CONTRIBUIÇÕES PARA UM USO MAIS EFICIENTE DA ÁGUA NO CICLO URBANO. Poupança de água e reutilização de águas cinzentas P.N.U.E.A.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONTRIBUIÇÕES PARA UM USO MAIS EFICIENTE DA ÁGUA NO CICLO URBANO. Poupança de água e reutilização de águas cinzentas P.N.U.E.A."

Transcrição

1 CONTRIBUIÇÕES PARA UM USO MAIS EFICIENTE DA ÁGUA NO CICLO URBANO Poupança de água e reutilização de águas cinzentas Mestrado em Engenharia do Ambiente Orientação do Prof. Doutor Mário Valente Neves 1 P.N.U.E.A. Principais objectivos. Reduzir caudais de consumo. Reduzir o custo da água. Aumentar competitividade das empresas. Racionalização do investimento - Captação/Tratamento. Cumprir com a Directiva do Quadro da Água Medidas (87). Sector Urbano - 5 medidas 8% consumo 46% custo. Sector Agrícola - 23 medidas 87% consumo 28% custo. Sector Industrial - 14 medidas 5% consumo 26% custo 2 1

2 P.N.U.E.A. Sector Urbano - Consumo referência Torneira 11% Máquina loiça 2% Máquina roupa 7% Duche 39% Autoclismo 41% 3 Medidas mais eficientes: 1. Autoclismos. Ajuste descarga. Redução de volume. Colocação de lixo. Reutilização. Modelos mais económicos 2. Chuveiros. Duche em vez de imersão. Fecho para ensaboamento. Minimização de tempo. Reutilização. Modelos mais económicos. Ajuste de pressão 3. Torneiras.Redução de tempo (barba, dentes).redução de perdas (pingar).reutilização.modelos mais económicos Medidas no sector urbano Outras medidas: Máquinas de lavar roupa e loiça.consumos energéticos.consumos de água.consumos de detergente.programas de carga.manutenção e/ou substituição para modelos económicos Perdas (fugas de água) Pressão Tarifários Reutilização para lavagem de pavimentos e veículos, rega de jardins e abastecimento de piscinas. 4 2

3 Facturação Coeficientes 1,2 1,8,6,4,2 Preço da água Porto Facturação -Abastecimento Gaia 3 2,5 Feira 2 Guimaraes 1,5 Gondomar 1,5 Escalão de consumo-m 3 Facturação -Saneamento Coeficientes Escalão de consumo-m 3 5 Preço da água Análise dos parâmetros (parcelas) de facturação 25 Valores facturados- Eur Água Saneamento Residuos Tarifas fixas Consumidores: Porto V.N.Gaia S. M.Feira Guimarães Gondomar 6 3

4 Preço da água Consumos - l/hab/dia (consumos compreendidos entre 1 l/hab /dia e 2 l/hab/dia) 25, 2, 15, 1, 2, 166, , ,556 1, 5,, Consumidores: Porto V.N.Gaia S. M.Feira Guimarães Gondomar consumos de 5 m 3 /hab/mês 7 Preço da água Preço por m3 Porto:Consumos = 5 m 3 /mês 2,1 /m 3 +IVA 2,2 / m 3 2,5 2, Eur/m 3 1,5 1,,5, Consumidores: Porto V.N.Gaia S. M.Feira Guimarães Gondomar Porto: Consumos > 2 m 3 /mês 4,4 /m 3 +IVA 4,6 / m 3 Porto: Consumos > 2 m 3 /mês 4,2 / m 3,excluindo tarifas fixas 8 4

5 Poupança de água nas instalações da F.E.U.P. Projecto de abastecimento de água População estimada em 7.5 pessoas Rede pública para abastecimento de casas de banho, laboratórios e bares Rede de incêndios e laboratórios abastecido por poço ou por 2 furos Reservatório de rega abastecido pelos furos 9 Poupança de água nas instalações da F.E.U.P Substituição de equipamento por aparelhos mais eficientes: Torneiras 87 não temporizadas Consumo actual:,1 l/s x 1 s/u x 2 u/hab/d x 5. hab x 22 dias x 1 meses x 32% = 74 m 3 /ano Autoclismos 219 (1%) Consumo actual: 1 l/desc x 2 desc/hab/d x 5. hab x 22 dias x 1 meses = 22. m 3 /ano Consumo estimado destes aparelhos: 79% do total Consumo anual actual (26): m 3 Facturação: 1,5x(2,13+,58+,3)=3,16 /m 3 1 5

6 Poupança de água nas instalações da F.E.U.P Poupança estimada: 22. m 3 /ano x 39% autoclismos descargas duais de 3 l e 6 l 74 m 3 /ano x 25% torneiras temporizadas Consumo estimado do novo equipamento: m 3 /ano Poupança de água m 3 /ano Contabilização da poupança /ano. Amortização do equipamento: Custo do investimento 15.7 incluindo IVA Facturação mensal actual meses para amortização + 2 meses de adaptação 11 Reutilização de água cinzenta Caracterização da água cinzenta Sanita Lavatório Banho/Duche Cozinha Lavandaria Aproveitamento de água do duche para sanita Duche Sanitas Tratamento e Armazenamento Esgoto 12 6

7 Experiências realizadas Duração (min) Duração - Idade Idade Caudal (l/min) Caudal - Idade Idade Volume (l) 6 5 Volume Idade Idade 8 Homens Mulheres média Duração média: 7 min Caudal médio: 7 l/min Volume médio: 54 litros 13 Experiências realizadas Reutilização da água do duche em 2 habitações (Bomba - P= 11W e 1m.c.a. ; Tubagem de plástico Ф1mm) Habitação 1 1 semana 2 pessoas Reaproveitamento de 75 litros Poupança mensal de 12,1 Habitação 2 1 mês uma pessoa Reaproveitamento de 81 litros Poupança mensal de 1,3.Concentração média de produtos no banho = 44 ppm.análises bacteriológicas: Dec-Lei 236/98 água balnear: VMR=1 ufc/1ml e VMA=2 ufc/1ml H -124 ufc/1ml M 43 ufc/1ml 14 7

8 Soluções para utilização de água do banho em CRIS (Rebbecca Birks, 23) Experiência realizada durante 13 meses em 5 habitações Inconvenientes: -Ligação com a água potável -Dimensão dos reservatórios Depende:.Tempo de permanência.férias.visitantes.idade, ocupação, sexo Excesso encaminhado para a rede Água cinzenta Água cinzenta Água cinzenta de banhos e lavatórios Filtro 5µm Tabletes de desinfecção Reservatório inferior Conclusão: Subterrâneo de 14 l. Poupança até 36%. Amortização no Reino Unido não compensa Água destinada a autoclismos Água potável de acesso superior Reservatório superior de 6 l 15 Soluções para utilização de água do banho em CRIA Dimensionamento: -5 l/dia/hab no duche -5 l/dia/hab para sanita -Q=.1 l/s -Volume Reservatório = 2 litros -Tubagem de água residual Ф4 mm -Tubagem de abastecimento Ф1/12 mm -Potência da bomba = 39W Trop plein para rede de drenagem Análise económica: -Admitindo 34 dias/ano Ri=2 l -Universo de 4 pessoas (,6x,6x,75) -Poupança de 68 m 3 /ano 27 /ano -Amortização entre 1,1 e 1,6 anos Ø 1/12 mm Q=,1 l/s RAC Cap=6 l Bomba P=4W Ø4 Vantagens:. Eliminação de contacto entre rede de água potável e de reutilização.. Dispensa reservatório superior 16 8

9 CRIF Soluções para utilização de água do banho em Dimensionamento: -5 l/dia/hab no duche -5 l/dia/hab para sanita -Q=1,5 l/s -Volume Reservatório = 2 litros -Tubagem de água residual Ф4 mm -Tubagem de abastecimento Ф32/4mm -Potência da bomba = 97W Análise económica: -Admitindo 34 dias/ano -Universo de 4 pessoas -Poupança de 68 m 3 /ano 27 /ano -Amortização entre 1,4 e 1,9 anos Trop plein para rede de drenagem Vantagens:. Economia de espaço, sem bacia de autoclismo. Dispensa de autoclismo e de retenção de água. Eliminação de perdas de água nos autoclismos RAC Cap=6 l Cap=2 l (,6x,6x,75) Bomba P=97W Fluxómetro Fluxómetro Ø 32/4 mm Q=1,5 l/s Ø4 17 Soluções para utilização de água do banho em SI Dimensionamento: -5 l/dia/hab no duche - 5 l/dia/hab na sanita -Volume Reservatório = 12 litros (soldado ou fundido com a banheira) -Potência da bomba = 2W Análise económica: - 34 dias / ano -Universo mín. 2 pessoas -Poupança: 34 m 3 /ano 12 /ano -Amortização estimada em 6 meses,3 m 1. Banheira 2. Reservatório(1,5x,4x,2) 3. Descarga fundo 4. Tomada de água para bomba ,15 m Laje ALÇADO PLANTA Bomba 6. Autoclismo+sonda 7. Descarga superfície 8. Trop plein Reserv. Quanto maior número de habitantes e de casas de banho, maior a poupança 18 9

10 CSAF Soluções para utilização de água do banho em A origem de água cinzenta érealizada dentro da habitação permitindo abastecimento da sanita com água bombada directamente do reservatório s e m a u t o c l i s m o s n e m f l u x ó m e t r o s Experiência realizada numa moradia, com caixa de visita localizada na garagem e acesso a mangueira 1 A tubagem de alimentação estaria permanentemente pressurizada por um reservatório de ar comprimido acoplado à bomba 2 Sempre que necessário, o utilizador abre válvula que permite efectuar a descarga Dimensionamento: -5 l/dia/hab no duche -5 l/dia/hab para sanita -Q =,6 l/s Ф2mm/25 mm -Pot. da bomba = 284W 19 CSAF Soluções para utilização de água do banho em Q =,6 l/s durante 7 segundos 4,2 litros Orientação do jacto ideal incide no limite da água na bacia em vez da tradicional incidência em toda a periferia Análise económica: Admitindo 34 dias de funcionamento Universo de 4 pessoas Amortização estimada entre 1 e 1,5 anos Vantagens: Menor atravancamento, menor caudal, menor volume, menor diâmetro, menor perda de água, dispensa de retenção de água cinzenta 2 1

11 CONCLUSÕES 1. Maior consciencialização Maior racionalização. 2. Alteração de comportamentos Maiores benefícios ambientais 3. P.N.U.E.A. medidas sector doméstico: autoclismos chuveiros torneiras 4. Água cinzenta para rega regras de salubridade gestão de solos espécies 5. F.E.U.P: Substituição de equipamento autoclismos + 87 torneiras Poupança de 14. m 3 /ano 44. /ano Amortização do investimento(15.5 ) de 4 a 6 meses. 6. Experiências do duche: Δt 7 min 54 litros Concentrações de produtos média 44 ppm 7. Ensaios bacteriológicos CF Resultados enquadráveis em águas balneares. H ufc/1ml e M - 43 ufc/1 ml 21 CONCLUSÕES 8. Reutilização de água do duche para sanitas: 2 habitações sem inconvenientes 9.Soluções alternativas para reutilização de água do duche em autoclismos: Capacidade Reservatório - 5 l/utilizador x 4 pessoas Tubagem Ф 1/12 mm + Bomba P=4 W. Poupança de 68 m 3 /ano Amortização de 1 a 1,6 anos 1. Bomba+Fluxómetro sem autoclismos Amortização: 1,4 a 1,9 anos. 11.Teste de : Q =,6 l/s ; 7 segundos 4,2 litros. Orientação do jacto no limite da água com loiça. Dispensa fluxómetro. 12. Diluição de carga poluente incluindo águas pluviais aumenta água reutilizável e reservatório 13. Solução individual por casa de banho muito vantajosa: Amortização de 6 meses Economia de espaço e de custos, sendo necessário reservatório. Eliminação de ponto frágil de contacto entre redes 22 11

ATITUDES QUE DEVES DE TOMAR: Economizar Reciclar e Reutilizar

ATITUDES QUE DEVES DE TOMAR: Economizar Reciclar e Reutilizar A Crise da Água ATITUDES QUE DEVES DE TOMAR: Economizar Reciclar e Reutilizar ÁGUA A água é um recurso natural que depende da maneira como o Homem a utiliza para ser renovável ou não. Quando se pensa que

Leia mais

Capitulo 3. Previsão de consumo de água não potável

Capitulo 3. Previsão de consumo de água não potável Capitulo 3 Previsão de consumo de água não potável Em 1851 Mulvaney descreveu pela primeira vez o conceito de tempo de concentração David Maidment, 1993 3-1 Índice Capítulo 3- Previsão de consumo de água

Leia mais

Eficiência hídrica em espaços municipais

Eficiência hídrica em espaços municipais Uso eficiente de Água no setor doméstico Eficiência hídrica em espaços municipais 1 de outubro de 2014 2. Sumário 1. Enquadramento do plano para o uso eficiente da água 2. Otimização de procedimentos conducentes

Leia mais

Sistemas de recuperação de águas pluviais

Sistemas de recuperação de águas pluviais Ambietel Tecnologias Ambientais, Lda UPTEC P.MAR Av. Liberdade, s/n 4450-718 Leça da Palmeira Telef: +351 225 096 087 Sistemas de recuperação de águas pluviais A água da chuva é um recurso natural que

Leia mais

Sistemas de recuperação de águas pluviais

Sistemas de recuperação de águas pluviais Ambietel Tecnologias Ambientais, Lda UPTEC P.MAR Av. Liberdade, s/n 4450-718 Leça da Palmeira Telef: +351 225 096 087 Sistemas de recuperação de águas pluviais A água da chuva é um recurso natural que

Leia mais

Turismo e Água Proteger o nosso futuro comum Dia Mundial do Turismo 2013

Turismo e Água Proteger o nosso futuro comum Dia Mundial do Turismo 2013 Turismo e Água Proteger o nosso futuro comum Dia Mundial do Turismo 2013 Caraterização das práticas relacionadas com o consumo de água nas empresas de alojamento turístico de Montemor-o-Novo Anualmente,

Leia mais

11º Seminário Tecnologia de Sistemas Prediais SindusConSP. Agua: pague menos

11º Seminário Tecnologia de Sistemas Prediais SindusConSP. Agua: pague menos 11º Seminário Tecnologia de Sistemas Prediais SindusConSP Agua: pague menos Atitudes para o usuário diminuir o consumo de água da rede pública: 1. Peças que economizam água 2. Medição individualizada e

Leia mais

Profa. Ana Luiza Veltri

Profa. Ana Luiza Veltri Profa. Ana Luiza Veltri EJA Educação de Jovens e Adultos Água de beber Como está distribuída a água no mundo? A Terra, assim como o corpo humano, é constituída por dois terços de água; Apenas 1% da quantidade

Leia mais

A VISÃO DO REGULADOR INDICADORES DE QUALIDADE DE SERVIÇO, GPI E PNUEA

A VISÃO DO REGULADOR INDICADORES DE QUALIDADE DE SERVIÇO, GPI E PNUEA A VISÃO DO REGULADOR INDICADORES DE QUALIDADE DE SERVIÇO, GPI E PNUEA Conferência Alteração do Paradigma nos Serviços de Águas em Portugal - CANTANHEDE Julho de 2013 Centro Empresarial Torres de Lisboa

Leia mais

ÁGUA. Reciclagem das águas residuais

ÁGUA. Reciclagem das águas residuais Reciclagem das águas residuais ÁGUA A da água in situ (no local) oferece muitas oportunidades para racionalizar o consumo de água em nossas casas. Infelizmente, toda a água que utilizamos em casa e jardins

Leia mais

Reabilitar Portugal, 12 de Fevereiro 2015

Reabilitar Portugal, 12 de Fevereiro 2015 Reabilitar Portugal, 12 de Fevereiro 2015 Quem somos Cultura de empresa enraizada e com 90 anos de história 2 300 Colaboradores em todo o mundo Facturação de 450 M de Euros Anuais Quem somos Estamos presentes

Leia mais

E.S.T. Barreiro Barreiro, 15 de Dezembro 2014

E.S.T. Barreiro Barreiro, 15 de Dezembro 2014 E.S.T. Barreiro Barreiro, 15 de Dezembro 2014 Quem somos Cultura de empresa enraizada e com 90 anos de história 2 300 Colaboradores em todo o mundo Facturação de 450 M de Euros Anuais Quem somos Estamos

Leia mais

Conselhos Úteis de Poupança. Vamos poupar

Conselhos Úteis de Poupança. Vamos poupar Conselhos Úteis de Poupança Vamos poupar Vamos poupar água Sabias que a Terra está 70% coberta de água e 97% dessa água está nos mares e oceanos e é salgada? Os outros 3% de água doce existem nos lagos,

Leia mais

Destacando a importância do uso adequado dos recursos hídricos.

Destacando a importância do uso adequado dos recursos hídricos. Destacando a importância do uso adequado dos recursos hídricos. Leomir Silvestre e Rui Junior Captação, uso e reuso da água Vocês sabem como é feito o processo de captação de água? Captação, uso e reuso

Leia mais

INSTITUTO REGULADOR DE ÁGUAS E RESÍDUOS

INSTITUTO REGULADOR DE ÁGUAS E RESÍDUOS INSTITUTO REGULADOR DE ÁGUAS E RESÍDUOS A regulação como instrumento para a melhoria da eficiência e da eficácia cia nos serviços públicos p de águas e resíduos Centro Empresarial Torres de Lisboa Rua

Leia mais

Atribuição dos prémios decorreu no Parque Dr. José Gama

Atribuição dos prémios decorreu no Parque Dr. José Gama Educação Ambiente Ecoguia Cabanelas 2008 Dia Internacional da Luta Contra a Droga O Pelouro do Ambiente da Câmara Municipal de Mirandela assinalou o dia Internacional da Luta Contra a Droga (26 de Junho),

Leia mais

Contributo para a caracterização do uso e aumento da eficiência

Contributo para a caracterização do uso e aumento da eficiência Contributo para a caracterização do uso e aumento da eficiência CASO DE ESTUDO Complexo Escolar dos Arcos em Óbidos Susana Camacho Seminário Uso Eficiente da Água no Sector Residencial 6 de Outubro de

Leia mais

Qualidade da Água. A disponibilidade da Água

Qualidade da Água. A disponibilidade da Água Qualidade da Água A disponibilidade da Água A água pode ter as mais variadas origens e características mas a sua disponibilidade para consumo humano revela-se cada vez mais diminuta. % H2O Doce Vs Salgada

Leia mais

Gestão da água e eco-eficiência na. Região Autónoma dos Açores

Gestão da água e eco-eficiência na. Região Autónoma dos Açores Região Autónoma dos Açores Gestão da água e eco-eficiência na Região Autónoma dos Açores AQUAMAC Canarias, 6 de Maio de 004 o conceito erdas - água não facturada em resultado de roturas/falta de estanquicidade

Leia mais

WORKSHOP Plano para preservar os Recursos Hídricos da Europa (Blueprint) - Perspetivas para Portugal

WORKSHOP Plano para preservar os Recursos Hídricos da Europa (Blueprint) - Perspetivas para Portugal Eficiência dos sistemas de abastecimento de água para consumo humano WORKSHOP Plano para preservar os Recursos Hídricos da Europa (Blueprint) - Perspetivas para Portugal IPQ, 9 de abril de 2014 Os serviços

Leia mais

Texto: Agua: pague menos Engenheiro Plinio Tomaz 22 de fevereiro de 2014. Agua: pague menos

Texto: Agua: pague menos Engenheiro Plinio Tomaz 22 de fevereiro de 2014. Agua: pague menos Agua: pague menos A melhor maneira de o usuário da rede pública de abastecimento de água potável diminuir o seu consumo mensal, isto é, pagar menos, é tomar uma das quatro atitudes ou várias delas na seguinte

Leia mais

ÁGUA. Boas práticas para uma eficiente utilização da água

ÁGUA. Boas práticas para uma eficiente utilização da água Boas práticas para uma eficiente utilização da água ÁGUA Poupar água é não desperdiçá-la em consumos inúteis a que muitos se foram habituando ao longo dos anos. Poupar água é não desperdiçá-la em consumos

Leia mais

Centro Urbano do Futuro Parcerias para a regeneração urbana

Centro Urbano do Futuro Parcerias para a regeneração urbana Estratégia para um Desenvolvimento Sustentável para a Cidade de Águeda Centro Urbano do Futuro Parcerias para a regeneração urbana Águeda, 27/04/2011 V.M. Ferreira O projecto: Este projecto visou reflectir

Leia mais

Município de Vieira do Minho

Município de Vieira do Minho Tarifário de água 2014 Tarifa variável ( /m3) 0 a 5 m3 0,6410 6 a 15 m3 0,8000 16-25 m3 1,0000 > 25 m3 2,3000 0 a 9999 m3 1,0000 1 a 9999 m3 1,0000 Tarifa Fixa ( /30 dias) Calibre do contador (mm) Valor

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS. Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber.

INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS. Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber. INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA QUENTE Norma NBR 7198 (ABNT,1998) Projeto e execução de instalações prediais deágua quente. Condições

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 (Do Sr. Laércio Oliveira)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 (Do Sr. Laércio Oliveira) PROJETO DE LEI Nº, DE 2012 (Do Sr. Laércio Oliveira) Institui o Programa Nacional de Conservação, Uso Racional e Reaproveitamento das Águas. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º A presente lei tem por

Leia mais

Eco Houses / Casas ecológicas. Juliana Santos Rafaela Castilho Sandra Aparecida Reis Sislene Simões Curso:Tecnologia em Gestão Ambiental

Eco Houses / Casas ecológicas. Juliana Santos Rafaela Castilho Sandra Aparecida Reis Sislene Simões Curso:Tecnologia em Gestão Ambiental Eco Houses / Casas ecológicas Juliana Santos Rafaela Castilho Sandra Aparecida Reis Sislene Simões Curso:Tecnologia em Gestão Ambiental IDHEA - INSTITUTO PARA O DESENVOLVIMENTO DA HABITAÇÃO ECOLÓGICA Conceito:

Leia mais

O que é saneamento básico?

O que é saneamento básico? O que é saneamento básico? Primeiramente, começaremos entendendo o real significado de saneamento. A palavra saneamento deriva do verbo sanear, que significa higienizar, limpar e tornar habitável. Portanto,

Leia mais

ARENA DE SALVADOR PROJETO BÁSICO DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS

ARENA DE SALVADOR PROJETO BÁSICO DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS ARENA DE SALVADOR PROJETO BÁSICO DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS MEMORIAL DESCRITIVO DO SISTEMA DE INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS Resp. Técnico: Carlos A. N. Viani MD-1944/02-HP-001 Rev. 0 1. OBJETIVO Este memorial

Leia mais

bombas águas limpas acessórios de instalação de bombas bomba auto-ferrante sondas de nível ligação PPAR latão válvula de retenção

bombas águas limpas acessórios de instalação de bombas bomba auto-ferrante sondas de nível ligação PPAR latão válvula de retenção bombas águas limpas acessórios de instalação de bombas sondas de nível ligação PPAR latão válvula de retenção acessórios aperto tubagens tubagens válvula de esfera autoclave quadro protecção e controle

Leia mais

Serão distribuídos: Para os professores: Cinco módulos temáticos e um caderno de atividades. Para os alunos: um caderno de atividades.

Serão distribuídos: Para os professores: Cinco módulos temáticos e um caderno de atividades. Para os alunos: um caderno de atividades. professor Serão distribuídos: Para os professores: Cinco módulos temáticos e um caderno de atividades. Para os alunos: um caderno de atividades. Também serão produzidos, dentro de sala de aula, cartazes

Leia mais

APROVEITAMENTO DA ÁGUA DA CHUVA EM EDIFICAÇÕES

APROVEITAMENTO DA ÁGUA DA CHUVA EM EDIFICAÇÕES APROVEITAMENTO DA ÁGUA DA CHUVA EM EDIFICAÇÕES Elisabete Peres Bertolo Engenheira Civil Mestre em Engenharia do Ambiente Aproveitamento da água das chuvas numa casa australiana (Apostolidis, 2003). Museu

Leia mais

GuiadeProjectoeObra ANEXO I- TERMINOLOGIA

GuiadeProjectoeObra ANEXO I- TERMINOLOGIA GuiadeProjectoeObra ANEXO I- A B C Acessórios Aparelhos Bateria de Contadores Boca de Incêndio Tamponada Boca de Rega Boca Tamponada Bomba Caixa de Contador Caleira Técnica Canalete Canalização Canalização

Leia mais

Neam Sul - Núcleo de Educação Ambiental Sul

Neam Sul - Núcleo de Educação Ambiental Sul Seminário Socioambiental Água Fonte de Vida PURA Programa de Uso Racional da Água Unidade de Negócio Sul Sabesp Neam Sul - Núcleo de Educação Ambiental Sul Panorama Mundial - Escassez A SOBREVIVÊNCIA DA

Leia mais

Concepção de instalações para o abastecimento de água

Concepção de instalações para o abastecimento de água Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil CIV 640 Saneamento Urbano Concepção de instalações para o abastecimento de água Prof. Aníbal da Fonseca Santiago Universidade

Leia mais

Projeto Corpo de Bombeiros ESPECIFICAÇÕES HIDRÁULICA

Projeto Corpo de Bombeiros ESPECIFICAÇÕES HIDRÁULICA Projeto Corpo de Bombeiros ESPECIFICAÇÕES HIDRÁULICA Área 01 (Térreo) 01-16.50 metros de tubo Ø20 02-06.30metros de tubo Ø25 03-11.50 metros de tubo Ø32 04-02 registros de gaveta Ø1/2 05-06 registros de

Leia mais

Tarifário para 2013. Tarifário para 2013

Tarifário para 2013. Tarifário para 2013 Tarifário para 2013 Novembro de 2012 Página 1 de 12 Índice Tarifas de Abastecimento... 3 Tarifas de Saneamento... 4 Outros serviços de abastecimento... 5 Outros serviços de saneamento... 6 Processos de

Leia mais

NOÇÕES DE HIDRÁULICA. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho

NOÇÕES DE HIDRÁULICA. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho. Prof. Roberto Monteiro de Barros Filho NOÇÕES DE HIDRÁULICA Tratamento da água Medição da água Medição da água PLANTA VISTA FRONTAL CORTE Dimensões da Caixa de Hidrômetro Tipos de Abastecimento Abastecimento direto Tipos de Abastecimento Abastecimento

Leia mais

Controlo de Legionella em Hotelaria

Controlo de Legionella em Hotelaria Controlo de Legionella em Hotelaria Dra. Núria Adroer André Travancas Porto - 24 de outubro de 2013 WORKSHOP Prevenção e Controlo de Legionella nos Sistemas de Água Objetivos Problemas das instalações

Leia mais

DICAS PARA ECONOMIZAR ÁGUA NO SEU DIA A DIA

DICAS PARA ECONOMIZAR ÁGUA NO SEU DIA A DIA ÁGUA Economizar água é uma necessidade urgente em todo o mundo. Se não houver mudanças de hábitos no curto prazo, em poucos anos, teremos grandes problemas de abastecimento, sem contar com os 768 milhões

Leia mais

Os projetos de habitação de interesse social adotados nesta pesquisa encontram-se caracterizados na tabela 1.

Os projetos de habitação de interesse social adotados nesta pesquisa encontram-se caracterizados na tabela 1. DETERMINAÇÃO DOS CUSTOS DIRETOS E DA VIABILIDADE ECONÔMICA PARA UM SISTEMA DE CAPTAÇÃO DE ÁGUA PLUVIAL E EQUIPAMENTOS SANITÁRIOS ECONOMIZADORES DE ÁGUA: ESTUDO DE CASO PARA HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL

Leia mais

Sanindusa: casas de banho sustentáveis

Sanindusa: casas de banho sustentáveis Sanindusa: casas de banho sustentáveis o Introdução o Contextualização o Produtos sustentáveis oobras de referência o Dicas de poupança ASanindusa, no seguimento da sua política de proteção e defesa do

Leia mais

AVALIAÇÃO ECONÔMICA DOS SISTEMAS DE REÚSO DE ÁGUA EM EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS

AVALIAÇÃO ECONÔMICA DOS SISTEMAS DE REÚSO DE ÁGUA EM EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS VIII-Mierzwa-Brasil-3 AVALIAÇÃO ECONÔMICA DOS SISTEMAS DE REÚSO DE ÁGUA EM EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS José Carlos Mierzwa (1) Professor Pesquisador do Departamento de Engenharia Hidráulica e Sanitária

Leia mais

INSTALAÇÕES SANITÁRIAS

INSTALAÇÕES SANITÁRIAS GUIA PARA A REABILITAÇÃO INSTALAÇÕES SANITÁRIAS PROJETO Cooperar para Reabilitar da InovaDomus Autoria do Relatório Consultoria Oliveira & Irmão, S.A. Índice 0. Preâmbulo 5 1. Anomalias no Autoclismo da

Leia mais

Livro: Água pague menos água Engenheiro Plinio Tomaz pliniotomaz@uol.com.br 11/12/2010. Capítulo 2. Nitro PDF Trial

Livro: Água pague menos água Engenheiro Plinio Tomaz pliniotomaz@uol.com.br 11/12/2010. Capítulo 2. Nitro PDF Trial Capítulo 2 Medição individualizada e Monitoramento do consumo Estima-se que 80% de todas as moléstias e mais de um terço dos óbitos dos países em desenvolvimento sejam causados pelo consumo de águas contaminadas

Leia mais

I-021 PERDAS DE ÁGUA NO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA

I-021 PERDAS DE ÁGUA NO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA I-021 PERDAS DE ÁGUA NO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA Evaristo C. Rezende dos Santos 2 José Almir R. Pereira 1 Lindemberg Lima Fernandes 2 Rui Guilherme

Leia mais

Abastecimento de água e drenagem de águas residuais

Abastecimento de água e drenagem de águas residuais Redes e Instalações 1 Abastecimento de água e drenagem de águas residuais Filipa Ferreira Índice da apresentação 2 Introdução Regulamentação Distribuição de água Drenagem de águas residuais Aspectos gerais

Leia mais

PROJECTO DA REDE DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA

PROJECTO DA REDE DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA PROJECTO DA REDE DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA CONSTRUÇÃO DE ARRUAMENTO DESDE A ROTUNDA DANMARIE - LÉS - LYS À AV. ENGº CASTRO CALDAS - A2 ARCOS DE VALDEVEZ ÍNDICE 1) Planta de Localização 2) Termo de Responsabilidade

Leia mais

Abastecimento de Água

Abastecimento de Água AA Abastecimento de Água Tipo de cliente Doméstico Não doméstico IPSS's Autarquia 0 a 10 m3 0,6300 0 a 50 m3 0,9500 0 a 50 m3 0,9500 0,0500 11 a 20 m3 1,0000 51 a 80 m3 1,3000 51 a 80 m3 1,3000 0

Leia mais

LEI N 1.192, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2007

LEI N 1.192, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2007 LEI N 1.192, DE 31 DE DEZEMBRO DE 2007 CRIA, no município de Manaus, o Programa de Tratamento e Uso Racional das Águas nas edificações PRO-ÁGUAS. O PREFEITO DE MANAUS, usando das atribuições que lhe são

Leia mais

SISTEMAS PREDIAIS DE ÁGUAS E ESGOTOS EM EDIFÍCIOS ALTOS

SISTEMAS PREDIAIS DE ÁGUAS E ESGOTOS EM EDIFÍCIOS ALTOS VI ENCONTRO TÉCNICO DA ECOSERVIÇOS SISTEMAS PREDIAIS DE ÁGUAS E ESGOTOS EM EDIFÍCIOS ALTOS LÉLIO BARATA FÉLIX PONTA DELGADA, 8 DE MAIO DE 2003 1 INSTALAÇÕES DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA (fria / quente / incêndio)

Leia mais

TÍTULO: REUSO DA ÁGUA: UM MANEIRA VIÁVEL

TÍTULO: REUSO DA ÁGUA: UM MANEIRA VIÁVEL TÍTULO: REUSO DA ÁGUA: UM MANEIRA VIÁVEL ANANIAS DE PAULA LIMA NETO (UNIFOR) ananiasneto1@hotmail.com Ulisses Moreira de Lima (FA7) ulisses-ml@hotmail.com A água sendo um elemento natural limitado e essencial

Leia mais

ESTUDOS DE CASO APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL PARA FINS NÃO POTÁVEIS EM INSTITUIÇÃO DE ENSINO: ESTUDO DE CASO EM FLORIANÓPOLIS - SC

ESTUDOS DE CASO APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL PARA FINS NÃO POTÁVEIS EM INSTITUIÇÃO DE ENSINO: ESTUDO DE CASO EM FLORIANÓPOLIS - SC ESTUDOS DE CASO APROVEITAMENTO DE ÁGUA PLUVIAL PARA FINS NÃO POTÁVEIS EM INSTITUIÇÃO DE ENSINO: ESTUDO DE CASO EM FLORIANÓPOLIS - SC ANA KELLY MARINOSKI Orientador: Prof. Enedir Ghisi, PhD INTRODUÇÃO Objetivo

Leia mais

Livro: Agua: pague menos Engenheiro Plinio Tomaz 12 de dezembro de 2010

Livro: Agua: pague menos Engenheiro Plinio Tomaz 12 de dezembro de 2010 Capitulo 01- Peças que economizam água 1.1 Objetivo A primeira atitude de autoridade que quer economizar água é a instalação de peças que economizem água, sem criar problemas com a segurança da qualidade

Leia mais

USO RACIONAL DA ÁGUA 2008

USO RACIONAL DA ÁGUA 2008 USO RACIONAL DA ÁGUA Tipos de Água: Água potável - é a que se pode beber. É fundamental para a vida humana, e é obtida através de tratamentos que eliminam qualquer impureza. Água poluída - É a água suja

Leia mais

Sistemas de Aproveitamento de Águas Pluviais Uso eficiente da Água

Sistemas de Aproveitamento de Águas Pluviais Uso eficiente da Água Sistemas de Aproveitamento de Águas Pluviais Uso eficiente da Água Introdução Aproveitar água da chuva Áreas Urbanas Centralidade Sistémica Source Control e Local Management Alterações Climáticas Forma

Leia mais

APROVEITAMENTO E REUTILIZAÇÃO DA ÁGUA PARA USOS DOMÉSTICOS Water Reuse in Buildings

APROVEITAMENTO E REUTILIZAÇÃO DA ÁGUA PARA USOS DOMÉSTICOS Water Reuse in Buildings 1 as Jornadas de Hidráulica Recursos Hídricos e Ambiente [2006], FEUP, ISBN xxxxxx APROVEITAMENTO E REUTILIZAÇÃO DA ÁGUA PARA USOS DOMÉSTICOS Water Reuse in Buildings M. VALENTE NEVES (1), E. BERTOLO (2)

Leia mais

ECODEPUR DEPURWASH. Sistema de Tratamento e. Reciclagem de Águas de Lavagem. v1.2-200213

ECODEPUR DEPURWASH. Sistema de Tratamento e. Reciclagem de Águas de Lavagem. v1.2-200213 ECODEPUR DEPURWASH Sistema de Tratamento e v1.2-200213 Reciclagem de Águas de Lavagem ENQUADRAMENTO A água potável é um bem cada vez mais escasso, e deverão ser efectuados todos os esforços para preservar

Leia mais

Tarifário autarquias/instituições/associações (artigo 121.º R.S.A.P.A. Saneam. Águas Res. Urb.) Escalão único..

Tarifário autarquias/instituições/associações (artigo 121.º R.S.A.P.A. Saneam. Águas Res. Urb.) Escalão único.. 1 - Abastecimento de água 1.1 Tarifa variável - por m 3 Tarifário doméstico (artigo 108.º Reg. Serv. Abast. Público Água Saneam. Águas Res. Urb.) 1.º escalão (0 a 5 m 3 ).. 0,3546 (a) 2.º escalão (5 a

Leia mais

A APLICAÇÃO DO PRINCÍPIO DA CONSERVAÇÃO DA ÁGUA EM LISBOA PELA VALORIZAÇÃO DOS EFLUENTES LÍQUIDOS DAS SUAS ETAR

A APLICAÇÃO DO PRINCÍPIO DA CONSERVAÇÃO DA ÁGUA EM LISBOA PELA VALORIZAÇÃO DOS EFLUENTES LÍQUIDOS DAS SUAS ETAR A APLICAÇÃO DO PRINCÍPIO DA CONSERVAÇÃO DA ÁGUA EM LISBOA PELA VALORIZAÇÃO DOS EFLUENTES LÍQUIDOS DAS SUAS ETAR Amílcar AMBRÓSIO (1) ;Ana AMBRÓSIO DE SOUSA (2) RESUMO A Câmara Municipal de Lisboa, na previsão

Leia mais

APROVEITAMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS

APROVEITAMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS APROVEITAMENTO DE ÁGUAS PLUVIAIS Pré-filtro com efeito vortex Bomba submersível Filtro flutuante de aspiração Sistema de adição de água da rede pública Entrada anti-turbulência Indicador de nível de água

Leia mais

Lavatórios Bases para chuveiros Acessórios para Lavatórios Sanitas Portas de Sanitas Detergentes para Sanitas Acessórios Diversos para Sanitas Peças

Lavatórios Bases para chuveiros Acessórios para Lavatórios Sanitas Portas de Sanitas Detergentes para Sanitas Acessórios Diversos para Sanitas Peças Lavatórios Bases para chuveiros Acessórios para Lavatórios Sanitas Portas de Sanitas Detergentes para Sanitas Acessórios Diversos para Sanitas Peças em separado para sanitas 63 64 65 67 72 72 75 77 Lavatórios

Leia mais

Seca. Vamos poupar água?

Seca. Vamos poupar água? Qualidade Vida C Â M A R A M U N I C I P A L Seca Vamos poupar água? Seca Vamos poupar água? A água é um recurso natural limitado e essencial à vida. A sua distribuição no planeta, e no nosso país, não

Leia mais

Esplanada sem desperdício: preservando o meio ambiente.

Esplanada sem desperdício: preservando o meio ambiente. Implementar ações voltadas ao uso racional de recursos sustentabilidade naturais para promover a ambiental e socioeconômica na Administração Pública Federal. A Esplanada terá metas de racionalização do

Leia mais

JUNTAS DE FREGUESIA, INSTITUIÇÕES E AGREMIAÇÕES PRIVADAS DE BENEFICÊNCIA, CULTURAIS, DESPORTIVAS E OUTRAS DE INTERESSE PÚBLICO. Escalão único 2,0524

JUNTAS DE FREGUESIA, INSTITUIÇÕES E AGREMIAÇÕES PRIVADAS DE BENEFICÊNCIA, CULTURAIS, DESPORTIVAS E OUTRAS DE INTERESSE PÚBLICO. Escalão único 2,0524 ÁGUA* CONSUMO DE ÁGUA CONSUMO DOMÉSTICO 1º Escalão (0 5 m 3 /mês) 0,4452 2º Escalão (6 15 m 3 /mês) 0,8101 3º Escalão (16 a 25 m 3 /mês) 1,3461 4º Escalão (superior a 25 m 3 /mês) 2,1690 COMÉRCIO, INDÚSTRIA,

Leia mais

AJUDE a salvar O PLANETA. Feche a TORNEIRA do desperdício.

AJUDE a salvar O PLANETA. Feche a TORNEIRA do desperdício. AJUDE a salvar O PLANETA. Feche a TORNEIRA do desperdício. O que é a água? A água é um elemento essencial para a existência de vida no planeta, com papel fundamental nas funções biológicas de animais e

Leia mais

IGA Investimentos e Gestão da Água, S.A.

IGA Investimentos e Gestão da Água, S.A. Levantamento e Cadastro de Infra-estruturas associadas aos Sistemas de Abastecimento de Água e de Tratamento e Drenagem de Águas Residuais e Pluviais Ricardo Freitas 3 Objectivos Elaboração do cadastro

Leia mais

Factura Mod #1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 19 18 20 21

Factura Mod #1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 19 18 20 21 2 Factura Mod #1 1 4 5 3 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 19 18 20 21 Factura Mod #1 Factura Mod #2 21 Factura Mod #2 LEGENDA 1 Contactos. Telefone e horário de atendimento da Vimágua. 2 Dados do titular

Leia mais

GESTÃO, TRATAMENTO E REUTILIZAÇÃO DE EFLUENTES LÍQUIDOS. José dos Santos Santiago (*)

GESTÃO, TRATAMENTO E REUTILIZAÇÃO DE EFLUENTES LÍQUIDOS. José dos Santos Santiago (*) GESTÃO, TRATAMENTO E REUTILIZAÇÃO DE EFLUENTES LÍQUIDOS José dos Santos Santiago (*) RESUMO: Apresenta-se, neste artigo, a metodologia a seguir para gerir, tratar a reutilizar os efluentes industriais,

Leia mais

SISTEMAS DE CERTIFICAÇÃO NA EFICIÊNCIA HÍDRICA

SISTEMAS DE CERTIFICAÇÃO NA EFICIÊNCIA HÍDRICA SISTEMAS DE CERTIFICAÇÃO NA EFICIÊNCIA HÍDRICA Marco António Cunha Miranda Iperforma - Arquitectura e Engenharia, S.A. Rua do Esteiro de Campanhã, n. 82, 4300-174 Porto e-mail: marco.miranda@iperforma.pt,

Leia mais

Projeto Heróis da Água Fase III - 2014/2015

Projeto Heróis da Água Fase III - 2014/2015 O projeto O Projeto Heróis da Água é promovido pela EMAS de Beja e pela Câmara Municipal de Beja, enquadra-se na área da sensibilização e educação ambiental. O projeto mantem-se pelo 3.º ano e continua

Leia mais

Colégio Internato dos Carvalhos Química, Ambiente e Qualidade Operações e Processos Unitários

Colégio Internato dos Carvalhos Química, Ambiente e Qualidade Operações e Processos Unitários RESUMO As fossas sépticas quando são desactivadas para ligação à rede de saneamento público podem ser reconvertidas em reservatórios cisterna de armazenagem de água. As águas recolhidas das tubagens colectoras

Leia mais

A maneira mais inteligente de aquecer água.

A maneira mais inteligente de aquecer água. A maneira mais inteligente de aquecer água. A JAMP O uso consciente de energia é um dos princípios que rege as atividades da JAMP, responsável pela introdução no País de soluções inovadoras no campo de

Leia mais

EDISON DOMINGUES JR. RAYMOND KHOE LUIZ ROBERTO SOARES

EDISON DOMINGUES JR. RAYMOND KHOE LUIZ ROBERTO SOARES PROJETOS DE HOSPITAIS SUSTENTÁVEIS EDISON DOMINGUES JR. RAYMOND KHOE LUIZ ROBERTO SOARES É importante destacar os benefícios de um edifício sustentável. Os green buildings podem ser definidos pelas seguintes

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Águas no Brasil: A Visão dos Brasileiros

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Águas no Brasil: A Visão dos Brasileiros PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA Águas no Brasil: A Visão dos Brasileiros O que o brasileiro pensa sobre a conservação e o uso da água no Brasil METODOLOGIA OBJETIVO Levantar informações para subsidiar o planejamento

Leia mais

EcoFamílias Água. (Janeiro Novembro 2008) Relatório Final

EcoFamílias Água. (Janeiro Novembro 2008) Relatório Final EcoFamílias Água (Janeiro Novembro 2008) Relatório Final Janeiro de 2009 Índice 1. Resumo Executivo... 3 2. Introdução... 5 3. Objectivos... 8 4. Metodologia... 9 4.1. Selecção das Famílias... 9 4.2. Monitorização...

Leia mais

DRENAGEM E APROVEITAMENTO DAS ÁGUAS PLUVIAIS

DRENAGEM E APROVEITAMENTO DAS ÁGUAS PLUVIAIS GUIA PARA A REABILITAÇÃO DRENAGEM E APROVEITAMENTO DAS ÁGUAS PLUVIAIS PROJETO Cooperar para Reabilitar da InovaDomus Autoria do Relatório Consultoria Oliveira & Irmão S.A. Índice 1. Anomalias no Sistema

Leia mais

Aproveitamento de água de chuva para fins não potáveis em áreas urbana

Aproveitamento de água de chuva para fins não potáveis em áreas urbana Aproveitamento de água de chuva para fins não potáveis em áreas urbana Fortaleza dos Templários em Tomar- 1160 dc.portugal Conservação da água Ciclo hidrológico ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas

Leia mais

CRISE HÍDRICA PLANO DE CONTINGÊNCIA EM SERVIÇOS DE SAÚDE

CRISE HÍDRICA PLANO DE CONTINGÊNCIA EM SERVIÇOS DE SAÚDE CRISE HÍDRICA PLANO DE CONTINGÊNCIA EM SERVIÇOS DE SAÚDE 14/03/2014 Jonas Age Saide Schwartzman Eng. Ambiental Instituições Afiliadas SPDM SPDM Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina OSS

Leia mais

e-hm AMPLIAÇÃO DE GAMA, MELHOR EFICIÊNCIA DO SEGMENTO E VÁRIAS OPÇÕES DISPONÍVEIS

e-hm AMPLIAÇÃO DE GAMA, MELHOR EFICIÊNCIA DO SEGMENTO E VÁRIAS OPÇÕES DISPONÍVEIS e-hm AMPLIAÇÃO DE GAMA, MELHOR EFICIÊNCIA DO SEGMENTO E VÁRIAS OPÇÕES DISPONÍVEIS Cat_eHM_port.indd 1 29/07/13 10.55 Em casa todos quere Onde está ela? Água? Não, a água! Piscina das crianças Para beber

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS. Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber.

INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS. Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS Professor: Eng Civil Diego Medeiros Weber. ÁGUA FRIA PERDA DE CARGA Existem varias fórmulas e ábacos correspondentes que traduzem a dependência entre as grandezas Q,

Leia mais

CONSUMOS DE ÁGUA CONSUMOS DE ÁGUA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA - ETA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA - ETA

CONSUMOS DE ÁGUA CONSUMOS DE ÁGUA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA - ETA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA - ETA CONSUMOS DE ÁGUA Componentes da demanda de água de uma população Doméstico Comercial Industrial Público Especial Perdas Desperdícios Principais fatores influenciam a demanda VOLUME DE ÁGUA A SER TRATADA

Leia mais

Sistema para balanceamento hídrico de empreendimento. Dentre estas medidas está a constante busca pela redução de consumo de água potável,

Sistema para balanceamento hídrico de empreendimento. Dentre estas medidas está a constante busca pela redução de consumo de água potável, Início do projeto: Em uma busca incessante por reduzir gastos com água potável, o empreendimento comercial de operação hoteleira feita com a bandeira internacional Blue Tree Premium, vem nos últimos anos

Leia mais

Guia de selecção Grundfos SOLOLIFT2

Guia de selecção Grundfos SOLOLIFT2 Guia de selecção Grundfos BEM-VINDO À NOVA GERAÇÃO 2 ÍNDICE, GUIA DE SELECÇÃO Inspirada por profissionais, concebida por profissionais. A vai ao encontro das suas necessidades e dos seus clientes. Esta

Leia mais

ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENÇA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DESCARGA DE ÁGUAS RESIDUAIS

ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENÇA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DESCARGA DE ÁGUAS RESIDUAIS ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENÇA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DESCARGA DE ÁGUAS RESIDUAIS I IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE Nome/Denominação social, identificação fiscal n.º, bilhete

Leia mais

EFICIÊNCIA HÍDRICA. Relatório de experiência realizada no Colégio xxxxxxxxx de Campo de Ourique. Experiência de 13/09 a 09/11 de 2010

EFICIÊNCIA HÍDRICA. Relatório de experiência realizada no Colégio xxxxxxxxx de Campo de Ourique. Experiência de 13/09 a 09/11 de 2010 EFICIÊNCIA HÍDRICA Relatório de experiência realizada no Colégio xxxxxxxxx de Campo de Ourique Experiência de 13/09 a 09/11 de 2010 Novembro de 2010 1. Introdução A água é um bem essencial à vida e indispensável

Leia mais

SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DA NAZARÉ PRECÁRIO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PARA O ANO DE 2015 (Preços a vigorar entre 01 de Janeiro e 31 de Dezembro)

SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DA NAZARÉ PRECÁRIO DOS SERVIÇOS PRESTADOS PARA O ANO DE 2015 (Preços a vigorar entre 01 de Janeiro e 31 de Dezembro) (s a vigorar entre 01 de Janeiro e 31 de Dezembro) PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA, SANEAMENTO E GESTÃO DE RSU Escalão Água Saneamento RSU Doméstico 1º Escalão - 5m 3 / 30 dias 0,7291 0,6209-2º

Leia mais

Lavacontentores. Assim, na concepção e construção deste equipamento teve-se em consideração os seguintes elementos relevantes:

Lavacontentores. Assim, na concepção e construção deste equipamento teve-se em consideração os seguintes elementos relevantes: BASRIO Lavacontentores Introdução Memória descritiva Assunto: Cisterna e Câmara de Lavagem Aspecto geral do Lavacontentores Pontos de interesse especiais: Lavagem interna e externa através de jactos de

Leia mais

Colectores Solares para Aquecimento de Água

Colectores Solares para Aquecimento de Água Colectores Solares para Aquecimento de Água Pavilhões Desportivos e Piscinas S. T. Spencer silvino.spencer@adene.pt PORQUÊ A ESCOLHA DE PISCINAS E PAVILHÕES? Porquê a Escolha de Piscinas e Pavilhões?

Leia mais

SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO E DE DRENAGEM DE ÁGUAS

SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO E DE DRENAGEM DE ÁGUAS PATOLOGIAS DAS CONSTRUÇÕES REABILITAÇÃO DE INSTALAÇÕES SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO E DE DRENAGEM DE ÁGUAS SISTEMAS PÚBLICOS DISTRIBUIÇÃO Problemas que se levantam com a distribuição intermitente de água Obriga

Leia mais

fogos municipais de utilização universal

fogos municipais de utilização universal fogos municipais de utilização universal Promover nos fogos municipais condições de acessibilidade eliminando as barreiras físicas que constituem obstáculo à mobilidade e promovendo as condições de conforto

Leia mais

CENTRO DE TREINAMENTO DANCOR MÓDULO I - BOMBAS

CENTRO DE TREINAMENTO DANCOR MÓDULO I - BOMBAS CENTRO DE TREINAMENTO DANCOR MÓDULO I - BOMBAS DANCOR S.A INDÚSTRIA MECÂNICA Professor: José Luiz Fev/2012 CENTRO DE TREINAMENTO DANCOR 1- BOMBAS D ÁGUA (MÁQUINAS DE FLUXO): 1.1 DEFINIÇÃO Máquinas de fluxo

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO HIDRO-SANITÁRIO

MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO HIDRO-SANITÁRIO MEMORIAL DESCRITIVO E DE CÁLCULO HIDRO-SANITÁRIO OBRA: UNIDADE DE ACOLHIMENTO ADULTO PREFEITURA MUNICIPAL DE SOBRAL ENDEREÇO: Rua Dinamarca, S/N Sobral - Ceará PROJETO: HIDRO-SANITÁRIO E ÁGUAS PLUVIAIS

Leia mais

Manual de Sustentabilidade Condominial - SECOVI

Manual de Sustentabilidade Condominial - SECOVI Manual de Sustentabilidade Condominial - SECOVI Gestão da demanda para o Uso Racional da Água URA 1 Plínio Z. Grisolia Agosto 2015 Uso Racional da Água Edifícios Residenciais Apelos Questão ambiental e

Leia mais

Sociedade e Tecnologia

Sociedade e Tecnologia Sociedade e Tecnologia Tema: Tratamento de água Problematização Inicial Conta de água e esgoto (consumo total e per capita; unidades; consumo mês/ano). Desafio Calcule seu consumo doméstico de água e veja

Leia mais

Encanador. 4) Número de Aulas: O trabalho será realizado em cinco etapas, divididas em aulas a critério do professor.

Encanador. 4) Número de Aulas: O trabalho será realizado em cinco etapas, divididas em aulas a critério do professor. Encanador 1) Objetivos Gerais Aprofundar os conhecimentos sobre o profissional que tem como um dos focos de trabalho a água e o saneamento básico, assim como problemas que podem ocorrer quando houver sinistros

Leia mais

PLANO DE HIGIENE ÍNDICE 1 HIGIENE PESSOAL 2 RECEPCÇÃO DE MERCADORIAS 3 ZONAS DE ARMAZENAGEM 4 ZONAS DE PREPARAÇÃO 5 ZONAS DE CONFECÇÃO

PLANO DE HIGIENE ÍNDICE 1 HIGIENE PESSOAL 2 RECEPCÇÃO DE MERCADORIAS 3 ZONAS DE ARMAZENAGEM 4 ZONAS DE PREPARAÇÃO 5 ZONAS DE CONFECÇÃO ÍNDICE 1 HIGIENE PESSOAL 2 RECEPCÇÃO DE MERCADORIAS 3 ZONAS DE ARMAZENAGEM 4 ZONAS DE PREPARAÇÃO 5 ZONAS DE CONFECÇÃO 6 REFEITÓRIO / CAFÉ 7 COPA 8 VESTUÁRIOS e / ou CASAS DE BANHO Elaborado: Aprovado:

Leia mais

ACESSÓRIOS em plástico para CHÃO TERRAÇO CAIXA DE VISITA COM TAMPA REFORÇADA CAIXA DE VISITA COM GRELHA REFORÇADA CAIXA DE VISITA DE ÁGUAS PLUVIAIS CAIXA DE VISITA COM TAMPA DE PASSEIO Acessórios em plástico

Leia mais

CONTRATO DE MANUTENÇÃO INSTALAÇÕES

CONTRATO DE MANUTENÇÃO INSTALAÇÕES CONTRATO DE MANUTENÇÃO INSTALAÇÕES ViseuIn. Engenharia e Serviços Técnicos Lda Cliente: Data : ViseuIn Engenharia e Serviços Técnicos, Lda Rua Eng.º Manuel Silva Almeida 291 C Marzovelos 3510-590 Viseu

Leia mais

Município de Cuba Tarifário dos Serviços de Abastecimento de Água, Saneamento de Águas Residuais e de Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos.

Município de Cuba Tarifário dos Serviços de Abastecimento de Água, Saneamento de Águas Residuais e de Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos. Tarifário dos Serviços de Abastecimento de Água, Saneamento de Águas Residuais e de Gestão de Resíduos Sólidos Urbanos Secção I Abastecimento de Água Subsecção I Tarifas de Abastecimento de Água 1 - Utilizadores

Leia mais