EXERCÍCIOS DE REVISÃO DNS, DHCP, Endereços Privados, Proxy e NAT EDGARD JAMHOUR. Segundo Bimestre

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EXERCÍCIOS DE REVISÃO DNS, DHCP, Endereços Privados, Proxy e NAT EDGARD JAMHOUR. Segundo Bimestre"

Transcrição

1 EXERCÍCIOS DE REVISÃO DNS, DHCP, Endereços Privados, Proxy e NAT EDGARD JAMHOUR Segundo Bimestre

2 Exercício 1: Considere a seguinte configuração de árvore de nomes DNS. ZONA.br dns ( ) SOA br dns2 ( ) ZONA pucpr.br ZONA ufpr.br pucpr ufpr ppgia SOA www eureka ( ) dns ( ) ( ) www ( ) dns2 ( ) SOA dns ( )

3 Zona br. Exercício 1: RESOLUÇÃO tipo de registro br. SOA dns br. NS dns br. NS dns2 dns A dns2 A pucpr NS dns.pucpr dns.pucpr A ufpr NS dns.ufpr ufpr NS dns2.ufpr dns.ufpr A dns2.ufpr A SOA: indica o servidor primário, responsável por armazenar a cópiar original (que pode ser alterada) do arquivo de zona. NS: indica um servidor que responde por um certo domínio. Pode haver mais de um. Os servidores adicionais recebem cópias do servidor primário (SOA). A: permite um nome a um endereço IP CNAME: permite dar um apelido (um nome adicional), a um computador. Glue Record: Nos registros do tipo NS, um servidor é sempre representado pelo seu nome. O endereço IP do servidor é fornecido posteriormente através de um registro do tipo A (glue record). Nomes relativos: são nomes que não terminam com ponto. Neste caso, o nome deve ser lido concatenando-se o nome da zona ao seu final. Por exemplo: dns sem ponto no final é lido como dns.br. Nomes absolutos: são nomes que terminam com.. Eles não recebem o nome da zona no final. Por exemplo, representa o nome da zona. Pode ser usado para simplificar a escrita do arquivo de zona nos registros do tipo SOA e NS.

4 Zona pucpr.br. Zona ufpr.br. Exercício 1: RESOLUÇÃO tipo de registro pucpr.br. SOA dns pucpr.br. NS dns dns A www A eureka CNAME www A tipo de registro ufpr.br. SOA NS NS dns2 dns A dns2 A www A

5 Exercício 2: Considerando os diferentes tipos de registros do serviço de nomes DNS, relacione as colunas. ( ) Identifica um servidor DNS que responde por um domínio de nomes. Pode haver mais de um. ( ) Indentifica o servidor DNS que é a autoridade para um domínio de nomes. ( ) Permite relacionar um nome de host a um endereço IP ( ) Permite identificar o servidor de default de um domínio de nomes. Pode haver mais de um. ( ) Utilizado para dar nomes múltiplos para um mesmo host. ( ) Permite relacionar um endereço de host a um nome, em zonas de consulta reversa. 1. Registro SOA 2. Registro A 3. Registro MX 4. Registro NS 5. Registro CNAME 6. Registro PTR 7. Nenhuma das anteriores.

6 Exercício 3. Ainda em relação ao cenário do exercício 1, indique as afirmações verdadeiras. I. Se os servidores do domínio ufpr.br forem configurados para responder a consultas recursivas, eles irão retornar um registro do tipo A para uma consulta relativa ao nome II. Se os servidores do domínio ufpr.br não forem configurados para receber consultas recursivas, eles vão retornar um registro do tipo NS para uma consulta relativa ao nome III. Se os servidores do domínio pucpr.br não forem configurados para receber consultas recursivas, eles vão retornar um registro do tipo NS para uma consulta relativa ao nome IV. Se um usuário do servidor dns.pucpr.br solicitar o endereço IP do servidor e receber uma resposta dita autoritária, então, certamente, essa resposta veio da cache do próprio servidor dns.pucpr.br. V. Qualquer consulta feita ao servidor dns.pucpr.br sobre servidores no dominio ufpr.br irá retornar sempre respostas não autoritárias, pois o servidor da PUCPR não é o SOA do domínio ufpr.br.

7 Cenário (Exercício 4 e 5): Considere o seguinte cenário de uma configuração utilizando DHCP Servidor DNS /25 Servidor HTTP / / / / / /25 DNS /25 Servidor DHCP / / /30 INTERNET

8 Exercício 4: Defina as opções e demais parâmetros que devem constar na configuração do servidor DHCP, supondo que ele deve configurar os clientes nas duas subredes. 1. Subnet netmask Subnet netmask Ambas 4. Nenhuma ( ) range ( ) range ( ) range ( ) option routers ( ) option routers ( ) option routers ( ) default-lease-time 1D ( ) option domain-name-servers ( ) option domain-name-servers

9 Exercício 5: Indique as afirmativas verdadeiras em relação ao cenário do exercício de DHCP. I. Este cenário de rede não irá funcionar, pois os clientes conectados ao roteador 1 não conseguem enviar mensagens de DHCPDISCOVER ao servidor DHCP, pois os roteadores 1 e 2 não irão propagar as mensagens em broadcast. II. Para que os clientes possam receber endereços do servidor DHCP, é necessário incluir o agente relay também no roteador 2, para que ele propague as mensagens DHCPDISCOVER em broadcast. III. O servidor DHCP fornece as seguintes informações aos clientes conectados ao roteador 1: endereço IP da rede /25, gateway default , servidor DNS primário e servidor DNS secundário O endereço do servidor HTTP não é configurado pelo servidor DHCP. IV. As mensagens trocadas entre os clientes e o servidor DHCP são definidas pelo protocolo BOOTP (Bootstrap Protocol), que corresponde a um protocolo de aplicação transportado pelo protocolo UDP. V. Para manter seu endereço, o cliente precisa enviar mensagens do tipo DHCPDISCOVER periodicamente para o servidor DHCP.

10 Cenário para os Exercícios 6 e 7 No cenário abaixo, o cliente A efetua uma comunicação HTTP (requisição e resposta) como o servidor Z. O roteador 1 está configurado como NAPT. 80 A / C D E V / /24 INTERNET X 2 Y /24 Z /24

11 Exercício 6: Defina o Formato dos Quadros Mac Destino Mac Origem ip origem ip destino porta origem porta destino Pacote enviado por A Pacote enviado pelo roteador 1 Pacote recebido pelo roteador 2 Pacote recebido pelo servidor HTTP Pacote enviado pelo servidor HTTP Pacote enviado pelo roteador 2 Pacote recebido pelo roteador 1 Pacote recebido por A

12 Exercício 7: Indique as afirmativas verdadeiras Afirmativas: ( ) O endereço IP e aporta do pacote enviado pelo cliente correspondem ao endereço IP e a porta do servidor HTTP. ( ) O NAPT efetua dois tipos de substituição nos pacotes recebidos. Primeiro, ele substitui o endereço IP de origem do cliente pelo seu próprio IP. Segundo, e substitui a porta de origem TCP por uma porta que ainda não esteja sendo usada em nenhuma outra requisição ativa. ( ) Com um único endereço IP público o NAPT permite atender mais de 60 mil requisições simultâneas de clientes com endereços IP privados. ( ) O servidor de destino é incapaz de identificar o endereço IP do cliente que fez a requisição, uma vez que a requisição chega com o endereço IP do NAPT. ( ) O uso do NAPT é transparente para o cliente, uma vez que este envia o pacote diretamente para o servidor HTTP de destino, como faria caso tivesse um endereço IP público e não houvesse NAPT na rede.

13 Cenário para os exercícios 8 e 9 No cenário abaixo, o cliente A efetua uma comunicação HTTP (requisição e resposta) como o servidor Z através do Proxy B. A / / B C D E V X / /24 INTERNET Y /24 Z /24

14 Auxílio: Funcionamento do Proxy

15 Exercício 8: Formato dos Quadros Mac Destino Mac Origem ip origem ip destino porta origem porta destino Pacote enviado por A Pacote enviado pelo proxy Pacote enviado pelo roteador 1 Pacote recebido pelo servidor HTTP Pacote enviado pelo servidor HTTP Pacote recebido pelo roteador 1 Pacote recebido pelo proxy Pacote recebido por A

16 Exercício 9: Indique as afirmativas verdadeiras Afirmativas: ( ) O endereço IP e aporta do pacote enviado pelo cliente correspondem ao endereço IP e a porta do servidor Proxy. ( ) O servidor Proxy recebe as requisições dos clientes sempre na mesma porta (3128), e abre uma conexão com o servidor de destino utilizando portas de origem diferentes, isto é, uma porta diferente para cada conexão. ( ) Com um único endereço IP público o proxy permite atender mais de 60 mil requisições simultâneas de clientes com endereços IP privados. ( ) O servidor de destino é incapaz de identificar o endereço IP do cliente que fez a requisição, uma vez que a requisição chega com o endereço IP do proxy. ( ) O uso do proxy não é transparente para o cliente, uma vez que este precisa enviar o pacote para o proxy e não para o destino final, como faria, se tivesse um endereço IP público e não houvesse proxy na rede.

17 Exercício 10: Relacione as colunas ( ) Permite que vários computadores com endereços IP privados façam conexão com servidores na Internet utilizando um único endereço IP público. ( ) Necessita que cada aplicação cliente seja configurada individualmente. ( ) Funciona apenas para poucos tipos de protocolos de aplicação. ( ) Funciona para praticamente qualquer protocolo de aplicação baseado em TCP ou UDP. ( ) Funciona apenas para protocolos de aplicação baseados em TCP. ( ) O número de conexões simultâneas é igual ao número de endereços públicos disponíveis. ( ) Permite que um computador com endereço IP privado receba conexão de um computador externo (na Internet). 1. NAT (sem tradução de porta) 2. Destination NAT/NAPT 3. Source NAPT 4. Proxy de Aplicação 5. Proxy SOCKS v4 6. Proxy SOCKS v5 7. Todas as anteriores 8. Alternativas 3, 4, 5 e Alternativas 1, 2 e Nenhuma das anteriores.

Exercícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Segundo Bimestre

Exercícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Segundo Bimestre Exercícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour Segundo Bimestre Exercicio 1: Considere a seguinte configuração de rede estruturada em VLANs 220.0.0.2/24 C VLAN 2 B VLAN 1 A VLAN 1 VLAN 1,2,3

Leia mais

DNS: Domain Name System DHCP: Dynamic Host Configuration Protocol. Edgard Jamhour

DNS: Domain Name System DHCP: Dynamic Host Configuration Protocol. Edgard Jamhour DNS: Domain Name System DHCP: Dynamic Host Configuration Protocol Serviço DNS: Domain Name System nome - ip nome - ip Nome? IP nome - ip nome - ip Árvore de nomes br RAIZ br pucpr ufpr Pucpr Ufpr ppgia

Leia mais

Execícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Proxy, NAT Filtros de Pacotes

Execícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Proxy, NAT Filtros de Pacotes Execícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour Proxy, NAT Filtros de Pacotes Exercício 1 Configure as regras do filtro de pacotes "E" para permitir que os computadores da rede interna tenham

Leia mais

Tópicos Especiais em Informática

Tópicos Especiais em Informática Tópicos Especiais em Informática DCHP Prof. Ms.-Eng. Igor Sousa Faculdade Lourenço Filho 5 de novembro de 2014 igorvolt@gmail.com (FLF) Tópicos Especiais em Informática 5 de novembro de 2014 1 / 14 Introdução

Leia mais

DHCP. Administração de Redes de Computadores Prof.ª Juliana Camilo 6080822 Ângelo, Bryan, Carlos, Vinícius

DHCP. Administração de Redes de Computadores Prof.ª Juliana Camilo 6080822 Ângelo, Bryan, Carlos, Vinícius DHCP Administração de Redes de Computadores Prof.ª Juliana Camilo 6080822 Ângelo, Bryan, Carlos, Vinícius Histórico O termo DHCP significa Dynamic Host Configuration Protocol Começou a se tornar popular

Leia mais

MS1122 v3.0 Instalação e Considerações Importantes

MS1122 v3.0 Instalação e Considerações Importantes MS1122 v3.0 Instalação e Considerações Importantes O conteúdo deste documento é destinado a quem já possui algum conhecimento e deseja utilizar algumas REDEs comerciais disponíveis... V3.0 R2 Operadoras

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Nível de rede Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores Nível de rede Aula 6 Aplicação Apresentação Sessão Transporte Rede Enlace Físico Protocolo nível de aplicação Protocolo nível

Leia mais

DNS: Domain Name System

DNS: Domain Name System DNS: Domain Name System O objetivo desta unidade é apresentar o funcionamento de dois importantes serviços de rede: o DNS e o DHCP. O DNS (Domain Name System) é o serviço de nomes usado na Internet. Esse

Leia mais

Redes TCP/IP. Redes TCP/IP

Redes TCP/IP. Redes TCP/IP Redes TCP/IP Redes TCP/IP Endereçamento Internet e Intranet Redes TCP/IP Internet = REDE TCP/IP Endereço IP de 32 bits Identificador da rede Identificador do host host REDE REDE internet hosts com identificadores

Leia mais

Experiência 04: Comandos para testes e identificação do computador na rede.

Experiência 04: Comandos para testes e identificação do computador na rede. ( ) Prova ( ) Prova Semestral ( ) Exercícios ( ) Prova Modular ( ) Segunda Chamada ( ) Exame Final ( ) Prática de Laboratório ( ) Aproveitamento Extraordinário de Estudos Nota: Disciplina: Turma: Aluno

Leia mais

Configurando DNS Server. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com

Configurando DNS Server. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com Configurando DNS Server. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com Entendendo o DNS É o serviço responsável por: Traduzir nomes em endereços IP (e vice-versa), de um determinado

Leia mais

Linux Network Servers

Linux Network Servers DHCP Podemos configurar a rede de um cliente para obter IP dinamicamente ou configurar um IP estático. Encontramos configuração dinâmica em modems de banda larga, redes Wi-Fi etc, pois é mais prático para

Leia mais

Guia de Laboratório de Redes 1º Laboratório: Introdução

Guia de Laboratório de Redes 1º Laboratório: Introdução Guia de Laboratório de Redes 1º Laboratório: Introdução Objectivos (1) Estudo dos protocolos: DHCP, ARP e DNS (2) Familiarização com os utilitários: ipconfig, ping, arp, nslookup e wireshark 1 Objectivo

Leia mais

Exercícios de Revisão Edgard Jamhour. Quarto Bimestre: IPv6 e Mecanismos de Transiçao

Exercícios de Revisão Edgard Jamhour. Quarto Bimestre: IPv6 e Mecanismos de Transiçao Exercícios de Revisão Edgard Jamhour Quarto Bimestre: IPv6 e Mecanismos de Transiçao Questão 1: Indique a qual versão do IP pertence cada uma das características abaixo: ( ) Verifica erros no cabeçalho

Leia mais

CCNA 1 Modelos OSI e TCP/IP. Kraemer

CCNA 1 Modelos OSI e TCP/IP. Kraemer CCNA 1 Modelos OSI e TCP/IP Modelos OSI e TCP/IP Modelo em camadas Modelo OSI Modelo TCP/IP Comparação dos modelos Endereçamento de rede Modelo de camadas Encapsulamento Desencapsulamento Modelo OSI Sistema

Leia mais

HYPERTEXT TRANSFER PROTOCOL

HYPERTEXT TRANSFER PROTOCOL REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com HYPERTEXT TRANSFER PROTOCOL 1 HTTP Uma página WWW é composta de objetos e endereçado por uma

Leia mais

Questionário de RC Nota3

Questionário de RC Nota3 Questionário de RC Nota3 Entrega: Individual e escrita à mão. Data de entrega: 30/10. Em todas as questões deverão constar o desenvolvimento da sua resposta, caso contrário a questão será desconsiderada.

Leia mais

REDES LOCAIS. Quando você precisar ir além do computador em cima de sua mesa, esta na hora de instalar uma rede local.

REDES LOCAIS. Quando você precisar ir além do computador em cima de sua mesa, esta na hora de instalar uma rede local. 1. Introdução 1.1. - Conceitos REDES LOCAIS Quando você precisar ir além do computador em cima de sua mesa, esta na hora de instalar uma rede local. 1 1.2. Tipos de Aplicações As Redes Locais têm em geral

Leia mais

Aula 2 Servidor DHCP. 2.1 dhcp

Aula 2 Servidor DHCP. 2.1 dhcp Aula 2 Servidor DHCP 2.1 dhcp DHCP é abreviação de Dynamic Host Configuration Protocol Protocolo de Configuração de Host (computadores) Dinâmico.Em uma rede baseada no protocolo TCP/IP, todo computador

Leia mais

Formando-Fernando Oliveira Formador- João Afonso Mediador-Cristina Goulão Curso Técnico de Informática e Gestão de Redes ufcd / 20 11/11/2013 Turma

Formando-Fernando Oliveira Formador- João Afonso Mediador-Cristina Goulão Curso Técnico de Informática e Gestão de Redes ufcd / 20 11/11/2013 Turma Formando-Fernando Oliveira Formador- João Afonso Mediador-Cristina Goulão Curso Técnico de Informática e Gestão de Redes ufcd / 20 11/11/2013 Turma -SDR LINUX ADMINISTRAÇÃO DNS significa (sistema de nomes

Leia mais

Prática NAT/Proxy. Edgard Jamhour. Esses exercícios devem ser executados através do servidor de máquinas virtuais: espec.ppgia.pucpr.

Prática NAT/Proxy. Edgard Jamhour. Esses exercícios devem ser executados através do servidor de máquinas virtuais: espec.ppgia.pucpr. Prática NAT/Proxy Edgard Jamhour Exercícios práticos sobre NAT e Proxy, usando Linux. Esses exercícios devem ser executados através do servidor de máquinas virtuais:.ppgia.pucpr.br OBS. Esse roteiro utiliza

Leia mais

Introdução. Modelo de um Sistema de Comunicação

Introdução. Modelo de um Sistema de Comunicação I 1 Comunicação de Dados e Redes de Computadores Introdução FEUP/DEEC/CDRC I 2002/03 MPR/JAR Modelo de um Sistema de Comunicação» Fonte gera a informação (dados) a transmitir» Emissor converte os dados

Leia mais

Trabalho de laboratório sobre DNS

Trabalho de laboratório sobre DNS Trabalho de laboratório sobre DNS Redes de Computadores I - 2006/2007 LEIC - Tagus Park Semana de 2 a 6 de Outubro 1 Introdução O objectivo desta aula é a familiarização com conceitos básicos do protocolo

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Redes de Computadores II

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Redes de Computadores II Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Redes de Computadores II Na aula de hoje iremos conhecermos e relembrarmos duas ferramentas do Windows, chamadas de ipconfig e nslookup. Além disso, iremos discutirmos

Leia mais

Roteiro... Sistemas Distribuídos Aula 4. Troca de mensagens. Comunicação entre processos. Conceitos de SD, vantagens e desvantagens

Roteiro... Sistemas Distribuídos Aula 4. Troca de mensagens. Comunicação entre processos. Conceitos de SD, vantagens e desvantagens Roteiro... Conceitos de SD, vantagens e desvantagens Infra-estrutura de um SD Considerações de projeto Sistemas Distribuídos Aula 4 Karine de Pinho Peralta Modelos de Comunicação - comunicação entre processos

Leia mais

Linux Essentials. Network Configuration

Linux Essentials. Network Configuration Linux Essentials Network Configuration Tópicos abordados: 4.4 Conectando o computador na rede Prof. Pedro Filho 1 Objetivo O objetivo deste curso é lhe fazer familiar com o sistema operacional Linux. Iniciaremos

Leia mais

Modelo em Camadas Arquitetura TCP/IP/Ethernet. Edgard Jamhour

Modelo em Camadas Arquitetura TCP/IP/Ethernet. Edgard Jamhour Modelo em Camadas Arquitetura TCP/IP/Ethernet Edgard Jamhour Ethernet não-comutada (CSMA-CD) A Ethernet não-comutada baseia-se no princípio de comunicação com broadcast físico. a b TIPO DADOS (até 1500

Leia mais

Trabalho de laboratório sobre DHCP

Trabalho de laboratório sobre DHCP Trabalho de laboratório sobre DHCP Redes de Computadores I - 2005/2006 LEIC - Tagus Park Semana de 21 a 25 de Novembro 1 Introdução O objectivo desta aula é a familiarização com conceitos básicos do protocolo

Leia mais

Curso Profissional de Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos Comunicação de Dados Módulo 2- Caracterização de Redes e Comunicação de Dados

Curso Profissional de Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos Comunicação de Dados Módulo 2- Caracterização de Redes e Comunicação de Dados Ficha Formativa 2 Tipos de Topologias de Rede Topologia bus ou barramento Nesta topologia temos um cabo, com as extremidades separadas, ao longo do qual se ligam os dispositivos. Os sinais são transmitidos

Leia mais

Instalando e configurando servidor de DNS no Windows 2008R2

Instalando e configurando servidor de DNS no Windows 2008R2 Instalando e configurando servidor de DNS no Windows 2008R2 1- Configure um IP estático no servidor, conforme a ilustração: 2- Clique em Ferramentas Administrativas > Gerenciamento de Servidores > Funções

Leia mais

GUIA PRÁTICO RELAÇÕES DE REPRESENTAÇÃO PERANTE A SEGURANÇA SOCIAL

GUIA PRÁTICO RELAÇÕES DE REPRESENTAÇÃO PERANTE A SEGURANÇA SOCIAL GUIA PRÁTICO RELAÇÕES DE REPRESENTAÇÃO PERANTE A SEGURANÇA SOCIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Pág. 1/8 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático de Relações de Representação Perante a Segurança

Leia mais

GUIA DE CONFIGURAÇÃO SERVIDOR DHCP

GUIA DE CONFIGURAÇÃO SERVIDOR DHCP GUIA DE CONFIGURAÇÃO SERVIDOR DHCP GUIA DE CONFIGURAÇÃO SERVIDOR DHCP Servidor DHCP O Serviço de DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol) permite que você controle a configuração e distribuição de endereços

Leia mais

SERVIDOR DHCP - DEFINIÇÃO DHCP POR QUE USAR? DHCP TIPOS DE ALOCAÇÃO 27/02/2012

SERVIDOR DHCP - DEFINIÇÃO DHCP POR QUE USAR? DHCP TIPOS DE ALOCAÇÃO 27/02/2012 SERVIDOR DHCP - DEFINIÇÃO O DHCP ("Dynamic Host Configuration Protocol" ou Protocolo de configuração dinâmica de endereços de rede") permite que todos os micros da rede recebam suas configurações de rede

Leia mais

Exercícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Nome dos Alunos

Exercícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Nome dos Alunos Exercícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour Nome dos Alunos Cenário 1: Considere a seguinte topologia de rede IPB 210.0.0.1/24 IPA 10.0.0.5/30 220.0.0.1\24 4 5 3 1 IPC 10.0.0.9/30 REDE B

Leia mais

Application Notes: DHCP Relay. Funcionamento do DHCP Relay

Application Notes: DHCP Relay. Funcionamento do DHCP Relay Application Notes: DHCP Relay Funcionamento do DHCP Relay Application Notes: DHCP Relay Funcionamento do DHCP Relay. Data 29/10/2009 Parecer Introdução Desenvolvimento Funcionamento do DHCP Funcionamento

Leia mais

6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma

6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma 6 PLANEJAMENTO DE SI 6.1 Planejamento de Segurança da Informação O planejamento em S.I é algo crucial para que haja o bom funcionamento de uma empresa. Diferente do senso comum o planejamento não se limita

Leia mais

Rafael Goulart - rafaelgou@gmail.com Curso ASLinux v.3

Rafael Goulart - rafaelgou@gmail.com Curso ASLinux v.3 Conceito Serviço que traduz RESOLVE nomes de máquinas para endereços IP e endereços IP para nomes de máquina. É um sistema hierárquico e descentralizado/distribuído. Simplifica a administração do complexo

Leia mais

D-Link500T. Simulador Site DLINK - Clique Aqui. D-Link500T - Alterar usuário e senha

D-Link500T. Simulador Site DLINK - Clique Aqui. D-Link500T - Alterar usuário e senha D-Link500T Simulador Site DLINK - Clique Aqui D-Link500T - Alterar usuário e senha 1 - Para configurar, digite o IP do seu modem (padrão: http://10.1.1.1 ) no seu navegador. A seguinte tela deverá aparecer:

Leia mais

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus: Campo Mourão

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus: Campo Mourão Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus: Campo Mourão Professor Rafael Henrique Dalegrave Zottesso E-mail rafaelzottesso@utfpr.edu.br Site http://www.zottesso.com/disciplinas/rc24b0/ Disciplina

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Arquiteturas de Redes Prof. Thiago Dutra Agenda n Introdução n Organização em Camadas n Arquiteturas de Redes n Arquitetura RM-OSI n Arquitetura TCP/IP

Leia mais

Bem-vindo ao tópico sobre a ferramenta Importar do Excel.

Bem-vindo ao tópico sobre a ferramenta Importar do Excel. Bem-vindo ao tópico sobre a ferramenta Importar do Excel. 1 Neste tópico, você verá como importar cadastros de parceiros de negócios, dados do cadastro do item e listas de preços usando a ferramenta Importar

Leia mais

LEUCOTRON EQUIPAMENTOS LTDA ROTEIRO DE INTERLIGAÇÃO SIP ACTIVE IP COM REGISTRO

LEUCOTRON EQUIPAMENTOS LTDA ROTEIRO DE INTERLIGAÇÃO SIP ACTIVE IP COM REGISTRO LEUCOTRON EQUIPAMENTOS LTDA PÓS-VENDAS LEUCOTRON ROTEIRO DE INTERLIGAÇÃO SIP ACTIVE IP COM REGISTRO SANTA RITA DO SAPUCAÍ MINAS GERAIS 2012 PÓS VENDAS LEUCOTRON ROTEIRO DE INTERLIGAÇÃO SIP ACTIVE IP COM

Leia mais

Curso de extensão em Administração de redes com GNU/Linux

Curso de extensão em Administração de redes com GNU/Linux Curso de extensão em - italo@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia Todo o material aqui disponível pode, posteriormente,

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES YNAMIC HOST CONFIGURATION PROTOCOL

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES YNAMIC HOST CONFIGURATION PROTOCOL GESTÃO DE SISTEMAS E REDES YNAMIC HOST CONFIGURATION PROTOCOL OUTLINE DHCP PROTOCOLO RELAY AGENT EXEMPLO LINUX EXEMPLO IOS DHCP Dynamic Host Configuration Protocol, ou DHCP, é um dos protocolos de suporte

Leia mais

Exercícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. SSL, VPN PPTP e IPsec

Exercícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. SSL, VPN PPTP e IPsec Exercícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour SSL, VPN PPTP e IPsec Exercício 1: Relacione FUNÇÃO ( ) Utiliza chaves diferentes para criptografa e descriptografar as informações ( ) Também

Leia mais

Modulo 3. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados

Modulo 3. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados Modulo 3 Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados 1 Protocolo ARP Address Resolution Protocol 2 IP utiliza endereços de 32 bits para localização de

Leia mais

TECNOLOGIA GRATUITA: DNS - A HIERARQUIA DE NOMES DA INTERNET TÓPICO: ATRIBUTOS MX, SPF e DKIM DE UM NS

TECNOLOGIA GRATUITA: DNS - A HIERARQUIA DE NOMES DA INTERNET TÓPICO: ATRIBUTOS MX, SPF e DKIM DE UM NS TECNOLOGIA GRATUITA: DNS - A HIERARQUIA DE NOMES DA INTERNET TÓPICO: ATRIBUTOS MX, SPF e DKIM DE UM NS 2012 Conteúdo 1. ATRIBUTO MX...3 1.1. IPv4...3 1.1.1. Exemplo-1:...3 1.1.2. Exemplo-2:...4 1.1.3.

Leia mais

PROJETO INTERDISCIPLINAR I

PROJETO INTERDISCIPLINAR I PROJETO INTERDISCIPLINAR I Linux e LPI www.lpi.org João Bosco Teixeira Junior boscojr@gmail.com Certificação LPIC-1 Prova 102 105 Shell, Scripting, e Gerenciamento de Dados 106 Interface com usuário e

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Comunicação em Grupo Referência Sistemas operacionais modernos Andrew S. TANENBAUM Prentice-Hall, 1995 Seção 10.4 pág. 304-311 2 Comunicação em Grupo Suponha que se deseja um serviço de arquivos único

Leia mais

O que se tem, na prática, é a utilização do protocolo TCP/IP na esmagadora maioria das redes. Sendo a sua adoção cada vez maior.

O que se tem, na prática, é a utilização do protocolo TCP/IP na esmagadora maioria das redes. Sendo a sua adoção cada vez maior. Introdução ao TCP/IP(TCP (Transmission Control Protocol) e IP(InternetProtocol) ) Objetivo Para que os computadores de uma rede possam trocar informações entre si é necessário que todos os computadores

Leia mais

A Camada de Rede. Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II

A Camada de Rede. Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II A Camada de Rede Romildo Martins Bezerra CEFET/BA Redes de Computadores II A Camada de Rede e o protocolo IP... 2 O protocolo IP... 2 Formato do IP... 3 Endereçamento IP... 3 Endereçamento com Classes

Leia mais

FUNDAÇÃO DE ESTUDOS SOCIAIS DO PARANÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DNS (DOMAIN NAME SYSTEM)

FUNDAÇÃO DE ESTUDOS SOCIAIS DO PARANÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DNS (DOMAIN NAME SYSTEM) FUNDAÇÃO DE ESTUDOS SOCIAIS DO PARANÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DNS (DOMAIN NAME SYSTEM) CURITIBA 2006 GUILHERME DE SOUZA JEAN THIAGO MASCHIO

Leia mais

Curso de Formação de Oficiais Conhecimentos Específicos ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CADERNO DE QUESTÕES

Curso de Formação de Oficiais Conhecimentos Específicos ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CADERNO DE QUESTÕES Curso de Formação de Oficiais Conhecimentos Específicos ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CADERNO DE QUESTÕES 2014 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 a) (0,30) Defina gramáticas livre de contexto. b) (0,30) Crie uma gramática

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Departamento de Informática UFPE Redes de Computadores Nível de Redes - Exemplos jamel@cin.ufpe.br Nível de Rede na Internet - Datagramas IP Não orientado a conexão, roteamento melhor esforço Não confiável,

Leia mais

Funcionamento de ARP entre redes (sub-redes) distintas. Mecanismos de entrega. Funcionamento entre redes (sub-redes): default gateway

Funcionamento de ARP entre redes (sub-redes) distintas. Mecanismos de entrega. Funcionamento entre redes (sub-redes): default gateway Introdução Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores Protocolos ARP e ICMP Aula 18 A camada de rede fornece um endereço lógico Uniforme, independente da tecnologia empregada pelo enlace

Leia mais

Gerenciamento de Redes: Protocolo SNMP

Gerenciamento de Redes: Protocolo SNMP Gerenciamento de Redes: Protocolo SNMP Protocolo SNMP (do inglês Simple Network Management Protocol Protocolo Simples de Gerência de Rede) é um protocolo usado para gerenciar redes TCP/IP complexas. Com

Leia mais

Execícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Filtros de Pacotes Criptografia SSL

Execícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Filtros de Pacotes Criptografia SSL Execícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour Filtros de Pacotes Criptografia SSL Exercício 1 Configure as regras do filtro de pacotes "E" para permitir que os computadores da rede interna

Leia mais

Redes de Computadores. Funcionamento do Protocolo DNS. Consulta DNS. Consulta DNS. Introdução. Introdução DNS. DNS Domain Name System Módulo 9

Redes de Computadores. Funcionamento do Protocolo DNS. Consulta DNS. Consulta DNS. Introdução. Introdução DNS. DNS Domain Name System Módulo 9 Slide 1 Slide 2 Redes de Computadores Introdução DNS Domain Name System Módulo 9 EAGS SIN / CAP PD PROF. FILIPE ESTRELA filipe80@gmail.com Ninguém manda uma e-mail para fulano@190.245.123.50 e sim para

Leia mais

Cerne Tecnologia e Treinamento

Cerne Tecnologia e Treinamento Cerne Tecnologia e Treinamento Tutorial de Instalação da Placa X-Control I E-mail: Sumário Configurando o PC 3 Conectando a Placa 6 Conectores e Pinagem da Placa 7 Comandos para comunicação 13 2 Obs: A

Leia mais

Edital 012/PROAD/SGP/2012

Edital 012/PROAD/SGP/2012 Edital 012/PROAD/SGP/2012 Nome do Candidato Número de Inscrição - Assinatura do Candidato Secretaria de Articulação e Relações Institucionais Gerência de Exames e Concursos I N S T R U Ç Õ E S LEIA COM

Leia mais

Cadastro de Clientes

Cadastro de Clientes Cadastro de Clientes Uma boa gestão começa na importância dada ao cadastro de clientes. O cadastro de clientes é uma ferramenta fundamental para melhorar as vendas da sua empresa e fidelizar seu cliente.

Leia mais

Redes de Computadores LFG TI

Redes de Computadores LFG TI Redes de Computadores LFG TI Prof. Bruno Guilhen Camada de Aplicação Fundamentos Fundamentos Trata os detalhes específicos de cada tipo de aplicação. Mensagens trocadas por cada tipo de aplicação definem

Leia mais

Roteiro 12: Gerenciando Compartilhamentos

Roteiro 12: Gerenciando Compartilhamentos Roteiro 12: Gerenciando Compartilhamentos Objetivos: Ativar e gerenciar compartilhamentos locais e remotos; Ativar e gerenciar o sistema de arquivos distribuídos (DFs); Gerenciar compartilhamentos ocultos;

Leia mais

Endereçamento Privado Proxy e NAT. 2008, Edgard Jamhour

Endereçamento Privado Proxy e NAT. 2008, Edgard Jamhour Endereçamento Privado Proxy e NAT Motivação para o Endereçamento IP Privado Crescimento do IPv4 07/2007 490 milhões de hosts 01/2008 542 milhões de hosts IPv4 permite endereçar 4 bilhões de hosts. PREVISÃO

Leia mais

Prática DNS. Edgard Jamhour

Prática DNS. Edgard Jamhour Prática DNS Edgard Jamhour Exercícios práticos sobre DNS. Esse roteiro de prática inclui apenas aspectos básicos de configuração desses serviços. Apenas esses aspectos básicos é que serão cobrados em relatório.

Leia mais

DNS - Domain Name System

DNS - Domain Name System DNS - Domain Name System Converte nome de máquinas para seu endereço IP. Faz o mapeamento de nome para endereço e de endereço para nome. É mais fácil lembramos dos nomes. Internamente, softwares trabalham

Leia mais

Configuração para Uso do Tablet no GigaChef e Outros Dispositivos

Configuração para Uso do Tablet no GigaChef e Outros Dispositivos Configuração para Uso do Tablet no GigaChef e Outros Dispositivos Birigui SP Setembro - 2013 1. Configurando o Ambiente. Este documento mostra como configurar o ambiente do GigaChef para usar o Tablet

Leia mais

Disciplina Fundamentos de Redes. Introdução à Mascara de Subrede

Disciplina Fundamentos de Redes. Introdução à Mascara de Subrede Disciplina Fundamentos de Redes Introdução à Mascara de Subrede Professor Airton Ribeiro de Sousa 2015 1 O que é Máscara de Subrede? A máscara de subrede é um endereço de 32 bits que tem como finalidade

Leia mais

2. DHCP - Dynamic Host Configuration Protocol. 2.1. Por que utilizar o DHCP?

2. DHCP - Dynamic Host Configuration Protocol. 2.1. Por que utilizar o DHCP? 2. DHCP - Dynamic Host Configuration Protocol 2.1. Por que utilizar o DHCP? 2.1.1. Definição Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP) é um padrão IP para simplificar a administração da configuração IP

Leia mais

Protocolos de Interligação de Redes Locais e a Distância Modelos de Referência. Thiago Leite

Protocolos de Interligação de Redes Locais e a Distância Modelos de Referência. Thiago Leite Protocolos de Interligação de Redes Locais e a Distância Modelos de Referência Thiago Leite thiago.leite@udf.edu.br As redes são organizadas em camadas Forma de reduzir a complexidade Um conjunto de camadas

Leia mais

Trabalho de laboratório sobre ARP

Trabalho de laboratório sobre ARP Trabalho de laboratório sobre ARP Redes de Computadores I - 2007/2008 LEIC - Tagus Park Semana de 3 a 7 de Dezembro 1 Introdução O objectivo desta aula é a familiarização com conceitos básicos do protocolo

Leia mais

Data Autor Descrição Revisão Configuração HX600 via Rede Ethernet 1.0

Data Autor Descrição Revisão Configuração HX600 via Rede Ethernet 1.0 Data Autor Descrição Revisão 06/05/2009 Barbarini Configuração HX600 via Rede Ethernet 1.0 Page 1 / 12 Procedimento de Instalação 1 O módulo deverá ser fixado próximo ao medidor. Para alimentá-lo é necessária

Leia mais

Saida LAB2-DHCP. A captura em dhcp-etherealtrace-1

Saida LAB2-DHCP. A captura em dhcp-etherealtrace-1 Saida LAB2-DHCP Este experimento tem na primeira parte um trace dado, e na segunda parte é necessário você gerar tráfego para as configurações compatíveis (no seu computador ou no trabalho!) com o que

Leia mais

Sistemas de Nomes Hierarquicos: DNS

Sistemas de Nomes Hierarquicos: DNS Sistemas de Nomes Hierarquicos: DNS April 19, 2010 Sumário O Problema DNS: Um Serviço de Nomes Hierárquico Resource Records Resolução de Nomes Aspectos de Implementaçao Leitura Adicional Nomes DNS e Endereços

Leia mais

Ficha de Avaliação Sumativa

Ficha de Avaliação Sumativa INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL I.E.F.P Ficha de Avaliação Sumativa EFA Tecnológico - Técnico de Informática e Sistemas UC: 0774 Rede Local: Instalação de software base Duração: 180 minutos

Leia mais

Configuração de DNS em Windows Servidor 2008

Configuração de DNS em Windows Servidor 2008 Reflexão Turma S-12-ano lectivo-2010-1011 Formador-João Afonso Formando-Pedro Gonçalves 14 Unidade: 14 Configuração de DNS em Windows Servidor 2008 Instalar o DNS 1. Abra o Servidor Manager Start\Administrative

Leia mais

Resolução de nomes. Professor Leonardo Larback

Resolução de nomes. Professor Leonardo Larback Resolução de nomes Professor Leonardo Larback Resolução de nomes A comunicação entre os computadores e demais equipamentos em uma rede TCP/IP é feita através dos respectivos endereços IP. Entretanto, não

Leia mais

Instalando e Configurando o DNS Server

Instalando e Configurando o DNS Server Instalando e Configurando o DNS Server Seg, 27 de Outubro de 2008 18:02 Escrito por Daniel Donda A instalação do serviço DNS no Windows Server 2008 é bem simples e de extrema importância para uma rede.

Leia mais

DHCP. Definindo DHCP: Fundamentação teórica do DHCP. Esquema visual

DHCP. Definindo DHCP: Fundamentação teórica do DHCP. Esquema visual Definindo DHCP: DHCP O DHCP é a abreviatura de Dynamic Host Configuration Protocol é um serviço utilizado para automatizar as configurações do protocolo TCP/IP nos dispositivos de rede (computadores, impressoras,

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE UMGATEWAY DE TRADUÇÃO DE PROTOCOLOS

IMPLEMENTAÇÃO DE UMGATEWAY DE TRADUÇÃO DE PROTOCOLOS IMPLEMENTAÇÃO DE UMGATEWAY DE TRADUÇÃO DE PROTOCOLOS DNS Application Level Gateway Au t or e s : Julio Gustavo S. F. da Costa Sergio Vianna Fialho - Maio de 2003 - Introdução Os mecanismos de transição

Leia mais

Trabalho de laboratório sobre ARP

Trabalho de laboratório sobre ARP Trabalho de laboratório sobre ARP Redes de Computadores I - 2005/2006 LEIC - Tagus Park Semana de 5 a 9 de Dezembro 1 Introdução O objectivo desta aula é a familiarização com conceitos básicos do protocolo

Leia mais

Laboratório nº 5 FUNCIONAMENTO DO ADDRESS RESOLUTION PROTOCOL

Laboratório nº 5 FUNCIONAMENTO DO ADDRESS RESOLUTION PROTOCOL D E P A R T A M E N T O D E E N G E N H A R I A I N F O R M Á T I C A L i c e n c i a t u r a e m J o g o s D i g i t a i s e M u l t i m é d i a T e c n o l o g i a I n f o r m á t i c a e d e C o m u

Leia mais

1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES...15

1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES...15 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES...15 1.1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES DE COMPUTADORES...16 1.2 O PAPEL DO GERENTE DE REDES...18 1.3 VOCÊ: O MÉDICO DA REDE...20 1.4 REFERÊNCIAS...23 1.4.1 Livros...23

Leia mais

Criando um Servidor Proxy com o SQUID. Roitier Campos

Criando um Servidor Proxy com o SQUID. Roitier Campos Criando um Servidor Proxy com o SQUID Roitier Campos Roteiro Redes de Computadores e Internet Arquitetura Cliente/Servidor e Serviços Básicos de Comunicação Componentes do Servidor e Configuração da VM

Leia mais

CIRCULAR Nº 21/2016 PREGÃO Brasília, 17 de maio de 2016.

CIRCULAR Nº 21/2016 PREGÃO Brasília, 17 de maio de 2016. CIRCULAR Nº 21/2016 PREGÃO Brasília, 17 de maio de 2016. Prezados Senhores, Em atenção ao pedido de esclarecimento formulado por licitante referente ao Pregão Eletrônico nº. 12/2016, seguem as seguintes

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Capítulo 2.5 - DNS Prof. Jó Ueyama Março/2014 1 DNS: Domain Name System Pessoas: muitos identificadores: RG, nome, passaporte. Hosts e roteadores na Internet: endereços IP (32 bits)

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO SEMAD DEPARTAMENTO DE RECURSOS DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DRTI

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO SEMAD DEPARTAMENTO DE RECURSOS DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DRTI PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO SEMAD DEPARTAMENTO DE RECURSOS DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DRTI GUIA DO USUÁRIO COMUNICADOR SPARK INÍCIO O comunicador SPARK

Leia mais

Redes sem Fio WPANs (IEEE ) Wireless Personal Area Networks. Ricardo Kléber. Ricardo Kléber

Redes sem Fio WPANs (IEEE ) Wireless Personal Area Networks. Ricardo Kléber. Ricardo Kléber Redes sem Fio 2016.1 WPANs (IEEE 802.15) Wireless Personal Area Networks Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Turma: TEC.SIS.5M Redes sem Fio Onde Estamos? Sistemas de comunicação wireless

Leia mais

Tópicos Especiais em Informática

Tópicos Especiais em Informática Tópicos Especiais em Informática DNS Prof. Ms.-Eng. Igor Sousa Faculdade Lourenço Filho 10 de novembro de 2014 igorvolt@gmail.com (FLF) Tópicos Especiais em Informática 10 de novembro de 2014 1 / 15 Introdução

Leia mais

Administração de Redes Redes e Sub-redes

Administração de Redes Redes e Sub-redes 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA Administração de Redes Redes e Sub-redes Prof.

Leia mais

Arquitectura de Redes

Arquitectura de Redes Arquitectura de Redes Domain Name System Arq. de Redes - Pedro Brandão - 2004 1 Objectivo / Motivação Resolução de nomes (alfanuméricos) para endereços IPs Será que 66.102.11.99 é mais fácil de decorar

Leia mais

Endereço de Rede. Comumente conhecido como endereço IP Composto de 32 bits comumente divididos em 4 bytes e exibidos em formato decimal

Endereço de Rede. Comumente conhecido como endereço IP Composto de 32 bits comumente divididos em 4 bytes e exibidos em formato decimal IP e DNS O protocolo IP Definir um endereço de rede e um formato de pacote Transferir dados entre a camada de rede e a camada de enlace Identificar a rota entre hosts remotos Não garante entrega confiável

Leia mais

Tutorial de TCP/IP Parte 26 Criando Registros

Tutorial de TCP/IP Parte 26 Criando Registros Introdução Tutorial de TCP/IP Parte 26 Criando Registros Prezados leitores, esta é a sexta parte, desta segunda etapa dos tutoriais de TCP/IP. As partes de 01 a 20, constituem o módulo que eu classifiquei

Leia mais

DESVENDADO O TCP/IP. Prof. Me. Hélio Esperidião

DESVENDADO O TCP/IP. Prof. Me. Hélio Esperidião DESVENDADO O TCP/IP Prof. Me. Hélio Esperidião TCP/IP INTERNAMENTE Quando dois computadores tentam trocar informações em uma rede, o TCP/IP precisa, primeiro, determinar se os dois computadores pertencem

Leia mais

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO

Prof. Luís Rodolfo. Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Unidade III REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÃO Redes de computadores e telecomunicação Objetivos da Unidade III Apresentar as camadas de Transporte (Nível 4) e Rede (Nível 3) do

Leia mais