SQL: Uma Linguagem de Consulta

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SQL: Uma Linguagem de Consulta"

Transcrição

1 SQL: Uma Linguagem de Consulta 1 Exemplos ilustrativos Considere, como exemplos, as seguintes relações: R1 sid bid day /10/ /12/96 Se a chave para a relacão de Reservas (R1) contivesse somente os atributos sid e bid como mudaria a semântica? S1 S2 sid snam e rating age 22 dustin lubber rusty sid snam e rating age 28 yuppy lubber guppy rusty

2 Consulta Básica SQL SELECT FROM WHERE [DISTINCT] target-list relation-list qualification relation-list Uma lista de relações (possivelmente com uma range-variable depois de cada nome). target-list Uma lista de atributos das relações em relation-list qualification Comparações (entre atributos e/ou constantes) combinadas usando AND, OR e NOT. DISTINCT é uma palavra chave opcional indicando que a resposta não deve contem duplicações. Duplicações não são eliminadas por default! (porque?) 3 Estratégia de Avaliação Conceitual A Semântica de uma consulta SQL é definida com a seguintes estratégia de avaliação conceitual : Computar o produto-cartesiano da relation-list. Descartar tuplas se elas falharem qualifications. Deletar atributos que não estão na target-list. Se DISTINCT é especificada, eliminar duplicações. Esta estratégia é provavelmente a menos eficiente para computar uma consulta! Um otimizador achará mais estratégias eficientes para computar as mesmas respostas. 4 2

3 Exemplos de Avaliação Conceitual SELECT S.sname, Reserves R WHERE S.sid=R.sid AND R.bid=103 (sid) sname rating age (sid) bid day 22 dustin /10/96 22 dustin /12/96 31 lubber /10/96 31 lubber /12/96 58 rusty /10/96 58 rusty /12/96 5 Uma Nota sobre Range Variables Somente necessário se uma mesma relação aparecer duas vezes na condição FROM. A consulta anterior também pode ser escrita como: OR SELECT S.sname, Reserves R WHERE S.sid=R.sid AND bid=103 SELECT sname FROM Sailors, Reserves WHERE Sailors.sid=Reserves.sid AND bid=103 Todavia usar range variables é uma boaidéia (estilo)! 6 3

4 Que sailors reservaram pelo menos 1 barco? SELECT S.sid, Reserves R WHERE S.sid=R.sid Adicionar DISTINCT para esta consulta, pode fazer alguma diferença? Qual o efeito ao substituir S.sid por S.sname na condição SELECT? Adicionar DISTINCT para esta variante de consulta pode fazer diferença? 7 Expressões e Strings SELECT S.age, age1=s.age-5, 2*S.age AS age2 WHERE S.sname LIKE B_%B Ilustra o uso de expressões e padrões de strings: Forma triplas (idade dos marinheiros e 2 atributos definidos por expressões) para marinheiros cujo nomes comecem e terminem com B e contenham 3 ou mais letras AS e = servem para nominar campos no resultado. LIKE é usado para strings. `_ representa qualquer letra e `% representa 0 ou mais letras. 8 4

5 Achar sid s de sailors que reservaram um barco vermelho ou um verde. UNION: Pode ser usado para computar a união de dois conjuntos de tuplas compatíveis (que são eles mesmos resultado de uma consulta SQL). Se substituirmos OR por AND na primeira versão, o que teremos? Também disponível: EXCEPT (O que teremos se substituirmos UNION by EXCEPT?) SELECT S.sid, Boats B, Reserves R WHERE S.sid=R.sid AND R.bid=B.bid AND (B.color= red OR B.color= green ) SELECT S.sid, Boats B, Reserves R WHERE S.sid=R.sid AND R.bid=B.bid AND B.color= red UNION SELECT S.sid, Boats B, Reserves R WHERE S.sid=R.sid AND R.bid=B.bid AND B.color= green 9 Achar Sid s de marinheiros que tenham reservado um barco vermelho e um verde. INTERSECT: Usado para computar a intersecção de qualquer dois conjuntos compatíveis de tuplas. Incluido no padrão SQL/92 mas não suportado por alguns sistemas. SELECT S.sid, Boats B1, Reserves R1, Boats B2, Reserves R2 WHERE S.sid=R1.sid AND R1.bid=B1.bid AND S.sid=R2.sid AND R2.bid=B2.bid AND (B1.color= red AND B2.color= green ) Key field! SELECT S.sid, Boats B, Reserves R WHERE S.sid=R.sid AND R.bid=B.bid AND B.color= red INTERSECT SELECT S.sid, Boats B, Reserves R WHERE S.sid=R.sid AND R.bid=B.bid AND B.color= green 10 5

6 Consultas Aninhadas Ache nomes de marinheiros que reservaram barco #103 SELECT S.sname WHERE S.sid IN (SELECT R.sid FROM Reserves R WHERE R.bid=103) Uma característica poderosa de SQL: Uma condição WHERE pode conter uma consulta SQL! (De fato, condições FROM e HAVING também podem) Para achar marinheiros que não tem reservas #103, use NOT IN. 11 Consultas aninhadas correlacionadas Achar nomes de marinheiros que reservaram barco #103: SELECT S.sname WHERE EXISTS (SELECT * FROM Reserves R WHERE R.bid=103 AND S.sid=R.sid) EXISTS é outra comparação, como IN. Se UNIQUE é usado, e * é substituído por R.bid, acha marinheiros com pelo menos uma reserva para o barco #103. (UNIQUE verifica tuplas duplicadas; Porque temos que substituir * por R.bid?) Neste caso subconsultas tem que ser re-computadas por cada tupla de marinheiros. 12 6

7 Ainda sobre operadores de conjuntos IN, EXISTS e UNIQUE pode-se também NOT, i.e., usar NOT IN, NOT EXISTS e NOT UNIQUE. Também disponíveis: op ANY, op ALL, op IN, onde op é >, <, =, etc. Achar marinheiros que cujo taxa é maior do que algum marinheiro chamado Horatio: SELECT * WHERE S.rating > ANY (SELECT S2.rating 2 WHERE S2.sname= Horatio ) 13 Escrevendo consultas INTERSECT usando IN Encontre os sid s que reservaram um barco vermelho e um barco verde : SELECT S.sid, Boats B, Reserves R WHERE S.sid=R.sid AND R.bid=B.bid AND B.color= red AND S.sid IN (SELECT S2.sid 2, Boats B2, Reserves R2 WHERE S2.sid=R2.sid AND R2.bid=B2.bid AND B2.color= green ) De modo similar, consultas EXCEPT podem ser reescritas usando NOT IN. Para achar nomes substitua S.sid por S.sname na condição SELECT. (Funciona com INTERSECT?) 14 7

8 Divisão em SQL Encontre os marinheiros que reservaram todos barcos. SELECT S.sname WHERE NOT EXISTS ((SELECT B.bid FROM Boats B) EXCEPT (SELECT R.bid FROM Reserves R WHERE R.sid=S.sid)) 15 Divisão em SQL Sem EXCEPT: SELECT S.sname (2) WHERE NOT EXISTS (SELECT B.bid FROM Boats B WHERE NOT EXISTS (SELECT R.bid FROM Reserves R Sailors S such that... WHERE R.bid=B.bid there is no boat B without... AND R.sid=S.sid)) a Reserves tuple showing S reserved B 16 8

9 Operadores de Agregação Extensão significante da álgebra relacional. SELECT COUNT (*) SELECT AVG (S.age) WHERE S.rating=10 SELECT S.sname COUNT ( [DISTINCT] A) SUM ( [DISTINCT] A) AVG ( [DISTINCT] A) MAX (A) MIN (A) single column WHERE S.rating= (SELECT MAX(S2.rating) 2) SELECT COUNT (DISTINCT S.rating) WHERE S.sname= Bob SELECT AVG ( DISTINCT S.age) WHERE S.rating=10 17 Achar nome e idade do(s) marinheiro(s) mais velho(s) A primeira consulta é ilegal (?) A terceira consulta é equivalente a segunda consulta, e é considerada no padrão SQL/92, mas não é suportada em alguns sistemas. SELECT S.sname, MAX (S.age) SELECT S.sname, S.age WHERE S.age = (SELECT MAX (S2.age) 2) SELECT S.sname, S.age WHERE (SELECT MAX (S2.age) 2) = S.age 18 9

10 GROUP BY e HAVING Até agora, temos aplicados operadores de agregação para todas as tuplas (qualificadas). Algumas vezes, queremos aplicá-los para cada um de diferentes grupo de tuplas. Ache a idade do mais jovem para cada nível de taxa. em geral, não sabemos quantos níveis de taxas existem, e o quais são os valores destas taxas para estes níveis. Suponha que sabemos que estes valores de taxas vão de 1 à 10, isso é razoavel? SELECT MIN (S.age) For i = 1, 2,..., 10: WHERE S.rating = i 19 Consultas com GROUP BY e HAVING A target-list contem (i) atributos (ii) termos com operações de agrega,cão (e.g., MIN (S.age)). Os atributos (i) tem que ser um sub conjunto de grouping-list. Intuitivamente, cada resposta tupla corresponde a um grupo, e estes atributos tem que ter um valor simples por grupo. (Um grupo é um conjunto de tuplas que tem o mesmo valor para todos os atributos em grouping-list.) SELECT [DISTINCT] target-list FROM relation-list WHERE qualification GROUP BY grouping-list HAVING group-qualification 20 10

11 Avaliação Conceitual O produto cartesiano da relation-list é computado, tuplas que falham qualification são descartadas, campos `desnecessários são deletados e as tuplas restantes são divididas em grupos pelo valor dos atributos em grouping-list. O group-qualification é então aplicado para eliminar alguns grupos. Expressões em group-qualification tem que ter um valor singular por grupo! Para todos os efeitos, um atributo no group-qualification que não é um argumento de um operador agregado também aparece no grouping-list. 21 Qual a menor idade do marinheiro com + de 18 anos, para cada grupo de taxa com 2 ou + tais mariheiros SELECT S.rating, MIN (S.age) WHERE S.age >= 18 GROUP BY S.rating HAVING COUNT (*) > 1 Somente S.rating e S.age são mencionados nas condições SELECT, GROUP BY or HAVING; Outros atributos desnecessários. Segunda coluna de resultados não é nominada. (Use AS para nomina-la.) sid sname rating age 22 dustin lubber zorba horatio brutus rusty rating age rating Answer relation 22 11

12 Para cada barco vermelho, qual o o número de reservas para este barco SELECT B.bid, COUNT (*) AS scount, Boats B, Reserves R WHERE S.sid=R.sid AND R.bid=B.bid AND B.color= red GROUP BY B.bid Agrupando uma junção combinação de tres relações. O que teremos se removermos B.color= red da condição WHERE e adicionamos uma condição HAVING com esta condição? E se retirarmos Sailors e a condição envolvendo S.sid? 23 Qual a idade do marinheiro mais jovem com idade >= 18, para cada grupo de taxa com 2 ou + marinheiros SELECT S.rating, MIN (S.age) WHERE S.age >= 18 GROUP BY S.rating HAVING 1 < (SELECT COUNT (*) 2 WHERE S.rating=S2.rating) A condição HAVING pode conter uma subconsulta. Compare com a consulta anterior 24 12

13 Encontre as taxas para as quais a idade média a menor sobre todas as taxas. Operadores de agregação não podem ser aninhados. ERRADO: SELECT S.rating WHERE S.age = (SELECT MIN (AVG (S2.age)) 2) Solução correta (in SQL/92): SELECT Temp.rating, Temp.avgage FROM (SELECT S.rating, AVG (S.age) AS avgage GROUP BY S.rating) AS Temp WHERE Temp.avgage = (SELECT MIN (Temp.avgage) FROM Temp) 25 Valores Nulos Os valores no campo de uma tupla são algumas vezes desconhecidos ou não aplicaveis inapplicable SQL tem um valor nulo especial para estas situações. A presença de null complica muitos resultados. P.ex.: Operadores especiais para verificar se o valor é ou não nulo. rating>8 é verdadeiro ou falso quando rating é igual a nulo? (Precisamos uma lógica de 3-valores). O significado das construção tem ser definido cuidadosamente. (e.g., condição WHERE elimina linhas que não são avaliadas como verdade.) Novos operadores (em particular, para outer joins) possíveis/necessários 26 13

14 SQL Embutido Comandos SQL podem ser chamados de dentro de um linguagem hospedeira (e.g., C ou COBOL) Comandos SQL podem se referir a host variables (incluindo variáveis especiais usadas para retornar o status). Deve incluir um comando para connectar ao banco de dados certo. Relações SQL são (multi-)conjuntos de registros, limite do número de registros não limitados a priori. Não há estruturas de dados similar em C. Para isso SQL suporta um mecanismo chamado cursor. 27 Cursores Podem ser declarados sobre uma relação ou consulta Pode-se abrir um cursor, e (repetidamente) capturar tuplas, movendo o cursor. Pode usar uma clásula especial, chamada ORDER BY, em consultas que são acessadas por cursor, para controlar a ordem na qual as tuplas são retornadas. Campos em ORDER BY tem que aparecer também na condição SELECT. A condição ORDER BY, que ordena a resposta tuplas, é permitidas somente no contexto de um cursor. Pode-se também modificar/deletar tupla apontada por um cursor

15 Cursor com nomes de marinheiros que reservaram um barco vermelho, em ordem alfabética. EXEC SQL DECLARE sinfo CURSOR FOR SELECT S.sname, Boats B, Reserves R WHERE S.sid=R.sid AND R.bid=B.bid AND B.color= red ORDER BY S.sname Note que é ilegal substituir S.sname por, digamos S.sid na consulta (Porque?) Podemos adicionar S.sid para a consulta SELECT e substituir S.sname por S.sid na consulta in the ORDER BY? 29 Embutindo SQL em C: Um Exemplo. char SQLSTATE[6]; EXEC SQL BEGIN DECLARE SECTION char c_sname[20]; short c_minrating; float c_age; EXEC SQL END DECLARE SECTION c_minrating = random(); EXEC SQL DECLARE sinfo CURSOR FOR SELECT S.sname, S.age WHERE S.rating > :c_minrating ORDER BY S.sname; do { EXEC SQL FETCH sinfo INTO :c_sname, :c_age; printf( %s is %d years old\n, c_sname, c_age); } while (SQLSTATE!= ); EXEC SQL CLOSE sinfo; 30 15

16 Resumo Mais natural que antes, procedimentos de consulta de linguagens. Relacionalmente completa; e significantemente mais expressiva do que algebra relacional. Mesmo consultas que podem ser expressadas em AR podem frequentemente ser expressadas mais naturalmente em SQL. Vários caminhos alternativos para escrever uma consulta; otimizador deve procurar pelo plano de avaliação mais eficiente. na prática, usuários precisam estar atentos como as consultas podem ser otimizadas e avaliadas para melhores resultados

- Um "query block" permite a implementação das operações de selecção, projecção e junção da álgebra relacional.

- Um query block permite a implementação das operações de selecção, projecção e junção da álgebra relacional. 2.3 Linguagens relacionais (continuação) SQL Structured Query Language 1) "Query block" Select From Where - Um "query block" permite a implementação

Leia mais

Álgebra Relacional e SQL

Álgebra Relacional e SQL Álgebra Relacional e SQL Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri Álgebra Relacional Maneira teórica de se manipular o banco de dados relacional Linguagem de consulta procedural usuários

Leia mais

Bancos (Bases) de Dados

Bancos (Bases) de Dados Bancos (Bases) de Dados Aula #8 SQL Prof. Eduardo R. Hruschka * Slides baseados no material elaborado pelas professoras: Cristina D. A. Ciferri Elaine P. M. de Souza SQL (Structured Query Language) Linguagem

Leia mais

ANÁLISE E PROJETO DE BANCO DE DADOS

ANÁLISE E PROJETO DE BANCO DE DADOS ANÁLISE E PROJETO DE BANCO DE DADOS SQL FELIPE G. TORRES SQL A linguagem SQL (Struct Query Language) é utilizada como padrão em bancos de dados relacionais. Seu desenvolvimento foi originalmente no início

Leia mais

Banco de Dados I. Aula 16 - Prof. Bruno Moreno 04/11/2011

Banco de Dados I. Aula 16 - Prof. Bruno Moreno 04/11/2011 Banco de Dados I Aula 16 - Prof. Bruno Moreno 04/11/2011 Plano de Aula O comando DELETE Cláusula CHECK Comparações utilizando NULL Funções agregadas Junções de tabelas em SQL Visões Comando DELETE DELETE

Leia mais

Linguagem SQL Comando SELECT Agrupamento de Resultados

Linguagem SQL Comando SELECT Agrupamento de Resultados BDDAD Bases de Dados Linguagem SQL Comando SELECT de Resultados Nelson Freire (ISEP LEI-BDDAD 2015/16) 1/12 Introdução Sumário Funções de Agregação Básicas COUNT SUM MIN MAX AVG Cláusulas de GROUP BY HAVING

Leia mais

Ordenação de tuplos order by

Ordenação de tuplos order by Bases de Dados Elementos da linguagem SQL Ordenação de tuplos order by A cláusula order by permite ordenar tuplos exemplo: listar por ordem alfabética os nomes dos clientes com empréstimo na agência de

Leia mais

Agenda. Linguagem de Consulta SQL. 1. Introdução Histórico. 1. Introdução BD Relacionais

Agenda. Linguagem de Consulta SQL. 1. Introdução Histórico. 1. Introdução BD Relacionais Linguagem de Consulta SQL Profa. Carla A. Lima Reis SQL Agenda Introdução Histórico BD relacionais Linguagem SQL Definição de BD Manipulação de BD com SQL Consultas SQL Consultas com várias tabelas Subconsultas

Leia mais

SQL. Agregações e agrupamentos. Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática

SQL. Agregações e agrupamentos. Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática SQL Agregações e agrupamentos Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática SQL Agregações As operações de agregação calculam um valor para um conjunto de tuplos. Operadores de

Leia mais

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão SISTEMAS DE BANCO DE DADOS Prof. Adriano Pereira Maranhão 1 SQL Structured Query Language SQL Desenvolvida pela IBM Structured English Query Language Sequel Linguagem de consulta para o sistema R Primeiro

Leia mais

AULA 8. Ambientes Visuais 8.1. OBJETIVO DA AULA SQL (Structured Query Language)

AULA 8. Ambientes Visuais 8.1. OBJETIVO DA AULA SQL (Structured Query Language) AULA 8 8.1. OBJETIVO DA AULA Relembrar conceitos e recursos básicos apresentados nas aulas anteriores, dar continuidade nas codificações iniciadas e ainda não finalizadas, explorar acesso a banco de dados

Leia mais

SQL PostgreSQL. I Criação de Tabelas. Disciplina: SCC0241 Bases de Dados Professor: Eduardo Hruschka Estagiária PAE: Dayse de Almeida

SQL PostgreSQL. I Criação de Tabelas. Disciplina: SCC0241 Bases de Dados Professor: Eduardo Hruschka Estagiária PAE: Dayse de Almeida SQL PostgreSQL I Criação de Tabelas Disciplina: SCC0241 Bases de Dados Professor: Eduardo Hruschka Estagiária PAE: Dayse de Almeida Composição da SQL Linguagem de Definição de Dados (DDL): Comandos para

Leia mais

O Modelo Relacional. Database Management Systems, R. Ramakrishnan (tradução, autorizada, de Anna & Mario Nascimento)

O Modelo Relacional. Database Management Systems, R. Ramakrishnan (tradução, autorizada, de Anna & Mario Nascimento) O Modelo Relacional 1 Criando relações em SQL Observe que o tipo (domínio) de cada campo está especificado, e reforçado pelo SGBD, não importando se tuplas são adicionadas ou modificadas. A tabela Enrolled

Leia mais

MODELAGEM DE DADOS - INTRODUÇÃO AO SQL: DML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

MODELAGEM DE DADOS - INTRODUÇÃO AO SQL: DML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. MODELAGEM DE DADOS - INTRODUÇÃO AO SQL: DML Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza DML Data Manipulation Language Linguagem de Manipulação de Dados Comandos básicos: Insert Update

Leia mais

Linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional; 1ª Versão - Desenvolvida pela IBM no laboratório de pesquisa de San José;

Linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional; 1ª Versão - Desenvolvida pela IBM no laboratório de pesquisa de San José; MySQL SQL (Structured Query Languagem ) Linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional; 1ª Versão - Desenvolvida pela IBM no laboratório de pesquisa de San José; Inicialmente - Sequel

Leia mais

Linguagem de Definição de Dados Estrutura básica Operações com conjuntos Funções de agregação Valores nulos Subconsultas embebidas Relações derivadas

Linguagem de Definição de Dados Estrutura básica Operações com conjuntos Funções de agregação Valores nulos Subconsultas embebidas Relações derivadas Capítulo 4: SQL Linguagem de Definição de Dados Estrutura básica Operações com conjuntos Funções de agregação Valores nulos Subconsultas embebidas Relações derivadas Junções Vistas Modificação da Base

Leia mais

Marcelo Henrique dos Santos

Marcelo Henrique dos Santos Mestrado em Educação (em andamento) MBA em Marketing e Vendas (em andamento) Especialista em games Bacharel em Sistema de Informação Email: marcelosantos@outlook.com AULA 03 SQL (Structure Query Language)

Leia mais

Bases de Dados BDDAD. Linguagem SQL. Comando SELECT Divisão Algébrica. Nelson Freire (ISEP LEI-BDDAD 2015/16) 1/9

Bases de Dados BDDAD. Linguagem SQL. Comando SELECT Divisão Algébrica. Nelson Freire (ISEP LEI-BDDAD 2015/16) 1/9 BDDAD Bases de Dados Linguagem SQL Comando SELECT Nelson Freire (ISEP LEI-BDDAD 2015/16) 1/9 Operador Sumário Introdução Expressão Equivalente em SQL Soluções Tradução Directa de Expressão Algébrica Quantificação

Leia mais

Subconsulta na Cláusula FROM

Subconsulta na Cláusula FROM Subconsulta na Cláusula FROM Gera uma tabela derivada a partir de uma ou mais tabelas, para uso na consulta externa otimização: filtra linhas e colunas de uma tabela que são desejadas pela consulta externa

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE INTRODUÇÃO A SQL

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE INTRODUÇÃO A SQL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE INTRODUÇÃO A SQL Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com 02/06/2016 SUMÁRIO SQL DDL DML SQL (STRUCTURED

Leia mais

Lista 02 Sistema de Banco de Dados CAP 241 Computação Aplicada I

Lista 02 Sistema de Banco de Dados CAP 241 Computação Aplicada I Lista 02 Sistema de Banco de Dados CAP 241 Computação Aplicada I Considere o diagrama relacional da Figura 1 e escreva os comandos SQL para executar os exercícios abaixo. Figure 1 Diagrama relacional.

Leia mais

Laboratório de Banco de Dados II Aula 04. Prof. Érick de Souza Carvalho

Laboratório de Banco de Dados II Aula 04. Prof. Érick de Souza Carvalho Laboratório de Banco de Dados II Aula 04 Prof. Érick de Souza Carvalho 1 SQL (Structured Query Language ) Prof. Érick de Souza Carvalho 2 SQL Structured Query Language - Introdução É uma Linguagem para

Leia mais

Banco de Dados. SQL Structured Query Language

Banco de Dados. SQL Structured Query Language Banco de Dados SQL Structured Query Language Euclides Arcoverde profearcoverde [at] gmail.com http://sites.google.com/site/euneto/ Introdução à SQL Linguagem comercial para BD relacional Padrão ISO desde

Leia mais

Bases de Dados. DML Data Manipulation Language Parte 2

Bases de Dados. DML Data Manipulation Language Parte 2 Bases de Dados DML Data Manipulation Language Parte 2 Funções de Grupo São funções aplicáveis a conjuntos de linhas de uma tabela À totalidade dos elementos ou A um subconjunto especificado na cláusula

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE DADOS

IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE DADOS IMPLEMENTAÇÃO DE BANCO DE DADOS MODULO 2 LINGUAGEM SQL CONTEÚDO 2. LINGUAGEM SQL 2.1 Linguagens de Definição de Dados (DDL) 2.1.1 Criação de tabela: CREATE 2.1.2 Alteração de Tabela: ALTER 2.1.3 Exclusão

Leia mais

Oracle Comandos para Processamento de Transações

Oracle Comandos para Processamento de Transações Oracle Comandos para Processamento de Transações Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri Transação Unidade lógica de trabalho contém um ou mais comandos SQL para manipulação

Leia mais

Banco de Dados. Diego Silveira Costa Nascimento. 20 de março de Instituto Federal do Rio Grande do Norte

Banco de Dados. Diego Silveira Costa Nascimento. 20 de março de Instituto Federal do Rio Grande do Norte Banco de Dados Diego Silveira Costa Nascimento Instituto Federal do Rio Grande do Norte diego.nascimento@ifrn.edu.br 20 de março de 2015 Ementa do Curso 1 Introdução 2 Abordagem Entidade-relacionamento

Leia mais

L Q S m e g a u g n Li A

L Q S m e g a u g n Li A A Linguagem SQL Introdução Originalmente proposta para o System R desenvolvido nos laboratórios da IBM na década de 70 SEQUEL (Structured English QUEry Language) Objeto de um esforço de padronização coordenado

Leia mais

Banco de Dados I. Aula 14 - Prof. Bruno Moreno 11/10/2011

Banco de Dados I. Aula 14 - Prof. Bruno Moreno 11/10/2011 Banco de Dados I Aula 14 - Prof. Bruno Moreno 11/10/2011 Plano de Aula INSERT UPDATE SELECT-FROM-WHERE Uso de ALIASES SELECT com * DISTINCT Operações de Conjuntos Comparação entre substrings Operadores

Leia mais

SUBCONSULTAS E TIPOS DE JUNÇÃO. Banco de Dados Profa. Ana Paula Wauke

SUBCONSULTAS E TIPOS DE JUNÇÃO. Banco de Dados Profa. Ana Paula Wauke SUBCONSULTAS E TIPOS DE JUNÇÃO Banco de Dados Profa. Ana Paula Wauke Operador IN e NOT IN IN: Dados de um conjunto, membros de um conjunto ou uma consulta; Filmes de categoria: Drama, Terror, Suspense

Leia mais

Bases de Dados. Álgebra Relacional. Selecção (σ) Seleccionar os registos que satisfazem uma condição exemplo: empréstimos da agência de Perryridge

Bases de Dados. Álgebra Relacional. Selecção (σ) Seleccionar os registos que satisfazem uma condição exemplo: empréstimos da agência de Perryridge Bases de Dados Álgebra Relacional Selecção (σ) Seleccionar os registos que satisfazem uma condição exemplo: empréstimos da agência de Perryridge σ branch_name = Perryridge (loan) 2 1 Outros exemplos de

Leia mais

mod._1_teoria_sistemas de bancos de dados.doc

mod._1_teoria_sistemas de bancos de dados.doc SISTEMAS DE BANCOS DE DADOS Os Sistemas de Bancos de Dados apareceram para acabar com os problemas e desvantagens dos tradicionais Sistemas de Processamento de Arquivos, onde os registros permanentes eram

Leia mais

Modelo Relacional Álgebra Relacional

Modelo Relacional Álgebra Relacional Modelo Relacional Álgebra Relacional Aulas 1 e 2 12/11/2012 e 13/11/2012 Material original: Raghu Ramakrishnan Tradução : Mario Nascimento University of Alberta (Canada) Alguns slides de autoria de Sandra

Leia mais

Banco de Dados II. Aula do dia 10/03. Revisão. SQL Estudado até o dia 03/03/2011

Banco de Dados II. Aula do dia 10/03. Revisão. SQL Estudado até o dia 03/03/2011 Banco de Dados II Aula do dia 10/03 Revisão SQL Estudado até o dia 03/03/2011 Operadores de Comparação Operador = > >= <

Leia mais

Tarefa Orientada 17 Scripts

Tarefa Orientada 17 Scripts Tarefa Orientada 17 Scripts Objectivos: Declaração de variáveis escalares Declaração de variáveis do tipo tabela Tabelas temporárias Estruturas Condicionais Estruturas de Repetição Tratamento de erros

Leia mais

TABELA ENTIDADE LINHA OCORRÊNCIA DA ENTIDADE COLUNA ATRIBUTO DA ENTIDADE

TABELA ENTIDADE LINHA OCORRÊNCIA DA ENTIDADE COLUNA ATRIBUTO DA ENTIDADE TABELA ENTIDADE LINHA OCORRÊNCIA DA ENTIDADE COLUNA ATRIBUTO DA ENTIDADE CARACTERISTICA DE UMA TABELA: NÃO EXISTEM DUAS LINHAS IGUAIS A ORDEM DAS LINHAS É INSIGNIFICANTE A ORDEM DAS COLUNAS É INSIGNIFICANTE

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados

SQL Linguagem de Definição de Dados SQL Linguagem de Definição de Dados Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais

Leia mais

saída durante o runtime Usando Functions de uma Única Linha para Personalizar Relatórios Mostrar as diferenças entre as functions SQL de uma única

saída durante o runtime Usando Functions de uma Única Linha para Personalizar Relatórios Mostrar as diferenças entre as functions SQL de uma única Tópicos do Curso: Introdução Listar os principais recursos do Banco de Dados Oracle 10g Apresentar uma visão geral de: componentes, plataforma de internet, servidor de aplicações e suite do desenvolvedor

Leia mais

Introdução às funções e procedimentos. SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos

Introdução às funções e procedimentos. SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos Bases de Dados Funções e procedimentos Introdução às funções e procedimentos SQL suporta funções e procedimentos úteis com tipos de dados específicos p.ex. objectos geométricos, imagens intersecção de

Leia mais

Operações sobre sacos. Álgebra Relacional Extendida.

Operações sobre sacos. Álgebra Relacional Extendida. Operações sobre sacos. Álgebra elacional Extendida. Fernando Lobo ase de Dados, aula 14 1 / 23 Conjuntos versus sacos (bags) Um conjunto não tem elementos repetidos. Um saco pode ter. Em ambos os casos

Leia mais

As aplicações de análise de dados procuram padrões incomuns nos dados. Existem quatro passos distintos nesta análise: Formulação de uma consulta que

As aplicações de análise de dados procuram padrões incomuns nos dados. Existem quatro passos distintos nesta análise: Formulação de uma consulta que Análise de Dados sobre uma Base de Dados SQL As aplicações de análise de dados procuram padrões incomuns nos dados. Existem quatro passos distintos nesta análise: Formulação de uma consulta que extraia

Leia mais

PROVA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PROVA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Nome: Data: 12/07/2016 1. A arquitetura de três esquemas possui três níveis: nível interno, nível conceitual e o nível externo ou de visão. Com respeito ao nível conceitual podemos afirmar que; (A) Descreve

Leia mais

PostgreSQL Desenvolvedor

PostgreSQL Desenvolvedor CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PostgreSQL Desenvolvedor Carga horária: 32 horas TreinaWeb Tecnologia LTDA CNPJ: 06.156.637/0001-58 Av. Paulista, 1765 - Conj 71 e 72 São Paulo - SP CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Ementa do

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML INTRODUÇÃO A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation

Leia mais

'%'! $!0" $ 8 ' %%! % '! $ $$% + ' %!%$/)!'4!+,"/)!)+,/)% *! +,"0''% * %$!*!$$ #!"%&%'%'%$! "94(# ' %'$%$$$%0%$%' *!% %%%'!**% > %% %%!31?

'%'! $!0 $ 8 ' %%! % '! $ $$% + ' %!%$/)!'4!+,/)!)+,/)% *! +,0''% * %$!*!$$ #!%&%'%'%$! 94(# ' %'$%$$$%0%$%' *!% %%%'!**% > %% %%!31? MODELAGEM FÍSICA Capítulo 3! " # $ $!%%%& '$! $% $$%"%' ) ' *'!%'!$ $ $ $% +, %#!!" '$*'#%! $ $$%" % '$%!!% $% * % $ *-! %$% $!* '% $!$$.!'% & $%!% $ $ ' %/!$ 0 $*' $% *0 )#%!$0% 1&$$$%+#!*22,"$% )'%$$%%&

Leia mais

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar - Aula 7 - FUNÇÕES DE GRUPO E AGRUPAMENTO 1. INTRODUÇÃO Até agora trabalhamos com funções que tratavam apenas uma linha. Contudo, em diversas situações é necessário trabalhar com várias linhas da consulta.

Leia mais

Views. uma view é uma tabela virtual. não existe fisicamente na BD. é definida à custa de outras tabelas ou views. CREATE VIEW AS ;

Views. uma view é uma tabela virtual. não existe fisicamente na BD. é definida à custa de outras tabelas ou views. CREATE VIEW <nome> AS <query>; Views uma view é uma tabela virtual. não existe fisicamente na BD. é definida à custa de outras tabelas ou views. sintaxe: CREATE VIEW AS ; 1 Exemplo Criar uma view que dá o nome, ano e duração

Leia mais

Prova de Nivelamento

Prova de Nivelamento Prova de Nivelamento 1. (ESEX 2012) Considere a tabela abaixo, seus campos CLIENTE e VLOR, e a consulta em linguagem SQL: CLIENTE VLOR 1 4 2 3 2 4 2 5 3 6 3 8 SELECT MX(.VLOR) FROM GROUP BY.CLIENTE HVING

Leia mais

Subconsultas ou Consultas Aninhadas

Subconsultas ou Consultas Aninhadas Subconsultas ou Consultas Aninhadas Forma alternativa de especificar consultas envolvendo relacionamentos entre tabelas Otimização filtragens prévias de dados na subconsulta apenas tuplas/atributos de

Leia mais

Introdução à linguagem C++

Introdução à linguagem C++ Estrutura de Dados e Algoritmos e Programação e Computadores II Aula 2: Introdução à linguagem C++ Introdução à linguagem C++ Conceitos básicos: variáveis, tipos de dados, constantes, I/O, etc. Estruturas

Leia mais

Oracle Database 11g: Introdução à Linguagem SQL Novo

Oracle Database 11g: Introdução à Linguagem SQL Novo Oracle University Contact Us: 0800 891 6502 Oracle Database 11g: Introdução à Linguagem SQL Novo Duration: 5 Days What you will learn Neste curso, os alunos aprendem os conceitos de bancos de dados relacionais.

Leia mais

SQL PostgreSQL. I Criação de Tabelas. Disciplina: Banco de Dados e suas Aplicações Professor: Eduardo Hruschka Estagiária PAE: Dayse de Almeida

SQL PostgreSQL. I Criação de Tabelas. Disciplina: Banco de Dados e suas Aplicações Professor: Eduardo Hruschka Estagiária PAE: Dayse de Almeida SQL PostgreSQL I Criação de Tabelas Disciplina: Banco de Dados e suas Aplicações Professor: Eduardo Hruschka Estagiária PAE: Dayse de Almeida Composição da SQL Linguagem de Definição de Dados (DDL): Comandos

Leia mais

Implementação de Banco de Dados. Cassio Diego cassiodiego.com/bd

Implementação de Banco de Dados. Cassio Diego cassiodiego.com/bd Implementação de Banco de Dados Cassio Diego cassiodiego.com/bd 1 Apresentação do Plano de Ensino (PED) 2 Ementa Modelo Relacional, Linguagem Sql, Indexação, Transações, Otimização e Processamento de Consultas.

Leia mais

IEC Banco de Dados I Aula 11 Técnicas de Programação SQL

IEC Banco de Dados I Aula 11 Técnicas de Programação SQL IEC Banco de Dados I Aula 11 Técnicas de Programação SQL Turmas: Sistemas de Informação Professora: André Luiz da Costa Carvalho E- mail: andre@icomp.ufam.edu.br Site: hjp://bdufam.wordpress.com Sumário

Leia mais

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar

BANCO DE DADOS II Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar - Aula 8 - SUBCONSULTAS - SUBQUERIES 1. INTRODUÇÃO Nas sessões anteriores foi visto o comando SELECT sendo utilizado em conjunto com uma gama de funções. Dando continuidade veremos o comando SELECT utilizando

Leia mais

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S

PROGRAMAÇÃO I E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S PROGRAMAÇÃO I VA R I Á V E I S, C O N S TA N T E S, O P E R A D O R E S E N T R A DA E S A Í DA D E DA D O S Variáveis 2 Variáveis são locais onde são armazenados os valores na memória. Toda variável é

Leia mais

PROF. KLÉBER DE OLIVEIRA ANDRADE 1

PROF. KLÉBER DE OLIVEIRA ANDRADE 1 CESGRANRIO BNDES 1) Seja o seguinte grupo de tabelas de um sistema: fabricante (idfabricante, nome, endereço) peça (idmodelo, nome, descrição) constrói (idmodelo (FK), idfabricante (FK), data, quantidade,

Leia mais

Restrições de Integridade Semântica

Restrições de Integridade Semântica Restrições de Integridade Semântica Controle de valores válidos para os dados estados dos dados condizentes com os requisitos da aplicação transições de estados corretas O SGBD deve controlar esta integridade

Leia mais

DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS. Fábio Roberto Octaviano

DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS. Fábio Roberto Octaviano DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS Fábio Roberto Octaviano Recuperando Dados com Sub-Consultas Correlacionadas Após o término do Capítulo: Escrever uma sub-consulta de colunas

Leia mais

Professor Eros Moura, DSc

Professor Eros Moura, DSc Professor Eros Moura, DSc Nesse capítulo: Operadores de Conjunto Construtor de Linha Operador BETWEEN Operador LIKE 2016 Ifes - Campus Cachoeiro de Itapemirim Eros Moura - Banco de Dados 2 Operador de

Leia mais

IFSP Campus Presidente Epitácio. BND Banco de Dados. Professora: Márcia Jani. 1.1 Apresentação: Márcia Jani

IFSP Campus Presidente Epitácio. BND Banco de Dados. Professora: Márcia Jani. 1.1 Apresentação: Márcia Jani IFSP Campus Presidente Epitácio BND Banco de Dados Professora: Márcia Jani 1.1 Apresentação: Márcia Jani padrão para o acesso a SGBDs relacionais base: álgebra relacional + cálculo relacional de tupla

Leia mais

Lista de Erratas. 1) Exemplo 2.13 (Página 36): há um espaço em branco após a virgula que está sendo atribuída. Como está no livro:

Lista de Erratas. 1) Exemplo 2.13 (Página 36): há um espaço em branco após a virgula que está sendo atribuída. Como está no livro: Lista de Erratas Lamentavelmente, apesar de todo o esforço de escrita e revisão, o texto do livro contém erros. Esses erros serão corrigidos na próxima tiragem do livro. Segue abaixo uma lista dos erros

Leia mais

Administração de. José Antônio da Cunha CEFET-RN

Administração de. José Antônio da Cunha CEFET-RN Administração de Banco de Dados José Antônio da Cunha CEFET-RN O Otimizador de um Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados Relacionais (SGBDR) é responsável por analisar uma consulta SQL e escolher qual

Leia mais

Formação em Banco de Dados. Subtítulo

Formação em Banco de Dados. Subtítulo Formação em Banco de Dados Subtítulo Sobre a APTECH A Aptech é uma instituição global, modelo em capacitação profissional, que dispõe de diversos cursos com objetivo de preparar seus alunos para carreiras

Leia mais

PCS3413. Engenharia de So-ware e Banco de Dados. Aula 16. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo

PCS3413. Engenharia de So-ware e Banco de Dados. Aula 16. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo PCS3413 Engenharia de So-ware e Banco de Dados Aula 16 Escola Politécnica da Universidade de São Paulo 1 SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE SQL - Structured Query Language Linguagem de acesso a Banco de Dados

Leia mais

Linguagem SQL - Structured Query Language

Linguagem SQL - Structured Query Language Linguagem SQL - Structured Query Language Breve introdução aos comandos: insert delete update select Alguns casos práticos: Campeonato de Fórmula 1 1 Campeonato de Fórmula 1 Marca nome país nºpontos Carro

Leia mais

Revisão C++ - Parte 1

Revisão C++ - Parte 1 Revisão C++ - Parte 1 Prof. Gustavo Leitão Campus Natal Central Disciplina Programação para Ambiente de Redes 5/3/2010 Objetivo da Aula 5/3/2010 5/3/2010 OBJETIVO DA AULA Revisar os principais comandos

Leia mais

Implementação de Banco de Dados. Cassio Diego cassiodiego.com/bd

Implementação de Banco de Dados. Cassio Diego cassiodiego.com/bd Implementação de Banco de Dados Cassio Diego cassiodiego.com/bd 1 Aula 4 UNIDADE 2: LINGUAGEM SQL (CONTINUAÇÃO) 3. Comando SELECT 3.1. Sintaxe básica 3.2. Consultas com operadores lógicos e de comparação

Leia mais

INDEX. Serve para organizar os dados e agilizar a pesquisa/consulta dos dados armazenado nas tabelas.

INDEX. Serve para organizar os dados e agilizar a pesquisa/consulta dos dados armazenado nas tabelas. INDEX Serve para organizar os dados e agilizar a pesquisa/consulta dos dados armazenado nas tabelas. 1 INDEX o Criação de index segue o padrão ANSI (o mesmo comando para criar index em um determinado SGBD,

Leia mais

Esquema Utilizado em Exemplos. Pesquisa Estrutura Básica. A componente SELECT. A componente SELECT (cont.) (σ P (r 1 r 2 r m ))

Esquema Utilizado em Exemplos. Pesquisa Estrutura Básica. A componente SELECT. A componente SELECT (cont.) (σ P (r 1 r 2 r m )) Esquema Utilizado em Exemplos Produtos codproduto nome preco quantidade unidades numero data Item Encomendas FornecedorDe FornecidaPor Fornecedores ncontribuinte nome morada prazo fax tipo Pesquisa Estrutura

Leia mais

BANCO DE DADOS II SQL Básico. COTEMIG Gerson Borges

BANCO DE DADOS II SQL Básico. COTEMIG Gerson Borges BANCO DE DADOS II SQL Básico COTEMIG Gerson Borges gerson@cotemig.com.br Definição de Banco de Dados [Elmasri & Navathe, 2000] Um banco de dados é uma coleção de dados relacionados Representando algum

Leia mais

Banco de Dados - SQL. Prof. Carlos Bazilio

Banco de Dados - SQL. Prof. Carlos Bazilio Banco de Dados - SQL Prof. Carlos Bazilio http://www.ic.uff.br/~bazilio bazilio@ic.uff.br O que é? SQL = DDL + DML Structured Query Language = Data Definition Language + Data Manipulation Language Implementa

Leia mais

Formação em Banco de Dados. Subtítulo

Formação em Banco de Dados. Subtítulo Formação em Banco de Dados Subtítulo Sobre a APTECH A Aptech é uma instituição global, modelo em capacitação profissional, que dispõe de diversos cursos com objetivo de preparar seus alunos para carreiras

Leia mais

Prova de Fundamentos de Bancos de Dados 2 a Prova

Prova de Fundamentos de Bancos de Dados 2 a Prova Prova de Fundamentos de Bancos de Dados 2 a Prova Prof. Carlos A. Heuser Novembro de 2009 Prova com consulta duas horas de duração Considere a base de dados abaixo (base de dados idêntica a da 1 a prova.

Leia mais

Banco de Dados. José Antônio da Cunha CEFET RN

Banco de Dados. José Antônio da Cunha CEFET RN Banco de Dados José Antônio da Cunha CEFET RN Sub-consulta(Subquery) as subqueries permitem que você obtenha dados de uma tabela com base na existência desses dados em outra ou outras tabelas. Sub-consultas

Leia mais

A linguagem SQL

A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

Banco de dados. Aula 19 Algebra Relacional Continuação. 1 Wedson Quintanilha da Silva -

Banco de dados. Aula 19 Algebra Relacional Continuação. 1 Wedson Quintanilha da Silva - Banco de dados Aula 19 Algebra Relacional Continuação 1 Operadores da Algebra Relacional Operadores originários da teoria de conjuntos: União (union) : Intersecção (intersect): Diferença (minus): - Operadores

Leia mais

Limitações da linguagem SQL

Limitações da linguagem SQL Nuno Melo e Castro Limitações da linguagem SQL O SQL não permite resolver problemas em que os dados a processar têm uma estrutura recursiva Por exemplo, para representar uma estrutura hierárquica como

Leia mais

Restrições ao Domínio Integridade Referencial Asserções Triggers Segurança e Autorizações

Restrições ao Domínio Integridade Referencial Asserções Triggers Segurança e Autorizações Capítulo 5: Integridade e Segurança Restrições ao Domínio Integridade Referencial Asserções Triggers Segurança e Autorizações 1 Restrições ao Domínio As restrições de integridade impõem-se para garantir

Leia mais

Subconsultas ou Consultas Aninhadas

Subconsultas ou Consultas Aninhadas Subconsultas ou Consultas Aninhadas Forma alternativa de especificar consultas envolvendo relacionamentos entre tabelas Otimização filtragens prévias de dados na subconsulta apenas tuplas/atributos de

Leia mais

Linguagem C (estruturas condicionais)

Linguagem C (estruturas condicionais) Linguagem C (estruturas condicionais) André Tavares da Silva atavares@joinville.udesc.br Comandos de Controle de Fluxo Todos os comandos devem ser terminados com um ;. { e são usados para delimitar um

Leia mais

Pesquisa básica em tabelas

Pesquisa básica em tabelas Pesquisa básica em tabelas José Antônio da Cunha Disciplina: Banco de Dados 1 Introdução O comando utilizado para realizar pesquisas em tabelas, ou seja, extrair informações do banco de dados, é o SELECT.

Leia mais

Introdução à Linguagem C

Introdução à Linguagem C Engenharia de CONTROLE e AUTOMAÇÃO Introdução à Linguagem C Aula 02 DPEE 1038 Estrutura de Dados para Automação Curso de Engenharia de Controle e Automação Universidade Federal de Santa Maria beltrame@mail.ufsm.br

Leia mais

PCS3413. Engenharia de So-ware e Banco de Dados. Aula 18. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo

PCS3413. Engenharia de So-ware e Banco de Dados. Aula 18. Escola Politécnica da Universidade de São Paulo PCS3413 Engenharia de So-ware e Banco de Dados Aula 18 Escola Politécnica da Universidade de São Paulo 1 SEGURANÇA EM BANCO DE DADOS Segurança em Banco de Dados proteção dos dados contra acessos não autorizados

Leia mais

O Modelo e a Álgebra Relacional

O Modelo e a Álgebra Relacional O Modelo e a Álgebra Relacional O Modelo Relacional Modelo de dados, que se baseia no princípio em que todos os dados estão guardados em tabelas Baseado em lógica de predicados e na teoria de conjuntos.

Leia mais

Otimização e Execução de Consultas Caso Centralizado Parse Query

Otimização e Execução de Consultas Caso Centralizado Parse Query Bancos de Dados III Processamento de Consultas em Bancos de Dados Distribuídos Rogério Costa rogcosta@inf.puc-rio.br 1 Otimização e Execução de Consultas Caso Centralizado Parse Query Check de Semântica

Leia mais

SQL-99: Definição de esquema, restrições básicas e consultas

SQL-99: Definição de esquema, restrições básicas e consultas SQL-99: Definição de esquema, restrições básicas e consultas A linguagem SQL é uma das maiores razões para o sucesso dos BD relacionais no mundo comercial Este capítulo apresenta as principais funcionalidades

Leia mais

da aula prática 8 de Bases de Dados

da aula prática 8 de Bases de Dados Solução dos exercícios da aula prática 8 de Bases de Dados Considerando o seguinte esquema de relações: Productmaker, model, type PCmodel, speed, ram, hd, cd, price Laptopmodel, speed, ram, hd, screen,

Leia mais

Sistemas de Informação e Bases de Dados 2012/2013. Restrições de Integridade em SQL

Sistemas de Informação e Bases de Dados 2012/2013. Restrições de Integridade em SQL Sistemas de Informação e Bases de Dados 2012/2013 Restrições de Integridade em SQL Alberto Sardinha Bibliografia Raghu Ramakrishnan, Database Management Systems, Cap. 3 e 5 1 Captura e Tratamento das RIs

Leia mais

Introdução à Linguagem C++

Introdução à Linguagem C++ Introdução à Linguagem C++ C++: Definição C++ C A Linguagem de Programação C++ pode ser definida como uma extensão da Linguagem C; Todo código de programação em Linguagem C pode a priori ser compilado

Leia mais

Banco de Dados. -Aprendendo conceitos -Usando o SQL Conf para: -Conectar no banco de dados -Criar, alterar, excluir e consultar estruturas de tabelas

Banco de Dados. -Aprendendo conceitos -Usando o SQL Conf para: -Conectar no banco de dados -Criar, alterar, excluir e consultar estruturas de tabelas Banco de Dados -Aprendendo conceitos -Usando o SQL Conf para: -Conectar no banco de dados -Criar, alterar, excluir e consultar estruturas de tabelas O que é banco de dados? São conjuntos de registros dispostos

Leia mais

Configurar o ODBC em ISE 2.3 com base de dados Oracle

Configurar o ODBC em ISE 2.3 com base de dados Oracle Configurar o ODBC em ISE 2.3 com base de dados Oracle Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Configurar Etapa 1. Configuração básica do Oracle Etapa 2. Configuração básica ISE

Leia mais

Roteiro 10: Consultas com várias tabelas/operadores de busca

Roteiro 10: Consultas com várias tabelas/operadores de busca Roteiro 10: Consultas com várias tabelas/operadores de busca Objetivos: Criar consultas utilizando várias tabelas Explorar as funcionalidades de selects em várias tabelas utilizando a notação tabela.campo

Leia mais

Prova de Fundamentos de Bancos de Dados 2 a Prova

Prova de Fundamentos de Bancos de Dados 2 a Prova Prova de Fundamentos de Bancos de Dados 2 a Prova Prof. Carlos A. Heuser Novembro de 2008 Prova com consulta a livros, apostilas e anotações 1 Base de dados para as questões (Esta é a mesma base de dados

Leia mais

Usando Subconsultas para Solucionar Consultas

Usando Subconsultas para Solucionar Consultas Usando Subconsultas para Solucionar Consultas Objetivos Ao concluir esta lição, você será capaz de: Definir subconsultas Descrever os tipos de problemas que as subconsultas podem solucionar Listar os tipos

Leia mais

Revisão + Visões + Sub-Consultas + JOINS

Revisão + Visões + Sub-Consultas + JOINS Revisão + Visões + Sub-Consultas + JOINS Professor: Ricardo Luis dos Santos IFSUL Campus Sapucaia do Sul 2015 Campus Sapucaia do Sul Agenda História Vantagens e Desvantagens Conceitos Tipos de chaves SQL

Leia mais

Sumário. SQL - Criação de Tabelas. Structured Query Language. SQL Versões. André Restivo. October 18, 2010

Sumário. SQL - Criação de Tabelas. Structured Query Language. SQL Versões. André Restivo. October 18, 2010 Sumário SQL - Criação de Tabelas André Restivo Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto October 18, 2010 1 Introdução 2 Tabelas 3 Colunas 4 5 Modificação de Tabelas 6 Domínios André Restivo (FEUP)

Leia mais

ponteiros INF Programação I Prof. Roberto Azevedo

ponteiros INF Programação I Prof. Roberto Azevedo ponteiros INF1005 -- Programação I -- 2016.1 Prof. Roberto Azevedo razevedo@inf.puc-rio.br ponteiros tópicos o que são ponteiros operadores usados com ponteiros passagem de ponteiros para funções referência

Leia mais

Análise de Dados Espaciais: Baseadas na Localização

Análise de Dados Espaciais: Baseadas na Localização Análise de Dados Espaciais: Baseadas na Localização Flávia F. Feitosa Disciplina PGT 035 Geoprocessamento Aplicado ao Planejamento e Gestão do Território Aula disponível em: https://flaviafeitosa.wordpress.com/talksteaching/geopgt/

Leia mais

Hello World. Linguagem C. Tipos de Dados. Palavras Reservadas. Operadores Aritméticos. Pré e pós incremento e pré e pós decremento

Hello World. Linguagem C. Tipos de Dados. Palavras Reservadas. Operadores Aritméticos. Pré e pós incremento e pré e pós decremento Hello World Linguagem C printf("hello world!\n"); main é a função principal, a execução do programa começa por ela printf é uma função usada para enviar dados para o vídeo Palavras Reservadas auto double

Leia mais