Perguntas freqüentes sobre o ICMS Os assuntos referidos abaixo são tratados nas perguntas indicadas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Perguntas freqüentes sobre o ICMS Os assuntos referidos abaixo são tratados nas perguntas indicadas"

Transcrição

1 Perguntas freqüentes sobre o ICMS Os assuntos referidos abaixo são tratados nas perguntas indicadas Página- 1 /47 Assunto Pergunta / LINK Alíquotas Alteração de cobrança de ICMS antecipado Aquisições de Mercadorias de fornecedor não-inscrito no CCE 48 Antecipação tributária Benefício fiscal 12 Cadastro sincronizado 22 Cancelamento de documentos fiscais Códigos fiscais Comercialização de mercadorias usadas 10 Crédito fiscal Crédito fiscal decorrente da entrada de bens do Ativo Imobilizado Operações com de bens de uso/consumo e do ativo permanente Diferencial de alíquotas Emissão de documentos fiscais Escrituração de documentos fiscais FECOP 47 GIM Guia Informativa Mensal 2 33 IF Informativo Fiscal 2 Isenção 39 Livro Fiscal 35 Obrigações acessórias A 5 Perda, perecimento, extravio e sinistro de livros e documentos fiscais 42 Perda, perecimento, sinistro, obsolescência ou roubo de mercadorias 21 Regimes especiais 32 SINTEGRA Substituição tributária Super Simples (Simples Nacional) Transferência de mercadorias adquiridas para uso, consumo ou para integrar o ativo permanente do estabelecimento 1. Os assuntos tratados nesta FAQ estão dispostos no modo hipertexto, estando os números das questões acima linkados com as respectivas respostas. De igual modo cada questão está linkada com o índice; 2. Observar que determinadas referencias a Decretos e anexos estão linkadas com a base de dados da Legislação da SET; 3. Para acessar diretamente as questões numeradas no quadro a direita, clique sobre ela, com o cursor do mouse, em cima do número. Caso necessite retornar ao índice, clique com o cursor do mouse, diretamente sobre a questão consultada. Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 1 44

2 Página- 2 /47 1. Quais as Obrigações acessórias dos contribuintes do ICMS, inscritos no Cadastro de Contribuintes do Estado (CCE/RN)? (atualizado em 02/03/2010) 2. Quais as Obrigações acessórias dos contribuintes do ICMS inscritos no REGIME DE APURAÇÃO NORMAL do ICMS? (atualizado em 03/12/2010) 3. Quais as Obrigações acessórias dos contribuintes do ICMS inscritos na qualidade de SUBSTITUTOS TRIBUTÁRIOS, nos termos dos convênios e protocolos? (atualizado em 12/02/2009) 4. Quais as Obrigações acessórias dos contribuintes do ICMS inscritos no CCE e optantes pelo SIMPLES NACIONAL ( SUPER SIMPLES )? (atualizado em 02/03/2010) 4-A. Quais as Obrigações acessórias dos contribuintes do ICMS inscritos no CCE na condição de CONTRIBUINTE ESPECIAL? (atualizado em 02/03/2010) 5. Autenticação dos livros fiscais, qual o prazo? (atualizado em 03/12/2010) 6. Quais produtos estão sujeitos à cobrança do ICMS por substituição tributária? (atualizado em 22/08/2011) 7. ICMS antecipado, quais as mercadorias e operações fiscais sujeitas à cobrança do imposto antecipadamente? (atualizado em 22/08/2011) 8. Como escriturar os documentos fiscais dos contribuintes optantes pelo regime de crédito presumido de 13% (atividade de fornecimento de refeições, bebidas e outras mercadorias realizadas em bares, hotéis, lanchonetes, restaurantes, e estabelecimentos similares)? (atualizado em 12/02/2009) 9. Nota fiscal de entrada, quando é permitido emitir? (atualizado em 03/12/2010) 10. Qual o tratamento tributário aplicado na Desincorporação de Bens do Ativo e na Comercialização de Mercadorias Usadas? (atualizado em 12/02/2009) 11. Qual a diferença entre Mercadorias destinadas: a uso, consumo e ativo permanente? (atualizado em 12/02/2009) 12. Como é aplicado o benefício da redução da base de cálculo nas OPERAÇÕES com MÁQUINAS, APARELHOS e EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS e com MÁQUINAS e IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS, prevista no Art. 101 RICMS conforme o Convênio ICMS 52/91. (atualizado em 12/02/2009) 13. Como corrigir uma nota fiscal emitida com erro? (atualizado em 12/02/2009) 14. Como ficou a tributação de drogas e medicamentos com a adesão ao convênio 76/94 pelo RN? (atualizado em 22/08/20110) 15. Qual a base legal para a glosa do crédito fiscal indevido decorrente de benefício fiscal concedido por outra Unidade da Federação em desacordo com a Lei complementar 24 de 7 de janeiro de 1975? (atualizado em 12/02/2009) 16. Quando emitir a nota fiscal complementar? (atualizado em 12/02/2009) Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 2

3 Página- 3 / Onde posso encontrar o CRT (Código de Regime Tributário) e o CSOSN (Código de Situação da Operação do Simples Nacional)? (atualizado em 22/08/2011) 18. Onde posso encontrar o Código Nacional de Atividades Econômicas CNAE? (atualizado em 12/02/2009) 19. Onde posso encontrar a relação dos Códigos Fiscais de Operação e Prestações - CFOP? (atualizado em 12/02/2009) 20. Onde Posso Encontrar a tabela de Código de Situação Tributária (CST)? (atualizado em 12/02/2009) 21. Qual o tratamento deve dispensar com as mercadorias quando ocorrer perda, perecimento, sinistro, obsolescência ou roubo? (AC em 02/03/2010) 22. Como fazer o pedido de inscrição na condição de contribuinte substituto? (atualizado em 03/12/2010) 23. Posso utilizar o crédito fiscal referente às aquisições de energia elétrica e de serviços de telefonia? (atualizado em 03/12/2010) 24. Como posso me creditar do valor do ICMS pago na aquisição de bens para o ativo imobilizado? (atualizado em 12/02/2009) 25. Quando é devido o diferencial de alíquotas? (atualizado em 03/12/2010) 26. Como se calcula o Diferencial de Alíquotas? (atualizado em 12/02/2009) 27. Quais são as alíquotas aplicáveis às operações interestaduais? (atualizado em 12/02/2009) 28. Como determinar a alíquota interna de um produto? (atualizado em 12/02/2009) 29. Como fazer para alterar uma cobrança de ICMS referente a uma nota fiscal que foi digitada com o valor do Imposto incorreto (alteração de TADF)? (atualizado em 12/02/2009) 30. O talonário de notas fiscais, de minha empresa, está com a data de validade vencida, o que devo fazer? (atualizado em 12/02/2009) 31. O Documento Fiscal que deixou de ser escriturado, no Livro de Registro de Entradas, no prazo regulamentar, pode ser escriturado fora do prazo (extemporâneo)? (atualizado em 03/12/2010) 32. Quais são os regimes Especiais para Atacadistas e empresas de construção civil? (atualizado em 22/08/2011) 33. Qual o último dia para entrega da GIM? (atualizado em 12/02/2009) 34. Como calcular o ICMS antecipado de uma nota fiscal referente a compra feita em outro Estado? (atualizado em 03/12/2010) 35. Livro de Termos de Ocorrência, como adquirir e utilizar? (atualizado em 02/03/2010) 36. Como se desenvolve uma operação de Venda à Ordem? (atualizado em 03/12/2010) 37. Como se calcula o ICMS da substituição tributária (ICMS/ST) incidente sobre farinha de trigo e Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 3

4 os seus derivados adquiridos fora do Estado? (atualizado em 22/08/2011) Página- 4 / Como é tributada a Venda (Alienação) de bens do Ativo Imobilizado da empresa? (atualizado em 02/03/2010) 39. Quais produtos e serviços, tributados pelo ICMS, são isentos no Estado do RN? (atualizado em 12/02/2009) 40. Minha empresa foi excluída do SIMPLES NACIONAL, em , como fazer para usufruir o crédito fiscal do estoque de mercadorias, existente na data da exclusão? (atualizado em 25/02/2010) 41. Um documento fiscal pode ser cancelado? E qual o procedimento para o cancelamento regular? (atualizado em 03/12/2010) 42. Como proceder em caso de perda, perecimento, extravio e sinistro de livros e documentos fiscais? (atualizado em 02/03/2010) 43. Como obter a listagem com os códigos de cobrança de ICMS antecipado? (atualizado em 12/02/2009) 44. Qual a tributação das operações de transferência de mercadorias destinadas a uso, consumo, ou de bens desincorporados do ativo permanente? (atualizado em 12/02/2009) 45. Como escriturar corretamente uma nota fiscal de aquisição de mercadoria sujeita à Substituição Tributária, no Livro de Registro de Entradas? (atualizado em 12/02/2009) 46. Como se dá o crédito fiscal a ser utilizado por contribuinte com apuração normal do ICMS, nas compras de mercadorias, destinadas à comercialização ou industrialização, a empresa optante pelo Simples Nacional? (atualizado em 02/03/2010) 47. Como se dá a incidência do FECOP? E a sua escrituração e recolhimento? (atualizado em 12/02/2009) 48. Como proceder nas aquisições de mercadorias de fornecedor não inscrito no CCE? (AC em 02/03/2010) Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 4

5 Página- 5 /47 RESPOSTAS 1. Quais as Obrigações acessórias dos contribuintes do ICMS, inscritos no Cadastro de Contribuintes do Estado (CCE/RN)? O elenco de obrigações acessórias depende do regime de apuração e pagamento do imposto ao qual o contribuinte está submetido. Que respectivamente são: a) REGIME DE APURAÇÃO NORMAL do ICMS, ver a resposta da pergunta nº. 2; b) CONTRIBUINTE SUBSTITUTO, ver a resposta da pergunta nº. 3; c) Optantes pelo SIMPLES NACIONAL, ver a resposta da pergunta nº. 4; d) CONTRIBUINTE ESPECIAL, ver a resposta da pergunta nº. 4-A. 2. Quais as Obrigações acessórias dos contribuintes do ICMS inscritos no REGIME DE APURAÇÃO NORMAL do ICMS? a) entregar a Guia Informativa Mensal do ICMS (GIM), mensalmente, até o dia do mês subseqüente estabelecido abaixo: I. O prazo de entrega da GIM com movimentação fiscal: Até o dia 15 do mês subseqüente ao da sua referência. Art º e 8º, do RICMS; Observar se o contribuinte está obrigado ao recolhimento de imposto, declarado em GIM, com data de vencimento anterior ao dia 15, caso positivo antecipar a entrega de modo a possibilitar o recolhimento dentro do prazo, como por exemplo: ICMS substituto pelas entradas. II. O prazo de entrega da GIM sem movimentação fiscal ( GIM zerada ): Até o dia 10 do mês subseqüente ao da sua referência. Art º do RICMS; III. Na entrega fora dos prazos estabelecidos acima, a multa por atraso na entrega, será gerada automaticamente no extrato fiscal; IV. Destacamos que os prazos acima se referem à data-limite para a entrega da GIM, podendo, em qualquer caso, ser entregue a partir do dia 1º do mês subseqüente ao da sua referência. b) entregar o Informativo Fiscal (IF) anualmente até o dia 15 de maio do ano seguinte. Art. 590, do RICMS/RN; c) entregar a Guia de Informação das Operações e Prestações Interestaduais (GI/ICMS) anualmente até o dia 15 de maio do ano seguinte. Art º, do RICMS/RN; d) entregar o arquivo magnético (arquivo SINTEGRA), mensalmente, até o dia 15 do mês subseqüente à ocorrência das operações e prestações. Exigível dos contribuintes usuários de Sistema Eletrônico de Processamento de Dados. Art. 631, do RICMS/RN. Os contribuintes obrigados a EFD, serão dispensados de enviar o SINTEGRA, a partir do Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 5

6 Página- 6 /47 envio daquele arquivo (EFD) e a validação do seu conteúdo pela SET art. 623-T do RICMS e Portaria GS/ST nº 90/2010. e) emitir e exigir a emissão dos documentos fiscais pertinentes às operações e/ou prestações das quais tenha participação. Art. 150, inciso XIII, do RICMS/RN; f) Os contribuintes que até o exercício de 2010 ainda não estavam obrigados a EFD- Escrituração Fiscal Digital- deverão escriturar os documentos fiscais nos livros próprios. Aos que se encontram obrigados a EFD, deverão enviá-la até o dia 15 do mês subseqüente ao mês de apuração (Art. 623-N). Livro Registro de Entrada; Livro Registro de Saída; Livro de Apuração do ICMS; Livro Registro de Inventário; Documento Controle de Crédito de ICMS do Ativo Permanente- CIAP (este obrigado a EFD a partir de 1 de janeiro de 2011); Outro (s) Livro (s) previstos na legislação. Art. 150, inciso XIII e 650 do RICMS/RN. g) conservar e manter a disposição do fisco pelo prazo de cinco anos contados a partir de 1º de janeiro do exercício seguinte à da data da emissão do documento ou do encerramento do livro e, nos casos de processo administrativo tributário PAT, pendente, até que seja proferida sua decisão definitiva. Art. 600 do RICMS/RN. os livros; os documentos fiscais; os arquivos magnéticos; as faturas; as duplicatas; as guias; os documentos de arrecadação; os recibos; todos os demais documentos relacionados com o imposto. h) cadastrar-se no sistema SIGAT como usuário e vincular o contador ou organização contábil responsável pela escrita fiscal e contábil do seu estabelecimento. Art. 150, inciso XX, do RICMS/RN. 3. Quais as Obrigações acessórias dos contribuintes do ICMS inscritos na qualidade de SUBSTITUTOS TRIBUTÁRIOS, nos termos dos convênios e protocolos? a) Remeter a Guia Nacional de Informação e Apuração do ICMS Substituição Tributária GIA-ST, que deve ser remetida até o dia 10 (dez) do mês subseqüente ao do mês da apuração do imposto, ainda que no período não tenha ocorrido operações sujeitas à substituição tributária. Art. 597, 4º, do RICMS/RN; b) Enviar o arquivo magnético com registro fiscal das operações interestaduais (SINTEGRA) efetuadas no mês anterior, ou com seus registros totalizadores zerados, no caso de não terem sido efetuadas operações no período, inclusive daquelas não alcançadas pelo regime de substituição tributária, em conformidade com o art. 631 deste regulamento, até o dia 15 (quinze) do mês subseqüente ao da realização das operações; c) Recolher o ICMS/ST devido até o dia 9 (nove) do mês subseqüente ao do mês da apuração, art. 130, do RICMS/RN; d) Cadastrar-se no sistema SIGAT como usuário e vincular o contador ou organização contábil responsável pela escrita fiscal e contábil do seu estabelecimento. 150, inciso XX, do Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 6

7 Página- 7 /47 RICMS/RN; 4. Quais as Obrigações acessórias dos contribuintes do ICMS inscritos no CCE e optantes pelo SIMPLES NACIONAL ( SUPER SIMPLES )? a) Entregar, mensalmente, até o dia 15 do mês subseqüente à sua ocorrência, o arquivo magnético, com o registro fiscal das operações e prestações, realizadas pelo estabelecimento, conhecido como arquivo SINTEGRA. Art. 631 c/c o art. 251-I, do RICMS/RN; Atenção!: Exigível dos contribuintes usuários de Sistema Eletrônico de Processamento de Dados para escrituração de livros e/ou emissão de documentos fiscais. b) emitir e exigir a emissão dos documentos fiscais pertinentes às operações e/ou prestações que participar. Art. 150, inciso XIII, do RICMS/RN; d) escriturar os documentos emitidos e recebidos nos livros fiscais, bem como a movimentação financeira e bancária: Caixa; Entrada; Saída (FACULTATIVO); Inventário; Outro (s) Livro (s) previstos na legislação. Art. 150, inciso XIII c/c o art. 251-H, do RICMS/RN; e) apresentar, anualmente, declaração única e simplificada de informações sócioeconômicas e fiscais, que será entregue à Secretaria da Receita Federal do Brasil - RFB, por meio da internet, até o último dia do prazo por ela determinado, do ano-calendário subseqüente ao de ocorrência dos fatos geradores dos impostos e contribuições previstos no Simples Nacional; f) conservar e manter à disposição do fisco pelo prazo de cinco anos contados a partir de 1º de janeiro do exercício seguinte à da data da emissão do documento ou do encerramento do livro e, nos casos de processo administrativo tributário PAT, pendente, até seja proferida sua decisão definitiva. Art. 600, do RICMS/RN. os livros; os documentos fiscais; os arquivos magnéticos; as faturas; as duplicatas; as guias; os documentos de arrecadação; os recibos; todos os demais documentos relacionados com o imposto. g) cadastrar-se no sistema SIGAT como usuário e vincular o contador ou organização contábil responsável pela escrita fiscal e contábil do seu estabelecimento. Art. 150, inciso XX, do RICMS/RN. 4-A. Quais as Obrigações acessórias dos contribuintes do ICMS inscritos no CCE na condição de Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 7

8 CONTRIBUINTE ESPECIAL? Página- 8 /47 a) Comunicar à Unidade Regional de Tributação de sua circunscrição o início e o término da obra de construção civil a seu cargo; b) entregar o arquivo magnético (arquivo SINTEGRA), mensalmente, até o dia 15 do mês subseqüente à ocorrência das operações e prestações. Exigível dos contribuintes usuários de Sistema Eletrônico de Processamento de Dados. Art. 631, do RICMS/RN; Os contribuintes que já estavam obrigados a EFD, serão dispensados de enviar o SINTEGRA, a partir do envio por três meses consecutivos daqueles arquivos (EFD) e a validação dos seus respectivos conteúdos pela SET. Sendo necessário que a SET edite ato Administrativo ratificando a dispensa desta obrigação. Quanto aos contribuintes obrigados a EFD, a partir de 1º de janeiro de 2011, a dispensa do SINTEGRA ocorrerá imediatamente após iniciarem o envio dos arquivos art. 623-T do RICMS e Portaria GS/ST nº 90/2010. c) emitir e exigir a emissão dos documentos fiscais pertinentes às operações e/ou prestações das quais tenha participação. Art. 150, inciso XIII, do RICMS/RN; d) Os contribuintes que até o exercício de 2010 ainda não estavam obrigados a EFD- Escrituração Fiscal Digital- deverão escriturar os documentos fiscais nos livros próprios. Aos que se encontram obrigados a EFD, deverão enviá-la até o dia 15 do mês subseqüente ao mês de apuração (Art. 623-N). Livro Registro de Entrada; Livro Registro de Saída; Livro Registro de Inventário. e) conservar e manter à disposição do fisco pelo prazo de cinco anos contados a partir de 1º de janeiro do exercício seguinte à da data da emissão do documento ou do encerramento do livro e, nos casos de processo administrativo tributário PAT, pendente, até que seja proferida sua decisão definitiva. Art. 600 do RICMS/RN. os livros; os documentos fiscais; os arquivos magnéticos; as faturas; as duplicatas; as guias; os documentos de arrecadação; os recibos; todos os demais documentos relacionados com o imposto. 5. Autenticação dos livros fiscais, qual o prazo? a) Os livros fiscais, por meio eletrônico, não serão mais escriturados a partir de 05/02/2010, inclusive os referentes a exercícios anteriores. Art. 607, caput, do RICMS/RN; b) Os escriturados manualmente deverão ter seu uso previamente autorizado pela repartição fiscal. Ver art. 607, 4, 6 e 7, do RICMS/RN. 6. Quais produtos estão sujeitos à cobrança do ICMS por substituição tributária? Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 8

9 Página- 9 /47 PRODUTOS SUJEITOS À SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA - data atualização: 03/08/ TABELA MERAMENTE INFORMATIVA, NÃO DISPENSANDO CONSULTA AOS CONVÊNIOS, PROTOCOLOS E REGULAMENTO DO ICMS/RN Produto Convênio/Protocolo RICMS-RN MVA AÇÚCAR AGUARDENTE DE CANA Prot. 33/91 (AP, MA, PA, PB, PR, PE, PI e RN) e Prot. 46/92 (RN e SP) Prot. 15/88 (PE, PB e RN) e Prot. 46/92 (RN e SP) Arts. 942 e 943 Arts. 896 a 898 Portaria nº084/ ou 20% 50% -alienante indústria ou importação direta do exterioor 30% - alienante estab. Comercial ÁGUA MINERAL E GÊLO Protocolo ICMS 11/91 (todas UF's) Arts. 921 a 924 Considerar a Pauta Fiscal - Ato Homologatório 003/2011 APARELHOS DE TELFONIA CELULAR CAPAS, BATERIAS, CARREGADORES E SIMCARD Convs. ICMS 135/06 e 04/07 Conv. 93/2009 alterou MVA do Conv.135/06 (aplicação a partir de 01/01/2010) Art. 944-E 22,13% - aliq. Inter. 7% 15,57% - aliq. Inter. 12% 9% - operação interna AUTO PEÇAS - peças listadas no anexo 136 do RICMS Prot. ICMS 97/2010 (AC, AL, AP, BA, MA, MT, PB, PR, PE, PI, RN, RR, SE e TO) Art. 944-D 41,7% - aliq interestadual 7% 34,10% - aliq interestadual 12% 26,50% - operação interna BEBIDAS QUENTES Prot. ICMS 14/06 (AL, BA, CE, AP, MA, MT, MS, MG, PB, PE, PI, RN, SE, TO) Art. 898-I a 898-M 60% - aliq. Inter. 7% 51,40% - aliq. Inter. 12% 29,04% - alíquota interna BISCOITOS, BOLACHAS, BOLOS, WAFERS, PANETONES E SIMILARES DERIVADOS DA FARINHA DE TRIGO Protocolo 50/05 (AL, AP, BA, CE, PB, PE, PI, RN, SE) Art. 900-A, 2º, I, alínea "b" 30% - UFs signatárias Art. 900-A, 2º, II, alínea "b" 45% - UFs NÃO signatárias Em ambos os casos, observar a pauta fiscal 087/2011 CERVEJA, CHOPE, REFRIGERANTE, XAROPE OU EXTRATO CONCENTRADO DEST. AO PREPARO DE REFR. EM MÁQ. PRE-MIX OU POST- MIX CIGARROS E FUMO EM GERAL CIMENTO DERIVADOS DE PETRÓLEO E DEMAIS COMBUSTÍVEIS E LUBRIFICANTES DISCO FONOGRÁFICO, FITA VIRGEM OU GRAVADA, CD E DVD Prot. 10/92 (AL, AM, AC, AP, BA, CE, MA, PA, PB, PI, PE, RN, SE, TO e RR), Prot. 11/91 (todas as UF's). Arts. 921 a 924 Conv. 37/94 Arts. 904 e 905 Prot. 11/85 (Todas UF s exceto AM) Considerar a Pauta Fiscal - Ato Homologatório 002/2011 Preço sugerido ou 50% Arts. 890 a % Conv. 110/07 Arts. 893 a 894-I Art.893-E Prot. 19/85 (Todas UF s) Arts. 931 a ,06% - aliq interestadual 7% 32,53% - aliq interestadual 12% 25% - operação interna EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA RELACIONADOS NO ART.130 SUBSTITUIÇÃO INTERNA Art. 944-I observar art. 102 A partir de 01/10/2010 APLICAÇÃO DE PERCENTUAL DIRETO SOBRE A BASE DE CÁLCULO: 4,5% - Aquisições Interestaduais, inclusive para operações interestaduais destinadas à integração ao ativo imobilizado, uso ou consumo do destinatário 1,4% - Aquisições Internas e de Importação, inclusive operações internas destinadas à integração ao ativo imobilizado, uso ou consumo do destinatário. FARINHA DE TRIGO OU MISTURA DE FARINHA DE TRIGO Protocolo 46/00 (AC, AL, AP, BA, CE, ES, PB, PE, RN, SE) Art. 903-D, 1º, inciso II, alínea "a" Art. 903-D, 1º, inciso II, alínea "b" 76,48% - Importação do exterior 55,29% - UFs NÃO signatárias com alíquotas de 12% Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 9

10 Art. 903-D, 1º, inciso II, alínea "c" Página- 10 /47 64,12% - UFs NÃO signatárias com alíquotas de 7% FILME FOTOGRÁFICO, CINEMATOGRÁFICO E SLIDE Prot. 15/85 (Todas UF s exceto GO) O valor do ICMS não poderá ser inferior ao da Pauta Fiscal- Portaria 088/2012 Arts. 925 a % LÂMINA DE BARBEAR, APARELHO DE BARBEAR DESCARTÁVEL E ISQUEIRO Prot. 16/85 (Todas UF s) Art. 944-G 45,66% - op. Interestadual 7% 37,83% - op. Interestadual 12% 30% - operação interna LÂMPADA ELÉTRICA Prot. 17/85 (Todas UF s) Art. 944-A MACARRÃO INSTÂNTANEO, MASSAS ALIMENTÍCAS NÃO COZIDAS, NEM RECHEADAS E PÃES Protocolo 50/05 (AL, AP, BA, CE, PB, PE, PI, RN, SE) 56,87% - op. Interestadual 7% 48,43% - op. Interestadual 12% 40% - operação interna Art. 900-A, incisos I e III, 2º, inciso I, alínea "a" 20% - UFs signatárias Art. 900-A, incisos I e III, 2º, inciso II, alínea "a" 35% - UFs NÃO signatárias Em ambos os casos, observar a pauta fiscal 087/2011 MASSAS ALIMENTÍCIAS COZIDAS E/OU RECHEADAS, MISTURAS PRONTAS PARA BOLOES, PIZZAS, LASANHAS, PASTÉIS, COXINHAS, CROISSANTS, FOLHADOS E SIMILARES SUBSTITUIÇÃO INTERNA Art. 900-A, 1º, V e 2º, III 30% PILHAS E BATERIAS ELÉTRICAS Prot. 18/85 (Todas UF s) Art. 944-F 56,87% - op. Interestadual 7% 48,43% - op. Interestadual 12% 40% - operação interna PNEUMÁTICOS, CÂMARAS DE AR E PROTETORES Conv. 85/93 Arts. 939 a 941-B OBS: A base de cálculo do ICMS próprio fica reduzida do valor resultante da aplicação dos percentuais: - 4,90% merc. saída das regiões Sul e Sudeste, exceto ES -5,19% merc.saída das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e ES Art. 941-A RICMS/RN 42% - para pneus dos tipos utilizados em automóveis de passageiros, inclusive camionetas e automóveis de corrida; 32% - para pneus dos tipos utilizados em caminhões, inclusive os fora-de-estrada, ônibus, aviões, máquinas de terraplenagem, de construção e conservação de estradas, máquinas e tratores agrícolas e pás-carregadeiras; 60% - para pneus de motocicletas; 45% - para protetores, câmaras de ar e outros tipos de pneus. PRODUTOS FARMACÊUTICOS - Drogas e Medicamentos Conv. ICMS 76/94 (Todas as UF s EXCETO SP, AM, CE, GO, RJ, MG, PR, BA, SC, RO - PARCIALMENTE RS e SC) Art. 913-A a 913-I Quando NÃO for detentor de Regime Especial - Ocorrência 85 PMC/LISTA ANVISA se houver, caso contrario utilizar cálculo com agregado conf. listas LISTA NEGATIVA 33,05% - Operação Interna 49,08% - aliq. Inter. 7% 41,06% - aliq. Inter 12% LISTA POSITIVA 38,24% - Operação Interna 54,89% - Aliq. Inter. 7% 46,56% - Aliq. Inter. 12% LISTA NEUTRA 41,34% - Operação Interna 58,37% - Aliq. inter. 7% 49,86% - Aliq. Inter. 12% Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 10

11 Página- 11 /47 Em todos os casos aplicar redução de 10% na base de cálculo da Substituição Tributária - Conv. 76/94, 4º, cláusula 2ª RAÇÕES Prot. 26/04 (todas as UF's, exceto GO) Art. 944-C 63,59% -op. Interestadual 7% 54,80% - op. Interestadual 12% 46% - op. Interna SORVETES Prot. 45/91 (PR, RJ, SP, ES, MG, RS, AC, RN, AP, PA, PE, CE), Prot. 20/05 (MG,PR, RJ, SP, AL, AP, ES, DF, PB, PE, RN, RS, RO, SC, SE, TO, MS, BA, MT, AM e RR) OPERAÇÕES INTERNAS TRATAMENTO DIFERENCIADO, COM MVA's QUE NÃO SEGUEM OS PROTOCOLOS ACIMA CITADOS Art 944-B Preço Sugerido OPERAÇÕES INTERESTADUAIS 70% - sorvete e demais acessórios (casquinha, coberturas, copos, palitos, etc destinados a integrar ou acondicionar o sorvete 328% - preparados para fabricação de sorvete em máquina, classificados nas posições 1806, 1901 e 2106 da NCM/SH (Prot.20/05) OPERAÇÕES INTERNAS 30% - sorvete e demais acessórios (casquinha, coberturas, copos, palitos, etc destinados a integrar ou acondicionar o sorvete 141% - preparados para fabricação de sorvete em máquina, classificados nas posições 1806, 1901 e 2106 da NCM/SH. TINTAS, VERNIZES E OUTROS PRODUTOS QUÍMICOS Conv. 74/94 Arts. 937 e 938-A 51,27% - op. Interestadual 7% 43,14% - op. interestadual 12% 35% - operação interna corantes para aplicação em bases, tintas e vernizes 68,08% - op. Interestadual 7% 59,04% - op. interestadual 12% 50% -operação interna VEÍCULOS AUTOMOTORES Conv. 132/92 e 50/99 Arts. 885 e 886 Preço sugerido VEÍCULOS DE DUAS RODAS MOTORIZADOS VEÍCULOS AUTOMOTORES NOVOS EFETUADOS POR MEIO DE FATURA DIRETO A CONSUMIDOR Conv. 52/93 Arts. 887 a 889 Preço sugerido Conv. 51/00 Arts. 886-H a 886-M Preço Sugerido VINHOS, SIDRAS E BEBIDAS FERMENTADAS SUBSTITUIÇÃO INTERNA Art. 898-I 3º Art. 903-D, 1º, inciso I, alínea "a" Art. 903-D, 1º, inciso I, alínea "b" 60% - aliq. Inter. 7% 51,40% - aliq. Inter. 12% 29,04% - alíquota interna 94,12% - Importação do exterior 70,83% - UFs NÃO signatários e de produtor de UFs signatárias, com alíquotas de 12% TRIGO EM GRÃO Protocolo 46/00 (AC, AL, AP, BA, CE, ES, PB, PE, RN, SE) Art. 903-D, 1º, inciso I, alínea "c" 80,53% - UFs NÃO signatárias e de produtor de UFs signatárias com alíquotas de 7% Observar a pauta fiscal quando oriunda de UFs não signatárias, Portaria 088/2011 Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 11

12 Página- 12 /47 CONVÊNIO ICMS 81/93 estabelece normas gerais a serem aplicadas a regimes de substituição tributária 7. ICMS antecipado: quais as mercadorias e operações fiscais sujeitas à cobrança do imposto antecipadamente? Aquelas situações e mercadorias elencadas nos artigos 945 a 950 do RICMS/RN. Abaixo a tabela contendo os grupos de mercadorias sujeitas à cobrança antecipada do ICMS, com os respectivos TVA's (Taxa de Valor Agregado) utilizados no cálculo do imposto devido por Antecipação. A Portaria n 22-GS/SET, de 10 de março de 2010, dispõe sobre a indicação da Nomenclatura Comum do MERCOSUL/Sistema Harmonizado dos Produtos Sujeitos à Antecipação do ICMS. Produtos sujeitos à cobrança do ICMS antecipado com a respectiva Taxa de Valor Agregado TVA art. 946, inciso I e II TVA(%) alho, ameixa, figo, kiwi, maçã, morango, nectarina, pêra, pêssego e uva 10% aves e produtos de sua matança, em estado natural, congelado, resfriado ou simplesmente temperadodo 10% bacalhau e demais pescados, em qualquer estado, inclusive enlatados 10% bebidas lácteas, iogurtes em geral, queijo e requeijão de todos os tipos 10% café solúvel, chás 10% carne de charque, carne em conserva e mortadela 10% embutidos e empanados de carne bovina, suína, de aves e de peixes, inclusive paio, lingüiça e salsicha 10% guloseimas, balas, caramelos, chocolates, doces em geral, drops, goma de mascar, pastilhas, castanhas beneficiadas, pipocas e salgadinhos em geral, 10% sucos e preparos para sucos, inclusive polpas de frutas leite in natura, aromatizado, condensado, em creme, em pó e industrializado 10% óleo comestível, exceto de soja e de algodão 10% preparos à base de milho, arroz, aveia e cereais em geral, colorífico de qualquer tipo, farinha láctea e outros farináceos, amido, fécula e congêneres 10% produtos alimentícios para animais domésticos, exceto rações tipo pet, classificadas na Posição 2309 da NBM/SH 10% temperos em geral, creme vegetal, banha, ervilha, ketchup, maionese, manteiga, margarina,mostarda, milho verde e outras conservas alimentícias, 10% fermento e demais artigos de panificação acessórios e peças de aparelhos de telefonia celular, exceto capas, baterias e carregadores para celular 30% água sanitária, amaciantes, ceras de uso doméstico, inclusive produtos para limpeza e conservação de móveis e utensílios, desinfetante, desodorizantes, detergente, fósforo, esponja de inseticida para uso doméstico, sabão de 30% qualquer espécie, cloro, barrilha e demais artigos para limpeza, higienização e manutenção de piscinas artigos de ourivesaria, ótica e relojoaria, inclusive jóias e bijuterias em geral 30% bicicletas, inclusive peças, pneus, câmara de ar e acessórios 30% bolsas, calçados, cintos e demais artefatos do gênero 30% copos, prato, talheres e demais artigos do gênero 30% Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 12

13 Página- 13 /47 Produtos sujeitos à cobrança do ICMS antecipado com a respectiva Taxa de Valor Agregado TVA art. 946, inciso I e II TVA(%) couro industrializado ou curtido, courvin, napa, borrachas, plásticos e similares 30% fios e cabos eletro-eletrônicos, equipamentos eletro-eletrônicos e seus componentes, semicondutores, transformadores, circuitos integrados e 30% congêneres fumo em corda e demais artigos de tabacaria não contemplados no art. 904 do RICMS/RN 30% instrumentos musicais, antenas, equipamentos e acessórios para sonorização, iluminação, áudio, vídeo e radiocomunicação, exceto para 30% veículos automotores madeira em qualquer estado, inclusive aglomerados, compensados, esquadrias em geral, folheados, laminados, forros, lambris e pisos 30% material para construção, inclusive de acabamento, elétrico, hidráulico e vidros 30% móveis, artigos de colchoaria, brinquedos e utensílios em geral 30% outras bebidas alcoólicas não contempladas nos arts. 921, 896 e 898 I do RICMS/RN 30% papel, artigos de livraria e papelaria em geral, inclusive materiais para escritório e embalagens 30% pneus usados, remodelados, recapeados, recauchutados ou que tenham sido submetidos a algum processo similar que lhes tenha dado condições de 30% reutilização produtos de informática, inclusive computador e similares, ressalvado o disposto no 3 do art. 946-B do RICMS/RN 30% produtos para higiene pessoal, cosméticos em geral e outros artigos de toucador 30% tecidos, confecções em geral e artigos de armarinho 30% 8. Como escriturar os documentos fiscais no regime de crédito presumido de 13% (restaurantes)? a) lançar os documentos fiscais relativos às entradas na forma prevista no art. 613 do RICMS; b) lançar os documentos fiscais relativos às saídas na forma prevista nos artigos 614, 807 e 808 do RICMS; c) concluídos os lançamentos dos documentos fiscais, proceder ao estorno de todos os créditos e débitos, lançando-os, respectivamente, no item 003 (estorno de crédito) do quadro "Débito do Imposto" e no item 008 (estorno de débito) do quadro "Crédito do Imposto", do livro Registro de Apuração do ICMS. Art , inciso III do RICMS; d) lançar o crédito presumido de 13% (treze por cento) do seu faturamento bruto, nos termos do caput do inciso XV, no livro Registro de Apuração do ICMS, no campo "Outros Créditos", juntamente com a expressão "NOS TERMOS DO INCISO XV, DO ARTIGO 112, DO RICMS, APROVADO PELO DECRETO nº /97. Art , inciso IV do RICMS; Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 13

14 Página- 14 /47 e) lançar o valor resultante da aplicação da alíquota de 17% (dezessete por cento) sobre o faturamento bruto, no item 002 "Outros Débitos" do quadro "Débito do Imposto". Art. 112, 37, inciso V do RICMS/RN. 9. Nota fiscal de entrada, quando é permitido a emitir? a) Nos casos de aquisição de mercadorias ou bens, novos ou usados, remetidas a qualquer título por particulares, produtores agropecuários ou pessoas físicas ou jurídicas não obrigadas à emissão de documentos fiscais; b) Devolução de mercadorias em operações internas por pessoa física ou jurídica não obrigada à emissão de documentos fiscais; c) Na Importação de mercadorias. Art. 466 do RICMS/RN. Art O contribuinte, excetuado o produtor agropecuário, não equiparado a comerciante ou industrial, emitirá nota fiscal sempre que em seu estabelecimento entrarem bens ou mercadorias, real ou simbolicamente: I- novas ou usadas, remetidas a qualquer título por particulares, produtores agropecuários ou pessoas físicas ou jurídicas não obrigadas à emissão de documentos fiscais; II- em retorno, quando remetidos por profissionais autônomos ou avulsos, aos quais tenham sido enviados para industrialização, beneficiamento ou conserto; III- em retorno de exposição ou feiras, para as quais tenham sido remetidos exclusivamente para fins de exposição ao público; IV- em retorno de remessa feitas para venda fora do estabelecimento, inclusive por meio de veículos; V- importados diretamente do exterior, bem como os arrematados em leilão ou adquiridos em concorrência promovida pelo Poder Público, no caso de mercadorias ou bens importados e apreendidos ou abandonados; VI- em retorno ao estabelecimento de origem, no caso de mercadoria não entregue ao destinatário; VII- em outras hipótese previstas na legislação. 10. Qual o tratamento tributário na Desincorporação de Bens do Ativo e na Comercialização de Mercadorias Usadas? É aplicável a redução de: a) 95% veículos usados. Art. 93 do RICMS/RN; b) 80% na base de cálculo nas saídas de máquinas, aparelhos, móveis, motores e vestuários, usados. Art. 94 do RICMS/RN; c) o previsto nos itens a e b, não se aplica às empresas optantes pelo SIMPLES NACIONAL. Atenção: Adicionalmente observar as disposições contidas nos artigos 96 e 97, do RICMS/RN. 11. Qual a diferença entre Mercadorias destinadas a: uso, consumo e ativo permanente? Mercadorias destinadas uso São aquelas mercadorias utilizadas pelo estabelecimento, na manutenção de suas atividades, que não se consomem ou não se inutilizam no ato da sua utilização e possuem vida útil inferior a 12 Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 14

15 Página- 15 /47 meses; Mercadorias destinadas a Consumo São aquelas utilizadas pelo estabelecimento, na manutenção de suas atividades, que se consomem ou se inutilizam no ato da sua utilização; Mercadorias destinadas ao Ativo Permanente São considerados bens do ativo permanente, para os efeitos deste regulamento, as máquinas, os equipamentos, instrumentos, móveis, utensílios, veículos e outras mercadorias, cuja vida útil ultrapasse a 12 (doze) meses de uso. 12. Como é aplicado o benefício da redução da base de cálculo nas OPERAÇÕES com MÁQUINAS, APARELHOS e EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS e com MÁQUINAS e IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS, prevista no Art. 101 RICMS, conforme o Convênio ICMS 52/ OPERAÇÕES COM MÁQUINAS, APARELHOS E EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS: Nas operações de saída das regiões sul, sudeste, exclusive Espírito Santo com destino ao RN, com bens do ativo permanente, considera-se, na nota fiscal, um crédito de 5,14% a ser compensado como a alíquota interna que é equivalente a 8,80%, resultando num diferencial de alíquotas de 3,66%; Nas operações para comercialização deverá ser aplicado o TVA de 30%, o que resultará num percentual de ICMS antecipado a recolher de 6,30%; Nas operações de saída das regiões norte, nordeste e centro-oeste e do Espírito Santo, com destino ao RN, com bens do ativo permanente, considera-se, na nota fiscal, um crédito de 8,80% a ser compensado como a alíquota interna que é equivalente a 8,80%, resultando num diferencial de alíquotas de zero; Nas operações para comercialização deverá ser aplicado o TVA de 30%, o que resultará num percentual de ICMS antecipado a recolher de 2,64% OPERAÇÕES COM MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS Nas operações de saída das regiões sul, sudeste, exclusive Espírito Santo com destino ao RN, com bens do ativo permanente, considera-se, na nota fiscal, um crédito de 4,1% a ser compensado como a alíquota interna que é equivalente a 5,6%, resultando num diferencial de alíquotas de 1,5%; Nas operações para comercialização deverá ser aplicado o TVA de 30%, o que resultará num percentual de ICMS antecipado a recolher de 3,18%; Nas operações de saída das regiões NO, NE, centro-oeste e do Espírito Santo, com destino ao RN, com bens do ativo permanente, considera-se, na nota fiscal, um crédito de 5,6% a ser compensado como a alíquota interna que é equivalente a 5,6%, resultando num diferencial de alíquotas de zero; Nas operações para comercialização deverá ser aplicado o TVA de 30%, o que resultará num percentual de ICMS antecipado a recolher de 1,68%; OBS: Os percentuais acima poderão ser revistos acaso ocorra incidência do IPI e o produto se destine à comercialização. Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 15

16 13. Como corrigir uma nota fiscal emitida com erro? Página- 16 /47 A emissão de nota fiscal com incorreção poderá ser corrigida através de carta de correção ou de nota fiscal complementar. As cartas de correção são admitidas quando não se relacionarem com dados que influam no cálculo do imposto ou quando não implicarem na mudança completa do nome do remetente ou do estabelecimento destinatário. Art. 415-A do RICMS/RN. Por sua vez, o documento fiscal complementar (consultar também a pergunta nº. 16) destinase aos demais casos previstos na legislação, devendo nele constar o motivo determinante da emissão e, se for o caso, o número e a data do documento originário, bem como o destaque da diferença do imposto, se devido. Artigos: 109, 9º; 419; 454, 1º e 562-C, 2º, do RICMS/RN. 14. Como ficou a tributação de drogas e medicamentos com a adesão ao convênio 76/94 pelo RN? Aplicar-se-á o disposto do art. 913-A ao 913-I do RICMS. 15. Qual a base legal para a glosa do crédito fiscal indevido decorrente de benefício fiscal concedido por outra UF em desacordo com a Lei complementar 24 de 7 de janeiro de 1975? A Lei nº 8.616/04 que acrescentou o 5º ao Art. 28 da Lei 6.968/96, regulamentada através do Decreto nº , que acrescentou o 8º ao Art. 105 ao RICMS Art (...) (...) 8º. No montante do ICMS destacado em documento fiscal emitido por contribuinte de outro Estado, não se considera, para fins da compensação referida no caput, a parcela que corresponda à vantagem econômica decorrente de quaisquer benefícios ou incentivos fiscais concedidos em desconformidade com o disposto no art. 155, 2º, inciso XII, alínea "g" da Constituição Federal e na Lei Complementar nº 24, de 7 de janeiro de Quando emitir a nota fiscal complementar? a) quando o imposto não estiver destacado no documento fiscal ou o seu destaque tiver sido feito a menor; b) na regularização em virtude de diferença de preço em operação ou prestação, ou na quantidade, volume ou peso de mercadoria, quando efetuada no período de apuração do imposto, em que tenha sido emitido documento fiscal originário; c) para lançamento do ICMS, que não tiver sido pago na época própria, em virtude de erro de cálculo para menos, por erro de classificação fiscal ou por qualquer outro motivo, quando a regularização ocorrer no período de apuração do imposto em que tiver sido emitido o documento fiscal originário; d) quando o imposto não estiver destacado no documento fiscal ou o seu destaque tiver sido feito a menor, a utilização do crédito fiscal restante ou não destacado ficará condicionada à regularização mediante emissão de documento fiscal complementar, pelo remetente ou prestador, vedada a utilização, para esse fim, de "carta de correção". Devendo constar o motivo determinante da emissão e o número e a data do documento originário, bem como o destaque da diferença do imposto, se devido. Art. 109, 4º; art º e art. 419, todos do RICMS. Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 16

17 Página- 17 / Onde posso encontrar o CRT (Código de Regime Tributário) e o CSOSN (Código de Situação da Operação do Simples Nacional)? No anexo 170 do Regulamento do ICMS, que poderá ser acessado por intermédio do link: xo170.doc 18. Onde posso encontrar o Código Nacional de Atividades Econômicas CNAE? O CNAE é o Código Nacional de Atividades Econômicas, que é fornecido pelo IBGE. No anexo 83 do Regulamento do ICMS tem-se a relação dos códigos existentes. Supletivamente, podese obtê-la na página da SET. <SET\LEGISLAÇÃO\ICMS\ANEXOS\Anexo 83> 19. Onde posso obter a relação dos Códigos Fiscais de Operação e Prestações CFOP? Os Códigos Fiscais de Operações e Prestações CFOP, previstos no Ajuste SINIEF Nº. 3/2000 destinam-se a aglutinar, em grupos homogêneos, as operações e prestações realizadas por contribuintes do ICMS e do IPI em todo o território nacional. Devem ser utilizados nas operações de entradas e saídas de mercadorias, bem como nas prestações de serviços. São números criados com a finalidade de descrever o tipo e a natureza fiscal da operação ou prestação que está espelhada no respectivo documento fiscal, bem como na sua escrituração nos livros fiscais próprios. A tabela contendo os Códigos Fiscais de operação ou Prestação (CFOP), bem como a descrição de cada operação ou prestação encontra-se no Anexo 82 do RICMS. Para obtê-la acesse a página da SET. <SET\LEGISLAÇÃO\ICMS\ANEXOS\Anexo 82> 20. Onde Posso obter a tabela de Código de Situação Tributária CST? O Código de Situação Tributária foi instituído, pelo Ajuste SINIEF 3/94, com a finalidade de identificar a origem da mercadoria e/ou serviço e identificar o regime de tributação ao qual está sujeita a mercadoria ou serviço, na operação/prestação praticada. É composto por três dígitos, onde o 1 dígito indica a origem da mercadoria, com base na Tabela A e, os dois últimos indicam a tributação pelo ICMS, com base na Tabela B. A relação destes Códigos encontra-se no Anexo 04 do RICMS/RN, para obtê-la acesse a página da SET. Consulte a tabela prática a seguir com os códigos de situação tributária Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 17

18 TABELA A TABELA B Página- 18 /47 ORIGEM DA MERCADORIA OU SERVIÇO 0. Nacional 1. Estrangeira Importação direta 2. Estrangeira Adquirida no mercado interno TRIBUTAÇÃO PELO ICMS 00. Tributada integralmente 10. Tributada e com cobrança do ICMS por substituição tributária 20. Redução de base de cálculo 30. Isenta ou não tributada e com cobrança do ICMS por substituição tributária 40. Isenta 41. Não tributada 50. Suspensão 51. Diferimento 60. ICMS cobrado anteriormente por substituição tributária 70. Redução de base de cálculo e cobrança do ICMS por substituição tributária 90. Outras QUADRO PRÁTICO COM A FORMAÇÃO DOS CÓDIGOS DE SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA TABELA A - ORIGEM DA MERCADORIA OU SERVIÇO (AC pelo Ajuste SINIEF nº 08/08) 0 - Nacional 1 - Estrangeira Importação direta 2 - Estrangeira Adquirida no mercado interno TABELA B - TRIBUTAÇÃO PELO ICMS ORIGEM Tab. A X Tab. B = CST Tributada integralmente Tributada e com cobrança do ICMS por substituição tributária Com redução de base de cálculo Isenta ou não tributada e com cobrança do ICMS por ST Isenta Não tributada Com suspensão Com diferimento ICMS cobrado anteriormente por substituição tributária Com redução de base de cálculo e cobrança do ICMS por ST Outras Nota explicativa: O código de Situação Tributária é composto de três dígitos na forma ABB, onde o 1º dígito deve indicar a origem da mercadoria ou serviço, com base na Tabela A e os 2º e 3º dígitos a tributação pelo ICMS, com base na Tabela B. 21. Qual o tratamento deve dispensar com as mercadorias quando ocorrer perda, perecimento, sinistro, obsolescência ou roubo? Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 18

19 Página- 19 /47 O tratamento fiscal a ser dispensado está disciplinado nos artigos 115, 173, 174 e 419 do RICMS/RN, observado que cabe ao contribuinte reunir provas materiais da ocorrência do fato que alegado para a respectiva saída. Recomendamos as providencias a seguir: 1. Obtenção de laudo ou certificado de autoridade sanitária ou de segurança que especifique e identifique as quantidades destruídas ou inutilizadas e as razões da providência, ou; 2. Registro da ocorrência, emitido por autoridade competente, nos casos de incêndios, inundações, roubos ou outros eventos semelhantes, ou; 3. Obtenção de laudo de autoridade fiscal chamada a certificar a destruição de bens obsoletos, invendáveis ou danificados, quando não houver valor residual apurável; 4. Comprovar a natureza e o montante das perdas por meio de relatórios, boletins e outros documentos que contenham uma descrição do fato que originou a perda ou quebra e seu montante, que deve incluir ainda o valor dos créditos do ICMS que deva ser estornado na escrita fiscal do contribuinte, quando for o caso; 5. Utilizar o CFOP Lançamento efetuado a título de baixa de estoque decorrente de perda, roubo ou deterioração Classificam-se neste código os registros efetuados a título de baixa de estoque decorrente de perda, roubou ou deterioração das mercadorias. Vale salientar os ajustes, nos estoques, não adequadamente explicados poderá dar lugar a presunção de saída de mercadorias desacompanhada de documentário fiscal, tendo por conseqüência a cobrança do imposto devido e a aplicação de penalidades. Da legislação aplicável Art O contribuinte estornará ou anulará o crédito fiscal relativo às entradas ou aquisições de mercadorias, inclusive o crédito relativo aos serviços a elas correspondentes ressalvados as disposições expressas de manutenção do crédito, quando as mercadorias ou os serviços, conforme o caso:... V- perecerem, forem sinistradas, deteriorarem-se ou forem objeto de quebra, furto, roubo ou extravio, inclusive no caso de tais ocorrências com os produtos resultantes da industrialização, produção, extração ou geração;... 2º Na determinação do valor a ser estornado, observar-se-á o seguinte: I- quando não for conhecido o seu valor exato, será calculado mediante a aplicação da alíquota vigente no momento da entrada ou da aquisição da mercadoria ou da utilização do serviço, sobre o preço mais recente do mesmo tipo de mercadoria ou serviço; II- não sendo possível precisar a alíquota vigente no momento da entrada ou da aquisição da mercadoria ou da utilização do serviço, ou se as alíquotas forem diversas em razão da natureza das operações ou prestações, aplicar-se-á a alíquota das operações ou prestações preponderantes, se possível identificá-las, ou a média das alíquotas relativas às diversas operações de entrada ou às prestações contratadas, vigentes à época do estorno; III- quando houver mais de uma aquisição ou prestação e não for possível determinar a qual delas corresponde a mercadoria ou o serviço, o crédito a ser estornado deverá ser calculado mediante a aplicação da alíquota vigente na data do estorno, sobre o preço mais recente da aquisição do mesmo tipo de mercadoria ou do serviço tomado. Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 19

20 Página- 20 /47 Art Relativamente ao cumprimento das obrigações fiscais pertinentes a operações de circulação de mercadorias identificadas como salvados de sinistro, a empresa seguradora e os segurados observarão as seguintes disposições: I- para a entrada real ou simbólica da mercadoria ou bem no estabelecimento da empresa seguradora: a) será emitida Nota Fiscal pelo remetente indenizado, se este for inscrito no cadastro de contribuintes do imposto e se estiver obrigado à emissão de Notas Fiscais; b) se o remetente indenizado não for obrigado à emissão de Notas Fiscais, a empresa seguradora emitirá Nota Fiscal de entrada, que servirá se for o caso, para acompanhar a mercadoria no transporte até o seu estabelecimento; II- não incide o ICMS sobre a operação de qualquer natureza de que decorra a transferência de bens móveis salvados de sinistro para companhias seguradoras; III- na saída subseqüente da mercadoria, a empresa seguradora emitirá Nota Fiscal na forma regulamentar, com destaque do imposto, sendo que haverá redução da base de cálculo se na operação de entrada não tiver sido onerada pelo imposto ou tiver sido tributada com idêntica redução da base de cálculo, nos termos dos arts. 93 a 97, caso em que será vedada a utilização de quaisquer créditos fiscais. Art O contribuinte a ser indenizado em decorrência de furto, roubo, perecimento, desaparecimento, sinistro ou qualquer outra ocorrência, além das demais disposições regulamentares, observará, especialmente, o seguinte: I- tendo a ocorrência sido verificada no trânsito: a) sendo o remetente o contribuinte a ser indenizado: 1. a Nota Fiscal que acobertava o transporte será lançada normalmente no Registro de Saídas; 2.será emitida Nota Fiscal de entrada para repor, efetiva ou simbolicamente, conforme o caso, as mercadorias no estoque, e anulação do débito fiscal decorrente da saída; b) sendo o destinatário o contribuinte a ser indenizado, a Nota Fiscal que acobertava o transporte será lançada normalmente no Registro de Entradas; II- quer tenha a ocorrência sido verificada no trânsito, quer no próprio estabelecimento: a) será emitida Nota Fiscal para baixa no estoque e estorno do crédito fiscal relativo à entrada ou aquisição das mercadorias, ou para desincorporação do bem, conforme o caso, sendo que, em caso de bem do ativo imobilizado, será feito, igualmente, o estorno do crédito porventura também escriturado no Livro de Registro de Apuração do ICMS. b) a base de cálculo para fins de estorno ou anulação do crédito fiscal será determinada segundo os critérios do: 1. 2º do art. 115; 2. 7º do art. 115, tratando-se de bem do ativo imobilizado alienado antes de decorrido o prazo de 5 (cinco) anos da aquisição; c) para efeitos de cálculo do valor a ser estornado, é irrelevante o valor do contrato de seguro ou da importância a ser recebida a título de indenização; d) será emitida Nota Fiscal, sem destaque do imposto, para transmissão da propriedade das mercadorias à empresa seguradora; e) não será emitida a Nota Fiscal aludida na alínea anterior, nos casos em que houver desaparecimento, furto, roubo ou qualquer outra ocorrência que impossibilite a transmissão da propriedade das mercadorias em virtude de sua inexistência ou indisponibilidade física. Parágrafo Único. Os procedimentos previstos neste artigo serão adotados, também, no que couber, na hipótese de contribuinte que, não tendo feito seguro, houver sido vítima de furto, roubo, perecimento, desaparecimento, sinistro ou qualquer outra ocorrência com mercadorias ou bens. Art A nota fiscal, além das hipóteses previstas no art. 418, será também emitida: (NR do caput pelo Decreto , de 05/05/2005)... VII- para efeito de estornos de débitos ou de créditos fiscais; (NR pelo Decreto , de 05/05/2005) 22. Como fazer o pedido de inscrição na condição de contribuinte substituto? Última atualização: 22 de agosto de 2011, Equipe Plantão Fiscal 48 perguntas freqüentes 20

PRODUTOS SUJEITOS A SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA. CONVÊNIO OU PROTOCOLO Conv. ICMS 045/99 Prot. ICMS 019/92 Conv. ICMS 037/94 DISPOSITIVO DO RICMS

PRODUTOS SUJEITOS A SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA. CONVÊNIO OU PROTOCOLO Conv. ICMS 045/99 Prot. ICMS 019/92 Conv. ICMS 037/94 DISPOSITIVO DO RICMS PRODUTOS SUJEITOS A SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA MERCADORIA Venda porta-a-porta de quaisquer mercadorias destinadas a revendedores não inscritos Cigarros e outros produtos derivados do fumo Cimento Refrigerante,

Leia mais

Maranhão > Novembro/2015

Maranhão > Novembro/2015 OBS: As informações contidas nesta página são de caráter informativo, não dispensando a consulta a um profissional especializado, devido à freqüência com que os conteúdos sofrem alterações. Maranhão >

Leia mais

20/09/2012 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ICMS -VINHO

20/09/2012 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ICMS -VINHO Treinamento atualizado com base na legislação vigente em: 20/09/2012 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ICMS -VINHO JP CONTÁBIL S/S LTDA AGOSTO/2012 Conceituação Consiste na alteração do momento do fato gerador,

Leia mais

ICMS Substituição Tributária. Outubro 2004

ICMS Substituição Tributária. Outubro 2004 ICMS Substituição Tributária Conceituação Consiste na alteração do momento do fato gerador, gerando uma antecipação do pagamento do imposto incidente nas operações seguintes. Responsabilidade Tributária

Leia mais

Página 1 de 12 Agenda Tributária Emissão: às 14:02h Agenda Tributária (Janeiro de 2014) Obrigações Filtros Aplicados: Agenda: Janeiro/2014 - Estado: São - Cidade: São - Dia Inicial: 1 - Dia Final: 31 Dia

Leia mais

Até: Sexta-feira, dia 2 ICMS - Scanc Fato Gerador: Dezembro/2014

Até: Sexta-feira, dia 2 ICMS - Scanc Fato Gerador: Dezembro/2014 Até: Sexta-feira, dia 2 - Scanc Transportador Revendedor Retalhista (TRR) Entrega das informações relativas às operações interestaduais com combustíveis derivados de petróleo ou com álcool etílico carburante

Leia mais

ICMS: ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA DO IMPOSTO NA ENTRADA DE MERCADORIA PROVENIENTE DE OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO - PROCEDIMENTO

ICMS: ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA DO IMPOSTO NA ENTRADA DE MERCADORIA PROVENIENTE DE OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO - PROCEDIMENTO ICMS: ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA DO IMPOSTO NA ENTRADA DE MERCADORIA PROVENIENTE DE OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO - PROCEDIMENTO Sumário 1. Introdução 2. Antecipação tributária 3. Produtos sujeitos - Relação

Leia mais

Distrito Federal > Novembro/2015

Distrito Federal > Novembro/2015 OBS: As informações contidas nesta página são de caráter informativo, não dispensando a consulta a um profissional especializado, devido à freqüência com que os conteúdos sofrem alterações. Distrito Federal

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REGRAS GERAIS ICMS

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REGRAS GERAIS ICMS SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REGRAS GERAIS ICMS CONCEITO A substituição tributária é o instituto pelo qual o Estado transfere a responsabilidade de recolhimento do imposto para terceiro, que não deu causa ao

Leia mais

FAQ - Perguntas freqüentes do ICMS Os assuntos referidos abaixo são tratados nas perguntas indicadas

FAQ - Perguntas freqüentes do ICMS Os assuntos referidos abaixo são tratados nas perguntas indicadas FAQ - Perguntas freqüentes do ICMS Os assuntos referidos abaixo são tratados nas perguntas indicadas Assunto Pergunta / LINK Alíquotas 25 28 27 28 Alteração de cobrança de ICMS antecipado 29 Antecipação

Leia mais

ICMS PRAZOS DE ENTREGA E RECOLHIMENTO ESTADO DE SÃO PAULO

ICMS PRAZOS DE ENTREGA E RECOLHIMENTO ESTADO DE SÃO PAULO ICMS PRAZOS DE ENTREGA E RECOLHIMENTO ESTADO DE SÃO PAULO 02/Jun. 2ª Feira. Operações interestaduais com combustíveis derivados de petróleo e com álcool etílico anidro carburante A entrega das informações

Leia mais

www.icmspratico.com.br Facilitadores: Paulo Almada & Ivanildo França Fortaleza, 06/06/14

www.icmspratico.com.br Facilitadores: Paulo Almada & Ivanildo França Fortaleza, 06/06/14 Fortaleza, 06/06/14 Facilitadores: Paulo Almada & Ivanildo França Em análise: I C M S Questões Atuais Arquivos Eletrônicos ICMS-ST com Material de Construção ICMS-ST com Supermercado/minimercado/atacadistas

Leia mais

IMPOSTO UF Descrição 10/02/2010 Comprovante de Pagamento ou Crédito a Pessoa Jurídica de Juros sobre o Capital Próprio (JANEIRO/2010) INSS FEDERAL

IMPOSTO UF Descrição 10/02/2010 Comprovante de Pagamento ou Crédito a Pessoa Jurídica de Juros sobre o Capital Próprio (JANEIRO/2010) INSS FEDERAL IMPOSTO UF Descrição 10/02/2010 Comprovante de Pagamento ou Crédito a Pessoa Jurídica de Juros sobre o Capital Próprio (JANEIRO/2010) INSS FEDERAL GPS - Envio ao Sindicato (JANEIRO/2010) IPI FEDERAL Cigarros

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos CFOP correta e Alíquota na prestação de serviço de transporte.

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos CFOP correta e Alíquota na prestação de serviço de transporte. de Segmentos CFOP 17/03/2015 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 3.1. Lei Complementar nº 87/1996... 4 3.2. RICMS

Leia mais

OBRIGAÇÕES ESTADUAIS/RS DE SETEMBRO DE 2015

OBRIGAÇÕES ESTADUAIS/RS DE SETEMBRO DE 2015 OBRIGAÇÕES ESTADUAIS/RS DE SETEMBRO DE 2015 04/09/2015 GIA/Água Natural Fornecedores de água natural canalizada Prazo para transmitir pela internet a GIA até o dia 4 do segundo mês subsequente da ocorrência

Leia mais

Palestra. ICMS - Substituição Tributária - Atualização. Julho 2013. Elaborado por: Katia de Angelo Terriaga

Palestra. ICMS - Substituição Tributária - Atualização. Julho 2013. Elaborado por: Katia de Angelo Terriaga Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

2. Que produtos estão sujeitos à substituição tributária a partir de 1º de novembro de 2010? DECRETO/PROTOCOLO

2. Que produtos estão sujeitos à substituição tributária a partir de 1º de novembro de 2010? DECRETO/PROTOCOLO 1. O que é substituição tributária? O regime de substituição tributária é caracterizado pelo deslocamento da responsabilidade pelo pagamento do ICMS relativo a determinadas operações ou prestações para

Leia mais

Fortaleza, 31/03/15. com Paulo Almada

Fortaleza, 31/03/15. com Paulo Almada Fortaleza, 31/03/15 com Paulo Almada Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação ICMS Como

Leia mais

Emissão de Nota Fiscal Eletrônica

Emissão de Nota Fiscal Eletrônica Emissão de Nota Fiscal Eletrônica DANFE - Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica. É um documento que serve para acobertar a circulação da mercadoria. Impresso em via única; Validade em meio digital

Leia mais

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX

LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX LEVANTAMENTO FISCAL SITE KADOX SUMÁRIO 1 ICMS 1.1 CONTRIBUINTE 1.2 FATO GERADOR DO IMPOSTO 1.3 BASE DE CÁLCULO DO IMPOSTO 1.4 REDUÇÃO DA BASE DE CÁLCULO 1.5 CARTA DE CORREÇÃO 1.6 CÓDIGO DA SITUAÇÃO TRIBUTÁRIA

Leia mais

SPED Fiscal Escrita Fiscal Digital - EFD

SPED Fiscal Escrita Fiscal Digital - EFD SPED Fiscal Escrita Fiscal Digital - EFD Luiz Antonio Baptista da Costa Leite Auditor Fiscal da Fazenda Estadual Coordenação dos Estudos Econômico-Fiscais - COEFI Coordenador dos projetos NF-e, CT-e, EFD

Leia mais

ANTECIPAÇÃO PARCIAL, DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA E SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA

ANTECIPAÇÃO PARCIAL, DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA E SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANTECIPAÇÃO PARCIAL, DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA E SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANTECIPAÇÃO PARCIAL- ANTECIPAÇÃO SEM ENCERRAMENTO DE FASE 71. Qual a definição para o cálculo da antecipação parcial? Nas aquisições

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES ESTADUAL - SÃO PAULO JANEIRO DE 2014

AGENDA DE OBRIGAÇÕES ESTADUAL - SÃO PAULO JANEIRO DE 2014 AGENDA DE OBRIGAÇÕES ESTADUAL - SÃO PAULO JANEIRO DE 2014 Dia: 02 SP - Transmissão Eletrônica de Dados - Operações Interestaduais com Combustíveis - Transportador Revendedor Retalhista - TRR O Transportador

Leia mais

ALTERAÇÕES: Decreto nº 20.407/04, Decreto nº 20.914/04 RESPONSABILIDADE

ALTERAÇÕES: Decreto nº 20.407/04, Decreto nº 20.914/04 RESPONSABILIDADE Anexos 4.0 Substituição Tributária Anexos 4.2 Substituição Tributária das Operações com Água Mineral, Água Potável, Cerveja, Chope, Gelo e Refrigerante. Protocolo ICMS 11/1991 Alterações: Protocolo ICMS

Leia mais

Dispõe sobre o regime de Substituição Tributária nas operações realizadas por contribuintes do ICMS, enquadrados nas atividades econômicas que indica

Dispõe sobre o regime de Substituição Tributária nas operações realizadas por contribuintes do ICMS, enquadrados nas atividades econômicas que indica Lei nº 14.237, de 10/11/2008 Decreto nº 29.560, de 27/11/2008 *Publicada no DOE em 13/11/2008 Dispõe sobre o regime de Substituição Tributária nas operações realizadas por contribuintes do ICMS, enquadrados

Leia mais

As atividades econômicas cujas operações estão sujeitas a obrigações específi cas não estão relacionadas nesta agenda. Histórico (descrição)

As atividades econômicas cujas operações estão sujeitas a obrigações específi cas não estão relacionadas nesta agenda. Histórico (descrição) Agenda de Obrigações Fiscais Obrigações Estadual e Municipal OBRIGAÇÕES ESTADUAL E MUNICIPAL de AGENDA DE OBRIGAÇÕES ESTADUAIS No quadro a seguir, relacionamos os prazos de e as obrigações acessórias do,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD 1 - Informações referentes à Escrituração Fiscal Digital EFD A Escrituração Fiscal Digital é um dos módulos do um sistema púbico

Leia mais

DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS E ANTECIPAÇÃO DO IMPOSTO

DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS E ANTECIPAÇÃO DO IMPOSTO DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS E ANTECIPAÇÃO DO IMPOSTO Agosto de 2015 Palestra DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA NA AQUISIÇÃO DE MERCADORIAS INTRERESTADUAIS Tributação do ICMS nas entradas de outra Unidade da Federação

Leia mais

file://c:\internet\orientação_substituição_20_10_08.htm

file://c:\internet\orientação_substituição_20_10_08.htm Page 1 of 20 Esclarecimentos relevantes: 1. o presente informativo: INFORMATIVO SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA (atualizado em 20.10.08) a) foi elaborado com base no Regulamento do ICMS de Santa Catarina, em vigor

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Crédito diferencial de alíquota no Ativo Imobilizado - SP

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Crédito diferencial de alíquota no Ativo Imobilizado - SP Crédito 17/09/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Crédito do ICMS próprio adquirido do Simples Nacional com destino

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REGRAS GERAIS. (atualizado até 30.06.2008)

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REGRAS GERAIS. (atualizado até 30.06.2008) SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REGRAS GERAIS (atualizado até 30.06.2008) ÍNDICE ÍNDICE... 4 INTRODUÇÃO... 5 1. DO REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA... 6 2. INAPLICABILIDADE DA SUBSTITUIÇÃO... 9 3. CÁLCULO DO

Leia mais

SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. Anexo II Lançamento de Ajustes por documento.

SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. Anexo II Lançamento de Ajustes por documento. SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. Anexo II Lançamento de Ajustes por documento. NF Modelo 1 e 1A, Avulsa, Produtor e NF-e. Este anexo detalha todos os lançamentos de Observações e Ajustes (filhos

Leia mais

Operações interestaduais com combustíveis derivados de petróleo e com álcool etílico anidro carburante

Operações interestaduais com combustíveis derivados de petróleo e com álcool etílico anidro carburante ICMS PRAZOS DE ENTREGA E RECOLHIMENTO ESTADO DE SÃO PAULO 02/Jan. 6ª Feira. Operações interestaduais com combustíveis derivados de petróleo e com álcool etílico anidro carburante A entrega das informações

Leia mais

Paraná > Dezembro/2015

Paraná > Dezembro/2015 OBS: As informações contidas nesta página são de caráter informativo, não dispensando a consulta a um profissional especializado, devido à freqüência com que os conteúdos sofrem alterações. Paraná > Dezembro/20

Leia mais

ICMS - Substituição tributária - Produtos submetidos ao regime por meio de Protocolos - Quadro sinótico

ICMS - Substituição tributária - Produtos submetidos ao regime por meio de Protocolos - Quadro sinótico ICMS - Substituição tributária - Produtos submetidos ao regime por meio de Protocolos - Quadro sinótico 22 de Fevereiro de 2013 Em face da publicação do Despacho SE/Confaz nº 27/2013 - DOU 1 de 21.02.2013,

Leia mais

ANEXO 18 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

ANEXO 18 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD ANEXO 18 REVOGADO OS ARTIGOS 1º, 2º, 3º, 4º, 5º, 6º, 7º, 8º e 8º-A pela RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA 10/11 de 14.12.11. Alteração: Resolução Administrativa nº 03/2015 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD Acrescentado

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA GOVERNADORIA DECRETO Nº 12310, DE 10 DE JULHO DE 2006 PUBLICADO NO DOE Nº 0551, DE 10.07.06 Incorpora alterações oriundas da 121ª reunião ordinária do CONFAZ O GOVERNADOR DO ESTADO DE RONDÔNIA, no uso das atribuições

Leia mais

Palestra. ICMS/SP Substituição Tributária Regime Especial Distribuidor. Apoio: Elaborado por: Giuliano Kessamiguiemon Gioia

Palestra. ICMS/SP Substituição Tributária Regime Especial Distribuidor. Apoio: Elaborado por: Giuliano Kessamiguiemon Gioia Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Decreto nº 11.336 (DOE de 26/11/08)

Decreto nº 11.336 (DOE de 26/11/08) Decreto nº 11.336 (DOE de 26/11/08) Procede à Alteração nº 110 ao Regulamento do ICMS e dá outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições, considerando o disposto no Ajuste

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA GABINETE DO SECRETÁRIO DA FAZENDA - GSF Home Page: www.sefaz.pi.gov.br

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA GABINETE DO SECRETÁRIO DA FAZENDA - GSF Home Page: www.sefaz.pi.gov.br GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA GABINETE DO SECRETÁRIO DA FAZENDA - GSF Home Page: www.sefaz.pi.gov.br COMUNICADO SEFAZ Nº 003/2007 Informa sobre a instituição da Declaração de Informações

Leia mais

ANEXO 4.7. Substituição Tributária nas Operações com Disco Fonográfico e Fita Virgem ou Gravada.

ANEXO 4.7. Substituição Tributária nas Operações com Disco Fonográfico e Fita Virgem ou Gravada. ANEXO 4.7 Substituição Tributária nas Operações com Disco Fonográfico e Fita Virgem ou Gravada. Protocolo ICMS 19/1985 Alterações: Protocolo ICMS 09/1986, 10/1987, 53/91, 05/98, 07/2000, 12/06, 72/07,

Leia mais

Evento Especial Antecipação Tributária Art. 426 A do RICMS. Apresentação: Fernanda Silva Samyr H. M. Qbar

Evento Especial Antecipação Tributária Art. 426 A do RICMS. Apresentação: Fernanda Silva Samyr H. M. Qbar Evento Especial Antecipação Tributária Art. 426 A do RICMS Apresentação: Fernanda Silva Samyr H. M. Qbar 24/09/2014 Substituição Tributária A substituição tributária do ICMS é um regime jurídico em que

Leia mais

Convém ressaltar, de início, que o benefício do diferimento não se confunde com a isenção ou com a suspensão do imposto.

Convém ressaltar, de início, que o benefício do diferimento não se confunde com a isenção ou com a suspensão do imposto. ICMS/SP - Diferimento - Tratamento fiscal 6 de Abril de 2010 Em face da publicação do Decreto nº 55.305/2009 - DOE SP de 31.12.2009, este procedimento foi atualizado (tópico 9 - bens do ativo imobilizado

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional 09/01/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Transferência de Crédito do ICMS pelos Optantes do... 4 3.2 Do Ressarcimento

Leia mais

EMPRESA DE REFEIÇÕES COLETIVAS

EMPRESA DE REFEIÇÕES COLETIVAS (atualizado em 19/09/2013) 2 ÍNDICE 1. REGRAS GERAIS...5 2. CREDENCIAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DO CRÉDITO PRESUMIDO...6 3. RECUPERAÇÃO DOS CRÉDITOS RELATIVOS À MERCADORIA SUJEITA AO REGIME DE ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA...7

Leia mais

Pergunte à CPA. Simples Nacional Regras Gerais para o ICMS

Pergunte à CPA. Simples Nacional Regras Gerais para o ICMS 1º/08/2014 Pergunte à CPA Simples Nacional Regras Gerais para o ICMS Apresentação: José A. Fogaça Neto Simples Nacional Criado pela Lei Complementar 123/06, reúne oito tributos em um recolhimento unificado

Leia mais

NOVIDADES NA CONTABILIDADE EMPRESARIAL EM 2016. Daisy Machado

NOVIDADES NA CONTABILIDADE EMPRESARIAL EM 2016. Daisy Machado NOVIDADES NA CONTABILIDADE EMPRESARIAL EM 2016 Daisy Machado Regras para NFCe e NFe Na NFC-e a identificação é opcional, mas para entrega em domicílio (campo indpres=4), independentemente do valor da operação,

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Registro E115 - Lançamento de valores declaratórios em discordância com crédito tributário - MT

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Registro E115 - Lançamento de valores declaratórios em discordância com crédito tributário - MT 10/04/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 8 5. Informações Complementares... 8 6. Referencias...

Leia mais

ICMS/SP - Ativo imobilizado - Principais operações

ICMS/SP - Ativo imobilizado - Principais operações ICMS/SP - Ativo imobilizado - Principais operações Sumário 1. Aquisição - Direito ao credito... 3 1.1 Crédito total (até 31.12.2000) com estornos eventuais ao longo de 5 anos... 3 1.2 Crédito parcelado

Leia mais

IPI ICMS - DF/GO/TO LEGISLAÇÃO - DF LEGISLAÇÃO - TO ANO XX - 2009-3ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 08/2009

IPI ICMS - DF/GO/TO LEGISLAÇÃO - DF LEGISLAÇÃO - TO ANO XX - 2009-3ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 08/2009 ANO XX - 2009-3ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 08/2009 IPI SUSPENSÃO - LEI Nº 10.637/2002 - PROCEDIMENTOS Introdução - Estabelecimentos Com Direito à Suspensão - Preponderância de Faturamento

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS COÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE ASSUNTOÁBEIS DE PORTO ALEGRESEMINÁRIO PALESTRA

Leia mais

RETA FINAL MODULAR PARA O CONCURSO DO ICMS - SP Disciplina: Legislação Tributária Prof.: Vilson Cortez Aula: 08 Data: 08/02/2009

RETA FINAL MODULAR PARA O CONCURSO DO ICMS - SP Disciplina: Legislação Tributária Prof.: Vilson Cortez Aula: 08 Data: 08/02/2009 MATERIAL DE APOIO - PROFESSOR PRINCÍPIO DA NÃO CUMULATIVIDADE Art. 19. LC 87/96 O imposto é não-cumulativo, compensando-se o que for devido em cada operação relativa à circulação de mercadorias ou prestação

Leia mais

Fundamento Legal: Convênio ICMS nº 110/2007, cláusula vigésima sexta, 1º, I e Ato Cotepe/ICMS nº 33/2014

Fundamento Legal: Convênio ICMS nº 110/2007, cláusula vigésima sexta, 1º, I e Ato Cotepe/ICMS nº 33/2014 Agenda de Obrigações Estadual - São Paulo - Maio/2015 Até: Segunda-feira, dia 4 - Scanc Transportador Revendedor Retalhista (TRR) Entrega das informações relativas às operações interestaduais com combustíveis

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REGRAS GERAIS. (atualizado até 16/10/2013)

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REGRAS GERAIS. (atualizado até 16/10/2013) SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REGRAS GERAIS (atualizado até 16/10/2013) 2 1. INTRODUÇÃO... 5 2. DO REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA... 7 3. INAPLICABILIDADE DA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA... 12 4. CÁLCULO DO IMPOSTO

Leia mais

DECRETO Nº 3.940, DE 20 DE MARÇO DE 2000

DECRETO Nº 3.940, DE 20 DE MARÇO DE 2000 DECRETO Nº 3.940, DE 20 DE MARÇO DE 2000 Publicado no DOE(PA) 28.03.00. Alterado pelo Decreto 4.313/00. Revogado pelo Dec. 4.676/01, efeitos a partir de 19.06.01. Institui regime de tributação do Imposto

Leia mais

ANEXO 7 MODELOS DE LIVROS E DOCUMENTOS FISCAIS TERMO DE APRESENTAÇÃO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DA FAZENDA TERMO DE APRESENTAÇÃO

ANEXO 7 MODELOS DE LIVROS E DOCUMENTOS FISCAIS TERMO DE APRESENTAÇÃO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DA FAZENDA TERMO DE APRESENTAÇÃO ANEXO 7 MODELOS DE LIVROS E DOCUMENTOS FISCAIS TERMO DE APRESENTAÇÃO ESTADO DE PERNAMBUCO SECRETARIA DA FAZENDA TERMO DE APRESENTAÇÃO ESCRITURAÇÃO FISCAL DO A ESCRITURAÇÃO FISCAL A SEGUIR REGISTRADA, REGIDA

Leia mais

PALESTRA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA CONSIDERAÇÕES GERAIS

PALESTRA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA CONSIDERAÇÕES GERAIS CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE ASSUNTOÁBEIS DE PORTO ALEGRESEMINÁRIO PALESTRA

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS NO ESTADO DE SÃO PAULO

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS NO ESTADO DE SÃO PAULO Luís Fernando da Silva SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS NO ESTADO DE SÃO PAULO Incluindo as alterações das Leis ns. 12.681/07 e 13.291/08 venda porta-a-porta cigarros bebidas sorvetes cimento frutas veículos

Leia mais

Pergunte à CPA. Devolução e Recusa de Mercadorias Regras gerais

Pergunte à CPA. Devolução e Recusa de Mercadorias Regras gerais 03/04/2014 Pergunte à CPA Devolução e Recusa de Mercadorias Regras gerais Apresentação: José A. Fogaça Neto Devolução regras gerais Artigo 4º - Para efeito de aplicação da legislação do imposto, considera-se...

Leia mais

Pergunte à CPA. Substituição Tributária entre os Estados de SP e MG

Pergunte à CPA. Substituição Tributária entre os Estados de SP e MG 12/06/2014 Pergunte à CPA Substituição Tributária entre os Estados de SP e MG Apresentação: Helen Mattenhauer Convênio e Protocolos CONVÊNIO: Constitui um acordo entre os Estados, cujo elaboração tem por

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GERÊNCIA DE TRIBUTAÇÃO GETRI

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GERÊNCIA DE TRIBUTAÇÃO GETRI 1 Interessado: 6ª DRRE/ARIQUEMES. EMENTA: Diferencial de alíquota. Bens do ativo fixo. Produtor rural. Leasing. Incidência do ICMS na opção de compra. 1. DO RELATÓRIO: A 6ª DRRE, com suporte no disposto

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS. AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. Fonte:- http://www.bauru.sp.gov.br/ - em 03/12/2009

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS. AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. Fonte:- http://www.bauru.sp.gov.br/ - em 03/12/2009 AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS Dia 07/12/2009 SALÁRIOS - Pagamento de salários - mês de NOVEMBRO/2009 - Base legal: Art. 459, parágrafo único da CLT. FGTS - Recolhimento do mês de NOVEMBRO/2009 - Base

Leia mais

ICMS Perícia em processo envolvendo substituição tributária. Recife, agosto de 2008 Eduardo Amoim.

ICMS Perícia em processo envolvendo substituição tributária. Recife, agosto de 2008 Eduardo Amoim. ICMS Perícia em processo envolvendo substituição tributária Recife, agosto de 2008 Eduardo Amoim. OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA OBRIGATORIEDADE DE CUMPRIR A EXIGÊNCIA DE NATUREZA TRIBUTÁRIA PRINCIPAL - Obrigação

Leia mais

INDUSTRIALIZAÇÃO POR ENCOMENDA: EFICIÊNCIA EM PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO. Desenvolvido por:

INDUSTRIALIZAÇÃO POR ENCOMENDA: EFICIÊNCIA EM PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO. Desenvolvido por: INDUSTRIALIZAÇÃO POR ENCOMENDA: EFICIÊNCIA EM PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO. Desenvolvido por: 2014 PRIMEIRA PARTE: DEFINIÇÃO E VANTAGENS O que é a industrialização por encomenda? É uma forma de ganhar eficiência

Leia mais

Detalhamento dos Ajustes

Detalhamento dos Ajustes Detalhamento dos Ajustes 1- Tabela de Ajuste dos Saldos de Apuração do ICMS: Tabela de Códigos de Ajustes da Apuração do ICMS Tabela de códigos de ajustes da apuração será disponibilizada pelas administrações

Leia mais

ANO XXVI - 2015 5ª SEMANA DE JULHO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 31/2015

ANO XXVI - 2015 5ª SEMANA DE JULHO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 31/2015 ANO XXVI - 2015 5ª SEMANA DE JULHO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 31/2015 IPI ARTESANATO, OFICINA E TRABALHO PREPONDERANTE... Pág. 198 ICMS MG CARTA DE CORREÇÃO ELETRÔNICA - CC-E... Pág. 198 LEGISLAÇÃO MG

Leia mais

INFORMÁTICA PRODUTOS E PROGRAMAS. (atualizado até 28.04.2015)

INFORMÁTICA PRODUTOS E PROGRAMAS. (atualizado até 28.04.2015) (atualizado até 28.04.2015) ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 1. PROGRAMA DE COMPUTADOR ( SOFTWARE ) NÃO PERSONALIZADO... 4 1.1. SAÍDA INTERNA... 4 1.1.1. Isenção... 4 1.1.2. Crédito Presumido... 4 1.2. SAÍDA INTERESTADUAL...

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS. AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. Fonte:- http://www.bauru.sp.gov.br/ - em 01/07/2011

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS. AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. Fonte:- http://www.bauru.sp.gov.br/ - em 01/07/2011 AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS Dia 06/07/2011 SALÁRIOS - Pagamento de salários - mês de JUNHO/2011 - Base legal: Art. 459, parágrafo único da CLT. Dia 07/07/2011 FGTS - Recolhimento do mês de JUNHO/2011

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA EM SC - Inclusões e Exclusão de Produtos no Regime a partir de 1º.02.2012 e 1º.03.2012

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA EM SC - Inclusões e Exclusão de Produtos no Regime a partir de 1º.02.2012 e 1º.03.2012 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA EM SC - Inclusões e Exclusão de Produtos no Regime a partir de 1º.02.2012 e 1º.03.2012 Matéria elaborada com base na Legislação vigente em: 21.03.2012. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REGRAS GERAIS. atualizado em 03/02/2016

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REGRAS GERAIS. atualizado em 03/02/2016 atualizado em 03/02/2016 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REGRAS GERAIS alterado os itens 2; 4.3; 5.1; 5.2; 5.3; 5.7; 6.2; 6.3; 7; 7.1; 7.5; 11; 11.1.1; 11.1.3; 11.2.1; 11.2.2; 11.3; 11.3.1; 11.3.3 em 26/01/2016

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital (EFD) Regras Gerais. 1. Introdução. 2. Definição

Escrituração Fiscal Digital (EFD) Regras Gerais. 1. Introdução. 2. Definição SUMÁRIO 1. Introdução 2. Definição 3. Contribuintes Obrigados à EFD 3.1. Contribuintes optantes pelo SIMPLES Nacional ou Microempreendedor Individual (MEI) 4. Livros Fiscais 5. Contribuintes Obrigados

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. AGENDA TRIBUTÁRIA FEDERAL (SRF e INSS)

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. AGENDA TRIBUTÁRIA FEDERAL (SRF e INSS) AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS Dia 06/12/2011 SALÁRIOS - Pagamento de salários - mês de NOVEMBRO/2011 - Base legal: Art. 459, parágrafo único da CLT. Dia 07/12/2011 FGTS - Recolhimento do mês de NOVEMBRO/2011

Leia mais

ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA

ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA Tendo em vista a implantação das Áreas de Livre Comércio de Brasiléia,

Leia mais

DIFERIMENTO DO ICMS - Recolhimento do Imposto pelo Contribuinte Substituto

DIFERIMENTO DO ICMS - Recolhimento do Imposto pelo Contribuinte Substituto DIFERIMENTO DO ICMS - Recolhimento do Imposto pelo Contribuinte Substituto Matéria elaborada com base na legislação vigente em 14.05.2012. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - DIFERIMENTO - SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA

Leia mais

INFORMÁTICA PRODUTOS E PROGRAMAS

INFORMÁTICA PRODUTOS E PROGRAMAS atualizado em 21/10/2015 2 ÍNDICE INTRODUÇÃO...5 1. PROGRAMA DE COMPUTADOR ( SOFTWARE ) NÃO PERSONALIZADO...7 1.1. Saída Interna...7 1.1.1. Isenção...7 1.1.2. Crédito Presumido...7 1.2. Saída Interestadual...8

Leia mais

Versão 06/2012. Substituição Tributária

Versão 06/2012. Substituição Tributária Substituição Tributária 1 ÍNDICE 1. O que é a Substituição Tributária?... 3 1.1 Tipos de Substituição Tributária;... 3 1.2 Como é feito o Recolhimento da ST?... 3 1.3 Convênio e Aplicação... 3 1.4 Base

Leia mais

INFORMATIVO SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA (atualizado em 07.07.08)

INFORMATIVO SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA (atualizado em 07.07.08) INFORMATIVO SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA (atualizado em 07.07.08) Esclarecimentos relevantes: 1. o presente informativo: a) foi elaborado com base no Regulamento do de Santa Catarina, em vigor no dia 25 de

Leia mais

(atualizado em 15/04/2015)

(atualizado em 15/04/2015) (atualizado em 15/04/2015) COMÉRCIO ATACADISTA: SISTEMÁTICA ESPECIAL DO DECRETO Nº 38.455/2012 ÍNDICE INTRODUÇÃO...5 1. APLICABILIDADE...6 2. INAPLICABILIDADE...6 3. CREDENCIAMENTO...7 3.1. Regras Gerais...7

Leia mais

AQUISIÇÕES INTERESTADUAIS INSTRUTORA: VALÉRIA PERES

AQUISIÇÕES INTERESTADUAIS INSTRUTORA: VALÉRIA PERES AQUISIÇÕES INTERESTADUAIS INSTRUTORA: VALÉRIA PERES 1 Entradas de mercadorias de outros Estados sujeitas ao regime da substituição tributária no Rio Grande do Sul ( ICMS ST pago na Entrada ) Procedimentos

Leia mais

Art. 3º O art. 293, do RICMS, aprovado pelo Decreto n.º 13.640, de 13 de novembro de 1997, passa a vigorar com. a seguinte redação: Art. 293... (...

Art. 3º O art. 293, do RICMS, aprovado pelo Decreto n.º 13.640, de 13 de novembro de 1997, passa a vigorar com. a seguinte redação: Art. 293... (... DECRETO Nº 17.706, DE 9 DE AGOSTO DE 2004. Altera o Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto n.º 13.640, de 13 de novembro de 1997, para dispor sobre isenção de produtos intermediários destinados à produção

Leia mais

Estadual - SP Mês: 01/2016

Estadual - SP Mês: 01/2016 Estadual Estadual - SP Mês: 01/2016 Dia: 04 SP - Transmissão Eletrônica de Dados - Operações Interestaduais com Combustíveis - Transportador Revendedor Retalhista - TRR O Transportador Revendedor Retalhista

Leia mais

67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal?

67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal? OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS 67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal? Nas operações de vendas a contribuinte, a Nota Fiscal, modelos 1 e 1-A ou a Nota Fiscal

Leia mais

Composto por quatro dígitos, deverá, obrigatoriamente, ser informado no preenchimento da Nota Fiscal conforme Tabela de Códigos Fiscais.

Composto por quatro dígitos, deverá, obrigatoriamente, ser informado no preenchimento da Nota Fiscal conforme Tabela de Códigos Fiscais. 2 - PRENCHIMENTO DE NOTA FISCAL MERCANTIL. 2.1 CFOP (Código Fiscal de Operações e Prestações) Composto por quatro dígitos, deverá, obrigatoriamente, ser informado no preenchimento da Nota Fiscal conforme

Leia mais

CIRCULAÇÃO DA MERCADORIA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO INTERESTADUAL E INTERMUNICIPAL SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO POR ATO ONEROSO

CIRCULAÇÃO DA MERCADORIA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO INTERESTADUAL E INTERMUNICIPAL SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO POR ATO ONEROSO MUDANÇAS DO ICMS CIRCULAÇÃO DA MERCADORIA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO INTERESTADUAL E INTERMUNICIPAL SERVIÇO DE COMUNICAÇÃO POR ATO ONEROSO Artigo 9º - Contribuinte do imposto é qualquer pessoa, natural ou jurídica,

Leia mais

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos Luiz Campos 1 Livro de Apuração do IPI - CFOP CFOP DESCRIÇÃO 1.000 ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO 1.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, PRODUÇÃO RURAL,

Leia mais

Pergunte à CPA Serviço de transporte considerações gerais 28/04/2014

Pergunte à CPA Serviço de transporte considerações gerais 28/04/2014 Pergunte à CPA Serviço de transporte considerações gerais 28/04/2014 Apresentador: José Alves F. Neto Transporte - conceito ICMS X ISS Como determinar a competência Fato gerador RICMS/SP Artigo 2º - Ocorre

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REGRAS GERAIS. (atualizado em 04/03/2015)

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REGRAS GERAIS. (atualizado em 04/03/2015) SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA REGRAS GERAIS (atualizado em 04/03/2015) 2 1. INTRODUÇÃO... 5 2. DO REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA... 7 3. INAPLICABILIDADE DA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA... 12 4. CÁLCULO DO IMPOSTO

Leia mais

COMUNICADO CAT Nº 22 DE 27/05/2009 DOE-SP de 28/05/2009

COMUNICADO CAT Nº 22 DE 27/05/2009 DOE-SP de 28/05/2009 COORDENADOR DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA COMUNICADO CAT Nº 22 DE 27/05/2009 DOE-SP de 28/05/2009 O Coordenador da Administração Tributária declara que as datas fixadas para cumprimento das Obrigações Principais

Leia mais

GOVERNO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GETRI GERÊNCIA DE TRIBUTAÇÃO

GOVERNO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DE FINANÇAS COORDENADORIA DA RECEITA ESTADUAL GETRI GERÊNCIA DE TRIBUTAÇÃO ASSUNTO: Operações de transferência de mercadorias de estabelecimento de Ji-Paraná para filial em Epitaciolândia-AC. PARECER Nº 098/06/GETRI/CRE/SEFIN SÚMULA: OPERAÇÕES DE SAÍDAS PARA ÁREA DE LIVRE COMÉRCIO

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS. AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. Fonte:- http://www.bauru.sp.gov.br/ - em 01/04/2010

AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS. AGENDA DE OBRIGAÇÕES MUNICIPIO/BAURU-SP. Fonte:- http://www.bauru.sp.gov.br/ - em 01/04/2010 AGENDA DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS Dia 07/04/2010 SALÁRIOS - Pagamento de salários - mês de MARÇO/2010 - Base legal: Art. 459, parágrafo único da CLT. FGTS - Recolhimento do mês de MARÇO/2010 - Base legal:

Leia mais

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO APOSTILA 5 LIVRO V DO RICMS-RJ. Atualizada até o Decreto 44.200 de 13/05/2013

LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO APOSTILA 5 LIVRO V DO RICMS-RJ. Atualizada até o Decreto 44.200 de 13/05/2013 DECRETO 27.427/00 - RICMS RJ LIVRO V PROF. CLÁUDIO BORBA 1 LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO APOSTILA 5 LIVRO V DO RICMS-RJ Atualizada até o Decreto 44.200 de 13/05/2013 PROF. CLÁUDIO BORBA

Leia mais

LEI Nº 166 DE 16 DE ABRIL DE 1997

LEI Nº 166 DE 16 DE ABRIL DE 1997 LEI Nº 166 DE 16 DE ABRIL DE 1997 Cria o selo fiscal, o romaneio de transporte de gado, o passe fiscal, certificado de regularidade fiscal, antecipação tributária, diferimento do ICMS, nova sistemática

Leia mais

Carga Tributária dos Combustíveis por Estado. Referência: Junho/2015

Carga Tributária dos Combustíveis por Estado. Referência: Junho/2015 Carga Tributária dos Combustíveis por Estado Referência: Junho/2015 Pontos importantes da Lei 12.741/2012 para a revenda de combustíveis Art. 1º Emitidos por ocasião da venda ao consumidor de mercadorias

Leia mais

I 4623108 Comércio atacadista de matérias-primas agrícolas com atividade de fracionamento e acondicionamento associada

I 4623108 Comércio atacadista de matérias-primas agrícolas com atividade de fracionamento e acondicionamento associada SETOR ECONÔMICO ATACADISTA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA LEGISLAÇÃO PERTINENTE LEI Nº 14.237, de 10/11/2008 DECRETO Nº 29.560, de 27/11/2008 MODALIDADE DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA POR ENTRADA Mercadoria entrada

Leia mais

Imprimir "Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial do Estado."

Imprimir Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial do Estado. Imprimir "Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial do Estado." DECRETO Nº 10.710 DE 18 DE DEZEMBRO DE 2007 Procede à Alteração nº 98 ao Regulamento do ICMS e dá outras providências. O GOVERNADOR

Leia mais

TRANSPORTE DE CARGAS AÉREO - Tratamento Tributário relacionado ao ICMS/SC

TRANSPORTE DE CARGAS AÉREO - Tratamento Tributário relacionado ao ICMS/SC TRANSPORTE DE CARGAS AÉREO - Tratamento Tributário relacionado ao ICMS/SC Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 04.11.2011. SUMÁRIO: 1 - INTRODUÇÃO 2 - ALÍQUOTAS DO ICMS 2.1 - Operações

Leia mais

Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de transportes interestadual e intermunicipal e de

Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de transportes interestadual e intermunicipal e de Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de transportes interestadual e intermunicipal e de comunicação - ICMS BASE CONSTITUCIONAL E LEGAL Artigo 155,

Leia mais

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins 29/05/2012 1 O Sped fiscal e Pis/Confins é uma arquivo gerado através do sistema da SD Informática, onde este arquivo contem todos os dados de entrada e saída

Leia mais

Art. 341. É suspensa a incidência do ICMS:

Art. 341. É suspensa a incidência do ICMS: Art. 341. É suspensa a incidência do ICMS: I - nas saídas internas, interestaduais e para o exterior, de mercadorias ou bens destinados a industrialização, conserto ou operações similares, bem como nos

Leia mais