para o desenvolvimento do turismo em portugal

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "para o desenvolvimento do turismo em portugal"

Transcrição

1 para o desenvolvimento do turismo em portugal Nuno Fazenda Turismo de Portugal, I.P Évora, 31 março 2015

2 1 Do plano de ação turismo 2020

3 ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS TURISMO 2020: QUESTÕES ESTRUTURAIS DO PLANO DE AÇÃO ONDE É QUE ESTAMOS? Diagnóstico Prospetivo PARA ONDE É QUE QUEREMOS IR? Referencial Estratégico COMO É QUE LÁ CHEGAMOS? Implementação Turismo Internacional Grandes Tendências Posicionamento de Portugal no turismo mundial Projeções internacionais 2020 (OMT, FMI) Oferta Procura Turística Turística Tipologia e Dormidas capacidade Taxas de alojamento ocupação Recursos Sazonalidade Turísticos Mercados Investimentos realizados QREN SWOT País e Regiões Intern. e Nacional Modelo Territorial e Visão 2020 Metas Objetivos Estratégicos Prioridades de Investimento Programas e Projetos Programas Operacionais Temáticos e Regionais PDR PROMAR PO s Cooperação Correspondência entre Projetos prioritários e Programas Operacionais 3

4 ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS TURISMO 2020: PROCESSO ABERTO E PARTICIPADO Interação e Concertação com Agentes Évora Auditório CCDR Alentejo 18 setembro ª CONFERÊNCIA PÚBLICA 2º WORKSHOP / SESSÃO DE TRABALHO ENTIDADES PARTICIPANTES WORKSHOP/ PARCERIAS PROTOCOLO COOPERAÇÃO Agência Regional de Promoção Turística do Alentejo Associação Casas Brancas Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, AHRESP Associação Diretores dos Hotéis de Portugal, ADHP Associação Empresarial da Região de Portalegre, NERPOR Associação Empresarial da Região de Santarém, NERSANT Associação Empresarial do Baixo Alentejo e Litoral, NERBE/AEBAL Associação Heranças do Alentejo Associação Portuguesa de Agências de Viagens e Turismo, APAVT Associação Portuguesa de Empresas de Congressos, Animação Turística e Eventos, APECATE Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo Instituto Politécnico de Beja Núcleo Empresarial Da Região De Évora, NERE AE Turismo do Alentejo, ERT Universidade de Évora 4

5 ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS TURISMO 2020: O QUE É? É UM PLANO DE AÇÃO DO TURISMO PARA O PORTUGAL REFERENCIAL A CONSIDERAR Promotores 5

6 2 GRANDES TENDÊNCIAS, TURISMO EM PORTUGAL, REGIÕES

7 DIAGNÓSTICO PROSPETIVO GRANDES TENDÊNCIAS INTERNACIONAIS TURISMO DEMOGRÁFICAS E SOCIOCULTURAIS TURISMO TRANSPORTES TENDÊNCIAS GLOBAIS ECONÓMICAS TURISMO TURISMO TECNOLÓGICAS AMBIENTAIS TURISMO 7

8 DIAGNÓSTICO PROSPETIVO TURISMO EM PORTUGAL QUAL É O POSICIONAMENTO NO CONTEXTO INTERNACIONAL? Ranking Mundial OMT 26 º Em receitas turísticas Em dormidas de residentes Ranking UE 28 Eurostat Fórum Económico Mundial World Economic Forum (WEF) Travel & Tourism Competitiveness Index 09 º TOP 20 no estrangeiro. Em receitas turísticas Dos destinos mais competitivos no mundo 8

9 DIAGNÓSTICO PROSPETIVO TURISMO EM PORTUGAL Mais de 16 milhões de hóspedes Representa um saldo positivo da balança turística em 7,1 mil milhões de euros 46,1 milhões de dormidas Atividade exportadora com 14,8% das Exportações de bens e serviços do País 10,4 mil milhões de euros de receitas turísticas Fator de desenvolvimento regional 9

10 TURISMO NAS REGIÕES OFERTA TURÍSTICA E RECURSOS TURÍSTICOS PROCURA TURÍSTICA INVESTIMENTOS QREN ANÁLISE SWOT RACIONAL ESTRATÉGICO NORTE DISTRIBUIÇÃO REGIONAL DAS DORMIDAS 11,7% CENTRO LISBOA ALENTEJO 2,3% 9,0% 25,0% ALGARVE R.A. AÇORES R.A. MADEIRA 13,7% 2,8% 35,5% 10

11 ALENTEJO

12 TURISMO NAS REGIÕES ALENTEJO OFERTA TURÍSTICA PESO DA CAPACIDADE DE ALOJAMENTO DA REGIÃO NO CONTEXTO NACIONAL (camas, 2013) País Norte 14,9% Centro 14,2% TIPOLOGIAS DA OFERTA DE ALOJAMENTO DA REGIÃO (2013) Outros 12,9% Pousadas 6,0% Aldeamento e Apart. 11,6% Lisboa 18,4% Alentejo 5,1% Algarve 34,8% R.A. Madeira 9,6% R.A. Açores 3,0% Hotéis Apart. 18,4% Hotéis 51,2% Nota: Empreendimentos turísticos sem TER e Parques de campismo Fonte: Instituto Nacional de Estatística 12

13 TURISMO NAS REGIÕES ALENTEJO OFERTA TURÍSTICA: DISTRIBUIÇÃO TERRITORIAL CAPACIDADE EM EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS POR NUTS III Lezíria do Tejo 9,13% Alto Alentejo 15,98% Alentejo Litoral representa mais de 40% da oferta da região Alentejo Litoral 40,69% Alentejo Central 23,35 % Baixo Alentejo 10,84% Nº de Camas / NUTS III Até De a 1910 De a De a De a Fonte: Turismo de Portugal (2014) 13

14 TURISMO NAS REGIÕES ALENTEJO OFERTA TURÍSTICA: RECURSOS TURÍSTICOS PATRIMÓNIO HISTÓRICO (urbano-monumental) PATRIMÓNIO DE ARTE SACRA PATRIMÓNIO ETNOGRÁFICO E DE ARTE POPULAR PATRIMÓNIO NATURAL Centro Histórico de Évora, Património Arquitetónico e Museus Cidade Fronteiriça e de Guarnição de Elvas e as suas Fortificações (património UNESCO) Castelos e Fortalezas e Aldeias Típicas Pousadas Património Arqueológico Igrejas e Conventos Torres e Ermidas Artes e Ofícios tradicionais Cante Alentejano Produtos e sabores mediterrânicos Gastronomia e Vinhos Montado de Sobro Cavalo Lusitano e Tauromaquia Alqueva, Rio Guadiana Praias Virgens, Recursos Cinegéticos Fonte: Elaborado a partir de CCDR Alentejo (2014), ERT Alentejo e Ribatejo (2013), Turismo de Portugal (2007) 14

15 TURISMO NAS REGIÕES ALENTEJO PROCURA TURÍSTICA: EVOLUÇÃO Taxa de Variação 2013/2014 MERCADO INTERNACIONAL (dormidas de residentes no estrangeiro) + 25,0% 17,2% (11,0% PT) + + MERCADO INTERNO (dormidas de residentes) +13,7% 15

16 TURISMO NAS REGIÕES - ALENTEJO PROCURA TURÍSTICA DORMIDAS POR TIPOLOGIA DE ALOJAMENTO DA REGIÃO (2013) DORMIDAS EM EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS (milhões, 2013) País 41,7 Outros 7,7% Pousadas 7,3% Aldeamento e Apart. 3,4% Norte 11,8% Centro 9,0% Hotéis Apart 18,6% Lisboa 24,1% Alentejo 2,7% Hotéis 63,0% Algarve 35,5% R.A. Madeira 14,3% R.A. Açores 2,5% Nota: Empreendimentos turísticos sem TER e Parques de campismo 1,1 milhões de dormidas na região Fonte: Instituto Nacional de Estatística 16

17 TURISMO NAS REGIÕES ALENTEJO PROCURA TURÍSTICA: DISTRIBUIÇÃO TERRITORIAL DORMIDAS 1 POR NUTS III Lezíria do Tejo 7,8% Alto Alentejo 14,2% Alentejo Central e Alentejo Litoral representam mais de 65% das dormidas da Região Alentejo Litoral 29,8% Alentejo Central 36,0 % Baixo Alentejo 12,2% Nota 1: Inclui Hotéis, Hotéis-apartamentos, Pousadas, Apartamentos e Aldeamentos turísticos Nº de Dormidas / NUTS III de a de a de a Fonte: Turismo de Portugal (2014) 17

18 TURISMO NAS REGIÕES ALENTEJO PROCURA TURÍSTICA: PRINCIPAIS MERCADOS DORMIDAS DE RESIDENTES: 68,34% DORMIDAS DE NÃO RESIDENTES: 31,66% +2,68% TOP 5 em ,44% +208,45% -2,30% +15,48% 1º Espanha 2º França 3º Brasil 4º Alemanha 5º Reino Unido Variação 2007/2013 Brasil passa de 9º para 3º Espanha França Brasil Alemanha Reino Unido

19 TURISMO NAS REGIÕES ALENTEJO INVESTIMENTO PRIVADO NO TURISMO (QREN ) INVESTIMENTO POR ATIVIDADES TURÍSTICAS Atividade Turística Nº projetos Euros % Alojamento Hoteleiro ,68 91,93 Turismo no Espaço Rural ,37 4,08 Restauração ,67 0,08 Agências de viagem ,47 1,17 Animação Turística ,55 2,74 Outras atividades ,00 0,01 TOTAL ,74 100,00 96,01% do Investimento foi em Alojamento 35,2% 29,7% TERRITORIALIZAÇÃO DO INVESTIMENTO POR NUTS III Alto Alentejo 16,3% Alentejo Litoral 37,1% Baixo Alentejo 4,1% Lezíria do Tejo 0,3% Alentejo Central 42,2% Alentejo Central e Alentejo Litoral, representam 79,3% do investimento total 1,5% 23,7% 99 projetos 346,7M 10% Fonte: Turismo de Portugal, (Junho 2014); AICEP(Junho 2014) 19

20 TURISMO NAS REGIÕES ALENTEJO RACIONAL ESTRATÉGICO REGIONAL DE ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE Domínio Património, Indústrias Culturais Criativas e Serviços do Turismo AGRO- ALIMENTAR E VINHOS ARTES E ESPETÁCULOS TURISMO RECURSOS & ATIVOS ATIVIDADES CULTURAIS INDÚSTRIAS CRIATIVAS TICE UTILIZADORES AVANÇADOS DARK SKY VINHOS E GASTRONOMIA DESTINATION MANAGEMENT ORGANIZATION PATRIMÓNIO EDIFICADO ARTES E HUMANIDADES TICE INOVAÇÃO BASE EMPRESARIAL DISTRIBUIÇÃO TURÍSTICA TURISTAS Fonte: CCDR Alentejo (2013) 20

21 TURISMO NAS REGIÕES ALENTEJO RACIONAL ESTRATÉGICO Na definição estratégica da Entidade Regional de Turismo emergem duas ideias chave em torno das quais se desenvolvem as prioridades para o turismo da região no horizonte 2020: ALENTEJO um destino turístico certificado ao longo de toda a cadeia de valor e reconhecido internacionalmente pela sua identidade e diferenciação das experiências oferecidas. ALENTEJO Ideia Força. Certificação do Destino dos Serviços e do Território, com preocupações centrais ao nível da Sustentabilidade, da Identidade, da Qualidade e da Ética/Responsabilidade Social. (retirado de: ERT Alentejo, 2013) 21

22 3 ciclo de programação comunitária

23 PORTUGAL 2020 TURISMO 2020: PLANO DE AÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DO TURISMO EM PORTUGAL PORTUGAL 2020 TURISMO 2020 Plano de Ação para o Desenvolvimento do Turismo em Portugal 23

24 TURISMO 2020 VISÃO E VALORES DE SUPORTE VISÃO TURISMO 2020 Portugal quer ser o destino com maior crescimento turístico na Europa, suportado na sustentabilidade e na competitividade de uma oferta turística diversificada, autêntica e inovadora, consolidando o turismo como uma atividade central para o desenvolvimento económico do país e para a sua coesão territorial. Hospitalidade As pessoas História e Cultura O património cultural Serviços turísticos As empresas Mar e Natureza O património natural Conhecimento As instituições de ensino e de I&D Diversidade Concentrada Autenticidade PORTUGAL País acolhedor País com História, cultura e modernidade País com serviços de excelência País de Mar, Sol, Praia e Natureza País com excelência de serviço e na vanguarda do conhecimento em turismo 24

25 TURISMO 2020 VISÃO E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS ATRAIR COOPERAR Reforço da cooperação internacional Qualificação e valorização do território e dos seus recursos turísticos distintivos Reforço da competitividade e internacionalização das empresas do turismo COMPETIR VISÃO Concursos Portugal 2020 Competitividade e Internacionalização COMUNICAR Promoção e comercialização da oferta turística do país e das regiões Capacitação, Formação e I&D+I em Turismo CAPACITAR 25

26 TURISMO 2020 VISÃO E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS PRIORIDADES DE INVESTIMENTO II. COMPETIR Reforço da competitividade e internacionalização das empresas do turismo 1 Requalificação e inovação da oferta de alojamento 2 Desenvolvimento de atividades económicas inovadoras nas áreas da animação turística, dos eventos e da restauração de interesse para o turismo 3 Fomento do empreendedorismo na geração e desenvolvimento de novas ideias e novos negócios turísticos 4 Reforço do acesso das PME do Turismo às TIC 5 Melhoria das competências estratégicas das PME 6 Certificação de qualidade e eficiência energética 26

27 TURISMO 2020 OBJETIVOS TEMÁTICOS E ESTRATÉGICOS Correspondência entre os Objetivos Temáticos do PORTUGAL 2020 com os Objetivos Estratégicos do TURISMO 2020 OT1 Reforço da investigação, do desenvolvimento tecnológico e da inovação OT2 Melhoria do acesso às TIC, bem como a sua utilização e qualidade OT3 Melhorar a Competitividade das PME [3.1][3.2][3.3] OT4 OT5 Apoio à transição para uma economia de baixo teor de carbono em todos os setores Promoção da adaptação às alterações climáticas e prevenção e gestão dos riscos OT6 Proteger o ambiente e promover a eficiência de recursos [6.3][6.4][6.5] OT7 Promoção de transportes sustentáveis e melhoria de infraestruturas OT8 Promover o emprego e apoiar a mobilidade do trabalho [8.9] OT9 Promoção da inclusão social e combate à pobreza e à descriminação OT10 Investir na educação, competências e aprendizagem ao longo da vida [10.4] OT11 Reforçar a capacidade institucional e administração pública eficiente [11.2] 27

28 PROJETOS REFERENCIADOS

29 TURISMO 2020 PROJETOS REFERENCIADOS É A ARTICULAÇÃO DE PEQUENOS E GRANDES PROJETOS, NUMA LÓGICA DE VARIEDADE RELACIONADA, QUE PROMOVEM A QUALIFICAÇÃO E O REFORÇO DA COMPETITIVIDADE DO TURISMO DO PAÍS E DAS REGIÕES. 29

30 TURISMO 2020 RECONHECIMENTO DOS PROJETOS CRITÉRIOS GERAIS Critérios Gerais de Reconhecimento de Mérito e Integração no Plano de Ação para o Desenvolvimento do Turismo de Portugal Turismo 2020 ENQUADRAMENTO ESTRATÉGICO VALOR INTRÍNSECO DO PROJETO PROMOTOR E PARCEIROS Os critérios indicados não dispensam o estabelecido nos Programas Operacionais, na regulamentação específica e nos Avisos de concurso (condições de admissibilidade e elegibilidade e dos critérios de seleção) do Portugal 2020, a que os diversos projetos estão sujeitos em sede de candidatura. 30

31 TURISMO 2020 PROJETOS I. ATRAIR Qualificação e valorização do território e dos seus recursos turísticos distintivos PROJETO Animação e Dinamização do Património Cultural Imaterial do Alentejo e do Ribatejo Alentejo Turismo e Sustentabilidade Programa de Certificação do Destino Alentejo e Ribatejo Portugal Náutico PROMOTORES E PARCEIROS Alguns exemplos Promotor: Turismo do Alentejo, ERT Parceiros: Direção Regional de Cultura do Alentejo; Direção Geral do Património Cultural; Municípios; Fundações e Associações com finalidade cultural; Comissão Nacional da UNESCO Promotor: Comunidade Intermunicipal (CIM) do Alto Alentejo Parceiros: Municípios, instituições regionais e Instituto Politécnico de Portalegre Promotor: Turismo do Alentejo, ERT; Parceiros: 58 Municípios. Entidades públicas com responsabilidades na gestão do território. Associações relevantes por linha de montagem de produto turístico (Parceiros) Promotor: AEP Associação Empresarial de Portugal Parceiro: Oceano XXI Associação para o Conhecimento e Economia do Mar 31

32 TURISMO 2020 PROJETOS I. ATRAIR Qualificação e valorização do território e dos seus recursos turísticos distintivos PROJETO Marca Natural PT Prove Portugal PROMOTORES E PARCEIROS Alguns exemplos Promotor: Instituto da Conservação da Natureza e Florestas, I.P. Parceiros: Empresas de restauração, de alojamento e de animação turística; Comércio a retalho; Associações de Produtores, de Desenvolvimento Local, Culturais; Grupos de Ação Costeira; Municípios; Entidades internacionais; Parcerias estratégicas para a divulgação e promoção da marca: Turismo de Portugal Entidades Regionais de Turismo Agências Regionais de Promoção Turística Municípios; Associações de Desenvolvimento Local (GAL); Grupos de Ação Costeira (GAC); Municípios; Operadores turísticos nacionais e estrangeiros Agências de viagens Entidades internacionais Promotores: Direção Geral da Agricultura e Desenvolvimento Rural e Turismo de Portugal 32

33 TURISMO 2020 PROJETOS II. COMPETIR Reforço da competitividade e internacionalização das empresas do turismo CONCURSOS ABERTOS SI INOVAÇÃO PRODUTIVA : Regime Contratual de Investimento [RCI] (AVISO N.º 1/SI/2015) SI - INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO (SI I&DT) (AVISO N.º 2/SI/2015) SI - INOVAÇÃO PRODUTIVA (AVISO N.º 3/SI/2015) SI EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO E CRIATIVO (AVISO N.º4/SI/2015) CALENDÁRIO DE CANDIDATURA De a De a De a De a AVISOS DE ABERTURA DE CANDIDATURAS Fonte: POCI,

34 TURISMO 2020 PROJETOS III. CAPACITAR Capacitação, Formação e I&D+I em Turismo PROJETO Plataforma de Gestão do Conhecimento em Turismo Programa de Estímulo do Empreendedorismo no Turismo Centro de Inovação e Competências para a Restauração, Hotelaria e Turismo Programa de Qualificação e Formação dos Recursos Humanos para o Turismo Criação do Laboratório Nacional de Turismo PROMOTORES E PARCEIROS Alguns exemplos Promotor: Turismo de Portugal Parceiros: Associações Empresariais; Entidades Regionais de Turismo; Agências Regionais de Promoção Turística; Sistema Científico e Tecnológico Nacional Promotor: Turismo de Portugal Parceiros: Aceleradoras, Incubadoras, Universidades, Associações empresariais, Instituições de Financiamento e outros agentes do ecossistema empreendedor Promotor: AHRESP Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal Promotor: Turismo de Portugal e Escolas de Hotelaria e Turismo) Parceiros: Associações Empresariais (AHRESP, CTP, AHP, AIHSA, etc), Empresas do setor, ERT, Associações Internacionais (EURHODIP, AEHT, Etc) Universidades, Estabelecimentos de Ensino congéneres nacionais e internacionais, Organismos de Estado Nacional e Internacional (DGES, ANQEP, IEFP; Ministério da Educação, Comissão Europeia, OCDE, ) Promotor: Universidades com Centros de Investigação classificados pela FCT com uma classificação mínima de muito bom e associações empresariais Parceiro: Turismo de Portugal 34

35 TURISMO 2020 PROJETOS PROGRAMA INTEGRADO DE PROMOÇÃO EXTERNA DO PAÍS E DAS REGIÕES PROMOTORES IV. COMUNICAR Promoção e comercialização da oferta turística do país e das regiões Promoção externa de Portugal Promoção externa Alentejo Implementação da estratégia de promoção turística internacional de Portugal Implementação da estratégia de promoção turística internacional da Região do Alentejo Turismo de Portugal, Confederação do Turismo Português Associação de Turismo do Alentejo, Empresas PROJETO PROMOTORES Promoção interna Alentejo Implementação da estratégia de promoção turística da ERT Alentejo no país e no mercado espanhol Turismo do Alentejo 35

36 TURISMO 2020 PROJETOS V. COOPERAR Reforço da cooperação internacional PROJETO Lago do Alqueva Valorização e Promoção Turística PROMOTORES E PARCEIROS Promotor: ATLA Associação Transfronteiriça do Lago Alqueva Parceiros: CIM s, EDIA, Rede Turismo de Aldeia do Alentejo, Diputacion Badajoz, Governo Extremadura) LAGO DO ALQUEVA Projeto transfronteiriço 36

37 TURISMO 2020 TURISMO 2020: PROJETOS VISÃO HOLÍSTICA MAR AMBIENTE PATRIMÓNIO E CULTURA AGRO-ALIMENTAR EDUCAÇÃO & FORMAÇÃO TURISMO 2020 INDÚSTRIAS CRIATIVAS TECNOLOGIAS INVESTIGAÇÃO & DESENVOLVIMENTO PROMOÇÃO MOBILIDADE INSTITUIÇÕES DE SUPORTE EMPRESAS SISTEMA CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO NACIONAL 37

38 TURISMO 2020 NOTAS FINAIS OPERACIONALIZAÇÃO DO PLANO Reforçar a interação e o esclarecimento junto de promotores. Intensificar a cooperação com as Autoridades de Gestão do Portugal 2020 concursos. Promover o reconhecimento de uma Estratégia de Eficiência Coletiva no Portugal o Cluster Estratégico Turismo

39 TURISMO 2020 NOTAS FINAIS Turismo 2020: Plano Vivo PLANO ABERTO À INTEGRAÇÃO DE PROJETOS 39

40 para o desenvolvimento do turismo em portugal turismo2020.turismodeportugal.pt Nuno Fazenda Turismo de Portugal, I.P.

para o desenvolvimento do turismo em portugal

para o desenvolvimento do turismo em portugal para o desenvolvimento do turismo em portugal Nuno Fazenda Turismo de Portugal, I.P Coimbra, 9 abril 2015 1 Do plano de ação turismo 2020 ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS TURISMO 2020: PROCESSO ABERTO E PARTICIPADO

Leia mais

para o desenvolvimento do turismo em portugal

para o desenvolvimento do turismo em portugal para o desenvolvimento do turismo em portugal Nuno Fazenda Turismo de Portugal, I.P Sintra, 13 abril 2015 1 Do plano de ação turismo 2020 ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS TURISMO 2020: PROCESSO ABERTO E PARTICIPADO

Leia mais

Seminário Turismo 2020: Fundos Comunitários

Seminário Turismo 2020: Fundos Comunitários Seminário Turismo 2020: Fundos Comunitários Plano de Ação para o Desenvolvimento do Turismo em Portugal 2014-2020 Braga, 15 de janeiro 2014 Nuno Fazenda Turismo de Portugal, I.P. TURISMO Importância económica

Leia mais

para o desenvolvimento do turismo em portugal

para o desenvolvimento do turismo em portugal para o desenvolvimento do turismo em portugal Nuno Fazenda Turismo de Portugal, I.P Guimarães, 10 abril 2015 1 Do plano de ação turismo 2020 ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS TURISMO 2020: QUESTÕES ESTRUTURAIS

Leia mais

Apoios à Internacionalização e à Inovação. António Costa da Silva Santarém, 26 de setembro de 2014

Apoios à Internacionalização e à Inovação. António Costa da Silva Santarém, 26 de setembro de 2014 Apoios à Internacionalização e à Inovação António Costa da Silva Santarém, 26 de setembro de 2014 ALENTEJO PRIORIDADES PARA UMA ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE 1. Alimentar e Floresta 2. Recursos Naturais,

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Universidade de Évora, 10 de março de 2015 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Lezíria do Tejo Alto Alentejo Alentejo Central Alentejo Litoral

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade Acordo de Parceria Consagra a política de desenvolvimento económico, social, ambiental e territorial Define

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade ACORDO DE PARCERIA Consagra a política de desenvolvimento económico, social, ambiental e territorial Define

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO

PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO Jorge Abegão Secretário-Técnico do COMPETE Coimbra, 28 de janeiro de 2015 Estratégia Europa 2020 ESTRATÉGIA EUROPA 2020 CRESCIMENTO INTELIGENTE

Leia mais

UM OLHAR PARA O MUNDO RURAL DLBC - A NOVA ESTRATÉGIA PARA O TERRITÓRIO

UM OLHAR PARA O MUNDO RURAL DLBC - A NOVA ESTRATÉGIA PARA O TERRITÓRIO UM OLHAR PARA O MUNDO RURAL DLBC - A NOVA ESTRATÉGIA PARA O TERRITÓRIO LIMITES DO TERRITÓRIO DE INTERVENÇÃO CONSTRUÇÃO DA ESTRATÉGIA - Acordo Parceria 2020 - PDR 2014-2020 - PORA 2020 - PROT OVT - EIDT

Leia mais

PO AÇORES 2020 FEDER FSE

PO AÇORES 2020 FEDER FSE Apresentação pública PO AÇORES 2020 FEDER FSE Anfiteatro C -Universidade dos Açores -Ponta Delgada 04 de marçode 2015 PO AÇORES 2020 UM CAMINHO LONGO, DIVERSAS ETAPAS A definição das grandes linhas de

Leia mais

CTCV. seminários. Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020. Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015

CTCV. seminários. Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020. Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015 23 10 2014 Programas de apoio no novo Quadro Portugal 2020 Seminário ISO 9001 e ISO 14001 Enquadramento e alterações nos referenciais de 2015 Victor Francisco Gestão e Promoção da Inovação 21 de outubro

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO ALENTEJO

PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO ALENTEJO PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO ALENTEJO Alentejo 2020 Desafios Borba 17 de Dezembro de 2014 ALENTEJO Estrutura do Programa Operacional Regional do Alentejo 2014/2020 1 - Competitividade e Internacionalização

Leia mais

Portugal 2020. 03-11-2014 Areagest Serviços de Gestão S.A.

Portugal 2020. 03-11-2014 Areagest Serviços de Gestão S.A. Portugal 2020 Os Nossos Serviços Onde pode contar connosco? Lisboa Leiria Braga Madrid As Nossas Parcerias Institucionais Alguns dos Nossos Clientes de Referência Bem Vindos à Areagest Índice O QREN;

Leia mais

Portugal 2020. Inovação da Agricultura, Agroindústria. Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt

Portugal 2020. Inovação da Agricultura, Agroindústria. Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt Portugal 2020 Inovação da Agricultura, Agroindústria e Floresta Pedro Cilínio pedro.cilinio@iapmei.pt FEDER 2020 - Prioridades Concentração de investimentos do FEDER Eficiência energética e energias renováveis

Leia mais

Atelier Inclusão Social

Atelier Inclusão Social Atelier Inclusão Social Porto, 3 de setembro de 2013 ccdr-n.pt/norte2020 Atelier Inclusão Social: Estrutura de apresentação Sumário 1. Enquadramento Europeu: Próximo ciclo da Politica de Coesão 2. Investimentos

Leia mais

A NOVA AGENDA DO DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL E OS NOVOS INSTRUMENTOS 2014-2020

A NOVA AGENDA DO DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL E OS NOVOS INSTRUMENTOS 2014-2020 ENCONTRO TEMÁTICO DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL 28 de Fevereiro de 2014, Espaço Jovem, Porto de Mós. Grupo de Trabalho Desenvolvimento Urbano Sustentável A NOVA AGENDA DO DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL

Leia mais

PORTUGAL 2020: Como financiar a sua empresa?

PORTUGAL 2020: Como financiar a sua empresa? PORTUGAL 2020: Como financiar a sua empresa? QUAL O MONTANTE DE APOIOS COMUNITÁRIOS ATRIBUÍDOS A PORTUGAL? 25 Mil Milhões de Euros. Outros Programas* Este é o montante que Portugal vai receber em fundos

Leia mais

Portugal 2020: Investigação e Inovação no domínio da Competitividade e Internacionalização

Portugal 2020: Investigação e Inovação no domínio da Competitividade e Internacionalização Portugal 2020: Investigação e Inovação no domínio da Competitividade e Internacionalização Duarte Rodrigues Vogal da Agência para o Desenvolvimento e Coesão Lisboa, 17 de dezembro de 2014 Tópicos: 1. Portugal

Leia mais

Portugal 2020. CCILC, Junho 2014

Portugal 2020. CCILC, Junho 2014 Portugal 2020 CCILC, Junho 2014 Internacionalização: Quando? Para Quem? PME Organizações Onde? Regiões Como valorizar? + RH +Inovação O Quê? Que Investimentos? Quais? Temas Prioridades Objetivos Internacionalização:

Leia mais

TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015

TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015 TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015 João Cotrim de Figueiredo 10 Out 2014 Turismo: crescimento e resiliência No século do Turismo? Mais de 1.100 milhões de turistas em 2014 OMT prevê crescimento médio anual

Leia mais

Financiamento Regional e Portugal 2020. Alexandra Rodrigues Seminário CTCV

Financiamento Regional e Portugal 2020. Alexandra Rodrigues Seminário CTCV Financiamento Regional e Portugal 2020 Alexandra Rodrigues Seminário CTCV 9 abril 2015 Foco Temático no conjunto dos FEEI Sustentabilidade e eficiência no Uso de Recurso 6.259 M 25% Competitividade e Internacionalização

Leia mais

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2014-2020

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2014-2020 COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA 2014-2020 18-11-2015 INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL, IP-RAM MISSÃO Promover o desenvolvimento, a competitividade e a modernização das empresas

Leia mais

micro-empresas e activid i a d de d ec e onómica c TAGUS, 24 de Janeiro de 2015

micro-empresas e activid i a d de d ec e onómica c TAGUS, 24 de Janeiro de 2015 micro-empresas e actividade económica TAGUS, 24 de Janeiro de 2015 20 anos Uma estratégia com o objectivo único de contribuirpara fixar população no interior do seu território. Combater o exodo rural e

Leia mais

MINHO INovação 2014/2020

MINHO INovação 2014/2020 MINHO INovação 2014/2020 O MINHO IN Estratégia de Eficiência Coletiva O Minho IN é estratégia de eficiência coletiva, isto é uma ação conjunta assente numa parceria que partilha um objetivo em concreto:

Leia mais

Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020. Ana Abrunhosa Presidente da Comissão Diretiva do CENTRO 2020

Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020. Ana Abrunhosa Presidente da Comissão Diretiva do CENTRO 2020 Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020 Ana Abrunhosa Presidente da Comissão Diretiva do CENTRO 2020 PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO CENTRO 2014-2020 Dotação financeira: 2.155 M FEDER: 1.751

Leia mais

Sessão de apresentação. 08 de julho de 2015

Sessão de apresentação. 08 de julho de 2015 REDE INTERMUNICIPAL DE PARCERIAS DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E ÀS EMPRESAS, COM IMPACTO NO DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL DA REGIÃO DO ALGARVE Sessão de apresentação. 08 de julho de 2015 1 1 CONTEÚDOS

Leia mais

TAGUS, 19 de Janeiro de 2015

TAGUS, 19 de Janeiro de 2015 TAGUS, 19 de Janeiro de 2015 20 anos Uma estratégiacom o objectivoúnicode contribuirpara fixar população no interior do seu território. Combater o exodo rural e abandono da activiade agro- Combater o exodo

Leia mais

Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020

Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 30 de julho de 2014 Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020 Informações gerais O Acordo de Parceria abrange cinco fundos: Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional

Leia mais

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO CRITÉRIOS DE INSERÇÃO DE PROJECTOS NO PÓLO DE COMPETITIVIDADE E TECNOLOGIA TURISMO 2015 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTO ELEGÍVEIS 1. No âmbito dos

Leia mais

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO (RETIFICADA)

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO (RETIFICADA) SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO CRITÉRIOS DE INSERÇÃO DE PROJETOS NO PÓLO DE COMPETITIVIDADE E TECNOLOGIA TURISMO 2015 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTO ELEGÍVEIS (RETIFICADA) 1.

Leia mais

Portugal 2020. Pedro Gomes Nunes. Director Executivo. Lisboa, Fevereiro 2014. www.risa.pt

Portugal 2020. Pedro Gomes Nunes. Director Executivo. Lisboa, Fevereiro 2014. www.risa.pt Pedro Gomes Nunes Director Executivo Lisboa, Fevereiro 2014 RISA - Apresentação ÁREAS DE NEGÓCIO Estudos e Projectos + 20 anos de experiência + 1.500 candidaturas a Fundos Comunitários aprovadas. + 1,6

Leia mais

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes 2 Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Índice 1 Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) 2 Crédito

Leia mais

SISTEMA DE APOIO A AÇÕES COLETIVAS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 1.2, 3.1, 3.2, 3.3 E 8.5) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio.

SISTEMA DE APOIO A AÇÕES COLETIVAS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 1.2, 3.1, 3.2, 3.3 E 8.5) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio. SISTEMA DE APOIO A AÇÕES COLETIVAS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 1.2, 3.1, 3.2, 3.3 E 8.5) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio.2015 19 JUNHO DE 2015 Página 1 de 9 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTO

Leia mais

AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20

AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20 AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20 Vítor Escária CIRIUS ISEG, Universidade de Lisboa e Augusto Mateus & Associados Barreiro, 30/06/2014 Tópicos Enquadramento A Estratégia de Crescimento

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Inclusão Social e Emprego

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Inclusão Social e Emprego Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Inclusão Social e Emprego Eixo 5 - Emprego e Valorização Económica dos Recursos Endógenos Objectivo Temático 8 - Promoção da sustentabilidade e qualidade

Leia mais

CRER NO CENTRO DE PORTUGAL: um ambicioso desafio coletivo. 5 de março de 2013

CRER NO CENTRO DE PORTUGAL: um ambicioso desafio coletivo. 5 de março de 2013 CRER NO CENTRO DE PORTUGAL: um ambicioso desafio coletivo 5 de março de 2013 A Região Centro no Contexto Nacional Portugal Região Centro % Municípios 308 100 32,5 Área (km 2 ) 92.212 28.199 30,6 População,

Leia mais

Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020. Isabel Damasceno, Vogal Executiva CCDRC, 28 de janeiro de 2015

Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020. Isabel Damasceno, Vogal Executiva CCDRC, 28 de janeiro de 2015 Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020 Isabel Damasceno, Vogal Executiva CCDRC, 28 de janeiro de 2015 Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020 Dotação financeira reforçada: 2.155 M

Leia mais

Jorge Sobrado, CCDR-N/ON.2

Jorge Sobrado, CCDR-N/ON.2 Jorge Sobrado, CCDR-N/ON.2 O ON.2_contexto ON.2_contexto ON.2_contexto O ON.2 representa 1/3 dos financiamentos do QREN aprovados na Região Norte itário (Milhões de Euros) 1800 1 600 1 400 1 200 1 000

Leia mais

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 O desafio Horizonte 2020 Compromissos Nacionais Metas UE-27 20%

Leia mais

Compromisso para o Crescimento Verde e o Turismo

Compromisso para o Crescimento Verde e o Turismo www.pwc.pt Compromisso para o Crescimento Verde e o Turismo 16 Cláudia Coelho Diretora Sustainable Business Solutions da Turismo é um setor estratégico para a economia e sociedade nacional o que se reflete

Leia mais

ILinhas de apoio financeiro

ILinhas de apoio financeiro ILinhas de apoio financeiro Lisboa 03 junho 2012 Direção de Investimento Carlos Abade INSTRUMENTOS DE APOIO À ATIVIDADE PRODUTIVA TURISMO Carlos Abade Faro, 2 de agosto de 2012 Turismo Um setor estratégico

Leia mais

para o desenvolvimento do turismo em portugal

para o desenvolvimento do turismo em portugal para o desenvolvimento do turismo em portugal Nuno Fazenda Turismo de Portugal, I.P Lisboa, 25 fevereiro 2015 AGENDA 1 2 Grandes tendências internacionais Turismo em portugal Turismo nas regiões do Plano

Leia mais

RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS

RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Julho de 2005 A actividade da hotelaria insere-se na CAE 55 Alojamento e Restauração, que, por sua vez, integra o sector do turismo, um dos sectores

Leia mais

Apoios ao Turismo Lições do QREN, desafios e oportunidades

Apoios ao Turismo Lições do QREN, desafios e oportunidades Apoios ao Turismo Lições do QREN, desafios e oportunidades Piedade Valente Comissão Diretiva do COMPETE Sintra, 9 de outubro de 2014 Agenda da Competitividade (2007-2013): instrumentos de apoio eficiência

Leia mais

Os PROVERE em movimento: ponto de situação dos Programas de Acção

Os PROVERE em movimento: ponto de situação dos Programas de Acção Os PROVERE em movimento: ponto de situação dos Programas de Acção Ana Abrunhosa Vogal Executiva da Comissão Directiva do Mais Centro Pilares essenciais da iniciativa PROVERE do QREN: i) os projectos âncora

Leia mais

Um Programa dirigido às Empresas Francisco Nunes

Um Programa dirigido às Empresas Francisco Nunes Um Programa dirigido às Empresas Francisco Nunes Gestor de Eixo Aveiro 2 de dezembro de 2015 Fonte: Comissão Europeia Contexto competitivo global Melhoria dos fatores domésticos de competitividade Ambiente

Leia mais

QREN. 2007-2013 Agenda de Competitividade

QREN. 2007-2013 Agenda de Competitividade 1 QREN. 2007-2013 Conhecimento e inovação Produção transaccionável QREN 2007-2013 Competitividade Financiamento Empresarial Eficiência da Administração Pública Convergência com a UE Perfil de especialização

Leia mais

Fundos Estruturais e de Investimento 2014-2020

Fundos Estruturais e de Investimento 2014-2020 + competitivo + inclusivo + sustentável Fundos Estruturais e de Investimento 2014-2020 Piedade Valente Vogal da Comissão Diretiva do COMPETE Santarém, 26 de setembro de 2014 Estratégia Europa 2020 ESTRATÉGIA

Leia mais

Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico

Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico, Turismo de Portugal, I.P. Rua Ivone Silva, Lote 6, 1050-124 Lisboa Tel. 211 140 200 Fax. 211 140 830 apoioaoempresario@turismodeportugal.pt

Leia mais

Portugal 2020 Oportunidades de financiamento para a Inovação Tecnológica na AP Francisco Nunes

Portugal 2020 Oportunidades de financiamento para a Inovação Tecnológica na AP Francisco Nunes Portugal 2020 Oportunidades de financiamento para a Inovação Tecnológica na AP Francisco Nunes Gestor de Eixo Pavilhão do Conhecimento 5 de maio de 2015 Inovação na AP INOVAÇÃO exploração com sucesso de

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

MINHO IN. Seminário Valorização dos Recursos Endógenos Agroalimentar & Gastronomia. 25 de Novembro de 2015, Villa Moraes, Ponte de Lima

MINHO IN. Seminário Valorização dos Recursos Endógenos Agroalimentar & Gastronomia. 25 de Novembro de 2015, Villa Moraes, Ponte de Lima MINHO IN Seminário Valorização dos Recursos Endógenos Agroalimentar & Gastronomia 25 de Novembro de 2015, Villa Moraes, Ponte de Lima O MINHO IN Estratégia de Eficiência Coletiva O Minho IN é estratégia

Leia mais

Criar Valor com o Território

Criar Valor com o Território Os territórios como ativos 4 O VALORIZAR é um programa de valorização económica de territórios, que os vê como ativos de desenvolvimento e geração de riqueza e emprego. 5 é a sua visão e a sua assinatura.

Leia mais

GUIA PORTUGAL 2020 QUEM? COMO? QUANDO? PORQUÊ? NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS 2014-2020 SPAIN - FRANCE - PORTUGAL - BELGIUM - BRAZIL - CHILE - CANADA

GUIA PORTUGAL 2020 QUEM? COMO? QUANDO? PORQUÊ? NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS 2014-2020 SPAIN - FRANCE - PORTUGAL - BELGIUM - BRAZIL - CHILE - CANADA GUIA PORTUGAL 2020 NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS 2014-2020 QUEM? COMO? QUANDO? PORQUÊ? www.f-iniciativas.com GUIA PORTUGAL 2020 QUEM? COMO? QUANDO? PORQUÊ? 1. O que é Portugal 2020 2. Metas para o Portugal

Leia mais

centro para as artes, ciência e tecnologia investigação, inovação e sustentabilidade

centro para as artes, ciência e tecnologia investigação, inovação e sustentabilidade 2 Sphera Castris centro para as artes, ciência e tecnologia investigação, inovação e sustentabilidade O projeto procura responder à necessidade de criar uma infraestrutura de cultura e património, produção

Leia mais

Nuno Vitorino Faro 22 Junho 2012

Nuno Vitorino Faro 22 Junho 2012 Iniciativa JESSICA Financiamento de Projectos Sustentáveis de Reabilitação Urbana Perspectivas para o Período 2014-2020 de Programação dos Fundos Comunitários Nuno Vitorino Faro 22 Junho 2012 JESSICA (Joint

Leia mais

Matriz Portugal 2020 Candidaturas diretas a efetuar pelas IPSS

Matriz Portugal 2020 Candidaturas diretas a efetuar pelas IPSS Revisão 1 : 02/09/2015 PO PO Preparação e Reforço das Capacidades, Formação e Ligação em rede dos Gal (DLBC) Desenvolvimento Local de Base Comunitária 2ª fase Seleção das Estratégias de Desenvolvimento

Leia mais

FUNDOS EUROPEUS APOIAM INOVAÇÃO SOCIAL/EMPREENDEDORISMO SOCIAL

FUNDOS EUROPEUS APOIAM INOVAÇÃO SOCIAL/EMPREENDEDORISMO SOCIAL FUNDOS EUROPEUS APOIAM INOVAÇÃO SOCIAL/EMPREENDEDORISMO SOCIAL Rosa Maria Simões Vice-presidente do Conselho Diretivo Agência para o Desenvolvimento e Coesão, IP 8 de maio de 2014, Teatro Municipal do

Leia mais

2ª Conferência. Internet, Negócio e Redes Sociais Financiar, Inovar e Empreender. 21 de novembro de 2013 Auditório do ISEGI

2ª Conferência. Internet, Negócio e Redes Sociais Financiar, Inovar e Empreender. 21 de novembro de 2013 Auditório do ISEGI 2ª Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais Financiar, Inovar e Empreender 21 de novembro de 2013 Auditório do ISEGI Patrocinador Principal Patrocinadores Globais APDSI PME Apoios ao crescimento APDSI

Leia mais

Consultoria Estratégica

Consultoria Estratégica Quem somos e o que fazemos A Select Advisor é uma empresa de Consultoria Estratégica Ajudamos à criação de valor, desde a intenção de investimento e angariação de parcerias até ao apoio de candidaturas

Leia mais

Workshop Abertura de candidaturas SAMA2020 Francisco Nunes

Workshop Abertura de candidaturas SAMA2020 Francisco Nunes Workshop Abertura de candidaturas SAMA2020 Francisco Nunes Gestor de Eixo Lisboa 1 de julho de 2015 DOMÍNIOS TRASNVERSAIS DOMÍNIOS TEMÁTICOS Portugal 2020 COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO INCLUSÃO

Leia mais

Lisboa 2020 Competitividade, Inovação e Cooperação: Estratégia para o Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo

Lisboa 2020 Competitividade, Inovação e Cooperação: Estratégia para o Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo Lisboa 2020 Competitividade, Inovação e Cooperação: Estratégia para o Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo LISBOA DE GEOGRAFIA VARIÁVEL... Perspectiva administrativa: Área Metropolitana de

Leia mais

TOURING CULTURAL produto estratégico para Portugal

TOURING CULTURAL produto estratégico para Portugal TOURING CULTURAL produto estratégico para Portugal O TURISMO CULTURAL HOJE 44 milhões de turistas procuram turismo cultural na Europa O património cultural aproxima civilizações e motiva a viagem A preservação

Leia mais

Apoio à Internacionalização

Apoio à Internacionalização Apoio à Internacionalização Incentivos QREN Castelo Branco, 4 de outubro 2012 YUNIT Corporate: João Esmeraldo QREN - Sistema Incentivos Empresas I&DT - Investigação e Desenvolvimento Qualificação - Investimentos

Leia mais

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa Diagnóstico do Sistema de Investigação e Inovação: Desafios, forças e fraquezas rumo a 2020 FCT - A articulação das estratégias regionais e nacional - Estratégia de Especialização Inteligente para a Região

Leia mais

Sistemas de Incentivos Q R E N

Sistemas de Incentivos Q R E N SOLUÇÕES DE FINANCIAMENTO ÀS EMPRESAS Sistemas de Incentivos Q R E N TURISMO [Regiões NUT II Continente] Funchal 13 novembro 2012 Miguel Mendes SOLUÇÕES DE FINANCIAMENTO ÀS EMPRESAS 1 QREN - SISTEMA DE

Leia mais

PROJECTOS INDIVIDUAIS E DE COOPERAÇÃO

PROJECTOS INDIVIDUAIS E DE COOPERAÇÃO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 03 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) PROJECTOS INDIVIDUAIS E DE COOPERAÇÃO Nos termos do

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020

Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Programa de Desenvolvimento Rural do Continente para 2014-2020 Medida 1 INOVAÇÃO Ação 1.1 GRUPOS OPERACIONAIS Enquadramento Regulamentar Artigos do Regulamento (UE) n.º 1305/2013, do Conselho e do Parlamento

Leia mais

O Apoio à Qualificação, Internacionalização e Inovação no Portugal 2020. Diretora da Unidade de Política Regional Conceição Moreno

O Apoio à Qualificação, Internacionalização e Inovação no Portugal 2020. Diretora da Unidade de Política Regional Conceição Moreno O Apoio à Qualificação, Internacionalização e Inovação no Portugal 2020 Diretora da Unidade de Política Regional Conceição Moreno Lisboa, 14 de nov de 2014 Tópicos: 1. Portugal 2020: Objetivos e prioridades

Leia mais

INTERREG V-A 2014-2020. Elena de Miguel Gago Diretora, Secretariado Conjunto 1

INTERREG V-A 2014-2020. Elena de Miguel Gago Diretora, Secretariado Conjunto 1 INTERREG V-A 2014-2020 BASES DA PRIMEIRA CONVOCATÓRIA Elena de Miguel Gago Diretora, Secretariado Conjunto 1 I. EIXOS E PRIORIDADES DE INVESTIMENTO As propostas deverão enquadrar-se numa das seguintes

Leia mais

EVENTO ANUAL DO PO LISBOA Resultados do POR Lisboa e Portugal 2020. Prioridades do FEDER

EVENTO ANUAL DO PO LISBOA Resultados do POR Lisboa e Portugal 2020. Prioridades do FEDER EVENTO ANUAL DO PO LISBOA Resultados do POR Lisboa e Portugal 2020 Prioridades do FEDER Dina Ferreira, Vogal do Conselho Diretivo - Instituto Financeiro para o Desenvolvimento Regional Os novos contornos

Leia mais

Objetivos: A melhoria da qualidade de vida das comunidades piscatórias; A valorização das raízes culturais e etnográficas de forma a estimular a

Objetivos: A melhoria da qualidade de vida das comunidades piscatórias; A valorização das raízes culturais e etnográficas de forma a estimular a ALDEIAS DE MAR Enquadramento Identificar uma estratégia corporizada através de um conjunto de projetos de âmbito empresarial, cultural, ambiental e social dirigidos às comunidades piscatórias. Criar uma

Leia mais

CENTRO 2020 PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO CENTRO 2014-2020

CENTRO 2020 PROGRAMA OPERACIONAL REGIONAL DO CENTRO 2014-2020 ÍNDICE Esquema resumo..pág. 2 Introdução...pág. 3 Objetivos Temáticos pág. 3 Eixos Prioritários...pág. 4 Eixo 1: Investigação, Desenvolvimento e Inovação..pág. 5 Eixo 2: Competitividade e Internacionalização

Leia mais

Cluster Habitat Sustentável. COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO Forum Pólos de Competitividade e Clusters - 2011

Cluster Habitat Sustentável. COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO Forum Pólos de Competitividade e Clusters - 2011 Cluster Habitat Sustentável COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO Forum Pólos de Competitividade e Clusters - 2011 Victor Ferreira Porto 20/12/2011 Cluster Habitat Sustentável O cluster Habitat Sustentável

Leia mais

Inovação e Competitividade das Empresas na Via da Exportação Francisco Nunes

Inovação e Competitividade das Empresas na Via da Exportação Francisco Nunes Inovação e Competitividade das Empresas na Via da Exportação Francisco Nunes Gestor de Eixo Hotel de Guimarães 12 de junho de 2015 Diagnóstico Diagnóstico Fonte: Comissão Europeia Diagnóstico Fatores Críticos

Leia mais

.: Instrumentos de financiamento de apoio à competitividade no âmbito do Portugal 2020. 14 de Janeiro de 2015

.: Instrumentos de financiamento de apoio à competitividade no âmbito do Portugal 2020. 14 de Janeiro de 2015 14 de Janeiro de 2015 O que é o Portugal 2020? O Portugal 2020 é um Acordo de Parceria assinado entre Portugal e a Comissão Europeia, que reúne a atuação dos 5 fundos estruturais e de investimento europeus

Leia mais

Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável

Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável 2ª CONFERÊNCIA PASSIVHAUS PORTUGAL 2014 29 de Novembro de 2014 Aveiro - Centro Cultural e de Congressos Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável

Leia mais

INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS. Novembro de 2014

INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS. Novembro de 2014 INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS Novembro de 2014 1 Competitividade de Destinos Emergência nos estudos sobre estratégia empresarial Indústria, empresas, países, organizações Diferentes

Leia mais

A Estratégia Nacional para o Turismo em Espaços de Baixa Densidade

A Estratégia Nacional para o Turismo em Espaços de Baixa Densidade A Estratégia Nacional para o Turismo em Espaços de Baixa Densidade Maria José Catarino Vogal do Conselho Directivo Trancoso, 28 de Outubro de 2009 TURISMO - Contributo para o desenvolvimento sustentado

Leia mais

A MOBILIDADE EM CIDADES MÉDIAS ABORDAGEM NA PERSPECTIVA DA POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI

A MOBILIDADE EM CIDADES MÉDIAS ABORDAGEM NA PERSPECTIVA DA POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI Mobilidade em Cidades Médias e Áreas Rurais Castelo Branco, 23-24 Abril 2009 A MOBILIDADE EM CIDADES MÉDIAS ABORDAGEM NA PERSPECTIVA DA POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI A POLÍTICA DE CIDADES POLIS XXI Compromisso

Leia mais

Programa Operacional Regional do Algarve

Programa Operacional Regional do Algarve Programa Operacional Regional do Algarve Critérios de Seleção das Candidaturas e Metodologia de Análise Domínio Temático CI Competitividade e Internacionalização Prioridades de investimento: 11.2 Aprovado

Leia mais

ATIVOS DO TERRITÓRIO E TURISMO NO NOVO CICLO DE APOIOS COMUNITÁRIOS 2014 2020

ATIVOS DO TERRITÓRIO E TURISMO NO NOVO CICLO DE APOIOS COMUNITÁRIOS 2014 2020 ATIVOS DO TERRITÓRIO E TURISMO NO NOVO CICLO DE APOIOS COMUNITÁRIOS 2014 2020 Rui Monteiro Diretor de Serviços de Desenvolvimento Regional da CCDR N Vila Nova de Gaia, 15 de julho de 2013 ccdr-n.pt/norte2020

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À

SISTEMA DE INCENTIVOS À SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISOS PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS INOVAÇÃO PRODUTIVA EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO Elisabete Félix Turismo de Portugal, I.P. - Direcção de Investimento PRIORIDADE

Leia mais

Dinamização da parceria territorial Arraiolos, 11 de março de 2014

Dinamização da parceria territorial Arraiolos, 11 de março de 2014 Dinamização da parceria territorial Arraiolos, 11 de março de 2014 Dinamização da parceria territorial Alentejo Central [2014-2020] Sector agrícola diversificado; Recursos turísticos singulares; Empresas

Leia mais

POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS BENEFICIÁRIOS

POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS BENEFICIÁRIOS ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA O objetivo específico deste concurso consiste em conceder apoios financeiros a projetos

Leia mais

REUNIÃO DE TRABALHO PI 10.ii 1 de dezembro, Coimbra CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS

REUNIÃO DE TRABALHO PI 10.ii 1 de dezembro, Coimbra CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS REUNIÃO DE TRABALHO PI 10.ii 1 de dezembro, Coimbra CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS A REGIÃO CENTRO DIAGNÓSTICO DA REGIÃO AMBIÇÃO DA REGIÃO 5 OBJETIVOS: Ser Innovation Follower de acordo com o

Leia mais

inovação & nas empresas 2020 competitividade

inovação & nas empresas 2020 competitividade inovação & nas empresas 2020 competitividade Desafios e Oportunidades de Inovação A Competitividade das Empresas e os Instrumentos do Portugal 2020 Coimbra Abril 2014 1 PT HOJE Empresas 2020: Desafios

Leia mais

ACORDO DE PARCERIA 2014-2020

ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 30 de julho 2014 ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 PORTUGAL 2020 1 Portugal 2020, o Acordo de Parceria (AP) que Portugal submeteu à Comissão Europeia estrutura as intervenções, os investimentos e as prioridades

Leia mais

SISTEMA DE APOIO À INVESTIGAÇÃO CIENTIFICA E TECNOLÓGICA CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 1.1) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio.

SISTEMA DE APOIO À INVESTIGAÇÃO CIENTIFICA E TECNOLÓGICA CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 1.1) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio. SISTEMA DE APOIO À INVESTIGAÇÃO CIENTIFICA E TECNOLÓGICA CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 1.1) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio.2015 Página 1 de 14 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTOS Os apoios a atribuir

Leia mais

PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO

PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 12 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO (SI INOVAÇÃO) PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO Nos termos do Regulamento do SI Inovação, a apresentação

Leia mais

SEMINÁRIO SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS S EMPRESAS

SEMINÁRIO SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS S EMPRESAS SEMINÁRIO SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS S EMPRESAS PO ALGARVE21 Estratégia Regional e Enquadramento dos Sistemas de Incentivos Francisco Mendonça a Pinto PORTIMÃO, 6 de Novembro de 2008 Principal problema

Leia mais

MAR Alentejano. Um Oceano de Oportunidades. Roberto Grilo Vice-Presidente da CCDR Alentejo. Porto, 30 de maio de 2014

MAR Alentejano. Um Oceano de Oportunidades. Roberto Grilo Vice-Presidente da CCDR Alentejo. Porto, 30 de maio de 2014 MAR Alentejano Um Oceano de Oportunidades Roberto Grilo Vice-Presidente da CCDR Alentejo Porto, 30 de maio de 2014 1 MAR Alentejano, um Oceano de Oportunidades Roteiro: - Crescimento Inteligente/Crescimento

Leia mais

ESTRATÉGIA REGIONAL DE ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE: ATELIÊ DO CAPITAL SIMBÓLICO, TECNOLOGIAS E SERVIÇOS DO TURISMO

ESTRATÉGIA REGIONAL DE ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE: ATELIÊ DO CAPITAL SIMBÓLICO, TECNOLOGIAS E SERVIÇOS DO TURISMO ESTRATÉGIA REGIONAL DE ESPECIALIZAÇÃO INTELIGENTE: ATELIÊ DO CAPITAL SIMBÓLICO, TECNOLOGIAS E SERVIÇOS DO TURISMO ccdr-n.pt/norte2020 30 DE MAIO DE 2013 PORTO Principais Conceitos A competitividade das

Leia mais

ESTRUTURA, METAS E ORÇAMENTO DO PROGRAMA DOCUMENTO SÍNTESE

ESTRUTURA, METAS E ORÇAMENTO DO PROGRAMA DOCUMENTO SÍNTESE ESTRUTURA, METAS E ORÇAMENTO DO PROGRAMA DOCUMENTO SÍNTESE Versão do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização adotada em dezembro de 2014. 1. Estrutura do Programa e Indicadores de Resultado

Leia mais

Novos Apoios ao Comércio. Miguel Cruz

Novos Apoios ao Comércio. Miguel Cruz Novos Apoios ao Comércio Miguel Cruz Comércio Investe QREN e Linhas de Crédito Portugal 2020 2 Comércio Investe Medida financiada através do Fundo de Modernização do Comércio, com dotação orçamental regional,

Leia mais

Ações Integradas de Âmbito Municipal para a Promoção do Desenvolvimento Económico no Alto Minho

Ações Integradas de Âmbito Municipal para a Promoção do Desenvolvimento Económico no Alto Minho Ações Integradas de Âmbito Municipal para a Promoção do Desenvolvimento Económico no Alto Minho Sessão Desenvolvimento e Competitividade Económica: O Papel do Poder Local Viana do Castelo, 9 de abril de

Leia mais

reconversão de empreendimentos turísticos

reconversão de empreendimentos turísticos reconversão de empreendimentos turísticos 01. Reconversão de Empreendimentos Turísticos Com o objectivo de requalificar a oferta turística nacional, foi aprovado um novo regime jurídico dos empreendimentos

Leia mais

XX CONGRESSO ENGENHARIA 2020 UMA ESTRATÉGIA PARA PORTUGAL 17 a 19 de outubro de 2014 ALFÂNDEGA DO PORTO

XX CONGRESSO ENGENHARIA 2020 UMA ESTRATÉGIA PARA PORTUGAL 17 a 19 de outubro de 2014 ALFÂNDEGA DO PORTO XX CONGRESSO ENGENHARIA 2020 UMA ESTRATÉGIA PARA PORTUGAL 17 a 19 de outubro de 2014 ALFÂNDEGA DO PORTO Desenvolvimento Rural, Agricultura, Florestas e Sustentabilidade 17 de outubro de 2014 / GPP Eduardo

Leia mais

Conferência "12 anos depois de Porter. E agora? Como retomar a estratégia de crescimento para os vinhos portugueses?"

Conferência 12 anos depois de Porter. E agora? Como retomar a estratégia de crescimento para os vinhos portugueses? Conferência "12 anos depois de Porter. E agora? Como retomar a estratégia de crescimento para os vinhos portugueses?" Rui Vinhas da Silva Presidente da Comissão Diretiva Porto 14 julho 2015 Estrutura

Leia mais