6.3 Tecnologias de Acesso

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "6.3 Tecnologias de Acesso"

Transcrição

1 Capítulo Tecnologias de Acesso 1 Acesso a redes alargadas Acesso por modem da banda de voz (através da Rede Fixa de Telecomunicações) Acesso RDIS (Rede Digital com Integração de Serviços) Acesso DSL Digital Subscriber Line Cable modems FWA Fixed Wireless Access 2 1

2 Transmissão digital no lacete do assinante As redes alargadas são, hoje em dia, redes de débito muito elevado O estrangulamento da largura de banda não se situa no backbone da rede alargada mas sim nos seus limites (rede de acesso) Surge assim a necessidade da existência de tecnologias que permitam débitos elevados nos lacetes de assinante (que usam pares de cobre na maior parte) 3 Rede Fixa de Telecomunicações - Topologia hierárquica Características introduz vários níveis de comutação Central local Central regional Central interurbana Central internacional permite elevado número de utilizadores com grande dispersão geográfica As centrais são comutadores de circuitos 4 2

3 Rede Telefónica Pública Comutada Evolução (1) Rede telefónica analógica Transmissão analógica Telefone Comutação analógica Comutação analógica Rede telefónica híbrida Transmissão analógica Transmissão digital Transmissão analógica Comutação analógica A/D D/A A/D D/A Comutação analógica 5 Rede Telefónica Pública Comutada Evolução (2) Rede Digital Integrada (RDI) Transmissão digital Transmissão analógica A/D D/A Comutação digital Comutação digital A/D D/A Rede Digital com Integração de Serviços (RDIS) Transmissão digital Comutação digital Comutação digital Acesso básico (2B+D) ou primário (30B+D) 6 3

4 Transmissão na rede de acesso Modems: Transmissão de dados usando modems através das técnicas de modulação - 56 Kbps (ritmo máximo) RDIS - Rede Digital com Integração de Serviços DSL (Digital Subscriber Loop) ADSL (Asymmetric Digital Subscriber Loop) Mbps (download), Kbps (upload) + canal de voz HFC (Redes híbridas fibra-coaxial) - solução adoptada pela TV Cabo Portugal FTTC (Fiber-To-The-Curb), colocar a fibra até um armário exterior às instalações do assinante (i.e. até ao quarteirão), ligando em seguida este armário ao assinante usando o cobre - custo aceitável FTTH (Fiber-To-The-Home), colocar a fibra directamente até à instalação do assinante - custo elevado 7 Sistemas de acesso de assinante 8 4

5 Acesso por modem de banda de voz Princípio de operação sinal transmitido no lacete local consiste em impulsos multinível sentido descendente: ISP utilizador modem ISP: geração de palavras PCM (7 8kHz) 56 kbit/s central local: conversão D/A de palavras PCM em símbolos multinível modem utilizador: recepção de símbolos, conversão A/D e extracção de dados sentido ascendente: utilizador ISP modem utilizador: transmissão de símbolos multinível central local: conversão A/D dos símbolos multinível em palavras PCM modem ISP: recepção de palavras PCM e extracção dos dados 9 Acesso RDIS Origem Definida pela UIT em 1984 Resultou da evolução natural da Rede Digital Integrada (RDI) Conectividade digital extremo-a-extremo Assenta na mesma infra-estrutura da rede telefónica tradicional Transmissão e comutação digital Acesso digital de assinante Suporte de vários modos de transferência da informação Comutação de circuitos Comutação de pacotes Sinalização poderosa Baseada em mensagens Canais de sinalização disponíveis na interface de acesso Possível efectuar sinalização durante uma chamada Integração de acesso uma única interface para diferentes terminais uma única interface para diferentes serviços Integração da sinalização um canal de sinalização para todos os serviços suportados na interface de acesso Alguns benefícios Transporte de vários tipos de informação (dados, voz, vídeo, texto e imagens) O estabelecimento da conexão é mais rápido que no serviço telefónico analógico Débitos superiores às comunicações telefónicas analógicas 10 5

6 Integração de acesso e sinalização 11 Gerações RDIS RDIS banda estreita (narrowband ISDN) A primeira geração Baseada na utilização de um canal de 64 Kbps como a unidade básica de comutação Orientada à comutação de circuitos Impulsionada pelo frame relay RDIS banda larga (broadband ISDN) A segunda geração Suporta taxas de dados bastante elevadas (centenas de Mbps). É orientada à comutação de pacotes Impulsionada pelo ATM 12 6

7 Alguns serviços integrados Identificação do número chamador Restrição de identificação Grupo fechado de utilizadores Chamada em espera Marcação directa de extensão Número múltiplo de cliente Sinalização de utilizador a utilizador Informação de taxação Reencaminhamento de chamadas 13 RDIS Estruturas de Acesso A ligação entre o posto central e o utilizador RDIS é usada para transportar um número de canais de comunicação A capacidade da ligação (logo o número de canais) pode variar de utilizador para utilizador Canal B (canal básico de utilizador) - 64 kbps transferência bidireccional de informação do utilizador: voz, dados estabelecimento de conexão em modo circuito (feito através do canal D) No caso de linha dedicada, a conexão é acordada previamente não sendo necessário um protocolo para estabelecimento da ligação acesso a diferentes modos de comunicação (modos circuito e pacote) Canais H - n x 64 kbps utilização idêntica a canais B para serviços de mais alto débito dados de alta velocidade fac-símile rápido áudio de alta fidelidade teleconferência Canais D - 16 / 64 kbps Bidireccional e partilhado por todos os terminais do bus Usado para informação de sinalização para controlo das chamadas dados (modo pacote, com ou sem estabelecimento de conexões) 14 7

8 RDIS Tipos de acesso (1) Serviço básico Destina-se aos utilizadores individuais (residenciais e pequenos escritórios) Permite o uso simultâneo de voz e várias aplicações de dados (ligação a uma central de alarme, fax, etc.) Permite o estabelecimento de 2 comunicações em simultâneo sendo, por isso, equiparado por simplicidade a 2 linhas telefónicas Serviço primário Destina-se aos utilizadores que necessitem de maior capacidade, como centrais telefónicas privadas de grande porte, ou redes locais Se for necessário uma taxa de dados maior, pode ser fornecido mais do que um interface físico primário Neste caso, um único canal D pode ser suficiente para toda a sinalização, consistindo o novo interface apenas de canais B 15 RDIS Tipos de acesso (2) * ** * Activação de terminais e multiplexagem dos canais B e D ** Manutenção e sincronização de quadros 16 8

9 Acesso básico configuração multiponto Visto da rede, pode existir mais do que um equipamento ligado ao acesso É possível ligação simultânea de até 8 terminais RDIS independentes, como um PC, Telefone, Fax ou um Videotelefone, Apenas um (utilizando os 2 canais) ou dois equipamentos (utilizando um canal cada) podem realizar ou receber chamadas em simultâneo 17 Acesso básico configuração ponto-a-ponto Do ponto de vista da rede só é reconhecido um equipamento ligado a esse acesso Adequado para ligar centrais telefónicas privadas à RDIS 18 9

10 RDIS Modelo de 3 camadas 19 Estabelecimento de chamada comutada ao circuito 1. O canal D é usado para enviar o número a chamar ao comutador RDIS local 2. O comutador RDIS local usa o protocolo de sinalização SS7 para estabelecer um circuito e passar o número a chamar para o comutador RDIS remoto 3. O comutador remoto RDIS sinaliza o destino através do canal D 4. O dispositivo NT1 de destino envia ao comutador RDIS remoto uma mensagem a confirmar o estabelecimento de ligação 5. O comutador RDIS remoto usa o SS7 para confirmar o estabelecimento de ligação ao comutador local 6. O comutador local conecta um dos canais B, deixando o outro canal livre para nova conexão 20 10

11 Funções RDIS e pontos de referência (1) 21 Funções RDIS e pontos de referência (2) Grupos funcionais: NT1 (terminação de rede 1) Inclui funções associadas às terminações físicas e eléctricas da RDIS, correspondendo ao nível 1 OSI Localizado nas instalações do cliente, mas controlado pelo fornecedor RDIS Constitui um limite da rede, isolando o utilizador da tecnologia de transmissão usada Desempenha funções de manutenção de linha (teste de loopback, monitorização de desempenho) Pode suportar vários dispositivos NT2 (terminação de rede 2) Dispositivo inteligente, podendo executar funções de concentração e comutação. Pode incluir funcionalidades até ao nível 3 OSI Ex.: PBX digital, LAN NT12 (terminação de rede 1,2) Equipamento que desempenha as funções combinadas de NT1 e NT2 TE1 (equipamento terminal 1) Dispositivos que suportam a interface RDIS Ex.: Telefones digitais, FAX digital TE2 (equipamento terminal 2) Engloba os dispositivos não-rdis. Necessitam de um adaptador de terminal (TA) para ligar à interface RDIS Pontos de referência: T (Terminal) terminação RDIS mínima no utilizador Separa o equipamento do fornecedor de rede do equipamento do utilizador S (System) Interface de terminais RDIS individuais. Separa o equipamento terminal do utilizador das funções de comunicação de rede R (Rate) Fornece um interface não-rdis entre equipamento de utilizador não-rdis e equipamento adaptador 22 11

12 Acesso DSL Família de técnicas (xdsl) adequadas a diversas aplicações ADSL, SDSL, HDSL e VDSL Criadas para aumentar o desempenho das linhas de par entrançado Tira partido de técnicas de cancelamento de eco adaptativo conseguindo-se uma transmissão robusta, de banda larga e de custos reduzidos Cada tecnologia estabelece um compromisso entre vários objectivos: Número de pares Débito binário Alcance Simetria 23 ADSL - Asymmetric Digital Subscriber Line Objectivo geral da tecnologia ADSL utiliza a linha telefónica existente: um único par acrescenta um modem sempre ligado para serviços multimédia cobertura sem repetidores nem selecção de pares, para a maioria de assinantes Canais suportados um canal duplex para telefonia ou RDIS um canal ascendente de média velocidade um canal descendente de alta velocidade Utiliza a tecnologia DMT (Discrete MultiTone) divide a banda de frequências em 256 canais de 4 KHz a qualidade de cada canal é avaliada constantemente De acordo com o resultado é-lhe atribuído um determinado número de bits a transmitir 24 12

13 ADSL - Asymmetric Digital Subscriber Line (1) 25 ADSL - Asymmetric Digital Subscriber Line (2) 26 13

14 ADSL - Asymmetric Digital Subscriber Line (3) 27 ADSL - Asymmetric Digital Subscriber Line (4) 28 14

15 xdsl Outras tecnologias (1) HDSL - High-speed Digital Subscriber Line não disponibiliza acesso telefónico evolução do acesso básico RDIS (2 pares) largura de banda simétrica (1.54 a 2.48Mbps) SDSL - Single-pair high-speed Digital Subscriber Line não disponibiliza acesso telefónico melhoria das técnicas utilizadas em HDSL no sentido de permitir maior alcance apenas num par 29 xdsl Outras tecnologias (2) VDSL - Very high-speed Digital Subscriber Line apenas possível quando for disponibilizada Fiber to the Curb disponibiliza o acesso analógico telefónico (POTs) ou RDIS como em ADSL prolongamento dos sistemas ADSL para maiores débitos de linha modo assimétrico sentido descendente taxa máxima entre 51 e 55 Mbps linhas com comprimento máximo de 300 m linhas até 1500 m são possíveis taxas de 13 Mbps sentido ascendente varia entre 1,6 e 2,3 Mbps 30 15

16 imac Cable Modems Acesso à internet com débitos muito elevados (500 Kbps até 10 Mbps) disponível nas redes CATV Cable modem possui uma porta para ligação ao televisor e outra para ligação a uma NIC Utilização em simultâneo de televisão e acesso à Internet 31 Acesso Fixo via Rádio (FWA) Forma competitiva (face a acessos do tipo DSL) por parte dos utilizadores fixos Rapidez e custo de instalação reduzidos Menor recurso a obras públicas Uma única antena pode satisfazer vários clientes Estimativas apontam que daqui a 10 anos, a maioria das casas terá acessos de 2 a 34 Mbps 32 16

Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos -

Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos - - Principais elementos - Equipamento terminal: o telefone na rede convencional Equipamento de transmissão: meio de transmissão, e.g. cabos de pares simétricos, cabo coaxial, fibra óptica, feixes hertzianos,

Leia mais

TECNOLOGIAS xdsl para pares de cobre

TECNOLOGIAS xdsl para pares de cobre TECNOLOGIAS xdsl para pares de cobre ESTV 2002/03 Paulo Coelho Redes e Serviços em Banda Larga 1 Tecnologias para a rede de cobre Evolução da transmissão de dados sobre pares de cobre: Rede s/ elementos

Leia mais

Aspectos da infraestrutura das redes telefónicas - Rede de acesso -

Aspectos da infraestrutura das redes telefónicas - Rede de acesso - Aspectos da infraestrutura das redes telefónicas - Rede de acesso - Lacete de assinante Par simétrico Central local Ponto de subrepartição Ponto de distribuição Assinante Interface com a linha de assinante

Leia mais

REDES COM INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS

REDES COM INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS REDES COM INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS (1ª Parte) Rede Digital com Integração de Serviços () 1 1. INTRODUÇÃO 2 EVOLUÇÃO DAS REDES PÚBLICAS DE TELECOMUNICAÇÕES 1: Rede Telefónica Analógica 2: Rede Telefónica

Leia mais

Redes de Computadores. Redes de Computadores ADSL / XDSL. Protocolos de Redes. Aula 9 ADSL FACULDADE PITÁGORAS DE TECNOLOGIA

Redes de Computadores. Redes de Computadores ADSL / XDSL. Protocolos de Redes. Aula 9 ADSL FACULDADE PITÁGORAS DE TECNOLOGIA Redes de Computadores Protocolos de Redes Redes de Computadores Aula 9 / XDSL Introdução A tecnologia (Asymmetric Digital Subscriber Line - Linha Digital Assimétrica de Assinante) opera com transmissões

Leia mais

REDES DE TELECOMUNICAÇÕES

REDES DE TELECOMUNICAÇÕES REDES DE TELECOMUNICAÇÕES Transmissão digital no lacete do assinante Engª de Sistemas e Informática UALG/FCT/ADEEC 2003/2004 Redes de Telecomunicações 1 xdsl Sumário Conceitos Gerais VDSL Implementação

Leia mais

1 Introduc ao 1.1 Hist orico

1 Introduc ao 1.1 Hist orico 1 Introdução 1.1 Histórico Nos últimos 100 anos, o setor de telecomunicações vem passando por diversas transformações. Até os anos 80, cada novo serviço demandava a instalação de uma nova rede. Foi assim

Leia mais

REDES DE TELECOMUNICAÇÕES

REDES DE TELECOMUNICAÇÕES REDES DE TELECOMUNICAÇÕES Transmissão digital no lacete do assinante Engª de Sistemas e Informática UALG/FCT/ADEEC 2004/2005 Redes de Telecomunicações 1 xdsl Sumário Conceitos Gerais Implementação Redes

Leia mais

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Disciplina Redes de Banda Larga Prof. Andrey Halysson Lima Barbosa Aula 6 Redes xdsl Sumário Introdução; Taxas de transmissão DSL e qualidade

Leia mais

Redes Físicas de Acesso em Banda Larga

Redes Físicas de Acesso em Banda Larga Redes Físicas de Acesso em Banda Larga Prof. Rafael Guimarães Redes de Alta Velocidade Tópico 5 - Aula 1 Tópico 5 - Aula 1 Rafael Guimarães 1 / 58 Sumário Sumário 1 Motivação 2 Objetivos 3 Introdução 4

Leia mais

Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos -

Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos - Equipamento terminal: Rede Telefónica Pública Comutada - Principais elementos - o telefone na rede convencional Equipamento de transmissão: meio de transmissão: cabos de pares simétricos, cabo coaxial,

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Professor: Rodrigo Caetano Filgueira Tecnologias WAN TECNOLOGIAS WAN Quando uma empresa cresce e passa a ter instalações em várias localidades, é necessário interconectar as redes

Leia mais

X??? Digital Subscriber Line

X??? Digital Subscriber Line Tecnologias XDSL X??? Digital Subscriber Line AGENDA GERAL Tecnologias de Transmissão A Rede Rede Pública Comutada Loop local Central PROVEDOR REDE CORPORATIVA usuário Central Central usuário Par trançado

Leia mais

IPT - INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO APRESENTAÇÃO DE REDES DE ACESSOS

IPT - INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO APRESENTAÇÃO DE REDES DE ACESSOS IPT - INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO APRESENTAÇÃO DE REDES DE ACESSOS Mestrandos: Delson Martins N:760 Turma 10 Márcio Fernando Flores N:767 Turma 10 Professores: Volnys; Kiatake;

Leia mais

Acesso no Lacete Local. Acesso no Lacete Local

Acesso no Lacete Local. Acesso no Lacete Local Acesso telefónico analógico Transmissão digital no lacete local Acesso por modem da banda de voz Acesso G.703 - E1 Acesso básico RDIS Acesso DSL Digital Subscriber Line Mário Jorge Leitão 2 Intencionalmente

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Redes Wireless / Wi-Fi / IEEE 802.11 Em uma rede wireless, os adaptadores de rede em cada computador convertem os dados digitais para sinais de rádio,

Leia mais

Transmissão digital em pares simétricos na rede de acesso

Transmissão digital em pares simétricos na rede de acesso Transmissão digital em pares simétricos na rede de acesso Acesso em banda base Acesso com modulação digital Acesso RDIS, HDSL Acesso com modems de banda de voz, ADSL, VDSL Códigos de linha Bipolar (AMI),

Leia mais

Ligação à Internet. Conceitos de Sistemas Informáticos. Grupo de Comunicações por Computador Departamento de Informática Universidade do Minho

Ligação à Internet. Conceitos de Sistemas Informáticos. Grupo de Comunicações por Computador Departamento de Informática Universidade do Minho Grupo de Comunicações por Computador Departamento de Informática Universidade do Minho Maio de 2004 Sumário 1 2 TV Cabo Bragatel Sapo Clix OniNet Telepac Tipos de ligações actualmente disponibilizadas

Leia mais

Introdução. ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como:

Introdução. ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como: Introdução ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como: Correio Eletrônico; Hospedagem de sites; Blogs; DNS; Voip. Introdução

Leia mais

Introdução. ISP Local

Introdução. ISP Local Introdução ISP: Internet Service Provider O provedor de acesso oferece serviço de acesso à internet, agregando a ele outros serviços como: Correio Eletrônico; Hospedagem de sites; Blogs; DNS; Voip. Introdução

Leia mais

ADSL. Esta tecnologia é utilizada pelo Speedy da Telefonica, Turbo da Brasil Telecom, Velox da Telemar e Turbonet da GVT.

ADSL. Esta tecnologia é utilizada pelo Speedy da Telefonica, Turbo da Brasil Telecom, Velox da Telemar e Turbonet da GVT. ADSL Este tutorial apresenta a tecnologia ADSL (Asymetric Digital Subscriber Line) desenvolvida para prover acesso de dados banda larga a assinantes residenciais ou escritórios através da rede de pares

Leia mais

Hospitais 2004. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação DOCUMENTO METODOLÓGICO

Hospitais 2004. Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação DOCUMENTO METODOLÓGICO Hospitais 2004 Inquérito à Utilização das Tecnologias da Informação e da Comunicação DOCUMENTO METODOLÓGICO ÍNDICE 1. IDENTIFICAÇÃO E OBJECTIVOS DO PROJECTO... 3 2. RECOLHA E TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO...

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES As telecomunicações referem -se à transmissão eletrônica de sinais para as comunicações, incluindo meios como telefone, rádio e televisão. As telecomunicações

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES TELECOMUNICAÇÕES E REDES 1 OBJETIVOS 1. Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? 2. Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização deve utilizar? 3. Como sua

Leia mais

Rede Telefónica Pública Comutada - Estrutura geral: rede local ou de acesso -

Rede Telefónica Pública Comutada - Estrutura geral: rede local ou de acesso - Rede Telefónica Pública Comutada - Estrutura geral: rede local ou de acesso - Uma grande parte da rede local é constituída pela infra-estrutura de cobre [fios de cobre entrelaçados (cooper twisted pair)

Leia mais

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes e Sistemas Distribuídos. Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação. Redes de comunicação de dados Estrutura de um Rede de Comunicações Profa.. Cristina Moreira Nunes Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação Utilização do sistema de transmissão Geração de sinal Sincronização Formatação das mensagens

Leia mais

Sociedade Tecnologia e Ciência

Sociedade Tecnologia e Ciência Centro de Formação Profissional de Alcoitão TAG 11 Formanda: Rute Luísa M. Maldonado Nº16 Sociedade Tecnologia e Ciência Formadora: Ana Freitas 1 / Maio / 2011 A Internet A influência da Internet na sociedade

Leia mais

1.264 Aula 22. Tecnologia de rede Celular, CATV, ISDN, DSL, rede de área local

1.264 Aula 22. Tecnologia de rede Celular, CATV, ISDN, DSL, rede de área local 1.264 Aula 22 Tecnologia de rede Celular, CATV, ISDN, DSL, rede de área local TV a cabo Permite a transferência de voz e dados nos estados permitidos (poucos até o momento) À LEC foi permitida a transferência

Leia mais

Redes de Telecomunicações. Redes de acesso 2006-2007

Redes de Telecomunicações. Redes de acesso 2006-2007 Redes de Telecomunicações Redes de acesso 2006-2007 Arquitectura da rede: Estrutura geral Central Local de Comutação concentra toda a comutação numa central de comutação telefónica ligando cada assinante

Leia mais

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 11/11/2002).

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 11/11/2002). ADSL (Speedy, Velox, Turbo) Este tutorial apresenta a tecnologia ADSL (Asymetric Digital Subscriber Line) desenvolvida para prover acesso de dados banda larga a assinantes residenciais ou escritórios através

Leia mais

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET

INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET INFORMÁTICA IINTERNET / INTRANET Objectivos História da Internet Definição de Internet Definição dos protocolos de comunicação Entender o que é o ISP (Internet Service Providers) Enumerar os equipamentos

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes de comunicação. de Dados. Network) Area. PAN (Personal( Redes de. de dados

Estrutura de um Rede de Comunicações. Redes de comunicação. de Dados. Network) Area. PAN (Personal( Redes de. de dados Fundamentos de Estrutura de um Rede de Comunicações Profa.. Cristina Moreira Nunes Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação Utilização do sistema de transmissão Geração de sinal Sincronização Formatação

Leia mais

INQUÉRITO ao COMÉRCIO ELECTRÓNICO

INQUÉRITO ao COMÉRCIO ELECTRÓNICO INQUÉRITO ao COMÉRCIO ELECTRÓNICO Documento Metodológico Preliminar 19-08-09 1 1. Introdução No âmbito da participação do Instituto Nacional de Estatística (INE), no Grupo de Trabalho do Eurostat sobre

Leia mais

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana

Placa de Rede. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. MAN (Metropolitan Area Network) Rede Metropolitana Rede de Computadores Parte 01 Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações

Leia mais

DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALGARVE Escola Básica Doutor João Lúcio

DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALGARVE Escola Básica Doutor João Lúcio DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO ALGARVE Escola Básica Doutor João Lúcio Introdução à Internet Nos dias de hoje a Internet encontra-se massificada, e disponível nos quatro cantos do mundo devido às suas

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais

Administração de Sistemas de Informação Gerenciais Administração de Sistemas de Informação Gerenciais UNIDADE V: Telecomunicações, Internet e Tecnologia Sem Fio. Tendências em Redes e Comunicações No passado, haviam dois tipos de redes: telefônicas e redes

Leia mais

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede

Placa de Rede. Rede de Computadores. Tipos de Redes LAN (Local Area Network) Rede local. Placa de Rede Rede de Computadores Prof. André Cardia Email: andre@andrecardia.pro.br MSN: andre.cardia@gmail.com Placa de Rede Uma placa de rede (NIC), ou adaptador de rede, oferece capacidades de comunicações nos

Leia mais

Glossário de Internet

Glossário de Internet Acesso por cabo Tipo de acesso à Internet que apresenta uma largura de banda muito superior à da linha analógica. A ligação é feita com recurso a um modem (de cabo), que se liga à ficha de sinal de TV

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com RESUMO 1 COMUTAÇÃO DE CIRCUITOS Reservados fim-a-fim; Recursos são dedicados; Estabelecimento

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES E REDES

TELECOMUNICAÇÕES E REDES Capítulo 8 TELECOMUNICAÇÕES E REDES 8.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as tecnologias utilizadas nos sistemas de telecomunicações? Que meios de transmissão de telecomunicações sua organização

Leia mais

Redes de Comunicações. Redes de Comunicações

Redes de Comunicações. Redes de Comunicações Capítulo 0 Introdução 1 Um pouco de história Século XVIII foi a época dos grandes sistemas mecânicos Revolução Industrial Século XIX foi a era das máquinas a vapor Século XX principais conquistas foram

Leia mais

Estrutura de um Rede de Comunicações

Estrutura de um Rede de Comunicações Fundamentos de Profa.. Cristina Moreira Nunes Estrutura de um Rede de Comunicações Tarefas realizadas pelo sistema de comunicação Utilização do sistema de transmissão Geração de sinal Sincronização Formatação

Leia mais

Sistemas de Telecomunicações I

Sistemas de Telecomunicações I Introdução aos Sistemas de Telecomunicações José Cabral Departamento de Electrónica Industrial Introdução aos Sistemas de Telecomunicações 1-16 Introdução aos Sistemas de Telecomunicações Tópicos: Redes

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA DE REDES DE COMPUTADORES I

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA DE REDES DE COMPUTADORES I UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO DISCIPLINA DE REDES DE COMPUTADORES I ADSL Alexandre Martini Fernando Boettcher Julio Cezar Kronbauer Santa

Leia mais

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Disciplina Redes de Banda Larga Prof. Andrey Halysson Lima Barbosa Aula 0 Fatos e tendências Sumário Fatos e tendências; Arquitetura

Leia mais

REDES DE ACESSO. Mário Serafim dos Santos Nunes. Instituto Superior Técnico

REDES DE ACESSO. Mário Serafim dos Santos Nunes. Instituto Superior Técnico REDES DE ACESSO Mário Serafim dos Santos Nunes Parte A Arquitecturas e Tecnologias Parte B Protocolos de Acesso Parte C Tecnologias de Acesso DSL Parte D Redes Híbridas Fibra - Cabo Coaxial (HFC) Parte

Leia mais

Rede Fixa de Telecomunicações

Rede Fixa de Telecomunicações Modos de transferência da informação Arquitectura da rede Áreas funcionais da rede Evolução da rede Mário Jorge Leitão Neste capítulo, começa-se por discutir os modos de transferência de informação utilizados

Leia mais

3. Clientes de serviços prestados em pacote

3. Clientes de serviços prestados em pacote QUESTIONÁRIO TRIMESTRAL DOS SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS EM LOCAL FIXO E VOIP NÓMADA Serviço Telefónico Fixo (STF) Serviço VoIP nómada Serviço de Acesso à Internet (SAI) Serviço de Televisão por

Leia mais

Integrated Services Digital Network

Integrated Services Digital Network Integrated Services Digital Network Visão Geral ISDN é uma rede que fornece conectividade digital fim-a-fim, oferecendo suporte a uma ampla gama de serviços, como voz e dados. O ISDN permite que vários

Leia mais

Planejamento, Projeto e Gerência

Planejamento, Projeto e Gerência Projeção Planejamento Estratégico Planejamento Tático Projeto Prospecção Complexidade Planejamento, Projeto e Gerência Geraldo Robson. Mateus Novas Tecnologias Novos Serviços Novas Aplicações Telecomunicações

Leia mais

Telecomunicações CONCEITOS DE COMUNICAÇÃO

Telecomunicações CONCEITOS DE COMUNICAÇÃO Telecomunicações CONCEITOS DE COMUNICAÇÃO 1 COMUNICAÇÃO A COMUNICAÇÃO pode ser definida como a transmissão de um sinal através de um meio, de um emissor para um receptor. O sinal contém uma mensagem composta

Leia mais

Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora

Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora 1. Em que consiste uma rede de computadores? Refira se à vantagem da sua implementação. Uma rede de computadores é constituída por dois ou mais

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade I REDES DE COMPUTADORES E

Prof. Luís Rodolfo. Unidade I REDES DE COMPUTADORES E Prof. Luís Rodolfo Unidade I REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO C Redes de computadores e telecomunicação Objetivo: apresentar os conceitos iniciais e fundamentais com relação às redes de computadores

Leia mais

1 de 4 09/10/2011 18:18

1 de 4 09/10/2011 18:18 HowStuffWorks - Como funciona a tecnologia DSL http://informatica.hsw.uol.com.br/tecnologia-dsl.htm/printable 1 de 4 09/10/2011 18:18 ASSINE 0800 703 3000 BATE-PAPO E-MAIL SAC Voip E-Mail Grátis Shopping

Leia mais

Jorge Bruno da Costa Mouro n.º 7816 Informática de Gestão Paula Sofia Portugal Pereira n.º 8588 Informática de Gestão

Jorge Bruno da Costa Mouro n.º 7816 Informática de Gestão Paula Sofia Portugal Pereira n.º 8588 Informática de Gestão Trabalho Realizado por: GRUPO 2 Jorge Bruno da Costa Mouro n.º 7816 Informática de Gestão Paula Sofia Portugal Pereira n.º 8588 Informática de Gestão Docente: Luísa Jorge Bragança, maio de 2003 Os alunos:

Leia mais

Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015)

Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015) Redes de Computadores (RCOMP 2014/2015) Tecnologias WAN: ATM/ISDN e DSL 1 WAN Redes ATM A tecnologia ATM (Asynchronous Transfer Mode ) está disponível há bastante tempo, mas a expansão da sua utilização

Leia mais

1. Introdução às Comunicações e às Redes de Computadores Generalidades, noções e classificações de redes. Secção de Redes de Comunicação de Dados

1. Introdução às Comunicações e às Redes de Computadores Generalidades, noções e classificações de redes. Secção de Redes de Comunicação de Dados 1. Introdução às Comunicações e às Redes de Computadores Generalidades, noções e classificações de redes Redes de Comunicações/Computadores I Secção de Redes de Comunicação de Dados Necessidades de comunicação

Leia mais

Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - agosto de 2007 - Página

Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - agosto de 2007 - Página Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Redes 1 Redes de Dados Inicialmente o compartilhamento de dados era realizado a partir de disquetes (Sneakernets) Cada vez que um arquivo era modificado ele teria que

Leia mais

Redes II ISDN e Frame Relay

Redes II ISDN e Frame Relay Redes II ISDN e Frame Relay Súmario 1. Frame Relay 02 1.1 Introdução 02 1.2 Velocidade 03 1.3 A Especificação X.25 03 1.3.1 Nível de Rede ou pacotes 03 1.3.2 Nível de Enlace ou de Quadros 04 1.3.3 Nível

Leia mais

A Evolução das Telecomunicações no Brasil

A Evolução das Telecomunicações no Brasil A Evolução das Telecomunicações no Brasil Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Prof. José Maurício dos Santos Pinheiro Centro Universitário de Volta Redonda

Leia mais

UniFOA - Curso Seqüencial de Redes de Computadores Disciplina: Sistemas de Telecomunicações 4º período Professor: Maurício AULA 02 Telefonia Fixa

UniFOA - Curso Seqüencial de Redes de Computadores Disciplina: Sistemas de Telecomunicações 4º período Professor: Maurício AULA 02 Telefonia Fixa Introdução UniFOA - Curso Seqüencial de Redes de Computadores Com o aparecimento dos sistemas de comunicação móvel como a telefonia celular, o termo telefonia fixa passou a ser utilizado para caracterizar

Leia mais

Tecnologias de Banda Larga

Tecnologias de Banda Larga Banda Larga Banda larga é uma comunicação de dados em alta velocidade. Possui diversas tecnologia associadas a ela. Entre essas tecnologias as mais conhecidas são a ADSL, ISDN, e o Cable Modem. Essas tecnologias

Leia mais

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para

Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Prof. Edson Maia Graduado em Web Design e Programação Bacharel e Licenciado em Geografia Especialista em Gestão Ambiental Complementação para Magistério Superior Especialista em Docência para Educação

Leia mais

Em sua Casa. Na Central Telefônica

Em sua Casa. Na Central Telefônica &RP )XQFLRQ $'6/ Em sua Casa Na Central Telefônica Em sua Casa A. Dentro de Seu PC: O modem ADSL de seu computador conecta a uma linha de telefone analógica padrão. B. Voz e Dados: Um modem ADSL tem um

Leia mais

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal:

Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Emissor: Receptor: Meio de transmissão Sinal: Redes - Comunicação Comunicação é o ato de transmissão de informações de uma pessoa à outra. Comunicação sempre foi, desde o início dos tempos, uma necessidade humana buscando aproximar comunidades distantes.

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

O consumidor espera por novos serviços os quais dependem de largura de banda suficiente. Como exemplo destes novos serviços podese citar "fast

O consumidor espera por novos serviços os quais dependem de largura de banda suficiente. Como exemplo destes novos serviços podese citar fast Universidade Católica do Salvador Curso de Bacharelado em Informática Disciplina: Teleprocessamento e Redes Professor: Marco Antônio C. Câmara Alunas: Rejane Mirtes B. de Cerqueira Suzane Tourinho F. da

Leia mais

Voltar. Placas de rede

Voltar. Placas de rede Voltar Placas de rede A placa de rede é o dispositivo de hardware responsável por envio e recebimento de pacotes de dados e pela comunicação do computador com a rede. Existem placas de rede on-board(que

Leia mais

III.2. CABLE MODEMS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS UNIDADE III SISTEMAS HÍBRIDOS

III.2. CABLE MODEMS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS UNIDADE III SISTEMAS HÍBRIDOS 1 III.2. CABLE MODEMS III.2.1. DEFINIÇÃO Cable modems são dispositivos que permitem o acesso em alta velocidade à Internet, através de um cabo de distribuição de sinais de TV, num sistema de TV a cabo.

Leia mais

Redes I Longa distância e alto desempenho ADSL Assymetric Digital Subscriber Line

Redes I Longa distância e alto desempenho ADSL Assymetric Digital Subscriber Line Redes I Longa distância e alto desempenho ADSL Assymetric Digital Subscriber Line TÓPICOS INTRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS APLICAÇÕES O FUTURO CONCLUSÃO INTRODUÇÃO Ter que aguardar por vários dias o término

Leia mais

Line, é uma tecnologia que permite a transmissão de dados, inclusive Internet, em alta

Line, é uma tecnologia que permite a transmissão de dados, inclusive Internet, em alta Como funciona o sinal DSL INTRODUÇÃO: A Linha Digital de Assinante, conhecida por DSL, do inglês Digital Subscriber Line, é uma tecnologia que permite a transmissão de dados, inclusive Internet, em alta

Leia mais

Transmissão e Multiplexação. Rodolfo I. Meneguette

Transmissão e Multiplexação. Rodolfo I. Meneguette Transmissão e Multiplexação Rodolfo I. Meneguette Redes de Acesso e Meios Físicos P: Como conectar os sistemas finais aos roteadores de borda? Redes de acesso residencial redes de acesso institucional

Leia mais

Capítulo VI Telecomunicações: Redes e Aplicativos

Capítulo VI Telecomunicações: Redes e Aplicativos Capítulo VI Telecomunicações: Redes e Aplicativos Uma rede nada mais é do que máquinas que se comunicam. Estas máquinas podem ser computadores, impressoras, telefones, aparelhos de fax, etc. Se interligarmos

Leia mais

Informações sobre a tecnologia ADSL. Seleção de protocolo e de driver. Índice. visão geral. instalação do modem ECI USB ADSL

Informações sobre a tecnologia ADSL. Seleção de protocolo e de driver. Índice. visão geral. instalação do modem ECI USB ADSL um cap tulo capítulo visão geral 3 5 6 14 Índice visão geral informações sobre a tecnologia ADSL seleção de protocolo e de driver recursos instalação do modem ECI USB ADSL instalação do drive ADSL USB

Leia mais

Suporte Técnico de Vendas

Suporte Técnico de Vendas Suporte Técnico de Vendas Telefonia básica Hoje vivemos a sociedade da informação. A rede de telecomunicações desempenha papel fundamental na vida moderna. História das Telecomunicações Em 1876, o escocês

Leia mais

REDES DIGITAIS COM INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS (RDIS)

REDES DIGITAIS COM INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS (RDIS) MÁRIO SERAFIM NUNES REDES DIGITAIS COM INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS (RDIS) Adaptado de REDES DIGITAIS COM INTEGRAÇÃO DE SERVIÇOS Mário Serafim Nunes, Augusto Júlio Casaca Editorial Presença 992 (esgotado) Folhas

Leia mais

Estrutura do tema ISC

Estrutura do tema ISC Introdução aos Sistemas de Computação (5) 6. Da comunicação de dados às redes de computadores Uma Rede de Computadores é constituida por: Estrutura do tema ISC 1. Representação de informação num computador

Leia mais

Guia de conectividade Worldspan Go Res!

Guia de conectividade Worldspan Go Res! Guia de conectividade Worldspan Go Res! Í n d i c e Considerações Iniciais...2 Tipos de Conexão...3 Esquema de Acesso ao Go!...4 Solucionando problemas relativos à Conexão...5 Solucionando problemas de

Leia mais

UNIDADE II. Fonte: SGC Estácio e João Bosco M. Sobral

UNIDADE II. Fonte: SGC Estácio e João Bosco M. Sobral UNIDADE II xdsl eadsl Fonte: SGC Estácio e João Bosco M. Sobral Nasceu da necessidade de acesso à Internet em velocidades superiores ao padrão V.90-56kbit/s e ISDN BRI-128kbit/s pelos clientes corporativos,

Leia mais

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos MÓDULO VI Programação de Sistemas de Comunicação Duração: 30 tempos Conteúdos 2 Construção

Leia mais

:: Telefonia pela Internet

:: Telefonia pela Internet :: Telefonia pela Internet http://www.projetoderedes.com.br/artigos/artigo_telefonia_pela_internet.php José Mauricio Santos Pinheiro em 13/03/2005 O uso da internet para comunicações de voz vem crescendo

Leia mais

Módulo 5 Cablagem para LANs e WANs

Módulo 5 Cablagem para LANs e WANs CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 5 Cablagem para LANs e WANs Cablagem de LANs Nível Físico de uma Redes Local Uma rede de computadores pode ser montada utilizando vários tipos de meios físicos.

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Multiplexação e Frame Relay

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Multiplexação e Frame Relay e Frame Relay o Consiste na operação de transmitir varias comunicações diferentes ao mesmo tempo através de um único canal físico. Tem como objectivo garantir suporte para múltiplos canais. o A multiplexação

Leia mais

2 Conceitos de transmissão de dados

2 Conceitos de transmissão de dados 2 Conceitos de transmissão de dados 2 Conceitos de transmissão de dados 1/37 2.4 Camada física do Modelo OSI 2.4 Camada física do modelo OSI 2/37 Interfaces série entre utilizador e rede DTE (Data terminal

Leia mais

Tecnologias de Acesso Remoto RDSI FE xdsl Cable Modems Faesa Maio 2001 Sotério Ferreira de Souza soterio.souza@hotmail.com

Tecnologias de Acesso Remoto RDSI FE xdsl Cable Modems Faesa Maio 2001 Sotério Ferreira de Souza soterio.souza@hotmail.com Tecnologias de Acesso Remoto RDSI FE xdsl Cable Modems Faesa Maio 2001 Sotério Ferreira de Souza soterio.souza@hotmail.com FOCO Acesso à Internet para Assinantes Domésticos e Pequenas Empresas Do que vamos

Leia mais

Introdução. Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006

Introdução. Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006 Redes de Computadores Introdução Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006 Um pouco de História Século XVIII foi a época dos grandes sistemas mecânicos Revolução

Leia mais

Bateria REDES MPU Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com/blog http://twitter.com/timasters http://br.groups.yahoo.com/group/timasters/

Bateria REDES MPU Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com/blog http://twitter.com/timasters http://br.groups.yahoo.com/group/timasters/ Bateria REDES MPU Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com/blog http://twitter.com/timasters http://br.groups.yahoo.com/group/timasters/ STJ 2008 Com relação a transmissão de dados, julgue os itens

Leia mais

REDES DE TELECOMUNICAÇÕES

REDES DE TELECOMUNICAÇÕES REDES DE TELECOMUNICAÇÕES INTRODUÇÃO ÀS REDES DE TELECOMUNICAÇÔES Engª de Sistemas e Informática UALG/FCT/ADEEC 2003/2004 1 Introdução às Sumário Evolução das telecomunicações Estrutura das redes Tipos

Leia mais

RCO2. LANs, MANs e WANs Visão geral

RCO2. LANs, MANs e WANs Visão geral RCO2 LANs, MANs e WANs Visão geral 1 LAN, MAN e WAN Classificação quanto a alcance, aplicação e tecnologias Distâncias: WAN: : distâncias arbitrariamente longas MAN: : distâncias médias (urbanas) LAN:

Leia mais

Apostilas de Eletrônica e Informática SDH Hierarquia DigitaL Síncrona

Apostilas de Eletrônica e Informática SDH Hierarquia DigitaL Síncrona SDH A SDH, Hierarquia Digital Síncrona, é um novo sistema de transmissão digital de alta velocidade, cujo objetivo básico é construir um padrão internacional unificado, diferentemente do contexto PDH,

Leia mais

Figura 1 - Arquitectura do GSM

Figura 1 - Arquitectura do GSM GSM O aparecimento das redes de comunicações no século passado veio revolucionar o nosso mundo. Com os primeiros telefones surgiu a necessidade de criar redes que os suportassem. Começaram a surgir as

Leia mais

Segunda Lista de Exercícios

Segunda Lista de Exercícios INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA Segunda Lista de Exercícios 1. Qual é a posição dos meios de transmissão no modelo OSI ou Internet? Os meios de transmissão estão localizados abaixo

Leia mais

A utilização das redes na disseminação das informações

A utilização das redes na disseminação das informações Internet, Internet2, Intranet e Extranet 17/03/15 PSI - Profº Wilker Bueno 1 Internet: A destruição as guerras trazem avanços tecnológicos em velocidade astronômica, foi assim também com nossa internet

Leia mais

MODELO 827 CARACTERÍSTICAS. Controlador Trunking

MODELO 827 CARACTERÍSTICAS. Controlador Trunking MODELO 827 Controlador Trunking CARACTERÍSTICAS Obedece completamente ao Standard MPT1327/1343 e é compatível com os radiotelefones MPT1352/1327. Tem estrutura modular e o seu sistema de controlo com informação

Leia mais

Unidade 1. Conceitos Básicos

Unidade 1. Conceitos Básicos Unidade 1 Conceitos Básicos 11 U1 - Conceitos Básicos Comunicação Protocolo Definição de rede Rede Internet 12 Comunicação de dados Comunicação de dados comunicação de informação em estado binário entre

Leia mais

INQUÉRITO À UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CENTRAL E REGIONAL GLOSSÁRIO

INQUÉRITO À UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CENTRAL E REGIONAL GLOSSÁRIO INQUÉRITO À UTILIZAÇÃO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CENTRAL E REGIONAL GLOSSÁRIO ADMINISTRAÇÃO CENTRAL (SUBSETOR INSTITUCIONAL) O subsetor da administração central

Leia mais

Transmissão de Dados

Transmissão de Dados T 1 Transmissão de Dados FEUP/DEEC/RCD 2002/03 MPR/JAR T 2 Terminologia e Conceitos Meios de transmissão A transmissão de sinais, sob a forma de ondas electromagnéticas, é suportada em meios de transmissão

Leia mais

Sinalização em redes de telecomunicações

Sinalização em redes de telecomunicações Sinalização em redes de telecomunicações Necessidade e evalução da sinalização Sinalização na rede telefónica tradicional (PSTN) e IN Tipos de sinalização Sinalização no lacete local Sinalização entre

Leia mais