2010 Capítulo 1 Introdução João Pires Redes de Telecomunicações (09/10) 2 Aspectos da Evolução das Telecomunicações

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Ponta Grossa Lin Yu Han Rafael Santos de Almeida INTERNET. Ponta Grossa

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Ponta Grossa Lin Yu Han Rafael Santos de Almeida INTERNET. Ponta Grossa UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Ponta Grossa Lin Yu Han Rafael Santos de Almeida INTERNET Ponta Grossa 31/05/2010 0 Lin Yu Han Rafael Santos de Almeida INTERNET Artigo apresentado à disciplina

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Redes de Computadores Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Open Systems Interconnection Modelo OSI No início da utilização das redes de computadores, as tecnologias utilizadas para a comunicação

Leia mais

Redes de Computadores e Teleinformática. Zacariotto 4-1

Redes de Computadores e Teleinformática. Zacariotto 4-1 Redes de Computadores e Teleinformática Zacariotto 4-1 Agenda da aula Introdução Redes de computadores Redes locais de computadores Redes de alto desempenho Redes públicas de comunicação de dados Computação

Leia mais

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO MANUAL DE CONFIGURAÇÃO CONTMATIC PHOENIX SUMÁRIO CAPÍTULO I APRESENTAÇÃO DO ACESSO REMOTO... 3 1.1 O que é o ACESSO REMOTO... 3 1.2 Como utilizar o ACESSO REMOTO... 3 1.3 Quais as vantagens em usar o PHOENIX

Leia mais

Comunicação entre computadores o Modelo OSI

Comunicação entre computadores o Modelo OSI Comunicação entre computadores o Modelo OSI Antes de avançar, vamos ver o significado de alguns conceitos. A nível das tecnologias de informação, há um conjunto de normas, padrões e protocolos que são

Leia mais

APLICAÇÃO REDE APLICAÇÃO APRESENTAÇÃO SESSÃO TRANSPORTE REDE LINK DE DADOS FÍSICA 1/5 PROTOCOLOS DE REDE

APLICAÇÃO REDE APLICAÇÃO APRESENTAÇÃO SESSÃO TRANSPORTE REDE LINK DE DADOS FÍSICA 1/5 PROTOCOLOS DE REDE 1/5 PROTOCOLOS DE O Modelo OSI O OSI é um modelo usado para entender como os protocolos de rede funcionam. Para facilitar a interconexão de sistemas de computadores, a ISO (International Standards Organization)

Leia mais

Sistemas Multimédia. Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações

Sistemas Multimédia. Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações Sistemas Multimédia Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP Redes e Comunicações Francisco Maia famaia@gmail.com Já estudado... Motivação Breve História Conceitos Básicos Tipos de Redes Componentes

Leia mais

RC e a Internet: noções gerais. Prof. Eduardo

RC e a Internet: noções gerais. Prof. Eduardo RC e a Internet: noções gerais Prof. Eduardo Conceitos A Internet é a rede mundial de computadores (rede de redes) Interliga milhares de dispositivos computacionais espalhados ao redor do mundo. A maioria

Leia mais

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Magistério Superior Especialista em Docência para Educação

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

Rede de Computadores. Arquitetura Cliente-Servidor

Rede de Computadores. Arquitetura Cliente-Servidor Rede de Computadores Arquitetura ClienteServidor Coleção de dispositivos de computação interconectados que permitem a um grupo de pessoas compartilhar informações e recursos É a conexão de dois ou mais

Leia mais

Características dos operadores

Características dos operadores RÉPUBLIQUE FRANÇAISE Junho de 21 Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 29 Características dos operadores Salvo indicação em contrário, os números apresentados neste documento

Leia mais

REDES DE TELECOMUNICAÇÕES

REDES DE TELECOMUNICAÇÕES REDES DE TELECOMUNICAÇÕES Transmissão digital no lacete do assinante Engª de Sistemas e Informática UALG/FCT/ADEEC 2003/2004 Redes de Telecomunicações 1 xdsl Sumário Conceitos Gerais VDSL Implementação

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO 4/101 ENQUADRAMENTO GERAL

SUMÁRIO EXECUTIVO 4/101 ENQUADRAMENTO GERAL I SUMÁRIO EXECUTIVO I.I ENQUADRAMENTO GERAL O ICP-Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM) realizou, pela segunda vez, um estudo de aferição da qualidade, na perspectiva do utilizador, dos serviços

Leia mais

Capítulo1 Redes de computador es e a Internet

Capítulo1 Redes de computador es e a Internet Redes de computadores e a Internet Capítulo Redes de computador es e a Internet O que é a Internet? Milhões de elementos de computação interligados: hospedeiros = sistemas finais Executando aplicações

Leia mais

Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador. Viva o momento

Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador. Viva o momento Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador Viva o momento 3 4 5 5 6 6 7 8 9 12 12 14 16 17 18 19 20 21 22 22 23 23 24 24 24 25 26 27 Ligar o Router LEDs Configuração do Router Aceder à ferramenta de configuração

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. Késsia Marchi

Redes de Computadores. Prof. Késsia Marchi Redes de Computadores Prof. Késsia Marchi Redes de Computadores Redes de Computadores Possibilita a conexão entre vários computadores Troca de informação Acesso de múltiplos usuários Comunicação de dados

Leia mais