3. Como são classificadas as diversas técnicas de prototipagem rápida?

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "3. Como são classificadas as diversas técnicas de prototipagem rápida?"

Transcrição

1 PROTOTIPAGEM RÁPIDA 1. Introdução Fabricação de protótipos em curto espaço de tempo (horas ou dias contra dias ou meses anteriormente necessários) Protótipo: - modelo em escala real de peças ou produtos - mesma funcionalidade, não necessariamente fabricado no mesmo material (geralmente menos resistente que material da peça) Necessidade de protótipos: - visualização do produto (avaliação por designer ou consumidor) - testes (funcionais, montagem,...) no desenvolvimento (iterativo) do produto - verificação anterior à alocação de recursos e montagem de linha de produção - aceleração do processo de desenvolvimento e inserção rápida do produto no mercado (ganho de mercado) Classificação dos processos de prototipagem rápida: - subtrativos: remoção de material (centros de usinagem) - aditivos: adição de material por camadas -virtuais: visualização e interação por sistema computadorizado (realidade virtual) 2. Processos Aditivos Fabricação do protótipo por fatias. Forma de obtenção de cada fatia diferencia um processo do outro. Em geral as fatias possuem 0,1 mm de espessura (tolerâncias limitadas à espessura das fatias). Volume do protótipo é limitado a aproximadamente 0,125 m3 (cubo de 0,5 m de lado). Etapas: 1. Modelagem em sistema CAD 2. Fatiamento do modelo em CAD 3. Geração de instruções de fabricação de cada fatia 4. Fabricação do protótipo (por fatias) 5. Acabamento manual (lixamento, pintura,...) Perguntas: 1. O que é um protótipo? 2. Quais são as utilidades da prototipagem rápida? 3. Como são classificadas as diversas técnicas de prototipagem rápida? 2007B Prototipagem 1

2 2.1 Estereolitografia (Sterolithography) Primeira técnica aditiva de prototipagem rápida (1986). Polímero no estado líquido sofre cura localizada, provocada por laser ultra-violeta. Inicia-se o processo obtendo uma primeira fatia sobre uma base móvel (submersa no polímero líquido). Em seguida a mesa se desloca para baixo e uma nova fatia é fabricada sobre anterior (e assim por diante). Após o término da formação de todas as camadas, o protótipo é retirado do tanque, limpo e colocado em forno de radiação ultra-violeta para finalização da cura do polímero. Polímero restante no tanque pode ser reaproveitado (não sofreu a cura). É necessário utilizar suportes para fabricação de algumas geometrias específicas. 2.2 Modelagem por deposição de material fundido (Fused-deposition modeling) Deposição de material polimérico ou cera (eventualmente metais e cerâmicos com material ligante) para formação de cada camada. Base é mantida fria para acelerar a solidificação do mateiral depositado. Bico extrusor possui movimento horizontal XY (distribuição de material para formar cada camada) e base possui movimento vertical Z (avanço entre camadas). Processo cada vez mais utilizado em prototipagem rápida. Podem ser necessários suportes para obtenção de algumas geometrias (como na estereolitografia). Cada camada possui espessura de 0,25 a 0,5 mm. Obtém-se superfície serrilhada (necessário dar acabamento posterior). 2007B Prototipagem 2

3 2.3 Sinterização seletiva à laser (Selective laser sintering) Sinterização localizada de pós de materiais poliméricos (ou mesmo metais e cerâmicos com material ligante) por ação de calor originado de fonte luminosa laser. Pó não sinterizado serve de suporte para novas camadas. Para materiais poliméricos é necessário um laser de menor potência. Já para materiais metálicos e cerâmicos o laser deve ter maior potência e as peças devem passar por etapa posterior de sinterização em forno. 2.4 Cura Sólida na Base (Solid-Base Curing) Cada camada é obtida pela cura de polímero no estado líquido pela revelação de desenho impresso numa placa de vidro com auxílio de fonte ultra-violeta. Cura é feita sobre a camada inteira de uma só vez. Após a cura de cada camada o material polimérico é removido e adiciona-se cera nas cavidades formadas para servir de suporte para as próximas camadas. Podem ser utilizadas duas placas de vidro para acelerar o processo (enquanto uma é utilizada na revelação de uma camada, a outra sofre a impressão a ser utilizada na próxima camada). 2007B Prototipagem 3

4 2.5 Impressão 3D (3D printing) Deposição de material ligante sobre regiões específicas de pó metálico ou cerâmico para formação de cada camada da peça. Após a deposição de todas as camadas, a peça deve passar por processo de cura (do ligante, a150 oc) e sinterização (1000 a 1500 oc) 2.6 Manufatura de Objetos em lâminas (Laminated-Object Manufacturing) Lâminas poliméricas ou em papel com cola ativada pelo calor são cortadas e coladas formando a peça. Espessuras de lâminas: 0,05 a 0,5 mm. Processo relativamente barato. Para lâminas em papel é necessário aplicar verniz na etapa de acabamento para evitar umidade e não é possível realizar outras operações sobre a peça como uma usinagem auxiliar. 2007B Prototipagem 4

5 3. Outras aplicações de técnicas de prototipagem rápida Utilizando técnicas de prototipagem rápida também é possível obter: - peças para comercialização (não apenas para demonstração e testes) - partes auxiliares na fabricação de peças ou produtos. Exemplo: modelos em cera (ou material polimérico) para utilização em processos de fundição de cera perdida - matrizes e moldes como molde para injeção de polímeros. Molde (em material polimérico mais resistente à temperatura) possui vida útil menor e oferece pior acabamento às peças. Porém é economicamente viável para fabricação de pequenos lotes de peças. Perguntas: 1. Considerando os processsos de prototipagem rápida (estereolitografia, deposição de material fundido, sinterização seletiva a laser, cura sólida na base, impressão 3D e manufatura de objetos em lâminas), em quais deles é necessário utilizar suportes para obtenção de geometrias específicas? 2. Quais são as outras aplicações de técnicas de prototipagem rápida (além da confecção de protótipos)? REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA - Kalpakjian, S., Manufacturing Engineering & Tecnology, 5th ed, Addison Wesley, B Prototipagem 5

Universidade Federal de Itajubá PROTOTIPAGEM RÁPIDA

Universidade Federal de Itajubá PROTOTIPAGEM RÁPIDA Universidade Federal de Itajubá PROTOTIPAGEM RÁPIDA PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS O QUE É PROTOTIPAGEM RÁPIDA É uma tecnologia inovadora desenvolvida nas últimas duas décadas. Refere-se a uma

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DOS MÉTODOS DE FABRICAÇÃO D PROTÓTIPOS

ANÁLISE COMPARATIVA DOS MÉTODOS DE FABRICAÇÃO D PROTÓTIPOS Faculdade de Tecnologia de Sorocaba DEPARTAMENTO DE PROCESSOS DE PRODUÇÃO ANÁLISE COMPARATIVA DOS MÉTODOS DE FABRICAÇÃO D PROTÓTIPOS RELATÓRIO FINAL DA INICIAÇÃO CIENTÍFICA Aluno: Marcelo Tadeu Tomazela

Leia mais

Volume 01. A impressão 3D. Tecnologias de impressão 3D Formatos Softwares. Volume - 01

Volume 01. A impressão 3D. Tecnologias de impressão 3D Formatos Softwares. Volume - 01 Volume 01 A impressão 3D Tecnologias de impressão 3D Formatos Softwares Volume - 01 O que você irá ler. Iremos aprender aqui de uma forma clara e objetiva as principais tecnologias de impressão 3D, aqui

Leia mais

OBSERVATÓRIO TECNOLÓGICO IMPRESSÃO 3D

OBSERVATÓRIO TECNOLÓGICO IMPRESSÃO 3D SETEMBRO/2012 OBSERVATÓRIO TECNOLÓGICO IMPRESSÃO 3D Este relatório apresenta o conceito de impressão 3D e os benefícios da sua utilização no processo fabril. Adicionalmente traz um panorama do mercado

Leia mais

Universidade Federal de Itajubá PROTOTIPAGEM RÁPIDA PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS EPR-707 ENGENHARIA DO PRODUTO

Universidade Federal de Itajubá PROTOTIPAGEM RÁPIDA PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS EPR-707 ENGENHARIA DO PRODUTO Universidade Federal de Itajubá PROTOTIPAGEM RÁPIDA PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS EPR-707 ENGENHARIA DO PRODUTO PROTOTIPAGEM NO PDP Mercado Tecnologia PRODUTO Planejamento do Produto Concepções

Leia mais

METALURGIA DO PÓ (SINTERIZAÇÃO) 1. Introdução Transformação de pó de metais em peças pela aplicação de pressão e calor (sem fusão do metal base).

METALURGIA DO PÓ (SINTERIZAÇÃO) 1. Introdução Transformação de pó de metais em peças pela aplicação de pressão e calor (sem fusão do metal base). METALURGIA DO PÓ (SINTERIZAÇÃO) 1. Introdução Transformação de pó de metais em peças pela aplicação de pressão e calor (sem fusão do metal base). Etapas do processo: - obtenção dos pós metálicos - mistura

Leia mais

IMPRESSAO A 3D: O FUTURO

IMPRESSAO A 3D: O FUTURO IMPRESSAO A 3D: O FUTURO GRANDES AVANÇOS NA HUMANIDADE DO SÉCULO XXI Revolução Técnico- Científico ou da Inteligência. A conjugação no século XXI de: Tecnologias de Comunicação e Internet Microelectrónica

Leia mais

Processo de Forjamento

Processo de Forjamento Processo de Forjamento Histórico A conformação foi o primeiro método para a obtenção de formas úteis. Fabricação artesanal de espadas por martelamento (forjamento). Histórico Observava-se que as lâminas

Leia mais

A Fundição Injectada de Alumínio. Princípios e Desafios

A Fundição Injectada de Alumínio. Princípios e Desafios A Fundição Injectada de Alumínio Princípios e Desafios O Passado... Os primeiros exemplos de fundição por injecção (em oposição à fundição por gravidade) ocorrem em meios do século XIX (1800). A patente

Leia mais

Wagner José de Almeida

Wagner José de Almeida UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA OTIMIZAÇÃO ESTRUTURAL DE PROTÓTIPOS FABRICADOS PELA TECNOLOGIA FDM UTILIZANDO O MÉTODO DOS ELEMENTOS FINITOS

Leia mais

Novas Fronteiras da Fabricação: Uma Introdução à Manufatura Aditiva

Novas Fronteiras da Fabricação: Uma Introdução à Manufatura Aditiva Novas Fronteiras da Fabricação: Uma Introdução à Manufatura Aditiva 02-12-2014 POR JOÃO PEDRO BUIARKSEY KOVALCHUK, Eng.Eletricista, UFPR-1998 AGENDA Duração estimada: 1h Considerações Iniciais Um Pouco

Leia mais

Gestão do Produto. Prof. Dr.-Ing. Klaus Schützer

Gestão do Produto. Prof. Dr.-Ing. Klaus Schützer Gestão do Produto Prof. Dr.-Ing. Klaus Schützer - SCPM Universidade Metodista de Piracicaba - UNIMEP email: schuetzer@unimep.br http://www.unimep.br/scpm Fachgebiet Datenverarbeitung in der Konstruktion

Leia mais

Processamento de materiais cerâmicos + H 2 O. Ivone

Processamento de materiais cerâmicos + H 2 O. Ivone + H 2 O Ivone Umidade (%) Colagem 100 Líquido Plástico Semi-Sólido Índice de Plasticidade - IP Limite de Liquidez - LL Limite de Plasticidade - LP COLAGEM EXTRUSÃO Sólido Limite de Contração - LC PRENSAGEM

Leia mais

Acesse: http://fuvestibular.com.br/

Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Esse molde é (quase) para sempre Manuais ou mecanizados, de precisão, não importa qual o processo de fundição que tenhamos estudado até agora, todos tinham em comum duas coisas: o fato de que o material

Leia mais

Fundição em Moldes Metálicos Permanentes por Gravidade.

Fundição em Moldes Metálicos Permanentes por Gravidade. Aula 10: Processos de Fundição em Moldes Metálicos por Gravidade (Coquilhas) 01: Introdução - Características do processo - Etapas envolvidas. - Fatores econômicos e tecnológicos - Ligas emprwegadas 02:

Leia mais

Usinagem. Processos de Fabricação. Filipi Vianna. Porto Alegre, 2013. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia

Usinagem. Processos de Fabricação. Filipi Vianna. Porto Alegre, 2013. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia Usinagem Processos de Fabricação Filipi Vianna Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Engenharia Porto Alegre, 2013 Processos de Fabricação Dentre os processos tradicionais

Leia mais

MANEIRAS DE SE OBTER UMA DETERMINADA FORMA

MANEIRAS DE SE OBTER UMA DETERMINADA FORMA AS VÁRIAS V MANEIRAS DE SE OBTER UMA DETERMINADA FORMA Forjado Sinterizado Usinado Fundido A diferença estará apenas nos custos e tempos de fabricação? 1 EVOLUÇÃO DAS PROPRIEDADES COM O TRATAMENTO TERMOMECÂNICO

Leia mais

29 Recuperação de guias ou vias deslizantes I

29 Recuperação de guias ou vias deslizantes I A U A UL LA Recuperação de guias ou vias deslizantes I Uma máquina foi retirada do setor de produção e levada para o setor de manutenção porque havia atingido o seu ponto de reforma. A equipe de manutenção

Leia mais

DESENHO TÉCNICO AULA 01

DESENHO TÉCNICO AULA 01 DESENHO TÉCNICO AULA 01 INTRODUÇÃO Computação Gráfica A computação gráfica é a área da ciência da computação que estuda a transformação dos dados em imagem. Esta aplicação estende-se à recriação visual

Leia mais

BT 0011 BOLETIM TÉCNICO RESINA PC 26_ENDURECEDOR G 226_ CARGA EF 35/P

BT 0011 BOLETIM TÉCNICO RESINA PC 26_ENDURECEDOR G 226_ CARGA EF 35/P BT 0011 BOLETIM TÉCNICO RESINA PC 26_ENDURECEDOR G 226_ CARGA EF 35/P Elaborador: Verificadores: Aprovador: Resina PC 26_Endurecedor G 226_Carga EF 35/P Resina

Leia mais

SOLDAGEM POR ARCO SUBMERSO

SOLDAGEM POR ARCO SUBMERSO SOLDAGEM POR ARCO SUBMERSO Juntas com excelentes propriedades mecânicometalúrgicas Altas taxas de deposição Esquema básico do processo 1 Vantagens do processo Pode-se usar chanfros com menor área de metal

Leia mais

Heraeus Noblelight Aquecimento infravermelho na indústria plástica

Heraeus Noblelight Aquecimento infravermelho na indústria plástica Heraeus Noblelight Aquecimento infravermelho na indústria plástica Freddy Baruch 16 Setembro 2015 Page 1 SAUDAÇÃO BOM DIA! Page 2 APRESENTAÇÃO Page 3 APRESENTAÇÃO Quem somos - Apresentação Pessoal Freddy

Leia mais

Multiple Perfection 3D Printer

Multiple Perfection 3D Printer Multiple Perfection 3D Printer Resolução de camada de até 25 microns Velocidade de impressão de até 1000mm/s (em modo acelerado) Altura de 700mm, Volume máximo de impressão 41.6l (290X205X700mm) 6 meses

Leia mais

Multiple Perfection 3D Printer

Multiple Perfection 3D Printer Multiple Perfection 3D Printer Resolução de camada de até 25 microns Velocidade de impressão de até 1000mm/s (em modo acelerado) Volume de impressão de 15.1ℓ (290X205X255mm) 6 meses de garantia para peças

Leia mais

Técnico de Laboratório/Protótipos e Fabricação

Técnico de Laboratório/Protótipos e Fabricação UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ COORDENADORIA DE CONCURSOS CCV Concurso Público para Provimento de Cargo Técnico-Administrativo em Educação Edital nº 190/2015 Data: 15 de novembro de 2015. Duração: das 9:00

Leia mais

Informações Gerais. O que é Water Transfer Printing?

Informações Gerais. O que é Water Transfer Printing? Informações Gerais Provedora de soluções para o processo de Water Transfer Printing a PROJFIX está no mercado com o objetivo de trazer qualidade para o segmento no Brasil, comercializando produtos de alto

Leia mais

FERRAMENTAL RÁPIDO UMA NOVA TECNOLOGIA NO DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS

FERRAMENTAL RÁPIDO UMA NOVA TECNOLOGIA NO DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS FERRAMENTAL RÁPIDO UMA NOVA TECNOLOGIA NO DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS Jean P. Garcia 1, Jonas de Carvalho 2 Escola de Engenharia de São Carlos, Departamento de Engenharia Mecânica (1) jeanpg@bol.com.br,

Leia mais

Vidros Vidro Acidado Submetido à solução ácida que age no vidro, de maneira controlada, criando texturas, desenhos e letras e promovendo um aspecto de translucidez. Pode ser fabricado artesanal ou industrialmente

Leia mais

MANUAL DE IMPRESSÃO 3D

MANUAL DE IMPRESSÃO 3D MANUAL DE IMPRESSÃO 3D ÍNDICE GERAL 1- O que é impressão 3D? 2- Qual tecnologia empregada pela FI? 3- A quem se destina a impressão 3D? 4- Aplicações da impressão 3D CARACTERÍSTICAS FÍSICAS 1- Material

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO MECÂNICA II (EM307) 2º Semestre 2005/06. 4. Processamento de Materiais Cerâmicos

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO MECÂNICA II (EM307) 2º Semestre 2005/06. 4. Processamento de Materiais Cerâmicos MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO MECÂNICA II (EM307) 2º Semestre 2005/06 4. Processamento de Materiais Cerâmicos F. Jorge Lino Alves 1 Resumo 4. Processamento de Materiais Cerâmicos Processos utilizados na fabricação

Leia mais

PROCESSOS P R O F E S S O R V I N I C I U S S I L V A

PROCESSOS P R O F E S S O R V I N I C I U S S I L V A PROCESSOS A F A B R I C A Ç Ã O D E U M P R O D U T O E N V O L V E A T I V I D A D E S D I V E R S I F I C A D A S, S I M U L T Â N E A S O U N Ã O, C O M D I F E R E N T E S N Í V E I S D E C O M P L

Leia mais

A influência das. lâmpadas na gravação

A influência das. lâmpadas na gravação A influência das lâmpadas na gravação Uma boa gravação garante a qualidade da impressão e a durabilidade da matriz. Veja como as lâmpadas influenciam esse processo Por Márcio Moraes dos Santos, da Vision-Cure

Leia mais

MATERIAIS COMPÓSITOS. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho

MATERIAIS COMPÓSITOS. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho MATERIAIS COMPÓSITOS Histórico Adobes reforçados com palha Egito 5000 anos. Concreto reforçado com barras de metal século XIX. Fibras de vidro 1970 Conceito São materiais formados por dois ou mais constituintes

Leia mais

A PROTOTIPAGEM RÁPIDA NA INDÚSTRIA NACIONAL. F. Jorge Lino* e Rui J. Neto**

A PROTOTIPAGEM RÁPIDA NA INDÚSTRIA NACIONAL. F. Jorge Lino* e Rui J. Neto** A PROTOTIPAGEM RÁPIDA NA INDÚSTRIA NACIONAL F. Jorge Lino* e Rui J. Neto** *DEMEGI Departamento de Engenharia Mecânica da FEUP, Rua Dr. Roberto Frias, 4200-465 Porto, Tl: 225081704 (42), falves@fe.up.pt,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM CARRO MOVIDO A ENERGIA SOLAR

DESENVOLVIMENTO DE UM CARRO MOVIDO A ENERGIA SOLAR DESENVOLVIMENTO DE UM CARRO MOVIDO A ENERGIA SOLAR Helio Pekelman hel1217@ig.com.br Instituto Presbiteriano Mackenzie, Faculdade de Engenharia, Departamento de Mecânica Rua da Consolação, 930 Consolação

Leia mais

Grupo 09 Centrais de testes e limpeza

Grupo 09 Centrais de testes e limpeza Grupo 09 Centrais de testes e limpeza Fornecedor: Tipo Descrição Página CPR Central de teste para circuitos de refrigeração 01 Descrição 01-01 CPC Central de teste para circuitos de refrigeração 02 Descrição

Leia mais

Instruções de Instalação Pisos Vinílicos

Instruções de Instalação Pisos Vinílicos Instruções de Instalação Pisos Vinílicos LinhadePisosLaminadosemPVC 2,3mmeClick Recomendações e Responsabilidades Os serviços de colocação devem ser repassados a profissionais instaladores de pisos com

Leia mais

Já sabemos que o tratamento de superfície tem, principalmente, a finalidade de proteger peças ou materiais da corrosão e de outros tipos de desgaste.

Já sabemos que o tratamento de superfície tem, principalmente, a finalidade de proteger peças ou materiais da corrosão e de outros tipos de desgaste. Recobrimento metálico Um problema Já sabemos que o tratamento de superfície tem, principalmente, a finalidade de proteger peças ou materiais da corrosão e de outros tipos de desgaste. Essa proteção pode

Leia mais

ANEXO IV ESPECIFICAÇÃO DE PINTURA PARA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA

ANEXO IV ESPECIFICAÇÃO DE PINTURA PARA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA Celesc Di Celesc Distribuição S.A. ANEXO IV ESPECIFICAÇÃO DE PINTURA PARA TRANSFORMADORES DE POTÊNCIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA PINTURA SISTEMAS DE PROTEÇÃO ANTICORROSIVA PARA APLICAÇÃO EM : TRANSFORMADORES

Leia mais

Divinópolis, 09 de junho de 20

Divinópolis, 09 de junho de 20 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CEFET-MG CAMPUS V CONTEXTO SOCIAL E PROFISSIONAL ENGENHARIA MECATRÔNICA 1 PERIODO PROF.: RENATO S. DÂMASO Máquinas de Prototipagem Rápida Grupo 8 André Lucas Costa

Leia mais

Texto Teórico 02: RESISTORES

Texto Teórico 02: RESISTORES INSTITUTO FEDERL SNT CTRIN MINISTÉRIO D EDUCÇÃO SECRETRI DE EDUCÇÃO PROFISSIONL E TECNOLÓGIC INSTITUTO FEDERL DE EDUCÇÃO, CIÊNCI E TECNOLOGI DE SNT CTRIN CURSO DE ENGENHRI DE TELECOMUNICÇÕES Texto Teórico

Leia mais

Tecnologias CAx na Manufatura. Valter Vander de Oliveira Disciplina: Sistemas Industriais

Tecnologias CAx na Manufatura. Valter Vander de Oliveira Disciplina: Sistemas Industriais Tecnologias CAx na Manufatura Valter Vander de Oliveira Disciplina: Sistemas Industriais Tecnologias CAx Conteúdo: Conceito de tecnologia CAx Evolução das tecnologias CAx Sistemas CAD/CAE/CAPP/CAM/CAI

Leia mais

Elastron, membrana anticorrosiva e impermeabilizante. Fácil, a frio e sem juntas.

Elastron, membrana anticorrosiva e impermeabilizante. Fácil, a frio e sem juntas. Elastron, membrana anticorrosiva e impermeabilizante. Fácil, a frio e sem juntas. SOMA DE VALORES A JR Tecnologia em Superfícies (nome fantasia) iniciou suas atividades em 1991 com o nome JR Gonçalves

Leia mais

1º Seminário de Melhores Práticas

1º Seminário de Melhores Práticas 1º Seminário de Melhores Práticas SENAI BA Painel 6 Inovação Modelo de atuação do SENAI-BA para o fomento de Leone Peter Andrade Objetivo Apresentação de cases de sucesso. Atendimento Integrado do SENAI

Leia mais

1. PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA

1. PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA 1 1. PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA Os processos de conformação mecânica são processos de fabricação que empregam a deformação plástica de um corpo metálico, mantendo sua massa e integridade. Alguns

Leia mais

Introdução Vantagens e Desvantagens A Quente A Frio Carga Mecânica Matriz Aberta Matriz Fechada Defeitos de Forjamento

Introdução Vantagens e Desvantagens A Quente A Frio Carga Mecânica Matriz Aberta Matriz Fechada Defeitos de Forjamento Prof. Msc. Marcos Dorigão Manfrinato prof.dorigao@gmail.com Introdução Vantagens e Desvantagens A Quente A Frio Carga Mecânica Matriz Aberta Matriz Fechada Defeitos de Forjamento 1 Introdução: O forjamento

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Processos de Fabricação

Curso de Engenharia de Produção. Processos de Fabricação Curso de Engenharia de Produção Processos de Fabricação Forjamento: O forjamento, um processo de conformação mecânica em que o material é deformado por martelamentoou prensagem, é empregado para a fabricação

Leia mais

Técnicas de fundição. Técnicas De Fundição. Page 1 1. Odontologia: tem por função restituir ao dente: Saúde Forma Função Estética

Técnicas de fundição. Técnicas De Fundição. Page 1 1. Odontologia: tem por função restituir ao dente: Saúde Forma Função Estética Disciplina Titulo da aula Expositor Slides 34 Materiais Dentários I Técnicas de fundição Prof. Dr. Eclérion Chaves Duração Aproximadamente 1:30 Plano de aula Publicado em: http://usuarios.upf.br/~fo/disciplinas/materiais%20dentarios/materiais1.htm

Leia mais

Introdução à Manufatura Mecânica PMR 2202 - Processos de Fundição e Sinterização (Metalurgia do Pó) Profa. Izabel Machado

Introdução à Manufatura Mecânica PMR 2202 - Processos de Fundição e Sinterização (Metalurgia do Pó) Profa. Izabel Machado Introdução à Manufatura Mecânica PMR 2202 Processos de Fundição e Sinterização (Metalurgia do Pó) Índice 1. Fundição 1.1. Solidificação de Metais e Ligas 1.1.1 Temperatura de vazamento. 1.1.2 Taxa de resfriamento.

Leia mais

A MODELAGEM 3D DIGITAL DE JOIAS E O PROCESSO DE PROTOTIPAGEM RÁPIDA

A MODELAGEM 3D DIGITAL DE JOIAS E O PROCESSO DE PROTOTIPAGEM RÁPIDA A MODELAGEM 3D DIGITAL DE JOIAS E O PROCESSO DE PROTOTIPAGEM RÁPIDA Claudia Regina Batista UFSC, Departamento de Expressão Gráfica claudia.batista@ufsc.br Resumo Este artigo apresenta o Estado da Arte

Leia mais

Vidro comun ou vidro Float

Vidro comun ou vidro Float Vidros Vidro comun ou vidro Float O vidro comum é a composição básica do vidro, antes de receber qualquer tipo de tratamento. Ele é feito a partir da mistura de sílica (areia), potássio, alumina, sódio

Leia mais

Processo Fotolitográfico Direto com o AZ1350J

Processo Fotolitográfico Direto com o AZ1350J UNIVESIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS CENTRO DE COMPONENTES SEMICONDUTORES Campinas-SP- 13083-970 Caixa Postal 6061 Telefone (19) 3788-7282, Fax: (19)3788-7282 diniz@led.unicamp.br Processo Fotolitográfico

Leia mais

Grupo 13 Bico quente especial + acessórios para sistemas de câmara quente

Grupo 13 Bico quente especial + acessórios para sistemas de câmara quente Grupo 13 Bico quente especial + acessórios para sistemas de câmara quente Fornecedor: Tipo Descrição Página -13 Introdução -01-01 + 02 Aplicação dos bicos especiais -02-01 Resistências para bicos 10 Resistência

Leia mais

SENAI - ALIMENTOS E BEBIDAS - BOAS PRÁTICAS PARA SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO - RDC 216 ME EPP 80,00 CURSO

SENAI - ALIMENTOS E BEBIDAS - BOAS PRÁTICAS PARA SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO - RDC 216 ME EPP 80,00 CURSO FORMATO EVENTO SINOPSE PÚBLICO CARGA- HORÁRIA PREÇO SENAI - ALIMENTOS E BEBIDAS - BOAS PRÁTICAS PARA SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO - RDC 216 80,00 SENAI - AUTOMOTIVO - MECÂNICO DE TRANSMISSÃO AUTOMÁTICA 120

Leia mais

Giordano Becker Delevatti DESENVOLVIMENTO DE UMA IMPRESSORA 3D DO TIPO REP RAP

Giordano Becker Delevatti DESENVOLVIMENTO DE UMA IMPRESSORA 3D DO TIPO REP RAP Giordano Becker Delevatti DESENVOLVIMENTO DE UMA IMPRESSORA 3D DO TIPO REP RAP Horizontina 2013 Giordano Becker Delevatti DESENVOLVIMENTO DE UMA IMPRESSORA 3D DO TIPO REP RAP Trabalho Final de Curso apresentado

Leia mais

Matéria prima. Fabricação de aço. Fabricação de aço

Matéria prima. Fabricação de aço. Fabricação de aço Matéria prima A fundição é usada para fabricação de componentes acabados. Também p/ produzir lingotes ou placas que serão posteriormente processados em diferentes formas, tais como: vergalhões, barras,

Leia mais

CORTE DOS METAIS. Prof.Valmir Gonçalves Carriço Página 1

CORTE DOS METAIS. Prof.Valmir Gonçalves Carriço Página 1 CORTE DOS METAIS INTRODUÇÃO: Na indústria de conformação de chapas, a palavra cortar não é usada para descrever processos, exceto para cortes brutos ou envolvendo cortes de chapas sobrepostas. Mas, mesmo

Leia mais

Linha Telecom m Teleco

Linha Telecom m Teleco Linha Telecom Telecom Linha Telecom Esteiras para telecomunicações... 93 Sistema para condução e distribuição do cabeamento, constituído de barra chata de aço carbono, muito utilizado como solução no cabeamento

Leia mais

Manufatura Aditiva para a Produção de Cerâmicas de Geometria Complexa

Manufatura Aditiva para a Produção de Cerâmicas de Geometria Complexa Manufatura Aditiva para a Produção de Cerâmicas de Geometria Complexa 58º Congresso Brasileiro de Cerâmica Bento Gonçalves RS (Maio, 2014) Jamil Duailibi Fh., Eng. de Materiais, D. Sc. DNCer Indústria

Leia mais

Juntas sobrepostas: sobreposição de 3 a 5 vezes a espessura das chapas

Juntas sobrepostas: sobreposição de 3 a 5 vezes a espessura das chapas SOLDAGEM 1. Introdução Junção de peças metálicas por contato e aquecimento. Processos por fusão: fusão local das partes, necessidade de metal de adição (geralmente). Processos por pressão: aquecimento

Leia mais

A IMPRESSÃO 3D NO MEIO PRODUTIVO E O DESIGN: um estudo na fabricação de joias MARCO TÚLIO FERREIRA MONTEIRO

A IMPRESSÃO 3D NO MEIO PRODUTIVO E O DESIGN: um estudo na fabricação de joias MARCO TÚLIO FERREIRA MONTEIRO A IMPRESSÃO 3D NO MEIO PRODUTIVO E O DESIGN: um estudo na fabricação de joias MARCO TÚLIO FERREIRA MONTEIRO Belo Horizonte Universidade Do Estado De Minas Gerais - UEMG 2015 MARCO TÚLIO FERREIRA MONTEIRO

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Processos de Fabricação

Curso de Engenharia de Produção. Processos de Fabricação Curso de Engenharia de Produção Processos de Fabricação Lingotamento Ato ou efeito de transformar em lingotes. (Aurelio) Lingote Barra de metal fundido, Tira metálica. (Aurelio) Lingotamento Convencional:

Leia mais

Aula 3: Forjamento e Estampagem Conceitos de Forjamento Conceitos de Estampagem

Aula 3: Forjamento e Estampagem Conceitos de Forjamento Conceitos de Estampagem Aula 3: Forjamento e Estampagem Conceitos de Forjamento Conceitos de Estampagem Este processo é empregado para produzir peças de diferentes tamanhos e formas, constituído de materiais variados (ferrosos

Leia mais

COMO INSTALAR : MATERIAIS: IMPORTANTE. O contra piso deve estar:

COMO INSTALAR : MATERIAIS: IMPORTANTE. O contra piso deve estar: COMO INSTALAR : Importante para uma perfeita instalação, obter o resultado especificado pela Revitech Pisos e esperado pelo cliente, a utilização das ferramentas corretas. Ferramentas como a desempenadeira,

Leia mais

BT 0014 BOLETIM TÉCNICO RESINA PC 6NF_ENDURECEDOR G 130 BLUE

BT 0014 BOLETIM TÉCNICO RESINA PC 6NF_ENDURECEDOR G 130 BLUE BT 0014 BOLETIM TÉCNICO RESINA PC 6NF_ENDURECEDOR G 130 BLUE Elaborador: Verificadores: Aprovador: Resina PC 6NF_Endurecedor G 130 Blue Resina para aplicação

Leia mais

Serviços de. Impressão

Serviços de. Impressão Serviços de Impressão Serviços de Impressão Dispomos de uma unidade própria, equipada e especializada em todas as técnicas de personalização estamparia, serigrafia, tampografia, laser... cerca de 70% dos

Leia mais

ÓLEO DE MOTOR GENUINO HONDA

ÓLEO DE MOTOR GENUINO HONDA ÓLEO DE MOTOR GENUINO HONDA Designação: SAE 10W30 MA JASO T903 MA Embalagem de 1 litro Embalagem de 1Litro 08232M99SL1HE 13,90 Designação: SAE 10W30 MA JASO T903 MA Embalagem de 4 litros Embalagem de 4Litros

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO CHAPAS DE POLICARBONATO ALVEOLARES

MANUAL DE INSTALAÇÃO CHAPAS DE POLICARBONATO ALVEOLARES MANUAL DE INSTALAÇÃO CHAPAS DE POLICARBONATO ALVEOLARES CHAPAS DE POLICARBONATO ALVEOLARES As chapas de policarbonato alveolares, possuem em um dos lados, tratamento contra o ataque dos raios ultravioletas,

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-013 Folha: 1 / 09 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO S.A. IPT CENTRO TECNOLÓGICO DO AMBIENTE CONSTRUÍDO - CETAC

Leia mais

Introdução 5. Noções básicas 6. Processo de fabricação 7. Exemplo de fabricação de um FET 12

Introdução 5. Noções básicas 6. Processo de fabricação 7. Exemplo de fabricação de um FET 12 Sumário Introdução 5 Noções básicas 6 Processo de fabricação 7 Exemplo de fabricação de um FET 12 Encapsulamento 15 Confiabilidade de circuitos integrados 17 Cuidados de montagem 17 Apêndice 18 Questionário

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Módulo IV Aula 07 Solda A soldagem é um tema muito extenso. Basicamente a soldagem é a união de materiais, mas existem inúmeros processos totalmente diferentes

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nome:Daniel Oliveira de Lima Paper: Real-Time Shaded NC milling Display Tim Vam Hook - SIGGRAPH 86

Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nome:Daniel Oliveira de Lima Paper: Real-Time Shaded NC milling Display Tim Vam Hook - SIGGRAPH 86 Universidade Federal do Rio de Janeiro Nome:Daniel Oliveira de Lima Paper: Real-Time Shaded NC milling Display Tim Vam Hook - SIGGRAPH 86 SIMULAÇÃO DE USINAGEM EM TEMPO REAL Motivação Problema Considerações

Leia mais

Indac - Nov 2006 ACRÍLICO EM MÓVEIS. Página 1 de 5

Indac - Nov 2006 ACRÍLICO EM MÓVEIS. Página 1 de 5 ACRÍLICO EM MÓVEIS Página 1 de 5 O acrílico se revela produto ideal para indústria moveleira. Fabricantes de móveis, designers e arquitetos atentos ao mercado e que buscam criar valor em seus produtos

Leia mais

Tecnologia Mecânica. Programa. Processamento Mecânico de Materiais Metálicos. Fundamentos. Estampagem. Luís Alves. Corte Arrombamento.

Tecnologia Mecânica. Programa. Processamento Mecânico de Materiais Metálicos. Fundamentos. Estampagem. Luís Alves. Corte Arrombamento. Tecnologia Mecânica Programa Processamento Mecânico de Materiais Metálicos Fundamentos Estampagem Luís Alves Corte Arrombamento Forjamento Hydroforming Bárbara Gouveia Tecnologia Mecânica 1 Tecnologia

Leia mais

PAINÉIS CIMENTO-MADEIRA

PAINÉIS CIMENTO-MADEIRA CIMENTO-MADEIRA Prof. Setsuo Iwakiri UFPR - DETF INRODUÇÃO HISTÓRICO 1914 > Áustria > partículas excelsior + aglutinante (óxido magnésio + cloreto magnésio) 1928 > Alemanha > início > uso cimento portland

Leia mais

porcelanato interno ficha técnica do produto

porcelanato interno ficha técnica do produto 01 DESCRIÇÃO: votomassa é uma argamassa leve de excelente trabalhabilidade e aderência, formulada especialmente para aplicação de revestimentos cerâmicos e s em áreas internas. 02 CLASSIFICAÇÃO TÉCNICA:

Leia mais

Instrução de Trabalho TRATAMENTO ANTI-CORROSIVO E

Instrução de Trabalho TRATAMENTO ANTI-CORROSIVO E PINTURA ELETROSTÁTICA PADRÃO Página: 1/7 Ed. Descrição Data Elaborado Verif. / Aprovado 0 Esta edição cancela e substitui a versão anterior 22/11/2011 Josias Salvador 1. OBJETIVO Instrução de Trabalho

Leia mais

CONSTRUÇÕES II MADEIRA PISOS DE MADEIRA PISOS DE MADEIRA. São planos horizontais que suportam cargas. VARIÁVEIS e PERMANENTES.

CONSTRUÇÕES II MADEIRA PISOS DE MADEIRA PISOS DE MADEIRA. São planos horizontais que suportam cargas. VARIÁVEIS e PERMANENTES. CONSTRUÇÕES II MADEIRA PISOS DE MADEIRA PISOS DE MADEIRA São planos horizontais que suportam cargas VARIÁVEIS e PERMANENTES. 1 CARGAS NBR 6120 PERMANENTES (g) Peso próprio da estrutura Peso dos elementos

Leia mais

PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT FICHA TÉCNICA DO PRODUTO

PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT FICHA TÉCNICA DO PRODUTO PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT FICHA TÉCNICA DO PRODUTO PRODUTO DA MARCA SEVENCOAT É uma tinta isolante térmica, composta de polímeros acrílicos elastoméricos, microesferas de cerâmicas, e aditivos especiais

Leia mais

PROCESSOS DE FABRICAÇÃO PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA

PROCESSOS DE FABRICAÇÃO PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA PROCESSOS DE FABRICAÇÃO PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO MECÂNICA 1 Forjamento Ferreiro - Uma das profissões mais antigas do mundo. Hoje em dia, o martelo e a bigorna foram substituídos por máquinas e matrizes

Leia mais

INTERRUPTORES E SENSORES AUTOMOTIVOS

INTERRUPTORES E SENSORES AUTOMOTIVOS INTERRUPTORES E SENSORES AUTOMOTIVOS Fundada em 1970, a 3RHO Interruptores Automotivos tem como principal objetivo, atender o mercado de reposição (Aftermarket), oferecendo aos seus clientes produtos com

Leia mais

MANUFATURA ADITIVA: DESENVOLVIMENTO DE UMA MÁQUINA DE PROTOTIPAGEM RÁPIDA BASEADA NA TECNOLOGIA FDM (MODELAGEM POR FUSÃO E DEPOSIÇÃO)

MANUFATURA ADITIVA: DESENVOLVIMENTO DE UMA MÁQUINA DE PROTOTIPAGEM RÁPIDA BASEADA NA TECNOLOGIA FDM (MODELAGEM POR FUSÃO E DEPOSIÇÃO) TRABALHO DE GRADUAÇÃO MANUFATURA ADITIVA: DESENVOLVIMENTO DE UMA MÁQUINA DE PROTOTIPAGEM RÁPIDA BASEADA NA TECNOLOGIA FDM (MODELAGEM POR FUSÃO E DEPOSIÇÃO) Por, Bruno Ribeiro Raulino Brasília, Julho de

Leia mais

Excelente para o assentamento e rejuntamento simultâneo de pastilhas de porcelana e vidro;

Excelente para o assentamento e rejuntamento simultâneo de pastilhas de porcelana e vidro; 01 Descrição: NOVO PRODUTO votomassa é uma argamassa que proporciona alta aderência e trabalhabilidade no assentamento de de porcelana e vidro 02 Classificação: votomassa combina cimento Portland, agregados

Leia mais

PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE FUNDIÇÃO POR CENTRIFUGAÇÃO ENGº ARNALDO F. BRAGA JR.

PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE FUNDIÇÃO POR CENTRIFUGAÇÃO ENGº ARNALDO F. BRAGA JR. PROCESSO DE FABRICAÇÃO DE FUNDIÇÃO POR CENTRIFUGAÇÃO ENGº ARNALDO F. BRAGA JR. São Paulo, 26 Agosto 2008 AGENDA Introdução Histórico Definição Tipos de materiais usados no processo de centrifugação Tipos

Leia mais

R e g r a s b á s i c a s, d i c a s e t r u q u e s

R e g r a s b á s i c a s, d i c a s e t r u q u e s A espessura da parede Na impressão em 3D, a espessura da parede refere-se à distância entre uma superfície do modelo e a superfície oposta. A espessura da parede pode ser uma superfície sólida forte, ou

Leia mais

Unisalesiano Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil. Construção Civil II. Impermeabilização. Prof. André L.

Unisalesiano Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil. Construção Civil II. Impermeabilização. Prof. André L. Unisalesiano Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil Construção Civil II Impermeabilização Prof. André L. Gamino Normalização ABNT: Termos Gerais NBR 9575 (2010): Impermeabilização

Leia mais

WATER TRANSFER PRINTING KITS - INSTRUCCIONES

WATER TRANSFER PRINTING KITS - INSTRUCCIONES TM WATER TRANSFER PRINTING KITS - INSTRUCCIONES Por favor leia todo o manual de instruções antes de começar o seu projecto. O Kit Básico de Impressão por Transferência de Água: 1 x Removedor de Silicone

Leia mais

TECNOLOGIA DE SUPERFÍCIE TECNOLOGIA DE SUPERFÍCIES

TECNOLOGIA DE SUPERFÍCIE TECNOLOGIA DE SUPERFÍCIES TECNOLOGIA DE SUPERFÍCIES Sorocaba - SP Porto Alegre - RS Betim - MG Recife - PE R. de Janeiro - RJ A CASCADURA Simões Filho - BA Fundada em 1950, na cidade de São Paulo. Atualmente, possui 06 fábricas

Leia mais

Hardware Básico. Refrigeração. Professor: Wanderson Dantas

Hardware Básico. Refrigeração. Professor: Wanderson Dantas Hardware Básico Refrigeração Professor: Wanderson Dantas Ventoinhas Ventoinhas são pequenos ventiladores que melhoram o fluxo de ar dentro do computador, trazendo ar frio para dentro do computador e removendo

Leia mais

Produção Computer Integrated Manufacturing (CIM)

Produção Computer Integrated Manufacturing (CIM) INTRODUÇÃO AOS PROCESSOS DE FABRICAÇÃO (Mar 2007) 1. Fabricação: uma das etapas da obtenção de um produto Ciclo de obtenção de um produto Pesquisa de Mercado Definição das necessidades Estudo de viabilidade

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INDÚSTRIA DE EGINEERING & TOOLING COM POTENCIAL DE APLICAÇÃO NA INDÚSTRIA DA SAÚDE

TECNOLOGIAS DA INDÚSTRIA DE EGINEERING & TOOLING COM POTENCIAL DE APLICAÇÃO NA INDÚSTRIA DA SAÚDE DESAFIOS E OPORTUNIDADES EM NOVOS MERCADOS INDUSTRIAIS Indústria da Saúde ( Projecto DiMARKETS ) TECNOLOGIAS DA INDÚSTRIA DE EGINEERING & TOOLING COM POTENCIAL DE APLICAÇÃO NA INDÚSTRIA DA SAÚDE OPEN -

Leia mais

USO E APLICAÇÕES. Módulo 4 Conhecendo o Vidro

USO E APLICAÇÕES. Módulo 4 Conhecendo o Vidro USO E APLICAÇÕES Módulo 4 Conhecendo o Vidro SEGMENTAÇÃO DO MERCADO ESQUADRIAS FACHADAS BOX ESPELHOS DIVISÓRIAS MÓVEIS COBERTURA GUARDA CORPOS REVESTIMENTOS MOLDURAS DECORAÇÃO OUTROS... COMO ESCOLHER O

Leia mais

Qualidade em Abrasivos. Novo. VSM CERAMICS Produtos de Alta Tecnologia Grão Cerâmico Auto Afiante. Especiais. Produtos. Aplicações

Qualidade em Abrasivos. Novo. VSM CERAMICS Produtos de Alta Tecnologia Grão Cerâmico Auto Afiante. Especiais. Produtos. Aplicações Novo VSM CERAMICS Produtos de Alta Tecnologia Grão Cerâmico Auto Afiante Aplicações Produtos Especiais Campos de Aplicação Nossa solução A VSM oferece produtos de alta tecnologia e qualidade com excelente

Leia mais

Linha de TANQUES Data da publicação: 2015 - nº 0703050 Ciber Equipamentos Rodoviários Ltda.

Linha de TANQUES Data da publicação: 2015 - nº 0703050 Ciber Equipamentos Rodoviários Ltda. Linha de Todas as fotos, ilustrações e especificações estão baseadas em informações vigentes na data da aprovação desta publicação. A Ciber Equipamentos Rodoviários Ltda. se reserva ao direito de alterar

Leia mais

Proposta de roteiro de processo de pós-processamento para protótipos rápidos produzidos através de modelagem por deposição de material fundido RESUMO

Proposta de roteiro de processo de pós-processamento para protótipos rápidos produzidos através de modelagem por deposição de material fundido RESUMO RESUMO A prototipagem rápida vem crescendo cada vez mais como uma opção na busca de redução do tempo e dos riscos no processo de desenvolvimento de produtos, pois facilita a comunicação do conceito de

Leia mais

PROCESSOS E VARIÁVEIS DE FUNDIÇÃO

PROCESSOS E VARIÁVEIS DE FUNDIÇÃO PROCESSOS E VARIÁVEIS DE FUNDIÇÃO Sergio Mazzer Rossitti maio/1993 Fundição não é uma arte! É um campo do conhecimento tecnológico, bastante complexo e com um grande numero de variáveis. Exige pois, do

Leia mais

INFLUÊNCIA DA ORIENTAÇÃO NO POSICIONAMENTO DO MODELO 3D PROTOTIPADO POR DEPOSIÇÃO DE MATERIAL FUNDIDO - FDM

INFLUÊNCIA DA ORIENTAÇÃO NO POSICIONAMENTO DO MODELO 3D PROTOTIPADO POR DEPOSIÇÃO DE MATERIAL FUNDIDO - FDM INFLUÊNCIA DA ORIENTAÇÃO NO POSICIONAMENTO DO MODELO 3D PROTOTIPADO POR DEPOSIÇÃO DE MATERIAL FUNDIDO - FDM Francisco de Assis Toti, ftoti@fatecsorocaba.edu.br 1 Elvio Franco de Camargo Aranha, elvio@smaflex.com.br

Leia mais

Caderno de Encargos de Ferramental

Caderno de Encargos de Ferramental Caderno de Encargos de Ferramental TEV-MM-TLL 09.2009 Página 1 de 11 Índice 1. Objetivo 3 2. Procedimento 3 3. Escopo 3 4. Condições 4 5. Custos 4 6. Protótipo da ferramenta 4 7. Construção da ferramenta

Leia mais

O uso em automóveis de componentes de zinco fundidos sob pressão

O uso em automóveis de componentes de zinco fundidos sob pressão O uso em automóveis de componentes de zinco fundidos sob pressão Hoje em dia, as ligas de alumínio para fundição sob pressão, os aços e diversos tipos de plástico dominam quase exclusivamente a manufatura

Leia mais

Peça com o cilindro antes de ser cromado

Peça com o cilindro antes de ser cromado ELIPSE E3 REDUZ OS GASTOS COM REAGENTES QUÍMICOS E MÃO-DE-OBRA UTILIZADOS NA CROMAGEM DOS CILINDROS DA STIHL Solução da Elipse Software permite que apenas nove operadores, por turno, controlem todas as

Leia mais