MUSEU NACIONAL DE HISTÓRIA NATURAL E DA CIÊNCIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MUSEU NACIONAL DE HISTÓRIA NATURAL E DA CIÊNCIA"

Transcrição

1 MUSEU NACIONAL DE HISTÓRIA NATURAL E DA CIÊNCIA Apresentação do Museu O Museu Nacional de História Natural é um organismo da Universidade de Lisboa, vocacionado para a investigação científica e atividades de extensão cultural. A prática museológica é baseada num espólio científico-cultural, resultado em grande parte de expedições científicas e doações. Numerosos investigadores nacionais e estrangeiros têm estagiado nesta instituição para estudar o património científico aqui preservado. Tem também sido dada orientação a teses de licenciatura, mestrado e doutoramento. O Museu Nacional de História Natural produz ou acolhe exposições permanentes e temporárias e é, ainda, sede de conferências, debates, cursos de formação e outro tipo de eventos de divulgação científica, culturais e artísticos. As atuais instalações do Museu Nacional de História Natural ocupam (em conjunto com o Museu de Ciência com o Instituto Geofísico Infante D. Luis) uma área que no século XVII correspondia à cerca do Noviciado da Cotovia com o seu horto. Extinto o Noviciado, foi fundado no mesmo espaço o Colégio Real dos Nobres ( ), a que se sucederam a Escola Politécnica ( ) e a Faculdade de Ciências ( ). A história do Museu Nacional de História Natural reporta-se à criação dos Gabinetes de História Natural na Escola Politécnica, os quais foram os herdeiros das coleções do Real Museu da Ajuda (1858).

2 Informações úteis: JARDIM BOTÂNICO Contactos: Jardim Botânico da Universidade de Lisboa R. Escola Politécnica, 56, Lisboa Telefone: Fax: geral: Site: Como chegar: Entrada 1 - Rua da Escola Politécnica, 58 Entrada 2 - Portão da Rua da Alegria (encerrado aos Sábados, Domingos e feriados e todos os dias após as 18.00h). Metro: Estação do Rato (linha amarela), e seguir pela R. Escola Politécnica Autocarro Carris: nº 58, (paragem: Escola Politécnica, em frente à entrada do Jardim), nº 100 (paragem: Príncipe Real), nº 6, 9, 20, 27, 38, 49 (paragem: Largo do Rato) Quando visitar: Verão: Dias da semana: aberto das 9.00 às h.. Inverno: Dias da semana: aberto das 9.00 às h. Fechado nos dias de Natal e Ano Novo.

3 Quanto custa Jardim Botânico: Adultos - 1,50 Maiores de 65 anos - 1,00 Estudantes 1,00 (é necessária a apresentação do cartão) Crianças até aos seis anos - Grátis Passes anuais - 12,50 Alunos e Funcionários da Universidade de Lisboa 1,00 MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL E DA CIÊNCIA O Museu de História Natural e da Ciência está presentemente aberto ao público de terça a sexta-feira, das 10.00h às 17.00h; aos fins-de-semana das 11.00h às 18.00h. Encerra às segundas-feiras e aos feriados. Como chegar: Entrada - Rua da Escola Politécnica, 58 Metro: Estação do Rato (linha amarela), e seguir pela R. Escola Politécnica Autocarro Carris: nº 58, (paragem: Escola Politécnica, em frente à entrada do Jardim), nº 100 (paragem: Príncipe Real), nº 6, 9, 20, 27, 38, 49 (paragem: Largo do Rato) Quanto custa Museu da História Natural e da Ciência: Adultos - 5,00 Maiores de 65 anos - 3,00 Estudantes 3,00 (é necessária a apresentação do cartão) Crianças até aos seis anos - Grátis Famílias - 12,50 Quanto custa Museu da História Natural e da Ciência e Jardim Botânico: Adultos - 6,00 Maiores de 65 anos - 3,50 Estudantes 3,50 (é necessária a apresentação do cartão) Crianças até aos seis anos - Grátis Famílias - 15,0

4 Departamentos O Museu Nacional de História Natural e da Ciência (MNHNC) é um organismo vocacionado para a investigação científica e atividades de extensão cultural. A prática museológica é baseada num espólio científico-cultural, resultado em grande parte de expedições científicas e doações. Numerosos investigadores nacionais e estrangeiros têm estagiado nesta instituição para estudar o património científico aqui preservado. Tem também sido dada orientação a teses de licenciatura, mestrado e doutoramento. O MNHNC produz ou acolhe exposições permanentes e temporárias e é, ainda, sede de conferências, debates, cursos de formação e outro tipo de eventos de divulgação científica, culturais e artísticos. É constituído por três departamentos: Plantas, briófitos, líquenes e fungos de Portugal, do resto da Europa, de outros continentes e de ilhas Atlânticas, do Índico e do Pacífico constituem o espólio deste museu, cujas coleções históricas remontam ao século XVIII, coligidas em expedições e viagens em África, Brasil, Ásia e Timor. O Jardim Botânico tem uma área de 4 ha onde se observam espécimes vegetais oriundos de diversas partes do Mundo, entre as quais sobressaem Cicadácias, Gimnospérmicas, palmeiras e figueiras tropicais. Sementes de espécies raras e ameaçadas são preservadas no Banco de Sementes. É desenvolvida investigação pura e aplicada em Botânica, Micologia, Fitossociologia, Ecologia, Conservação da Natureza e das espécies vegetais.

5 O acervo desta Área é constituído por coleções de Paleontologia, Mineralogia e Petrologia provenientes de todo o mundo, algumas das quais foram constituídas durante o séc. XIX. Destaca-se a coleção de minerais da Mina da Panasqueira (Fundão). Esta área desenvolve regularmente iniciativas de divulgação científica e culturais, com particular realce para a organização anual da Feira Internacional de Minerais, Gemas e Fósseis e o apoio e incentivo à musealização de sítios com interesse geológico por todo o país. É desenvolvida investigação científica nos domínios da Paleontologia de Vertebrados (em particular dos Dinossáurios), Palinologia, Paleoecologia, Estratigrafia, Sedimentologia, Geologia Marinha e Museologia. Uma vasta coleção zoológica representativa da fauna portuguesa e uma ampla coleção antropológica, considerada a segunda mais importante da Europa, constituem o espólio desta área. A maioria deste acervo resulta de um grande esforço de reunião de espécimens após o incêndio de 1978, que dizimou praticamente toda a coleção existente. O Museu possui ainda um importante fundo documental relacionado com a Zoologia e a Antropologia em Portugal desde o séc. XVIII, que inclui mais de 4000 documentos. É desenvolvida investigação nas áreas da Zoogeografia e Biossistemática com recurso a marcadores citogenéticos e moleculares, Antropologia, Ecologia e História da Zoologia

Museu Nacional de Arqueologia

Museu Nacional de Arqueologia Museu Nacional de Arqueologia - História O atual Museu Nacional de Arqueologia (MNA) foi fundado em 1893 pelo Doutor José Leite de Vasconcelos (e daí a designação oficial mais completa do Museu, conforme

Leia mais

Museu Nacional da Arte Antiga

Museu Nacional da Arte Antiga Museu Nacional da Arte Antiga Índice 1. Horários e localização: 2. Ingresso 3. História do museu 4. Informações acerca do museu 5. As 10 obras de referência do MNAA 6. Coleções 1 - Horário e Localização

Leia mais

Doutoramento em História e Filosofia das Ciências 2014-2015

Doutoramento em História e Filosofia das Ciências 2014-2015 Doutoramento em História e Filosofia das Ciências 2014-2015 Secção Autónoma de História e Filosofia das Ciências Contactos: Secção Autónoma de História e Filosofia das Ciências Faculdade de Ciências da

Leia mais

CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES LEGAIS. Artigo 1º PREÂMBULO

CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES LEGAIS. Artigo 1º PREÂMBULO REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES LEGAIS Artigo 1º PREÂMBULO O presente regulamento do Museu da Ciência da Universidade de Coimbra estabelece-se de acordo com os Estatutos da Fundação Museu

Leia mais

Horários: 10h30 12h30 / 15h00 20h00 (com marcação prévia)

Horários: 10h30 12h30 / 15h00 20h00 (com marcação prévia) MUSEU DO CARRO ELÉTRICO Inaugurado em 1992, o Museu do Carro Elétrico nasceu da dedicação e voluntarismo de um pequeno grupo de entusiastas e apaixonados por este meio de transporte coletivo, impulsionados

Leia mais

:: EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS

:: EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS agenda de janeiro :: EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS Feltros do Mundo. Arquitecturas de Cabeça Estará patente até ao fim do mês de Janeiro a exposição Feltros do Mundo, Arquitecturas de Cabeça. Esta será a última

Leia mais

Distrito de Lisboa Concelho de Lisboa OCEANÁRIO DE LISBOA

Distrito de Lisboa Concelho de Lisboa OCEANÁRIO DE LISBOA Distrito de Lisboa Concelho de Lisboa OCEANÁRIO DE LISBOA HISTORIAL Data da Fundação: 5 de Outubro de 1995. Breve Historial : Em 1989, a Comissão Nacional para a Comemoração dos Descobrimentos, liderada

Leia mais

Curso Livre Online. 3.ª edição. Gestão e Valorização de Coleções Paleontológicas e Arqueológicas em Museus PLANO MODULAR

Curso Livre Online. 3.ª edição. Gestão e Valorização de Coleções Paleontológicas e Arqueológicas em Museus PLANO MODULAR Curso Livre Online 3.ª edição Gestão e Valorização de Coleções Paleontológicas e Arqueológicas em Museus PLANO MODULAR Apresentação da entidade organizadora Centro Português de Geo História e Pré-História

Leia mais

de Lisboa sem dinheiro procura mecenas para a salvação Jardim Botânico. Universidade

de Lisboa sem dinheiro procura mecenas para a salvação Jardim Botânico. Universidade Jardim Botânico. Universidade de Lisboa sem dinheiro procura mecenas para a salvação Para já foi reposto o sistema de riachos e cascatas. Obras de reabilitação a sério só estão previstas para o ano. NELSON

Leia mais

Museu Nacional de Soares dos Reis Porto

Museu Nacional de Soares dos Reis Porto Museu Nacional de Soares dos Reis Porto 4 Museu Nacional de Soares dos Reis APRESENTAÇÃO O Museu ocupa, desde 1940, o Palácio dos Carrancas, construído nos finais do séc. XVIII para habitação e fábrica

Leia mais

Museu de Artes Decorativas Portuguesas Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva Lisboa

Museu de Artes Decorativas Portuguesas Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva Lisboa Museu de Artes Decorativas Portuguesas Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva Lisboa 18 Museu de Artes Decorativas Portuguesas Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva APRESENTAÇÃO Instalado no Palácio

Leia mais

catálogo de cursos 2008-2009 [estudos de 1.º ciclo] universidade de coimbra

catálogo de cursos 2008-2009 [estudos de 1.º ciclo] universidade de coimbra catálogo de cursos 2008-2009 [estudos de 1.º ciclo] universidade de coimbra Índice de conteúdos Apresentação [p. 4] Informações gerais para estudantes de mobilidade [pp. 5-7] Lista alfabética de cursos

Leia mais

1º Ciclo em Biologia Departamento de Biologia Animal http://dba.fc.ul.pt/ Departamento de Biologia Vegetal http://dbv.fc.ul.pt/ 1º Ciclo em Biologia 60 60 3º ANO 60 BAM BAT BED BCB BMG 30 alunos / Ramo

Leia mais

Fica o convite para mais um ano de experiências interativas e sensoriais num Museu que é de todos e para todos.

Fica o convite para mais um ano de experiências interativas e sensoriais num Museu que é de todos e para todos. Antigo espaço de encontro e de comunicação em torno do comércio e das mercadorias, a Alfândega é agora a casa do Museu dos Transportes e Comunicações, que tem vindo a construir e a solidificar uma relação

Leia mais

Junta de Freguesia de Casal de Cambra Sistema de Atendimento On Line http://www.jf casalcambra.pt. Transportes Públicos Casal de Cambra

Junta de Freguesia de Casal de Cambra Sistema de Atendimento On Line http://www.jf casalcambra.pt. Transportes Públicos Casal de Cambra Transportes Públicos Casal de Cambra Saiba como chegar à nossa freguesia... Rodoviária de Lisboa http://www.rodoviariadelisboa.pt/ 210 (Caneças Colégio Militar) 203 (Casal do Bispo Colégio Militar) 224

Leia mais

ESTUDAR NO CENTRO REGIONAL DO PORTO DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

ESTUDAR NO CENTRO REGIONAL DO PORTO DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA ESTUDAR NO CENTRO REGIONAL DO PORTO DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA ESTUDAR NO CENTRO REGIONAL DO PORTO DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA 1. O CENTRO REGIONAL DO PORTO DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

Leia mais

Distrito de Faro Concelho de Olhão PARQUE NATURAL DA RIA FORMOSA

Distrito de Faro Concelho de Olhão PARQUE NATURAL DA RIA FORMOSA Distrito de Faro Concelho de Olhão PARQUE NATURAL DA RIA FORMOSA Galinha sultana porphyrio porphyrio HISTORIAL Data da Fundação: 1991 Breve Historial: O Centro de Educação Ambiental de Marim foi criado

Leia mais

CALÇADAS E CRISTAIS: ENCONTRO DE SIMETRIA CALÇADAS E CRISTAIS ENCONTRO DE SIMETRIA. Exposição temporária no MNHNC

CALÇADAS E CRISTAIS: ENCONTRO DE SIMETRIA CALÇADAS E CRISTAIS ENCONTRO DE SIMETRIA. Exposição temporária no MNHNC CALÇADAS E CRISTAIS ENCONTRO DE SIMETRIA Exposição temporária no MNHNC CALÇADAS E CRISTAIS ENCONTRO DE SIMETRIA Exposição temporária no MNHNC Enquadrada em 2013 no Ano da Matemática do Planeta Terra (MPE2013),

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AVEIRO ESCOLA JOÃO AFONSO DE AVEIRO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AVEIRO ESCOLA JOÃO AFONSO DE AVEIRO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AVEIRO ESCOLA JOÃO AFONSO DE AVEIRO PROGRAMA DA VISITA DE ESTUDO: POR TERRAS DA MACARONÉSIA ROTEIRO GEOLÓGICO E PAISAGÍSTICO EM S. MIGUEL E SANTA MARIA (AÇORES) ANO LECTIVO DE

Leia mais

Pareceres dos Consultores sobre o Estudo de Impacto Ambiental do Projeto para Aproveitamento Hidrelétrico de Santo Antônio e Jirau, Rio Madeira RO

Pareceres dos Consultores sobre o Estudo de Impacto Ambiental do Projeto para Aproveitamento Hidrelétrico de Santo Antônio e Jirau, Rio Madeira RO Pareceres dos Consultores sobre o Estudo de Impacto Ambiental do Projeto para Aproveitamento Hidrelétrico de Santo Antônio e Jirau, Rio Madeira RO Parecer Técnico sobre Paleontologia Consultor: Professor

Leia mais

ANEXO I (À Tabela de Preços e Outras Receitas Municipais 2012) DESCONTOS A APLICAR AOS VALORES DA TABELA DE PREÇOS E OUTRAS RECEITAS MUNICIPAIS

ANEXO I (À Tabela de Preços e Outras Receitas Municipais 2012) DESCONTOS A APLICAR AOS VALORES DA TABELA DE PREÇOS E OUTRAS RECEITAS MUNICIPAIS ANEXO I (À Tabela de Preços e Outras Receitas Municipais 2012) DESCONTOS A APLICAR AOS VALORES DA TABELA DE PREÇOS E OUTRAS RECEITAS MUNICIPAIS Aos preços da Tabela de Preços e Outras Receitas Municipais

Leia mais

ACTIVIDADES PARA CRIANÇAS - ASTRONOMIA

ACTIVIDADES PARA CRIANÇAS - ASTRONOMIA ACTIVIDADES PARA CRIANÇAS - ASTRONOMIA Oficina Pedagógica construção de Instrumentos Datas e Locais: 5 e 6 de Agosto às 10:00 - Museu de Lagar Mário Gomes Figueira, Vila Franca da Serra, Gouveia 5 de Agosto

Leia mais

Cultura Material em Exposição: Museu do Couro e do Zé Didor, Campo Maior, Piauí

Cultura Material em Exposição: Museu do Couro e do Zé Didor, Campo Maior, Piauí 1 Cultura Material em Exposição: Museu do Couro e do Zé Didor, Campo Maior, Piauí Felipe de Sousa Soares* Felipe Rocha Carvalho Lima** Petherson Farias de Oliveira*** 1. Introdução O texto visa apresentar

Leia mais

Arquivos universitários na encruzilhada do passado, presente e futuro: O caso do Arquivo Histórico dos Museus da Universidade de Lisboa

Arquivos universitários na encruzilhada do passado, presente e futuro: O caso do Arquivo Histórico dos Museus da Universidade de Lisboa Workshop Arquivos Universitários FCSH-UNL, 5 de Julho de 2013 Arquivos universitários na encruzilhada do passado, presente e futuro: O caso do Arquivo Histórico dos Museus da Universidade de Lisboa José

Leia mais

Semana do Meio Ambiente do Jardim Botânico de Brasília JBB

Semana do Meio Ambiente do Jardim Botânico de Brasília JBB CONVITE Semana do Meio Ambiente do Jardim Botânico de Brasília JBB 05 a 10 de Junho de 2011, das 09 às 17h Jardim Botânico de Brasília SMDB Conjunto 12 Lago Sul Informações: 3366-1438 jardimbotanicodebrasilia@gmail.com

Leia mais

O QUE É MUSEU? Definições e Tipologias

O QUE É MUSEU? Definições e Tipologias O QUE É MUSEU? Definições e Tipologias Desde o início, o ICOM tinha como um dos seus objetivos definir museu. No primeiro número do ICOM News, em 1948, o museu é definido como voltado apenas para a coleção,

Leia mais

MUSEU DA CIDADE OCA RECEBE A MAIOR EXPOSIÇÃO JÁ REALIZADA SOBRE A CIVILIZAÇÃO MAIA

MUSEU DA CIDADE OCA RECEBE A MAIOR EXPOSIÇÃO JÁ REALIZADA SOBRE A CIVILIZAÇÃO MAIA MUSEU DA CIDADE OCA RECEBE A MAIOR EXPOSIÇÃO JÁ REALIZADA SOBRE A CIVILIZAÇÃO MAIA Mayas: revelação de um tempo sem fim reúne pela primeira vez mais de 380 objetos e homenageia esta civilização em todo

Leia mais

MUSEU DO AZULEJO APRESENTAÇÃO

MUSEU DO AZULEJO APRESENTAÇÃO MUSEU DO AZULEJO APRESENTAÇÃO O Museu Nacional do Azulejo tem por missão recolher, conservar, estudar e divulgar exemplares representativos da evolução da Cerâmica e do Azulejo em Portugal, promovendo

Leia mais

Agenda Educativa Jardim Botânico da Universidade de Coimbra. Temas sazonais Junho e Julho 2010

Agenda Educativa Jardim Botânico da Universidade de Coimbra. Temas sazonais Junho e Julho 2010 Agenda Educativa Jardim Botânico da Universidade de Coimbra Temas permanentes - consultar/retirar formulário: www.uc.pt/jardimbotanico Temas sazonais Junho e Julho 2010 ACÇÃO: Visita Ateliê Celebração

Leia mais

2º 02T 02P 04 90 horas Vegetais Criptogâmicos. 2º 03T 01P 04 75 horas Zoologia de Invertebrados I SER Elementos de 2º 04T - 04 60 horas inexiste

2º 02T 02P 04 90 horas Vegetais Criptogâmicos. 2º 03T 01P 04 75 horas Zoologia de Invertebrados I SER Elementos de 2º 04T - 04 60 horas inexiste Disciplinas Obrigatórias Código Disciplina Período Créditos Carga Pré-requisito SIE horária Citologia 1º 02T - 02 30 horas inexiste Embriologia 1º 02T - 02 30 horas inexiste 0005 Vegetais 1º 02T 02P 04

Leia mais

LICENCIATURA EM PATRIMÓNIO CULTURAL E ARQUEOLOGIA

LICENCIATURA EM PATRIMÓNIO CULTURAL E ARQUEOLOGIA LICENCIATURA EM PATRIMÓNIO CULTURAL E ARQUEOLOGIA Descrição A licenciatura em Património Cultural e Arqueologia é um curso de 1º ciclo, organizado em semestres, que se desenvolve em 3 anos, tendo os estudantes

Leia mais

CAPÍTULO I DA FUNDAÇÃO

CAPÍTULO I DA FUNDAÇÃO ESTATUTOS DA FUNDAÇÃO ABEL E JOÃO DE LACERDA CAPÍTULO I DA FUNDAÇÃO - ARTIGO 1º - Natureza Jurídica A FUNDAÇÃO ABEL E JOÃO DE LACERDA é uma instituição particular de utilidade pública geral dotada de personalidade

Leia mais

O Ç R A M E D A D N E G A

O Ç R A M E D A D N E G A AGENDA DE MARÇO :: PROGRAMAÇÃO 2008 2008 será dedicado ao tema da moda Sendo o chapéu um elemento determinante do ponto de vista da evolução do traje, este seria necessariamente um tema obrigatório dentro

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO MUSEU DE ARQUEOLOGIA E ETNOLOGIA PROFESSOR OSWALDO RODRIGUES CABRAL/ UFSC (PROPOSTA APROVADA NO CONSELHO DO CFH)

REGIMENTO INTERNO DO MUSEU DE ARQUEOLOGIA E ETNOLOGIA PROFESSOR OSWALDO RODRIGUES CABRAL/ UFSC (PROPOSTA APROVADA NO CONSELHO DO CFH) 1 REGIMENTO INTERNO DO MUSEU DE ARQUEOLOGIA E ETNOLOGIA PROFESSOR OSWALDO RODRIGUES CABRAL/ UFSC (PROPOSTA APROVADA NO CONSELHO DO CFH) I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este Regimento dispõe sobre

Leia mais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º /XI

PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º /XI Grupo Parlamentar PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º /XI RECOMENDA AO GOVERNO A SUSPENSÃO DE TODAS AS ACÇÕES RELATIVAS À TRANSFERÊNCIA DE MUSEUS E À CRIAÇÃO DE NOVOS MUSEUS NO EIXO AJUDA/BELÉM, ATÉ À ELABORAÇÃO

Leia mais

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br

CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br CIÊNCIAS BIOLÓGICAS COORDENADORA Mara Garcia Tavares mtavares@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2009 117 Bacharelado ATUAÇÃO O Bacharelado em Ciências Biológicas tem como objetivo principal formar e capacitar

Leia mais

ATESTADO DE CAPACIDADE TÉCNICA

ATESTADO DE CAPACIDADE TÉCNICA ATESTADO DE CAPACIDADE TÉCNICA Atestamos para os devidos fins, que a empresa TRANSPORTES FINK LTDA, inscrita no CNPJ de Nº. 00.649.887/0001-43, inscrição Estadual de Nº. 85.730.886 e inscrição municipal

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS EAD (Currículo 2015)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS EAD (Currículo 2015) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS EAD (Currículo 2015) ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA C/H 105 D0232 Estudo anatômico e fisiológico dos sistemas: digestório, circulatório,

Leia mais

Mosteiro dos Jerónimos Lisboa

Mosteiro dos Jerónimos Lisboa Mosteiro dos Jerónimos Lisboa 10 Mosteiro dos Jerónimos APRESENTAÇÃO Associado pela sua fundação às figuras de D. Manuel e de Vasco da Gama, o Mosteiro dos Jerónimos é uma obra-prima da arquitectura manuelina,

Leia mais

BIBLIOTECA MUNICIPAL DA FIGUEIRA DA FOZ AGENDA DE ANIMAÇÃO CULTURAL. abril 2013 DIA 2

BIBLIOTECA MUNICIPAL DA FIGUEIRA DA FOZ AGENDA DE ANIMAÇÃO CULTURAL. abril 2013 DIA 2 BIBLIOTECA MUNICIPAL DA FIGUEIRA DA FOZ AGENDA DE ANIMAÇÃO CULTURAL abril 2013 DIA 2 COMEMORAÇÕES DO DIA INTERNACIONAL DO LIVRO INFANTIL ERA UMA VEZ!... ATELIER DE CONSTRUÇÃO DE HISTÓRIA No Dia Internacional

Leia mais

Distrito de Aveiro Concelho de Ílhavo MUSEU MARÍTIMO DE ÍLHAVO

Distrito de Aveiro Concelho de Ílhavo MUSEU MARÍTIMO DE ÍLHAVO Distrito de Aveiro Concelho de Ílhavo MUSEU MARÍTIMO DE ÍLHAVO HISTORIAL Data da fundação: 7 de Agosto de 1937. Breve Historial: O Museu Marítimo de Ílhavo surgiu como um museu de vocação etnográfica e

Leia mais

ISMAR DE SOUZA CARVALHO Editor PALEONTOLOGIA CONCEITOS MÉTODOS. 3a edição VOLUME 1 EDITORA INTERCIÊNCIA

ISMAR DE SOUZA CARVALHO Editor PALEONTOLOGIA CONCEITOS MÉTODOS. 3a edição VOLUME 1 EDITORA INTERCIÊNCIA ISMAR DE SOUZA CARVALHO Editor CONCEITOS MÉTODOS PALEONTOLOGIA 3a edição VOLUME 1 EDITORA INTERCIÊNCIA Sumário Apresentação... Prefácio... Prefácio da 2 a Edição... Prefácio da 1 a Edição... VII IX XI

Leia mais

3. Conforme a legislação vigente, é atribuição exclusiva da FZB a elaboração dos laudos paleontológicos exigidos em processos de licenciamento

3. Conforme a legislação vigente, é atribuição exclusiva da FZB a elaboração dos laudos paleontológicos exigidos em processos de licenciamento Prezados Deputados, O PL 300, encaminhado pelo Governo à Assembleia Legislativa no último dia 7 de agosto, prevê a extinção da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul FZB e a demissão de todos os seus

Leia mais

Introdução a Acesso e Repartição de Benefícios

Introdução a Acesso e Repartição de Benefícios Convenção sobre Diversidade Biológica: ABS Introdução a Acesso e Repartição de Benefícios RECURSOS GENÉTICOS CONHECIMENTOS TRADICIONAIS PROVEDORES USOS CONSENTIMENTO PRÉVIO TERMOS MUTUAMENTE ACORDADOS

Leia mais

ESTUDAR NO CENTRO REGIONAL DO PORTO DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

ESTUDAR NO CENTRO REGIONAL DO PORTO DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA ESTUDAR NO CENTRO REGIONAL DO PORTO DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA ESTUDAR NO CENTRO REGIONAL DO PORTO DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA 1 1. O CENTRO REGIONAL DO PORTO DA UNIVERSIDADE CATÓLICA

Leia mais

2º semestre - Ciências Exatas (noturno)

2º semestre - Ciências Exatas (noturno) 2º semestre - Ciências Exatas (noturno) Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira 18:50 às 19:45 Geometria Analítica Geometria Analítica Energia Energia Bases Experimentais na Química

Leia mais

Ações Locais para a Sustentabilidade Programa Biocidade

Ações Locais para a Sustentabilidade Programa Biocidade Ações Locais para a Sustentabilidade Programa Biocidade REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA CURITIBA - DADOS GEOGRÁFICOS Área - 432,17 km2 Relevo - Levemente ondulado Extensão Norte Sul - 35 km Extensão Leste-Oeste

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SNUC

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - SNUC - SNUC PREVISÃO LEGAL Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e àcoletividade

Leia mais

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRNTE 8 A - aula 25. Profº André Tomasini

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRNTE 8 A - aula 25. Profº André Tomasini TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRNTE 8 A - aula 25 Profº André Tomasini Localizado na Região Centro-Oeste. Campos inundados na estação das chuvas (verão) áreas de florestas equatorial e tropical. Nas áreas mais

Leia mais

LICENCIATURAS AOS SÁBADOS INFORMAÇÕES

LICENCIATURAS AOS SÁBADOS INFORMAÇÕES LICENCIATURAS AOS SÁBADOS INFORMAÇÕES N 0 de vagas: 50, por curso. Origem das vagas: as vagas autorizadas para o turno da tarde, que não estão sendo oferecida no vestibular normal. Estrutura do curso:

Leia mais

REGULAMENTO GERAL ACERVO EDUCACIONAL DE CIÊNCIAS NATURAIS - AECIN

REGULAMENTO GERAL ACERVO EDUCACIONAL DE CIÊNCIAS NATURAIS - AECIN REGULAMENTO GERAL ACERVO EDUCACIONAL DE CIÊNCIAS NATURAIS - AECIN O presente regulamento estabelece as normas e procedimentos de organização interna e funcionamento do Acervo Educacional de Ciências Naturais

Leia mais

RESOLUÇÃO CONEPE nº 005/2013

RESOLUÇÃO CONEPE nº 005/2013 RESOLUÇÃO CONEPE nº 005/2013 Aprova alterações na grade curricular do Curso de Bacharelado em Ciências Biológicas, Ênfase Biologia Marinha e e Ênfase Gestão Ambiental Marinha e. O Conselho de Ensino, Pesquisa

Leia mais

TOTAL: 215 créditos ou 3225 horas Conteúdos biológicos: 107+24+28+14= 173 créditos ou 2595 horas.

TOTAL: 215 créditos ou 3225 horas Conteúdos biológicos: 107+24+28+14= 173 créditos ou 2595 horas. Curso de Bacharelado em Ciências Biológicas- Período Integral NÚCLEO BÁSICO BA281 Anatomia Humana Geral 04 BB281 Bioquímica de Proteínas 04 BB381 Metabolismo 04 BC182 Biologia Celular I 04 BC282 Biologia

Leia mais

MESA-REDONDA DE SANTIAGO DO CHILE ICOM, 1972. I. Princípios de Base do Museu Integral

MESA-REDONDA DE SANTIAGO DO CHILE ICOM, 1972. I. Princípios de Base do Museu Integral MESA-REDONDA DE SANTIAGO DO CHILE ICOM, 1972 I. Princípios de Base do Museu Integral Os membros da Mesa-Redonda sobre o papel dos museus na América Latina de hoje, analisando as apresentações dos animadores

Leia mais

PALEONTOLOGIA E SEDIMENTOLOGIA DOS SEDIMENTOS CENOZÓICOS DA REGIÃO DE EIRUNEPÉ, BACIA DO SOLIMÕES, AMAZONAS, BRASIL.

PALEONTOLOGIA E SEDIMENTOLOGIA DOS SEDIMENTOS CENOZÓICOS DA REGIÃO DE EIRUNEPÉ, BACIA DO SOLIMÕES, AMAZONAS, BRASIL. TÍTULO: PALEONTOLOGIA E SEDIMENTOLOGIA DOS SEDIMENTOS CENOZÓICOS DA REGIÃO DE EIRUNEPÉ, BACIA DO SOLIMÕES, AMAZONAS, BRASIL. Autores: MARIA INÊS FEIJÓ RAMOS E-MAIL: mramos@fua.com.br INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE

Leia mais

Ação Orçamentária 0181 - Pagamento de Aposentadorias e Pensões - Servidores Civis

Ação Orçamentária 0181 - Pagamento de Aposentadorias e Pensões - Servidores Civis 0181 - Pagamento de Aposentadorias e Pensões - Servidores Civis Valor: 0,00 0089 - Previdência de Inativos e Pensionistas da União 20 - Orçamento da Seguridade Social 09 - Previdência Social 272 - Previdência

Leia mais

Breve História da Universidade:

Breve História da Universidade: Nota: As áreas / cursos aqui apresentados são, unicamente, aqueles que no questionário anteriormente realizado mostraram uma preferência maior. Para informações sobre outros cursos / áreas visite o site

Leia mais

I OBJETIVO II ABRANGÊNCIA III CONTEXTO

I OBJETIVO II ABRANGÊNCIA III CONTEXTO 1 I OBJETIVO Conservação, restauração e valorização da Mata Atlântica e de sua diversidade, especialmente a diversidade arbórea, por meio da construção e difusão do conhecimento. ABRANGÊNCIA Região com

Leia mais

02-07-2015 PROGRAMA DE VOLUNTARIADO CULTURAL DA FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA. Tânia Semedo Silva Técnica da Área Social

02-07-2015 PROGRAMA DE VOLUNTARIADO CULTURAL DA FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA. Tânia Semedo Silva Técnica da Área Social PROGRAMA DE VOLUNTARIADO CULTURAL DA FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA Tânia Semedo Silva Técnica da Área Social 1 A FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA Estabelecida em 1963 por Vasco Maria Eugénio de Almeida Missão:

Leia mais

Separata do Guia Técnico Monumentos e Museus de Portugal, 2009. Museu Nacional de Arqueologia Lisboa

Separata do Guia Técnico Monumentos e Museus de Portugal, 2009. Museu Nacional de Arqueologia Lisboa Separata do Guia Técnico Monumentos e Museus de Portugal, 2009 Museu Nacional de Arqueologia Lisboa Museu Nacional de Arqueologia APRESENTAÇÃO O Museu Nacional de Arqueologia (MNA), fundado em 1893, ocupa,

Leia mais

EVENTO: Exposição: Victor Dequech Uberabatitan o Último dos Dinossauros

EVENTO: Exposição: Victor Dequech Uberabatitan o Último dos Dinossauros EVENTO: Exposição: Victor Dequech Uberabatitan o Último dos Dinossauros A Universidade do Contestado UnC, no seu campus Universitário de MAFRA, conta com uma estrutura voltada para pesquisa e museu, denominada

Leia mais

Acervos Patrimoniais: Novas Perspetivas e Abordagens CAM

Acervos Patrimoniais: Novas Perspetivas e Abordagens CAM Acervos Patrimoniais: Novas Perspetivas e Abordagens CAM De visita à Biblioteca do Professor José Mattoso: o que não sabemos e devemos saber Judite A. Gonçalves de Freitas FCHS-UFP Mértola- 16. Março.

Leia mais

C A L E N D Á R I O D E A T I V I D A D E S / 2 0 1 5

C A L E N D Á R I O D E A T I V I D A D E S / 2 0 1 5 C A L E N D Á R I O D E A T I V I D A D E S / 2 0 1 5 FEVEREIRO MARÇO 11 a 20 - Jornada Pedagógica Educação Infantil ao Ensino Médio 17- Feriado de carnaval 21 - Missa na paróquia Nossa Senhora das Dores

Leia mais

Conhecer a Flora para Protegê-la

Conhecer a Flora para Protegê-la VEGETAÇÃO & PRESERVAÇÃO Conhecer a Flora para Protegê-la Ampliação de infraestrutura de pesquisa produz resultados animadores, mas realidade social também deve ser transformada para assegurar manutenção

Leia mais

Cap. 26 De norte a sul, de leste a oeste: os biomas brasileiros. Sistema de Ensino CNEC Equipe de Biologia. Bioma

Cap. 26 De norte a sul, de leste a oeste: os biomas brasileiros. Sistema de Ensino CNEC Equipe de Biologia. Bioma Cap. 26 De norte a sul, de leste a oeste: os biomas brasileiros Sistema de Ensino CNEC Equipe de Biologia Bioma Conjunto de vida, vegetal e animal, constituído pelo agrupamento de tipos de vegetação, condições

Leia mais

PEDDY PAPER. carta de prova. à descoberta do centro histórico de Beja. centro histórico. facebook.com/camaramunicipaldebeja

PEDDY PAPER. carta de prova. à descoberta do centro histórico de Beja. centro histórico. facebook.com/camaramunicipaldebeja PEDDY PAPER à descoberta do centro histórico de Beja carta de prova PEDDY PAPER centro histórico www.cm-beja.pt facebook.com/camaramunicipaldebeja Esta aventura tem como ponto de partida o Núcleo Museológico

Leia mais

Prof. Janderson Barros

Prof. Janderson Barros A palavra deriva do grego árktos, que significa ursa, usada para denominar as constelações da Ursa, no hemisfério norte. Como o continente está no hemisfério sul, acrescentou-se o prefixo anti. Antártida

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2014-2015 Departamento de Ciências Humanas

Plano Anual de Atividades 2014-2015 Departamento de Ciências Humanas Visita de estudo Geografia Conhecer o funcionamento de uma unidade industrial; Reconhecer a importância da atividade industrial na economia. Geografia e Alunos do 9º Ano Unidade Industrial 2ºPeríodo Visita

Leia mais

ORIGENS DO MUSEU DE CIÊNCIAS DA TERRA DO DEPARTAMENTO NACIONAL DA PRODUÇÃO MINERAL RJ

ORIGENS DO MUSEU DE CIÊNCIAS DA TERRA DO DEPARTAMENTO NACIONAL DA PRODUÇÃO MINERAL RJ ORIGENS DO MUSEU DE CIÊNCIAS DA TERRA DO DEPARTAMENTO NACIONAL DA PRODUÇÃO MINERAL RJ DIOGO JORGE DE MELO * Introdução O Museu de Ciências da Terra do Departamento Nacional da Produção Mineral do Rio de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 019/2009 AD REFERENDUM DO CONSUNI

RESOLUÇÃO Nº 019/2009 AD REFERENDUM DO CONSUNI RESOLUÇÃO Nº 019/2009 AD REFERENDUM DO CONSUNI Aprova o Regimento da Faculdade Indígena Intercultural F.I.I., da Universidade do Estado de Mato Grosso UNEMAT. O Reitor da Universidade do Estado de Mato

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Ciências Biológicas

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Ciências Biológicas Matriz Curricular: Modalidade: Bacharelado ingressantes a partir de 2012 Semanal s Conjuntas: Módulo I 72 60 72 60 4 72 60 Hora-aula Educação e Saúde: Noções Básicas 36 30 36 30 2 36 30 Planejamento e

Leia mais

SERVIÇO DE PÚBLICOS E DESENVOLVIMENTO CULTURAL DIRECÇÃO DA CULTURA DA SCML

SERVIÇO DE PÚBLICOS E DESENVOLVIMENTO CULTURAL DIRECÇÃO DA CULTURA DA SCML SERVIÇO DE PÚBLICOS E DESENVOLVIMENTO CULTURAL DIRECÇÃO DA CULTURA DA SCML Largo Trindade Coelho 1200-470 Lisboa Tel. 213 235 233/824/065 www.scml.pt/ www.museu-saoroque.com info@museu-saoroque.com Transportes

Leia mais

Boas-Vindas aos Novos Alunos de Biologia 2014/2015

Boas-Vindas aos Novos Alunos de Biologia 2014/2015 Boas-Vindas aos Novos Alunos de Biologia 2014/2015 Departmentos Biologia (DBA,) > DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL http://www.fc.ul.pt/pt/dbv http://www.fc.ul.pt/pt/dba > DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA ANIMAL

Leia mais

Prova Escrita de Português Língua Não Materna

Prova Escrita de Português Língua Não Materna EXAME NACIONAL DO ENSINO BÁSICO E DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova 28 739 /1.ª Chamada 1.ª Fase / 2008 Decreto-Lei n.º 6/2001, de 18 de Janeiro e Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março A PREENCHER PELO ESTUDANTE

Leia mais

Novo site do MUHM. Lançado no dia da Inauguração da sede do MUHM (18/10/2007). Permite uma visita virtual ao acervo.

Novo site do MUHM. Lançado no dia da Inauguração da sede do MUHM (18/10/2007). Permite uma visita virtual ao acervo. IMAGENS E FOTOS Novo site do MUHM Lançado no dia da Inauguração da sede do MUHM (18/10/2007). Permite uma visita virtual ao acervo. Visitações ao Muhm O Museu de História da Medicina do RS (Muhm) abriu

Leia mais

À descoberta da Geologia da Praia Grande, Sintra

À descoberta da Geologia da Praia Grande, Sintra À descoberta da Geologia da Praia Grande, Sintra Para observar as pegadas de dinossáurio preservadas na laje vertical do extremo sul da Praia Grande, suba as escadas até as encontrar. Nas pegadas que observa

Leia mais

REGISTRO DE ATIVIDADES-ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS PROT/ /AACC/ ART / Data: / / Aluno: Matrícula:

REGISTRO DE ATIVIDADES-ACADÊMICO-CIENTÍFICO-CULTURAIS PROT/ /AACC/ ART / Data: / / Aluno: Matrícula: UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - Formação Acadêmico-científico-cultural Requisito 1 Disciplina extracurricular cursada fora da, em IES com reconhecimento oficial 2 Realização de curso regular

Leia mais

Anexos da Seção 5.2.2

Anexos da Seção 5.2.2 Anexos da Seção 5.2.2 Anexo 4 Relação de Fórmulas Utilizadas na Análise do Levantamento Fitossociológico Anexo 5 Registro Fotográfico do Levantamento Fitossociológico Anexo 6 Registro Fotográfico do Levantamento

Leia mais

CEDOPE - CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E PESQUISA DE HIS- TÓRIA DOS DOMÍNIOS PORTUGUESES

CEDOPE - CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E PESQUISA DE HIS- TÓRIA DOS DOMÍNIOS PORTUGUESES CEDOPE - CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E PESQUISA DE HIS- TÓRIA DOS DOMÍNIOS PORTUGUESES SÉCULOS XV A XIX O CEDOPE tem como objetivo central constituir-se em centro de pesquisas relativas à história do universo

Leia mais

FABIO Faculdade de Biociências

FABIO Faculdade de Biociências FABIO Faculdade de Biociências Secretaria: Prédio 12 - Bloco A - sala 204 Fone: 33.20.35.45 E-mail: biociencias@pucrs.br www.pucrs.br/fabio Departamentos: Ciências Morfológicas n.º 311 Ciências Fisiológicas

Leia mais

CMI. CMI Centro de Memória e Informação. Dados do Projeto e do(a) Coordenador do Projeto

CMI. CMI Centro de Memória e Informação. Dados do Projeto e do(a) Coordenador do Projeto CMI Centro de Memória e Informação CMI Dados do Projeto e do(a) Coordenador do Projeto Título do Projeto Museu Casa de Rui Barbosa: estabelecendo relações com os turistas nacionais e internacionais Coordenador

Leia mais

Onde os fósseis podem ser encontrados? A importância da Paleontologia e dos fósseis

Onde os fósseis podem ser encontrados? A importância da Paleontologia e dos fósseis A importância da Paleontologia e dos fósseis O registro fóssil permite que os pesquisadores ajudem a humanidade a desvendar suas origens e a reescrever a história evolutiva dos organismos. De acordo com

Leia mais

Visitas Guiadas ao Complexo Mineiro de S. Domingos

Visitas Guiadas ao Complexo Mineiro de S. Domingos Visitas Guiadas ao Complexo Mineiro de S. Domingos Definição de condições e preços A Fundação Serrão Martins (FSM) proporciona visitas guiadas ao complexo mineiro, sujeitas a marcação prévia e à disponibilidade

Leia mais

SERRA DA ESTRELA FLORA E VEGETAÇÃO. Acompanhamento de Botânica Doutor Jorge Capelo PROGRAMA

SERRA DA ESTRELA FLORA E VEGETAÇÃO. Acompanhamento de Botânica Doutor Jorge Capelo PROGRAMA SERRA DA ESTRELA FLORA E VEGETAÇÃO 19 E 20 DE MAIO 2012 Acompanhamento de Botânica Doutor Jorge Capelo VISITAS BOTÂNICAS EM DIVERSOS LOCAIS DA SERRA DA ESTRELA COM ACOMPANHAMENTOP ESPECIALIZADO, JANTAR

Leia mais

FUNDAÇÃO MUSEU NACIONAL FERROVIÁRIO

FUNDAÇÃO MUSEU NACIONAL FERROVIÁRIO FUNDAÇÃO MUSEU NACIONAL FERROVIÁRIO Regulamento de Arquivo do Centro Nacional de Documentação Ferroviária A Fundação Museu Nacional Ferroviário Armando Ginestal Machado (doravante Fundação Museu Nacional

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde. Departamento de Ciências Humanas e Sociais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde. Departamento de Ciências Humanas e Sociais HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Distribuição dos tempos letivos disponíveis para o 5 º ano de escolaridade 1º Período 2º Período 3º Período *Início:15-21 de setembro 2015 *Fim:17 dezembro 2015 *Início:4

Leia mais

FORMAÇÃO VEGETAL BRASILEIRA. DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS Aziz Ab`Saber. Ipê Amarelo

FORMAÇÃO VEGETAL BRASILEIRA. DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS Aziz Ab`Saber. Ipê Amarelo FORMAÇÃO VEGETAL BRASILEIRA DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS Aziz Ab`Saber Ipê Amarelo Fatores que influenciam na distribuição das formações vegetais: Clima 1. Temperatura; 2. Umidade; 3. Massas de ar; 4. Incidência

Leia mais

A INTERAÇÃO UNIVERSIDADE E ENSINO MÉDIO: O PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA JÚNIOR NO MUSEU NACIONAL/UFRJ

A INTERAÇÃO UNIVERSIDADE E ENSINO MÉDIO: O PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA JÚNIOR NO MUSEU NACIONAL/UFRJ A INTERAÇÃO UNIVERSIDADE E ENSINO MÉDIO: O PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA JÚNIOR NO MUSEU NACIONAL/UFRJ Maria José Veloso da Costa Santos 1 Célia Maria Gomes Maia 2 1 Mestre em Ciência da Informação,

Leia mais

ANEXOS PPC Estruturas Curriculares Licenciatura em Biologia

ANEXOS PPC Estruturas Curriculares Licenciatura em Biologia ANEXOS PPC Estruturas Curriculares Licenciatura em Biologia Anexo 1. Currículo do Curso de Licenciatura em Biologia, iniciado em agosto de 2002. Licenciatura - 1º. Ano - Disciplina Hora Aula Hora Relógio

Leia mais

Plataforma de Cooperação da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) na Área Ambiental

Plataforma de Cooperação da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) na Área Ambiental Plataforma de Cooperação da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) na Área Ambiental I. Contexto Criada em 1996, a reúne atualmente oito Estados Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique,

Leia mais

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS PROGRAMA DE VOLUNTARIADO PARA OS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS DEPENDENTES DA DGPC CARTA DO VOLUNTÁRIO (MINUTA) VOLUNTARIADO NOS MONUMENTOS, MUSEUS E PALÁCIOS DA DGPC CARTA DO VOLUNTÁRIO DE MONUMENTOS,

Leia mais

Geodinâmica/Geofísica aplicada ao Setor Petróleo e Gás (mestrado e doutorado);

Geodinâmica/Geofísica aplicada ao Setor Petróleo e Gás (mestrado e doutorado); PRH 22 - Programa de Formação em Geologia, Geofísica e Informática no Setor Petróleo e Gás na UFRN Instituição: UFRN - Universidade Federal do Rio Grande do Norte Reitor: José Ivonildo do Rego Helenice

Leia mais

Relatório da Visita da Comissão ao. Museu Nacional UFRJ. 5 de agosto de 2011

Relatório da Visita da Comissão ao. Museu Nacional UFRJ. 5 de agosto de 2011 Relatório da Visita da Comissão ao Museu Nacional UFRJ 5 de agosto de 2011 Bruno de Cerqueira Luiz da Motta Recepção Fomos recebidos de maneira extremamente cordial pela diretora do Museu Nacional, Profª.

Leia mais

PROPOSTA DE EXPANSÃO DA PONTE ORCA: ENTRE O MUSEU DO IPIRANGA E A ESTAÇÃO ALTO DO IPIRANGA DO METRÔ RESUMO

PROPOSTA DE EXPANSÃO DA PONTE ORCA: ENTRE O MUSEU DO IPIRANGA E A ESTAÇÃO ALTO DO IPIRANGA DO METRÔ RESUMO PROPOSTA DE EXPANSÃO DA PONTE ORCA: ENTRE O MUSEU DO IPIRANGA E A ESTAÇÃO ALTO DO IPIRANGA DO METRÔ RESUMO Utilizando um modelo de transporte público existente, denominado Ponte Orca, gerenciado pela EMTU,

Leia mais

Panteão Nacional Igreja de Santa Engrácia Lisboa

Panteão Nacional Igreja de Santa Engrácia Lisboa Panteão Nacional Igreja de Santa Engrácia Lisboa 11 Panteão Nacional Igreja de Santa Engrácia APRESENTAÇÃO Sobranceiro à zona histórica e ao rio Tejo, o Panteão Nacional é uma referência na imagem da

Leia mais

Agora não posso atender. Estou no. Vou comprar o último livro do José Luís Peixoto. Posso usar a tua gravata azul? A Ana Maria vai ser nossa

Agora não posso atender. Estou no. Vou comprar o último livro do José Luís Peixoto. Posso usar a tua gravata azul? A Ana Maria vai ser nossa MODELO 1 Compreensão da Leitura e Expressão Escrita Parte 1 Questões 1 20 O Luís enviou cinco mensagens através do telemóvel. Leia as frases 1 a 5. A cada frase corresponde uma mensagem enviada pelo Luís.

Leia mais

Resolução N o 2001/CUN/2014. Calendário Acadêmico 2015

Resolução N o 2001/CUN/2014. Calendário Acadêmico 2015 Resolução N o 2001/CUN/2014 Calendário Acadêmico 2015 Manual Acadêmico 2015 196 DEZEMBRO DE 2014 02 - Início do prazo para solicitação de vagas por transferência externa, reingresso e ingresso de Portadores

Leia mais

mobilis > Página 1 a 3 > Página 4 a 5 Estimado Cliente,

mobilis > Página 1 a 3 > Página 4 a 5 Estimado Cliente, Estimado Cliente, Nas próximas páginas pode consultar os horários do Mobilis e das Urbanas de Leiria, os dois serviços de transporte que compõe a rede de transportes da Cidade de Leiria. mobilis CIRCULAR

Leia mais

Ensino de Ciências e alfabetização científica na interação universidade e escola. Categoria do projeto: III Projetos finalizados (projetos encerrados)

Ensino de Ciências e alfabetização científica na interação universidade e escola. Categoria do projeto: III Projetos finalizados (projetos encerrados) Ensino de Ciências e alfabetização científica na interação universidade e escola. Mostra Local de: Guarapuava Categoria do projeto: III Projetos finalizados (projetos encerrados) Nome da Instituição/Empresa:

Leia mais

Apresentação Requisitos O Processo Localização Recursos Humanos Legislação Investimento Inicial Prestações mensais

Apresentação Requisitos O Processo Localização Recursos Humanos Legislação Investimento Inicial Prestações mensais Apresentação Requisitos O Processo Localização Recursos Humanos Legislação Investimento Inicial Prestações mensais Para criar este negócio vai precisar de em primeiro lugar criar a sua própria empresa

Leia mais