Gerês Rio de Janeiro A Grade Maomaria Citroën DS5

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gerês Rio de Janeiro A Grade Maomaria Citroën DS5"

Transcrição

1 Gerês Rio de Janeiro A Grade Maomaria Citroën DS5 BENEDICTE KURZEN/VII NETWORK ESTE SUPLEMENTO FAZ PARTE INTEGRANTE DA EDIÇÃO Nº 8097 DO PÚBLICO, E NÃO PODE SER VENDIDO SEPARADAMENTE Gorongosa, a sobrevivente José Sarmento Marques sabe Lisboa de cor Nice é a Côte d Azur cheia de arte contemporânea FUGAS Público Sábado 9 Junho 2012

2 Capa Gorongosa, lugar do silêncio Dias de deslumbre no Parque Nacional da Gorongosa, que já foi palco de um dos mais sangrentos cenários de. Populações inteiras de animais selvagens quase desapareceram. Agora, recupera o fulgor. Ana Cristina Pereira O homem magro, de testa enrugada, não largava a espingarda. Nem quando se encostava a um canto e apoiava a cabeça no braço direito. Dir-se-ia que se esforçava para manter os olhos abertos, mas não deixava de captar tudo o que se passava em volta. Também vê com os ouvidos e com o nariz. Mesmo noite cerrada, percebe a proximidade de uma manada de búfalos silenciosos. Não é que Njinga desvalorize os riscos. É que conhece bem a fauna bravia do Parque Nacional da Gorongosa. Refugiou-se aqui da guerra civil de. Comia raízes, frutos silvestres, carne de ratazana, cágado, inhala, piva, impala. Não comia massa. Só coisas do mato. Tinha uma roupa caducada. As pessoas deitavam fora. A gente apanhava no rio, levava, cosia, punha. Só à frente. Atrás ficava sem nada. Há qualquer coisa de esmagador numa extensa zona que a humanidade visita, mas não ocupa. É o meio do nada. O lugar do silêncio, de quando em quando cortado por um vozear estranho o rosnar de um leão, o grasnar de uma águia, o bramir de uma impala, o mugir de um búfalo, o chorar de um crocodilo, o trombetear de um elefante, o grunhido de um porco do mato ou o guincho de um macaco. Dispenso, de muitíssimo bom grado, o silvar de qualquer cobra e o zunido de qualquer mosquito. Fora isso, paz. Saíramos cedo do acampamento sazonal montado no centro do parque. Era uma daquelas manhãs luminosas que abrem a estação seca. Do jipe, seguindo a picada, víramos cudo, pala-pala, inhala e outros antílopes que não fogem mas que se afastam ao ouvir o ronco do motor, como se quisessem salvaguardar as devidas distâncias do mais perigoso bicho. De súbito, leões a acasalar. Deixámo-nos estar, talvez uma hora, a observá-los. Não sei como seria a Gorongosa antes de, menino e moço, Njinga ter sido levado da palhota de seus pais e forçado a pegar numa arma. Posso ter uma ideia, por exemplo, lendo o que sobre ela escreveu, na sua Ronda de África, Henrique Galvão, em 1948: Em todos os percursos [se podem] admirar as multidões de antílopes em corrida ou em alertas estatuários, as manadas portentosas de búfalos, as fugas destrambelhadas dos macacos, as galopadas das zebras e, com frequência, levantar leões das suas camas, surpreender leopardos, ouvir os elefantes na sua faina de lenhadores e ver os hipopótamos em concentração que é decerto a mais densa e numerosa do mundo. Naquele tempo, o extremo sul do Grande Vale do Rift Africano não era bem um éden de vida selvagem. A Gorongosa começou por ser uma reserva de caça de administradores da Companhia de. Em 1941, finda a concessão, o Governo colonial tentou banir as caçadas e criar uma estância turística. Só em 1960 a declarou parque nacional. No final dos anos 1960, a equipa do ecologista sul-africano Kenneth Tinley fez a primeira contagem aérea: 200 leões, 2200 elefantes, 14 mil búfalos, 5500 bois-cavalos, três mil zebras, 3500 pivas, duas mil impalas, 3500 hipopótamos. À Gorongosa vinha gente de muito lado. Não só pela quantidade de animais. Também pela beleza paisagística. José Maria d Eça de Queiroz, neto do escritor maior, registou-a quando a visitou em A Gorongosa é como o mar: sempre igual e sempre diferente. Existem centenas de mares no mar; na Gorongosa a estepe tem uma centena de estepes e a savana uma centena de savanas. Depois, vieram as guerras. A primeira, a da independência, poupou a reserva; a segunda, a civil, não. Renamo, Frelimo, paz Quem me falara na Gorongosa fora a minha amiga Irene Grilo: um dos lugares da sua infância estava a recuperar de sistemáticas matanças. Incansável defensora dos direitos dos animais, agente de viagens especializada em safaris, queria ver como estão as espécies a reagir, que estruturas existem para receber visitantes e de que forma tudo isso se relaciona com as comunidades locais. Volvidos alguns meses, ali estávamos nós, num todo-o-terreno conduzido por Blessed, um guia que não lhe caiu bem, sob o olhar de Njinga, um guarda que lhe inspirava grande confiança. Njinga nasceu em Cheringoma, distrito da província de Sofala, que faz fronteira com a Gorongosa. Aos 14 anos foi levado pela Resistência Nacional Moçambicana (Renamo) pouco depois da independência, exmilitares portugueses e dissidentes da Frelimo tinham-se instalado na Rodésia e lá criado aquele movimento; com a independência do rebaptizado Zimbabwe, assentaram arraiais na África do Sul e, com o Acordo de 4 FUGAS Público Sábado 9 Junho 2012

3 PAUL KERRISON Há qualquer coisa de esmagador na paisagem da Gorongosa. Isto é o meio do nada e o silêncio por vezes é cortado pelo mugir de um búfalo ou o rosnar de um leão. Abaixo, a cascata de Morumbodzi. IRENE GRILO PAULA AGUILERA Nkomati, em 1983, ergueram o quartel-general, a Casa Banana, no sopé da serra da Gorongosa. Era um bom sítio para escapar à observação aérea. A vida tornou-se infernal para os homens e para os animais selvagens que ali viviam. O parque foi encerrado. Na muita papelada que imprimira para ler durante a viagem, havia um livro do politólogo Jaime Nogueira Pinto sobre a guerra civil. Nele aparece o líder da Renamo, Afonso Dhlakama, a descrever o modus operandi: Actuávamos em grupos muito pequenos, dispersos pela serra, com grande conhecimento do terreno, e eles pensavam que nós éramos como que espíritos da serra da Gorongosa, que estávamos em todo o lado ao mesmo tempo. Um só homem nosso podia fazer muitos estragos no inimigo naquele teatro de operações!. Rapazes como Njinga eram treinados para improvisar. Sobreviviam com muito pouco. Não usavam farda. Vestiam t-shirt e calças de ganga ou fazenda. Só alguns calçavam sapatos ou botas. Njinga lembra-se de haver 30 quilos de farinha para 500 homens. Odiava aquilo. Fugiu com um amigo. Ainda passou por casa. Papá, eu não vou mais à Renamo, vou viver no mato. Eu sou pessoa. Meus irmãos já morreram. Eu quero ficar vivo. Viveram cinco anos no mato. Fizeram uma casa numa árvore para melhor se protegerem de leões e de outros predadores. Dormiram lá dois anos. As temperaturas, à noite, podem cair a pique. Estávamos a sofrer muito com o frio. Construímos uma cabana na floresta. De meses a meses, noite cerrada, Njinga ia à palhota da irmã. Foi ela que lhes deu a notícia: Renamo e Frelimo tinham assinado a paz. Os dois rapazes não eram excepção. Nos últimos anos de confrontos, muita gente se tinha refugiado dentro do parque. Havia quem caçasse só para comer, mas também quem caçasse para extrair o marfim aos elefantes e trocá-lo por armas. As maiores matanças aconteceram entre 1992 e Houve descontrolo total desde a assinatura do Acor- FUGAS Público Sábado 9 Junho

4 Capa IRENE GRILO do Geral de Paz às primeiras eleições multipartidárias, que reconduziram Joaquim Chissano. Do parque, saíam umas 60 toneladas de carne por mês. O Banco Africano de Desenvolvimento, com o apoio da União Europeia e da União Internacional para a Conservação da Natureza, tentou resgatar a reserva. Os meios revelaram-se escassos para uma tão desmesurada tarefa: populações de animais de grande porte estavam reduzidas a 10% ou menos; o acampamento de Chitengo, construído na era colonial, estava desfeito. Homens como Roberto Zolho e Baldeu Chande passaram anos em tendas a tentar salvar o que restava. O charmoso veterinário Quando o Governo e a Carr Fundation combinaram restaurar a Gorongosa, em 2004, era preciso captar cientistas, engenheiros, gestores, fiscais. Dezenas de ex-combatentes foram contratados. Njinga pediu para o ser. E foi. É um fiscal do Parque Nacional emprestado à primeira concessão privada, a Explore Gorongosa. Gostava muito de o ter, no banco de trás do jipe, nas incursões pelo mato, ao princípio da manhã ou ao final da tarde (nas horas mais quentes, os animais abrigam-se). Sentia-me segura. E segura perdi a conta aos animais que vi perto das picadas ou longe e, nesse caso, de binóculos para não os tomar por mancha animada. Estava maravilhada. Queria ir para lá da mil vezes contada história do milionário norte-americano Greg Carr, que decidiu investir 40 milhões de dólares na restauração da Gorongosa. No Chitengo, estava o informadíssimo Vasco Galante, português, director de comunicação. Onde estava o charmoso veterinário que aparecia no documentário da National Geographic, Africa s Lost Eden? A Irene queria muito conhecer Carlos Lopes Pereira. Queria darlhe um abraço, expressar gratidão pelo trabalho feito, mas o director dos serviços de conservação acabara de ser promovido a assessor técnico do Governo para todas as reservas e parques naturais de : não estava. Haveríamos de encontrá-lo em Maputo e de ouvi-lo contar como desistira de ir para o Botswana e ficara em por metade do salário. Era um grande desafio técnico. A equipa delineou um plano para recuperar fauna bravia, reconstruir infra-estruturas, fomentar o desenvolvimento económico. O número de fiscais duplicou alcançou os 120. Criou-se um santuário de vida animal. Previu-se fazer reintrodução massiva, recorrendo ao Zimbabwe. A situação política não dava, recordou o homem alto, de barba grisalha, botas de montanha, roupas de cores neutras, adequadas ao mato. As pessoas querem fornecer os animais. Pagamos por eles, mas, quando chega a hora, a licença de exportação, por razões que ninguém percebe, não chega. Não podiam ficar dependentes da situação política no Zimbabwe. Quem sabe quando se alterará? O Kruger Park, no Norte da África do Sul, estava a terminar um programa de reprodução de búfalos livres de tuberculose e tinha de dar destino àqueles animais. Carlos Lopes Pereira foi lá dizer-lhes que o lugar certo era a Gorongosa. Em Agosto de 2006, vieram os primeiros 54. Havia um risco: a doença transmitida pela mosca tsétsé, coisa que os búfalos do Kruger desconhecem há cem anos. O médico veterinário preparou-se para intervir. Não foi necessário. Continuavam resistentes. E os búfalos abriram caminho aos elefantes. Os grandes machos quase tinham desaparecido da Gorongosa. Só havia elefantes com dentes pequenos ou sem dentes. Em 2008, vieram dois machos mais velhos e quatro machos mais jovens, escolhidos a Njinga (em cima) refugiou-se na Gorongosa da guerra civil de. Ao lado, o veterinário Carlos Lopes Pereira. DR ROBERTO SPAAN dedo, a pensar na regeneração do fundo genético da população que fora massacrada durante anos. Se fosse hoje, não traria os mais velhos. O elefante não é um animal comum pensa, investiga, reage. Os jovens eram meios medrosos. Andavam perto das manadas, mas não se integravam. Depois, lá conseguiram. Os mais velhos punham-se a andar para a frente e para trás como qualquer macho. Usavam colares transmissores de sinal via satélite. Era assim que a equipa conseguia saber a sua posição. Carlos Lopes Pereira até coçava a cabeça ao perceber como se afastavam da reserva. Um chegou a estar a 279 quilómetros do parque. Lá descobriu a rota dos elefantes. Foi para o rio Zambeze e voltou. E tornou a ir. E foi o azar dele. Houve uns indivíduos que o apanharam. Os caçadores furtivos tentaram destruir o colar. Carlos Lopes Pereira notou o movimento anómalo. Pediu ao centro de controlo o número de emissões do sinal. Preparou-se para avançar de helicóptero, à procura do animal. De repente, viu uma linha recta em direcção à cidade da Beira. Não podia ser o elefante. Inseriu as referências geográficas no Google: o colar estava dentro de uma casa. Eram dois caçadores: um francês 6 FUGAS Público Sábado 9 Junho 2012

5 ROBERTO SPAAN O elefante não é um animal comum pensa, investiga, reage, explica Carlos Lopes Pereira e um português. Apanhámos os indivíduos com a mão na massa. Apanhámos os restos do nosso elefante, apanhámos uma ponta que tinha 3,75 metros de um elefante que tinha sido abatido na Zambézia, apanhámos troféus, armas ilegais, munições, uma coisa impressionante. O outro também teve um fim trágico. Afastou-se do parque por causa dos incêndios, que na Gorongosa são capazes de queimar macacos nas árvores. Caminhou em direcção ao sul. Nós tentamos trazê-lo de volta e ele acabou morrendo numa combinação de inalação de fumo e stress de transporte. Agora, a ideia é trazer uma família inteira. Os elefantes são muito sociáveis. Vivem em famílias que incluem uma matriarca idosa, vários descendentes e suas crias. Amiúde, diversas famílias partilham um território. Quando se encontram em poços ou no mato, cumprimentam-se com as suas trombas. São grandes bebedores de água. Para os ver na Gorongosa, melhor será seguir a picada que se estende ao longo do rio Urema. Uma pista: mato alto pisado e ramos e troncos de acácias amarelas partidos. Mas há que manter distância. Há quem diga veja-se o documentário War Elephants, protagonizado por Bob Poole e Joyce Poole que sofrem de traumas de guerra. É ajuizado evitar picadas muito fechadas ao anoitecer. Só nos deparamos com eles quando já estamos muito perto e eles não gostam. Chitas incompetentes Houve outras aparatosas reintroduções de animais selvagens. Vieram 180 bois-cavalos do Limpopo. Vieram mais 132 búfalos, cinco hipopótamos, quatro chitas. Cada animal desempenha o seu papel na natureza. Os búfalos, por exemplo, têm uma língua comprida que lhes permite comer ervas grandes e espessas evitadas por outros animais de pasto. E isso ajuda os outros animais a aceder a ervas mais baixas e a descobrir os caminhos para a água. Já ninguém pensa em fazer reintroduções maciças no Parque Nacional da Gorongosa, como nos primeiros tempos. Surpreendidos com a recuperação registada entre 2004 e 2007 em várias espécies, como piva, chango, javali africano, os peritos redefiniram estratégias. O parque já se gaba de ter das maiores populações de papa-palas, gondongas e oribis. Boa notícia para os predadores, como as chitas. Vimos uma chita macho a andar, sozinha, no verde da savana. Morreram duas das quatro que para ali vieram: uma no transporte, outra na caça. Meteu-se com uma imbabala, explicou Carlos Lopes Pereira. As imbabalas são animais muito sérios. Lutam. Essa chita não sei o que lhe deu para ir à procura de imbabalas. Enquanto esteve a ser alimentada, no santuário de fauna bravia, comeu impalas! Apesar de selvagens, as chitas viveram algum tempo em cativeiro. Estavam meio incompetentes. O que lhes valia era as presas também sofrerem de inaptidão. Não havia ali predador tão veloz. Que outro animal terrestre consegue atingir 120 km/hora? O veterinário encontrou-os mortos. Estavam um ao lado do outro e o irmão a olhar. Nem sequer comeu. A vida real é esta. O resto é poesia. Eu diria que foi poesia que tivemos. Vimos leões dois dias seguidos. E não haverá nada que dê tanto prazer à minha amiga Irene como a presença dos maiores felinos de África, que ali têm uma juba mais curta do que o habitual um mistério que intriga PAUL KERRISON quem, como ela, tanto se preocupa, uma das muitas razões para voltar a esse lugar co-gerido pelo Governo de e pela Carr Fundation. É um dos sítios mais selvagens de África, assegura. Tem um ecossistema muito variado e muito bonito. Uma savana de copa fechada a que chamam miombo, palavra suaíli que nomeia a árvore preponderante, cobre os dois planaltos. No vale, capim polvilhado de acácias altas, diversos géneros de savana, florestas secas, charcos. Na serra, florestas tropicais, capim de montanha, floresta de galeria. A ida à serra é imperdível. Até para se perceber como tudo, no mundo, se relaciona. A Fugas esteve na Gorongosa a convite da Into África Viagens e Safaris Lda. FUGAS Público Sábado 9 Junho

6 Capa O mundo em volta Guia prático A Comunidade do Vinho é uma espécie de laboratório. Nela se experimenta tudo o que se quer fazer nas comunidades em torno da reserva. Ganhou uma escola, um posto de saúde, uma associação de mulheres produtoras de vegetais, que, por ora, só têm um cliente: o restaurante de Chitengo. Levam tudo até ao rio Pungué: tomate, alface, repolho, feijão, abóbora, melão, cenoura, pimento, coentros. Um barqueiro liga as duas margens. O responsável pelas compras aguardaas, no outro lado, num jipe. Há uma energia nova nas comunidades que rodeiam o Parque Nacional da Gorongosa. Domingos Muala, do departamento de desenvolvimento humano, nota-a. E explicou-a, uma tarde, no Centro de Educação Comunitária. Antes, só os fiscais e suas famílias se identificavam com o parque. Durante o tempo colonial, as pessoas foram forçadas a deixar o espaço para os animais. Aquele forçar criou rancores. Além de perderem o espaço, os lugares sagrados onde os avós foram enterrados, não ganhavam nada. O rancor está sendo sarado agora. O desenvolvimento local é um dos pilares do Projecto de Restauração da Gorongosa. No início, reinava a descrença. Começaram as acções de formação. Domingos Muala alfabetizou uns quantos, ensinou português a muitos mais, inglês a uns poucos. Centenas foram contratadas pelo parque ou pelos concessionários. Agora, há muita gente com casas, motorizadas, telefones celulares, coisas que antes não tinham sonhado ter. E o projecto tem captado parceiros para construir escolas e unidades de saúde. Mesmo optimista, o professor não tem ilusões. Há muitas pessoas sem poder de compra que continuam a pensar no parque como o sítio onde vão buscar a carne porque querem mandar o filho à escola ou à universidade. E o que queremos é que ninguém mate os animais. Daqui a 20 e tal anos, quando já forem muitos, então as comunidades poderão caçar, mas de forma organizada. Não se pode preservar a fauna bravia e descuidar a flora ou as nascentes, os rios, os lagos. Os métodos de cultivo tradicionais, baseados no corte e na queima, depressa degradam os solos. Devagar, o parque tenta contrair tais práticas. Ensinamos as pessoas a fazer adubo com material local. No fim da colheita, em vez de pôr fogo, as famílias podem cortar e deixar apodrecer. Se este ano numa porção produziram milho, era bom que noutro ano produzissem feijão. Em Vinho, o projecto de restauração financiou às mulheres da associação a compra e instalação de uma bomba, de um reservatório de água e um sistema de irrigação gotaa-gota. Domingos Muela vê ali um exemplo de sucesso. Para além da machamba comum, cada senhora criou a sua própria machamba. Encontrei a presidente da associação uma manhã, junto à moderna escola primária. Não costumam vender tudo, traduziu o guia. O restaurante precisa de repolho. Elas recolhem 10, eles pedem seis. O resto apodrece. E isso é um desconsolo para elas, que ainda não aprenderam a dividir ou a transformar as sobras. Há qualquer coisa de perverso nesta melhoria de vida. As pessoas PAUL KERRISON IRENE GRILO que trabalham no parque têm mais esposas do que antes, tem observado Corina Clemente, técnica de saúde pública que está a coordenar um projecto de saúde e ambiente. A primeira coisa que faz um homem quando tem mais rendimentos é ter mais uma esposa, mais filhos. E a sobrepopulação é uma das maiores ameaçadas à biodiversidade. Há um esforço de formação de agentes polivalentes elementares de saúde. Brigadas móveis devem começar a visitar comunidades a um ritmo mensal, com um enfermeiro a fazer planeamento familiar, consulta pré-natal, despistagem e aconselhamento de VIH, tratamento de diarreias, malária e outras doenças. A sobrepopulação devasta a floresta e acentua os conflitos entre humanos e fauna bravia. De quando em quando, um crocodilo apanha alguém a cruzar o rio Pungué. Também há incidentes com elefantes, sobretudo onde antes andavam. O parque estende-se para lá do rio, que ali tinha dois braços: um secou e as pessoas apoderaram-se dele. Machos que querem ganhar peso vão lá. Se as plantas estiverem pequenas, até têm cuidado para não as pisar. Quando estão no ponto comem-nas. E é o desespero de quem perdeu mangas, milho ou bananeiras. QUANDO IR Há cerca de 100 quilómetros de picadas a partir das quais se pode observar a flora e a fauna bravia na época seca (Abril a Novembro). Durante a época das chuvas (meados de Dezembro a meados de Março), ficam intransitáveis. COMO IR Há voos directos de Lisboa para Maputo e para Joanesburgo e de lá para a Beira. O Parque Nacional da Gorongosa fica a cerca de 200 km da Beira. Se decidir conduzir, tenha em conta que não se vende combustível na reserva: as bombas mais próximas ficam em Inchope, Gondola, Beira, Dondo, Nhamatanda, Chimoio, Caia e Vila da Gorongosa. Pode usar a Estrada Nacional Número 1 de Maputo ou a Estrada Nacional Número 6 da Beira. O seu anfitrião também poderá organizar um transfer do aeroporto. ONDE FICAR Acampamento Explore Gorongosa O acampamento, sazonal, luxuoso, está montado no coração da reserva. Iniciativa sul-africana, a primeira de ecoturismo no Parque Nacional da Gorongosa, proporciona uma autêntica vivência de isolamento no mato. Não tem electricidade, água corrente, rede de telemóvel ou Internet. A lotação está limitada a sete tendas e uma casa na árvore. Cada tenda tem uma cama de casal king-size ou individual extra-comprida. Ao lado, uma casa de banho com um chuveiro artesanal. O alojamento abarca todas as refeições, 8 FUGAS Público Sábado 9 Junho 2012

7 Veja a fotogaleria na Fugas online fugas.publico.pt/ Diga SIM às férias! Madrid Partidas diárias de Lisboa de 1 Jun. a 30 Out. 12 MALAWI TANZÂNIA Canal de Parque da Gorongosa Maputo MOÇAMBIQUE OCEANO ÍNDICO COMORES MADAGÁSCAR 500 km incluindo lanche a meio da manhã e a meio da tarde, safari, com guia, de manhã e à tarde, de jipe ou a pé: 582,4 por pessoa/ noite num quarto single ou 388 / pessoa noite em quarto duplo. Girassol Gorongosa Lodge & Safari O histórico Chitengo, construído em 1941, está a ser restaurado e ampliado por um grupo português. Para já, oferece três tipos de alojamento: nove bungalows standard (18 quartos duplos), seis premium (12 quartos duplos), com rede mosquiteira, casa de banho, ar condicionado; e seis garden rooms, que, em vez de ar condicionado, têm ventoinha de tecto. O rebaptizado Girassol Gorongosa Lodge & Safari tem um bar e um restaurante, que tem wi-fi e serve pequeno-almoço, almoço e jantar (cozinha moçambicana e cozinha internacional). E disponibiliza programas pagos à parte: safaris (manhã e tarde), visitas à Comunidade do Vinho (travessia de barco incluída), à cascata de Morumbodzi, na serra da Gorongosa, e a Bué Maria ao pôr do sol. Estadia, com pequeno-almoço: Preços de 1 de Janeiro a 30 de Junho/ 1 de Julho a 31 de Dezembro Bungalow standard 94,4 (individual); 118 (duplo)/ 104 (individual); 130 (duplo) Bungalow premium -104 (individual); 128 (duplo)/ 114 (individual); 140 (duplo) Garden room 70 (individual); 94,4 (duplo)/ 77,6 (individual); 104 (duplo) Actividades: Safari: 20,8 adulto/10,8 criança Comunidade do Vinho: 9,6 Pôr do sol em Bué Maria: 16 Cascatas de Morumbodzi: 56 Parque de campismo É a mais barata opção do Girassol Gorongosa Lodge & Safari: parque de campismo sanitários, balneários, tanques de lavar roupa, churrasco, espaço coberto para convívio, o que custa entre 40 a 61 por dia. Pode fazer qualquer uma das actividades pagas à parte. Se quiser fazer safari com o seu próprio carro, pode aprender ali mesmo regras de segurança. Convém é que o seu carro tenha tracção às quatro rodas e boa distância do solo ao chassis. MAIS INFORMAÇÕES Parque Nacional da Gorongosa Tel.: (+258) Into África Viagens e Safaris, Lda Tel.: / Panthermedia Asier Villafranca Turismo Madeira Comum a todos os programas: exclui despesas de reserva de 29 por processo (e não por pessoa). Taxas sujeitas a alteração. Sujeito a disponibilidade. 100% portuguesa taxas de aeroporto, segurança e combustível ( 62) + Seguro Multiviagens Madeira Fly & Drive SEGURANÇA E COMPETÊNCIA 230 Partidas diárias de Lisboa e Porto de 18 Mai. a 14 Jul Ago. a 29 Out. 12 Hotel 3 estrelas + 2 dias viatura grupo A + taxas de aeroporto, segurança e combustível ( 103) + Seguro Multiviagens Açores S. Miguel NA SUA LOJA ABREU ABREU DIRECTO Telef.: Web: 297 Partidas de Lisboa e Porto diárias de 18 Mai. a 28 Out. 12 Hotel 4 estrelas + 2 dias viatura grupo A + taxas de aeroporto, segurança e combustível ( 85) + Seguro Multiviagens Roma Partidas diárias de Lisboa de 1 Jun. à 30 Out. 12 Hotel H10 Roma Città 4 estrelas + taxas de aeroporto, segurança e combustível ( 118) + Seguro Multiviagens FUGAS Público Sábado 9 Junho

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

EXPEDIÇÃO. 1º Dia Lisboa. Comparência no aeroporto de Lisboa às 16:00. 2º Dia Joanesburgo - Sabie

EXPEDIÇÃO. 1º Dia Lisboa. Comparência no aeroporto de Lisboa às 16:00. 2º Dia Joanesburgo - Sabie África do Sul EXPEDIÇÃO 2011 Moçambique * DATA PREVISTA: 1 a 16 de Setembro 2011 1º Dia Lisboa Comparência no aeroporto de Lisboa às 16:00. 2º Dia Joanesburgo - Sabie Chegada a Joanesburgo às 9:10, transfer

Leia mais

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 Humberto Cordeiro Carvalho admitido pela companhia em 1 de julho de 1981. Eu nasci em 25 de maio de 55 em Campos do Goytacazes. FORMAÇÃO Segundo grau Escola

Leia mais

::Seu João o Senhor sabe o que é o meio ambiente?

::Seu João o Senhor sabe o que é o meio ambiente? O Meio Ambiente ::Seu João o Senhor sabe o que é o meio ambiente? Seu João: Não sei não! Mas quero que você me diga direitinho pra eu aprender e ensinar todo mundo lá no povoado onde eu moro. : Seu João,

Leia mais

R018 NAT Quênia & Tanzânia

R018 NAT Quênia & Tanzânia R018 NAT Quênia & Tanzânia INTRODUÇÃO AO DESTINO Poucos destinos no mundo e mesmo na África podem competir com Quênia e Tanzânia em relação à quantidade e diversidade de vida selvagem, paisagens deslumbrantes

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

Training Center. Localização

Training Center. Localização Localização Este centro localiza- se no sul de Portugal (no Alentejo) e dista 190km de Lisboa e 165km de Faro. A vila onde está situado chama-se Santa Vitória e fica a apenas 30km de uma capital de districto,

Leia mais

DIA 1 - NAIROBI---LOISABA WILDERNESS

DIA 1 - NAIROBI---LOISABA WILDERNESS DIA 1 - NAIROBI---LOISABA WILDERNESS Tomada dos passageiros no Hotel em NAIROBI e transfer para o Aeroporto para um voo até LOISABA Reserva selvagem da Fazenda de Laikipia. Chegada à gare aérea sendo recebido

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 49 Discurso no encontro com grupo

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Como escrever um estudo de caso que é um estudo de caso? Um estudo so é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a

Como escrever um estudo de caso que é um estudo de caso? Um estudo so é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a Página 1 1 Como escrever um Estudo de Caso O que é um estudo de caso? Um estudo de caso é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a lembre-se de escrever um estudo de caso é que o caso

Leia mais

Título: O senhor do seu nariz e outras histórias Texto: 2006, Álvaro Magalhães Ilustração: 2010, João Fazenda 2010, Edições ASA II, S.A.

Título: O senhor do seu nariz e outras histórias Texto: 2006, Álvaro Magalhães Ilustração: 2010, João Fazenda 2010, Edições ASA II, S.A. Título: O senhor do seu nariz e outras histórias Texto: 2006, Álvaro Magalhães Ilustração: 2010, João Fazenda 2010, Edições ASA II, S.A. Portugal ISBN 9789892311340 Reservados todos os direitos Edições

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais

1 O número concreto. Como surgiu o número? Contando objetos com outros objetos Construindo o conceito de número

1 O número concreto. Como surgiu o número? Contando objetos com outros objetos Construindo o conceito de número Página 1 de 5 1 O número concreto Como surgiu o número? Contando objetos com outros objetos Construindo o conceito de número Como surgiu o número? Alguma vez você parou para pensar nisso? Certamente você

Leia mais

Learning by Ear Aprender de Ouvido Meio-Ambiente 03 Carne do mato

Learning by Ear Aprender de Ouvido Meio-Ambiente 03 Carne do mato Learning by Ear Aprender de Ouvido Meio-Ambiente 03 Carne do mato Texto: Richard Lough [pronuncia-se Loque] Redacção e conceito: Johannes Beck Tradução: Maria Kremer Intro Alô! Bem vindos à série especial

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 37 Discurso na cerimónia de retomada

Leia mais

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER Atividades Lição 5 NOME: N º : CLASSE: ESCOLA É LUGAR DE APRENDER 1. CANTE A MÚSICA, IDENTIFICANDO AS PALAVRAS. A PALAVRA PIRULITO APARECE DUAS VEZES. ONDE ESTÃO? PINTE-AS.. PIRULITO QUE BATE BATE PIRULITO

Leia mais

Índice Geral. Índice de Autores

Índice Geral. Índice de Autores Victor Fernandes 1 Índice Geral A perua-galinha 3 A vida de um porco chamado Ricky 4 Um burro chamado Burro 5 O atrevido 6 O Burro que abandonou a família por causa de uma rã 7 A burra Alfazema 8 Índice

Leia mais

O encanto da Costa Rica

O encanto da Costa Rica O encanto da Costa Rica Dia 1 Partida de Madrid (ou Lisboa). Chegada ao aeroporto internacional Juan Santamaria, em San José, capital da Costa Rica. Recepção e transfer para o hotel Presidente (www.hotel-presidente.com).

Leia mais

Nos estúdios encontram-se um entrevistador (da rádio ou da televisão) e um representante do Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural

Nos estúdios encontram-se um entrevistador (da rádio ou da televisão) e um representante do Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural Guião de Programa de Rádio e Televisão Tema: Redução de Emissões de Desmatamento e Degradação Florestal (REDD+) Nos estúdios encontram-se um entrevistador (da rádio ou da televisão) e um representante

Leia mais

Insígnia Mundial do Meio Ambiente IMMA

Insígnia Mundial do Meio Ambiente IMMA Ficha técnica no. 2.1 Atividade Principal 2.1 SENTINDO A NATUREZA Objetivo da 2 Os escoteiros estão trabalhando por um mundo onde o habitat natural seja suficiente para suportar as espécies nativas. Objetivos

Leia mais

Unidade 4: Obedeça ao Senhor Neemias e o muro

Unidade 4: Obedeça ao Senhor Neemias e o muro Histórias do Velho Testamento 3 a 6 anos Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse Unidade 4: Obedeça ao Senhor Neemias e o muro O Velho Testamento está cheio de histórias que Deus nos deu, espantosas e verdadeiras.

Leia mais

O Tomás, que não acreditava no Pai Natal

O Tomás, que não acreditava no Pai Natal O Tomás, que não acreditava no Pai Natal Era uma vez um menino que não acreditava no Pai Natal e fazia troça de todos os outros meninos da escola, e dos irmãos e dos primos, e de qualquer pessoa que dissesse

Leia mais

Nós, da GWA, estamos contentes por esta cartilha ter chegado às suas mãos. Por meio dela, conversaremos com você sobre assuntos muito importantes e

Nós, da GWA, estamos contentes por esta cartilha ter chegado às suas mãos. Por meio dela, conversaremos com você sobre assuntos muito importantes e 1 Nós, da GWA, estamos contentes por esta cartilha ter chegado às suas mãos. Por meio dela, conversaremos com você sobre assuntos muito importantes e muito atuais. Em primeiro lugar, gostaríamos de dizer

Leia mais

A PREENCHER PELO ALUNO

A PREENCHER PELO ALUNO Prova Final do 1.º e do 2.º Ciclos do Ensino Básico PLNM (A2) Prova 43 63/2.ª Fase/2015 Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho A PREENCHER PELO ALUNO Nome completo Documento de identificação Assinatura

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

Casa Templária, 9 de novembro de 2011.

Casa Templária, 9 de novembro de 2011. Casa Templária, 9 de novembro de 2011. Mais uma vez estava observando os passarinhos e todos os animais que estão ao redor da Servidora. Aqui onde estou agora é a montanha, não poderia ser outro lugar.

Leia mais

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento Eu e umas amigas íamos viajar. Um dia antes dessa viagem convidei minhas amigas para dormir na minha casa. Nós íamos para uma floresta que aparentava ser a floresta do Slender-Man mas ninguém acreditava

Leia mais

I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. (5 pontos)

I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. (5 pontos) I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. Hoje. domingo e o tempo. bom. Por isso nós. todos fora de casa.. a passear à beira-mar.. agradável passar um pouco de tempo

Leia mais

Para onde vou Senhor?

Para onde vou Senhor? Para onde vou Senhor? Ex 40:33-38 "Levantou também o pátio ao redor do tabernáculo e do altar e pendurou a coberta da porta do pátio. Assim, Moisés acabou a obra. Então a nuvem cobriu a tenda da congregação,

Leia mais

Caros irmãos e amigos. A graça e a paz do Senhor Jesus. Grandes coisas tem feito o Senhor por nós por isso estamos alegres.

Caros irmãos e amigos. A graça e a paz do Senhor Jesus. Grandes coisas tem feito o Senhor por nós por isso estamos alegres. Caros irmãos e amigos A graça e a paz do Senhor Jesus. Grandes coisas tem feito o Senhor por nós por isso estamos alegres. Chegamos na metade do ano de 2015, graças a Deus, porque devido a tantas lutas,

Leia mais

Sinopse I. Idosos Institucionalizados

Sinopse I. Idosos Institucionalizados II 1 Indicadores Entrevistados Sinopse I. Idosos Institucionalizados Privação Até agora temos vivido, a partir de agora não sei Inclui médico, enfermeiro, e tudo o que for preciso de higiene somos nós

Leia mais

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA DESENGANO FADE IN: CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA Celular modelo jovial e colorido, escovas, batons e objetos para prender os cabelos sobre móvel de madeira. A GAROTA tem 19 anos, magra, não

Leia mais

Etapa 1: A Diarreia: Identificar e reconhecer a doença

Etapa 1: A Diarreia: Identificar e reconhecer a doença GUIA DO/DA FACILITADOR(A) DE SAUDE Luta contra doenças diarreicas e a Malária Inter Aide Projecto Agua e Saneamento Luta contra Malaria CP 6 Nacala a Velha 82 78 29 956 MENSAGENS CHAVES Etapa 1: A Diarreia:

Leia mais

LOURENÇO LOURINHO PRACIANO 1

LOURENÇO LOURINHO PRACIANO 1 LOURENÇO LOURINHO PRACIANO 1 TESOUREIRO 41 ANOS DE TRABALHO Empresa Horizonte Nascido em Itapipoca, Ceará Idade: 76 anos Esposa: Maria Pinto de Oliveira Praciano Filhos: Lucineide Eu entrei na Empresa

Leia mais

Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha. Ensino Fundamental

Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha. Ensino Fundamental Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha Ensino Fundamental Turma: PROJETO INTERPRETA AÇÂO (INTERPRETAÇÃO) Nome do (a) Aluno (a): Professor (a): DISCIPLINA:

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

Acostumando-se com os Milagres

Acostumando-se com os Milagres Acostumando-se com os Milagres Ap. Ozenir Correia 1. VOCÊ NÃO PERCEBE O TAMANHO DO MILAGRE. Enxame de moscas Naquele dia, separarei a terra de Gósen, em que habita o meu povo, para que nela não haja enxames

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

JOSÉ DE SOUZA CASTRO 1

JOSÉ DE SOUZA CASTRO 1 1 JOSÉ DE SOUZA CASTRO 1 ENTREGADOR DE CARGAS 32 ANOS DE TRABALHO Transportadora Fácil Idade: 53 anos, nascido em Quixadá, Ceará Esposa: Raimunda Cruz de Castro Filhos: Marcílio, Liana e Luciana Durante

Leia mais

AS VIAGENS ESPETACULARES DE PAULO

AS VIAGENS ESPETACULARES DE PAULO Bíblia para crianças apresenta AS VIAGENS ESPETACULARES DE PAULO Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Janie Forest Adaptado por: Ruth Klassen O texto bíblico desta história é extraído ou adaptado da

Leia mais

Draguim, Badão e companhia - Guia de leitura - Livro 1 Dragões, Duendes e Outros Bichos

Draguim, Badão e companhia - Guia de leitura - Livro 1 Dragões, Duendes e Outros Bichos Draguim, Badão e companhia - Guia de leitura - Livro 1 Dragões, Duendes e Outros Bichos Apresentação da obra Sempre me disseram que os dragões eram todos maus e que devíamos fugir deles a sete pés. Mas,

Leia mais

existe um tsunami avançando sobre as nossas famílias

existe um tsunami avançando sobre as nossas famílias existe um tsunami avançando sobre as nossas famílias + 23% + 108% (em 20 anos a taxa é superior a 200%) 15% das mulheres e 65% dos homens brasileiros já tiveram ao menos uma experiência sexual fora do

Leia mais

Parque Nacional da Kissama / Rio Kwanza - Passeio / pacote 2 Dias

Parque Nacional da Kissama / Rio Kwanza - Passeio / pacote 2 Dias Parque Nacional da Kissama / Rio Kwanza - Passeio / pacote 2 Dias O Parque Nacional da Kissama é o parque mais próximo de Luanda. Aqui nós realizamos safaris fotográficos, numa mata absolutamente virgem

Leia mais

Atividade: Leitura e interpretação de texto. Português- 8º ano professora: Silvia Zanutto

Atividade: Leitura e interpretação de texto. Português- 8º ano professora: Silvia Zanutto Atividade: Leitura e interpretação de texto Português- 8º ano professora: Silvia Zanutto Orientações: 1- Leia o texto atentamente. Busque o significado das palavras desconhecidas no dicionário. Escreva

Leia mais

A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria

A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria Samaria: Era a Capital do Reino de Israel O Reino do Norte, era formado pelas 10 tribos de Israel, 10 filhos de Jacó. Samaria ficava a 67 KM de Jerusalém,

Leia mais

Bíblia para crianças. apresenta O ENGANADOR

Bíblia para crianças. apresenta O ENGANADOR Bíblia para crianças apresenta JACÓ O ENGANADOR Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:M. Maillot; Lazarus Adaptado por: M Kerr; Sarah S. Traduzido por: Berenyce Brandão Produzido por: Bible for Children

Leia mais

Bartolomeu Campos Queirós. Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto. I SBN 85-7694 - 111-2

Bartolomeu Campos Queirós. Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto. I SBN 85-7694 - 111-2 Ficava intrigado como num livro tão pequeno cabia tanta história. O mundo ficava maior e minha vontade era não morrer nunca para conhecer o mundo inteiro e saber muito da vida como a professora sabia.

Leia mais

Este testemunho é muito importante para os Jovens.

Este testemunho é muito importante para os Jovens. Este testemunho é muito importante para os Jovens. Eu sempre digo que me converti na 1ª viagem missionária que fiz, porque eu tinha 14 anos e fui com os meus pais. E nós não tínhamos opção, como é o pai

Leia mais

QUANDO DEUS CRIOU TODAS AS COISAS

QUANDO DEUS CRIOU TODAS AS COISAS Bíblia para crianças apresenta QUANDO DEUS CRIOU TODAS AS COISAS Escrito por: Edward Hughes Ilustradopor:Byron Unger; Lazarus Adaptado por: Bob Davies; Tammy S. O texto bíblico desta história é extraído

Leia mais

Sinopse II. Idosos não institucionalizados (INI)

Sinopse II. Idosos não institucionalizados (INI) Sinopse II. Idosos não institucionalizados (INI) II 1 Indicadores Desqualificação Não poder fazer nada do que preciso, quero fazer as coisas e não posso ; eu senti-me velho com 80 anos. Aí é que eu já

Leia mais

UNIDADE LETIVA 2 ANEXO 1

UNIDADE LETIVA 2 ANEXO 1 UNIDADE LETIVA 2 ANEXO 1 HISTÓRIAS COM GENTE DENTRO REFUGIADOS À procura da paz Testemunho de Ibraim (nome fictício) O meu nome é Ibraim, sou natural de um país africano, tenho 25 anos, e estou alojado

Leia mais

III ENCONTRO LUSO - BRASILEIRO DE JURISTA DE TRABALHO

III ENCONTRO LUSO - BRASILEIRO DE JURISTA DE TRABALHO III ENCONTRO LUSO - BRASILEIRO DE JURISTA DE TRABALHO PROGRAMA DA VIAGEM 30 / JULHO LISBOA / RECIFE / ARACAJU Comparência no Aeroporto Internacional de Lisboa cerca das 09H30. Formalidades de embarque

Leia mais

Produçaõ de peixes. Adaptado de: "Better Farming Series 27 - FreshWater Fish Farming: How to Begin" (FAO, 1979)

Produçaõ de peixes. Adaptado de: Better Farming Series 27 - FreshWater Fish Farming: How to Begin (FAO, 1979) Produçaõ de peixes Adaptado de: "Better Farming Series 27 - FreshWater Fish Farming: How to Begin" (FAO, 1979) Onde pôr seu tanque de peixes 1. Você tem que escolher um lugar bom para sua tanque. 2. Lembra

Leia mais

Qual o Sentido do Natal?

Qual o Sentido do Natal? Qual o Sentido do Natal? Por Sulamita Ricardo Personagens: José- Maria- Rei1- Rei2- Rei3- Pastor 1- Pastor 2- Pastor 3-1ª Cena Uma música de natal toca Os personagens entram. Primeiro entram José e Maria

Leia mais

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo II

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo II Capítulo II Mark Ford 11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo Dois Como uma nota de $10 me deixou mais rico do que todos os meus amigos Das centenas de estratégias de construção de riqueza que

Leia mais

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MÓDULO I Corredor Etnoambiental Tupi Mondé Atividade 1 Conhecendo mais sobre nosso passado, presente e futuro 1. No

Leia mais

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão Jorge Esteves Objectivos 1. Reconhecer que Jesus se identifica com os irmãos, sobretudo com os mais necessitados (interpretação e embora menos no

Leia mais

L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu

L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu 5 L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu subir monte, pés d Eu molhados em erva fria. Não haver erva em cima em monte. Só haver terra, em volta, monte como cabeça de homem sem cabelo.

Leia mais

PARTE IV. O chamado para a especialização

PARTE IV. O chamado para a especialização PARTE IV O chamado para a especialização Durante o século XIX o missionário era um evangelista. Mas durante o século XX ele se torna um especialista que evangeliza. Isso tem a ver com o fundo histórico

Leia mais

Autor (a): Januária Alves

Autor (a): Januária Alves Nome do livro: Crescer não é perigoso Editora: Gaivota Autor (a): Januária Alves Ilustrações: Nireuda Maria Joana COMEÇO DO LIVRO Sempre no fim da tarde ela ouvia no volume máximo uma musica, pois queria

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

O encanto da Costa Rica

O encanto da Costa Rica O encanto da Costa Rica Uma magnífica viagem de 11 dias neste belíssimo país, com a possibilidade de adicionar noites na praia!! Dia 1 Partida de Lisboa ou Madrid. Chegada ao aeroporto internacional Juan

Leia mais

1. Substitui as palavras assinaladas pelos sinónimos (ao lado) que consideres mais adequados.

1. Substitui as palavras assinaladas pelos sinónimos (ao lado) que consideres mais adequados. 1. Substitui as palavras assinaladas pelos sinónimos (ao lado) que consideres mais adequados. É bonita a história que acabaste de contar. Vou dar este livro ao Daniel, no dia do seu aniversário. Ele adora

Leia mais

Dia da Conservação do Solo - 15 de Abril

Dia da Conservação do Solo - 15 de Abril Dia da Conservação do Solo - 15 de Abril Tema: Comemoração do Dia da Conservação do Solo Destinatários: Crianças dos 6 aos 10 anos - 1º ciclo Objectivo: Pretende-se que no final das actividades as crianças

Leia mais

Urakepe. Olá. Meu nome é Romel. Sou uma índia Chachi. Eu moro no vilarejo de São Salvador, no oeste do Equador. Eu tenho cinco irmãos, duas irmãs e

Urakepe. Olá. Meu nome é Romel. Sou uma índia Chachi. Eu moro no vilarejo de São Salvador, no oeste do Equador. Eu tenho cinco irmãos, duas irmãs e Urakepe. Olá. Meu nome é Romel. Sou uma índia Chachi. Eu moro no vilarejo de São Salvador, no oeste do Equador. Eu tenho cinco irmãos, duas irmãs e muitos primos. Existem cerca de 60 famílias em São Salvador

Leia mais

Há cabo-verdianos a participar na vida política portuguesa - Nuno Sarmento Morais, ex-ministro da Presidência de Portugal

Há cabo-verdianos a participar na vida política portuguesa - Nuno Sarmento Morais, ex-ministro da Presidência de Portugal Há cabo-verdianos a participar na vida política portuguesa - Nuno Sarmento Morais, ex-ministro da Presidência de Portugal À margem do Fórum promovido pela Associação Mais Portugal Cabo Verde, que o trouxe

Leia mais

Quantas línguas existem no mundo?, perguntava -se

Quantas línguas existem no mundo?, perguntava -se A VOZ DAS COISAS Quantas línguas existem no mundo?, perguntava -se Marta, naquela noite, a sós na cama. Há as línguas que as pessoas falam: francês, alemão, espanhol, chinês, italiano. Para indicar a mesma

Leia mais

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO.

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. Roteiro de Telenovela Brasileira Central de Produção CAPÍTULO 007 O BEM OU O MAL? Uma novela de MHS. PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. AGENOR ALBERTO FERNANDO GABRIELE JORGE MARIA CLARA MARIA CAMILLA MARÍLIA

Leia mais

Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores?

Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores? Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores? Noemi: É a velha história, uma andorinha não faz verão,

Leia mais

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE Mesmo não acreditando na Educação Criativa, o professor pode fazer uma experiência para ver o resultado. É o caso da professora deste relato. Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br

Leia mais

Apoio: Patrocínio: Realização:

Apoio: Patrocínio: Realização: 1 Apoio: Patrocínio: Realização: 2 CINDERELA 3 CINDERELA Cinderela era uma moça muito bonita, boa, inteligente e triste. Os pais tinham morrido e ela morava num castelo. A dona do castelo era uma mulher

Leia mais

Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication

Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication Uma Cidade para Todos Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication Colaboração Nuno Oliveira, coordenador do Serviço de Psicologia do 1º ciclo do Ensino Básico da EMEC - Empresa Municipal

Leia mais

-Ui! -e o tatu saltou e correu.

-Ui! -e o tatu saltou e correu. Clara vive no Rio Negro, nas montanhas da Colômbia. Ela tralha no sítio de café da sua família e freqüenta a escola. Sua parte favorita da escola é quando Carolina e Hilma da Fundação Natura ensinam sua

Leia mais

O menino e o pássaro. Rosângela Trajano. Era uma vez um menino que criava um pássaro. Todos os dias ele colocava

O menino e o pássaro. Rosângela Trajano. Era uma vez um menino que criava um pássaro. Todos os dias ele colocava O menino e o pássaro Era uma vez um menino que criava um pássaro. Todos os dias ele colocava comida, água e limpava a gaiola do pássaro. O menino esperava o pássaro cantar enquanto contava histórias para

Leia mais

Escola Municipal Professora Zezé Ribas. Premio Afago de Literatura. A política brasileira

Escola Municipal Professora Zezé Ribas. Premio Afago de Literatura. A política brasileira Aluno: Camila Aparecida Pinto Serie: 7º ano A política brasileira Na política brasileira, existe uma grande chaga aberta e crescente já se tornou grande praga. Doença maldita, domina e contamina a toda

Leia mais

A DIVERSIDADE NA ESCOLA

A DIVERSIDADE NA ESCOLA Tema: A ESCOLA APRENDENDO COM AS DIFERENÇAS. A DIVERSIDADE NA ESCOLA Quando entrei numa escola, na 1ª série, aos 6 anos, tinha uma alegria verdadeira com a visão perfeita, não sabia ler nem escrever, mas

Leia mais

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração da Escola Municipal Jornalista Jaime Câmara e alusiva à visita às unidades habitacionais do PAC - Pró-Moradia no Jardim do Cerrado e Jardim Mundo

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 59 Discurso em ato comemorativo do

Leia mais

Vai ao encontro! de quem mais precisa!

Vai ao encontro! de quem mais precisa! Vai ao encontro! 2ª feira, 05 de outubro: Dos mais pobres Bom dia meus amigos Este mês vamos tentar perceber como podemos ajudar os outros. Vocês já ouviram falar das muitas pessoas que estão a fugir dos

Leia mais

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Apresentaremos 4 lições, que mostram algum personagem Bíblico, onde as ações praticadas ao longo de sua trajetória abençoaram a vida de muitas

Leia mais

2015 O ANO DE COLHER JANEIRO - 1 COLHER ONDE PLANTEI

2015 O ANO DE COLHER JANEIRO - 1 COLHER ONDE PLANTEI JANEIRO - 1 COLHER ONDE PLANTEI Texto: Sal. 126:6 Durante o ano de 2014 falamos sobre a importância de semear, preparando para a colheita que viria neste novo ano de 2015. Muitos criaram grandes expectativas,

Leia mais

Brincar às guerras. Está muito calor para jogar basquete. Vamos fazer outra coisa sugeriu Luke.

Brincar às guerras. Está muito calor para jogar basquete. Vamos fazer outra coisa sugeriu Luke. Brincar às guerras Está muito calor para jogar basquete. Vamos fazer outra coisa sugeriu Luke. Os amigos sentaram-se à sombra do salgueiro a decidir o que fazer. Tens mais balões de água? perguntou Danny.

Leia mais

O PASTOR AMOROSO. Alberto Caeiro. Fernando Pessoa

O PASTOR AMOROSO. Alberto Caeiro. Fernando Pessoa O PASTOR AMOROSO Alberto Caeiro Fernando Pessoa Este texto foi digitado por Eduardo Lopes de Oliveira e Silva, no Rio de Janeiro, em maio de 2006. Manteve-se a ortografia vigente em Portugal. 2 SUMÁRIO

Leia mais

Nós temos muitas aves e outros animais. Hà alguns meses atrás, eu vi uma irara próximo à nossa fazenda. Era bem cedo pela manhã e eu fui até a

Nós temos muitas aves e outros animais. Hà alguns meses atrás, eu vi uma irara próximo à nossa fazenda. Era bem cedo pela manhã e eu fui até a Olá, eu sou Alex. Na verdade, meu nome é Tito Alexander, mas todos me chamam de Alex. Eu vivo em São Miguelito, nas montanhas do oeste de El Salvador, próximo do Parque Nacional O Impossível. O parque

Leia mais

Rica. Eu quero ser... Especial ???????? Luquet. Um guia para encontrar a rota da prosperidade. Apoio: por Mara. Elas&Lucros

Rica. Eu quero ser... Especial ???????? Luquet. Um guia para encontrar a rota da prosperidade. Apoio: por Mara. Elas&Lucros ???????? Apoio: Rica Eu quero ser... Um guia para encontrar a rota da prosperidade por Mara Luquet 81 Era uma vez... Era uma vez uma princesa, dessas que passeiam pelos campos e bosques e são muito bonitas

Leia mais

Nada de telefone celular antes do sexto ano

Nada de telefone celular antes do sexto ano L e i n º1 Nada de telefone celular antes do sexto ano Nossos vizinhos da frente estão passando uma semana em um cruzeiro, então me pediram para buscar o jornal e a correspondência todos os dias, enquanto

Leia mais

A minha missão é... Proteger o meu planeta!

A minha missão é... Proteger o meu planeta! A minha missão é... Proteger o meu planeta! Energia A energia que utilizas todos os dias não nasce nos eletrodomésticos lá de casa nem nos postes de iluminação da rua. É transformada a partir do petróleo,

Leia mais

MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 16 QUEDA E MALDIÇÃO Nome: Professor: Rebanho

MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 16 QUEDA E MALDIÇÃO Nome: Professor: Rebanho MEDITAÇÃO SALA LARANJA SEMANA 16 QUEDA E MALDIÇÃO Nome: Professor: Rebanho VERSÍCULOS PARA DECORAR ESTA SEMANA Usamos VERSÍCULOS a Bíblia na PARA Nova DECORAR Versão Internacional ESTA SEMANA NVI Usamos

Leia mais

CARTA ESCRITA NO ANO 2070

CARTA ESCRITA NO ANO 2070 CARTA ESCRITA NO ANO 2070 Texto publicado na revista "Crónicas de los Tiempos, de Abril de 2002. www ww w www w Wwwwww w w ww w wwwwwwww wwwwwww w w w wwwww ww w w w www wwwwwww w w ww w wwwwwwww wwwwwww

Leia mais

Curso Intermediário de LIBRAS

Curso Intermediário de LIBRAS Curso Intermediário de LIBRAS 1 Curso Intermediário de LIBRAS 2 Unidade 2 Fazer as compras Sábado foi dia de ir ao Tok Stok. Nós, casal, fomos passear e dar uma voltada para olhar os moveis e objetos.

Leia mais

PROJETO PROFISSÕES. Entrevista com DJ

PROJETO PROFISSÕES. Entrevista com DJ Entrevista com DJ Meu nome é Raul Aguilera, minha profissão é disc-jóquei, ou DJ, como é mais conhecida. Quando comecei a tocar, em festinhas da escola e em casa, essas festas eram chamadas de "brincadeiras

Leia mais

O que você deve saber antes de visitar um ZOOLÓGICO

O que você deve saber antes de visitar um ZOOLÓGICO O que você deve saber antes de visitar um ZOOLÓGICO Em princípio, sou contra a existência dos zoológicos. O melhor lugar para os animais estarem é na natureza, livres e soltos. Mas os Zoos existem e precisamos

Leia mais

LENDA DA COBRA GRANDE. Um roteiro de IVI SIBELI ROCHA DE BARROS DAIANE MONTEIRO POLIANA AGUIAR FERREIRA MARIA LUZIA RODRIGUES DA SILVA

LENDA DA COBRA GRANDE. Um roteiro de IVI SIBELI ROCHA DE BARROS DAIANE MONTEIRO POLIANA AGUIAR FERREIRA MARIA LUZIA RODRIGUES DA SILVA LENDA DA COBRA GRANDE Um roteiro de IVI SIBELI ROCHA DE BARROS DAIANE MONTEIRO POLIANA AGUIAR FERREIRA MARIA LUZIA RODRIGUES DA SILVA CRUZEIRO DO SUL, ACRE, 30 DE ABRIL DE 2012. OUTLINE Cena 1 Externa;

Leia mais

O curativo do umbigo

O curativo do umbigo Higiene do bebê O curativo do umbigo Organizo meu futuro porque o presente já passou. O curativo do umbigo deve ser feito todos os dias, depois do banho, até que o cordão do umbigo seque e caia. Isso leva

Leia mais

MOISÉS NO MONTE SINAI Lição 37

MOISÉS NO MONTE SINAI Lição 37 MOISÉS NO MONTE SINAI Lição 37 1 1. Objetivos: Ensinar que quando Moisés aproximou-se de Deus, os israelitas estavam com medo. Ensinar que hoje em dia, por causa de Jesus, podemos nos sentir perto de Deus

Leia mais

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa FIM DE SEMANA Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa CENA 1 EXTERIOR / REUNIÃO FAMILIAR (VÍDEOS) LOCUTOR Depois de uma longa semana de serviço, cansaço, demoradas viagens de ônibus lotados...

Leia mais