Demonstrações Financeiras Banco BTG Pactual S.A. e suas Controladas (Anteriormente denominado Banco UBS Pactual S.A.)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Demonstrações Financeiras Banco BTG Pactual S.A. e suas Controladas (Anteriormente denominado Banco UBS Pactual S.A.)"

Transcrição

1 Demonstrações Financeiras e suas Controladas com Parecer dos Auditores Independentes

2 E SUAS CONTROLADAS Demonstrações financeiras Índice Parecer dos auditores independentes... 1 Demonstrações financeiras auditadas Balanços patrimoniais... 2 Demonstrações dos resultados... 4 Demonstrações das mutações do patrimônio líquido... 5 Demonstrações dos fluxos de caixa... 6 Notas explicativas às demonstrações financeiras... 7

3 Parecer dos auditores independentes Aos Administradores e acionistas do 1. Examinamos os balanços patrimoniais do e os balanços patrimoniais consolidados do e empresas controladas, levantados em e as respectivas demonstrações dos resultados, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa correspondentes aos semestres findos naquelas datas, elaborados sob a responsabilidade de sua Administração. Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações financeiras. 2. Nossos exames foram conduzidos de acordo com as normas brasileiras de auditoria e compreenderam: a) o planejamento dos trabalhos, considerando a relevância dos saldos, o volume de transações e os sistemas contábil e de controles internos do Banco e do ; b) a constatação, com base em testes, das evidências e dos registros que suportam os valores e as informações contábeis divulgados; e c) a avaliação das práticas e das estimativas contábeis mais representativas adotadas pela Administração do Banco e do, bem como da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto. 3. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras acima referidas representam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira do, bem como a posição patrimonial e financeira consolidada do e empresas controladas em, os resultados de suas operações, as mutações do seu patrimônio líquido e os seus fluxos de caixa referentes aos semestres findos naquelas datas, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil aplicáveis às instituições financeiras autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil. 4. De acordo com o descrito na nota explicativa nº 1, o incorporou, integralmente, durante o semestre findo em 30 de junho de 2010, a BTG Pactual Investimentos S/A. Em cumprimento às disposições do Banco Central do Brasil, examinamos os procedimentos adotados nos processos de incorporação, os quais, em nossa opinião, estão de acordo com as normas regulamentares. Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2010 ERNST & YOUNG Auditores Independentes S.S. CRC - 2SP /O-6 - F - RJ Flávio Serpejante Peppe Contador CRC - 1SP /O-6 - S - RJ 3

4 Balanços patrimoniais Ativo Circulante Disponibilidades Aplicações interfinanceiras de liquidez Aplicações no mercado aberto Aplicações em depósitos interfinanceiros Títulos e valores mobiliários e instrumentos financeiros derivativos Carteira própria Vinculados a compromissos de recompra Instrumentos financeiros derivativos Vinculados à prestação de garantias Relações interfinanceiras Pagamentos e recebimentos a liquidar Créditos vinculados Depósitos no Banco Central SFH - Sistema Financeiro da Habitação Correspondentes Operações de crédito Operações de crédito - setor privado Provisão para perdas em operações de crédito (31.829) (72.186) (27.264) (72.186) Outros créditos Carteira de câmbio Rendas a receber Negociação e intermediação de valores Diversos Provisão para perdas em outros créditos (1.795) (1.287) (1.795) (1.287) Outros valores e bens Outros valores e bens Despesas antecipadas Realizável a longo prazo Títulos e valores mobiliários e instrumentos financeiros derivativos Instrumentos financeiros derivativos Relações interfinanceiras Créditos vinculados SFH - Sistema Financeiro da Habitação Operações de crédito Operações de crédito - setor privado Provisão para perdas em operações de crédito (39.472) (38.655) (39.184) (38.655) Outros créditos Créditos por avais e fianças honrados Carteira de câmbio Rendas a receber Negociação e intermediação de valores Diversos Provisão para perdas em outros créditos (51.840) ( ) (51.840) (77.348) Permanente Investimentos Participações em controladas - no país Participações em controladas - no exterior Outros investimentos Provisão para perdas (2.987) (2.987) (2.867) (2.867) Imobilizado de uso Outras imobilizações de uso Depreciações acumuladas (23.651) (15.807) (22.259) (15.309) Diferido Gastos com organização e expansão Amortização acumulada (11.600) (8.124) (11.600) (8.124) Intangível Outros ativos intangíveis Amortização acumulada (843) - (773) - Total do ativo As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. 4

5 Balanços patrimoniais Passivo Circulante Depósitos Depósitos à vista Depósitos interfinanceiros ligadas Depósitos interfinanceiros Depósitos a prazo Outros depósitos Captações no mercado aberto Carteira própria Carteira de terceiros Carteira de livre movimentação Recursos de aceites e emissão de títulos Recursos de letras imobiliárias Obrigações por títulos e valores mobiliários no exterior Relações interfinanceiras Recebimentos e pagamentos a liquidar Obrigações por empréstimos Empréstimos no exterior Obrigações por repasses no país - instituições oficiais FINAME Obrigações por repasses do exterior Repasses do exterior Instrumentos financeiros derivativos Instrumentos financeiros derivativos Outras obrigações Cobrança e arrecadação de tributos e assemelhados Carteira de câmbio Sociais e estatutárias Fiscais e previdenciárias Negociação e intermediação de valores Diversas Exigível a longo prazo Depósitos Depósitos a prazo Recursos de aceites e emissão de títulos Recursos de letras imobiliárias Obrigações por repasses no país - instituições oficiais FINAME Instrumentos financeiros derivativos Instrumentos financeiros derivativos Outras obrigações Carteira de câmbio Sociais e estatutárias Fiscais e previdenciárias Negociação e intermediação de valores Diversas Resultados de exercícios futuros Patrimônio líquido Capital social - de domiciliados no país Capital social - de domiciliados no exterior Reservas de capital Reservas de lucros Lucros acumulados Total do passivo As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. 5

6 Demonstrações dos resultados Semestres findos em (Em milhares de reais, exceto o lucro líquido por ação) Receitas da intermediação financeira Operações de crédito Resultado de operações com títulos e valores mobiliários Resultado com instrumentos financeiros derivativos Resultado de operações de câmbio Despesas da intermediação financeira ( ) ( ) ( ) ( ) Operações de captação no mercado ( ) ( ) ( ) ( ) Operações de empréstimos e repasses (10.626) (6.515) Provisão para operações de crédito e outros créditos (1.680) ( ) (1.358) ( ) Resultado bruto da intermediação financeira Outras receitas (despesas) operacionais Receitas de prestação de serviços Despesas de pessoal ( ) ( ) (88.769) (75.406) Outras despesas administrativas (93.709) (64.926) (83.090) (57.275) Despesas tributárias (69.097) (41.624) (56.611) (28.885) Resultado de participações em controladas Outras receitas operacionais Outras despesas operacionais (4.873) (9.938) (585) (4.174) Resultado operacional Resultado não operacional Resultado antes da tributação sobre o lucro e participações Imposto de renda e contribuição social (66.583) ( ) (28.137) (79.540) Provisão para imposto de renda (32.558) ( ) 41 (86.176) Provisão para contribuição social (19.053) (71.974) 21 (51.755) Ativo fiscal diferido (14.972) (28.199) Participações estatutárias no lucro ( ) (54.973) (74.282) (30.598) Lucro líquido do semestre Quantidade de ações em circulação no final do semestre Lucro líquido por ação - R$ 0,27 0,09 As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. 6

7 Demonstrações das mutações do patrimônio líquido - Controladora Semestres findos em (Em milhares de reais, exceto o valor de dividendos por ação) Capital Aumento de Reservas Reservas de lucros Lucros social Capital de capital Legal A realizar Estatutária Total acumulados Total Saldos em 31 de dezembro de Dividendos distribuídos (R$ 0,12 por ação) ( ) ( ) Aumento de capital (7.079) Lucro líquido do semestre Destinações do lucro líquido Constituição de reservas (1.416) - Saldos em 30 de junho de Saldos em 31 de dezembro de Lucro líquido do semestre Saldos em 30 de junho de As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. 7

8 Demonstrações dos fluxos de caixa Semestres findos em Atividades operacionais Lucro líquido do semestre Ajustes ao lucro líquido ( ) (18.112) Resultado de participações em controladas - - ( ) (23.530) Depreciações e amortizações Lucro líquido ajustado do semestre (Aumento)/redução em aplicações interfinanceiras de liquidez ( ) ( ) (Aumento)/redução em títulos e valores mobiliários e instrumentos financeiros derivativos ( ) ( ) (Aumento)/redução em operações de créditos ( ) ( ) (Aumento)/redução em outros créditos e outros valores e bens ( ) ( ) (Aumento)/redução em relações interfinanceiras (38.770) (38.770) (Redução)/aumento em outras obrigações ( ) ( ) (Redução)/aumento em resultados de exercícios futuros (553) (553) Caixa proveniente/utilizado nas atividades operacionais ( ) ( ) Atividades de investimento Alienação de investimentos Alienação de imobilizado de uso Aquisição de investimentos (416) (720) (416) (720) Aquisição de imobilizado de uso (3.192) (1.477) (3.126) (1.477) Aplicação no diferido 190 (1.369) - (1.369) Aquisição de intangível (3.657) - (3.466) - Caixa proveniente/utilizado nas atividades de investimento (6.031) (225) (6.586) (1.476) Atividades de financiamento Aumento/(redução) em depósitos ( ) ( ) Aumento/(redução) em captações no mercado aberto ( ) ( ) Aumento/(redução) em obrigações por empréstimos e repasses ( ) ( ) Aumento/(redução) em recursos de aceites e emissão de títulos ( ) Dividendos distribuídos ( ) - ( ) - Caixa proveniente/utilizado nas atividades de financiamento ( ) ( ) Aumento/(redução) de caixa e equivalentes Saldo de caixa e equivalentes No início do semestre No fim do semestre Aumento/(redução) de caixa e equivalentes As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. 8

9 Notas explicativas às demonstrações financeiras 1. Contexto operacional O (banco) está constituído sob a forma de banco múltiplo, atuando em conjunto com suas controladas, oferecendo produtos e serviços financeiros relativos às carteiras comercial, inclusive câmbio, de investimentos, crédito, financiamento e investimento, arrendamento mercantil e crédito imobiliário. As operações são conduzidas no contexto de um conjunto de sociedades que atuam integradamente no mercado financeiro, e certas operações têm a intermediação de outras sociedades integrantes do Grupo BTG. Em abril de 2009, os acionistas firmaram um contrato de venda de 100% das ações do Banco UBS Pactual S.A. para a BTG Investments, LP, o qual foi aprovado pelo Banco Central do Brasil (BACEN) em 16 de setembro de Com a aprovação da transferência do controle societário, o banco teve, através de assembléia realizada em 18 de setembro de 2009, sua razão social alterada para, a alteração foi aprovada pelo BACEN em 29/12/2009. Dando continuidade as etapas de reestruturação societária previstas, com a finalidade de buscar a simplificação da estrutura societária do banco, com a conseqüente redução de custos financeiros e operacionais, em 26 de abril de 2010 o banco incorporou a sua controladora BTG Pactual Investimentos S/A, pelo valor contábil do seu patrimônio em 31 de março de 2010, sendo que a operação não resultou em aumento de capital social, no entanto, o ágio apurado na aquisição do banco gerou um crédito fiscal de R$ , reconhecido contabilmente no ato da incorporação. A incorporação encontra-se em fase de aprovação pelo BACEN. 2. Apresentação das demonstrações financeiras As demonstrações financeiras foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, associadas às normas e instruções do BACEN, e estão apresentadas em conformidade com o Plano Contábil das Instituições do Sistema Financeiro Nacional - COSIF. A elaboração de demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil requer que a Administração use julgamento na determinação e registro de estimativas contábeis. Os ativos e passivos sujeitos a essas estimativas e premissas referem-se, basicamente, ao imposto de renda diferido ativo e passivo, à provisão para operações de créditos e outros créditos de liquidação duvidosa, à provisão para tributos e contribuições com exigibilidade suspensa e à provisão para passivos contingentes. A liquidação das transações envolvendo essas estimativas poderá resultar em valores diferentes dos estimados, devido a imprecisões inerentes ao processo de sua determinação. O banco e suas controladas revisam essas estimativas e premissas periodicamente. 9

10 3. Demonstrações financeiras consolidadas As demonstrações financeiras consolidadas foram elaboradas em consonância com os critérios de consolidação emanados pelo BACEN, tendo sido eliminadas as participações, os saldos das contas de ativo e passivo e as receitas e despesas entre as instituições. Estas demonstrações financeiras consolidadas incluem as demonstrações financeiras individuais do e as de suas controladas diretas e indiretas abaixo relacionadas: Participação no capital total - % Direta BTG Pactual Asset Management S.A. Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários 99,99 99,99 BTG Pactual Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. 99,99 99,99 BTG Pactual Serviços Financeiros S.A. Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários 99,99 99,99 BTG Pactual Corretora de Mercadorias Ltda. 99,99 99,99 BTG Pactual Corporate Services Ltda. 99,40 99,40 BTG Pactual Securitizadora S.A. 99,99 99,99 BTG Pactual Agente Comercializador de Energia Ltda. 99,96 99,96 BTG Pactual Banking Limited 100,00 100,00 Indireta BTG Pactual Gestora de Investimentos Alternativos Ltda. 99,98 99,98 BTG Pactual WM Gestão de Recursos Ltda. 99,99 99,99 BTG Pactual Overseas Corporation 100,00 100,00 BTG Pactual Gestora de Recursos Ltda. 99,99 - As demonstrações financeiras das empresas sediadas no exterior, originalmente elaboradas em dólares norte-americanos, foram convertidas para reais pela cotação do dólar comercial nas datas das demonstrações financeiras. Nas demonstrações financeiras consolidadas, os efeitos da variação cambial sobre os investimentos no exterior estão distribuídos nas linhas das demonstrações dos resultados conforme a natureza das respectivas contas patrimoniais. 10

11 4. Principais práticas contábeis As práticas contábeis mais relevantes adotadas pelo banco e por suas controladas diretas e indiretas são as seguintes: a) O resultado das operações é apurado pelo regime de competência. b) Os ativos circulante e realizável a longo prazo são demonstrados pelos valores de realização, incluindo, quando aplicável, os rendimentos e as variações monetárias (em base pro rata dia) e cambiais auferidos, deduzidos das correspondentes rendas de realização futura e/ou provisões para perdas. c) Os títulos e valores mobiliários são avaliados e classificados de acordo com os critérios estabelecidos pela Circular BACEN nº 3.068/01, nas seguintes categorias: I - títulos para negociação; II - títulos disponíveis para venda; e III - títulos mantidos até o vencimento. Os títulos e valores mobiliários classificados na categoria I são ajustados pelo valor de mercado, sendo estes ajustes com contrapartida em conta de resultado, e os classificados na categoria II são registrados pelo custo de aquisição, acrescido dos rendimentos auferidos, em contrapartida do resultado e avaliados ao valor de mercado em contrapartida de conta específica do patrimônio líquido, líquidos dos efeitos tributários. Os títulos e valores mobiliários classificados na categoria III são avaliados pelo respectivo custo de aquisição, acrescido dos rendimentos intrínsecos auferidos, reconhecidos em conta de resultado. d) As operações que utilizam instrumentos financeiros efetuadas por conta própria, ou que não atendam aos critérios de proteção (principalmente derivativos utilizados para administrar a exposição global de risco), são contabilizadas pelo valor de mercado, com os ganhos e perdas, realizados e não realizados, reconhecidos diretamente no resultado. Os derivativos utilizados para proteger exposições a risco ou para modificar as características de ativos e passivos financeiros e que sejam (i) altamente correlacionados no que se refere às alterações em seu valor de mercado, em relação ao valor de mercado do item que estiver sendo protegido, tanto no início quanto ao longo da vida do contrato e (ii) considerados efetivos na redução do risco associado à exposição a ser protegida são classificados como hedge de risco de mercado, onde os ativos e passivos financeiros, bem como os respectivos instrumentos financeiros relacionados, são contabilizados pelo valor de mercado, com os ganhos e perdas, realizados e não realizados, reconhecidos diretamente no resultado. 11

12 4. Principais práticas contábeis--continuação e) O valor de mercado dos títulos e valores mobiliários, instrumentos financeiros derivativos e demais direitos e obrigações, quando aplicável, é calculado com base em preços de mercado, modelos de avaliação de preços, ou ainda com base no preço determinado para outros instrumentos financeiros com características semelhantes. Assim, quando da liquidação financeira destas operações, os resultados poderão ser diferentes das estimativas. f) Os ajustes diários das operações realizadas no mercado futuro são registrados como receita ou despesa efetiva quando auferidas ou incorridas. Os prêmios pagos ou recebidos na realização de operações no mercado de opções de ações, outros ativos financeiros e mercadorias são registrados nas respectivas contas patrimoniais pelos valores pagos ou recebidos, ajustados a preços de mercado em contrapartida do resultado. O valor nominal dos contratos de operações de compra e venda de ações, outros ativos financeiros e mercadorias realizados nos mercados futuros e de opções é registrado em conta de compensação. g) As operações realizadas no mercado a termo de ativos financeiros e mercadorias são registradas pelo valor final contratado, deduzido de diferença entre esse valor e o preço do bem ou direito, na adequada conta de ativo ou passivo. As receitas e despesas são reconhecidas em razão do prazo de fluência dos contratos. h) Os ativos e passivos decorrentes das operações de swap e de termo de moedas - NDF são registrados em contas patrimoniais pelo valor contábil, ajustado ao valor de mercado, em contrapartida do resultado, sem compensação entre valores a pagar e a receber. O valor nocional dos contratos é registrado em contas de compensação. i) A provisão para operações de crédito e de outros créditos é estimada com base em análise das operações e dos riscos específicos apresentados em cada carteira, de acordo com os critérios estabelecidos pela Resolução nº 2.682/99 do Conselho Monetário Nacional (C.M.N.). j) As participações em controladas são avaliadas pelo método de equivalência patrimonial. Os títulos patrimoniais são registrados ao custo de aquisição e atualizados pelos valores patrimoniais informados pelas respectivas instituições, sendo o resultado dessas atualizações contabilizados em reserva de capital, no patrimônio líquido. Os títulos da CETIP Câmara de Custódia e Liquidação (CETIP) foram atualizados até a data da respectiva desmutualização. Os outros investimentos permanentes estão avaliados pelo custo de aquisição, deduzido, quando aplicável, de provisão para perdas. 12

13 4. Principais práticas contábeis--continuação k) O imobilizado de uso é registrado pelo custo de aquisição. A depreciação é calculada pelo método linear com base no prazo de vida útil-econômica dos bens. Os gastos diferidos correspondem, principalmente, a benfeitorias em imóveis de terceiros. A amortização é calculada pelo método linear com base nos prazos estimados de utilização e/ou de locação. l) A redução ao valor recuperável de ativos (impairment) é reconhecida como perda no resultado do período sempre que existirem evidências claras de que os ativos estejam avaliados por valor não recuperável. Este procedimento é realizado no mínimo no final de cada exercício. m) Os passivos circulante e exigível a longo prazo são demonstrados por valores conhecidos ou calculáveis, que incluem, quando aplicável, os encargos e as variações monetárias (em base pro rata dia) e/ou cambiais incorridos. n) As provisões para imposto de renda e contribuição social são constituídas com base no lucro contábil, ajustado pelas adições e exclusões previstas na legislação fiscal. O imposto de renda e a contribuição social diferidos são calculados sobre o valor das diferenças temporárias, sempre que a realização desses montantes for julgada provável. Para o imposto de renda a alíquota utilizada é de 15%, acrescida de adicional de 10% sobre o lucro tributável anual excedente a R$ 240 e de 15% para contribuição social. 13

14 4. Principais práticas contábeis--continuação o) O reconhecimento, a mensuração e a divulgação dos ativos e passivos contingentes, e obrigações legais, fiscais e previdenciárias são efetuados de acordo com os critérios descritos abaixo: Contingências ativas Não são reconhecidas nas demonstrações financeiras, exceto quando da existência de evidências que propiciem a garantia de sua realização, sobre as quais não cabem mais recursos. Contingências passivas São reconhecidas nas demonstrações financeiras quando, baseado na opinião de assessores jurídicos e da administração, for considerado provável o risco de perda de uma ação judicial ou administrativa e quando os montantes envolvidos forem mensuráveis com suficiente segurança. Os passivos contingentes classificados como perdas possíveis pelos assessores jurídicos são apenas divulgados em notas explicativas, enquanto aqueles classificados como perda remota não requerem provisão e divulgação. Obrigações legais fiscais e previdenciárias - Referem-se a demandas judiciais onde estão sendo contestadas a legalidade e a constitucionalidade de alguns tributos e contribuições. O montante discutido é quantificado, registrado contabilmente. p) Nas demonstrações dos fluxos de caixa a rubrica Caixa e equivalentes de caixa inclui, conforme Resolução nº 3.604/08 do C.M.N., dinheiro em caixa, depósito bancários, investimentos de curto prazo de alta liquidez, com risco insignificante de mudança de valor, com prazo de vencimento igual ou inferior a 90 dias. q) O lucro por ação é calculado com base na quantidade de ações em circulação nas datas dos balanços. 5. Disponibilidades O saldo desta rubrica refere-se, basicamente, a depósitos no exterior em bancos de primeira linha. 14

15 6. Aplicações interfinanceiras de liquidez As aplicações interfinanceiras de liquidez com vencimento igual ou inferior a 90 dias são considerados como caixa e equivalente de caixa, para fins de apresentação na demonstração de fluxo de caixa. a) Aplicações no mercado aberto i. Por posição/título Posição bancada Letras do Tesouro Nacional Notas do Tesouro Nacional Títulos corporativos Posição financiada Letras Financeiras do Tesouro Letras do Tesouro Nacional Notas do Tesouro Nacional Posição vendida Letras do Tesouro Nacional Notas do Tesouro Nacional ii. Por vencimento Até 90 dias Acima de 90 dias b) Aplicações em depósitos interfinanceiros O saldo desta rubrica refere-se a depósitos interfinanceiros em bancos de primeira linha i. Por título Aplicações em depósitos interfinanceiros - CDI Aplicações em moeda estrangeira - Overnight ii.por vencimento Até 90 dias Acima de 90 dias

16 7. Títulos e valores mobiliários e instrumentos financeiros derivativos a) Títulos e valores mobiliários Os títulos e valores mobiliários integrantes da carteira própria do banco e suas controladas estão classificados na categoria de títulos para negociação e podem ser assim demonstrados: Custo Mercado Custo Mercado Carteira própria Títulos públicos federais Letras Financeiras do Tesouro Letras do Tesouro Nacional Notas do Tesouro Nacional Certificados de depósito bancário Debêntures Certificado de crédito bancário Certificado de créditos imobiliários Quotas de fundos de investimento Ações Precatórios Créditos securitizados Certificado de recebíveis imobiliários Títulos corporativos (i) T-Bill Vinculados a compromissos de recompras Títulos públicos federais Letras Financeiras do Tesouro Letras do Tesouro Nacional Notas do Tesouro Nacional Títulos corporativos (i) Vinculados à prestação de garantias Títulos públicos federais Letras Financeiras do Tesouro Letras do Tesouro Nacional Notas do Tesouro Nacional Ações Certificados de depósito bancário (i) Referem-se a títulos de empresas brasileiras, emitidos no exterior, que integram a carteira da subsidiária BTG Pactual Banking Limited. 16

17 7. Títulos e valores mobiliários e instrumentos financeiros derivativos --Continuação a) Títulos e valores mobiliários--continuação Custo Mercado Custo Mercado Carteira própria Títulos públicos federais Letras Financeiras do Tesouro Letras do Tesouro Nacional Notas do Tesouro Nacional Certificados de depósito bancário Debêntures Certificado de crédito bancário Cédulas de créditos imobiliários Quotas de fundos de investimento Ações Precatórios Créditos securitizados Certificado de recebíveis imobiliários Vinculados a compromissos de recompras Títulos públicos federais Letras Financeiras do Tesouro Letras do Tesouro Nacional Notas do Tesouro Nacional Vinculados à prestação de garantias Títulos públicos federais Letras Financeiras do Tesouro Letras do Tesouro Nacional Notas do Tesouro Nacional Ações Certificados de depósito bancário

18 7. Títulos e valores mobiliários e instrumentos financeiros derivativos --Continuação b) Instrumentos financeiros derivativos 2010 Ativo Passivo Custo Mercado Custo Mercado Instrumentos financeiros derivativos Operações de swap Vendas a termo a receber/compras a termo a pagar Prêmios de opções Termo de moedas - NDF Circulante Longo prazo Ativo Passivo Custo Mercado Custo Mercado Instrumentos financeiros derivativos Operações de swap Vendas a termo a receber/compras a termo a pagar Prêmios de opções Termo de moedas - NDF Circulante Longo prazo

19 7. Títulos e valores mobiliários e instrumentos financeiros derivativos --Continuação b) Instrumentos financeiros derivativos--continuação 2010 Ativo Passivo Custo Mercado Custo Mercado Instrumentos financeiros derivativos Operações de swap Vendas a termo a receber/compras a termo a pagar Prêmios de opções Termo de moedas - NDF Circulante Longo prazo Ativo Passivo Custo Mercado Custo Mercado Instrumentos financeiros derivativos Operações de swap Vendas a termo a receber/compras a termo a pagar Prêmios de opções Termo de moedas - NDF Circulante Longo prazo Operações de crédito As operações de crédito são classificadas em níveis de risco de acordo com os critérios estabelecidos pela Resolução nº 2.682/99 do C.M.N. Essa classificação leva em consideração entre outras, uma análise periódica da operação, dos atrasos, do histórico do cliente e das garantias obtidas, quando aplicável. A provisão para perdas em operações de crédito é efetuada com base na classificação do cliente nos níveis de risco definidos pela Resolução. 19

20 8. Operações de crédito--continuação As operações de crédito e outras operações com características de concessão de crédito podem ser assim demonstradas: a) Operações de crédito Modalidade de crédito Tipo de cliente Atividade econômica Nível de risco Saldo Provisão Saldo Provisão Empréstimos Jurídica Indústria AA Jurídica Comércio AA Jurídica Serviços AA Física - AA Jurídica Rural A (201) - - Jurídica Indústria A (687) (115) Jurídica Comércio A (14) - - Jurídica Serviços A (396) (333) Física - A (1.625) (2.471) Jurídica Indústria B (781) (72) Jurídica Comércio B (81) (418) Jurídica Serviços B (2.354) (840) Física - B (792) (20) Jurídica Indústria C 436 (13) (306) Jurídica Comércio C (621) - - Jurídica Serviços C (1.892) (668) Física - C (2.383) Jurídica Indústria D (429) (579) Jurídica Serviços D (8.595) (3.380) Jurídica Indústria E (4.153) (7.256) Jurídica Serviços E (3.957) - - Jurídica Indústria F (5.849) (14.145) Jurídica Indústria G (27.734) Jurídica Serviços G (34.044) Jurídica Rural H (4.954) Jurídica Serviços H (36.515) (9.319) (68.955) ( ) Financiamentos Jurídica Indústria AA Jurídica Serviços AA Jurídica Indústria A (101) - - Jurídica Serviços A (181) - - Jurídica Indústria B (35) Jurídica Indústria C (83) Física - C (295) - - Jurídica Indústria E (725) - - Jurídica Indústria F (1.682) Física - F (1.042) (2.344) (1.800) Repasse FINAME/BNDES Jurídica Rural A 341 (2) 734 (4) Financiamento de títulos e valores mobiliários (71.301) ( ) Circulante (31.829) (72.186) Longo prazo (39.472) (38.655) 20

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

ÍNDICE BANCO IBI S.A. BANCO MÚLTIPLO

ÍNDICE BANCO IBI S.A. BANCO MÚLTIPLO ÍNDICE BANCO IBI S.A. BANCO MÚLTIPLO Relatório da Administração 3 Balanços Patrimoniais 3 Demonstração de Resultados 4 Demonstração das Mutações 5 Demonstração das Origens 5 Notas Explicativas 6 Diretoria

Leia mais

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.

Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. Demonstrações Financeiras Ático Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014

MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 Crowe Horwath Bendoraytes & Cia. Member of Crowe Horwath International Avenida das Américas, 4200

Leia mais

31 de dezembro de 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras

31 de dezembro de 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Monetar Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. (Anteriormente denominada Sommar Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda) 31 de dezembro de 2014 com Relatório

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A-PDF MERGER DEMO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES São Paulo,04 de agosto de 2006. Ilmos. Senhores - es e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 1. Examinamos os balanços

Leia mais

Banco Modal S.A. e Banco Modal S.A. e empresas controladas (CONEF) Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2010 e de 2009 e parecer dos auditores

Banco Modal S.A. e Banco Modal S.A. e empresas controladas (CONEF) Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2010 e de 2009 e parecer dos auditores Banco Modal S.A. e Banco Modal S.A. e empresas controladas (CONEF) Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2010 e de 2009 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes

HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. Parecer dos auditores independentes Demonstrações contábeis Em 31 de dezembro de 2009 e 2008 HENCORP COMMCOR DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2014

MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2014 MÁXIMA S/A. CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2014 Crowe Horwath Bendoraytes & Cia. Member of Crowe Horwath International Avenida das Américas, 4200 - Bl.4

Leia mais

ING. Demonstrações Financeiras

ING. Demonstrações Financeiras ING Demonstrações Financeiras 30/junho/2002 ÍNDICE ING BANK N.V. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS SEMESTRAIS DE 2002 E 2001... 3 ING CORRETORA DE CÂMBIO E TÍTULOS S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS SEMESTRAIS DE

Leia mais

Demonstrações Financeiras Auditadas Banco ABC Brasil S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Auditadas Banco ABC Brasil S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Auditadas Banco ABC Brasil S.A. com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes... 1 Demonstrações financeiras

Leia mais

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012(Em Milhares de Reais) ATIVO Nota 31/12/2013 31/12/2012

BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012(Em Milhares de Reais) ATIVO Nota 31/12/2013 31/12/2012 BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E 2012(Em Milhares de Reais) ATIVO Nota 31/12/2013 31/12/2012 CIRCULANTE 67.424 76.165 DISPONIBILIDADES 4 5.328 312 TITULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E INTRUMENTOS

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e 2013

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e 2013 KPDS 110896 Conteúdo Relatório da Administração 3 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 4 Balanços patrimoniais 6 Demonstrações de resultados 7 Demonstrações das mutações

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 KPDS 82388 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações

Leia mais

Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 e 2014

Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2015 e 2014 MSB Bank S.A. Banco de Câmbio KPDS 125950 MSB Bank S.A. Banco de Câmbio Conteúdo Relatório da Administração 3 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 4 Balanços patrimoniais

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 2013 DEMONSTRAÇÕES DO RESULTADO EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 E DE 2006 E SEMESTRE RELATÓRIO FINDO DA ADMINISTRAÇÃO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 (Em milhares de reais

Leia mais

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Brito Amoedo Imobiliária S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Brito Amoedo Imobiliária S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Demonstrações financeiras Conglomerado Prudencial. 30 de junho de 2014 c om Relatório dos auditores independentes

Demonstrações financeiras Conglomerado Prudencial. 30 de junho de 2014 c om Relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Conglomerado Prudencial 30 de junho de c om Relatório dos auditores independentes Conglomerado Prudencial Demonstrações contábeis 30 de junho de Índice Relatório dos auditores

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 e 2008 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

Banco GMAC S.A. Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes

Banco GMAC S.A. Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes Banco GMAC S.A. Demonstrações Financeiras Consolidadas do Conglomerado Prudencial, Referentes ao Semestre Findo em 30 de Junho de e Relatório dos Auditores Independentes. Deloitte Touche Tohmatsu Auditores

Leia mais

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades.

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Apresentamos as Demonstrações Financeiras da Mehir Holdings S.A. referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2004 e as respectivas Notas

Leia mais

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES

SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES SOARES & ASSOCIADOS AUDITORES INDEPENDENTES Ilmos. Srs. Diretores e Acionistas de BVA Seguros S/A Rio de Janeiro - RJ RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Examinamos as demonstrações financeiras individuais

Leia mais

Link S.A. - Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 e 2010

Link S.A. - Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 e 2010 Link S.A. - Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2011 e 2010 Demonstrações financeiras Exercícios findos em 31 de dezembro de 2011 e 2010 Em milhares de

Leia mais

Demonstrações Financeiras Brasil Plural Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários S.A. CNPJ (MF): 05.816.451/0001-15

Demonstrações Financeiras Brasil Plural Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários S.A. CNPJ (MF): 05.816.451/0001-15 Demonstrações Financeiras Brasil Plural Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários S.A. CNPJ (MF): 05.816.451/0001-15 30 de junho de 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações

Leia mais

Demonstrações Contábeis preparadas de Acordo com Práticas Contábeis Adotadas no Brasil - Para fins específicos

Demonstrações Contábeis preparadas de Acordo com Práticas Contábeis Adotadas no Brasil - Para fins específicos Demonstrações Contábeis preparadas de Acordo com Práticas Contábeis Adotadas no Brasil - Para fins específicos Conglomerado Prudencial do Banco Original S.A 30 de Junho de 2015 ÍNDICE DAS DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES PÚBLICOS NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO - COOPJUD

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES PÚBLICOS NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO - COOPJUD COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES PÚBLICOS NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO - COOPJUD NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 E

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 Demonstrações financeiras em Page 1 of 37 Conteúdo Relatório da Administração 3 Resumo do relatório do Comitê de Auditoria 5 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 6 Balanços

Leia mais

Banco Caterpillar S.A. Rua Alexandre Dumas, 1711 - Edifício Birmann 11-9º andar Setor 2 - São Paulo - SP CNPJ: 02.658.435/0001-53

Banco Caterpillar S.A. Rua Alexandre Dumas, 1711 - Edifício Birmann 11-9º andar Setor 2 - São Paulo - SP CNPJ: 02.658.435/0001-53 Rua Alexandre Dumas, 1711 - Edifício Birmann 11-9º andar Setor 2 - São Paulo - SP CNPJ: 02.658.435/0001-53 Balanço Patrimonial - Conglomerado Prudencial em 30 de Junho ATIVO 2014 CIRCULANTE 1.893.224 Disponibilidades

Leia mais

30 de junho de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes

30 de junho de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Brasil Plural Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários S.A. (Anteriormente denominada Flow Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários S.A.) com Relatório dos

Leia mais

Demonstrações contábeis consolidadas do Conglomerado Prudencial Junho/2014

Demonstrações contábeis consolidadas do Conglomerado Prudencial Junho/2014 Demonstrações contábeis consolidadas do Conglomerado Prudencial Junho/ Deloitte Touche Tohmatsu RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS CONSOLIDADAS DO CONGLOMERADO PRUDENCIAL

Leia mais

Circulante 2.490.627 2.197.604 Circulante 2.097.717 2.123.381. Disponibilidades 19.597 24.274 Depósitos 14 1.239.262 1.041.795

Circulante 2.490.627 2.197.604 Circulante 2.097.717 2.123.381. Disponibilidades 19.597 24.274 Depósitos 14 1.239.262 1.041.795 Banco Sumitomo Mitsui Brasileiro S.A. Balanços patrimoniais em 30 de junho de 2014 e 2013 (Em milhares de Reais) Nota Nota Ativo explicativa Passivo explicativa Circulante 2.490.627 2.197.604 Circulante

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 KPDS 76567 Conteúdo Relatório da Administração 3 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 4 Balanços patrimoniais 6 Demonstrações de resultados 7 Demonstrações das mutações

Leia mais

Demonstrações Financeiras Cooperativa Central de Crédito dos Estados do Paraná e de São Paulo - Central Sicredi PR/SP

Demonstrações Financeiras Cooperativa Central de Crédito dos Estados do Paraná e de São Paulo - Central Sicredi PR/SP Demonstrações Financeiras Cooperativa Central de Crédito dos Estados do Paraná e de São Paulo com Relatório dos Auditores Independentes - Central Sicredi PR/SP Demonstrações financeiras Índice Relatório

Leia mais

Demonstrações financeiras consolidadas Conglomerado Prudencial 31 de dezembro de 2014

Demonstrações financeiras consolidadas Conglomerado Prudencial 31 de dezembro de 2014 KPDS 112253 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras consolidadas do 3 Balanços patrimoniais 6 Demonstrações de resultados 7 Demonstrações das mutações do patrimônio

Leia mais

Niterói Administradora de Imóveis S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes

Niterói Administradora de Imóveis S/A. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Niterói Administradora de Imóveis S/A Demonstrações Contábeis acompanhadas do Parecer dos Auditores Independentes Em 30 de Junho de 2007 e em 31 de Dezembro de 2006, 2005 e 2004 Parecer dos auditores independentes

Leia mais

PARECER DE AUDITORIA

PARECER DE AUDITORIA PARECER DE AUDITORIA Aos Diretores da COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO DOS CORRETORES DE SEGUROS DE BELO HORIZONTE E REGIÃO METROPOLITANA LTDA CREDICORSEGS 1. Examinamos o balanço patrimonial da

Leia mais

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CREDITO MÚTUO DOS EMPREGADOS DA MAGNESITA REFRATÁRIOS S.A LTDA - CECREM

COOPERATIVA DE ECONOMIA E CREDITO MÚTUO DOS EMPREGADOS DA MAGNESITA REFRATÁRIOS S.A LTDA - CECREM COOPERATIVA DE ECONOMIA E CREDITO MÚTUO DOS EMPREGADOS DA MAGNESITA REFRATÁRIOS S.A LTDA - CECREM 1. Contexto operacional NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE

Leia mais

Demonstrações Financeiras Cooperativa Central de Crédito de Mato Grosso do Sul, Goiás e Tocantins - Central Sicredi Brasil Central

Demonstrações Financeiras Cooperativa Central de Crédito de Mato Grosso do Sul, Goiás e Tocantins - Central Sicredi Brasil Central Demonstrações Financeiras Cooperativa Central de Crédito de Mato Grosso do Sul, Goiás e Tocantins - Central Sicredi Brasil Central com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e 2011

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e 2011 Títulos e Valores Mobiliários KPMG Auditores Independentes Fevereiro de 2013 KPDS 52550 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras 3 Balanços patrimoniais 5 Demonstrações

Leia mais

Demonstrações Financeiras BTG Pactual Oil & Gás ll Empreendimentos e Participações S.A.

Demonstrações Financeiras BTG Pactual Oil & Gás ll Empreendimentos e Participações S.A. Demonstrações Financeiras BTG Pactual Oil & Gás ll Empreendimentos e Participações S.A. 31 de dezembro de 2013 com relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Demonstrações

Leia mais

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89

00009-4 PANATLANTICA SA 92.693.019/0001-89 01 - CONTEXTO OPERACIONAL A Companhia, com sede em Gravataí (RS) e unidade industrial em Glorinha (RS), tem por objeto a industrialização, comércio, importação, exportação e beneficiamento de aços e metais,

Leia mais

Banco Honda S/A Demonstrações financeiras do Conglomerado Prudencial das empresas Banco Honda, Honda Leasing, Administradora de Consórcio Nacional

Banco Honda S/A Demonstrações financeiras do Conglomerado Prudencial das empresas Banco Honda, Honda Leasing, Administradora de Consórcio Nacional Banco Honda S/A Demonstrações financeiras do Conglomerado Prudencial das empresas Banco Honda, Honda Leasing, Administradora de Consórcio Nacional Honda 1 Conteúdo Relatório dos auditores independentes

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e

Fundo de Investimento Imobiliário Hospital da Criança (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e Fundo de Investimento Imobiliário Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2009 2008 Passivo e patrimônio

Leia mais

1. CONTEXTO OPERACIONAL

1. CONTEXTO OPERACIONAL BANCO TRIÂNGULO S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 30 DE JUNHO DE 2002 E 2001 (Em milhares de reais) 1. CONTEXTO OPERACIONAL O Banco Triângulo S.A. é uma sociedade privada que opera

Leia mais

Demonstrações Financeiras em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 Acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 Acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 Acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes 1 Relatório da Administração BBM S.A. Cenário Macroeconômico O segundo semestre de 2012

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONGLOMERADO PRUDENCIAL. 31 de dezembro de 2014

DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONGLOMERADO PRUDENCIAL. 31 de dezembro de 2014 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONGLOMERADO PRUDENCIAL 31 de dezembro de 2014 Sumário BALANÇO PATRIMONIAL... 4 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO... 8 FLUXO DE CAIXA... 9 DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO...

Leia mais

BV Leasing - Arrendamento Mercantil S.A. Demonstrações Contábeis em 30 de junho de 2014 e 2013

BV Leasing - Arrendamento Mercantil S.A. Demonstrações Contábeis em 30 de junho de 2014 e 2013 BV Leasing - Arrendamento Mercantil S.A. BV LEASING - ARRENDAMENTO MERCANTIL S.A. Relatório da Administração Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, apresentamos as demonstrações

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.)

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Balanço patrimonial em 31 de dezembro Ativo 2008 2007 Passivo e patrimônio líquido 2008 2007 Circulante Circulante Bancos 3 14 Rendimentos a distribuir 3.599 2.190 Aplicações financeiras de renda fixa

Leia mais

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES

MOORE STEPHENS AUDITORES E CONSULTORES DURATEX COMERCIAL EXPORTADORA S.A. AVALIAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO CONTÁBIL APURADO POR MEIO DOS LIVROS CONTÁBEIS EM 31 DE AGOSTO DE 2015 Escritório Central: Rua Laplace, 96-10 andar - Brooklin - CEP 04622-000

Leia mais

GMAC Administradora de Consórcios Ltda.

GMAC Administradora de Consórcios Ltda. GMAC Administradora de Consórcios Ltda. Demonstrações Financeiras Referentes ao Semestre Findo em 30 de Junho de 2015 e Relatório dos Auditores Independentes. Deloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes

Leia mais

Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014.

Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014. Aplicap Capitalização S.A. Demonstrações contábeis intermediárias em 30 de junho de 2014. Relatório da Administração Senhores Acionistas, Em cumprimento as disposições legais e estatutárias, submetemos

Leia mais

Publicação BB Leasing Balanço do Exercício/2013

Publicação BB Leasing Balanço do Exercício/2013 Publicação BB Leasing Balanço do Exercício/2013 Contadoria Gesub - Gerência de Subsidiárias/Subsi III Relatório da Administração Senhores Acionistas, Apresentamos as demonstrações contábeis da BB Leasing

Leia mais

Demonstrações Financeiras Consolidadas do Conglomerado Prudencial UBS Brasil Banco de Investimento S.A. - Instituição líder do Conglomerado Prudencial

Demonstrações Financeiras Consolidadas do Conglomerado Prudencial UBS Brasil Banco de Investimento S.A. - Instituição líder do Conglomerado Prudencial Demonstrações Financeiras Consolidadas do Conglomerado UBS Brasil Banco de Investimento S.A. - Instituição líder do Conglomerado 30 de junho de com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras

Leia mais

Demonstrações Financeiras Consolidadas do Conglomerado Prudencial Scania Banco S.A. - Instituição líder do Conglomerado Prudencial

Demonstrações Financeiras Consolidadas do Conglomerado Prudencial Scania Banco S.A. - Instituição líder do Conglomerado Prudencial Demonstrações Financeiras Consolidadas do Conglomerado Prudencial Scania Banco S.A. - Instituição líder do Conglomerado Prudencial com Relatório dos Auditores Independentes - Instituição líder do Conglomerado

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - NSG FINPAR S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - NSG FINPAR S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Balanço Patrimonial Em 31 de dezembro Em milhares de reais

Balanço Patrimonial Em 31 de dezembro Em milhares de reais e e Subsidiárias ( ) Balanço Patrimonial Em 31 de dezembro Em milhares de reais ATIVO 2002 2001 2002 2001 CIRCULANTE... 14.382.517 12.151.770 14.612.047 12.680.326 Disponibilidades... 11.179 34.054 16.969

Leia mais

Demonstrações Financeiras Consolidadas Banco Rabobank International Brasil S.A. Instituição líder do Conglomerado Prudencial

Demonstrações Financeiras Consolidadas Banco Rabobank International Brasil S.A. Instituição líder do Conglomerado Prudencial Demonstrações Financeiras Consolidadas Banco Rabobank International Brasil S.A. Instituição líder do Conglomerado Prudencial com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras

Leia mais

Demonstrações Financeiras Individuais Preparadas de Acordo com Práticas Contábeis Adotadas no Brasil. Banco Original S.A.

Demonstrações Financeiras Individuais Preparadas de Acordo com Práticas Contábeis Adotadas no Brasil. Banco Original S.A. Demonstrações Financeiras Individuais Preparadas de Acordo com Práticas Contábeis Adotadas no Brasil Banco Original S.A. 30 de Junho de 2015 ÍNDICE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS ÍNDICE Pág. Relatório da

Leia mais

O lucro líquido registrado no período foi de R$110,7mm. O Patrimônio Líquido encerrou o semestre em R$ 476,5mm. Outros depósitos

O lucro líquido registrado no período foi de R$110,7mm. O Patrimônio Líquido encerrou o semestre em R$ 476,5mm. Outros depósitos RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas e Clientes: Apresentamos as Demonstrações Financeiras do Banco Bonsucesso S.A., relativas aos 6 primeiros de e seu comparativo em. No semestre passado comunicamos

Leia mais

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012

Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 Demonstrações Financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de

Leia mais

Demonstrações Financeiras Banco Rabobank International Brasil S.A. 30 de junho de 2015 e 2014 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Banco Rabobank International Brasil S.A. 30 de junho de 2015 e 2014 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Banco Rabobank International Brasil S.A. com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório da Administração... 1 Relatório dos auditores independentes

Leia mais

Banco Commercial Investment Trust do Brasil S.A. CNPJ nº 43.818.780/0001-94

Banco Commercial Investment Trust do Brasil S.A. CNPJ nº 43.818.780/0001-94 Demonstrações Financeiras Publicadas no Diário Oficial do Estado de São Paulo e Jornal Diário de Notícias em 31 de Março de 2015 ÍNDICE Balanço Patrimonial Relatório da Administração... 4 Ativo e Passivo...

Leia mais

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A.

Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. Demonstrações Financeiras UPCON SPE 17 Empreendimentos Imobiliários S.A. 31 de dezembro de 2014 com o relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes

Leia mais

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A.

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A. 4 trimestre de 2010 Sumário Executivo Apresentamos, abaixo, informações e indicadores financeiros do (Itaú Unibanco) do quarto trimestre de 2010 e do exercício findo em 31 de dezembro de 2010. (exceto

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 01896-1 MEHIR HOLDINGS S.A. 04.310.392/0001-46 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/25 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS Divulgação Externa O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO

Leia mais

Demonstrações contábeis auditadas ACS - Algar Call Center Service S.A. (anteriormente denominada Engeset Engenharia e Serviços de Telemática S.

Demonstrações contábeis auditadas ACS - Algar Call Center Service S.A. (anteriormente denominada Engeset Engenharia e Serviços de Telemática S. Demonstrações contábeis auditadas ACS - Algar Call Center Service S.A. (anteriormente denominada Engeset Engenharia e Serviços de Telemática S.A) com Parecer dos Auditores Independentes DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

Leia mais

Demonstrações Financeiras Avista S/A. Administradora de Cartões de Crédito

Demonstrações Financeiras Avista S/A. Administradora de Cartões de Crédito Demonstrações Financeiras Avista S/A. Administradora de Cartões de Crédito Em 31 de dezembro de 2012 e 2011 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 e

Leia mais

Demonstrações Financeiras Consolidadas do Conglomerado Prudencial Banco Paulista S.A. e Controlada

Demonstrações Financeiras Consolidadas do Conglomerado Prudencial Banco Paulista S.A. e Controlada Demonstrações Financeiras Consolidadas do Conglomerado Prudencial Banco Paulista S.A. e Controlada com Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras consolidadas e Controlada

Leia mais

DILLON S.A. DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. CNPJ -33.851.064/0001-55

DILLON S.A. DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. CNPJ -33.851.064/0001-55 DILLON S.A. DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS. BALANÇO PATRIMONIAL FINDO EM 31/12/2011 E 2010 EM R$ Mil A T I V O 31/12/2011 31/12/2010 ATIVO CIRCULANTE 2.888 3.606 DISPONIBILIDADE 1.105 1.213

Leia mais

Demonstrações Financeiras Consolidadas Pro Forma. GOL Linhas Aéreas Inteligentes S.A.

Demonstrações Financeiras Consolidadas Pro Forma. GOL Linhas Aéreas Inteligentes S.A. Demonstrações Financeiras Consolidadas Pro Forma GOL Linhas Aéreas Inteligentes S.A. com Parecer dos Auditores Independentes DFC-81 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS PRO FORMA Índice Parecer dos Auditores

Leia mais

BANCO ABC BRASIL S.A. Companhia Aberta CNPJ nº 28.195.667/0001-06

BANCO ABC BRASIL S.A. Companhia Aberta CNPJ nº 28.195.667/0001-06 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO DESEMPENHO NO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE Submetemos à apreciação de V.S.as as Informações Financeiras Individuais e Consolidadas do ano encerrado em 31 de dezembro

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 31 de Dezembro de 2014 ÍNDICE GERAL Página Demonstrativos Contábeis 02 Notas Explicativas da Administração 09 Resumo do Relatório do Comitê de Auditoria 112 Relatório dos Auditores

Leia mais

Demonstrações Financeiras Banco Rabobank International Brasil S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Banco Rabobank International Brasil S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Banco Rabobank International Brasil S.A. com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório da Administração... 1 Relatório dos auditores independentes

Leia mais

Publicação. BB Leasing. Balanço do Exercício/2014. Contadoria Gesub - Gerência de Subsidiárias/Subsi III

Publicação. BB Leasing. Balanço do Exercício/2014. Contadoria Gesub - Gerência de Subsidiárias/Subsi III Publicação BB Leasing Balanço do Exercício/2014 Contadoria Gesub - Gerência de Subsidiárias/Subsi III 1 Relatório da Administração Senhor Acionista, Apresentamos as demonstrações contábeis da BB Leasing

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2012 - COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS-AMBEV Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 4 Balanço Patrimonial Passivo 6 Demonstração do Resultado 9 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2014 e 2013

Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2014 e 2013 Scotiabank Brasil S.A. Banco Múltiplo Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2014 e 2013 KPDS 96326 Scotiabank Brasil S.A. Banco Múltiplo Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2014 e 2013 Conteúdo

Leia mais

DESEMPENHO DO BANCO CARGILL

DESEMPENHO DO BANCO CARGILL DESEMPENHO DO BANCO CARGILL LUCRO LÍQUIDO (PREJUÍZO) (R$ milhões) 19 +217% ATIVOS TOTAIS (R$ milhões) +29% 566 440 6 jun/09 jun/10 jun/09 jun/10 PATRIMÔNIO REFERÊNCIA (R$ milhões) 180 156 +15% CARTEIRA

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

DCI Sexta-feira, 29 de agosto de 2014 LE G A L C49

DCI Sexta-feira, 29 de agosto de 2014 LE G A L C49 DCI Sexta-feira, 29 de agosto de 2014 LE G A L C49 Senhores acionistas e clientes, a Administração do Société Générale Brasil S.A. submete à apreciação de V.Sas., o Relatório de Administração e as correspondentes

Leia mais

Demonstrações Financeiras. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras. 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras 31 de dezembro de 2013 e 2012 com Relatório dos Auditores Independentes PARECER DOS Índice Relatório da Administração... 1 Relatório dos Auditores Independentes sobre Demonstrações

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E 2003 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E 2003 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E 2003 CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S.A. CEASA DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009. (Em milhares de reais)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009. (Em milhares de reais) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS DO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 e 2009 (Em milhares de reais) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Seguradora está autorizada a operar em seguros do

Leia mais

Demonstrações financeiras Conglomerado Prudencial em 30 de junho de 2014

Demonstrações financeiras Conglomerado Prudencial em 30 de junho de 2014 Demonstrações financeiras Conglomerado Prudencial em 30 de junho de 2014 KPDS 96232 Conteúdo Relatório da administração 3 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações contábeis consolidadas

Leia mais

Haitong Securities do Brasil Corretora de Câmbio e Valores Mobiliários S.A.

Haitong Securities do Brasil Corretora de Câmbio e Valores Mobiliários S.A. Haitong Securities do Brasil Corretora de Câmbio e Valores Mobiliários S.A. CNPJ/MF nº 33.894.445/0001-11 Av. Brigadeiro Faria Lima, 3.729-9º andar - São Paulo/SP Ouvidoria: 0800-7700-668 - ouvidoria@haitongib.com.br

Leia mais

Notas explicativas da administração às Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2011 Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma

Notas explicativas da administração às Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2011 Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma Índice das Notas Explicativas Página Nota 1 Contexto Operacional... 2 Nota 2 Apresentação das demonstrações contábeis... 2 Nota 3 Principais práticas contábeis... 4 Nota 4 Caixa e equivalentes de caixa...

Leia mais

Demonstrações Financeiras em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 Acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 Acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras em 31 de Dezembro de 2013 e 2012 Acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes 1 Relatório da Administração BBM S.A. Cenário Macroeconômico Ao longo do segundo semestre

Leia mais

Demonstrações Financeiras Consolidadas Conglomerado prudencial 30 de Junho de 2014 Acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Consolidadas Conglomerado prudencial 30 de Junho de 2014 Acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Consolidadas Conglomerado prudencial 30 de Junho de 2014 Acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Relatório da Administração Cenário Macroeconômico A economia mundial

Leia mais

Demonstrações Financeiras. 31 de dezembro de 2012 e 2011 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras. 31 de dezembro de 2012 e 2011 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras 31 de dezembro de 2012 e 2011 com Relatório dos Auditores Independentes PARECER DOS Índice Relatório da Administração... 1 Relatório dos Auditores Independentes sobre Demonstrações

Leia mais

BES Securities do Brasil S.A. - Corretora de Câmbio e Valores Mobiliários

BES Securities do Brasil S.A. - Corretora de Câmbio e Valores Mobiliários BES Securities do Brasil S.A. - Corretora de Câmbio e Valores Mobiliários CNPJ/MF nº 33.894.445/0001-11 Av. Brigadeiro Faria Lima, 3.729, 9º andar, São Paulo/SP Ombusdman: 0800-7700-668 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

B&T ASSOCIADOS CORRETORA DE CÂMBIO LTDA. Relatório dos auditores independentes. Demonstrações contábeis Em 30 de Junho de 2015 e 2014

B&T ASSOCIADOS CORRETORA DE CÂMBIO LTDA. Relatório dos auditores independentes. Demonstrações contábeis Em 30 de Junho de 2015 e 2014 B&T ASSOCIADOS CORRETORA DE CÂMBIO LTDA. Relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis AFMF/FPSM/NLM 3567/15 Tel.: +55 21 2210 5166 Rua Buenos Aires, 48 Fax: + 55 21 2224 5285 4º andar

Leia mais

COOPERATIVA DE CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES DA UNIÃO NO NORDESTE

COOPERATIVA DE CRÉDITO MÚTUO DOS SERVIDORES DA UNIÃO NO NORDESTE 1. Contexto operacional NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2012 E 2011 A Cooperativa de Crédito Mútuo dos Servidores da União no Nordeste FEDERALCRED

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR

MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Aula n 04 online MATERIAL DE APOIO PROFESSOR Balanço Patrimonial Plano de Contas É um elemento sistematizado e metódico de todas as contas movimentadas por uma empresa. Cada empresa deverá ter seu próprio

Leia mais

Demonstrações Financeiras Individuais Preparadas de Acordo com Práticas Contábeis Adotadas no Brasil. Banco Original do Agronegócio S.A.

Demonstrações Financeiras Individuais Preparadas de Acordo com Práticas Contábeis Adotadas no Brasil. Banco Original do Agronegócio S.A. Demonstrações Financeiras Individuais Preparadas de Acordo com Práticas Contábeis Adotadas no Brasil Banco Original do Agronegócio S.A. 30 de Junho de 2014 ÍNDICE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS ÍNDICE Pág.

Leia mais

COOPERACS - SP. Demonstrações Contábeis Referentes aos exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e de 2009 e Relatório de Auditoria

COOPERACS - SP. Demonstrações Contábeis Referentes aos exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e de 2009 e Relatório de Auditoria COOPERACS - SP Demonstrações Contábeis Referentes aos exercícios findos em 31 de dezembro de 2010 e de 2009 e Relatório de Auditoria Confederação Nacional de Auditoria Cooperativa - Cnac São Paulo, 11

Leia mais

Demonstrações contábeis consolidadas em 30 de junho de 2015

Demonstrações contábeis consolidadas em 30 de junho de 2015 Confidence de Câmbio S.A. KPDS 125105 Conteúdo Relatório da administração 3 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações contábeis 4 Balanços patrimoniais consolidados 6 Demonstrações de

Leia mais