RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS"

Transcrição

1 RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS 1T

2 O Banco Maxinvest, em atendimento a Circular BACEN nº 3.477/09, vem através deste, apresentar o Relatório de Gerenciamento de Riscos, que tem por objetivo divulgar as informações relativas ao Patrimônio de Referencia Exigido (PRE), à adequação do Patrimônio de Referencia (PR) ao risco de suas operações, visando assegurar de forma transparente a divulgação de seu processo de Gerenciamento de Riscos. A Gestão de Riscos é considerada pelo Banco como instrumento essencial para a otimização do uso do capital, a seleção das melhores oportunidades de negócios e a adoção de praticas em consonância com as recomendações do Acordo de Basiléia. A transparência na divulgação de informações contribui fortalecimento da solidez do sistema financeiro nacional perante a sociedade em geral. Entre os principais riscos gerenciados pelo Banco Maxinvest S/A, destacam-se o risco de crédito, mercado, liquidez, operacional e de capital. 1. INFORMAÇÕES QUALITATIVAS O Banco Maxinvest mantém suas Estruturas de Gerenciamento de Riscos em conformidade com os três pilares da Basiléia Alocação Mínima de Capital, Supervisão Bancária e Governança e Disciplina de Mercado (Transparência), compatíveis com a natureza de suas operações, complexidade de produtos e serviços e a dimensão das exposições aceitáveis pelo Banco. I. RISCO DE CRÉDITO I.I. Definição O Risco de Crédito é definido pela possibilidade de ocorrência de perdas associadas ao não cumprimento, pelo tomador ou contraparte de suas respectivas obrigações financeiras nos termos pactuados à desvalorização de contrato de crédito, decorrente da deterioração na classificação de risco do tomador, à redução de ganhos e remunerações, às vantagens concedidas na renegociação e aos custos de recuperação. I.II. Gestão e Controle de Risco De acordo com a Resolução CMN nº 3.721/09 e com as melhores práticas de mercado, a Estrutura de Gerenciamento do Risco de Crédito do Banco Maxinvest S.A. utiliza políticas de crédito específico ao segmento de clientes do Banco, com metodologias compatíveis com a natureza das operações, complexidade dos produtos e serviços oferecidos e proporcionais a dimensão da exposição a risco de crédito da Instituição, tendo por objetivo identificar, avaliar, monitorar, controlar e reportar os riscos associados as suas operações de crédito, bem como estabelecer medidas mitigadoras para esses possíveis riscos. II. RISCO DE LIQUIDEZ II.I. Definição O Risco de Liquidez é definido como: a possibilidade de a Instituição não ser capaz de honrar eficientemente suas obrigações esperadas e inesperadas, correntes e futuras, inclusive as decorrentes de vinculação de garantias, sem afetar suas operações diárias e sem incorrer em perdas significativas, bem como, na possibilidade de a instituição não conseguir negociar a preço de mercado uma posição, devido ao seu tamanho elevado em relação ao volume normalmente transacionado ou em razão de alguma descontinuidade no mercado.

3 II.II. Gestão e Controle de Risco De acordo com a Resolução CMN nº 4.090/12 e com as melhores práticas de mercado, a Estrutura de Gerenciamento do Risco de Liquidez do Banco Maxinvest S.A. é compatível com a natureza das suas operações, a complexidade dos produtos e serviços oferecidos e a dimensão da sua exposição a esse risco, tendo por objetivo identificar, avaliar, monitorar, controlar e reportar os riscos associados as suas operações de crédito, bem como estabelecer medidas mitigadoras para esses possíveis riscos. III. RISCO DE MERCADO III.I. Definição O Risco de Mercado é definido como: a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes da flutuação nos valores de mercado de posições detidas com uma Instituição Financeira. III.II. Gestão e Controle de Risco De acordo com a Resolução CMN nº 3.464/07, a Estrutura de Gerenciamento do Risco de Mercado do Banco Maxinvest S.A. utiliza praticas e tecnologias para a mensuração e acompanhamento diário dos limites definidos das sensibilidades e estresses, sendo compatível com a natureza das operações, complexidade dos produtos e serviços e a dimensão da exposição a risco de mercado da Instituição. A área de Controles Internos, Riscos e Compliance monitora o cumprimento dos limites e disponibiliza relatórios gerenciais de controle das posições, além de reporte e apresentações periódicas à Alta Administração. O Banco Maxinvest estabeleceu a sua Política de Gerenciamento do Risco de Mercado aprovada pela Diretoria, revisada, com periodicidade mínima de um ano. Tal política abrange as práticas utilizadas na gestão de risco, a alocação de capital para a cobertura dos possíveis riscos, define estrutura, processos e procedimentos para controle da exposição das operações financeiras sujeitas ao Risco de Mercado. IV. RISCO OPERACIONAL IV.I. Definição O Risco de Operacional é definido como: a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes de falha, deficiência ou inadequação de processos internos, pessoas e sistemas, ou de eventos externos. IV.II. Gestão e Controle de Risco De acordo com a Resolução CMN nº 3.380/06, a Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional do Banco Maxinvest S.A. é compatível com a natureza das operações, complexidade dos produtos e serviços prestados pelo Banco. A área de Controles Internos, Riscos e Compliance monitora as atividades do Banco Maxinvest e disponibiliza relatórios gerenciais que possibilitam: identificar, avaliar, monitorar, controlar e mitigar o risco operacional, com reporte e apresentações periódicas à Diretoria.

4 V. GESTÃO DE CAPITAL V.I. Definição O Gerenciamento de Capital é definido como o processo contínuo de: monitoramento e controle do capital mantido pela instituição; avaliação da necessidade de capital para fazer face aos riscos a que a instituição está sujeita; planejamento de metas e de necessidade de capital, considerando os objetivos estratégicos de mercado. e adoção de postura prospectiva e precipitando a necessidade de capital decorrente de possíveis alterações nas condições de mercado. V.II. Gestão e Controle de Risco De acordo com a Resolução CMN nº 3.988/11, a Estrutura de Gerenciamento de Capital do Banco Maxinvest S.A. é compatível com a natureza das suas operações, complexidade dos produtos e serviços prestados, e a dimensão de sua exposição a riscos da Instituição. 2. INFORMAÇÕES QUANTITATIVAS I. INFORMAÇÕES RELATIVAS AO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA (PR) De acordo com a Resolução CMN nº 3.444/07, alterada pela Resolução CMN nº 4.192/13, o cálculo do PR é baseado no somatório do capital de nível I e do capital de nível II, com as deduções previstas na respectiva norma, para fins de divulgação, apresentamos no Quadro 1 a seguir os detalhamentos do PR apurados para as demonstrações financeiras: Quadro 1 Contas PATRIMÔNIO DE REFERENCIA (PR) PATRIMÔNIO DE REFERENCIA NÍVEL I (PR_I) Patrimônio Líquido Contas de Resultados Credoras (-) Contas de Resultados Devedoras (-) Ativo Permanente Diferido (-) Ajuste ao Valor de Mercado TVM e Instrumentos Financeiros Derivativos Exclusões Previstas no art. 2º da resolução Valor Limite do Nível I do PR p/ a data base (1) Capital Principal CP Capital Social Reservas de Capital Reavaliação e de Lucros Ganhos não Realizados de Ajustes de Avaliação Patrimonial (-) Ajustes Prudenciais Exceto Participações não Consolidadas e Crédito Tributário PATRIMÔNIO DE REFERENCIA NÍVEL II Ajuste ao Valor de Mercado TVM e Instrumentos Financeiros Derivativos Deduções Fonte: Demonstrativo de Limites e Padrões Mínimos (DLO)

5 II. INFORMAÇÕES RELATIVAS AO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO (PRE) E ADEQUAÇÃO DO PR O cálculo do PRE foi elaborado de acordo com a Resolução CMN nº 3.490/07, alterada pela Resolução CMN nº 4.193/13, demonstrado conforme o Quadro 2 a seguir: Quadro 2 Contas Patrimônio de Referencia Patrimônio de Referencia Exigido Patrimônio de Referencia Mínimo Requerido para o RWA Parcela do Risco de Crédito PEPR Parcela do Risco de Operacional POPR Parcela do Risco de Mercado - PACS Risco da Carteira Banking RBAN RWAcpad RWAopad RWAacs Margem sobre o PR Requerido RWA Índice de Basiléia 63,6% 73,3% 65,1% 73,8% 73,8% Fonte: Demonstrativo de Limites e Padrões Mínimos (DLO) De acordo com a Circular BACEN nº 3.644/13, na seqüência, apresentamos no Quadro 3 a composição da Parcela do Exposição ao Risco de Crédito: Quadro 3 DISTRIBUIÇÃO DA EXPOSIÇÃO POR FATOR DE PONDERAÇÃO DE RISCO VALOR DE EXPOSIÇÃO (1) Ponderação 20% Ponderação 50% Ponderação 75% Ponderação 100% VALOR DA EPR VALOR DO RWAcpad VALOR DA PARCELA (APLICADO FATOR = 0,11) (1) - Valores apurados considerando os fatores de ponderação. Fonte: Demonstrativo de Limites e Padrões Mínimos (DLO) Em atendimento ao disposto na Circular BACEN nº 3.640/13, para calcular a parcela dos Ativos Ponderados pelo Risco referente ao Risco Operacional, o Banco Maxinvest utiliza a Abordagem do Indicador Básico (BIA), que é apurada através da aplicação do fator 0,15 sobre o somatório dos valores semestrais, para cada período anual, das Receitas da Intermediação Financeira e das Receitas de Prestação de Serviços, deduzidas as Despesas da Intermediação Financeira, nos últimos três anos. A seguir, apresentamos no Quadro 4 o detalhamento do cálculo: Quadro 4 - EXIGÊNCIA DE CAPITAL PARA RISCO OPERACIONAL Descrição Indicador de Exposição em T Indicador de Exposição em T Indicador de Exposição em T Média do Indicador de Exposição (IE) Fator de ponderação 0,15 0,15 0,15 0,15 0,15 Multiplicador z Fator estabelecido / 11% 1/11% VALOR DA PARCELA VALOR DO RWAopad Fonte: Demonstrativo de Limites e Padrões Mínimos (DLO)

6 Salientamos que o Banco Maxinvest não possui carteira de negociação e não participa de operações especulativas. Até o mês de setembro de 2013 o cálculo do capital regulatório do Banco Maxinvest para a cobertura de risco considerava as seguintes parcelas para a composição do PRE: PEPR = parcela referente a risco de crédito e demais exposições ativas não incluídas nas demais parcelas; POPR = parcela referente ao risco operacional calculada com base no volume de empréstimos das linhas Varejo e Comercial, e na receita bruta de intermediação financeira e na receita de serviços das demais linhas de negócios padronizadas, ponderadas por fator beta; e PACS = parcela referente ao risco preponderante das operações exposições sujeitas à variação do preço de ações. A partir de outubro de 2013 o cálculo do capital regulatório do Banco Maxinvest para a cobertura de risco considera as seguintes exposições para a composição do RWA: RWAcpad = relativa às exposições ao risco de crédito sujeitas ao cálculo do requerimento de capital mediante abordagem padronizada; RWAopad = relativa ao cálculo do capital requerido para o risco operacional mediante abordagem padronizada; RWAacs = relativa às exposições sujeitas à variação do preço de ações cujo requerimento de capital é calculado mediante abordagem padronizada; Para os cálculos das parcelas acima mencionadas, foram observados os procedimentos divulgados pelo BACEN. O índice de Basiléia é o principal indicador de gestão de nível de capitalização das instituições financeiras, podendo ser entendido como a relação entre Capital (PR) e Risco (PRE). A fórmula pode ser resumida conforme o Quadro 5 a seguir: Quadro 5 PR = Capital (nível I e II) COMPARATIVO DA FORMA DE APURAÇÃO DO ÍNDICE DE BASILÉIA ATÉ SETEMBRO DE 2013 A PARTIR DE OUTUBRO DE 2013 IB = PR / PRE * 11% IB = PR / RWA * 100 PRE = Capital alocado aos riscos incorridos pela instituição PR = Capital (nível I e II) RWA = Soma dos ativos ponderados pelo risco No Banco Maxinvest, o cálculo do índice de Basiléia está a cargo do departamento de contabilidade. A metodologia de cálculo adotada para cada parcela atende às respectivas metodologias padronizadas pelo BACEN, descritas nas Políticas institucionais de Risco de: Crédito, Mercado, Liquidez e Operacional. III. INFORMAÇÕES RELATIVAS ÀS EXPOSIÇÕES A RISCO DE CRÉDITO As ponderações referentes às exposições ao risco de credito estão definidas na Circular BACEN 3.360/07. A carteira de créditos ativos do Banco Maxinvest é composta de operações de crédito e sua classificação esta elaborada conforme a Resolução CMN nº 2.682/99, conforme Quadro 6 e 7 a seguir:

7 Quadro 6 VALOR DAS OPERAÇÕES CLASSIFICAÇÃO DO RISCO AA A B C D E F G H TOTAL Quadro 7 - PROVISÕES CLASSIFICAÇÃO DO RISCO AA A B C D E F G H TOTAL Demonstramos no Quadro 8 o valor total das exposições ao risco de crédito do Banco Maxinvest: Quadro 8 EXPOSIÇÕES AO RISCO DE CRÉDITO TOTAL DE EXPOSIÇÕES MÉDIA DO TRIMESTRE No Quadro 9 a seguir, apresentamos a representação dos 10 maiores clientes em relação à exposição ao Risco de Crédito: Quadro 9 MAIORES EXPOSIÇÕES DE CRÉDITO Valor Maiores Exposições Repres. % Carteira Total 17,75% 19,45% 53,15% 55,55% 54,73% Apresentamos no Quadro 10, a seguir, a distribuição das operações de crédito por faixa de atraso em dias: Quadro 10 DISTRIBUIÇÃO POR FAIXA DE ATRASO Demonstrativo do Fluxo de Vencimentos Até 60 dias De 61 a 90 dias De 91 a 180 dias Acima de 180 dias

8 O Quadro 11 abaixo apresenta o fluxo de operações baixadas para prejuízo: Quadro 11 POR OPERAÇÕES BAIXADAS PARA PREJUÍZO Fluxo de Operações Baixadas para Prejuizo Demonstramos no Quadro 12 a seguir a informação da exposição ao risco de crédito de que trata a Circular BACEN nº 3.644/13, segregada por setor econômico, fator de ponderação de risco - FPR e o valor da exposição média nos trimestres da carteira de financiamentos: Quadro 12 - MÉDIA TRIMESTRAL DAS EXPOSIÇÕES A RISCO DE CRÉDITO POR SETOR ECONÔMICO FATOR PONDERAÇÃO 100% SETOR ECONOMICO Indústria Comercio Outros Serviços Pessoa Física TOTAL MÉDIA TRIMESTRAL O presente relatório foi elaborado pela área de Riscos e Compliance do Banco Maxinvest, em atendimento aos normativos citados na introdução deste relatório. IV. RESTRIÇÕES OU IMPEDIMENTOS RELEVANTES Conforme legislação em vigor, o Banco Maxinvest não concede empréstimos ou adiantamentos aos seus acionistas, controladores, empresas coligadas, administradores, ou parentes de seus administradores até o segundo grau. Desta forma, não são efetuados pelo Banco empréstimos ou adiantamentos a qualquer subsidiaria, membros do Conselho de Administração ou da Diretoria e seus familiares, sendo que as principais operações e negócios com as partes relacionadas seguem os padrões de mercado e são amparadas pelas devidas avaliações de suas condições na sua realização com o Banco Maxinvest. V. PUBLICAÇÃO E APROVAÇÃO A Diretoria ratifica o conteúdo deste relatório, atesta a fidedignidade das informações demonstradas e autoriza sua publicação ao mercado. Diretoria

Relatório informativo sobre Gerenciamento de Riscos Basileia Pilar III Circular BCB nº 3.678/13

Relatório informativo sobre Gerenciamento de Riscos Basileia Pilar III Circular BCB nº 3.678/13 Relatório informativo sobre Gerenciamento de Riscos Basileia Pilar III Circular BCB nº 3.678/13 4º Trimestre de 2014 1 Conteúdo I. INTRODUÇÃO II. ASPECTOS QUALITATIVOS II.I. Política de Risco de Crédito

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Pilar III

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Pilar III RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Pilar III 2º Trimestre de 2015 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 3 2. GERENCIAMENTO DE RISCOS E GOVERNANÇA CORPORATIVA 3 2.1. RISCO DE CRÉDITO 2.1.1. Definição 4 2.1.2. Gestão e

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Pilar III

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Pilar III RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Pilar III 4º Trimestre de 2015 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 3 2. GERENCIAMENTO DE RISCOS E GOVERNANÇA CORPORATIVA 3 2.1. RISCO DE CRÉDITO 2.1.1. Definição 4 2.1.2. Gestão e

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Pilar III

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Pilar III RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Pilar III 2º Trimestre de 2016 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 3 2. GERENCIAMENTO DE RISCOS E GOVERNANÇA CORPORATIVA 3 2.1. RISCO DE CRÉDITO 2.1.1. Definição 4 2.1.2. Gestão e

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Pilar III

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Pilar III RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Pilar III 2º Trimestre de 2017 ÍNDICE 2 1. INTRODUÇÃO O Banco Maxinvest S.A., em atendimento a Circular BACEN nº 3.678/13 e Circular BACEN nº 3.748/15, vem através

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Pilar III

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Pilar III RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Pilar III 1º Trimestre de 2018 ÍNDICE 2 1. INTRODUÇÃO O Banco Maxinvest S.A., em atendimento a Circular BACEN nº 3.678/13 e Circular BACEN nº 3.748/15, vem através

Leia mais

Gerenciamento de Riscos e Gestão do Capital

Gerenciamento de Riscos e Gestão do Capital Gerenciamento de Riscos e Gestão do Capital 2º Trimestre 2013 Sumário Introdução... 03 1. Sobre o Gerenciamento de Riscos... 04 1.1. Risco de Mercado... 04 1.2. Risco de Liquidez... 05 1.3. Risco de Crédito...

Leia mais

Divulgação Quantitativa de Informações. Gestão de Riscos e Alocação de Capital

Divulgação Quantitativa de Informações. Gestão de Riscos e Alocação de Capital Divulgação Quantitativa de Informações Gestão de Riscos e Alocação de Capital Conglomerado Financeiro e Consolidado Econômico-Financeiro Banco de Brasília S.A. 1º Trimestre/2011 Índice MÓDULO 1 DISPOSIÇÕES

Leia mais

ICBC DO BRASIL BANCO MÚ LTIPLO S/A. Relatório de Gerenciamento de Risco. Pilar III

ICBC DO BRASIL BANCO MÚ LTIPLO S/A. Relatório de Gerenciamento de Risco. Pilar III ICBC DO BRASIL BANCO MÚ LTIPLO S/A Relatório de Gerenciamento de Risco Pilar III Departamento de Gestão de Risco Data: 31/12/2014 Página 1 de 7 Índice ICBC do Brasil... 1 Pilar III... 1 Introdução:...

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos. Pilar 3. 2º Trimestre 2015

Relatório de Gerenciamento de Riscos. Pilar 3. 2º Trimestre 2015 Relatório de Gerenciamento de Riscos Pilar 3 2º Trimestre 2015 Banco Mizuho do Brasil S.A. Agosto 2015 1/15 Índice 1. Estrutura de Gestão de Capital... 4 1.1. Comitê de Gestão... 4 1.2. Principais Responsabilidades

Leia mais

Divulgação Quantitativa de Informações

Divulgação Quantitativa de Informações Divulgação Quantitativa de Informações Gestão de Riscos e Adequação do Capital Regulamentar Relatório contendo informações referentes à gestão de riscos, ao Patrimônio de Referência Exigido (PRE) e à adequação

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatório de Gerenciamento de Riscos 2º Semestre de 2016 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Gerenciamento de Riscos... 3 2.1. Organograma... 4 3. Risco de Crédito... 4 3.1. Definição... 4 3.2. Gerenciamento...

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS, DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO E ADEQUAÇÃO DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA INFORMAÇÕES QUANTITATIVAS

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS, DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO E ADEQUAÇÃO DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA INFORMAÇÕES QUANTITATIVAS , DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO E ADEQUAÇÃO DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA INFORMAÇÕES QUANTITATIVAS INTRODUÇÃO Este relatório contém as informações quantitativas referentes à gestão de riscos, ao Patrimônio

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CRÉDITO COMPETÊNCIA DEZEMBRO/2015

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CRÉDITO COMPETÊNCIA DEZEMBRO/2015 ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE CRÉDITO COMPETÊNCIA DEZEMBRO/2015 Existe o risco que você não pode jamais correr, e existe o risco que você não pode deixar de correr. Peter Drucker I. INTRODUÇÃO

Leia mais

Relatório de. Gerenciamento de Riscos. Pilar III. Junho, 2015.

Relatório de. Gerenciamento de Riscos. Pilar III. Junho, 2015. Relatório de Gerenciamento de Riscos Pilar III Junho, 2015. Detalhamento de Informações Quantitativas GERENCIAMENTO DE CAPITAL Processo Corporativo O BNY Mellon possui estrutura de Gerenciamento de Capital

Leia mais

Divulgação Quantitativa de Informações

Divulgação Quantitativa de Informações Divulgação Quantitativa de Informações Gestão de Riscos e Adequação do Capital Regulamentar Relatório contendo informações referentes à gestão de riscos, ao Patrimônio de Referência Exigido (PRE) e à adequação

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO COMPETÊNCIA DEZEMBRO/2015 Existe o risco que você não pode jamais correr, e existe o risco que você não pode deixar de correr. Peter Drucker I. INTRODUÇÃO

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos. Pilar 3. 3º Trimestre 2014

Relatório de Gerenciamento de Riscos. Pilar 3. 3º Trimestre 2014 Relatório de Gerenciamento de Riscos Pilar 3 3º Trimestre 2014 Estrutura de Gerenciamento de Capital 1. Comitê de Gestão de Ativos e Passivos As questões inerentes ao processo de gerenciamento de capital

Leia mais

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 2 Trimestre de 2013 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL DO BANCO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 3 4 RISCO DE CRÉDITO... 3 4.1 Definição... 3 4.2 Gestão

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS O ICBC do Brasil Banco Múltiplo S/A considera de suma importância o processo de gerenciamento de riscos, pois utiliza-o para agregar valor aos seus negócios, proporcionar

Leia mais

RELATÓRIO DE RISCOS E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO

RELATÓRIO DE RISCOS E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO RELATÓRIO DE RISCOS E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO 4º TRIMESTRE DE 2012 Março de 2013. CONTEÚDO I. INTRODUÇÃO... 4 II. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DE RISCOS E CONTROLES INTERNOS... 4 III. GESTÃO DE

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS, DA APURAÇÃO DO MONTANTE DOS ATIVOS PONDERADOS PELO RISCO E APURAÇÃO DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS, DA APURAÇÃO DO MONTANTE DOS ATIVOS PONDERADOS PELO RISCO E APURAÇÃO DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA , DA APURAÇÃO DO MONTANTE DOS ATIVOS PONDERADOS PELO RISCO E APURAÇÃO DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA INFORMAÇÕES QUANTITATIVAS 2º TRIMESTRE DE 2015 INTRODUÇÃO Este relatório destaca os principais aspectos

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS E ADEQUAÇÃO DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA INFORMAÇÕES QUANTITATIVAS

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS E ADEQUAÇÃO DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA INFORMAÇÕES QUANTITATIVAS E ADEQUAÇÃO DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA INFORMAÇÕES QUANTITATIVAS 1º TRIMESTRE DE 2014 INTRODUÇÃO Este relatório destaca os principais aspectos quantitativos referente à Gestão de Riscos, adequação do

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatório de Gerenciamento de Riscos 2º Semestre de 2017 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Gerenciamento de Riscos... 3 2.1. Organograma... 4 3. Risco de Crédito... 4 3.1. Definição... 4 3.2. Gerenciamento...

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatório de Gerenciamento de Riscos 1º Semestre de 2016 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Gerenciamento de Riscos... 3 2.1. Organograma... 4 3. Risco de Crédito... 4 3.1. Definição... 4 3.2. Gerenciamento...

Leia mais

Estruturas de Gerenciamento de Riscos e Comitê Regulatório de Gerenciamento de Riscos

Estruturas de Gerenciamento de Riscos e Comitê Regulatório de Gerenciamento de Riscos Estruturas de Gerenciamento de Riscos e Comitê Regulatório de Gerenciamento de Riscos 1. Definição de Risco Operacional Gerenciamento de Risco Operacional De acordo com a Resolução do CMN (Conselho Monetário

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatório de Gerenciamento de Riscos Estrutura de Gerenciamento de Capital Informações Adicionais e Dados Quantitativos Banco Mizuho do Brasil SA. 14/03/2014 1 Estrutura de Gerenciamento de Capital 1.

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos. Pilar 3. 4º Trimestre 2014

Relatório de Gerenciamento de Riscos. Pilar 3. 4º Trimestre 2014 Relatório de Gerenciamento de Riscos Pilar 3 4º Trimestre 2014 Banco Mizuho do Brasil S.A. Março 2015 1/15 Índice 1. Estrutura de Gestão de Capital... 4 1.1. Comitê de Gestão de Ativos e Passivos... 4

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL Pilar 3 Basileia DATA-BASE: 31/12/2015 (4T2015) Sumário Introdução... 3 Principais Categorias de Risco... 3 Estrutura de Gerenciamento de Riscos e de Capital...

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos Circular Conglomerado Financeiro DEZEMBRO 2017

Relatório de Gerenciamento de Riscos Circular Conglomerado Financeiro DEZEMBRO 2017 Detalhamento do patrimônio de referência (PR) : 100 110 111 111.01 111.02 111.03 111.04 111.05 111.06 111.07 111.08 Patrimônio De Referência (PR) Patrimônio De Referência Nível I (PR_I) Capital Principal

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL Pilar 3 Basileia DATA-BASE: 31/03/2017 (1T2017) Sumário Introdução... 3 Principais Categorias de Risco... 3 Estrutura de Gerenciamento de Riscos e de Capital...

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL. Pilar 3 Basileia

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL. Pilar 3 Basileia RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL Pilar 3 Basileia DATA-BASE: 31/12/2018 (4T2018) Sumário Introdução... 3 Principais Categorias de Risco... 3 Estrutura de Gerenciamento de Riscos e de Capital...

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E DE CAPITAL Pilar 3 Basileia DATA-BASE: 30/06/2018 (2T2018) Sumário Introdução... 3 Principais Categorias de Risco... 3 Estrutura de Gerenciamento de Riscos e de Capital...

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatório de Gerenciamento de Riscos 1º Semestre de 2018 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Gerenciamento de Riscos... 3 2.1. Organograma... 4 3. Risco de Crédito... 4 3.1. Definição... 4 3.2. Gerenciamento...

Leia mais

2051 Setembro Contas +/- Descrição R$ Patrimônio Líquido , Contas de Resultado Credoras

2051 Setembro Contas +/- Descrição R$ Patrimônio Líquido , Contas de Resultado Credoras Artigo 4º Contas +/ Descrição R$ 110.01 + Patrimônio Líquido 792.082.013,36 110.02 + Contas de Resultado Credoras 2.966.305.743,63 110.03 + 110.04 + Depósito em Conta Vinculada Para Suprir Deficiência

Leia mais

2051 Junho Contas +/- Descrição R$

2051 Junho Contas +/- Descrição R$ Artigo 4º Contas +/ Descrição R$ 110.01 + Patrimônio Líquido 110.02 + Contas de Resultado Credoras 924.872.566,87 7.794.048.281,71 110.03 + Depósito em Conta Vinculada Para Suprir Deficiência De Capital

Leia mais

Banco Mercedes-Benz RISCO DE MERCADO E LIQUIDEZ Base: Janeiro 2017

Banco Mercedes-Benz RISCO DE MERCADO E LIQUIDEZ Base: Janeiro 2017 Banco Mercedes-Benz RISCO DE MERCADO E LIQUIDEZ Base: Janeiro 2017 INTRODUÇÃO O Banco Mercedes-Benz do Brasil considera a gestão de riscos como um dos pilares de sustentação de seus objetivos estratégicos.

Leia mais

Janeiro/2017 Política Interna de Gerenciamento Integrado de Riscos

Janeiro/2017 Política Interna de Gerenciamento Integrado de Riscos Janeiro/2017 Política Interna de Gerenciamento Integrado de Riscos 1. Apresentação A Política Integrada de Gestão de Riscos da SENSO constitui um conjunto de princípios, diretrizes e responsabilidades

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos Circular Conglomerado Financeiro SETEMBRO 2016

Relatório de Gerenciamento de Riscos Circular Conglomerado Financeiro SETEMBRO 2016 Detalhamento do patrimônio de referência (PR) : R$ 100 110 111 111.01 111.02 111.03 Patrimônio De Referência (PR) Patrimônio De Referência Nível I (PR_I) Capital Principal CP Capital Social Reservas De

Leia mais

Em sua estrutura de gerenciamento de risco, o Banco Ford atende aos requerimentos da Resolução 3.988/2012, com:

Em sua estrutura de gerenciamento de risco, o Banco Ford atende aos requerimentos da Resolução 3.988/2012, com: POLÍTICA DE GESTÃO DE CAPITAL 1 - Conceito O gerenciamento de capital é definido pela Resolução CMN nº 3.988, de 30 de junho de 2011 como o processo contínuo de: I- monitoramento e controle do capital

Leia mais

Gestão de Riscos e PRE Banco Mercedes-Benz do Brasil S.A. Base: Jun/2012 a Set/2013

Gestão de Riscos e PRE Banco Mercedes-Benz do Brasil S.A. Base: Jun/2012 a Set/2013 Gestão de Riscos e PRE Banco Mercedes-Benz do Brasil S.A. Base: Jun/2012 a Set/2013 Índice Introdução e Perfil 3 Crédito Política de Risco de Crédito 4 Exposição, exposição média e maiores clientes 6 Distribuição

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatório de Gerenciamento de Riscos Introdução Relatório elaborado em concordância com as recomendações do Comitê de Supervisão Bancária de Basiléia e com as determinações do Banco Central do Brasil (Circular

Leia mais

Circular nº Conglomerado Financeiro DEZEMBRO Detalhamento do patrimônio de referência (PR) :

Circular nº Conglomerado Financeiro DEZEMBRO Detalhamento do patrimônio de referência (PR) : Detalhamento do patrimônio de referência (PR) : 100 110 111 111.01 111.02 111.03 111.04 111.05 111.06 111.07 111.08 111.90 111.90.01 111.91 111.91.01 111.91.02 111.91.03 111.91.04 111.91.05 111.91.06 111.91.07

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013

RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 RELATÓRIO SOBRE A GESTÃO DE RISCOS BANCO ABN AMRO S.A. Setembro de 2013 1 1 INTRODUÇÃO O presente relatório tem por objetivo atender ao determinado na Circular 3.477 emanada pelo Banco Central do Brasil.

Leia mais

Divulgação de Informações

Divulgação de Informações Divulgação de Informações Gestão de Riscos e Adequação do Capital Regulamentar Relatório contendo informações referentes à gestão de riscos, ao Patrimônio de Referência Exigido (PRE) e à adequação do Patrimônio

Leia mais

Divulgação de Informações

Divulgação de Informações Divulgação de Informações Gestão de Riscos e Adequação do Capital Regulamentar Relatório contendo informações referentes à gestão de riscos, ao Patrimônio de Referência Exigido (PRE) e à adequação do Patrimônio

Leia mais

anexo RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS E GERENCIAMENTO DE CAPITAL

anexo RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS E GERENCIAMENTO DE CAPITAL RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS E GERENCIAMENTO DE CAPITAL 2º Trimestre 2018 RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCOS E GERENCIAMENTO DE CAPITAL 1. INTRODUÇÃO 2. ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS 3. GERENCIAMENTO DE CAPITAL

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E CAPITAL

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E CAPITAL RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E CAPITAL 31/12/2017 GERENCIAMENTO DE RISCOS CORPORATIVOS E CAPITAL NEGRESCO S/A CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO Rua João Bettega, 830 Portão CEP 81070000 Curitiba

Leia mais

Gerenciamento de Riscos Circular 3.477

Gerenciamento de Riscos Circular 3.477 Gerenciamento de Riscos Circular 3.477 2º Trimestre de 2012 Conteúdo 1. OBJETIVO 3 2. INTRODUÇÃO 3 3. GERENCIAMENTO DE RISCOS 3 3.1. RISCO DE CRÉDITO 4 MENSURAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO RISCO DE CRÉDITO 4

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos 1º Trimestre/ 2014 Página 1 de 13

Relatório de Gerenciamento de Riscos 1º Trimestre/ 2014 Página 1 de 13 RELATÓRIO GERENCIAMENTO DE RISCOS GRUPO CONFIDENCE Março/2014 Relatório de Gerenciamento de Riscos 1º Trimestre/ 2014 Página 1 de 13 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. RISCO DE CRÉDITO... 3 3. RISCO DE MERCADO...

Leia mais

RELATÓRIO DE RISCOS E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO

RELATÓRIO DE RISCOS E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO RELATÓRIO DE RISCOS E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO 1º TRIMESTRE DE 2012 Abril de2012. CONTEÚDO I. INTRODUÇÃO... 4 II. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DE RISCOS E CONTROLES INTERNOS... 4 III. GESTÃO DE

Leia mais

Relatório de. Gerenciamento de Riscos. Pilar III - 2T18. Junho, 2018

Relatório de. Gerenciamento de Riscos. Pilar III - 2T18. Junho, 2018 3 Relatório de Gerenciamento de Riscos Pilar III - 2T18 Junho, 2018 Detalhamento de Informações Quantitativas GERENCIAMENTO DE CAPITAL Processo Corporativo O BNY Mellon possui estrutura de Gerenciamento

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCO 1º SEMESTRE 2016 TURISCAM CORRETORA DE CÂMBIO LTDA

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCO 1º SEMESTRE 2016 TURISCAM CORRETORA DE CÂMBIO LTDA RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCO 1º SEMESTRE 2016 TURISCAM CORRETORA DE CÂMBIO LTDA Conteúdo 1.Introdução...3 1.1. Os acordos de Basiléia...3 2.Gestão Integrada de Riscos e Capital...4 2.1. Estruturas

Leia mais

Relatório de. Gerenciamento de Riscos. Pilar III - 1T16. Março, 2016

Relatório de. Gerenciamento de Riscos. Pilar III - 1T16. Março, 2016 3 Relatório de Gerenciamento de Riscos Pilar III - 1T16 Março, 2016 Detalhamento de Informações Quantitativas GERENCIAMENTO DE CAPITAL Processo Corporativo O BNY Mellon possui estrutura de Gerenciamento

Leia mais

Gestão de Riscos e PRE Banco Mercedes-Benz do Brasil S.A. Base: Dez/2011 a Mar/2013

Gestão de Riscos e PRE Banco Mercedes-Benz do Brasil S.A. Base: Dez/2011 a Mar/2013 Gestão de Riscos e PRE Banco Mercedes-Benz do Brasil S.A. Base: Dez/2011 a Mar/2013 Índice Introdução e Perfil 3 Crédito Política de Risco de Crédito 4 Exposição, exposição média e maiores clientes 6 Distribuição

Leia mais

Gerenciamento de Riscos Junho de 2018

Gerenciamento de Riscos Junho de 2018 Gerenciamento de Riscos Junho de 2018 Introdução...2 Contexto Operacional...2 Estrutura do Gerenciamento de Risco...2 Mapeamento de Riscos...3 Processo de Gerenciamento de Riscos...5 Risco de Crédito...5

Leia mais

Relatório de. Gerenciamento de Riscos. Pilar III - 1T18. Março, 2018

Relatório de. Gerenciamento de Riscos. Pilar III - 1T18. Março, 2018 3 Relatório de Gerenciamento de Riscos Pilar III - 1T18 Março, 2018 Detalhamento de Informações Quantitativas GERENCIAMENTO DE CAPITAL Processo Corporativo O BNY Mellon possui estrutura de Gerenciamento

Leia mais

A Implementação de Basiléia II no Brasil: O Pilar 2. Carlos Donizeti Macedo Maia Desup 27 de junho de 2008

A Implementação de Basiléia II no Brasil: O Pilar 2. Carlos Donizeti Macedo Maia Desup 27 de junho de 2008 A Implementação de Basiléia II no Brasil: O Pilar 2 Carlos Donizeti Macedo Maia Desup 27 de junho de 2008 Fundamentos da Supervisão Alguns fundamentos da supervisão bancária: Supervisão baseada no risco.

Leia mais

Relatório de Gestão de Riscos

Relatório de Gestão de Riscos Relatório de Gestão de Riscos - 2017 Sax S/A Crédito, Financiamento e Investimento Relatório para atender aos requisitos estabelecidos nas resoluções 4.090, 3.464, 3.721, 3.380 e 3.988, do Conselho Monetário

Leia mais

ICBC DO BRASIL BANCO MÚLTIPLO S/A. Relatório de Gerenciamento de Risco. Pilar III

ICBC DO BRASIL BANCO MÚLTIPLO S/A. Relatório de Gerenciamento de Risco. Pilar III ICBC DO BRASIL BANCO MÚLTIPLO S/A Relatório de Gerenciamento de Risco Pilar III Data: 31/12/2015 Página 1 de 10 ÍNDICE Introdução... 3 Estrutura de Gerenciamento de Riscos...3 Informações Relativas ao

Leia mais

PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA (Em Reais) 31/03/2018 PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA (PR) PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA NÍVEL I (PR_I)

PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA (Em Reais) 31/03/2018 PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA (PR) PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA NÍVEL I (PR_I) PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA (Em Reais) PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA (PR) 75.017.185 PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA NÍVEL I (PR_I) 75.017.185 Capital Principal 75.017.185 Capital Social + Reservas de Capital 84.252.804

Leia mais

Relatório de. Gerenciamento de Riscos. Pilar III - 4T17. Dezembro, 2017

Relatório de. Gerenciamento de Riscos. Pilar III - 4T17. Dezembro, 2017 3 Relatório de Gerenciamento de Riscos Pilar III - 4T17 Dezembro, 2017 Detalhamento de Informações Quantitativas GERENCIAMENTO DE CAPITAL Processo Corporativo O BNY Mellon possui estrutura de Gerenciamento

Leia mais

Relatório de. Gerenciamento de Riscos. Pilar III - 2T17. Junho, 2017

Relatório de. Gerenciamento de Riscos. Pilar III - 2T17. Junho, 2017 3 Relatório de Gerenciamento de Riscos Pilar III - 2T17 Junho, 2017 Detalhamento de Informações Quantitativas GERENCIAMENTO DE CAPITAL Processo Corporativo O BNY Mellon possui estrutura de Gerenciamento

Leia mais

Estrutura de gerenciamento de riscos

Estrutura de gerenciamento de riscos Estrutura de gerenciamento de riscos Relatório de acesso público 1 Sumário 5 6 8 10 13 Introdução Definições Estrutura de gerenciamento de riscos e capital Descrição da estrutura e responsabilidades Transparência

Leia mais

40º Encontro Nacional de Contadores para IFDs - ENACON

40º Encontro Nacional de Contadores para IFDs - ENACON 40º Encontro Nacional de Contadores para IFDs - ENACON Brasília - DF 16/10/2014 DLO (Demonstrativo de Limites Operacionais) Integração com o COSIF (Carta-Circular nº 3.663) Helton Maciel Fernandes de Paula

Leia mais

ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO PERFIL DO BANCO RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS RISCO DE CRÉDITO RISCO DE MERCADO...

ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO PERFIL DO BANCO RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS RISCO DE CRÉDITO RISCO DE MERCADO... Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL DO BANCO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 3 4 RISCO DE CRÉDITO... 3 5 RISCO DE MERCADO... 8 6 RISCO DE LIQUIDEZ...

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RISCOS FINANCEIROS (Junho/ 2012)

GERENCIAMENTO DE RISCOS FINANCEIROS (Junho/ 2012) GERENCIAMENTO DE RISCOS FINANCEIROS (Junho/ 2012) O relatório de gerenciamento de risco foi produzido conforme a Circular 3.477 de 24.12.2009 que determina que as divulgações de informações devem ser feitas

Leia mais

Relatório de Gestão de Riscos e Capital

Relatório de Gestão de Riscos e Capital Relatório de Gestão de Riscos e Capital 1º Trimestre 2017 PABX: (0xx11) 5188-1122 Fone Ouvidoria: 0800.77 44333 e-mail: ouvidoria@bancokebhana.com.br ÍNDICE 1 Introdução... 3 2 - Estrutura do Gerenciamento

Leia mais

Relatório de Gestão de Riscos e Capital

Relatório de Gestão de Riscos e Capital Relatório de Gestão de Riscos e Capital 2º Trimestre 2017 PABX: (0xx11) 5188-1122 Fone Ouvidoria: 0800.77 44333 e-mail: ouvidoria@bancokebhana.com.br ÍNDICE 1 Introdução... 3 2 - Estrutura do Gerenciamento

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS

RELATÓRIO DE ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS RELATÓRIO DE ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS NOVEMBRO / 2016 1. ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS 1.1 INTRODUÇÃO O gerenciamento de riscos da Biorc Financeira é acompanhado constantemente pela Diretoria, sendo

Leia mais

Relatório de Gestão de Riscos e Capital

Relatório de Gestão de Riscos e Capital Relatório de Gestão de Riscos e Capital 4º Trimestre 2018 PABX: (0xx11) 5188-1122 Fone Ouvidoria: 0800.77 44333 e-mail: ouvidoria@bancokebhana.com.br ÍNDICE 1 Introdução... 3 2 - Estrutura do Gerenciamento

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Risco De Crédito

Estrutura de Gerenciamento de Risco De Crédito Estrutura de Gerenciamento de Risco De Crédito 1. DEFINIÇÃO E TIPOS DE RISCO DE CRÉDITO A Resolução nº 3.721/09, do Conselho Monetário Nacional, definiu Risco de Crédito como a possibilidade de ocorrência

Leia mais

DIVULGAÇÃO DAS INFORMAÇÕES DE GESTÃO DE RISCO E PATRIMÔNIO EXIGIDO CIRCULAR 3.477

DIVULGAÇÃO DAS INFORMAÇÕES DE GESTÃO DE RISCO E PATRIMÔNIO EXIGIDO CIRCULAR 3.477 DIVULGAÇÃO DAS INFORMAÇÕES DE GESTÃO DE RISCO E PATRIMÔNIO EXIGIDO CIRCULAR 3.477 Banco John Deere S.A Data de Referência: Dezembro/2011 1/14 Sumário 1. Gestão de Riscos Aspectos Qualitativos...3 1.1.

Leia mais

PRE. Patrimônio de Referência (PR) Res de Autorizações para Compor de 2007.

PRE. Patrimônio de Referência (PR) Res de Autorizações para Compor de 2007. Agenda Normas de Regência (Basileia II) Regimes Prudenciais para Cooperativas de Crédito Aplicação das Normas (Caso Prático RPC e RPS) Diferença na Aplicação das Normas entre Bancos e Cooperativas de Crédito

Leia mais

ICBC DO BRASIL BANCO MÚLTIPLO S/A. Relatório de Gerenciamento de Risco. Pilar III

ICBC DO BRASIL BANCO MÚLTIPLO S/A. Relatório de Gerenciamento de Risco. Pilar III ICBC DO BRASIL BANCO MÚLTIPLO S/A Relatório de Gerenciamento de Risco Pilar III Data: 31/03/2016 Página 1 de 9 ÍNDICE Introdução... 3 Estrutura de Gerenciamento de Riscos...3 Informações Relativas ao Patrimônio

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS SCANIA BANCO S.A.

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS SCANIA BANCO S.A. RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS SCANIA BANCO S.A. Page 1 (12) ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ORGANOGRAMA DA ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS... 4 2.1. Responsabilidades... 4 3. RISCO DE CRÉDITO...

Leia mais