REDE ENERGIA MANUAL DO PARCEIRO. Mercado Regulado e Mercado Liberalizado de energia

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REDE ENERGIA MANUAL DO PARCEIRO. Mercado Regulado e Mercado Liberalizado de energia"

Transcrição

1 1 REDE ENERGIA MANUAL DO PARCEIRO edp comercial abril 2013 Mercado Regulado e Mercado Liberalizado de energia

2 2 No mercado regulado o preço da eletricidade e do gás natural é definido pelo governo, através do regulador do sector, a ERSE; existe apenas uma empresa comercializadora de eletricidade, a edp serviço universal; existe apenas um comercializador de gás natural, em cada região coberta pela rede de distribuição, num total de 11 regiões; Em Janeiro de 2016 deixará de existir mercado regulado, e todos os consumidores terão que ter escolhido o seu comercializador no mercado liberalizado; Até lá, os preços de eletricidade e gás natural, no mercado regulado, serão atualizados de 3 em 3 meses, com vista a incentivar a passagem para o mercado liberalizado; No mercado liberalizado existe livre concorrência, qualquer empresa pode comercializar energia, eletricidade e/ou gás natural, ao preço que entender; para além do fornecimento de energia, neste mercado é possível obter um série de vantagens, consoante as ofertas das empresas, que não é possível no mercado regulado, como por exemplo, descontos na fatura, descontos em parceiros, seguro de assistência técnica, etc. a edp comercial é a empresa do grupo edp que opera no mercado liberalizado de energia; para além da edp, existem já uma série de empresas nacionais e estrangeiras, que disponibilizam ofertas no mercado liberalizado de energia;

3 3 A oferta edp A edp disponibiliza uma variedade de produtos, com inúmeras vantagens, que se adaptam às necessidades de diversos tipos de cliente: Cliente particular com gás natural CASA TOTAL 5% desconto na fatura de gás natural; 2% desconto na fatura de eletricidade (Tarifa Simples e Tri-horário, Bihorário igual ao mercado regulado); Acesso à comunidade edp Cliente particular sem gás natural CASA 2% desconto na fatura de eletricidade (para potências contratadas entre kva e 20.7 kva em Tarifa Simples e em Tri-horário; Bi-horário e restantes potências contratadas iguais ao mercado regulado); Acesso à comunidade edp CASA BASE - REFERÊNCIA MB Acesso à comunidade edp Cliente pequeno negócio com gás natural NEGÓCIOS TOTAL 5% desconto na fatura de gás natural; 2% desconto na fatura de eletricidade (Tarifa Simples e Tri-horário, Bihorário igual ao mercado regulado); Acesso à comunidade edp Cliente pequeno negócio sem gás natural: NEGÓCIOS 2% desconto na fatura de electricidade (para potências contratadas entre kva e 20.7 kva em Tarifa Simples e em Tri-horário; Bihorário e restantes potências contratadas iguais ao mercado regulado);

4 4 NEGÓCIOS BASE REFERÊNCIA MB Acesso à comunidade edp Vantagens Descontos na fatura (com pagamento por débito direto) Desconto direto na fatura, face ao preço praticado no mercado regulado; O desconto é aplicado na componente fixa (potência contratada no caso da eletricidade e termo tarifário fixo no caso do gás natural) e na componente variável da fatura (consumo de energia); Exclui-se para o cálculo do desconto os impostos (IVA) e outras taxas aplicáveis (CAV, DGEG, etc.); Comunidade edp A comunidade edp é uma rede parceiros distribuída por todo o país, que oferece descontos e vantagens a todos os clientes edp, em mercado livre; Com a comunidade edp, os clientes têm ao seu dispor descontos para quase tudo, desde as compras do dia-a-dia aos momentos de lazer, e tudo perto do seu bairro, do local de trabalho e nas ruas onde passa diariamente. Além disso recebem regularmente por sms e , ofertas e surpresas adicionais. Pequenos negócios, também eles clientes edp em mercado livre e que em troca do desconto, têm gratuitamente uma página no site para divulgarem o seu negócio

5 5 Condições de adesão à oferta edp: Eletricidade: Tarifário Simples, Bi-horário e Tri-horário; Potência Contratada entre 10,35 e 20,7 kvas em tarifário Simples e Bi- Horário e entre 27.6 e 41.4 kva para Tri-horário. Gás Natural Apenas os escalões 1 e 2 de consumo têm desconto de 5% na fatura de gás natural; O escalão 3 tem um preço igual ao Mercado Regulado (excepto na zona EDP Gás onde tem 3% de desconto) O escalão 4 tem um preço mais elevado que o Mercado Regulado Geral Pagamento por débito direto (está disponível a oferta CASA BASE e NEGÓCIOS BASE, para clientes que pretendam pagar através de referência MB, mas esta oferta não tem o benefício do desconto na fatura, sendo o tarifário igual ao do mercado regulado); Fatura mensal ou bimestral; Disponível acordo de conta certa; Disponível adesão à fatura electrónica; Sem qualquer período de fidelização associado.

6 6 Funciona e Funciona Plus A EDP Comercial tem agora um novo serviço o Funciona que vai fazer face aos riscos de vida e financeiros que corre na sua casa! Para cada componente, o Funciona tem vários benefícios. Funciona Residencial: Período de fidelização de 12 meses serviço anual pago em prestações mensais na fatura de energia. Campanha de lançamento: Desconto de 50% nas primeiras 12 mensalidade 3.90 para o Funciona e 6.90 para o Funciona Plus.

7 7 Funciona Negócios: Período de fidelização de 12 meses serviço anual pago em prestações mensais na fatura de energia. Campanha de lançamento: Desconto de 50% nas primeiras 12 mensalidade iva para o Funciona e i va O que inclui?

8 8 Resumo oferta EDP Nota: Apenas serão comissionadas as potências a partir de kva.

9 9 O que o Parceiro pode fazer? Contratos Casa e Negócios com tarifa Simples acima de 10,35 kva, Contratos Casa e Negócios com tarifas Tri-Horários de 27,6 kva a 41,4kva Contratos Casa e Negócios com tarifa Bi-Horário acima de 10,35 kva, Contratos Casa e Negócios TOTAL (gás+eletricidade) com qualquer qualquer Tarifa. potência e O que o Parceiro não pode fazer? Contratos Casa e Negócios com tarifa Simples com potências de 1,15 kva a 6,9 kva; Contratos Casa e Negócios com tarifas Tri-Horários abaixo das potências acima indicadas; Contratos Casa e Negócios com tarifa Bi-Horário com potências de 1,15 kva a 6,9 kva; Contratos com tarifas Médias UT. Contratos com pagamento por Payshop ou CTT.

10 10 Processo de adesão: 1. Negócio parceiro da Rede Energia apresenta a oferta edp ao cliente: a. Explica as diferenças entre mercado regulado e mercado livre; b. Confirma se o cliente é um particular ou dono de um pequeno negócio; c. Confirma se o cliente tem gás natural; d. Apresenta a oferta que melhor se adequa ao cliente; e. Apresentar o Funciona e mostrar ao cliente que este produto é essencial para a sua proteção. 2. Se o cliente demonstrar interesse: a. Solicitar os seguintes dados do cliente: i. Nome do cliente ou da empresa; ii. Número de telefone e número de telemóvel; iii. Dados energéticos tal como conta da Ficha de Recolha de Clientes. b. Disponibilizar o número de telefone para adesão através da Rede Energia c. Informar o cliente que deverá ter consigo a sua fatura de eletricidade, a sua fatura de gás e o NIB da sua conta bancária; 3. Os dados dos clientes interessados deverão ser comunicados à ecoar, que irá contactá-los no sentido de proceder à alteração do(s) seu(s) contratos de energia; 4. Todos os clientes que finalizem o processo de adesão, obrigatoriamente através da ecoar, que tenham sido angariados por indicação do negócio parceiro da Rede Energia, serão contabilizados para efeito de pagamento da respetiva comissão.

11 11 Perguntas frequentes O que é o mercado livre? O mercado livre permite a livre concorrência nos mercados de eletricidade e gás, possibilitando o aparecimento de vários comercializadores de energia e uma maior escolha por parte dos consumidores. O processo de liberalização do mercado de energia ficará completo até ao final de 2012, com a extinção gradual das tarifas reguladas de venda de eletricidade e gás a clientes. Porque devo mudar para o mercado livre? No mercado livre de energia atuam várias empresas fornecedoras em concorrência, o que permite ao consumidor a escolha de uma solução de fornecimento que considere mais adequada às suas necessidades. Como consumidor em mercado livre, tem a possibilidade de mudar de fornecedor de energia a qualquer momento. É necessário mudar o contador? A mudança de comercializador por regra não implica mudança de contador. Vai haver interrupção de fornecimento? Não. A mudança de fornecedor não altera a continuidade do fornecimento da energia nem dos serviços técnicos associados, que continuarão a ser assegurados pela EDP Distribuição no caso da eletricidade e do seu distribuidor de gás. Como fica a minha fatura? A partir do momento em que muda de comercializador passará a receber uma nova fatura, onde estarão resumidas todas as despesa s relacionadas com eletricidade e gás natural (energia e utilização de redes). Quais os custos de mudança? O processo de mudança de comercializador não tem custos. Quem presta a assistência no caso de existirem avarias? Toda a assistência técnica continua a ser assegurada pelos operadores da rede de distribuição, independentemente do comercializador com quem tenha celebrado o seu contrato de energia. No caso da eletricidade, as avarias serão asseguradas pela EDP Distribuição; no que se refere ao gás serão asseguradas pelo operador da rede de distribuição do concelho do seu local de consumo. Se for cliente EDP no mercado livre, pode consultar pode consultar os contatos do operador de rede de distribuição na sua fatura. O mercado regulado vai acabar? Sim. O decreto-lei nº75/2012 de 26 de março apresenta a extinção gradual das tarifas reguladas de venda de eletricidade e gás, definindo um período transitório máximo de 3 anos, para incentivar os consumidores a mudar de comercializador de energia. Assim, a partir de 1 de julho de 2012 deixará de ser possível realizar novos contratos em mercado regulado para os seguintes casos: Eletricidade: consumidores com potências contratadas iguais ou superiores a 10,35 kva; Gás: consumidores com consumos anuais superiores a 500m 3. A partir de 1 de janeiro de 2013 esta impossibilidade estende-se aos restantes consumidores. Os atuais consumidores do mercado regulado de gás e eletricidade poderão optar por celebrar um novo contrato com a EDP Comercial (empresa do Grupo EDP que fornece eletricidade e gás em mercado livre) ou com qualquer outro comercializador a operar em Portugal Quais as implicações para os clientes que não optem por outro comercializador? Aos clientes que optem por permanecer no mercado regulado após a extinção das tarifas reguladas de venda de eletricidade e gás será aplicada uma tarifa transitória a definir pela Entidade Reguladora dos serviços Energéticos (ERSE), até às datas limite de: 31 de dezembro de 2014 para os clientes de eletricidade com potência contratada compreendida entre 10,35 kva, inclusive, e 41,4 kva, inclusive e de gás com consumo anual superior a 500m 3 ; 31 de dezembro de 2015 para os clientes de eletricidade com potência contratada inferior a 10,35 kva e de gás com consumo anual até 500m 3 ; O que é a tarifa transitória?

12 12 Após o fim das tarifas reguladas existirá um período máximo de 3 anos onde serão aplicadas tarifas transitórias aos consumido res que ainda não tenham escolhido o seu comercializador de energia em mercado livre. São tarifas definidas pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), com preços agravados, de forma a estimular induzir a transição gradual dos consumidores para os comercializadores livres As tarifas transitórias entrarão em vigor: A 1 de julho de 2012 para os consumidores de eletricidade com potência contratada acima de 10,35 kva e de gás com consumo anual superior a 500 m3; A 1 de janeiro de 2013 para os restantes consumidores. Verifique a sua potência contratada e o seu consumo na sua fatura. Posso continuar a ser cliente da edp? Para continuar a ser cliente do Grupo EDP e ter acesso às vantagens do mercado livre deverá celebrar um contrato com a EDP Comercial, a empresa do Grupo EDP que fornece eletricidade e gás no mercado livre de energia Em mercado livre, quem regula o mercado? Quem garante os direitos do consumidor Como cliente, está totalmente protegido em mercado livre, na medida em que este mercado está também sujeito às regras definidas pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), que garante a protecção dos interesses e direitos dos consumidores de energia. A mudança de fornecedor não altera a qualidade do fornecimento de energia nem dos serviços técnicos associados, que continuarão a ser assegurados pela EDP Distribuição no caso da el etricidade e do seu distribuidor de gás. O que é necessário fazer para ser fornecido através do mercado livre Para aderir ao mercado livre é muito simples: precisa apenas de celebrar um contrato com um comercializador que atue no mercado livre. Aproveite e conheça agora a oferta EDP em mercado livre. Posso voltar ao meu comercializador original? Tem custos? Em mercado livre pode mudar de comercializador sem custos adicionais. Sou cliente mercado livre. Para onde ligo em caso de dúvidas, avarias ou reclamações? Se for cliente EDP Comercial poderá ligar para o (custo chamada local dias úteis das 8h -20h), enviar um para ou ainda em qualquer loja EDP. Avarias Eletricidade : Avarias Gás : Consulte o contato do seu operador da rede de distribuição na sua fatura de gás. Onde posso saber mais sobre o fim das tarifas reguladas? O acesso a mais informação poderá ser feito através dos canais EDP (cu sto chamada local dias úteis das 8h-20h), qualquer loja EDP ou através da informação disponibilizada pelo regulador através do número (todos os dias das 15h às 18h) e através do site O que acontece se eu não mudar de comercializador? Fico sem serviço? Se não optar por um comercializador em mercado livre, continuará a ser fornecido pelo seu comercializador regulado mas será aplicada uma tarifa transitória, a definir pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE). Tenho mais do que uma casa. Posso contratar uma com um comercializador e a outra com outro? Sim, poderá ter cada um dos contratos em diferentes comercializadores. Após mudança para o mercado livre posso regressar à EDP Serviço Universal? Enquanto existirem tarifas reguladas, qualquer cliente poderá regressar à EDP Serviço Universal. Após as datas de extinção de tarifas reguladas,os consumidores fornecidos por comercializadores em mercado livre não poderão regressar à EDP Serviço Universal, mesmo que esteja ainda a decorrer o período transitório.

13 13 Faturas Mercado Regulado Eletricidade EDP Serviço Universal

14 14 Gás natural Exemplo: Beiragás

A liberalização do mercado de Eletricidade e de Gás Natural o Como e quando mudar de Comercializador

A liberalização do mercado de Eletricidade e de Gás Natural o Como e quando mudar de Comercializador A liberalização do mercado de Eletricidade e de Gás Natural o Como e quando mudar de Comercializador GAI Gabinete de Apoio à Instituição julho 2012 Mercado de Eletricidade e de Gás Natural Este documento

Leia mais

A ERSE e a liberalização do mercado de eletricidade. 26 de Outubro de 2012

A ERSE e a liberalização do mercado de eletricidade. 26 de Outubro de 2012 A ERSE e a liberalização do mercado de eletricidade 26 de Outubro de 2012 A ERSE e a liberalização do mercado de eletricidade 1. A ERSE na proteção dos consumidores e na promoção da concorrência Missão

Leia mais

PREÇOS DE REFERÊNCIA NO MERCADO LIBERALIZADO DE ENERGIA ELÉTRICA E GÁS NATURAL EM PORTUGAL CONTINENTAL

PREÇOS DE REFERÊNCIA NO MERCADO LIBERALIZADO DE ENERGIA ELÉTRICA E GÁS NATURAL EM PORTUGAL CONTINENTAL PREÇOS DE REFERÊNCIA NO MERCADO LIBERALIZADO DE ENERGIA ELÉTRICA E GÁS NATURAL EM PORTUGAL CONTINENTAL ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 1 DE OUTUBRO DE 2012 Os preços apresentados neste documento são comunicados à

Leia mais

CIRCULAR N/ REFª: 43/2012 DATA: 31/05/12. Assunto: Protocolo ERSE CCP. Exmos. Senhores,

CIRCULAR N/ REFª: 43/2012 DATA: 31/05/12. Assunto: Protocolo ERSE CCP. Exmos. Senhores, CIRCULAR N/ REFª: 43/2012 DATA: 31/05/12 Assunto: Protocolo ERSE CCP Exmos. Senhores, Através da circular 40/2012, a CCP deu conhecimento do protocolo celebrado com a ERSE e que teve por objectivo reforçar

Leia mais

Perguntas e respostas frequentes. Extinção das Tarifas Reguladas Eletricidade e Gás Natural

Perguntas e respostas frequentes. Extinção das Tarifas Reguladas Eletricidade e Gás Natural Perguntas e respostas frequentes Extinção das Tarifas Reguladas Eletricidade e Gás Natural 1. O que significa a extinção das tarifas reguladas? A extinção de tarifas reguladas significa que os preços de

Leia mais

E os consumidores economicamente vulneráveis? O que lhes acontece?

E os consumidores economicamente vulneráveis? O que lhes acontece? " opte pela melhor proposta não esquecendo de analisar, também, as condições contratuais apresentadas; " celebre o contrato com o novo comercializador que deverá tratar de todas as formalidades relativas

Leia mais

ELETRICIDADE ELETRICIDADE 1 DEZEMBRO 2014. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento

ELETRICIDADE ELETRICIDADE 1 DEZEMBRO 2014. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento ELETRICIDADE 1 DEZEMBRO 2014 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador Todos os consumidores de energia elétrica em Portugal continental podem livremente escolher o seu fornecedor desde

Leia mais

Protocolos de Consumo. Exército/ Nova Oferta 2013 Tarifários

Protocolos de Consumo. Exército/ Nova Oferta 2013 Tarifários Protocolos de Consumo Exército/ Nova Oferta 2013 Tarifários Quais as vantagens para os Colaboradores? Telemóveis a custo reduzido Tarifários exclusivos mediante vinculação à rede tmn por 24 meses Serviço

Leia mais

ELETRICIDADE ELETRICIDADE SETEMBRO 2013. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento

ELETRICIDADE ELETRICIDADE SETEMBRO 2013. LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador. 3. Contratar o fornecimento SETEMBRO 2013 LIBERALIZAÇÃO DO MERCADO ELÉTRICO Mudança de comercializador Todos os consumidores de energia elétrica em Portugal continental podem livremente escolher o seu fornecedor desde setembro de

Leia mais

3. Sou Cliente MEO Satélite. Posso aderir ao M4O? Ainda não está disponível a oferta de um pacote M4O para o serviço Satélite.

3. Sou Cliente MEO Satélite. Posso aderir ao M4O? Ainda não está disponível a oferta de um pacote M4O para o serviço Satélite. FAQ M4O 1. Não vou pagar nada de MEO M4O? O desconto de 100% é relativo ao valor da mensalidade do pacote. A 1ª box também continua a ser grátis. Alugueres VOD, canais premium, 2ª e/ou 3ª MEO Box, cartões

Leia mais

Campanha de Colaboradores Tarifários Unlimited Banda Larga

Campanha de Colaboradores Tarifários Unlimited Banda Larga Campanha de Colaboradores Tarifários Unlimited Banda Larga Campanha de Colaboradores Apresentamos uma oferta abrangente e competitiva que pretende responder às diferentes necessidades do Cliente. 1- Tarifários

Leia mais

REGULAMENTO TARIFÁRIO

REGULAMENTO TARIFÁRIO REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SECTOR ELÉCTRICO Julho 2011 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail: erse@erse.pt

Leia mais

Proposta de protocolo Benefícios aos associados

Proposta de protocolo Benefícios aos associados Proposta de protocolo Benefícios aos associados A LUZBOA A LUZBOA Comercialização de Energia Lda é uma empresa de comercialização de electricidade no mercado liberalizado sedeada em Viseu, que opera para

Leia mais

2. Onde posso aderir ao M5O? A adesão ao M5O deve ser feita no formulário disponível no canal Vantagens épt em http://vantagensept.telecom.pt.

2. Onde posso aderir ao M5O? A adesão ao M5O deve ser feita no formulário disponível no canal Vantagens épt em http://vantagensept.telecom.pt. FAQ M5O 1. Não vou pagar nada pelo M5O? O desconto de 100% é relativo ao valor da mensalidade do pacote. A 1ª MEO Box também continua a ser gratuita. O aluguer de filmes no MEO Videoclube, canais premium,

Leia mais

do Orçamento Familiar

do Orçamento Familiar Iniciativa Sessões de esclarecimento para consumidores Parceria Gestão MUDAR DE COMERCIALIZADOR DE ELETRICIDADE E GÁS NATURAL do Orçamento Familiar Susana Correia Olhão 4, Fevereiro de 2013 Liberalização

Leia mais

Decreto lei nº25/2013 de 19 de Fevereiro

Decreto lei nº25/2013 de 19 de Fevereiro Decreto lei nº25/2013 de 19 de Fevereiro O decreto lei nº25/2013 revê os regimes jurídicos de Microprodução e Miniprodução, define as suas últimas alterações e contempla as normas que regulamentam os dois

Leia mais

O MERCADO DA ENERGIA ESTÁ A MUDAR

O MERCADO DA ENERGIA ESTÁ A MUDAR O MERCADO DA ENERGIA ESTÁ A MUDAR INFORME-SE BEM PARA DECIDIR BEM Uma iniciativa: LIGUE 808 100 808 VISITE WWW.ESCOLHAASUAENERGIA.PT FALE COM A SUA EMPRESA DE ELETRICIDADE E DE GÁS NATURAL Parceiros: MINISTÉRIO

Leia mais

Comunicado. Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2016

Comunicado. Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2016 Comunicado Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2016 Nos termos regulamentarmente previstos, designadamente no artigo 185.º do Regulamento Tarifário, o Conselho de Administração da ERSE

Leia mais

Central Inteligente. Solução integrada de comunicações fixas e móveis

Central Inteligente. Solução integrada de comunicações fixas e móveis Inteligente Solução integrada de comunicações fixas e móveis Suponhamos que a minha empresa tem comerciais sempre fora do escritório... Inteligente A central telefónica que integra as comunicações entre

Leia mais

Tarifário VPNCC-M- PROT_ON NET

Tarifário VPNCC-M- PROT_ON NET Tarifário individual de minutos/sms/dados com comunicações para todas as redes (Portugal ou Espanha), WiFi PT ilimitado e plafond de desconto para aquisição de equipamentos. (Sujeito a política de utilização

Leia mais

Essa energia pode então ser injectada e vendida na sua totalidade à rede a uma tarifa bonificada.

Essa energia pode então ser injectada e vendida na sua totalidade à rede a uma tarifa bonificada. O que é a geração fotovoltaica? A microgeração fotovoltaica é a produção, pelo próprio consumidor, de energia elétrica através da captação da radiação solar por um conjunto de painéis solares fotovoltaicos.

Leia mais

PROJETO QUADRO DE HONRA STAPLES (2013/2014) TERMOS E CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO

PROJETO QUADRO DE HONRA STAPLES (2013/2014) TERMOS E CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO PROJETO QUADRO DE HONRA STAPLES (2013/2014) TERMOS E CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 1. NATUREZA E ÂMBITO DO QUADRO DE HONRA STAPLES 1.1. O QUADRO DE HONRA STAPLES é uma iniciativa da Staples Portugal Equipamento

Leia mais

Comunicado. Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014

Comunicado. Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014 Comunicado Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014 De acordo com os procedimentos estabelecidos no Regulamento Tarifário foi submetida, em outubro, à apreciação do Conselho Tarifário, da Autoridade

Leia mais

Comunicado. Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014

Comunicado. Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014 Comunicado Proposta de Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014 Nos termos regulamentarmente previstos, o Conselho de Administração da ERSE apresenta, a 15 de outubro de cada ano, uma proposta

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 10/2013

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 10/2013 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 10/2013 Tarifas e Preços de Gás Natural para o ano gás 2013-2014 e Parâmetros para o Período de Regulação 2013-2016 O Regulamento Tarifário do

Leia mais

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM AT (Alta Tensão) CONDIÇÕES GERAIS

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM AT (Alta Tensão) CONDIÇÕES GERAIS CONTRATO DE FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM AT (Alta Tensão) CONDIÇÕES GERAIS 1ª - Objeto do Contrato. 1. O presente Contrato tem por objeto o fornecimento de energia elétrica pela EDP Serviço Universal

Leia mais

ALERTA LEGAL. Decreto-Lei n.º 153/2014, de 20 de outubro

ALERTA LEGAL. Decreto-Lei n.º 153/2014, de 20 de outubro ALERTA LEGAL Decreto-Lei n.º 153/2014, de 20 de outubro No dia 20 de outubro de 2014 foi publicada em Diário da República, I Série, o Decreto-Lei n.º 153/2014 que estabelece o regime jurídico aplicável

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Diretiva N.º 20/2013. Parâmetros de Regulação da Qualidade de Serviço do setor elétrico

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Diretiva N.º 20/2013. Parâmetros de Regulação da Qualidade de Serviço do setor elétrico ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Diretiva N.º 20/2013 Parâmetros de Regulação da Qualidade de Serviço do setor elétrico O Regulamento da Qualidade de Serviço do setor elétrico (RQS) prevê que

Leia mais

Automático. DMKT gestao campanhas e crm

Automático. DMKT gestao campanhas e crm Terminais de Pagamento Automático DMKT gestao campanhas e crm 1 Mais vantagens para o seu Negócio A utilização de um Terminal de Pagamento Automático facilita e torna mais rápido o acto de pagamento. Desta

Leia mais

REGULAMENTO DA QUALIDADE DE SERVIÇO DO SETOR DO GÁS NATURAL

REGULAMENTO DA QUALIDADE DE SERVIÇO DO SETOR DO GÁS NATURAL REGULAMENTO DA QUALIDADE DE SERVIÇO DO SETOR DO GÁS NATURAL Abril 2013 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32

Leia mais

Associados da Associação Empresarial da Região do Oeste (AIRO)

Associados da Associação Empresarial da Região do Oeste (AIRO) Associados da Associação Empresarial da Região do Oeste (AIRO) As ofertas anunciadas estão sujeitas às alterações de mercado e limitadas ao stock existente, pelo que deverá sempre obter mais informação

Leia mais

REGULAMENTO DE PREÇOS ÍNDICE ALTERAÇÕES

REGULAMENTO DE PREÇOS ÍNDICE ALTERAÇÕES ÍNDICE 1 Objetivo e campo de aplicação 2 2 Definições 2 3 Referências bibliográficas 2 4 Introdução 2 5 Disposições gerais 2 6 Tabela de Preços para Acreditação de Laboratórios 4 7 Tabela de Preços para

Leia mais

Mercado liberalizado da eletricidade e do gás natural. Guia Prático: perguntas com respostas

Mercado liberalizado da eletricidade e do gás natural. Guia Prático: perguntas com respostas Mercado liberalizado da eletricidade e do gás natural Guia Prático: perguntas com respostas Nota introdutória A liberalização dos mercados de eletricidade e do gás natural e a sequente extinção das tarifas

Leia mais

Análise da proposta de. condições gerais do. Contrato de Uso das Redes - RARI

Análise da proposta de. condições gerais do. Contrato de Uso das Redes - RARI Análise da proposta de condições gerais do Contrato de Uso das Redes - RARI Junho de 2006 Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail: erse@erse.pt www.erse.pt

Leia mais

GUIA TDT PREPARE-SE para a televisão digital terrestre saiba o que fazer!

GUIA TDT PREPARE-SE para a televisão digital terrestre saiba o que fazer! GUIA TDT PREPARE-SE para a televisão digital terrestre saiba o que fazer! MENSAGEM DO PRESIDENTE Num momento crucial para a modernização tecnológica de Portugal, é com grande empenho que o(a) alerto para

Leia mais

Conferência Diário Económico Custo de Energia: Opções dos Consumidores

Conferência Diário Económico Custo de Energia: Opções dos Consumidores Conferência Diário Económico Custo de Energia: Opções dos Consumidores Miguel S8lwell d Andrade Administrador EDP Lisboa, 4 de Julho de 2012 Os preços pra:cados pelos comercializadoras devem reflec:r os

Leia mais

Condições de Oferta dos Serviços STV

Condições de Oferta dos Serviços STV Condições de Oferta dos Serviços STV ÍNDICE 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRESTADOR...2 2. INFORMAÇÃO SOBRE OS SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES ELETRÓNICAS ACESSÍVEIS AO PÚBLICO... 2 2.1) SERVIÇO DE TELEFONE VOZ FIXA...

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Despacho n.º 3677/2011

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS. Despacho n.º 3677/2011 9626 Diário da República, 2.ª série N.º 39 24 de Fevereiro de 2011 PARTE E ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Despacho n.º 3677/2011 O artigo 72.º do Regulamento de Relações Comerciais do Gás

Leia mais

A liberalização do sector energético na perspetiva dos consumidores

A liberalização do sector energético na perspetiva dos consumidores A liberalização do sector energético na perspetiva dos consumidores Conferência do Diário Económico Vitor Santos Presidente da ERSE Hotel Sheraton, Lisboa 4 de Julho de 2012 Agenda 1. Liberalização efetiva

Leia mais

GUIA TDT PREPARE-SE PARA A televisão digital terrestre SAibA o que fazer!

GUIA TDT PREPARE-SE PARA A televisão digital terrestre SAibA o que fazer! GUIA TDT PREPARE-SE para a televisão digital terrestre saiba o que fazer! MENSAGEM DO PRESIDENTE José Amado da Silva Presidente da Autoridade Nacional das Comunicações (ICP-ANACOM) Num momento crucial

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MINIPRODUÇÃO

CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MINIPRODUÇÃO CONTRATO DE COMPRA E VENDA DE ENERGIA ELÉTRICA UNIDADES DE MINIPRODUÇÃO Entre [ ]., com sede em [ ], matriculada na Conservatória do Registo Comercial de [ ], com o número de matrícula e pessoa coletiva

Leia mais

Guia para a certificação de uma unidade de microprodução

Guia para a certificação de uma unidade de microprodução Guia para a certificação de uma unidade de microprodução V 009-10/09 Página 1 Índice Página 0 Alterações efectuadas ao Guia relativamente à versão anterior 3 1 Siglas e definições 3 2 Regime remuneratório

Leia mais

Tarifa Social na Eletricidade. Aspetos principais

Tarifa Social na Eletricidade. Aspetos principais Tarifa Social na Eletricidade Aspetos principais 1. Em que consiste a tarifa social no fornecimento de eletricidade? A tarifa social resulta da aplicação de um desconto na tarifa de acesso às redes de

Leia mais

Fidelização, meios de pagamento e indexação. Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de junho de 2015

Fidelização, meios de pagamento e indexação. Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de junho de 2015 Fidelização, meios de pagamento e indexação Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de junho de 2015 Tópicos 1. Contexto 2. Diversidade de ofertas 3. Fidelização no contrato 4. Meios de pagamento

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O CASO VOLKSWAGEN

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O CASO VOLKSWAGEN PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O CASO VOLKSWAGEN O Grupo de Trabalho 1 está a desenvolver todas as diligências e a acompanhar as ações necessárias à resolução do problema dos veículos automóveis fabricados

Leia mais

GUIA PARA COMPRA ONLINE

GUIA PARA COMPRA ONLINE GUIA PARA COMPRA ONLINE www.tipsal.pt QUEM SOMOS A TIPSAL - Técnicas Industriais de Protecção e Segurança, Lda foi fundada em 1980. Somos uma empresa de capitais exclusivamente nacionais com sede social

Leia mais

SEJA RESPONSÁVEL EVITE ATRASOS E MULTAS FACILITE A SUA VIDA! 1ª Fase - 1 a 31 de Março de 2014, para rendimentos das categorias A e H;

SEJA RESPONSÁVEL EVITE ATRASOS E MULTAS FACILITE A SUA VIDA! 1ª Fase - 1 a 31 de Março de 2014, para rendimentos das categorias A e H; IRS 2014 e 2015: Prazos e Despesas Dedutíveis Com o início de um novo ano aparecem as obrigações fiscais anuais que todos os contribuintes têm de cumprir. Está na hora de começar já a organizar as suas

Leia mais

Centro Cultural de Belém

Centro Cultural de Belém Audição Pública sobre a proposta de regulamentação do Gás Natural Centro Cultural de Belém Perspectiva dos consumidores A opinião da COGEN Portugal A. Brandão Pinto Presidente da Comissão Executiva ÍNDICE

Leia mais

PREÇOS DE REFERÊNCIA NO MERCADO LIBERALIZADO DE ENERGIA ELÉTRICA E GÁS NATURAL EM PORTUGAL CONTINENTAL

PREÇOS DE REFERÊNCIA NO MERCADO LIBERALIZADO DE ENERGIA ELÉTRICA E GÁS NATURAL EM PORTUGAL CONTINENTAL PREÇOS DE REFERÊNCIA NO MERCADO LIBERALIZADO DE ENERGIA ELÉTRICA E GÁS NATURAL EM PORTUGAL CONTINENTAL ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: 8 DE ABRIL DE 2015 Os preços apresentados neste documento são comunicados à ERSE

Leia mais

Direção Nacional Unidade Orgânica de Logística e Finanças Departamento de Logística. Caderno de Encargos

Direção Nacional Unidade Orgânica de Logística e Finanças Departamento de Logística. Caderno de Encargos Direção Nacional Unidade Orgânica de Logística e Finanças Departamento de Logística Caderno de Encargos Caderno de Encargos Cláusula 1.ª Objeto 1. O presente caderno de encargos compreende as cláusulas

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço 1 - Aplicação Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 045 - Claro Online Sem internet Requerimento de Homologação Nº 8879 Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço é aplicável pela autorizatária

Leia mais

MEO CAMPANHA DE NATAL ESCLARECIMENTO

MEO CAMPANHA DE NATAL ESCLARECIMENTO MEO CAMPANHA DE NATAL ESCLARECIMENTO Por forma a esclarecer algumas dúvidas em relação às ofertas para novas adesões TV aos pacotes Total 30 Especial e Total 24 Especial, informamos: Novas adesões TV aos

Leia mais

REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SETOR DO GÁS NATURAL

REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SETOR DO GÁS NATURAL REGULAMENTO TARIFÁRIO DO SETOR DO GÁS NATURAL Abril 2013 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail: erse@erse.pt

Leia mais

Como Vender. Versão Maio/2016. Nossa melhor ligação é com você

Como Vender. Versão Maio/2016. Nossa melhor ligação é com você Versão Maio/2016 Nossa melhor ligação é com você Passo a passo COMO VENDER A Porto Seguro sempre procurou criar produtos e serviços que facilitam a vida dos seus clientes. Foi assim com os consertos gratuitos

Leia mais

Fidelização, meios de pagamento e indexação. Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de maio de 2014

Fidelização, meios de pagamento e indexação. Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de maio de 2014 Fidelização, meios de pagamento e indexação Mercados de eletricidade e de gás natural 29 de maio de 2014 Tópicos 1. Contexto 2. Diversidade de ofertas 3. Fidelização no contrato 4. Meios de pagamento 5.

Leia mais

ERSE Audição Pública sobre os Regulamentos do Sector do Gás Natural. Lisboa, 26 de Julho de 2006

ERSE Audição Pública sobre os Regulamentos do Sector do Gás Natural. Lisboa, 26 de Julho de 2006 ERSE Audição Pública sobre os Regulamentos do Sector do Gás Natural Lisboa, 26 de Julho de 2006 O ponto de vista de uma Distribuidora Modelo proposto a Distribuidora apresenta um plano de desenvolvimento

Leia mais

Pagamento via Celular. Guia Prático. Cartão Ecopag. Pagamento via Celular

Pagamento via Celular. Guia Prático. Cartão Ecopag. Pagamento via Celular Pagamento via Celular Guia Prático Cartão Ecopag Pagamento via Celular VALIDADE MARCELO TELLES 08/15 Parabéns! Agora você já pode dizer para todo mundo que tem um fantástico cartão de crédito e pagamento

Leia mais

RECOMENDAÇÃO N.º 1/2015 APLICAÇÃO DA TARIFA SOCIAL NA ELETRICIDADE E NO GÁS NATURAL

RECOMENDAÇÃO N.º 1/2015 APLICAÇÃO DA TARIFA SOCIAL NA ELETRICIDADE E NO GÁS NATURAL RECOMENDAÇÃO N.º 1/2015 APLICAÇÃO DA TARIFA SOCIAL NA ELETRICIDADE E NO GÁS NATURAL Julho de 2015 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso

Leia mais

REGULAMENTO OFERTA OI CONTROLE

REGULAMENTO OFERTA OI CONTROLE REGULAMENTO OFERTA OI CONTROLE Válida para os Estados de MG(31/32/33/34, BA(71/73/74/77),PE(81/87), AL(82),PB(83), CE(85),RN(84),PI(86),AM(92), PA(93),MA(98/99). OI CONTROLE GANHE R$2700 EM BÔNUS Empresa

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA DE ENERGIA ELÉTRICA EM 2016

CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA DE ENERGIA ELÉTRICA EM 2016 CARACTERIZAÇÃO DA PROCURA DE ENERGIA ELÉTRICA EM 2016 Dezembro 2015 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Este documento está preparado para impressão em frente e verso Rua Dom Cristóvão da Gama

Leia mais

Campanha de Sócios. Tarifários Unlimited Tarifários - Banda Larga

Campanha de Sócios. Tarifários Unlimited Tarifários - Banda Larga Campanha de Sócios Tarifários Unlimited Tarifários - Banda Larga Campanha de Sócios Adesões na Madeira e Contactos Campanha disponível numa loja MEO/TMN perto de si, contactos; Centro Comercial Dolce Vita

Leia mais

PHC Mensagens SMS CS

PHC Mensagens SMS CS PHC Mensagens SMS CS O potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC O envio de mensagens a múltiplos destinatários em simultâneo. Uma comunicação com sucesso: ganhos de tempo e de dinheiro

Leia mais

Campanha de Colaboradores Tarifários Unlimited Tarifários Grupo Tarifários - Banda Larga

Campanha de Colaboradores Tarifários Unlimited Tarifários Grupo Tarifários - Banda Larga Campanha de Colaboradores Tarifários Unlimited Tarifários Grupo Tarifários - Banda Larga Campanha de Colaboradores Apresentamos uma oferta abrangente e competitiva que pretende responder às diferentes

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 13 19 de Janeiro de 2011 3935

Diário da República, 2.ª série N.º 13 19 de Janeiro de 2011 3935 Diário da República, 2.ª série N.º 13 19 de Janeiro de 2011 3935 Despacho n.º 1550/2011 A mais recente revisão regulamentar do sector do gás natural, concretizada através do Despacho n.º 4878/2010, de

Leia mais

CONSELHO EMPRESARIAL DO TÂMEGA E SOUSA (CETS) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS

CONSELHO EMPRESARIAL DO TÂMEGA E SOUSA (CETS) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS CONSELHO EMPRESARIAL DO TÂMEGA E SOUSA (CETS) CONDIÇÕES EXCLUSIVAS PARA ASSOCIADOS Fevereiro 2014 Para aderir ou obter mais informações: Consulte o seu gestor PT Empresas Envie email para protocoloseparceriasptempresas@telecom.pt

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 6/2014. Tarifas e Preços de Gás Natural para o ano gás 2014-2015

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 6/2014. Tarifas e Preços de Gás Natural para o ano gás 2014-2015 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DIRETIVA N.º 6/2014 Tarifas e Preços de Gás Natural para o ano gás 2014-2015 Nos termos dos seus Estatutos aprovados pelo Decreto-Lei n.º 97/2002, de 12 de

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS Fundo de Eficiência Energética PERGUNTAS E RESPOSTAS Aviso 13 Incentivo à promoção da Eficiência Energética II 2015 ÍNDICE ÂMBITO GERAL... 3 1. O que é o FEE Fundo de Eficiência Energética?... 3 2. Qual

Leia mais

Condições Gerais de Prestação do Serviço Telefónico Acessível ao Público num Local Fixo através de Cartão Virtual de Chamadas 1.

Condições Gerais de Prestação do Serviço Telefónico Acessível ao Público num Local Fixo através de Cartão Virtual de Chamadas 1. Condições Gerais de Prestação do Serviço Telefónico Acessível ao Público num Local Fixo através de Cartão Virtual de Chamadas da MEO - Serviços de Comunicações e Multimédia, S.A., com sede na Av. Fontes

Leia mais

Campanha de Colaboradores Tarifários Unlimited Tarifários Grupo Tarifários

Campanha de Colaboradores Tarifários Unlimited Tarifários Grupo Tarifários Campanha de Colaboradores Tarifários Unlimited Tarifários Grupo Tarifários Campanha de Colaboradores Apresentamos uma oferta abrangente e competitiva que pretende responder às diferentes necessidades do

Leia mais

MERCADO LIBERALIZADO DE ENERGIA ELÉCTRICA

MERCADO LIBERALIZADO DE ENERGIA ELÉCTRICA MERCADO LIBERALIZADO DE ENERGIA ELÉCTRICA CTC CÁVADO-MINHO LIMA-OURENSE COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DO CÁVADO AGÊNCIA DE ENERGIA DO CÁVADO Setembro, 2012 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 SEMINÁRIO Energia Solar Passiva...

Leia mais

REGULAMENTO DE OPERAÇÃO DAS INFRA-ESTRUTURAS

REGULAMENTO DE OPERAÇÃO DAS INFRA-ESTRUTURAS REGULAMENTO DE OPERAÇÃO DAS INFRA-ESTRUTURAS DO SECTOR DO GÁS NATURAL Fevereiro 2010 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 213 033 200 Fax:

Leia mais

energia 100% natural

energia 100% natural Guia do cliente 02 energia 100% natural Bem-vindo à EDP Gás Distribuição 1 2 3 EDP Gás Distribuição no setor do gás natural 04/05 Consumo eficiente 06/07 Instalações e aparelhos 08/11 a sua distribuidora

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DESPACHO ERSE N.º 8 / 2003

ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DESPACHO ERSE N.º 8 / 2003 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS DESPACHO ERSE N.º 8 / 2003 O Regulamento de Relações Comerciais (RRC) aprovado pela ERSE através do Despacho n.º 18 413-A/2001 (2.ª série), de 1 de Setembro,

Leia mais

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA. Artigo: alínea c) do n.º 1 do artigo 18.º. Assunto:

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA. Artigo: alínea c) do n.º 1 do artigo 18.º. Assunto: FICHA DOUTRINÁRIA Diploma: Artigo: Assunto: CIVA alínea c) do n.º 1 do artigo 18.º Operações imobiliárias - Aplicação do modelo contratual de "Office Centre" Processo: nº 3778, despacho do SDG dos Impostos,

Leia mais

Campanha para Associados do Cartão da Santa Casa da Misericórdia da Amadora. Tarifários Unlimited Tarifários - Banda Larga

Campanha para Associados do Cartão da Santa Casa da Misericórdia da Amadora. Tarifários Unlimited Tarifários - Banda Larga Campanha para Associados do Cartão da Santa Casa da Misericórdia da Amadora Tarifários Unlimited Tarifários - Banda Larga Campanha para Associados Apresentamos uma oferta abrangente e competitiva que pretende

Leia mais

Usados por maior número de utilizadores, os acessos móveis reúnem menor satisfação, A fibra é a ligação que mais satisfaz

Usados por maior número de utilizadores, os acessos móveis reúnem menor satisfação, A fibra é a ligação que mais satisfaz 11 - HSVI intad >fa,# < Usados por maior número de utilizadores, os acessos móveis reúnem menor satisfação, A fibra é a ligação que mais satisfaz á quem já não consiga viver i sem poder aceder à Net. Daí

Leia mais

Argumentos de Vendas. Versão Maio/2016. Nossa melhor ligação é com você

Argumentos de Vendas. Versão Maio/2016. Nossa melhor ligação é com você Argumentos de Vendas Versão Maio/2016 Nossa melhor ligação é com você Algumas perguntas que podem ser feitas Você está satisfeito com sua operadora atual? Você é bem atendido quando liga na central de

Leia mais

Guia de Cliente Seguro de Saúde

Guia de Cliente Seguro de Saúde 1 2 Índice O que está coberto pelo meu Seguro de Saúde? Qual o valor máximo pago pelo Segurador por ano por cada cobertura? O que tenho de pagar quando utilizar o Seguro de Saúde? Tabela de Franquias e

Leia mais

Escritório Virtual. Manual do utilizador Marketing para o setor grossista

Escritório Virtual. Manual do utilizador Marketing para o setor grossista Escritório Virtual Manual do utilizador Marketing para o setor grossista Escritório Virtual Introdução No Escritório Virtual da Gas Natural Fenosa estão reunidas todas as informações que podem interessar-lhe

Leia mais

Nº Solicitação Nº cliente. Localidade. Localidade. Novo cliente Cliente já existente Indique aqui o seu número de telefone atual.

Nº Solicitação Nº cliente. Localidade. Localidade. Novo cliente Cliente já existente Indique aqui o seu número de telefone atual. contrato de adesão ao serviço MEO com telemóvel Mod.C/1001785 A preencher pelos nossos serviços Data provável de instalação Nº Solicitação Nº cliente Nº venda (PRT) Vendedor 1. IDENTIFICAÇÃO DO CLIENTE

Leia mais

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO ÀS REGRAS DO PLANO DE PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA NO CONSUMO DE ENERGIA ELÉCTRICA APROVADAS NO ÂMBITO DO REGULAMENTO TARIFÁRIO

PROPOSTA DE ALTERAÇÃO ÀS REGRAS DO PLANO DE PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA NO CONSUMO DE ENERGIA ELÉCTRICA APROVADAS NO ÂMBITO DO REGULAMENTO TARIFÁRIO PROPOSTA DE ALTERAÇÃO ÀS REGRAS DO PLANO DE PROMOÇÃO DA EFICIÊNCIA NO CONSUMO DE ENERGIA ELÉCTRICA APROVADAS NO ÂMBITO DO REGULAMENTO TARIFÁRIO Fevereiro 2013 ENTIDADE REGULADORA DOS SERVIÇOS ENERGÉTICOS

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço 1 - Aplicação Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 044 - Claro Online 5GB Requerimento de Homologação Nº 8876 Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço é aplicável pela autorizatária CLARO S.A.,

Leia mais

Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES

Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES Brasília 2012 Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES Brasília 2012 Edital SENai SESi de inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES 3 1)

Leia mais

Acordo quadro de serviço móvel terrestre PROGRAMA DE CONCURSO

Acordo quadro de serviço móvel terrestre PROGRAMA DE CONCURSO Acordo quadro de serviço móvel terrestre PROGRAMA DE CONCURSO ANCP 2012 Índice Artigo 1.º Tipo de procedimento, designação e objeto... 3 Artigo 2.º Entidade pública adjudicante... 3 Artigo 3.º Órgão que

Leia mais

Plano de Acção para a Sustentabilidade Energética de Lisboa

Plano de Acção para a Sustentabilidade Energética de Lisboa Plano de Acção para a Sustentabilidade Energética de Lisboa desenvolvido no seguimento da adesão da ao Pacto dos Autarcas no âmbito da Estratégia Energético-Ambiental para Lisboa Elaborado por: Título:

Leia mais

FICHA DOUTRINÁRIA. Artigo: 6º Assunto:

FICHA DOUTRINÁRIA. Artigo: 6º Assunto: Diploma: Artigo: 6º Assunto: CIVA FICHA DOUTRINÁRIA Localização de operações - Serviços por via eletrónica - Desenvolvimento de aplicações para dispositivos móveis que são publicadas em lojas online -

Leia mais

GINÁSIO DA ATFCUL REGULAMENTO

GINÁSIO DA ATFCUL REGULAMENTO GINÁSIO DA ATFCUL REGULAMENTO A Associação de Trabalhadores da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (ATFCUL) coloca ao dispor de todos os associados a partir de Fevereiro 2016 um Ginásio para

Leia mais

PT INFORMA. Campanha de Verão Pré-Paga INTERNET MÓVEL PC/TABLET COMUNICAÇÃO Nº 275

PT INFORMA. Campanha de Verão Pré-Paga INTERNET MÓVEL PC/TABLET COMUNICAÇÃO Nº 275 05/01/2015 14/07/2015 MEOM001-201501 MEOI001-201507 PT INFORMA Campanha de Verão Pré-Paga INTERNET MÓVEL PC/TABLET COMUNICAÇÃO Nº 275 Versão: MEOI001-201507 Mais informação em: http://heka.telecom.pt/psc/ccil/

Leia mais

Regulamento da CMVM n.º 9/2007 Comercialização Pública de Contratos Relativos ao Investimento em Bens Corpóreos

Regulamento da CMVM n.º 9/2007 Comercialização Pública de Contratos Relativos ao Investimento em Bens Corpóreos Regulamento da CMVM n.º 9/2007 Comercialização Pública de Contratos Relativos ao Investimento em Bens Corpóreos Ao abrigo do disposto no n.º 5 do artigo 9.º, no n.º 2 do artigo 10.º, nos artigos 11.º e

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL PARA REPARAÇÕES DOMÉSTICAS AO DOMICÍLIO PROGRAMA CAMINHAMIGA

REGULAMENTO MUNICIPAL PARA REPARAÇÕES DOMÉSTICAS AO DOMICÍLIO PROGRAMA CAMINHAMIGA REGULAMENTO MUNICIPAL PARA REPARAÇÕES DOMÉSTICAS AO DOMICÍLIO PROGRAMA CAMINHAMIGA ÍNDICE Preâmbulo Artigo 1.º - Âmbito Artigo 2.º - Objetivo Artigo 3.º - Condições de acesso Artigo 4.º - Serviços prestados

Leia mais

Os dados de cliente devem ser os mesmos que constam no operador detentor do(s) número(s) a portar Nome

Os dados de cliente devem ser os mesmos que constam no operador detentor do(s) número(s) a portar Nome Mod.C/0080. IDENTIFICAÇÃO DO CLIENTE C. Cidadão/BI/Passaporte Morada Cód. Postal Telemóvel de contacto E-mail Informo que, por motivos de portabilidade, pretendo rescindir o contrato de prestação de serviço

Leia mais

S E R V I Ç O S V O I P

S E R V I Ç O S V O I P FILIAIS CLIENTES PARCEIROS FORNECEDORES FALE COM TODA A SUA ESTRUTURA EMPRESARIAL A PREÇOS BAIXOS A DS-PHONE DS-PHONE é um serviço de telecomunicações para rede fixa e rede móvel a nível Nacional e Internacional.

Leia mais

CONSIDERANDOS PROGRAMA

CONSIDERANDOS PROGRAMA PROCEDIMENTO DE HASTA PÚBLICA PARA ATRIBUIÇÃO A TÍTULO PRECÁRIO DA EXPLORAÇÃO ECONÓMICA DE UM MÓDULO DE CAFETARIA INSTALADO A SUL DO PARQUE INFANTIL EM FRENTE AO CENTRO MULTIMEIOS DE ESPINHO CONSIDERANDOS

Leia mais

Definição e Implementação de Metodologia, Modelo e Ferramentas para Avaliação de Projetos e Despesas TIC FAQ

Definição e Implementação de Metodologia, Modelo e Ferramentas para Avaliação de Projetos e Despesas TIC FAQ Definição e Implementação de Metodologia, Modelo e Ferramentas para Avaliação de Projetos e Despesas TIC FAQ Folha de Controlo Nome do Documento: FAQs Evolução do Documento Versão Autor Data Comentários

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO VERSÃO 2

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO VERSÃO 2 EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 10.º/11.º ou 11.º/12.º Anos de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 286/89, de 29 de Agosto Programas novos e Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) PROVA 712/12 Págs. Duração

Leia mais

MICROPRODUÇÃO Proposta Condomínio Pedras Altas Nossa ref. MP11 42053

MICROPRODUÇÃO Proposta Condomínio Pedras Altas Nossa ref. MP11 42053 MICROPRODUÇÃO Proposta Condomínio Pedras Altas Nossa ref. MP11 42053 08 de Agosto de 2011 Exmo/a. Sr(a).Administrador do Condomínio Pedras Altas, Queremos, desde já, agradecer o interesse e a confiança

Leia mais

GUIA PRÁTICO DECLARAÇÃO DE REMUNERAÇÕES ON-LINE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO DECLARAÇÃO DE REMUNERAÇÕES ON-LINE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DECLARAÇÃO DE REMUNERAÇÕES ON-LINE INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático de Declaração de Remunerações On-Line (2026 V4.10) PROPRIEDADE Instituto da Segurança

Leia mais

www.pwc.pt Auditoria nos termos do Regulamento da Qualidade de Serviço Relatório resumo EDP Serviço Universal, S.A.

www.pwc.pt Auditoria nos termos do Regulamento da Qualidade de Serviço Relatório resumo EDP Serviço Universal, S.A. www.pwc.pt Auditoria nos termos do Regulamento da Qualidade de Serviço Relatório resumo EDP Serviço Universal, S.A. Janeiro 2014 Enquadramento A promoção da melhoria contínua da qualidade de serviço no

Leia mais

INTERFURNITURE 2012. Acção Avignon 12 a 14 de Fevereiro de 2012. Formulário de Inscrição. Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto

INTERFURNITURE 2012. Acção Avignon 12 a 14 de Fevereiro de 2012. Formulário de Inscrição. Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto INTERFURNITURE 2012 Acção Avignon 12 a 14 de Fevereiro de 2012 Formulário de Inscrição DADOS EMPRESA Nome da empresa: Marca Pessoa de Contacto CAE (Ver. 3): NIF: Postos de trabalho: Freguesia: Concelho:

Leia mais

DOSSIER SERVIÇOS PÚBLICOS ESSENCIAIS

DOSSIER SERVIÇOS PÚBLICOS ESSENCIAIS DOSSIER SERVIÇOS PÚBLICOS ESSENCIAIS APOIO AOS CONSUMIDORES DE SERVIÇOS PUBLICOS ESSENCIAIS Conheça os seus direitos Peça ajuda Aprenda a reclamar PROTEÇÃO DOS CONSUMIDORES Os consumidores gozam de mecanismos

Leia mais