RESOLUÇÃO Nº 163/2007-CEPE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RESOLUÇÃO Nº 163/2007-CEPE"

Transcrição

1 RESOLUÇÃO Nº 163/2007-CEPE Aprova a alteração do Projeto Político Pedagógico do curso de Fisioterapia, do campus de Cascavel Considerando o contido no Processo CR nº 21172/2007, de 31 de maio de 2007, O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DELIBEROU E O REITOR, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES ESTATUTÁRIAS E REGIMENTAIS, SANCIONA A SEGUINTE RESOLUÇÃO: Art 1º Fica aprovada a alteração do Projeto Político Pedagógico do curso de Fisioterapia, do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, campus de Cascavel, para implantação gradativa a partir do ano letivo de 2008, conforme Anexo I desta Resolução Art 2º Esta Resolução entra em vigor nesta data Dê-se Ciência Cumpra-se Cascavel, 23 de agosto de 2007 ALCIBIADES LUIZ ORLANDO Reitor

2 ANEXO I - RESOLUÇÃO Nº 163/2007-CEPE I - IDENTIFICAÇÃO CURSO: FISIOTERAPIA CAMPUS: CASCAVEL CENTRO: CCBS NÚMERO DE VAGAS: 40 TURNO: INTEGRAL LOCAL DE OFERTA: CASCAVEL CARGA HORÁRIA: 4856 h/a MODALIDADE X BACHARELADO LICENCIATURA INTEGRALIZAÇÃO Tempo mínimo: 5 anos Tempo máximo: 7 anos COM ÊNFASE EM: VAGAS: COM HABILITAÇÃO EM: VAGAS: ANO DE IMPLANTAÇÃO: 2008 II LEGISLAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO E CRIAÇÃO DO CURSO (Decreto, Parecer CEE/PR, Resolução SETI, Resoluções COU/CEPE) Resolução nº 105/95-CEPE Resolução nº 004/98-COU Parecer do CEE 137/94 - Conselho Estadual de Educação Resolução nº 037/98-SETI DE RECONHECIMENTO DO CURSO (Decreto ou Portaria, Resolução SETI, Parecer CEE/PR ) Parecer nº 472/03 - CCE Resolução nº 23/2003-SETI Decreto Estadual nº 1708 de 13/08/2003 BÁSICA (Resolução e Parecer do CNE que instituiu as DCN s do curso; e Legislação que regulamenta a profissão, quando for o caso) Resolução n COFFITO Lei n 5540/1968-MEC Resolução CNE/CES n 4 de 19/02/2002 Parecer n 1210/2001 de 12/09/2001

3 2 III ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA JUSTIFICATIVA O Curso de Fisioterapia da UNIOESTE, por ter sido implantado em 1999, necessita de adequações em seu Projeto Político Pedagógico, para que possa estar de acordo com as atualizações didáticopedagógicas e formação acadêmica do futuro profissional Fisioterapeuta Este curso tem sido referência nacional no campo de assistência à saúde através da produção de atendimento à comunidade, desenvolvimento de projetos de pesquisa e extensão, promovendo soluções locais e regionais quanto aos problemas de saúde, contribuindo diretamente no desenvolvimento da região que se encontra inserido A reformulação para um novo Projeto Político Pedagógico de 5 anos ocorreu em 2004 e contribuiu para a consolidação do Curso de Fisioterapia desempenhando funções acadêmicas na formação e capacitação de recursos humanos na área da saúde ao nível de graduação e pós-graduação para atuação nos diversos serviços da rede pública, privada ou filantrópica de Cascavel ou região; desenvolvimento científico e tecnológico no campo da saúde através da realização de pesquisas e extensão em grupos interdisciplinares direcionadas aos problemas gerais e específicos da região e nas especificidades da Fisioterapia A alteração do PPP em vigência justifica-se e faz-se necessária considerando a evolução da profissão Fisioterapeuta, a âmbito mundial, no perfil da expectativa de vida do ser humano, na busca da qualidade de vida, na evolução da tecnologia e disseminação da informática que promovem doenças ocupacionais, podemos afirmar que há grande demanda na atuação deste profissional, exigindo assim cada vez mais, maior capacitação do Fisioterapeuta e melhor formação acadêmica A presente revisão visa corrigir alguns itens detectados pelo Colegiado do Curso de Fisioterapia, bem como adequar administrativamente a carga horária com o número e qualificação especifica do corpo docente do Colegiado de Fisioterapia Atualmente o curso conta com uma estrutura física adequada para seu funcionamento, isto é, uma clínica construída numa área de 1209 m 2, com salas de atendimento nas áreas de Fisioterapia em Ortopedia e Traumatologia, Pediatria, Pneumologia, Neurologia, Geriatria, Ginecologia e Obstetrícia, Cardiologia e uma piscina terapêutica Além disso, conta com o Hospital Universitário para que os acadêmicos possam desenvolver seus estágios curriculares nas unidades de internamento nas diversas especialidades que habilitam o acadêmico de Fisioterapia Conta também com um Centro de Reabilitação de média complexidade, implantado pelo governo do estado, com uma equipe multidisciplinar formada por médico, psicólogo, terapeuta ocupacional, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, enfermeiro e assistente social, com o objetivo de dar assistência à saúde do deficiente físico de Cascavel e região CONCEPÇÃO, FINALIDADES E OBJETIVOS O Curso de Fisioterapia tem como concepção a indissociabilidade entre a teoria e a prática, promovendo o conhecimento de diversas disciplinas básicas, pré-profissionalizantes e profissionalizantes inerentes ao curso O corpo docente é formado por profissionais capacitados e titulados para responder a demanda da formação acadêmica para uma prática coerente que expressa um conteúdo social e crítico em sua atuação concreta em atenção á saúde da comunidade O curso transcorre numa reflexão crítica e produtiva do saber gerados no cotidiano pedagógico da Universidade, atuando em todos os níveis da saúde As questões da saúde da população são contempladas através do ensino, pesquisa e extensão, enfatizando sobremaneira a prevenção Desde o primeiro ano do curso, são ofertadas aulas práticas supervisionadas para que haja integração das ciências básicas com as clínicas aplicadas à Fisioterapia, numa forma crescente no processo de formação do futuro profissional Fisioterapeuta

4 3 Os objetivos foram construídos a partir das novas diretrizes curriculares, pelo Ministério da Educação e Cultura, com formação de um profissional generalista com especificidade em Fisioterapia Preventiva e formação para pesquisa, pela necessidade de um avanço científico na aplicação terapêutica dos recursos utilizados por esses profissionais Essa perspectiva é entendida como fundamental à construção do saber científico na formação do Fisioterapeuta O curso de Fisioterapia da UNIOESTE induz o acadêmico à compreensão do mundo que o cerca, abordando não somente os fatos e princípios científicos, como oferecendo condições para que ele possa se posicionar em relação a esses fatos, analisando as implicações sociais da ciência e de como pesquisar, e ainda de como aplicar a pesquisa ao ambiente que os cerca Deve-se ressaltar a funcionalidade dos conhecimentos científicos, lembrando sempre que o rápido progresso da Fisioterapia e o desenvolvimento tecnológico dos últimos anos resultaram da a- plicação conscienciosa do método científico Se por um lado, o conhecimento científico historicamente acumulado, contribuiu para o progresso da humanidade, por outro, gerou, problemas através deste mesmo conhecimento que se deve buscar as possíveis soluções para tais questões A Fisioterapia deve fazê-lo refletindo sobre as possibilidades de exercer uma ação coletiva no sentido de melhorar a qualidade de vida Para tanto, é necessário redimensionar o ensino da Fisioterapia, através da revisão equilibrada entre o conteúdo (saber científico, herança cultural) com o da vivência deste conteúdo (metodologia científica), a fim de que se possa promover a Educação Científica PERFIL DO PROFISSIONAL - FORMAÇÃO GERAL E ESPECÍFICA O curso de Fisioterapia da UNIOESTE tem a preocupação de formar profissionais de conhecimento científico adequado a sua profissionalização, tal como: I generalista, com visão voltada para a prevenção e pesquisa em fisioterapia no entendimento do movimento humano em todas as suas formas de expressão e potencialidades; II com visão social e humanística voltada para solidariedade, objetivando a promoção da saúde do ser humano; III ético, no sentido de balizar a atuação do profissional da saúde pública que afeta a maioria da população, respeitando os princípios bioéticos, morais e culturais do indivíduo e da coletividade; IV um cidadão capaz de realizar uma leitura crítica e investigadora da realidade, intervindo nas diversas áreas de sua atuação profissional; V ter domínio de técnicas fundamentadas cientificamente; VI um profissional capaz de atuar multi e interdisciplinarrmente no mercado de trabalho; VII preparado para desenvolver idéias inovadoras e ações estratégicas, capazes de ampliar e aperfeiçoar sua área de atuação METODOLOGIA A metodologia do Curso de Fisioterapia se dá através de aulas expositivas, tanto em salas de aulas como em laboratórios: Biologia celular, bioquímica, histologia, anatomia, farmacologia, cinesiologia e biomecânica entre outros Nas aulas teóricas são apresentados conceitos, teorias, exemplos práticos, estudos de caso com associação teorico-prático, textos, artigos científicos, leituras É estimulada a participação dos alunos em forma de debate, trabalhos em grupos, apresentação seminários, trabalhos científicos para propiciar melhor entendimento e aprofudamento nos conteúdos As aulas práticas ou estágios supervisionado são sempre interações com as aulas teóricas AVALIAÇÃO Entende-se que a avaliação discente se dá por intermédio de avaliações contínuas e complementares, ou seja, aproxime a teoria, prática, leitura, participação em sala, desenvolvimento do acadêmico sempre visualizando as competências e habilidades dos discentes

5 4 As formas de avaliação adotadas pelos docentes do Curso de Fisioterapia envolvem provas descritivas, múltipla escolha, oral, em laboratório com práticas No caso dos estágios são realizadas avaliações escritas e práticas, é avaliado também o conteúdo ético e moral do acadêmico, e seu interrelacionamento com os demais membros do campo de estágio O Trabalho de Conclusão de Curso é avaliado por uma banca composta por no mínimo três membros podendo convidar um membro externo do colegiado do curso, mas que pertença ao quadro de docentes da UNIOESTE FORMAS E ORGANIZAÇÃO DO PROCESSO DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO Periodicamente em reuniões de colegiado que conta com a participação de discentes são avaliados as metodologias utilizadas, didática e conteúdos ministrados pelos docentes afetos ao Curso de Fisioterapia Com base nessa análise busca-se readequar, aperfeiçoar e complementar a formação do profissional Podem ser realizadas enquetes com egressos com objetivo de identificar as necessidades de melhorias e os aspectos positivos do curso, bem como a consulta a comunidade externa sobre as expectativas e necessidades de atuação do profissional FORMAS DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM Índice de reprovação e evasão; Formas de avaliação didática de algumas disciplinas com altos índices de reprovação e evasão; Índice de empregabilidade; Índice de egresso da graduação em pós-graduações; Tempo de integralização do curso

6 5 IV ESTRUTURA CURRICULAR - CURRÍCULO PLENO DESDOBRAMENTO DAS ÁREAS/MATÉRIAS EM DISCIPLINAS Área/Matéria Código Disciplinas C/H 1 De Formação Geral Ciências do Comportamento 01 Sociologia e Antropologia 34 Metodologia da Pesquisa Científica 02 Bioestatística Introdução à Pesquisa Pesquisa e Metodologia Científica 34 Ciências Fisiológicas 05 Bioquímica Farmacologia Fisiologia Geral Fisiologia do Exercício Biofísica Histologia e Embriologia 68 Ciências Morfológicas 11 Anatomia Humana Neuroanatomia Humana 68 Ciências Biológicas 13 Biologia Geral 68 Patologia 14 Microbiologia Geral Imunologia Processos Patológicos Gerais Saúde Coletiva Diagnóstico por Imagem 68 Subtotal De Formação Diferenciada Fisioterapia Pré-Profissionalizante 19 Fisioterapia Preventiva I Diagnóstico Cinesiofuncional Cinesiologia e Biomecânica Cinesioterapia Fisioterapia Preventiva II Psicologia na Fisioterapia Psicomotricidade Recursos Terapêuticos Manuais Fisioterapia Aquática Eletrotermofototerapia Fisioterapia em Prótese e Órtese Métodos Não-Convencionais em 68 Fisioterapia 31 Bioética e Deontologia em Fisioterapia Gerontologia 102

7 6 Área/Matéria Código Disciplinas C/H Fisioterapia Profissionalizante 33 Fisioterapia Dermatofuncional e 68 Endocrinologia 34 Fisioterapia em Pediatria Fisioterapia Pneumofuncional Fisioterapia em Geriatria Fisioterapia em Reumatologia Fisioterapia Ortopédica e Traumatológica Fisioterapia no Trabalho e Ergonomia Administração e Gerenciamento em 68 Fisioterapia 41 Fisioterapia Neurofuncional Fisioterapia Cardiovascular Fisioterapia na Saúde da Mulher Fisioterapia Desportiva 68 Subtotal Estágio Supervisionado 45 Estágio Supervisionado em Fisioterapia 102 Pediátrica 46 Estágio Supervisionado em Fisioterapia 102 Ortopédica e Traumatológica 47 Estágio Supervisionado em Fisioterapia 102 Neurológica 48 Estágio Supervisionado em Fisioterapia 102 Geriatria e Saúde da Mulher 49 Estágio Supervisionado em Fisioterapia 102 em Unidade de Terapia Intensiva 50 Estágio Supervisionado em Fisioterapia 102 em Cardiorrespiratório 51 Supervisionado em Fisioterapia Hospitalar Supervisionado em Fisioterapia em 68 Fisioterapia Aquática Subtotal Trabalho de Conclusão de Curso Subtotal Atividades Acadêmicas Complementares (mínimo de 5%) 232 TOTAL DO CURSO 4856

8 7 V - DISTRIBUIÇÃO ANUAL DAS DISCIPLINAS Disciplina Carga Horária Código Prérequisito Código Total Teórica Prática Forma de Oferta APS PCC Sem/ Anual 1º ano 1 Anatomia Humana anual 2 Biofísica anual 3 Introdução à Pesquisa anual 4 Biologia Geral anual 5 Histologia e Embriologia anual 6 Sociologia e Antropologia anual 7 Imunologia anual 8 Bioquímica anual 9 Fisioterapia Preventiva I anual 10 Saúde Coletiva anual 11 Gerontologia anual Sub-Total º ano 12 Neuroanatomia Humana 01, semestral 13 Fisiologia Geral anual 14 Processos Patológicos Gerais anual 15 Fisiologia do Exercício anual 16 Diagnóstico Cinesiofuncional anual 17 Cinesiologia e Biomecânica anual 18 Cinesioterapia anual 19 Fisioterapia Preventiva II anual 20 Farmacologia semestral 21 Microbiologia Geral semestral 22 Psicologia na Fisioterapia anual º ano 23 Recursos Terapêuticos Manuais semestral 24 Fisioterapia no Trabalho e Ergonomia anual 25 Fisioterapia Aquática anual 26 Fisioterapia em Prótese e Órtese Eletrotermofototerapia 13, anual 28 Fisioterapia Dermatofuncional e anual Endocrinologia 29 Psicomotricidade anual 30 Fisioterapia Pneumofuncional anual 31 Fisioterapia em Reumatologia semestral 32 Diagnóstico por Imagem anual

9 8 33 Fisioterapia em Geriatria anual 34 Fisioterapia na Saúde da Mulher anual 35 Bioética e Deontologia em Fisioterapia semestral Sub-Total º ano 36 Fisioterapia Ortopédica e Traumatológica 27, anual 37 Bioestatística semestral 38 Fisioterapia em Pediatria 17, anual 39 Pesquisa e Metodologia Científica Semestral 40 Administração e Gerenciamento em Fisioterapia 41 Métodos Não Convencionais em Fisioterapia anual 42 Fisioterapia Neurofuncional anual 43 Fisioterapia Cardiovascular 15, anual 44 Fisioterapia Desportiva anual Sub-Total º ano 45 Estágio Supervisionado em 1 ao anual Fisioterapia Pediátrica 46 Estágio Supervisionado em Fisioterapia Ortopédica e Traumatológica e 38 1 ao anual 47 Estágio Supervisionado em 1 ao 35, anual Fisioterapia Neurológica 42 e Estágio Supervisionado em 1 ao anual Geriatria e Saúde da Mulher 49 Estágio Supervisionado em 1 ao anual Fisioterapia em Unidade de Terapia e 42 Intensiva 50 Estágio Supervisionado em 1 ao anual Fisioterapia em Cardiorrespiratório 51 Estágio Supervisionado em 1 ao anual Fisioterapia Hospitalar e Estágio Supervisionado em 1 ao anual Fisioterapia Aquática 53 Trabalho de Conclusão de Curso 1 ao anual 37 e 39 Sub-Total TOTAL DE DISCIPLINAS Atividades Acadêmicas Complementares TOTAL DO CURSO

10 9 VI - CARGA HORÁRIA DO CURSO COM DESDOBRAMENTO DE TURMAS DISCIPLINA Ano Período C/H Total C/H Teórica C/H TEÓRICA C/H PRÁTICA TCC ESTÁGIO *A/D Teórica Total C/H Prática Nº de Grupos Sub- Total Prática Total Nº de alunos Total C/H Total de Ensino = =5 x 6 8 9= = º ano Anatomia Humana (prática básica) 1º ,5 382, ,5 Biofísica 1º Introdução à Pesquisa 1º Biologia Geral 1º Histologia e Embriologia (prática 1º básica) Sociologia e Antropologia 1º Imunologia 1º Bioquímica (prática básica) 1º Fisioterapia Preventiva I (APS) 1º Saúde Coletiva (APS) 1º Gerontologia (APS) 1º Sub-Total ,5 2371, ,5 2º ano Neuroanatomia Humana 2º ,5 127, ,5 Fisiologia Geral (prática básica) 2º Processos Patológicos Gerais 2º Fisiologia do Exercício 2º Diagnóstico Cinesiofuncional 2º Cinesiologia e Biomecânica 2º Cinesioterapia 2º Fisioterapia Preventiva II (APS) 2º Farmacologia 2º Microbiologia Geral (prática básica) 2º

11 10 Psicologia na Fisioterapia 2º Sub-Total ,5 1844,5 3136,5 3º ano Recursos Terapêuticos Manuais 3º ,5 127, ,5 (prática profissionalizante) Fisioterapia no Trabalho e Ergonomia 3º ,5 127, ,5 (prática profissionalizante) Fisioterapia Aquática (prática profissionalizante) Fisioterapia em Prótese e Órtese 3º ,5 127, ,5 (prática profissionalizante) Eletrotermofototerapia (prática 3º ,5 127, ,5 profissionalizante) Fisioterapia Dermatofuncional e 3º Endocrinologia Psicomotricidade 3º ,5 127, ,5 Fisioterapia Pneumofuncional 3º ,5 127, (prática profissionalizante) ,5 297,5 Fisioterapia em Reumatologia 3º (prática profissionalizante) Diagnóstico por Imagem 3º Fisioterapia em Geriatria 3º Fisioterapia na Saúde da Mulher 3º Bioética e Deontologia em 3º Fisioterapia Sub-Total º ano Fisioterapia Ortopédica e 4º ,5 297, ,5 Traumatológica ( APS) Bioestatística 4º Fisioterapia em Pediatria (APS) 4º ,5 297, ,5

12 11 Pesquisa e Metodologia Científica 4º (prática básica) Administração e Gerenciamento em 4º Fisioterapia Métodos Não Convencionais em Fisioterapia Fisioterapia Neurofuncional (APS) 4º ,70 148, , ,70 63,70 Fisioterapia Cardiovascular (prática 4º ,5 297, profissionalizante e APS) ,50 12,50 Fisioterapia Desportiva 4º Sub-Total ,4 1232, ,40 5º ano Trabalho de Conclusão de Curso 5º Estágio Supervisionado em Fisioterapia 5º ,50 892, ,50 Pediátrica Estágio Supervisionado em Fisioterapia 5º ,50 892, ,50 Ortopédica e Traumatológica Estágio Supervisionado em Fisioterapia 5º ,50 892, ,50 Neurológica Estágio Supervisionado em Geriatria 5º ,50 892, ,50 e Saúde da Mulher Estágio Supervisionado em Fisioterapia 5º ,50 892, ,50 em Unidade de Terapia Inten- siva Estágio Supervisionado em Fisioterapia 5º ,50 892, ,50 em Cardiorrespiratório Estágio Supervisionado em Fisioterapia 5º ,50 892, ,50 Hospitalar Estágio Supervisionado em Fisioterapia 5º Aquática Sub-Total ,5 6842, ,5 TOTAL , ,40

13 12 VII - QUADRO DE EQUIVALÊNCIA CURRÍCULO EM VIGOR CURRÍCULO PROPOSTO Código Disciplina C/H Código Disciplina C/H Anatomia 170 Anatomia Humana 170 Neuroanatomia Humana 68 Neuroanatomia Humana 68 Fisiologia Geral 170 Fisiologia Geral 170 Neurofisiologia Humana 68 Fisiologia do Exercício 102 Fisiologia do Exercício 68 Biofísica 68 Biofísica 68 Introdução à Pesquisa 34 Introdução à Pesquisa 34 Pesquisa e Metodologia Científica 68 Pesquisa e Metodologia Científica 34 Biologia Geral 68 Biologia Geral 68 Histologia e Embriologia 68 Histologia e Embriologia 68 Sociologia e Antropologia 68 Sociologia e Antropologia 34 Imunologia 34 Imunologia 34 Microbiologia Geral 68 Microbiologia Geral 68 Bioquímica 102 Bioquímica 102 Fisioterapia Preventiva I 102 Fisioterapia Preventiva I 102 Saúde Coletiva 102 Saúde Coletiva 102 Patologia Geral e Especial 136 Processos Patológicos Gerais 68 Diagnóstico Cinesiofuncional 136 Diagnóstico Cinesiofuncional 102 Cinesiologia e Biomecânica 136 Cinesiologia e Biomecânica 136 Cinesioterapia 136 Cinesioterapia 136 Psicomotricidade 68 Psicomotricidade 68 Fisioterapia Preventiva II 102 Fisioterapia Preventiva II 102 Farmacologia 68 Farmacologia 68 Psicologia na Fisioterapia 68 Psicologia na Fisioterapia 68 Recursos Terapêuticos Manuais 102 Recursos Terapêuticos Manuais 102 Fisioterapia Aquática 102 Fisioterapia Aquática 102 Eletrotermofototerapia 102 Eletrotermofototerapia 102 Física em Fisioterapia 34

14 13 Fisioterapia em Dermatolfuncional e Endocrinologia 102 Fisioterapia em Dermatofuncional e Endocrinologia 68 Fisioterapia em Pneumofuncional 136 Fisioterapia Pneumofuncional 136 Fisioterapia em Reumatologia 102 Fisioterapia em Reumatologia 68 Fisioterapia no Trabalho e Ergonomia 136 Fisioterapia no Trabalho e Ergonomia 68 Fisioterapia em Prótese e Órtese 68 Fisioterapia em Prótese e Órtese 68 Diagnóstico por Imagem 68 Diagnóstico por Imagem 68 Gerontologia 102 Gerontologia 102 Fisioterapia em Geriatria 102 Fisioterapia em Geriatria 68 Bioestatística 68 Bioestatística 34 Fisioterapia na Saúde da Mulher 102 Fisioterapia na Saúde da Mulher 68 Fisioterapia Ortopédica e Traumatológica 170 Fisioterapia Ortopédica e Traumatológica 136 Fisioterapia em Pediatria e Neonatologia 170 Fisioterapia em Pediatria 136 Administração de Serviços de Fisioterapia 68 Administração e Gerenciamento em Fisioterapia 68 Métodos Não Convencionais em Fisioterapia 68 Métodos Não Convencionais em Fisioterapia 68 Fisioterapia Neurofuncional 170 Fisioterapia Neurofuncional 136 Fisioterapia Cardiovascular 136 Fisioterapia Cardiovascular 136 Fisioterapia Desportiva 102 Fisioterapia Desportiva 68 Trabalho de Conclusão de Curso 68 Trabalho de Conclusão de Curso 34 Bioética e Deontologia em Fisioterapia 34 Bioética e Deontologia em Fisioterapia 34 Estágio Supervisionado em Fisioterapia em Cardiorespiratória Hospitalar Estágio Supervisionado em Fisioterapia em Cardiorespiratória clínica Estágio Supervisionado em Fisioterapia em Unidade de Terapia Intensiva Estágio Supervisionado em Fisioterapia Geral Hospitalar Estágio Supervisionado em Fisioterapia em Ortopedia e Traumatologia Clínica Estágio Supervisionado em Fisioterapia em Cardiorespiratória 102 Estágio Supervisionado em Fisioterapia em Unidade de 102 Terapia Intensiva 102 Estágio Supervisionado em Fisioterapia Hospitalar Estágio Supervisionado em Fisioterapia em Ortopedia e Traumatologia

15 14 Observações: Estágio Supervisionado em Fisioterapia Pediátrica 102 Ortopédica Clínica Estágio Supervisionado em Fisioterapia Pediátrica 102 Estágio Supervisionado em Fisioterapia Pediátrica 102 Neurológica Clínica Estágio Supervisionado em Fisioterapia Neurológica 102 Estágio Supervisionado em Fisioterapia Neurológica 102 Clínica Estágio Supervisionado em Fisioterapia Aquática 102 Estágio Supervisionado em Fisioterapia Aquática 68 Estágio Supervisionado em Fisioterapia Geral 102 Estágio Supervisionado em Geriatria e Saúde da Mulher Devem constar todas as disciplinas do Projeto Político Pedagógico em vigor e do projeto proposto, mesmo as disciplinas que não têm equivalência 2 O quadro de equivalência deve ser utilizado nos casos de retenção e trancamento

16 15 VIII PLANO DE IMPLANTAÇÃO Ano: ano: disciplinas do projeto novo 2 ano: disciplinas do projeto anterior 3 ano: disciplinas do projeto anterior 4 ano: disciplinas do projeto anterior 5 ano: disciplinas do projeto anterior Ano: ano: disciplinas do projeto novo 2 ano: disciplinas do projeto novo 3 ano: disciplinas do projeto anterior 4 ano: disciplinas do projeto anterior 5 ano: disciplinas do projeto anterior Ano: ano: disciplinas do projeto novo 2 ano: disciplinas do projeto novo 3 ano: disciplinas do projeto novo 4 ano: disciplinas do projeto anterior 5 ano: disciplinas do projeto anterior Ano: ano: disciplinas do projeto novo 2 ano: disciplinas do projeto novo 3 ano: disciplinas do projeto novo 4 ano: disciplinas do projeto novo 5 ano: disciplinas do projeto anterior Ano: ano: disciplinas do projeto novo 2 ano: disciplinas do projeto novo 3 ano: disciplinas do projeto novo 4 ano: disciplinas do projeto novo 5 ano: disciplinas do projeto novo

17 16 IX - EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 1º ANO Disciplina: ANATOMIA HUMANA Ementa: Estudo teórico-prático dos conceitos, divisões, sistematizações, classificações, nomenclaturas e significados dos termos anatômicos Estudo dos sistemas: ósseo, articular, muscular, cardiovascular, digestório, circulatório, respiratório, urinário, genital masculino e feminino, endócrino e noções dos órgãos do sentido Estudo regional de membros superiores e inferiores, tórax, abdome, pelve, períneo, cabeça e pescoço Relacionando-os ao entendimento na Fisioterapia e na pesquisa Disciplina: BIOFÍSICA Ementa: Estudo biofísico das membranas e sistemas biológicos, princípios de trocas gasosas, e processos biofísicos da bioenergia, termodinâmica, água e soluções Mecanismos de contração muscular, circulação sanguínea, sistema cardiovascular, manutenção do ph radioatividade e eletromagnetismo Transporte através de membranas celulares, potencial de membrana, potencial de ação Transmissão sináptica Equilíbrio ácido-básico Equilíbrio hídrico e eletrolítico Princípios físicos da hemodinâmica Relacionando o entendimento dessa funções à Fisioterapia e à pesquisa científica Disciplina: INTRODUÇÃO À PESQUISA Ementa: Estudo da metodologia á iniciação á pesquisa Diferenciação da consulta, tipos, fases e problemas Iniciação do trabalho de pesquisa científica: estrutura e apresentação Pesquisa bibliográfica, coleta de dados, tabulação e análise de dados Introdução de pesquisa em Fisioterapia Disciplina: BIOLOGIA GERAL Ementa: Noções de microscopia A célula no nível molecular Morfofisiologia dos componentes celulares e suas interações Ciclo celular e meiose Gametogênese Fecundação Fundamentos da estrutura genômica Mutação gênica e Reparo do material genético Fundamentos das doenças com etiologia genética devido às alterações monogênicas Anormalidades Cromossòmicas Genética dos Distúrbios de Herança Complexa Semiologia e Informação Genética Genética Molecular na área Médica Disciplina: HISTOLOGIA EM EMBRIOLOGIA Ementa: Estudo dos aspectos gerais da reprodução, gametogênese, fecundação e ciclo menstrual Estudo das quatro primeiras semanas da embriogênese humana Teratologia Métodos de estudo em Histologia Tecido epitelial Tecido conjuntivo propriamente dito e especiais: adiposo, cartilaginoso, ósseo, sangüíneo, Tecido muscular Tecido nervoso Interrelacionando estes estudos com a aplicação da Fisioterapia

18 17 Disciplina: SOCIOLOGIA E ANTROPOLOGIA Ementa: Estudo dos conceitos básicos em sociologia e antropologia a partir das relações entre ciências naturais e ciências sociais Análise dos elementos constitutivos da sociedade moderna e identificação dos determinantes sociais no processo de saúde e doença O papel das políticas sociais de saúde no Brasil contemporâneo Relação fisioterapeuta/paciente Vida social do paciente Disciplina: IMUNOLOGIA Ementa: Estudo das principais estruturas: células, tecidos e órgãos através dos mecanismos do sistema imunológico Principais formas de profilaxia das doenças infecciosas e imunoterapia preventiva Mecanismos de imunidade às infecções fúngicos, bacterianas, virais e parasitárias aos transplantes, tumores e hipersensibilidades Interrelacionando com a Fisioterapia Disciplina: BIOQUIMICA Ementa: Estudos dos constituintes bioquímicos das células e suas funções (aminoácidos, carboidratos, proteínas e enzimas Bioenergética Vias catabólicas, anabólicas e suas interrelações Integração e regulação hormonal do metabolismo no nível celular e do organismo Bioquímica qualitativa e quantitativa, relacionando-a com a Fisioterapia Disciplina: FISIOTERAPIA PREVENTIVA I Ementa: Estudo da atuação e dos recursos da Fisioterapia nos diversos níveis da saúde, com ênfase na atenção primária, para evitar o desenvolvimento e ou o agravamento de processos patológicos que promovem necessidade de atendimento profissional de saúde a níveis mais complexos Disciplina: SAÚDE COLETIVA Ementa: Estudo da Saúde Pública e o processo saúde-doença Políticas de Saúde Princípios, diretrizes e funcionamento do SUS Fundamentos da epidemiologia, vigilância epidemiológica e sistema de informação em saúde Principais doenças objeto de notificação compulsória Principais programas de saúde nacionais Origem, característica e evolução do Programa Saúde da Família Papel do fisioterapeuta como agente de saúde Disciplina: GERONTOLOGIA Ementa: Estudo do processo do envelhecimento sob os aspectos bio-psico-sociais interdisciplinar Realidade demográfica e epidemiológica Políticas públicas O idoso na família, na comunidade e no estado Longevidade, finitude, qualidade de vida e bioética do envelhecimento Prevenção e reabilitação gerontológica Questões metodológicas na pesquisa sobre velhice e envelhecimento direcionados á Fisioterapia

19 18 2º ANO Disciplina: NEUROANATOMIA HUMANA Ementa: Estudo da embriologia e organização geral do sistema nervoso Medula espinhal e envoltórios Tronco encefálico Cerebelo Diencéfalo Telencéfalo Meninges e líquor Vascularização do sitema nervoso central Nervos espinhais (plexo braquial e lombo-sacro) Sistema Nervoso Autônomo Estrutura: medula espinhal e encéfalo Vias aferentes e vias eferentes Correlacionando a neuroanatomia com a Fisioterapia Disciplina: FISIOLOGIA GERAL Ementa: Estudo das funções dos principais órgãos e sistemas do corpo humano e sua integração, assim como os princípios que controlam essas funções e sua relação com o meio, relacionando se entendimento com a Fisioterapia e a pesquisa científica Disciplina: PROCESSOS PATOLÓGICOS GERAIS Ementa: Estudo micro e macro-anatômico, descritivo, comparado e funcional, do dismorfismo e da disfunção das células, tecidos, órgãos e sistemas Estudo da fisiopatologia das principais doenças do corpo humano relacionando-o à Fisioterapia nas diversos níveis de atuação Disciplina: FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO Ementa: Estudo das reações e comportamento humano durante o exercício físico Repercussões imediatas e tardias do esforço sobre os diversos sistemas orgânicos, especialmente o cardiovascular e o respiratório Habilidades motoras individuais: avaliação e interpretação de resultados Fundamentos biológicos do exercício físico aplicados à reabilitação física nos vários níveis de atuação Disciplina: DIAGNÓSTICO CINESIOFUNCIONAL Ementa: Estudos dos métodos e técnicas de avaliação cinesiofuncional Propedêutica da coluna vertebral e extremidades Palpação, testes especiais, exame do movimento, avaliação funcional Avaliação da marcha e postura corporal Disciplina: CINESIOLOGIA E BIOMECÂNICA Ementa: Estudo do movimento do corpo humano sob o aspecto mecânico e funcional com aplicação das leis da biomecânica quantitativa, sob os aspectos da cinemática e cinética do movimento humano

20 19 Disciplina: CINESIOTERAPIA Ementa: Estudo dos métodos e técnicas do exercício terapêutico, seus valores clínicos, efeitos fisiológicos, indicação e contra-indicação, aplicação nos métodos e técnicas de mobilização articular A- plicação do movimento, sob forma terapêutica Treinamento das qualidades físicas como força, flexibilidade, resistência, coordenação, propriocepção articular Disciplina: FISIOTERAPIA PREVENTIVA II Ementa: Estudo e atuação da Fisioterapia Preventiva nos diversos níveis, como: prevenção de acidentes do trabalho, estimulação precoce do desenvolvimento infantil; prevenção da hipertensão; prevenção de distúrbios posturais; prevenção de disfunção respiratória e prevenção de acidentes em esportes Disciplina: FARMACOLOGIA Ementa: Estudo das vias de administração dos medicamentos, farmacocinética e farmacodinâmica dos principais grupos de fármacos, com ênfase sobre as drogas de aplicação em pacientes submetidos a tratamentos fisioterapêuticos, com ênfase em pediatria, ginecologia, ortopedia e traumatologia, geriatria, cardiopulmonar, neurologia, dermatologia, reumatologia e desportiva Disciplina: MICROBIOLOGIA GERAL Ementa: Estudo das características gerais de agentes microbianos, bactérias, fungos, vírus e suas patogenias, com conhecimento das estruturas, fisiologia, nutrição, genética e metabolismo de microrganismos e biotecnologia aplicada à Saúde Interação microrganismos-homem-ambiente Relações inter e intra-espécie Ação de agentes físicos e químicos sobre os microrganismos Mecanismos de patogenicidade microbiana Bacteriologia, Micologia e Virologia aplicada à Saúde e à Fisioterapia Disciplina: PSICOLOGIA NA FISIOTERAPIA Ementa: O que é psicologia, suas principais teorias e autores; Principais princípios e fases da psicologia do desenvolvimento (aspectos bio-psico-sociais impulsionando desenvolvimento); Diferentes perspectivas de saúde mental e fatores que a alteram; Análise funcinoal do comportamento humano 3º ANO Disciplina: RECURSOS TERAPÊUTICOS MANUAIS Ementa: Estudo dos métodos e técnicas de terapias manuais, seus valores clínicos, efeitos fisiológicos, indicação e contra-indicação, sob forma terapêutica, nos diversos níveis de atuação

21 20 Disciplina: FISIOTERAPIA NO TRABALHO E ERGONOMIA Ementa: Estudo da aplicação da ergonomia que embasam a atuação fisioterapêutica na melhoria da qualidade de vida do trabalhador, principalmente como forma preventiva Disciplina: FISIOTERAPIA AQUÁTICA Ementa: Estudo da utilização da água e suas propriedades, como agente terapêutico Efeitos fisiológicos, indicação e contra-indicação e a prática na utilização de métodos e técnicas para hidrotermoterapia, principalmente como forma preventiva Disciplina: FISIOTERAPIA EM PRÓTESE E ÓRTESE Ementa: Estudo dos níveis das amputações, suas causas, indicações, incidências e conseqüências Estudo de diferentes tipos de próteses e órteses (Membros superiores, membros inferiores e coluna vertebral) suas funções, indicações gerais, objetivos e confecção Fisioterapia no pré e pósamputadoconsiderações psicológicas dos pacientes amputado Alterações biomecânicas dos amputados e usuários de próteses e órteses Treino de marcha do paciente amputado e usuários de próteses e órteses Cuidados preventivos Disciplina: ELETROTERMOFOTOTERAPIA Ementa: Estudo das propriedades, valores clínicos, efeitos fisiológicos, técnicas de aplicação, indicações e contra-indicações das variadas correntes elétricas empregadas na prática fisioterapêutica nos diverso níveis de atuação, principalmente na prevenção Disciplina: FISIOTERAPIA DERMATOFUNCIONAL E ENDOCRINOLOGIA Ementa: Estudo morfofisiológico da pele e seus componentes Principais patologias dermatológicas e seus tratamentos fisioterapêuticos Procedimentos fisioterapêuticos no paciente com seqüelas de queimadura Fisioterapia estética nos diversos níveis de atuação, principalmente na prevenção Disciplina: PSICOMOTRICIDADE Ementa: Estudo dos aspectos funcionais do sistema nervoso central e periférico através do desenvolvimento psicomotor normal do ser humano e sua relação com a prática fisioterapêutica Psicomotricidade do deficiente físico

22 21 Disciplina: FISIOTERAPIA PNEUMOFUNCIONAL Ementa: Estudo dos principais distúrbios do sistema respiratório, (inflamatórios, infecciosos, degenerativos, congênitos e adquiridos), promovendo a interação com o tratamento fisioterapêutico nas diferentes fases das doenças pulmonares Desenvolvimento na formação básica e fundamental nos princípios metodológicos, técnicas e recursos fisioterapêuticos empregados no tratamento das patologias pulmonares crônicas e agudas, nos diversos níveis de atuação, principalmente preventivo Disciplina: FISIOTERAPIA EM REUMATOLOGIA Ementa: Estudo dos principais distúrbios reumatológicos inflamatórios, infecciosos e degenerativos, congênitos e adquiridos Tratamento fisioterapêutico em diferentes fases das doenças, principalmente no nível preventivo Disciplina: DIAGNÓSTICO POR IMAGEM Ementa: Estudo e interpretação das principais formas de diagnóstico por imagem: radiologia, ultrasonografia, tomografia computadorizada, ressonância magnética e demais formas de imagenologia, relacionando suas aplicações à Fisioterapia Disciplina: FISIOTERAPIA EM GERIATRIA Ementa: Estudo da fisiologia do processo do envelhecimento Principais patologias geriátricas e tratamento fisioterapêutico Prevenção e manutenção da qualidade de vida do idoso Prevenção de fatores limitantes na terceira idadetrabalho multidisciplinar na terapêutica do idoso Disciplina: FISIOTERAPIA NA SAÚDE DA MULHER Ementa: Estudo das bases anátomo-fisiológicas em ginecologia Fisiologia e principais patologias do ciclo gravídico-puerperal Conceituação de gestação, parto e puerpério Principais síndromes clínicas e cirúrgicas em ginecologia Câncer de mama e mastectomia Prevenção e análise fisioterapêutica em ginecologia e obstetrícia Avaliação, programação e tratamento fisioterapêutico nas diversas condições ginecológicas e obstétricas Disciplina: BIOÉTICA E DEONTOLOGIA EM FISIOTERAPIA Ementa: Estudo da história da fisioterapia no Brasil e no mundo Referencial teórico, filosófico e científico das práticas em fisioterapia Aspectos filosóficos da ética e deontologia As leis, decretos e resoluções que regem a fisioterapia no Brasil Análise dos princípios legais da legislação da profissão e suas implicações Deontologia, fundamentação moral, ética, vida e saúde

23 22 4º ANO Disciplina: FISIOTRAPIA ORTOPÉDICA E TRAUMATOLÓGICA Ementa: Estudo da fisiopatologia dos sistemas que compõem o sistema osteomioarticlar (MMSS, MMII e coluna vertebral), aplicação dos métodos e técnicas de avaliação, prevenção e tratamento fisioterapêutico em pacientes ortopédicos e traumatológicos Disciplina: BIOESTATÍSTICA Ementa: Introdução á estatística descritiva: tabelas, gráficos, distribuição de freqüências, medidas de posição e dispersão, assimetria e curtose Amostragem Introdução à regressão e correlação simples Disciplina: FISIOTERAPIA EM PEDIATRIA Ementa: Estudo das disfunções neuro-músculo-esqueléticas congênitas ou adquiridas; métodos, técnicas e recursos de avaliação fisioterapêutica de crianças Trabalho interdisciplinar e de orientação familiar Desenvolvimento normal da criança de 0 a 12 meses Estudo clínico e patológico dos principais distúrbios que atingem o desenvolvimento infantil, congênitos e adquiridos Tratamento fisioterapêutico em diferentes fases das doenças pediátricas, principalmente como forma preventiva Disciplina: PESQUISA E METODOLOGIA CIENTÍFICA Ementa: Estudo do desenvolvimento científico, dos níveis de conhecimento e do espírito científico Normas e técnicas para eficiência nos estudos Normas básicas de preparo e apresentação de trabalhos de iniciação científica Métodos de pesquisa aplicados à fisioterapia Informática em pesquisa em Fisioterapia Disciplina: ADMINISTRAÇÃO E GERENCIAMENTO EM FISIOTERAPIA Ementa: Estudo das relações humanas, sistemas de comunicação, relações públicas, montagem e manutenção de serviços de Fisioterapia Conceitos e processo administrativo na área de Saúde Desenho e planta física de serviços de Fisioterapia Administração e controle de pessoal; realização de orçamentos e programas; discussão sobre possibilidades de política de atuação de Fisioterapia Conhecimento em supervisão e orientação de pessoal e pacientes Disciplina: MÉTODOS NÃO CONVENCIONAIS EM FISIOTERAPIA Ementa: Estudo do histórico, princípios, diagnóstico, indicações e contra-indicações das principais técnicas não convencionais em fisioterapia Noções de acupuntura, shiatsu, do in, reflexologia, magnetoterapia e cromoterapia

24 23 Disciplina: FISIOTERAPIA NEUROFUNCIONAL Ementa: Estudo dos distúrbios do sistema neuromuscular Métodos e técnicas da avaliação e tratamento fisioterapêutico, principalmente de forma preventiva Reeducação neuromuscular, nas afecções neurológicas mais comumente tratadas pelo fisioterapeuta, tais como: Acidente Vascular Cerebral, Traumatismo Crânio-Encefálico, Traumatismo Medular, Síndrome de Parkinson, Síndromes Paralíticas Periféricas, Miopatias e Amiotrofias Disciplina: FISIOTERAPIA CARDIOVASCULAR Ementa: Estudo anatomofisiológico do sistema cardiovascular e de condução; da clínica e patologias dos principais distúrbios que atingem o sistema cardiovascular (inflamatórios, infecciosos, degenerativos, congênitos e adquiridos); do tratamento fisioterapêutico em diferentes fases das doenças cardiovasculares ao paciente clínico e cirúrgico, principalmente de forma preventiva Disciplina: FISIOTERAPIA DESPORTIVA Ementa: Estudo dos princípios metodológicos, cinesiofuncionais e terapêuticos preventivos e curativos aplicados ao esporte Fundamento da fisioterapia no treinamento físico e lesões desportivas 5º ANO Disciplina: ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM FISIOTERAPIA PEDIÁTRICA Ementa: Prática supervisionada de fisioterapia pediátrica neurológica em ambulatório, com desenvolvimento de avaliação, prescrição e intervenção fisioterapêutica nos diferentes níveis de atuação, principalmente preventivo Disciplina: ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM FISIOTERAPIA ORTOPÉDICA E TRAU- MATOLÓGICA Ementa: Prática supervisionada de fisioterapia ortopédica e traumatológica em ambulatório, com desenvolvimento de avaliação, prescrição e intervenção fisioterapêutica nos diferentes níveis de atuação, principalmente preventivo Disciplina: ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM FISIOTERAPIA NEUROLÓGICA Ementa: Prática supervisionada de fisioterapia neurológica em ambulatório, com desenvolvimento de avaliação, prescrição e intervenção fisioterapêutica nos diferentes níveis de atuação, principalmente preventivo

25 24 Disciplina: ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM GERIATRIA E SAÚDE DA MULHER Ementa: Prática supervisionada de fisioterapia geriátrica e saúde da mulher, com desenvolvimento de avaliação, prescrição e intervenção fisiotererapêutica em diferentes níveis de atuação Disciplina: ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM FISIOTERAPIA EM UNIDADE DE TERA- PIA INTENSIVA Ementa: Prática supervisionada de fisioterapia em unidade de terapia intensiva, com desenvolvimento de avaliação, prescrição e intervenção fisioterapêutica nos diferentes níveis de atuação, principalmente preventivo Disciplina: ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM FISOTERAPIA EM CARDIORRESPITA- TÓRIA Ementa: Prática supervisionada de fisioterapia cardio-respiratória hospitalar, com desenvolvimento de avaliação, prescrição e intervenção fisioterapêutica nos diferentes níveis de atuação, principalmente preventivo Disciplina: ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM FISIOTERAPIA HOSPITALAR Ementa: Prática supervisionada em fisioterapia geral hospitalar, com desenvolvimento de avaliação, prescrição e intervenção fisioterapêutica nos diferentes níveis de atuação, principalmente preventivo Disciplina: ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM FISIOTERAPIA AQUÁTICA Ementa: Prática supervisionada de fisioterapia aquática em ambulatório, com desenvolvimento de avaliação, prescrição e intervenção fisiotererapêutica em diferentes níveis de atuação Disciplina: TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Ementa: Elaboração e redação de projeto de pesquisa, aprovação no Comitê de Ética em Pesquisa envolvendo humanos, ou aprovação no Comitê de Ética envolvendo animais, com fundamentação teórica, desenvolvimento da pesquisa de campo ( se for o caso), redação do trabalho de monografia, com apresentação dos dados coletados a banca julgadora

26 25 X - DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES PRÁTICAS a) DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES PRÁTICAS DE LABORATÓRIO, DE SALA OU DE CAMPO As atividades práticas são proporcionadas aos acadêmicos, vinculadas à teoria dentro de cada disciplina em seu plano de ensino As atividades têm a finalidade de proporcionar vivência dos conceitos teóricos através de realizações práticas O acadêmico inicia essas atividades desde o primeiro ano do curso, nas disciplinas básicas e pré-profissionalizantes A partir do segundo ano desenvolve se essas atividades nas disciplinas pré-profissionalizantes e profissionalizantes Essas atividades são desenvolvidas sob forma de aula prática (P) compostas por turmas de no máximo 2 grupo com 20 alunos nas disciplinas básicas e 15 nas pré-profissionalizantes, visto que grupos maiores comprometem o aprendizado do aluno e necessitaria de laboratórios maiores b) DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS (APS) As APS são realizadas desde o primeiro ano do curso até o quarto ano, ficando o quinto e último ano destinado para prática em formato de estágio supervisionado A APS tem caráter prático, sob supervisão do docente da disciplina, onde o aluno coloca em prática com pacientes o que aprendeu nas atividades de aulas práticas ou teóricas Neste momento os alunos desenvolvem atividades envolvendo as técnicas de tratamento e avaliação em paciente, porém a responsabilidade como profissional da saúde, é atribuída ao professor, que deve traçar o plano de tratamento, cabendo aos alunos a execução do mesmo Cabe ressaltar que este é o momento para adquirir novas técnicas de tratamento, além de a- primorar aquelas já adquiridas por meio das aulas práticas e/ou teóricas As APS são realizadas no âmbito da Unioeste, bem como em outros diversos locais conveniados Para as APS s os acadêmicos contidos na série, serão divididos em 7 grupo de no máximo 6 alunos, que deverão cumprir carga horária total de cada APS da disciplina em forma de rodízio Os grupos deverão conter 6 alunos no máximo, uma vez que estas atividades requer presença de paciente, em locais com pouco espaço como leito de hospitais, unidades básicas de saúde, domicílios e outros Cabe ressaltar que em grupos mais numerosos, seria necessário despenderem mais docentes, para não comprometer o aprendizado do aluno DESCRIÇÃO DAS PRÁTICAS COMO COMPONENTES CURRICULARES XI - DESCRIÇÃO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Os Estágios Supervisionados (ES) são realizados no quinto ano, com desenvolvimentos das atividades práticas supervisionadas por um docente supervisor, subdivididos em turmas de no máximo seis acadêmicos para cada supervisor, garantindo a carga horária total para cada grupo e obedecendo a regulamentação específica Essas atividades são desenvolvidas na Clínica de Fisioterapia da Universidade, no Hospital Universitário, podendo também ser desenvolvidas em instituições conveniadas que ofereçam serviços com habilidades para as áreas da Fisioterapia XII - DESCRIÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) tem a finalidade de conduzir o acadêmico para projetos de pesquisa, preparando-o para uma futura pós-graduação na área da Fisioterapia Permite ao acadêmico um aprofundamento maior na área escolhida, gerando espírito crítico e de criação ao ambiente de pesquisa que irá atuar Cada acadêmico tem um professor orientador, que o auxilia na elaboração do projeto de pesquisa A conclusão do trabalho consta de defesa oral e escrita sobre o tema desenvol-

27 26 vido Os TCC s podem ser desenvolvidos nas sub-áreas concentradas dentro da grande área da saúde, biológicas, educação, ciências exatas e tecnológicas O TCC deverá ser desenvolvido na modalidade de monografia O TCC tem regulamento próprio XIII DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES As atividades complementares (AC) são validadas mediante apresentação de certificado deferido pelo colegiado de curso, contendo a descrição da atividade desenvolvida, local e carga horária assinado pelo responsável São consideradas como atividades complementares: eventos científicos, apresentação de trabalhos, palestras, estágios, monitorias, projetos de pesquisa, projetos de extensão, disciplinas cursadas em outros cursos de áreas afins, qualquer outra atividade na área da Fisioterapia XIV - DESCRIÇÃO DA PESQUISA As pesquisas são desenvolvidas com a interação de temas relativos à Fisioterapia, sob orientação de um coordenador nos modelos específicos da Universidade inseridos no contexto do curso ou áreas afins XV - DESCRIÇÃO DA EXTENSÃO As atividades de extensão são desenvolvidas com a interação de temas relativos à Fisioterapia, sob orientação de um coordenador nos modelos específicos da Universidade inseridos no contexto do curso ou áreas afins, dentro e fora dos ambientes acadêmicos

CURSO DE BACHARELADO EM FISIOTERAPIA-FORMAÇÃO FISIOTERAPEUTA

CURSO DE BACHARELADO EM FISIOTERAPIA-FORMAÇÃO FISIOTERAPEUTA CURSO DE BACHARELADO EM FISIOTERAPIA-FORMAÇÃO FISIOTERAPEUTA Coordenaçăo: Profª. Esp. Lidiane Alves Dias E-mail: fisioterapia@immes.com.br Telefone (96)3223-4244 ramal: 219 Conceito É uma ciência da Saúde

Leia mais

Avaliar, sistematizar e decidir as condutas mais adequadas, baseadas em evidências científicas;

Avaliar, sistematizar e decidir as condutas mais adequadas, baseadas em evidências científicas; CURSO: FISIOTERAPIA Missão O curso de Fisioterapia da Universidade Estácio de Sá, através de uma estrutura embasada em princípios contemporâneos, tem por missão a formação de um fisioterapeuta generalista,

Leia mais

CURSO: ENFERMAGEM. Objetivos Específicos 1- Estudar a evolução histórica do cuidado e a inserção da Enfermagem quanto às

CURSO: ENFERMAGEM. Objetivos Específicos 1- Estudar a evolução histórica do cuidado e a inserção da Enfermagem quanto às CURSO: ENFERMAGEM Missão Formar para atuar em Enfermeiros qualificados todos os níveis de complexidade da assistência ao ser humano em sua integralidade, no contexto do Sistema Único de Saúde e do sistema

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Ementas das Disciplinas CURSO DE GRADUAÇÃO DE FISIOTERAPIA ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades complementares correspondem a 204 horas realizadas nos diferentes espaços proporcionados

Leia mais

Anatomia Humana I N/H 72 4. Biofísica N/H 72 4. Biologia Celular e Molecular N/H 72 2. Fundamentos de Fisioterapia N/H 36 2

Anatomia Humana I N/H 72 4. Biofísica N/H 72 4. Biologia Celular e Molecular N/H 72 2. Fundamentos de Fisioterapia N/H 36 2 Faculdades Integradas do Extremo Sul da Bahia Portaria MEC n º 1.77, de 13 de junho de 00 CURSO DE FISIOTERAPIA Estrutura Curricular 1º PERÍODO Anatomia Humana I N/H 7 Biofísica N/H 7 Biologia Celular

Leia mais

Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1

Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1 Curso de Graduação em MEDICINA Plano Curricular Pleno 2014/1 MED-100 - Unidades de Ensino da área de conhecimento das bases moleculares e celulares dos processos normais e alterados, da estrutura e função

Leia mais

DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA

DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA Carga Horária: Especificação DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA Nº de Horas Carga Horária da Grade Curricular 3.060 204 Carga Horária de s 900 60 Carga Horária de Disciplinas Eletivas Obrigatórias 90 06 CARGA

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISICIPLINAS DO CURSO DE FISIOTERAPIA (Currículo iniciado em 2010)

EMENTÁRIO DAS DISICIPLINAS DO CURSO DE FISIOTERAPIA (Currículo iniciado em 2010) EMENTÁRIO DAS DISICIPLINAS DO CURSO DE FISIOTERAPIA (Currículo iniciado em 2010) ADMINISTRAÇÃO EM FISIOTERAPIA C/H 68 (2435) Introdução, princípios, bases legais e elementos da administração. Atuação da

Leia mais

Bacharelado em Fisioterapia

Bacharelado em Fisioterapia Curso: Bacharelado em Fisioterapia Portaria de Autorização n 536, de 25 de Agosto de 2014 Publicado em 26 de Agosto de 2014 Diploma em: Bacharel em Fisioterapia Período de Integralização: Mínimo 10 (Dez)

Leia mais

Curso: Fisioterapia Currículo: 2. Estágios obrigatórios. Atividades Complementares. Disciplina Optativa. Disciplinas Pré Req.

Curso: Fisioterapia Currículo: 2. Estágios obrigatórios. Atividades Complementares. Disciplina Optativa. Disciplinas Pré Req. INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RAIMUNDO SÁ - FACULDADE R.SÁ Curso: Fisioterapia Currículo: 2 Modalidade: Bacharelado Período de Integração: 4,5 anos Máximo: 8 anos Matriz Curricular Conteúdos obrigatórios

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no 2º semestre letivo de 2001 para os alunos matriculados no 4º semestre.

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no 2º semestre letivo de 2001 para os alunos matriculados no 4º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 38/2001 ALTERA O CURRÍCULO DO CURSO DE ENFERMAGEM, REGIME SERIADO SEMESTRAL, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso

Leia mais

CURSO DE MEDICINA - MATRIZ CURRICULAR 2013

CURSO DE MEDICINA - MATRIZ CURRICULAR 2013 CURSO DE MEDICINA - MATRIZ CURRICULAR 2013 Eixos longitudinais, conteúdos e objetivos cognitivos psicomotores Eixos transversais, objetivos Per. 1º Ano eixo integrador: O CORPO HUMANO CH INT. COMUM. HAB.

Leia mais

Especialização em Fisioterapia Traumato-Ortopédica Funcional - NOVO

Especialização em Fisioterapia Traumato-Ortopédica Funcional - NOVO Especialização em Fisioterapia Traumato-Ortopédica Funcional - NOVO Apresentação Previsão de Início Agosto Inscrições em Breve - Turma 01 - Campus Stiep O curso de Especialização em Fisioterapia Traumato-Ortopédica

Leia mais

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 64823 MICROBIOLOGIA GERAL 17/34 ODONTOLOGIA MICROBIOLOGIA

Leia mais

Aprovado no CONGRAD: 14.02.06 Vigência: ingressos a partir de 2006/2 CÓD. 1548 CURSO DE MEDICINA

Aprovado no CONGRAD: 14.02.06 Vigência: ingressos a partir de 2006/2 CÓD. 1548 CURSO DE MEDICINA Aprovado no CONGRAD: 14..06 Vigência: ingressos a partir de 2006/2 CÓD. 48 CURSO DE MEDICINA EIXOS TRANSVERSAIS E ÁREAS DO CONHECIMENTO DO CURRÍCULO PLENO ACADÊMI COS I FUNDAMENTOS CONCEITUAIS DO CURSO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 02/2011 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO Aprova a estrutura curricular do Curso de Nutrição, na modalidade bacharelado,

Leia mais

LISTAGEM DAS UNIDADES DE ENSINO OFERTADAS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM 2015/2 * EM REGIME DE DEPENDÊNCIA/ADAPTAÇÃO

LISTAGEM DAS UNIDADES DE ENSINO OFERTADAS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM 2015/2 * EM REGIME DE DEPENDÊNCIA/ADAPTAÇÃO Administração de Adm. em Serviços de Enfermagem Hospitalar Enfermagem Administração Mercadológica I / Marketing / Administração Mercadológica II Algoritmos e Técnicas de Programação Análise Ambiental Biomedicina

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado (Currículo iniciado 2012)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado (Currículo iniciado 2012) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado (Currículo iniciado 2012) ANÁLISE BIOMECÂNICA DO MOVIMENTO (1504) C/H 68 Análise anátomo-funcional do movimento humano com ênfase no

Leia mais

CARGA CURSO DISCIPLINA

CARGA CURSO DISCIPLINA CARGA CURSO DISCIPLINA HORARIA Administração AD ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS II 40 AD CONTABILIDADE E CUSTOS II 40 AD CONTABILIDADE GERENCIAL 40 AD ECONOMIA INDUSTRIAL 40 AD ESTATÍSTICA

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAI CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MEDICINA - BACHARELADO EMENTAS DISCIPLINAS MATRIZ 3 1º AO 3º PERÍODO 1 º Período C.H. Teórica: 90 C.H. Prática: 90 C.H. Total: 180 Créditos: 10

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 012/2007 CONSUNIV

RESOLUÇÃO Nº 012/2007 CONSUNIV RESOLUÇÃO Nº 012/2007 CONSUNIV Fixa o currículo do Curso de Graduação em Medicina, na modalidade Bacharelado, da Universidade do Estado do Amazonas. A REITORA DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS e PRESIDENTE

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 104-GR/UNICENTRO, DE 28 DE MAIO DE 2014. Especifica a estrutura curricular do Curso de Especialização em Atividade Física e Saúde, modalidade de educação a distância, aprovado pela Resolução

Leia mais

Cré d. Cód Sem Módulo Ementa Créd

Cré d. Cód Sem Módulo Ementa Créd Conselho Universitário - CONSUNI Câmara de Ensino Curso de Graduação em Odontologia da UNIPLAC Quadro de Equivalência para Fins de Aproveitamento de Estudos entre duas Estruturas Curriculares Modulares

Leia mais

A Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições;

A Câmara Superior de Ensino do Conselho Universitário da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº /2010 Altera a estrutura curricular do Curso de Graduação em Medicina, do Centro

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 81/2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Altera a Resolução nº. 46/2009 do CONSEPE, que aprova o Projeto Pedagógico do

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

Universidade Estadual de Maringá CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE R E S O L U Ç Ã O Nº 080/2010-CI/CCS CERTIDÃO Certifico que a presente resolução foi afixada em local de costume, neste Centro, no dia 22/11/2010. Aprova projeto pedagógico do curso de graduação em Fisioterapia.

Leia mais

Estrutura Curricular do Curso de Medicina Habilitação: Bacharel em Medicina Carga Horária: 8220 horas Regime: Semestral Turno de Aplicação: Integral

Estrutura Curricular do Curso de Medicina Habilitação: Bacharel em Medicina Carga Horária: 8220 horas Regime: Semestral Turno de Aplicação: Integral FAHESA - Faculdade de Ciências Humanas, Econômicas e da Saúde de Araguaína. ITPAC - INSTITUTO TOCANTINENSE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS LTDA. Av. Filadélfia, 568 Setor Oeste Araguaína TO CEP 77.816-540 Fone:

Leia mais

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO Administração de Produção I Administração de Recursos Humanos I Administração de Recursos Materiais Administração de Sistemas de Informação Administração Financeira e Orçamentária

Leia mais

Programas Seleção Conteúdo Vagas com bolsas Vagas sem bolsa Data da seleção

Programas Seleção Conteúdo Vagas com bolsas Vagas sem bolsa Data da seleção Programas Seleção Conteúdo Vagas com bolsas Vagas sem bolsa Data da seleção Processo de Trabalho em saúde: Integralidade e Cuidado do 6º ou 7º Biossegurança no trabalho, aspectos legais, suas classificações

Leia mais

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA 1 FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA O PROFISSIONAL FARMACÊUTICO O Farmacêutico é um profissional da

Leia mais

PROCESSO N.º 686/04 PROTOCOLO N.º 8.198.443-3/04 PARECER N.º 510/05 APROVADO EM 31/08/05

PROCESSO N.º 686/04 PROTOCOLO N.º 8.198.443-3/04 PARECER N.º 510/05 APROVADO EM 31/08/05 PROTOCOLO N.º 8.198.443-3/04 PARECER N.º 510/05 APROVADO EM 31/08/05 CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR INTERESSADA: FACULDADE ESTADUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA E FISIOTERAPIA DE JACAREZINHO - FAEFIJA MUNICÍPIO: JACAREZINHO

Leia mais

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições,

A Câmara Superior de Ensino da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 02/2012 Aprova a estrutura curricular contida no Projeto

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR 2014/1. 60 h. 104 h. 146 h. 72 h 2º SEMESTRE. Carga horária

ESTRUTURA CURRICULAR 2014/1. 60 h. 104 h. 146 h. 72 h 2º SEMESTRE. Carga horária MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE MEDICINA DE DIAMANTINA - FAMED CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA ESTRUTURA CURRICULAR 2014/1 MED001 MED002 MED003

Leia mais

1º SEMESTRE CARGA HORÁRIA TEORICA PRATICA TOTAL. 1. Anatomia Humana 45 45 90 06-2. Antropologia Teológica 30-30 02 -

1º SEMESTRE CARGA HORÁRIA TEORICA PRATICA TOTAL. 1. Anatomia Humana 45 45 90 06-2. Antropologia Teológica 30-30 02 - ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE BACHARELADO EM FISIOTERAPIA 1º SEMESTRE 1. Anatomia Humana 45 45 90 06-2. Antropologia Teológica 30-30 02-3. Biologia Celular e Molecular 45 15 60 04-4. Estatística e Informática

Leia mais

LISTAGEM DAS UNIDADES DE ENSINO OFERTADAS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM 2015/1 * EM REGIME DE DEPENDÊNCIA/ADAPTAÇÃO

LISTAGEM DAS UNIDADES DE ENSINO OFERTADAS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM 2015/1 * EM REGIME DE DEPENDÊNCIA/ADAPTAÇÃO Administração da Enfermagem na Atenção Primária a Saúde Enfermagem Administração de Produção Administração Administração de Produção II Administração Administração de Sistemas de Informação Administração/

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1º PERÍODO Biologia Geral, Citologia e Genética Estudo da célula, seus componentes e relação com as funções

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS. B) TEMPO ÚTIL (Carga Horária) = 3.840 H/AULA CURRÍCULO PLENO 1.

MATRIZ CURRICULAR SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS. B) TEMPO ÚTIL (Carga Horária) = 3.840 H/AULA CURRÍCULO PLENO 1. MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: NUTRIÇÃO BACHARELADO SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁIMO = 7 (SETE)

Leia mais

C.H DISCIPLINAS T P CRÉDITO

C.H DISCIPLINAS T P CRÉDITO Resolução UNICASTELO GR/ nº. 070 / 09 O Reitor e Presidente do Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão CONSEPE e do Conselho Universitário CONSUN, Gilberto Luiz Moraes Selber, no uso das atribuições legais,

Leia mais

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO Administração de Produção I Administração de Produção II Administração de Recursos Humanos I Administração de Recursos Materiais Administração Financeira e Orçamentária I Administração

Leia mais

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO Administração de Produção Administração Financeira Administração Mercadológica II Análise das Demonstrações Financeiras Auditoria Comércio Exterior e Economia Internacional

Leia mais

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP

VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ GABINETE DA REITORIA EDITAL Nº 12/2012 CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR EFETIVO ANEXO I VAGAS POR ÁREA DE CONHECIMENTO VAGAS NO CAMPUS MARCO ZERO, EM MACAPÁ-AP 1) Área de Conhecimento:

Leia mais

Bacharelado em Medicina Veterinária

Bacharelado em Medicina Veterinária Bacharelado em Medicina Veterinária INFORMAÇÕES Duração do Curso: 05 anos (10 semestres) Horário: Manhã Número de Vagas: 100 anuais Coordenador: Profº Dr. Carlos Tadeu Bandeira de Lavor O CURSO O Curso

Leia mais

FACIDER FACULDADE DE COLIDER. FACIDER atualizado 2014/1 FARMACIA, BACHARELADO ESTUDOS FORMATIVOS Página 1

FACIDER FACULDADE DE COLIDER. FACIDER atualizado 2014/1 FARMACIA, BACHARELADO ESTUDOS FORMATIVOS Página 1 Portaria Credenciamento IES: Portaria 1658 D.O.U. 25/07/01. Portaria Autorização Administração : Portaria 1658 D.O.U. 25/07/01 Portaria Reconhecimento Administração : Portaria 3.519 D.O.U.14/10/05. Portaria

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ENFERMAGEM (Currículo iniciado em 2010)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ENFERMAGEM (Currículo iniciado em 2010) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ENFERMAGEM (Currículo iniciado em 2010) ANATOMIA HUMANA CH 102 (2372) Estudo morfológico dos órgãos e sistemas que constituem o organismo humano, com ênfase para os

Leia mais

RESOLUÇÃO. Bragança Paulista, 30 de maio de 2005. Prof. Milton Mayer Presidente

RESOLUÇÃO. Bragança Paulista, 30 de maio de 2005. Prof. Milton Mayer Presidente RESOLUÇÃO CONSEAcc-BP 9/2005 ALTERA AS EMENTAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho Acadêmico por Câmpus, do câmpus de Bragança

Leia mais

EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA. Escola Superior de Ciências da Saúde

EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA. Escola Superior de Ciências da Saúde EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA Escola Superior de Ciências da Saúde Período de Inscrição: 18 de janeiro de 2010 a 19 de fevereiro de 2010. Local de Inscrição:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 08/2011 Aprova a estrutura curricular do Curso de Enfermagem, modalidade bacharelado,

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA PROPOSTA DE DIRETRIZES CURRICULARES 1 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL 1.1. Perfil Comum: Farmacêutico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva.

Leia mais

1º SEMESTRE BACHARELADO EDUCAÇÃO FÍSICA MATUTINO

1º SEMESTRE BACHARELADO EDUCAÇÃO FÍSICA MATUTINO GABARITO. 1º SEMESTRE BACHARELADO EDUCAÇÃO FÍSICA MATUTINO ANATOMIA HUMANA E C E C C B C E A D RESPONSABILIDADE SOCIAL E AMBIENTAL E C E D D E A B B C FILOSOFIA E ÉTICA D C E A C A E D D D PSICOLOGIA GERAL

Leia mais

Agente Comunitário em Saúde

Agente Comunitário em Saúde Agente Comunitário em Saúde Introdução a Informática Ações de Promoção do ambiente saudável A sociedade em que vivemos Construção de Redes Comunitárias e Promoção à Saúde Introdução à Profissão de Agente

Leia mais

Professor Turma Disciplina Data MONICA DORRENBACH LUNA PSI 1A - M FENOMENOS PSICOLOGICOS I 03/07

Professor Turma Disciplina Data MONICA DORRENBACH LUNA PSI 1A - M FENOMENOS PSICOLOGICOS I 03/07 Professor Turma Disciplina Data MONICA DORRENBACH LUNA PSI 1A - M FENOMENOS PSICOLOGICOS I 03/07 FABIO THA PSI 1A - M FUNDAMENTOS DE FILOSOFIA: LÓGICA E ÉTICA 01/07 LUIZ FERNANDO RIBEIRO PSI 1A - M GENETICA

Leia mais

III Princípios Gerais da Formação Médica

III Princípios Gerais da Formação Médica I Motivação Aprovação da Lei 12.871 de 22/10/2013; Necessidade de ter diretrizes curriculares em sintonia com o programa Mais Médicos; A oportunidade de atualizar e aprimorar as diretrizes de 2001; Acompanhar

Leia mais

FACULDADE DE INTEGRAÇÃO DO SERTÃO FIS

FACULDADE DE INTEGRAÇÃO DO SERTÃO FIS FACULDADE DE INTEGRAÇÃO DO SERTÃO FIS Portaria MEC nº 1.931, de dezembro de 2006, publicada no DOU de 08 de Dezembro de 2006. Rua João Luiz de Melo, 2110. Bairro Tancredo Neves. CEP. 56909-205. Serra Talhada/PE/Brasil.

Leia mais

ANEXO I ÁREA DE FORMAÇÃO E TITULAÇÃO MÍNIMA

ANEXO I ÁREA DE FORMAÇÃO E TITULAÇÃO MÍNIMA 1 CURSO DE MEDICINA CÓD. DISCIPLINAS 001 Inglês 1 I 12 Curso formação completo em língua Inglesa ou título proficiência em língua inglesa. 002 Interação à Saú Comunitária I 2 I 12 ou Saú Coletiva ou Graduação

Leia mais

Matriz Curricular. Carga Horária. Unidades Acadêmicas. Período

Matriz Curricular. Carga Horária. Unidades Acadêmicas. Período Matriz Curricular Período 1º Unidades Acadêmicas UAI: Introdução ao Estudo da Odontologia Conhecer a estrutura do indivíduo nas suas bases biomoleculares e celulares quanto às propriedades e interrelações

Leia mais

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA PROJETO PEDAGÓGICO

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA PROJETO PEDAGÓGICO Campo Limpo Paulista 2012 1 CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA Marcos Legais Resolução CNE CES 1 2002 Resolução CNE

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.662, DE 28 DE ABRIL DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.662, DE 28 DE ABRIL DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.662, DE 28 DE ABRIL DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em,

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO FISIOTERAPIA / BETIM

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO FISIOTERAPIA / BETIM SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO FISIOTERAPIA / BETIM 01 PERFIL DO CURSO O curso de Fisioterapia na PUC Minas em Betim foi implantado em 2000 e desde então busca atender às atuais exigências expressas na

Leia mais

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENFERMAGEM

FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENFERMAGEM FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE ENFERMAGEM UBERABA MG 2010 INSTITUTO EDUCACIONAL GUILHERME DORÇA PRESIDENTE: LUIZ HUMBERTO DORÇA FACULDADE DE TALENTOS HUMANOS DIRETOR ACADÊMICO

Leia mais

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre.

RESOLUÇÃO. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 51/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ODONTOLOGIA, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição

Leia mais

Estrutura Curricular para o Curso de Fisioterapia Noturno (5 anos)

Estrutura Curricular para o Curso de Fisioterapia Noturno (5 anos) Estrutura Curricular para o Curso de Fisioterapia Noturno (5 anos) Sem. Eixos Disciplinas h/a h 1. Biologia, Microbiologia e Imunologia 02/40 - Matérias Biológicas 2. Anatomia Humana I 3. Histologia e

Leia mais

ENFERMAGEM DO TRABALHO - TURMA VII

ENFERMAGEM DO TRABALHO - TURMA VII Rua Rio Branco, 216, Centro, CEP 650-490, São Luís /MA - Fone: (98) 3878.21 Credenciado pela Portaria Ministerial nº 1764/06, D.O.U. 211 de 03.11.06, Seção 01, Folha14 ENFERMAGEM DO TRABALHO - TURMA VII

Leia mais

Disciplina: FISIOLOGIA CELULAR CONTROLE DA HOMEOSTASE, COMUNICAÇÃO E INTEGRAÇÃO DO CORPO HUMANO (10h)

Disciplina: FISIOLOGIA CELULAR CONTROLE DA HOMEOSTASE, COMUNICAÇÃO E INTEGRAÇÃO DO CORPO HUMANO (10h) Ementário: Disciplina: FISIOLOGIA CELULAR CONTROLE DA HOMEOSTASE, COMUNICAÇÃO E INTEGRAÇÃO DO CORPO HUMANO (10h) Ementa: Organização Celular. Funcionamento. Homeostasia. Diferenciação celular. Fisiologia

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE BIOMEDICINA I. INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE BIOMEDICINA I. INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE BIOMEDICINA I. INTRODUÇÃO Este documento regulamenta os estágios obrigatórios e não obrigatórios do Curso de Bacharelado em Biomedicina visando à formação integral do

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004. 1 CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004. (*) (**) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Educação Física,

Leia mais

BACHARELADO EM FISIOTERAPIA

BACHARELADO EM FISIOTERAPIA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO BACHARELADO EM FISIOTERAPIA Brasília - DF Identificação da Instituição Mantenedora: Nome: Centro Nacional de Capacitação Profissional Ltda Cenacap CNPJ: 02880389/0001-32 End.:

Leia mais

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO

FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO FACULDADE CATÓLICA SALESIANA DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA GERAL/FCSES EDITAL Nº009/2010 EDITAL DE SELEÇÃO DO PROGRAMA DE MONITORIA VOLUNTÁRIA PARA O 2º SEMESTRE DE 2010 A Secretária Geral da Faculdade

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA

CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA Coordenaçăo: Profª. MS. Mara Rosana dos Santos E-mail: nutricao@immes.com.br Telefone (96)3223-4244 ramal: 211 Ser Nutricionista É atuar em todas

Leia mais

FLUXOGRAMA DO CURSO DE ENFERMAGEM DAS FACULDADES INTA

FLUXOGRAMA DO CURSO DE ENFERMAGEM DAS FACULDADES INTA FLUXOGRAMA DO CURSO DE ENFERMAGEM DAS FACULDADES INTA 1º SEMESTRE 1. Anatomia Humana 90 60 30 06 2. Biologia (Citologia/Genética) 60 45 15 04 3. Educação em Saúde 30 20 10 02 4. Introdução a Enfermagem

Leia mais

Grade Curricular Integral 4 anos (com as modificações realizadas em vermelho)

Grade Curricular Integral 4 anos (com as modificações realizadas em vermelho) Grade Curricular Integral 4 anos (com as modificações realizadas em vermelho) 1. Biologia, Microbiologia e Imunologia 02/40 - Matérias Biológicas 2. Anatomia Humana I 3. Histologia e Embriologia 02/40-4.

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM ODONTOLOGIA-FORMAÇÃO ODONTÓLOGO

CURSO DE BACHARELADO EM ODONTOLOGIA-FORMAÇÃO ODONTÓLOGO CURSO DE BACHARELADO EM ODONTOLOGIA-FORMAÇÃO ODONTÓLOGO E-mail: odontologia@immes.com.br Telefone (96)3223-4244 ramal: 228 Objetivos do Curso Formar Odontólogo para atuar em todos os níveis de atenção

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA 1. PERFIL DO FORMANDO EGRESSO/PROFISSIONAL Médico, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva. Capacitado a atuar, pautado

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

LISTAGEM DAS UNIDADES DE ENSINO OFERTADAS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM 2016/1 * EM REGIME DE DEPENDÊNCIA/ADAPTAÇÃO

LISTAGEM DAS UNIDADES DE ENSINO OFERTADAS PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO EM 2016/1 * EM REGIME DE DEPENDÊNCIA/ADAPTAÇÃO Adm. em Serviços de Enfermagem Hospitalar Enfermagem Administração da Enf. na Atenção Primária a Saúde Enfermagem Administração de Produção Administração Administração de Sistemas de Informação Administração

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO E PRÁTICA DE ENSINO DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA FAP - FACULDADE DE APUCARANA

REGULAMENTO INTERNO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO E PRÁTICA DE ENSINO DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA FAP - FACULDADE DE APUCARANA REGULAMENTO INTERNO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO E PRÁTICA DE ENSINO DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA FAP - FACULDADE DE APUCARANA TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS CAPÍTULO I DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Artigo

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE DOCENTE PARA O CURSO

EDITAL PARA SELEÇÃO DE DOCENTE PARA O CURSO NÚCLEO DE SAÚDE: BIOMEDICINA, ESTÉTICA E COSMÉTICOS, EDUCAÇÃO FÍSICA, ENFERMAGEM, FARMÁCIA, FISIOTERAPIA, NUTRIÇÃO, PSICOLOGIA, ODONTOLOGIA, MEDICINA VETERINÁRIA E RADIOLOGIA UNIDADE: UNINASSAU - GRAÇAS

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TERAPIA OCUPACIONAL DA UNESP CAMPUS DE MARÍLIA

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TERAPIA OCUPACIONAL DA UNESP CAMPUS DE MARÍLIA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TERAPIA OCUPACIONAL DA UNESP CAMPUS DE MARÍLIA Objetivos do Curso Curso da área da saúde, centrado nos aspectos ergonômicos e sociais da atividade humana. Visa à formação

Leia mais

Missão. - Estimular a capacidade de análise dos problemas que se apresentam no campo da Saúde Pública e Privada;

Missão. - Estimular a capacidade de análise dos problemas que se apresentam no campo da Saúde Pública e Privada; CURSO: Farmácia Missão O curso tem como missão formar profissionais farmacêuticos capazes de exercer atividades referentes aos fármacos e aos medicamentos, às análises clínicas e toxicológicas, ao controle,

Leia mais

Currículos dos Cursos UFV ENFERMAGEM. COORDENADOR Pedro Paulo do Prado Júnior pedro.prado@ufv.br

Currículos dos Cursos UFV ENFERMAGEM. COORDENADOR Pedro Paulo do Prado Júnior pedro.prado@ufv.br 114 ENFERMAGEM COORDENADOR Pedro Paulo do Prado Júnior pedro.prado@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2013 115 Currículo do Curso de Bacharelado ATUAÇÃO O Curso de Graduação em da UFV apresenta como perfil

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PSICOLOGIA Ementário/abordagem temática/bibliografia básica (3) e complementar (5) Morfofisiologia e Comportamento Humano Ementa: Estudo anátomo funcional

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO RESOLUÇÃO Nº 21/2011 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE ENSINO Aprova a estrutura curricular do Curso de Ciências Biológicas, modalidade

Leia mais

DISCIPLINAS CHP CHS CHST CHSP

DISCIPLINAS CHP CHS CHST CHSP MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA (Bacharelado) Aplicada aos Ingressantes a partir de 2011/1 Turnos Integral Matutino/Vespertino e Integral Vespertino/Noturno 1 o Período BIOLOGIA CELULAR

Leia mais

Processo Pedagógico de Formação do aluno do curso medico do UNI-BH

Processo Pedagógico de Formação do aluno do curso medico do UNI-BH Processo Pedagógico de Formação do aluno do curso medico do UNI-BH A proposta pedagógica para formação do medico dentro do curso do UNI-BH baseia-se na estruturação em três módulos de conteúdo bem definido

Leia mais

LISTAGEM DAS UNIDADES DE ENSINO OFERTADAS POR CURSO EM 2010/1 EM REGIME DE DEPENDÊNCIA/ADAPTAÇÃO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

LISTAGEM DAS UNIDADES DE ENSINO OFERTADAS POR CURSO EM 2010/1 EM REGIME DE DEPENDÊNCIA/ADAPTAÇÃO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO Administração de Recursos Humanos II Administração de Sistemas de Informações Contabilidade Básica I Contabilidade Básica II Contabilidade Geral Economia Brasileira e Contemporânea

Leia mais

PRÉ REQUISITOS* DA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENFERMAGEM. 1º Semestre Pré requisito. Estar regularmente matriculado no curso de bacharelado em

PRÉ REQUISITOS* DA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENFERMAGEM. 1º Semestre Pré requisito. Estar regularmente matriculado no curso de bacharelado em PRÉ REQUISITOS* DA MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ENFERMAGEM 1º Semestre Pré requisito bacharelado em Metodologia da Pesquisa aplicada à Saúde Embriologia Humana Biologia Celular Psicologia Sociologia Produção

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE SELEÇÃO PÚBLICA S/C LTDA

SERVIÇO NACIONAL DE SELEÇÃO PÚBLICA S/C LTDA CURSO DIREITO PRIMEIRO SEMESTRE HISTÓRIA DO DIREITO B E A C E B A D C C LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO A E D E C A D D A B PSICOLOGIA GERAL B E D C C C A E D B PORTUGUÊS JURÍDICO A D A C B B C C D B SOCIOLOGIA

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES 1, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2003. (*) Institui Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Medicina Veterinária.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Turismo

Leia mais

Edital n 37/2011 Concurso Público para Provimento de Cargos de Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico. Anexo I Cargos e Vagas

Edital n 37/2011 Concurso Público para Provimento de Cargos de Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico. Anexo I Cargos e Vagas MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MÉDIA E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO Edital n 37/2011 Concurso Público para Provimento de Cargos de Professor

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1. ª SÉRIE CÓDIGO DISCIPLINAS TEOR PRAT CHA PRÉ-REQUISITO 99-7233-02

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1. ª SÉRIE CÓDIGO DISCIPLINAS TEOR PRAT CHA PRÉ-REQUISITO 99-7233-02 MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA SERIADO ANUAL - MATUTINO/NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS

Leia mais

Resolução nº. 01/09. Título I Estágio Supervisionado. Capítulo I. Caracterização do Estágio:

Resolução nº. 01/09. Título I Estágio Supervisionado. Capítulo I. Caracterização do Estágio: 1 Resolução nº. 01/09 Aprovar o Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Pedagogia - considerando o art.70, VII do Regimento desta Instituição; - considerando necessidade de normatizar

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE ANGLO-AMERICANO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º Este Regulamento disciplina as atividades do Estágio Curricular Supervisionado,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Educação Física do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo busca preencher

Leia mais

RESOLUÇÃO REITORIA Nº 016 DE 04 DE OUTUBRO DE 2012

RESOLUÇÃO REITORIA Nº 016 DE 04 DE OUTUBRO DE 2012 RESOLUÇÃO REITORIA Nº 016 DE 04 DE OUTUBRO DE 2012 Regulamenta a oferta do Curso de Pós- Graduação Lato Sensu : em URGENCIAS E EMERGENCIA E U.T.I. a ser ofertado na Universidade Alto Vale do Rio do Peixe

Leia mais

MEDICINA VETERINÁRIA

MEDICINA VETERINÁRIA MEDICINA VETERINÁRIA 1. TURNO: Integral GRAU ACADÊMICO: Médico Veterinário PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos Máximo = 8 anos 2. PRINCÍPIOS NORTEADORES DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Para a boa formação

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCB UFV ENFERMAGEM. COORDENADORA Rita de Cássia Lanes Ribeiro rribeiro@ufv.br

Currículos dos Cursos do CCB UFV ENFERMAGEM. COORDENADORA Rita de Cássia Lanes Ribeiro rribeiro@ufv.br 146 Currículos dos Cursos do CCB UFV ENFERMAGEM COORDENADORA Rita de Cássia Lanes Ribeiro rribeiro@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2011 147 Bacharelado ATUAÇÃO O Curso de Graduação em da UFV apresenta

Leia mais

Semestre: 1 Quantidade de Módulos:9 Unidade de Ensino:Núcleo de Saúde

Semestre: 1 Quantidade de Módulos:9 Unidade de Ensino:Núcleo de Saúde 212 Módulo: 9º período e Mês Início do Módulo:216/1 Numero da Página: 1 Impresso em:14/12/215 16:4:29 da Disciplina Variação TEO PRA LAB TEO PRA LAB Quantidade de Disciplinas neste Módulo: Total CH H/A:

Leia mais

Matriz Curricular Atual

Matriz Curricular Atual Faculdades INTA Centro de Ciências da Saúde Curso de Nutrição Matriz Curricular Atual (Em vigor desde Janeiro de 2012) NIVELAMENTO Nº 0 Português Instrumental 45-45 03-1º SEMESTRE 1. Anatomia Humana I

Leia mais