O Papel Estratégico da Ciência nas Fronteiras Brasileiras

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Papel Estratégico da Ciência nas Fronteiras Brasileiras"

Transcrição

1 O Papel Estratégico da Ciência nas Fronteiras Brasileiras Dr. Fernando Coreixas de Moraes Biólogo Marinho Pesquisador Colaborador da Seção de Assistência ao Ensino Museu Nacional UFRJ Pesquisador Associado do Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro

2 Alta biodiversidade Alto valor paisagístico Relevantes em estudos macroevolutivos: especiação e extinção Reservatório de espécies raras, ameaçadas e endêmicas Importância de Ilhas

3 Comunidade de Países de Língua Portuguesa CPLP Portugal Brasil Angola São Tomé e Príncipe Timor Leste Guiné Bissal Moçambique Cabo Verde

4

5 Foto FAB Arquipélago de São Pedro e São Paulo

6 n d r o Ilhas Oceânicas Brasileiras M o n t e i Arq. Fernando de Noronha r o Atol das Rocas Ilha da Trindade Martin Vaz Fotos: Leandro Monteiro, FAB e Fernando Moraes CEMBRA, O Brasil e o mar no século XXI. Relatório aos tomadores de decisão do país (adaptado).

7

8 Estação Científica do ASPSP Foto: Fernando Moraes

9 Maio de 2007

10 Fotos: cortesia João Paulo Torres (UFRJ) Estação Científica do ASPSP em julho de 2006

11 Fotos: Fernando Moraes

12 Potencial econômico das esponjas no mercado farmacêutico Esponjas são detentoras de moléculas complexas, com amplo potencial farmacológico e grande valor econômico agregado. Únicos invertebrados marinhos com compostos em comercialização farmacêutica. Leary et al., no prelo Murray et. al., 1994

13 Potencial de Discodermia dissoluta A Discodermolide é o composto natural mais promissor no combate ao câncer descoberto até o momento (estudos humanos pré-clinicos avançados). Atua contra tumores resistentes aos medicamentos mais potentes em uso atualmente (HBOI). ESPÉCIE BANDEIRA Realizing this potential, researchers at Harbor Branch have collected more than 30,000 ocean samples over the last 20 years. To date, discodermolide is the only one to reach human testing with a pharmaceutical company although several others show promise. Fonte: Harbor Branch Oceanographic Institute (HBOI)

14 Discodermia dissoluta Foto: Fernando Moraes

15 Espécie endêmica de esponja Moraes, 2011

16 Prognathodes obliquus Foto: Fernando Moraes

17 Rhincodon typus Foto: Fernando Moraes

18 Cadeia Vitória-Trindade

19 Posto Oceanográfico da Ilha da Trindade Foto: Fernando Moraes

20 Projeto de Reflorestamento PROTRINDADE Foto: Fernando Moraes COOPERAÇÃO DA SECIRM COM A SOS MATA ATLÂNTICA E O MUSEU NACIONAL

21 Fotos: Ruy Valka/MNRJ PROTRINDADE COM AS CABRAS SEM AS CABRAS

22 PROTRINDADE 2009 AQUI NÃO CORRIA ÁGUA HAVIA MUITO TEMPO

23 Chelonia mydas Foto: Fernando Moraes

24 PROTRINDADE PROGRAMA DE PESQUISAS CIENTÍFICAS NA ILHA DA TRINDADE

25 Brasil - NE Cadeia de Fernando de Noronha

26 Reserva Biológica Atol das Rocas Arq. de Fernando de Noronha Área de Proteção Ambiental Parque Nacional Marinho

27 Negaprion brevirostris Foto: Fernando Moraes

28

29 Banco dos Abrolhos - BA Fotos: Fernando Moraes Imagem Google Earth

30 Fotos: Fernando Moraes

31 Moura et al 2013 Continental Shelf Research Moura et al., 2013 Fotos: Fernando Moraes

32 Continental Shelf Research Moura et al., 2013 Usos das áreas dos Megahabitats: Turismo Pesca Exploração de Óleo e Gás Mineração

33 Lei Monumento Natural do Arquipélago das Ilhas Cagarras

34 Pontos de Coleta no Arquipélago das Cagarras

35 Pontos de Coleta na Ilha Redonda e Filhote da Redonda

36 Contexto Histórico Detalhe de mapa português de 17. Acervo da Fundação Biblioteca Nacional

37 Localização: 4 km ao sul da Praia de Ipanema Foto: Fernando Moraes

38 Fotos: Fernando Moraes

39 Linhas de pesquisa em Biodiversidade no MoNa Cagarras Flora Terrestre Massimo Bovini Algas Raquel Muniz Fotos: Áthila Bertoncini, Fernando Moraes e Liliane Lodi Bentos Daniela Batista Epidendrum denticulatum - Orquídea Codium sp.- Alga Anemonia sargassensis - Anêmona Peixes Recifais Carlos Rangel Aves Larissa Cunha Golfinhos Liliane Lodi Scorpaena plumiere Ramphocelus bresilius-tiê Sangue Tursiops truncatus Golfinho Flíper

40 Logística de Campo Fotos: Fernando Moraes

41 Ambientes Amostrados: Marinhos Fotos: Áthila Bertoncini e Fernando Moraes Piscina de Maré Ilha Redonda Superfície Meio Fundo

42 RESULTADOS fotografias de ambientes e espécies animais e vegetais: submarinas e terrestres (Fernando Moraes e Áthila Bertoncini). Imagens com alta qualidade de 180 espécies marinhas e 60 terrestres, além de 18 da algas marinhas e 44 de plantas terrestres. 300 exemplares depositados na Coleção Zoológica da Seção de Assistência ao Ensino do Museu Nacional-UFRJ. Aproximadamente 200 espécies. 14 grupos taxonômicos coletados: Porifera, Cnidaria, Mollusca, Crustacea, Anellida, Echinodermata, Bryozoa, Ascidiacea, Pisces, Arachnida, Insecta, Reptilia, Anura e Aves. Algas: 50 spp. Flora Terrestre: 160 spp. Fauna Terrestre (exceto Aves): 62 spp. Invertebrados Marinhos: 157 spp. Peixes: 150 spp. Aves: 51 spp. Cetáceos: 6 spp. TOTAL: 636 spp.

43 Fotos: Fernando Moraes Megalobulimus ovatus Ipomea sp.

44 Foto: Fernando Moraes

45

46 Fotos: Fernando Moraes Girinos Scinax gr. perpusillus Pererequinha de bromélias

47 Parte Alta da Ilha Cagarra Foto: Fernando Moraes

48 Porifera Fotos: Fernando Moraes Latrunculia janeirensis Polymastia janeirensis Petromica citrina

49 Cnidaria Fotos: Fernando Moraes Anemonia sargassensis Heterogorgia uatumani Mussismilia hispida Carijoa riisei

50 Mollusca Foto: Fernando Moraes Octopus vulgaris - Polvo

51 Scyllarides deceptor - Cavaquinha Foto: Fernando Moraes

52 Epinephelus marginatus Garoupa Verdadeira (juvenil) Foto: Fernando Moraes

53 Narcissia trigonaria Foto: Fernando Moraes

54 Foto: Fernando Moraes Estagiários na Seção de Assistência ao Ensino do Museu Nacional-UFRJ, trabalhando material zoológico do MoNa Cagarras

55 Exemplares do MoNa Cagarras na Coleção da Seção de Assistência ao Ensino do Museu Nacional - UFRJ

56 Educação Ambiental e Mobilização Social através da Biodiversidade Fotos: Fernando Moraes Exposição no Forte de Copacabana Mostra no Museu Nacional- 2011

57

58 Exposição no Forte de Copacabana 2013

59 Bioinvasão Tubastraea tagusensis Coral Sol Fotos: Fernando Moraes Ilha Redonda Ponta Sul da Ilha Comprida

60 AGRADECIMENTOS Foto: Fernando Moraes

Palavras-chave: ABSTRACT Keywords: 1. INTRODUÇÃO

Palavras-chave: ABSTRACT Keywords: 1. INTRODUÇÃO - 2 - - 3 - - 4 - - 5 - - 6 - - 7 - - 8 - Grupo taxonômico Fernando de Noronha Trindade / Martin Vaz Atol das Rocas São Pedro e São Paulo Plantas 14 11 - - Répteis 2 - - - Aves 3 - - - Mamíferos 1* - -

Leia mais

Descobrindo o. Monumento Natural das Ilhas Cagarras

Descobrindo o. Monumento Natural das Ilhas Cagarras Descobrindo o Monumento Natural das Ilhas Cagarras Ficha Técnica Autores Camila Meireles, Flávia Brasil e Aline Aguiar Fotografias Áthila Bertoncini, Bia Hetzel, Camila Meireles, Carlos Rangel, Fernando

Leia mais

Parque Estadual Marinho do Parcel Manuel Luiz Sítio Ramsar SÃO LUIZ Sítios do Patrimônio Mundial Natural FORTALEZA Reserva Biológica do Atol das Rocas Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha Área

Leia mais

4. Reuniões Técnicas (Mini-Seminário por Bioma) Objetivo das Reuniões Técnicas

4. Reuniões Técnicas (Mini-Seminário por Bioma) Objetivo das Reuniões Técnicas (Mini-Seminário por Bioma) Objetivo das Reuniões Técnicas. Definição dos objetos conservação. Definição de metas de importância relativa de cada objeto. Definição das principais fontes de dados/informações

Leia mais

MONUMENTO NATURAL DO ARQUIPÉLAGO DAS CAGARRAS

MONUMENTO NATURAL DO ARQUIPÉLAGO DAS CAGARRAS MONUMENTO NATURAL DO ARQUIPÉLAGO DAS CAGARRAS PROJETO DE LEI Nº 1683, DE 2003 - redação original (Do Sr. Fernando Gabeira) Dispõe sobre a criação do Monumento Natural do Arquipélago das Ilhas Cagarras.

Leia mais

Estado da arte sobre estudos de rodolitos no Brasil

Estado da arte sobre estudos de rodolitos no Brasil Estado da arte sobre estudos de rodolitos no Brasil Alexandre B. Villas-Boas 1 ; Marcia A. de O. Figueiredo 2 ; Gilberto Dias 3 ; Ricardo Coutinho 1 1 Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira,

Leia mais

C.P.L.P. Fundado em 17 de Julho de 1996; Comunidade dos países de língua portuguesa;

C.P.L.P. Fundado em 17 de Julho de 1996; Comunidade dos países de língua portuguesa; Guiné-Bissau SNIRH C.P.L.P. Fundado em 17 de Julho de 1996; Comunidade dos países de língua portuguesa; Países: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor

Leia mais

Relatório de Atividades 2013

Relatório de Atividades 2013 Relatório de Atividades 2013 Este ano representou o primeiro ano de atividade com o novo submersível LULA1000. A FRN começou, através deste novo equipamento, os estudos de mapeamento dos habitats nas vertentes

Leia mais

Rota de Aprendizagem 2015/16 5.º Ano

Rota de Aprendizagem 2015/16 5.º Ano Projeto 1 Onde existe Vida? Tempo Previsto: 4 quinzenas (do 1ºPeríodo) Ciências Naturais A ÁGUA, O AR, AS ROCHAS E O SOLO MATERIAIS TERRESTRES 1.ª Fase: Terra um planeta com vida 2.ª Fase: A importância

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 5.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 5.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS 5.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No domínio da Água, o ar, as rochas e o solo - materiais terrestres, o aluno deve ser capaz de: Compreender a Terra como um planeta especial

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SNUC

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SNUC - SNUC PREVISÃO LEGAL Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e àcoletividade

Leia mais

Simulado Biologia UNICAMP 2014-2013

Simulado Biologia UNICAMP 2014-2013 1. (Unicamp 2014) Considere os seguintes componentes celulares: I. parede celular II. membrana nuclear III. membrana plasmática IV. DNA É correto afirmar que as células de a) fungos e protozoários possuem

Leia mais

Título do projeto: Educação Ambiental e Difusão Científica da Biodiversidade da Mata Atlântica no Museu de Biologia Prof. Mello Leitão BIOAÇÃO

Título do projeto: Educação Ambiental e Difusão Científica da Biodiversidade da Mata Atlântica no Museu de Biologia Prof. Mello Leitão BIOAÇÃO Título do projeto: Educação Ambiental e Difusão Científica da Biodiversidade da Mata Atlântica no Museu de Biologia Prof. Mello Leitão BIOAÇÃO Proponente: Sociedade de Amigos do Museu de Biologia Mello

Leia mais

Unidade. 6 Coleção IAB de Ciências / 3º ANO

Unidade. 6 Coleção IAB de Ciências / 3º ANO I Unidade 6 Coleção IAB de Ciências / 3º ANO UNIDADE I: A VIDA EM NOSSO PLANETA Introdução A ciência se faz com observação da natureza, perguntas e busca de respostas. Você já observou como o Planeta Terra

Leia mais

Fernando de Noronha foi descoberta em 1503, pelo navegador Américo Vespúcio.

Fernando de Noronha foi descoberta em 1503, pelo navegador Américo Vespúcio. Fernando de Noronha foi descoberta em 1503, pelo navegador Américo Vespúcio. Durante a ocupação holandesa no Nordeste brasileiro (1624-1654), os batavos permaneceram por 25 anos em Fernando de Noronha.

Leia mais

Arraial d Ajuda Eco Parque Conheça o lugar onde fica o Centro de Visitantes e Base de Pesquisas do Coral Vivo. Copatrocínio. Patrocínio Oficial

Arraial d Ajuda Eco Parque Conheça o lugar onde fica o Centro de Visitantes e Base de Pesquisas do Coral Vivo. Copatrocínio. Patrocínio Oficial Número 25 - Janeiro a Março de 2014 Arraial d Ajuda Eco Parque Conheça o lugar onde fica o Centro de Visitantes e Base de Pesquisas do Coral Vivo Copatrocínio 2 Patrocínio Oficial EDITORIAL Turismo Sustentável

Leia mais

Curso Profissional Técnico de Manutenção Industrial/ Electromecânica - 12ºAno. Trabalho realizado: Tiago Filipe Sá Daniel Caçote

Curso Profissional Técnico de Manutenção Industrial/ Electromecânica - 12ºAno. Trabalho realizado: Tiago Filipe Sá Daniel Caçote Curso Profissional Técnico de Manutenção Industrial/ Electromecânica - 12ºAno Trabalho realizado: Tiago Filipe Sá Daniel Caçote A biodiversidade de Cabo Verde é pobre quando comparada com a dos outros

Leia mais

Justificativa para a criação da Unidade de Conservação. - Ponta de Pirangi

Justificativa para a criação da Unidade de Conservação. - Ponta de Pirangi Justificativa para a criação da Unidade de Conservação - Ponta de Pirangi Os recifes de corais são ecossistemas que abrigam grande biodiversidade marinha, tendo, portanto uma grande relevância ecológica,

Leia mais

Fotografias PauloHSilva//siaram. Saber Mais... Ambiente Açores

Fotografias PauloHSilva//siaram. Saber Mais... Ambiente Açores Fotografias PauloHSilva//siaram Saber Mais... Ambiente Açores Convenção Diversidade Biológica O que é a Convenção da Diversidade Biológica? A Convenção da Diversidade Biológica é um acordo assinado entre

Leia mais

Apostila de Normas Ambientais Marinhas do Arquipélago de Fernando de Noronha Apostila de Normas Ambientais Marinhas

Apostila de Normas Ambientais Marinhas do Arquipélago de Fernando de Noronha Apostila de Normas Ambientais Marinhas Apostila de Normas Ambientais Marinhas NORMAS AMBIENTAIS DO ARQUIPÉLAGO DE FERNANDO DE NORONHA INTRODUÇÃO Com o objetivo de conservar o meio ambiente e seu entorno, foram criadas pelo governo federal duas

Leia mais

A Biodiversidade é uma das propriedades fundamentais da natureza, responsável pelo equilíbrio e estabilidade dos ecossistemas, e fonte de imenso

A Biodiversidade é uma das propriedades fundamentais da natureza, responsável pelo equilíbrio e estabilidade dos ecossistemas, e fonte de imenso Biodiversidade Pode ser definida como a variedade e a variabilidade existente entre os organismos vivos e as complexidades ecológicas nas quais elas ocorrem. Pode ser entendida como uma associação de vários

Leia mais

Atlas ambiental do município de Itanhaém 2012. Capítulo 6 - Conservação ambiental

Atlas ambiental do município de Itanhaém 2012. Capítulo 6 - Conservação ambiental Capítulo 6 - Conservação ambiental 71 72 6.1 Unidades de Conservação As Unidades de Conservação da Natureza (UCs) constituem espaços territoriais e mari- 46 55' 46 50' 46 45' nhos detentores de atributos

Leia mais

CAPÍTULO 4 UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

CAPÍTULO 4 UNIDADES DE CONSERVAÇÃO CAPÍTULO 4 UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Na área dos municípios de Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália, existem as seguintes unidades de conservação (Anexo II): Parque Nacional de Monte Pascoal Parque Nacional

Leia mais

Unidade de Conservação marinha passa a ser o 11º sítio Ramsar brasileiro e o primeiro na Bahia

Unidade de Conservação marinha passa a ser o 11º sítio Ramsar brasileiro e o primeiro na Bahia Unidade de Conservação marinha passa a ser o 11º sítio Ramsar brasileiro e o primeiro na Bahia Ao anunciar o título de "Sítio Ramsar" ao Parque Nacional Marinho de Abrolhos, o ministro do Meio Ambiente

Leia mais

Um Parque Marinho e um observatório para as mudanças climáticas (Miguel Henriques)

Um Parque Marinho e um observatório para as mudanças climáticas (Miguel Henriques) Proteção da biodiversidade marinha no Parque Natural da Arrábida 29 abril 2015 Base Naval de Lisboa Alfeite, Almada Um Parque Marinho e um observatório para as mudanças climáticas (Miguel Henriques) Emanuel

Leia mais

O que é? Onde se localiza a sua sede? Quando foi fundada? Quem foram os fundadores? Quantos países fazem parte desta organização?

O que é? Onde se localiza a sua sede? Quando foi fundada? Quem foram os fundadores? Quantos países fazem parte desta organização? O que é? É uma organização assinada entre países lusófonos, que instiga a aliança e a amizade entre os signatários. Onde se localiza a sua sede? A sua sede fica em Lisboa. Quando foi fundada? Foi fundada

Leia mais

F Caracterização dos Pontos de Instalação das Estruturas Submarinas

F Caracterização dos Pontos de Instalação das Estruturas Submarinas Sistema Piloto de Produção para Teste de Longa Pág. 399 / 491 F Caracterização dos Pontos de Instalação das Estruturas Submarinas As imagens de ROV obtidas durante a fase de exploração da área para a perfuração

Leia mais

MÓDULO 1 CLASSES GERAIS. Professora: Andréa Carla Lima Rodrigues Monitora: Laís Leal

MÓDULO 1 CLASSES GERAIS. Professora: Andréa Carla Lima Rodrigues Monitora: Laís Leal MÓDULO 1 ECOSSISTEMAS HUMANOS CLASSES GERAIS Professora: Andréa Carla Lima Rodrigues Monitora: Laís Leal ECOSSISTEMAS HUMANOS As necessidades e desejos da população humana em expansão têm requerido um

Leia mais

PESQUISAS EM LONGO PRAZO E MONITORAMENTO DA DIVERSIDADE BIOLÓGICA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Claudia Franca Barros

PESQUISAS EM LONGO PRAZO E MONITORAMENTO DA DIVERSIDADE BIOLÓGICA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Claudia Franca Barros PESQUISAS EM LONGO PRAZO E MONITORAMENTO DA DIVERSIDADE BIOLÓGICA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Claudia Franca Barros Objetivo Geral Investigar processos e padrões geradores, mantenedores e impactantes da

Leia mais

0 3 0 1 2 1 0.2.6 6 0 0 M CI.I

0 3 0 1 2 1 0.2.6 6 0 0 M CI.I CI.IM006.6.20121030 Estratégia de Sustentabilidade Zona Costeira de Cascais Zona Costeira de Cascais Parque Natural Sintra Cascais 15 praias balneares 17 praias monitorizadas permanentemente ZIBA Zona

Leia mais

Ciclo Condomínio Terra Documentários e colóquios. A 11ª Hora um filme de Leonardo Dicaprio

Ciclo Condomínio Terra Documentários e colóquios. A 11ª Hora um filme de Leonardo Dicaprio 19.05.2009 Ciclo Condomínio Terra Documentários e colóquios 16 Mai Sáb 18h 00 Vasco da Gama A Terra é o título do conjunto de projecções e colóquios a decorrerem no fórum Fnac entre os próximos dias 16

Leia mais

Diálogo com a Comunidade. Um balanço das ações sustentáveis

Diálogo com a Comunidade. Um balanço das ações sustentáveis Diálogo com a Comunidade Um balanço das ações sustentáveis Veracel Celulose É uma empresa 100% baiana, presente em dez municípios do Extremo Sul do estado: Eunápolis, Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália,

Leia mais

Ricardo Cardim. Mestre em Botânica pela USP. Dr. Árvore na Rede Globo São Paulo. Colunista do Grupo O Estado de São Paulo.

Ricardo Cardim. Mestre em Botânica pela USP. Dr. Árvore na Rede Globo São Paulo. Colunista do Grupo O Estado de São Paulo. Ricardo Cardim Mestre em Botânica pela USP. Dr. Árvore na Rede Globo São Paulo. Colunista do Grupo O Estado de São Paulo. Sócio da SkyGarden Paisagismo Sustentável. Responsável pelo Curso de Paisagismo

Leia mais

Projeto Guia Fotográfico

Projeto Guia Fotográfico Projeto Guia Fotográfico Avifauna no Entorno do IFSP (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia) campus São Roque Márcia de Oliveira Campos Maria de Jesus Campos ISFP campus São Roque 2011 1

Leia mais

Planificação Anual. Professora: Pedro Miguel Bezerra Disciplina: Ciências Naturais Ano: 5.º Turma: B Ano letivo: 2014-2015

Planificação Anual. Professora: Pedro Miguel Bezerra Disciplina: Ciências Naturais Ano: 5.º Turma: B Ano letivo: 2014-2015 Planificação Anual Professora: Pedro Miguel Bezerra Disciplina: Ciências Naturais Ano: 5.º Turma: B Ano letivo: 2014-2015 Domínio/Objetivos Descritores de Desempenho Atividades/Estratégias Avaliação Matéria

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES EVIDÊNCIA DE MATRIZ LÓGICA. Período: 25/03/2014 a 25/07/2014

RELATÓRIO DE ATIVIDADES EVIDÊNCIA DE MATRIZ LÓGICA. Período: 25/03/2014 a 25/07/2014 RELATÓRIO DE ATIVIDADES EVIDÊNCIA DE MATRIZ LÓGICA Período: 25/03/2014 a 25/07/2014 OBJETIVO 3: Valorizar o ambiente marinho e seus recursos naturais e disseminar os conhecimentos gerados na fase 1 do

Leia mais

Listas Nacionais de Espécies Ameaçadas de Extinção

Listas Nacionais de Espécies Ameaçadas de Extinção Listas Nacionais de Espécies Ameaçadas de Extinção Fauna Flora Mamíferos; Aves; Répteis; Anfíbios; e Invertebrados Terresteres Peixes; e Invertebrados Aquáticos Plantas IN 03/2003 IN 05/2004 IN 52/2005

Leia mais

Livro. Planeta Água. do Aquário de São Paulo. Oceanos

Livro. Planeta Água. do Aquário de São Paulo. Oceanos Livro Planeta Água do Aquário de São Paulo Oceanos Ambientes Marinhos O Brasil possui cerca de 8,5 mil km de linha costeira que abriga vários ecossistemas com diferentes paisagens como: Praia Costão rochoso

Leia mais

O Portal da Biodiversidade dos Açores

O Portal da Biodiversidade dos Açores O Portal da Biodiversidade dos Açores Rosalina Gabriel (rgabriel@uac.pt) & Paulo A. V. Borges, Ana M. Arroz, Pedro Cardoso, Ana Costa, Regina T. Cunha, António M. Frias Martins, Enésima Mendonça, Francisco

Leia mais

O desmatamento das florestas tropicais responde por 25% das emissões globais de dióxido de carbono, o principal gás de efeito estufa.

O desmatamento das florestas tropicais responde por 25% das emissões globais de dióxido de carbono, o principal gás de efeito estufa. Biodiversidade Introdução Na Estratégia Nacional para a Biodiversidade, desenvolvida pelo Ministério do Meio Ambiente, acordou-se que o Brasil deve dar ênfase para seis questões básicas: conhecimento da

Leia mais

Ciências da Natureza 5º ano Planificação 2014/2015

Ciências da Natureza 5º ano Planificação 2014/2015 1º Período Ciências da Natureza 5º ano Planificação 2014/2015 SUBDOMÍNIOS Nº de aulas (45 ) Apresentação 1 A ÁGUA, O AR, AS ROCHAS E O SOLO MATERIAIS TERRESTRES A importância das rochas e do solo na manutenção

Leia mais

Associação Viver a Ciência Av. da República, nº 34, 1º Lisboa E: rgaspar@viveraciencia.org SAÍDAS DE CAMPO E VISITAS DE ESTUDO

Associação Viver a Ciência Av. da República, nº 34, 1º Lisboa E: rgaspar@viveraciencia.org SAÍDAS DE CAMPO E VISITAS DE ESTUDO Ciência Viva, Portugal 12345678 Raquel Gaspar Associação Viver a Ciência Av. da República, nº 34, 1º Lisboa E: rgaspar@viveraciencia.org A Menina do Mar SAÍDAS DE CAMPO E VISITAS DE ESTUDO A exploração

Leia mais

Padre Jesus Santiago Moure

Padre Jesus Santiago Moure REDE PARANAENSE DE COLEÇÕES BIOLÓGICAS Luciane Marinoni e Vania Aparecida Vicente Universidade Federal do Paraná/Curitiba SETEMBRO/2013 INÍCIO EM 2006 COM 9 COLEÇÕES ATUALMENTE 33 COLEÇÕES ESTÃO NA REDE

Leia mais

Projeto (PCT-MAC/I/C070) Universidade dos Açores, Ponta Delgada, 24-25/09/2012

Projeto (PCT-MAC/I/C070) Universidade dos Açores, Ponta Delgada, 24-25/09/2012 Conferência Transferência de Resultados Projeto (PCT-MAC/I/C070) Universidade dos Açores, Ponta Delgada, 24-25/09/2012 A Biodiversidade Marinha dos Açores, problemas e soluções para a gestão e conservação

Leia mais

PROJETO PRESAS E PREDADORES T4A - 2010

PROJETO PRESAS E PREDADORES T4A - 2010 PROJETO PRESAS E PREDADORES T4A - 2010 PROFESSORA GREICE NORONHA AUXILIAR:PATRICIA CAMPOS COMPREENDENDO O ESTUDO A ÁREA DE CIÊNCIA CONSTITUI UM VASTO CAMPO DE INVESTIGAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO,

Leia mais

Ecologia & Biodiversidade: uma abordagem transdisciplinar

Ecologia & Biodiversidade: uma abordagem transdisciplinar Ecologia & Biodiversidade: uma abordagem transdisciplinar Francisco Soares Santos Filho Professor / Biólogo Conceitos fundamentais em Ecologia Espécie População Comunidade Biológica ou Biocenose Biótopo

Leia mais

BIOMAS BRASILEIROS. Prof.ª Débora Lia Ciências/ Biologia

BIOMAS BRASILEIROS. Prof.ª Débora Lia Ciências/ Biologia BIOMAS BRASILEIROS Prof.ª Débora Lia Ciências/ Biologia BIOMA: É CONJUNTO DE ECOSSISTEMAS TERRESTRES, CLIMATICAMENTE CONTROLADOS, QUE SÃO CARACTERIZADOS POR UMA VEGETAÇÃO PRÓPRIA (RAVEN ET AL., 2001) LOCALIZAÇÃO

Leia mais

MUSEU NACIONAL DE HISTÓRIA NATURAL E DA CIÊNCIA

MUSEU NACIONAL DE HISTÓRIA NATURAL E DA CIÊNCIA MUSEU NACIONAL DE HISTÓRIA NATURAL E DA CIÊNCIA Apresentação do Museu O Museu Nacional de História Natural é um organismo da Universidade de Lisboa, vocacionado para a investigação científica e atividades

Leia mais

Parques Marinhos Desafios em sua gestão O Caso do Parnam dos Abrolhos. Oc. Henrique Horn Ilha - chefe do Parque Nacional Marinho dos Abrolhos

Parques Marinhos Desafios em sua gestão O Caso do Parnam dos Abrolhos. Oc. Henrique Horn Ilha - chefe do Parque Nacional Marinho dos Abrolhos Parques Marinhos Desafios em sua gestão O Caso do Parnam dos Abrolhos Oc. Henrique Horn Ilha - chefe do Parque Nacional Marinho dos Abrolhos Todos os ecossistemas naturais estão fortemente pressionados

Leia mais

I SIMPÓSIO DA REDE PPBio MATA ATLÂNTICA

I SIMPÓSIO DA REDE PPBio MATA ATLÂNTICA I SIMPÓSIO DA REDE PPBio MATA ATLÂNTICA 11 de Agosto de 2015 Sandro Muniz Biólogo Gestor de Unidade de Conservação DEMANDAS DAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO PN Serra da Lontra PEIG Hidrogeologia Conhecer

Leia mais

ÍNDICE. II.5.2.3 - Áreas Protegidas... 1/6. II.5.2.3.1 - Unidades de Conservação na Região - UCs... 1/6

ÍNDICE. II.5.2.3 - Áreas Protegidas... 1/6. II.5.2.3.1 - Unidades de Conservação na Região - UCs... 1/6 2330-00-EIA-RL-0001-00 Julho de 2010 Rev. nº 00 GASODUTO DO PARÁ ÍNDICE II.5.2.3 - Áreas Protegidas... 1/6 II.5.2.3.1 - Unidades de Conservação na Região - UCs... 1/6 II.5.2.3.2 - Áreas Prioritárias para

Leia mais

Gato-do-mato-pequeno. Filhote de menor felino do Brasil nasce na Fundação. Congresso ALPZA recebe mais de 400 participantes

Gato-do-mato-pequeno. Filhote de menor felino do Brasil nasce na Fundação. Congresso ALPZA recebe mais de 400 participantes Zoo é notícia Ano 3 - No. 8 - Junho 2013 Gato-do-mato-pequeno Filhote de menor felino do Brasil nasce na Fundação Congresso ALPZA recebe mais de 400 participantes - Mestrado Profissional em parceria com

Leia mais

Tipos de Depósitos de Algas Calcárias na Plataforma Continental Brasileira. Gilberto T. M. Dias UFF

Tipos de Depósitos de Algas Calcárias na Plataforma Continental Brasileira. Gilberto T. M. Dias UFF Tipos de Depósitos de Algas Calcárias na Plataforma Continental Brasileira Gilberto T. M. Dias UFF Itens abordados na apresentação: Algas calcarias como geradoras de depósitos sedimentares Relações com

Leia mais

Mineração e Biodiversidade: lições aprendidas por uma mineradora global

Mineração e Biodiversidade: lições aprendidas por uma mineradora global II Congresso de Mineração da Amazônia Mineração e Biodiversidade: lições aprendidas por uma mineradora global Vânia Somavilla Vale - Diretora de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Novembro de

Leia mais

Berlengensis. LIFE + project proposal

Berlengensis. LIFE + project proposal Berlengensis LIFE + project proposal Berlengensis LIFE + Project Proposal Berlengas 2010: Conservação e Gestão para Implementação da Rede Natura Marinha 2000 (PTCON0006) Centro de Ciências do Mar O LIFE

Leia mais

As Questões Ambientais do Brasil

As Questões Ambientais do Brasil As Questões Ambientais do Brasil Unidades de conservação de proteção integral Existem cinco tipos de unidades de conservação de proteção integral. As unidades de proteção integral não podem ser habitadas

Leia mais

IPeC INSTITUTO DE PESQUISAS CANANÉIA

IPeC INSTITUTO DE PESQUISAS CANANÉIA Cananéia, 29 de julho de 2015. EDITAL N 01/2015 SELEÇÃO DE TÉCNICOS PARA ATIVIDADES EM PROGRAMA DE MONITORAMENTO DE PRAIAS / CENTRO DE REABILITAÇÃO DA FAUNA MARINHA NA REGIÃO DE IGUAPE, ILHA COMPRIDA,

Leia mais

BIOMA. dominante. http://www.brazadv.com/passeios_ecol %C3%B3gicos_mapas/biomas.asp

BIOMA. dominante. http://www.brazadv.com/passeios_ecol %C3%B3gicos_mapas/biomas.asp BIOMAS DO BRASIL BIOMA Definição: Bioma, ou formação planta - animal, deve ser entendido como a unidade biótica de maior extensão geográfica, compreendendo varias comunidades em diferentes estágios de

Leia mais

CEFETES Curso: Engenharia Elétrica Disciplina: Ciências do Ambiente. Os Biomas do Mundo

CEFETES Curso: Engenharia Elétrica Disciplina: Ciências do Ambiente. Os Biomas do Mundo CEFETES Curso: Engenharia Elétrica Disciplina: Ciências do Ambiente Os Biomas do Mundo OS BIOMAS DO MUNDO Onde quer que haja condições similares, desenvolvem-se ecossistemas similares Uma floresta tropical

Leia mais

1- Foca-da-Gronelândia (Pagophilus groenlandicus) 2 - Cavalo-marinho Pigmeu (Hippocampus bargibanti) 3 - Lontra-marinha (Enhydra lutris)

1- Foca-da-Gronelândia (Pagophilus groenlandicus) 2 - Cavalo-marinho Pigmeu (Hippocampus bargibanti) 3 - Lontra-marinha (Enhydra lutris) 2 - Cavalo-marinho Pigmeu (Hippocampus bargibanti) Características: É um peixe. Tem características semelhantes às do camaleão, como mudar de cor e mexer os olhos independentemente um do outro. Mede entre

Leia mais

Pontos de en de peixes em

Pontos de en de peixes em Imensos objetos no oceano, em locais distantes da costa, as plataformas flutuantes de extração de petróleo têm uma boa parte de sua estrutura permanentemente submersa, criando um tipo de recife artificial

Leia mais

MUNICÍPIOS E O MAR Associação Fórum Empresarial da Economia do Mar. Município da Nazaré

MUNICÍPIOS E O MAR Associação Fórum Empresarial da Economia do Mar. Município da Nazaré MUNICÍPIOS E O MAR Associação Fórum Empresarial da Economia do Mar Município da Nazaré PROJECTO VIVER O MAR Valorizar a associação da Nazaré ao Mar como factor de identidade Assegurar o conhecimento Científico

Leia mais

UNTAET. UNITED NATIONS TRANSITIONAL ADMINISTRATION IN EAST TIMOR Administração Transitória das Nações Unidas em Timor-Leste

UNTAET. UNITED NATIONS TRANSITIONAL ADMINISTRATION IN EAST TIMOR Administração Transitória das Nações Unidas em Timor-Leste U N I T E D N A T I O N S United Nations Transitional Administration in East Timor N A T I O N S U N I E S Administration Transitoire de Nations Unies au Timor Oriental UNTAET UNITED NATIONS TRANSITIONAL

Leia mais

SEGURO AQUÍCOLA LONGLINE ENVIRONMENT PANORAMA DA AQUICULTURA COMO FUNCIONA O SEGURO AQUÍCOLA?

SEGURO AQUÍCOLA LONGLINE ENVIRONMENT PANORAMA DA AQUICULTURA COMO FUNCIONA O SEGURO AQUÍCOLA? ÍNDICE LONGLINE ENVIRONMENT 3 PANORAMA DA AQUICULTURA 3 COMO FUNCIONA O SEGURO AQUÍCOLA? 3 ESPÉCIES ASSEGURADAS 4 RISCOS COBERTOS 5 QUANTO CUSTA O SEGURO AQUÍCOLA? 6 COMO OBTER O SEGURO AQUÍCOLA? 7 3 SEGURO

Leia mais

EDITAL N 01/2008/INPA CONCURSO PÚBLICO ANEXO I VAGAS CONFORME AS CARREIRAS E PERFIS CORRESPONDENTES E LISTA DE TEMAS PARA PROVA ESCRITA.

EDITAL N 01/2008/INPA CONCURSO PÚBLICO ANEXO I VAGAS CONFORME AS CARREIRAS E PERFIS CORRESPONDENTES E LISTA DE TEMAS PARA PROVA ESCRITA. EDITAL N 01/2008/INPA CONCURSO PÚBLICO ANEXO I VAGAS CONFORME AS CARREIRAS E PERFIS CORRESPONDENTES E LISTA DE TEMAS PARA PROVA ESCRITA. 1. CARREIRA DE PESQUISA EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA CARGO DE PESQUISADOR

Leia mais

Dra. Carla N. M. Polaz et al Analista Ambiental - CEPTA/ICMBio

Dra. Carla N. M. Polaz et al Analista Ambiental - CEPTA/ICMBio Dra. Carla N. M. Polaz et al Analista Ambiental - CEPTA/ICMBio Uberlândia, 04 de dezembro de 2015 Roteiro da Palestra 1) O ICMBio e a Conservação de Espécies e Ambientes 2) Unidades de Conservação 3) Lista

Leia mais

Conservação das Espécies Ameaçadas de Extinção

Conservação das Espécies Ameaçadas de Extinção Programa 0508 Biodiversidade e Recursos Genéticos - BIOVIDA Objetivo Promover o conhecimento, a conservação e o uso sustentável da biodiversidade e dos recursos genéticos e a repartição justa e eqüitativa

Leia mais

ANDAM GOLFINHOS NA COSTA

ANDAM GOLFINHOS NA COSTA ANDAM GOLFINHOS NA COSTA ESCOLA DE MAR INVESTIGAÇÃO, PROJECTOS E EDUCAÇÃO EM AMBIENTE E ARTES Delphinus delphis Toninha, assim se chama o mais comum dos golfinhos em Portugal. O golfinho-comum (Delphinus

Leia mais

No caminho certo... Meio Ambiente

No caminho certo... Meio Ambiente 46 No caminho certo... Interdisciplinaridade, pesquisas científicas, envolvimento da comunidade, parcerias e monitoramento constante fazem de projeto brasileiro de proteção às tartarugas marinhas modelo

Leia mais

Visão integrada. da conservação

Visão integrada. da conservação para sempre Em busca do equilíbrio entre a produção econômica e a conservação do Pantanal, o WWF-Brasil atua na Bacia Hidrográfica do Alto Paraguai em uma perspectiva transfronteiriça e em articulação

Leia mais

ACTIVIDADES PARA NOVEMBRO DE 2009

ACTIVIDADES PARA NOVEMBRO DE 2009 ACTIVIDADES PARA NOVEMBRO DE 2009 3 de Novembro de 2009 Quando: O Ponto Promoção da Leitura Hora do Conto e actividade de Expressão Plástica, baseadas no texto de Peter H. Reynolds. Salas da Hora do Conto

Leia mais

GLOSSÁRIO: - MEIO URBANO; - UNIDADES DE CONSERVAÇÃO AMBIENTAL; - RISCOS AMBIENTAIS; - IMPACTO SIGNIFICATIVO.

GLOSSÁRIO: - MEIO URBANO; - UNIDADES DE CONSERVAÇÃO AMBIENTAL; - RISCOS AMBIENTAIS; - IMPACTO SIGNIFICATIVO. FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DISCIPLINA: NAI PROFESSORA: Drª CÁTIA FARIAS GLOSSÁRIO: - MEIO URBANO; - UNIDADES DE CONSERVAÇÃO AMBIENTAL; - RISCOS AMBIENTAIS; -

Leia mais

Gerência de HSE e Operações HSE

Gerência de HSE e Operações HSE Gerência de HSE e Operações HSE AGENDA Mitigação e compensação Estudos de caso Mitigação "Ações propostas com finalidade de reduzir a magnitude ou a importância dos impactos ambientais adversos são chamadas

Leia mais

(anteprojecto / documento de trabalho) Mindelo Câmara Municipal de S. Vicente República de Cabo Verde 2008 Modelo Organizativo das Actividades do Museu: Um Museu para a Cultura e o Desenvolvimento de S.

Leia mais

Conhecer para estruturar e promover o sector do Turismo.

Conhecer para estruturar e promover o sector do Turismo. As Dinâmicas Regionais e os seus atores Conhecer para estruturar e promover o sector do Turismo. I.P.L. 26.10.2011 Praia do Osso da Baleia Trilhos de Interpretação da Natureza - Projecto Ecomatur I - Trilho

Leia mais

Teste 1ª Eliminatória Categoria Sénior 10 de Janeiro 2012

Teste 1ª Eliminatória Categoria Sénior 10 de Janeiro 2012 Teste 1ª Eliminatória Categoria Sénior 10 de Janeiro 2012 Este teste tem 30 questões de escolha múltipla (Parte I) e uma questão de desenvolvimento (Parte II). O teste versa sobre o Ambiente e a Sustentabilidade.

Leia mais

Capítulo 07. Distribuição dos Ecossistemas

Capítulo 07. Distribuição dos Ecossistemas Capítulo 07 Distribuição dos Ecossistemas A terra possui regiões que apresentam características próprias, onde cada uma desenvolve sua flora e fauna típica, sejam elas aquáticas ou terrestres, vindo a

Leia mais

BIODIVERSIDADE AO ALCANCE DE TODOS CRIAÇÃO DA PRIMEIRA EXPOSIÇÃO PERMANENTE DO MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL

BIODIVERSIDADE AO ALCANCE DE TODOS CRIAÇÃO DA PRIMEIRA EXPOSIÇÃO PERMANENTE DO MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL 1 BIODIVERSIDADE AO ALCANCE DE TODOS CRIAÇÃO DA PRIMEIRA EXPOSIÇÃO PERMANENTE DO MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Coordenador: Marcelo Felgueiras Napoli Projeto detalhado Título

Leia mais

Os Recursos Hídricos e a Biodiversidade do Brasil

Os Recursos Hídricos e a Biodiversidade do Brasil Os Recursos Hídricos e a Biodiversidade do Brasil Comunidade dos países de Língua portuguesa (CPLP) A CPLP foi criada em17 de Julho de 1996 por Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal

Leia mais

Teses e Dissertações. Ano Base. Área de Avaliação CIÊNCIAS BIOLÓGICAS I. Área Básica OCEANOGRAFIA 1.08.00.00-0. Instituição

Teses e Dissertações. Ano Base. Área de Avaliação CIÊNCIAS BIOLÓGICAS I. Área Básica OCEANOGRAFIA 1.08.00.00-0. Instituição Ano Base 2001 Área de Avaliação CIÊNCIAS BIOLÓGICAS I Área Básica OCEANOGRAFIA 1.08.00.00-0 Instituição UFPE - UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO (PE) Programa OCEANOGRAFIA 25001019034P-2 1 de 5 Mestrado

Leia mais

O Caminho da Vida Animal do Mar para a Terra

O Caminho da Vida Animal do Mar para a Terra Dados Técnicos da Exposição: O Caminho da Vida Animal do Mar para a Terra Projeto e Execução: Daniel Oscar Forcelli PAINÉIS EXPOSITORES (MÓDULOS) Quantidade: Dimensões: Características: Classificação:

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE CIÊNCIAS

PLANEJAMENTO ANUAL DE CIÊNCIAS COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE CIÊNCIAS 7º ANO PROFESSORA: LUCIANA PERES

Leia mais

Formações de Santa Catarina. Profa. Elisa Serena Gandolfo Martins Março/2015

Formações de Santa Catarina. Profa. Elisa Serena Gandolfo Martins Março/2015 Formações de Santa Catarina Profa. Elisa Serena Gandolfo Martins Março/2015 O Estado de Santa Catarina está totalmente inserido dentro do Bioma Mata Atlântica. A Mata Atlântica "O espaço que contém aspectos

Leia mais

-- De São Paulo a Santos -- Colégio Santa Clara Prof. Marcos

-- De São Paulo a Santos -- Colégio Santa Clara Prof. Marcos -- De São Paulo a Santos -- Colégio Santa Clara Prof. Marcos São Paulo tem déficit de água Região Metropolitana de São Paulo População: aprox. 20 milhões Consumo médio de água: 73 mil litros por segundo

Leia mais

CONCEPÇÕES SOBRE CERRADO 1 LEICHTWEIS, Kamila Souto 2 TIRADENTES, Cibele Pimenta 3 INTRODUÇÃO

CONCEPÇÕES SOBRE CERRADO 1 LEICHTWEIS, Kamila Souto 2 TIRADENTES, Cibele Pimenta 3 INTRODUÇÃO CONCEPÇÕES SOBRE CERRADO 1 LEICHTWEIS, Kamila Souto 2 TIRADENTES, Cibele Pimenta 3 INTRODUÇÃO A educação ambiental envolve atividades educativas que visam informar sobre o meio ambiente e suas relações.

Leia mais

I - Centros com expertise técnico-científica em biomas, ecossistemas ou manejo sustentado dos recursos naturais.

I - Centros com expertise técnico-científica em biomas, ecossistemas ou manejo sustentado dos recursos naturais. Nº 170, sexta-feira, 4 de setembro de 2009 ISS 1677-7042 PORTARIA o- 78, DE 3 DE SETEMBRO DE 2009 O PRESIDENTE DO INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE, no uso de suas atribuições, Considerando

Leia mais

O Estado da Biodiversidade Brasileira: Genes, Espécies e Biomas

O Estado da Biodiversidade Brasileira: Genes, Espécies e Biomas O Estado da Biodiversidade Brasileira: Genes, Espécies e Biomas Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada IPEA Diretoria de Estudos e Políticas Regionais, Urbanas e Ambientais DIRUR Eixo Temático: Sustentabilidade

Leia mais

Atividades de Sensibilização, Divulgação e Educação Ambiental

Atividades de Sensibilização, Divulgação e Educação Ambiental Atividades de Sensibilização, Divulgação e Educação Ambiental SENSIBILIZAÇÃO, DIVULGAÇÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL A ESCOLA DE MAR é uma iniciativa individual, privada, vocacionada para o estudo, a investigação,

Leia mais

José Eduardo do Couto Barbosa. Biólogo e Mestrando em Ecologia pela UFJF

José Eduardo do Couto Barbosa. Biólogo e Mestrando em Ecologia pela UFJF José Eduardo do Couto Barbosa Biólogo e Mestrando em Ecologia pela UFJF CONCEITO DE BIODIVERSIDADE Pode ser definida como a variedade e a variabilidade existente entre os organismos vivos e as complexidades

Leia mais

Filme: Bichos Urbanos

Filme: Bichos Urbanos Filme: Bichos Urbanos Gênero: Experimental Diretor: João Mors, Karen Barros Elenco: José Marinho Ano 2002 Duração: 20 min Cor: Colorido Bitola: 16mm País: Brasil Disponível no Porta Curtas: www.portacurtas.com.br/curtanaescola/filme.asp?cod=1495

Leia mais

BOTO-CINZA: SOTALIAGUIANENSIS (VAN BÉNÉDEN, 1864)

BOTO-CINZA: SOTALIAGUIANENSIS (VAN BÉNÉDEN, 1864) BOTO-CINZA: SOTALIAGUIANENSIS (VAN BÉNÉDEN, 1864) Juliana Ywasaki Lima Leonardo Serafim da Silveira Boto-cinza: Sotaliaguianensis (Van Bénéden, 1864) Juliana Ywasaki Lima, MV, MSc., Doutoranda do Programa

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ESTUDOS INTEGRADOS DA BIODIVERSIDADE AMAZÔNICA NÚCLEO SINOP - MT

INSTITUTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ESTUDOS INTEGRADOS DA BIODIVERSIDADE AMAZÔNICA NÚCLEO SINOP - MT INSTITUTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ESTUDOS INTEGRADOS DA BIODIVERSIDADE AMAZÔNICA NÚCLEO SINOP - MT Domingos J. Rodrigues sub-rede Amazônia Meridional Programa de Pesquisa em Biodiversidade PPBio Amazônia

Leia mais

Trabalho de Campo À descoberta da Água no Parque das Nações

Trabalho de Campo À descoberta da Água no Parque das Nações Trabalho de Campo À descoberta da Água no Parque das Nações Público-alvo: Alunos do 1.º CEB. Área curricular disciplinar: Estudo do Meio. Introdução O Parque das Nações é um espaço aberto, de fácil acesso,

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA - A PRAÇA VAI VIRAR MAR

RELATO DE EXPERIÊNCIA - A PRAÇA VAI VIRAR MAR RELATO DE EXPERIÊNCIA - A PRAÇA VAI VIRAR MAR Comemoração do Dia Internacional do Meio Ambiente 05 de junho de 2014 A comemoração do dia internacional do meio ambiente faz parte do quadro de eventos programados

Leia mais

Estudo Sistemático, Paleoecológico e Geocronológico de Invertebrados Fósseis da Gruta do Urso Fóssil, no Parque Nacional de Ubajara/CE, Brasil

Estudo Sistemático, Paleoecológico e Geocronológico de Invertebrados Fósseis da Gruta do Urso Fóssil, no Parque Nacional de Ubajara/CE, Brasil Ministério do Meio Ambiente - MMA Insituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio Sistema de Autorização e Informação em Biodiversidade - SISBIO Parque Nacional de Ubajara Autorização para

Leia mais

Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS

Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS Tema Uso dos recursos genéticos RECURSOS GENÉTICOS CONHECIMENTOS TRADICIONAIS PROVEDORES USOS CONSENTIMENTO PRÉVIO TERMOS MUTUAMENTE ACORDADOS USUÁRIOS BENEFÍCIOS

Leia mais

Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS

Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS TEMA Uso dos recursos genéticos RECURSOS GENÉTICOS CONHECIMENTOS TRADICIONAIS PROVEDORES USOS CONSENTIMENTO PRÉVIO TERMOS MUTUAMENTE ACORDADOS USUÁRIOS BENEFÍCIOS

Leia mais

ESPONJA DO MAR CORAL CÉREBRO. MEDUSA ou ÁGUA-VIVA HIDRA PLANÁRIA TERRESTRE. ESCÓLEX de TÊNIA LOMBRIGA. NEMATÓIDE de VIDA LIVRE

ESPONJA DO MAR CORAL CÉREBRO. MEDUSA ou ÁGUA-VIVA HIDRA PLANÁRIA TERRESTRE. ESCÓLEX de TÊNIA LOMBRIGA. NEMATÓIDE de VIDA LIVRE ESPONJA DO MAR Filo Porifera Os poríferos coloniais, como o da foto, são muito comuns nos mares brasileiros. (cerca de 5 cm de altura) HIDRA Filo Cnidaria Classe Hydrozoa Vive em água doce; em seu ciclo

Leia mais

Proposta de 20 Metas Brasileiras de Biodiversidade para 2020

Proposta de 20 Metas Brasileiras de Biodiversidade para 2020 Proposta de 20 Metas Brasileiras de Biodiversidade para 2020 Propostas encaminhadas pela sociedade brasileira após consulta envolvendo cerca de 280 instituições dos setores: privado, ONGs, academia, governos

Leia mais

ENDEMISMO, PROVINCIALISMO E DISJUNÇÃO

ENDEMISMO, PROVINCIALISMO E DISJUNÇÃO ENDEMISMO, PROVINCIALISMO E DISJUNÇÃO Disciplina: Fundamentos de Ecologia e de Modelagem Ambiental Aplicados à conservação da biodiversidade Aluna: Luciane Yumie Sato ENDEMISMO O que é? significa simplesmente

Leia mais