RELATÓRIO DA VISITA REALIZADA AO MUSEU NACIONAL DO AZULEJO. 7 de março de 2012

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DA VISITA REALIZADA AO MUSEU NACIONAL DO AZULEJO. 7 de março de 2012"

Transcrição

1 RELATÓRIO DA VISITA REALIZADA AO MUSEU NACIONAL DO AZULEJO 7 de março de 2012 No dia 7 de março de 2012, pelas 11 horas, uma delegação da Comissão para a Ética, a Cidadania e a Comunicação, composta pelos Senhores Deputados Mendes Bota (PSD), Presidente da Comissão, Carla Rodrigues, Ana Sofia Bettencourt, Maria da Conceição Caldeira, Lídia Bulcão, Odete Silva e Rosa Arezes, do PSD, e Adolfo Mesquita Nunes, do CDS-PP, realizou uma visita de trabalho ao Museu Nacional do Azulejo, com o objetivo de conhecer as atividades de voluntariado promovidas no âmbito daquela instituição. A delegação, que foi recebida e acompanhada ao longo de toda a visita pela Senhora Diretora do Museu, Dra. Maria Antónia Pinto de Matos, e pelo Senhor Dr. Alexandre Pais, pode conhecer as instalações do Museu Nacional do Azulejo e os trabalhos ali desenvolvidos. 1

2 No final, foi realizada uma reunião, na qual foram prestados esclarecimentos mais aprofundados sobre o projeto de voluntariado e foram colocadas algumas questões pelos Senhores Deputados. Durante a reunião e ao longo de toda a visita, foi dado a conhecer à delegação parlamentar o projeto de voluntariado Devolver ao Olhar, o qual conta com a colaboração de mais de 30 voluntários e consiste na identificação, limpeza, conservação e restauro dos azulejos e sua integração em painéis que se pretende que venham a fazer parte da exposição permanente e das exposições temporárias do Museu, assim foram prestadas informações sobre o modo como os voluntários são envolvidos nos trabalhos dos vários departamentos do Museu. 2

3 Foi salientado, pela Senhora Dra. Maria Antónia Pinto de Matos e pelo Senhor Dr. Alexandre Pais, que: O projeto de voluntariado desenvolvido pelo Museu Nacional do Azulejo surgiu na sequência da necessidade de inventariar o acervo do Museu; O recurso ao voluntariado não é uma ideia inovadora, sendo uma realidade bastante comum nos Estados Unidos da América; À data do início do projeto de voluntariado no Museu Nacional do Azulejo, apenas o Museu Nacional de Arte Antiga tinha projeto idêntico; O quadro de pessoal do Museu é composto por 40 trabalhadores muito dedicados e empenhados; Os voluntários são igualmente cerca de 40, encontrando-se mais de 30 no projeto Devolver ao olhar, de identificação, limpeza, recuperação e restaura dos azulejos, 2 nos serviços de biblioteca, a fazer inventários e digitalização de documentos, e os restantes nos projetos do serviço educativo; Nunca existiu qualquer processo de recrutamento desenvolvido pelo Museu, surgindo os voluntários através de candidaturas espontâneas; As pessoas que se oferecem para prestar voluntariado no Museu são entrevistadas 3

4 para que seja avaliado o seu perfil, tendo em vista garantir que não se tratam de pessoas com quadros clínicos de ansiedade ou depressão, já que o Museu não está preparado para fazer acompanhamento daqueles casos, e também para determinar qual o trabalho mais adequado ao voluntário; Não são celebrados protocolos entre o Museu e os voluntários, uma vez que este não tem orçamento para oferecer quaisquer contrapartidas de natureza monetária; As únicas contrapartidas oferecidas pelo Museu aos voluntários pelo trabalho desenvolvido são as seguintes: formação, indicação dos seus nomes nos catálogos das exposições em cuja preparação colaboraram e descontos equivalentes aos dos trabalhadores do Museu em almoços no restaurante do Museu; O Museu só aceita quem queira ali prestar trabalho voluntário durante 2 tardes, 2 manhãs ou de 1 a 3 dias inteiros; Há situações de voluntariado por tempo determinado, previamente definido, e outras situações por tempo indeterminado; O Museu não necessita de mais voluntários, tendo até uma lista de espera para a prestação de trabalho em regime de voluntariado; Para além dos voluntários, o Museu conta com a colaboração e o trabalho de 7 estagiários da Universidade Nova, dos cursos de História de Arte e de Restauro; 4

5 Nos últimos anos, o Museu conseguiu recuperar cerca de 80 painéis de azulejos; Os visitantes do Museu são maioritariamente estrangeiros; A loja do Museu é das lojas que mais vende, mas atualmente o volume de vendas decresceu bastante. A Senhora Dra. Maria Antónia Pinto de Matos e o Senhor Dr. Alexandre Pais fizeram ainda breves enquadramentos históricos do edifício em que o Museu se encontra instalado, o antigo Mosteiro da Madre de Deus, fundado em 1509 pela Rainha D. Leonor, assim como do espólio nele exposto. Por último, a Senhora Diretora do Museu transmitiu à delegação parlamentar a sua grande preocupação relativamente à falta de espaço para armazenamento, condicionamento e conservação das várias peças a inventariar, assim como o desejo 5

6 de que tal situação pudesse ser resolvida através da ocupação dos espaços que estão sobre as atuais instalações do Museu e que atualmente estão ocupados pelo Centro de Educação e Desenvolvimento de D. Maria Pia, da Casa Pia de Lisboa. A Senhora Diretora observou que o Decreto-Lei n.º 404/80, de 26 de Setembro, determinava que o Museu ficaria instalado nas alas poente e sul do Palácio dos Marqueses de Nisa (cujas fachadas correspondem ao Largo dos Marqueses de Nisa e à Rua de Xabregas), que para tal fim eram cedidas à Secretaria de Estado da Cultura, e referiu ainda que a afetação dos espaços que estão sobre o Museu ao Centro de Educação e Desenvolvimento de D. Maria Pia já não se mostrava indispensável, uma vez que deixara de haver internato naquela instituição, o que reduzia a necessidade da extensão da área de ocupação. E realçou ainda a importância de o Museu não ter instalações partilhadas pelo facto de exigências de segurança e conservação das peças que nelas seriam guardadas justificarem que tais locais estejam afetos exclusivamente ao Museu. Sobre esta questão, o Senhor Presidente da Comissão propôs que todos os deputados e deputadas presentes nesta visita subscrevessem um conjunto de Perguntas ao Governo, exprimindo as preocupações transmitidas pela Senhora Diretora, o que mereceu a concordância geral, tendo-se vindo a concretizar pouco tempo depois. 6

7 O Presidente da Comissão, (José Mendes Bota) 7

MUSEU DO AZULEJO APRESENTAÇÃO

MUSEU DO AZULEJO APRESENTAÇÃO MUSEU DO AZULEJO APRESENTAÇÃO O Museu Nacional do Azulejo tem por missão recolher, conservar, estudar e divulgar exemplares representativos da evolução da Cerâmica e do Azulejo em Portugal, promovendo

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA INCUBADORA DA UTAD

REGULAMENTO INTERNO DA INCUBADORA DA UTAD REGULAMENTO INTERNO DA INCUBADORA DA UTAD 2013 Artigo 1º (Âmbito) No presente regulamento definem-se todos os procedimentos de funcionamento da Incubadora da UTAD desde os processos de candidatura, avaliação

Leia mais

Relatório da visita da Comissão para a Ética, a Cidadania e a Comunicação ao Porto, nos dias 18 e 19 de fevereiro de 2013

Relatório da visita da Comissão para a Ética, a Cidadania e a Comunicação ao Porto, nos dias 18 e 19 de fevereiro de 2013 Relatório da visita da Comissão para a Ética, a Cidadania e a Comunicação ao Porto, nos dias 18 e 19 de fevereiro de 2013 20 de fevereiro de 2013 Índice 1 Objetivo da visita... 3 2 Delegação... 3 3 Visita

Leia mais

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS DEPENDENTES DA DGPC CARTA DO VOLUNTÁRIO (MINUTA) VOLUNTARIADO NOS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS DA DGPC CARTA DO VOLUNTÁRIO DE MONUMENTOS,

Leia mais

ANEXO III PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA LINHAS ORIENTADORAS E OBJETIVOS

ANEXO III PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA LINHAS ORIENTADORAS E OBJETIVOS ANEXO III PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA LINHAS ORIENTADORAS E OBJETIVOS CENTRO CULTURAL VILA FLOR A programação do Centro Cultural Vila Flor deverá assentar em critérios de qualidade, diversidade, contemporaneidade

Leia mais

Distrito de Faro Concelho de Olhão PARQUE NATURAL DA RIA FORMOSA

Distrito de Faro Concelho de Olhão PARQUE NATURAL DA RIA FORMOSA Distrito de Faro Concelho de Olhão PARQUE NATURAL DA RIA FORMOSA Galinha sultana porphyrio porphyrio HISTORIAL Data da Fundação: 1991 Breve Historial: O Centro de Educação Ambiental de Marim foi criado

Leia mais

UNIVERSIDADE POPULAR DO PORTO

UNIVERSIDADE POPULAR DO PORTO ACÇÃO DE FORMAÇÃO OS ARQUIVOS DO MUNDO DO TRABALHO TRATAMENTO TÉCNICO ARQUIVÍSTICO RELATÓRIO FINAL Enquadramento A acção de formação Os arquivos do mundo do trabalho tratamento técnico arquivístico realizou-se

Leia mais

Partido Popular. CDS-PP Grupo Parlamentar. Projecto de Lei nº 195/X. Inclusão dos Médicos Dentistas na carreira dos Técnicos Superiores de Saúde

Partido Popular. CDS-PP Grupo Parlamentar. Projecto de Lei nº 195/X. Inclusão dos Médicos Dentistas na carreira dos Técnicos Superiores de Saúde Partido Popular CDS-PP Grupo Parlamentar Projecto de Lei nº 195/X Inclusão dos Médicos Dentistas na carreira dos Técnicos Superiores de Saúde A situação da saúde oral em Portugal é preocupante, encontrando-se

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DRA. MARIA AUGUSTA SARAIVA MANUAL DE ESTÁGIO PROFISSIONAL

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DRA. MARIA AUGUSTA SARAIVA MANUAL DE ESTÁGIO PROFISSIONAL 2012 ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DRA. MARIA AUGUSTA SARAIVA MANUAL DE ESTÁGIO PROFISSIONAL APRESENTAÇÃO Este Manual foi elaborado com o objetivo de normalizar o Estágio Profissional Supervisionado, para os

Leia mais

REGULAMENTO - VOLUNTÁRIOS

REGULAMENTO - VOLUNTÁRIOS REGULAMENTO - VOLUNTÁRIOS 1. Os voluntários oriundos de fora de S. Félix da Marinha e do Concelho de Espinho, terão direito a Alojamento, numa Escola escolhida pela Organização e a indicar na data de chegada

Leia mais

Museu Nacional do Azulejo Lisboa

Museu Nacional do Azulejo Lisboa Museu Nacional do Azulejo Lisboa 15 Museu Nacional do Azulejo APRESENTAÇÃO O Museu Nacional do Azulejo está instalado na zona oriental de Lisboa, no antigo convento da Madre de Deus, Casa da Ordem de

Leia mais

Investimento Adjudicado 2007-2009

Investimento Adjudicado 2007-2009 Programa de Modernização das Escolas do Ensino Secundário Investimento Adjudicado 2007-2009 Comissão Parlamentar de Educação e Ciência, Memorando de apoio à audição parlamentar de 24 Março de 2010 NOTA

Leia mais

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS DEPENDENTES DA DGPC ACORDO INSTITUIÇÃO / VOLUNTÁRIO (MINUTA) VOLUNTARIADO NOS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS DA DGPC Acordo de Voluntariado

Leia mais

Acordo de Voluntariado (minuta)

Acordo de Voluntariado (minuta) Acordo de Voluntariado (minuta) Considerando que: a) O IMC é o organismo do Ministério da Cultura responsável pela definição de uma política museológica nacional e pela concretização de um conjunto de

Leia mais

ATA DA ÚNICA REUNIÃO DA SESSÃO ORDINÁRIA DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE ELVAS, REALIZADA NO DIA 27 DE ABRIL DE 2015

ATA DA ÚNICA REUNIÃO DA SESSÃO ORDINÁRIA DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE ELVAS, REALIZADA NO DIA 27 DE ABRIL DE 2015 ATA DA ÚNICA REUNIÃO DA SESSÃO ORDINÁRIA DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE ELVAS, REALIZADA NO DIA 27 DE ABRIL DE 2015 Aos vinte e sete dias do mês de abril de dois mil e quinze, em cumprimento da Convocatória

Leia mais

-0> INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012.

-0> INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012. -0> INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012. Dispõe sobre os critérios e os procedimentos para promoção, organização e participação da ANAC em eventos internos e externos. A DIRETORIA DA AGÊNCIA

Leia mais

ATA Nº 01/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS)

ATA Nº 01/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS) ATA Nº 01/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS) Data: 26-01-2012 Local: Auditório do Edifício Cultural da Câmara Municipal de Peniche Hora de início: 21h15mn Hora do fecho: 23h30mn

Leia mais

Regulamento dos Prémios APOM

Regulamento dos Prémios APOM Regulamento dos Prémios APOM A Associação Portuguesa de Museologia (APOM), designada abreviadamente por APOM, com sede em Lisboa, tem por finalidade: a) Agrupar os profissionais de museologia ou instituições

Leia mais

É precisamente nestas alturas que temos de equacionar todos os meios possíveis para tornar viáveis, nomeadamente, os museus.

É precisamente nestas alturas que temos de equacionar todos os meios possíveis para tornar viáveis, nomeadamente, os museus. Museus Novos produtos para novos públicos António Ponte Paço dos Duques de Bragança PORTO, 2011-11-07 Ao iniciar esta apresentação quero agradecer o convite que nos foi endereçado para apresentar a situação

Leia mais

SPORT LISBOA E BENFICA PRESERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO

SPORT LISBOA E BENFICA PRESERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO SPORT LISBOA E BENFICA PRESERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO Basto, M. 1 ; Mata, I. 2 ; Costa, R. 3 1 ARGO Arte, Património & Cultura Rua Ernesto da Silva, 50 R/C 1495-055 Algés, Portugal geral@argo-cr.com 2 Sport

Leia mais

O RISCO ESPREITA, MAIS VALE JOGAR PELO SEGURO

O RISCO ESPREITA, MAIS VALE JOGAR PELO SEGURO ANA MARIA MAGALHÃES ISABEL ALÇADA [ ILUSTRAÇÕES DE CARLOS MARQUES ] O RISCO ESPREITA, MAIS VALE JOGAR PELO SEGURO COLEÇÃO SEGUROS E CIDADANIA SUGESTÃO PARA LEITURA ORIENTADA E EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 INVESTIGAÇÃO MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO Bruno Rodrigo Teixeira 1 Universidade Estadual de Londrina - UEL bruno_matuel@yahoo.com.br Camila Rosolen 2 Universidade Estadual de Londrina - UEL camilarosolen@yahoo.com.br

Leia mais

REGULAMENTO DA INCUBADORA DO TAGUSPARK

REGULAMENTO DA INCUBADORA DO TAGUSPARK REGULAMENTO DA INCUBADORA DO TAGUSPARK Data: Outubro de 2013 PARTE I Aspectos Gerais Artigo 1º (Âmbito) No presente regulamento definem-se os procedimentos de funcionamento da Incubadora do Taguspark,

Leia mais

Divisão de Gestão Administrativa e Financeira ATA Nº 02/2014

Divisão de Gestão Administrativa e Financeira ATA Nº 02/2014 ATA Nº 02/2014 ----- ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DESTA CÂMARA MUNICIPAL DE VINTE QUATRO DE JANEIRO DE DOIS MIL E CATORZE. -------------------------------------------------- ----- Aos vinte e quatro dias do

Leia mais

A qualidade humana e pedagógica que carateriza o Externato Eduarda Maria está associada aos seguintes fatores:

A qualidade humana e pedagógica que carateriza o Externato Eduarda Maria está associada aos seguintes fatores: PROJETO EDUCATIVO 2 Índice 1 Introdução 2 Quem Somos 2.1 O Externato Eduarda Maria 2.2 - Caraterização do Colégio 2.2.1 Caraterização Humana 2.2.2 Caraterização Física 2.2.3 Organização Estrutural 3 Projeto

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO VOLUNTARIADO

REGULAMENTO INTERNO VOLUNTARIADO REGULAMENTO INTERNO DO VOLUNTARIADO REGULAMENTO Artigo 1.º Âmbito O presente regulamento visa definir as linhas orientadoras do grupo de voluntariado Marvila Voluntária, o qual tem como entidade promotora

Leia mais

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE CONDEIXA-A-NOVA ACTA Nº 2/2009 REUNIÃO ORDINÁRIA DE 2009/04/27

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE CONDEIXA-A-NOVA ACTA Nº 2/2009 REUNIÃO ORDINÁRIA DE 2009/04/27 ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE CONDEIXA-A-NOVA ACTA Nº 2/2009 REUNIÃO ORDINÁRIA DE 2009/04/27 mod. EXP 14.1 Aos vinte e sete dias do mês de Abril do ano de dois mil e nove, reuniu no Salão Nobre dos Paços do

Leia mais

ACORDO DE COLABORAÇÃO

ACORDO DE COLABORAÇÃO ACORDO DE COLABORAÇÃO ENTRE: A AMA, I.P. AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA, I.P., adiante designada por AMA, pessoa colectiva n.º 508184509, com sede na Rua Abranches Ferrão, nº 10, 3º G, 1600-001,

Leia mais

GESTÃO DE ARQUIVOS E DEPÓSITOS. Regulamento

GESTÃO DE ARQUIVOS E DEPÓSITOS. Regulamento GESTÃO DE ARQUIVOS E DEPÓSITOS Regulamento 1. Enquadramento A necessidade de arquivos e depósitos no Pavilhão de Civil é partilhada pelas várias unidades funcionais instaladas. Em particular, este documento

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Deputados do PSD eleitos pela Região do Algarve Gabinete de apoio Palácio de S. Bento - 1249-068 Lisboa Telef: 213917282 - Fax: 213917445 Mail da coordenação: mendesbota@psd.parlamento.pt NOTA DE IMPRENSA

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 307/VIII DEFINE E REGULA AS HONRAS DO PANTEÃO NACIONAL

PROJECTO DE LEI N.º 307/VIII DEFINE E REGULA AS HONRAS DO PANTEÃO NACIONAL PROJECTO DE LEI N.º 307/VIII DEFINE E REGULA AS HONRAS DO PANTEÃO NACIONAL As «Honras do Pantheon», tributárias da Revolução Francesa, tiveram entre nós consagração legislativa em Decreto Régio de 25 de

Leia mais

Após 41 anos de descontos e 65 de idade reformei-me. Fiquei com UMA SÓ reforma calculada a partir dos descontos que fiz nesses 41 anos.

Após 41 anos de descontos e 65 de idade reformei-me. Fiquei com UMA SÓ reforma calculada a partir dos descontos que fiz nesses 41 anos. Vamos lá entender!? Tenho sido questionado sobre a razão de terem terminado a nível do SNS as cirurgias de mudança de sexo que eram feitas por mim no CHLN/Hospital Santa Maria, em Lisboa. Decidi por isso

Leia mais

FREIXO MARCO DE CANAVESES

FREIXO MARCO DE CANAVESES PROJETO EDUCATIVO FREIXO MARCO DE CANAVESES TRIÉNIO 2012-2015 Conteúdo 1. Caracterização da Escola Profissional de Arqueologia... 2 1.1. Origem e meio envolvente... 2 1.2. População escolar... 2 1.3. Oferta

Leia mais

Os arquivos digitais surgem como consequência da evolução da tecnologia ou como resposta às atuais exigências da sociedade?

Os arquivos digitais surgem como consequência da evolução da tecnologia ou como resposta às atuais exigências da sociedade? Os arquivos digitais surgem como consequência da evolução da tecnologia ou como resposta às atuais exigências da sociedade? Os arquivos históricos em ambiente digital são uma condição para a sua valorização

Leia mais

Museu de Artes Decorativas Portuguesas Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva Lisboa

Museu de Artes Decorativas Portuguesas Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva Lisboa Museu de Artes Decorativas Portuguesas Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva Lisboa 18 Museu de Artes Decorativas Portuguesas Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva APRESENTAÇÃO Instalado no Palácio

Leia mais

CAPÍTULO I DA FUNDAÇÃO

CAPÍTULO I DA FUNDAÇÃO ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO ABEL E JOÃO DE LACERDA CAPÍTULO I DA FUNDAÇÃO - ARTIGO 1º - Natureza Jurídica A FUNDAÇÃO ABEL E JOÃO DE LACERDA é uma instituição particular de utilidade pública geral dotada de personalidade

Leia mais

Como sempre, e de acordo com a nossa missão, continuaremos a dar a conhecer a Síndrome de Asperger e a APSA à sociedade em geral.

Como sempre, e de acordo com a nossa missão, continuaremos a dar a conhecer a Síndrome de Asperger e a APSA à sociedade em geral. Plano de Atividades 2016 INTRODUÇÃO O Plano de Atividades para 2016 agora apresentado tem como mote central DAR SENTIDO. Dar Sentido a tudo o que fazemos, o que nos envolve e o que envolve os outros. Centrarse-á

Leia mais

Senhor Presidente. Senhor Presidente,

Senhor Presidente. Senhor Presidente, Intervenção proferida pelo Deputado Clélio Meneses aquando da discussão do Plano e Orçamento para 2012. Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados Senhor Presidente, Senhora e Senhores Membros do

Leia mais

ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE TORRE DE MONCORVO REALIZADA NO DIA QUATRO DE OUTUBRO DO ANO DE DOIS MIL E TREZE

ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE TORRE DE MONCORVO REALIZADA NO DIA QUATRO DE OUTUBRO DO ANO DE DOIS MIL E TREZE ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE TORRE DE MONCORVO REALIZADA NO DIA QUATRO DE OUTUBRO DO ANO DE DOIS MIL E TREZE ------ Aos quatro dias do mês de Outubro do ano de dois mil e treze, nesta

Leia mais

CONDIÇÕES DO CONTRATO DE CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO ESTABELECIMENTO SITO NO PORTO DE RECREIO DE OLHÃO

CONDIÇÕES DO CONTRATO DE CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO ESTABELECIMENTO SITO NO PORTO DE RECREIO DE OLHÃO CONDIÇÕES DO CONTRATO DE CONCESSÃO DE EXPLORAÇÃO DO ESTABELECIMENTO SITO NO PORTO DE RECREIO DE OLHÃO 1.- OBJECTO DO CONTRATO 1.1. - O contrato terá por objecto a concessão de exploração do Snack-Bar-Restaurante

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 028/2001

DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 028/2001 DELIBERAÇÃO CONSUNI Nº 028/2001 Dispõe sobre a criação do Sistema Integrado de Bibliotecas SIBi e aprovação do seu regulamento. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, na conformidade do Processo nº PREX- 1785/2001,

Leia mais

III.IIIIIIIÍ IIIIiIpIIJIII,4ssEMiuiA DkEPOSUCA

III.IIIIIIIÍ IIIIiIpIIJIII,4ssEMiuiA DkEPOSUCA III.IIIIIIIÍ IIIIiIpIIJIII,4ssEMiuiA DkEPOSUCA COMISSÃO DE SEGURANÇA SOCIAL E TRABALHO ATA NÚMERO 179/XII/3.a SI Aos dezanove dias do mês de fevereiro de 2014, pelas 12:00 horas, reuniu a Comissão de Segurança

Leia mais

Programa de Parcerias e Submissão de Propostas 2014/15

Programa de Parcerias e Submissão de Propostas 2014/15 DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA Programa de Parcerias e Submissão de Propostas 2014/15 O Departamento de Informática (DI) da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL) procura criar e estreitar

Leia mais

Junta de Freguesia da Marinha Grande ACTA NÚMERO CINCO

Junta de Freguesia da Marinha Grande ACTA NÚMERO CINCO ACTA NÚMERO CINCO Aos quatro dias do mês de Março de dois mil e dez, pelas vinte e uma horas e quarenta e cinco minutos, deu-se início à reunião ordinária do Executivo da Junta de Freguesia, sob a presidência

Leia mais

DSAJAL/DAAL NG. Nota Informativa 7/2012 Dezembro 2012. Empresas locais Integração de trabalhadores no Município. Despesas de Pessoal. novembro.

DSAJAL/DAAL NG. Nota Informativa 7/2012 Dezembro 2012. Empresas locais Integração de trabalhadores no Município. Despesas de Pessoal. novembro. Nota Informativa 7/2012 Dezembro 2012 DSAJAL/DAAL NG Empresas locais Integração de trabalhadores no Município Despesas de Pessoal Com esta Nota Informativa pretende-se esclarecer as dúvidas colocadas pelas

Leia mais

ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE BELMONTE, REALIZADA NO DIA DEZASSETE DE SETEMBRO DE DOIS MIL E QUINZE

ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE BELMONTE, REALIZADA NO DIA DEZASSETE DE SETEMBRO DE DOIS MIL E QUINZE 17-09-2015 1 Acta número dezoito ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE BELMONTE, REALIZADA NO DIA DEZASSETE DE SETEMBRO DE DOIS MIL E QUINZE Aos dezassete dias do mês de Setembro do ano dois

Leia mais

PM 44/15. 20 março 2015 Original: inglês. Relatório do Comitê de Promoção e Desenvolvimento de Mercado sobre a reunião realizada em 4 de março de 2015

PM 44/15. 20 março 2015 Original: inglês. Relatório do Comitê de Promoção e Desenvolvimento de Mercado sobre a reunião realizada em 4 de março de 2015 PM 44/15 20 março 2015 Original: inglês P Relatório do Comitê de Promoção e Desenvolvimento de Mercado sobre a reunião realizada em 4 de março de 2015 Item 1: Adoção da ordem do dia... 2 Item 2: Eleição

Leia mais

PROGRAMA IAB UM PATRIMÔNIO DE TODOS FICHA DE CADASTRO DE AMIGO DO IAB 1. DADOS PESSOAIS / EMPRESA 2. CATEGORIAS DE AMIGO C)PARCEIRO DE SERVIÇOS ( )

PROGRAMA IAB UM PATRIMÔNIO DE TODOS FICHA DE CADASTRO DE AMIGO DO IAB 1. DADOS PESSOAIS / EMPRESA 2. CATEGORIAS DE AMIGO C)PARCEIRO DE SERVIÇOS ( ) INSTITUTO DE ARQUEOLOGIA BRASILEIRA Estrada da Cruz Vermelha 45, Vila Santa Tereza, Belford Roxo, RJ. CEP: 26193-415. Tel/Fax: (21) 31358117 www.arqueologia-iab.com.br iab@arqueologia-iab.com.br NOME PROGRAMA

Leia mais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º /XI

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º /XI Grupo Parlamentar PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º /XI RECOMENDA AO GOVERNO A SUSPENSÃO DE TODAS AS ACÇÕES RELATIVAS À TRANSFERÊNCIA DE MUSEUS E À CRIAÇÃO DE NOVOS MUSEUS NO EIXO AJUDA/BELÉM, ATÉ À ELABORAÇÃO

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Entre Primeira Contraente: Fundação de Serralves, pessoa colectiva de direito privado nº 502266643, instituída pelo Decreto-Lei nº 240-A/89, de 27 de Julho, com sede na

Leia mais

Senhor Ministro da Defesa Nacional, Professor Azeredo Lopes, Senhora Vice-Presidente da Assembleia da República, Dra.

Senhor Ministro da Defesa Nacional, Professor Azeredo Lopes, Senhora Vice-Presidente da Assembleia da República, Dra. Senhor Representante de Sua Excelência o Presidente da República, General Rocha Viera, Senhor Ministro da Defesa Nacional, Professor Azeredo Lopes, Senhora Vice-Presidente da Assembleia da República, Dra.

Leia mais

SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS

SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS Lisboa, 2013 Disponível em www.clientebancario.bportugal.pt BANCO DE PORTUGAL Av. Almirante Reis, 71 1150-012 Lisboa www.bportugal.pt Edição Departamento de Supervisão Comportamental

Leia mais

REGIME JURÍDICO APLICÁVEL AOS CALL CENTERS

REGIME JURÍDICO APLICÁVEL AOS CALL CENTERS TMT N.º 2 /2009 MAIO/JUNHO 2009 REGIME JURÍDICO APLICÁVEL AOS CALL CENTERS Foi publicado no passado dia 2 de Junho o Decreto-Lei nº 134/2009 que veio estabelecer o regime jurídico aplicável à prestação

Leia mais

Marco Civil da Internet muda o uso da rede, mas ainda é incógnita para muitos

Marco Civil da Internet muda o uso da rede, mas ainda é incógnita para muitos Marco Civil da Internet muda o uso da rede, mas ainda é incógnita para muitos Shirley Pacelli Eu tô te explicando pra te confundir. Eu tô te confundindo pra te esclarecer. Como define o cantor e compositor

Leia mais

ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE BELMONTE, REALIZADA NO DIA SETE DE MAIO DE DOIS MIL E QUINZE

ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE BELMONTE, REALIZADA NO DIA SETE DE MAIO DE DOIS MIL E QUINZE 07-05-2015 63 Acta número oito ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE BELMONTE, REALIZADA NO DIA SETE DE MAIO DE DOIS MIL E QUINZE Aos sete dias do mês de Maio do ano dois mil e quinze, pelas

Leia mais

Índice 1. Introdução... 2 2. Objetivo e Âmbito do Manual do Voluntariado... 2 3. Definições... 2 3.1. Voluntariado... 2 3.2. Voluntário... 3 4.

Índice 1. Introdução... 2 2. Objetivo e Âmbito do Manual do Voluntariado... 2 3. Definições... 2 3.1. Voluntariado... 2 3.2. Voluntário... 3 4. Manual do Índice 1. Introdução... 2 2. Objetivo e Âmbito do Manual do Voluntariado... 2 3. Definições... 2 3.1. Voluntariado... 2 3.2. Voluntário... 3 4. Ser Voluntário da Liga... 3 5. Reflexões prévias...

Leia mais

REGULAMENTO MARÇO 2013

REGULAMENTO MARÇO 2013 PROGRAMA DE VOLUNTÁRIO E ESTAGIÁRIOS MUSEU NACIONAL DE HISTÓRIA NATURAL E DA CIÊNCIA UNIVERSIDADE DE LISBOA REGULAMENTO MARÇO 2013 1 CONDIÇÕES GERAIS DE ADMISSÃO Voluntariado 1. Qualquer cidadão maior

Leia mais

Lei nº11.107 Consórcios públicos e gestão associada de serviços públicos

Lei nº11.107 Consórcios públicos e gestão associada de serviços públicos Lei nº11.107 Consórcios públicos e gestão associada de serviços públicos Seminário de Licenciamento Ambiental de Destinação Final de Resíduos Sólidos Brasília, DF - Novembro de 2005 Coleta de resíduos

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA UEPB PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO PROAPEX.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA UEPB PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO PROAPEX. UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA UEPB PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO PROAPEX. EDITAL Nº 005/2015/UEPB/PROEX/PROAPEX PROCESSO SELETIVO DO PROAPEX COTA 2015-2016

Leia mais

COMISSÃO PERMANENTE DE POLÍTICA GERAL

COMISSÃO PERMANENTE DE POLÍTICA GERAL PARECER DA COMISSÃO DE POLÍTICA GERAL SOBRE O PROJECTO DE DECRETO LEGISLATIVO REGIONAL QUE CRIA A AGÊNCIA PARA A MODERNIZAÇÃO E QUALIDADE DO SERVIÇO AO CIDADÃO, DESIGNADA POR RIAC. Horta, 05 de Setembro

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Presidência do Governo Secretário Regional Adjunto da Presidência Gabinete do Secretário

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES Presidência do Governo Secretário Regional Adjunto da Presidência Gabinete do Secretário Excelência, Em resposta ao Requerimento em epígrafe, cumpre-me transmitir a V. Exª. a seguinte informação: 1. Repondo a verdade histórica da constituição do Clube de Golfe da Ilha Terceira, designado também

Leia mais

A leitura, um bem essencial

A leitura, um bem essencial A leitura, um bem essencial A leitura, um bem essencial A leitura é uma competência básica que todas as pessoas devem adquirir para conseguirem lidar de forma natural com a palavra escrita. Mas aprender

Leia mais

INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E DA ATMOSFERA, I.P.

INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E DA ATMOSFERA, I.P. INSTITUTO PORTUGUÊS DO MAR E DA ATMOSFERA, I.P. REGULAMENTO DE BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO CIENTIFICA Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento, aplica-se às bolsas atribuídas pelo Instituto Português do Mar

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 29 Discurso na cerimónia de premiação

Leia mais

02-07-2015 PROGRAMA DE VOLUNTARIADO CULTURAL DA FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA. Tânia Semedo Silva Técnica da Área Social

02-07-2015 PROGRAMA DE VOLUNTARIADO CULTURAL DA FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA. Tânia Semedo Silva Técnica da Área Social PROGRAMA DE VOLUNTARIADO CULTURAL DA FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA Tânia Semedo Silva Técnica da Área Social 1 A FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA Estabelecida em 1963 por Vasco Maria Eugénio de Almeida Missão:

Leia mais

Programa Museu na Escola PREMISSAS INTRODUÇÃO

Programa Museu na Escola PREMISSAS INTRODUÇÃO O Programa Museu na Escola é uma iniciativa do Museu da Família no sentido de promover processos museológicos em escolas e outras instituições de ensino visando à preservação da memória e a educação patrimonial.

Leia mais

Plano de Atividades 2014

Plano de Atividades 2014 Ilustração de Antónia Tinturé Associação Zoófila Portuguesa, março de 2014 1 Índice Enquadramento... 2 Qualidade dos Serviços e gestão internaerro! Marcador não definido. Abrangência e divulgação... 7

Leia mais

5ª Edição do Prémio SIC Esperança Escola Solar Regulamento

5ª Edição do Prémio SIC Esperança Escola Solar Regulamento A SIC Esperança promove anualmente a entrega de um prémio a um projeto inovador ainda não implementado, que tenha como objetivo a melhoria da qualidade de vida, em particular de pessoas socialmente desfavorecidas.

Leia mais

Museu Nacional de Arqueologia

Museu Nacional de Arqueologia Museu Nacional de Arqueologia - História O atual Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado em 1893 pelo Doutor José Leite de Vasconcelos (e daí a designação oficial mais completa do Museu, conforme

Leia mais

FACULDADES DA FUNDAÇÃO DE ENSINO DE MOCOCA - FaFEM

FACULDADES DA FUNDAÇÃO DE ENSINO DE MOCOCA - FaFEM Portaria n. 012/2010. Estabelece as Normas e Regulamento da Ouvidoria das FAFEM. A Diretora das Faculdades da Fundação de Ensino de Mococa, no uso de suas atribuições regimentais, RESOLVE: regulamentar

Leia mais

COMISSÃO DE SAÚDE ACTA NÚMERO 145/XII/ 4.ª SL

COMISSÃO DE SAÚDE ACTA NÚMERO 145/XII/ 4.ª SL Aos 24 dias do mês de setembro de 2014, pelas 14:00 horas, reuniu a Comissão de Saúde, na sala 2 do Palácio de S. Bento, na presença dos Senhores Deputados constantes da folha de presenças que faz parte

Leia mais

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL CADERNOS DE MUSEOLOGIA Nº 28 2007 135 GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL INTRODUÇÃO Os Sistemas da Qualidade

Leia mais

Relatório de Autoavaliação dos Planos de Ação

Relatório de Autoavaliação dos Planos de Ação AGRUPAMENTO DE ESCOLAS POETA JOAQUIM SERRA Relatório de Autoavaliação dos Planos de Ação Ano letivo 2014/2015 EB1 Afonsoeiro Índice INTRODUÇÃO 2 I - ENQUADRAMENTO 1. Caracterização da Escola 2 II AVALIAÇÃO

Leia mais

Concurso Interno. Preferências na Candidatura. Prioridades. 1.ª Prioridade:

Concurso Interno. Preferências na Candidatura. Prioridades. 1.ª Prioridade: Concurso Interno Docentes a que se da colocação Preferências na da e 1.ª Prioridade: 4 em 4 anos. Próximo concurso realiza-se no ano letivo de 2012/13 para o ano letivo 2013/14. 1. Docentes de carreira,

Leia mais

Projeto Lendo desde Pequeninos : Uma Biblioteca na Escola de Educação Infantil

Projeto Lendo desde Pequeninos : Uma Biblioteca na Escola de Educação Infantil Projeto Lendo desde Pequeninos : Uma Biblioteca na Escola de Educação Infantil - Justificativa: O projeto Lendo desde Pequeninos : Uma Biblioteca na Escola de Educação Infantil iniciou no segundo semestre

Leia mais

PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES EDUCATIVAS - 2ºCICLO

PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES EDUCATIVAS - 2ºCICLO REGULAMENTO INTERNO PROGRAMA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES EDUCATIVAS - 2ºCICLO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. FILIPA DE LENCASTRE Artigo 1º Finalidade O presente Regulamento tem por finalidade estabelecer as

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º /X SERVIÇO UNIVERSAL DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º /X SERVIÇO UNIVERSAL DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA. Exposição de motivos Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º /X SERVIÇO UNIVERSAL DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA Exposição de motivos O enorme atraso na democratização do acesso à internet é um motivo de preocupação para

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO

ORGANIZAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 1 ORGANIZAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 1 - Preâmbulo O trabalho desenvolvido assentou no referencial 2006-2011 da Inspeção-Geral da Educação, nomeadamente o Quadro de referência para

Leia mais

S. R. REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA. Plano de Actividades. Ano Económico 2010

S. R. REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA. Plano de Actividades. Ano Económico 2010 Plano de Actividades Ano Económico 2010 I - Nota Introdutória Ao Conselho de Administração da Assembleia Legislativa, incumbe, entre outras atribuições, exercer a gestão orçamental e financeira da Assembleia,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 313/XII. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 313/XII. Exposição de Motivos Proposta de Lei n.º 313/XII Exposição de Motivos O XIX Governo Constitucional implementou, ao longo da presente legislatura, importantes e significativas reformas no setor da administração local, em que

Leia mais

Curso Livre Online. 3.ª edição. Gestão e Valorização de Coleções Paleontológicas e Arqueológicas em Museus PLANO MODULAR

Curso Livre Online. 3.ª edição. Gestão e Valorização de Coleções Paleontológicas e Arqueológicas em Museus PLANO MODULAR Curso Livre Online 3.ª edição Gestão e Valorização de Coleções Paleontológicas e Arqueológicas em Museus PLANO MODULAR Apresentação da entidade organizadora Centro Português de Geo História e Pré-História

Leia mais

R E L AT Ó R I O E PA R E C E R

R E L AT Ó R I O E PA R E C E R A S S E M B L E I A L E G I S L A T I V A D A R E G I Ã O A U T Ó N O M A D O S A Ç O R E S C O M I S S Ã O P E R M A N E N T E D E E C O N O M I A R E L AT Ó R I O E PA R E C E R P RO JETO DE R E S O

Leia mais

Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação

Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação Encontro Internacional de Arquivos Universidade de Évora 3-4 de Outubro

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE PAREDES

CÂMARA MUNICIPAL DE PAREDES CÂMARA MUNICIPAL DE PAREDES QUADRIÉNIO 2006/2009 ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DA CÂMARA MUNICIPAL 2009/08/05 ÍNDICE REUNIÃO DE 2009/08/05 JUSTIFICAÇÃO DE FALTA 5 APROVAÇÃO DA ACTA DA REUNIÃO DE 29/07/2009

Leia mais

II Edição do Concurso Uma Boa Ideia para a Sustentabilidade. Tema: Uso Sustentável da Água. Regulamento do Concurso de Ideias

II Edição do Concurso Uma Boa Ideia para a Sustentabilidade. Tema: Uso Sustentável da Água. Regulamento do Concurso de Ideias II Edição do Concurso Uma Boa Ideia para a Sustentabilidade Tema: Uso Sustentável da Água Regulamento do Concurso de Ideias (Aberto a todos os cidadãos) 1. O que é? O concurso Uma Boa Ideia para a Sustentabilidade

Leia mais

MUNICÍPIO DO PORTO SANTO CÂMARA MUNICIPAL

MUNICÍPIO DO PORTO SANTO CÂMARA MUNICIPAL CADERNO DE ENCARGOS PROCESSO Nº 3 RH-2015 Apoio Técnico na área de Gestão de Recursos Humanos - Prestação de Serviços Ajuste Direto 1 de 10 ÍNDICE CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS... 3 Cláusula 1.ª - Objecto...

Leia mais

SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DIREÇÃO REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE LAGOA EB 2,3 Padre João José do Amaral

SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DIREÇÃO REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE LAGOA EB 2,3 Padre João José do Amaral SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DIREÇÃO REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE LAGOA EB 2,3 Padre João José do Amaral Sala de Apoio Multidisciplinar Regulamento Interno 1.

Leia mais

CENTRO DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE EMPRESAS INOV.POINT REGULAMENTO INTERNO

CENTRO DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE EMPRESAS INOV.POINT REGULAMENTO INTERNO CENTRO DE INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE EMPRESAS INOV.POINT REGULAMENTO INTERNO I Introdução 1.1 O presente Regulamento destina-se a estabelecer as regras de acesso e de funcionamento do INOV.POINT Centro

Leia mais

Reportagem 2012 Escola Secundária de Raul Proença, Ana Beatriz Santos, Círculo Eleitoral de Leiria

Reportagem 2012 Escola Secundária de Raul Proença, Ana Beatriz Santos, Círculo Eleitoral de Leiria Reportagem 2012 Escola Secundária de Raul Proença, Ana Beatriz Santos, Círculo Eleitoral de Leiria A participação da Escola Secundária de Raul Proença (ESRP) no Parlamento dos Jovens foi sempre um motivo

Leia mais

PROPOSTA DE PARCERIA COM A ÓBIDOS CRIATIVA E.E.M.

PROPOSTA DE PARCERIA COM A ÓBIDOS CRIATIVA E.E.M. PROPOSTA DE PARCERIA COM A ÓBIDOS CRIATIVA E.E.M. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA A Blend Point é uma empresa que engloba algumas marcas das quais, para este projecto, se destacam a CorkWay Store e a Gods From

Leia mais

À Firma. À Firma. À firma

À Firma. À Firma. À firma À Firma À Firma À firma Sua Referência Sua Comunicação de Nossa Referência Data Assunto: Convite para apresentação de proposta. Ajuste Directo n.º 6/2009. Em cumprimento do disposto no artigo 115.º do

Leia mais

Definições. Órgãos de Documentação. Classificação dos Arquivos. Quanto à Abrangência

Definições. Órgãos de Documentação. Classificação dos Arquivos. Quanto à Abrangência Definições Informação: Produto de um documento. Documento: Tudo aquilo que pode transmitir uma idéia, pensamento ou acontecimento, ou seja, uma informação. Arquivo: Lugar onde se guardam os documentos

Leia mais

PARECER Nº 13/2009 1- APRESENTAÇÃO

PARECER Nº 13/2009 1- APRESENTAÇÃO PARECER Nº 13/2009 Manifesta-se sobre a declaração de interesse público e social do acervo de Abdias Nascimento, sob a guarda do Instituto de Pesquisas e Estudos Afro-Brasileiros - IPEAFRO 1- APRESENTAÇÃO

Leia mais

Perfil e Competências Pessoal Não docente. Agrupamento de Escolas de Pinhal de Frades Isabel Gomes Teixeira Ano Letivo 2014/2015

Perfil e Competências Pessoal Não docente. Agrupamento de Escolas de Pinhal de Frades Isabel Gomes Teixeira Ano Letivo 2014/2015 Perfil e Competências Pessoal Não docente Ano Letivo 2014/2015 Introdução A forma de ver e viver na escola dos nossos dias colocou novos desafios à comunidade escolar e levou à necessidade de repensar

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 393/VIII ESTABELECE O ESTATUTO LEGAL DO MEDIADOR SÓCIO-CULTURAL. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º 393/VIII ESTABELECE O ESTATUTO LEGAL DO MEDIADOR SÓCIO-CULTURAL. Exposição de motivos PROJECTO DE LEI N.º 393/VIII ESTABELECE O ESTATUTO LEGAL DO MEDIADOR SÓCIO-CULTURAL Exposição de motivos A necessidade de função de mediação sócio-cultural surgiu da vontade de melhorar a relação entre

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM CUIDADOS FARMACÊUTICOS

PÓS-GRADUAÇÃO EM CUIDADOS FARMACÊUTICOS PÓS-GRADUAÇÃO EM CUIDADOS FARMACÊUTICOS 1. Introdução O papel do farmacêutico, em particular no contexto da Farmácia Comunitária tem vindo a evoluir no sentido de uma maior intervenção do Farmacêutico

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. "Aproximando Universidade e o Ensino Fundamental na reflexão e prática da temática ambiental."

Mostra de Projetos 2011. Aproximando Universidade e o Ensino Fundamental na reflexão e prática da temática ambiental. Mostra de Projetos 2011 "Aproximando Universidade e o Ensino Fundamental na reflexão e prática da temática ambiental." Mostra Local de: Guarapuava Categoria do projeto: Projetos finalizados. Cidade: Guarapuava

Leia mais

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda.

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa, com sede em Castelo Branco, é uma empresa criada em 2007 que atua nos domínios da engenharia civil e da arquitetura. Atualmente, é uma empresa

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO PARA PROGRAMA VOLUNTARIADO. Regulamento do Voluntariado

REGULAMENTO INTERNO PARA PROGRAMA VOLUNTARIADO. Regulamento do Voluntariado REGULAMENTO INTERNO PARA PROGRAMA DE VOLUNTARIADO Índice 1. Enquadramento... 3 2. Definição... 3 3. Princípios... 4 4. Objetivos... 4 5. Direitos... 4 6. Deveres... 5 7. Inscrição... 7 8. Candidatura...

Leia mais

OS DESAFIOS DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI

OS DESAFIOS DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI OS DESAFIOS DA POLÍTICA DE EDUCAÇÃO NO SÉCULO XXI Maria de Lurdes Rodrigues Em matéria de educação, em quase todo o mundo, foram definidas regras que consagram o objetivo de proporcionar a todas as crianças

Leia mais