Guia de Consulta Rápida XHTML. Juliano Niederauer. Novatec Editora.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Guia de Consulta Rápida XHTML. Juliano Niederauer. Novatec Editora. www.novateceditora.com.br"

Transcrição

1 Guia de Consulta Rápida XHTML Juliano Niederauer Novatec Editora

2 Guia de Consulta Rápida XHTML de Juliano Niederauer Copyright 2002 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução desta obra, mesmo parcial, por qualquer processo, sem prévia autorização, por escrito, do autor e da Editora. ISBN: Novatec Editora Ltda. Rua Cons. Moreira de Barros 1084 Conj São Paulo - SP Brasil Tel.: (0xx11) Fax: (0xx11) Site: 2

3 Sumário Sumário Conceitos básicos... 5 O que é XHTML?... 5 Diferenças entre HTML e XHTML... 7 Os problemas da HTML... 7 Mudanças na sintaxe... 8 Relação entre HTML, XML e XHTML Antecedentes da XHTML O que acontecerá com a HTML? Por que mudar para a XHTML? Componentes de um documento XHTML Marcação: conteúdo ou exibição? Declaração XML DTDs...13 Classificações da XHTML XHTML Transitional XHTML Strict XHTML Frameset Elementos Atributos Entidades Namespaces Exemplos de documentos XHTML Convertendo HTML para XHTML Tradução manual ou mecânica? Conversão manual Conversão automática Utilizando o HTML Tidy HTML Tidy para DOS HTML Tidy para Windows HTML Tidy on-line Browsers e compatibilidade Ferramentas de desenvolvimento XHTML Quais são as opções?...30 Editores dedicados à XHTML Criando um documento com o Mozquito Boa formação e validade de um documento Estilo CSS em um documento XHTML O que é CSS? Sintaxe e exemplos de folhas de estilo Usando folhas de estilo XSL O que é XSL? Etapas da XSL - Transformação e formatação Quando usar folhas de estilo XSL? Aplicando XSLT a um documento XML Algumas ferramentas XSLT Saxon Xselerator MSXML da Microsoft

4 Sumário XHTML Modularização da XHTML DTD e módulos da XHTML Diferenças em relação à XHTML Strict Elementos e atributos da XHTML Alguns atributos comuns Eventos intrínsecos Eventos Window...52 Eventos elemento Form Eventos de teclado Eventos de mouse Lista dos elementos da XHTML Lista das propriedades CSS Background Bordas Classificação Conteúdo Contornos Dimensões Espaçamento Fontes Listas e marcadores Margens Posicionamento Tabelas Texto Lista dos elementos da XSLT Informações adicionais Versão da XHTML utilizada no Guia Links relacionados Comentários e sugestões Índice Remissivo

5 Conceitos básicos Conceitos básicos O que é XHTML? A XHTML é uma reformulação da linguagem HTML (Hypertext Markup Language) baseada na XML (Extensible Markup Language). Em termos de sintaxe, a XHTML não é tão tolerante como a HTML. Isso ocorre porque a XHTML utiliza as rígidas regras de XML para realizar as marcações em um documento. HTML e XHTML são linguagens bastante parecidas. Um documento XHTML é quase idêntico a um documento HTML, visto que ambas as linguagens utilizam o mesmo conjunto de elementos. No entanto, um documento XHTML possui alguns componentes adicionais, que veremos no decorrer deste guia. Como exemplo, considere o seguinte documento HTML: <html> <head> <title>guia de XHTML</title> </head> <body> <p><img border= 0" src= novatec.gif > <p>xhtml - Guia de Consulta Rápida<br> Publicado pela Novatec Editora </body> </html> Agora observe como ficaria esse documento na linguagem XHTML: <?xml version= 1.0"?> <!DOCTYPE html PUBLIC -//W3C//DTD XHTML 1.0 Strict//EN > <html xmlns= > <head> <title>guia de XHTML</title> </head> <body> <p><img border= 0" src= novatec.gif /></p> <p>xhtml - Guia de Consulta Rápida<br /> Publicado pela Novatec Editora</p> </body> </html> Algumas mudanças podem ser facilmente percebidas ao comparar os dois documentos, como, por exemplo, a inserção das declarações XML e DOCTYPE. 5

6 Conceitos básicos Outras mudanças, que talvez você não tenha percebido, são decorrentes das regras da linguagem XML, como, por exemplo, o acréscimo de um espaço e uma barra (/) antes da tag de fechamento de um elemento vazio. Por exemplo: <br /> <img border= 0" src= novatec.gif /> Outra exigência das regras da XML é a correta identação dos elementos, ou seja, a última tag aberta deve ser a primeira a ser fechada. Por exemplo, não seria correto escrever: <b><p>isto é um teste</b></p> A forma correta seria: <p><b>isto é um teste</b></p> Perceba também que em um documento XHTML, ao contrário de um documento HTML, os elementos não-vazios, ou seja, aqueles que possuem uma tag de abertura e uma de fechamento, não podem ter nenhuma delas omitidas. Como exemplo, considere o seguinte documento HTML, que está malformado. <html> <head> <title>guia de XHTML</title> <body> <h1>isto é um teste </body> Observe que os elementos html, head e h1 não apresentam suas tags de fechamento, </html>, </head> e </h1>. Se esse documento fosse escrito em linguagem XHTML, essas tags deveriam ser acrescentadas, resultando no seguinte documento: <?xml version= 1.0"?> <!DOCTYPE html PUBLIC -//W3C//DTD XHTML 1.0 Strict//EN > <html xmlns= > <html> <head> <title>guia de XHTML</title> </head> <body> <h1>isto é um teste</h1> </body> </html> Neste guia você verá com mais detalhes essas e outras diferenças entre a HTML e a XHTML, assim como os componentes de um documento XHTML, a lista de elementos e diversos outros recursos que essa linguagem nos possibilita utilizar. 6

7 Diferenças entre HTML e XHTML Os problemas da HTML Conceitos básicos As limitações da HTML levaram o W3C a partir para uma próxima etapa no desenvolvimento de linguagens de marcação, criando a XHTML. Essa nova linguagem consiste em uma reformulação da HTML 4.01 baseada na XML 1.0, que hoje é bastante utilizada por permitir a criação de marcação padronizada, além de fazer a separação entre marcação e exibição. Com isso são resolvidos os problemas existentes na HTML, como os listados a seguir: Código desnecessário: geralmente quem desenvolve um documento HTML, em vez de utilizar folhas de estilo para orientar a exibição, faz isso por meio de tags de formatação (como, por exemplo, a tag <font>), o que muitas vezes torna o código repetitivo. Isso causa um aumento desnecessário no tamanho do documento e, conseqüentemente, ele demorará mais para ser carregado. Exibição em outras plataformas: como já vimos no início desse guia, é importante usar a marcação apenas para descrever o conteúdo, e não para orientar a exibição. Dessa forma, além de estarmos eliminando código desnecessário, estamos tornando o documento altamente portável, visto que podem ser criadas várias folhas de estilo para orientar a exibição desse documento em diversas plataformas, como, por exemplo, em dispositivos portáteis. Portanto, o objetivo da XHTML é ser uma linguagem multiplataforma. Dificuldade na descrição dos dados: a HTML não se preocupa em descrever os tipos de dados contidos nos documentos, o que torna difícil a recuperação e a troca desses dados. Elementos incluídos por fabricantes de browsers: os desenvolvedores de páginas HTML se deparam com elementos criados pelas próprias empresas que fabricam os programas navegadores, como o Internet Explorer e o Netscape. Visando à conquista de um maior número de usuários, essas empresas acabaram introduzindo seus próprios elementos à HTML, o que dificultou ainda mais a criação de um documento que seja exibido corretamente em diferentes browsers. 7

8 Conceitos básicos Mudanças na sintaxe Agora que você já conhece as limitações da HTML, chegou a hora de conhecer as regras básicas de sintaxe que deverão ser utilizadas na criação dos seus documentos XHTML. Mais adiante veremos regras específicas da XHTML, mas como um documento XHTML também é um documento XML, ele deve aderir às seguintes regras da XML: Todo documento deve possuir um elemento-raiz, no qual estarão contidos todos os outros elementos. Na XHTML, o elemento html é o elemento-raiz, pois entre as tags <html> e </html> estão incluídos os demais elementos do documento. Os nomes dos elementos e atributos devem ser escritos com letras minúsculas. Por exemplo, deve-se usar <body>, e não <BODY>, que era permitido na HTML. A ordem de fechamento das tags tem de ser a inversa da ordem de abertura, ou seja, a última tag que foi aberta deve ser a primeira a ser fechada. Veja um exemplo: Errado: <p><b>texto em negrito</p></b> Correto: <p><b>texto em negrito</b></p> Todas os elementos que não são vazios devem apresentar uma tag inicial e uma tag final. Exemplo: Errado: <p>isto é um parágrafo Correto: <p>isto é um parágrafo</p> Todos os elementos vazios devem possuir uma barra antes do caractere de fechamento da tag (>). Por questões de compatibilidade, também é recomendável a inserção de um espaço em branco entre a barra e o nome do elemento. Exemplos: <img src= figura.gif /> <br /> Os valores dos atributos devem estar entre aspas ou apóstrofos. Exemplo: Errado: <img src=figura.gif /> Correto: <img src= figura.gif /> Ao contrário da HTML, na XHTML os pares atributo/valor não podem ser minimizados, ou seja, não se pode isolar um atributo quando ele possui um único valor. Exemplo: Errado: <input type= checkbox name= caixa checked /> Correto: <input type= checkbox name= caixa checked= checked /> 8

9 Conceitos básicos Como a XHTML está baseada nas regras da XML, os documentos XHTML deverão respeitar todas as regras que foram citadas neste tópico. Além disso, a própria XHTML apresenta algumas regras específicas, que são listadas a seguir: Uma declaração opcional (mas recomendada) em um documento XHTML é a declaração XML, para indicar ao processador que ele está tratando um documento XML. Essa declaração contém informações sobre a versão da XML e opcionalmente sobre o tipo de codificação utilizada. Para inserir a declaração XML, bastar digitar na primeira linha de seu documento: <?xml version= 1.0"?> Em um documento XML, quando for necessária a utilização de uma DTD, a declaração DOCTYPE deve aparecer no início do documento, referenciando a DTD a ser utilizada. No caso da XHTML, já vimos no tópico sobre DTDs como fazer essa referência. Exemplo: <!DOCTYPE html PUBLIC -//W3C//DTD XHTML 1.0 Strict//EN > Na XHTML, o elemento-raiz, ou seja, aquele que contém todos os outros elementos, é o html. Além disso, esse elemento possui um atributo de uso obrigatório, o xmlns, que tem por função referenciar um namespace XML. Para saber mais sobre namespaces leia o tópico Componentes de um documento XHTML. O namespace para a XHTML deve ser referenciado da seguinte forma: <html xmlns= > É obrigatório o uso dos elementos head, title e body em um documento XHTML. No caso de um documento que utiliza frames, o elemento body deve ser substituído pelo elemento frameset. 9

10 Conceitos básicos Relação entre HTML, XML e XHTML 10 HTML é a famosa linguagem de marcação utilizada na criação de páginas Web. Essa linguagem é baseada em tags, normalmente utilizadas para indicar a um browser como apresentar graficamente as diversas partes de um documento. XML é uma linguagem mais flexível, pois ela permite que você crie os seus próprios conjuntos de elementos de marcação. A XML busca executar o que seria a verdadeira função de uma linguagem de marcação: descrever o conteúdo de um documento, e não como ele deve ser exibido. Com as marcações personalizadas da XML, torna-se possível a estruturação dos dados, que posteriormente poderão ser recuperados facilmente e utilizados de diversas maneiras. XHTML é uma aplicação ou um vocabulário XML. Logo, todos os documentos XHTML também são documentos XML. O conjunto de elementos da XHTML é constituído dos mesmos 90 elementos da HTML Essa é a relação básica entre as três linguagens: a XHTML utiliza o conjunto de elementos da HTML em combinação com o conjunto de regras da XML, o que torna a XHTML um vocabulário da XML. Antecedentes da XHTML Antes do surgimento da XHTML foram criadas quatro versões da linguagem HTML: 2.0, 3.2, 4.0 e 4.01, tendo sido a primeira versão, criada em Com o passar do tempo, ocorreu que os fabricantes dos browsers, Microsoft e Netscape, começaram a criar elementos específicos que somente seus próprios browsers eram capazes de identificar. Isso dificultava a criação de páginas Web que fossem compatíveis entre diferentes browsers. Em janeiro de 2000, veio a recomendação da XHTML 1.0, que, segundo o W3C, foi a primeira grande mudança na linguagem HTML desde 1997, quando foi lançada a HTML 4.0. O que acontecerá com a HTML? Se a XHTML é o futuro da Web, isso quer dizer que a HTML vai desaparecer? A XHTML vai substituir a HTML? Minhas páginas Web ficarão obsoletas? Não se preocupe... a HTML não vai desaparecer da noite para o dia, até porque existem bilhões de páginas criadas com essa linguagem. Portanto, não há motivo para esse tipo de preocupação, pois a HTML não vai deixar de existir. No entanto, ao longo do tempo você perceberá os benefícios que a XHTML (e a XML) nos proporciona no que diz respeito a criação e gerenciamento de informações. Além disso, o W3C (World Wide Web Consortium) não criará novas versões da HTML como linguagem de marcação independente.

11 Todos os desenvolvimentos futuros serão baseados na XHTML. Portanto, a tendência é que, com o passar do tempo, as pessoas e organizações passem a usar a XHTML em vez da popular, mas limitada, HTML. Por que mudar para a XHTML? Conceitos básicos O maior benefício da mudança de HTML para a XHTML é que estaremos adquirindo todo o poder da XML. Esse guia não se destina a dar explicações detalhadas sobre XML, mas se você ainda não está familiarizado com a XML, vale a pena consultar alguns livros ou sites sobre o assunto, para descobrir todos os benefícios que os recursos da XML podem lhe trazer. Duas boas fontes de consulta são o site e o guia de XML da Novatec Editora. Então, você já pôde perceber que as principais vantagens de mudar para a XHTML estão relacionadas diretamente com a XML: Documentos XHTML também são documentos XML, o que permite sua edição e processamento em ferramentas XML. Em um documento XHTML podem ser utilizadas diversas tecnologias que foram desenvolvidas para trabalhar em conjunto com a XML, como, por exemplo, o vínculo avançado (XLink), folhas de estilo que convertem documento XML e consultas a documentos XML. Documentos XHTML suportam aplicações (como scripts ou applets) que funcionam com o HTML Document Model e com o XML Document Model. Existe um processo-padrão para a criação de documentos XHTML. Isso elimina aquele problema da criação de novos elementos para um browser específico, fazendo com que um documento funcione igualmente em diversas plataformas e browsers. A criação de padrões permitirá a exibição de páginas Web em plataformas, como telefones celulares, carros, PDAs, televisores, desktops etc. Se você estiver pensando que não tem qualquer interesse em criar páginas para serem vistas em outras plataformas, é bom ir mudando de idéia. Especialistas prevêem que em um futuro bem próximo mais da metade dos usuários de desktop visualizará páginas da Web em outras plataformas. 11

12 Componentes de um documento XHTML Componentes de um documento XHTML Marcação: conteúdo ou exibição? 12 Acostume-se a usar a marcação apenas para descrever o conteúdo e a estrutura de seu documento. É importante que seja feita a separação entre marcação e exibição. O objetivo da marcação sempre foi descrever os dados existentes nos documentos, e não especificar como esses dados devem ser exibidos. Visando à criação de documentos mais portáveis entre diversas plataformas, é fundamental usar a marcação para descrever apenas estrutura e conteúdo, e não para formatação. Para descrever a formatação existem as chamadas folhas de estilo, que veremos mais adiante nesse guia. Lembre-se de que os documentos XML e XHTML são escritos em forma de texto puro (ASCII). O texto é a linguagem universal, entendida por todos os computadores. Se você aplicar tags de marcação para orientar a exibição, estará restringindo a correta exibição de uma página a determinado mecanismo. Se você usar tags de marcação para descrever apenas o conteúdo do documento, poderá criar diversas folhas de estilo para orientar a exibição desse documento em diversos dispositivos. Dessa forma o documento se torna altamente portável, podendo ser visualizado em um browser com resolução de 800x600 pixels, na tela de um telefone celular, de um Palm top etc. Levando em consideração todos esses aspectos, o correto seria que a XHTML não incluísse elementos para formatação dos dados, e deixasse essa tarefa para as folhas de estilo. No entanto, como a primeira versão (XHTML 1.0) representa uma transição da HTML para o conjunto de vocabulários da XML, ela ainda inclui os mesmos elementos de formatação da HTML 4.01, e para facilitar a transição ela apresenta três classificações: XHTML-1.0-Transitional XHTML-1.0-Strict XHTML-1.0-Frameset A classificação XHTML-1.0-Transitional ainda inclui os elementos de formatação da HTML, o que não ocorre na classificação XHTML-1.0-Strict. Para saber mais sobre cada uma das classificações leia o tópico seguinte, sobre DTDs. A partir da XHTML 1.1, os elementos de formatação tornam-se ultrapassados, e as folhas de estilo passam a ser responsáveis pelo controle da exibição. Ou seja, a especificação XHTML 1.1, que será abordada mais adiante nesse guia, está baseada na classificação XHTML-1.0-Strict. A XHTML 2.0 e as futuras versões também deverão estar baseadas nessa idéia.

13 Declaração XML Um documento XHTML também é um documento XML. Portanto, devemos fazer essa identificação para que o processador não se perca ao encontrar o documento XHTML. Para isso digite a seguinte linha antes de qualquer outra coisa: <?xml version= 1.0"?> Algumas considerações sobre a declaração XML: É uma declaração opcional. No entanto, se não for encontrada, o documento estará malformado. Isso quer dizer que o documento não estará de acordo com as regras sintáticas da XML, podendo causar erro na hora do processamento. Se for utilizada, a declaração XML deve estar na primeira linha do documento. O número da versão XML deve estar delimitado por aspas ou apóstrofos. Pode-se utilizar a declaração para especificar também a codificação de caracteres utilizada no documento. Exemplo: <?xml version= 1.0" encoding= ISO "?> DTDs Componentes de um documento XHTML Uma DTD ou Document Type Definition (Definição de Tipo de Documento) é um documento que define os elementos, atributos e entidades que fazem parte de um vocabulário XML. É importante destacar que, na verdade, você não usa a XML para escrever seus documentos, e sim para criar suas linguagens de marcação personalizadas (aplicações ou vocabulários XML), com as quais você vai escrever seus documentos. Em uma DTD é definida uma linguagem de marcação, identificando-se quais os elementos que compõem o vocabulário, como os elementos podem ser usados em conjunto, quais atributos podem ser usados com cada elemento, quais as entidades existentes e suas representações etc. Esse conjunto de regras definidas na DTD é chamado de esquema. Comparando um documento a um esquema, pode-se verificar a validade desse documento para o vocabulário XML definido no esquema. Um documento XML não exige o uso de uma DTD, mas é importante utilizá-la para manter a consistência no documento. Para definir qual DTD será usada, deve-se utilizar, no início do documento XHTML, a declaração DOCTYPE. 13

14 Componentes de um documento XHTML Classificações da XHTML 1.0 A seguir são apresentadas as três classificações da XHTML 1.0, e as DTDs que definem cada uma delas: XHTML Transitional Inclui os mesmos elementos da HTML 4.01, e pode ser usada por quem quiser aderir lentamente à XHTML. A XHTML Transitional permite usar a XML e suas tecnologias, como as folhas de estilo e o vínculo avançado (Xlink), além de manter os documentos compatíveis com browsers mais antigos. URL da especificação: Definição da DTD no documento: <!DOCTYPE html PUBLIC -//W3C//DTD XHTML 1.0 Transitional//EN > XHTML Strict Não inclui os elementos e atributos de formatação que existiam na HTML A especificação seguinte, a XHTML 1.1, está baseada na XHTML Strict. Portanto, o ideal seria usar a XHTML Strict para descrever o conteúdo dos documentos, e as folhas de estilos para controlar como esse conteúdo será exibido. A XHTML 2.0 e as futuras versões também estarão baseadas nessa idéia. URL da especificação: Definição da DTD no documento: <!DOCTYPE html PUBLIC -//W3C//DTD XHTML 1.0 Strict//EN > XHTML Frameset Deve ser usada caso você queira dividir um documento em frames. Também inclui os elementos da HTML URL da especificação: Definição da DTD no documento: <!DOCTYPE html PUBLIC -//W3C//DTD XHTML 1.0 Frameset//EN > 14

15 Elementos Componentes de um documento XHTML Assim como a linguagem HTML, a XHTML (e a XML) utiliza os mesmos blocos de construção: elementos, atributos e valores. O conjunto dos elementos permitidos está especificado no vocabulário XML, definido na DTD. É importante destacar que as três DTDs da XHTML definem os elementos (e também os atributos) com letras minúsculas. Portanto, para criar documentos XHTML bem-formados, utilize sempre letras minúsculas para escrever elementos e atributos. Os elementos podem conter textos e inclusive outros elementos, e são utilizados para descrever o conteúdo de um documento XHTML. Dois tipos de elementos podem ser encontrados em um documento XHTML: Elementos que descrevem dados: são formados por um par de tags (uma tag de início e uma tag de fim). Exemplos: <b>este é um texto em negrito</b> <p>este é um parágrafo</p> <a href= >Clique aqui</a> Elementos vazios: são formados por apenas uma tag. Não descrevem dados, mas incluem alguma informação no documento. Em XHTML, para representar um elemento vazio deve-se colocar uma barra (/) antes do sinal de fechamento (>) da tag. Exemplos: <br /> <hr /> <img src= figura.gif /> Mais adiante nesse guia, no tópico Lista de Elementos, você encontrará a listagem completa dos elementos da XHTML, assim como seus atributos. 15

Desenvolvimento Web Introdução a XHTML. Prof. Bruno Gomes

Desenvolvimento Web Introdução a XHTML. Prof. Bruno Gomes Desenvolvimento Web Introdução a XHTML Prof. Bruno Gomes 2014 Introdução HTML e XHTML Estrutura básica do documento DTDs Validação do documento Exercícios HTML e XHTML HTML (Hipertext Markup Language)

Leia mais

XHTML 1.0 DTDs e Validação

XHTML 1.0 DTDs e Validação XHTML 1.0 DTDs e Validação PRnet/2012 Ferramentas para Web Design 1 HTML 4.0 X XHTML 1.0 Quais são os três principais componentes ou instrumentos mais utilizados na internet? PRnet/2012 Ferramentas para

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Declaração DOCTYPE e Tag Raiz html

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Declaração DOCTYPE e Tag Raiz html IntroduçãoàTecnologiaWeb HTML HyperTextMarkupLanguage XHTML extensiblehypertextmarkuplanguage DeclaraçãoDOCTYPEeTagRaizhtml ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger

Leia mais

Técnicas e processos de produção. Profº Ritielle Souza

Técnicas e processos de produção. Profº Ritielle Souza Técnicas e processos de produção Profº Ritielle Souza INTRODUÇÃO HTML Sigla em inglês para Hyper Text Markup Language, traduzindo daria algo como Linguagem para marcação de Hipertexto. E o que seria o

Leia mais

Apostila de XHTML Curso de Internet Professor Rinaldo Demétrio

Apostila de XHTML Curso de Internet Professor Rinaldo Demétrio Conteúdo XHTML - Por quê?... 2 Porque XHTML?... 2 Diferenças Entre XHTML e HTML... 3 Como Preparar-se para a XHTML... 3 As Diferenças Mais Importantes:... 3 Os Elementos Devem Estar Devidamente Aninhados...

Leia mais

Desenvolvimento em Ambiente Web. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Desenvolvimento em Ambiente Web. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Desenvolvimento em Ambiente Web Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com No início A Web é criada em 1989, para ser um padrão de publicação e distribuição de textos científicos e acadêmicos.

Leia mais

Web Design Aula 11: XHTML

Web Design Aula 11: XHTML Web Design Aula 11: XHTML Professora: Priscilla Suene priscilla.silverio@ifrn.edu.br Motivação HTML 1.0-2.0: Havia hipertextos, não havia preocupação com a apresentação HTML 3: Guerra dos Browser (Microsoft

Leia mais

> Herbet Ferreira Rodrigues > contato@herbetferreira.com

> Herbet Ferreira Rodrigues > contato@herbetferreira.com Curso HTML & CSS > Herbet Ferreira Rodrigues > contato@herbetferreira.com Sumário > Apresentação > Introdução ao HTML História Começando a Programar > Tags em HTML Headings (Cabeçalhos) Parágrafos Formatação

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Felippe Scheidt IFPR Campus Foz do Iguaçu 2014/2

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Felippe Scheidt IFPR Campus Foz do Iguaçu 2014/2 Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Prof. Felippe Scheidt IFPR Campus Foz do Iguaçu 2014/2 Objetivo. O objetivo da disciplina é conhecer os princípios da programação de

Leia mais

GERÊNCIA DE DADOS SEMIESTRUTURADOS -XML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

GERÊNCIA DE DADOS SEMIESTRUTURADOS -XML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza GERÊNCIA DE DADOS SEMIESTRUTURADOS -XML Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza O QUE É XML? Tecnologia desenvolvida pelo W3C http://www.w3c.org W3C: World Wide Web Consortium consórcio

Leia mais

WEBDESIGN. Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira

WEBDESIGN. Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira WEBDESIGN Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira 1 CDI - Curso de Webdesign - Prof. Paulo Trentin Objetivos para esta aula Debater sobre

Leia mais

Guia de Consulta Rápida. PHP com XML. Juliano Niederauer. Terceira Edição. Novatec

Guia de Consulta Rápida. PHP com XML. Juliano Niederauer. Terceira Edição. Novatec Guia de Consulta Rápida PHP com XML Juliano Niederauer Terceira Edição Novatec Copyright 2002 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida

Leia mais

Roteiro 2: Conceitos de Tags HTML

Roteiro 2: Conceitos de Tags HTML Roteiro 2: Conceitos de Tags HTML Objetivos Detalhar conceitos sobre TAGS HTML: elementos, atributos, elemento vazio, links. Implementar páginas de internet com uso da linguagem HTML; Ferramentas Necessárias

Leia mais

Algoritmia e Programação APROG HTML. Introdução. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2014/15) 1/15

Algoritmia e Programação APROG HTML. Introdução. Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2014/15) 1/15 APROG Algoritmia e Programação HTML Introdução Nelson Freire (ISEP DEI-APROG 2014/15) 1/15 O que é o HTML? Sumário Geral Documento HTML Elemento HTML Estrutura Básica de Documento HTML Elementos Títulos

Leia mais

XTHML. 2. A finalidade do XHTML é substituir o HTML; 3. Vantagens de se usar XHTML (Compatibilidade com futuras aplicações);

XTHML. 2. A finalidade do XHTML é substituir o HTML; 3. Vantagens de se usar XHTML (Compatibilidade com futuras aplicações); 1. XHTML TEM SUA ORIGEM NO XML; 2. A finalidade do XHTML é substituir o HTML; 3. Vantagens de se usar XHTML (Compatibilidade com futuras aplicações); 4. XHTML é uma "Web Standard ; Neste link (http://www.maujor.com/w3c/xhtml10_2ed.html)

Leia mais

XML. 1. XML: Conceitos Básicos. 2. Aplicação XML: XHTML 3. Folhas de Estilo em Cascata XML

XML. 1. XML: Conceitos Básicos. 2. Aplicação XML: XHTML 3. Folhas de Estilo em Cascata XML 1 1. : Conceitos Básicos 2. Aplicação : XHTML 3. Folhas de Estilo em Cascata 2 é um acrônimo para EXtensible Markup Language é uma linguagem de marcação muito parecida com HTML foi designada para descrever

Leia mais

MÓDULO 1 - xhtml Básico

MÓDULO 1 - xhtml Básico MÓDULO 1 - xhtml Básico 1. Introdução xhtml significa Extensible Hypertext Markup Language (Linguagem de Marcação Hipertextual Extensível) e é a linguagem de descrição de documentos usada na World Wide

Leia mais

Aplicativos para Internet Aula 01

Aplicativos para Internet Aula 01 Aplicativos para Internet Aula 01 Arquitetura cliente/servidor Introdução ao HTML, CSS e JavaScript Prof. Erika Miranda Universidade de Mogi das Cruzes Uso da Internet http://www.ibope.com.br/pt-br/noticias/paginas/world-wide-web-ou-www-completa-22-anos-nesta-terca-feira.aspx

Leia mais

Desenvolvimento em Ambiente Web. HTML - Introdução

Desenvolvimento em Ambiente Web. HTML - Introdução Desenvolvimento em Ambiente Web HTML - Introdução O que é HTML? HTML é uma linguagem para descrever a estrutura de uma página WEB. Ela permite: Publicar documentos online com cabeçalhos, texto, tabelas,

Leia mais

Web Design. Prof. Felippe

Web Design. Prof. Felippe Web Design Prof. Felippe 2015 Sobre a disciplina Fornecer ao aluno subsídios para o projeto e desenvolvimento de interfaces de sistemas Web eficientes, amigáveis e intuitivas. Conceitos fundamentais sobre

Leia mais

Afinal o que é HTML?

Afinal o que é HTML? Aluno : Jakson Nunes Tavares Gestão e tecnologia da informacão Afinal o que é HTML? HTML é a sigla de HyperText Markup Language, expressão inglesa que significa "Linguagem de Marcação de Hipertexto". Consiste

Leia mais

Webdesign A tag HEAD e as Meta tags

Webdesign A tag HEAD e as Meta tags Webdesign A tag HEAD e as Meta tags Conteúdos Os materiais de aula, apostilas e outras informações estarão disponíveis em: www.thiagomiranda.net HEAD Como vimos anteriormente, o nosso documento HTML é

Leia mais

Este relatório tem por objetivo, abordar a sintaxe XML.

Este relatório tem por objetivo, abordar a sintaxe XML. Relatório do GPES Este relatório tem por objetivo, abordar a sintaxe XML. XML Estrutura do documento Um documento XML é uma árvore rotulada onde um nó externo consiste de: [1] Dados de caracteres (uma

Leia mais

Sumário. HTML CSS JQuery Referências IHC AULA 6 5-09-2011 1

Sumário. HTML CSS JQuery Referências IHC AULA 6 5-09-2011 1 Sumário HTML CSS JQuery Referências IHC AULA 6 5-09-2011 1 Linguagem HTML HTML é a abreviação de HyperText Markup Language, que pode ser traduzido como Linguagem de Marcação de Hipertexto. Não é uma linguagem

Leia mais

Desenvolvedor Web Docente André Luiz Silva de Moraes

Desenvolvedor Web Docente André Luiz Silva de Moraes Roteiro 2: Introdução a Linguagem HTML Neste roteiro é explorada a linguagem HTML. A linguagem HTML (Hypertext Markup Language) é amplamente utilizada na construção de páginas de internet e é responsável

Leia mais

Introdução ao HTML 5 e Implementação de Documentos

Introdução ao HTML 5 e Implementação de Documentos Linguagem de Programação para Web Introdução ao HTML 5 e Implementação de Documentos Prof. Mauro Lopes 1-31 20 Objetivo Iremos aqui apresentar a estrutura básica de um documento HTML e iremos também apresentar

Leia mais

Hospedagem de site. Prof. Marciano dos Santos Dionizio

Hospedagem de site. Prof. Marciano dos Santos Dionizio Hospedagem de site Prof. Marciano dos Santos Dionizio Hospedagem de site O mundo está preparado para ver suas páginas? O mundo está preparado sim - você, em breve, estará também. Para publicar seu trabalho

Leia mais

Desenvolvimento de Sites com PHP e Mysql Docente André Luiz Silva de Moraes

Desenvolvimento de Sites com PHP e Mysql Docente André Luiz Silva de Moraes Roteiro 2: Introdução a Linguagem HTML Desenvolvimento de Sites com PHP e Mysql Neste roteiro é explorada a linguagem HTML. A linguagem HTML (Hypertext Markup Language) é amplamente utilizada na construção

Leia mais

Web Design Aula 02: HTML

Web Design Aula 02: HTML Web Design Aula 02: HTML Professora: Priscilla Suene priscilla.silverio@ifrn.edu.br Motivação Roteiro Introdução Conceitos HTML Primeira Página Identação Incluindo o título Salvando a página Vizualizando

Leia mais

Introdução. http://www.youtube.com/watch?v=6gmp4nk0eoe

Introdução. http://www.youtube.com/watch?v=6gmp4nk0eoe Introdução http://www.youtube.com/watch?v=6gmp4nk0eoe Treinamento básico em software I Código HTML - Concebido por Tim Berners-Lee Berners-Lee atualmente mantém um blog que discute questões atuais sobre

Leia mais

Mais sobre uso de formulários Site sem Ajax

Mais sobre uso de formulários Site sem Ajax Mais sobre uso de formulários Site sem Ajax Página com busca padrão 1 Página com o resultado da busca carregada no local da anterior (o formulário está vazio) Site com Ajax 2 Site usando Ajax para preencher

Leia mais

Webdesign HTML. Introdução a HTML e as principais tags da linguagem. Thiago Miranda dos Santos Souza

Webdesign HTML. Introdução a HTML e as principais tags da linguagem. Thiago Miranda dos Santos Souza Webdesign HTML Introdução a HTML e as principais tags da linguagem Conteúdos Os materiais de aula, apostilas e outras informações estarão disponíveis em: www.thiagomiranda.net Objetivos Apresentar a HTML

Leia mais

Desenvolvimento Web. Saymon Yury C. Silva Analista de Sistemas. http://www.saymonyury.com.br

Desenvolvimento Web. Saymon Yury C. Silva Analista de Sistemas. http://www.saymonyury.com.br Desenvolvimento Web Saymon Yury C. Silva Analista de Sistemas http://www.saymonyury.com.br Vantagens Informação em qualquer hora e lugar; Rápidos resultados; Portabilidade absoluta; Manutenção facilitada

Leia mais

WebDesign. Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br. Escola CDI de Videira

WebDesign. Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br. Escola CDI de Videira WebDesign Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira Entendendo Alguns Conceitos Antes de prosseguirmos é importante ter em mente o motivo pelo

Leia mais

GERÊNCIA DE DADOS SEMIESTRUTURADOS -XML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

GERÊNCIA DE DADOS SEMIESTRUTURADOS -XML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza GERÊNCIA DE DADOS SEMIESTRUTURADOS -XML Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza O QUE É XML? Tecnologia desenvolvida pelo W3C http://www.w3c.org W3C: World Wide Web Consortium consórcio

Leia mais

Programação web Prof. Wladimir

Programação web Prof. Wladimir Programação web Prof. Wladimir HTML @wre2008 1 Sumário Histórico; Resumo XHTML; Tags; Edição de documentos HTML; Publicação de um documento; Estrutura básica de um documento HTML; Edição de documentos

Leia mais

#Aula Nº 1 Introdução webstandards.samus.com.br Vinicius Fiorio Custódio samus@samus.com.br

#Aula Nº 1 Introdução webstandards.samus.com.br Vinicius Fiorio Custódio samus@samus.com.br #Aula Nº 1 Introdução webstandards.samus.com.br Vinicius Fiorio Custódio samus@samus.com.br #O que é Web Standards? São padrões de desenvolvimento web recomendados pela W3C que visam a implementação de

Leia mais

WWW - World Wide Web

WWW - World Wide Web WWW World Wide Web WWW Cap. 9.1 WWW - World Wide Web Idéia básica do WWW: Estratégia de acesso a uma teia (WEB) de documentos referenciados (linked) em computadores na Internet (ou Rede TCP/IP privada)

Leia mais

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO HTML COMPONENTES: ROBSON EDMILSON

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO HTML COMPONENTES: ROBSON EDMILSON COMPONENTES: ROBSON EDMILSON O HTML (Hiper Text Mark-up Language) é uma linguagem de programação hipertexto. O HTML tem códigos para criar páginas na web. Estes códigos que definem o tipo de letra, qual

Leia mais

Fone: (19) 3234-4864 E-mail: editora@komedi.com.br Site: www.komedi.com.br HTM3.0. Tutorial HTML. versão 4.01

Fone: (19) 3234-4864 E-mail: editora@komedi.com.br Site: www.komedi.com.br HTM3.0. Tutorial HTML. versão 4.01 Fone: (19) 3234-4864 E-mail: editora@komedi.com.br Site: www.komedi.com.br HTM3.0 Tutorial HTML versão 4.01 K O M Σ D I Copyright by Editora Komedi, 2007 Dados para Catalogação Rimoli, Monica Alvarez Chaves,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO WEB II - 7136

DESENVOLVIMENTO WEB II - 7136 REVISÃO Regras HTML e Dicas: Fechar sempre os TAGS fechados e compostos; NUNCA esquecer um sinal de < ou de >, no início ou no fim do TAG; Não usar espaços no TAG (no interior dos sinais < e > ). EX:

Leia mais

HTML Página 1. Índice

HTML Página 1. Índice PARTE - 1 HTML Página 1 Índice HTML A HISTÓRIA... 2 O COMEÇO E A INTEROPERABILIADE... 3 Primeira Página... 4 Entendendo seu código... 5 Abrindo o código fonte da sua página... 6 Comentários na página...

Leia mais

DWEB. Design para Web. CSS3 - Fundamentos. Curso Superior de Tecnologia em Design Gráfico

DWEB. Design para Web. CSS3 - Fundamentos. Curso Superior de Tecnologia em Design Gráfico DWEB Design para Web Curso Superior de Tecnologia em Design Gráfico CSS3 - Fundamentos E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual

Leia mais

<!DOCTYPE html PUBLIC...> <html> <head> </head> <body> </body> </html> Estrutura de um documento criado com o Dreamweaver. (versão xhtml strict)

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET HTML

PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET HTML PROGRAMAÇÃO PARA INTERNET HTML Prof. Rafael Gross INTRODUÇÃO Quando acessamos uma página web, estamos interessados na informação contida nessa página. Essa informação pode estar na forma de texto, imagem

Leia mais

Análise da Nova Linguagem HTML5 para o Desenvolvimento Web

Análise da Nova Linguagem HTML5 para o Desenvolvimento Web Análise da Nova Linguagem HTML5 para o Desenvolvimento Web Sergio N. Ikeno¹, Késsia Rita da Costa Marchi¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil sergioikn@gmail.com, kessia@unipar.br Resumo.

Leia mais

XML Básico. Murillo Vasconcelos Henriques B. Castro. 17 de maio de 2011

XML Básico. Murillo Vasconcelos Henriques B. Castro. 17 de maio de 2011 XML Básico Murillo Vasconcelos Henriques B. Castro 17 de maio de 2011 O QUE É? Sigla para extensible Markable Language É uma linguagem de marcação, assim como HTML Desenvolvida para ser auto explicativa

Leia mais

Bem-vindo ao XML. Apostila de XML

Bem-vindo ao XML. Apostila de XML Bem-vindo ao XML Bem-vindo a Extensible Markup Language, XML, a linguagem para tratamento de dados em uma forma compacta, fácil de gerenciar sem mencionar o mais poderoso avanço visto na Internet nos últimos

Leia mais

XML XML. XML extensible Markup Language HTML. Motivação. W3C: World Wide Web Consortium XML 1.0. Mário Meireles Teixeira DEINF-UFMA

XML XML. XML extensible Markup Language HTML. Motivação. W3C: World Wide Web Consortium XML 1.0. Mário Meireles Teixeira DEINF-UFMA Mário Meireles Teixeira DEINF-UFMA Motivação extensible Markup Language W3C: World Wide Web Consortium http://www.w3.org 1.0 W3C Recommendation, 10/Fev/1998 (inicial) W3C Recommendation, 04/Fev/2004, 3

Leia mais

Aula 1 Desenvolvimento Web. Curso: Técnico em Informática / 2º módulo Disciplina: Desenvolvimento Web Professora: Luciana Balieiro Cosme

Aula 1 Desenvolvimento Web. Curso: Técnico em Informática / 2º módulo Disciplina: Desenvolvimento Web Professora: Luciana Balieiro Cosme Aula 1 Desenvolvimento Web Curso: Técnico em Informática / 2º módulo Disciplina: Desenvolvimento Web Professora: Luciana Balieiro Cosme Plano de Aula Ementa Avaliação Ementa Noções sobre Internet. HTML

Leia mais

Maurício Samy Silva. Novatec

Maurício Samy Silva. Novatec Maurício Samy Silva Novatec Sumário Agradecimentos...13 Sobre o autor...13 Introdução...15 Para quem foi escrito este livro... 15 Convenções tipográficas... 16 Site do livro... 18 Capítulo 1 O que é (X)HTML?...20

Leia mais

OPERAÇÃO DE SOFTWARE E APLICATIVOS

OPERAÇÃO DE SOFTWARE E APLICATIVOS OPERAÇÃO DE SOFTWARE E APLICATIVOS 1 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO A WEB... 4 1.1 O QUE É A WORLD WIDE WEB?... 4 1.2 COMO FUNCIONA A WWW?... 4 1.3 SERVIDORES WEB... 4 1.4 BROWSERS... 4 1.5 PADRÕES DA WEB... 5 1.6

Leia mais

Programação para a Web - I. José Humberto da Silva Soares

Programação para a Web - I. José Humberto da Silva Soares Programação para a Web - I José Humberto da Silva Soares Fundamentos de Internet Rede Mundial de Computadores; Fornece serviços, arquivos e informações; Os computadores que têm os recursos são chamados

Leia mais

FTIN - Módulo de WebDesign. Prof. Iran Pontes

FTIN - Módulo de WebDesign. Prof. Iran Pontes FTIN - Módulo de WebDesign Prof. Iran Pontes FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA IMPLEMENTAÇÃO HTML/CSS Hipertexto É um sistema para a visualização de informação cujos documentos contêm referências internas

Leia mais

Guia de Início Rápido

Guia de Início Rápido Guia de Início Rápido O Microsoft Word 2013 parece diferente das versões anteriores, por isso criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Barra de Ferramentas de Acesso Rápido

Leia mais

Guia de Consulta Rápida ASP. Rubens Prates. Novatec Editora. www.novateceditora.com.br

Guia de Consulta Rápida ASP. Rubens Prates. Novatec Editora. www.novateceditora.com.br Guia de Consulta Rápida ASP Rubens Prates Novatec Editora www.novateceditora.com.br Guia de Consulta Rápida ASP de Rubens Prates Copyright@2000 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados. É

Leia mais

INTRODUCAO DESENVOLVIMENTO E DESIGN DE WEBSITES INTRODUÇÃO. Professor Carlos Muniz

INTRODUCAO DESENVOLVIMENTO E DESIGN DE WEBSITES INTRODUÇÃO. Professor Carlos Muniz INTRODUCAO DESENVOLVIMENTO E DESIGN DE INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO A linguagem HTML (Hipertext Markup Language Linguagem de Marcação de Hipertexto) é usada para divulgar páginas na World Wide Web, o serviço

Leia mais

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA ETEC PROF. MÁRIO ANTÔNIO VERZA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PARA INTERNET WEBSITE MUNDO MULHER GABRIELA DE SOUZA DA SILVA LUANA MAIARA DE PAULA SILVA

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web. Ferramentas e Tecnologias de Desenvolvimento Web. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com.

Introdução à Tecnologia Web. Ferramentas e Tecnologias de Desenvolvimento Web. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com. IntroduçãoàTecnologiaWeb FerramentaseTecnologiasde DesenvolvimentoWeb ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br FerramentaseTecnologiasde DesenvolvimentoWeb

Leia mais

Tutorial Módulo 1: Introdução e primeiros passos Por Daniel Chicayban (dan@trendnet.com.br)

Tutorial Módulo 1: Introdução e primeiros passos Por Daniel Chicayban (dan@trendnet.com.br) Tutorial Módulo 1: Introdução e primeiros passos Por Daniel Chicayban (dan@trendnet.com.br) Introdução A HyperText Markup Language e a Web No núcleo de toda página da Web, encontramos a HyperText Markup

Leia mais

HTML. Sessão 1 HTML. Cliente: browser (IE, por exemplo) Servidor: IIS (Internet Information Server), Apache, WebSphere,...

HTML. Sessão 1 HTML. Cliente: browser (IE, por exemplo) Servidor: IIS (Internet Information Server), Apache, WebSphere,... Sessão 1 A INTERNET Baseada no modelo Cliente-Servidor Cliente: programa que pede informação Servidor: programa que envia a informação No caso da WWW: Cliente: browser (IE, por exemplo) Servidor: IIS (Internet

Leia mais

QUEM FEZ O TRABALHO?

QUEM FEZ O TRABALHO? Introdução a Linguagem HTML: Conceitos Básicos e Estrutura ANA PAULAALVES DE LIMA 1 QUEM FEZ O TRABALHO? Com as tagsaprendidas hoje, faça uma página HTML sobre você com as seguintes informações: Seu nome

Leia mais

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO Internet Internet é o conjunto de diversas redes de computadores que se comunicam entre si Internet não é sinônimo de WWW (World Wide

Leia mais

História e Evolução da Web. Aécio Costa

História e Evolução da Web. Aécio Costa Aécio Costa A História da Web O que estamos estudando? Período em anos que a tecnologia demorou para atingir 50 milhões de usuários 3 As dez tecnologias mais promissoras 4 A evolução da Web Web 1.0- Passado

Leia mais

GERÊNCIA DE DADOS SEMI ESTRUTURADOS -XML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

GERÊNCIA DE DADOS SEMI ESTRUTURADOS -XML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. GERÊNCIA DE DADOS SEMI ESTRUTURADOS -XML Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. O QUE É XML? Tecnologia desenvolvida pelo W3C http://www.w3c.org W3C: World Wide Web Consortium consórcio formado por acadêmicos

Leia mais

HTML5 E WEB SEMÂNTICA, A WEB COM SIGNIFICADO

HTML5 E WEB SEMÂNTICA, A WEB COM SIGNIFICADO HTML5 E WEB SEMÂNTICA, A WEB COM SIGNIFICADO Djalma Gonçalves Costa Junior¹, Willian Barbosa Magalhães¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí - PR - Brasil djalma.g.costajr@gmail.com wmagalhaes@unipar.br

Leia mais

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5

JavaScript 2.0X 1.0 3.0X 1.1 4.0 4.05 1.2 4.06 4.61 1.3 5.0 1.4 6.0 1.5 JavaScript Diego R. Frank, Leonardo Seibt FIT Faculdades de Informática de Taquara Fundação Educacional Encosta Inferior do Nordeste Av. Oscar Martins Rangel, 4500 Taquara RS Brasil difrank@terra.com.br,

Leia mais

Características do PHP. Começando a programar

Características do PHP. Começando a programar PHP Introdução Olá pessoal. Desculpe o atraso na publicação da aula. Pude perceber pelas respostas (poucas) ao fórum que a realização da atividade do módulo I foi relativamente tranquila. Assistam ao vídeo

Leia mais

Web Design Aula 13: Introdução a CSS

Web Design Aula 13: Introdução a CSS Web Design Aula 13: Introdução a CSS Professora: Priscilla Suene priscilla.silverio@ifrn.edu.br Motivação Você lembra que HTML e XHTML são linguagens de marcação? Para organizar melhor o visual das páginas

Leia mais

Dicas para usar melhor o Word 2007

Dicas para usar melhor o Word 2007 Dicas para usar melhor o Word 2007 Quem está acostumado (ou não) a trabalhar com o Word, não costuma ter todo o tempo do mundo disponível para descobrir as funcionalidades de versões recentemente lançadas.

Leia mais

PRnet/2013. Linguagem de Programação Web

PRnet/2013. Linguagem de Programação Web Linguagem de Programação Web Linguagem de Programação Web Prnet/2013 Linguagem de Programação Web» Programas navegadores» Tipos de URL» Protocolos: HTTP, TCP/IP» Hipertextos (páginas WEB)» HTML, XHTML»

Leia mais

Desenvolvimento em Ambiente Web. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Desenvolvimento em Ambiente Web. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Desenvolvimento em Ambiente Web Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Conceitos de HTML Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Definição de HTML Linguagem de marcadores (tags).

Leia mais

HTML. Conceitos básicos de formatação de páginas WEB

HTML. Conceitos básicos de formatação de páginas WEB HTML Conceitos básicos de formatação de páginas WEB HTML HyperText Markup Language Linguagem utilizada para criar hipertexto na web Ou seja, criar documentos estruturados utilizando para tal um conjunto

Leia mais

Mini-curso de PHP. Aulas ministradas por: André Luis de Paula Arthur Kalsing Diego Silva

Mini-curso de PHP. Aulas ministradas por: André Luis de Paula Arthur Kalsing Diego Silva Mini-curso de PHP Aulas ministradas por: André Luis de Paula Arthur Kalsing Diego Silva Aula 1 Breve introdução de HTML, Conceitos básicos de PHP, Sintaxe, Separador de instruções e Comentários (Cap 1

Leia mais

Guia de Consulta Rápida HTTP. Décio Jr. Novatec Editora. www.novateceditora.com.br

Guia de Consulta Rápida HTTP. Décio Jr. Novatec Editora. www.novateceditora.com.br Guia de Consulta Rápida HTTP Décio Jr. Novatec Editora www.novateceditora.com.br Guia de Consulta Rápida HTTP de Décio Jr. Copyright 2001 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados. É proibida

Leia mais

Coleção - Análises de email marketing em clientes de email

Coleção - Análises de email marketing em clientes de email Coleção - Análises de email marketing em clientes de email Introdução Nesta sexta e penúltima edição da Coletânea de Análises de Email Marketing em Clientes de Email, apresentamos os estudos dos clientes

Leia mais

ftp://ftp.cr-df.rnp.br/pub/netinfo/training/rnp/kit-bsb/html/guia5.zip 1996 Tutorial - Autoria em World Wide Web

ftp://ftp.cr-df.rnp.br/pub/netinfo/training/rnp/kit-bsb/html/guia5.zip 1996 Tutorial - Autoria em World Wide Web RNP REDE NACIONAL DE PESQUISA Centro Regional de Brasília CR/DF ftp://ftp.cr-df.rnp.br/pub/netinfo/training/rnp/kit-bsb/html/guia5.zip janeiro 1996 Tutorial - Autoria em World Wide Web Parte IV - Hypertext

Leia mais

Introdução à SVG. capítulo 1. 1.1 Introdução

Introdução à SVG. capítulo 1. 1.1 Introdução capítulo 1 Introdução à SVG Neste capítulo, faremos uma introdução à tecnologia SVG apresentando sua definição e suas finalidades. Mostraremos sua evolução relatada em um breve histórico desde sua criação

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP 2ª Edição Juliano Niederauer Novatec Copyright 2009, 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução

Leia mais

extensible Markup Language (XML) XML é uma linguagem de anotação. XML utiliza tags para descrever informação.

extensible Markup Language (XML) XML é uma linguagem de anotação. XML utiliza tags para descrever informação. extensible Markup Language (XML) XML é uma linguagem de anotação. XML utiliza tags para descrever informação. Em XML, os tags não são pré-definidos. Temos de definir os nossos tags. XML utiliza um Document

Leia mais

O código JavaScript deve ser colocado entre tags de comentário para ficar escondido no caso de navegadores antigos que não reconhecem a linguagem.

O código JavaScript deve ser colocado entre tags de comentário para ficar escondido no caso de navegadores antigos que não reconhecem a linguagem. 1 - O que é JAVASCRIPT? É uma linguagem de script orientada a objetos, usada para aumentar a interatividade de páginas Web. O JavaScript foi introduzido pela Netscape em seu navegador 2.0 e posteriormente

Leia mais

Coleção - Análises de email marketing em clientes de email

Coleção - Análises de email marketing em clientes de email Coleção - Análises de email marketing em clientes de email Introdução Nesta quinta edição da Coletânea de Análises de Email Marketing em Clientes de Email, apresentamos o estudo do Windows Mail, um cliente

Leia mais

BREVE INTRODUÇÃO À LINGUAGEM XML

BREVE INTRODUÇÃO À LINGUAGEM XML BREVE INTRODUÇÃO À LINGUAGEM XML Por Carlos H. Marcondes marcon@vm.uff.br Rio de Janeiro Abril 2008 PROGRAMA 1.Problema, motivações e conceitos 2.Estrutura de um documento XML 1.DTDs, Schemas 2.Folhas

Leia mais

Guia de Consulta Rápida XML. Otávio C. Décio. Novatec Editora

Guia de Consulta Rápida XML. Otávio C. Décio. Novatec Editora Guia de Consulta Rápida XML Otávio C. Décio Novatec Editora Guia de Consulta Rápida XML de Otávio C. Décio Copyright@2000 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610

Leia mais

Análise Comparativa dos Recursos e Diferenças das Tecnologias de Programação HTML5 e HTML4

Análise Comparativa dos Recursos e Diferenças das Tecnologias de Programação HTML5 e HTML4 Análise Comparativa dos Recursos e Diferenças das Tecnologias de Programação HTML5 e HTML4 Guilherme Miranda Martins 1, Késsia Rita da Costa Marchi 1 1 Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil

Leia mais

Curso de Capacitação em Gerenciador de Conteúdo PLONE

Curso de Capacitação em Gerenciador de Conteúdo PLONE Curso de Capacitação em Gerenciador de Conteúdo PLONE 1 Índice Customização Acionar modo debug 3 Propriedades Básicas 10 Arquivos de Customização 15 2 Customização Intermediário Com a definição do posicionamento

Leia mais

Introdução 1ª Parte Web Web Web Web Browsers Editores Editores Etiquetas (tags) base indica que se trata de uma página escrita em linguagem HTML. Esta deve abranger todo o código;

Leia mais

CSS. Oficina de CSS Aula 10. Cascading Style Sheets. Cascading Style Sheets Roteiro. Cascading Style Sheets. Cascading Style Sheets W3C

CSS. Oficina de CSS Aula 10. Cascading Style Sheets. Cascading Style Sheets Roteiro. Cascading Style Sheets. Cascading Style Sheets W3C Roteiro Oficina de Aula 10 s Selos de conformidade Prof. Vinícius Costa de Souza www.inf inf.unisinos..unisinos.br/~vinicius outubro de 2006 W3C São um conjunto de normas, diretrizes, recomendações, notas

Leia mais

Acessibilidade no SIEP (Sistema de Informações da Educação Profissional e Tecnológica) Módulo de Acessibilidade Virtual CEFET Bento Gonçalves RS Maio 2008 ACESSIBILIDADE À WEB De acordo com Cifuentes (2000),

Leia mais

#Fundamentos de uma página web

#Fundamentos de uma página web INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS SÃO GONÇALO DO AMARANTE PROGRAMAÇÃO WEB #Fundamentos de uma página web Eliezio Soares elieziosoares@ifrn.edu.br Aula de

Leia mais

02 - Usando o SiteMaster - Informações importantes

02 - Usando o SiteMaster - Informações importantes 01 - Apresentação do SiteMaster - News Edition O SiteMaster foi desenvolvido para ser um sistema simples de gerenciamento de notícias, instalado em seu próprio computador e com configuração simplificada,

Leia mais

HTML. Leandro Sorgetz, Roberto Pretto

HTML. Leandro Sorgetz, Roberto Pretto HTML Leandro Sorgetz, Roberto Pretto Faculdades de Informática de Taquara Curso de Sistemas de Informação Fundação Educacional Encosta Inferior do Nordeste Av. Oscar Martins Rangel, 4500 Taquara RS Brasil

Leia mais

1. O Word 2010 BR oferece a possibilidade de salvar um arquivo digitado, clicando

1. O Word 2010 BR oferece a possibilidade de salvar um arquivo digitado, clicando QUESTÕES WORD 2007/2010 PROF.JULIO RAMOS PAG.1 1. O Word 2010 BR oferece a possibilidade de salvar um arquivo digitado, clicando na opção da guia Arquivo, por meio de uma janela padronizada. Essa janela

Leia mais

Home Page da Estação Automática do IF-SC

Home Page da Estação Automática do IF-SC Home Page da Estação Automática do IF-SC Ana Paula Jorge Fraga Email: anaa_fraga@hotmail.com Artur da Silva Querino E-mail: arturquerino@gmail.com Kathilça Lopes de Souza E-mail: kathii16@hotmail.com Rayana

Leia mais

O que é XML? A Linguagem de Marcação Extensível (Extensible Markup Language - XML) é:

O que é XML? A Linguagem de Marcação Extensível (Extensible Markup Language - XML) é: 1.264 Aula 13 XML O que é XML? A Linguagem de Marcação Extensível (Extensible Markup Language - XML) é: Uma recomendação proposta pelo World Wide Web Consortium (W3C) Um formato de arquivo Documentos eletrônicos

Leia mais

Conceitos Web. Prof. Msc. Juliano Gomes Weber (jgw@unijui.edu.br) Notas de Aula Aula 13 1º Semestre - 2011. UNIJUÍ DETEC Ciência da Computação

Conceitos Web. Prof. Msc. Juliano Gomes Weber (jgw@unijui.edu.br) Notas de Aula Aula 13 1º Semestre - 2011. UNIJUÍ DETEC Ciência da Computação UNIJUÍ DETEC Ciência da Computação Prof. Msc. Juliano Gomes Weber (jgw@unijui.edu.br) Conceitos Web Notas de Aula Aula 13 1º Semestre - 2011 Tecnologias Web jgw@unijui.edu.br Conceitos Básicos Sistema

Leia mais

#Aula Nº 4 XHTML+CSS webstandards.samus.com.br webstandards.samus.com.br/aulas/aula4.pdf Vinicius Fiorio Custódio samus@samus.com.

#Aula Nº 4 XHTML+CSS webstandards.samus.com.br webstandards.samus.com.br/aulas/aula4.pdf Vinicius Fiorio Custódio samus@samus.com. #Aula Nº 4 XHTML+CSS webstandards.samus.com.br webstandards.samus.com.br/aulas/aula4.pdf Vinicius Fiorio Custódio samus@samus.com.br #Objetivo Revisar os conceitos mais importantes da XHTML e do CSS. Desenvolver

Leia mais

XML (extensible Markup Language)

XML (extensible Markup Language) Sumário 1. Introdução a Aplicações Não-Convencionais 2. Revisão de Modelagem Conceitual 3. BD Orientado a Objetos (BDOO) 4. BD Objeto-Relacional (BDOR) 5. BD Temporal (BDT) 6. BD Geográfico (BDG) 7. BD

Leia mais

Ferramenta para design de web site Macromedia Dreamweaver Fábio Fernandes

Ferramenta para design de web site Macromedia Dreamweaver Fábio Fernandes Ferramenta para design de web site Macromedia Dreamweaver Fábio Fernandes Em Abril de 2005, as duas maiores gigantes em desenvolvimento de software de web, gráfico e multimídia design se juntaram: a Adobe

Leia mais