Serviços de telecomunicações de uso pessoal e exposição a radiações de serviços móveis GSM

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Serviços de telecomunicações de uso pessoal e exposição a radiações de serviços móveis GSM"

Transcrição

1 Serviços de telecomunicações de uso pessoal e exposição a radiações de serviços móveis GSM Trabalho realizado pelo grupo: 1MIEEC06_03

2 Índice Introdução...1 A importância dos serviços de telecomunicações para a sociedade....2 Frequências mais utilizadas a nível pessoal...3 Wi-Fi. 5 3G GSM 13 Medidas realizadas relativas a GSM. 15 Tipos de radiação usados Conclusão...19 Referências Bibliograficas 20

3 Introdução Neste relatório vamos abordar os principais serviços de telecomunicações a nível pessoal e analisar os seus impactos na saúde pública. Iniciaremos este relatório referindo a importância destes serviços para uso pessoal. Em seguida iremos identificar os serviços e as respectivas frequências aprofundando alguns em particular (Wi-Fi, 3G e GSM) e interpretando as medições realizadas concluindo se existe ou não impacto na sociedade. 1

4 A importância dos serviços de telecomunicações para a sociedade As telecomunicações têm ganho uma grande importância na sociedade chegando ao ponto de estarem profundamente implementadas na nossa cultura. Milhões de pessoas estão, hoje me dia, ligadas entre si de alguma forma, quer seja através da Internet, telemóvel, rádio, entre muitas outras formas de telecomunicação, formando assim uma Aldeia Global onde que a informação é transmitida a uma velocidade alucinante através de radiofrequências. Desta forma é impensável não estar ligado a esta rede de informação o que torna os serviços de telecomunicação tão importantes para a nossa sociedade. 2

5 Frequências mais utilizadas a nível pessoal Actualmente, as ondas de rádio têm inúmeras utilidades para o Homem quer para lazer, quer para trabalho. De seguida são apresentados alguns exemplos, e as respectivas frequências (estabelecidas pela ANACOM), da utilização pessoal dessas mesmas ondas. 1) Rádio amador sem licença (faixa AM). Utiliza frequências muito baixas a rondar os 27 MHz, o que está relacionado com as emissões características de curta distância; 2) Rádio comercial (faixa FM). Ao contrário da rádio amador esta já opera com frequências mais elevadas, entre os 87,5 e os 108 MHz. É conveniente salientar que cada rádio não emite apenas numa única frequência. No caso da RFM, emite por exemplo a 90,4 MHz para Viana do Castelo, 10.9 MHz para os Açores e 107,1 MHz para Elvas, de modo a que as frequências não se sobreponham umas às outras em localidades vizinhas; 3) Telemóvel. Dependendo da rede em questão actua em diferentes frequências. Este tópico mais específico será abordado em maior pormenor mais tarde; 4) Internet Wireless - routers. Neste ponto vamos referir apenas os routers domésticos de curto alcance cuja frequência ronda os 2.4 GHz. 3

6 5) Televisão. Nesta categoria, é conveniente fazer uma divisão em dois: sinal analógico, TDT. O quase obsoleto sinal analógico tem duas larguras de banda. A VHF (very high frequency) está entre 30 e 300 MHz, enquanto que a UHF (ultra high frequency) está entre 0.3 e 3 GHz. A TDT, actualmente, emite nos 754 MHz em Portugal Continental. As comunicações telemóvel através da rede GSM funcionam entre os 890 e 960 MHz. Já a rede 3G funciona entre os 1710 e os 1880 MHz. Estas bandas estão divididas entre as três operadores nacionais Vodafone, TMN e SONAE (Optimus). A televisão emite: Entre os MHz e GHz no caso da RTP; Entre os MHz e GHz no caso da SIC; Entre os MHz e GHz para a TVI. 4

7 Wi-Fi Antes do aparecimento do Wi-fi, só era possível estabelecer conexões entre computadores por meio de cabos. Mas, este tipo de conexão conta com algumas limitações como o limite de alcance do cabo e por isso tornou-se necessário que surgisse uma nova forma de conexão: o Wi-Fi. O Wi-Fi é um conjunto de especificações para redes locais sem fio (WLAN - Wireless Local Area Network) baseada no padrão IEEE e que permite a conexão entre diferentes dispositivos sem fio e transferência de dados recorrendo a frequências de rádio. Como funciona? O Wi-fi funciona sem conexão por fios entre o emissor e o receptor utilizando frequências de rádio que se propagam pelo ar. Como existem inúmeros serviços que utilizam ondas rádio é necessário que cada um funcione entre determinados valores de frequência de modo a não interferir com outros serviços. As ondas rádio são transmitidas por um adaptador chamado router que recebe, descodifica e emite ondas rádio a partir de uma antena. Para o computador ter acesso a esses sinais é preciso que esteja dentro do raio de acção conhecido por hotspot. 5

8 Existem diferentes tecnologias para as redes wireless. As mais comuns são: (original) - A primeira versão do padrão foi lançada em 1997 e possibilita taxa de transmissão de dados de 1 Mb/s ou 2 Mb/s. Opera no intervalo de frequências entre 2,4 GHz e 2,4835 GHz b - Em 1999, foi lançada uma actualização do padrão que recebeu o nome b. A principal característica desta versão é a possibilidade de estabelecer conexões nas seguintes velocidades de transmissão: 1 Mb/s, 2 Mb/s, 5,5 Mb/s e 11 Mb/s. A área de cobertura de uma transmissão b pode chegar, teoricamente, a 400 metros em ambientes abertos e pode atingir uma faixa de 50 metros em lugares fechados (tais como escritórios e residências). O intervalo de frequências é o mesmo utilizado pelo original (entre 2,4 GHz e 2,4835 GHz) a - O padrão a foi disponibilizado no final do ano de 1999, quase na mesma época que a versão b. Sua principal característica é a possibilidade de operar com taxas de transmissão de dados nos seguintes valores: 6 Mb/s, 9 Mb/s, 12 Mb/s, 18 Mb/s, 24 Mb/s, 36 Mb/s, 48 Mb/s e 54 Mb/s. O alcance geográfico de sua transmissão é de cerca de 50 metros. No entanto, a sua frequência de operação é diferente do padrão original: 5 GHz. 6

9 802.11g - O padrão g foi disponibilizado em O principal atractivo deste é poder trabalhar com taxas de transmissão de até 54 Mb/s, assim como acontece com o padrão a. No entanto, ao contrário desta versão, o g opera com frequências na faixa de 2,4 GHz e possui praticamente o mesmo poder de cobertura do seu antecessor, o padrão b n - O desenvolvimento da especificação n se iniciou em 2004 e foi finalizado em Setembro de 2009 e é capaz de fazer transmissões na faixa de 300 Mb/s e, teoricamente, pode atingir taxas de até 600 Mb/s. Em relação à sua frequência, o padrão n pode trabalhar com as faixas de 2,4 GHz e 5 GHz, o que o torna compatível com os padrões anteriores, inclusive com o a ac - O sucessor do n deverá ser o padrão ac, previsto para ser finalizado no segundo semestre de 2012 e adoptado de maneira massiva a partir de A sua principal vantagem está em sua velocidade: de 450 Mb/s a 1 Gb/s. O padrão IEEE teve (e terá) outras versões além das mencionadas anteriormente, que não se tornaram populares por diversos motivos. 7

10 Em Portugal as redes wireless funcionam na gama dos 2,4 Ghz e na dos 5 Ghz. Em Portugal, é possível estabelecer ligações Wi-Fi na faixa das seguintes frequências: 1-Faixa de frequências nas quais é possível estabelecer ligações Wi- Fi em Portugal Com o aumento da densidade de redes Wi-Fi tornou-se necessário que a faixa de frequência se dividisse em diferentes canais de modo a evitar interferências que fariam com que a ligação fosse mais lenta. Assim, na Europa existem 13 canais (com excepção da França que apenas usa 4): 2-Distribuição dos canais pela faixa de frequências usada na Europa 8

11 A potência do sinal de Wi-Fi varia com a proximidade ao router. Assim, a potência aumenta quanto mais próximo se estiver do router: 3-Medição efectuada próximo de um router. Da mesma forma, quanto mais afastado se estiver do ponto de acesso, mais fraco será o sinal: 4-Medição efectuada afastada de um router. 9

12 3G 3G representa a terceira geração da tecnologia de comunicação móvel. Este tipo de tecnologia e fornecido pelas operadoras telefónicas em Portugal: Optimus, Vodafone e TMN entre os 1900MHZ e os 2100MHZ. Vantagens A implementação da rede 3G permitiu uma maior capacidade de envio/recepção de dados a grande distância por parte do utilizador de um aparelho móvel 3G. Assim tornou-se possível o acesso á Internet em qualquer ponto com esta rede, a realização de vídeochamadas entre dispositivos 3G e ainda a utilização de serviços de Televisão num dispositivo móvel. Desvantagens O elevado custo para criar toda a infra-estrutura necessária para suportar a rede 3G levou a que as operadoras cobrassem uma taxa elevada pela utilização desta tecnologia para aceder a Internet. Além disso, no início da implementação desta rede, os aparelhos não só eram bastante caros, como não apanhavam rede 3G em todo o país. Com o amadurecimento da tecnologia foram sendo descobertas maneiras mais rápidas de transmitir informação a longas distâncias (rede 4G) o que irá tornar em breve a rede 3G obsoleta. 10

13 3G e os Smartphones Com o aparecimento dos smartphones, a utilização da rede 3G subiu consideravelmente visto que este tipo de aparelhos tem várias utilidades que necessitam de ligação à internet. Na altura em que a comercialização destes aparelhos atingiu o seu auge, a rede 3G estava também bastante mais madura com preços mais acessíveis e uma maior cobertura a nível Nacional. Chamadas telefónicas Neste aspecto esta rede é bastante mais atractiva que a anterior rede 2G pois é bastante mais eficiente a nível espectral o que significa que consegue compactar mais informação no espectro de onda do que a rede 2G. Isto resulta numa capacidade de realizar um maior número de conversações numa mesma largura de banda o que é uma grande mais-valia para as operadoras que reduzem assim despesas. Com esta nova tecnologia foi também possível a realização de vídeo chamadas que, embora interessante, os seus elevados custos e o facto de ser pouco práctico não justificam, muitas vezes a sua utilização. 11

14 Acesso à Internet Uma das utilizações mais uteis da rede 3G é o acesso à internet em qualquer ponto do país através de um telemóvel. Assim tornou-se possível aos utilizadores deste serviço estarem sempre ligados a algo que é cada vez mais importante no nosso dia-a-dia. Assim podemos em qualquer lugar, consultar qualquer ipo de informação que nos seja necessária naquele momento. As operadoras criaram também um dispositivo que podemos ligar a qualquer computar com entrada USB que utiliza esta rede. 12

15 GSM GSM (ou rede 2G) é a tecnologia mais usada quando utilizamos telemóveis para comunicar. GSM inicialmente significava Groupe Special Mobile mas actualmente designa-se por Global System for Mobile Comunication dando relevância ao facto de ser uma tecnologia usada a nível global. Frequências A tecnologia GSM usa canais Dual-Band, ou seja, utiliza duas bandas de frequências sendo que cada banda tem um canal ascendente e um descendente. Uma das bandas ascendentes é dos 890 MHz até aos 914,8 MHz enquanto que a outra vai dos 1710 MHz até aos 1725 MHz. A primeira banda descendente encontra-se entre os 935 MHz e os 959 MHz e a segunda entre os 1805 MHz e os 1884 MHz. As bandas ascendentes correspondem as frequências do telefone para o satélite enquanto que as descendentes correspondem as frequências do satélite para a Terra. 13

16 Vantagens Como praticamente todos os telemóveis do mundo usam esta tecnologia possível recorrer a roaming (conectar-se à rede da operadora nacional utilizando uma rede do território onde nos encontramos) quando fora do território nacional onde as operadoras portuguesas operam. Além disso o GSM torna o sinal de envio e de recepção digital o que elimina qualquer interferência causada por ruído. Outra grande vantagem introduzida por este sistema foi a introdução do sistema de mensagens escritas, SMS (Short Message System) que permitiu aos utilizadores comunicarem entre si a preços muito reduzidos. Todas estas vantagens tornam este serviço de comunicações num dos mais usados do mundo. Desvantagens Existem maneiras de interceptar os dados enviados/recebidos através de telefones que usem GSM o que levou à necessidade de encriptar estes dados. No entanto algumas agências governamentais conseguem interceptar estes dados o que leva a uma menor privacidade quando se trata do GSM. Além disso, visto que é um sistema global, muitas operadoras vendem telefones bloqueados à sua própria rede o que restringe a opção de compra do cliente. 14

17 Medidas Realizadas Relativas a GSM Utilizando três antenas, para medir os três eixos espaciais, ligadas a um medidor de espectros foi possível medir a intensidade da radiação na troca de informação numa chamada entre dois telefones. Para isso utilizamos o seguinte equipamento: Antena de 3 eixos Uma antena com três eixos, um para cada direcção (x,y,z). Estava ligada ao analisador de espectros e ao computador. Ilustração 5: Antena de três eixos 15

18 Analisador de espectros Encontrava-se ligado à antena de medição de três eixos e apresentava o valor da densidade do sinal a analisar. Ilustração 6: Analisador de espectros 16

19 Medições Os picos de maior intensidade/relevância da força do campo (field strenght) foram verificados durante a ligação ascendente ( Mhz e Mhz). Por este motivo no gráfico apresentado apenas se apresentam os resultados da ligação ascendente. O eixo x do gráfico corresponde a permilagem em relação aos valores apresentados pela ICNIRP. Foi obtido usando o software Valores Máximos Medidos f / MHz Field Str. [o/oo] 17

20 Tipos de Radiação Usados Nas telecomunicações por radiofrequência são utilizadas radiações não ionizantes. São chamadas de não ionizantes pois são radiações que não têm efeito num átomo, e, muito pouco nocivas à saúde. De acordo com a lei pode ir até aos 300GHz no entanto, de acordo com a ICNIRP, dos 100kHz aos 300GHz pode existir alguns prejuízos à saúde caso a exposição seja muito prolongado. Há diversos estudos que relacionam a exposição a radiação com doenças e outros que contrariam essa relação. Tendo em conta esta incerteza, é melhor ter uma atitude de precaução em relação a este tópico e reduzir a radiação recebida ao mínimo possível. 18

21 Conclusão De acordo com as nossas medições não há efeitos nocivos para a saúde aos olhos da lei, na utilização de telemóveis que usem GSM. No entanto, alguns estudos demonstram que efeito prolongado pode causar alguns danos nocivos, mas não existe nenhum estudo conclusivo. Além disso devemos estar também atentos às radiações emitidas/recebidas por antenas postas em locais públicos (no topo de blocos residenciais, por exemplo), que embora não afectem os habitantes directamente abaixo dela, podem afectar os habitantes em prédios vizinhos. 19

22 Referências Bibliográficas Anacom (Quadro Nacional de Atribuição de Frequências) - Informação relativa à TDT - Informação relativa ao equipamento usado na medição - Informação relativa à rede 3G, GSM e radiação não ionizante- wikipedia.org; ICNIRP- 20

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD 1 de 7 Na minha opinião o telemovél na sociedade tem uma boa vantagem porque com tem uma grande mobilidade (pode-se levar para todo o lado), através dele podemos entrar em contacto com amigos ou familiares

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Uma rede de computadores é um sistema de comunicação de dados constituído através da interligação de computadores e outros dispositivos, com a finalidade de trocar informação e partilhar

Leia mais

Bibliografia. Forouzan, Behrouz A. Comunicação de Dados e Redes de Computadores. 4. ed. McGraw-Hill, 2008.

Bibliografia. Forouzan, Behrouz A. Comunicação de Dados e Redes de Computadores. 4. ed. McGraw-Hill, 2008. Redes Sem Fio Você vai aprender: Contextualização das redes sem fio; Fundamentos de transmissão de sinais digitais; Fundamentos de radio comunicação; Arquiteturas em redes sem fio; Redes WLAN padrão IEEE

Leia mais

Segurança em redes sem fio Freqüências

Segurança em redes sem fio Freqüências Segurança em redes sem fio Freqüências Carlos Lamb Fausto Levandoski Juliano Johann Berlitz Vagner Dias Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) 16/08/2011 AGENDA INTRODUÇÃO ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO

Leia mais

Visão geral das redes sem fio

Visão geral das redes sem fio Visão geral das redes sem fio 1 - Introdução O termo redes de dados sem fio pode ser utilizado para referenciar desde dispositivos de curto alcance como o Bluetooth à sistemas de altas taxas de transmissão

Leia mais

Módulo 16 Redes sem Fio (Wireless)

Módulo 16 Redes sem Fio (Wireless) Módulo 16 Redes sem Fio (Wireless) A comunicação sem o uso de cabo já existe a milhares de anos, como exemplo mais antigo temos a fala e a comunicação através de gestos. No mundo computacional o conceito

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL REDE DE COMPUTADORES Tecnologias de Rede Arquitetura Padrão 802.11 Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 Arquitetura Wireless Wi-Fi

Leia mais

Evolução Telefonia Móvel

Evolução Telefonia Móvel 1 Evolução Telefonia Móvel RESUMO De modo geral o artigo visa esclarecer formas de comunicações utilizadas no passado e atualmente em celulares, tablets, modens portáteis entre outras aparelhos de comunicação

Leia mais

Formadora: Daniela Azevedo Módulo 11 IGRI13 Rui Bárcia - 15

Formadora: Daniela Azevedo Módulo 11 IGRI13 Rui Bárcia - 15 Formadora: Daniela Azevedo Módulo 11 IGRI13 Rui Bárcia - 15 Introdução, com algumas características Uma rede sem fios ou uma rede Wireless é uma infraestrutura das comunicações sem fio que permite a transmissão

Leia mais

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis 2.1. Histórico e Evolução dos Sistemas Sem Fio A comunicação rádio móvel teve início no final do século XIX [2], quando o cientista alemão H. G. Hertz demonstrou que as

Leia mais

COMITÉ DAS COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS

COMITÉ DAS COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS COMITÉ DAS COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS Decisão EEC de 1 de Dezembro de 2006 sobre a harmonização de sistemas GSM a bordo de aeronaves nas faixas de frequências 1710 1785 e 1805 1880 MHz (EEC/DEC/(06)07)

Leia mais

Transitores de tempo em domínio de tempo

Transitores de tempo em domínio de tempo Em muitos processos, a regulação do caudal permite controlar reacções químicas ou propriedades físicas através de um controlo de variáveis como a pressão, a temperatura ou o nível. O caudal é uma variável

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD 1 de 9 Desde o nascimento do telemóvel e o seu primeiro modelo vários se seguiram e as transformações tecnológicas que estes sofreram ditaram o nascimento de várias gerações. O Motorola DynaTac 8000X é

Leia mais

Usados por maior número de utilizadores, os acessos móveis reúnem menor satisfação, A fibra é a ligação que mais satisfaz

Usados por maior número de utilizadores, os acessos móveis reúnem menor satisfação, A fibra é a ligação que mais satisfaz 11 - HSVI intad >fa,# < Usados por maior número de utilizadores, os acessos móveis reúnem menor satisfação, A fibra é a ligação que mais satisfaz á quem já não consiga viver i sem poder aceder à Net. Daí

Leia mais

Redes WI-FI COMO EVOLUIU A NORMA IEEE 802.11?

Redes WI-FI COMO EVOLUIU A NORMA IEEE 802.11? Redes WI-FI COMO EVOLUIU A NORMA IEEE 802.11? Wi-Fi: evolução e funcionamento Surgiu em 1995,pela empresa Ericsson, o Bluetooth, que permitiu transmitir dados entre vários dispositivos, mas sem fios. Este

Leia mais

REDES SEM FIO. Prof. Msc. Hélio Esperidião

REDES SEM FIO. Prof. Msc. Hélio Esperidião REDES SEM FIO Prof. Msc. Hélio Esperidião WIRELESS O termo wireless, significa sem fio, possui alguns sinônimos tais como: Rede sem fio Comunicação sem fio Computação Móvel Wi-FI? WI-FI? Wi-Fié uma marca

Leia mais

Introdução. O que é Comunicar?

Introdução. O que é Comunicar? O que é Comunicar? Transmissão de mensagens contendo informação Como definir informação? Existe uma teoria formal que define informação com base no grau de imprevisibilidade das mensagens; uma mensagem

Leia mais

J. ROMA, Lda. www.jroma.pt

J. ROMA, Lda. www.jroma.pt MEDIDORES DE CAMPO ELECTROMAGNÉTICO Para medidas de campos EMF criados por radares (em funcionamento), telemóveis, UMTS; telefones sem fios, torres de transmissão, Wlan, Wifi, Bluetooth, fornos microondas,

Leia mais

Gestor de ligações Manual do Utilizador

Gestor de ligações Manual do Utilizador Gestor de ligações Manual do Utilizador 1.0ª Edição PT 2010 Nokia. Todos os direitos reservados. Nokia, Nokia Connecting People e o logótipo Nokia Original Accessories são marcas comerciais ou marcas registadas

Leia mais

Barramento. Barramentos. Barramento. Barramento

Barramento. Barramentos. Barramento. Barramento s Arquiteturas de Conjunto de conexões elétricas/lógicas paralelas Permitem a transmissão de dados, endereços e sinais de controle entre os diversos módulos funcionais do computador Consiste de vários

Leia mais

Power Line Communication

Power Line Communication INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA Power Line Communication Nome: Sergio Bezerra Valmir Brasília, 24 de Junho de 2012 Introdução A transmissão de dados via rede de energia elétrica (PLC - Power Line Communications),

Leia mais

REPLICACÃO DE BASE DE DADOS

REPLICACÃO DE BASE DE DADOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO - NPGE REPLICACÃO DE BASE DE DADOS BRUNO VIEIRA DE MENEZES ARACAJU Março, 2011 2 FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E

Leia mais

ESTUDO DE COBERTURA TDT. Sobral da Abelheira Mafra

ESTUDO DE COBERTURA TDT. Sobral da Abelheira Mafra ESTUDO DE COBERTURA TDT Sobral da Abelheira Mafra DGE1 - Centro de Monitorização e Controlo do Espectro xxxxxxxxxx xxxxxxxxxxxxxxxxxx 11 de janeiro de 2012 1 Índice 1 Índice... 1 2 Descrição Sumária do

Leia mais

Guia de Estudo. Redes e Internet

Guia de Estudo. Redes e Internet Tecnologias da Informação e Comunicação Guia de Estudo Redes e Internet Aspectos Genéricos Uma rede de computadores é um sistema de comunicação de dados constituído através da interligação de computadores

Leia mais

Cobertura de RF em Redes WI-FI

Cobertura de RF em Redes WI-FI Cobertura de RF em Redes WI-FI Este tutorial apresenta as alternativas para estender a área de cobertura de redes locais sem fio com ênfase na utilização de cabos irradiantes. Marcelo Yamaguchi Pós-graduado

Leia mais

Módulos de Comunicação Wireless para Sensores

Módulos de Comunicação Wireless para Sensores Módulos de Comunicação Wireless para Sensores Identificação de características desejáveis Para uma adequada integração no ambiente industrial / de linha produtiva a que se destinam, os módulos de comunicação

Leia mais

COMO LIGAR E CONFIGURAR

COMO LIGAR E CONFIGURAR 1 2 GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA COMO LIGAR E CONFIGURAR carregar a bateria O utilizador deverá, em primeiro lugar, carregar a bateria do sistema. A primeira carga deverá ter um tempo ininterrupto de 6 horas.

Leia mais

AULA 9: REDES SEM FIO

AULA 9: REDES SEM FIO AULA 9: REDES SEM FIO Objetivo: Detalhar conceitos sobre a aplicação, configuração, métodos utilizados para autenticação de usuários e segurança de acesso a redes sem fio. Ferramentas: - Emuladores de

Leia mais

Identificação por Dispositivos de Radiofrequência - RFID -

Identificação por Dispositivos de Radiofrequência - RFID - Identificação por Dispositivos de Radiofrequência - RFID - Os dispositivos de identificação por meio de rádio frequência têm atingido já desde alguns anos um estado de difusão aplicacional e comercial

Leia mais

Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen K5006-Z

Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen K5006-Z Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen K5006-Z Bem-vindo ao mundo da Banda Larga Móvel 1 2 3 4 5 6 8 9 9 10 12 Bem-vindo Configuração da Connect Pen Iniciar a aplicação Ligar Janela Normal Definições

Leia mais

TRANSMISSÃO DE TV 1 TRANSMISSÃO COM POLARIDADE NEGATIVA

TRANSMISSÃO DE TV 1 TRANSMISSÃO COM POLARIDADE NEGATIVA STV 18 ABR 2008 1 TRANSMISSÃO DE TV método de se transmitir o sinal de imagem modulado em amplitude a amplitude de uma portadora de RF varia de acordo com uma tensão moduladora a modulação é o sinal de

Leia mais

Roteador Sem Fio. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Roteador Sem Fio. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Roteador Sem Fio Prof. Marciano dos Santos Dionizio Roteador Sem Fio Um roteador wireless é um dispositivo de redes que executa a função de um roteador mas também inclui as funções de um access point.

Leia mais

Memória Descritiva de Sistema de Comunicação Marítima para o Porto de Abrigo de Ponta Delgada

Memória Descritiva de Sistema de Comunicação Marítima para o Porto de Abrigo de Ponta Delgada Memória Descritiva de Sistema de Comunicação Marítima para o Porto de Abrigo de Ponta Delgada Sistema de Comunicação Marítima para o Porto de Abrigo 1(10) Índice 1. Objectivo... 3 2. Descrição do Sistema

Leia mais

Seu manual do usuário NOKIA C111 http://pt.yourpdfguides.com/dref/824109

Seu manual do usuário NOKIA C111 http://pt.yourpdfguides.com/dref/824109 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual do usuário (informação,

Leia mais

Dividendo Digital. Agenda de trabalhos. Centro Cultural de Belém 16 Abril 2009. A situação actual. O dividendo digital. O modelo de gestão de espectro

Dividendo Digital. Agenda de trabalhos. Centro Cultural de Belém 16 Abril 2009. A situação actual. O dividendo digital. O modelo de gestão de espectro Dividendo Digital Centro Cultural de Belém 16 Abril 2009 Carlos Gomes Direcção de Engenharia e Tecnologia Agenda de trabalhos A situação actual O dividendo digital O modelo de gestão de espectro O que

Leia mais

Obrigado por adquirir o Optimus Kanguru Hotspot 4G.

Obrigado por adquirir o Optimus Kanguru Hotspot 4G. Obrigado por adquirir o Optimus Kanguru Hotspot 4G. Este guia irá ajudá-lo a compreender as funções básicas do seu dispositivo de Internet móvel. Leia este documento com atenção antes de usar o seu dispositivo

Leia mais

Redes Wireless. 26/1/07 Rui Santos

Redes Wireless. 26/1/07 Rui Santos Redes Wireless 26/1/07 Rui Santos Índice Introdução Classificação das redes sem fios Padrões Wi-Fi Equipamento necessário Segurança Links 05-02-2007 2 Introdução http://pt.wikipedia.org/wiki/rede_sem_fios

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PETRÓPOLIS CENTRO DE ENGENHARIA E COMPUTAÇÃO 1ª Atividade: Introdução a Telecomunicações Petrópolis, RJ 2012 Rádio é um recurso tecnológico das telecomunicações utilizado para

Leia mais

Comunicação da informação a longas distâncias

Comunicação da informação a longas distâncias Comunicação da informação a longas distâncias População mundial versus sistema de comunicação Comunicação, informação e mensagem Comunicação - é o ato de enviar informação, mensagens, sinais de um local

Leia mais

Novas Tecnologias para aplicações RF. Alexsander Loula Gerente de Eng. de Aplicações

Novas Tecnologias para aplicações RF. Alexsander Loula Gerente de Eng. de Aplicações Novas Tecnologias para aplicações RF Alexsander Loula Gerente de Eng. de Aplicações Agenda Espectro de frequência As últimas tecnologias de rádio Algumas coisas para ficar de olho 2 ESPECTRO DE FREQUÊNCIA

Leia mais

Fundamentos de Telecomunicações

Fundamentos de Telecomunicações Fundamentos de Telecomunicações LERCI_FT 1: Introdução Professor Victor Barroso vab@isr.ist.utl.pt 1 Introduzindo O tópico A terminologia A tecnologia O conteúdo... LERCI_FT - Lição 1 Fundamentos de Telecomunicações

Leia mais

O Alerta à População em Caso de Ruptura de Barragens. João Palha Fernandes

O Alerta à População em Caso de Ruptura de Barragens. João Palha Fernandes O Alerta à População em Caso de Ruptura de Barragens João Palha Fernandes Sumário Introdução Tecnologias de base Sistema de Aviso de Pedrógão Conclusões Trabalho Futuro O Problema Em caso de ruptura de

Leia mais

Adaptador Wireless USB 108Mbps Super G & extended Range

Adaptador Wireless USB 108Mbps Super G & extended Range Adaptador Wireless USB 108Mbps Super G & extended Range Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. O Adaptador Wireless WBS 901 E é um dispositivo USB da família

Leia mais

4 Normas e limites de exposição a campos eletromagnéticos

4 Normas e limites de exposição a campos eletromagnéticos 49 4 Normas e limites de a campos eletromagnéticos As normas de internacionais são elaboradas para proteger os vários segmentos da população contra todos os danos identificados causados pela energia de

Leia mais

2- Conceitos Básicos de Telecomunicações

2- Conceitos Básicos de Telecomunicações Introdução às Telecomunicações 2- Conceitos Básicos de Telecomunicações Elementos de um Sistemas de Telecomunicações Capítulo 2 - Conceitos Básicos de Telecomunicações 2 1 A Fonte Equipamento que origina

Leia mais

Composição. Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes

Composição. Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes Composição Estrutura Fisica Redes Sistemas Operacionais Topologias de redes Aterramento Fio de boa qualidade A fiação deve ser com aterramento neutro (fio Terra) trabalhando em tomadas tripolares Fio negativo,

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Rede é um conjunto de módulos processadores capazes de trocar informações e compartilhar recursos. O tipo de rede é definido pela sua área de abrangência, podemos classificar as redes

Leia mais

EM4592 Repetidor WiFi de Banda Dupla de Utilização Simultânea

EM4592 Repetidor WiFi de Banda Dupla de Utilização Simultânea EM4592 Repetidor WiFi de Banda Dupla de Utilização Simultânea EM4592 Repetidor WiFi de Banda Dupla de Utilização Simultânea 2 PORTUGUÊS Índice 1.0 Introdução... 2 1.1 Conteúdo da embalagem... 2 1.2 Descrição

Leia mais

Underwater Comunicação Rádio

Underwater Comunicação Rádio Underwater Comunicação Rádio por VK5BR Butler Lloyd (Originalmente publicado em Rádio Amador, Abril de 1987) Até onde podemos comunicar submerso no mar ou em um lago. Quão grande é a atenuação do sinal

Leia mais

Wireless. Crescimento da Rede Wireless. Sistemas de Informação Rui Silva. Rui Silva. Jan 08

Wireless. Crescimento da Rede Wireless. Sistemas de Informação Rui Silva. Rui Silva. Jan 08 Wireless Sistemas de Informação Crescimento da Rede Wireless 1 Caso de Estudo: Intel, etc. Tempo dispendido por ligação em média m 5 minutos para cada nova ligação; Independência do local de trabalho dentro

Leia mais

ICORLI INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO E OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS E INTERNET

ICORLI INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO E OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS E INTERNET INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO E OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS E INTERNET 2010/2011 1 Introdução às redes e telecomunicações O que é uma rede? Uma rede de computadores é um sistema de comunicação de dados constituído

Leia mais

Ligação à Internet. Conceitos de Sistemas Informáticos. Grupo de Comunicações por Computador Departamento de Informática Universidade do Minho

Ligação à Internet. Conceitos de Sistemas Informáticos. Grupo de Comunicações por Computador Departamento de Informática Universidade do Minho Grupo de Comunicações por Computador Departamento de Informática Universidade do Minho Maio de 2004 Sumário 1 2 TV Cabo Bragatel Sapo Clix OniNet Telepac Tipos de ligações actualmente disponibilizadas

Leia mais

AVALIAÇÃO DA COBERTURA GLOBAL DE TDT Praia da Vieira e Praia de Pedrógão (CONCELHO DE LEIRIA)

AVALIAÇÃO DA COBERTURA GLOBAL DE TDT Praia da Vieira e Praia de Pedrógão (CONCELHO DE LEIRIA) AVALIAÇÃO DA COBERTURA GLOBAL DE TDT Praia da Vieira e Praia de Pedrógão (CONCELHO DE LEIRIA) DGE1 - Centro de Monitorização e Controlo do Espectro XXXXXXX XXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXX XXXXXXXXXX XXXXXXXXXXX

Leia mais

Antena omni vs. antena direcional

Antena omni vs. antena direcional Antena omni vs. antena direcional Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Definições básicas e conceitos da antena Efeitos internos Prós e contras da antena Omni Prós

Leia mais

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani

Redes de Dados e Comunicações. Prof.: Fernando Ascani Redes de Dados e Comunicações Prof.: Fernando Ascani Redes Wireless / Wi-Fi / IEEE 802.11 Em uma rede wireless, os adaptadores de rede em cada computador convertem os dados digitais para sinais de rádio,

Leia mais

6 Cálculo de cobertura de sistemas de TV Digital

6 Cálculo de cobertura de sistemas de TV Digital 6 Cálculo de cobertura de sistemas de TV Digital Neste capítulo, os modelos desenvolvidos serão utilizados para a avaliação da cobertura de sistemas de TV digital na cidade de São Paulo. Partindo dos limiares

Leia mais

TÍTULO: TRANSMISSÃO DE DADOS EM REDES SEM FIO DE ALTA VELOCIDADE CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS

TÍTULO: TRANSMISSÃO DE DADOS EM REDES SEM FIO DE ALTA VELOCIDADE CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E TECNOLOGIAS SUBÁREA: ENGENHARIAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: TRANSMISSÃO DE DADOS EM REDES SEM FIO DE ALTA VELOCIDADE CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS

Leia mais

ESTUDO DE COBERTURA TDT. Charneca de Alvorge - Alvorge (Ansião)

ESTUDO DE COBERTURA TDT. Charneca de Alvorge - Alvorge (Ansião) ESTUDO DE COBERTURA TDT Charneca de Alvorge - Alvorge (Ansião) DGE1 - Centro de Monitorização e Controlo do Espectro xxxxxxxxxx xxxxxxxxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxx xxxxxxxxxxxxxx 25 de janeiro de 2012 1 Índice

Leia mais

WWAN DE BANDA LARGA: VANTAGENS PARA O PROFISSIONAL MÓVEL

WWAN DE BANDA LARGA: VANTAGENS PARA O PROFISSIONAL MÓVEL ARTIGO WWAN DE BANDA LARGA WWAN DE BANDA LARGA: VANTAGENS PARA O PROFISSIONAL MÓVEL Cada vez mais, a conectividade imediata de alta-velocidade é essencial para o sucesso dos negócios bem como para a eficiência

Leia mais

3ª Série de Problemas Mecânica e Ondas MEBM, MEFT, LMAC, LEGM

3ª Série de Problemas Mecânica e Ondas MEBM, MEFT, LMAC, LEGM 3ª Série de Problemas Mecânica e Ondas MEBM, MEFT, LMAC, LEGM 1. Um cientista está no seu moinho, no topo de uma falésia junto à costa marítima, apontando o seu pequeno radiotelescópio para uma estrela

Leia mais

Nos links abaixo você encontrará maiores informações sobre o AirVIEW: página do produto software de instalação simulador web do AirVIEW

Nos links abaixo você encontrará maiores informações sobre o AirVIEW: página do produto software de instalação simulador web do AirVIEW AIRVIEW 2 - O Analisador espectro AirVIEW da Ubiquiti Networks é uma ferramenta que permite ao administrador de redes wireless determinar canais sobrecarregados e possíveis fontes de interferência que

Leia mais

Protocolos de Consumo. Exército/ Nova Oferta 2013 Tarifários

Protocolos de Consumo. Exército/ Nova Oferta 2013 Tarifários Protocolos de Consumo Exército/ Nova Oferta 2013 Tarifários Quais as vantagens para os Colaboradores? Telemóveis a custo reduzido Tarifários exclusivos mediante vinculação à rede tmn por 24 meses Serviço

Leia mais

1 Introduc ao 1.1 Hist orico

1 Introduc ao 1.1 Hist orico 1 Introdução 1.1 Histórico Nos últimos 100 anos, o setor de telecomunicações vem passando por diversas transformações. Até os anos 80, cada novo serviço demandava a instalação de uma nova rede. Foi assim

Leia mais

Capítulo 6 Redes sem fio e Redes móveis

Capítulo 6 Redes sem fio e Redes móveis Redes de Computadores DCC/UFJF Capítulo 6 Redes sem fio e Redes móveis Material fortemente baseado nos slides do livro: Computer Networking: A Top-Down Approach Featuring the Internet. Os slides foram

Leia mais

Informativo de Segurança e Saúde

Informativo de Segurança e Saúde Informativo de Segurança e Saúde 03/2010 Introdução: O Grupo Técnico de Estudos de Espaços Confinados GTEEC, coordenado pela CPFL Energia e ligado ao Comitê de Segurança e Saúde no Trabalho - CSST da Fundação

Leia mais

Assunto: Redes Com Menos Gastos

Assunto: Redes Com Menos Gastos Assunto: Redes Com Menos Gastos Christian Luiz Galafassi 09132064 Resumo: Novos modos de Redes estão sendo implantadas e em testes. No artigo vou falar sobre duas delas que são Power of Ethernet (PoE),

Leia mais

STC 5. Redes de Informação e Comunicação. Data: 18 de Agosto de 2010 Morada: Rua de São Marcos, 7 C Tel: 266519410 Fax: 266519410 Tlm: 927051540

STC 5. Redes de Informação e Comunicação. Data: 18 de Agosto de 2010 Morada: Rua de São Marcos, 7 C Tel: 266519410 Fax: 266519410 Tlm: 927051540 STC 5 Redes de Informação e Comunicação Data: 18 de Agosto de 2010 Morada: Rua de São Marcos, 7 C Tel: 266519410 Fax: 266519410 Tlm: 927051540 STC 5 Redes de Informação e comunicação STC 5 Redes de informação

Leia mais

Inclusão Financeira Digital. Setembro 2015

Inclusão Financeira Digital. Setembro 2015 Inclusão Financeira Digital Setembro 2015 2 A inclusão financeira tem vindo a conquistar ao longo dos últimos anos um lugar de destaque no panorama mundial. Este facto é demonstrado tanto pelo foco que

Leia mais

1 Problemas de transmissão

1 Problemas de transmissão 1 Problemas de transmissão O sinal recebido pelo receptor pode diferir do sinal transmitido. No caso analógico há degradação da qualidade do sinal. No caso digital ocorrem erros de bit. Essas diferenças

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Redes Sem Fio Fabricio Breve Tipos de transmissão sem fio Rádio Infravermelho Laser Aplicações Em ambientes internos: Ideal para situações onde não é possível utilizar cabeamento

Leia mais

Sinais Elétricos Digital Analógico

Sinais Elétricos Digital Analógico Sinais Elétricos Digital Analógico Fatores que influenciam na distorção do sinal no meio de transmissão Ruído O ruído é caracterizado pela interferência de meios externos á rede, ou seja, podem ser oriundos

Leia mais

Sistema GNSS. (Global Navigation Satellite System)

Sistema GNSS. (Global Navigation Satellite System) Sistema GNSS (Global Navigation Satellite System) POSICIONAR UM OBJETO NADA MAIS É DO QUE LHE ATRIBUIR COORDENADAS O Sol, os planetas e as estrelas foram excelentes fontes de orientação, por muito tempo.

Leia mais

Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora

Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora Exercícios do livro: Tecnologias Informáticas Porto Editora 1. Em que consiste uma rede de computadores? Refira se à vantagem da sua implementação. Uma rede de computadores é constituída por dois ou mais

Leia mais

AVALIAÇÃO DA COBERTURA TDT EM ARRUDA DOS VINHOS. Centro de Monitorização e Controlo do Espectro

AVALIAÇÃO DA COBERTURA TDT EM ARRUDA DOS VINHOS. Centro de Monitorização e Controlo do Espectro AVALIAÇÃO DA COBERTURA TDT EM ARRUDA DOS VINHOS Centro de Monitorização e Controlo do Espectro 12 de Julho de 2011 Em 2011-07-12, e em complemento à análise de cobertura TDT solicitada para efeitos de

Leia mais

Voz em ambiente Wireless

Voz em ambiente Wireless Voz em ambiente Wireless Mobilidade, acesso sem fio e convergência são temas do momento no atual mercado das redes de comunicação. É uma tendência irreversível, que vem se tornando realidade e incorporando-se

Leia mais

exposição à radiação electromagnética

exposição à radiação electromagnética exposição à radiação electromagnética 0 Resumo Radiações e Ondas Electromagnéticas Sistemas de Comunicações Móveis Efeitos das Radiações Electromagnéticas Projecto monit 1 Fontes de Radiação [Fonte: TrainsTowers,

Leia mais

www.philips.com/welcome

www.philips.com/welcome Register your product and get support at www.philips.com/welcome SDV1225T/55 PT Manual do Usuário Sumário 1 Importante 4 Segurança 4 Aviso para os EUA 4 Aviso para o Canadá 4 Reciclagem 4 Português 2

Leia mais

Modelos de cobertura em redes WIFI

Modelos de cobertura em redes WIFI Departamento de Engenharia Electrotécnica Secção de Telecomunicações Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Comunicação sem fios 2005/2006 Grupo: nº e Modelos de cobertura em redes

Leia mais

Consulta pública sobre a futura utilização da banda de radiodifusão televisiva UHF: Relatório Lamy

Consulta pública sobre a futura utilização da banda de radiodifusão televisiva UHF: Relatório Lamy Consulta pública sobre a futura utilização da banda de radiodifusão televisiva UHF: Relatório Lamy Fields marked with are mandatory. Os campos assinalados com um asterisco () são de preenchimento obrigatório.

Leia mais

LONWORKS VISÃO DO PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO

LONWORKS VISÃO DO PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO LONWORKS VISÃO DO PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO Aldo Ventura da Silva * RESUMO O presente trabalho teve como objetivo principal apresentar a tecnologia LonWorks, passando por alguns atributos da tecnologia,

Leia mais

1 Introdução O avanço da tecnologia viabilizou a implementação de comunicação em faixa larga ( broadband ) que possibilita o tráfego de grandes volumes de informação em altas taxas. Novas tecnologias vêm

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO Profª. Kelly Hannel Novas tecnologias de informação 2 HDTV WiMAX Wi-Fi GPS 3G VoIP Bluetooth 1 HDTV 3 High-definition television (também conhecido por sua abreviação HDTV):

Leia mais

1 6 ESTUDO DE CASO: WLAN Fantainment de Loop21 na Cordial Cup 2011

1 6 ESTUDO DE CASO: WLAN Fantainment de Loop21 na Cordial Cup 2011 1 6 ESTUDO DE CASO: WLAN Fantainment de Loop21 na Cordial Cup 2011 Loop21 forneceu a exclusiva WLAN Fantainment na liga de futebol júnior deste ano, a Cordial Cup 2011 no Tirol (Áustria). Este é um sistema

Leia mais

Fontes de Alimentação

Fontes de Alimentação Fontes de Alimentação As fontes de alimentação servem para fornecer energia eléctrica, transformando a corrente alternada da rede pública em corrente contínua. Estabilizam a tensão, ou seja, mesmo que

Leia mais

Rede Wireless ou rede cabeada?

Rede Wireless ou rede cabeada? Rede Wireless ou rede cabeada? Rede Wireless ou rede Cabeada? Página 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Desenvolvimento... 4 2.1. Avaliando seu ambiente... 4 2.2. Custos e necessidades... 5 2.3. Redes mistas...

Leia mais

FUNCIONAMENTO, VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS DIVERSAS TECNOLOGIAS

FUNCIONAMENTO, VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS DIVERSAS TECNOLOGIAS FUNCIONAMENTO, VANTAGENS E DESVANTAGENS DAS DIVERSAS TECNOLOGIAS FUNCIONAMENTO DOS RFID s O Um sistema de RFID é composto, basicamente, por uma antena, que funciona como receptor, faz a leitura do sinal

Leia mais

MORAES TEIXEIRA RELATÓRIO TECNICO MEIOS DE TRANSMISÃO CABO DE PAR TRANÇADO (SEM BLINDAGEM)

MORAES TEIXEIRA RELATÓRIO TECNICO MEIOS DE TRANSMISÃO CABO DE PAR TRANÇADO (SEM BLINDAGEM) Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial E.E.P. Senac Pelotas Centro Histórico Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego Curso Técnico em Informática ÂNDREA MORAES TEIXEIRA RELATÓRIO TECNICO

Leia mais

Computação Portátil. Profa. Késsia Marchi

Computação Portátil. Profa. Késsia Marchi Computação Portátil Profa. Késsia Marchi Evolução Tecnologia de Informação + Tecnologia de Comunicação; a partir de conexão com internet ou via celular. Pagamentos de contas, Compras, Reservas, etc. Pesquisas,

Leia mais

Padrões de Rede 15/02/2014. Padrões de rede. Padrão Ethernet IEEE 802.3 802.3

Padrões de Rede 15/02/2014. Padrões de rede. Padrão Ethernet IEEE 802.3 802.3 Padrões de Rede Fundamentos de Redes de Computadores Prof. Marcel Santos Silva Padrões de rede Existem diversos padrões Ethernet, que são utilizados pela maioria das tecnologias de rede local em uso. Definem

Leia mais

GUIA TDT PREPARE-SE PARA A televisão digital terrestre SAibA o que fazer!

GUIA TDT PREPARE-SE PARA A televisão digital terrestre SAibA o que fazer! GUIA TDT PREPARE-SE para a televisão digital terrestre saiba o que fazer! MENSAGEM DO PRESIDENTE José Amado da Silva Presidente da Autoridade Nacional das Comunicações (ICP-ANACOM) Num momento crucial

Leia mais

Wi-Fi, Saúde e Segurança

Wi-Fi, Saúde e Segurança Wi-Fi, Saúde e Segurança O Wi-Fi está no centro da experiência conectada de hoje. Utilizado em 25% dos lares em todo o mundo 1, o Wi-Fi continua se expandindo como a tecnologia escolhida para redes tradicionais

Leia mais

Wagon Tracking Mário André Rocha Cristóvão Coelho Dispositivos e Redes de Sistemas Logísticos Professor Alberto Manuel Ramos da Cunha

Wagon Tracking Mário André Rocha Cristóvão Coelho Dispositivos e Redes de Sistemas Logísticos Professor Alberto Manuel Ramos da Cunha Wagon Tracking Mário André Rocha Cristóvão Coelho Dispositivos e Redes de Sistemas Logísticos Professor Alberto Manuel Ramos da Cunha Dezembro de 2008 ÍNDICE Introdução..2 Objectivo.. 2 Métodos Actuais.

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TELECOMUNICAÇÕES As telecomunicações referem -se à transmissão eletrônica de sinais para as comunicações, incluindo meios como telefone, rádio e televisão. As telecomunicações

Leia mais

Laudo de Viabilidade Técnica e Econômica para Rede Wireless do CDT

Laudo de Viabilidade Técnica e Econômica para Rede Wireless do CDT Laudo de Viabilidade Técnica e Econômica para Rede Wireless do CDT 1. Pré Requisitos Com base no que foi proposta, a rede wireless do Bloco K da Colina deve atender aos seguintes requisitos: Padrão IEEE

Leia mais

Estes sensores são constituídos por um reservatório, onde num dos lados está localizada uma fonte de raios gama (emissor) e do lado oposto um

Estes sensores são constituídos por um reservatório, onde num dos lados está localizada uma fonte de raios gama (emissor) e do lado oposto um Existem vários instrumentos de medição de nível que se baseiam na tendência que um determinado material tem de reflectir ou absorver radiação. Para medições de nível contínuas, os tipos mais comuns de

Leia mais

COMITÊ DE TECNOLOGIA DA. INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (CoTIC) RedeUFSC Sem Fio: Política de Uso. Versão 1.0

COMITÊ DE TECNOLOGIA DA. INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (CoTIC) RedeUFSC Sem Fio: Política de Uso. Versão 1.0 COMITÊ DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (CoTIC) RedeUFSC Sem Fio: Política de Uso Versão 1.0 Florianopolis, maio de 2014. 1 Apresentação a) A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), conforme

Leia mais

Sistemas de redes sem fio são classificadas nas categorias de móveis ou fixas:

Sistemas de redes sem fio são classificadas nas categorias de móveis ou fixas: Redes Sem Fio Sistemas de redes sem fio são classificadas nas categorias de móveis ou fixas: Redes sem fio fixa são extremamente bem adequado para implantar rapidamente uma conexão de banda larga, para

Leia mais

Redes Sem Fio (Wireless): Fundamentos e Padrões

Redes Sem Fio (Wireless): Fundamentos e Padrões Redes Sem Fio (Wireless): Fundamentos e Padrões As redes locais sem fio (WLANs) constituem-se como uma alternativa às redes convencionais com fio, fornecendo as mesmas funcionalidades, mas de forma flexível,

Leia mais

A importância de uma NAT e de uma VPN para a segurança da informação

A importância de uma NAT e de uma VPN para a segurança da informação A importância de uma NAT e de uma VPN para a segurança da informação NAT Network Translation Address A funcionalidade de NAT consiste no procedimento de translado de endereços de uma rede para a outra.

Leia mais