Autenticação: mais uma tentativa. Autenticação: mais uma tentativa. ap5.0: falha de segurança. Autenticação: ap5.0. Assinaturas Digitais (mais)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Autenticação: mais uma tentativa. Autenticação: mais uma tentativa. ap5.0: falha de segurança. Autenticação: ap5.0. Assinaturas Digitais (mais)"

Transcrição

1 Autenticação: mais uma tentativa Protocolo ap3.1: Alice diz Eu sou Alice e envia sua senha secreta criptografada para prová-lo. Eu I am sou Alice encrypt(password) criptografia (senha) Cenário de Falha? Autenticação: mais uma tentativa Meta: evitar ataque de reprodução (playback) Nonce: número (R) usado apenas uma vez na vida ap4.0: para provar que Alice está ao vivo, Bob envia a Alice um nonce, R. Alice deve devolver R, criptografado com a chave secreta comum Eu sou Alice Figure 7.11 goes here 7: Segurança de Redes 1 Falhas, problemas? 7: Segurança de Redes 2 Autenticação: ap5.0 ap4.0 exige chave secreta compartilhada problema: como Bob e Alice combinam a chave é possível autenticar usando técnicas de chave pública? ap5.0: usar nonce, criptografia de chave pública ap5.0: falha de segurança Ataque do homem (mulher) no meio: Trudy se passa por Alice (para Bob) e por Bob (para Alice) Figure 7.14 goes here Envie-me sua chave pública e A Bob calcula e A [d A [R]]=R autenticando Necessita chaves públicas Alice 7: Segurança de Redes 3 certificadas (mais depois ) 7: Segurança de Redes 4 Assinaturas Digitais Técnica criptográfica análoga às assinaturas manuais. Transmissor(Bob) assina digitalmente um documento, estabelecendo que ele é o autor/criador. Verificável, não-forjável: receptor (Alice) pode verificar que Bob, e ninguém mais, assinou o documento. Assinatura digital simples para mensagem m: Bob criptografa m com sua chave privada d B, criando a mensagem assinada d B (m). Bob envia m e d B (m) para Alice. Chave privada Texto criptografado com a chave privada Assinaturas Digitais (mais) Suponha que Alice recebe a mensagem m, e a assinatura digital d B (m) Alice verifica que m foi assinada por Bob aplicando a chave pública e B a d B (m) então verifica que e B (d B (m) ) = m. Se e B (d B (m) ) = m, quem quer que tenha assinado m deve posuir a chave privada. Alice verifica então que: Bob assinou m. Ninguém mais assinou m. Bob assinou m e não m. Não-repúdio: Alice pode levar m, e a assinatura d B (m) a um tribunal para provar que Bob assinou m. Mensagem pronta para transmissão 7: Segurança de Redes 5 7: Segurança de Redes 6 1

2 Resumos de Mensagens Computacionalmente caro criptografar com chave pública mensagens longas Meta: assinaturas digitais de comprimento fixo, facilmente computáveis, impressão digital aplicar função hash H a m, para obter um resumo de tamanho fixo, H(m). mensagem longa função de hash muitas-para para-um resumo da mensagem, tam. fixo Propriedades das funções de Hash: Muitas-para-1 Produz um resumo da mensagem de tamanho fixo (impressão digital) Dado um resumo da mensagem x, é computacionalmente impraticável encontrar m tal que x = H(m) computacionalmente impraticável encontrar duas mensagens m e m tal que H(m) = H(m ). 7: Segurança de Redes 7 Assinatura digital = resumo assinado de mensagem Bob envia mensagem digitalmente assinada: Alice verifica a asinatura e a integridade da mensagem digitalmente assinada: 7: Segurança de Redes 8 Algoritmos de Funções de Hash Intermediários Confiáveis A soma verificadora da Internet resulta num resumo de mensagem pobre. Muito fácil encontrar duas mensagens com a mesma soma verificadora. O algoritmo MD5 é a função de hash mais usada. Calcula resumo de 128-bits da mensagem num processo de 4 etapas. uma cadeia arbitrária X` cujo hash de 128 bits obtido pelo MD5 é igual ao hash de um cadeia X parece difícil de construir. SHA-1 também é usado. padrão do EUA resumo de mensagem com 160- bits Problema: Como duas entidades estabelecem uma chave compartilhada secreta sobre uma rede? Solução: centro de distribuição de chaves confiável (KDC) atuando como intermediário entre as entidades Problema: Quando Alice obtém a chave pública (de um web site, , ou diskette), como ela sabe que é a chave pública de Bob e não de Trudy? Solução autoridade certificadora confiável (CA) 7: Segurança de Redes 9 7: Segurança de Redes 10 Centro de Distribuição de Chaves (KDC) Alice e Bob necessitam de um chave simétrica compartilhada. KDC: servidor compartilha diferentes chaves secretas com cada usuário registrado. Alice e Bob conhecem as próprias chaves simétricas, K A-KDC K B-KDC, para comunicação com o KDC. Alice conhece R1 Bob conhece R1 Alice e Bob se comunicam usando chave compartilhada R1 Alice se comunica com o KDC, obtém a chave de sessão R1, e K B-KDC (A,R1) Alice envia a Bob K B-KDC (A,R1), Bob extraí R1 Alice e Bob agora compartilham a chave simétrica R1. 7: Segurança de Redes 11 Autoridades Certificadoras Autoridades certificadoras (CA) associam chaves públicas a uma particular entidade. Entidade (pessoa, roteador, etc.) pode registrar sua chave pública com a CA. Entidade fornece prova de identidade à CA. CA cria certificado ligando a entidade à chave pública. Certificado é digitalmente assinado pela CA. informação de identidade chave pública certificado criptografado Autoridade Certificadora Chave privada da autoridade certificadora Quando Alice quer a chave pública : obtém o certificado (com Bob ou em outro local). Aplica a chave pública da CA ao certificado para obter a chave pública. 7: Segurança de Redes 12 2

3 seguro Alice quer enviar uma mensagem de secreta, m, para Bob. seguro (continuação) Alice quer prover autenticação do transmissor e integridade da mensagem. Alice envia mensagem Bob recebe mensagem gerachavesimétricaaleatória, K S. criptografa mensagem com K S também criptografa K S com a chave pública. enviak S (m) e e B (K S ) para Bob. Alice envia mensagem Bob recebe mensagem Alice assina digitalmente a mensagem. envia a mensagem (em texto aberto) e a assinatura digital. 7: Segurança de Redes 13 7: Segurança de Redes 14 E- mail seguro (continuação) Pretty good privacy (PGP) Alice querproverprivacidade, autenticaçãodo transmissor e integridade da mensagem. Nota: Alice usatantosuachaveprivadaquantoa chavepúblicade Bob. 7: Segurança de Redes 15 Esquema de criptografia de da Internet, um padrão de fato. Usa criptografia de chave simétrica, criptografia de chave pública, função de hash e assinatura digital, como descrito. Oferece privacidade, autenticação do transmissor e integridade. O inventor, Phil Zimmerman, foi alvo de uma investigação federal durante três anos. Uma mensagem PGP assinada: ---BEGIN PGP SIGNED MESSAGE--- Hash: SHA1 Bob:My husband is out of town tonight.passionately yours, Alice ---BEGIN PGP SIGNATURE--- Version: PGP 5.0 Charset: noconv yhhjrhhgjghgg/12epj+lo8ge4vb3mqj hfevzp9t6n7g6m5gw2 ---END PGP SIGNATURE--- 7: Segurança de Redes 16 SSL secure socket layer Camada de soquete seguro Secure sockets layer (SSL) PGP oferece segurança para uma aplicação de rede específica. SSL opera na camada de transporte. Fornece segurança para qualquer aplicação baseada no TCP que usa os serviços da SSL. SSL: usada entre clientes WWW e servidores de comércio eletrônico (shttp). Serviços de segurança da SSL: autenticação do servidor criptografia dos dados autenticação do cliente (opcional) Autenticação do Servidor: clientes com SSL habilitado incluem chaves públicas para CA s confiáveis. Cliente solicita o certificado do servidor, originado pela entidade certificadora confiável. Cliente usa a chave pública da CA para extrair a chave pública do servidor do certificado. Visite o menu de segurança do seu browser para examinar suas entidades certificadoras confiáveis. 7: Segurança de Redes 17 7: Segurança de Redes 18 3

4 SSL (continuação) Sessão SSL criptografada: Cliente gera uma chave de sessão simétrica e a criptografa com a chave pública do servidor, envia a chave simétrica criptografada ao servidor. Usando sua chave privada, o servidor decriptografa a chave. Cliente e o servidor negociam que as futuras mensagens serão criptografadas. Todos os dados enviados na porta TCP (pelo cliente ou pelo servidor) são criptografados com a chave de sessão. SSL: base do mecanismo Transport Layer Security (TLS) do IETF. SSL pode ser usado por aplicações que não usam a Web, por exemplo, IMAP. Autenticação do cliente pode ser feita com certificados do cliente. SSL Message exchange diagram 7: Segurança de Redes 19 7: Segurança de Redes 20 Secure electronic transactions (SET) Ipsec: Segurança na Camada de Rede projetado pra transações de pagamento de cartões de crédito sobre a Internet. oferece serviços de segurança envolvendo três partes: cliente comerciante banco do vendedor Todos devem ter certificados. SET especifica o valor legal dos certificados. divisão das responsabilidades pelas transações Número do cartão do cliente é enviadoaobancodo vendedor sem que o vendedor veja o número aberto em nenhum momento. Previne que os vededores possam furtar e repassar números de cartões de crédito. Três componentes de software: Carteira do browser Servidor do comerciante Gateway do adquirente Veja o texto do livro para a descrição de uma transação SET. 7: Segurança de Redes 21 Segurança na Camada de Rede: o host transmissor criptografa os dados no datagrama IP Segmentos TCP e UDP; ICMP e mensagens SNMP. Autenticação na Camada de Rede host destino pode autenticar o endereço IP da origem Dois protocolos principais: protocolo de autenticação de cabeçalho (AH - Authentication Header) protocolo de encapsulamento seguro de dados (ESP - Encapsulation Secure Payload) Tanto para o AH como para o ESP, exige negociação entre a fonte e o destino: cria canal lógico de camada de rede chamado de acordo de serviço (SA) Cada SA é unidirecional. Unicamente determinado por: protocolo de segurança (AH ou ESP) endereço IP da origem Identificador de conexão de 32-bit 7: Segurança de Redes 22 Protocolo ESP Protocolo de Autenticação de Cabeçalho (AH) Oferece privacidade, autenticação de host e integridade dos dados. Dados e trailer ESP são criptografados. Campo de próximo cabeçalho está no trailer ESP. campo de autenticação do ESP é similar ao campo de autenticação do AH. Protocolo = 50. Autenticado Criptografado Oferece autenticação do host originador, integridade de dados, mas não privacidade dos dados. Cabeçalho AH é inserido entre o cabeçalho IP e o campo de dados do IP. Campo de Protocolo = 51. Roteadores intermediários processam o datagrama na forma usual. cabeçalho AH inclui: identificador de conexão dados de autenticação: mensagem assinada e resumo da mensagem são calculados sobre o datagrama IP original, provendo autenticação da fonte e integridade dos dados. Campo próximo cabeçalho: especifica o tipo de dados (TCP, UDP, ICMP, etc.) Protocolo = 50 Protocolo = 51 7: Segurança de Redes 23 7: Segurança de Redes 24 4

5 Segurança de Redes (resumo) Técnicas básicas... criptografia (simétrica e pública) autenticação integridade de mensagem. usadas em muitos cenários de segurança diferentes seguro transporte seguro (SSL) IP sec See also: firewalls, in network management 7: Segurança de Redes 25 5

Unidade 3 Dispositivos e Tecnologias

Unidade 3 Dispositivos e Tecnologias Unidade 3 Dispositivos e Tecnologias 95 Firewalls firewall Isola a rede interna de uma organização da rede pública (Internet), permitindo a passagem de certos pacotes, bloqueando outros. Rede administrada

Leia mais

Centro Universitário Fundação Santo André. Disciplina Redes de Computadores Módulo 07

Centro Universitário Fundação Santo André. Disciplina Redes de Computadores Módulo 07 Centro Universitário Fundação Santo André Disciplina Redes de Computadores Módulo 07 Segurança em Redes de Computadores 2006 V1.0 Conteúdo INVASÃO AMEAÇAS RECURSOS DE PROTEÇÃO AMEAÇAS TÉCNICAS DE PROTEÇÃO

Leia mais

Centro Universitário Fundação Santo André. Disciplina Redes de Computadores Módulo 07

Centro Universitário Fundação Santo André. Disciplina Redes de Computadores Módulo 07 Centro Universitário Fundação Santo André Disciplina Redes de Computadores Módulo 07 2006 V1.0 Conteúdo INVASÃO AMEAÇAS AMEAÇAS INVASÃO AÇÃO CRIMINOSA DE PESSOAS OU GRUPO DE PESSOAS, VISANDO A QUEBRA DE

Leia mais

R edes de computadores e a Internet. C apítulo 8. S eg urança em redes de computadores 8-1. 2005 by Pearson Education

R edes de computadores e a Internet. C apítulo 8. S eg urança em redes de computadores 8-1. 2005 by Pearson Education R edes de computadores e a Internet C apítulo S eg urança em redes de computadores -1 S egurança em redes de computadores Objetivos do capítulo: Compreender princípios de segurança de redes: Criptografia

Leia mais

Rede de Computadores II

Rede de Computadores II Prof. Fábio Nelson Colegiado de Engenharia de Computação Slide 1 Colegiado de Engenharia de Computação Slide 2 Autenticação Processo de provar a própria identidade a alguém. Na rede a autenticação se dá

Leia mais

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 08 Protocolos de Segurança

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 08 Protocolos de Segurança www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 08 Protocolos de Segurança Protocolos de Segurança A criptografia resolve os problemas envolvendo a autenticação, integridade

Leia mais

Capítulo 8. Segurança em redes de computadores

Capítulo 8. Segurança em redes de computadores 1 Capítulo 8 Segurança em redes de computadores 2 Redes de computadores I Prof.: Leandro Soares de Sousa E-mail: leandro.uff.puro@gmail.com Site: http://www.ic.uff.br/~lsousa Não deixem a matéria acumular!!!

Leia mais

Nível de segurança de uma VPN

Nível de segurança de uma VPN VPN Virtual Private Network (VPN) é uma conexão segura baseada em criptografia O objetivo é transportar informação sensível através de uma rede insegura (Internet) VPNs combinam tecnologias de criptografia,

Leia mais

Protocolos Básicos e Aplicações. Segurança e SSL

Protocolos Básicos e Aplicações. Segurança e SSL Segurança e SSL O que é segurança na rede? Confidencialidade: apenas remetente e destinatário pretendido devem entender conteúdo da mensagem remetente criptografa mensagem destinatário decripta mensagem

Leia mais

Conceitos de Segurança em Sistemas Distribuídos

Conceitos de Segurança em Sistemas Distribuídos Conceitos de Segurança em Sistemas Distribuídos Francisco José da Silva e Silva Laboratório de Sistemas Distribuídos (LSD) Departamento de Informática / UFMA http://www.lsd.ufma.br 30 de novembro de 2011

Leia mais

Segurança em Redes IP

Segurança em Redes IP IPSec 1 Segurança em Redes IP FEUP MPR IPSec 2 Requisitos de Segurança em Redes» Autenticação: O parceiro da comunicação deve ser o verdadeiro» Confidencialidade: Os dados transmitidos não devem ser espiados»

Leia mais

Sistemas Distribuídos Introdução a Segurança em Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Introdução a Segurança em Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Introdução a Segurança em Sistemas Distribuídos Departamento de Informática, UFMA Graduação em Ciência da Computação Francisco José da Silva e Silva 1 Introdução Segurança em sistemas

Leia mais

Segurança de Sistemas na Internet. Aula 10 - IPSec. Prof. Esp Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br

Segurança de Sistemas na Internet. Aula 10 - IPSec. Prof. Esp Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Segurança de Sistemas na Internet Aula 10 - IPSec Prof. Esp Camilo Brotas Ribeiro cribeiro@catolica-es.edu.br Slide 2 de 31 Introdução Há inúmeras soluções de autenticação/cifragem na camada de aplicação

Leia mais

Capítulo 8 Segurança na Rede Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática

Capítulo 8 Segurança na Rede Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática Capítulo 8 Segurança na Rede Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática slide 1 Capítulo 8: Esboço 8.1 O que é segurança na rede? 8.2 Princípios de criptografia 8.3 Integridade de mensagem

Leia mais

Segurança em Redes IP

Segurança em Redes IP IPSec 1 Segurança em Redes IP FEUP MPR IPSec 2 Introdução Conceitos básicos IP Seguro Criptografia Segurança em redes IP Associação de Segurança, Modos de funcionamento AH, ESP, Processamento de tráfego,

Leia mais

Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins

Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura

Leia mais

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Auditoria e Segurança da Informação GSI536 Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Revisão Criptografia de chave simétrica; Criptografia de chave pública; Modelo híbrido de criptografia. Criptografia Definições

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação INF-108 Segurança da Informação Autenticação Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, junho de 2013 Resumos de mensagem (hash) Algoritmo Hash são usados quando a autenticação é necessária, mas o sigilo,

Leia mais

Fernando M. V. Ramos, fvramos@ciencias.ulisboa.pt, RC (LEI), 2015-2016. Heavily based on 1996-2010 J. Kurose and K. Ross, All Rights Reserved.

Fernando M. V. Ramos, fvramos@ciencias.ulisboa.pt, RC (LEI), 2015-2016. Heavily based on 1996-2010 J. Kurose and K. Ross, All Rights Reserved. Questionário Socrative: início de aula 7. Segurança de redes Redes de Computadores Objetivos Estudar os princípios da segurança de redes Criptografia Confidencialidade, autenticidade, integridade A implementação

Leia mais

Cliente/Servidor. Segurança. Graça Bressan/LARC 2000 GB/LARC/PCS/EPUSP

Cliente/Servidor. Segurança. Graça Bressan/LARC 2000 GB/LARC/PCS/EPUSP Cliente/Servidor Segurança Graça Bressan Graça Bressan/LARC 1998 GB/LARC/PCS/EPUSP CS 1-1 Política de Segurança Especifica de forma não ambígua quais itens devem ser protegidos e não como implementar esta

Leia mais

Criptografia de Chave Pública

Criptografia de Chave Pública Criptografia de Chave Pública Aplicações Privacidade, Autenticação: RSA, Curva Elíptica Intercâmbio de chave secreta: Diffie-Hellman Assinatura digital: DSS (DSA) Vantagens Não compartilha segredo Provê

Leia mais

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA GERENCIAMENTO DE REDES Segurança Lógica e Física de Redes 2 Semestre de 2012 SEGURANÇA LÓGICA: Criptografia Firewall Protocolos Seguros IPSec SSL SEGURANÇA LÓGICA: Criptografia

Leia mais

Amigos e inimigos: Alice, Bob e Trudy

Amigos e inimigos: Alice, Bob e Trudy Unidade 2 Criptografia e Certificação Digital 33 Amigos e inimigos: Alice, Bob e Trudy dados Bob e Alice querem se comunicar de forma segura. Trudy (intruso) pode interceptar, apagar e adicionar mensagens

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 13

REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 13 REDES DE COMPUTADORES E TELECOMUNICAÇÕES MÓDULO 13 Índice 1. Criptografia...3 1.1 Sistemas de criptografia... 3 1.1.1 Chave simétrica... 3 1.1.2 Chave pública... 4 1.1.3 Chave pública SSL... 4 2. O símbolo

Leia mais

Criptografia e Segurança das Comunicações. IPsec

Criptografia e Segurança das Comunicações. IPsec Criptografia e Segurança das Comunicações IPsec IPsec : 1/27 Introdução (1) Os datagramas IP do nível de rede da pilha de protocolos v4 são inseguros! Endereço fonte pode ser mistificado ( spoofed ). Conteúdo

Leia mais

Segurança e Sistemas Eletrônicos de Pagamentos" Prof. Msc. Adolfo Colares

Segurança e Sistemas Eletrônicos de Pagamentos Prof. Msc. Adolfo Colares Segurança e Sistemas Eletrônicos de Pagamentos" Prof. Msc. Adolfo Colares 1 Objetivos" n Descrever sistemas de pagamento para e- commerce " n Identificar os requisitos de segurança para pagamentos eletrônicos

Leia mais

fonte: http://www.nit10.com.br/dicas_tutoriais_ver.php?id=68&pg=0

fonte: http://www.nit10.com.br/dicas_tutoriais_ver.php?id=68&pg=0 Entenda o que é um certificado digital SSL (OPENSSL) fonte: http://www.nit10.com.br/dicas_tutoriais_ver.php?id=68&pg=0 1. O que é "Certificado Digital"? É um documento criptografado que contém informações

Leia mais

Processo para transformar a mensagem original em uma mensagem ilegível por parte de uma pessoa não autorizada

Processo para transformar a mensagem original em uma mensagem ilegível por parte de uma pessoa não autorizada Criptografia Processo para transformar a mensagem original em uma mensagem ilegível por parte de uma pessoa não autorizada Criptografia Onde pode ser usada? Arquivos de um Computador Internet Backups Redes

Leia mais

Segurança na Internet

Segurança na Internet Segurança na Internet Muito do sucesso e popularidade da Internet é por ela ser uma rede global aberta Por outro lado, isto faz da Internet um meio não muito seguro É difícil identificar com segurança

Leia mais

Walter Cunha Tecnologia da Informação Segurança

Walter Cunha Tecnologia da Informação Segurança Walter Cunha Tecnologia da Informação Segurança ESAF 2008 em Exercícios 37 (APO MPOG 2008) - A segurança da informação tem como objetivo a preservação da a) confidencialidade, interatividade e acessibilidade

Leia mais

Segurança da Informação na Internet

Segurança da Informação na Internet Segurança da Informação na Internet Prof. Dr. Miguel Franklin de Castro miguel@lia.ufc.br Agenda Introdução Introdução à Segurança Internet As Armas do Inimigo Vírus / Rabbits / Worms / Trojan Horses e

Leia mais

Protocolos de Aplicação SSL, TLS, HTTPS, SHTTP

Protocolos de Aplicação SSL, TLS, HTTPS, SHTTP Protocolos de Aplicação SSL, TLS, HTTPS, SHTTP SSL - Secure Socket Layer Protocolos criptográfico que provê comunicação segura na Internet para serviços como: Telnet, FTP, SMTP, HTTP etc. Provê a privacidade

Leia mais

Autenticação com Assinatura Digital

Autenticação com Assinatura Digital Autenticação Verificação confiável da identidade de um parceiro de comunicação Define uma relação de confiança Garante que o remetente dos dados não negue o envio dos mesmos Autenticação com Assinatura

Leia mais

Segurança em Redes de Computadores. Kelvin Lopes Dias Diego dos Passos Silva (kld/dps4@cin.ufpe.br)

Segurança em Redes de Computadores. Kelvin Lopes Dias Diego dos Passos Silva (kld/dps4@cin.ufpe.br) Segurança em Redes de Computadores Kelvin Lopes Dias Diego dos Passos Silva (kld/dps4@cin.ufpe.br) Agenda Criptografia Criptografia de Chave Simétrica Criptografia de Chave Assimétrica Segurança de Redes

Leia mais

Capítulo 8. Segurança de redes

Capítulo 8. Segurança de redes Capítulo 8 Segurança de redes slide 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. Computer Networks, Fifth Edition by Andrew Tanenbaum and David Wetherall, Pearson Education-Prentice Hall,

Leia mais

Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Introdução a Criptografia e Criptografia Simétrica

Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Introdução a Criptografia e Criptografia Simétrica Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Introdução a Criptografia e Criptografia Simétrica Francisco José da Silva e Silva Laboratório de Sistemas Distribuídos (LSD) Departamento de Informática / UFMA

Leia mais

OSRC Segurança em Redes de Computadores Módulo 09: Hash, ICP e SSL/TLS

OSRC Segurança em Redes de Computadores Módulo 09: Hash, ICP e SSL/TLS OSRC Segurança em Redes de Computadores Módulo 09: Hash, ICP e SSL/TLS Prof. Charles Christian Miers e-mail: charles.miers@udesc.br Problema Comunicações em redes de computadores, e principalmente em redes

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DE CHAVES DIGITAIS E CERTIFICAÇÃO DIGITAL

DISTRIBUIÇÃO DE CHAVES DIGITAIS E CERTIFICAÇÃO DIGITAL 1 FELIPE CHAVES FROSSARD FERNANDO HAFNER DISTRIBUIÇÃO DE CHAVES DIGITAIS E CERTIFICAÇÃO DIGITAL Pontifícia Universidade Católica de Campinas Faculdade de Engenharia da Computação Junho/2005 I FELIPE CHAVES

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

O serviço IPsec da camada 3

O serviço IPsec da camada 3 IPsec O standard IPsec é uma arquitectura de transporte de dados de uma forma segura sobre redes não seguras. A sua utilização começa a ser bastante comum para a construção de redes virtuais (VPNs) sobre

Leia mais

Assinatura Digital: problema

Assinatura Digital: problema Assinatura Digital Assinatura Digital Assinatura Digital: problema A autenticidade de muitos documentos, é determinada pela presença de uma assinatura autorizada. Para que os sistemas de mensagens computacionais

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação INF-108 Segurança da Informação ICP e Certificados Digitais Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, junho de 2013 Criptografia de chave pública Oferece criptografia e também uma maneira de identificar

Leia mais

Introdução. Criptografia. Aspectos de segurança em TCP/IP Secure Socket Layer (SSL) Rd Redes de Computadores. Aula 28

Introdução. Criptografia. Aspectos de segurança em TCP/IP Secure Socket Layer (SSL) Rd Redes de Computadores. Aula 28 Introdução Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Rd Redes de Computadores td Aspectos de segurança em /IP Secure Socket Layer (SSL) Aula 28 Na Internet, ninguém sabe que você é um cachorro. Peter Steiner,

Leia mais

Internet Protocol Security (IPSec)

Internet Protocol Security (IPSec) Internet Protocol Security (IPSec) Segurança de Computadores IPSec - Introdução Preocupados com a insegurança na Internet o IETF (Internet Engineering Task Force) desenvolveu um conjunto de protocolos,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES 5/12/2005 UALG/FCT/DEEI 2005/2006

ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES 5/12/2005 UALG/FCT/DEEI 2005/2006 ADMINISTRAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES Segurança 5/12/2005 Engª de Sistemas e Informática Licenciatura em Informática UALG/FCT/DEEI 2005/2006 1 Classes de criptografia Criptografia simétrica ou de chave

Leia mais

ROTEIRO. Fundamentos. Bibliografia complementar. Fundamentos. Fundamentos 03/10/2014. REDES DE COMPUTADORES Segurança de Redes

ROTEIRO. Fundamentos. Bibliografia complementar. Fundamentos. Fundamentos 03/10/2014. REDES DE COMPUTADORES Segurança de Redes 03/10/2014 ROTEIRO REDES DE COMPUTADORES Segurança de Redes Alexandre Augusto Giron Bibliografia complementar STALLINGS, William. Cryptography and network security: principles and practice. 4. ed. New

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Segurança de Redes. Alexandre Augusto Giron

REDES DE COMPUTADORES Segurança de Redes. Alexandre Augusto Giron REDES DE COMPUTADORES Segurança de Redes Alexandre Augusto Giron ROTEIRO Fundamentos: Segurança na rede Criptografia Simétrica Assimétrica Camada de transporte: SSL Camada de Rede: IPSec e VPN Segurança

Leia mais

Segurança na Internet partes 3 & 4. Criptografia com Chave Pública. Distribuição da Chave Secreta

Segurança na Internet partes 3 & 4. Criptografia com Chave Pública. Distribuição da Chave Secreta Segurança na Internet partes 3 & 4 Prof. Elias P. Duarte Jr., Ph.D. DInfo UFPR Itaipu 11/07/2003 Criptografia com Chave Pública Distribuição da Chave Secreta O maior problema é a chave DEIXAR de ser secreta

Leia mais

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br

Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Claudivan C. Lopes claudivan@ifpb.edu.br Introdução ao protocolo TCP/IP Camada de aplicação Camada de transporte Camada de rede IFPB/Patos - Prof. Claudivan 2 É o protocolo mais usado da atualidade 1 :

Leia mais

Criptografia de chaves públicas

Criptografia de chaves públicas Marcelo Augusto Rauh Schmitt Maio de 2001 RNP/REF/0236 Criptografia 2001 RNP de chaves públicas Criptografia Introdução Conceito É a transformação de um texto original em um texto ininteligível (texto

Leia mais

Criptografia e Certificação Digital Sétima Aula. Prof. Frederico Sauer, D.Sc.

Criptografia e Certificação Digital Sétima Aula. Prof. Frederico Sauer, D.Sc. Criptografia e Certificação Digital Sétima Aula Prof. Frederico Sauer, D.Sc. Segurança na Web A Internet é considerada essencial nos Planos de Negócios das empresas para alavancar lucros O ambiente capilar

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II Prof. Celio Trois portal.redes.ufsm.br/~trois/redes2 Criptografia, Certificados Digitais SSL Criptografia Baseada em Chaves CRIPTOGRAFA Texto Aberto (PlainText) Texto Fechado (Ciphertext)

Leia mais

Nome: Curso: Número:

Nome: Curso: Número: Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia da Electrónica e das Telecomunicações e de Computadores MEIC/MEET Teste global - 1ª época de SRC - 2008/06/30 Seja preciso e conciso

Leia mais

Capítulo 13. Segurança de dados em redes de computadores. Redes Privadas Virtuais (VPNs)

Capítulo 13. Segurança de dados em redes de computadores. Redes Privadas Virtuais (VPNs) Capítulo 13 Segurança de dados em redes de computadores. Redes Privadas Virtuais (VPNs) Neste capítulo faz-se uma introdução a aplicações e standards que implementam segurança (por encriptação) na comunicação

Leia mais

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP

TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP TCP/IP TCP UDP IP HTTP HTTPS FTP TFTP TELNET POP3 IMAP SMTP SNMP DHCP HTTP (Hypertext Transfer Protocol ) Protocolo usado na Internet para transferir as páginas da WWW (WEB). HTTPS (HyperText Transfer

Leia mais

1.264 Aula 17. Segurança na Internet: Criptografia (chave pública) SSL/TLS Assinaturas cegas (SET)

1.264 Aula 17. Segurança na Internet: Criptografia (chave pública) SSL/TLS Assinaturas cegas (SET) 1.264 Aula 17 Segurança na Internet: Criptografia (chave pública) SSL/TLS Assinaturas cegas (SET) Premissas para a segurança na Internet Navegador-rede-servidor são os 3 principais componentes Premissas

Leia mais

Criptografia. 1. Introdução. 2. Conceitos e Terminologias. 2.1. Criptografia. 2.2. Criptoanálise e Criptologia. 2.3. Cifragem, Decifragem e Algoritmo

Criptografia. 1. Introdução. 2. Conceitos e Terminologias. 2.1. Criptografia. 2.2. Criptoanálise e Criptologia. 2.3. Cifragem, Decifragem e Algoritmo 1. Introdução O envio e o recebimento de informações são uma necessidade antiga, proveniente de centenas de anos. Nos últimos tempos, o surgimento da Internet e de tantas outras tecnologias trouxe muitas

Leia mais

TECNOLOGIA WEB. Segurança na Internet Aula 4. Profa. Rosemary Melo

TECNOLOGIA WEB. Segurança na Internet Aula 4. Profa. Rosemary Melo TECNOLOGIA WEB Segurança na Internet Aula 4 Profa. Rosemary Melo Segurança na Internet A evolução da internet veio acompanhada de problemas de relacionados a segurança. Exemplo de alguns casos de falta

Leia mais

Capítulo 13. Segurança de dados em redes de computadores. Redes Privadas Virtuais (VPNs)

Capítulo 13. Segurança de dados em redes de computadores. Redes Privadas Virtuais (VPNs) Capítulo 13 Segurança de dados em redes de computadores. Redes Privadas Virtuais (VPNs) Neste capítulo faz-se uma introdução a aplicações e standards que implementam segurança (por encriptação) na comunicação

Leia mais

Introdução. Iremos procurar ver aqui alguns mecanismos de proteção mais utilizados como: criptografia e SSL. 1.0 Criptografia

Introdução. Iremos procurar ver aqui alguns mecanismos de proteção mais utilizados como: criptografia e SSL. 1.0 Criptografia Introdução Atualmente no mundo internacional das redes e com o comércio eletrônico, todo sistema de computador se tornou um alvo em potencial para intrusos. O problema é que não há como saber os motivos

Leia mais

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 16/06/2008 17:11 Leite Júnior

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 16/06/2008 17:11 Leite Júnior ÍNDICE CRIPTOGRAFIA...2 TERMOS DA CRIPTOGRAFIA...2 MENSAGEM ORIGINAL...2 CIFRAR(ENCRIPTAR)...2 DECIFRAR(DECRIPTAR)...2 ALGORITMO DE CRIPTOGRAFIA...2 MENSAGEM CIFRADA(OU ENCRIPTADA)...2 CHAVE...2 TAMANHO

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia da Electrónica e das Telecomunicações e de Computadores

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia da Electrónica e das Telecomunicações e de Computadores Nota: Seja preciso e conciso nas suas respostas. Para responder às perguntas de resposta múltipla utilize a tabela abaixo. Todas as outras perguntas devem ser respondidas em folhas de teste. Não faça letra

Leia mais

IPSec. IPSec Internet Protocol Security OBJETIVO ROTEIRO ROTEIRO

IPSec. IPSec Internet Protocol Security OBJETIVO ROTEIRO ROTEIRO OBJETIVO Internet Protocol Security Antonio Abílio da Costa Coutinho José Eduardo Mendonça da Fonseca Apresentar conceitos sobre segurança em redes de comunicação de dados, relacionados ao Protocolo (Internet

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS Vulnerabilidade dos sistemas e uso indevido Vulnerabilidade do software Softwares comerciais contém falhas que criam vulnerabilidades na segurança Bugs escondidos (defeitos no

Leia mais

Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins

Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins Curso: Sistemas de Informação Disciplina: Redes de Computadores Prof. Sergio Estrela Martins Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a leitura

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores 3º Ano Sistemas de Informação 2008 Aula 08: Segurança Da Informação Prof. Msc. Ricardo Slavov ricardo.slavov@aes.edu.br Roteiro Pedagógico O que é segurança? Princípios da criptografia

Leia mais

CÓDIGO DA VAGA: TP08 QUESTÕES DE MÚLTIPLAS ESCOLHAS

CÓDIGO DA VAGA: TP08 QUESTÕES DE MÚLTIPLAS ESCOLHAS QUESTÕES DE MÚLTIPLAS ESCOLHAS 1) Em relação à manutenção corretiva pode- se afirmar que : a) Constitui a forma mais barata de manutenção do ponto de vista total do sistema. b) Aumenta a vida útil dos

Leia mais

Capítulo 8 Segurança na Rede

Capítulo 8 Segurança na Rede Capítulo 8 Segurança na Rede Objetivos: Entender os princípios de segurança em redes: Criptografia e seus muitos usos, além de confidencialidade Autenticação Integridade de mensagens Distribuição de chaves

Leia mais

Serviços de Comunicações. Serviços de Comunicações. 6.1. Segurança e Privacidade. Ameaça: espionagem e invasão da privacidade

Serviços de Comunicações. Serviços de Comunicações. 6.1. Segurança e Privacidade. Ameaça: espionagem e invasão da privacidade Módulo 6 Segurança e Privacidade 6.1. A segurança nas redes informáticas 6.2. Soluções de segurança 1 Anos 50 (início da era informática) 6.1. Segurança e Privacidade Número reduzido de computadores Número

Leia mais

Mecanismos de certificação e a criptografia

Mecanismos de certificação e a criptografia Mecanismos de certificação e a criptografia Os mecanismos de certificação são responsáveis em atestar a validade de um documento. Certificação Digital A Certificação Digital pode ser vista como um conjunto

Leia mais

Segurança em Redes IP

Segurança em Redes IP IPSec 1 Segurança em Redes IP FEUP MPR IPSec 2 Requisitos de Segurança em Redes» Autenticação: O parceiro da comunicação deve ser o verdadeiro» Confidencialidade: Os dados transmitidos não devem ser espiados»

Leia mais

Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE

Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE Capítulo 7 CAMADA DE TRANSPORTE INTRODUÇÃO (KUROSE) A Camada de Rede é uma peça central da arquitetura de rede em camadas A sua função é a de fornecer serviços de comunicação diretamente aos processos

Leia mais

Certificado Digital: Como Funciona (www.bry.com.br)

Certificado Digital: Como Funciona (www.bry.com.br) Comércio Eletrônico Faculdade de Tecnologia SENAC Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Unidade Curricular: Comércio Eletrônico Edécio Fernando Iepsen (edecio@terra.com.br)

Leia mais

Lista de Exercícios 03 - Camadas de Transporte e de Aplicação e Segurança de Redes

Lista de Exercícios 03 - Camadas de Transporte e de Aplicação e Segurança de Redes BCC361 Redes de Computadores (2012-02) Departamento de Computação - Universidade Federal de Ouro Preto - MG Professor Reinaldo Silva Fortes (www.decom.ufop.br/reinaldo) Lista de Exercícios 03 - Camadas

Leia mais

Criptografia fundamentos e prática. Italo Valcy CERT.Bahia / UFBA

Criptografia fundamentos e prática. Italo Valcy <italo@pop-ba.rnp.br> CERT.Bahia / UFBA Criptografia fundamentos e prática Italo Valcy CERT.Bahia / UFBA Licença de uso e atribuição Todo o material aqui disponível pode, posteriormente, ser utilizado sobre os termos da:

Leia mais

Execícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Filtros de Pacotes Criptografia SSL

Execícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Filtros de Pacotes Criptografia SSL Execícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour Filtros de Pacotes Criptografia SSL Exercício 1 Configure as regras do filtro de pacotes "E" para permitir que os computadores da rede interna

Leia mais

SEGURANÇA EM REDE PEER TO PEER USANDO TECNOLOGIA IPSEC EM UM AMBIENTE CORPORATIVO *

SEGURANÇA EM REDE PEER TO PEER USANDO TECNOLOGIA IPSEC EM UM AMBIENTE CORPORATIVO * SEGURANÇA EM REDE PEER TO PEER USANDO TECNOLOGIA IPSEC EM UM AMBIENTE CORPORATIVO * Giovani Francisco de Sant Anna Centro Universitário do Triângulo (UNITRI) William Rodrigues Gomes Centro Universitário

Leia mais

Professor(es): Fernando Pirkel. Descrição da(s) atividade(s):

Professor(es): Fernando Pirkel. Descrição da(s) atividade(s): Professor(es): Fernando Pirkel Descrição da(s) atividade(s): Definir as tecnologias de redes necessárias e adequadas para conexão e compartilhamento dos dados que fazem parte da automatização dos procedimentos

Leia mais

Rede Privada Virtual - VPN. Eng. Alessandro Coneglian Bianchini alessanc@gmail.com

Rede Privada Virtual - VPN. Eng. Alessandro Coneglian Bianchini alessanc@gmail.com Rede Privada Virtual - VPN Eng. Alessandro Coneglian Bianchini alessanc@gmail.com Tópicos Abordados Introdução a VPN Protocolos de Tunelamento Criptografia Infraestrutura de Chave Pública - PKI Introdução

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação (Extraído da apostila de Segurança da Informação do Professor Carlos C. Mello) 1. Conceito A Segurança da Informação busca reduzir os riscos de vazamentos, fraudes, erros, uso indevido,

Leia mais

Segurança e Auditoria de Sistemas. Segurança de Redes VPN - Virtual Private Network

Segurança e Auditoria de Sistemas. Segurança de Redes VPN - Virtual Private Network Segurança e Auditoria de Sistemas Segurança de Redes VPN - Virtual Private Network Prof. Me Willians Bueno williansbueno@gmail.com UNIFEB/2013 INTRODUÇÃO; ROTEIRO APLICAÇÕES; VANTAGENS; CARACTERÍSTICAS;

Leia mais

Introdução à Redes de Computadores

Introdução à Redes de Computadores Introdução à Redes de Computadores 1 Agenda Camada 4 do modelo OSI 2 1 Camada 4 do modelo OSI 3 Camada 4 - Transporte O termo "qualidade de serviço" é freqüentemente usado para descrever a finalidade da

Leia mais

Nome: Nº de aluno: 1º teste 25 perguntas de 1 a 38 / 2º teste 25 perguntas de 30 a 58 / Exame Pares

Nome: Nº de aluno: 1º teste 25 perguntas de 1 a 38 / 2º teste 25 perguntas de 30 a 58 / Exame Pares Nome: Nº de aluno: 1º teste 25 perguntas de 1 a 38 / 2º teste 25 perguntas de 30 a 58 / Exame Pares Pergunta Resposta 1 A B C D E F 2 A B C D E F 3 A B C D E F 4 A B C D E F 5 A B C D E F 6 A B C D E F

Leia mais

SIP Complemento (parte 2) Telefonia IP MAB 618. Paulo Aguiar Tel. (0xx21) 2598-3165 e-mail: aguiar@nce.ufrj.br Departamento de Computação /IM da UFRJ

SIP Complemento (parte 2) Telefonia IP MAB 618. Paulo Aguiar Tel. (0xx21) 2598-3165 e-mail: aguiar@nce.ufrj.br Departamento de Computação /IM da UFRJ SIP Complemento (parte 2) Telefonia IP MAB 618 Paulo Aguiar Tel. (0xx21) 2598-3165 e-mail: aguiar@nce.ufrj.br Departamento de Computação /IM da UFRJ Sinalização Segura 2 Segurança Tripé Autenticação Quem

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Nome Número Docente: JA VA Curso: LERCM MEIC MEET MERCM Exame (responda a todas as perguntas pares) / Repetição do 1º teste Nas questões de resposta múltipla (V/F) assinale com uma cruz a resposta correta.

Leia mais

802.11 PROTOCOLO DE SEGURANÇA

802.11 PROTOCOLO DE SEGURANÇA UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ 802.11 PROTOCOLO DE SEGURANÇA Nome: Micaella Coelho Valente de Paula Matrícula: 201207115071 2 o Período Contents 1 Introdução 2 2 802.11 3 3 Seu Funcionamento 3 4 História 4

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação 1 Agenda Segurança em Comunicações Protocolos de Segurança VPN 2 1 Comunicações Origem Destino Meio Protocolo 3 Ataques Interceptação Modificação Interrupção Fabricação 4 2 Interceptação

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Tanenbaum Redes de Computadores Cap. 1 e 2 5ª. Edição Pearson Padronização de sistemas abertos à comunicação Modelo de Referência para Interconexão de Sistemas Abertos RM OSI Uma

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Cap. 4: Protocolos de Segurança Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 é definido como um procedimento seguro para se regular a transmissão de dados entre computadores

Leia mais

Criptografia e Certificação Digital Sexta Aula. Prof. Frederico Sauer, D.Sc.

Criptografia e Certificação Digital Sexta Aula. Prof. Frederico Sauer, D.Sc. Criptografia e Certificação Digital Sexta Aula Prof. Frederico Sauer, D.Sc. Segurança em Correio Eletrônico Aplicação mais usada no mundo Altamente vulnerável Serviços necessários: Confidencialidade Autenticação

Leia mais

VPN. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

VPN. Prof. Marciano dos Santos Dionizio VPN Prof. Marciano dos Santos Dionizio VPN Virtual Private Network ou Rede Privada Virtual É uma rede de comunicações privada normalmente utilizada por uma empresa ou um conjunto de empresas e/ou instituições,

Leia mais

V3PN Voice, Video and Integrated Data IP. Palestra V3PN

V3PN Voice, Video and Integrated Data IP. Palestra V3PN V3PN Voice, Video and Integrated Data IP V3PN Voice, Video and Integrated Data Palestrante André Gustavo Lomônaco Diretor de Tecnologia da IPPLUS Tecnologia Mestre em Engenharia Elétrica Certificado Cisco

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Cap. 3: Visão Geral das Tecnologias de Segurança Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 Tradução do Endereço de Rede (NAT) Network Address Translation Recurso que permite

Leia mais

Lista de Exercício: PARTE 1

Lista de Exercício: PARTE 1 Lista de Exercício: PARTE 1 1. Questão (Cód.:10750) (sem.:2a) de 0,50 O protocolo da camada de aplicação, responsável pelo recebimento de mensagens eletrônicas é: ( ) IP ( ) TCP ( ) POP Cadastrada por:

Leia mais

VPN. Desempenho e Segurança de Sistemas de Informação

VPN. Desempenho e Segurança de Sistemas de Informação VPN Desempenho e Segurança de Sistemas de Informação Conceito Vantagens Tipos Protocolos utilizados Objetivos VPN (Virtual Private Network) Rede Privada Virtual - uma conexão onde o acesso e a troca de

Leia mais

CONCEITOS AVANÇADOS EM IRCS

CONCEITOS AVANÇADOS EM IRCS CONCEITOS AVANÇADOS EM IRCS VIRTUAL PRIVATED NETWORK - VPN VPN: Rede Virtual Privativa que usa a estrutura aberta e distribuída da Internet para a troca de dados segura e confiável entre redes corporativas

Leia mais

IPsec: IP Seguro. Edgard Jamhour 2009, Edgard Jamhour

IPsec: IP Seguro. Edgard Jamhour 2009, Edgard Jamhour IPsec: IP Seguro Edgard Jamhour 1) Introdução ao IP Sec - IP Seguro Padrão aberto baseado em RFC (IETF). Comunicação segura em camada 3 (IPv4 e IPv6) Provê recursos de segurança sobre redes IP: Autenticação,

Leia mais

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Segurança em Sistemas de Computação Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Segurança Segurança deve considerar o ambiente externo do sistema, e proteger de: Acesso não autorizado Alteração ou

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Área Departamental de Engenharia da Electrónica e Telecomunicações e de Computadores

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Área Departamental de Engenharia da Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Nome: Nº de aluno: Nota: Seja preciso e conciso nas suas respostas. Para responder às perguntas de resposta múltipla utilize a tabela abaixo. Não faça letra de médico. Quando terminar entregue apenas esta

Leia mais

Privacidade no email. Fevereiro de 2009 Luís Morais 2009, CERT.PT, FCCN

Privacidade no email. Fevereiro de 2009 Luís Morais 2009, CERT.PT, FCCN Privacidade no email Fevereiro de 2009 Luís Morais 2009, CERT.PT, FCCN 1 Introdução... 3 2 Funcionamento e fragilidades do correio electrónico... 3 3 Privacidade no correio electrónico... 5 3.1 Segurança

Leia mais