Este documento requer uma compreensão do ARP e de ambientes Ethernet.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Este documento requer uma compreensão do ARP e de ambientes Ethernet."

Transcrição

1 Proxy ARP Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Como o Proxy ARP Funciona? Diagrama de Rede Vantagens do Proxy ARP Desvantagens do Proxy ARP Introdução Este documento explica o conceito de proxy Address Resolution Protocol (ARP). Proxy ARP é a técnica em que um host, geralmente um roteador, responde às solicitações de ARP destinadas a outra máquina. Ao "falsificar" sua identidade, o roteador assume a responsabilidade pelo roteamento de pacotes para o "real". O proxy ARP pode ajudar as máquinas de uma subrede a alcançarem sub-redes remotas sem que seja necessário configurar o roteamento ou um gateway padrão. O proxy ARP é definido na RFC Pré-requisitos Requisitos Este documento requer uma compreensão do ARP e de ambientes Ethernet. Componentes Utilizados As informações neste documento são baseadas nestas versões de software e hardware: Cisco IOS Software Release 12.2(10b) Cisco 2500 Series Routers As informações apresentadas neste documento foram criadas a partir de dispositivos em um ambiente de laboratório específico. Todos os dispositivos utilizados neste documento foram iniciados com uma configuração padrão. Se a sua rede estiver em um ambiente de produção, esteja ciente do impacto potencial de qualquer comando. Convenções Consulte as Convenções de Dicas Técnicas da Cisco para obter mais informações sobre convenções de documentos.

2 Como o Proxy ARP Funciona? Este é um exemplo de como o proxy ARP funciona: Diagrama de Rede Host A ( ) na Sub-rede A precisa enviar pacotes para Host D ( ) na Sub-rede B. Conforme mostrado no diagrama, Host A possui uma máscara de sub-rede /16. Isso significa que Host A acredita que está diretamente conectado a toda a rede Quando Host A precisa se comunicar com algum dispositivo com o qual ele acredita que está diretamente conectado, ele envia uma solicitação de ARP para o. Portanto, quando Host A precisa enviar um pacote para Host D, ele acredita que Host D está conectado diretamente e então envia uma solicitação de ARP para Host D.

3 Para alcançar Host D ( ), Host A precisa saber o endereço MAC de Host D. Portanto, Host A faz o broadcast de uma solicitação de ARP na Sub-rede A, conforme mostrado abaixo: MAC da IP da MAC do IP do 36-aa Na solicitação de ARP acima, Host A ( ) solicita que Host D ( ) envie seu endereço MAC. O pacote de solicitação de ARP é então encapsulado em um frame Ethernet com o endereço MAC de Host A como o endereço de e um broadcast (FFFF.FFFF.FFFF) como o endereço de. Como a solicitação de ARP é um broadast, ela chega até todos os nós da Sub-rede A, o que inclui a interface e0 do roteador, mas não chega até Host D. O broadcast não chega até Host D porque os roteadores, por padrão, não encaminham broadcasts. Como o roteador sabe que o endereço de ( ) pertence a outra sub-rede e pode atingir Host D, ele responde com seu próprio endereço MAC para Host A. MAC da IP da MAC do IP do 36-ab aa Esta é a resposta de proxy ARP enviada pelo roteador a Host A. O pacote de resposta de proxy ARP é encapsulado em um frame Ethernet com o endereço MAC do roteador como o endereço de e o endereço MAC de Host A como o endereço de. As respostas de ARP são sempre um unicast para o solicitante original. Ao receber esta resposta de ARP, Host A atualiza sua tabela ARP, conforme mostrado: IP MAC ab De agora em diante, Host A encaminhará todos os pacotes que desejar que cheguem até (Host D) para o endereço MAC 36-ab (roteador). Como o roteador sabe como chegar até Host D, ele encaminhará os pacotes para Host D. O cache de ARP nos hosts da Sub-rede A é prenchido com o endereço MAC do roteador para todos os hosts da Subrede B. Assim, todos os pacotes destinados à Sub-rede B são enviados para o roteador. O roteador encaminha esses pacotes para os hosts na Sub-rede B. O cache de ARP de Host A é mostrado nesta tabela: IP MAC ab ab ab bb

4 Nota: Vários endereços IP são mapeados em um único endereço MAC (o endereço MAC dos roteadores), o que indica que o proxy ARP está sendo usado. A interface do roteador Cisco deve ser configurada para aceitar e responder às solicitações de proxy ARP. Esse comportamento é habilitado por padrão. O comando no ip proxy-arp deve ser configurado na interface do roteador conectada ao roteador do ISP. O proxy ARP pode ser desabilitado em cada interface individualmente com o comando de configuração de interface no ip proxy-arp: Router# configure terminal Enter configuration commands, one per line. End with CNTL/Z. Router(config)# interface ethernet 0 Router(config-if)# no ip proxy-arp Router(config-if)# ^Z Router# Para habilitar o proxy ARP em uma interface, execute o comando de configuração de interface ip proxy-arp. Nota: Quando Host B ( /24) na Sub-rede A tenta enviar pacotes para Host D ( ) na Sub-rede B, ele procura em sua tabela de roteamento de IP e roteia o pacote de acordo. Host B ( /24) não executa o ARP para o endereço IP de Host D porque ele pertence a uma sub-rede diferente daquela configurada na interface Ethernet de Host B, /24. Vantagens do Proxy ARP A principal vantagem do proxy ARP é que ele pode ser adicionado a um único roteador de uma rede sem interferir nas tabelas de roteamento dos outros roteadores da mesma rede. O proxy ARP deve ser usado em redes em que os hosts IP não possuem um gateway padrão configurado ou não têm nenhuma inteligência de roteamento. Desvantagens do Proxy ARP Os hosts não têm ideia dos detalhes físicos da rede em que se encontram e pressupõem que ela seja uma rede simples na qual podem alcançar qualquer simplesmente ao enviarem uma solicitação de ARP. No entanto, usar o ARP para tudo possui algumas desvantagens. Entre elas podemos citar: A quantidade de tráfego ARP no segmento é aumentada. Os hosts precisam de tabelas ARP maiores para lidar com os mapeamentos entre endereços IP e MAC. A segurança pode ser afetada. Uma máquina pode declarar ser outra a fim de interceptar pacotes, um ato chamado de "spoofing" (falsificação). Ele não funciona para redes que não usam ARP para a resolução de endereços.

5 Ele não pode ser generalizado para todas as topologias de rede. Por exemplo, mais de um roteador que conecta duas redes físicas. Consulte a seção Habilitação do Proxy ARP de Configurando o Endereçamento IP para obter mais informações sobre a configuração do proxy ARP.

Roteamento Prof. Pedro Filho

Roteamento Prof. Pedro Filho Roteamento Prof. Pedro Filho Definição Dispositivo intermediário de rede projetado para realizar switching e roteamento de pacotes O roteador atua apenas na camada 3 (rede) Dentre as tecnologias que podem

Leia mais

Compreendendo e configurando o comando ip unnumbered

Compreendendo e configurando o comando ip unnumbered Compreendendo e configurando o comando ip unnumbered Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções O que é uma interface sem número? IP e IP sem número Exemplos de configuração

Leia mais

Configurando um Gateway de Último Recurso Usando Comandos IP

Configurando um Gateway de Último Recurso Usando Comandos IP Configurando um Gateway de Último Recurso Usando Comandos IP Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções ip default-gateway ip default-network Embandeire uma rede padrão

Leia mais

Certifique-se de atender a estes requisitos antes de tentar esta configuração:

Certifique-se de atender a estes requisitos antes de tentar esta configuração: Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Informações de Apoio Topologia Configurar Diagrama de Rede Configurações Configuração do Cisco ONS 15454 Configuração do PC

Leia mais

Laborato rio: Roteamento Esta tico

Laborato rio: Roteamento Esta tico INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CURSO TÉCNICO INTEGRADO EM INFORMÁTICA Nesta atividade prática, compreenderemos a importância do serviço de roteamento ao

Leia mais

Compreendendo e Configurando VLAN Routing e Bridging em um Roteador Usando o Recurso IRB

Compreendendo e Configurando VLAN Routing e Bridging em um Roteador Usando o Recurso IRB Compreendendo e Configurando VLAN Routing e Bridging em um Roteador Usando o Recurso IRB Índice Introdução Antes de Começar Convenções Pré-requisitos Componentes Utilizados Informações de Apoio Conceito

Leia mais

Utilização de Números de Porta FTP Não- Padrão com NAT

Utilização de Números de Porta FTP Não- Padrão com NAT Utilização de Números de Porta FTP Não- Padrão com NAT Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Configurações de exemplo Configuração de exemplo 1 Configuração de exemplo

Leia mais

Configurando o NAT Estático e o NAT Dinâmico Simultaneamente

Configurando o NAT Estático e o NAT Dinâmico Simultaneamente Configurando o NAT Estático e o NAT Dinâmico Simultaneamente Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Usados Convenções Configurando o NAT Informações Relacionadas Introdução Em algumas

Leia mais

Redes de Computadores. Aula: Roteamento Professor: Jefferson Silva

Redes de Computadores. Aula: Roteamento Professor: Jefferson Silva Redes de Computadores Aula: Roteamento Professor: Jefferson Silva Perguntinhas básicas J n O que é rotear? n O que é uma rota? n Porque rotear? n Como sua requisição chega no facebook? Conceitos n Roteamento

Leia mais

Exemplo de Configuração de Ponto de Acesso como Ponte de Grupo de Trabalho

Exemplo de Configuração de Ponto de Acesso como Ponte de Grupo de Trabalho Exemplo de Configuração de Ponto de Acesso como Ponte de Grupo de Trabalho Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Informações de Apoio Configuração Diagrama de Rede

Leia mais

Como Evitar Loops de Roteamento ao Usar NAT Dinâmico

Como Evitar Loops de Roteamento ao Usar NAT Dinâmico Como Evitar Loops de Roteamento ao Usar NAT Dinâmico Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Diagrama de Rede Convenções Cenário de exemplo Informações Relacionadas Introdução

Leia mais

Use o NAT para esconder o endereço IP real do ONS15454 para estabelecer uma sessão CTC

Use o NAT para esconder o endereço IP real do ONS15454 para estabelecer uma sessão CTC Use o NAT para esconder o endereço IP real do ONS15454 para estabelecer uma sessão CTC Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Informações de Apoio Topologia Configurar

Leia mais

Aula 5 Camada de rede (TCP/IP):

Aula 5 Camada de rede (TCP/IP): Aula 5 Camada de rede (TCP/IP): Protocolos da Camada de Rede; Endereços IP (Versão 4); ARP (Address Resolution Protocol); ARP Cache; RARP (Reverse Address Resolution Protocol); ICMP. Protocolos da Camada

Leia mais

Policy Routing with Catalyst 3550 Series Switch Configuration Example

Policy Routing with Catalyst 3550 Series Switch Configuration Example Policy Routing with Catalyst 3550 Series Switch Configuration Example Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Configurar Diagrama de Rede Configurações Verificar Troubleshooting

Leia mais

Como funciona o balanceamento de carga em caminhos de custos desiguais (variância) no IGRP e no EIGRP?

Como funciona o balanceamento de carga em caminhos de custos desiguais (variância) no IGRP e no EIGRP? Como funciona o balanceamento de carga em caminhos de custos desiguais (variância) no IGRP e no EIGRP? Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Balanceamento de carga

Leia mais

Integração IP/ATM. Características das redes atuais

Integração IP/ATM. Características das redes atuais Integração IP/ Msc. Marcelo Zanoni Santos Msc. Adilson Guelfi Msc. Frank Meylan Características das redes atuais Ethernet, Fast Ethernet, Token Ring, FDDI etc Não orientadas a conexão Unidade de transmissão

Leia mais

Configurar a infraestrutura de software VRFciente (VASI) NAT em IOS-XE

Configurar a infraestrutura de software VRFciente (VASI) NAT em IOS-XE Configurar a infraestrutura de software VRFciente (VASI) NAT em IOS-XE Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Informações de Apoio Funcionamento de VASI Configurar Diagrama

Leia mais

Balanceamento de carga da rede Microsoft no exemplo da configuração de distribuição dos server da série UCS-b

Balanceamento de carga da rede Microsoft no exemplo da configuração de distribuição dos server da série UCS-b Balanceamento de carga da rede Microsoft no exemplo da configuração de distribuição dos server da série UCS-b Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Informações de Apoio Configuração

Leia mais

Vazamento de rota em redes MPLS/VPN

Vazamento de rota em redes MPLS/VPN Vazamento de rota em redes MPLS/VPN Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Configurar Vazamento de rota de uma tabela de roteamento global em um VRF e vazamento de

Leia mais

ROUTER. Alberto Felipe Friderichs Barros

ROUTER. Alberto Felipe Friderichs Barros ROUTER Alberto Felipe Friderichs Barros Router Um roteador é um dispositivo que provê a comunicação entre duas ou mais LAN s, gerencia o tráfego de uma rede local e controla o acesso aos seus dados, de

Leia mais

DHCP: Dynamic Host Configuration Protocol

DHCP: Dynamic Host Configuration Protocol DHCP: Dynamic Host Configuration Protocol O objetivo desta unidade é apresentar o funcionamento de dois importantes serviços de rede: o DNS e o DHCP. O DNS (Domain Name System) é o serviço de nomes usado

Leia mais

Erratas CCNA 5.0 (atualizado )

Erratas CCNA 5.0 (atualizado ) Erratas CCNA 5.0 (atualizado 27-09-2014) Página 40 5º parágrafo, deveria ser: "Já alguns dos protocolos desenhados para atuar em redes geograficamente dispersas (WAN) são definidos nas três primeiras camadas

Leia mais

Exemplo de configuração da opção de DHCP 82 do controlador do Wireless LAN

Exemplo de configuração da opção de DHCP 82 do controlador do Wireless LAN Exemplo de configuração da opção de DHCP 82 do controlador do Wireless LAN Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Opção de DHCP 82 Configurar Configurar o controlador

Leia mais

CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Roteamento Estático

CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Roteamento Estático CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Roteamento Estático Cronograma Introdução Roteadores e rede Examinando as conexões do roteador Examinando as interfaces Interrupção por mensagens

Leia mais

Aula 12 Protocolo de Roteamento EIGRP

Aula 12 Protocolo de Roteamento EIGRP Disciplina: Dispositivos de Rede I Professor: Jéferson Mendonça de Limas 4º Semestre Aula 12 Protocolo de Roteamento EIGRP 2014/1 09/06/14 1 2 de 34 Introdução Em 1985 a Cisco criou o IGRP em razão das

Leia mais

Compreendendo o endereço local de link do IPv6

Compreendendo o endereço local de link do IPv6 Compreendendo o endereço local de link do IPv6 Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Configurar Diagrama de Rede Configurações Verificar Verificando a configuração

Leia mais

Configurando a tradução de endereço de rede: Introdução

Configurando a tradução de endereço de rede: Introdução Configurando a tradução de endereço de rede: Introdução Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Passos para o início rápido para configuração e implementação de NAT

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Endereçamento e Ethernet Prof. Jó Ueyama Junho/2013 1 slide 1 Redes Locais LAN: Local Area Network concentrada em uma área geográfica, como um prédio ou um campus. 2 slide 2 Tecnologias

Leia mais

Utilizando NAT em redes sobrepostas

Utilizando NAT em redes sobrepostas Utilizando NAT em redes sobrepostas Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Configurar Diagrama de Rede Configurações Verificar Troubleshooting Informações Relacionadas

Leia mais

Configurando uma rede privado para privado de túnel IPSec de roteador com NAT e uma estática

Configurando uma rede privado para privado de túnel IPSec de roteador com NAT e uma estática Configurando uma rede privado para privado de túnel IPSec de roteador com NAT e uma estática Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Por que o recusar instrução no

Leia mais

Gerenciamento de Redes Linux. Linux configuração de rede

Gerenciamento de Redes Linux. Linux configuração de rede Gerenciamento de Redes Linux Linux configuração de rede As interfaces de rede no GNU/Linux estão localizadas no diretório /dev e a maioria é criada dinamicamente pelos softwares quando são requisitadas.

Leia mais

Configuração de exemplo para o BGP com dois provedores de serviço diferentes (multilocal)

Configuração de exemplo para o BGP com dois provedores de serviço diferentes (multilocal) Configuração de exemplo para o BGP com dois provedores de serviço diferentes (multilocal) Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Informações de Apoio Configurar Diagrama

Leia mais

Como Permitir a Navegação Usando o NetBIOS Over IP

Como Permitir a Navegação Usando o NetBIOS Over IP Como Permitir a Navegação Usando o NetBIOS Over IP Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Informações de Apoio Ajuste o nome do grupo de trabalho para ser o Domain

Leia mais

Classes de endereços IP - Os bits de endereços IP são reservados um para a classe de rede e os outros para computador (host).

Classes de endereços IP - Os bits de endereços IP são reservados um para a classe de rede e os outros para computador (host). Administração de redes Endereço IP Endereço IP - O endereço IP, na versão 4 (IPv4), é um número de 32 bits (IPV4), contendo 4 bytes (vale lembrar que 1 byte contém 8 bits), portanto 4 bytes contém 32 bits,

Leia mais

Função de balanceamento de carga IO NAT para duas conexões ISP

Função de balanceamento de carga IO NAT para duas conexões ISP Função de balanceamento de carga IO NAT para duas conexões ISP Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Configurar Diagrama de Rede Configurações Verificar Troubleshooting

Leia mais

Spanning Tree Protocol Root Guard Enhancement

Spanning Tree Protocol Root Guard Enhancement Spanning Tree Protocol Root Guard Enhancement Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Descrição do recurso Disponibilidade Configuração Configuração de CatOS Configuração

Leia mais

Capítulo 6: Roteamento Estático. Protocolos de roteamento

Capítulo 6: Roteamento Estático. Protocolos de roteamento Capítulo 6: Roteamento Estático Protocolos de roteamento 1 Capítulo 6 6.1 Implementação de roteamento estático 6.2 Configurar rotas estáticas e padrão 6.3 Revisão de CIDR e de VLSM 6.4 Configurar rotas

Leia mais

Configurando um Cisco 1700/2600/3600 ADSL WIC para Suportar Clientes PPPoE, Terminando em um Cisco 6400 UAC

Configurando um Cisco 1700/2600/3600 ADSL WIC para Suportar Clientes PPPoE, Terminando em um Cisco 6400 UAC Configurando um Cisco 1700/2600/3600 ADSL WIC para Suportar Clientes PPPoE, Terminando em um Cisco 6400 UAC Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Configurar Diagrama

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II Prof. Celio Trois portal.redes.ufsm.br/~trois/redes2 Roteamento Um conjunto de regras que definem como informações originadas em uma rede devem alcançar uma outra rede. A função

Leia mais

ADDRESS RESOLUTION PROTOCOL. Thiago de Almeida Correia

ADDRESS RESOLUTION PROTOCOL. Thiago de Almeida Correia ADDRESS RESOLUTION PROTOCOL Thiago de Almeida Correia São Paulo 2011 1. Visão Geral Em uma rede de computadores local, os hosts se enxergam através de dois endereços, sendo um deles o endereço Internet

Leia mais

Saiba como funcionam os Hubs, Switchs e Routers

Saiba como funcionam os Hubs, Switchs e Routers Saiba como funcionam os Hubs, Switchs e Routers Date : 14 de Julho de 2013 Uma rede de dados pode ser definida como um conjunto de equipamentos passivos e activos. Relativamente aos equipamentos activos,

Leia mais

FUNDAMENTOS DE REDES DE COMPUTADORES Unidade IV Camada de Rede. Luiz Leão

FUNDAMENTOS DE REDES DE COMPUTADORES Unidade IV Camada de Rede. Luiz Leão Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático 4.1 Protocolo IP 4.2 Endereçamento IP 4.3 Princípios de Roteamento Introdução O papel da camada de rede é transportar pacotes

Leia mais

ROTEAMENTO REDES E SR1 ETER-FAETEC. Rio de Janeiro - RJ ETER-FAETEC

ROTEAMENTO REDES E SR1 ETER-FAETEC. Rio de Janeiro - RJ ETER-FAETEC ROTEAMENTO REDES E SR1 Rio de Janeiro - RJ INTRODUÇÃO A comunicação entre nós de uma rede local é realizada a partir da comutação (seja por circuito, seja por pacotes). Quem realiza essa função é o switch

Leia mais

Exemplo de empacotamento de interfaces de cabo, configuração e verificação

Exemplo de empacotamento de interfaces de cabo, configuração e verificação Exemplo de empacotamento de interfaces de cabo, configuração e verificação Índice Introdução Antes de Começar Convenções Pré-requisitos Componentes Utilizados Configurar Diagrama de Rede Configurações

Leia mais

O que o comando show ip ospf interface revela?

O que o comando show ip ospf interface revela? O que o comando show ip ospf interface revela? Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Exemplo da estrutura de dados da interface Estado da interface Endereço IP e

Leia mais

Aula 4. Pilha de Protocolos TCP/IP:

Aula 4. Pilha de Protocolos TCP/IP: Aula 4 Pilha de Protocolos TCP/IP: Comutação: por circuito / por pacotes Pilha de Protocolos TCP/IP; Endereçamento lógico; Encapsulamento; Camada Internet; Roteamento; Protocolo IP; Classes de endereços

Leia mais

Sub-Redes. Alberto Felipe Friderichs Barros

Sub-Redes. Alberto Felipe Friderichs Barros Sub-Redes Alberto Felipe Friderichs Barros Exercícios 8- Descubra se os ips de origem e destino se encontram na mesma rede: a) IP Origem: 10.200.150.4 IP Destino: 10.200.150.5 Máscara de rede: 255.255.255.0

Leia mais

Configurações iniciais para o OSPF em um enlace ponto a ponto

Configurações iniciais para o OSPF em um enlace ponto a ponto iniciais para o OSPF em um enlace ponto a ponto Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções OSPF sobre um link de ponto a ponto com os endereços IP de Um ou Mais Servidores

Leia mais

IPS 7.X: Autenticação de login de usuário usando ACS 5.X como o exemplo da configuração de servidor RADIUS

IPS 7.X: Autenticação de login de usuário usando ACS 5.X como o exemplo da configuração de servidor RADIUS IPS 7.X: Autenticação de login de usuário usando ACS 5.X como o exemplo da configuração de servidor RADIUS Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Configurar Configurar

Leia mais

FIC Linux Introdução a Redes de Computadores no Linux

FIC Linux Introdução a Redes de Computadores no Linux FIC Linux Introdução a Redes de Computadores no Linux Prof. Francisco de Assis S. Santos, Dr. São José, 2015. Agenda 1. Noções Básicas de Redes 1.1 O que é uma Rede 1.2 Endereçamento IP 1.3 Máscaras de

Leia mais

Senhas Telnet, Console e de Portas AUX no Exemplo de Configuração de Roteadores da Cisco

Senhas Telnet, Console e de Portas AUX no Exemplo de Configuração de Roteadores da Cisco Senhas Telnet, Console e de Portas AUX no Exemplo de Configuração de Roteadores da Cisco Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Informações Complementares Configure

Leia mais

ROTEADORES. Introdução ao roteamento e ao encaminhamento de pacotes

ROTEADORES. Introdução ao roteamento e ao encaminhamento de pacotes ROTEADORES Introdução ao roteamento e ao encaminhamento de pacotes Laboratório de Redes de Computadores Introdução do capítulo As redes atuais têm um impacto significativo em nossas vidas alterando a forma

Leia mais

Para obter mais informações sobre convenções de documento, consulte as Convenções de dicas técnicas Cisco.

Para obter mais informações sobre convenções de documento, consulte as Convenções de dicas técnicas Cisco. Índice Introdução Antes de Começar Convenções Pré-requisitos Componentes Utilizados Bridging Bridging Transparente Exemplos de configuração Exemplo 1: Transparent Bridging Simples Exemplo 2: Transparent

Leia mais

Capítulo 4: Conceitos de Roteamento

Capítulo 4: Conceitos de Roteamento Capítulo 4: Conceitos de Roteamento Protocolos de roteamento 1 Capítulo 4 4.0 Conceitos de Roteamento 4.1 Configuração inicial de um roteador 4.2 Decisões de roteamento 4.3 Operação de roteamento 4.4 Resumo

Leia mais

Matriz de Suporte de Catalyst Switch de Tradução de Endereço de Rede

Matriz de Suporte de Catalyst Switch de Tradução de Endereço de Rede Matriz de Suporte de Catalyst Switch de Tradução de Endereço de Rede Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Apoio dos recursos NAT em Catalyst Switches Advertências

Leia mais

Aula 03 Comandos Básicos do IOS Cisco

Aula 03 Comandos Básicos do IOS Cisco Disciplina: Dispositivos de Rede I Professor: Jéferson Mendonça de Limas 3º Semestre Aula 03 Comandos Básicos do IOS Cisco 2014/1 Roteiro de Aula Correção Exercícios Aula Anterior O que é o Roteador? Componentes

Leia mais

Especifique um endereço IP de Um ou Mais Servidores Cisco ICM NT do salto seguinte para rotas estáticas

Especifique um endereço IP de Um ou Mais Servidores Cisco ICM NT do salto seguinte para rotas estáticas Especifique um endereço IP de Um ou Mais Servidores Cisco ICM NT do salto seguinte para rotas estáticas Índice Introdução Informações de Apoio Rota estática à interface de transmissão Exemplo da Rota estática

Leia mais

CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Protocolo RIP

CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Protocolo RIP CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Protocolo RIP Cronograma Introdução Formato da mensagem e características do RIP Operação do RIP Habilitando o RIP Verificando, identificando e resolvendo

Leia mais

O telefone IP 7940/7960 não inicializa - Aplicativo de protocolo inválido

O telefone IP 7940/7960 não inicializa - Aplicativo de protocolo inválido O telefone IP 7940/7960 não inicializa - Aplicativo de protocolo inválido Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Informações de Apoio Problema Solução Informações

Leia mais

Reconstruindo as entradas multicast com CGMP e alterações na topologia de árvore de abrangência

Reconstruindo as entradas multicast com CGMP e alterações na topologia de árvore de abrangência Reconstruindo as entradas multicast com CGMP e alterações na topologia de árvore de abrangência Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Alterações de CGMP e de topologia

Leia mais

Nome: Nº de aluno: 3ª Ficha de Avaliação 20/5/2014

Nome: Nº de aluno: 3ª Ficha de Avaliação 20/5/2014 Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Redes de Computadores (LEIC/LEETC/LERCM) Nome: Nº de aluno: 3ª Ficha de Avaliação

Leia mais

DHCP. Prof. Hederson Velasco Ramos REDES

DHCP. Prof. Hederson Velasco Ramos REDES Prof. Hederson Velasco Ramos REDES DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol) É um protocolo, parte da pilha de serviços TCP/IP, que disponibiliza endereços ip por concessão e as configurações a dispositivos

Leia mais

Configurando o hub and spoke do roteador para roteador do IPsec

Configurando o hub and spoke do roteador para roteador do IPsec Configurando o hub and spoke do roteador para roteador do IPsec Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Configurar Diagrama de Rede Configurações Verificar Troubleshooting

Leia mais

Configuração automática CUCM para gateways SCCP

Configuração automática CUCM para gateways SCCP Configuração automática CUCM para gateways SCCP Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Compatibilidade Configurar Etapas sumárias Etapas detalhadas Exemplo Seções relevantes

Leia mais

Permita o acesso ao Internet para o módulo ips ASA 5500-X

Permita o acesso ao Internet para o módulo ips ASA 5500-X Permita o acesso ao Internet para o módulo ips ASA 5500-X Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Informação da característica Metodologia de Troubleshooting Solução

Leia mais

Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host

Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host Laboratório - Visualização das tabelas de roteamento do host Topologia Objetivos Parte 1: Acessar a tabela de roteamento de host Parte 2: Examinar as entradas da tabela de roteamento de host IPv4 Parte

Leia mais

Manual de configuração móvel do IPv6 do proxy do Cisco Wireless

Manual de configuração móvel do IPv6 do proxy do Cisco Wireless Manual de configuração móvel do IPv6 do proxy do Cisco Wireless Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Mag - Suporte de recurso PMIPv6 no WLC (liberação 7.3) Abastecimento

Leia mais

Configurar o buraco negro provocado telecontrole do IPV6 com IPv6 BGP

Configurar o buraco negro provocado telecontrole do IPV6 com IPv6 BGP Configurar o buraco negro provocado telecontrole do IPV6 com IPv6 BGP Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Informações de Apoio Configurar Diagrama de Rede Configuração relevante

Leia mais

Laboratório 1. Laboratório 1

Laboratório 1. Laboratório 1 Laboratório 1 Abra o Lab01.pkt Clique no roteador Laboratório 1 Observe as guias Physical e CLI Na Physical temos a simulação da interface física de um roteador Na CLI temos acesso ao software do roteador

Leia mais

Cisco IOS Router: Local, TACACS+ e autenticação RADIUS do exemplo de configuração da conexão de HTTP

Cisco IOS Router: Local, TACACS+ e autenticação RADIUS do exemplo de configuração da conexão de HTTP Cisco IOS Router: Local, TACACS+ e autenticação RADIUS do exemplo de configuração da conexão de HTTP Índice Introdução Antes de Começar Convenções Pré-requisitos Componentes Utilizados Material de Suporte

Leia mais

Arquitetura TCP/IP. Parte IV Mapeamento de endereços IP em endereços físicos (ARP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares

Arquitetura TCP/IP. Parte IV Mapeamento de endereços IP em endereços físicos (ARP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares Arquitetura TCP/IP Parte IV Mapeamento de endereços IP em endereços físicos (ARP) Fabrízzio Alphonsus A. M. N. Soares Tópicos Problema de resolução de endereço Mapeamento direto Associação dinâmica ARP

Leia mais

Rede Local - Administração Endereçamento IPv4

Rede Local - Administração Endereçamento IPv4 Rede Local - Administração Endereçamento IPv4 Formador: Miguel Neto (migasn@gmail.com) Covilhã - Novembro 05, 2015 Endereçamento IPv4 Na Internet e, em geral, em todas as redes que utilizam os protocolos

Leia mais

Estabelecendo o MacIP

Estabelecendo o MacIP Estabelecendo o MacIP Índice Introdução Antes de Começar Convenções Pré-requisitos Componentes Utilizados Configurando o MacIP sob Cisco IOS Definindo o servidor Atribuindo recursos ao servidor MacIP Verificando

Leia mais

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços - italo@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia,

Leia mais

A informação neste documento é baseada na versão do Cisco IOS 15.0(1)S e na versão do Cisco IOS XR.

A informação neste documento é baseada na versão do Cisco IOS 15.0(1)S e na versão do Cisco IOS XR. Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Rotas local do Cisco IOS Rotas manualmente configuradas do host Rotas local do Cisco IOS XR Roteamento da Multi-topologia Conclusão Introdução

Leia mais

Serviços de Redes. Aula 03 - Servidor DHCP

Serviços de Redes. Aula 03 - Servidor DHCP Serviços de Redes Aula 03 - Servidor DHCP Instituto Federal Catarinense Campus Sombrio Curso: Tecnologia em Redes de Computadores Professor: Jéferson Mendonça de Limas Por que Utilizar um Servidor DHCP

Leia mais

Roteamento IPv4 básico com OSPF. Por Patrick Brandão TMSoft

Roteamento IPv4 básico com OSPF. Por Patrick Brandão TMSoft Roteamento IPv4 básico com OSPF Por Patrick Brandão TMSoft www.tmsoft.com.br Pré-requisitos Conhecimento técnico de IPv4 Laboratório com roteadores OSPF Cisco MyAuth3 Mikrotik RouterOs Conceitos básicos

Leia mais

Camada de rede. Introdução às Redes de Computadores

Camada de rede. Introdução às Redes de Computadores Rede Endereçamento Tradução de endereços de enlace Roteamento de dados até o destino Enlace Físico Provê os meios para transmissão de dados entre entidades do nível de transporte Deve tornar transparente

Leia mais

Redes de Computadores II INF-3A

Redes de Computadores II INF-3A Redes de Computadores II INF-3A 1 ROTEAMENTO 2 Papel do roteador em uma rede de computadores O Roteador é o responsável por encontrar um caminho entre a rede onde está o computador que enviou os dados

Leia mais

CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) RIPv2

CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) RIPv2 CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) RIPv2 Cronograma Introdução Interface de loopback Distribuição de rota Teste de conectividade Habilitando e verificando o RIP Desabilitando a sumarização

Leia mais

Configurando um roteador como uma ALMOFADA para o XOT a um host assíncrono

Configurando um roteador como uma ALMOFADA para o XOT a um host assíncrono Configurando um roteador como uma ALMOFADA para o XOT a um host assíncrono Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Informações de Apoio Configurar Diagrama de Rede

Leia mais

Aula 13 Roteamento Dinâmico com Protocolos Link-State (Protocolo OSPF)

Aula 13 Roteamento Dinâmico com Protocolos Link-State (Protocolo OSPF) Disciplina: Dispositivos de Rede I Professor: Jéferson Mendonça de Limas 3º Semestre Aula 13 Roteamento Dinâmico com Protocolos Link-State (Protocolo OSPF) 2014/1 Roteiro de Aula Introdução Funcionamento

Leia mais

Verificador Slimterm TCP-IP

Verificador Slimterm TCP-IP Verificador Slimterm TCP-IP 1 Acessando a Configuração 1. Ao ligar o equipamento será exibido a tela de inicialização. 2. Indica que não localizou o cabo de rede. 3. Indica que está iniciando o modulo

Leia mais

Introdução ao roteamento e encaminhamento de pacotes

Introdução ao roteamento e encaminhamento de pacotes CCNA Exploration (Protocolos e Conceitos de Roteamento) Introdução ao roteamento e encaminhamento de pacotes Cronograma Introdução Roteadores são computadores Processo de inicialização Interface de um

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Introdução à Computação Jordana Sarmenghi Salamon jssalamon@inf.ufes.br jordanasalamon@gmail.com http://inf.ufes.br/~jssalamon Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda

Leia mais

Opção Qualidade de Serviço em interfaces do túnel GRE

Opção Qualidade de Serviço em interfaces do túnel GRE Opção Qualidade de Serviço em interfaces do túnel GRE Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Visão geral de GRE Cisco QoS para GRE Tunnels Modelagem Vigilância Evitando

Leia mais

rsf.a06 Resolução de Nomes PROFº RICARDO JOSÉ BATALHONE FILHO

rsf.a06 Resolução de Nomes PROFº RICARDO JOSÉ BATALHONE FILHO rsf.a06 Resolução de Nomes PROFº RICARDO JOSÉ BATALHONE FILHO Endereçamento e Nomes Dispositivos de rede possuem ambos um Nome e um Endereço atribuídos a eles; Nomes são independentes de localidade e se

Leia mais

Roteamento Estático (2 ( )

Roteamento Estático (2 ( ) Roteamento Estático (2) Rotas Alternativas Alternative Routes Rotas Alternativas (cont.) Suponha que: Um novo novo link seja adicionado entre Pooh e Eeyore; Por uma decisão administrativa, todos os pacotes

Leia mais

IPv6 - O Novo Protocolo da Internet (2013) ::: Samuel Henrique Bucke Brito 1

IPv6 - O Novo Protocolo da Internet (2013) ::: Samuel Henrique Bucke Brito 1 IPv6 - O Novo Protocolo da Internet (2013) ::: Samuel Henrique Bucke Brito 1 IPv6 - O Novo Protocolo da Internet (2013) ::: Samuel Henrique Bucke Brito 2 Roteamento Estático 1 Rotas Estáticas a Rotas Flutuantes

Leia mais

Interfaces de Redes, IP e NAT

Interfaces de Redes, IP e NAT Interfaces de Redes, IP e NAT IFSC UNIDADE DE SÃO JOSÉ CURSO TÉCNICO SUBSEQUENTE DE TELECOMUNICAÇÕES! Prof. Tomás Grimm Interface de Rede As interfaces de rede no GNU/Linux estão localizadas no diretório

Leia mais

Laboratório. Assunto: mapeamento de endereços IP em endereços físicos (ARP).

Laboratório. Assunto: mapeamento de endereços IP em endereços físicos (ARP). Laboratório Assunto: mapeamento de endereços IP em endereços físicos (ARP). Objetivo: observar o mecanismo de associação dinâmica de endereços oferecido pelo ARP. Ferramentas a serem utilizadas: ifconfig

Leia mais

Pesquisar defeitos a relação emite para baixo nos roteadores Cisco

Pesquisar defeitos a relação emite para baixo nos roteadores Cisco Pesquisar defeitos a relação emite para baixo nos roteadores Cisco Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Convenções Metodologia de Troubleshooting Os parâmetros do link da relação devem combinar

Leia mais

Que são áreas do OSPF e enlaces virtuais?

Que são áreas do OSPF e enlaces virtuais? Que são áreas do OSPF e enlaces virtuais? Índice Introdução O que são áreas, áreas stub e áreas de não muito stub? Definir uma área de stub Defina uma área totalmente de stub Definir uma área de não muito

Leia mais

Capítulo 5 Sumário. Formato das Mensagens ICMP. Tipos de Mensagens ICMP

Capítulo 5 Sumário. Formato das Mensagens ICMP. Tipos de Mensagens ICMP 1 Capítulo 5 Sumário Formato das Mensagens ICMP Tipos de Mensagens ICMP Solicitação de Eco / Resposta de Eco Destino Inatingível Tempo Esgotado (time-out) Source Quench Redirecionamento 2 Aplicação Telnet

Leia mais

Switches do 3550/3560 Series do catalizador usando o exemplo de configuração com base na porta do controle de tráfego

Switches do 3550/3560 Series do catalizador usando o exemplo de configuração com base na porta do controle de tráfego Switches do 3550/3560 Series do catalizador usando o exemplo de configuração com base na porta do controle de tráfego Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Utilizados Convenções Vista

Leia mais

Parte 05. Camada 1 - Repetidores e domínios de colisão

Parte 05. Camada 1 - Repetidores e domínios de colisão INTERCONEXÃO Parte 05 Camada 1 - Repetidores e domínios de colisão Dispositivos de Interconexão NIC Hub/Repeater Bridge/Switch Router Gateways NIC (Network Interface Card) Depende do tipo de tecnologia

Leia mais

OSPF. Protocolos e Conceitos de Roteamento Capítulo 11. ITE PC v4.0 Chapter Cisco Systems, Inc. All rights reserved.

OSPF. Protocolos e Conceitos de Roteamento Capítulo 11. ITE PC v4.0 Chapter Cisco Systems, Inc. All rights reserved. OSPF Protocolos e Conceitos de Roteamento Capítulo 11 1 Objetivos Descrever os recursos fundamentais e básicos do OSPF Identificar e aplicar comandos básicos de configuração do OSPF Descrever, modificar

Leia mais

Entendendo o Roteamento Baseado em Política

Entendendo o Roteamento Baseado em Política Entendendo o Roteamento Baseado em Política Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos Componentes Usados Convenções Configurações Diagrama de Rede Configuração para Firewall Introdução O Roteamento Baseado

Leia mais

Protocolos da camada de redes. Professor Leonardo Larback

Protocolos da camada de redes. Professor Leonardo Larback Protocolos da camada de redes Professor Leonardo Larback Protocolos da camada de redes Na camada de redes (modelo OSI) operam os protocolos IP, ARP, RARP, ICMP etc. Em conjunto a esses protocolos, abordaremos

Leia mais

Configurar o roteamento de intervlan em switch de camada 3

Configurar o roteamento de intervlan em switch de camada 3 onfigurar o roteamento de intervlan em switch de camada 3 Índice Introdução Pré-requisitos Requisitos omponentes Utilizados onfigure o InterVLAN Routing Tarefa Instruções passo a passo Verificar Troubleshooting

Leia mais