COMBUSTÍVEIS. Diesel

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMBUSTÍVEIS. Diesel"

Transcrição

1 COMBUSTÍVEIS

2 COMBUSTÍVEIS Diesel O Diesel é o combustível mais utilizado no Brasil. A maior parte da frota comercial brasileira é movida a óleo diesel. Assim como a gasolina, ele é um sub-produto do petróleo, porém com uma cadeia de carbono mais longa.

3 COMBUSTÍVEIS Diesel Original e Diesel Original Aditivado Diesel Original Aditivado possui as mesmas especificações do Diesel Original, porém agrega aditivos detergente/dispersante, que mantém limpos os elementos do sistema de injeção de combustível, anticongelante, que facilita a partida à frio no inverno, trabalhando em temperaturas entre -10 e -15 C, e antiespumante.

4 COMBUSTÍVEIS Vantagens do Diesel Original Aditivado Maior estabilidade do produto, para termos menor entupimento de filtros. Maior proteção contra a corrosão das partes metálicas, aumentando a vida útil do tanque de combustível, bomba e bicos injetores. Evita a emulsão de diesel com água, protegendo a bomba e os bicos injetores quanto a desgastes prematuros. Evita a cristalização da parafina, facilitando a partida à frio no inverno.

5 COMBUSTÍVEIS DIESEL S500 Propriedades Diesel S-500 Cor Vermelho Massa Específica a 20 C 0,820 a 0,865 Enxofre, ppm 500,00 Nº de Cetano mínimo 42,0

6 COMBUSTÍVEIS DIESEL S10 Propriedades Diesel S-10 Cor Amarelo Massa Específica a 20 C 0,820 a 0,850 Enxofre, ppm 10,00 Nº de Cetano mínimo 47,0

7 COMBUSTÍVEIS DIESEL B7 (DIESEL + BIODIESEL) Mistura de Óleo Diesel / Biodiesel Combustível comercial composto de 93% em volume de Óleo Diesel, conforme especificação da ANP, e 7% em volume de Biodiesel (daí o nome B5), que deverá atender à especificação prevista na resolução da ANP nº 15, de 17 de Julho de

8 Tecnologias para a Redução de Emissões

9 Diesel EMISSÕES DE MOTORES DIESEL Hidrocarbonetos - HC Combustível não queimado totalmente no motor. Forma oxidantes fotoquímicos. Irrita os olhos. Monóxido de Carbono - CO Resíduo de combustão incompleta. Dificulta a respiração e causa asfixia. Material Particulado - MP É formado na queima incompleta do combustível. É agravado pelos contaminantes do combustível e do óleo lubrificante. Ataca o sistema respiratório. Óxidos de Nitrogênio - NOx É formado na câmara de combustão. Reação do Nitrogênio com o Oxigênio. Reage nas camadas superiores da atmosfera, forma ozônio e chuva ácida. Ataca o sistema respiratório. Gases Ar 9

10 PROCONVE PROgrama de CONtrole da Poluição do Ar por VEículos Automotores Norma Brasileira NBR 15634; Equivalente a EURO 5 europeia - Diretiva CE; Fase P-7 entrou em vigor a partir de 1 de janeiro de 2012.

11 PROCONVE A fase P-7 do PRONCOVE estabelece níveis de emissão de gases veiculares para veículos que requeiram uma tecnologia de redução de gases. Ela exige: Abastecimento com diesel de baixo teor de enxofre (S10); (o enxofre é um contaminante que reduz a vida útil do catalisador) Sistema SCR ou EGR para o escape dos gases; (sistema eletrônico de controle que regula a reação em função da qualidade dos gases de escape) Uso do ARLA-32 no sistema catalítico SCR. (o ARLA-32 é o agente redutor dos óxidos de nitrogênio na emissão dos gases veiculares)

12 TECNOLOGIA EGR Exhaust Gases Recirculation EGR Atua na redução das emissões de NOx dentro do motor, através da redução da temperatura dos gases na câmara de combustão; Exige a utilização de um filtro de partículas (DPF diesel particulate filter) para a redução das emissões de material particulado; Consumo de combustível comparável aos motores da fase P5 (Euro III); Dispensa o uso de ARLA-32; O alto teor de enxofre no combustível reduz a vida útil do catalisador presente no filtro de partículas. 12

13 TECNOLOGIA EGR

14 TECNOLOGIA EGR Desvantagens: Combustão menos eficiente. Pode introduzir contaminantes abrasivos. Aumentam a produção de particulados. Aumentam a acidez do óleo lubrificante.

15 Modificações no Veículo: Significativa redução de poluição. Tanque de Arla 32. TECNOLOGIA SCR Sistema OBD (On Board Diagnostics) que monitoremissões, sistemas de injeção, admissão e o nível do tanque de Arla (painel do veículo). Um sensor no sistema de escape controlará os limites de emissão. TANQUE TANQUE DE ARLA SISTEMA OBD DE ARLA NA VOLVO 15

16 Componentes do Sistema TECNOLOGIA SCR Injetor Tanque de Arla-32 25, 35 e 95 litros Unidade dosadora Silencioso / catalisador Módulo chassi Bomba

17 ARLA 32 Agente Redutor Líquido de NOx Automotivo Não é combustível, não é lubrificante, não é aditivo a ser adicionado ao óleo diesel; Solução não inflamável, não perigosa, não explosiva e não tóxica de uréia diluída a 32,5%; Sua função é reduzir quimicamente o NOx através da amônia. URÉIA CO(NH 2 ) 2 + H 2 O Alta temperatura AMÔNIA 2 NH 3 + CO 2 Reação de redução do NOx NO NO 2 + O 2 + NH 3 CATALISADOR SCR N 2 + H 2 O 17

18 ARLA 32 + CO 2 Caso o veículo não utilize o ARLA-32 o conversor catalítico pode ser danificado e, por medida de segurança, a potência do motor será reduzida automaticamente em 40%. 18

19 Muito Obrigado Vinicius + CO 2 Vinicius Farias Assessor Mercado Empresarial (11)

2. Qual é o cronograma para implantação do diesel de baixo teor de enxofre?

2. Qual é o cronograma para implantação do diesel de baixo teor de enxofre? 1. O que significa PROCONVE fases P7 e L6? PROCONVE é o Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores, criado pelo conselho Nacional de Meio Ambiente CONAMA. As fases P7 (para veículos

Leia mais

PROCONVE MAR-1 GUIA MAR-1

PROCONVE MAR-1 GUIA MAR-1 PROCONVE MAR-1 GUIA MAR-1 TUDO O QUE VOCÊ DEVE SABER TUDO O QUE VOCÊ DEVE SABER SOBRE A FASE PROCONVE MAR-1 A FASE PROCONVE MAR-1 ESTABELECE LIMITES DE EMISSÕES DE MOTORES DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS E DE CONSTRUÇÃO

Leia mais

Fabricantes/Marcas Produtos Produção (2010) 08 Empresas Caminhões e Ônibus 191 mil Caminhões 45 mil Ônibus (chassi)

Fabricantes/Marcas Produtos Produção (2010) 08 Empresas Caminhões e Ônibus 191 mil Caminhões 45 mil Ônibus (chassi) A indústria de veículos comerciais a diesel! Fabricantes/Marcas Produtos Produção (010) 08 Empresas Caminhões e Ônibus 191 mil Caminhões 45 mil Ônibus (chassi) Veículos Comerciais Leves Mercado Interno

Leia mais

INFLUÊNCIA DA POLUIÇÃO VEICULAR NA SAÚDE HUMANA

INFLUÊNCIA DA POLUIÇÃO VEICULAR NA SAÚDE HUMANA IBAMA MMA INFLUÊNCIA DA POLUIÇÃO VEICULAR NA SAÚDE HUMANA CETESB HOMERO CARVALHO MOVIMENTO NOSSA SÃO PAULO ATO PÚBLICO PELA MELHORIA DA QUALIDADE DO DIESEL 12/09/2007 homeroc@cetesbnet.sp.gov.br CENÁRIO

Leia mais

Os ganhos ambientais para a sociedade

Os ganhos ambientais para a sociedade Proconve P7 Diesel e emissões A nova legislação 2012 Tudo o que você deve saber sobre o proconve P7 A nova etapa Proconve P7 estabelece limites de emissões mais rígidos para veículos pesados a diesel.

Leia mais

TECNOLOGIA SCR DA FORD GARANTE MAIOR ECONOMIA, EFICIÊNCIA E SUSTENTABILIDADE

TECNOLOGIA SCR DA FORD GARANTE MAIOR ECONOMIA, EFICIÊNCIA E SUSTENTABILIDADE TECNOLOGIA SCR DA FORD GARANTE MAIOR ECONOMIA, EFICIÊNCIA E SUSTENTABILIDADE A nova geração Ford Cargo Euro 5 que será comercializada em 2012 traz várias vantagens para o cliente, como menor custo operacional,

Leia mais

Tecnologia dos Veículos para Atendimento ao PROCONVE

Tecnologia dos Veículos para Atendimento ao PROCONVE Tecnologia dos Veículos para Atendimento ao PROCONVE Henry Joseph Junior Comissão de Energia e Meio Ambiente - ANFAVEA Seminário Emissões Veiculares e Meio Ambiente 26º Salão Internacional do Automóvel

Leia mais

A FASE P-7 DO PROCONVE E OS SEUS IMPACTOS NO SETOR DE TRANSPORTE

A FASE P-7 DO PROCONVE E OS SEUS IMPACTOS NO SETOR DE TRANSPORTE A FASE P-7 DO PROCONVE E OS SEUS IMPACTOS NO SETOR DE TRANSPORTE III Encontro anual da Equipe Técnica do Despoluir Vinícius Ladeira Gerente de Projetos Rio de Janeiro, novembro de 2010. Proconve Programa

Leia mais

Diesel -Baixo Teor de Enxofre

Diesel -Baixo Teor de Enxofre Diesel -Baixo Teor de Enxofre Profa. Vânya Márcia Duarte Pasa LEC- Laboratório Ensaios de Combustíveis UFMG Reunião ANP/Minaspetro - BH 08/02/2012 Problemas Ambientais Causadas pelo Uso de Combustível

Leia mais

PROCONVE P7. Seminário sobre Emissões de Veículos a Diesel. As Tecnologias Necessárias. Ações para Atendimento aos Novos Limites do Proconve Fase 7

PROCONVE P7. Seminário sobre Emissões de Veículos a Diesel. As Tecnologias Necessárias. Ações para Atendimento aos Novos Limites do Proconve Fase 7 Seminário sobre Emissões de Veículos a Diesel Ações para Atendimento aos Novos Limites do Proconve Fase 7 As Tecnologias Necessárias Luso Martorano Ventura São Paulo, 27 de outubro de 2009 Conteúdo Evolução

Leia mais

A FASE P7 DO PROCONVE E O IMPACTO NO SETOR DE TRANSPORTE

A FASE P7 DO PROCONVE E O IMPACTO NO SETOR DE TRANSPORTE A FASE P7 DO PROCONVE E O IMPACTO NO SETOR DE TRANSPORTE CONHEÇA AS NOVAS TECNOLOGIAS PARA MOTORES PESADOS IMPLEMENTADAS EM 2012 A FASE P7 DO PROCONVE E O IMPACTO NO SETOR DE TRANSPORTE CONHEÇA AS NOVAS

Leia mais

1988/89: Entrou em vigor a primeira etapa no Brasil: (fase 1). 1992: Entrou em vigor a fase 2 no Brasil. 1997: Entrou em vigor a fase 3 no Brasil.

1988/89: Entrou em vigor a primeira etapa no Brasil: (fase 1). 1992: Entrou em vigor a fase 2 no Brasil. 1997: Entrou em vigor a fase 3 no Brasil. 1 INTRODUÇÃO Nas áreas metropolitanas o problema da poluição do ar tem-se constituído numa das mais graves ameaças à qualidade de vida de seus habitantes. Os veículos automotores são os principais causadores

Leia mais

Considerando a necessidade de aprimorar o conhecimento sobre a emissão de dióxido de carbono e de aldeídos por motores do ciclo Diesel, resolve:

Considerando a necessidade de aprimorar o conhecimento sobre a emissão de dióxido de carbono e de aldeídos por motores do ciclo Diesel, resolve: RESOLUÇÃO CONAMA Nº 403, de 11/11/2008 Dispõe sobre a nova fase de exigência do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores - PROCONVE para veículos pesados novos (Fase P-7) e dá outras

Leia mais

4º Seminário Internacional de Logística Agroindustrial 15 e 16/03/2007 ESALQ/USP Piracicaba/SP

4º Seminário Internacional de Logística Agroindustrial 15 e 16/03/2007 ESALQ/USP Piracicaba/SP 4º Seminário Internacional de Logística Agroindustrial 15 e 16/03/2007 ESALQ/USP Piracicaba/SP Histórico: do Óleo Vegetal ao Biocombustível BIODIESEL ASPECTOS DA QUALIDADE RELACIONADOS AO ARMAZENAMENTO,

Leia mais

Controle da Poluição Sonora e do Ar

Controle da Poluição Sonora e do Ar RESOLUÇÃO CONAMA n o 403, de 11 de novembro de 2008 Publicada no DOU nº 220, de 12 de novembro de 2008, Seção 1, página 92 Dispõe sobre a nova fase de exigência do Programa de Controle da Poluição do Ar

Leia mais

GASOLINA. Qualidade & Tecnologia

GASOLINA. Qualidade & Tecnologia GASOLINA Qualidade & Tecnologia Janeiro 2019 Conteúdo Cenário Especificação da Gasolina Investimentos Atributos e benefícios da Gasolina Aspectos relevantes Cenário Principais Forças Direcionadoras TECNOLOGIA

Leia mais

ETANOL E AS EMISSÕES LOCAIS

ETANOL E AS EMISSÕES LOCAIS ETANOL E AS EMISSÕES LOCAIS Alfred Szwarc 3 Seminário Internacional - Uso Eficiente do Etanol Campinas, SP 20/21 de setembro de 2016 Poluição do Ar Local e Regional Tema do aquecimento global colocou a

Leia mais

NOx. Altas temperaturas alcançadas durante a combustão + Oxigênio disponível

NOx. Altas temperaturas alcançadas durante a combustão + Oxigênio disponível 1 NOx Nome genérico dos óxidos de nitrogênio (NO ou NO2), que estão presentes na atmosfera terrestre e também nos gases que são emitidos pelo sistema de exaustão dos veículos automotivos, em especial os

Leia mais

ANÁLISE DO ENXOFRE NO ÓLEO DIESEL E SEU RISCO COMO CONTAMINANTE

ANÁLISE DO ENXOFRE NO ÓLEO DIESEL E SEU RISCO COMO CONTAMINANTE 1 Universidade Potiguar, Unidade Natal Escola de Engenharia e Ciências Exatas allynelimaepg@gmail.com 1 Universidade Potiguar, Unidade Natal Escola de Engenharia e Ciências Exatas mab.andreza@hotmail.com

Leia mais

MOTORES DIESEL E USO DE BIODIESEL

MOTORES DIESEL E USO DE BIODIESEL MOTORES DIESEL E USO DE BIODIESEL Cummins Brasil LTDA 29 de Outubro de 2008 Luis Chain Faraj Agenda Definição de Biodiesel Análise do Ciclo de Vida - Diesel x Biodiesel Programa de Biodiesel do Brasil

Leia mais

Indicadores de Qualidade do Ar

Indicadores de Qualidade do Ar Indicadores de Qualidade do Ar Níveis de qualidade do ar determinados a partir dos valores de concentração de poluentes que são associados a atividades antropogênicas: CO, SO 2, NO x, O 3, orgânicos voláteis,

Leia mais

NOVO SIMULADO DE MEIO AMBIENTE 2012

NOVO SIMULADO DE MEIO AMBIENTE 2012 1 Através da queima de combustíveis, gases nocivos à saúde são eliminados pelos veículos automotores, aumentando o índice de poluentes. De acordo com a afirmativa, todos os gases abaixo causam a poluição

Leia mais

Por: Marco Lassen. Diesel

Por: Marco Lassen. Diesel Por: Marco Lassen Diesel Óleo Diesel e a Evolução do Teor de Enxofre Evolução do Teor de Enxofre 3 Legislação e Teor de Enxofre 2000 ppm 350 ppm 500 ppm 10 ppm 50 ppm 10 ppm EUROPA EURO III EURO IV EURO

Leia mais

Proconve P7 X Especificações ACEA. V Seminário AEA 24 Outubro 2012 Bernardo Vianna Chevron

Proconve P7 X Especificações ACEA. V Seminário AEA 24 Outubro 2012 Bernardo Vianna Chevron Proconve P7 X Especificações ACEA V Seminário AEA 24 Outubro 2012 Bernardo Vianna Resumo As alternativas selecionadas pelas montadoras VERSUS os impactos nos lubrificantes A importância e representatividade

Leia mais

Disciplina: Introdução à Engenharia Ambiental. 7 - Poluição do Ar. Professor Sandro Donnini Mancini. Sorocaba, Outubro de 2018.

Disciplina: Introdução à Engenharia Ambiental. 7 - Poluição do Ar. Professor Sandro Donnini Mancini. Sorocaba, Outubro de 2018. Instituto de Ciência e Tecnologia de Sorocaba Disciplina: Introdução à Engenharia Ambiental Graduação em Engenharia Ambiental 7 - Poluição do Ar Professor Sandro Donnini Mancini Sorocaba, Outubro de 2018.

Leia mais

Disciplina: Introdução à Engenharia Ambiental. 7 - Poluição do Ar. Professor Sandro Donnini Mancini. Sorocaba, Outubro de 2017.

Disciplina: Introdução à Engenharia Ambiental. 7 - Poluição do Ar. Professor Sandro Donnini Mancini. Sorocaba, Outubro de 2017. Instituto de Ciência e Tecnologia de Sorocaba Disciplina: Introdução à Engenharia Ambiental Graduação em Engenharia Ambiental 7 - Poluição do Ar Professor Sandro Donnini Mancini Sorocaba, Outubro de 2017.

Leia mais

CARTILHA DE CONSCIENTIZAÇÃO PÚBLICA DO USO DO ARLA 32

CARTILHA DE CONSCIENTIZAÇÃO PÚBLICA DO USO DO ARLA 32 CARTILHA DE CONSCIENTIZAÇÃO PÚBLICA DO USO DO ARLA 32 Página 1 Índice: 1 Introdução ao sistema de controle de emissões P7... 3 1.1 Sistema SCR... 4 1.2 Sistema EGR... 5 1.3 Óleo Diesel S10/S500... 5 1.4

Leia mais

13/12/2015. Refinaria de Petróleo

13/12/2015. Refinaria de Petróleo Refinaria de Petróleo 1 2 3 4 A SOLUÇÃO POLUIÇÃO DO AR O PROBLEMA CONTROLE LEGAL FONTES CONSIDERAÇÕES ECONÔMICO-SOCIAIS METEOROLOGIA E TOPOGRAFIA TÉCNICAS DE CONTROLE QUALIDADE DO AR EXISTENTE QUALIDADE

Leia mais

Química Orgânica Ambiental

Química Orgânica Ambiental Química Orgânica Ambiental Aula 17 Smog fotoquímico Prof. Dr. Leandro Vinícius Alves Gurgel 1. Introdução A poluição das grandes cidades 300.000 chineses morrem por ano de doenças respiratórias SMOG NO

Leia mais

Capacidade de um sistema de produzir atividade externa ou de gerar trabalho.

Capacidade de um sistema de produzir atividade externa ou de gerar trabalho. A questão das alternativas energéticas passou ser de fundamental importância para os programa de sustentabilidade na sociedade contemporânea quer nos programa governamentais como para as organizações empresariais.

Leia mais

Opções tecnológicas para o uso do etanol: emissões reguladas, GHG e eficiência veicular

Opções tecnológicas para o uso do etanol: emissões reguladas, GHG e eficiência veicular Opções tecnológicas para o uso do etanol: emissões reguladas, GHG e eficiência veicular Segundo Seminário Internacional sobre o Uso Eficiente do Etanol Prof. Dr. Waldyr L. R. Gallo Departamento de Energia

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50. Fonte: Metalsinter

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50. Fonte: Metalsinter DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50 1) O que são os Diesel S-50 e S-10? Significa Diesel de Baixo Teor de Enxofre. Aqui no Brasil são dois os tipos que serão utilizados em veículos: o S-50 e o S-10.

Leia mais

URBS URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A.

URBS URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A. URBS URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A. URBS URBANIZAÇÃO DE CURITIBA S.A. Criada através de Lei Municipal, em Agosto de 1.963 com o objetivo de administrar os recursos do Fundo de Urbanização da Curitiba (FUC).

Leia mais

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50

DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50 DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE O DIESEL S-50 1) O que são os Diesel S-50 e S-10? Significa Diesel de Baixo Teor de Enxofre. Aqui no Brasil são dois os tipos que serão utilizados em veículos: o S-50 e o S-10.

Leia mais

Catalisador: O que é e para que serve.

Catalisador: O que é e para que serve. Catalisador: O que é e para que serve. O que significa a palavra catalisador? Por definição, catalisador catalítico é toda a substância que propicia a reação química de outras substâncias sem mesmo participar

Leia mais

Motores de máquinas agrícolas: Eletrônicos, novas tecnologias e combustíveis

Motores de máquinas agrícolas: Eletrônicos, novas tecnologias e combustíveis I SIMAP Simpósio Mato-Grossense de mecanização agrícola 24 e 25 de maio de 2018 Motores de máquinas agrícolas: Eletrônicos, novas tecnologias e combustíveis José Fernando Schlosser NEMA - UFSM 2 01/06/2018

Leia mais

A radiação terrestre e as concentrações de gases de efeito estufa resultam na intensificação do efeito que naturalmente já se processa na atmosfera

A radiação terrestre e as concentrações de gases de efeito estufa resultam na intensificação do efeito que naturalmente já se processa na atmosfera POLUIÇÃO DO AR A radiação terrestre e as concentrações de gases de efeito estufa resultam na intensificação do efeito que naturalmente já se processa na atmosfera da Terra há bilhões de anos Pela presença

Leia mais

Lubrificação de Motores e Redutores

Lubrificação de Motores e Redutores Lubrificação de Motores e Redutores Prof. Dr. João Candido Fernandes Luís Henrique Bonacordi Boccardo Vinicius Hernandes Kauê Vieira RA: 711901 611549 612261 Índice 1. Introdução 2. Tipos de óleos para

Leia mais

Uso de gás combustível na redução das emissões de NO x em processos industriais de combustão

Uso de gás combustível na redução das emissões de NO x em processos industriais de combustão Uso de gás combustível na redução das emissões de NO x em processos industriais de combustão IPT Renato Vergnhanini Filho Instituto de Pesquisas Tecnólogicas do Estado de São Paulo Laboratório de Combustão

Leia mais

ARLA 32 ARLA 32 USO CORRETO

ARLA 32 ARLA 32 USO CORRETO SUMÁRIO Apresentação Os impactos dos óxidos de nitrogênio (NOx) 7 A fase Pesados 7 (P7) do PROCONVE O sistema de Recirculação de Gases de Escape (Exhaust Gas Recirculation - EGR) O sistema de Redução Catalítica

Leia mais

Aula 8 Injeção Eletrônica Direta

Aula 8 Injeção Eletrônica Direta Introdução Aula 8 Injeção Eletrônica Direta Até o lançamento do sistema de injeção eletrônica MED, a mistura de ar e combustível era gerada no tubo de aspiração. A busca por novas possibilidades para melhorar

Leia mais

ESTIMATIVA DOS POLUENTES EMITIDOS PELOS ÔNIBUS URBANOS EM JARAGUÁ DO SUL/SC E AS POSSÍVEIS FORMAS DE AMENIZÁ-LOS

ESTIMATIVA DOS POLUENTES EMITIDOS PELOS ÔNIBUS URBANOS EM JARAGUÁ DO SUL/SC E AS POSSÍVEIS FORMAS DE AMENIZÁ-LOS ESTIMATIVA DOS POLUENTES EMITIDOS PELOS ÔNIBUS URBANOS EM JARAGUÁ DO SUL/SC E AS POSSÍVEIS FORMAS DE AMENIZÁ-LOS Ana Caroline Ferrari 1 ; Gabriel Rodrigo Engster 2 ; Hugo Horácio Duarte 3 ; Luana Aparecida

Leia mais

Legislação Ambiental 1

Legislação Ambiental 1 UFJF Faculdade de Engenharia POLUIÇÃO VEICULAR Profa. Aline S. Procopio (aline.procopio@ufjf.edu.br) Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental O controle das emissões veiculares no Brasil teve início

Leia mais

Indicadores de Qualidade do Ar

Indicadores de Qualidade do Ar Indicadores de Qualidade do Ar Níveis de qualidade do ar determinados a partir dos níveis de concentração de poluentes por atividades antropogênicas: CO, SO 2, NO x, O 3, orgânicos voláteis, matéria particulada.

Leia mais

Perguntas mais Frequentes

Perguntas mais Frequentes Perguntas mais Frequentes 1. O que significa PROCONVE fases P7 e L6? PROCONVE é o Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores, criado pelo conselho Nacional de Meio Ambiente - CONAMA.

Leia mais

Injeção eletrônica de combustíveis

Injeção eletrônica de combustíveis Injeção eletrônica de combustíveis É um sistema de dosagem de combustível nos motores ciclo Otto com o objetivo de controlar a relação estequiométrica (ar/combustível) de forma que a mesma seja sempre

Leia mais

O ÓLEO DIESEL FORMAS DE COMERCIALIZAÇÃO DO ÓLEO DIESEL. 500 (nas regiões de diesel metropolitano) 2.000 (nas regiões de diesel interior)

O ÓLEO DIESEL FORMAS DE COMERCIALIZAÇÃO DO ÓLEO DIESEL. 500 (nas regiões de diesel metropolitano) 2.000 (nas regiões de diesel interior) O ÓLEO DIESEL Link da pesquisa http://www.br.com.br/wps/portal/portaldeconteudo Combustível derivado do petróleo, constituído basicamente por hidrocarbonetos, o óleo diesel é um composto formado principalmente

Leia mais

Qualidade do Óleo Diesel S-10

Qualidade do Óleo Diesel S-10 Workshop sobre o Óleo Diesel S-10 Qualidade do Óleo Diesel S-10 SBQ - Superintendência de Biocombustíveis e de Qualidade de Produtos Setembro de 2010 1 Workshop sobre o Óleo Diesel S-10 BASE LEGAL Atribuições

Leia mais

Escola Estadual Professor... Disciplina: Química. Tema: Catalisadores automoivos. São Paulo Sumário

Escola Estadual Professor... Disciplina: Química. Tema: Catalisadores automoivos. São Paulo Sumário Escola Estadual Professor... Disciplina: Química Tema: Catalisadores automoivos São Paulo 2014 Sumário 1. Introdução 3 2. O que é o catalisador? 4 2.1 Do que é feito o catalisador? Como é construído? 4

Leia mais

Principais Características

Principais Características 25 Aditivos de Combustivel Principais Características Um aditivo para combustível é uma substância química agregada a um produto (um combustível) para melhorar suas propriedades e alterar suas características.

Leia mais

DESENVOLVIMENTO LOCAL DE SOLUÇÕES EM PÓS- TRATAMENTO PARA HEAVY DUTY DIESEL (HDD)

DESENVOLVIMENTO LOCAL DE SOLUÇÕES EM PÓS- TRATAMENTO PARA HEAVY DUTY DIESEL (HDD) DESENVOLVIMENTO LOCAL DE SOLUÇÕES EM PÓS- TRATAMENTO PARA HEAVY DUTY DIESEL (HDD) Alan van Arnhem, Claudio Agostinho Furlan, Edson Paixão Umicore Brasil Ltda. RESUMO Por entender que o mercado da América

Leia mais

A Indústria Automobilística e o Atendimento às s Regulamentações Brasileiras de Emissões

A Indústria Automobilística e o Atendimento às s Regulamentações Brasileiras de Emissões A Indústria Automobilística e o Atendimento às s Regulamentações Brasileiras de Emissões Henry Joseph Junior Comissão de Energia e Meio Ambiente ANFAVEA Seminário AEA Tendências e o Futuro das Emissões

Leia mais

PROCONVE. As Fases Passadas e Futuras

PROCONVE. As Fases Passadas e Futuras PROCONVE (PROGRAMA DE CONTROLE DA POLUIÇÃO DO AR POR VEÍCULOS AUTOMOTORES) As Fases Passadas e Futuras Henry Joseph Jr Comissão de Energia e Meio Ambiente ANFAVEA Seminário sobre Emissões de Veículos Diesel

Leia mais

COMPOSIÇÃO ATMOSFÉRICA

COMPOSIÇÃO ATMOSFÉRICA POLUIÇÃO DO AR COMPOSIÇÃO ATMOSFÉRICA Gases Nitrogênio Oxigênio Vapor de água Argônio Dióxido de Carbono Neon Hélio Metano % em Volume 78.1% 21% varia de 0-4% 0.93% por volta de 0.3% abaixo dos 0.002%

Leia mais

Mais Demanda por Recursos com os Mesmos Recursos: o Aumento da Frota de Veículos em São Paulo

Mais Demanda por Recursos com os Mesmos Recursos: o Aumento da Frota de Veículos em São Paulo Mais Demanda por Recursos com os Mesmos Recursos: o Aumento da Frota de Veículos em São Paulo Mário de Souza Nogueira Neto Centro Universitário FEI São Bernardo do Campo, Amanda Carvalho S. Nogueira -

Leia mais

Catálogo de Filtros RCI

Catálogo de Filtros RCI Catálogo de Filtros RCI A TECNOLOGIA RCI DE PURIFICAÇÃO DE COMBUSTÍVEL O QUE É A TECNOLOGIA RCI DE PURIFICAÇÃO DE COMBUSTÍVEL? A tecnologia RCI de purificação de combustíveis é uma unidade de filtragem

Leia mais

Motores de Combustão Interna

Motores de Combustão Interna Motores de Combustão Interna Professora: Jaciana Silva de Santana Email: jacianasantana@ifpe.recife.edu.br 6 - Temperatura de Auto-Ignição Propriedade dos Combustíveis É a temperatura na qual aquecendo

Leia mais

Versão para Impressão do Tópico

Versão para Impressão do Tópico Versão para Impressão do Tópico Clique aqui para ver o tópico em seu formato original Fórum Peugeot SportClube _ OFICINA MECÂNICA _ Tudo sobre escapamentos Postado por: Luiz Fernando Jr em Jul 31 2008,

Leia mais

IMPACTOS AMBIENTAIS DO AUTOMÓVEL ANÁLISE NUMÉRICA DO CICLO TERMODINÂMICO DE UM MOTOR DE 170kW OPERANDO A GÁS NATURAL

IMPACTOS AMBIENTAIS DO AUTOMÓVEL ANÁLISE NUMÉRICA DO CICLO TERMODINÂMICO DE UM MOTOR DE 170kW OPERANDO A GÁS NATURAL JOSÉ AUGUSTO MARINHO SILVA IMPACTOS AMBIENTAIS DO AUTOMÓVEL ANÁLISE NUMÉRICA DO CICLO TERMODINÂMICO DE UM MOTOR DE 170kW OPERANDO A GÁS NATURAL Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Escola Politécnica

Leia mais

Associação Brasileira de Resíduos Sólidos e Limpeza Pública

Associação Brasileira de Resíduos Sólidos e Limpeza Pública Associação Brasileira de Resíduos Sólidos e Limpeza Pública VOLKSWAGEN CAMINHÕES E ÔNIBUS Veículos Vocacionais para Coleta de Resíduos Anderson de Miranda Souza Operações e Pedidos Especiais Caminhões

Leia mais

MANTEMOS A EMOÇÃO TUDO O QUE DEVE SABER SOBRE LUBRIFICANTES

MANTEMOS A EMOÇÃO TUDO O QUE DEVE SABER SOBRE LUBRIFICANTES MANTEMOS A EMOÇÃO TUDO O QUE DEVE SABER SOBRE LUBRIFICANTES POR QUE MOTIVO É NECESSÁRIO REALIZAR AS MUDANÇAS DE ÓLEO? Substituir regularmente o óleo do seu motor por um lubrificante novo que cumpra as

Leia mais

VOLKSWAGEN CAMINHÕES E ÔNIBUS Vocacional Compactor 09/2017

VOLKSWAGEN CAMINHÕES E ÔNIBUS Vocacional Compactor 09/2017 VOLKSWAGEN CAMINHÕES E ÔNIBUS Vocacional Compactor 09/2017 AGENDA 1 INFORMAÇÃO DE MERCADO 2 COMPACTOR E SUAS CARACTERÍSTICAS 3 INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO 4 RESPONSABILIDADE SOCIAL E AMBIENTAL Volkswagen

Leia mais

ABASTECIMENTO MARKETING & COMERCIALIZAÇÃO. Dezembro 2013

ABASTECIMENTO MARKETING & COMERCIALIZAÇÃO. Dezembro 2013 ABASTECIMENTO MARKETING & COMERCIALIZAÇÃO Dezembro 2013 Sumario Cenário Especificação da Gasolina S-50 Investimentos e Mercado Atributos e Benefícios da Gasolina S-50 Aspectos Relevantes Aditivação Total

Leia mais

Funcionamentos Sonda lambda

Funcionamentos Sonda lambda Linea 1.4 16v Turbo Funcionamnetos 10-020 - SONDA LAMBDA Características De tipo "planar", estão montadas a montante e a jusante do catalisador e informam a centralina de injeção sobre o andamento da combustão

Leia mais

Informativo de Assistência Técnica Brasil

Informativo de Assistência Técnica Brasil Informativo de Assistência Técnica Brasil 010/12 29 Agosto 2012 AA/SBZ1-TSS Emitente: Mauricio Pimenta Destinatário Assunto Rede Bosch Diesel Center e Bosch Truck Service Lançamento do Sistema Bosch de

Leia mais

Mudanças as Ambientais Globais PROPRIEDADE REGISTRADA

Mudanças as Ambientais Globais PROPRIEDADE REGISTRADA Mudanças as Ambientais Globais PROPRIEDADE REGISTRADA O que é a Camada de Ozônio? A camada de Ozônio É uma camada formada pelo composto O 3 (gás s ozônio) na partes altas da atmosfera. Após s sua formação

Leia mais

Disciplina: Motores a Combustão Interna. Combustível

Disciplina: Motores a Combustão Interna. Combustível Disciplina: Motores a Combustão Interna Combustível Octanagem e Número de Cetano O número de cetano, índice de cetano ou NC é um indicador da velocidade de combustão do combustível diesel e da compressão

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DO CATALISADOR DE REDUÇÃO SELETIVA (SCR) NA REDUÇÃO DOS NÍVEIS DE NOx

CONTRIBUIÇÃO DO CATALISADOR DE REDUÇÃO SELETIVA (SCR) NA REDUÇÃO DOS NÍVEIS DE NOx CONTRIBUIÇÃO DO CATALISADOR DE REDUÇÃO SELETIVA (SCR) NA REDUÇÃO DOS NÍVEIS DE NOx Adriano Adilson Antunes, Alexsandro Gargalis Nogueira, Gustavo Castagna Robert Bosch Ltda. Diesel Systems Resumo O crescimento

Leia mais

Proconve P7- Teremos resultados positivos ao meio ambiente?

Proconve P7- Teremos resultados positivos ao meio ambiente? VII-SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ Proconve P7- Teremos resultados positivos ao meio ambiente? Anselmo Laurini Sant Anna Docente Curso de Logística, Relações Internacionais

Leia mais

POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA. QUÍMICA AMBIENTAL IFRN NOVA CRUZ CURSO TÉCNICO EM QUÍMICA Prof. Samuel Alves de Oliveira

POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA. QUÍMICA AMBIENTAL IFRN NOVA CRUZ CURSO TÉCNICO EM QUÍMICA Prof. Samuel Alves de Oliveira POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA QUÍMICA AMBIENTAL IFRN NOVA CRUZ CURSO TÉCNICO EM QUÍMICA Prof. Samuel Alves de Oliveira INTRODUÇÃO Atmosfera CAMADAS ATMOSFÉRICAS Troposfera 1 Camada mais fina de todas Entre 10 a

Leia mais

O PROCONVE L6 E ESBOÇOS PARA O L7

O PROCONVE L6 E ESBOÇOS PARA O L7 IBAMA MMA O PROCONVE L6 E ESBOÇOS PARA O L7 C E T E S B Renato R. A. Linke SEMINÁRIO TENDÊNCIAS E O FUTURO DAS EMISSÕES VEICULARES: IMPACTO NA SAUDE, LEGISLAÇÃO E TECNOLOGIA AEA São Paulo 02 de Abril de

Leia mais

TRATAMENTO MULTIFUNCIONAL PARA MOTORES DIESEL

TRATAMENTO MULTIFUNCIONAL PARA MOTORES DIESEL TRATAMENTO MULTIFUNCIONAL PARA MOTORES DIESEL A Actioil Líder mundial no tratamento do combustíveis Diesel, a multinacional ACTIOIL traz ao mercado brasileiro suas variadas soluções para limpeza, proteção

Leia mais

Os ganhos ambientais para a sociedade

Os ganhos ambientais para a sociedade Proconve P7 Diesel e emissões A nova legislação 2012 Tudo o que você deve saber sobre o proconve P7 A nova etapa Proconve P7 estabelece limites de emissões mais rígidos para veículos pesados a diesel.

Leia mais

Umicore Brasil Ltda.

Umicore Brasil Ltda. IMPACTO DO SISTEMA DE FORNECIMENTO AR/COMBUSTÍVEL NO DESENVOLVIMENTO DE CATALISADORES AUTOMOTIVOS Nunes, L. 1, Lima, W. 1, Piccoli, R. 1 e Zoca, M. 1 1 Umicore Brasil Ltda lucas.nunes@am.umicore.com; walter.lima@am.umicore.com,

Leia mais

Engº Giuseppe Sarpa Field Specialist

Engº Giuseppe Sarpa Field Specialist Engº Giuseppe Sarpa Field Specialist 21 de Setembro 2015 Influências do Biodiesel na Vida do Lubrificante e do Motor Canada Óleo de peixe Sebo Europe Canola Norway Óleo de peixe Asia Pinhão Manso Óleo

Leia mais

Tudo o que você queria saber sobre o S10

Tudo o que você queria saber sobre o S10 Tudo o que você queria saber sobre o S10 Mas não sabia a quem perguntar! Com comercialização obrigatória a partir de janeiro de 2013, o diesel S10 começa a chegar aos postos já em dezembro, trazendo oportunidades

Leia mais

Composição. O gás natural é uma mistura de hidrocarbonetos leves, que, à temperatura ambiente e pressão atmosfé

Composição. O gás natural é uma mistura de hidrocarbonetos leves, que, à temperatura ambiente e pressão atmosfé Composição O gás natural é uma mistura de hidrocarbonetos leves, que, à temperatura ambiente e pressão atmosfé Na natureza, ele é encontrado acumulado em rochas porosas no subsolo, frequentemente acompanhad

Leia mais

CHUVA ÁCIDA. - Causas e consequências; - Controlar e corrigir as chuvas ácidas; - Impacto da chuva ácida em alguns. materiais.

CHUVA ÁCIDA. - Causas e consequências; - Controlar e corrigir as chuvas ácidas; - Impacto da chuva ácida em alguns. materiais. CHUVA ÁCIDA - Causas e consequências; - Controlar e corrigir as chuvas ácidas; - Impacto da chuva ácida em alguns materiais. FORMAÇÃO DE CHUVA ÁCIDA A chuva torna-se ácida porque dissolve o dióxido de

Leia mais

OS COMBUSTIVEIS ALTERNATIVOS LIQUIDOS E GASOSOS

OS COMBUSTIVEIS ALTERNATIVOS LIQUIDOS E GASOSOS OS COMBUSTIVEIS ALTERNATIVOS LIQUIDOS E GASOSOS Kamal A. R. Ismail Fátima Aparecida de Morais Lino Jose Carlos Charamba Dutra Ana Rosa Mendes Primo Jorge Recarte Henríquez Guerrero Armando Shinohara Carlos

Leia mais

EURO VI. Tecnologias & Estratégias

EURO VI. Tecnologias & Estratégias EURO VI Tecnologias & Estratégias Euro VI A entrada na força da normativa do novo Euro VI dá um estímulo à Iveco para actualizar a oferta de motores perseguindo a lógica da melhoria tecnológica Euro VI:

Leia mais

Sistema de Escapamento

Sistema de Escapamento Sistema de Escapamento 309-00-1 tseção 309-00 Sistema de Escapamento APLICAÇÃO NO VEÍCULO: TROLLER ÍNDICE ASSUNTO PÁGINA DESCRIÇÃO E FUNCIONAMENTO... 309-00-02 SISTEMA DE ESCAPAMENTO... 309-00-02 TUBO

Leia mais

MOTORES Flex. Tadeu Cordeiro, M.Sc., D.Sc. Consultor Senior CENPES/PDAB/DPM. UFRJ Dezembro de 2012

MOTORES Flex. Tadeu Cordeiro, M.Sc., D.Sc. Consultor Senior CENPES/PDAB/DPM. UFRJ Dezembro de 2012 MOTORES Flex Tadeu Cordeiro, M.Sc., D.Sc. Consultor Senior CENPES/PDAB/DPM UFRJ Dezembro de 2012 FLEX FUEL BRASILEIRO Permite a utilização de álcool hidratado (E100), gasolina (E22) ou qualquer mistura

Leia mais

O Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores

O Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores O Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores CETESB Divisão de Transporte Sustentável e Emissões Veiculares Vanderlei Borsari AEAMESP Associação dos Engenheiros e Arquitetos do Metrô 16ª Semana

Leia mais

ESTUDO DA COMBUSTÃO DA OPERAÇÃO BICOMBUSTÍVEL DIESEL-ETANOL NUMA MÁQUINA DE COMPRESSÃO RÁPIDA

ESTUDO DA COMBUSTÃO DA OPERAÇÃO BICOMBUSTÍVEL DIESEL-ETANOL NUMA MÁQUINA DE COMPRESSÃO RÁPIDA ESTUDO DA COMBUSTÃO DA OPERAÇÃO BICOMBUSTÍVEL DIESEL-ETANOL NUMA MÁQUINA DE COMPRESSÃO RÁPIDA Aluno: Pedro Delbons Duarte de Oliveira Orientador: Carlos Valois Maciel Braga Introdução Em virtude da frequente

Leia mais

VOLVO BUS latin america. ônibus volvo. qualidade de vida no transporte. www.volvo.com/onibus

VOLVO BUS latin america. ônibus volvo. qualidade de vida no transporte. www.volvo.com/onibus VOLVO BUS latin america ônibus volvo. qualidade de vida no transporte www.volvo.com/onibus EURO 5 ou PROCONVE FASE 7 é uma legislação ambiental, aplicada a caminhões e ônibus, com o objetivo de reduzir

Leia mais

SUMÁRIO. Parte I. Agradecimentos Resumo Abstract. Página. Capítulo 1 Introdução e objetivos Introdução 1.2. Objetivos

SUMÁRIO. Parte I. Agradecimentos Resumo Abstract. Página. Capítulo 1 Introdução e objetivos Introdução 1.2. Objetivos SUMÁRIO Parte I Agradecimentos Resumo Abstract Página Capítulo 1 Introdução e objetivos 1.1. Introdução 1.2. Objetivos 1 4 Capítulo 2 Revisão bibliográfica 2.1. Introdução 2.2. Aspectos históricos 2.2.1.

Leia mais

USINA TERMOELÉTRICA DO NORTE FLUMINENSE,MACAE, RIO DE JANEIRO

USINA TERMOELÉTRICA DO NORTE FLUMINENSE,MACAE, RIO DE JANEIRO USINA TERMOELÉTRICA USINA TERMOELÉTRICA DO NORTE FLUMINENSE,MACAE, RIO DE JANEIRO O QUE É USINA TERMOELÉTRICA? Uma instalação industrial que serve para gerar energia através da queima de combustíveis fosseis.

Leia mais

Desenvolvimento da Rede - Treinamento

Desenvolvimento da Rede - Treinamento Desenvolvimento da Rede - Treinamento ÍNDICE Introdução... 3 Dados técnicos... 4 Vantagens da utilização do sistema de gerenciamento eletrônico... 5 Inovações técnicas... 6 Componentes e sistemas... 7

Leia mais

SISTEMA DE TRATAMENTO DE GASES PARA DIMINUIÇÃO DAS EMISSÕES DE POLUENTES EM MOTORES DIESEL

SISTEMA DE TRATAMENTO DE GASES PARA DIMINUIÇÃO DAS EMISSÕES DE POLUENTES EM MOTORES DIESEL UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO Curso de Engenharia Elétrica VINICIUS CAMPOS MARTINS SISTEMA DE TRATAMENTO DE GASES PARA DIMINUIÇÃO DAS EMISSÕES DE POLUENTES EM MOTORES DIESEL Itatiba 2012 VINICIUS CAMPOS MARTINS

Leia mais

Capítulo 1. Introdução

Capítulo 1. Introdução 1 Introdução A poluição ambiental e a dependência do petróleo são questões urgentes, relacionadas ao mercado de energia, que despertam a preocupação da sociedade. Nesse contexto, foram pesquisadas e desenvolvidas

Leia mais

Emissões de poluentes e gases de efeito estufa por veículos automotores e motores de combustão. Paulo Romeu Moreira Machado Panambí, RS - 2010

Emissões de poluentes e gases de efeito estufa por veículos automotores e motores de combustão. Paulo Romeu Moreira Machado Panambí, RS - 2010 3:22:03 1 Emissões de poluentes e gases de efeito estufa por veículos automotores e motores de combustão Paulo Romeu Moreira Machado Panambí, RS - 2010 Roteiro 1 Introdução 2 O motor de combustão interna

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E CONTROLE DA QUALIDADE DO BIODIESEL ASPECTOS GERAIS

CARACTERIZAÇÃO E CONTROLE DA QUALIDADE DO BIODIESEL ASPECTOS GERAIS CARACTERIZAÇÃO E CONTROLE DA QUALIDADE DO BIODIESEL ASPECTOS GERAIS DR. BILL COSTA AGENDA APRESENTAÇÕES OBJETIVO DA C&CQ DO BIODIESEL C&CQ DO BIODIESEL NO BRASIL APRESENTAÇÕES BILL COSTA QUÍMICO MSc.,

Leia mais

Análise de Gás Bomba de Combustível Novas Tecnologias

Análise de Gás Bomba de Combustível Novas Tecnologias Análise de Gás Bomba de Combustível Novas Tecnologias Rodrigo Domingues Adelmo Leite Análise de Gás Análise de Gás Introdução Por que analisar? Os veículos automotores de combustíveis fósseis são responsáveis

Leia mais

Ciências do Ambiente

Ciências do Ambiente Universidade Federal do Paraná Engenharia Civil Ciências do Ambiente Aula 17 O Meio Atmosférico: parte I Profª Heloise G. Knapik 1 TC04 Meio atmosférico Instruções: Individual ou em grupos de até três

Leia mais

AGRALE APRESENTA SUA LINHA 2012 DE CAMINHÕES LEVES E MÉDIOS

AGRALE APRESENTA SUA LINHA 2012 DE CAMINHÕES LEVES E MÉDIOS AGRALE APRESENTA SUA LINHA 2012 DE CAMINHÕES LEVES E MÉDIOS São modelos com mais tecnologia, conforto e ergonomia, maior potência, capacidade de carga e redução de emissões. A Agrale S.A. apresenta sua

Leia mais

Considerando a necessidade de aprimorar o conhecimento sobre a emissão de dióxido de carbono e de aldeídos por motores do ciclo Diesel;

Considerando a necessidade de aprimorar o conhecimento sobre a emissão de dióxido de carbono e de aldeídos por motores do ciclo Diesel; RESOLUÇÃO No- 415, DE 24 DE SETEMBRO DE 2009 Dispõe sobre nova fase (PROCONVE L6) de exigências do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores - PROCONVE para veículos automotores leves

Leia mais

WOLF VITALTECH 10W30 NOVOS PRODUTOS EM 06/2015 PRINCIPAIS VANTAGENS NÍVEL DE ESPECIFICAÇÃO EMBALAGEM DESCRIÇÃO DESEMPENHO NOVIDADE

WOLF VITALTECH 10W30 NOVOS PRODUTOS EM 06/2015 PRINCIPAIS VANTAGENS NÍVEL DE ESPECIFICAÇÃO EMBALAGEM DESCRIÇÃO DESEMPENHO NOVIDADE NOVOS PRODUTOS EM 06/2015 NOVIDADE 10W30 PRINCIPAIS VANTAGENS Introduzido especificamente para os motores a gasolina com injecção de combustível. Cumpre as exigências da maioria dos carros americanos e

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 3º BIMESTRE 9º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ

CIÊNCIAS PROVA 3º BIMESTRE 9º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 3º BIMESTRE 9º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ 2010 01. A tabela

Leia mais